Page 1

Acontece

Encarte

Especial

Info rmativo do Instituto Federal de Pernambuco

Liderança Feminina Cláudia Sansil concede entrevista, após vitória nas urnas para escolha do reitor do IFPE. O ACONTECE ouviu a comunidade e levou as perguntas à jornalista, professora e, agora, dirigente máximo do Instituto Pela primeira vez, o IFPE elegeu seu reitor. No caso, uma reitora. Com 35,79% dos votos Cláudia Sansil venceu um pleito histórico, que envolveu todos os campi do IFPE, desde os recentemente criados, passando pelas antigas agrotécnicas até os pólos de educação a distância. Foi parafraseando a presidenta Dilma, que a eleita recebeu a notícia oficial de sua vitória. “Serei a reitora de todos, dos que votaram e dos que não votaram”, disse. Nesta entrevista, ela responde perguntas enviadas por servidores, estudantes e administrativos de todo o Instituto. Leia e descubra quais planos a dirigente tem em mente para o futuro da Instituição.

Luis Cristovam Laporte Ambrósio - assistente em administração do campus Recife:

De que forma poderia haver uma melhor integração entre os servidores Campus/Reitoria? Pretendemos desenvolver ações de gestão de pessoas com este foco. Algumas medidas a exemplo do Cine-Gestão, onde exibiremos películas e, em seguida, faremos a discussão do filme ou trecho apresentado, estabelecendo os links com o nosso cotidiano. Algumas dinâmicas de grupo e interação pessoal, a implantação do Programa

Acontece · Informativo do Instituto Federal de Pernambuco · Encarte Especial

Saúde do Servidor, que consta em nosso Programa de campanha, com ações voltadas a saúde física e mental. Envolver uma equipe multidisciplinar com psicólogos, assistentes sociais, pessoal de RH, as Pró-Reitorias de Pesquisa e Extensão e a comunidade.

Cláudia Sansil é a primeira mulher eleita a ocupar um cargo de reitora em Pernambuco

Lêda Franco - Assistente Social do campus Recife:

Gostaria de saber se a reitora tem novas propostas de políticas sociais de incentivo estudantil para os alunos do IFPE.

1


ENTREVISTA

Temos crescido e muito nesta atenção, pois não podemos deixar área, desde o governo Lula, a preocu- de lado o paradigma da sustentabilipação com os estudantes já se consti- dade, crescer com responsabilidade tui em política pública. No âmbito do sócio-eco-ambiental. Nossos campi IFPE, a verba de assistência estudantil podem dar uma excelente colabocresceu mais de 500% na maioria dos ração neste sentido. Queremos nos campi. Em Vitória, por exemplo, sal- aproximar mais das comunidades, tou de R$ 82 mil dos assentamenParcerias: “Somos para 515 mil, no tos, cumprir a campus Recife de nossa missão educadores e gestores e R$ 897 mil para social. Auxiliar temos responsabilidade R$ 2 milhões e os agricultores porque representamos 809 mil. Com familiares, valoesses recursos, rizar e empregar uma valiosa Instituição. podemos atenos estudantes Precisamos um do outro. concluintes dos der as demandas Fomos eleitos e o único sociais de nossos nossos cursos de estudantes, que, agricultura, zoogrupo é do IFPE.” muitas vezes, tecnia, agricultêm um desempenho acadêmico tura familiar, entre os demais ofertacomprometido por ausência de uma dos. Buscar sintonia com o mundo alimentação mais adequada no perío- do trabalho, atuar em conformidade do de formação, necessidade de ócu- com os Arranjos Produtivos Locais los, medicamentos, entre outros. Mas (APLs), e respeitar a diversidade. No queremos atuar de maneira mais qua- campus Belo Jardim, há um curso litativa no cotidano de nossos 14 mil de Música. Segundo as estatísticas, jovens. Está sendo finalizado um do- casa residência possui um músico; cumento pela Diretoria de Assistên- enquanto o campus de Afogados cia Estudantil, com a participação de da Ingazeira é híbrido com caractetodos os campi, com a nova política rística do rural e do urbano. Nosso para o IFPE. Concluída, apresentare- universo, enquanto Instituto, é fascimos à comunidade e disponibilizare- nante justamente por isso. Também mos para sugestões. Acredito, ainda, reivindicar à Setec/Mec uma política na interface, por exemplo, das ações de expansão que contemple o Inartísticas e dos esportes para traba- terior do Estado, evitando o êxodo lharmos as demandas sociais. rural com vistas à fixação do homem no campo. Mônica Aroeira - pedagoga no campus Barreiros:

Qual seu projeto de desenvolvimento e expansão para os campi agrícolas? Recuperar o lugar de destaque do campo, empoderar a formação técnica na área. Sempre enfatizo que a locomotiva do desenvolvimento deve reservar vagões para o rural. A agricultura é a base de nossa economia, é a maior vocação do Brasil. Espera-se um crescimento de 24% para 2012. A instalação de indústrias em Suape não aconteceria sem passar pelo setor agrícola. Chamo a

2

Recentemente, a Diretoria de Tecnologia da Informação (DADT) ofereceu mais um treinamento no Q-Biblio através de videoconferência. No ano passado, tornamo-nos polo da EscoSérgio Roberto Assis - assistente em adla Nacional de Administração Pública ministração no campus Barreiros: Como será sua política de capa- (ENAP). Os servidores que particicitação para servidores técnicos param da formação irão replicar os administrativos? Pretende pro- conhecimentos formando outros formover momentos específicos por madores. Faremos, em breve, um levantamento das necessidades de cada área de atuação? Ampliaremos a política de for- setor/cada campus, há novos pregoeiros que necessimação continuada. Pretendemos Gestão: “Serei a reitora de tam de formação, contar com os todos, dos que votaram e e da vontade do servidor. Buscapróprios servidos que não votaram” remos, como nos dores, em alguns momentos, e manter a programação ensina o adágio popular, unir o útil de outros cursos fora da Instituição. ao agradável.

Após 14 ano à Instituição,

agora novos

projetos par

firmando o IFP

Ano VII · Nº 45 · Junho/julho de 2011

nacio


do. A carreira do magistério deve ser supervalorizada, reconhecemos, no entanto, os esforços governamentais para alterar esse quadro. Quanto à motivação e mantê-los na Instituição, temos algumas propostas, a exemplo do enxoval para o pesquisador, a participação em nossos programas de pós-graduação, melhorando o Lattes, a inserção em projetos híbridos com a Extensão, levando sua produção científica às comunidades. A construção do Centro de Pesquisa em cada campus, os aspectos da inovação pertinentes aos Institutos, o Núcleo de Inovação Científica (NIT), o número crescente de bolsas de pesquisa, desde a modalidade técnica à graduação aos orientandos.

os dedicados

Maria Clara Mendonça - professora do

Cláudia tem

campus Garanhuns:

s desafios e

Reitora, como nova servidora do IFPE, gostaria de saber qual será a estratégia adotada para reter e motivar, financeiramente e profissionalmente, os professores doutores da instituição? Os nossos salários são definidos por uma política macro, independe das gestões do IFPE. Há um PL (Projeto de Lei) que trata dos reajustes. Fala-se de um salário, em torno, de R$ 15 mil para doutores e R$ 12 mil para mestres. Sei que ainda é pouco numa lógica capitalista e pelos investimentos na formação de mestres e doutores, no entanto, é uma média diferenciada em relação ao merca-

ra continuar

PE no cenário

onal

Campus Garanhuns, desenvolver o projeto Mulheres Mil em todos os campi do IFPE, realizar os seminários de integração, instituir as empresa Junior e Incubadora, apoiar cooperativas, buscar linha de crédito para os estudantes montarem seus próprios negócios, modernizar os laboratórios, desenvolver mais ações sociais, esportivas e culturais, acompanhar os egressos, ampliar as parcerias com as empresas e maior aproximação com os atores sociais. Kallindi Narayanna Canuto Dóca – estudante do campus Recife – Química Industrial

Quais as competências da Reitoria. Em quais ocasiões um estudante deve procurar a Reitoria em vez da direção do campus? Adriana de Oliveira Costa – programaSão muitas, mas a Reitoria é a insdora Visual da Reitoria tância administrativa superior do IFPE, Haverá um planejamento anual onde são concebidas, elaboradas e para as ações da Reitoria? Quais desenvolvidas as políticas de Ensino, as prioridades para o próximo Pesquisa, Extensão, Administração, ano? Desenvolvimento Institucional, AssisPrecisamos avançar com esta tência Estudantil, Desenvolvimento palavra essencial à gestão. As priode Pessoas etc., sempre em consoridades dizem respeito a elevar a nância e com a auto-estima dos Segurança: “Com um participação dos servidores, na controle de acesso eficiente, campi. A ideia é perspectiva do do todo respeitar sociólogo Hepoderemos minimizar as partes e suas bert de Souza, muitos problemas. Verificar especificidades, o Betinho, fea possibilidade de aumentar mas sem perder licidadania, ou a noção da uniseja, desenvolo número de vigilantes dade de uma Insvermos as nosterceirizados e instalar tituição. Quando sas atividades câmeras nos campi que me procuram, enquanto servisempre aconsedores e sermos ainda não possuem.” lho os estudantes felizes com esa resolverem os problemas locais com sas rotinas. Afinal, trabalhamos as autoridades de cada campus. Se com Educação e com a melhoria de isso não acontece, existem os canais vida de centenas de jovens, como de acesso a mim, a exemplo do Porsempre afirmava o nosso eterno tas Abertas (presencial), do Fale com magnífico, professor Sérgio Gaua Reitora (on-line), espaço eletrônico dêncio. Criar a Fundação de Apoio para dicas, sugestões e críticas. Duas visando diminuir a burocracia do assessoras me auxiliam a solucionar serviço público e ganharmos mais os problemas, com a participação dos agilidade em alguns processos, dirigentes locais. a exemplo das obras. Concluir o

Acontece · Informativo do Instituto Federal de Pernambuco · Encarte Especial

3


ENTREVISTA

Em uma disputa acirrada na histórica eleição do IFPE, Cláudia Sansil garantiu a vitória

4

micas, ou seja, não depende apenas da vontade da gestão.

Ionaldo Martins Barbosa de Souza – co-

Wilson Rubens Galindo - Professor de In-

ordenador de análise e processos do

formática do campus Vitória:

campus Recife:

Em seu plano de integração, há intenção de modificar a estrutura Arthur Fellipe Santos Melo – estudante organizacional atual dos campi, do campus Caruaru – Segurança do Tracomo por exemplo o dos Recursos balho: Humanos? Em relação a Novos campi: “Queremos Nesta área, quantidade de seguimos as direcursos no camnos aproximar mais trizes da SETEC/ pus Caruaru, hadas comunidades, dos MEC. Vislumbro, verá expansão? assentamentos, cumprir a no entanto, alguE sobre a área mas alterações nas nossa missão social. Auxiliar de convivência ações de RH, pois já está sendo os agricultores familiares, necessitamos sair pensada? valorizar e empoderar os da esfera operacioHaverá sim. nal e sermos mais Já em fase de estudantes concluintes estratégicos, mais concepção o pridos nossos cursos de focados na política meiro curso de agricultura, zootecnia, de desenvolvimengraduação, Engeto das pessoas. agricultura familiar, entre os nharia e Mecânica Industrial, e oudemais ofertados. “ José Edmilson Catras demandas em etano Rodrigues - Professor de Química sintonia com os Arranjos Produtivos do campus Vitória: Locais. Precisamos, Arthur, formar e Assim como o Mestrado Institu- inserir por isso, os cursos necessitam cional, que teve vários programas de audiências públicas e muitas esculestabelecidos durante a gestão tas dos representantes das empresas, anterior, quais suas ações para das indústrias que sabem as vocações ampliar o Doutorado Institucio- locais e as necessidade profissionais nal no Instituto? e atender as expectativas da SETEC/ Todas as boas práticas serão MEC. As obras serão iniciadas ainda mantidas e ampliadas. Na gestão do este ano da área de convivência, tão professor Sérgio, foram importante para vocês estudantes e muitos programas de mes- nossos servidores. trados ofertados, sempre destaquei o apoio e o in- Wilmar Ferreira da Silva Junior - Auxiliar centivo que nosso eterno em Administração do campus Ipojuca: magnífico deu aos admi- Como a senhora pretende fazer nistrativos. Houve turmas para aumentar a segurança nos amplas com a participação campi? desse segmento. Já temos Com um controle de acesso efio nosso primeiro Dinter, ciente, poderemos minimizar muitos conquista do antigo reitor, problemas. Verificar a possibilidade e, nesta gestão, buscaremos de aumentar o número de vigilantes a implantação de, pelo me- terceirizados e instalar câmeras nos nos, mais dois programas campi que ainda não possuem. Iniciainterinstitucionais e, quem mos, ainda no ano passado, um prosabe num futuro próximo, grama pela Paz na Instituição. As ações o nosso próprio. É bom envolvem muitos atores sociais como lembrar que necessitamos a polícia pacificadora. Também podepreencher muitos requisi- remos contar com esse efetivo sempre tos nessas parcerias acadê- trabalhando com a prevenção.

O que será feito para atenuar o conflito entre o campus Recife e Reitoria? A Reitoria sairá do campus? Para qual local? Não há conflitos, principalmente na atual gestão do campus. Tenho conversado com o diretor, professor Valbérico, e, até o momento, sem embates e com cordialidade. Somos educadores e gestores e temos responsabilidade, porque representamos uma valiosa Instituição. Precisamos um do outro. Fomos eleitos e o único grupo é do IFPE. Ele é um dos meus diretores e eu sou a reitora dele, busco a paz! A Reitoria precisa de identidade física própria, isso será bom para a relação com todos os campi. Ainda não temos um local definido, mas espero que seja em breve, pois Recife não tem imóveis nem para vender, tampouco alugar nas dimensões em que necessitamos: 50 vagas de garagem, cerca de mil metros quadrados. Não vou apertar ainda mais meus servidores, eles merecem o mínimo de conforto no desenvolvimento de suas atividades; assim como os do campus, que cresceu muito e precisa do espaço ocupado pela Reitoria.

Ano VII · Nº 45 · Junho/julho de 2011

Encarte Especial - Acontece Junho-Julho/2011  

Encarte especial do Informativo mensal do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE).

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you