Page 52

o

REAL VELHO E ALGU­

MAS

OUTRAS UNIDADES USADAS NO BRASIL E Pimentel-Gomes

1. Ex- Presidente do lHGP.

1

o REAL Ê antiga unidade monetária de Portugal e do Brasil. Com este significado, o plural de real era réis. Foi substitu­ ído pelo cruzeiro, equivalente a mil réis, em 01 de novem­ bro de 1942. A quantia de 1500 réis, por exemplo, se escre­ via 1$500, a de 600.000 réis era escrita como 600$000. Quando se ia além de um milhão de réis, entrava em ação o conto de réis, com a palavra conto significando milhão. Assim doze contos de réis, isto é doze milhões de réis, se escreviam como 12:000$000 e se lia: doze contos de réis, A quantia de 25:200$000 se lia: 25 contos e duzentos mil réis. O real, que vinha do Brasil Império, valia muito pouco no começo do século 20. Uma entrada de cinema, em 1931, valia de mil a três mil réis, em geral, isto é, de 1$000 a 3$000, A meia entrada, na malinê de Domingo, era vendida por 500 réis, isto é, $500. Professores de ginásio estadual ganhavam um c;onto de réis por mês, isto é, 1:000$000, o que era um bom salário. Em Piracicaba, comprava-se uma casa por 8 a 20 contos de réis, Quando surgiu o cruzeiro, em 01 de novembro de 1942, valia ele mil réis, e se escrevia como Cr$ 1,00, Com isto, passou o conto de réis a valer 1.000 cruzeiros, isto é: Cr$1.000,00. Perdurou o cruzeiro até 12.02,1967, quando se instituiu o cruzeiro novo, Este passou a chamar-se cru­ zado (Cz$), a partir 26.02,1986. Mas nova mudança ocor­ reu em 16.01.1989, quando surgiu o cruzado novo (NCz$), equivalente a mil cruzados. O cruzado novo foi sucedido pelo real (R$) em 01.07.1994, agora com o plural reais (e não réis).

Revista do IHGP - Vol. 10  
Revista do IHGP - Vol. 10  

Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Advertisement