Page 1

1


Autores Andressa Naiane Rodrigues Monteiro Fernandes. Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B Daniel Hipólito Monteiro Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B Jayne Coelho Oliveira Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B Joseandro de Sousa Júnior. Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B Mariana de Carvalho Leal. Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B Sérgio da Rocha Leal. Estudante do Instituto Monsenhor Hipólito – 2º ano B

Editora: Laboratório de Informática

2


Ficha Catalográfica Revisão: Loudes Silva George Oliveira Pesquisa Iconográfica: Daniel Hipólito Jayne Oliveira Edição de arte: Laboratório de Informática. Título Original da Obra: Economia do Brasil: Transporte e Comunicação. Editora: Lab. De informática. Design: Lab. De informática

FERNANDES, Andressa Naiane/ MONTEIRO, Daniel Hipólito/ OLIVEIRA, Jayne Coelho/ JÚNIOR, Joseandro de Sousa/ LEAL, Mariana de Carvalho/ LEAL, Sérgio da Rocha. Economia do Brasil: Transporte e Comunicação – Piauí: Laboratório de Informática,2012.

Picos- 2012

3


Epígrafe

“A Geografia é o fruto da essência que predomina nesse perfeito universo.” (Mariana Gueiros)

4


Agradecimentos

Agradecemos primeiramente a Deus; a nossa Professora Lourdes Silva pelo apoio e incentivo; Ao todo o laboratório de informática pelo auxílio, design e formatação do livro; Também somos gratos ao Sr. George Oliveira pela colaboração no prolongamento do desenvolvimento do nosso livro.

Gratos, os Autores

5


Dedicatória

Dedicamos nosso livro a Comunidade Educativa do Instituto Monsenhor Hipólito, a Nossa Professora Lourdes Silva pelo apoio e incentivo na realização da nossa obra, aos nossos pais e aos demais que direta ou indiretamente contribuíram para o progresso desse projeto.

6


Prefácio

O processo de comunicação no Brasil hoje é de grande relevância e eficácia a toda população brasileira. Neste contexto atual, vejo os diferentes Meios de Comunicações do Brasil, pelos quais foram citados neste livro, como fonte de desenvolvimento, qualificação e conhecimento múltiplo para com a população brasileira, sendo que cada uma destas fontes supracitadas no decorrer desta edição, tem a sua função específica, qualificativa e significativa para a absorção do conhecimento da sociedade brasileira como um todo, através dos vários níveis de informações transmitidos, via escrito ou verbal.

7


Sumário Capítulo 1: Comunicação No Brasil Comunicação Comunicação no Brasil - ________________________________9 Telecomunicação - _____________________________________________ __10 Televisão- ______________________________________________________ 11 Rádio- _________________________________________________________ 12 Internet- _______________________________________________________ 13 Telefonia- ______________________________________________________ 14 Satélite- ________________________________________________________ 15 Imprensa - ______________________________________________________ 16

Capítulo 2: Transporte no Brasil Transporte no Brasil -______________________________________________ 17 Transporte Rodoviário- ____________________________________________ 18 Rodovias Brasileiras - _____________________________________________ 20 Rodovias Federais - _______________________________________________ 20 Privatização - ____________________________________________________ 20 Transporte Ferroviário-_____________________________________________21 Privatização - ____________________________________________________ 22 Transporte Aquaviário- ____________________________________________ 23 Transporte Marítimo - _____________________________________________23 Transporte Fluvial - _______________________________________________ 24 Transporte Aéreo- ________________________________________________ 25 Transporte Metroviário-____________________________________________ 26 Considerações Finais - _____________________________________________ 27 Referencias Bibliográfica __________________________________________ 28

8


Capítulo 1- Comunicação no Brasil

três grandes fases. A primeira delas corresponde à presença de empresas estrangeiras no país, É dividida em três grandes fases. A primeira delas corresponde à presença de empresas estrangeiras no país, que detinham praticamente um monopólio dos serviços de telecomunicações. A segunda se identifica com o monopólio do Brasileiro, com a criação da Embratel e do Sistema Telebrás. A última fase teve início na década de 90 e foi marcada pela privatização das empresas estatais e pela abertura ao capital estrangeiro. Atualmente, as comunicações são marcadas pela digitalização dos conteúdos, pelo desenvolvimento da Internet e pela Convergência tecnológica. da Embratel e do Sistema Telebrás. A última fase teve início na década d90 e foi marcada pela privatização das empresas estatais e pela abertura ao capital estrangeiro. Atualmente, as comunicações são marcadas pela digitalização dos conteúdos, pelo desenvolvimento da Internet e pela Convergência tecnológica.

9


Telecomunicação Trata-se do nome dado à transmissão, emissão ou recepção, por fio, radioeletricidade, meios ópticos ou qualquer outro processo eletromagnético, de símbolos, caracteres, sinais, escritos, imagens, sons ou informações de qualquer natureza.

10


Televisão

Televisão é um sistema eletrônico de reprodução de imagens e som de forma instantânea. Funciona a partir da análise e conversão da luz e do som em ondas eletromagnéticas e de sua reconversão em um aparelho que às vezes recebe erroneamente também o mesmo nome do sistema ou pode ainda ser chamado de aparelho de televisão. As câmeras e microfones captam as informações visuais e sonoras, que são em seguida convertidas de forma a poderem ser difundidas por meio eletromagnético ou elétrico, via cabos; o televisor ou aparelho de televisão capta as ondas eletromagnéticas e através

de

seus

componentes

internos

as

converte

novamente

em imagem e som. No Brasil, foi inaugurado em 1950, trazida por Assis Chateaubriand. O país foi o quarto a ter uma emissora de televisão (TV Tupi).

11


Rádio

É um recurso tecnológico das telecomunicações utilizado para propiciar comunicação

por

intermédio

da

transcepção

de

informações

previamente

codificadas em sinal eletromagnético que se propaga através do espaço. No Brasil um Padre-cientista gaúcho, chamado Roberto Landell de Moura, criou diversos importantes aparelhos para a história da Rádio como o Teleauxiofono (telefonia com fio), Caleofono (telefonia com fio), Anematófono (telefonia sem fio), Teletiton (telegrafia fonética, sem fio, com o qual duas pessoas podem comunicar sem serem ouvidas por outras), Edífono (destinado a dulcificar e depurar as vibrações parasitas da voz fonografada, reproduzindo-a ao natural).

12


Internet

Há pouco tempo atrás o acesso à Internet era restrito a professores, estudantes e funcionários de universidades e instituições de pesquisa. Em adição, instituições governamentais e privadas também obtiveram acesso devido a colaborações acadêmicas e atividades não-comerciais. A partir de 1995, surgiu a oportunidade para que usuários fora das instituições acadêmicas também obtivessem acesso à Internet e que a iniciativa privada viesse a fornecer esse serviço. Isto significa que haverá cada vez mais computadores brasileiros, fora das instituições de ensino, ligados à Internet, e que um vasto leque de aplicações surgirá em curto prazo.

13


Telefonia

O telefone é

um

dos

dispositivos

de telecomunicações desenhados

para

transmitir sons por meio de sinais elétricos nas vias telefônicas. É definido como um aparelho eletroacústico que permite a transformação, no ponto transmissor, de energia acústica em energia elétrica e, no ponto receptor, terá a transformação da energia elétrica em acústica, permitindo desta forma a troca de informações (falada e ouvida) entre dois ou mais assinantes. É lógico que, para haver êxito nessa comunicação, os aparelhos necessitam estar ligados a vários equipamentos, que formam uma central telefônica. Foi uma das maiores invenções do Século XX. Tendo como objetivo inicial fazer e receber chamada, atualmente são capazes de executar varias tarefas ao mesmo tempo como navegar na Internet, ver televisão, utilizar serviços de GPS e outros.

14


Satélites Em 1953, foram apresentados planos de um satélite pelo Dr. S. Fred Singer. Porem o primeiro satélite lançado ao espaço e a ficar em órbita em torno da Terra foi o Sputnik I (satélite russo) lançado em 4 de outubro de 1957. Estão direcionados aproximadamente 500 satélites para a telecomunicação. São usados nas comunicações com navios e aviões, o que não pode ser feito por outras tecnologias, tais como a transmissão a cabo. Eles enviam e recebem os sinais de rádio e microondas a partir estações de satélites situado na terra.

15


Imprensa O termo imprensa é derivado da prensa móvel (processo gráfico modificado por Johannes Guttenberg no século XV). E que no século XVII serviu para imprimir jornais, ate então único veiculo jornalístico existente. No Brasil ocorreu um atraso devido a coroa portuguesa, que proibiu toda e qualquer atividade de imprensa (a publicação de jornais, livros ou panfletos) Mas algumas colônias europeias se fazia presente a imprensa desde o século XVI.Oficialmente a imprensa brasileira teve a liberdade em 13 de maio de 1808 no Rio de Janeiro com a criação da imprensa Régia. A partir de então houve a criação do primeiro jornal publicado em território nacional, ‘’A Gazeta, do Rio de Janeiro’’, em 10 de setembro esse jornal, que publicava sempre em favor do governo, começou a circular por todo o país. No mesmo ano teve a criação do Correio Braziliense por Hipólito José da costa autor do Primeiro jornal Brasileiro ainda que fora do Brasil, Esse jornal foi publicado pela primeira vez em 1 de junho de 1808, mas em outubro chega ao Rio de Janeiro. O correio Braziliense teve uma grande repercussão e polemica nas camadas mais esclarecidas, sendo proibido e apreendido pelo governo. Imprensa é o conceito coletivo dos veículos de comunicação que fazem o Jornalismo e

outras

funções

de

comunicação

informativa

sendo

a

comunicação propagandista ou de entretenimento.O termo imprensa deriva da

palavra prensa

móvel,um

processo

gráfico

que

foi

aperfeiçoado

por Johannes Guttenberg no século XV e que mais tarde foi utilizado para imprimir jornais,que até então os únicos veículos jornalísticos existentes. Por volta do século XX em diante, os jornais passaram a ser também radiodifundidos e teledifundidos (radiojornal e telejornal) e, com o advento da World Vide Web, também vieram os jornais online, ou ciber. jornais, ou web jornais. E se manteve o termo imprensa. Atualmente se subdivide em:

16


Capítulo 2 - TRANSPORTE NO BRASIL

O Brasil sofre com perdas constantes no setor de transporte em consequência do alto custo dos serviços e das dificuldades devido a má conservação de portos, rodovias e armazenagem dos produtos para exportação. Levando em conta também a burocracia das alfândegas que barram as mercadorias por vários dias, por falta de fiscalização, funcionários e greves. O setor de transporte foi de grande importância no processo de crescimento econômico e de integração no território brasileiro. A integração generalizada é bem recente, pois a algumas décadas atrás as regiões Norte e Centro-Oeste eram praticamente isoladas do restante do país. Os primeiros transportes utilizados no Brasil foram o marítimo (navegação costeira), fluvial (pequenas embarcações) e o terrestre (carruagens e o lombo de animais). Os transportes modernos (ferroviário e rodoviário) foram implantados recentemente.

17


Transporte Rodoviário É transporte feito por estradas, rodovias, ruas e outras vias pavimentadas ou não, movimentando materiais, pessoas ou animais de um determinado ponto a outro. Sendo o maior, pois é o mais utilizado no país. O domínio deste transporte sobre os demais no Brasil pode ser explicado pela não utilização de ferrovias durante o processo de ocupação do território brasileiro. E pela prioridade dada pelo governo de Juscelino Kubitschek ao transporte rodoviário e a construção de ferrovias.

18


Rodovias Brasileiras A Primeira estrada de rodagem foi a União e Indústria, construída em 1861. Ligava Petrópolis e Três Rios, no Rio de Janeiro, a Juiz de Fora, em Minas Gerais. Atualmente as rodovias brasileiras são classificadas de acordo com a jurisdição, a que estão submetidas: podem ser federais, estaduais ou municipais.

Rodovias Federais A nomenclatura das rodovias é formada através da sigla BR seguida de três algarismos. O primeiro algarismo define a categoria da ferrovia, partindo das determinações estabelecidas pelo Plano Nacional de Viação, os dois outros algarismos definem a posição a partir da orientação geral da rodovia em relação a capital federal e aos limites do país nas direções Norte, Sul, Leste ou Oeste. Essas definições são aplicadas também nas Rodovias Radiais que partem da capital federal em direção aos extremos do país; Rodovias Longitudinais que cortam o país na direção Norte e Sul; Rodovias Transversais que cortam o país na direção Leste- Oeste; Rodovias Diagonais que podem apresentar dois modos de orientação: Noroeste- Sudeste- ou Nordeste- Sudeste. Estas são as principais rodovias do país.

Privatização Iniciou-se em 1995 com a permissão da operação da ponte Rio-Niterói de um trecho da rodovia Presidente Dutra. Até 2002, haviam sido privatizados cerca de 10 mil quilômetros de rodovias federais e estaduais. Como mostra a tabela.

19


Transporte Ferroviário

Foi introduzido no Brasil por iniciativa do Barão de Mauá, que construiu a primeira ferrovia no estado do Rio de Janeiro. Entretanto, as ferrovias tiveram o seu melhor desempenho no auge da economia cafeeira. O caráter do transporte ferroviário no Brasil sempre esteve ligado ao transporte de cargas, com exceção dos mais recentes trens metropolitanos. É constituído de trens antigos e de baixa velocidade e integra poucas áreas do país, pois essa nunca foi sua prioridade.

20


Privatização

As ferrovias federais foram privatizadas entre 1996 e 1998. A rede ferroviária federal foi dividida em sete setores para a privatização: 

Malha Oeste (5 mar. 1996): antiga E.F. Nordeste do Brasil, ligando Bauru(SP) a Corumbá(MS). Nova concessionária: Ferrovia Novoeste

Malha Centro-leste(14 junho.1996): Estados de Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Goiás, Espirito Santo e Rio de Janeiro. Nova Concessionária: Ferrovia centroAtlântico S.A.

Malha Nordeste (18 jul. 1998): Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba , Pernambuco , Alagoas e Sergipe. Nova concessionária: Companhia Ferroviária do Nordeste.

Malha Sudeste (20 set. 1996): Minas Gerais, Rio de janeiro e São Paulo. Nova concessionária: MRS Logística S.A.

Malha Tereza Cristina ( 22 nov. 1996 ) : Santa Catarina. Nova concessionária: Ferrovia Tereza Cristina S.A.

Malha Sul (13 dez. 1996): Paraná, Santa Catarina e Rio grande do Sul. Nova Concessionária: América Latina logística S.A.

América Paulista (10 nov. 1998) Abrangeu a FEPASA, incorporada à RFFSA. Nova concessionária: Ferroban-Ferrovias Bandeirantes.

21


Transporte Aquaviário Utilizam recursos hídricos (mares, rios e lagos).Embora o litoral brasileiro seja um dos mais extenso do mundo, transporte marítimo é pouco usado no nosso pais, tanto para passageiros como para cargas. Os principais portos brasileiros então concentrados no sudeste, no nordeste e no sul. Um número bem maior de portos no centro-oeste e no norte reflete a menor concentração industrial e populacional nessas regiões. No Brasil são utilizados os transportes marítimos e fluviais.

Transporte Marítimo A frota marítima brasileira tem menos de duzentos navios: pouco mais de cem são de cabotagem (utilizados para navegação entre os portos brasileiros) cerca de cinquenta são de longo curso. Os portos de Santos (SP), Vitória Tubarão (ES),Rio de Janeiro(RJ),Paranaguá(PR) e Rio Grande(RS) são os mais movimentados do pais.

22


Transporte Fluvial A navegação fluvial (por rios) consome cinco vezes menos energia que o transporte rodoviário e três vezes menos que o ferroviário. Além de ser mais barato, é menos poluente e menos nociva ao meio ambiente que os demais transportes já citados.

23


Transporte Aéreo

De acordo com o departamento de aviação civil ( DAC). Em 2002 as companhias aéreas brasileiras transportaram 35,9 milhões de pessoas. As principais empresas aéreas são: Nordeste Linhas Aéreas (Grupo Varig) Rio Sul (Grupo Varig), TAM (transportes aéreos regionais), Varig e Gol. Os cinco principais aeroportos brasileiros, ou seja, os que recebem maior número de passageiros, são: Governador Franco Montoro (em Guarulhos) e Congonhas, ambos em São Paulo; Tom Jobim e Santos Dumont no Rio de Janeiro; Juscelino Kubitschek, em Brasília.

24


Transporte Metroviário Esse tipo de transporte poderia ser uma solução para os problemas de transito nas cidades brasileiras, mais, além de ter pequena participação de transporte urbano de passageiros, existe somente em algumas capitais a primeira linha brasileira de metrô entrou em operação em 1974, na cidade de São Paulo também contam com esse tipo de transporte Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Porto Alegre.

25


Considerações Finais

O sistema de transportes brasileiro define-se principalmente por uma grande matriz rodoviária,

também sendo servido

por um sistema limitado de transporte

fluvial (apesar do numeroso sistema de bacias hidrográficas presentes no país), ferroviário, aéreo e metroviário.

26


Referencias Bibliográficas Wikipédia Google Images Uol Educação Brasil Escola

27

Economia no Brasil - 2º Ano Ensino Médio  

Economia no Brasil - 2º Ano Ensino Médio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you