Page 1

ediçãoespecial Março . 2014 . Director: Manuel Alfredo Oliveira / Sub-Director: Pedro Costa oamarense@gmail.com . Edição Especial . Ano: I . Nº1

Organização:


Jornal

2

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

Amares em festa! Manuel Moreira

2014

AMARES

Presidente da Câmara Municipal de Amares O Concelho de Amares apresenta-se nos próximos dias 1, 2, 3 e 4 de Março com uma oferta apetecível para viver a folia característica da época do Entrudo. O XII Festival das Papas de Sarrabulho tornou-se já uma imagem de referência do Minho e é preparado de forma a oferecer o melhor de um património gastronómico forte que nos caracteriza. Assim, entre os sabores únicos das papas de sarra-

bulho, os visitantes encontrarão em Amares outros produtos característicos da identidade deste concelho, tal como o vinho verde, o artesanato, os doces e a laranja da terra que se afirma e surpreende com a sua genuinidade. A par dos sabores, Amares garante ainda o calor do bem receber e um património histórico, cultural e paisagístico que certamente contribuirão para uma experiência mais

completa dos sentidos. No Domingo, a música, a cor e a alegria prometem invadir as ruas no tradicional desfile de Carnaval que este ano se ergue em homenagem a um filho da terra, António Variações. O talento das suas músicas torna-se mote para aguçar a crítica social e a sátira. São, portanto, muitos os motivos para nos visitar. Teremos todo o gosto em que faça parte desta festa.

EXPOSITORES Licores Ginja Vinhos de Amares Vifumeiro 100 Queijos

Pão-de-Ló de Ovar Fão Doces Despensa d’Avó Casa das Natas


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval Marรงo, 2014

3


Jornal

4

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

«Produtos da terra e turismo são sectores fundamentais para desenvolvimento sustentado do concelho» Presidente da ACB quer que edição de 2014 seja a melhor de sempre Domingos Macedo Barbosa Presidente da Associação Comercial de Braga Organizado conjuntamente pela Associação Comercial de Braga e Câmara Municipal de Amares, o Festival das Papas de Sarrabulho é uma marca de referência no calendário anual de eventos gastronómicos que se realizam em Portugal. Trata-se de um projecto consolidado, que muito dignifica e prestigia os que anualmente se envolvem na sua realização, com particular destaque para as entidades promotoras, colegas empresários da restauração e demais entidades envolvidas. Este evento tem dado um importante contributo para o desenvolvimento sustentado da oferta turística e cultu-

ral de Amares. Os produtos da terra e o turismo são sectores fundamentais para o desenvolvimento harmonioso e sustentado deste concelho, sendo os que mais poderão contribuir para o relançamento da economia local e do emprego. Amares possui potencialidades e recursos endógenos ímpares, sendo o sector da restauração dinâmico e uma forte alavanca para o desenvolvimento da nossa oferta turística e cultural. Temos conhecimento do forte empenho do actual executivo municipal em dinamizar a economia local e o turismo e, enquanto empre-

sários e instituições locais, congratulamo-nos com as iniciativas e trabalho já desenvolvido pela autarquia. A aposta na revitalização deste evento emblemático de Amares é um sinal claro da importância que o Município dá a actividades que ajudam a promover a economia local e a sua oferta turística, atraindo novos públicos e investimentos para este território. Enquanto empresários e associação que nos representa, estamos empenhados em manter uma cooperação estreita com este Município, no sentido de contribuir para a promoção e dinamização da sua oferta comercial, turística e cultural.

Para a 12.ª edição do Festival das Papas de Sarrabulho mantém-se o modelo de 4 dias, com a participação de 8 restaurantes da nossa região. Vai ser aumentada a área dedicada à praça da alimentação, mantendo-se uma área de exposição dedicada exclusivamente aos restaurantes, expositores de produtos alimentares e patrocinadores do evento. A área global de exposição do festival será reforçada com a instalação de uma tenda exterior para expositores de artesanato e produtos da terra, bem como com espaços disponíveis para associações e cooperativas locais. Há também um reforço

das acções promocionais do evento, destacando-se a realização de uma campanha colectiva que envolverá os restaurantes de Amares com oferta associada a esta especialidade gastronómica. Esta campanha mobilizará 14 restaurantes do concelho de Amares - durante os fins-de-semana de Março e Abril - sendo sobretudo orientada para o turismo de fim-de-semana. Este emblemático festival de sabores consolidou-se como um evento de referência no Minho e no nosso País, dada a qualidade dos restaurantes aderentes e o seu empenho em promover as especialidades típicas da

região, sobretudo as papas de sarrabulho, os rojões e outros petiscos regionais, tão apreciados nesta época do ano. Com este evento, contribuímos para a salvaguarda de uma valiosa herança cultural deixada pelos nossos antepassados, valorizando um prato típico minhoto, com forte aproveitamento de produtos de origem local. Estamos empenhados em tudo fazer para que esta edição do Festival das Papas de Sarrabulho seja a melhor de sempre.

Amares possui potencialidades e recursos endógenos ímpares, sendo o sector da restauração dinâmico e uma forte alavanca para o desenvolvimento da nossa oferta turística e cultural.


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval

5

Março, 2014

«Papas de Sarrabulho e Carnaval fazem uma conjugação perfeita» Entre outras novidades esta edição conta com uma praça da alimentação maior e de provas de vinhos orientadas pelos produtores Jorge Tinoco Vice-presidente da Câmara Municipal de Amares Amares em Festa com Papas de Sarrabulho e Carnaval. Uma conjugação perfeita? Tudo o que possa contribuir e confluir para divulgar Amares pela positiva consubstancia, em maior ou menor grau, uma excelente conjugação. Ora, estes dois eventos são isso mesmo: ambos se vêm afirmando e confirmando como um marco no concelho, tratando-se de iniciativas que são verdadeiros pólos de atractividade trazendo milhares e milhares de pessoas, quer ao recinto do festival das papas, quer aos pontos de passagem do corso carnavalesco, quer a tantos outros motivos de interesse e pérolas da nossa paisagem e património que acabam entretanto visitados ou revisitados. Uma múltipla razão para nos sentirmos, sem dúvida, em júbilo, em pujança e em festa – o que é estimulante e gratificante

para os organizadores destes momentos especiais de valorização das tradições, da cultura, da gastromia e da hospitalidade de um povo que muito merece. Em comparação com as edições anteriores, o que se altera? Nesta edição, teremos uma praça da alimetação maior, ao mesmo tempo mais embelezada com tarjas de tecido no tecto, por forma a ser um espaço menos frio, menos férreo e mais aconchegante. Haverá ainda provas de vinhos orientadas pelos próprios produtores no stand do município, o que é inédito. Ao mesmo tempo também conseguimos uma normalização ou homogeneização nos preços dos vinhos, aliando a isto o facto de os vinhos do concelho serem obrigatoriamente mais baratos que os de fora, de modo a incentivar a compra dos vinhos de Amares. Também os produtos locais

e o artesanato terão um espaço condigno integrando uma tenda adjacente ao pavilhão da zona da alimentação. Além de que criámos um pequeno regulamento para uma melhor disciplinarização no que toca ao artesanato presente, valorizando o genuíno de Amares e evitando peças que, mesmo podendo ser de Amares, não se enquadrem num conceito ou definição propriamente dita de artesanato. Vinho Verde Loureiro e Laranja são dois produtos de referência de Amares. O Município quer agarrá-los e dar-lhes projecção… De que forma? O município quer agarrar e projectar esses produtos através de um plano estratégico bem elaborado e que possa, na sequência e na consumação disso, consolidar-se. Isso requer um diagóstico sério e abrangente, envolvendo produtores, técnicos, especialistas em

diferentes áreas e o próprio mundo académico. Particulares, empresas, universidades, agentes de desenvolvimento, espaços que possam ser aproveitados para debate, estudo, degustação, exposição ou venda: todo um conjunto de portas, parcerias, saberes, experiências e sinergias terão de entrar e contribuir para que haja credibilidade e sustentabilidade, se faça caminho e exista sucesso. O município, mais que fazer, tem de proporcionar, fomentar e facilitar toda esta interligação e todo este dialogismo que vença a tentação e o logro de qualquer vivência de costas voltadas e horizontes fechados. Só assim a projecção poderá acontecer e as oportunidades poderão ser agrarradas, com vantagens para todos. Esta é a forma: ir mais longe através deste modo de sermos mais colaborantes e mais perto ou mais próximos uns dos outros, ricos

na multidisciplinaridade, na complementaridade e na partilha. Este certame é para manter nos mesmos moldes, ou estão a pensar em algo mais para o futuro? Com certeza que o certame é para manter, sempre que possível melhorando. Sabendo, porém, que as mudanças que possam acontecer terão de ser logicamente ponderadas para não descaracterizarmos um evento que é de referência, que assim se impôs e assim tem atraído multidões e promovido Amares. O que não invalida que perspectivar mudanças bem avaliadas e até substanciais não seja importante, pois a vida é feita disso e nada pode ser dado como definitivo e estanque – até porque haverá no futuro mais tempo para auscultar novas possibilidades além das que já sucedem este ano e se assumem claramente como melhorias.

Para além deste evento, 2014 ficará ainda marcado por outras grandes iniciativas, como as festas concelhias. Mas há mais? As festas concelhias serão outro momento que assumirá um novo fôlego, tanto que as anteriores edições do Santo António em Amares ficaram demasiado niveladas por baixo, em nada tendo sido prestigiantes para o concelho. Mas, para além das festas e de outros eventos, Amares tem em 2014 um acontecimento incontornável, que é a comemoração dos seus 500 anos de foral. Haverá, neste contexto, entre Abril e Outubro, um leque de magníficas inicitiavas que atempadamente divulgaremos e que tenho a certeza de que encherão de orgulho todos os amarenses, pretendendo-se precisamente que a sociedade nelas se reveja e se envolva.

Jornal

ficha técnica Director: Manuel Alfredo Oliveira (CP 4746). Sub-Director: Pedro Peixoto Costa. Redacção: António Valdemar (CP 3055), Bento Duarte (TP 1837), Carlos Machado Silva (CP 3022), Eduarda Silva (TP 1603), Luís Filipe Pereira (CP 8851), Luís Fernandes, Octávio Pedrosa (CP 9554) e Pedro Antunes Pereira (CP 9420). Editor Gráfico: Paulina Lira. Publicidade: Anabela Silva, Ângela Fernandes, António Marques, Edgar Faria e Paula Carvalho. Colaboradores: Ana Lúcia Peixoto, Ana Maria Fernandes, André Janela (grafismo), Carlos Pedro, Jacinto Correia, José Cunha, José Manuel Cerqueira, José Pinheiro Lopes, Luís Salvador, Manuel Brito, Pedro Costa e Rafael Andrade. Edição: Ideiacinco Multimédia, Lda., Rua dos Bombeiros nº256, 1º andar, Fracção J, 4730 - 752 Vila Verde Tlf.: 253165001/912306547 E-mail: oamarense@gmail.com Site: www.oamarense.com Propriedade: Ideiacinco Multimédia, Lda. Registo na ERC nº 126069 Impressão: Diário do Minho Tiragem: 2.000 exemplares.


Jornal

6

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014 Em pleno coração do Minho, na vila termal de Caldelas, encontra-se uma unidade hoteleira de topo. Com uma história secular, a Churrasqueira de Caldelas é uma unidade de referência assente num projecto turístico de excelência da família Antunes. O ambiente é intimista, o atendimento é feito de requinte e com a classe de quem sabe e gosta daquilo que faz. Rodeada de uma paisagem deslumbrante, plena de arribas de água cristalina, a Churrasqueira de Caldelas é o local ideal para celebrar o amor. É, por isso, o sítio ideal para visitar com a sua ‘cara-metade’ e aventurar-se numa viagem pelos sabores da gastronomia minhota. De que está à espera ligue para o 253 361236 ou reserve pelo joseantunescatering@sapo.pt.

Churrasqueira de Caldelas

Av. Afonso Manuel - Caldelas, 4720-249 Amares Tlf: 253 361 236 www.churrasqueiradecaldelas.com

A casa rústica minhota onde está instalado tem excelentes condições para receber os seus clientes. Dispõem de um espaço para exposição e venda de Artesanato, Bordados e Produtos Regionais, como mel, azeite, chás e compotas variadas (de laranja de Amares). Das especialidades destacam-se o Bacalhau com Broa; Filetes com arroz de Gambas; Arroz de Pato e Perna de Porco com puré de maçã e castanha.

Tapada do Fernando

Largo D. Gualdim Pais, 4720 Braga Tlm: 925 415 568 / Tlf: 253 995 081

Situado em pleno centro amarense, este é um dos mais carismáticos restaurantes do concelho. Com dois andares e quatro zonas distintas, esta é, sem dúvida, uma excelente escolha para quem gosta de saborear as melhores iguarias minhotas. Depois de deliciosas entradas, os clientes vão poder degustar um Bacalhau com Broa, Arroz de Tamboril, Medalhões com batata Grega ou o mais tradicional Cozido à Portuguesa. Tudo isto aliado a um serviço de excelência que o vai fazer querer voltar.

Restaurante Carias

Rua da Igreja, nº5 - Goães 4720-492 AMARES Tlf. 253 377 948


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval

7

Março, 2014 Famoso pelos seus leitões, o Restaurante ‘A Rival’ é o sítio ideal para saborear um prato requintado junto de toda a família. O espaço é dotado de animação infantil e um amplo espaço para os mais novos, o que permite um serão sossegado enquanto saboreia o que de melhor Amares tem para oferecer. A especialidade da casa, como facilmente se percebe, são os leitões assados, mas os visitantes podem experimentar outras iguarias igualmente deliciosas como as Papas de Sarrabulho.

A Rival - O Rei do Leitão

Rua Marques Rego 2, 4720-349 Ferreiros Amares T./F.: (+351) 253 993 247 restaurante@restaurantearival.com

Baptizados . Comunhões . Casamentos Grupos . Cocktails . Jantares temáticos Almoços/jantares de empresas Catering para exterior

Restaurante Torres

O restaurante Torres aposta na qualidade, na diversidade, na frescura dos mariscos, peixes, na selecção de carnes barrosã e cabritinho do monte. Dispõe de pratos com especialidades da época como a lampreia e sável ou a caça. Em todos os restaurantes Torres existam excepcionais cartas de vinhos verdes e maduros, onde surgem diversas reservas especiais e colheitas particulares.

Tlf. 253 361 619 www.restaurantetorres.pt Fernando Torres - Tlm: 914 711 278

Nas lides da gastronomia típica do Minho desde 1996, é a continuidade de uma taberna tradicional minhota, preservando todos os sabores e saberes transmitidos entre as várias gerações. De ambiente acolhedor e alegre, ocupa um lugar de referência no panorama da restauração bracarense, onde os factores primordiais são a qualidade e a confecção dos alimentos, aliados à experiência e dinamismo na arte de bem servir.

Casa Gil

Rua do Alegrete, n.º 29, Cabreiros, 4705-369 Braga Tlf/tlm: 253 911 250 / 917 078 595 www.cateringcasagil.com | facebook.com/casagil.eventos


Jornal

8

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

Não há muitas dúvidas. Os adeptos da cozinha tradicional e regional portuguesa têm que passar pelo Milho Rei, em Amares. Há 41 anos que o Restaurante Milho Rei faz as delícias dos seus clientes apostando nas melhores receitas da cozinha tradicional portuguesa. Da ementa, o destaque vai para o Cabrito Assado, Posta de Boi com molho mirandês, Bacalhau à Milho Rei ou Polvo à Lagareiro.

Restaurante Milho Rei

Praça do Comércio n. 67 4720-337 Ferreiros, Amares INFORMAÇÕES E RESERVAS 253 993 328 / 938 211 672 / 962 596 294

Se é daqueles que pensa que um sítio qualquer deve mostrar logo às pessoas ao que se vai, então o Restaurante Vale do Homem é para si. Olhar de fora para o local é ter a resposta que se procura. Típico, acolhedor, com uma ementa certa para quem faz do Minho região de visita ou de férias. Prove cabrito, vitela ou rojões. O vinho da casa faz milagres e as sobremesas, só de olhar deixdam ‘água na boca´.

Restaurante Vale do Homem

Beco Vale do Homem, nº1 - Bico, 4720-171 – Amares T: 253 324 731

Rua Artur Garibaldi 37, Nogueira, BRAGA | Tel. 253 610 429 S. Vicente, BRAGA (junto à Central de Camionagem) | Tel. 253 681 353

Travessa de Pousadelas, nº 77 | 4720-618 Amares tel 933 372 611 | fax 253 995 190 | encostasdamares@sapo.pt

Casa das Natas

Encostas D’Amares


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval Marรงo, 2014

9


Jornal

10

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

carnaval 2014 António Variações é tema central do Carnaval de Amares Continuam os preparativos para o Carnaval 2014 em Amares, que este ano tem como tema principal António Variações. Nesta edição é esperada a participação de 10 carros que vão desfilar ao som das músicas do famoso cantor e compositor amarense e onde os visitantes podem esperar, para além da já habitual sátira política, a crítica aos conflitos conjugais, consumos exacerbados, entre muitos outros.

António Joaquim Rodrigues Ribeiro, mais conhecido por António Variações, nasceu a 3 de Dezembro de 1944, no lugar de Pilar, em Fiscal, Amares. O cantor viria a falecer com 39 anos a 13 de Junho de 1984, em Lisboa. Apesar da sua curta carreira discográfica, as suas músicas ainda influenciam o panorama musical nacional da actualidade. Desde muito novo, António Variações dividia o seu tempo entre os estudos e os campos onde ajudava os seus pais. Aos 12 anos partiu para Lisboa onde trabalhou como aprendiz de escritó-

rio, barbeiro, balconista e caixeiro. Depois de cumprir o serviço militar, em Angola, o cantor decidiu conhecer a Europa. Em 1975 chegou a Londres e poucos meses depois decidiu mudar-se novamente, desta vez para a Holanda. Voltou à capital portuguesa onde acabaria por abrir uma barbearia na baixa e foi, também nessa altura, que começou a sua carreira artística. O grupo Variações começou a despertar a atenção de muitos, com um estilo musical que combinava géneros bastante distintos como rock, pop, blues e fado.

No ano de 1978 via o seu sucesso ser reconhecido, quando assinou um contrato com a editora Valentim de Carvalho. O primeiro disco de originais, ‘Anjo da Guarda’, imortalizou músicas como ‘É p’rAmanhã’ e ‘ O corpo é que paga’. Aos 39 anos lançou o seu segundo álbum, ‘Dar e Receber’. O último concerto do cantor foi a 17 de Maio, de 1984, na Queima das Fitas de Coimbra, onde já era visível a sua débil saúde. No dia seguinte, António Variações deu entrada no Hospital Pulido Valente com um grave problema brônqui-

co-asmático. Foi já depois de estar hospitalizado que a ‘Canção do Engate’ deu os seus primeiros paços nas rádios portuguesas. O amarense morreu a 13 de Junho, vítima de uma broncopneumonia, na clínica da Cruz Vermelha de Lisboa, para onde tinha sido transferido. Foi provavelmente o primeiro caso conhecido de SIDA em Portugal, o que tornou a sua morte tão controversa quanto o seu trabalho. O funeral foi realizado na Basílica da Estrela e entre a multidão que decidiu prestar a última homenagem ao

cantor encontravam-se Amália, Maria da Fé, Lena D’Água e elementos dos Heróis do Mar. Os restos mortais de António Variações foram depois transferidos para o cemitério de Amares, onde encontrou a sua última morada. Foram apenas seis anos dedicados à música mas que o tornaram um dos maiores músicos nacionais que ainda influenciam várias gerações nos dias de hoje. Em 2004, sete músicos portugueses formaram a banda ‘Humanos’ e gravaram um álbum de homenagem com 12 músicas originais do cantor que nunca tinham sido

editadas. Este ano celebra-se os 70 anos do nascimento do músico e 30 do seu falecimento, e ainda assim, passados todos estes anos, as suas músicas continuam a passar com grande frequência nas rádios portuguesas despertando a saudade do povo português pelo músico amarense. “Tenho pena de morrer, mas não medo. Tudo o que acaba me deprime. Mais pelo fim do que pelo acto em si.” - Palavras de António Variações à imprensa, poucas semanas antes de morrer.


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval

11

Março, 2014

carnaval 2014 «Carnaval representa um dos maiores pontos de atracção do concelho» Carros alegóricos são realizados por cerca de 20 jovens voluntários

Martinho Antunes

Presidente do CDRC Amarense O Carnaval de Amares é já um dos pontos altos do calendário de eventos de Amares e da Região? Em Amares temos consciência que sim. Sabemos que o Carnaval se constitui como um dos pontos de maior atracção do concelho. Não encontramos nenhum evento que junte tanta gente em Amares num tão curto período de tempo. Comparando o enraizamento do Carnaval com os Santos Populares, mostra a relevância do evento que promovemos. Acreditamos termo-nos tornado uma referência na região mesmo que não seja fácil quantificar esta convicção. No entanto, o Carnaval em Amares tem vindo a evoluir e deu um salto qualitati-

vo muito grande nos últimos anos. Enquanto organizadores nem sempre temos a exacta noção da quantidade de gente que nos visita, no entanto, é possível constatar um interesse crescente por parte das pessoas no trabalho que desenvolvemos. Por outro lado, quando comparamos os artigos sobre os corsos carnavalescos da região nos diferentes meios de comunicação, é possível verificar que a massa populacional que assiste ao nosso evento é consideravelmente maior. Os preparativos começam muito cedo? Envolve muitos voluntários? Os preparativos têm tendência a começar cedo embora não haja nenhum

formalismo ou norma. Genericamente temos o seguinte calendário entre Agosto/Setembro – fase das ideias, Outubro/Novembro – reuniões de preparação e definição de carros e grupos e de Dezembro até ao dia do evento. Quanto aos voluntários o grupo é pequeno e composto essencialmente por jovens voluntários (cerca de 20). Em 2014, que podem esperar de novo os foliões e/ ou visitantes? Temos vindo a pensar em iniciativas com vista a uma maior integração da população e visitantes no desfile carnavalesco. Infelizmente, não temos sido bem-sucedidos, com a notável excepção de pequenos grupos que procuram surpreender com

fantasias originais, ou associações que nos procuram para colaborar na organização. A maioria da população dá o espectáculo por garantido. Nesse sentido, as nossas expectativas por porte dos espectadores em geral são relativamente baixas. Por outro lado, há um desafio que todos os anos gostamos de lançar e que se prende com as críticas que transportamos nos carros alegóricos. Neste aspecto julgamos que os visitantes têm revelado uma abertura enorme para brincar com temas que por vezes podem ser um pouco mais sensíveis (por exemplo, a religião). Poderão esperar um desfile em que cada carro será dedicado a uma música do Antó-

nio Variações e os grupos de mascarados irão satirizar/criticar, através de temas da actualidade que se enquadrem nas letras das canções. Quais são as expectativas para o futuro? Há demasiadas variáveis que não controlamos para criar cenários expectáveis para o futuro. A principal variável é sem dúvida o aspecto financeiro. O crescimento deste evento e a quantidade de visitantes que traz ao concelho não se coaduna com o financiamento a que temos acesso. Somos provavelmente um dos Carnavais mais barato do país, onde conseguimos atrair mais de 15 mil espectadores com apenas 8 mil euros (a 0,50€ /pessoa está baratinho). Neste mo-

mento estamos um pouco limitados neste aspecto e se expectativas houver para o crescimento, terá de ser noutros moldes de financiamento. Uma segunda variável tem a ver com os próprios voluntários que trabalham connosco. Muitos são estudantes, outros já trabalham, e embora invariavelmente todos dêem um contributo enorme, fica muito complicado organizar um evento com base em colaboração espontânea. Não obstante, temos uma nova geração de voluntários dedicados que mostra um interesse grande em manter esta tradição viva e em faze-la crescer.

Poderão esperar um desfile em que cada carro será dedicado a uma música do António Variações.


Jornal

12

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

carnaval 2014 CARROS ALEGÓRICOS 1 . Muda de Vida Carro António Variações

2 . O corpo é que paga Relativo a excessos como obesidade, drogas e álcool

1

2

5

6

3 . Estou além Relativo ao consumismo exacerbado

4 . Canção de engate Relativo a violência doméstica no namoro e no casamento


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval

13

Março, 2014

carnaval 2014 5 . É Pr’Amanhã Relativo à escola e estudantes

6 . Quero é viver

Relativo aos cortes das reformas pelo Estado

7 . Erva daninha Relativo à resistência do povo, representado pelo Zé Povinho

8

7

3

9

8 . Todos temos Amália na voz Relativo aos grandes valores portugueses como os descobrimentos

9 . Maria Albertina Rapariga da terra representada por uma laranja


Jornal

14

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

Termas de Caldelas As Termas de Caldelas são um excelente local para relaxar e fugir à rotina do dia-a-dia, no meio de uma paisagem natural. As Termas são ideias para o tratamento de problemas quer a nível do aparelho digestivo, pele ou reumatismos. O complexo termal tem ainda programas de Spa Termal e de Prevenção de Saúde para ajudar no bem-estar, anti-stress, rejuvenescimento e emagrecimento. A água é o elemento diferenciador das Termas, já que a sua riqueza deve-se essencialmente à sua circulação a grande profundidade no subsolo e de forma lenta, o que ajuda a absorver elementos das rochas tornando a composição físico-química particular.

Mosteiro e Pousada de Santa Maria de Bouro O Mosteiro de Santa Maria de Bouro foi fundado no século XII e pertencia à ordem de Cister. Esta ordem monástica católica estabeleceu-se no nosso país em 1144. Este monumento é principalmente caracterizado por vários traços arquitectónicos românicos, maneiristas, religiosos, barroco, rococó, neoclássico e contemporâneo. A maior obra encontra-se na sacristia do Mosteiro completamente forrada a azulejos do século XVIII que retractam a vida de S. Bernardo. Parte do Monumento foi posteriormente transformado numa pousada que é hoje em dia considerada com uma unidade hoteleira de referência. O Mosteiro foi classificado como Imóvel de Interesse Público e situa-se na freguesia de Bouro Santa Maria.

Mosteiro de Rendufe O Mosteiro de Rendufe foi construído no século XII e está situado numa zona rural na freguesia de Rendufe. Reconstruído no século XVIII, é uma referência nacional para os amantes dos estilos rococó e barroco. Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1943. Parte do Mosteiro pertence a particulares que produzem no local vinho verde da região. O Mosteiro tinha sido alvo de intervenções profundas e grande parte do monumento já está disponível para visitas.

Geira Geira é uma via romana com quase dois mil anos que ligava a Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta (Astorga, em Espanha). Este caminho facilitou o acesso às regiões mais montanhosas na época dos romanos. O percurso pode ser percorrido na freguesia de Amares até ao concelho de Terras de Bouro.

Santuário de Nossa Senhora da Abadia O Santuário de Nossa Senhora da Abadia foi construído entre os séculos XVII e XVIII e localiza-se na freguesia de Bouro Santa Maria. O monumento com um estilo arquitectónico barroco e rococó é constituído por capelas de via-sacra, igreja, cruzeiro, fontes e edifícios de apoio aos peregrinos. O Santuário tem ainda incorporado um museu com todo o tipo de arte sacra, estatuária, alfaias, documentação, manifestações religiosas, entre outras. Para quem aprecia o ar puro existem percursos de caminhada na área envolvente.

Ponte do Porto A Ponte do Porto foi construída em meados do século XIV na freguesia de Prozelo, sob o rio Cávado, e faz ligação de Amares à Póvoa de Lanhoso e a Braga. Foi classificada como Monumento Nacional devido à sua beleza arquitectónica. É um dos locais mais procurados pelos fotógrafos devido às cores e à luz que nas diferentes horas do dia surgem da Ponte.


Jornal

amares em festa! sarrabulho & carnaval

15

Março, 2014

Visite-nos!

Ponte de Rodas A Ponte de Rodas foi construída na Idade Média na freguesia de Caldelas e faz ligação entre a mesma e o concelho de Vila Verde. Edificada sob o rio Homem foi classificada como Monumento Nacional.

Solar das Bouças O Solar das Bouças foi construído no século XVIII e desde os anos 80 que se dedica à produção e engarrafamento de vinho. Uma área de 34 hectares de vinhas e pinhais e uma vista soberba para o rio Cávado convida os amantes da natureza e quem gosta de vinho verde a visitar. Associado à excelência dos vinhos verdes, tornou-se num ponto incontornável da ‘Rota dos Vinhos Verdes’.

Casa da Tapada A Casa da Tapada foi construída no século XVI a mando do poeta Francisco Sá de Miranda que lá residiu nos últimos anos de vida. Imóvel de Interesse Público, encontra-se na freguesia de Fiscal, numa zona rural usada para a produção do vinho verde e espumante ‘Casa da Tapada’.

Igreja Matriz de Amares A Igreja foi construída em 1705 e baptizada como Capela do Bom Pastor. Em 1936 foi restaurada e ampliada, passando nessa altura a chamar-se Igreja Matriz. O largo envolvente é dos mais procurados para passeios ou simples momentos de relaxamento.

Capela de Nossa Senhora da Paz A Capela de Nossa Senhora da Paz começou a ser construída no início do século XX, mas a obra acabou por ficar inacabada e abandonada até que nos finais da década de 50 um grupo de amarenses liderados por Aristides Marques Vilela decidiram pôr mãos à obra. A Capela foi inaugurada a 10 de Julho de 1960. Este edifício encontra-se situado no monte da Santinha na vila de Amares, com uma excelente vista sobre o vale do Cávado.

Pelourinho de Amares O Pelourinho de Amares data do século XVII e encontra-se situado na freguesia de Amares. O monumento é feito em granito com uma coluna cilíndrica, sem base, sobre um plinto hexagonal, colocado em dois degraus circulares. Foi considerado monumento nacional a 16 de Outubro de 1910.


Jornal

16

amares em festa! sarrabulho & carnaval Março, 2014

Amares promove12ª edição do Festival das Papas de Sarrabulho Falar de Amares é falar de tradição, de uma gastronomia forte e enraizada, de um concelho que apresenta produtos exclusivos na sua qualidade. Neste contexto, em 2003, Amares apresentou a primeira edição daquela que veio a revelar-se a sua maior marca, interna e externamente, o Festival de Papas de Sarrabulho que tem vindo a cativar, anualmente, cerca de 15 participantes, entre amarenses e visitantes, para a degustação deste legendário prato. 2014 assinala, já, a 12ª edição deste festival, a realizar entre os dias 1 e 4 de março, no pavilhão gimnodesportivo da EB 2/3 de Amares, entre as 12 horas e as 23 horas de cada dia, à exceção da terça-feira, dia de

Carnaval, em que o festival encerra pelas 20 horas. O recinto será composto por oito restaurantes, estrategicamente escolhidos para confecionarem e apresentarem ao público as melhores papas de sarrabulho do Minho, bem como por diversas barraquinhas de produtos regionais, nomeadamente, artesanato, vinhos, queijos, doçaria, fumeiro e licores. A organização do festival gastronómico é, desde a sua origem, fruto de uma cooperação entre a Associação Comercial de Braga e a Câmara Municipal de Amares. Duas entidades que visam, este ano e tal como nos anos transatos, dinamizar o setor socioeconómico do concelho, assim

como o seu património gastronómico, turístico e cultural, pomovendo os produtos regionais, nomeadamente, artesanato, vinho verde, doçaria e a, tão caraterística, laranja e, desenvolvendo, deste modo, o interesse pela região e a maior afluência à mesma. Desde 2003 que o Festival das Papas de Sarrabulho tem vindo a afirmar-se como uma imagem de referência do Minho, sendo já um ponto de preferência para o fim de semana de Carnaval. Prova irrefutável deste sucesso é o crescente número de visitantes que se tem verificado, ano após ano, assim como o consecutivo crescimento do volume de negócios, registado pelos empresários aderentes.

É, precisamente, graças a estes empresários – restaurantes aderentes – e ao seu empenho e qualidade que a propensão do festival tem sido, consecutivamente, ascendente. A par do dinamismo e visibilidade que esta iniciativa desenvolve, não podemos deixar de sublinhar o sentimento de preservação e valorização de um prato típico da região do Minho, feito à base de sangue e carnes de porco, bem como pão ou farinha de milho. As papas – confecionadas apenas no Inverno, por altura da matança do porco – são servidas como sopa, acompanhadas por rojões à moda do Minho e regadas com vinho verde tinto. A décima segunda edição do

Festival irá apresentar alguma inovação no que confere à estética do evento, ao alargamento da praça de limentação e embelezamento da mesma, mas não fugirá à regra no que toca à apresentação das papas e demais especialidades em loiça especialmente criada para o evento. A dinâmica da participação consiste na aquisição de um kit de provas – composto por prato, duas malga, talheres e guardanapo -, que serão devolvidos após o participante ter escolhido o seu ou os seus stands de prova e ter degustado os produtos. Toda a logística é pensada ao pormenor de forma a que esteja disponível a todos um espaço acolhedor e propício a salutares convívios em família

e entre amigos, sendo todos os cuidados e regras de manipulação de alimentos, limpeza, higiene e segurança escrupulosamente observados. Parcerias e Apoios • BP – Gasnor • Intermaché de Amares • Café Christina, do Grupo Nestlé. • Palmeira Frio – Equipamentos de Frio, Lda., que assegura os equipamentos para a logística do Festival • Gasair – Apoio na certificação da montagem do Gás • Entidade Regional Porto e Norte • CAMPE – Centro Médico de Braga.

O Amarense - Edição especial nº1  

''Amares em festa! Sarrabulho & Carnaval'' (Março de 2014)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you