Page 62

através da citação de Azevedo Marques em Apontamentos Históricos. Essa foi a primeira sesmaria cencedida em Piraci­ caba, pelo capitão-mor Manuel Peixoto da Motta, a 15 de no­ vembro de 1693, e se acha registrada no livro 11 de sesmarias antigas do Cartório da Tesouraria da Fazenda de São Paulo. A primeira povoação de Piracicaba carrega histórias, cemo a de que os capitães-mores de Itu e Porto Feliz mandavam para Piracicaba, em degredo, seus súditos que lhes caiam em de­ sagrado, faziam-no embarcarem Porto Feliz, descera rio Tietê até a foz do Piracicaba, subir poreste e largá-lo em Piracicaba então denominado Sertão (Neme, p. 34). O próprio Neme contesta essa possibilidade visto que os homens daquela época eram destemidos e desbrava­ vam sertões em mais longas distancias, portanto Piracica­ ba não se aplicava ao degredo. Diz Neme Ora, mesmo pelo caminho dos rios, se já não existisse o do sertão, feito por Felipe Cardoso havia mais de meio século, que chega a nos parecerde extrema infantilidade houvesse alguém ima­ ginado tal história. Mormente atendendo para o arrojo dos homens daquela época, em que as bandeiras atingiam as margens do Pacífico e do Amazonas e escalavam a cordi­ lheira do Peru. Sem dizer ainda que a metade do percurso, pelos rios, tanto para os degredados como para seus trans­ portadores, seria feita rio abaixo, com a maior facílidade para aqueles que quisessem retomar a sua morada, o que fari­ am, em alguns dias, sem grande esforço (Neme, p. 35). Descarta-se a possibilidade de Piracicaba ser usada como degredo, mas não a de que teve um início de povoa­ mento em 1693 e também que este não teve êxito e fora abandonado. Sendo assim, a censtrução do Picadão do Mato Grosso é atribuida a Luiz Pedroso de Barros, feito por terra para as Minas de Cuiabá o chamado caminho do sertão, como já citado. Os primeiros posseiros e sesmeiros buscaram se estabelecer nos pontos estratégicos do recém-criado cami­ nho entre Itu e o porto do Rio Piracicaba, com a intenção de fazer bons negócios com o produto das roças destinado ao abastecimento das regiões mineradoras de Mato Grosso. Logo viram suas expectativas frustadas pois, já em 1726, o mesmo governador, Dom Rodrigo César Meneses, da ca­ pitania, interditou o caminho, obrigando o trânsito somente

Revista do IHGP - Vol. 10  
Revista do IHGP - Vol. 10  

Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Advertisement