Page 106

O paradigma da arte contemporânea e dos bens etnográficos

Os sistemas de reprodução são o «invólucro» do suporte audiovisual, e incluem todo e qualquer elemento necessário para mostrar o conteúdo do suporte audiovisual de acordo com as especificações do artista. Os sistemas podem ser tão simples como um leitor de DVDs, um cabo e um monitor ou incluir X computadores ligados a Y câmaras e Z projectores, ligados em rede usando ethernet, usando um software para relacionar todos os elementos, e incluindo todas as variáveis típicas dos sistemas informáticos, como os sistemas operativos. Ao longo da vida de uma obra estes elementos alteram-se. Uma obra como «I am not a girl who misses much» de Pipilotti Rist, uma artista suiça que torno a referir adiante, foi produzida em U-matic [4], no final dos anos 90 foi transferida para Digital Betacam para efeitos de preservação. Inicialmente o trabalho era mostrado em exposições a partir de cassetes VHS, com uma qualidade de imagem muito inferior ao U-Matic. Correntemente o vídeo é distribuído e exposto como DVD ou como um ficheiro de vídeo digital. Quando o vídeo foi produzido os monitores CRT [5] eram a regra, hoje em dia a maioria dos monitores disponíveis são ecrãs planos, LCD [6] ou plasma [7].

[4] U-Matic é um formato de vídeo semi-profissional, utilizado frequentemente nas escolas de artes até ao final dos anos 90 pela sua boa qualidade e preço acessível (quando comparado com os formatos usados para televisão). [5] CRT – Tubo de Raios Catódicos (Cathode Ray Tube), refere-se aos monitores e televisores cúbicos que eram comuns até muito recentemente. [6] LCD – Liquid Crystal Display, refere-se à tecnologia utilizada em grande parte dos ecrãs planos actuais. [7] Plasma é outra das tecnologias usadas para criar televisores de ecrã plano, que usa gases nobres em forma de plasma para estimular os elementos que formam a imagem. [8] http://www.pipilottirist.net é a página de web da artista. http://www.eai.org/eai/ artistTitles.htm?id=8817 é a página relativa a Pipilotti Rist no site da Electronic Arts Intermix, que a representa.

102

Tal como é óbvio que, se se pretender ver a cassete original é necessário ter o equipamento de U-Matic e se se quiser mostrar o vídeo numa galeria é necessário dispor de um leitor de DVD (ou hoje em dia talvez um mac mini com um leitor de Quicktime) e um monitor. Suporte Audiovisual – contentor físico da informação. Facilmente reprodutível, necessita de equipamento para ser exposto correctamente. Exemplos: Diapositivo, Filme, Fita Magnética, DVD, ficheiros digitais Sistema de reprodução – todo e qualquer elemento necessário para mostrar o conteúdo de um suporte audiovisual. Exemplos: Leitor de DVD + Monitor ou Sistema de computador + SO + Software

in U-matic [4] and by the end of the 90s was transferred to Digital Betacam for preservation purposes. Initially the work was shown in exhibitions on a VHS cassette, with poorer image quality than U-matic. Today the video is distributed and exhibited as a DVD or as a digital video file. When the video was produced CRT monitors were the norm [5], nowadays the majority of the monitors on the market are flat screens, LCD [6] or plasmas [7]. Obviously, to display the master U-matic cassette it is necessary to have the U-Matic equipment and if we want to display the video in a gallery, a DVD player is necessary (or, nowadays, maybe a mini mac computer with Quicktime) and a monitor. Media Carrier – physical container of information. Easily reproduced, needs equipment to be correctly exhibited. Examples: Slides, Film, Magnetic tape, DVD, digital files. Playback system – Any elements necessary to show the content of the audiovisual carrier. Examples: DVD player + Monitor or System consisting of Computer + Operating System + Software.

I will use two artworks as examples for display systems, the first a simple system and the second a more complex one. Simple System The example of a simple artwork is a video by Pipilotti Rist “I am not a girl who misses much” (1986, 7:46 min, colour, sound) [8]. “I am not a girl…” is a single-channel video without any particular specifications for display. This makes it straightforward to exhibit and easily adaptable to the equipment available. Figure 5 shows the main technological elements necessary for the installation of a “simple” artwork.

Como ilustração dou em seguida dois exemplos de obras, o primeiro de uma obra relativamente simples e o segundo de uma obra complexa:

In this example, the media carrier is a DVD, and the playback system a DVD player and a monitor. The latter can be either a CRT, a plasma or an LCD monitor.

Obra simples O exemplo de um caso simples é um vídeo de Pipilotti Rist , «I am not a girl who misses much» (1986, 7:46 min, cor, som) [8].

Complex System As an example of a complex artwork I will use the interactive installation “Subtitled Public” by Rafael Lozano-Hemmer (RLH).

A arte efémera e a conservação: o paradigma da arte contemporânea e dos bens etnográficos  

Macedo, Rita; Silva; Raquel Henriques da, A arte efémera e a conservação: o paradigma da arte contemporânea e dos bens etnográficos/ Ephemer...

A arte efémera e a conservação: o paradigma da arte contemporânea e dos bens etnográficos  

Macedo, Rita; Silva; Raquel Henriques da, A arte efémera e a conservação: o paradigma da arte contemporânea e dos bens etnográficos/ Ephemer...

Advertisement