Page 61

tes descobertos como se fora a terra da Promissão ou o Pa­ raíso em que Deus pôs nossos primeíros pais. Entretanto, no ano de 1720, fizeram viagem para es­ sas minas algumas pessoas divididas em diversos comboi­ os, subindo o rio Anhanduí, atravessando o Vacaria, des­ cendo pelo Mateterí, e deste pelo Paraguai acima. Padece­ ram grandes destroços, perdiçôes de canoas nas cachoei­ ras por falta de pilotos e práticos, que ainda então não ha­ via, mortandade por falta de mantimentos, doenças, comi­ das das onças, e outras muitas misérias ... Por ai segue a narrativa de José Barbosa de Sá, relatando novas desgra­ ças, pois as monções desde logo passaram a ser assalta­ das pelo gentio. Com incrível fúria, os Paiaguás, Caiapás e Guaicurus destroçavam inteiramente as expedições, matan­ do quantos delas faziam parte. A fim de evitar os perigos dessa dificílima viagem pe­ los rios e, prinCipalmente, os ataques dos índios e as amea­ ças das febres palustres, o capitão-general Rodrigo César de Menezes mandava lançar, em 23 de novembro de 1721, um bando convocando as pessoas com préstimo e inteligên­ cia, para empreenderem e consequiram" abrir "o caminhO pelO sertão para as novas minas de Cuiabá, para ficar mais fácil a todos o iram e viram com cavalos e cargas com mais como­ didade de que até então experimentam pelo rio. Em 19 de janeiro de 1722, o capitão-general conce­ dia ao sargento-mor Manoel Gonçalves de Aguiar, Manoel Godinho de Lara, Sebastião Fernandes do Rego e mais sócios provisão para abrirem o caminho por terra para as novas minas de Cuiabá. Todavia, não levaram a cabo a incumbência. Encar­ regou-se então Luiz Pedroso de Barros de construir essa estrada, e pelos anos de 1723 a 1725 abriu o caminho de São Paulo até o rio Paraná ... Esse primitivo caminho de Cuiabá atravessava o rio Piracicaba e o fazia exatamente pelo ponto que ainda hoje é considerado o porto da cidade. Fica logo abaixo das corredeiras do salto e é o ponto do qual se disse: um baixio arenoso que dava pelieitamente vau durante o tempo invernoso (Neme,1974, 38 a 40). Piracicaba teve seu primeiro povoador, Pedro de Mo­ rais Cavalcanti, que, mesmo antes da descoberta do ouro em Cuiabá, pedia uma sesmaria, como conta Neme (1974)

Revista do IHGP - Vol. 10  

Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Advertisement