Issuu on Google+

CRB - Operações Portuárias S.A. CNPJ/MF nº 05.481.823/0001-08 Demonstrações Financeiras

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

2011

Prezados(as) Acionistas: Abaixo, para sua informação, seguem as Demonstrações Financeiras do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2011. São Paulo, 30 de março de 2012. Demonstrações do resultado dos exercícios findos em 31 de dezembro Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma

Balanços patrimoniais em 31 de dezembro - Em milhares de reais Ativo Circulante Caixa e equivalentes de caixa Tributos a recuperar Adiantamentos a fornecedores

Nota

31/12/2011

31/12/2010 Passivo e patrimônio líquido

Nota

31/12/2011

31/12/2010

Nota 2011 2010 Receita líquida 7 8.458 4.612   3.478   2 Circulante Custo dos serviços prestados (7.830) (3.789) 141 Fornecedores 253 189 Lucro (prejuízo) bruto 628 823 2.407 1.979 Tributos a recolher 300 47 Receitas (despesas) operacionais Outros passivos 238 -  Com vendas (4.119) 5.885 2.122 791 236 Gerais e administrativas (2.824) Não circulante Não circulante Outras receitas operacionais, líquidas 6.966 Realizável a longo prazo Partes relacionadas PasNC 4 1.045 76 Lucro operacional antes das participações Partes relacionadas 4 556 2.515 societárias e do resultado financeiro 651 823 Depósitos judiciais 6 (a) 2.884 1.911 Patrimônio líquido 9 Resultado financeiro líquido 8 Capital social 8.980 8.980 Receitas financeiras 120 70 Imobilizado 5 1.067 1.950 Prejuízos acumulados (424) (794) Despesas financeiras (89) 4.507 6.376 Total do patrimônio líquido 8.556 8.186 Atualizações monetárias 12 Total do ativo 10.392 8.498 Total do passivo e patrimônio líquido 10.392 8.498 31 82 Imposto de renda e contribuição social 3 (a) As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras. Correntes (310) Demonstrações das mutações do patrimônio líquido Demonstrações dos fluxos de caixa Lucro (prejuízo) líquido do exercício 372 905 dos exercícios findos em 31 de dezembro - Em milhares de reais dos exercícios findos em 31 de dezembro - Em milhares de reais Lucro líquido do período Nota 2011 2010 Lucro (prejuízo) líquido por ações do capital Atribuível aos acionistas Fluxo de caixa das atividades social no fim do exercício - R$ 0,04 0,10 da controladora Quantidade de ações 8.980 8.980 Capital Lucros Patrimônio operacionais 372 905 social acumulados Total líquido Lucro (prejuízo) líquido do exercício As notas explicativas da administração são parte integrante das      Em 31 de dezembro de 2009 8.980  (1.699)  7.281  7.281 Ajustes para reconciliar o lucro ao caixa demonstrações financeiras.      Lucro líquido do exercício   905 905 905 gerado pelas atividades operacionais Demonstrações do valor adicionado Em 31 de dezembro de 2010 8.980 (794) 8.186 8.186 Amortização 5 (b)  882   882 dos exercícios findos em 31 de dezembro - Em milhares de reais Lucro líquido do exercício -  372 372 372 Variações monetárias 6 (b)  87   (1.591) Nota 2011 2010 Em 31 de dezembro de 2011 8.980 (422) 8.558 8.558 Provisão para contingências e obrigações tributárias 6 (b) (20) 686 Receitas As notas explicativas da administração são parte integrante das 7 9.863 5.369 1.321 882 Vendas de serviços demonstrações financeiras. Outras receitas 18 Variações nos ativos e passivos Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras 9.881 5.369 Tributos a recuperar 141 205 em 31 de dezembro de 2011 - Em milhares de reais, exceto quando Insumos adquiridos de terceiros Depósitos judiciais (1.041) indicado de outra forma (6.948) (3.722) Partes relacionadas 2.928 (1.201) Custos dos serviços vendidos 1. Considerações Gerais: A Companhia tem como atividade preponderanOutros ativos (428) 42 Materiais, energia, serviços de terceiros e outros 575 1.310 te o arrendamento e operação do terminal de importação e exportação de Fornecedores 64 64 (6.373) (2.412) granéis sólidos do Porto de Imbituba, no estado de Santa Catarina, Brasil, Tributos a recolher 253 5 3.508 2.957 cuja licença foi obtida em 29 de janeiro de 2003, por 10 anos, renovável por Contas a pagar e outros passivos 237 - Valor adicionado bruto igual período. A Sociedade tem sede e foro jurídico na Capital do estado de Caixa usado nas operações 3.476 (3) Retenções Amortização 5 (b) (882) (882) São Paulo, Alameda Itu, nº 852 - 10º andar, conjunto 102. Pertencente ao Caixa líquido proveniente das 2.626 2.075 Grupo Votorantim e compartilha as estruturas e os custos corporativos, ge- (usado nas) atividades operacionais 3.476 (3) Valor adicionado líquido produzido Valor adicionado recebido em renciais e operacionais. A emissão dessas demonstrações financeiras foi Caixa líquido usado nas atividades transferência aprovada pela Administração da Companhia em 28 de fevereiro de 2012. 2. de financiamentos Receitas financeiras 8 30 82 Base de preparação: As demonstrações financeiras foram preparadas con- Decréscimo em caixa e equivalentes 2.656 2.157 siderando o custo histórico como base de valor e ativos financeiros disponí- de caixa 3.476 (3) Valor adicionado total a distribuir Distribuição do valor adicionado veis para venda e ativos e passivos financeiros classificados como mensu- Caixa e equivalentes de caixa no início 3 rados ao valor justo por meio dos resultados (inclusive instrumentos do exercício 2 5 Pessoal e encargos Impostos, taxas e contribuições derivativos) são mensurados ao valor justo. A preparação das demonstra- Caixa e equivalentes de caixa no fim Federais 943 527 ções financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e tam- do exercício 3.478 2 Municipais 493 260 bém o exercício de julgamento por parte da Administração da Companhia no As notas explicativas da administração são parte integrante das Correntes 310 processo de aplicação das políticas contábeis da Companhia. As áreas que demonstrações financeiras. Remuneração de capitais de terceiros requerem maior nível de julgamento e apresentam maior complexidade, Aluguéis 537 465 bem como as áreas nas quais premissas e estimativas são significativas ções temporárias são reconhecidos somente na extensão em que sua realiRemuneração de capitais próprios para as demonstrações financeiras consolidadas, estão descritas na Nota 3. zação seja provável, tendo como base o histórico de rentabilidade e as proLucros retidos 370 905 2.1. Caixa e equivalentes de caixa: Caixa e equivalentes de caixa incluem jeções de resultados futuros. As despesas fiscais do exercício compreendem 2.656 2.157 o caixa, os depósitos bancários e outros investimentos de curto prazo de o imposto de renda corrente e diferido. O imposto é reconhecido na de- Valor adicionado distribuído As notas explicativas da administração são parte integrante das alta liquidez, que são prontamente conversíveis em um montante conhecido monstração do resultado, exceto na proporção em que estiver relacionado demonstrações financeiras. de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor, com itens reconhecidos diretamente no patrimônio líquido ou no resultado bem como as contas garantidas. As contas garantidas são demonstradas abrangente. Nesse caso, o imposto também é reconhecido no patrimônio como “Empréstimos e financiamentos”, no passivo circulante, quando apli- líquido ou no resultado abrangente. O imposto de renda e contribuição so- no capital atribuível aos acionistas da Companhia. 2.9. Reconhecimento cável. 2.2. Ativos financeiros: 2.2.1. Classificação: A Companhia e suas cial corrente são apresentados líquidos, por entidade contribuinte, no passi- da receita - A receita compreende o valor justo da contraprestação rececontroladas classificam seus ativos financeiros nas seguintes categorias: vo, quando houver montantes a pagar, ou no ativo, quando os montantes bida ou a receber pela comercialização de produtos e serviços no curso mensurados ao valor justo por meio do resultado e empréstimos e recebí- antecipadamente pagos excedem o total devido na data do balanço. 2.5. normal das atividades da Companhia. A receita é apresentada líquida dos veis. A classificação depende da finalidade para a qual os ativos financeiros Imobilizado: O imobilizado é demonstrado pelo custo histórico de aquisição impostos, das devoluções, dos abatimentos e dos descontos, bem como foram adquiridos. A Administração determina a classificação de seus ativos ou de construção menos depreciação acumulada. O custo histórico também das eliminações das vendas entre empresas consolidadas. A Companhia financeiros no seu reconhecimento inicial. (a) Ativos financeiros ao valor inclui os custos de financiamento relacionados com a aquisição / construção reconhece a receita quando: (i) o valor da receita pode ser mensurado com justo por meio do resultado - Os ativos financeiros mensurados ao valor de ativos qualificados. Os custos subsequentes são incluídos no valor con- segurança; (ii) seja provável que os benefícios econômicos futuros fluirão justo por meio do resultado têm como característica a sua negociação ativa tábil do ativo ou reconhecidos como um ativo separado, conforme apropria- para a entidade; e (iii) critérios específicos tenham sido atendidos para cada e frequente nos mercados financeiros. Esses ativos são mensurados por do, somente quando for provável que fluam benefícios econômicos futuros uma das atividades da Companhia, conforme descrição a seguir. O valor da seu valor justo, e suas variações são reconhecidas no resultado do exercí- associados ao item e que o custo do item possa ser mensurado com segu- receita não será considerado mensurável com segurança até que todas as cio, na rubrica “Resultado financeiro líquido”. Os ativos dessa categoria são rança. O valor contábil de itens ou peças substituídos é baixado. Reparos e condições relacionadas com a venda tenham sido resolvidas. A Companhia classificados como ativos circulantes. (b) Empréstimos e recebíveis: Os manutenção são apropriados ao resultado durante o período em que são baseia suas estimativas em resultados históricos, levando em consideração empréstimos e recebíveis são ativos financeiros não derivativos com paga- incorridos. O custo das principais reformas é acrescido ao valor contábil do o tipo de cliente, o tipo de transação e as especificações de cada venda. (a) mentos fixos ou determináveis não cotados em mercado ativo. São apresen- ativo quando os benefícios econômicos futuros ultrapassam o padrão de Venda de produtos e serviços: O reconhecimento da receita baseia-se tados como ativo circulante, exceto aqueles com prazo de vencimento supe- desempenho inicialmente estimado para o ativo em questão. As reformas nos princípios a seguir: (i) Venda de serviços: a Companhia vende serviços rior a 12 meses após a data do balanço (estes são classificados como ativos são depreciadas ao longo da vida útil econômica restante do ativo relacio- de concretagem, coprocessamento e transporte de cargas. Esses serviços não circulantes). Os empréstimos e os recebíveis são atualizados de acordo nado. Os terrenos não são depreciados. A depreciação de outros ativos é são prestados com base no tempo e no material ou, como um contrato de com a taxa efetiva da respectiva transação. Compreende-se como taxa efe- calculada usando-se o método linear considerando seus custos ou seus preço fixo, e os termos do contrato, geralmente, variam entre menos de um e três anos. A receita de contratos de prestação de serviços de transporte tiva aquela fixada nos contratos e ajustada pelos respectivos custos de cada valores residuais durante a vida útil estimada, como segue: transação. Os empréstimos e recebíveis da Companhia compreendem prin- - Edificações 36-54 anos por preço fixo é, em geral, reconhecida no período em que os serviços são prestados, usando o método linear de reconhecimento de receita conforme cipalmente “contas a receber de clientes e demais contas a receber”. 2.2.2. Reconhecimento e mensuração: As compras e as vendas regulares de Os valores residuais e a vida útil dos ativos são revisados e ajustados, se o período do contrato. Se surgirem circunstâncias que possam alterar as esativos financeiros são reconhecidas na data de negociação - data na qual a apropriado, ao fim de cada exercício. O valor contábil de um ativo é imedia- timativas originais de receitas, custos ou extensão do prazo para conclusão, Companhia se compromete a comprar ou vender o ativo. Os investimentos tamente baixado para seu valor recuperável quando o valor contábil do ativo as estimativas iniciais serão revisadas. Essas revisões podem resultar em são inicialmente reconhecidos pelo valor justo, acrescidos dos custos da é maior do que seu valor recuperável estimado. Os ganhos e as perdas de aumentos ou reduções das receitas ou custos estimados e estão refletidas transação para todos os ativos financeiros não mensurados ao valor justo alienações são determinados pela comparação dos resultados com o valor no resultado no período em que a Administração tomou conhecimento das por meio do resultado. Os ativos financeiros mensurados ao valor justo por contábil e são reconhecidos em “Outras receitas operacionais, líquidas” na circunstâncias que originaram a revisão. 2.10. Distribuição de dividendos: meio de resultado, quando existentes, são inicialmente reconhecidos pelo demonstração do resultado. A Companhia não tem ativos de longo prazo A distribuição de dividendos para os acionistas da Companhia é reconhecida valor justo, e os custos da transação são debitados à demonstração do re- que espera abandonar ou alienar e que exigiriam a constituição de provisão como um passivo nas demonstrações financeiras ao fim do exercício, com sultado. Os ativos financeiros são baixados quando os direitos de receber para obrigações por descontinuação de ativos. 2.6. Contas a pagar aos base no estatuto social. Qualquer valor acima do mínimo obrigatório somente fluxos de caixa dos investimentos vencem ou são transferidos; neste último fornecedores - As contas a pagar aos fornecedores são obrigações a pagar é provisionado quando for aprovado pelos acionistas, em Assembleia Geral. caso, desde que tenha transferido significativamente todos os riscos e os por bens ou serviços que foram adquiridos de fornecedores no curso normal 3. Estimativas e premissas contábeis críticas: Com base em premisbenefícios da propriedade. Os ativos financeiros disponíveis para venda e dos negócios, sendo classificadas como passivos circulantes quando o sas, a Companhia faz estimativas com relação ao futuro. Por definição, as os ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são, pagamento é devido no período de até um ano. Caso contrário, as contas a estimativas contábeis raramente serão iguais aos respectivos resultados quando existentes, subsequentemente, contabilizados pelo valor justo. Os pagar são apresentadas como passivo não circulante. Elas são, inicialmente, reais. As estimativas e premissas que apresentam um risco significativo, empréstimos e recebíveis são contabilizados pelo custo amortizado, usan- reconhecidas pelo valor justo e, subsequentemente, mensuradas pelo custo com probabilidade de causar um ajuste relevante nos valores contábeis do-se o método da taxa de juros efetiva. Os ganhos ou as perdas decorren- amortizado com o uso do método de taxa de juros efetiva. 2.7. Provisões de ativos e passivos para o próximo exercício social, estão contempladas tes de variações no valor justo de ativos financeiros mantidos para negocia- - As provisões para custos de reestruturação e ações judiciais são reco- a seguir. (a) Imposto de renda, contribuição social e outros impostos: ção são apresentados na demonstração do resultado em “Resultado nhecidas quando: (i) a Companhia tem uma obrigação presente ou não A Companhia está sujeita ao imposto de renda em todos os países em que financeiro líquido” no exercício em que ocorrem. O valor justo dos investi- formalizada como resultado de eventos passados; (ii) é provável que uma opera. É necessário um julgamento significativo para determinar a provisão mentos com cotação pública se baseia nos preços atuais de mercado. Para saída de recursos seja necessária para liquidar a obrigação; e (iii) o valor para impostos sobre a renda nesses diversos países. Em muitas operações, os ativos financeiros sem mercado ativo, a Companhia estabelece o valor puder ser estimado com segurança. As provisões não incluem as perdas a determinação final do imposto é incerta. A Companhia também reconhece justo por meio de técnicas de avaliação. Essas técnicas podem incluir a operacionais futuras. Quando houver uma série de obrigações similares, a provisões por conta de situações em que é provável que valores adicionais comparação com operações recentes contratadas com terceiros, a referên- probabilidade de liquidá-las é determinada, levando-se em consideração a de impostos forem devidos. Quando o resultado final dessas questões é cia a outros instrumentos que são substancialmente similares, a análise de classe de obrigações como um todo. Uma provisão é reconhecida mesmo diferente dos valores inicialmente estimados e registrados, essas diferenças fluxos de caixa descontados e os modelos de precificação de opções. A que seja pequena a probabilidade de liquidação relacionada com qualquer afetam os ativos e passivos fiscais atuais e diferidos no período em que o Companhia avalia, periodicamente, se há evidência objetiva de que um ativo item individual incluído na mesma classe de obrigações. As provisões são valor definitivo é determinado. (b) Passivos contingentes: A Companhia financeiro esteja registrado com valor acima de seu valor recuperável. mensuradas pelo valor presente dos gastos que devem ser necessários é parte envolvida em processos tributários, cíveis e outros em andamento Quando aplicável, é reconhecida provisão para desvalorização desse ativo. para liquidar a obrigação, usando uma taxa antes do imposto, a qual reflita que se encontram em instâncias diversas. As provisões para contingências, 2.3. Depósitos judiciais: A Companhia é parte envolvida em processos as avaliações atuais do mercado do valor temporal do dinheiro e dos riscos constituídas para fazer face a potenciais perdas decorrentes dos processos tributários, cíveis e outros em andamento, e está discutindo essas questões específicos da obrigação. O aumento da obrigação em decorrência da em curso, são estabelecidas e atualizadas com base na avaliação da Admitanto na esfera administrativa como na judicial, as quais, quando aplicáveis, passagem do tempo é reconhecido como despesa financeira. 2.8. Capital nistração, fundamentada na opinião de seus assessores legais e requerem são amparadas por depósitos judiciais e são atualizados monetariamente. social - As ações ordinárias são classificadas no patrimônio líquido. Os elevado grau de julgamento sobre as matérias envolvidas. 2.4. Imposto de renda e contribuição social: São calculados com base custos incrementais diretamente atribuíveis à emissão de novas ações 4. Partes relacionadas nas alíquotas vigentes de imposto de renda e contribuição social sobre o ou opções são demonstrados no patrimônio líquido como uma dedução Dividendos a receber Mútuos passivos lucro líquido e consideram a compensação de prejuízos fiscais e base nega- do valor captado, líquida de impostos. Quando a Companhia compra 31/12/2011 31/12/2010 31/12/2011 31/12/2010 tiva de contribuição social, para fins de determinação de exigibilidade. Por- ações do seu próprio capital (ações em tesouraria), o valor pago, incluindo Sociedades acionistas tanto, as inclusões ao lucro contábil de despesas, temporariamente não todos os custos adicionais diretamente atribuíveis (líquidos do imposto de Acariúba Mineração e dedutíveis, ou as exclusões de receitas, temporariamente não tributáveis, renda), é deduzido do patrimônio atribuível aos acionistas da Companhia Participação Ltda. 556 2.515 para apuração do lucro tributável corrente, geram créditos ou débitos tribu- até que as ações sejam canceladas ou reemitidas. Quando essas ações Sociedades ligadas tários diferidos. As alíquotas desses impostos são de 25% para o imposto de são, subsequentemente, reemitidas, qualquer valor recebido, líquido de Votorantim Cimentos S.A. 1.045 76 renda e de 9% para a contribuição social. Os créditos tributários diferidos todos os custos adicionais da transação, diretamente atribuíveis e dos 556 2.515 1.045 76 decorrentes de prejuízo fiscal ou base negativa da contribuição social e adi- respectivos efeitos do imposto de renda e da contribuição social, é incluído Continua»»»


CRB - Operações Portuárias S.A. CNPJ/MF nº 05.481.823/0001-08 Demonstrações Financeiras

»»»Continuação

Notas explicativas da administração às demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 - Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma

2011

8. Resultado financeiro líquido

5. Imobilizado: (a) Composição

  31/12/2011 31/12/2010 Taxas médias anuais Receitas Juros sobre ativos financeiros 120 70   Custo Saldo líquido  Saldo líquido  de depreciação % Terrenos e edificações 7.021 1.067 1.950 0,04 Despesas Outras despesas financeiras (89)   7.021 1.067 1.950   Variações cambiais e monetárias, líquidas -  12 (b) Movimentação 31/12/2011 31/12/2010   31 82 Saldo no início do exercício 1.950 2.832 Depreciação (882) (882) 9. Patrimônio líquido Saldo no fim do exercício 1.068 1.950 (a) Capital social: O capital social, totalmente subscrito e integralizado em 6. Provisão para contingências e obrigações tributárias: A Companhia é parte envolvida em processos tributários, cíveis e outros em andamento, e 31 de dezembro de 2011, é representado por 8.980 ações ordinárias, sem está discutindo essas questões tanto na esfera administrativa como na judicial. Quando aplicável, foram efetuados depósitos judiciais para fazer frente valor nominal. (b) Reserva legal e de retenção de lucros: A reserva leà parte dessas obrigações. Os saldos das obrigações tributárias e provisões para passivos contingentes, registradas contabilmente, são apresentados a gal é constituída anualmente como destinação de 5% do lucro líquido do exercício e não pode ultrapassar 20% do capital social. Sua finalidade é seguir: (a) Composição assegurar a integridade do capital social. Ela poderá ser utilizada somente 31/12/2011 31/12/2010 para compensar prejuízo e aumentar o capital. A reserva de retenção de Depósitos judiciais Montante provisionado Total líquido Depósitos judiciais Montante provisionado Total líquido lucros refere-se à retenção do saldo remanescente de lucros acumulados, a fim de atender ao projeto de crescimento dos negócios estabelecido no Tributários (127) (127) (122) (122) plano de investimentos. Cíveis e outros 3.745 (734) 3.011 2.705 (672) 2.033 3.745 (861) 2.884 2.705 (794) 1.911 Diretoria  

Depreciação acumulada  (5.954) (5.954)

(b) Movimentação da provisão para contingências

31/12/2010 

7. Receita líquida

31/12/2011 31/12/2010 Saldo inicial Adições (líquidas das reversões) Atualizações e reversão monetária Atualizações monetárias Saldo final

31/12/2011 

794 (20) 87   861

1.699 686 (1.591) 794

Receita bruta Receitas de serviços Impostos sobre vendas e serviços e outras deduções

31/12/2011 31/12/2010

Walter Schalka Diretor Presidente

9.863

5.369

9.863

5.369

Luiz Alberto de Castro Santos Diretor

(1.405) 8.458

(757) 4.612

Moacir Felizari Contador CRC - SC - 019715/O-3 “S” SP


CRB_Diario