Issuu on Google+

Governo de São Paulo e Secretaria de Estado da Cultura apresentam

iD BAIRRO SAO PAULO [SP02]

BAIRRO

São Paulo [SP#02] OBSERVATÓRIO BOM RETIRO • MOSTRA DE PROCESSOS

30 DE JULHO A 13 DE AGOSTO

de segunda a sexta, das 10 às 22h, sábados, das 10 às 18h iD BAIRRO [SP#02] É UM PROJETO QUE ATUA COMO OBSERVATÓRIO - BOM RETIRO E COMO LABORATÓRIO PARA ESTIMULAR

A CRIAÇÃO COLETIVA E O INTERCÂMBIO CULTURAL, COMO POSSIBILIDADE DO DESENVOLVIMENTO E TRANSFORMAÇÃO DO

TERRITÓRIO ATRAVÉS DE PROCESSOS PROMOVIDOS PELA RELAÇÃO ENTRE AS PRÁTICAS ARTÍSTICAS E O

ESPAÇO SOCIAL LOCAL.

apoio

produção

realização

iD Bairro SP#02 OBSERVATÓRIO BOM RETIRO iD Bairro - projeto internacional de arte urbana de longa duração, com vasta trajetória implicada com criatividade social, ação coletiva e práticas artísticas no contexto espanhol, realizou sua primeira inserção no Brasil em outubro de 2010, propondo a atuação em rede como uma plataforma de aproximação entre instituições, agentes locais e extra-locais para operar culturas de proximidade. Entre Julho e Setembro de 2011, o projeto iD Bairro SP#02 - OBSERVATÓRIO BOM RETIRO instaura fórum de debates, oficinas, intervenções artísticas e mostra de processos resultantes de propostas colaborativas desenvolvidas por coletivos artísticos, pesquisadores, instituições e agentes locais participantes de iD Bairro SP.01 - Oficina de Projetos e Seminário Internacional [CCE/SP, outubro de 2010] e da Residência Bom Retiro [OCOA, janeiro/fevereiro de 2011]. Tais propostas dão lugar a uma série de projetos e micro-processos que pretendem dar visibilidade a questões específicas do território como multiculturalismo, transformações urbanísticas e sociais, apresentada nesta Mostra de Processos. iD Bairro SP#02 configura-se na qualidade de práticas performativas do espaço público, por meio de interações artísticas e dispositivos itinerantes que buscam mapear, articular e promover o intercâmbio multicultural e a participação da população em torno do patrimônio cultural do bairro do Bom Retiro,, tendo como focos as relações interculturais, interinstitucionais e dinâmicas locais. A partir das relações e laços estabelecidos no território, iD Bairro SP#02 se desdobra em diferentes contextos e estratégias, ampliando, assim, sua base espacial e temporal. Com o apoio do Jornal do Bom Retiro, importante veículo jornalístico local, iD Bairro SP#02 apresentará mensalmente ao longo de 2011 fragmentos de trabalhos desenvolvidos na interação entre artistas e a população, revelando paisagens subterrâneas, compondo a história pública a partir de acervos privados. Com o Centro de Cultura Judaica, que apresenta em sua sede até 02 de outubro a mostra Bom Retiro e Luz: um roteiro, 1976 – 2011, estabelecem-se formas de colaboração e mediações no território, desdobrando relações que emergem de intensas articulações com o tecido social local. Apontamos o especial apoio do Instituto de Patrimônio Histórico Nacional sediado em São Paulo para o projeto iD Bairro SP#02 OBERVATÓRIO BOM RETIRO, a partir do qual pretende-se dar a conhecer os diversos projetos, pesquisas e conteúdos desenvolvidos em torno do projeto em processo, tornando públicos seus produtos culturais e garantindo sua difusão e acessibilidade a um público mais amplo, conferindo visibilidade a este relevante patrimônio local, na intenção de que este possa inspirar novas práticas no campo da arte pública e educação patrimonial contemporâneas. Lilian Amaral, São Paulo, Julho, 2011. iD Bairro é um projeto de Idensitat, dirigido por Ramon Parramon que se realiza em São Paulo com a curadoria e coordenação geral de Lilian Amaral e colaboração de Ramon Parramon. Entre os participantes destacam-se: os coletivos EIA, Ondas Radiofônicas,... Avoa Núcleo Artístico, Rapadura e os artistas Lilian Amaral, Ramon Parramon, Eduardo Verderame, André Douek, Hermes Renato Hildebrand, Wilson Rodrigues, Marco Biglia, Paula Zacaro, Victoria Contreras, Mariana Zanotti, Mateus Pires e Daniel Paz. Assistente de Curadoria e produção - Fabíola Aliceda, assistente de curadoria e pesquisa histórica/iconográfica - Karina Alves. Making off - registros videográficos - Ivan Ferrer, registros fotográficos - Wilson Rodrigues. Agradecimentos especiais a todas as comunidades culturais, instituições, entidades, moradores e profissionais que generosamente partilharam suas memórias e desejos de interação e preservação do patrimônio [material e imaterial] configurado pelo Bairro do Bom Retiro. Organização: IDENSITAT | Ramon Parramon, MUSEU ABERTO BR | Lilian Amaral


Mapa Multicultural a ia nh aA Ru s

It os ad Ru

4

a

in t s i r

á m To

C

a Ru

a lia

s

a dor R. A

Vic en te M zo az ar at

R. N

Dumon t

Av. Cruzeiro do Sul

Av. Sant os t Dumon

R. Pra tes

Av. Sant os

as

Av. T irade ntes

na

Maia fredo

not R. Car

nind é R. Ca

deira

Av. T irade ntes

so Pe R. Afo n

R. Ma

na so Pe

Av. Cruzeiro do Sul

azon

R. Afo n

ot

nind é R. Ca

ntar eira R. d a Ca

R. Gu ilh

R. Du

erme

tra Ro

Maw

drigu

entr al s–P ista C

ro áza ão L

ão Te

Cinco de J

R. S

dent e

Av. T irade ntes

Av. T ira

R. São Caetan o

aneiro

odor o

ácio

R. São Caetan o

io In dôn ias

R. D

R. Ma

r. Cl á

de S

ous

a

R. Ma

Av. do

Esta

udio

do

R. P ossi

R. Ma

R. Brg . Tob

r Líbero Av. Cás pe

do

es

Esta

R. Vinte e

R. Car n

bav R. Lu

ias

lar

sO

do Av.

R. Jo

R. Washington Luís

co

n Bra

d

da

R. Itariri

a bos

io

R.

os

R. General Couto Magalhães

.R Av

m

s u G

aetano

Metrô Luz

tes

s e õ

R.

ia r ó Vit

ann

teur

o Teo doro

an

as

rad

nd

R.

s o d

nnem

R. Pas

a

R. Joã

R. São C

R. Ma

est

sA

m

s Gu

ot

o

osa

ad

arb

Est

áB Bar

ino uá

t Pro

do

R

R.

o nc

Bra

.G

s õe

R. Ha

l Pau

io .R Av

en

s O .

arn

. do Av

aS

irand

osé Estação da Luz Museu da Língua Portuguesa

R. Ma

os R. d

l

be

io r ó

o s n fo R. A

de

Igreja de Santo Expedito

rge M

R. J

d

a

ab

iac

ap

sa

aI

es

q u D

s

o n i r A

doro

n ela

lev o en

ran Pa

c rin aP

d e u

d l a id V . R

R

dit

a

R. Jo

C Al. Bu

de

aç Pr

a Luz

R. Mauá

. Av

Pinacoteca do Estado

Praça d

a C e

s o r i re

g

e eN

çá i r i . Tib

atil

irand

Lima

Parque da Luz

Praça Júlio Prestes

s a i x

R. C

s

Batalhão Tobias de Aguiar

Parque da Luz

Totem Bem Vindo ao Bom Retiro

Estação Júlio Prestes Sala São Paulo

arro

o Teo

no Di

rão

o nc Bra R.

lv e H

de B

R. M

rge M

R. Joã

Al.

Ba

io .R Av

a i t é

rigo

R. I

Museu de Arte Sacra Igreja de Frei Galvão

R. Jo

R. Ribe

o

Al.

Al.

ete l G

g

r. Ro d

ado

FATEC

Metrô Tiradentes

iro de

13º Batalhão da Polícia Militar

u ç a u

ene

a

ima

en

Bu

de L

iana

R. B

Graç

beiro

s

jó a p a R. T

oclec

4

Praça Cel. Fernando Prestes

R. da

no

R. Ri

R

d

Di

lan

ib R .

o R. J

Est

ino eir

ve

Al.

a

ab

Cle

iac

Al.

ap

od

R. De

R. D

s

Instituto Dom Bosco

i L e

ida

9 5

s Rio

ma

an

ni

R. Trê

3

Praça Kantuta

ã

pés

2

te R. Pedro Vicen

co e h ac P o

do Av.

4

pira

sa iro rA ito R. V

1

uara

8

R. Ita

ado

l Pau

6

Praça Armênia

Est

7

so

ran Pa A

me

Metrô Armênia

do Av.

osé

Oficina Cultural Oswald de Andrade

eco R. Luís Pach

6

R. Pedro Vicente

R. C

uja

r Co

R. J

rés ra t n Ci o rm a R. C

1.

R. G

10

bro

de n an

hm

ot N l.

imo

rão

co

an

Br

R . l A

R. A

om re L esa rC

Ba

io

ir e ib

1

g

or J . R

or Le

ino

to n i P

sso

R

e rof R. P

lva

i .S

Museu da Energia

Al.

.R Av

a d o

va l i S

d

ibe

l. R

A

d ri o

Tho

do Pra

l Pau

aia

lan

aS

d

E Al.

ve

Cle

rd a u

a ilv

2.

lho e eV

tes

s Rio

1

Al.

o

lvad

iran

5

s

7

opke

2

11

R. Trê

4.

3.

1

7.

nh

Ed

R. Sa

8

9

R. A

rd a u

d a r oP

ud

ton

ew

osé

3

ra P o

nde

1.

7

R. Pedro Vicente

ão K

R. Ba

2

3

4 do

1.

1

R. J

o C o

R. Jo

alm R. T

a

R. N

raç

ay

e

R

eiç

nc

li

. Jú

Al.

nio

aG

2

a Pen

ão

An

R. d

os

ian

aia

n Tau

nh

de

dg

ó

R.

Ital

de

R. A

on

Ru Av.

te n ne e T R.

lon

l

ú R. J

3

R.

Tho

os

isc R. V

Museu da Saúde

o

çã i e c

on C io

moré

Murtinho

m

R. Ma

R. Joaquim

oré

a M . R

R. d

R.

R. B

n o l Só

do

6

ud

d a r r a

1 alm R. T

ji

iba T o

R. dos Areal

o

sta

4

3

do Pra

s

á m o T

oE

R. Al

ton ew

ho val

a raç

Car

aG

de

n o l Só

Av .d

R. Pra tes

ves

nay Tau

R. d

de

R.

3 dr e P R.

5

R.

ar B . R

e R. N

e nd

sco

á

gu a r a

R. J

ra d

2.

ó S . R

do

Bigio

a

R. J

Praça Luís Pames

aji b i oT

lon

sta

R. David

i R. V

uá g a r

Praça Paulo Gianotti

de

os

1

C

oE

R. Am

ian Ital

2 Delegacia 2º DP

m ar

R.

Av .d

te r o F e

in

ção

R. B

ção

os

ho val

2

dia

d a r r a

rra

R. d

Car

és r a av J . R

R. S

aj b i T

o

de 3.

i

R. I

R. J

air

aia

á

gu a r a

Te

nh

lores eral F

R. A

ves

e R. N

és r a av J . R

Praça Miguel Forte

R.

a

Ru

R. Gen

o

gi r é S

á m o T

R. N

o alh

Praça Jessé Alexandrino da Silva

itch

arv eC sd

eve

aN

Praça Maimônides Rabi Moshe B. Maimon

Gi us ti

s no

Ru

Praça Sérgio Terpins

Cultura Boliviana

1 - Confiteria y Salteñeria Los Amigos - Rua Talmud Thorá, 255 2 - Praça Kantuta (feira, atividades culturais, gastronomia, trabalho) 3 - Bar do Boliviano - Rua Silva Pinto, 438 - sobreloja 4 - Feira Kantutita - Rua Anhaia, 1239

Cultura Judaica

1 - Sinagoga Kehilat Israel - Rua da Graça, 160 2 - Sinagoga (1ª sinagoga do Bom Retiro / atual Ten Yad) - Rua Newton Prado, 76 3 - Sinagoga Talmud Thora Lubavitch - Rua Talmud Thora, 296 4 - Delishop Restaurante - Rua Correia de Mello, 206 5 - Restaurante Kosher Center - Rua Prates, 599 6 - Malka Falafel Restaurante - Rua José Paulino, 345 - loja 21-A 7 - Casa Búlgara (gastronomia) - Rua Silva Pinto, 356 8 - Casa Menoráh (mercado judaico) - Rua Guarani, 114 9 - Burikita (gastronomia) - Rua Três Rios, 138 10 - Goody (chocolate kosher) - Rua Correia de Mello,119 11 - Teatro Taib - Rua Três Rios, 246

Cultura Coreana

1 - Comércio atacado (Rua Aimorés / Rua Cesare Lombroso) só lojistas 2 - Gastronomia Ko&Hara 3 - Pólo Gastronômico (Rua Prates / Rua Guarani / Rua Correia de Mello) 4 - Quadra de golfe Hotel Prince Power - Rua Mamoré, 305 5 - Igreja Coreana São Kim Degun - Rua Nair de Teffe, 2-A 6 - Igreja Missionária Oriental São Paulo - Rua Mamoré, 71 7 - Mercado Coreano O&C - Rua Três Rios, 245 8 - Padaria Bellapan - Rua Prates, 547 9 - BooKafé - Rua Lubavitch,181

Cultura Grega

1 - Akrópoles (gastronomia) - Rua da Graça, 364 2 - Igreja Ortodoxa Grega - Av. Matarazzo, 180 3 - Belinda (fábrica de roupa feminina) - Rua Silva Pinto, 166 4 - Beira Mar (fábrica linha praia) - Rua Silva Pinto, 254 - 3º andar

Cultura Italiana

1 - Cantinas: Ouro Branco - Rua dos Italianos, 711 2 - Monte Verde - Rua Barra do Tibaji, 406 3 - Igreja Sto. Eduardo - Rua dos Italianos, 567

Cultura Armênia

1 - Igreja Apostólica Armênia do Brasil - Av. Santos Dumont, 55 2 - Sociedade Cultural Armênia de São Paulo - Rua David Yampolsky, 65 3 - Igreja Central Evangélica Armênia - Av. do Estado, 1191 4 - Paróquia Católica Armênia São Gregório Iluminador - Av. Tiradentes, 718 5 - Sevan (gastronomia árabe e armênia) - Rua Três Rios, 110 6 - Monumento “Homenagem ao Povo Armênio”, obra do escultor José Jerez Recalde - Praça Armênia bifurcação das avenidas Santos Dumont e Tiradentes, cruzamento da rua Bandeirantes 7 - Estação Armênia de Metrô (desde 1985, antiga Estação Ponte Pequena) - “Memorial Armênia” - Rua Pedro Vicente, 47


iD Bairro SP#02 - Estrutura | Táticas | Núcleos Mobilizar as pessoas a se apropriarem da cidade para reconhecê-la e identificar sua presença no território. Criar percursos para interpretar os paradigmas da cidade, tanto física quanto virtual – cibercidade, midiacity, estimulando a performatividade urbana e a interculturalidade local. Opera com linguagens de dança contemporânea, performance, teatro, ativismo, design visual, descrevendo circuitos que interligam espaços ocupados pelas distintas culturas no territórios.

Táticas para Cartografar e Habitar o espaço da Cidade - Práticas Performativas - Observatório Bom Retiro A estratégia de cartografia se dá a partir da tática (CERTEAU: práticas desviacionistas que não obedecem à lei do lugar) e do tônus político da performance | intervenção. Agencia-se a partir da cartografia de performances em relação ao espaço, ao corpo, à ação e ao tempo. A tática de espaço ocupa as ruas, mas não se realiza somente na urbe. A tática de ação propõe o encontro como leitmotiv, a performance como mutirão. A tática de tempo tem a duração como escolha. Por sua vez, a tática de corpo está interessada nos desdobramentos espectrais da pele em telepresença.

1 - Táticas de espaço: a cidade - Propõe modos de partilhar o sensível do comum e o comum da cidade. 2 - Tática de tempo: a duração - Rejeita a sucessão e a continuidade (tempo institucionalizado), joga com a interrupção e a descontinuidade (deriva temporal). 3 - Tática de ação: o encontro - Quando a ação é o encontro: a performance como ato de encontrar e a afecção como seu modo tático. 4 - Tática de corpo: a telepresença - Liga-se aos devires do corpo (devir-espectral), a seus possíveis estados de existir. Os núcleos descritos a seguir apresentam proposições complementares. São lentes utilizadas como dispositivos para mirar as diferentes e múltiplas camadas que compõem o tecido social, permitindo, assim, discriminar o visível e o invisível no cotidiano urbano para poder projetar e ativar relações no território.

QUAL É O TAMANHO DO SEU MUNDO?

CORPOREIDADE E PERCURSOS URBANOS MEMÓRIA E NARRATIVAS AUDIOVISUAIS FIM DA LINHA [onde a linha acaba e começa a transformação] DISPOSITIVOS E INTERVENÇÕES URBANAS Nu

iD BAIRRO SAO PAULO [SP02]

No Bom Retiro são raras as áreas de convivência e recreação no espaço público. A proposta do Projeto Fim da Linha foi de criar cenários convidativos para brincadeiras e interação social no espaço público do Bom Retiro através da aplicação de fitas adesivas no chão. A ação deu vida para quadras de futebol, jogos de amarelinha, faixas de corrida e outras brincadeiras na Praça Kantuta, domingo, dia 03 de julho, e na calçada do Parque da Luz, sábado, dia 09 de julho, mostrando participação e forte apropriação por crianças.

Coletivo Rapadura

Observando o multiculturalismo presente no Bom Retiro, esse trabalho - em processo - é constituído por uma intervenção realizada no território do Parque da Luz e também a produção de um vídeo com enfoque nas corporeidades e paisagens humanas existentes no bairro. A intenção é trazer o Corpo sob duas perspectivas: da proximidade e do corpo em cena (intervenção) que trava diálogo com a população local e o registro poético de gestos, andares e olhares através de um material audiovisual que traz à tona certo distanciamento.

Avoa Núcleo Artístico


PEDALADA CULTURAL A Pedalada Cultural surgiu da idéia de percorrer as ruas do Bom Retiro registrando em câmera digital (celular, cybershop) ou gravando em áudio os locais percorridos. Também foram considerados textos que descrevessem aspectos importantes do bairro, sendo que este material poderia ser inserido no blog criado para complementar o trabalho do Projeto iD Bairro/SP. A Pedalada Cultural visa a aproximar e ter conhecimento de muitos aspectos sociais, culturais e cotidianos do povo que ali vivem tais como, visitas às sinagogas aos sábados, encontros sociais dos bolivianos, concentração do povo coreano nos bares, cafés e igrejas e em partidas de golf.

Wilson Rodrigues Propõe construir, por meio de entrevistas, conversas, encontros e jornada audiovisual, narrativas coletivas [moradores e usuários do bairro] por meio de imagens históricas, álbuns de família, textos, imagens digitais, vídeos e sons a partir de estratégias propostas pelos projetos que envolvem memória, documentário, recursos audiovisuais com diferentes inserções no espaço público local.

JORNADA AUDIOVISUAL CARTOGRAFIAS COLABORATIVAS / BOM RETIRO Workshop-intervenção para elaboração de Narrativas Audiovisuais Coletivas. Convite para a população registrar, por meio de percursos audiovisuais, as paisagens, os contrastes, a diversidade e multiculturalidade do bairro do Bom Retiro. Criação de arquivos de imagens e sons e publicação de suas memórias em redes sociais, compondo, assim, a história pública por meio de imagens privadas. Estas narrativas resultam em mostras fotográficas, vídeos e microvideos projetados em espaços públicos e editados em diversas publicações, configurando, assim, Cartografias Colaborativas do Bom Retiro, em processo.

CORPOREIDADE E PERCURSOS URBANOS MEMÓRIA E NARRATIVAS AUDIOVISUAIS DISPOSITIVOS ANTES/DEPOIS E INTERVENÇÕES URBANAS

André Douek, Hermes Renato Hildebrand, Lilian Amaral, Mariana Zanoti, Mateus Pires, Queli Cristina Coelho, Wilson Rodrigues e convidados

Nu

iD BAIRRO SAO PAULO [SP02]

ANTES/DEPOIS, projeto elaborado a partir de fotos históricas do bairro do Bom Retiro, identifica lugares, situações e pessoas/personagens, refotografando-os com o objetivo de buscar a similaridade com a fotografia original. À medida em que as fotos foram surgindo na pesquisa, apareceu uma leitura do bairro a partir de pontos de vista determinados pelo cedente da fotos, e neste caso, estas passaram a ser vistas como preservadoras de uma memória identitária que por vezes se perdeu no tempo, podendo a releitura ser até mesmo destrutiva do sentido inicial da imagem. Nesse sentido o projeto procurou ater-se aos aspectos geográficos e técnicos das fotos sem a intenção de proporcionar novas leituras além daquelas da justaposição. Ainda assim foi importante poder contar com alguma presença humana diversificada do Bom Retiro. O ANTES/DEPOIS proporcionou uma vivência aprofundada do bairro, das suas ruas, de seus pontos de vista e mais, da própria experiência do ato fotográfico ao longo do tempo.

Eduardo Verderame, colaboração Wilson Rodrigues. Agradecimento: AHJB

HISTÓRIAS VERDADEIRAS

VÍDEOS POSTAIS

Contar uma história é sempre um ato criativo. Ao ativar a memória para HISTORIAS VERDADEIRAS, considerando os mitos, as lendas e as recordações pessoais das diferentes realidades que compartilham o bairro do Bom Retiro, observamos singularidades culturais. Ao ouvir uma história participamos de um processo de troca de saberes e provocamos a nossa percepção para a presença do outro. Compartilhar experiências é uma forma de dinamizar as culturas e rever os códigos sociais.

Devido às novas tecnologias, o cartão postal veio se modificando ao longo dos anos. Hoje, ele ainda possui uma característica própria, a de “informar e deixar lembrança”, Como os tradicionais cartões postais com a função de fazer duas pessoas se corresponderem, os VIDEOS POSTAIS seguem a mesma linha, Uma imagem-arquivo na internet funciona como plataforma de conexão, dinamizando a informação e ativando a lembrança.

Marco Biglia

Mariana Zanotti

FRAGMENTOS URBANOS UMA COSTURA CULTURAL Experiência de troca e integração cultural entre os habitantes do bairro do Bom Retiro, propõe o feitio de uma “colcha de retalhos sentimental” que represente uma estética da multiculturalidade do bairro e resgate o ato de costurar, emblemático para a economia local. A questão central levantada para a realização do trabalho foi: “Que objetos ou elementos do dia-a-dia representam a sua cultura?”. Assim, a população foi convidada a doar ou a trazer seus objetos para serem costurados na colcha de fragmentos urbanos na Praça Kantuta, domingo, dia 03 de julho, no Parque da Luz, sábado, dia 09 de julho, e durante a exposição na Oswald de Andrade ela se abre como “projeto em processo” para novas inserções.

Coletivo Rapadura


CALDEIRÃO DO OSWALDÃO:

mapeamento, território auditivo e intercâmbio multicultural no Bom Retiro

Realização de ações, composições, intervenções artísticas e culturais efêmeras nas Oficinas Culturais Oswald de Andrade e espaços públicos do Bom Retiro – ruas, praças, calçadas, parques, por meio de dispositivos itinerantes que ativarão relações com usuários e passantes. Engaja as pessoas a criar um circuito temporário que interligue a cidade, os museus e os centros de cultura em rede.

CORPOREIDADE E PERCURSOS URBANOS MEMÓRIA E NARRATIVAS AUDIOVISUAIS DISPOSITIVOS E INTERVENÇÕES URBANAS iD BAIRRO SAO PAULO [SP02]

A relação com o território e seus habitantes se configura como uma investigação no campo do diálogo, realizado através de estratégias e dispositivos que estabelecem uma proposição artística de escuta e troca. Diversas inserções no bairro percorreram e interagiram com paisagens sonoras e memórias traduzidas em ingredientes, receitas e histórias que puderam temperar o caldeirão, fractal do Bom Retiro. O dispositivo multimídia itinerante “o Carrito” funcionou como aglutinador das diversas propostas de coleta e carismatico mediador da interação com o território e seus habitantes, configurando a própria investigação e as trocas como intervenção poética e nutrindo os propositores de matéria prima a ser recombinada. Diversos procedimentos, como depoimentos, conversas em diversos idiomas falados no bairro, materiais em áudio (fitas k7 e discos), entre outros, foram utilizados para esta coleta com o propósito de reapresentar o som de sua cultura, seus cheiros, seus aromas e lugares. Sons da paisagem compostos por sinos, tráfego de carros, trem e pessoas. Essa massa sonora recombinada resulta em outras paisagens que potencializam a paisagem existente. Ela é processada e remixada formando trilhas que serão expostas de corpo vivo e registradas para exibições em diversas mídias e contextos. Proposição de diálogo da paisagem sonora com as imagens coletas nas expedições. Como trilha sonora, estes sons possibilitam uma nova leitura do território.

Floriana Breyer, Van Jesus (EIA), Marcelo Wasem (Ondas Radiofônicas) e Zé Musik

BARRACA Das proposições ativadas pelo Projeto ID Bairro SP#02, Paula Zacaro desenvolve Barraca. Através de observação/vivencia das relações, trânsitos e elementos do bairro do Bom Retiro, na cidade de São Paulo, Paula se orientou em duas questões: o lixo [resíduo têxtil] que é descartado em grandes proporções pelo comércio local e uma necessidade espacial para articulação dos projetos. Com base nesses elementos, Barraca tenta ser um equipamento para o espaço e para as pessoas, sua estrutura é de uma rede, foi construída por amarrações com das tiras do tecido descartado. A ação consiste em tencionar a rede nos espaços do bairro onde as atividades acontecem, o trabalho busca ser um dispositivo de possibilidades, um “local móvel” inserido em outro local, no caso a Oficina Cultural Oswald de Andrade, a Praça da Luz e Feira Kantuta.

Paula Zacaro

MAJAO Majao é a ação desenvolvida por Nivardo Victoriano no contexto do Projeto iD Bairro SP#02, tratando das relações entre comida e memória no bairro do Bom Retiro, na cidade de São Paulo. Estabelece aproximações entre o prato da culinária boliviana que leva carne de sol no seu preparo e a partir da sua pesquisa, o artista identificou a presença da carne de sol na culinária boliviana, assim como na culinária da sua região (Nordeste/ Ceará- Brasil). A ação consiste em convidar um boliviano a preparar o prato Majao com a carne de sol trazida pelo artista de Fortaleza e durante o processo de preparo, Nivardo pretende estimular a memória cultural ativada pelo paladar, de forma a estabelecer conexões entre a cultura boliviana e a brasileira. A ação será documentada através de registros sonoros, fotografias e pequenos vídeos.

Nivardo Victoriano


iD Bairro SP.02