Page 1


GEOGRAFIA DO BRASIL Fontes de Energia

Alana Carvalho Giovanna Nascimento Francielly Aguiar Maria Clara Leal Marina Karina Brenda Sabrina

Insituto Monsenhor Hipolito – 2º ano “B” Picos, Piauí – 2012 Laboratório de Informática Editora


FICHA CATALOGRÁFICA Editores: Moura, Alana Karen Carvalho; Leal, Brenda Sabrina Andrade; Macêdo, Francielly Aguiar; do Nascimento, Giovanna Gonçalves Palha; Cardoso, Maria Clara Leal; Silva, Maria KarinaSousa;(2º Ano do IMH). Geografia do Brasil: Fontes de Energia. Revisão: Giovanna Gonçalves Palha do Nascimento Design de capa: Andréia Marcos e Alana Editora: Laboratório de Informática Picos – Laboratório de Informática, 2012. 1ª Edição


Epigrafe

"A natureza tem uma estrutura feminina: nĂŁo sabe se defender, mas sabe se vingar como ninguĂŠm" - Marina Silva.


Dedicatória Dedicamos esse livro a nossos pais, a razão do nosso esforço por busca de conhecimento. Dedicamos a: Glaucia Gonçalves Palha e Robério Cesar do Nascimento Maria Joseneide Carvalho e Agenildo Moura Sandra Aguiar e Francinizio Macedo Irinalda M. de S. Leal e Joel Marques Cardoso Maria Zélia de Sousa Silvae Francisco João Maria de Fátima A. Leale José Vagner Leal


Agradecimentos Agradecemos primeira a Deus pela vida e a oportunidade de aprendizado por Ele concedido a cada um de nós. Em seguida agrademos a professora Lourdes Silva pelo acompanhamento que t deem feito desde o inicio do projeto e pela confiança para conosco. Queremos agradecer tambÊm a toda a equipe que se empenhou desde o principio, com muita garra ousadia e companheirismo para que tudo desse certo.


Sumário Fontes de Energia do Brasil - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 08 Capítulo 1 – Fontes de Energia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 09  Petróleo - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 09  Formação do petróleo - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 10  Pré-sal: A nova riqueza do Brasil - - - - - - - - - - - - - - - 12  Carvão Mineral - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 13 Capítulo 2 – Energia Elétrica - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -15  Usinas Hidrelétricas - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 15  Principais Usinas Hidrelétricas - - - - - - - - - - - - - - - - - 15  Usinas Termelétricas - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 17  Usina Nuclear ou Atômica - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 18  Resíduos radioativos - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 21  Acidentes envolvendo usinas nucleares - - - - - - - - - - - - 21 Capítulo 3 – Outras Fontes de Energia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 24  Energia Eólica - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 24  Energia Solar - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 26  Biomassa - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 29  Produtos da Cana - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 31  Proálcool - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 31  Biodiesel - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 32 Considerações Finais - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 33 Fontes de pesquisa e bibliografia - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -34


FONTES ENERGETICAS DO BRASIL Diante do processo de industrialização e urbanização a partir da década de 1940, a energia proveniente da biomassa (lenha, carvão vegetal) foi perdendo lugar para as chamadas fontes de energia modernas (carvão mineral, petróleo e energia de origem hidráulica) que apresentam maior rendimento. No entanto, a utilização continua desses novos recursos tem causado sérios problemas ambientais. A queima desses combustíveis fósseis libera vários gases que poluem a atmosfera e intensificam o efeito estufa além de contaminarem recursos hídricos. Na cidade de Campos (RJ) uma pequena termoelétrica deu inicio, em 1883, a produção de energia elétrica no Brasil. E em 1889 foi implantada a primeira usina hidroelétrica na cidade de Juiz de Fora (MG). No decorrer do tempo às novas fontes de energia começaram a ocupar cada vez mais espaço na sociedade e o potencial energético brasileiro começou a ser valorizado, passando a ser objeto de politicas governamentais. Com isso houve a criação Conselho Nacional do Petróleo (CNP), em 1938, o Conselho Nacional de Água e Energia Elétrica (CNAEE), em 1939, houve também a criação da Petrobrás em 1954, e em 1962 as empresas de eletricidade estruturaram-se em torno da Eletrobrás.

08

FONTES DE ENERGIA


Capitulo 1 – FONTES DE ENERGIA PETRÓLEO O Petróleo é a segunda fonte de energia mais consumida no Brasil e a mais importante e utilizada no mundo. Seu consumo teve inicio no século XIX com a Segunda Revolução Industrial e hoje seria quase impossível sobreviver sem seus derivados, como por exemplo: gasolina, borracha sintética, plástico, asfalto, óleo, tintas, entre outros produtos. As maiores reservas deste combustível fóssil encontram-se no Oriente Médio, e segundo a Agência Nacional do Petróleo, o Brasil, em 2010,ocupavam a 9ª posição entre os países produtores e a 7ª posição entre os países consumidores. Nossas reservas estão situadas principalmente nos estados do Rio de Janeiro (83,5%), Espírito Santo (6,8%), Rio Grande do Norte (3,1%), Sergipe (2,3%), Bahia (2%) e Amazonas (1%).

Fig. 1.1 Plataforma de exploração do Petróleosituadaem alto mar.


Fig. 1.2 Mapa com informações sobre as maiores reserva de Petróleo do mundo. Brasil ocupa 17º posição. Informações do ano de 2007. Fonte: http://www.sitesnobrasil.com/notas/2008/avril/brasil3-campopetroleo.htm

A formação do petróleo Existem muitas teorias que tentam desvendar a origem do petróleo, mas a hipótese mais aceita é que ele tenha origem orgânica. Acredita-se que a decomposição de seres vivos depositados no fundo de mares e lagos sofreram transformações químicas por milhares de anos. A rocha onde o petróleo é formado chama-se rocha matriz. Despois de sua formação ocorre à migração para rochas porosas onde se aloja esse local são as bacias sedimentares onde são encontradas as jazidas petrolíferas.

10

FONTES DE ENERGIA


Fig. 1.2 Processo de formação, componentes, tempo de duração e reserva mundial do petróleo, encontrado a cerca de 4000 metros de profundidade.

Fonte: http://www.petrocenterlapa.com.br/2012/03/formacao-do-petroleo.html

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

11


Pré-sal: A nova riqueza do Brasil A chamada camada pré-sal é uma faixa que se estende ao longo de 800 quilômetros entre os Estados do Espírito Santo e Santa Catarina, abaixo do leito do mar, e engloba três bacias sedimentares (Espírito Santo, Campos e Santos). O petróleo encontrado nesta área está a profundidades que superam os 7 mil metros, abaixo de uma extensa camada de sal que, segundo geólogos, conservam a qualidade do petróleo Vários campos e poços de petróleo já foram descobertos no pré-sal, entre eles o de Tupi, o principal. Há também os nomeados Guará, BemTe-Vi, Carioca, Júpiter e Iara, entre outros. Fig. 1.3Fonte: Arte Folha

Um comunicado de que Tupi tem reservas gigantes, fez com que os olhos do mundo se voltassem para o Brasil e ampliassem o debate acerca da camada pré-sal. Ela tem uma reserva estimada pela Petrobras entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de petróleo, sendo considerado uma das maiores descobertas do mundo dos últimos sete anos. As reservas provadas de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil ficaram em 13,920 bilhões (barris de óleo equivalente) em 2007, segundo o critério adotado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo). Ou seja, se a nova estimativa estiver correta, Tupi tem potencial para até

12

FONTES DE ENERGIA


dobrar o volume de óleo e gás que poderá ser extraído do subsolo brasileiro. Estimativas apontam que a camada, no total, pode abrigar algo próximo de 100 bilhões de BOE (barris de óleo equivalente) em reservas, o que colocaria o Brasil entre os dez maiores produtores do mundo. Para extrair o óleo e o gás da camada pré-sal, será necessário ultrapassar uma lâmina d’água de mais de 2.000m, uma camada de 1.000m de sedimentos e outra de aproximadamente 2.000m de sal. É um processo complexo e que demanda tempo e dinheiro. De acordo com a atual Lei do Petróleo, as áreas de exploração serão leiloadas entre diversas empresas nacionais e estrangeiras. As que derem o maior lance poderão procurar óleo por tempo determinado. Acredita-se que, somente por volta de 2016, estas reservas estejam sendo exploradas em larga escala. Enquanto isso, o governo brasileiro começa a discutir o modelo de exploração que será aplicado. CARVÃO MINERAL Carvão mineral é um sedimento fóssil orgânico, sólido, combustível, negro, formado de restos de vegetais solidificados por baixo de camadas geológicas, durante milhões de anos.Dos combustíveis fósseis, o carvão mineral é o mais abundante na natureza. O carvão participa com 27% na matriz energética mundial, perdendo apenas para o petróleo, com 33% de participação. O mundo consumiu em 2010 perto de 6,5 bilhões de toneladas de carvão mineral, sendo 55% destinadas à geração elétrica. As reservas provadas de carvão mineral no mundo passam de 800 bilhões de toneladas. O carvão é, também, o energético com maior indicador de emissão de CO2. Para cada tep (toneladas equivalentes de petróleo) de carvão consumido na geração elétrica são emitidos perto de 4 toneladas de CO2. No caso de petróleo e derivados, as emissões de CO2 ficam próximas de 3 toneladas por cada tep consumido. No Brasil, o carvão mineral participa com um pouco mais de 5% na matriz energética e com apenas 1,3% na matriz elétrica. O principal uso do carvão ocorre na indústria siderúrgica e para geração elétrica. O carvão mineral brasileiro é considerado de baixa qualidade, com alto teor de cinzas e baixo conteúdo de carbono, o que inviabiliza a sua utilização fora das regiões das jazidas. Por isso, mais de 98% do produto é importado.

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

13


Em 2010, o Brasil consumiu perto de 20 milhões de toneladas de carvão, sendo 14,2 milhões importadas. Dos 20 milhões consumidos, 4,4 milhões de toneladas (22%) foram para uso na geração elétrica e o restante para uso na indústria. As reservas de carvão do País estão situadas na região Sul, sendo que apenas as reservas provadas são suficientes para mais 500 anos. Os atuais estudos de expansão do suprimento de energia, do Ministério de Minas e Energia, mostram que a capacidade instalada de geração elétrica a carvão deve passar de 1,7 GW em 2010, para 3,2 GW em 2020, quando serão gerados perto de 20 TWh de energia elétrica. Toda essa expansão já está contratada. Investimentos realizados em desenvolvimento tecnológico, focados na impurezas, na diminuição de emissões das partículas com enxofre (NOx e SOx) e na redução da emissão de CO2, captura e armazenamento de carbono.

14

FONTES DE ENERGIA

vêm sendo redução de nitrogênio e por meio da


Capítulo 2 –ENERGIA ELÉTRICA É uma das formas de energia que a humanidade mais utiliza na atualidade, devido a pouca perda energética e fácil transporte. Produzida principalmente em usinas hidrelétricas, termelétricas e termonucleares. O setor que mais utiliza eletricidade é o industrial, responsável por 44% do consumo, seguido pelo consumo residencial com 26% do total consumido. USINAS HIDRÉLETRICAS O uso da força das águas para gerar energia é bastante antigo e começou com a utilização das chamadas “noras”, ou rodas d’água do tipo horizontal, que através da ação direta de uma queda d’água produz energia mecânica e são usadas desde o século I a.C.. A partir do século XVIII, com o surgimento de tecnologias como o motor, o dínamo, a lâmpada e a turbina hidráulica, foi possível converter a energia mecânica em eletricidade. Mas o acionamento do primeiro sistema de conversão de hidroenergia em energia elétrica do mundo ocorreria somente em 1897 quando entrou em funcionamento a hidrelétrica de “Niágara Falls” (EUA) idealizada por Nikola Tesla com o apoio da Westinghouse. De lá para cá o modelo é praticamente o mesmo, com mudanças apenas nas tecnologias que permitem maior eficiência e confiabilidade do sistema. Cerca de 20% da energia elétrica gerada no mundo todo é proveniente de hidrelétricas. Em números aproximados, só no Brasil, a energia hidrelétrica é responsável por 75 milhões de KW. São 158 usinas em funcionamento, outras 9 usinas estão em construção e existem 26 outorgadas (com permissão para serem construídas).Uma usina hidrelétrica, no Brasil, pode ser classificada de acordo com a sua potência de geração de energia em dois tipos principais: as PCH’s, ou pequenas centrais hidrelétricas que produzem de 1MW a 30 MW e possui um reservatório com área inferior a 3 km² (Resolução ANEEL N.º 394/98), e as GCH’s, ou grandes centrais hidroelétricas que produzem acima de 30 MW. Principais Usinas Hidrelétricas: Três Marias, na Bacia do São Francisco ( que abastece o complexo siderúrgico do vale do Aço mineiro), Usinas de Salto Grande e Mascarenhas, no Rio Doce,que geram energia para os mercados fluminenses. Grande parte das usinas hidrelétricas da Bacia do Paraná foi implantada durante as décadas de 50 e 60. No início da década de 70 a Cesp completou o complexo Urubupungá, formado pelas usinas de Ilha Solteira e Jupiá com capacidade total de 4500 megawatts. As usinas de São Simão e Cachoeira Dourada também já estavam em fase de construção.

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

15


Depois delas, foi construída a grande Usina de Água Vermelha, no Rio Grande. A maior usina do mundo é atualmente Itaipu. A China atualmente pretende construir a Usina de Três Gargantas que produzirá 18.200 Mw (megawtts), 84,6 milhões de MWhH superando a produção de Itaipu que gera 90 milhões de MWh e terá 14.000Mw com mais duas unidades que estão sendo montadas. A segunda maior usina do mundo é Grand Coulee nos EUA produz 50 milhões de Mwh

Fig. 2.1 Itaipu ou Usina Hidrelétrica de Itaipu (Guarani: Itaipu, Espanhol: Itaipú;) é uma usina hidrelétrica no rio Paraná, localizada na fronteira entre Brasil e Paraguai.

O nome "Itaipu" foi tirado de uma ilha que existia perto do local de construção. No idioma guarani, Itaipu significa "o som de uma pedra". O compositor estadunidense Philip Glass também escreveu uma cantata sinfônica em nome de Itaipu, em honra da sua estrutura. Itaipu Binacional é a empresa que gera a maior usinahidrelétrica em funcionamento e em capacidade de geração de energia no mundo.[1] É uma empresa binacional construída pelo Brasil e pelo Paraguai no rio Paraná, no trecho de fronteira entre os dois países, 15 km ao norte da Ponte da Amizade. O projeto vai de Foz do Iguaçu, no Brasil, e Ciudaddel Este, no Paraguai, no sul, até Guaíra e Salto del Guairá, no norte. A capacidade instalada de geração da usina é de 14 GW, com 20 unidades geradoras fornecendo 700 MW cada. No ano de 2008, a usina geradora atingiu o seu recorde de produção, com 94,68 bilhões de quilowatts-hora (kWh), fornecendo 90% da energia consumida pelo Paraguai e 19% da energia consumida pelo Brasil.

16

FONTES DE ENERGIA


USINAS TERMÉLETRICAS É uma instalação industrial que serve para gerar energia através da queima de combustíveis fósseis. Funciona da seguinte maneira: aquece-se uma caldeira com água, essa água será transformada em vapor, cuja força irá movimentaras pás de uma turbina que por sua vez movimentará um gerador.Uma maneira de se aquecer o caldeirão é através da queima de combustíveis fósseis(óleo, carvão, gás natural). Após o queima eles são soltos na atmosfera causando Grandes Impactos Ambientais; Outra maneira de aquecimento é utilizar a energia nuclear, através de reações nucleares como a quebra (fissão) do urânio. Fig. 2.2 Esquemade obtençao de energia termelerica.A fonte de calor aquece uma caldeira com água gerando vapor d'água em alta pressão, e o vapor move as pás da turbina do gerador.

Há vários tipos de usinas termelétricas, sendo que os processos de produção de energia são praticamente iguais, porém com combustíveis diferentes. Alguns exemplos são: usina a óleo, usina a carvão, usina nuclear, usina a gás. Acreditar que termelétricas possam ser uma boa alternativa para produção de eletricidade para a cidade de Manaus não é tão seguro, pois a demanda de combustíveis fósseis mesmo a gás natural requer grandes

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

17


investimentos e uma utilização de uma energia maior.Ela contribui para o aquecimento global através do efeito estufa e da chuva ácida. A queima de gás natural lança na atmosfera grandes quantidades de poluentes.O Brasil lança por ano 4,5 milhões de toneladas de carbono na atmosfera, com o incremento na construção de usinas termelétricas esse indicador chegará a 16 milhões, elas apresentam um alto custo de operação, em virtude do dinheiro utilizado na compra de combustíveis. Hoje, descobriu-se que a usina termoelétrica é um dos pontos chaves para o aumento do aquecimento global, devido à queima de carvão e a destruição da fauna, sendo assim é uma fonte de energia causa danos ambientais.

Fig. 2.3Termelétrica de Aparecida localizada em Manaus - AM.

18

FONTES DE ENERGIA


USINA NUCLEAR OU ATÔMICA Energia nuclear é a energia liberada numa reação nuclear, ou seja, em processos de transformação de núcleos atômicos. A principal vantagem da energia nuclear é a não utilização de combustíveis fósseis

Fig. 2.3 - Usina de energia nuclear. Vapor não radioativo sai das torres de resfriamento.

O Brasil possui um programa amplo de uso de energia nuclear para fins pacíficos. Entretanto, usinas só existem duas usinas, as demais são instalações que de alguma maneira exploram a energia nuclear. Há cerca de três mil instalações em funcionamento pelo território brasileiro que utilizam materiais ou fontes radioativas para fins de produção industrial, para o campo da saúde como no tratamento de doenças ou ainda para a pesquisa, principalmente na área química. As duas usinas nucleares em funcionamento no Brasil são Angra 1 e Angra 2, instaladas no município de Angra dos Reis (RJ) com potencial de geração de 2 mil megawatts. No ano de 2015, está prevista a inauguração da usina Angra 3, adicionando 1080 megawatts de energia elétrica à disposição.

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

19


Fig. 2.4 Usina Nuclear em Angra dos Reis no estado do Rio de Janeiro

Na área de geração de energia, o Brasil é um dos poucos países do mundo a dominar todo o processo de fabricação de combustível para usinas nucleares. O processo de enriquecimento isotópico do urânio por ultracentrifugação, peça estratégica dentro do chamado ciclo do combustível nuclear, é totalmente de domínio brasileiro.As reservas brasileiras de urânio já confirmadas são de 300 mil toneladas e estão entre as seis maiores do mundo.

20

FONTES DE ENERGIA


Resíduos radioativos O rejeito radioativo de usinas nucleares é normalmente baixo, mas representa um problema, pois os elementos contidos no combustível queimado, principalmente os produtos de fissão, demoram um tempo muito longo para decairem em outros elementos e apresentam alta radioatividade, portanto é necessário que eles fiquem confinados em um depósito próprio onde não possa haver nem interferência humana externa nem interferência ambiental (já que a inteferência ambiental pode causar vazamentos e deslocamento dos elementos).

Fig.2.5 - Simbolo de dejetos radioativos

Acidentes envolvendo usinas Nucleares As maiores preocupações que giram em torno de usinas nucleares tem sua causa nos inúmeros números de acidentes envolvendo as mesmas. Em 1986, na usina de Chernobyl, em Kiev, Ucrânia, houve a pior catástrofe nuclear civil da história. A explosão do reator 4, durante um teste de segurança deixou mais de 25 mil mortos e deixou outros milhares de doentes e centenas de grávidas com deformação fetal. Cerca de três quartos da Europa foi contaminada com o ocorrido e em um raio de 30 milhas do local foi evacuado e isolado, sendo declarada “zona de exclusão”. Até hoje sofre, partes próximas ao reator sofrem ameaças de radiação. No Japão, em 2011, um terremoto seguido de um tsunami comprometeu o sistema de resfriamento dos reatores da usina nuclear Daiichi, em Fukushima, cerca de 250 km de Tóquio, provocando explosões e incêndios, que elevou a emergência ao nível 7, antes só atingido pelo desastre na usina de Chernobyl. INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

21


Acidentes nucleares são comuns entre os japoneses. Em 1981(usina nuclear de Tsuruga ),1997 (A usina experimental de Tokaimura), 1999( Tokaimura), 2004(usina nuclear de Mihama) casos semelhantes envolvendo radiação deixaram milhares de mortos e contaminados por todo o país. Nos Estados Unidos, na França e na Rússia também já aconteceram fatos semelhantes. No Brasil, em Goiânia – GO, um acidente radiológico conhecido com Césio – 137 foi o maior que já ocorreu na nação e afetou seriamente a saúde de milhares de pessoas. O fato se deu devido ao abandono, em um ferro velho, de um aparelho hospitalar que possuía compostos radioativos. Catadores então desmontaram a peça gerando um rastro irreversível de contaminação. Imediatamente após o contado, as vítimas apresentavam os sintomas: náuseas, tonturas, vômito e diarreia com causas desconhecidas pelos médicos. As consequências foram onze mortos e mais de seiscentas pessoas contaminadas. Os trabalhos de descontaminação dos locais afetados produziram 13,4 t de lixo contaminado com césio-137: roupas, utensílios, plantas, restos de solo e materiais de construção. O lixo do maior acidente radiológico do mundo está armazenado em cerca de 1.200 caixas, 2.900 tambores e 14 contêiner em um depósito construído na cidade de Abadia de Goiás, vizinha a Goiânia, onde deverá ficar, pelo menos 180 anos.

22

FONTES DE ENERGIA


Fig. 2.6 Desastres envolvendo usinas nucleares e radiação. Nas imagens: A -1 Usina Nuclear Chernobyl, na Ucrânia, antes do acidente ;A – 2 vítima do acidente nuclear de Chernonyl. ; A -3Área de Chernonyl, isolada desde 1986, ano do acidente; BVista aérea da usina nuclear Fukushima Daiichi em chamas após a explosão ; C -1 Limpeza de áreas contaminadas com radiação no estado de Goiás ; C – 2 Enterro de uma vítima da radiação proveniente do desastre Césio- 137, que com apenas seis anos não resistiu, sendo enterrada em um caixão blindado a chumbo para não haver risco de contaminação do solo.

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

23


Capitulo 3 –OUTRAS FONTES DE ENERGIA ENERGIA EÓLICA

Fig. 3.1 Parque Eólico Modelo de 1,2 MW do Mucuripe, Fortaleza, Ceará. Fonte http://blogdopaulofoletto.wordpress.com

Desde a antiguidade a energia eólica vem sendo bastante utilizada, principalmente nos países europeus. Era ela a fonte de energia utilizada para mover os barcos a vela ou impulsionar a engrenagem dos moinhos. Atualmente a energia eólica pode ser uma solução para o problema energético do Brasil, pois nosso país possui condições naturais e tecnológicas para instalação de turbinas e cata-ventos, chamados de aerogeradores. Por ser uma fonte de energia de baixo custo seu uso vem crescendo rapidamente no Brasil, pode ser captada de maneira muito simples em praias, montanhas ou no campo, além de ser ecologicamente corretanão apresenta ruídos, nem índices de poluição e com retorno garantido onde são utilizadas turbinas movidas a vento para gerar energia elétrica para as redes.

24

FONTES DE ENERGIA


Fig.3.2 Processo de geração de energia eólica. Fonte: evolucaoenergiaeolica.wordpress.com

Quase todo o território nacional possui condições favoráveis de vento para a instalação de aerogeradores, mas as áreas mais propícias estão no litoral nordestino principalmente no Ceará e no Rio Grande do Norte. Existem usinas eólicas nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e no Para em breve será construída a usina de Crispim.

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

25


Figura 3.3 Mapas de ventos do Brasil Fonte: architetandoverde.blogspot.com

ENERGIA SOLAR O Brasil possui um bom potencial energético solar, mas a falta de informações solarimétricas, em alguns locais, prejudica a instalação de unidades geradoras de energia. Em nosso país,essa fonte de energia é utilizada principalmente nos aquecedores solares para residências, hospitais ou hotéis. Neste caso uma placa escura é usada para absorver a energia do sol, que transforma essa energia em calor, esquentando a água.Outra forma de utilização dessa energia é a energia fotovoltaica, que nada mais é que a conversão de energia solar em energia elétrica. Para esse processo há uma unidade fundamental, a chamada célula fotovoltaica e o material para construção dessas células é o silício. Esse tipo de energia é utilizado principalmente em lugares afastados de redes de abastecimento elétrico, para projetos sociais, agropastoris e eletrificação dos meios rurais.

26

FONTES DE ENERGIA


Fig. 3.4Ilustração de um sistema solar de aquecimento de água

Fonte: GREEN, M. A. et al. Solar celi efficiency tables: version 16. Progress in Photovoltaics: Research and Applications, Sydney, v. 8, p. 377-384, 2000 (Adaptadoporaneel).

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

27


Fig. 3.5Radiação solar global diária – média anual

Fonte: ATLAS de Irradiação Solar no Brasil. 1998. (Adaptado por aneel).

A energia solar não polui durante a sua produção nem necessita de manutenção continua. Entretanto, o painel solar consome uma enorme quantidade de energia para ser fabricado. Outra desvantagem é que em países de latitudes médias e altas a energia produzida tende a cair constantemente, principalmente no período de inverno. Apesar de ser uma fonte de energia renovável, ela é pouco utilizado devido o alto custo de instalação, necessitando assim de mais pesquisas e maior desenvolvimento tecnológico que aumente a eficiência e barateie os custos.

28

FONTES DE ENERGIA


Fig. 3.6 - Fonte:ofrioquevemdosol.blogspot.com

BIOMASSA A lenha, o carvão vegetal, o álcool, o bagaço da cana e outros resíduos vegetais são alguns dos exemplos da chamada biomassa. A biomassa é um material constituído de substâncias orgânicas, de origem animal ou vegetal. É uma fonte de energia renovável e não agride o meio ambiente, pois não altera a atmosfera de forma significativa. É fácil de ser armazenada e transportada e possui baixo custo de operação. Por esses motivos é de fundamental importância no desenvolvimento de novas fontes energéticas. Desde o inicio da civilização o homem usa a biomassa como fonte energética. E no Brasil, ela foi o primeiro combustível a ser utilizado, consumindo grande parte das florestas do nosso país em forma de lenha. Mais tarde, os engenhos de cana de açúcar juntamente com a indústria siderúrgica também devastaram grande parte das nossas florestas. Hoje, é comum a dúvida se a lenha e o carvão vegetal são fontes renováveis, já que seu uso contínuo requer o replantio de florestas, que demora um longo período de tempo. Atualmente, a biomassa ainda é bastante utilizada, principalmente nos meios de transportes. A lenha e o carvão vegetal são utilizados para gerar calor em hospitais, restaurantes,

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

29 INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

13


indústrias e residências. Já o álcool é usado como uma alternativa a gasolina.

Fig. 3.7 Tipos de biomassa. Nas fotos: A – LENHA. Participa com quase 10% da produção de energia primária. B- CARVÃO MINERAL. Obtido pela queima de madeira em fornos especiais. C ÓLEO VEGETAL. Pode ser extraído a partir do caule, folhas e sementes de alguns vegetais.

Os principais setores consumidores da biomassa são o industrial (52%), o de transporte (14%) e o residencial (com 13% do consumo final).

30

FONTES DE ENERGIA


PRODUTOS DA CANA A cana de açúcar já corresponde a 16% da matriz energética do Brasil, segundo dados de 2007. A agroindústria canavieira constitui uma importante fonte de energia alternativa utilizando o bagaço da cana de açúcar. O Brasil não aproveita todo seu potencial de uso de bagaço de cana desperdiçando anualmente um volume que poderia gerar oito mil MW, número que tende a aumentar com a crescente produção do álcool. O álcool, biocombustível liquido, pode ser produzido a partir de varias plantas como a cana de açúcar, a beterraba, a mandioca, o girassol e o eucalipto. No Brasil utiliza-se álcool etílico extraído da cana de açúcar.

Fig. 3.8Cana de açúcar: um dos principais tipos de biomassa energética

A produção brasileira de álcool etílico corresponde a um terço da produção mundial, e nossa principal região produtora é o sudeste, com destaque para o estado de São Paulo. PROÁLCOOL O Proálcool (Programa Nacional do Álcool) foi criado para encontrar uma fonte de energia alternativa ao petróleo, cujo preço havia disparado no mercado internacional. O álcool é bem menos poluente que a gasolina. Sua utilização fez com que houvesse uma diminuição na dependência petrolífera e ajudou financeiramente nosso país, que desenvolveu sua própria tecnologia. Entretanto, áreas rurais com intuito de cultivar cana pra transforma-la em álcoolfizeram com que houvesse a monocultura da cana. O preço também

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

31


é outro aspecto negativo, o álcool etílico é bem mais caro que a gasolina e causa impacto ambiental, pois desgasta o solo. BIODIESEL

Fig. 3.9 Biodiesel: combustível renovável feito de matéria vegetal.

O biodiesel é uma alternativa para ao óleo diesel. É um recurso renovável, importante para o desenvolvimento sustentável, feito a partir de produtos renováveis, como óleos vegetais, exemplo o babaçu, o dendê, o buriti e também de sementes como o girassol, a soja e a mamona. Com a criação, em 2003, do Programa Nacional de produção de Biodiesel, que tem como objetivo substituir as fontes não renováveis de energia, o Norte e o Nordeste foram priorizados na produção oleaginosa. Em 2004, no municio do Canto do Buriti, sul do Piauí, teve inicio a produção familiar de mamona para produção do biodiesel. Na natureza, o uso do biodiesel é um meio importante no combate ao efeito estufa, pois diminui a emissão de gases poluentes.

32

FONTES DE ENERGIA


Considerações Finais Depois de percorrer todo o estudo e dedicação a esse projeto, podemos constatar a grande importância que possui as fontes de energia. Percebemos que em nosso planeta encontramos diversos tipos de fontes de energia. Elas podem ser renováveis ou esgotáveis. Por exemplo, a energia solar e a eólica (obtida através dos ventos) fazem parte das fontes de energia inesgotáveis. Por outro lado, os combustíveis fósseis (derivados do petróleo e do carvão mineral) possuem uma quantidade limitada em nosso planeta, podendo acabar caso não haja um consumo racional. O homem vem utilizando suas fontes de energia de maneira irracional, de forma que as reservas que vem sendoexploradas há décadas estão se esgotando. A sociedade tem que parar e refletir sobre o uso de formas renováveis deenergia, assim como formas menos poluentes já que a terra vem experimentando um aquecimento global significativodurante as últimas décadas.As respostas às questões levantadas a respeito da disponibilidade de oferta de energia suficiente para no futuroimpulsionar o crescimento econômico do país e garantir o atendimento para toda população, e que tenham um impacto positivo no meio ambiente, serão apoiadas em tecnologias mais eficientes e menospoluentes a fim de utilizar-se de forma mais racional as possíveis fontes de energia conhecidas pelo homem. Assim, os sistemas de cogeração aparecem ao mesmo tempo como uma solução imediata para a crise atual deenergia vivida pelo Brasil e como uma solução para os problemas ambientais e sociais advindos nos setores energéticos,que são o problema de aquecimento global e fornecimento de energia sustentável. Conforme o dito acima, pode-se perceber a forte relação entre as questões técnicas, sociais e ambientais. Com oobjetivo de conscientizar, ainda na universidade, os novos engenheiros sobre o exposto é preciso ir além de uma visãotecnicista herdada do velho modelo de ensino usado. Deve haver, no modelo moderno de ensino da engenharia, acapacidade de desenvolver nos alunos uma consciência crítica que analise e reflita sobre as relações sociais, econômicase ambientais do uso da tecnologia. Depois desse aprofundamento, temos compreensão do assunto mencionado, e a partir dai deixamos mais uma fonte de pesquisa e sabedoria, para os leitores

INSTITUTO MONSENHOR HIPOLITO – 2º ANO ”B”

33


FONTES DE PESQUISAS E BIBLIOGRAFIA http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_el%C3%A9trica http://www.sempretops.com/cultura/fontes-de-energia-alternativa/ http://www.brasil.gov.br/cop/panorama/o-que-o-brasil-estafazendo/matriz-energetica http://www.brasilescola.com/geografia/energia-solar.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_solar http://www.brasilescola.com/geografia/biomassa.htm Fronteiras da globalização. O Espaço brasileiro: natureza e trabalho. Volume 3. Lúcia Marina e Tércio Geografia Geral e do Brasil. Volume único. Lúcia Marina e Tércio http://ecoforum.forumeiros.com/t5-biodisel-resumo http://www.infoescola.com/fisica/usina-termoeletrica/ http://qicstudiografico.blogspot.com.br/2012/01/impactos-ambientaisem-usinas.html http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Ar/termeletrica.php http://www.achetudoeregiao.com.br/assuntos_gerais/Usinas_Termoeletric a.htm Marcos de Amorim coelho e Lygia Terra -Geografia do Brasil espaço natural, territorial e socioeconômico brasileiro editora moderna http://noticias.uol.com.br/internacional/listas/top-10-os-maioresacidentes-nucleares.jhtm http://g1.globo.com/tsunami-no-pacifico/noticia/2011/03/saiba-quaisforam-os-principais-acidentes-nucleares-recentes.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Acidente_radiol%C3%B3gico_de_Goi%C3%A 2nia http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI19615917770,00UCRANIA+ABRE+AREA+DE+CHERNOBYL+PARA+TURISMO.html


http://www.unificado.com.br/calendario/09/cesio.htm http://numaznews.blogspot.com.br/2012/09/cesio-137-em-goiania.html


LiDi_IMH_Fontes de Energia  

ALUNOS(AS) DO 2ºANO DO ENSINO MÉDIO PRODUZEM LIVROS DIGITAIS, ABORDANDO CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA. CONFIRAM!

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you