Page 1

PRODUÇÃO CULTURAL A IDEIAS EMERGENTES – Produção Cultural, CRL (Imerge) é uma cooperativa cultural, fundada em 2004 e sedeada no Porto, que tem como objectivo a divulgação e produção de actividades artísticas e culturais que contribuam activamente para o surgimento e afirmação de novas dinâmicas culturais de âmbito local, regional e europeu. Promovendo projectos e plataformas de intervenção cultural que desenvolvam novos campos de acção e estimulem o pensamento crítico, criativo e a capacidade transformadora dos cidadãos. Sediados no Porto, que é também um pólo de multiculturalismo e cosmopolitismo da cidade, é nossa intenção explorar as possibilidades de troca e encontro que nos são oferecidas dentro deste contexto. Sem estarmos sujeitos a grandes narrativas ou discursos, universais, éticos ou estéticos, procuramos desenvolver e captar os projectos nos quais encontramos valor para a nossa sociedade e para as comunidades com as quais temos contacto. Virados para a Arte Contemporânea na multiplicidade das suas formas de expressão, é nosso objectivo definir o nosso espaço como um lugar contemporâneo, na sua mais total e abrangente diversidade.


CONTEXTILE 2016 BIENAL DE ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA A Contextile – Bienal de Arte Têxtil Contemporânea está de regresso, para a sua 3ª edição. Caso único em Portugal e na Península Ibérica, a Contextile 2016 voltará a ocupar muitos dos principais espaços culturais da cidade de Guimarães, entre 30 de Julho e 16 de Outubro de 2016, contando com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães e da DGartes – Direcção Geral das Artes, entre outros. O programa será, uma vez mais, eclético, centrado num conjunto de atividades e eventos de dimensão internacional, que têm no têxtil o principal elemento de referência na reflexão, investigação e criação artística. Procurar-se-á, também, fortalecer a posição da bienal nos circuitos internacionais de arte contemporânea, bem como na cidade e região que a acolhe. A Contextile 2016 contará na sua programação com as seguintes atividades: Exposição Internacional (competitiva), Residências Artísticas, Artistas Convidados, Exposição “Saudade”, Exposição “A Textile Memory: The Lausanne Biennials”, Exposição “Emergências”: educação e criação artística têxtil, Exposição Satélite, Intervenções Públicas, Workshops, TextileTalks/conversas temáticas e a Conferência Internacional “Que lugar é este?”.


TRAMA 2015 TRIENAL DE ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA 17-31 Out | 6-28 Nov, 6ª e Sáb Ateliers da ESAP - Guimarães O Workshop TRAMA teve como objectivo, desenvolver um trabalho de pesquisa e reflexão que valorize os conhecimentos e o saber fazer das pessoas, tanto a nível técnico como humano, através da criação artística.

O workshop foi realizado em oficinas semanais que culminaram na produção de peças artísticas têxteis (individuais ou colectivas), a serem apresentadas publicamente, na Exposição PRÁTICAS TÊXTEIS SEM RECEIOS, inaugurada a 28 de Novembro de 2015, nas instalações da ESAG - Escola Superior Artística de Guimarães.


CONTEXTILE 2014 BIENAL DE ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA Em 2014 a Contextile vem afirmar o reconhecido sucesso da 1ª edição. Agora com o carácter de Bienal porque os tempos e as vontades assim o exigiram. Guimarães, território têxtil por excelência, é a cidade de acolhimento da iniciativa. É com e a partir desta cidade que se gera um fluxo de reflexão sobre a importância da arte têxtil contemporânea nas diversas formas de expressão e representação artísticas e sobre o seu papel como instrumento de interação e cooperação entre territórios, povos, comunidades, economias, culturas, sociedades, redes sectoriais e internacionais. A dinâmica internacional proposta pela Contextile 2014 valoriza como objetivos o desenvolvimento de redes nas práticas interdisciplinares, artísticas e académicas, e assumese como uma plataforma criativa e de debate de ideias e projetos. Da arte têxtil em território têxtil potencia-se a sua contemporaneidade.


PENINSULARES 2013 encontros ibéricos de arte têxtil contemporânea EXPOSIÇÕES, DEBATES, MERCADO 20 JULHO A 30 AGOSTO 2013 INSTITUTO DE DESIGN GUIMARÃES

A Contextile | Ideias Emergentes e a Associacion de Creadores Textiles de Madrid, em parceria com o Instituto do Design de Guimarães, organizou os primeiros encontros ibéricos de arte têxtil, na continuidade da reflexão e do debate (e na sequência) da Contextile 2012, onde participaram artistas e parceiros espanhóis nas diferentes actividades do programa: exposição internacional, residências artísticas e conferência. Neste sentido surgiu o projecto PENINSULARES que pretende congregar criativos e artistas da Península Ibérica em dois eventos e em dois momentos, cá e lá – Madrid e Guimarães – tendo em vista o desenvolvimento de uma rede ibérica que tenha como desiderato a divulgação da arte têxtil contemporânea, bem como a promoção do Têxtil em geral.


CREATEXTIL

SUAVE 5

PRIMEIROS ENCONTROS TÊXTEIS 2013

Trienal Internacional de Complementos Textiles para la Moda

A Contextile participou na Creatextil, de 30 de maio a 2 de junho de 2013 no Museo del Traje, em Madrid. Conferências, visitas guiadas a coleções de têxteis e moda, mercado têxtil e a Assembleia Geral da European Textile Network, ETN.

A Suave 5 - Trienal Internacional de Complementos Textiles para la Moda Museu de Artes Decorativas aconteceu em Madrid de 30 Maio a 30 Junho 2013. 8 artistas portuguesas participaram na trienal: Alexandra Oliveira, Ana Tecedeiro, Claúdia Melo, Conceição Rios, Dora Iva Rita, Florbela Barreto, Lília Catarina e Rita Noro.


CONTEXTILE 2012 TRIENAL DE ARTE TÊXTIL CONTEMPORÂNEA CONTEXTILE 2012 é uma trienal de arte têxtil contemporânea de âmbito internacional. Esta trienal pretende ser um espaço eclético de promoção do diálogo entre artistas, criadores, a comunidade (cidadãos e empresas locais), contribuindo assim para a valorização do têxtil e da arte têxtil, bem como para a diversificação da economia e das indústrias culturais e criativas das regiões. A CONTEXTILE tem como objectivo: Dar visibilidade à Arte Têxtil, Mobilizar e incentivar os artistas para uma abordagem inovadora e experimental das artes visuais; Assumir-se como Plataforma Criativa e de debate de ideias/projetos, desenvolvimento de redes internacionais, troca de boas práticas interdisciplinares e académicas. Nesta 1ª edição da CONTEXTILE, integrada na programação CIDADE da Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura, foi desenhado um projeto de trienal assente num programa simples, mas equilibrado, de temática abrangente, apresentado em vários locais da cidade.


REWIND PORTUGUESE TEXTILE AND CONTEMPORARY ART EXHIBITION KAUNAS TEXTILE BIENNIAL 2011, 22 Set - 04 Dez Para a exposição REWIND : Portuguese Textile and Contemporary Art Exhibition, Lúcia David, curadora e artista participante, seleccionou os artistas Márcia Luças, João Vaz de Carvalho, Lilia Catarina, Jorge Ramos, Conceição Rios, Alexandra Ministro, Lúcia David. Estes artistas trabalham sobre o tema, utilizando os têxteis como forma de expressão, quer material ou conceptualmente, na criação das suas obras.

Ao lado, imagens das obras de Lília Catarina, Lúcia David e São Rios.


JOALHARIA CONTEMPORÂNEA DA LITUÂNIA

9 Outubro - 13 Novembro 2010 | Espaço IMERGE Numa parceria com a Galeria Meno NISA (Vilnius, Lituânia) apresentamos obras de 5 autores lituanos independentes que exercem a sua actividade na área da joalharia contemporânea Jurgita Erminaitė, Egle Čejauskaite-Gintale, Austėja Arlauskaitė, Solveiga and Alfredas Krivičiai e Sandra Malaškevičiūte.

FEIRAS FRANCAS Palácio das Artes 26 de Junho 2010, Porto

5ª Edição das FEIRAS FRANCAS, Participação na edição dedicada à temática da memória e folclore.


KAUNASOPORTO Exchange JORNADAS DE ARTE E CULTURA CONTEMPORÂNEA DA LITUÂNIA

22 Maio a 20 de Junho 2010 | Espaço IMERGE, Galeria ASVS, Fábrica Social, Galeria 787, Teatro Helena Sá e Costa KAUNASOPORTO exchange é um projecto de desenvolvimento das relações culturais e artísticas entre Portugal e a Lituânia, numa parceria entre a IDEIAS EMERGENTES - Produção Cultural, CRL do Porto e a MenoPARKAS Galerija / Associação de Artistas da Lituânia, em Kaunas. Desde 2005 têm sido desenvolvidos vários projectos artísticos no Porto e em Kaunas, tendo como ponto alto o projecto KaunasOporto exchange_Jornadas de Arte e Cultura Contemporânea Portuguesa, realizado em Kaunas de Maio a Agosto de 2009, integrando uma extensão, também, a programação da Vilnius 2009 - Capital Europeia da Cultura, com o apoio da Embaixada de Portugal na Lituânia e do Instituto Camões. A Ideias Emergentes apresentou uma programação diversificada que deu a

conhecer na Lituânia alguns aspectos da cultura e da arte contemporânea portuguesa, como artes plásticas, fotografia, cinema, ilustração, música, bem como a apresentação da cultura e história da cidade do Porto. É agora o momento da retribuição e de receber as manifestações culturais e artísticas da Lituânia, no Porto. Entre 22 de Maio e 20 de Junho de 2010, a Ideias Emergentes, em parceria com MenoPARKAS, apresenta os artistas lituanos em vários locais da cidade - eixo Norte de Santa Catarina -, onde um conjunto de instituições de criação e produção artística acolhem exposições, dança-teatro, cinema, video, contribuindo, assim, para uma nova centralidade de, artes, arquitectura, design, manifestações culturais.


CALÍGENA PATRÍCIA FRANCO

6 Março a 11 Abril 2010 | Espaço IMERGE “What can a woman do outside?” (Ghada Amer) Maternidade, concepção, nascimento, poder, corpo, sexo, são alguns dos temas que foco no meu trabalho. Na Exposição Calígena de 2010, reinterpreto uma figura feminina forte, ambígua e universal, destacando a dimensão cultural do espaço privado e doméstico, a forma como nos relacionamos /identificamos com ele e com os objectos nele.

A instalação Caligena consistiu da construcção de uma casa de lã, site-specific, com cerca de 90m2.

Calígena - (do grego Ομιχλης), que significa Névoa, era um dos deuses  primordiais da mitologia grega.  Contra-parte feminina de Caos, Caligena é todo o Universo e é tudo aquilo que possui como fonte propulsora da vida como o cosmo. Mãe de todo universo criadora da cosmo energia, Calígena seria a primeira divindade feminina do universo.


REGENLAB NOVAS CARTOGRAFIAS DAS CIDADES CRIATIVAS INTERCÂMBIO E WORKSHOP EUROPEU LITUÂNIA, LETÓNIA, ESPANHA, FRANÇA, PORTUGAL 1 - 12 Outubro 2009, PORTO “REGENLAB” é um projecto relacionado com as questões urbanas em todas as suas dimensões e ao potencial criativo das cidades como um modo de revitalização urbana, como um veículo para promover a participação dos cidadãos na construção da sociedade contemporânea. No início de 2008, a IDEIAS EMERGENTES convidou um grupo de pessoas a formar um colectivo de reflexão e análise da área urbana de proximidade ao Espaço IMERGE. O grupo começou por ser constituído pelos arquitectos Susana Milão e Laurent Scanga, Conceição Rios e Marta Castro – animadoras culturais. Instalada no 777 de Santa Catarina, a IMERGE (acrónimo de Ideias Emergentes) começou por focalizar o seu interesse no

território de inserção e, no quadro de uma observação cuidada, desenhou o seu objecto de estudo, dando-lhe prioridade na organização, formalizando o Projecto e sub-projectos associados. Olhares de Arquitectura, de Design Urbano, de Sociologia, de Animação cultural, de Arte, foram mapeando sistematicamente a zona, conhecendo os seus problemas para, finalmente, se desenharem e projectarem as primeiras aberturas para a comunidade e para a cidade. Com uma tradição importante de projecção e recepção de ideias em redes internacionais, materializada em intercâmbios, residências de artistas ou integração de jovens voluntários europeus, a IMERGE abre o Projecto ao estudo participado e multidisciplinar


daqueles que chegam dos vários caminhos europeus e que acrescentam ao REGENLAB a elasticidade de aproximações disciplinares, enriquecendo-se dialecticamente com os novos olhares. O processo, teve o seu início com Ahmet Kiziltas, estudante de arquitectura de nacionalidade francesa que, durante o seu estágio de 3 meses (inserido no Programa “Leonardo”), desenvolveu uma investigação e recolha de dados na área do urbanismo. Durante 2008, e seguindo a ideia original, jovens de diferentes origens e países realizaram trabalho e investigação sobre a cidade do Porto, nomeadamente Nadja Laine – socióloga, Gaëlle Sandré–designer/ilustradora, Ineta Želve–ciências da comunicação, Grégoire Fabvre –videasta/documentarista, Vaida Tamoševiciuté - artista plástica, Alda Coelho– arquitecta e Isa Egea – artista plástica/fotógrafa. Em 2009, um novo grupo de colaboradores debruçou-se sobre este projecto: a arquitecta Guoda Bardauskaita, a designer Kristina Lukjanska, a jornalista Annija Senakola, e Bruna Amaral de Animação e Produção Artística. O artista plástico João Catalão Junta-se à equipa assumindo a direcção artística de um dos sub-projectos ligados às “vitrinas” com o tema da [Ressurgência] – um projecto elaborado em cooperação com os proprietários do edifício localizado em frente ao ESPAÇO IMERGE, a antiga Fábrica Lusitana (Cerâmica)1. Em 2009 decidiu-se ampliar a área de estudo da rua para o centro da cidade do Porto a propósito da ideia de produção de novas cartografias

da cidade. O objectivo foi de explorar a ideia da “mapeamento” da cidade como um método de construção de novos referenciais mentais do território urbano. Surge, então a intenção e vontade de promover um intercâmbio europeu de âmbito multidisciplinar (artistas, animadores culturais, arquitectos, designers, urbanistas, entre outros) envolvendo 5 países: Portugal, Letónia, Espanha, França e Lituânia. Enquadrado no projecto principal, este intercâmbio surge e tem um carácter eminentemente sócio-cultural, de reflexão e provocação crítica.


(IM)MATERIAL ' FOTO-INSTALAÇÃO ALUNOS ESAP Ana Miranda | Diogo Faria Gabriela Ferreira | João Campos Ricardo Almeida | Sandra Araújo Sofia Romualdo | Tiago Dias

27 de Junho a 18 de Julho 2009 | Espaço IMERGE O presente conjunto de obras insere-se no desenvolvimento da inserção da prática da instalação com a exploração teórico-prática da fotografia no âmbito das artes visuais. A transversalidade metafotográfica inerente aos projectos destes artistas, visa extrapolar a frequente atitude normalizadora perante o suporte fotográfico, repensando os seus conceitos intrínsecos, quer sejam através da sua utilização/ mecanismo ou através da sua conceptualidade.

PATRÍCIA FRANCO

6 a 20 Junho 2009 | intervenção nas vitrines Espaço IMERGE Este grupo de trabalhos são a representação de uma pesquisa visual, conduzida nos últimos 3 anos, reflectindo um ponto de vista, intimista e pessoal, da importância da memória (fisiológica e emocional). Em 2007 iniciei a experimentação com fio metálico utilizando técnicas antigas de malha aparentemente anacrónicas que aprendi em criança com a minha mãe e avó, como o crochet, tricot e o bordado. Desde então, comecei a criar joalharia e escultura em malha utilizando apenas as mãos e uma agulha de malha, criando objectos únicos ou de série limitada.


ARTVILNIUS'09 Feira de Arte Contemporânia Estados Bálticos

Ema Ribeiro

EMA RIBEIRO | LÚCIA DAVID | JOÃO FOLDJENFJORD | LÚCIA MURÇAS 8-12 JULHO 2009 | LITEXPO, VILNIUS, LITUÂNIA Vilnius é a Capital Europeia da Cultura em 2009. Um dos mais importantes e maiores eventos deste programa foi a primeira de arte internacional nunca antes realizada nos Estados bálticos - ART VILNIUS'09 e que tem como objectivo tornar-se uma ponte entre o Oriente e o Ocidente. Um panorama amplo e representativo da arte contemporânea, foi apresentado na LITEXPO (Centro de Conferências e Exposições na Lituânia). Mais de 100 instituições fizeram parte deste evento, organizações de renome e novas galerias da Lituânia contando ainda com a participação dos seguintes países: Lituânia, Letónia, Estónia, Polónia, Rússia, Ucrânia, Bielo-Rússia, Suécia, Islândia, Dinamarca, Alemanha, França, Áustria, Suíça, Bélgica, Itália, Espanha, Portugal, Grécia, Hungria, Eslovénia, Bulgária, Croácia, Macedónia, Roménia, Arménia, Cazaquistão, Argentina, Canadá e Índia. A LITEXPO acolheu exposições de escultura, instalações, pintura, entre muitas outras, bem como debates, conferências e eventos pedagógicos.


KAUNASOPORTO Exchange JORNADAS DE ARTE E CULTURA CONTEMPORÂNEA PORTUGUESA 16-30 Maio 2009 | Kaunas e Vilnius, Lituânia

O projecto KAUNASPorto exchange 2009_Jornadas de Arte e Cultura Contemporânea Portuguesa, teve como objectivo primeiro alargar e aprofundar as relações de intercâmbio cultural e artístico entre Portugal e a Lituânia, que têm vindo a ser protagonizadas, através de uma parceria sustentada, pela IDEAIS EMERGENTES – Produção Cultural, CRL (Porto) e a MenoPARKAS Galerija / Associação de Artistas da Lituânia (Kaunas), dando a conhecer, a um amplo público em Kaunas e Vilnius, alguns aspectos da cultura portuguesa através de diversas formas de expressão artística contemporâneas. Paralelamente, intentou-se seduzir e motivar públicos específicos para a Arte e Cultura Portuguesa, perspectivando a implementação e o desenvolvimento de estratégias e parcerias, a médio e longo prazo, nas áreas das indústrias criativas e do turismo cultural. Este projecto foi apresentado entre 16 e 30 de Maio de 2009 (com extensão de algumas actividades até Agosto do mesmo ano) na Lituânia, na cidade de Kaunas, com uma extensão em Vilnius, enquadradada em VILNIUS 2009 - Capital Europeia de Cultura.


O projecto KAUNASPorto exchange 2009_Jornadas de Arte e Cultura Contemporânea Portuguesa compreendeu a participação dos seguintes artistas portugueses, Lúcia David, Alberto Plácido, José Carlos Teixeira, Isabel Monteiro, Hugo Paquete (Performance), Luís Mendonça (Ilustração),

Em articulação com a Embaixada de Portugal na Lituânia, apresentou-se ainda uma mostra de cinema do realizador

MANUEL DE OLIVEIRA.

No âmbito de uma parceria com a Agência de Curta Metragem de Vila do Conde, foi apresentado um ciclo de

CINEMA DE NOVOS REALIZADORES PORTUGUESES com títulos como A suspeita de José Miguel Ribeiro; Acordar de Frederico Serra | Tiago Guedes; Entretanto de Miguel Gomes; Stuart de José Pedro Cavalheiro; A drogaria de Elsa Bruxelas; A Dama da Lapa de Joana Toste Boris e Jeremias de Pedro Caldas; Antes de Amanhã de Gonçalo Galvão Teles , entre muitos


Ilustração referida

[VERMELHO VIVO] window project _João Foldenfjord_ Gäelle Sandré & Sébastien Dégeilh 25 abril - 15 maio 2009, Sta Catarina 777 e 778, Porto

A instalação é construída em papel branco(A4 ou A1), impresso a preto, de forma a cobrir toda a vitrina com a frase “Lembra-te de trazer o pão”.

No 778 de Santa Catarina, nas vitrines do Edifício do Arqº Cassiano Branco, apresenta-se “Vermelho Vivo“, englobando dois projectos: “The Story Brand Cabinet” STATEMENT de João Foldenfjord e “Lembra-te de trazer o pão...” de Gaëlle Sandré e Sébastien Dégeilh. Esta intervenção surge no âmbito de um projecto maior REGENLAB - que procura reflectir sobre a importância da relação da arte e cultura com a cidade.

Ao longo de todo o ano de 2008 com continuidade em 2009, a IDEIAS EMERGENTES tem vindo a acolher jovens europeus/artistas das mais variadas áreas e backgrounds artístico-culturais, que, da sua perspectiva e análise têm apresentado os resultados das suas pesquisas, através de intervenções públicas.


Pesquisa de Ahmet Kiziltas (França)

TRANSCITIES Culture and Urban Regeneration Fevereiro' 08 a Março’ 09, Porto A partir de dois eixos e projectos de acção principal de actividade, REDline´08_Bordering on Us e REGENLAB: Creative City_regenerating models, promoveu-se a candidatura ao programa Juventude para a realização de residências artísticas sediadas no Porto e na proximidade do Espaço IMERGE. A participar no projecto Redline, estiveram dois estagiários da Irlanda e da França, que realizaram o seu projecto e colaboração na área de vídeo, uma estagiária da Letónia colaborou na área da produção cultural, assim como uma artista plástica da Lituânia. O Projecto REGENLAB: Creative City, regenerating models, de iniciativa cívica, quer equacionar a cidade pré-existente, trabalhando-a a partir de novas aproximações e “derivas” procurando encontrar novos esquemas de envolvimento com a população. Cada geração

constrói a sua própria cidade. Pretendemos proceder à reflexão sistematizada, através da criação de um laboratório de projecto num modelo de intercâmbio europeu com o objectivo maior de, a partir de uma tipologia de uma área urbana previamente balizada, ser possível criar um modelo e um guião para outras intervenções em locais urbanos de características semelhantes, disseminando, assim, as boas práticas testadas ao longo do intercâmbio, num modelo de rentabilização de recursos e produções. Contou-se, neste caso, de Fevereiro a Março de 2008, com a colaboração de um estudante de arquitectura francês, de Julho a Setembro com uma estudante de sociologia da Finlândia e de Setembro 2008 a Março de 2009, uma designer/ilustradora oriunda da França está a dar continuidade ao processo de pesquisa.


NATAL na IMERGE _DO OBJECTO À CIDADE Exposição-venda de autor 22 de Novembro 2008 a 15 de Janeiro 2009 Do Objecto à cidade é o tema escolhido para o evento NATAL na IMERGE, que a cooperativa IDEIAS EMERGENTES realiza desde 2006, e que este ano engloba sete projectos distintos, mas estabelecendo uma relação conceptual de grande proximidade no contexto das artes e cultura portuguesa contemporânea. NATAL na IMERGE tem a particularidade de ser apresentado e exposto em 3 edifícios contíguos e localizados em plena Rua Santa Catarina (ao ACP/Rua Gonçalo Cristóvão):

Vista da exposição Regenlab no 778 da Rua Santa Catarina

No 777 de Santa Catarina, Espaço IMERGE, decorre uma EXPOSIÇÃO - VENDA DE AUTOR que inclui trabalhos de mais de 40 criadores/autores, incluindo trabalhos de ilustração, design, pintura, joalharia, artesanato urbano, música, e muito mais.

Ainda, pode visitar o projecto ARTELAB, comissariado pela artista plástica Lúcia David e que inclui vários trabalhos de artistas portugueses e estrangeiros, residentes em Portugal. Este projecto procura cruzar meios, ideias, formas de dizer, num espaço claustrofóbico onde obras de arte são obrigadas a coexistir mesmo quando se ameaçam mutuamente. Da arte mais efémera como a performance à mais eterna como a pintura, da mais frágil como a cerâmica à mais inflamável como a fotografia, da mais densa como a bookart à mais transparente como o vídeo, da mais infiltrante como a música, à mais distante. No 778 de Santa Catarina, nas vitrines do Edifício do Arqº Cassiano Branco é apresentado REGENLAB, um laboratório de regeneração urbana construído e pensado por diferentes intervenientes e que pretende conectar a cidade com a arte e com os cidadãos.

Vista da loja


No 787 de Santa Catarina, são apresentados 4 projectos dedicados ao design e arquitectura portuguesas que apostam no carácter experimental do desenho e na transformação dos espaços e ambientes. Num momento onde se discutem e debatem os novos conceitos e percepções da cidade, do design e do seu impacto na ecosustentabilidade, quando se discute as matérias primas portuguesas ou o valor do design na criação de qualidade ambiental em sítios específicos, e quando surgem tantas respostas criativas que assimilam essa contemporaneidade, torna-se imperativo destacar alguns dos seus protagonistas e suas visões.

Arquimerge

ARQUIMERGE, projecto expositivo e de intervenção, baseia-se na premissa da regeneração e transformação de espaços e objectos a partir de produtos existentes, peças de mobiliário anónimo, transformadas e resignificadas, que conjugam as temáticas da sustentabilidade com a criação de ambientes sensorialmente únicos e de peças com base neutra, passíveis de intervenções personalizáveis.

Os Arquitectos VIRGÍNIO MOUTINHO e RUI GRAZINA apresentam objectos de mobiliário que apostam no carácter experimental dos objectos através do desenho e redesenho de peças convencionais. BY APPOINTMENT - de João Paulo Jardim, designer de interiores e de equipamento - é um projecto que tem por base a estética e as tradições portuguesas e se apresenta como uma série limitada de objectos renovados e contemporâneos.

Virgínio Moutinho e Rui Grazina

MAKE DESIGN, é uma empresa jovem e activa dedicada ao design nas suas mais variadas vertentes, surge da vontade de criar, realizar e concretizar ideias inovadoras. Neste enquadramento serão apresentadas algumas propostas ligadas ao design de interiores.

Arquimerge

Virgínio Moutinho e Rui Grazina


REDline’08 _Bordering on Us

Encontro Internacional de Arte Contemporânea Espaço Imerge, inauguração e performance de Lúcia David (Portugal)

"Provisoire" de Marie-Françoise Prost-Manillier (França) na Rua Santa Catarina, 787

11 Outubro a 9 Novembro 2008, Porto REDline’08_Bordering on Us, é um projecto artístico que visa a produção de um encontro_exposição internacional de arte contemporânea, enquadrado numa metodologia de pesquisa sobre o tema do espaço público na contemporaneidade e, especificamente, dos recentes desenvolvimentos naquilo que entendemos que são a sua natureza ou forma, e consequentes alterações de localização e acessibilidade. Esta iniciativa será suportada pela construção de uma rede de associações culturais, galerias de arte, instituições públicas e empresas privadas.

Vista da exposição

De forma a concretizarmos este projecto, estabelecemos parcerias com organizações artísticas localizadas em Barcelona_Espanha, Montpellier_França, Kaunas_ Lituânia e ainda Varsóvia_Polónia. Cada um destes parceiros será responsável pela proposição de quatro artistas e acolhimento de outros quatro, em forma de residência artística. O número total de artistas e/ou projectos envolvidos será de vinte, estando todos eles representados na exposição final, enquadrada pela edição de um catálogo e por um ciclo de conferências em torno dos conceitos de Espaço público, representação e representatividade. "Immigration in a suitcase" performance de Neno Belchev (Bulgária)

Instalaçãoperformance de Lúcia David (Portugal) na Rua Santa Catarina, 778


EMBRYO Exposição de Lúcia David TPK_L’Hospitalet-Barcelona 25 Setembro a 25 Outubro’08 ...what is now present was before future. The present is nothing but the future in a embryo stage... O tempo é um combustível lento que reduz a vida a cinzas. Tal como a pele humana, o papel reflecte o passar dos anos. Os livros transportam em si a eternidade das palavras impressas e são uma espécie de cápsula de tempo, no entanto carregam uma fragilidade total, pois tal como a pele humana que se desenvolve de embrião a cadáver e se reduz a cinzas, os livros, feitos de um material degradável que consegue pela sua estrutura combater o passar do tempo, também um dia serão apenas fragmentos. O tempo é um combustível lento que reduz a vida a cinzas. Representar no presente a passagem do tempo é um processo artificial de compressão, onde se tenta pôr lado a lado o passado, o presente e o futuro. Essa representação só é conseguida pelo uso de papel de livros com várias idades, vários tons de envelhecimento. À nascença o livro aparece com papel branco puro e imaculado, como a pele de um embrião que de tão transparente permite extravasar do vermelho do sangue. Este é o presente com que convivemos quando pegamos num livro acabado de imprimir. Se colocarmos ao seu lado um livro por

onde passaram dez anos, este vai parecer mais velho e um livro com cem anos é como a pele de uma múmia, seco e degradado. Os tons intensificam-se quando recuamos no tempo, mas na representação que este trabalho pretende, o velho contem em si um futuro vivido e o novo é um passado por usar. O presente branco imaculado, a pele transparente de embrião, não é mais que um futuro envelhecido e enrugado ou mumificado a começar a acontecer. A representação da passagem do tempo no meu trabalho inclui a ideia de museu, o espaço onde se preserva a todo o custo a memória da história, se tenta apresentar o passado no presente e onde se encontram muitos futuros datados. O papel é um dos elementos facilmente manipuláveis em termos de aparência de tempo, muitas marcas que são apagáveis ou laváveis. A noção de conservação para museu contem em si toda uma falsidade sobre a passagem do tempo e apresenta muitas vezes as peças do passado numa versão de presente-passado o não de presente-futuro, ou seja, apaga limpando e conservando, a cor do envelhecimento, apaga o futuro que se acumulou ao longo dos anos, restituindo-lhes a cor de embrião. (Lúcia David 2008)

Série "Embryo"


HYPOMNEMATA Monólogo para actor e sonoplasta 18 a 27 de Julho’ 08, Pequeno Auditório do Rivoli, Teatro Municipal, Porto HYPOMNEMATA é um texto inédito por estrear do jovem dramaturgo Pedro Eiras. A peça, cujo tema central é a linguagem, foi pensada como um dueto perpétuo entre o som e a cena (sob a forma de ecos distantes, de intrusões, discordâncias). Um homem deixa cair em catadupa frases soltas, e face a uma impossível geografia humana dá -se a cartografia da linguagem. Da vontade de desenvolver um percurso sobre a relação entre linguagem e a construção do drama, relembrando. Novarina encontramos aqui “sinais de homens, antropóglifos”.

LIMBO Exposição Colectiva de Alunos da FBAUP Vista da exposição

27 de Junho a 18 de Julho’08, Espaço IMERGE

Estamos sempre entre dois estados. Mas, acima de tudo, mais importante do que entendê-los isoladamente, é entender a barreira que os separa. É esse limiar, que transforma dois pontos distintos num só, que devemos procurar compreender. Não nos cingiremos a estados de espírito mas a estados de acção, onde o "fazer" de cada um é exposto.


RICO LOOP Tournée Porto, 13,14 de Junho’ 08 | PORTO RICO LOOP, “one-man-jam”, explora a música como multiinstrumentista e compositor! Rico, músico alemão, caracteriza a sua actuação através da utilização de uma “Loop station” (pedal de gravação) e vários instrumentos, incluindo a sua voz, para reproduzir sozinho em palco, a performance de uma banda musical. Não sendo um formato de actuação ao vivo exactamente novo, o factor que distingue e caracteriza esta proposta reside na riqueza e sofisticação do background musical do autor, que se exprime no seu reportório de originais, deambulando entre o pop, o reggae, o afro, a dance music e o jazz.

Imagens dos concertos Rico Loop

MAPAS CONTIGUOS, ESPACIOS CONTÍNUOS Exposição Colectiva de Arte Contemporânea _TPK 31 de Maio a 27 de Junho'08 | Espaço IMERGE "¿Qué hace que una persona se levante cada mañana dispuesta a enfrentarse a eso que Beckett llama el fracaso absoluto del artista? Proponiendo esta cuestión, desarrollamos una sucesión de territorios que configuran un mapa de actitudes donde se inscriben aquellos archipiélagos de pensamiento a los que hacía referencia Glissant. Y a los que podríamos llamar territorios de resistencia." A IDEIAS EMERGENTES apresentou no Porto, entre 31 de Maio e 29 de Junho o projecto artístico Mapas

contiguos, espacios contínuos, colectiva de arte contemporânea, criado e desenvolvido por seis artistas plásticos oriundos da Catalunha (Barcelona, L´Hospitalêt). Esta exposição acontece no seguimento de uma parceria, em forma de intercâmbio artístico com o Colectivo de Artistas TePeKaLe, e na sequência da realização ( Fevereiro’08 ) da exposição ECO (instalação e fotografia) do artista e fotógrafo português Alberto Plácido, em L´Hospitalêt e em Barcelona.


Virgínio Moutinho aprendeu desde criança a construir os seus próprios brinquedos, à semelhança do que era uso na sua geração. Foi mantendo essa prática viva ao longo do tempo, recriando o seu universo pessoal, porta que nenhuma loja de brinquedos lhe abriria... Hoje, a par da actividade profissional, mantem viva, uma paixão de coleccionador e construtor de brinquedos. Partindo dos mais diversos materiais em grande parte proveniente da reciclagem e reaproveitamento de desperdícios – matéria prima barata e adequada a uma experimentação constante – constrói objectos animados, onde não raro, o humor e a surpresa constituem o cimento aglutinador.

CRIADOS MUDOS e MORDOMOS Exposição de Virgínio Moutinho 19 de Abril a 25 de Maio’08 | Espaço IMERGE

Sendo os primeiros brinquedos, do ponto de vista conceptual e construtivo, próximos do brinquedo popular, a sua actividade evoluí posteriormente no sentido da produção de objectos lúdicos – esculturas com movimento mais imediatamente relacionáveis com a Arte Cinética em geral, onde afluem referências como o Circo de Alexander Calder, os Fantoches de Paul Klee e as esculturas de Picasso, mas também, e sempre, os brinquedos dos meninos de África e Arte Primitiva.

Vistas da exposição na galeria Meno PARKAS

REDline'07 _Where are the Borders Exposição de Arte Contemporânea_Itinerância 04 Abril a 2 Maio 2008, Galerija MENO PARKAS, Kaunas, Lituânia

Debate "where are the borders?"


LEAP OFF "No pain" (detalhe), técnica mista

"Bright well" (detalhe), técnica mista

Exposição Individual de Arte Contemporânea de Lúcia David 15 de Março a 12 Abril’08 | Espaço IMERGE

Saltar de um edifício, aterrar no asfalto, partir para sempre. Há algo de poético no suicídio que o torna um acto estético apagando o desespero de quem vive a acção de acabar com a própria vida. A morte só acontece aos outros. É um retrato, um espectáculo … uma notícia. No salto, na queda, não há sangue nem sujidade. Há beleza. Há liberdade. Há voo. I Na primeira sala acontece um trabalho de representação de perspectivas de queda, voo, em direcção ao chão - o fim - pretendendo apenas que se olhe sem se sentir. Tratam-se de metáforas visuais, abstracções que em nada traduzem a ideia de suicídio, no entanto representando-o.

"Side walk" (detalhe), técnica mista

II Na segunda sala, passa o filme Stranger than fiction, que a autora oferece como um pedaço de realidade enternecedora e calmante. Uma tragi-comédia onde ficção e realidade se cruzam num discurso optimista. Como um remédio.

"No ending" , técnica mista


ECO Exposição de Alberto Plácido

8 de Fevereiro a 28 de Março’08 | TPK_L’Hospitalet-Barcelona, Espanha ECO é uma Instalação que recorre à fotografia que, quando sujeita a um sistema óptico (os espelhos), prescinde da sua identidade individual, para se relacionar com reflexos de si própria, criando uma nova percepção, com uma multiplicidade de interpretações que oscilam entre a realidade e a ilusão, numa reflexão sobre o papel da fotografia como meio de representação da realidade, e a sua importância na noção de paisagem. É esta multiplicidade que caracteriza a instalação ECO, recorrendo à fotografia para, num sentido abrangente, explorar os limites da sua capacidade de representação, partindo de bases concretas como o são as caixas, volumes com uma

Vistas da instalação "ECO" no TPK

materialidade assumida e fotografias de objectos concretos da paisagem. Estes elementos quando sujeitos ao sistema óptico criado através dos espelhos, tornam-se num jogo entre o observador e a obra, que explora e subverte o potencial deceptivo da fotografia, bem como a relação física e perceptual entre esta e o observador. É uma apreciação da distinção entre a definição de real, um “reflexo” do mundo, que denota simultaneamente uma representação do real através da fotografia (uma semelhança visual) e o acto da percepção mental dessa realidade. Reproduz a distância que fica entre ver (percepção através da experiência) e pensar (percepção do real através do fenómeno mental).


Vista geral da exposição

Fotografia de Cena Exposição de Pedro Vieira de Carvalho 11 Janeiro a 01 Março’ 08 | Espaço IMERGE "A Dentada da Palmilha: Primeiro era o silêncio. Depois fez-se luz. Mais tarde o mar abriu-se e Roma ardeu. As coisas precipitaram-se quando alguém inventou o clip. Mataram o pacifista e o próprio rei morreu. Um pouco mais tarde aparece o Teatro da Palmilha Dentada. Isto resumidamente." No Espaço IMERGE, esteve patente, até ao final da temporada da Peça BUCKET do TEATRO da PALMILHA DENTADA, e, intimamente ligada a esta, uma exposição de Fotografia de Cena de Pedro Vieira de Carvalho.“ Um balde divide o mundo. Havendo um balde, há o que está dentro e o que está fora. De pernas para o ar é um banco. Com um pé dentro é um gag antigo. Empilhados, uma torre. Numa loja de cristais é um erro, na construção civil uma constante, se tiver um furo é inútil, se tiver muitos, dependurado num ramo de árvore, é um chuveiro. Há baldes que são dois, meio balde de detergente, meio balde de água limpa. Alguns têm tampa, outros têm rodas, quase todos têm asa. Transportam água, guardam o leite e um balde foi à lua e voltou cheio de pedras lunares. E se um dia nos faltarem? Um balde é também um bom ponto de partida para as histórias que se querem contar.”

Fotografias de cena do espectáculo teatral "Bucket"


REDline’07 _Where are the Borders Exposição de Arte Contemporânea "23 horas" vídeoinstalação de José Carlos Texeira (Portugal) e Lillian Fellmann (Suiça)

27 Outubro a 24 Novembro 2007 | Espaço IMERGE

REDline’07_Where are the Borders? pretende relacionar dois momentos, a pós-modernidade e o alargamento a leste, e pensar a forma como um influi no outro. A diluição das fronteiras nacionais (dentro do espaço europeu), promovida e provocada tanto pela evolução técnica como pelas transformações políticas mais recentes, teve o condão de tornar outras fronteiras mais visíveis. Limites e diferenças dentro dos próprios estados nação que até há pouco eram abafadas hoje são estimuladas e promovidas sob a etiqueta da diversidade cultural. Esta exposição, organizada em parceria com Meno Parkas Galerija (Kaunas), teve a participação de artistas da Lituânia, Polónia, França, Portugal e Estónia. Enquadrado no projecto foi realizado um debate com o tema "As periferias no centro: A Cidade e o Homem, corpos pensados de fora para dentro".

"Sem título" de Gintaras Cesonis (Lituânia) no Espaço Imerge.

Vista geral da exposição

Vista da exposição

"Sem título" fotografia de Gintaras Cesonis (Lituânia)


Art In Migration Conferência Parceiros Europeus

10,11 e 12 Outubro 2007, Galerija MENO PARKAS_kaunas, Lituânia Integrado no 10° Aniversário do nosso parceiro Meno Parkas realizou-se uma Conferência onde participaram organizações artísticas europeias (Portugal, Espanha, França, Alemanha, Itália, Polónia, Noruega, Inglaterra). A conferência centrou o debate na afirmação da circulação da arte contemporânea na Europa e perspectivas de cooperação futura entre instituições que trabalham na produção e criação artística.

L´Âme Sensible _Exposição de NÚ BARRETO

30 de Junho a 28 de Julho de 2007, Espaço IMERGE “Histoire de Passage” instalação (2007)

A IDEIAS EMERGENTES apresentou no Porto o trabalho de Nú Barreto, artista guineense radicado em Paris. A exposição construiu-se em torno de três instalações, sendo que uma delas (I Have a Dream) esteve patente na última edição da Dak’Art - Bienal de Arte Africana Contemporânea e as outras duas (Histoire de Passage e África Frustrada) foram apresentadas ao público pela primeira vez. Estas obras, duas das quais em vídeo, são representativas do seu mais recente trabalho e demonstrativas da sua aproximação a novos media.


10 Espectáculos | 10 Mulheres Exposição de Luísa Pinto e Paulo Pimenta “Greta Garbo” fotografia por Paulo Pimenta (2007)

“Aurora” fotografia por Paulo Pimenta

26 de Maio a 23 de Junho de 2007 no Espaço IMERGE O trabalho apresentado por Luísa Pinto e fotografado por Paulo Pimenta, 10 Espectáculos | 10 Mulheres é o resultado de um projecto de permanência e acompanhamento da realidade do Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo, onde a artista tem vindo a desenvolver trabalho como voluntária. Partindo do teatro, da encenação da vida de mulheres que de diversas formas marcaram a nossa história e permanecem como ícones, Luísa Pinto desafia várias reclusas a assumirem a fantasia da interpretação dessas figuras.

O resultado, materializado através da fotografia de Paulo Pimenta, que confronta a encenação com o documental, escapa ao que poderíamos chamar imitação. As actrizes empenharam-se modelarmente na construção das suas personagens. Isso é visível quando defrontamos este trabalho; na beleza singular das fotografias encenadas encontramos uma ambiguidade que nos desloca, tudo parece estar certo quando sabemos realmente que o que observamos é fora de sítio.

Imagem do debate realizado a 16 de Junho “A Produção Artística no Contexto da Intervenção Social” com Luísa Pinto e Paulo Pimenta; António Pedro Dores (sociólogo); o Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos, Fernando Manuel Silva Alves Rocha; a directora da Ala Feminina do estabelecimento prisional de Santa Cruz do Bispo, Drª. Elisabete Dias; Ilda Taborda (sexóloga); Sérgio Henriques (representando a IPSS “O companheiro”) e José Roseira (animador cultural e documentarista).


(De)Formatos _Exposição Colectiva "(De)Formatos I" Manuela São Simão e Pedro Marcolino

Manuela São Simão, Pedro Marcolino, Sofia de Carvalho e Teixeira Barbosa 14 de Abril a 13 de Maio de 2007 | Espaço IMERGE O formato cúbico de um espaço expositivo ("Galeria Extéril"), dentro de outro mais amplo (Espaço IMERGE), é a base de trabalho para cada um dos quatro artistas. A deformação/transformação que ocorre quando apresentam as diferentes peças e intervêem no espaço mais amplo, ou, no outro mais limitado. Um jogo de formatos, escalas e descontextualizações.

Este é o mote para "(De)Formatos II", projecto que, passando pela pintura, escultura, desenho, foto grafia, instalação e performance, reúne quatro artistas - Manuela São Simão, Pedro Marcolino, Sofia de Carvalho e Teixeira Barbosa – que através de narrativas individuais, aqui pretendem criar um novo e único diálogo formal.

“Sem título” Sofia de Carvalho

“Sem título" Sofia de Carvalho, moldura de Manuela S. Simão

Declamação de poesia por Isabel Marcolino na noite de inauguração da exposição.

"Gabinete Extéril" de Teixeira Barbosa


REDline’06_Behind Borders “Sem título” escultura de Lília Catarina, (Portugal)

Exposição Internacional – Portugal e Lituânia

19 de Outubro a 18 de Novembro de 2006, Espaço IMERGE, 15 de Fevereiro a 15 de Março, Galeria Meno PARKAS, Kaunas, Lituânia. REDline é um projecto de coprodução da Cooperativa Ideias Emergentes (Porto) e da Meno PARKAS Galerija (Kaunas), que pretende a realização anual, em Portugal e na Lituânia, de uma exposição de arte envolvendo artistas de vários países, fazendo a ponte entre o Ocidente e o Leste Europeus. Sempre sob o tema das fronteiras, no seu conceito mais lato e abrangente é um evento que pretende dinamizar uma discussão sobre o espaço e a diferença, construindo ligações e aproximando estes dois blocos da Europa. No ano de 2007 produzimos a segunda edição, REDline’07_Where are the Borders?, que será alargada com a representação da Polónia através da galeria Dominik Rostworowski.

Vistas da exposição na galeria Meno PARKAS

Intervenção do embaixador da

"Costa a costa" fotografias de Alberto


Estados de Quê? _Exposição de Hugo Sampaio

11 de Março a 08 de Abril de 2007, Espaço IMERGE

Hugo Sampaio (Porto, 1977) movimenta-se em vários campos da produção artística, trabalhando como designer, fotógrafo freelancer e músico. A escolha da pintura como veículo de expressão começa a desenvolver-se seriamente nos últimos quatro anos, período em que começa a expor regularmente.

Vista da Exposição no dia da inauguração

Concerto dos ATP Trio (Jazz) no dia da inauguração da exposição

Vista da exposição

Concerto de Nuno Pinto “Covering Them” no dia 18 de Março


Da série "Pintura ensaio" fotografias no Espaço Imerge

Ensaio # Exposição de Teixeira Barbosa Vista da exposição

03 de Fevereiro a 04 de Março de 2007, Espaço IMERGE

A visão está em permanente movimento, não é estática, por isso estamos sempre a ver realidades distintas, de tal modo que a nossa relação com o mundo é directamente inventariada pelo movimento da visão. As imagens que daí advêm são sempre imprecisas, não temos propriamente uma certeza de como irão resultar, como tal, recorremos a vários tipos de registo para se fazer acertos e, sucessivamente, ensaiamos aproximações. Jorge Luís Borges (Ficções) descreve “(…) o vertiginoso mundo de Funes. Este, não o esqueçamos, era incapaz de ideias gerais, platónicas. Não só lhe custava a compreender que o símbolo genérico cão abrangesse tantos indivíduos díspares de diferentes tamanhos e diferente forma; incomodava-o que o cão das três e catorze (visto de perfil) tivesse o mesmo nome que o cão das três e um quarto (visto de frente). A sua própria cara ao espelho, as suas próprias mãos, surpreendiam-no de todas as vezes. (...). Era o solitário e lúcido espectador de um mundo multiforme, (...).”

Sempre que criamos imagens através dos meios de expressão que temos ao nosso alcance, estamos a materializar ideias. Os meios de expressão são as ferramentas através das quais as ideias e as emoções adquirem determinada forma visível. Uma ideia só poderá ser materializada se dispuser de um intermediário que a torne visível; a visão, o olho que vê, permite a existência visível daquilo que o olhar comum crê invisível. “Luz, iluminação, sombras, reflexos, cor, todos estes objectos da investigação não são propriamente seres reais: tal como os fantasmas, só têm existência visual. Eles só estão, no limiar da visão profana, não são geralmente vistos.” (Merleau-Ponty). Os elementos e instrumentos da pintura são, aqui, enunciados através do jogo existente entre a arte e as tão proclamadas mortes da arte. Na realidade, os elementos e os instrumentos da arte são os próprios objectos e temas implicados na morte da arte.

A morte da arte esteve sempre relacionada com o aparecimento de novas tecnologias, exteriores à pintura; por outro lado, e em grande parte, só se proclamou morte da arte pelo facto da pintura se sentir lesada no seu modo de operar como manualidade, como execução virtuosa. Contudo, a fotografia ter-se-á convertido, muito provavelmente, na pintura do século XXI porque o artista já não precisa de pintar, deixa que a impressora pinte por ele. Ninguém se espanta pelo facto de um artista encomendar determinado trabalho a um serralheiro, um carpinteiro, etc., mas quando se trata da pintura o caso é diferente, exige-se a técnica, o cheiro, o virtuosismo, a aura artística. Reparem o quanto é virtuosa a impressora a pintar por mim. A arte já não vive do segredo. “Revelar a arte e ocultar o artista é o objectivo da arte.” (Oscar Wilde).


Leonardo – Residência de Artistas “Sem título” Sandra WALLE

02 a 15 de dezembro de 2006, Espaço IMERGE

Instalação de Sandra Walle (pormenor )

ORGANIZAÇÃO Ideias Emergentes, Produção cultural CRL PARCERIAS Peuple et Culture CRAT (Centro Regional de Artes Tradicionais)

Três jovens artistas de nacionalidade francesa (Sandra Walle, Magali Brien e Sébastien de Groot) a realizar residência de artistas no âmbito do programa Leonardo desenvolveram propostas de instalações a inaugurar no dia 02 de Dezembro. Com a coordenação de Conceição Rios, os jovens artistas Sandra e Sébastien desenvolveram as suas propostas nas oficinas do CRAT. Magali no seguimento do conceito de trabalho artístico desenvolvido apresentará igualmente uma instalação no Espaço IMERGE.

IMMIGRATION’s Imagens do workshop

Projecto de Intercâmbio e Workshop de movimento e Artes performativas

(Lituânia, França, República Checa, Estónia e Portugal) IMMIGRATION’s, produzido pela IDEIAS EMERGENTES e dirigido por Jefferson Petrillo partiu de um workshop para a produção de uma coreografia, enquadrada pelo tema das migrações, que foi apresentada na Academia Contemporânea do Espectáculo (ACE). No âmbito do workshop e encenação a IDEIAS EMERGENTES produziu o espectáculo, o workshop e o acolhimento dos vinte e quatro artistas envolvidos.

Instalação de Sébastien de Groot

Instalação de Magali Brien

Produção Cultural ideias emergentes  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you