Page 19

romanesca, ou de uma comédia da vida, ou de uma tra­ gédia da própria condição humana.

o Romance Histórico como Prática do Conhecimento Apraz-me avançar a reflexão um pouco além da ca­ tegoria de um híbrido Iiterárío. Preferimos pensar que a ver­ dadeira natureza do problema não se acha nos aspectos estruturais da narrativa, seja do conteúdo ou na forma da trama; claro, que reconhecemos a sua importância como manifestação literária. Mas, verdadeiramente, no universo do saber comunicado, cuja virtualidade global e práxis são manifestos ao leitor - o parceiro invisível do narrador. Justamente porque, havendo-se estabelecido uma relação congnitiva Sujeito (elemento cogniscente) - Obra (objeto cogniscível) ela se revela de uma tal natureza soli­ dária e coparticipativa que se faz propiciadora do desenca­ dear das contradições dialéticas. O sentido do histórico da experíência humana, que o Romance Histórico oferece como produto original é tão somente o primeiro momento de uma nova sucessão de descobertas e construções, tanto na li­ nha da própria historicidade como no desenraizamenlo da História das contradições. Na linha da historicidade propicia-se a produção seqüencial de que é exemplo a minha trilogia Encontro das Águas. Conquanto no interior das áreas limitadoras do saber (o romance), as novas sínteses culturais liberam-se, progressivamente, na amplitude sem barreiras epistemológicas das Ciências Humanas. Collingwood gostava de dizer que a maneira como alguém escreve ou reflete sobre a História é sempre uma função da sua personalidade. Hayden Whitte lembra ser verdadeira a forma recíproca". Em sua visão sobre a Meta­ História, afirma que em futuro, não muito distante, os histo­ riadores terão o direito de conceituar a História com liberda­ de, perceber-lhe os conteúdos e construir as narrativas do processo histórico na modalidade da consciência que seja mais coerente com as suas aspirações morais e seu vaIa­ res estéticos". Quanto a nós, deixamos de lado as especulações. Lembramos que o Romance Histórico não consiste apenas num formato original de expressar artisticamente a Históría

17. Hayden WHITIE. op.

cit.• p. 440. 18./B/OEM. p. 441.

Revista do IHGP - Vol. 10  

Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba.

Advertisement