Issuu on Google+

RICA IDEIA

Ganhar dinheiro com a instabilidade

ILUSTRAÇÃO DE DEBORAH WITHEY

especializados no sector petrolífero são uma boa escolha, já que diversificam o portefólio por algumas dezenas de títulos distintos. Não há fundos geridos por entidades nacionais que invistam exclusivamente neste sector, mas há mais de uma dúzia de produtos estrangeiros comercializados em Portugal. O Dexia Equities L. Europe Energy Sector, que tem mais de um décimo do dinheiro aplicado em acções da britânica BP, foi um dos que menos perderam no último ano – cerca de 30%. O fundo da sociedade gestora belga é distribuído em exclusivo pelo Banco Best. Em alternativa, opte pelo BlackRock World Energy – comercializado pelo ActivoBank7, bem como

pelo Banco Best, Banco Big, Deutsche Bank e Millennium bcp. APOSTE NAS ENERGIAS ALTERNATIVAS Um

dos resultados mais óbvios do aumento do preço do petróleo é que as energias alternativas se tornam bastante mais atractivas para os consumidores. O que significa que, se o petróleo valorizar, os investidores poderão ganhar fazendo a sua aposta no sector das energias limpas. “É provável que a volatilidade [da energia tradicional] continue a afectar o sector das novas energias a curto prazo”, acreditam os gestores do fundo Black Rock New Energy, Robin Batchelor e Poppy Allonby.

No mercado accionista há muito por onde escolher nesta área: desde a EDP Renováveis, que produz electricidade a partir de parques eólicos, até à Toyota e à Nissan, os construtores automóveis mais avançados nas tecnologias híbridas. Se não quer preocupar-se muito na selecção das acções, também pode eleger um fundo – como o Credit Suisse EF Future Energy, que perdeu cerca de 27% nos últimos 12 meses. Além de ter o melhor desempenho dos últimos tempos, o segundo maior investimento do gestor Vipin Ahuja são as acções da EDP Renováveis. O fundo encontra-se à venda no ActivoBank7, no Banco Best e ainda no Banco Big.

Os investidores estremecem com a instabilidade dos mercados financeiros. Por esta altura, é muito difícil encontrar activos que tenham vindo a valorizar-se nos últimos anos. Na realidade, apenas um em cada quatro fundos de investimento se tem mantido positivo no último ano e a maioria destes aplica o dinheiro em tesouraria – logo, ganharam, em média, pouco mais de 1%. As taxas de juro dos depósitos também estão a descer, seguindo a toada marcada pelo Banco Central Europeu de Trichet. Onde se pode, então, ganhar dinheiro nestes tempos de crise e volatilidade acrescida? Na própria instabilidade. Há oito anos que os gestores do francês Crédit Agricole Asset Management transformam volatilidade em rendimento. O processo é bastante complexo, mas os especialistas simplificam, dizendo que é possível extrair a componente de volatilidade dos mercados de acções, obrigações e câmbios. O sucesso é claro: enquanto os mais de dois mil fundos comercializados em Portugal perderam, em média, 18% no último ano, o CAAM Volatility World Equities alcançou uma rendibilidade líquida de 33%, a melhor marca entre os produtos disponíveis para os investidores nacionais. Este é o mais arriscado dos três fundos de volatilidade geridos pelo Crédit Agricole Asset Management e comercializados em território português pelo ActivoBank7, Banco Best e Banco Big. O segundo fundo, o CAAM Volatility Euro Equities, também é arriscado, mas, ao contrário do anterior, que investe em acções de todo o mundo, concentra-se apenas nas bolsas da zona euro – obteve um ganho líquido de 15% no último ano. A melhor opção para os aforradores que têm um perfil mais conservador é, no entanto, o CAAM Dynarbitrage Volatility, que actualmente pretende ultrapassar a fasquia de 2,3% ao ano. No ano de 2008, conseguiu atingir uma taxa líquida de 4,2% de rendimento.

—29 Junho 2009

29


MiJL09062901A029C