Page 1


O Troféu McLuhan começou no im dos anos 90, batizado em homenagem a um grande estudioso da Comunicação, o canadense Marshall McLuhan – um dos autores mais diiíceis da aula de Teorias da Comunicação;como ninguém gostava de estudá-lo, os idealizadores puseram o nome dele no torneio pra tentar melhorar a reputação do infeliz. Essa “préhistória” não tem muitos registros.¹ Na década de 2000, melhorou a situação, principalmente em 2006, quando Vitão assumiu o torneio. Estando mais organizado, o troço virou uma das coisas mais importantes do curso – só da comunidade do McLuhan no Orkut ter conseguido um tópico com mais de mil respostas mostra o quanto era levado a sério!² Mesmo sacos de pancada como Engenharia e Coalhados apareciam completos, bem dispostos e ocasionalmente com torcida para jogar e perder (nada que umas cervejas depois não resolvam!). A coisa só começou a piorar em 2009. Entraram 2 turmas com poucos homens, e uma pequena fração desses gostava de futebol (e uma enorme preferia reclamar a aparecer no p jogar...), resultando em times horríveis, com a tendência a aparecer incompletos e CEU pra sofrer as maiores goleadas.³ Equipes que traziam torcidas empolgadas agora tinham sorte se uma namorada de jogador vinha assistir. Toda semana um problema mudava data de jogo. E a bagunça piorava ainda mais com jogadores de times dissolvidos ou desertando a sala de origem, ás vezes tendo mais desses contratados em quadra do que da(s) turma(s) que supostamente estariam jogando. Pelo menos em 2010, entrando calouros interessados em jogar (e em assistir), com um fu futebol decente, há uma esperança de futuro. AAinal, o sonho de ganhar a inal, e celebrar a mesma no ChurrasCOM enchendo o saco de todo mundo, passando o rodo nas calouras e bebendo até se humilhar tem que se manter vivo!

¹-Mas só de ver que os times tinham nomes como Power Guido, Reboco e Jiraia nos Braços do Povo, talvez seja melhor assim. ²–Sim, comunicação é um curso de gente desocupada. A gente trabalha demais e recebe de menos, precisamos nos divertir! ³-2009/1, vulgo RBD: 1x22 e 0x24, ambos com 4 jogadores. 2009/2, vulgo Pangeia: 4x29... com o time completo! 4 -Pelo menos até um doido bem disposto da EBA inventar de comprar medalhas de ouro pras jogadoras campeãs.


Um campeonato com muita ordem (toda semana remarcava jogo), compromisso (um time foi eliminado por não conseguir aparecer completo), e justiça (dois caras formados levam um time horrível pra semiiinal, e outro classiiica em primeiro só por causa de um 24x0 sobre uma equipe só com 4). Sem falar uma inal bem equilibrada (o primeiro tempo acabou 7x1...).

Mesmo com 9 times e rodadas domingo, funcionou direito - todos os jogos ocorrendo nas datas marcadas, sorteio balanceado com um saco de pancada em cada grupo(a 1ª fase acabou com os placares de 13x0,8x3 e 29x4)... o único momento negativo¹ foi um barraco monumental na repescagem, após um reserva agredir um adversário que passava na beira de quadra. Na inal, a Casa Verde (que perdeu a estreia pra um freguês, mas depois só ganhou) conseguiu o tri e deu o 3º vice ao adversário (tripudiando ao máximo: dançaram “Créu, velocidade 3” e cantaram músicas como “Campolina, seu mané! Seu baseado foi fumado pelo Dé!”).

Tudo começa a piorar: calouros são um lixo (5 gols feitos, 46 sofridos; vieram em uma partida só com 4) e contratados fazem a festa (pentacampeão já formado carrega os azarados Coalhados pra semi-inal, um cara foge do Lamentável e ajuda os patéticos Sacoleiros a vencerem sua turma de origem, e reforço muda a Casa Verde de “time bom” pra “time que humilha”), apesar de não irem pra inal. f Na decisão, o SolCapim saiu na frente, mas ocorreu o esperado, mesmo com incidentes como Fábio caindo em cima do Bráulio (opa!), e os Franciscanos puderam cantar “1, 2, 3! Essa porra é freguês!”.

O último campeonato realmente decente: só um jogo foi ruim, os calouros jogaram bem, algumas equipes surpreenderam. Das semi-inais entre Turmas de 2007 e Calouros x Formandos, veio uma inal em que um combinado dos últimos períodos (que perdeu o primeiro jogo, mas após ter a chegada de mais um jogador aprovada, venceu tudo) rendeu um segundo vice aos Franciscanos, levando a grande e ruidosa torcida dos abelhas a começar o canto “Ah, ah, ah! Tá na hora de formar!”.²

¹-Fora os momentos em que o 1º e 2º períodos “jogavam”, esses nem precisam ser citados. Tanto que nenhuma pessoa das duas salas quis se arriscar a ser torcedor. ²–Mas ruim mesmo foi agüentar o Rodolfo: 5º título, artilheiro, campeão do bolão, e ainda pegou a caloura mais gostosa!


Lamentável Se não fosse uma turma de Comunicação, o Lamentável seria uma fábrica de pipoca – três finais perdidas são pra poucos! Em tese, o time tem tudo para ser campeão: empolgação, defesa sólida e ataque funcional. Mas o azar persegue o time, sempre com os rivais Filhos de Francisco (mesmo que alguns Franciscanos digam que a animosidade acabou)¹ e pelo menos um jogador de Cavanelas ou Casa Verde pela frente. Sem falar que o time afunda com jogadores-chave no exterior – caso do semestre passado, no qual sem Herman, perderam pro patético e extinto time do 3º período.² Essa é a última chance do título vir – principalmente porque se não aceitam gente de outros períodos,³ sabe-se lá se estão dispostos a jogar com outra camisa.

Nome:Lamentável Futebol e Cerveja Período: 9º Melhor desempenho: 3 vices (2006/2, 2008/1, 2009/2) TORCIDA O torcedor mais freqüente é Assumpção - e um dos mais empolgados e suicidas possíveis: já no 1º período deu volta no juiz segurando bomba de fumaça! – que também joga então talvez não conte. O resto da turma costumava vir, mas faz tempo que ninguém mais aparece.

“Eu bebo sim, estou vivendo...”

MASCOTE: Bilau4

2–CAMPOLINA Lucas Campolina 8 períodos, 44 gols

Louco de pedra, problemático, porra louca, nada pontual, mas muito bom de bola. Grande artilheiro do time, em uma dupla afinada com Brax, garante gols e vitórias quando não é expulso. Se conseguir jogar mais de duas partidas em plena forma (porque suspensões e baladas são basicamente a vida dele), deve levar o time pro pódio mais uma vez. ¹- Trotes: Lamentável 2, FFFF 0. Títulos: FFFF 2, Lamentável 0. É, pra que ficar na birra? ²- Um jogo tão frustrante que Borel conseguiu chutar pra cima do muro do clube, rendendo o comentário “Já posso ver a notícia: ‘Engavetamento na Carlos Luz: objeto misterioso atinge o pára-brisa de Monza. Motorista vítima declarou: ´Foi um OVNI, eu vi!´’” ³- Única exceção foi um dia em que como alguns jogadores estavam por chegar, o infeliz que vos escreve jogou por “três minutos lamentáveis”. E assim que ele saiu, o time levou gol 4 -Como o Sunça usa do Bilau desde os tempos do cursinho, hoje em dia Bilau está sempre murcho e não agüenta ficar de pé. Talvez a solução seja levar a namorada pra assistir os jogos.

6


Histórico

2006/2

2007/1

2007/2

1-BOREL

6-HERMAN

5-BIEL

9 períodos, 3 gols

8 períodos, 7 gols

9 períodos, 17 gols

Diego Borel

Quando não faz defesas milagrosas, grita e xinga todo mundo em quadra.

Herman Ameño Zagueirão preciso, mestre em atacar joelhos bichados.

Gabriel Morais

Músico que ajuda o time com passes, e atrapalha ao só poder jogar depois de meio-dia.

2008/1

2008/2

2009/1

2009/2

8-GUSTAVO

0-ASSUMPÇÃO

9-BRAX

9 períodos, 10 gols

9 períodos, 3 gols

9 períodos, 35 gols

Gustavo Ávila

Felipe Assumpção

O Palhaço, um homem bem azarado, autor de 50% dos gols perdidos do time.

A rigor é mais torcedor, mas ás vezes inventa de jogar.

André Salles

Homem de muita vontade, ataca e faz gols até sofrendo de intensa atividade intestinal ou vontade de jucar

2010/1

2010/2 Os Lamentáveis já disseram que podiam ser rebatizados “Time Profissional” – tanto que dois jogos foram sob um sol infernal porque uns jogadores não podem jogar antes de meio-dia, e outro foi de noite porque jogo entre 8º (“eu tô formando”) e 9º (“eu formei ou espero fazê-lo um dia!”) é ruim de agendar. O grupo não foi fácil, mas a equipe conseguiu sua vaga na semifinal após placares folgados contra os times do 1º e 2º período. No seguinte, o goleiro Bruno ganhou mais um acusação: manter Brax em Contagem enquanto seu time perdia pros Filhos de Francisco. Agora é esperar o adversário.

Borel defende e xinga, Herman impede os atacantes de chegarem no gol, um jogador manda as bolas pra frente e Brax e Campolina (lutando contra a ressaca) fazem os gols. Assim até parece um campeonato normal!

7


1


SolCapimCanela

Nome:SolCapimCanela Futebol Clube Período:7º Melhor desempenho: 2 vice-campeonatos (2009/1, 2010/1) TORCIDA Costumavam trazer uma grande e ruidosa torcida feminina – até Gui reclamar que elas faziam barulho demais, levando o time a jogar sem espectadores por um bom tempo. Nos últimos períodos melhorou um pouco, graças a calouras namoradas de jogadores e duas da sala que vieram no último torneio (inclusive pra final).

O SolCapimCanela¹ começou mal: dois semestres seguidos de frustração, de apenas duas vitórias, eliminando um tetracampeão (glória) e suando pra ganhar do pior time do curso (vergonha). No 3º período, tudo começou a dar certo, e com um goleiro e ataque bons, nunca mais o alvicinza saiu da semifinal. Só que isso não se traduziu em títulos,² visto que sempre os veteranos diretos Filhos de Francisco apareciam pra atrapalhar – ou em um caso,os Lamentáveis (com o Campolina suspenso...).³ Esse semestre, reforçados por um coalhado, tentarão fugir dos Franciscanos e alcançarem o topo do pódio.

“Passa a grana, meu!”

MASCOTE: Celso Roth²

10- FÁBIO

Fábio Figueiredo

7 períodos, 51 gols Último artilheiro do torneio, e motor do time com passes precisos, bom posicionamento e grandes cobranças de bola parada. Mas com certeza o ex-organizador levava a Oficina de Expressão muito a sério, porque simula como poucos (como pode ser provado pelo jogo em que ele foi expulso por se jogar demais em quadra) e qualquer dia vai tentar mudar de setor na Rede Globo, da área de jornalismo pro elenco das novelas. ¹-Se você não entende o trocadalho do carilho que batiza o time, cubra o primeiro “L” e a letra “M”. ²-Chega lá em cima da tabela, mas nunca como campeão. Provavelmente só vai ganhar o título se o campeonato for reduzido a semifinais e final. ³-Se mandingas funcionam, parte pode ser atribuído à torcida da EBA secando o rival: quando ela é forçada a torcer pro rival, SolCapim é finalista; em qualquer outra ocasião, a praga vem com toda força.

10


Histórico

2007/2

2008/1

2008/2

1-MEGALE

12-TARCÍSIO

9-PITTA

6 períodos

6 períodos, 24 gols

6 períodos, 10 gols Também conhecido Sylar, sempre começa no banco mas cumpre seu papel.

Fábio Megale

Fora de quadra, é tão preguiçoso que uns o comparam ao Garfield.

Tarcísio Baptista Vulgo “Farías”, ataca bem mas não é lá muito pontual (tem vez que o time liga e ele tá dormindo...)

Rodrigo Pitta

2009/1

2009/2

2010/1

2º 3-LÉO

13-GUI

21-DORETO

7 períodos, 31 gols

7 períodos, 25 gols

7 períodos, 3 gols

Leonardo Freitas Além de atacar com vontade, atua como goleiro na ausência do titular (antes ele que um tal de Chimbinha...).

Guilherme Gouveia Um homem de muitas funções: arma jogadas, ataca, e ás vezes defende.

Felipe Doreto

Apesar de mais especializado em pegar calouras do que em jogar bola, sempre está aí quando o time precisa.

2010/2

VITÃO

Vitor Brandão

9 períodos, 8 gols

Sendo fã da NBA, pode ser chamado de Karl Malone ou Gary Payton, que mudaram de time pra ver se ganhavam título uma vez na vida.

Antes mesmo de reformular, já tinha a vaga garantida na semifinal, com os “ameaçadores” times de Sacoleiros e RBD (que novamente apareceu incompleta pro confronto e apanhou de 10). Com a mudança de fórmula, o SolCapim pode encarar consecutivamente dois rivais: o que é difícil mas dá pra ganhar (EBA), tudo bem... mas pegar o que eles são fregueses disparados (Filhos de Francisco) na semifinal enche todos de medo.

Megale pula pra salvar o que pode, Léo e Gui estão pra qualquer lado e Fábio faz os gols enquanto suja sua camisa branca se jogando no chão da quadra.

11


6 períodos, 1 gol

6 períodos, 3 gols

6 períodos, 2 gols Em um lance infame, resolveu sentar na quadra no meio do jogo.

8-GABÃO

2-BUONO

13-SANDI

Pedro Fernandes

André Buono

Eduardo Felippe

O “BuddyPoke do Assumpção” não tem “Sideshow Bob’ já foi descrito porte físico de jogador, mas até foge como pior jogador do time... pelo de atividades da CRIA pra ajudar sua outro que a equipe quer a cabeça! equipe.

Má reputação é mato.

Histórico

2008/1

2008/2

2009/1

2009/2

2010/1

51-LEANDRO

4-COCOTA

25-ROLF Rolf Elias

Um jogador OK: não é tão fomi- Não, não é o cachorro dos Mupnha, lerdo, sem mira ou simples- pets. Ás vezes vacila ou falta perna, mas tenta sempre fazer seus gols. mente incompetente igual seus companheiros.

Já disseram que o time vai progredir muito se parar de estimular ele.

Daniel Maia

Leandro Aguiar 3 períodos, 1 gol

6 períodos, 6 gols

6 períodos, 7 gols

2010/2 O grupo foi bem desforável, com os dois carrascos do time (os veteranos do SolCapim e os calouros da EBA) e o time horroroso que humilhou os Sacoleiros semestre passado. E foi justamente com a RBD que foi a estréia, em que um gol heróico no último minuto impediu outra derrota. No seguinte, mesmo sem reservas deram um sufoco nos Belazarts (6x3).

Basicamente todo mundo batendo cabeça.


Sacoleiros

Nome:Sacoleiros Buteclube Período:6º Melhor desempenho: 5º lugar (2008/1) TORCIDA Mesmo depois do time se provar um grande saco de pancada, ainda conseguia trazer colegas para assistir jogos. No semestre passado, só a Small – e isso porque ela é namorada do Megale!

Os Sacoleiros¹ alternam entre o delírio - vangloriamse de títulos em campeonatos sem validade² e de uma classificação... pra repescagem, depois de perder 2 jogos!- e o realismo, ao perceberem que são um time deplorável, que nunca fez mais de 3 gols, acabou em último duas vezes, e foi capaz de perder pra RBD. E como se a vergonha não fosse suficiente, a camisa do time é rosa! Agora sem o reforço de Huxley “Carlinhos Bala”, que decidiu se aposentar após a vexaminosa derrota, e em tese com a ajuda de um Coalhado que ainda não apareceu, ³ o esquadrão magenta novamente segue o mote “Vamos Sacoleiros queridos todo mundo louco, no McLuhan perder de pouco!”. “Coco em cima da ladeira. Rola ou não rola?”

MASCOTE: Bob Nelson

9-GREGÓRIO

Gregório Kuwada

6 períodos, 11 gols Japonês habilidoso, muito combativo apesar de meio individualista. Monta jogadas, mesmo que o resto do time não colabore... também faz gols, com direito a um no chute inicial (contra a EBA em 2008/2), e marcar para dois times diferentes no mesmo dia (ao completar os Calouros Noturnos semestre passado). ¹-Homenagem a uma colega que apareceu na faculdade trazendo muamba, e adequado pelo fato de que o time só leva sacolada. O outro nome cogitado, “Zorzi Sauna Clube”, era ainda pior. ²-O “Senor Abravanel” que eles dizem ter ganho duas vezes foi um “torneio Início” em que só os Sacoleiros foram o único time que apareceu completo, e depois uma série de amistosos com RBD e o extinto 3º período. Cruzeirenses diriam ser títulos tão válidos quanto “Campeão do Gelo”. ³-E os mais veteranos já disseram que o Dornas não aparecia nem quando tinha realmente um time. Ou seja, a hipótese dele surgir é remota.


EBA

Nome:Belas Artes¹ Período:5º Melhor desempenho: 3º lugar (2008/2) TORCIDA

É o único time que sempre tem torcida, graças a um doente que aparece em todos os jogos (pra ajudar o time, ele traz água e resgata as bolas isoladas – ocasionalmente, pra fora do CEU...). O resto dos habituais são mulheres: uma moça empolgada e freqüentemente histérica, e as namoradas do goleirão e do artilheiro.

O time da EBA foi o último que causou algum impacto na estréia – eliminou um bicampeão e foi terceiro lugar. O plantel tem três grandes jogadores que figuram na seleção do curso, um punhado de boleiros que dão pro gasto... e o Abu, que atrapalha mais que tudo. No semestre passado, carimbaram a faixa de campeão dos Filhos de Francisco ao batê-los por 10x6 na 1ª fase. Mas tudo atrapalha o time: jogar mal quando não devia, brigar entre si quando estão na frente do placar, gols de eliminação no apagar das luzes, reservas adversários batendo nos jogadores dentro de quadra²... A grande pergunta dos jogadores e daquele maníaco que vem assistir todas as partidas é: “será que agora vai?” “Inshalá!”

MASCOTE: Alceu

87 – TIO ALI

Alisson Rogério 5 períodos, 43 gols

Já descrito como um dos melhores, se não o melhor, do curso, fez mais da metade dos gols da EBA em toda a história, e foi artilheiro dos times da Comunicação esse semestre. 4 Isso leva ao revés de ser um sujeitos mais marcados do torneio (ás vezes mais de um cara!). Se vê-lo com a mão na cintura, não é por causa do time em que ele joga: ou tá cansado ou apanhou demais (dos zagueiros, a namorada é uma moça tranqüila...). ¹-Nome sugerido por um Sacoleiro já que a sala tem muita gente que saiu do armário e armários transparentes. Mas, pra alegria de namoradas, esposas, e etc, nenhum dos “Belas Artes” é parte do time. ²-“Se o Cotó não me derrubar, olé, olé, olá... eu chego lá!” ³-Saldo dos 5 anteriores: 1 vitória da EBA, que Megale desdenha porque Léo não foi e os canelenses estavam com substitutos questionáveis como o Chimbinha; 1 empate, com direito a expulsão do Fábio; e 3 vitórias do SolCapim. 4-No dia dos últimos jogos em campo e futsal, errou gols (alguns praticamente feitos) e ainda perdeu um pênalti no campo. Mas isso é um detalhe, tanto que Dudu disse “se você ficar lamentando esse pênalti vou te bater!”

14


Histórico

2008/2

2009/1

2009/2

30-DUDU

10-SUVACO

7-VANDRÉ

5 períodos, 1 gol Por melhor que ele seja, já disse que só é goleiro porque não sabia jogar na linha.

5 períodos, 7 gols

5 períodos, 9 gols

Henrique Guimarães

Joga a partida inteira (só sinusite e Tem disposição pra atacar, deferidas tiram ele de quadra), sempre fender, e roubar a namorada de correndo, e ainda anima de disputar calouros. uma pelada depois!

6-ABU

BOI

80-DANIEL

5 períodos, 2 gols

10 períodos, 27 gols

4 períodos, 2 gols

Vulgo “a pior coisa que já saiu de São Tomé e Príncipe”, um legítimo zagueirão grosso.

2010/1

Daniel Nogueira

Ricardo Roquim

Abdelasy de Sousa

André Heneine

Gabriel Aragão

Artilheiro dos Coalhados, precisa reencontrar seu futebol porque só joga bola no McLuhan.

Sabe mais cantadas de pedreiro do que jogar bola.

2010/2

11-JAPA

02-Zero Dois

4 períodos, 2 gols

1 período, 8 gols

Rafael Itami

Bom atacante, se não tivesse proeficência em edição de vídeo e diagramação estaria salvando seu São Paulo do buraco.

Artur Gomide

O Dadá Maravilha do time, não sabe jogar bola, só fazer gol.

Nesse semestre, a reformulação do torneio levou a um agendamento do 6º confronto entre EBA e SolCapim em apenas 5 períodos. ³ Pelo menos o risco de não conseguir a segunda semifinal é baixo: os outros dois times do grupo (veteranos e calouros diretos!) são fregueses. O time não jogou tão bem a estréia com os Sacoleiros, mas ainda ganhou, com o contratado Boi já marcando gol.

Uma pessoa conduz tudo, rendendo à equipe o apelido “Alisson Futebol Clube”. Além dele, Dudu impedindo os gols, Suvaco ora ancorando na área ora atacando, Vandré fazendo o que pode... e um 5º jogador. E claro, o torcedor.

15


(ou Sheldon)

mais

0

JK

João Kléber Mattos 4 períodos, 4 gols

Assim como Mirim, sempre está aí pro time. Só não tem preparo ísico para jogar em uma equipe com 4 jogadores.

do jogo inal ³.

depois


agora que o time não tem

Também participa de covers dos Três Patetas.


Estádios

Quadra 3 A favorita da maioria, tem arquibancada e é próxima da cantina. Os jogadores se esquecem que a árvore sobre o gol não faz parte da trave.

Quadra 4 É a que mais exige preparo dos jogadores, pela caminhada pra chegar lá no fundão, e a exposição intensa ao sol. Não que disposição falte, já que uma vez chutaram por cima da cerca, acertando a avenida lá fora!

Quadra 5 Tem uma árvore enorme que proporciona sombra em metade da quadra. Mas há o risco dos jogadores cavalos acertarem ou o estacionamento do lado (apesar da cerca alta) ou a avenida fora (apesar da cerca alta com uma rede em cima!).

20


Quadra 6 Quadra tradicional do torneio, com o público se escondendo sob a grande árvore. Se em nenhum jogo chutarem a bola por cima da cerca pro estacionamento do lado, tem alguma coisa errada

Quadra 7 Basicamente a quadra 6 com mais sol.

Quadra 8 Próxima do quiosque da bola, e de um telhado de folhas que se você acertar a bola, é praticamente impossível tirar. As regras do futsal não são claras a respeito de quantos gols valem se conseguir acertar a cesta.

Quadra 2 Não me lembro de ter jogo do McLuhan nessa quadra – mas tá no CEU, tem trave de futebol, merece lugar nessa página!

21


Guia McLuhan 2010/2  

Revista sobre o torneio de futsal do curso de Comunicação Social da UFMG, feito para a Oficina de Diagramação. Perdoe quaisquer erros e prob...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you