Page 12

ENTREVISTA

om à letra

12

PERFIL Temos agora, por exemplo, o programa Quilometro zero no canal dois. Finalmente um programa de divulgação. Pelo país também se vão fazendo pequenos espectáculos. A internet também ajuda com o myspace, por exemplo, apesar do problema da dispersão, porque são Isidro Lisboa tem 36 anos e é natural de Penafiel. muitas bandas a mostrar os seus talentos. Apresenta uma estatura média, e ostenta na sua face uma barba cerrada e escura. A sua robustez física

“ E ntre a esquizofrenia e os dedos na ficha ”

O que acha da iniciativa Rock Rendez worten?

É assim, eu apoio todas as iniciativas que divulguem as bandas, desde que haja sempre respeito pela sua dignidade. Nos festivais de Verão, por exemplo, nem sempre isso acontece. Actuam a horas pouco acessíveis a um canto normalmente, só com conhecidos ou familiares a vê-los.

Se pudesse resumir a sua vida numa palavra, qual escolhia? [hesitação] … Eu acho que vou para a esquizofrenia (risos).

Pode ser uma frase…

denota que tem “sobrevivido” à ditadura das noites, nos bares e discotecas. Não se pode negar o desgaste físico e psicológico que implica ser DJ e um habitué das noites no Porto. À primeira vista, ninguém diria que este homem fosse tão comunicativo. Regra-chave: para o ver na sua plenitude, basta incluir numa frase uma única palavra: música. Não lê muitos livros, prefere revistas internacionais por exemplo. Leu uma vez Miguel Torga porque o obrigaram. A paixão pela música surgiu ainda na infância por influência do seu tio- padrinho. Pedia dinheiro aos pais para comprar os LPS (que também eram mais baratos), o seu “vício” na altura. A sua primeira actividade profissional ligada à música foi como DJ ainda com treze, catorze anos. No exercício da sua profissão considera-se um pouco esquizofrénico, embora procure evitar mencionar esta palavra:” Enquanto falo em esquizofrenia… as pessoas até podem pensar que sofro de alguma patologia. Acho que sou uma pessoa até com uma certa sanidade”, menciona o animador, revelando talento na ironia.

É casado e tem dois filhos, o Rafael e a Maria, que lhe permitiram perspectivar a vida de outra forma. Ainda assim, a música não perde a importância que havia conquistado até agora. No entanto, a grande mudança

(risos) …Talvez “dedos na ficha”. É preciso explicar? (risos).

reside numa espécie de equilíbrio entre partes.

Sim…

activa e eléctrica, parecendo que tem sempre os “ dedos numa ficha de

Parece que ando na vida com as mãos sempre na

electricidade ” . Bastante divertido, extrovertido, seus olhos pretos brilham

electricidade. A minha vida foi sempre a bulir.

Considera que herdou da sua família a honestidade. É uma pessoa bastante

Às vezes os meus amigos perguntam-me: Isidro

quando fala dos filhos e dos hits infantis que tem de ouvir por força das

estás bem, parece que colocaste as mãos

crianças.

nalguma fica de electricidade… (risos).

A sua opinião é importante

SOMALETRA.BLOGSPOT.COM

Sugestões musicais sempre actualizadas

Om à letra

Não consegue encontrar um estilo musical dominante, mas aponta bandas e cantores que aprecia em especial. É o caso dos Pixies, Happy Mondays, David Mathews, Bob Dylan ou Leonard Cohen. Gosta de “ um pop bem feito, isto é,

O SEU JORNAL NA INTERNET

aprecio uma canção pop, mas com uma boa pincelada” . Para o locutor, a ” rádio não tem que ser só música. Tem que ter palavra. Pareço um cuco que aparece de vez em quando para introduzir músicas” .

Profile for Irene  Leite

Edição 0 Som à Letra  

O primeiro jornal do projecto Som À Letra

Edição 0 Som à Letra  

O primeiro jornal do projecto Som À Letra

Advertisement