Issuu on Google+

Agentes Locais em Desastres Naturais

Petr贸polis Julho / 2013


Histórico

Localizada na Cidade de Nova Friburgo, Região Serrana, Estado do Rio de Janeiro, Duas Pedras é uma localidade situada na região central do município. Sua ocupação iniciou-se ao final do século IXX. Povoada, inicialmente, por pequenos grupos de famílias, o lugarejo era ambiente de moradia de trabalhadores no período de ascensão do processo de urbanização e industrialização desta unidade administrativa¹


Histórico

No inicio do século passado, a pequena vila, nesta época limítrofe do distrito sede, foi ganhando importância econômica, política e social. Não obstante, sua composição, inicialmente formada por famílias, não impediu acentuadas degradações ambientais, crescimento e ocupação do solo de modo desordenado.


Histórico

Ainda neste período, a extração da vegetação nativa, importantes obras de remoção de encostas para construção de vias, lineamento do córrego, construções de edificações em várzeas e margens e, em dois pequenos riachos sazonais¹-² (Foto 1) foram propiciando o aumento populacional, o desenvolvimento social e, consequentemente, a vulnerabilidade local a desastre .


Histórico

Por este histórico de degradação, nos últimos 20 anos aconteceram os eventos mais danosos já ocorridos no bairro. No natal de 1996 houve inundação na parte baixa da localidade, que desalojou dezenas de famílias. Em 2007 a queda de barreira afetou o hospital São Lucas, um dos hospitais privados mais importantes da região. E, em 2011 o considerado maior desastre climático do Brasil (FREITAS, 2012), causou 38 mortes e dezenas de desabrigados e desalojados, imensurável perdas materiais e econômicas.


Condições de vida Condicionantes socioeconômicos A localidade é de vital importância econômica para o município, pois, por entre os aglomerados residenciais estão instaladas algumas das mais importantes empresas e imóveis comerciais da região. Os diversificados estabelecimentos industriais e comerciais garantem o desenvolvimento local e, de certa forma, o investimento público em infraestrutura das vias de acesso ao bairro e ações de reconstrução pós o desastre de 2011


Condições de vida

Seu potencial econômico e especulação imobiliária são marcados, historicamente, por uma intensa exploração e ocupação de recursos e espaços naturais que, promoveram impactos e desequilíbrios ambientais, propiciando assim, riscos a população, mediante a vulnerabilidade induzida pela intervenção desmedida.


Condições de vida Comparativamente, a qualidade de vida antes e depois da tragédia de 2011 teve acentuada mudança. Desde então, os residentes desta comunidade convivem com ameaças e riscos, potencializados pelo descaso do poder publico¹. Esntrevistas - Recursos Domi-sanitários do Território Qualidade da água Boa 70% Coleta de lixo Diária 90% Esgoto Rede 0% Animais domésticos Cães 45% Animais que transmitem doenças Ratos 50%

Regular 30% Ruim 0% Alternados 0% Irregular 10% Valão 50% Canalizada 50% Gatos 15% Sem animais 40% Barata 20% Mosquitos 30%

Satisfatório Pouco satisfatório Insatisfatório Muito insatisfatório Ambiente do bairro 50% 0% 20% 30% Atuação do poder público 10% 10% 10% 70% Defesa civil 30% 20% 30% 20%


Situação Ambiental

A Região Serrana do estado do Rio de Janeiro compõem a Serra do Mar e, possui como Bioma a Mata Atlântica, tendo como fatores geográficos condicionantes do clima a continentalidade, vegetação densa, altitude elevada e atividades humanas. Os elementos constitutivos do clima são a temperatura amena, umidade relativa do ar em torno de 80%, altos índices de precipitação e constância em nebulosidade (Tavares, 2011). A intensidade destes fatores estão relacionados a sazonalidade.


Situação Ambiental

Assim como boa parte da cidade, o bairro de Duas Pedras teve seu processo de ocupação desordenado e em áreas ambientalmente frágeis, neste contexto, conforme afirma LUCENA (2008, p. 37), as formas inadequadas de ocupação interferem na sistemática do espaço ocasionando modificações no ecossistema promovendo processos de riscos ambientais que ameaçam a população local.


Ameaças e vulnerabilidades

Os processos naturais de ordem atmosférica e hidrológica, que constituem os perigos hidrometeorológicos, são os principais causadores de eventos e desastres nesta região e, na localidade de Duas Pedras, combinado a susceptibilidade da mesma, foi e pode ser o elemento causador de processos adversos promovendo a perturbação do funcionamento do sistema e das condições de vida da comunidade (Tominaga, 2011).


Ameaças e vulnerabilidades Na parte alta, a degradação ambiental pelo desmatamento, substituição da vegetação nativa por exótica (Eucalipto e Araucária), queimadas constantes, cortes de taludes e construção de moradias nas bases das encostas, é o fator preponderante para a ocorrência de processos erosivos e a eventualidade de escorregamentos, corridas de lama e quedas de barreiras e blocos rochosos.


Ameaças e vulnerabilidades

Ainda neste local, foram constatadas as formações erosivas origem hídricas, como pequenas rupturas de superfície e dois canais de escoamento pluvial de grande porte que, com a queda de suas margens, são capazes de represar grande quantidade água, elevando seu poder de destruição. Um grande quantitativo de pedras também é evidente.


Ameaรงas e vulnerabilidades


Ameaรงas e vulnerabilidades


Ameaças e vulnerabilidades A parte baixa, concentra habitações, industrias e comércios mesclados em um mesmo território. Este está vulnerável a escorregamentos, enxurradas, acúmulo de materiais provenientes de movimentos de massas da parte superior do bairro (citado a cima), enchente, causada pelo extravasamento do córrego que corta o território analisado e, inundação, ocasionada pelo transbordamento do principal rio urbano da cidade, que afeta também o bairro, o Rio Bengalas.


Ameaรงas e vulnerabilidades


Ameaças e vulnerabilidades Alguns imóveis industriais e comerciais constituem importantes elementos de interferência na qualidade do solo, ar e água, pela concentração de contaminantes ambientais, geração de resíduos sólidos e líquidos e, resíduos tóxicos. Estes Fatores não Biológicos de Riscos necessitam de intensa vigilância e controle a fim de se ter o conhecimento do perfil toxológico e avaliação dos riscos à saúde humana


Ameaças e vulnerabilidades Em quase todo o bairro, em áreas pontuais, há a disposição de imóveis e escombros danificados e produzidos pelo desastre de 2011 e, posteriormente, abandonados e negligenciados pelo poder público¹. Estes, atualmente, propiciam a proliferação de animais vetores ou hospedeiros de doenças como mosquitos, morcegos e ratos. Ocorre também a instalação de animais peçonhentos nestas ruinas, inclusive em um momento de pesquisa houve o relato de um morador sobre um acidente recente com escorpião, numa tentativa de limpeza de mato alto da casa vizinha. Além destes riscos, há a ameaça de desabamento destas.


Sugestões de Ações Propositivas em Defesa Civil e Saúde como Ações Preventivas e Mitigatórias Três Principais • Fortalecimento do SUS municipal; •Investimentos diversos no setor de defesa civil; •Maior articulação intra e inter setoriais entre estes e, melhor atuação das demais instituições do 1º setor, iniciativas privadas e a participação social.


Agentes Locais em Desastres Naturais ► Carlos G. dos Santos Agente Sanitário de saúde

► Luciana Grettu Agente Comunitária de saúde

► Jaqueline Almeida Agente Comunitária de saúde

► Rodrigo Pereira Agente Sanitário de saúde

► Vanessa de Moraes Agente Comunitária de saúde


Diagnóstico duas pedras