Page 1

DIOGO VIEIRA moto trial . 2012


DIOGO VIEIRA moto trial . 2012

FICHA TÉCNICA DIOGO VIEIRA

PILOTO DIOGO VIEIRA GESTÃO DO PROJECTO JUMATSU CONCEPÇÃO ANA CASTRO DESIGN GRÁFICO IVO TORRES FOTOGRAFIA EDGAR PEREIRA . NUNO FELIZ FILME EDGAR PEREIRA CONTACTOS

VIEIRA_RACING@HOTMAIL.COM 919 264 376


DIOGO VIEIRA moto trial . 2012


MOTO TRIAL CONTEXTUALIZAÇÃO

O Trial é uma modalidade de motociclismo com características singulares, uma vez que o seu objectivo não é chegar em primeiro lugar, mas sim, cometer o mínimo de faltas (apoios de pé no chão) na passagem dos diversos obstáculos; as motos utlizadas são também bastante diferentes das mais comuns (muito leves e compactas). Em Portugal, o Trial teve o seu início na década de 70, na zona norte do país, nomeadamente em Braga e no Porto, numa vertente mais recreativa (vertente esta ainda com muitos adeptos na actualidade). O motivo pelo qual a modalidade está, de certa forma, regionalizada, prende-se com a proximidade com a Galiza, a segunda região espanhola onde o Trial está mais desenvolvido, estando à sua frente neste parâmetro, apenas a região da Catalunha. As provas desta modalidade dividem-se em várias secções/zonas, em que o objectivo consiste em terminar a zona, ultrapassando os diversos obstáculos sem colocar os pés (apoios) no chão. As zonas são desenhadas recorrendo a obstáculos naturais (no outdoor) ou artificiais (no indoor), e com o objectivo de testar a técnica e habilidade dos pilotos. Geralmente, cada zona contém vários percursos diversos de modo a que concorrentes de diferentes níveis a possam realizar, por um trajecto com maior ou menor grau de dificuldade. Existem duas vertentes nesta modalidade, a vertente Outdoor e a Indoor, e para ambas existe um Campeonato do Mundo, em que os pilotos participam individualmente. Além desses dois campeonatos existe ainda um outro, de Selecções, em que os pilotos participam em conjunto, representando o seu país, o Trial das Nações.

O Trial é uma modalidade muito específica e que requer dos seus pilotos um trabalho e empenho bastante elevados, com vista a aperfeiçoarem a sua técnica e equilíbrio, com o objectivo de melhorar a sua performance. Neste sentido, é importante que sejam tidos em conta alguns aspectos, como por exemplo, a idade com que o piloto inicia o seu contacto com a modalidade. Em países com grande tradição da modalidade, o contacto com as motos e com o Trial começa muito cedo. Nestes casos, os pilotos começam a pilotar motos de Trial com 3 a 4 anos de idade, e começam a competir com 5 ou 6 anos. Este tipo de experiência permite-lhes alcançar altos níveis técnicos quando são ainda jovens. Com vista a aumentar a qualidade e a quantidade de pilotos na modalidade, a FMP tem vindo a desenvolver um projecto desde 1997: a “Escola de Trial”. Esta acabou por demonstrar ser uma aposta vencedora, visto que o trabalho nela desenvolvido tem vindo a trazer, ao longo dos anos, mais pilotos à modalidade (os actuais três melhores pilotos do Campeonato Nacional são oriundos desta escola).


DIOGO VIEIRA BIOGRAFIA

Diogo Vieira é uma jovem promessa para o Trial português. Atualmente a frequentar o 1º ano do curso de Engenharia Mecânica, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, o piloto de 18 anos já pratica Trial desde 2001. O seu percurso na modalidade foi impulsionado pelo ex-piloto de Trial e na altura Presidente da Comissão de Trial da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), Osvaldo Garcia. Nos três primeiros anos em que praticou a modalidade, Diogo Vieira foi por três vezes Vencedor do Troféu Nacional de Infantis. Teve uma breve passagem pela classe de Open, no ano de 2004, onde foi mais uma vez Vencedor do Troféu. De 2005 a 2007, participou na classe de Promoção, tendo alcançado o 4º posto da classificação, no primeiro ano, e tendo sido 2º classificado nos restantes dois. No ano de 2008, com apenas 15 anos, estreou-se na classe mais alta do Trial em Portugal, a Elite, conseguindo ficar em 5º lugar da classificação. Por esta altura já se adivinhava que poderíamos estar na presença de um piloto em ascensão. À medida que as épocas desportivas avançavam, também a sua prestação na modalidade mostrava progressos. No ano de 2009 ficou pela primeira vez no pódio do Campeonato Nacional de Trial, tendo alcançado o 3º lugar. Nos dois anos seguintes voltou a estar presente no pódio, mas num lugar acima, tendo sido Vice-campeão por duas vezes. Desde o ano de 2009 começou a disputar o Campeonato Nacional de Trial Indoor, tendo sido 3º classificado no ano de estreia e Vice-campeão em 2010, vencendo a prova realizada nos Açores. Em 2011, venceu nas provas realizadas na Maia, uma prova especial para o piloto devido ao forte apoio de amigos e familiares, e em Rebordosa, a última prova do campeonato, tendo sido Campeão Nacional de Trial Indoor. Para Diogo Vieira, a prática da modalidade foi possível devido a um total apoio por parte da FMP, que o tem mantido no projeto da Escola de Trial, embora com o atingir da maioridade, este tenha sido o último ano em que o integrou.


ÉPOCA 2012 PASSO SEGUINTE

O passo seguinte numa evolução natural levam-no a um novo desafio, sendo os seus objectivos para o ano de 2012 a participação nos Campeonatos Nacionais de Outdoor e de Indoor, a participação na totalidade das provas do Campeonato Europeu de Trial e em algumas provas do Campeonato Mundial de Trial, nomeadamente as que forem disputadas no continente Europeu. Neste contexto, os seus objectivos passam pelo ataque ao lugar mais alto do pódio a nível nacional, como fruto de uma evolução de competências adquiridas através do convívio com pilotos estrangeiros de um nível superior ao seu. Para a próxima época, a nível internacional, os objectivos passam por ficar no Top 10, no Campeonato Europeu, e conseguir ficar entre os quinze primeiros classificados no Campeonato do Mundo. A médio prazo os objectivos são chegar ao Top 5 do Campeonato Europeu e ao Top 10 do Campeonato Mundial. Como perspectivas e objectivos gerais, a médio e longo prazo, o piloto ambiciona o lugar cimeiro no pódio dos campeonatos nacionais de Trial, assim como tornar-se cada vez mais competitivo a nível internacional, melhorando cada vez mais a sua técnica e, desta forma, melhorando a sua classificação, levando o nome do Trial português a lugares cada vez mais altos. De forma a promover a modalidade de Trial e a si mesmo no nosso país e um pouco por todo o mundo, o piloto tem por objetivo realizar algumas exibições durante o próximo ano, assim como filmar alguns vídeos e colocá-los na internet, um dos grandes meios de comunicação atuais, senão mesmo o maior. Um dos pontos fortes deste jovem piloto é o facto de ter uma grande paixão pelo desporto e pela modalidade, o que faz com que para além do lado competitivo que cada prova tem, também está sempre presente a satisfação e alegria de praticar e de fazer o que gosta.


INTERNACIONAIS EUROPEU . MUNDIAL

Em termos de participações em provas fora de Portugal, ainda no ano de 2009, por ter completado 16 anos, começou a competir nos Campeonatos Mundial e Europeu de Trial, na classe de Youth 125cc, com o intuito de aperfeiçoar e melhorar as suas capacidades e características técnicas, junto dos melhores pilotos da modalidade. Nesse mesmo ano, no Trial das Nações, ajudou a Seleção a alcançar o 11º posto da classificação. No ano de 2010 participou em três das onze provas do Campeonato Mundial de Trial, nomeadamente na de Espanha, com duração de um dia, e na de Portugal, com dois dias, tendo terminado o Troféu FIM – Youth 125cc no 21º lugar com um total de 10 pontos. No entanto, sentiu algumas dificuldades, devido ao excelente nível dos seus adversários. Nesse mesmo ano foi novamente selecionado para representar Portugal no Trial das Nações, tendo conseguido alcançar, em conjunto com os restantes pilotos da equipa, o 12º lugar da tabela classificativa. No passado ano de 2011, atingiu o auge da sua participação a nível nacional, tendo sido pela primeira vez Campeão Nacional de Trial Indoor, para além da seleção para representar o país em mais um Trial das Nações, tendo ficado novamente em 12º lugar. Participou ainda em duas provas dos Campeonatos do Mundo e da Europa, num total de doze e seis provas, respectivamente. A sua participação nas provas Espanhola e Andorrenha levou-o ao 14º lugar final no Campeonato da Europa, com um total de 11 pontos, e ao 20º lugar no Troféu FIM – Youth 125cc do Campeonato do Mundo, totalizando 8 pontos. Fazendo uma retrospectiva da sua prestação no último ano, é opinião geral que, no momento, Diogo Vieira está num nível superior, tanto técnica como psicologicamente; tal facto enriqueceu o final da época de 2011 e serve como motivação para prestações futuras.


PALMARÉS

NACIONAL . INTERNACIONAL

CAMPEONATO OUTDOOR ANO . CLASSE . CLASSIFICAÇÃO 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011

Infantis Infantis Infantis Open Promoção Promoção Promoção Elite Elite Elite Elite

1º 1º 1º 1º 4º 2º 2º 5º 3º vice campeão vice campeão

CAMPEONATO INDOOR ANO . CLASSE . CLASSIFICAÇÃO 2009 2010 2011

Elite Elite Elite

3º vice campeão campeão

CAMPEONATO OUTDOOR INTERNACIONAL ANO . CAMPEONATO . CLASSE . CLASSIFICAÇÃO 2009 2010 2011

TDN TDN * Mundial TDN * Europeu * Mundial

B B Youth 125cc B Junior Youth 125cc

* Nestes campeonatos o piloto só realizou 2 provas em cada, prejudicando assim a classificação final.

11º 12º 21º 12º 14º 20º


PATROCÍNIOS CONTRAPARTIDAS

No que respeita a contrapartidas para os investidores e patrocinadores, estes terão a possibilidade de ver a sua marca publicitada um pouco por todo o continente Europeu, com especial incidência em Portugal, uma vez que será o país onde o piloto disputará um maior número de provas da modalidade (Campeonatos Nacionais de Trial Outdoor e Indoor). Embora nas provas portuguesas a adesão de público não seja tão numerosa quanto seria desejado por todas as entidades e pilotos envolvidos, nas provas espanholas e noutros países europeus, a realidade é bem diferente, uma vez que há uma grande tradição da modalidade. Neste sentido, os apoios facultados ao piloto, irão permitir a sua participação no Campeonato Europeu de Trial, trazendo visibilidade ao patrocinador/investidor. O bom momento de forma física em que o piloto se encontra, aliado ao bom momento de forma psicológica, fazem prever boas prestações ao longo da próxima época, tanto a nível nacional como internacional. A visibilidade da marca, estará presente tanto na moto como no fato de competição do piloto e no capacete, levando o nome da empresa a vários locais do país e da Europa, publicitando-o. No que respeita às provas dos Campeonatos Nacionais de Trial, as estatísticas apontam para os 500 a 1.000 espectadores por prova. Nos Campeonatos Europeu e Mundial os valores são substancialmente superiores, tendo presente uma média de 5.000 a 6.000 pessoas a assistir às provas europeias e cerca de 10.000 nas provas do Campeonato Mundial. Além da publicidade em cada prova, a marca também estará visível em reportagens televisivas (algumas provas do Campeonato Nacional têm resumos na RTP2), que fazem a cobertura das provas e em reportagens nas revistas da especialidade. Para todas as provas do Campeonato Nacional de Trial são enviados press releases para a comunicação social especializada e não especializada. Em formato digital podem ser encontradas notícias, a nível nacional, no site da FMP, na FMPtv e a nível internacional na FIM-livetv. No que respeita a imprensa internacional, também é possível encontrar notícias em revistas especializadas e não especializadas.


APOIOS NECESSÁRIOS APLICAÇÃO DO CAPITAL

CAMPEONATOS NACIONAIS Despesas: deslocação, seguros e inscrições em 9 provas nacionais e 2 internacionais com um total de 11 provas. Material / despesas: Moto; equipamentos (fato, botas, capacete, luvas) e consumiveis (pneus, gasolina, óleos e peças de substituição) Provas: 6 provas do Campeonato Outdoor (Serpins, Rebordosa, Porto, Escudeiros, Lousã, Braga) e 3 do Campeonato Indoor (Lisboa, Maia, Rebordosa) e ainda 2 provas internacionais ( Espanha e Andorra) Campeonatos: Campeonato Indoor e Outdoor Países percorridos: Portugal, Espanha e Andorra


CAMPEONATOS NACIONAIS . EUROPEU E MUNDIAL Despesas: deslocação, seguros e inscrições em nacionais e internacionais com um total de 20 provas. Material / despesas: Moto principal e de reserva (treinos) ; equipamentos (fato, botas, capacete, luvas); consumiveis (pneus, gasolina, óleos e peças de substituição) e publicidade. Publicidade da marca: Tenda personalizada, carrinha, equipamento e mota do piloto, plumas, flyers, cartazes, autocolantes (...) Campeonatos: Campeonato Indoor e Outdoor . Europeu e Mundial em Outdoor Países percorridos com a marca: Portugal, Itália, Rep. Checa, Polónia, França, Holanda, Espanha, Andorra Reino Unido.


Diogo Vieira . Moto Trial 2012  

PILOTO DIOGO VIEIRAGESTÃO DO PROJECTO JUMATSU CONCEPÇÃO ANA CASTRODESIGN GRÁFICO IVO TORRESFOTOGRAFIA EDGAR PEREIRA . NUNO FELI...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you