Page 1


A indústria do cinema hollywoodiano serviu para divulgar internamente nos Estados Unidos e internacionalmente a visão branca e das classes dominantes, que no inicio do século XX, dirigiram o país e o transformaram no grande império militar e econômico da idade moderna.

Quilombo In Cena

O cinema aí teve um papel fundamental de divulgação desta cultura e foi usado intencionalmente como forma de padronizar o comportamento cultural, divulgando valores e conceitos de interesse deste grupo dirigente. Os negros, indígenas e outras etnias, como os asiáticos, quando apareciam, nos filmes dos grandes estúdios, tinham sempre papéis secundários e estereotipados. Um dos primeiros filmes sonoros, o primeiro que combinou cena, música e diálogos de forma sincronizada. O Cantor de Jazz, estreou com grande sucesso em 1927 e contava a história de um cantor judeu branco, que contrariando a vontade do pai, que o queria cantando musicas religiosas na Sinagoga, se torna um grande cantor popular com um pseudônimo e o rosto pintado de preto. Este personagem, representado pelo ator Al Jolson, durante muito tempo significou as dificuldades que o cinema teve de lidar com a força e expressão da música e da cultura dos afro-americanos. Paralelo ao desenvolvimento dos grandes estúdios, ainda durante o período do Cinema Mudo e seguindo até os anos de 1950, surgiu o movimento Race Pictures, que podemos traduzir livremente por Imagens da Raça e que teve como expressão maior o cineasta e ativista Oscar Mixaux.

4 1

Este movimento buscou fazer filmes em que os negros não fossem estereotipados, que fossem protagonistas e principalmente que fossem assistidos pelo público negro.

Naquele momento os Estados Unidos passavam por transformações importantes ligadas às lutas pelos direitos civis, contra a segregação e a discriminação que iriam culminar em uma série de reformas e novos comportamentos.

Oscar Mixaux e seus companheiros levavam seus filmes debaixo do braço, de cinema em cinema e de cidade em cidade, numa época em que havia uma separação entre salas de cinema para brancos e para pretos, formando novos públicos e colocando para circular, histórias do cotidiano do povo negro americano.

Com isso, apesar da persistência dos conflitos, mais filmes com atores e atrizes negras, com histórias do cotidiano das comunidades afroamericanas e também das diásporas negras passam a serem feitos tanto pelos estúdios como por uma produção independente mais profissionalizada do que o Race Picture. Um bom exemplo disto é outro filme estrelado em 1967 por Sidney Poitier, realizado e ambientado na Inglaterra chamado Ao Mestre com Carinho, que foi muito assistido no mundo inteiro e que expõe as contradições entre negros e brancos numa escola inglesa.

Os filmes do Race Pictures eram feitos com pouco dinheiro, e se comparados com os dos grandes estúdios seu acabamento era precário, com deficiências técnicas, porém seus efeitos propagandistas cimentaram o caminho para o surgimento de atores e diretores como Sidney Poitier, que em 1963 recebeu o Oscar, o maior prêmio dos estúdios e da indústria do cinema americano, de melhor ator principal no filme Uma Voz na Sombra, sendo assim o primeiro negro a receber tal reconhecimento.

5


Nos anos de 1970 surgiu um novo movimento cinematográfico envolvendo cineastas negros americanos, chamado Blaxploitation. Este nome de difícil tradução pode significar Preto ao Máximo, foi uma tentativa de expressar de forma mais intensa as características do povo negro, notadamente nas áreas das grandes cidades naquele momento tomadas pela violência, principalmente policial. O movimento foi atento ao histórico das grandes comunidades negras que foram obrigadas a abandonar a vida rural principalmente no sul do país e migrar para o norte por causa da ocupação racista e se amontoar nas periferias das grandes cidades. Nos roteiros dos filmes, os heróis são pessoas da comunidade negra, nunca a polícia ou o Estado. Além de revelar inúmeros atores que ficaram famosos no cinema dos estúdios e na televisão, o Blaxploitation ficou conhecido principalmente pelas belas trilhas sonoras assinadas por James Brown, Marvin Gaye, Quincy Jones, Isaac Hayes , entre outros. Este movimento foi decisivo na mudança de comportamento nas comunidades negras americanas, influenciando no modo de vestir, falar, dançar e se relacionar com as instituições e autoridades constituídas.

6

Nessa época, surgiram também as séries animadas, tendo personagens como o Jackson Five, grupo musical que reunia Michael Jackson e seus irmãos, e os jogadores do time de basquete Globetrotters Harlem, sendo a primeira vez que as crianças tiveram personagens negros protagonistas neste formato. Estas séries foram exibidas na televisão brasileira com uma fantástica receptividade de público. Atualmente, cada vez mais os diretores e atores negros americanos têm seu espaço garantido nas produções dos estúdios, nas produções independentes e na televisão destacando personalidades como Spike Lee, Danny Glover, Halle Barry, Oprah Winfrey e Morgan Freeman. Também cada vez mais surgem canais de televisão e sites da internet voltados para a produção e distribuição de conteúdos afroamericanos. Regiões com grande concentração de população negra, a exemplo da cidade de Atlanta no Estado da Geórgia, buscam articular condições para que seus filmes e programas tenham mais repercussão.

Na África O cinema chegou ao continente africano inicialmente nos países do norte. Os irmãos Lumiérè, um ano depois da exibição de Paris, chegaram ao Egito e a Tunísia para projeções e filmagens. No Egito as primeiras projeções foram na cidade de Alexandria pouco tempo depois a atividade adquiriu participantes locais e foi se entendendo até a capital, a cidade do Cairo. Já no inicio do século XX, mesmo ainda sob a dominação inglesa diversos filmes começaram a serem feitos, muitos deles falados em árabe e de diversos gêneros, começando pelos documentários, curtas metragens sobre atividades oficiais, chegando até a ficções.

Quilombo In Cena

Devido a grande expansão econômica do país na época, o Egito se tornou o destino de pessoas de todas as partes do mundo se transformando num grande caldeirão cultural e com a participação de estrangeiros em todas as atividades econômicas , dentre elas o cinema. Este foi um dos fatores que ajudaram a cidade do Cairo a ser conhecida internacionalmente como a Hollywood do Oriente até os anos de 1950.

Outro destaque importante na divulgação de filmes de temática negra, realizados e protagonizados por artistas negros são os festivais como o Festival do Cinema Africano de Nova York e o Festival Pan-africano de Cinema de Los Angeles que inclusive premiou como melhor filme em 2012, o brasileiro Besouro.

7


Quilombo In Cena

Os filmes produzidos no Egito fizeram com que o cinema fosse conhecido em todo o mundo árabe e fizeram também com que diversos atores e diretores do país fossem conhecidos internacionalmente. Ainda na região, países como o Marrocos, mesmo não tendo desenvolvido uma indústria de cinema, serviram de locação para inúmeros filmes, o que popularizou localmente o hábito de frequentar o cinema e povoou o imaginário dos cinéfilos com imagens do norte africano. Já na África Subsaariana, a chamada África Negra, o cinema demorou um pouco mais para chegar. Os primeiros filmes que tiveram esta região do continente africano como cenário, normalmente tratavam os povos e costumes de forma estereotipada, fruto de um pensamento colonialista, enfatizando os perigos na selva, os selvagens canibais e o herói branco que vem para salvar a mocinha loura em perigo. Um filme típico desta época seria o Tarzan, o Homem Macaco. A partir dos anos de 1960, com o processo de independência pelo qual passou a maioria dos países da região, o cinema começou a ser realizado como uma das ferramentas de criação de identidade das novas nações. As atenções dos cineastas se dividiram entre o resgate de tradições culturais e as problemáticas que a realidade pós-colonial trouxe, tais como o traçado artificial das fronteiras que dividiu famílias e etnias e a opção entre tradição e contemporaneidade colocada a todo o momento para a população e para os novos dirigentes ao tratarem da herança colonial. Osmane Sémene, escritor e cineasta senegalês é considerado por muitos como o “pai” do cinema africano. Ele começou realizando curtas metragens e documentários no inicio da década e em 1966 estreou o longa metragem La Noire de ... (A Negra de...), que recebeu muitos prêmios internacionais e apresentou pela primeira vez de forma autoral, a África Negra para o resto do mundo. A obra cinematográfica Osmane Sémene, não é muito extensa porém a sua influencia é sentida até hoje, nos filmes de cineastas contemporâneos, pela determinação de contar histórias do povo simples, vencendo as barreiras do colonialismo cultural através de criações afirmativas.

8

O cineasta francês Jean Rouch, com o seu cinema antropológico e etnográfico, também teve um papel importante na divulgação da diversidade africana através do cinema, além de, com a sua intensa atividade no continente africano, ter estimulado o surgimento de outros realizadores. Sua obra ainda provoca polêmicas no que diz respeito à questão do “olhar estrangeiro”, porem é inegável a sua contribuição para o desenvolvimento de cinematografias como a do Senegal, Mali e Burkina Faso.

É em Burkina que acontece o mais antigo e importante festival de cinema do continente africano. O FESPACO (Festival Pan-africano de Cinema e Televisão de Ouagadougou) foi criado em 1969 por um grupo de cineasta e cinéfilos, que identificaram a atividade cinematográfica como uma das vertentes da economia a serem desenvolvidas pelo país, recémindependente, que na época se chamava Alto Volta. A partir de 1979 ele passa a ser bienal e é a maior vitrine do cinema e da televisão africana, passando nos últimos anos a dar também destaque às produções das diásporas. De 1970 para cá o cinema africano vem num crescendo continuo de quantidade e de penetração para além das suas fronteiras. A cinematografias de alguns países são às vezes inibidas pelas contingências políticas, principalmente com a existência de regimes autoritários e guerras civis , mas no conjunto , cada vez mais filmes são realizados e assistidos. Contribuíram para este desenvolvimento cineasta como os malinenses Cheick Oumar Sissoko e Soleymane Cissé; os burkinabés Idrissa Ouédraogo e Gaston Kaboré, os mauritanos Abderrahmane Sissako e Med Hondo; o camaronês Dikongue-Pipa e o africano do sul Zola Mazeko, entre muitos outros. Nos últimos anos, vencendo o tradicional machismo africano, também presente na atividade cinematográfica surgiram diversas diretoras, que trouxeram com o olhar feminino as questões de gênero que faltavam na diversidade deste cinema.

9


Destaque aqui para a argelina Djamila Sahraoui que além de diretora com um repertório expressivo é também atriz de projeção internacional, para a cineasta de Madagascar Marie-Clémence e para as estreantes Ariane Astrid Atoji, do Camarões e Apolline Traoré. de Burkina Faso. A partir dos anos de 1990, a novidade no cenário cinematográfico da África é o desenvolvimento do cinema nigeriano. Com a apropriação das tecnologias digitais que facilitaram a produção, edição e difusão de filmes, a Nigéria, conhecida hoje no mundo cinematográfico como Nollywood, é o terceiro país em número de filmes produzidos, atrás dos Estados Unidos e da Índia. O cinema nigeriano contemporâneo explicita os desafios colocados pela apropriação da tecnologia e o mercado do audiovisual. A maioria dos filmes feitos na Nigéria, tem estratégias diferentes das do grande mercado , para alcançar o seu público. São realizados de forma colaborativa e comercializados de forma alternativa. Esta desmistificação do fazer cinematográfico fez com que a maior parte da população tenha intimidade com a atividade do cinema e a contrapartida são filmes amadores, com interesses bem regionais, porém extremamente populares. No Brasil O cinema no Brasil surge no final do século XIX e o italiano, radicado no Rio de Janeiro Affonso Segretto, que filmou diversas cenas na baia de Guanabara é considerado o nosso primeiro cineasta. No início do século XX, o cinematografo passa a ser uma das mais concorridas formas de diversão da então capital do país, na época um grande centro cultural internacional, instalado em diversas salas do centro da cidade, e em muitas delas dividindo espaço com espetáculos de teatro, dança e música.

Quilombo In Cena

Em 1957, o ator representa o sambista Espírito da Luz, no filme Rio Zona Norte de Nelson Pereira dos Santos, talvez seu primeiro trabalho, no qual questões da raça e cultura negras são colocadas explicitamente. Apesar do grande desenvolvimento da indústria do cinema, com a criação de grandes estúdios como a Companhia Cinematográfica Vera Cruz e um diversificado circuito de salas de cinema espalhado pelo país inteiro, os atores negros e as histórias do povo negro não tinham quase nenhuma participação neste mercado. Haroldo Costa, de forma pioneira, torna-se o primeiro diretor negro reconhecido do cinema nacional com o seu filme Pista de Grama de 1958. Em 1959, o francês Marcel Camus dirigiu no Rio de Janeiro o filme Orfeu do Carnaval, baseado na peça teatral Orfeu da Conceição de Vinicius de Moraes e que tinha no elenco principal Breno Mello, gaucho jogador de futebol que contracena com a atriz americana Marpessa Dawn, além de outros atores negros como Léa Garcia e a dublagem musical de Agostinho Santos. O filme teve um enorme sucesso e foi muito premiado internacionalmente, recebendo a Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1959 e o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1960.

Junto com a atividade exibidora, muitos filmes são feitos, documentários sobre obras, sobre expedições desbravadoras, encontro com índios, documentos de festas e acontecimentos familiares. Também o cinema de ficção e de arte se desenvolve, com destaque internacional de nomes como os dos diretores Alberto Cavalcanti e Mário Peixoto, ambos oriundos do cinema mudo com carreiras que se estendem até a década de 1960. O primeiro estúdio nacional foi a Cinédia fundado em 1930, pelo produtor e diretor Adhemar Gonzaga. Nele foi realizado em 1935 o filme Noites Cariocas que marca a estreia de Grande Otelo, o primeiro ator negro brasileiro a se popularizar no cinema. Depois da Cinédia , Grande Otelo fez diversos filmes nos estúdios da Atlântida em parceria com Oscarito , dupla que ficou famosa e que ajudou a consagrar o estilo das Chanchadas no gosto popular.

10

11


O movimento do Cinema Novo trouxe para as telas brasileiras o povo e as histórias e mitologias populares e com isto os negros e as histórias do povo negro passaram a ter uma importância e visibilidade maior na nossa produção audiovisual. Barravento, o primeiro longametragem de Glauber Rocha, um dos líderes do movimento, realizado em 1962 é ambientado numa aldeia de pescadores negros descendentes de escravos africanos e tem como atores principais Antonio Pitanga e Luiza Maranhão. Neste mesmo ano é realizado o Cinco Vezes Favela, que reuniu num mesmo filme cinco episódios dirigidos por diferentes cinema novistas; Um Favelado , dirigido por Marcos Farias, Zé da Cachorra dirigido por Miguel Borges, Couro de Gato por Joaquim Pedro de Andrade , Pedreira São Diogo por Leon Hirszman e Escola de Samba , Alegria de Viver dirigido por Cacá Diegues e estrelado por Abdias do Nascimento. No ano seguinte, Cacá Diegues realiza o primeiro épico negro do cinema brasileiro Ganga Zumba, a história da fuga dos escravos que vão fundar o quilombo de Palmares. No elenco Antonio Pitanga, Luiza Maranhão, Cartola o compositor e Léa Garcia. Participa também deste elenco Zózimo Bulbul que viria a protagonizar um número expressivo de filmes e novelas de televisão, buscando sempre dar aos personagens negros o devido respeito e dignidade.

Zózimo também dirigiu diversos filmes , dentre eles o curta Alma no Olho , de 1973 com música original de John Coltrane .Um dos seus últimos trabalhos como ator foi no filme Filhas do Vento , dirigido por Joel Zito Araújo. Joel Zito é atualmente um dos mais atuantes diretores e pesquisadores negros brasileiros seu mais recente filme Raça, realizado conjuntamente com a diretora americana Megan Mylan, aborda concomitantemente a história dos quilombolas capixabas em luta com a grande indústria de celulose pela posse da terra, o projeto do cantor Netinho de Paula de ter um canal de televisão exclusivamente negro e o processo de votação no congresso nacional do Estatuto da Igualdade Racial, comandado pelo Senador Paulo Paim. Como consequência de todos os movimentos de conscientização, reparatórios e de inclusão temos hoje em dia um cenário de maior participação de artistas negros e histórias de negros no audiovisual brasileiro. Junto com batalhadores históricos com Zezé Mota, Antônio Pompeu, Ruth de Sousa, Jeferson De e muitos outros, uma nova geração passou a protagonizar filmes e novelas tais como Lázaro Ramos, Flavio Bauraqui, Roberta Rodrigues, Thais Araújo e Camila Pitanga.

Quilombo In Cena

Por trás das câmeras também surgiram novos nomes atuantes como o grupo reunido em torno do projeto Cinco Vezes Favela-Agora por Nós Mesmos. O filme, produzido por Cacá Diegues e lançado em 2009, deu visibilidade ao trabalho de novos diretores como Luciano Vidigal, Wagner Novais, Luciana Bezerra, Rodrigo Felha e Cadu Barcellos. Nesta nova geração também, mais mulheres se colocam como diretoras, a exemplo de Sabrina Rosa, que escreveu o roteiro e codirigiu junto com Cavi Borges, Vamos Fazer Um Brinde (2011). O caminho ainda é longo no sentido de termos na mídia uma expressão negra que coincida com a participação real do povo negro na sociedade brasileira. Por isto a importância das formas alternativas de produção e principalmente de difusão de conteúdos sobre a cultura, o cotidiano e a história das pessoas de origem negro africana. Assim os cineclubes, voltam a ter uma importância enorme, por propiciarem que os filmes possam chegar aos lugares aonde não existe o cinema convencional e que as sessões de cinema possam ser acompanhadas de conversas e debates, enriquecendo o ato de ver filmes e aprofundando o conhecimento coletivo. O cineclubismo surgiu no Brasil na década de 1920 e desde então participa ativamente da história do cinema brasileiro, tanto enquanto espaço de exibição quanto de formação de realizadores, de discussão e articulação entre os filmes, a educação, os movimentos sociais e o desenvolvimento das comunidades onde atua. Seus altos e baixos ao longo deste tempo refletiram os momentos políticos, as incertezas estéticas e as transformações tecnológicas pelas quais passou o setor nestas décadas. Uma das atividades mais permanentes dos cineclubes brasileiros é a Jornada Nacional de Cineclubes, realizada desde 1959 e no momento em que este texto está sendo escrito prepara a realização de sua 29° edição, pretendendo reunir em Salvador e Itaparica na Bahia, representantes de aproximadamente 500 cineclubes de todo o país, além de convidados internacionais para discutirem o futuro do Cinema Comunitário.

Adyr Assumpção Brumadinho, Agosto de 2013

12

13


Quilombo In Cena

03. A Voz dos Quilombos – 02. A Pedra da Memória

Parte Um / Médio Paraíba Brasil, 23 minutos , 2009

Brasil/ Benin ,58 minutos ,2012. Direção: Lellete Couto Direção: Renata Amaral Sinopse: O babalorixá Euclides Talabyan chefe da casa Fanti Ashanti em São Luiz do Maranhão e a yakekerê Isabel Onsemawyi viajam ao Benin (África Ocidental) indo ao encontro da cultura de seus ancestrais, com a qual dialogam cotidianamente. Em contraponto, na outra margem, este diálogo acontece com os Agudás, descendentes de exescravos brasileiros retornados ao Benin após a abolição, que cultivam também, há mais de um século, a cultura brasileira de seus antepassados. Pedra da Memória é um documentário musical que propõe uma investigação estética entre os gêneros tradicionais dos dois países, revelando seus vínculos e particularidades.

Sinopse: Documentário idealizado pela equipe da Superintendência da Igualdade Racial da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos RJ. O filme tem por objetivo dar visibilidade aos remanescentes dos quilombos que vivem na Região Médio Paraíba, interior do Estado do Rio de Janeiro. A produção do filme foi acompanhada por jovens que participaram do I Encontro Estadual da Juventude Quilombola promovido pela mesma Secretaria em 2008.

Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch? feature=player_embedded&v=Pf11eZ55ecg

Disponível integralmente na internet no endereço: http://vimeo.com/56037980 Contato : Renata Amaral - Maracá Cultura Brasileira www.maraca.art.br (11) 4324 8978 / (11) 98306 5344

16

17


05. Aleijadinho

Quilombo In Cena

Brasil, 24 minutos, 1978 04. Água de Meninos – A Feira do Cinema Novo

Direção: Joaquim Pereira de Andrade

Brasil,52 minutos, 2012.

Sinopse: Um inventário da vida e da obra de Antônio Francisco Lisboa, o artista mais expressivo do Brasil colônia. Nascido em 1738 na antiga Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto (MG), cedo tornou-se conhecido pelas originais concepções técnicas e artística que introduziu em seu ofício de escultor. Além das obras realizadas em Ouro Preto, trabalhou também em Tiradentes, Congonhas do Campo, Sabará, Mariana e outras cidades vizinhas, mesmo acometido por uma doença que o deformou, mas que não o impediu de continuar sua obra monumental e comovente. Baseado em texto e roteiro de Lúcio Costa.

Direção: Fabíola Aquino Sinopse: o filme conta a história da Feira em quatro tempos: a Feira de Água de Meninos na cidade de Salvador, o Cinema Novo produzido na Feira, seu incêndio, em 1964, e o hoje, em São Joaquim. Exibida com suas diversidades em cores fortes e marcantes, a Feira de São Joaquim e sua gente traz situações que remetem ao passado, embora estejamos em pleno século XXI. Essa vibração e efervescência contaminou a equipe de produção do documentário que, em meio a artigos de candomblé, barracas de artesanatos, carnes, frutas, verduras e uma infinidade de produtos, teve o cuidado de captar a essência da Feira, com depoimentos e entrevistas de diferentes personalidades.

Disponível integralmente na internet no endereço: http://portacurtas.org.br/filme/?name=o_aleijadinho Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.br

Contatos:http://aguademeninosdoc.blogspot.com.br Fabiola.aquino@gmail.com Telefones (71) 87888556 (71) 91457119

18

19


Quilombo In Cena

06. Alma no Olho Brasil,11 minutos, 1973 Direção: Zózimo Bulbul Sinopse: Metáfora sobre a escravidão e a busca da liberdade através da transformação interna do ser, num jogo de imagens de inspiração concretista. Música original de John Coltrane. Contato: http://afrocariocadecinema.org.br/ E-mail: afrocarioca@afrocariocadecinema.org.br Telefone: (021) 25087381 Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=IbCa5ufiV3s 07. Aniceto do Império em... Dia de Alforria...? Brasil,12 minutos,1981. Direção: Zózimo Bulbul Sinopse: Biografia do sambista e compositor Aniceto do Império Serrano, fundador da Escola de Samba e militante no Cais do Porto. Trata-se de uma oportunidade rara de ver o mestre Aniceto no Morro da Serrinha, onde nasceu e cresceu, suas crenças, seu Império Serrano, sua luta pelos portuários, suas músicas completamente influenciadas pela ancestralidade negra e seu partido alto, tema onde ele foi um dos maiores. Contato:http://afrocariocadecinema.org.br/ E-mail: afrocarioca@afrocariocadecinema.org.br Telefone: (021) 25087381 Disponível integralmente na internet no endereço:http:// www.youtube.com/watch?v=9FQPf3oxBrY

20

21


Quilombo In Cena

08. Aquém das Nuvens Brasil, 17 minutos, 2012. Direção: Renata Martins. Sinopse: Nenê é casado com Geralda há 30 anos. Em uma tarde de domingo, como de costume, ele vai à roda de samba encontrar os amigos. Ao voltar para casa, surpreende-se com uma notícia sobre Geralda. Sem deixar que o ritmo do samba caísse, Nenê encontra uma solução para ficar ao lado de sua eterna namorada. Contato:http://pretaportefilmes.com.br E-mail:contato@pretaportefilmes.co.br Telefones (11) 2507 3503/ (11) 2507 3506 E-mail: contato@filmesdeabril.com.br

22

09. As Batidas do Samba Brasil, 73 minutos, 2011. Direção: Bebeto Arantes. Sinopse: Mostra a evolução e as grandes revoluções rítmicas do ritmo na cidade do Rio de Janeiro, tomando como base os instrumentos de percussão. Essencialmente musical, o filme é conduzido pelo percussionista e sambista, que participa de rodas de samba com grandes nomes do samba carioca, como Monarco, Wilson das Neves, Moacyr Luz, Paulão Sete Cordas e a turma do Fundo de Quintal. Contato:http://livresfilmes.com/ carlaosorio2000@yahoo.com.br

cavicavideo@gmail.com

23


Quilombo In Cena

11. Besouro. Brasil,95 minutos,2009. Direção: João Daniel Tikhomiroff 10.BH Soul: a Cultura Black de Belo Horizonte. Brasil, 77 minutos, 2011. Direção: Tomás Amaral. Sinopse: O documentário retrata a cultura urbana do soul em Belo Horizonte, ligada à música e a dança funk dos anos setenta. Os eventos do Gênero que acontecem na cidade, como o Baile da Saudade e o Quarteirão do Soul, são o ponto de partida de uma pesquisa histórica que mergulha nas décadas de setenta e oitenta. Contato:http://www.tomasamaralvideo.com/ E-mail:tomasamaral@yahoo.com.br Telefone: (31) 2516-2688/ (31) 9976-2688

24

Sinopse: Bahia, década de 20. No interior os negros continuavam sendo tratados como escravo apesar da abolição da escravatura ter ocorrido décadas antes. Entre eles está Manoel (Aílton Carmo), que quando criança foi apresentado à capoeira pelo Mestre Alípio (Macalé). O tutor tentou ensiná-lo não apenas os golpes da capoeira, mas também as virtudes da concentração e da justiça. A escolha pelo nome Besouro foi devido à identificação que Manuel teve com o inseto, que segundo suas características não deveria voar. Ao crescer Besouro recebe a função de defender seu povo, combatendo a opressão e o preconceito existentes. Contato: http://www.besouroofilme.com.br/

25


Quilombo In Cena

13. Caixa Preta Brasil, 17,30 minutos, 2009. 12. Caiu na Área.

Direção: Ana Claudia Okuti

Brasil, 16,33 minutos, 2012.

Sinopse: Conta a história de um jovem de uma comunidade do Rio de Janeiro, que por dificuldades econômicas, resolve arrumar um emprego por incentivo da avó. Porém, eles não esperavam que uma "Caixa Preta" modificaria o caminho, transformando a esperança em uma triste realidade.

Direção: Lincoln Santos e Alexandre Nascimento Sinopse: Através do Campeonato de Favelas do Sampaio alguns líderes do Morro do Sampaio lutam para entreter e seus moradores.

Contato:

26

Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=rKV7R4cWBxA

27


Quilombo In Cena

14. Candomblé no Togo. Brasil, 20 minutos, 1972 Direção: José Agrippino de Paula Sinopse: um retrato, filmado em super-8, dos rituais e práticas do Candomblé no país do oeste africano. Contato: www.sescsp.org.br

14. a) Candomblé no Dahomey. Brasil, 20 minutos, 1878. Direção José Agrippino de Paula Sinopse: “A câmera dança ao ritmo do (g)rito do candomblé”. ( JairoFerreira) Contato: www.sescsp.org.br

28

29


16. Compasso de Espera

Quilombo In Cena

Brasil, 98 minutos, 1973. 15. Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado Brasil, 117,52 minutos, 2008. Direção: Joel Zito Araújo. Sinopse: Cerca de 900 mil pessoas por ano são traficadas pelas fronteiras internacionais exclusivamente para fins de exploração sexual. Entretanto, apesar de todos os perigos, jovens mulheres brasileiras, ao entrar no mundo do turismo sexual, acreditam que vão mudar de vida e sonham com o seu príncipe encantado. Uma minoria consegue encontrar um grande amor e casar. O filme vai do Nordeste brasileiro a Berlim buscando entender os imaginários sexuais, raciais e de poder das jovens cinderelas do sul e dos lobos do norte.

Direção: Antunes Filho Sinopse: Jorge, jovem poeta negro, é amante de Ema, diretora de uma agência de publicidade em São Paulo. Numa reunião literária, ele conhece Cristina, branca de família aristocrática. Nasce uma simpatia entre ambos, e quando voltam a se encontrar são surpreendidos por Ema, que provoca uma discussão e o afastamento de Cristina. Angustiado, Jorge procura sua família, depois de meses de ausência, e é repreendido por abandonar sua origem humilde. Encontra novamente Cristina e os dois buscam refúgio para seu amor nascente numa praia distante, onde são humilhados, com revolta e desaprovação pela diferença racial, por pescadores locais. Também a diretora da escola de Cristina e sua família fazem pressão sobre a jovem, e ela resolve partir para a Europa. Jorge abandonado e criticado pelos amigos negros sente-se perdido numa sociedade na qual não consegue se inserir, enquanto Ema insiste em procurá-lo. Contato Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.br Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=Gjns-TgMQCU

Contato: Casa Criação Cinema Caixa Postal 37004 Rio de Janeiro CEP 22 640 -020 Joelzito.araujo@gmail.com

30

31


Quilombo In Cena

17. Doces Bárbaros Brasil, 103 minutos, 1976. Direção: Jom Tob azulay Sinopse: Em 1976, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Gal Costa comemoravam seus 10 anos de carreira. Para celebrar a primeira década na estrada, eles se unem como o nome de Os Doces Bárbaros para fazer uma série de espetáculo pelo Brasil. Apresentações lotadas, repertórios especiais, tumultos e incidentes com a polícia marcaram a turnê, que marcou para sempre a trajetória dos quatro baianos e da música brasileira. Feito com imagens captadas em shows e nos bastidores na ocasião da turnê, o documentário foi remasterizado e remontado para a reestreia. O filme traz imagens inéditas dos artistas e revela a personalidade individual de cada um deles. Entrevistas e depoimentos também completam o material Contato: Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.brDisponível integralmente na internet no endereço:http://www.youtube.com/watch?v=z-IwkP5AOi4 18. Doméstica Brasil, 75 minutos, 2012 Direção: Gabriel Moscaro Sinopse: Durante uma semana, sete jovens se tornaram cineastas amadores e filmaram o cotidiano de suas empregadas domésticas. O material foi entregue ao diretor Gabriel Mascaro que compilou os momentos mais marcantes neste documentário. Contato : www.vitrinefilmes.com.br

32

33


Quilombo In Cena

19. Etu Mwangola / Nos Somos Angolanos Brasil, 35 minutos, 2012. Direção: Delanir Cerqueira Sinopse: Como vivem os descendentes de angolanos, que durante a dominação portuguesa no continente Africano, foram levados a ilha de S. Tomé com promessas de enriquecimento. Contato : Telefone ( 21) 75614217 20. Fespaco Brasil,15,33 minutos,2011. Direção : Zózimo Bulbul Sinopse: O filme apresenta a visão do diretor sobre o FESPACO – Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou em Burkina Faso explora o cotidiano da cidade onde ele se realiza. O objetivo principal deste documentário e mostrar o olhar dos novos cineastas brasileiros diante do inesperado deste festival, que é o mais antigo e importante da África Negra. Contato: http://afrocariocadecinema.org.br/ afrocarioca@afrocariocadecinema.org.br Telefone (021) 25087381

34

35


Quilombo In Cena

22. Jardim das Folhas Sagradas 21. Filhas do Vento Brasil, 84 minutos, 2005 Direção: Joel Zito Araújo Sinopse: Numa pequena cidade em Minas Gerais as irmãs Maria "Cida" Aparecida (Taís Araújo) e Maria "Ju" da Ajuda (Thalma de Freitas) têm objetivos bem distintos. A primeira quer se tornar uma famosa atriz e para isto é imperativo que deixe o lugarejo, já a segunda só pensa em namorar. Vivem com Zé das Bicicletas (Milton Gonçalves), o pai delas, que foi abandonado pela mulher e é muito rigoroso com o comportamento das filhas. Quando ele acusa injustamente Cida de estar se envolvendo com Marquinhos (Rocco Pitanga), o namorado de Ju, ela fica tão magoada que deixa a cidade e vai para o Rio de Janeiro na esperança de ser atriz, e consegue. A vida de cada irmã seguiu seu curso e elas ficam sem se falar por mais de 4 décadas. Com a morte de Zé das Bicicletas, Cida retorna para a sua cidade natal para o enterro do pai. O encontro dela com Ju será inevitável, mas elas têm muita mágoa uma da outra e talvez seja difícil resolver 40 anos em alguns dias. Contato: Marcio Curi E-mail: mccuri@gmail.com Casa Criação Cinema Caixa Postal 37004 Rio de Janeiro CEP 22 640 -020 Joelzito.araujo@gmail.com

36

Brasil,84 minutos, 2011 Direção:Pola Ribeiro Sinopse: Jardim das Folhas Sagradas conta a história de Bonfim, negro baiano que tem sua vida virada pelo avesso com a revelação de que precisa abrir um terreiro de candomblé. Com os espaços disponíveis cada vez mais raros, ele acaba procurando um lugar na periferia empobrecida e degradada. Afastado da tradição e questionando fundamentos como o sacrifício de animais, Bonfim cria um terreiro modernizado e descaracterizado, o que lhe trará graves conseqüências.Numa época em que o crescimento urbano acelerado e a favelização transformam as cidades em espaços cada vez menos habitáveis, o candomblé, religião ancestral trazida pelos escravos africanos, tem uma grande lição de convívio e preservação da natureza a oferecer. A Bonfim e a toda cidade de Salvador. Contatos: comunicacao@jardimdasfolhassagradas.com STUDIO BRASIL CINEMA E TELEVISAO Telefones: (71)32473181 / (71)33314896 Disponível integralmente na internet no endereço: https://www.youtube.com/watch?v=dJpJf9tF9bg

37


Quilombo In Cena

23. Madame Satã Brasil, 105 minutos 2002. Direção: Karim Aïnouz Sinopse: Rio de Janeiro, 1932. No bairro da Lapa vive encarcerado na prisão João Francisco (Lázaro Ramos), artista transformista que sonha em se tornar um grande astro dos palcos. Após deixar o cárcere, João passa a viver com Laurita (Marcélia Cartaxo), prostituta e sua "esposa"; Firmina, a filha de Laurita; Tabu (Flávio Bauraqui), seu cúmplice; Renatinho (Felippe Marques), sem amante e também traidor; e ainda Amador (Emiliano Queiroz), dono do bar Danúbio Azul. É neste ambiente que João Francisco irá se transformar no mito Madame Satã, nome retirado do filme Madame Satã (1932), dirigido por Cecil B. de Mille, que João Francisco viu e adorou

24. Malunguinho Brasil, 47 minutos ,2013 Direção: Felipe Peres Calheiros Sinopse: Malunguinho liderou o quilombo do Catucá, nos arredores de Recife, no início do século XIX. Apesar de ter sido assassinado em 1835, ainda hoje é cultuado pelos praticantes da Jurema Sagrada, religião de matriz indígena com influências africanas do nordeste do Brasil Contato : Contatos: 81. 8887-1496 / 9428-4898 site: www.qcmalunguinho.blogspot.com

Contato: mauricio@videofilmes.com.br Telefone (21) 2556-0810/ (21) 2285-3865

38

39


Quilombo In Cena

26.Mestre Borel: A Ancestralidade Negra em Porto Alegre 25. Margens dos Marques

Brasil, 55 minutos, 2010.

Brasil, 55 minutos, 2012

Direção: Anelise Gutterres

Direção: Mariana Andrade

Sinopse: Walter Calixto Ferreira, o Mestre Borel fala sobre suas memórias e experiências em Porto Alegre e ao redor do Brasil, ligadas a um itinerário negro nas cidades. Discorrendo sobre os saberes e fazeres de que é detentor, das culturas de matriz africana brasileira, ele narra os conhecimentos religiosos, históricos, mitológicos e artísticos oriundos das tradições africanas que remontam ao convívio com seus antepassados.

Sinopse: A comunidade Quilombo de Marques habita as margens do vale do rio Mucuri, em Minas Gerais, no Brasil. A construção de uma Pequena Central Hidrelétrica irá fazer com que os descendentes de escravos sejam obrigados a abandonar suas casas e a repensar a identidade que possuem. Contato: plot.mari@gmail.com

40

Disponível integralmente na internet no endereço: http://vimeo.com/66675273

41


Quilombo In Cena

27. Meu Brasil

28. Movimento Negro – O Brasil em Durban

Brasil, 70 minutos, 2007.

Brasil,21:04 minutos, 2001

Direção: Daniela Broitman

Direção : Filó Filho

Sinopse: Documentário que acompanha o difícil dia a dia de três lideres comunitários no Rio de Janeiro em sua jornada de busca de pela igualdade e justiça social. Conta com a participação do Presidente Lula, Ministro Gilberto Gil, O escritor Jose Saramago. Contato: http://www.videoforum.tv/meubrasil/ (21)3298 4025

Telefone

:

Sinopse: a participação da delegação brasileira na Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Intolerâncias Correlatas, realizada em 2001, em Durban, na África do Sul. O filme mostra também o apoio de estrelas internacionais como Jess Jackson, Danny Glover, Henry Belafonte e do líder cubano Fidel Castro. O Brasil contou com a maior delegação presente na Conferência, com mais de quinhentos participantes, resultado do processo de articulação de organismos governamentais e da sociedade civil. Contato http://www.cultne.com.br/

42 38

43


Quilombo In Cena

29. Nosotros Afro-peruanos Brasil/Peru, 48 minutos, 2012. Direção: Gabriela Watson e Danielle Almeida Sinopse: O filme aborda a cultura e a realidade da população negra no Peru, através de entrevistas com ativistas sociais, professores, artistas, pesquisadores e moradores de Chincha, El Carmen e El Guayabo, cidades marcadas pela grande presença de afrodescendentes.

Contato:www.gabrielawatson.blogspot.com E-Mail: gabrielawatson@hotmail.com Telefone ( 11) 96558-1651

44

30. O Amuleto de Ogun Brasil,112 minutos ,1974 Direção: Nelson Pereira dos Santos Sinopse: Após o assassinato do pai na Bahia, menino tem o corpo fechado num terreiro de umbanda. Já rapaz, vai trabalhar para um poderoso bicheiro de Caxias, no Rio. Lida com a morte, o crime e a sedução, envolve-se com a amante do bicheiro e é jurado de morte. O amuleto de Ogum é sua proteção. Contato: Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.br Disponível integralmente na internet no endereço: https://www.youtube.com/watch?v=Xc0B2AL1WYU

45


32. O Veneno da Madrugada

Quilombo In Cena

Brasil, 118 minutos, 2004. Direção: Ruy Guerra 31. O Papel e o Mar Brasil, 15 minutos, 2008. Direção: Luiz Antonio Pilar Sinopse: O filme narra o encontro imaginário entre João Cândido, o almirante negro, líder da revolta da Chibata, e a catadora de papel e escritora Carolina Maria de Jesus, autora do livro Quarto de Despejo.: Contato : Avenida das Américas, 2300 Bloco B sala 125 CEP 22 640 101 Telefone : (21) 3153 5817 luizpiar@terra.com.br pilar@lapilar.com.br

Sinopse: A chuva constante e a lama fazem parte do cotidiano dos habitantes de um povoado localizado em algum lugar da América do Sul. As várias construções decadentes revelam a expectativa do progresso no passado, que não se realizou. A estagnação do povoado sofre um abalo quando diversos bilhetes anônimos são espalhados por toda a cidade, denunciando traições amorosas e políticas, assassinatos, romances secretos e segredos de família envolvendo filhos bastardos. Todos os cidadãos, dos mais poderosos aos mais humildes, sentem-se ameaçados pela invasão de bilhetes, sendo que ninguém sabe quem foi seu autor. Ao longo das 24 horas seguintes a violência explode na cidade, fazendo com que a hipocrisia local seja desmascarada. Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.br

46

47


Quilombo In Cena

34. Paz no Mundo Camará: a capoeira angola e a volta que o mundo dá Brasil, 54 minutos, 2012. Direção: Carem Abreu Sinopse: Capoeira angola é uma das mais tradicionais culturas de raiz afro-brasileiras. Hoje é praticada em todo mundo como instrumento de paz e integração social. Mas há menos de100 anos era discriminada e percebida socialmente como uma prática da malandragem. Quais teriam sido os movimentos realizados pela capoeira para mudar completamente a sua percepção social? Neste filme mais de 40 mestres capoeiristas e das culturas populares da BA, RJ,PE, AL e MG ajudam a desvendar esse mistério. Contato:falecom@atosimagens.com.br 33. Orí

http://paznomundocamara.blogspot.com.br/

Brasil,91 minutos, 1989. Direção: Raquel Gerber Sinopse: Orí documenta os movimentos negros brasileiros entre 1977 e 1988, passando pela relação entre Brasil e África, tendo o quilombo como idéia central de um contínuo histórico, e apresentando como fio condutor a história pessoal de Beatriz Nascimento, historiadora e militante, falecida trágica e prematuramente no Rio de Janeiro, em 1995. O filme também mostra a comunidade negra em sua relação com o tempo, o espaço e a ancestralidade, através da concepção do projeto de Beatriz, do "quilombo" como correção da nacionalidade brasileira. Contato: irjgerber@sti.com.br

48

49


Quilombo In Cena

36. Pode me Chamar de Nadí Brasil, 18 minutos, 2009. Direção: Déo Cardoso Sinopse: Complexada por seus cabelos crespos, Nadí não tira seu boné por nada. Sabendo dessa fraqueza, dois colegas tomam o boné dela e fogem. Ela enfrenta a todos para recuperá-lo até conhecer a belíssima Laila e descobrir o poder da sua própria beleza. Contato : gentenossafilmes@gmail.com

35. Pequena África Brasil, 15 minutos, 2002. Direção: Zózimo Bulbul. Sinopse: Pequena África apresenta a Praça XI, a Central do Brasil, Gamboa, Saúde e bairro de Santo Cristo de hoje, e que eram conhecidos nos idos de 1850 até 1920 como "Pequena África", por terem sido locais habitados por escravos alforriados no período imperial e depois deste. Contato: http://afrocariocadecinema.org.br/ E-Mail: afrocarioca@afrocariocadecinema.org.br Telefone: (021) 25087381 Disponível integralmente na internet no endereço: https://www.youtube.com/watch?v=049eWY6iIoo

50

51


Quilombo In Cena

37. Pureza Proibida Brasil, 104 minutos,1974. Direção: Alfredo Sternheim Sinopse: Irmã Lúcia, criada por monjas em Goiás, vai para o convento de um pequeno lugarejo à beira-mar. Ela é alegre e jovial, tem muito dom para a enfermagem e adora crianças. Por indicação do bispo, vai trabalhar no pequeno ambulatório local. Irmã Lúcia revoluciona o tratamento dos pacientes e, por causa dela, o médico passa a ter mais interesse por seu ofício. No lugarejo há uma comunidade de pescadores. Chico, que fornece peixe ao convento, é um deles. Anésia é apaixonada pelo pescador e não é correspondida. Irmã Lúcia passa a estudar enfermagem na cidade vizinha. Chico se afeiçoa muito à moça e sempre a leva de barco até a escola. Dr. Alcides, alcoólatra, nutre forte desejo pela freira e tenta, em vão, seduzi-la. Contato: Cópia em 35 mm na Cinemateca Brasileira www.cinemateca.gov.br

38. Raça Brasil,104 minutos , 2012 Direção: Joel Zito Araújo e Megan Mylan Sinopse: Este documentário busca trazer o foco para o trabalho de três afro-brasileiros que estão lutando por igualdade racial: Paulo Paim, o único negro senador da república; Netinho de Paula, cantor e apresentador de TV e Miúda dos Santos, ativista quilombola e neta de escravos. Contato: Casa Criação Cinema Caixa Postal 37004 Rio de Janeiro CEP 22 640 -020 E-mail: Joelzito.araujo@gmail.com

52

53


Quilombo In Cena

39. O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas Brasil,90 minutos, 2000 Direção: Paulo Caldas e Marcelo Luna Sinopse : Dois personagens reais, Helinho e Garnizé, formam o eixo do documentário. Helinho, justiceiro, 21 anos, conhecido na comunidade como O Pequeno Príncipe, é acusado de matar 65 bandidos no município de Camaragibe (PE) e em bairros de subúrbio. Garnizé, músico, 26 anos, componente da banda de rap Faces do Subúrbio, militante político e líder comunitário em Camaragibe, usa a cultura para enfrentar a difícil sobrevivência na área. Dois jovens de uma mesma periferia, duas vidas cruzadas pelo mesmo tema: a violência urbana. Contato: www.cinemateca.gov.br http://www.rio.rj.gov.br/web/riofilme/

contato@riofilme.com.br

Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=vgcvfXZdvbI 40. Reisado Miudim Brasil, 13 minutos, 2008. Direção: Petrus Cariry Sinopse: O sonho de Mateus é brincar no reisado. No dia da apresentação, seu avô pede para que ele vá com Bruno até a feira para comprar fitas. Lá, Bruno insiste para que Mateus compre brinquedos. Mateus resiste. Voltando para casa, Mateus recebe do seu avô um lindo presente. Contato: http://iluminurafilmes.blogspot.com.br/ Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=lyhju0d3AvU

54

55


Quilombo In Cena

41. Samba Riachão Brasil,90 minutos ,2001. Direção: Jorge Alfredo Sinopse: Aos 80 anos de idade Riachão é o cronista musical da cidade de Salvador, tendo vivenciado todas as transformações pelas quais passou a música popular brasileira e os meios de comunicação no decorrer do século XX. É através das histórias deste cronista que o filme apresenta um relato histórico da MPB. Contato: www.cinemateca.gov.br Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=pD3Upot5H-I

42. Terra Deu, Terra Come Brasil, 88 minutos, 2010 Direção: Rodrigo Siqueira Sinopse: Pedro de Almeida, garimpeiro de 81 anos de idade, comanda como mestre de cerimônias o velório, o cortejo fúnebre e o enterro de João Batista, que morreu com 120 anos. O ritual sucede-se no quilombo Quartel do Indaiá, distrito de Diamantina, Minas Gerais. Com uma canequinha esmaltada, ele joga as últimas gotas de cachaça sobre o cadáver já assentado na cova: “O que você queria taí! Nós não bebeu ela não, a sua taí. Vai e não volta pra me atentar por causa disso não. Faz sua viagem em paz”. Dessa maneira acaba o sepultamento de João Batista, após 17 horas de velório, choro, riso, farra, reza, silêncios, tristeza. No cortejo, muita cantoria com os versos dos vissungos, tradição herdada da África. Descendente de escravos que trabalhavam na extração de diamantes, nas Minas Gerais do tempo do Brasil Império, Pedro é um dos últimos conhecedores dos vissungos, as cantigas em dialeto banguela cantadas durante os rituais fúnebres da região, que eram muito comuns nos séculos 18 e 19. Contato: http://terradeuterracome.com.br/

56

57


Quilombo In Cena

43. Um Olhar sobre os Quilombos do Brasil Brasil, 72 minutos, 2006 Direção : Cida Reis e Júnia Torres Sinopse: O documentário percorre cinco comunidades remanescentes de quilombos no Brasil: Gurutuba (MG), Mocambo (SE), Barra e Bananal (BA), Ivaporunduva (SP) e comunidades do Alto Trombetas (PA) registrando aspectos históricos e contemporâneos relacionados a questões territoriais, identidades culturais, lutas coletivas e conquistas de direitos. No cruzamento entre nossos olhares e os olhares dos próprios quilombolas, evidencia-se a diversidade de cada experiência e os elementos comuns entre elas. Contato: acidareis@gmail.com junia.torres@gmail.com

44. Uma Mãe com Eu Brasil, 15 minutos, 2008. Direção: Luiz Carlos Nascimento Sinopse: Um filme sobre mulheres que perderam seus filhos devido à brutalidade policial. As mães se unem na esperança e na luta pela justiça. Contato: http://www.cinemanosso.org.br/ comunicacao@cinemanosso.org.br

58

59


Quilombo In Cena

45. Vamos Fazer um Brinde Brasil, 75 minutos, 2011 Direção: Sabrina Rosa e Cavi Borges Sinopse: No dia do Réveillon, seis amigas e um amigo gay se reencontram para passar a virada juntos na casa de uma delas. Nesse dia, eles relembram acontecimentos de sua infância que foi passada nos anos oitenta. É nesse momento que vêm à tona antigos e recentes problemas fazendo com que percebam que o tempo passou, eles amadureceram, se tornaram adultos, criaram sua independência e cada um passou a encarar a sua vida de forma diferente, mas os laços de amizade que sempre os uniu se mantém muito forte. Contatos: Site: http://livresfilmes.com/ E-mail:cavicavideo@gmail.com carlaosorio2000@yahoo.com.br 46. Walter pelo Avesso Brasil, 21:41 minutos,2010 Direção: Bruno Bacellar Sinopse: Documentário /Homenagem sobre o compositor Walter Alfaite. Contatos : http://www.flordelotus.net

60

61


Quilombo In Cena

48. Zeca, o Poeta da Casa Verde. Brasil, Akis Kinte 47. Yansan Brasil, 18 minutos, 2006. Direção : Carlos Eduardo Nogueira Sinopse: Segundo a mitologia africana, o Níguer, principal rio da África Ocidental, é a morada de Iansã, senhora da ventania, dos raios, do tempo que se fecha sem chover. Ela representa a mulher sensual, fogosa, que desperta grandes paixões. Apesar de ter sido mulher de quase todos os orixás, quando ama um homem, é fiel ao sentimento, vivendo intensamente a paixão. No Candomblé, Iansã foi mulher de Ogum, senhor dos metais, com quem teve nove filhos. Porém, mais tarde se apaixonou pelo irmão mais novo de Ogum, Xangô (senhor dos raios), que foi seu verdadeiro amor.

62

Sinopse: O filme revela uma história ainda não contada — a de vida do sambista, Zeca da Casa Verde, da década de 1970 que marcou a história das escolas de samba, Rosas de Ouro e Morro da Casa Verde com seus enredos. Aborda também questões relativas às manifestações da cultura negra, a marginalização dos sambistas, a origem das escolas de samba e a comercialização do carnaval. Contato: http://akinskinte.blogspot.com.br/

63


FILMES INTERNACIONAIS: Quilombo In Cena

2. A Gênesis (La Genèse ) 1. A Coragem dos Outros (Le Courage des Autres) Burkina Faso,92 minutos, 1982 Direção: Christian Richard Sinopse: Num passado longínquo, no auge do comércio triangular, em algum ligar da África, um mercado da savana é atacado por cavalheiros africanos que se dedicam ao comércio de escravos. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

64

Mali, 99 minutos, 1999 Direção: Cheick Oumar Sissoko Sinopse: Inspirado no livro sagrado do Gênesis, este filme conta a luta de poder entre duas famílias: um clã de pastores liderado por Jacob e outro clã de caçadores liderado por seu irmão Esaú. Pego no fogo cruzado está seu primo Hamor, e sua tribo de agricultores. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

65


Quilombo In Cena

3. A Ópera de Mascarenhas (L'opéra du Bout du Monde) Bélgica/França, 96 minutos, 2012.

4. A Princesa Yennega (La Princesse Yennega)

Direção: Cesar Paes, Marie Clémence Paes

Burkina Faso/França, 12 minutos,1986

Sinopse: Nos bastidores da ópera Maraina, viajando entre a Reunião, Madagascar e Paris, o filme narra a história dos primeiros colonos das ilhas do Oceano Índico. Escrita por um compositor natural da Reunião, Maraina é a primeira ópera criada na região: a história de dez malgaxes e dois franceses que desembarcaram nesta ilha imaculada em meados do século XVII.

Direção: Claude Le Gallou.

Contato: www.laterit.fr

66

Sinopse: (animação) A princesa Yennega é filha do grande Imperador de Mossis, e carrega a honra do pai castigando os inimigos, os terríveis Nioniosses. Seu pai havia mandado seus soldados ao combate em vão, até que o encarregado da estrebaria da corte real entrega a Yennega o maravilhoso cavalo Enigma da Época das Chuvas... Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

67


Quilombo In Cena

5. Aliker França,110 minutos, 2008 Direção: Guy Deslauriers Sinopse: Antilhas, colônia da Martinica, anos 30. O comunista André Aliker assume a direção de «Justice», o pasquim militante do partido que ele transforma logo num verdadeiro jornal. A iniciativa tem o efeito de um ciclone num universo muito hierarquizado e fechado que ninguém então ousaria criticar.

6. Alma Negra (Ame Noire) Canadá, 9:47 minutos, 2000. Direção: Martine Chartrand Sinopse: A medida em uma velha senhora inicia seu neto em seu passado, uma série de imagens em eterna transformação pintadas diretamente sob uma câmera de animação se desenrola em frente aos nossos olhos. Em um redemoinho fascinante de luz e cor, o menino traça sua ascendência até os poderosos faraós e reis valorosos cujos louvores são cantados por saltimbancos sob um baobá. Subitamente a batida dos tambores invoca o mercado de escravos e o exílio para as terras distantes do Caribe e eventualmente as neves das Américas. Disponível na internet no endereço http://www.filmesdetv.com/me-noire-black-soul.html

68

69


Quilombo In Cena

7. Badiaga Camarões, 101 minutos,1987. Direção: Jean-Pierre Dikongué Sinopse: Badiaga segue as regras de uma tragédia clássica. Uma menina de três anos abandonada num mercado é recolhida e criada por um vagabundo surdo-mudo. Uma relação muito forte se estabelece entre os dois. Badiaga, que sonha ser cantora e correr os palcos das cidades mais importantes da região, observa fascinada os cafés onde há atuações de cantores. Um dia tem a oportunidade de interpretar na rádio uma canção que se torna um sucesso nacional. A partir desse momento os concertos sucedem-se sem parar. Apaixonada pela sua carreira, ela recusa todas as relações afetivas, procurando desesperadamente as suas origens. Inspirado na história verídica de Beti-Beti, uma célebre cantora camaronesa. Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=plVfsxsG5hc

8. Bayiri (Bayiri, la patrie ) Burkina Faso,90 minutos, 2011 Direção: Pierre Yameogo. Sinopse: Através dos imigrantes de Burkina Faso que vivem na Costa do Marfim, perdida em meio a uma guerra civil, o diretor levanta questões ligadas a vulnerabilidade da situação dos imigrantes em várias sociedades e sofrimento de civis durante uma guerra. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

70

71


Quilombo In Cena

9. Bhofa, A Flor da Pele Estados Unidos, 120 minutos, 1993 Direção: Morgan Freeman Sinopse: Micah Mangena é sargento da polícia na África do Sul, um inquestionável suporte dos poderes estabelecidos. Um conflito que está desestruturando a África do Sul de 1980 está a ponto de despedaçar violentamente o próprio mundo de Micah. Seu filho está percebendo que o apartheid é cruel... e que Micah é parte desse sistema. “Bopha” é uma palavra da língua Zulu que significa “prender” ou “deter”. Para o regime opressor, é um ato de fortalecimento. Para a crescente multidão de ativistas, é um enfurecido grito de protesto, o grito cujo poderoso impacto é sentido até hoje. Contato : DVD à venda pela internet

10. Black Natchez Canadá, 62 minutos , 1967 Direção : Ed Pincus, David Neuman Sinopse: Relato da tentativa de organizar uma comunidade negra no extremo sul dos Estados Unidos em 1965, durante o dia de comemoração do Movimento dos Direitos Civis. Um líder negro havia sofrido um atentado a bomba e uma luta surge na comunidade. Um grupo de negros escreve um capítulo do Deacons for Defense, organização secreta e armada. A comunidade se divide entre membros mais conservadores e ativistas. Contato: http://www.pincusandsmallfilms.com/ info@picusandsfilms.com

72

73


Quilombo In Cena

11. Bom Dia África Angola/ Moçambique, 8:35 minutos,2009 Direção: Zezé Gamboa Sinopse: Filme sobre homem a caminho do serviço na cidade de Maputo e a relação com o seu celular e os demais passageiros na van. Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=OrMZWOFMPEk

12. Buud Yam França, 97 minutos , 1999. Direção: Gaston Kaboré Sinopse: Wend Kuuni foi encontrado quase morto na selva quando era criança e foi adorado por uma família. Apesar de ter sido aceito pela comunidade da aldeia continua a ser tratado como um forasteiro. A vida em família decorre serena até o dia que Poghnéré, sua irmã adotiva, fica gravemente doente. Wend Kuuni parte em busca de um curandeiro lendário para salvar sua irmã da morte. Sai então de sua aldeia adotiva e começa uma jornada iniciática que o conduzirá rumo às suas próprias raízes. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

74

75


Quilombo In Cena

13. Brooklyn Racine Estados Unidos/ Haiti ,12 minutos,2010 Direção: Jeremy Robins e Magaly Damas Sinopse: O filme apresenta a jornada de uma banda de Rara (musica típica haitiana), formada por jovens pelas ruas do Brooklyn. Contato: www.othersideofthewater.org

14. Canto do Haiti (Haitian Corner) Haiti, 98 minutos, 19987 Direção: Raoul Peck. Sinopse: Joseph Bossuet visita com frequência a Haitian Corner, pequena livraria haitiana localizada em Nova York. Joseph esteve preso no Haiti, onde conheceu as práticas dos membros da milícia paramilitar haitiana: os Tontons Macoutes. Um dia, ele reconhece um de seus torturadores. A vida de Joseph é então tomada por seu forte desejo de vingança. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

76

77


Quilombo In Cena

15. De Manhã Cedo (Un Matin Bonne Heure) França/ Guiné, 74 minutos , 2005 Direção: Gahite Fofana Sinopse: Os adolescentes Yaguine e Fodé moram em Conakry, na Guiné. Eles estão cansados de viver sem a esperança de um futuro melhor. Eles querem trabalhar e ganhar muito dinheiro, estudar e escapar da condição de miseráveis, daquele beco sem saída. A única coisa que encontram é trabalho mal pago. As frustrações de sucedem e os dois adolescentes continuam a sonhar com outra vida. Eles resolvem tentar a sorte na Europa e inventam então um plano para chamar a atenção para a pobreza de seu país... A amiga dos dois rapazes conta esta história real de forma reservada e sem imagens. Passo a passo, ela descreve como os dois chegam a se esconder num trem de aterrissagem de um avião com destino à Bélgica. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

16. Drum Africa dos Sul/ França 104 minutos, 2004 Direção: Zola Maseko Sinopse: Drum é um filme sobre a vida de Henry Nxumalo, jornalista de investigação famoso nos anos 50 em Sophiatown, bairro símbolo da resistência cultural em Joanesburgo. Ele trabalhava em uma revista negra da moda, Drum, verdadeira arma de mídia na época. Durante esta época, toda uma geração de autores, críticos, músicos e jornalistas exigentes sulafricanos surgiu e se expressou nessa resistência. Henry Nxumalo arriscou a vida denunciando as condições de tratamento dos negros que viveram e trabalharam durante os anos de segregação, apesar do assédio constante por parte das autoridades. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França

78

79


18.Finyé

Quilombo In Cena

França/Mali ,105 minutos, 1982. Direção: Souleymane Cissé Sinopse: Dois adolescentes malinenses, Bah e Batrou, oriundos de classes sociais diferentes, se encontram no liceu. Bah é o descendente de um grande chefe tradicional. O pai de Batrou, governador militar, representa o novo poder. Ambos os adolescentes pertencem a uma geração que recusa a ordem estabelecida e põe em questão a sociedade. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

17. Espoir Voyage Burkina Faso/ França,82 minutos,2011 Direção: Miguel K. Zongo Sinopse: Em Burkina Faso, a emigração dos jovens para a Costa do Marfim é como um rito de passagem para a idade adulta. Geralmente, a regra é partir para voltar. Joanny, meu irmão mais velho, partiu em uma manhã de 1978. Depois de 18 anos de ausência, soubemos, por um de nossos primos, que Joanny estava morto. Para tentar entender o que levou meu irmão a deixar sua família aos 14 anos de idade, fiz a mesma viagem de Koudougou (Burkina Faso) até a Costa do Marfim, procurando por traços deixados por ele e por sua história. Contato: http://www.espoir-voyage.com/

80

81


Quilombo In Cena

19.Finzan França/Mali, 105 minutos, 1989. Direção: Cheick Oumar Sissoko Sinopse: Este filme confronta as tradições patriarcais do Mali, incluindo a controversa questão da circuncisão feminina. A viúva recente Nanyuma se sente livre do tratamento cruel de seu falecido marido. Ela sai da aldeia com sua sobrinha Fili, mas é eventualmente forçada a regressar. Nanyuma percebe que sua única chance de reclamar a sua própria liberdade será abandonando a comunidade. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

20. Foli, Não há movimento sem Ritmo (Foli there is no movement without rhythm) Holanda, 10 minutos,2005. Direção: Thomas Roebers e Floris Leeuwenberg Sinopse: A vida tem um ritmo, é movimento constante. A palavra que significa ritmo para as tribos malinké é Foli. É uma palavra que engloba muito mais do que tocar bateria, dança ou de som. É encontrado em cada parte da vida diária. Neste filme, você não apenas ouvir e sentir o ritmo, mas vê-lo. É uma extraordinária mistura de imagem e som que alimenta os sentidos e lembra-nos a todos quanto é essencial. Disponível integralmente na internet no endereço: https://www.youtube.com/watch? feature=player_embedded&v=lVPLIuBy9CY

82

83


Quilombo In Cena

21. Garimpeiro (Orpailleur) França, 90 minutos,2010 Direção : Marc Barrat Sinopse: Desoito anos depois de deixar sua terra natal, Rod, jovem parisiense de origem guianesa, volta para casa após a morte de seu irmão mais velho. Gonz, seu amigo de infância ,viaja junto Em Caiena, a revelação de um segredo de família doloroso faz nascer em Rod uma busca frenética pela verdade. Ele conheceu Yann, uma jovem guia de ecoturismo muita preocupada contra os males da mineração ilegal de ouro. Todos os três, portanto, preso em uma engrenagem movida após rio, no coração da floresta amazônica no ambiente hostil de mineiros arcaicas e ilegais . Contato: http://www.orpailleur-lefilm.com/

22. Guimba França, 93 minutos, 1995 Direção: Cheick Oumar Sissoko Sinopse: Sitakili, uma cidade do Sahel, vive sob a dominação de um homem, Guimba Dunbaya e seu filho Janguiné. Kani Coulibaly é noiva de Janguiné desde que nasceu. Ela é agora uma bela moça, muito cortejada, mas nenhum pretendente ousa declarar-se, de tão grande o terror imposto por Guimba. Durante uma visita de cortesia a Kani, Janguiné apaixona-se por Meya, a mãe de sua noiva, e quer casa com ela. Para satisfazer o capricho do filho, Guimba expulsa Mambi, marido de Meya. Este refugia-se em uma aldeia de caçadores e organiza a revolta contra o tirano. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França

84

85


Quilombo In Cena

23.O Grito da Pomba ( Koukan Kourcia ) Niger ,62 minutos , 2010 Direção : Sani Elhadj Magori Sinopse: Conta a viagem da Nigéria até a Costa do Marfim, de Hussey, uma cantora nigeriana mais velha, e Sani Elhadj Magori , o diretor. Sani pediu a Hussey que o acompanhasse à Costa do Marfim para que pudesse convencer seu pai a voltar para sua aldeia . Na década de setenta, Hussey era uma cantora muito conhecida e tinha o poder de persuadir os jovens a emigrar para os litorais da África ocidental para tentar a sorte. Muitos jovens nigerianos , como o pai do diretor, foram para nunca mais voltar.Que tipo de poder Hussey ainda deverá ter sobre as almas dos homens? Contato imagemdospovos@imagemdospovos.com.br Disponível integralmente na internet no endereço: www.filmesdetv.com/koukan-kourcia.html

:

24.Identidade ( Pièces d'Identités) França,97 minutos, 1998. Direção: Mwenze Dieudonné Ngangura Sinopse: Mani Kongo, o velho rei de uma província congolesa, decide partir em busca de sua filha, Mwana, que ele mandou para a Bélgica aos oito anos para estudar, e de quem ele está sem notícias há anos. O rei, que não quer- abrir mão de suas tradições, vai cruzar com personagens como Chaka-Jo, jovem mestiço belgocongolês e falso motorista de táxi sem documento de estadia, Viva Wa Viva, jovem elegante que se apossa de seu dinheiro, ou ainda Noubia, jovem cantora iluminada e solitária... Mani Kongo volta para casa com Mwana e Chaka Jo, mas será que o regresso a África permitirá a estas personagens 'sem lenço e sem documento' se reconciliarem com eles próprios? Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

86

87


Quilombo In Cena

25. Juju Factory Congo,93 minutos, 2007 Direção: Balufu Bakupa-Kanyinda. Sinopse: o filme enfoca dilema ético envolvendo um escritor que vive na parte africana de Bruxelas. Pois quando ele recebe uma tarefa de produzir um texto acerca dos Congoleses na cidade, ele se vê levado a escrever sobre uma série de verdades que seu editor não faz a mínima questão que se tornem pública. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

26. Kirikou e a Feiticeira (Kirikou et la sorcière) França / Luxemburgo,71 minutos,1998 Direção: Michel Ocelot Sinopse: Exemplar sofisticado da animação europeia contemporânea, este desenho animado traz o fascínio da tradição africana numa história que celebra a coragem, a curiosidade e a astúcia. Baseado num conto da África Ocidental sobre uma comunidade subjugada por uma terrível feiticeira contra a qual o pequeno Kirikou luta para preservar sua aldeia das forças do mal. Um gênero inovador, oposto aos estúdios Disney, com imagem e música originais Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

88

89


Quilombo In Cena

28.Lumumba, a morte do profeta ( Lumumba, La Mort Du Prophete) 27. Koundi e o Feriado de Quinta-feira (Koundi et le jeudi national)

Alemanha/França /Suíça. 62 minutos, 1992.

Camarões, 86 minutos, 2012

Direção: Raoul Peck

Direção: Ariane Astrid

Sinopse: Documentário sobre o líder político africano Patrice Lumumba, primeiro ministro do Congo, assassinado em 1961. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França

Sinopse: Koundi é uma grande vila, com cerca de 1.200 habitantes, situada a 22 km de distância de Bertoua, a capital regional da província Camarões do leste. Ciente da riqueza do Koundi em madeira, os moradores decidiram usá-la para aliviar a pobreza. Eles organizam um sindicato para obter o direito de instalar uma pequena operação florestal comunitário. Agora, ciente do velho ditado "o homem inteligente vê mal de longe", os moradores de Koundi começar a criar uma plantação de cacau, para garantir a sua emancipação e autonomia, independente do governo central.

www.cinefrance.com.br/cinemateca

Disponível em DVD na Biblioteca do Instituto Goethe de São Paulo Contato: http://www.goethe.de/ins/br/sap/ptindex.htm biblioteca@saopaulo.goethe.org

90

91


Quilombo In Cena

30.Madame Brouette 29 . Maami

Canada/ França/ Senegal

Nigeria, 92 minutos,2011.

Direção: Moussa Sene Absa

Direção: Tunde Kelani

Sinopse: De manhã cedinho no bairro Niayes Thiokeert, "Colina das perdizes" ouvem-se tiros. Ante os vizinhos que acorreram, Naago cai, perfurado de balas. Aquela que todos chamam de Madame Brouette confessa que matou seu marido. Mas no bairro as mulheres se juntam para elogiar essa mulher jovem divorciada, mãe de uma menina, vendedora ambulante de frutas e legumes. O filme segue o caminho inverso da história, para descobrir o que pode têla levado a tal gesto.

Sinopse: A história gira em torno de Kashimawo , um jogador de futebol bem sucedido , que no período que antecede a Copa do Mundo de 2010 , recorda sua infância difícil em Abeokuta , uma cidade no sul da Nigeria. Adaptação do romance homônimo de Femi Osofian. Contato: www.institutoyoruba.org E-mail:olu@institutoyoruba.org

Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

92

93


Quilombo In Cena

31. Mâh Saah Sah Camarões, 92 minutos, 2007. Direção: Daniel Kamwa Sinopse: Quando o pai de Nchare morre, o rapaz de apenas 16 anos se vê obrigado a viver com seu tio Achirou em uma nova aldeia. Lá chegando, porém, ele conhece Mapon, seu grande amor. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

32. Mahaleo França Direção: César Paes e Marie-Clémence Sinopse: Mahaleo é a formação musical mais popular de Madagascar. Os sete músicos do grupo sempre rejeitam o show business, apesar dos 30 anos de sucesso. Estes precursores do blues malgache são também médicos, cirurgiões, agricultores, sociólogos ou deputados... Guiado pela força de suas canções, o filme é um retrato de Madagascar hoje em dia. Contato: www.laterit.fr Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

94

95


Quilombo In Cena

36.Nossa Estrangeira (Notre Etrangère) Burkina Faso/ França, 82 minutos, 2010 Direção: Sarah Bouyain Sinopse: Morando em Paris, a jovem Amy retorna a sua terra natal, Burkina Faso, após a morte do pai. Procurando sua mãe, da qual foi separada aos 8 anos, ela tem de adentrar em uma cidade da qual não possui referências e conviver com uma família que incomoda mais do que reconforta. Paralelamente, a burquinense Mariam procura desesperadamente por sua filha em Paris. Realizando serviços de limpeza, ela conhece Esther. Dessa maneira, as duas solitárias mulheres trocam experiências e aprendem a se apreciarem. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca 35. Nada Além da Verdade (Nothing But The Truth) África do Sul/França/Itália, 77 minutos,2008. Direção: John Kani Sinopse: Nada Além da Verdade é uma fascinante investigação acerca da complexa dinâmica que se estabeleceu entre os negros que permaneceram na África do Sul, e arriscaram sua vida lutando contra o Apartheid e aqueles que retornaram vitoriosos após viverem no exílio.

98

Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

99


Quilombo In Cena

37. O Grande Bazar (Le Grand Bazar)

38. O Lucro e Nada Mais ( Le Profit et Rien D’Autre)

França/ Moçambique,55 minutos 2006.

Haiti, 57 minutos,200

Direção: Licínio Azevedo

Direção: Raoul Peck

Sinopse: Dois garotos com experiências e objetivos diferentes se encontram em um grande mercado africano. Um procura um emprego, para recuperar o que foi roubado dele e poder voltar para casa. O outro fará qualquer coisa para não ter que voltar para sua família. Eles se tornam amigos e juntos reinventam o mundo

Sinopse: Como o mundo vê Port-à-Porter, pequena cidade do Haiti reduzida a ruína e a decomposição social? Como as potências do Ocidente se colocam frente à situação da cidade? Raoul Peck explora questões como essas, evidenciando a forma que problemas como esses penetram nas relações humanas. Peck compõe sua obra através do cruzamento de linguagens e suportes de captação, utilizando filmagens de cenas cotidianas, entrevistas, imagens de arquivo e outros meios. Corrosivo, o documentário denuncia as perversidades e absurdos de um sistema arcaico e excludente.

Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

100

101


Quilombo In Cena

39.O Sapo na Casa de seus Sogros (Le Crapaud chez ses beaux-parents) Congo / França , 8 minutos , 1982. Direção : Kibushi N'djate Wooto. Sinopse: O sapo vai à casa de seus sogros, acompanhado de vários amigos que encontra no caminho. A comida é servida com uma única colher, o que desencadeia uma disputa terrível. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

40.Picc MI Senegal/ França, 17 minutos, 1992 Direção: Mansour Sora Wade Sinopse: Mandou é um 'tabilé' (menino encaminhado a um marabu e que deve ganhar sua vida mendigando pelas ruas). Ablaye, outro menino, vive com seu pai em um barraco. Cada um deles revela ao outro os segredos do sua própria vida. É também o confronto de dois mundos: o dos adultos, rancoroso, violento e destrutível, e o das crianças, que têm esperanças de encontrar um mundo à altura dos seus sonhos. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

102

103


Quilombo In Cena

41 .Phatyma Moçambique,9:49 minutos,2010. Direção: Luiz Chaves Sinopse: O filme é centrado na figura da menina Phatyma, personagem criada por Paulina Chiziane, escritora moçambicana que atua, publicamente, em favor dos direitos das mulheres moçambicanas. A partir do olhar da criançamenina, que sonha com um futuro diferente daquele de sua mãe e avó (embora as respeitando firmemente) conhecemos a força da cultura moçambicana, as inquietações e os sonhos das novas gerações nascidas num país que se libertou da condição colonial há menos de 40 anos. Os questionamentos de Phatyma sobre o papel da mulher moçambicana hoje desafiam os espectadores (de qualquer nacionalidade e cultura) a reconhecer a importância de avançar num processo de modernização sem esquecer os valores ancestrais que alicerçaram a nossa identidade. Disponível integralmente na internet no endereço: https://www.youtube.com/watch?v=NBKbFGxM1-k

42. Por Aqui Tudo Bem Direção: Pocas Pascoal Portugal, 93 minutos, 2011. Sinopse: No final do verão de 1980, Alda e sua irmã Maria, de 16 anos e de 17 anos, chegou a Lisboa para escapar da guerra civil em Angola. Sozinhas elas devem aprender a sobreviver em uma cidade estrangeira e como lidar com a vida adulta. Contato: https://www.facebook.com/pocas.pascoal

104

105


Quilombo In Cena

43. Poeira Urbana ( Poussières de Ville) Congo / França/Senegal, 52 minutos, 2001 Direção: Moussa Touré Sinopse: O filme começa com uma imagem surpreendente: sete crianças esfarrapadas vão saindo de debaixo dos tabuleiros em um mercado de Brazzaville, onde passaram a noite. Moussa Touré os descobre e passa a registrar suas perambulações pela cidade, atrás de comida e de pequenos biscates. Aproveitando sua aproximação com as crianças, o cineasta resolve reintegrá-los a suas famílias. Mas o caminho de volta está cheio de dificuldades que revelam o estado da sociedade congolesa Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

44. Reassemblage Estados Unidos, 40 minutos, 1982. Direção: Trinh T. Minh-há Sinopse: Um complexo estudo visual da região rural do Senegal. Através da cumplicidade da interação entre filme e espectador, Reassemblage reflete sobre o cinema documental e a representação etnográfica das culturas. Contato: http://www.wmm.com/ Disponível integralmente na internet no endereço: http://www.youtube.com/watch?v=Cc5G2-rTKis

106

107


Quilombo In Cena

45. Sinfonia de Kinshasa Alemanha,95 minutos, 2010. Direção: Claus Wischmann Sinopse:Duzentos músicos de uma orquestra tocam a 9ª Sinfonia de Beethoven. A energia cai pouco antes do último movimento. Problemas como esse são parte da rotina da única orquestra sinfônica do Congo. Nos 15 anos de existência, os músicos sobreviveram a dois golpes, várias crises e uma guerra, mas a esperança e o amor pela música os mantêm ativos. Disponível em DVD na Biblioteca do Instituto Goethe de São Paulo Contato: http://www.goethe.de/ins/br/sap/ptindex.htm biblioteca@saopaulo.goethe.org

46. Sonhos do Lixo (Garbage Dreams) Egito / Estados Unidos- 79 minutos, 2012 Direção: Mai Iskander Sinopse: Nos arredores do Cairo existe a maior aldeia de lixo do mundo. Um labirinto de ruas estreitas camufladas pelo lixo, a cidade é o lar de 60.000 Zabballen – em árabe “ pessoas do lixo”. Os Zabballen têm sobrevivido durante séculos reciclando o lixo da cidade do Cairo. Membros da minoria Copta, comunidade cristã do Egito, estes trabalhadores do lixo conseguem reciclar quase todo o lixo que eles recolhem , mantendo o que poderia ser o sistema de eliminação de resíduos mais eficiente do mundo. Contato: http://www.garbagedreams.com/

108

109


Quilombo In Cena

47. Souko Burkina Faso/ França, 31 minutos, 1998. Direção: Issiaka Konaté. Sinopse: As crianças, apaixonadas por cavalos e cinema, fabricam uma câmara de cinema em papelão. Durante a sessão, um cavalo mágico branco aparece na tela. Nesse instante, sonho e realidade se misturam, e na escola da pequena cidade de Bobo-Dioulasso forma-se uma grande desordem Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

48.Triunfo ( Triomf) África do Sul/ França / Reino Unido,117 minutos, 2007. Direção : Michael Reaburn Sinopse: África do Sul, março de 1994. No dia da primeira eleição livre, Lambert Benade atingirá a idade de 21 anos e seu tio, Treppie, lhe promete a garota de seus sonhos.Uma tragicomédia sobre o nascimento de um novo mundo. Disponível em DVD na Cinemateca da Embaixada da França www.cinefrance.com.br/cinemateca

110

111


Quilombo In Cena

50.GRANDE OTELO (Sebastião Bernardes de Souza Prata) Nasceu em 18 de outubro de 1915 na cidade de Uberlândia/MG. Ainda criança fugiu com uma companhia de teatro ambulante, excursionando pelo Brasil até ser adotado pela família de um político paulista. Sua vida foi cheia de acontecimentos fortes e tragédias pessoais ao lado de uma grande popularidade e uma diversidade enorme de trabalhos no teatro, cinema e televisão, tendo como característica principal a arte da fazer rir. Recebeu reconhecimento internacional tendo o diretor Orson Wells o considerado como “ o maior ator negro de todos os tempos” . Faleceu no aeroporto de Paris, na França em 26 de novembro de 1993, quando se dirigia para o Festival dos 3 Continentes , em Nantes , onde receberia uma homenagem pelo conjunto de sua obra.

10. It’s All True /É tudo Verdade. Estados Unidos / Brasil 1942 (Filme inacabado) Direção Orson Wells. 11. Astros em Desfile . Brasil 1942 Direção José Carlos Burle 12. Samba em Berlim . Brasil 1943 Direção de Adhemar Gonzaga. 13. Moleque Tião. Brasil 1943. Direção de José Carlo Burle.

Filmes realizados: 1. Noites Cariocas. Coprodução Brasil/ Argentina, 1935. Direção Henrique Cadicamo –( Filme desaparecido). 2. João Ninguém. Brasil, 1937 Direção de Mesquitinha. Argumento João de Barro e Ruy Costa. 3. Futebol em Família. Brasil 1938. Direção Ruy Costa 4. Onde está a Felicidade. Brasil 1939. Direção Mesquitinha 5. Pega Ladrão. Brasil 1939 Direção Mesquitinha 6. Laranja da China . Brasil 1940. Direção Ruy Costa

Primeiro filme em que o ator Grade Otelo é protagonista. Conta a história de um menino do interior, que sonha em ser artista de uma companhia de teatro de revista e foge para a Capital, em busca de realizar seu sonho. Roteiro inspirado na vida do ator.

7. Céu Azul. Brasil 1940 Direção de Ruy Costa. 8.Entra na Farra . Brasil 1941 Direção de Luiz de Barros

114

9. Sedução do Garimpo Brasil 1941 Direção de Luiz de Barros

115


Quilombo In Cena

14. Caminho do Céu. Brasil 1943. Direção Milton Rodrigues

28. Também Somos Irmãos. Brasil 1949. Direção de Jose Carlos Burle.

15. Berlin na Batucada. Brasil 1944. Direção Luiz de Barros. 16. Romance Proibido. Brasil 1944. Direção Adhemar Gonzaga 17. Tristezas não pagam Dívidas. Brasil 1944. Direção de Adhemar Gonzaga e José Carlos Burle. 18. Não adianta Chorar. Brasil 1945. Direção de Watson Macedo 19. O Gol da Vitória . Brasil 1945. Direção José Carlos Burle. 20. Fantasma por Acaso. Brasil 1946. Direção Moacyr Fenelon. 21. Segura Esta Mulher. Brasil 1946. Direção de Watson Macedo. 22. Este Mundo é Um Pandeiro. Brasil 1947. Direção de Watson Macedo. 23. Luz dos Meus Olhos. Brasil 1947. Direção de José Carlos Burle. 24. E o Mundo se Diverte. Brasil 1948. Direção de Watson Macedo. 25. É Com Este que Eu Vou. Brasil 1948. Direção José Carlos Burle. 26. Terra Violenta . Brasil 1948. Direção Eddie Bernoudy. Adaptação do romance Terras do Sem Fim de Jorge Amado, a primeira obra do autor adaptada para o cinema. ( Filme desaparecido)

É considerado o primeiro filme brasileiro a tratar explicitamente do preconceito racial. Conta a história de um viúvo , que por não poder ter filhos adota quatro crianças , duas negras e duas brancas. Na infância a convivência entre elas é tranquila, quando chegam à vida adulta as contradições surgem. 29. O Caçula do Barulho. Brasil 1949 Direção de Riccardo Freda. 30. Não é Nada Disto . Brasil 1950 Direção de Jose Carlos Burle e Watson Macedo 31. Aviso aos Navegantes . Brasil 1950. Direção de Watson Macedo 32. Barnabé, Tu és Meu. Brasil 1952 Direção de José Carlos Burle.

27. Carnaval no Fogo. Brasil 1949. Direção Watson Macedo.

116

117


33. Carnaval Atlântida. Brasil 1952. Direção de Jose Carlo Burle e Carlos Manga.

Nesta obra Grande Otelo representa o sambista carioca Espírito da Luz, talvez seu primeiro trabalho, no qual questões da raça e da cultura negras são colocadas explicitamente.

Quilombo In Cena

36. A Dupla do Barulho. Brasil 1953. Direção de Carlos Manga.

Um dos primeiros filmes do Cinema Novo, aborda o samba de raiz e o universo dos compositores populares, que naquela época ainda viviam uma situação em que oportunistas se apropriavam das suas composições em troca de alguns trocados.

37. Matar ou Correr. Brasil 1954. Direção Carlos Manga.

43. Com Jeito Vai. Brasil 1957. Direção J.B.Tanko

38. Malandros em Quarta Dimensão. Brasil 1954 Direção de Luiz de Barros.

44. De Pernas Pro ar. Brasil 1957 Direção Victor Lima.

39. Paixão nas Selvas. Coprodução Brasil /Alemanha 1955. Direção de Franz Eichhorn.

45. Metido a Bacana. Brasil 1957 Direção J.B.Tanko.

40. Depois eu Conto . Brasil 1956. Direção José Carlos Burle e Watson Macedo.

46. A Baronesa Transviada. Brasil 1957 Direção J.B.Tanko

41. Brasiliana. Brasil 1957. Direção Helmut Wiesler

47. Mulher de Fogo ( Lina . La Mujer de Fuego). Brasil / México 1958 Direção Oswaldo Lousada e Tito Davison.

34. Os Três Vagabundos. Brasil 1952. Direção de José Carlos Burle. 35. Amei um Bicheiro. Brasil 1953. Direção de Jorge lleli e Paulo Wanderley.

42. Rio, Zona Norte. Brasil 1957. Direção de Nelson Pereira dos Santos.

Coprodução

48.É de Chuá . Brasil 1958 Direção Victor Lima. 49. E o Bicho Não Deu. Brasil 1958. Direção J.B. Tanko. 50. Pé na Tábua. Brasil .1958. Direção Victor Lima 51. Garota Enxuta . Brasil 1959 Diração J.B. Tanko.

118

119


Quilombo In Cena

52. Mulheres a Vista. Brasil 1959. Direção de J.B.Tanko. 62. O Homem que Roubou a Copa do Mundo. Brasil 1963. Direção Victor Lima.

53. Entrei de Gaiato. Brasil 1959. Direção de J.B.Tanko. 54. Um Candango na Belacap. Brasil 1960. Direção Roberto Farias. 55. Vai que é Mole. Brasil 1960. Direção J.B.Tanko. 56. Pistoleiro Bossa Nova. Brasil 1960. Direção Victor Lima. 57. Os Três Cangaceiros . Brasil 1961. Direção Victor Lima.

64. Crônica da Cidade Amada. Brasil 1965. Direção Carlos Hugo Christensen. 65. Arrastão Amantes do Mar /Les amants de La Mer . Coprodução Brasil/ França 1965 Direção Antoine D’Ormesson 66. Em Ritmo Jovem . Brasil 1966. Direção Mozael Silveira.

58. O Dono da Bola. Brasil 1961. Direção J.B.Tanko. 59. Quero Essa Mulher Assim Mesmo. Brasil 1962 Direção Ronaldo Lupo. 60. Os Cosmonautas. Brasil 1962. Direção Victor Lima. 61. Assalto ao Trem Pagador. Brasil 1962. Direção Roberto Farias. Um dos mais importantes filmes da história do cinema brasileiro o assalto ao Trem Pagador foi inspirado em um assalto ocorrido no ano de 1960 ao trem que levava o pagamento dos funcionários da Estrada de Ferro Central do Brasil.

120

63. Samba. Coprodução Brasil/ Espanha 1963 Direção Rafael Gil

Recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais , representou o Brasil no Festival de Veneza e recebeu o Prêmio Especial do Júri, no Festival de Dacar no Senegal.

67. Uma Rosa para Todos /Uma Rosa per Tutti . Coprodução Brasil/ Itália 1967 Direção Franco Rossi. 68. Enfim Sós ... Com o Outro. Brasil 1968 Direção de Wilson Silva. 69. Massacre no 1968. Direção J.B.Tanko.

Supermercado.

Brasil

70. Os Marginais. Brasil 1968 Direção Carlos Alberto Prates Correia 71. A doce Mulher Amada. Brasil 1968. Direção Ruy Santos. 72. Os Herdeiros. Brasil 1969. Direção Cacá Diegues.

121


Quilombo In Cena

73. Macunaima . Brasil 1969. Direção de Joaquim Pedro de Andrade. 80. O Barão Otelo no Barato dos Bilhões. Brasil 1971. Direção Miguel Borges. 81. Sebastião Prata , ou Bem Dizendo , Grande Otelo. ( Documentário) Brasil 1971 Direção Ronaldo Fostes e Murilo Salles. 82. Cassy Jones , O Magnífico Sedutor. Brasil 1972. Direção Luís Sérgio Person. 83. O Negrinho do Pastoreio. Brasil 1973. Direção de Antonio Fagundes 84. O Rei do Baralho . Brasil 1973 Direção Júlio Bressane. 85. A Estrela Sobe. Brasil 1974. Direção Bruno Barreto. Importante filme da cinematografia brasileira , Macunaima , o herói em caráter, é inspirado na obra de Mário de Andrade e apresenta de forma alegórica , a mistura de raças e culturas que formam o pensamento brasileiro de maneira ao mesmo tempo profunda e bem humorada.

74. Não Aperta Aparício. Brasil 1969. Direção de Pereira Dias. 75. Por uma Amor Distante / Pour Um Amour Loitain. Coprodução Brasil /França. Direção de Edmond Séchan. 76. O Álibe / L’Alibi . Coprodução Brasil /Itália. Direção Adolfo Celi, Vitorio Gassman e Luciano Lucignani. 77. A Família do Barulho. Brasil 1970. Direção de Julio Bressane.

86. A Transa do Turf . Brasil 1974 Direção de Fritz M.L. Mellinger. 87. O Ladrão de Bagdá, o Magnifíco. Brasil 1974. Direção Victor Lima. 88. Deixa, Amorzinho... Deixa. Brasil 1975. Direção Saul Lanchtermacher. 89. assim Era a Atlantida. Brasil 1975 Direção Carlos Manga. 90. O Flagrante. Brasil 1975. Direção Reginaldo Faria. 91. As Aventuras de um Detetive Português. Coprodução Brasil Portugal 1975. Direção Stefan Wolh.

78. Se Meu Dólar Falasse. Brasil 1970. Direção Carlos Coimbra.

122

79. O Donzelo. Brasil 1971. Direção de Stefan Wohl.

123


Quilombo In Cena

92. Otália da Bahia / Os pastores da Noite. Coprodução Brasil / França 1976 . Direção Marcel Camus. 93. A Fera Carioca. Coprodução Brasil /Itália 1976. Direção Giuliano Carmineo.

106. Quilombo.Coprodução Brasil /França 1983. Direção Cacá Diegues

94. Tem Alguém na Minha Cama. Brasil 1976. Direção de Francisco Pinto Junior, Pedro Camargo e Luiz Antonio Piá. 95. Ouro Sangrento / Tenda dos Prazeres. Brasil 1976. Direção de César Ladeira Filho. 96. Ladrões de Cinema. Brasil 1977. Direção Fernando Cony Campos. 97. Lúcio Flávio , O Passageiro da Agonia. Brasil 1977. Direção Hector Babenco. 98. A Força de Xangô. Brasil 1977. Direção de Iberê Cavalcanti. 99. Agonia . Brasil 1977. Direção de Júlio Bressane. 100. A Noiva da Cidade. Brasil 1978. Direção Alex Viany. 101. A Noite dos Duros. Brasil 1978. Direção Adriano Stuart. 102. As Aventuras de Robson Crusoé. Brasil 1978 Direção Mozael Silveira. 103. O Homem do Pau Brasil. Brasil 1981. Direção Joaquim Pedro de Andrade. 104. Parahyba Mulher Macho Brasil 1982. Direção tizuka Yamasaki.

No filme de Cacá Diegues sobre o surgimento do Quilombo de Palmares , Grande Otelo representa o Baba que transmite ensinamento para as crianças ao pé da árvore. 107. Brasa Adormecida. Brasil 1985. Direção Djalma Limongi Batista. 108. Nem Tudo é Verdade.Brasil 1986. Direção Rogério Sganzerla. 109. Jubiabá . Coprodução França/ Brasil 1986 Direção Nelson Pereira dos Santos. 110. Exu-Piá , Coração de Macunaima. Brasil 1987. 111. Running Out of Luck . EEUU 1987 Direção Juliem Temple.

105. Fitzcarraldo. Coprodução Alemanha/Peru 1982. Direção Werner Herzog.

124

125


Quilombo In Cena

112. Natal da Portela. Coprodução França / Brasil 1988. Direção Paulo César Saraceni. 113. Abolição. Brasil 1988. Direção Zózimo Bulbul 114. Jardim de Alah. Brasil 1989. Direção de David Neves. 115. A Linguagem de Orson Welles . Brasil 1990. Direção Rogério Sganzerla . 116. Boca de Ouro. Brasil 1990. Direção Walter Avancini.

RUTH DE SOUZA.

117. Katharsys – Histórias dos Anos 80. Brasil 1992. Direção Roberto Moura.

Ruth Pinto de Sousa Nasceu na cidade do Rio de janeiro em 12 de maio de 1921. Viveu a infância no interior de Minas Gerais até a morte de seu pai, retornando então para a cidade natal.

118. It’S all True . Coprodução França EEUU 1993. Direção Norman Foster e Bill Krohn.

Entrou para o Teatro Experimental do Negro, dirigido por Abdias do Nascimento em 1944, na montagem de o Imperador Jones, um marco na história do teatro feito por negros no Brasil. Desde lá participou ativamente da cena nacional, no teatro, cinema e televisão.

119. Tudo é Brasil. Brasil 1997. Direção de Rogério Sganzerla. 120. A Paz é Dourada. Brasil 2002. Direção Noilton Nunes.

Filmes Realizados: 1. Terra Violenta. Brasil 1948. Direção Eddie Bernoudy. Adaptação do romance Terras do Sem Fim de Jorge Amado, a primeira obra do autor adaptada para o cinema . ( Filme desaparecido) 2. Falta Alguém no Manicômio. Brasil 1948 Direção José Carlos Burle. 3. Também Somos Irmãos. Brasil 1949. Direção de Jose Carlos Burle.

126

127


Quilombo In Cena

4. A Sombra da Outra. Brasil 1950 Direção Watson Macedo.

9. Quem Matou Anabela . Brasil 1956. Direção D.A Hamza.

5. Ângela. Brasil 1951. Dirigido por Tom Payne e Abílio Pereira de Almeida

10. Osso , Amor e Papagaios. Brasil 1957. Direção Carlos Alberto de Souza Barros. 11. Ravina. Brasil 1958. Direção Rubem Biafora. 12. Fronteiras do Inferno. Brasil 1958. Direção Walter Hugo Kouti. 13. Macumba Love . Coprodução Brasil /EEUU 1959 Direção Douglas Fowley. 14. A Morte Comanda o Cangaço. Brasil 1960. Direção Carlo Coimbra. 15. Bruma Seca. Brasil 1961. Direção Mário Brasini. 16. Assalto ao Trem Pagador. Brasil 1962. Direção Roberto Farias.

Por este filme, Ruth de Sousa foi considerada melhor atriz coadjuvante no Prêmio Governador Estado de São Paulo e no Prêmio Associação Brasileira de Cronistas Cinematográficos , ambos em 1952. 6. Terra é sempre Terra. Brasil 1951. Direção Tom Payne 7. Sinhá Moça. Brasil 1953. Direção Tom Payne. 8. Candinho. Brasil 1954. Direção Abílio Pereira de Almeida.

128

17. O Cabeleira.Brasil 1963. Direção Milton Amaral. 18. AS Cariocas – episódio Rio Verdade. Brasil 1966. Direção Roberto Santos. 19. O Homem Nu. Brasil 1968. Direção Roberto Santos. 20. Um Homem Célebre. Brasil 1974. Direção Miguel Faria Jr. 21. Pureza Proibida. Brasil 1974. Direção Alfredo Sternhem .

129


ZÓZIMO BULBUL. Quilombo In Cena

Carioca nascido no ano de 1937, foi ator e diretor de cinema, teatro e televisão. Foi o primeiro protagonista negro na televisão brasileira. Zózimo foi um ativista dos direitos do povo negro e nos últimos anos da sua vida , dedicou-se a criação e manutenção do Centro Afro Carioca de Cinema, espaço de produção e difusão da cultura afro brasileira, em especial, o cinema.

22. Ana, a Libertina. Brasil 1975. Direção Alberto Savá 23. Quem Matou Pacífico . Brasil 1977. Direção Renato Santos Pereira. 24. Ladrões de Cinema . Brasil 1977. Direção Fernando Cony Campos. 25. Fruto do Amor. Brasil 1981. Milton Alencar Júnior.

Filmes realizados como ator:

26. Jubiabá . Coprodução França/ Brasil 1986. Direção Nelson Pereira dos Santos.

1. Cinco Vezes Favela - episódio Pedreira de São Diogo. Brasil 1962. Direção Leon Hirszman.

27. A Grande Arte. Brasil 1991. Walter Salles Jr.

2.Ganga Zumba. Brasil 1963; Direção Cacá Diegues

28. Boca. Coprodução Brasil EEUU1994. Direção Walter Avancini e Zalmam King.

3. Grande Sertão. Brasil 1965 Direção Geraldo e Renato Santos Pereira 4. Onde a Terra Começa. Brasil 1966. Direção Ruy Santos

29. Um copo de Cólera. Brasil 1999. Direção Aluizio Abranches. 30. Aleijadinho - Paixão , Glória e Suplicio. Brasil 2000. Direção Geraldo Santos Pereira.

5. Proezas do Satanás na Vila do Leva-e-tráz. Brasil 1967. Direção Paulo Gil Soares.

31. As Filhas do Vento. Brasil 2004. Direção Joel Zito Araujo. Filhas do Vento é um dos raros filmes brasileiro totalmente protagonizado por atores negros e escrito e dirigido por diretor também negro.

130

Contracenando com Joffre Soares

131


Quilombo In Cena

6. El Justiceiro . Brasil 1967. Direção Nelson Pereira dos Santos.

12. A Compadecida. Brasil 1969. Direção Jorge Jonas.

7. Garota de Ipanema . Brasil 1967. Direção Leon Hirszaman.

13. O Cangaceiro sem Deus. Brasil 1969. Direção Oswaldo de Oliveira.

8. Terra em Transe. Brasil 1967. Direção Glauber Rocha.

14. República da Traição . Brasil 1970. Direção Carlo Ebert.

9. O Homem Nu. Brasil 1968. Direção Roberto Santos.

15. O Palácio dos Anjos. Brasil 1970. Direção Walter Hugo Khouri.

10. O Engano. Brasil 1968. Direção Mário Fiorani.

16. A Guerra dos Pelados. Brasil 1970. Direção Sylvio Back.

11. Em Compasso de Espera. Brasil 1969. Direção Antunes Filho.

17. Quando as Mulheres Paqueram . Brasil 1971. Direção Victor de Melo. 18 . Les Soleils de I’Ile dê Pâques / Os Sóis da Ilha de Páscoa . Coprodução Brasil/Chile França 1971. Direção Pierre Kast. 19. Le Gabruge / Operação Tumulto. Coprodução França /EEUU /Inglaterra 1973. Direção Édouard Luntz. 20. Pureza Proibida. Brasil 1974. Direção Alfredo Sternhem. 21. Brutos Inocentes. Brasil 1974. Direção Líbero Luxardo. 22. El Encanto Del amor Prohibido/ O Encanto do amor Proibido. Argentina 1974. Direção Juan Battle Planas.

Único filme dirigido pelo diretor teatral Antunes Filho, Em Compasso de Espera é o primeiro drama nacional sobre a questão racial protagonizado por um ator negro.

132

23. Ana, a Libertina. Brasil 1975.Direção Alberto Savá23. A Deusa Negra. Coprodução Brasil /Nigéria 1978. Direção Ola Balogun.

133


Quilombo In Cena

24. Parceiros da Aventura. Brasil 1980. Direção José Medeiros.

Filmes realizados com diretor: 1 . Alma No Olho. Brasil 1973

25. Giselle. Brasil 1980. Direção Victor de Mello. 26. A Menina e o Estuprador. Brasil 1982. Direção Conrado Sanches. 27. Quilombo. Coprodução Brasil /França 1984. Direção Cacá Diegues. 28. Tanga. Deu no New York Times? . Brasil 1987. Direção Henfil. 29. Natal da Portela . Brasil 1988. Direção Paulo Cesar Sarraceni. 30. A Selva . Coprodução Brasil/Portugal/Espanha 2002 Direção Leonel Vieira. 31. Oswaldo Cruz . O Médico do Brasil. Brasil 2003. Direção Silvio Tendler. 32. O Veneno da Madrugada. Brasil 2004. Direção Ruy Guerra. 33. As Filhas do Vento. Brasil 2004. Direção Joel Zito Araujo.

134

Uma metáfora sobre a escravidão, o filme de estreia de Zózimo Bulbul como diretor tem trilha original de John Coltrane

2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Aniceto . Dia da Alforria. Brasil 1981 Abolição. Brasil 1988. Samba no Trem . Brasil 2001. Pequena África . Brasil 2002. República Tiradentes . Brasil 2005. Zona Carioca do Porto. Brasil 2006 Referencias. Brasil 2006. Renascimento Africano. Brasil 2010.

135


Quilombo incena def  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you