Page 1

Uma história viva Há um século, o Colégio Sagrado Coração de Jesus faz história no coração dos belorizontinos. Educação com compromisso, valores e fé, princípios para os próximos 100 anos.


NESTA EDIÇÃO Editorial

3

1911, um ano que mudou o mundo

4

Belo Horizonte e o Sagrado Coração de Jesus Histórias paralelas e complementares

6

Congregação Servas do Espírito Santo: da Alemanha para o Brasil

8

Uma escola de pai pra filho... e de avô pra neto

10

A escola que fica no coração Histórias que se multiplicam...

12

Centenário: um ano inteiro de comemorações

14

Inovações para os próximos 100 anos

18

Como estará o Sagrado daqui a 100 anos?

22

Educação que dá orgulho

26

Personalidades registram a relação do Sagrado com BH

30

Homenagem do Sagrado àqueles que ajudaram a construir a sua história

32

expediente 2

Revista Comemorativa ao Centenário do Colégio Sagrado Coração de Jesus Publicada em: 11 de junho de 2011. Diretora: Irmã Fátima Marques Diretora Pedagógica: Regina Folsta Diretora Administrativa: Adriana Vilaça

Conteúdo: Árvore de Comunicação (31) 3586-2346 Editor / Jornalista Responsável: Rafael Araújo (Reg. 13576) Redação e atendimento: Rafael Bretas Projeto Gráfico e diagramação: Agência LZ/Leonardo Pereira


EDITORIAL Ao celebrar o centenário do Colégio Sagrado Coração de Jesus, o primeiro sentimento que me vem ao coração é o de gratidão ao Deus Uno e Trino que tornou possível essa grande obra das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo. Junto com a gratidão, também, me vem uma profunda admiração, especialmente às nossas irmãs que com muita audácia e coragem, cem anos atrás, deram início ao Colégio tentando responder a uma necessidade da realidade da época e que ainda hoje continua atual e indispensável: zelar pela educação e formação das novas gerações. Centenas de irmãs se dedicaram à missão educativa, dando sua vida e contribuindo para que pudesse ser construída uma sociedade justa e solidária, baseada nos valores do evangelho. Não posso deixar de mencionar todos os educadores e educadoras que, em parceria com nossas irmãs, transformaram o Colégio desde o seu início humilde ao que ele é hoje, um referencial da educação em Belo Horizonte. Milhares de alunas e alunos passaram pelo Sagrado Coração de Jesus e muitos hoje têm seus filhos e netos no Colégio dando continuidade a uma tradição que se tornou parte da cidade, mas que também soube se renovar e inovar, adaptando-se às necessidades do tempo e respondendo com qualidade aos desafios da sociedade contemporânea. Olhando para a história do Colégio e para a trajetória de nossas irmãs, não podemos nos esquecer das muitas dificuldades e desafios que elas enfrentaram. Com suas lutas, sofrimentos, conquistas e alegrias, ao longo do tempo criaram uma identidade e um patrimônio espiritual que vêm marcando a vida das pessoas e da própria cidade. Mas, não queremos olhar apenas para o passado. O futuro sempre exige respostas adaptadas as novas realidades. Acreditamos na presença criadora e renovadora do Senhor que nos ajuda a enfrentar os desafios e continuar sendo vida e esperança para muita gente.

A esperança no futuro nos impele a concretizar a vocação original do Colégio Sagrado Coração de Jesus nos desafios próprios do nosso tempo. Creio que nossas primeiras irmãs estavam em profunda sintonia com as fontes espirituais da Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo, especialmente do nosso fundador, Santo Arnaldo Janssen, e de nossas fundadoras quando dedicaram o Colégio ao Sagrado Coração de Jesus. Para Santo Arnaldo, o coração representava o cerne do ser humano, a própria fonte do amor, da bondade e da compaixão, atribuindo simbolicamente a ele os sentimentos mais íntimos e mais profundos. Pelo mistério da encarnação de Jesus, Deus tem um coração humano que nos ama e nos acolhe a partir de nossa própria realidade e natureza humanas. Então, venerar o Coração de Jesus significa nos deixar acolher pelo amor infinito de Deus que vem habitar em nossos próprios corações. Num mundo em crise, em que os verdadeiros valores e a dignidade do ser humano estão ameaçados, o Colégio Sagrado Coração de Jesus tem a urgente missão de tornar visível, palpável o amor de um Deus que é todo amor, todo coração, todo acolhimento e que acompanha cada criança, cada adolescente, cada jovem por intermédio das pessoas que hoje dão continuidade à missão de educar iniciada pelas nossas irmãs. Despertar o que há de mais humano dentro de cada pessoa e mostrar que a violência, a injustiça, a exclusão, a falta de amor e a indiferença podem ser superadas é a missão do Sagrado Coração de Jesus. Que tenhamos a coragem e a ternura para não apenas educar a cabeça dos nossos alunos e alunas, mas principalmente para formar os seus corações na confiança de que é possível construir uma sociedade melhor e verdadeiramente humana, inspirada no coração de Jesus.

Ir. Monika Kopf

Coordenadora Provincial das Missionárias Servas do Espírito Santo, Província Stella Matutina.

3


4


5


Belo Horizonte e Sagra

Histórias paralelas e

“Interpretação do sentimento da comunidade que reconhece na escola um marco na história educacional, social, religiosa e da arquitetura da cidade”. Essa é a justificativa do Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte para o tombamento do prédio do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Mais que uma edificação histórica, o Colégio guarda boa parte da história da capital de Minas Gerais. Projetada pelo arquiteto Aarão Reis, Belo Horizonte vivia a efervescência da construção civil, com influências européias, quando, em 1911, foi realizada a missa de inauguração do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Valores familiares, sociais e religiosos sempre foram alicerces do

1911 Fundação do “Ginásio Sagrado Coração de Jesus” pelas Missionárias Servas do Espírito Santo - Funcionamento como curso elementar.

6

1925 Início do Curso Normal, reconhecido à época como modelo em Belo Horizonte e região.

Sagrado. Essas tradições, que recortam os tempos, fazem da instituição uma referência para a educação da capital mineira até hoje. Falando em referência, a localização do Sagrado, na esquina da Rua Professor Moraes com Avenida Getúlio Vargas, dá a direção para muitos que procuram endereços na região da Savassi. Com todo o movimento diário do local, já pensou se houvesse um rio bem ali? Pois é, já existiu. Para entrar no Sagrado, era preciso atravessar uma ponte de madeira. Era assim quando tudo começou... primeiro para as meninas, em regime de internato; anos depois, os meninos, também, passaram a ocupar o espaço nas salas de aula.

1942 Ginásio recebe autorização para funcionar como Colégio Sagrado Coração de Jesus.


ado Coração de Jesus

e complementares REFERÊNCIA HISTÓRICA Além da memória e do coração dos que estudaram ou trabalharam no Sagrado, a instituição é lembrada por quem vive em Belo Horizonte há muito tempo. A historiadora Néia Garcia Rodrigues, que trabalha no Museu Histórico Abílio Barreto, não estudou no Sagrado, mas se lembra bem da fama do Colégio no esporte. “Era sempre muito difícil vencer a equipe do Sagrado. A turma do vôlei de lá era famosa, um time muito bom”, lembra.

E assim, aos poucos, o Colégio foi entrando na história de Belo Horizonte. Personalidades e famílias inteiras passaram por seus corredores. Aqueles que nunca estudaram lá, guardam alguma recordação. A cidade foi crescendo, mudando, e o Sagrado não ficou para trás. Além do espaço físico, que ganhou novo prédio e novos ambientes, a metodologia pedagógica acompanha as mudanças do mundo. Nossas crianças são preparadas para o mercado de trabalho mas, acima de tudo, recebem o amor e os valores necessários para fazer um mundo melhor. A tecnologia também entra nesse contexto. Com lousa interativa, laboratórios especializados e muito mais, o Sagrado Coração de Jesus abraça o século XXI, oferecendo o melhor do casamento entre uma tradição centenária e as novidades desse novo mundo que se apresenta.

19761977 1980 1989 Início do Curso Infantil.

Início do Curso Científico.

Inauguração do prédio do Ensino Infantil.

A Câmara Municipal de Belo Horizonte confere à Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo a medalha da ordem do mérito legislativo, como reconhecimento aos serviços prestados pelas irmãs ao município.

1992 2009 2010 2011 Tombamento oficial do prédio do Colégio pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município.

Início das obras de revitalização do Sagrado.

Início das comemorações do Centenário do Sagrado Coração de Jesus.

Festa de encerramento das comemorações do Centenário.

7


Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo: da Alemanha para o Brasil Jesus e Sagrado Coração de século XX Capela no início do

Padre Arnaldo Janssen

8

Para ajudar ao próximo, não há fronteiras. É essa a essência que orienta o trabalho do Sagrado, ainda antes de sua fundação. Tudo o que aconteceu nos últimos 100 anos deve-se à dedicação de seis jovens religiosas que saíram da Alemanha com destino ao Brasil. Sem falarem uma palavra em português, elas traziam nas malas muita força e dedicação, ingredientes fundamentais para a missão que elas teriam pela frente. Antes de chegarem a Belo Horizonte, em 1902, elas passaram pelo Rio de Janeiro e Juiz de Fora. Na capital mineira, a vocação para o amor ao próximo fez com que as irmãs se empenhassem, inicialmente, ao cuidado de doentes e idosos carentes. Em 1909, assumiram a direção da Santa Casa de Misericórdia, trabalho

que se desdobrou para o Hospital São Lucas, Sanatório Hugo Werneck, Sanatório Imaculada Conceição e Asilo Afonso Pena. Foi em 1911 que a educação entrou no caminho das religiosas. Nascia, então, o Sagrado Coração de Jesus. A princípio, o Colégio funcionava numa casa alugada, na esquina das ruas Cláudio Manoel e Pernambuco, com apenas 27 alunos. Em pouco tempo, o número de estudantes já passava de 80. Era hora de buscar outro espaço mais adequado para o crescimento que estava por vir. O destino? O mesmo local onde hoje o Colégio está localizado.


Padre Arnaldo Janssen A chegada das irmãs alemãs ao Brasil é apenas uma ponta do grande trabalho evangelizador realizado pela congregação, que teve como mentor Padre Arnaldo Janssen. Nascido em 1837, ele herdou a paixão pelo cristianismo de seus pais. Em 1861, foi ordenado sacerdote e enviado à pequena cidade de Bocholt, na Alemanha, onde se tornou professor. Conhecido por ser um homem austero e justo, conquistou o respeito de todos aqueles que viviam à sua volta. Na década de 1870, com a revolução cultural em voga na Alemanha e leis anticristãs pressionando o clero, Arnaldo Janssen vê-se obrigado a cruzar fronteiras para dar prosseguimento ao seu trabalho missionário. Estimulando cada vez mais jovens a ingressar na vida cristã, inicia oficialmente, em 08 de setem-

bro de 1875, seus trabalhos missionários em Steyl, na Holanda. Para ele, a presença feminina na missão evangelizadora era fundamental, sobretudo para facilitar o contato com as famílias, principais responsáveis pela formação das crianças. Esse foi o espírito que norteou, em 1889, a fundação oficial da Congregação Missionárias Servas do Espírito Santo. Santo Arnaldo, como ficou conhecido tempos depois, sentia nas famílias cristãs o clima propício para alcançar o ressurgimento da igreja pela fé. Por isso, propôs às irmãs que se interessassem, em primeiro lugar, pelas atividades escolares. As sementes plantadas com coragem e fé, regadas com muito amor e dedicação, se transformaram em frondosas árvores. Seus frutos alimentam o coração e a alma de pessoas que, por algum momento, foram agraciados pela bondade de uma Serva do Espírito Santo.

Foi em 1911 que a educação entrou no caminho das religiosas. Nascia, então, o Sagrado Coração de Jesus.

Alunas do internato em trabalho de grupo

Laboratórios equipados com os materiais de ponta da época

As seis irmãs que fundaram o Sagrado Coração de Jesus

Internas estudam em sala de aula 9


. . . o h l fi a r p i a p e Uma escola d Quando gostamos de alguma experiência, sempre queremos repeti-la. É da natureza do ser humano desejar sempre para si e para os que ama o que é bom. Às vezes, não podemos mais repetir as experiências, pois o tempo não para. Mas é aí que surgem nossos e, junto, o nosso desejo de proporcionar o melhor para eles. O Sagrado Coração de Jesus tem a felicidade de receber famílias que atravessam gerações estudando aqui. São avós, primos, tios e netos que passam pelos mesmos corredores

e estudam nas mesmas salas. O Sagrado evoluiu com os anos, mas continuou atendendo os netos com a mesma excelência com que atendeu os avós. E assim, forma seres humanos para as exigências do mundo de cada tempo. São qualidades como essa que fazem do Sagrado Coração de Jesus um Colégio diferenciado. Oferecer um ambiente agradável para os alunos, primando pelos valores que sustentam a instituição há um século, faz com que gerações da mesma família passem por aqui.

Família Cerqueira Quatro gerações de ex-alunos na mesma família: Martha, Sônia, Marília e Mateus têm em suas vidas caminhos que levaram ao Sagrado. Martha Cerqueira Lopes Cançado, 85 anos, tinha uma irmã freira que era professora no Colégio. Como na sua época ainda existia o rio em frente ao Sagrado, era para lá que ela fugia aos domingos, para passear descalça na margem, sem que seus pais ou as irmãs soubessem. Ela abriu o caminho em direção ao Colégio para a geração que ainda viria. Sônia Maria Cerqueira Lopes Cançado, filha da Martha, estudou por onze anos no Sagrado e se assustou com o tamanho do Colégio ao chegar. “Eu era bagunceira. Fui a primeira na história do Sagrado a tirar segunda época (re-

10

cuperação)em canto. Tive que decorar e cantar cinco hinos para ser aprovada. Foi um verdadeiro recital!”, relembra. Vale explicar que a segunda época é o mesmo que uma recuperação. Sobrinha de Sônia, Marília Cerqueira de Melo foi bolsista no Colégio. Ao se formar em Educação Física, foi convidada a trabalhar como professora, há 28 anos. Mas a presença do Sagrado na sua vida não para por aí: além de ter se casado na capela do Colégio, hoje, um de seus filhos, Mateus Cerqueira, é professor também de Educação Física na Escola de Esportes do Sagrado. “O colégio é a minha segunda casa. É com muito orgulho que conhecemos a história de cada aluno e desenvolvemos os talentos das crianças e jovens”, conta Marília.


o t e n a r p ô v a e d e ... Família Benfica de Faria “Acho que quero me matricular de novo”. Essa foi a reação da ex-aluna Ana Beatriz Benfica de Faria ao voltar ao Colégio décadas após sua formatura e rever as obras do quarto andar. O espaço, que no passado abrigava o antigo dormitório das freiras, hoje dá espaço à modernos laboratórios. Ana Beatriz formou-se no Sagrado em 1981, 41 anos após a formatura de sua mãe, Maria Stella, que também estudou no Colégio. Seu filho Henrique, que cursa o primeiro ano do Ensino Médio, segue os passos da mãe e da avó. “Lembro que estudei em outra

escola antes do Sagrado e as paredes eram riscadas, não havia organização. A religiosidade e a rigidez das irmãs faziam do Colégio um ambiente limpo e silencioso”, relata. Ana Beatriz conta que, na sua época, a escola ainda não aceitava garotos, exceto os mais novos. “Nós tínhamos uma turminha de oito amigas e sempre nos reuníamos, a cada fim de bimestre, na casa de uma ou de outra colega. Cada uma levava uma coisa gostosa para comer e fazíamos uma festa. Sinto muita saudade desse tempo”.

Família Sibalszky Imagine a sensação de trabalhar como professor na mesma escola onde, um dia, você foi aluno? Esse orgulho está no coração de Júnia Sibalszky, que estudou no Sagrado por 11 anos. Ao formar-se em 1978, ela optou pelo curso “normal”, de formação de professores, e chegou a lecionar no Sagrado por um ano. Sua experiência no Colégio foi tão positiva que todos os seus filhos estudaram lá. Os dois mais velhos já se formaram e passaram no vestibular logo na primeira tentativa. Rodrigo é formado em Ciências da Computação e Camila em Ciências Biológicas. O filho caçula, Gabriel, de 14 anos, seguiu a trajetória

da família e hoje cursa o 9º ano do Ensino Fundamental no Sagrado. “O Sagrado é uma escola diferenciada, pois valoriza aspectos como a religião e os laços familiares, o que acho muito importante. Sempre tive vontade de colocar meus filhos no Sagrado, pois sei que formamos uma família lá dentro. Uma família mesmo!”, defende. Basta uma simples volta pela rua para que Júnia encontre amigas da época de colégio. O resultado é sempre uma grande festa. “Há pouco tempo, encontrei uma colega na padaria e foi muito bom. Nos abraçamos, lembramos do tempo de Sagrado, conversamos. Isso é muito gostoso”. 11


A escola que fica no coração Histórias que se multiplicam... Os alunos saem da escola, mas a escola nunca sai do coração. É esse o grande valor da educação: guardar para toda a vida as experiências vividas em um momento de formação de valores e construção do futuro. Nos 100 anos de história do Sagrado, milhares de estudantes tiveram a oportunidade de conviver em meio às salas de aula, pátio, capela, biblioteca e outros espaços. Além de lembranças acadêmicas – regras de matemática, gramática, história em geral – quem passou pelo Sagrado guarda, também, histórias engraçadas e emocionantes. Faça você mesmo uma retrospectiva. Com certeza, sua história já se cruzou com a do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Nesta edição, escolhemos algumas histórias que traduzem esse sentimento do Colégio que nunca sai da gente.

Reencontro “O banco ficou pequeno de repente”... Mais de duas décadas se passaram e é chegada a hora de voltar ao Colégio da infância. Daniela Tavares Kimura estudou no Sagrado de 1975 a 1986. Foi pelos largos corredores que ela aprendeu valores importantes que levou para a vida. “Na escola, nosso maior sonho era saber onde as irmãs dormiam”, conta. No passado, os colégios cristãos eram cercados de mistérios e lendas, facilmente interpretadas pela garotada. Daniela lembra que, na sua época, o Colégio oferecia disciplinas importantes como Educação para o Lar e Práticas Comerciais. Essa última, sempre foi a sua preferida. “Meu sonho era ser bancária”. Coincidência ou não, ela se formou em Contabilidade e hoje traba-

12

lha com orientação de executivos, em Salvador (BA). O registro do seu último dia de aula no Sagrado é guardado como uma relíquia. Trata-se da camisa de uniforme assinada por todos os seus colegas de classe da turma de 2º ano de 1986. Em 10 de maio de 2011, quase 25 anos após ter concluído os estudos, Daniela visitou o Sagrado e reviveu bons momentos. Emoção, claro, não faltou. Cada sala de aula, janela, quadro na parede e até mesmo um cantinho no pátio tem um sentido diferente. Hoje, mãe de uma criança de sete anos, a satisfação das doces recordações da escola tornou a visita a Belo Horizonte ainda mais especial.


“Caça às provas” Da formatura na faculdade à aposentadoria, a professora de Português Maria de Lourdes Vieira, a Lourdinha, fez sua carreira profissional no Colégio Sagrado Coração de Jesus. Foram vinte e dois anos de dedicação, comprometimento e um baú de histórias pra contar. “Hoje, sinto como se o Colégio fosse uma pessoa, para a qual sempre torcemos. O Sagrado deixou uma marca muito profunda em meu coração. A sensação de vê-lo crescendo dessa maneira é muito boa. Fiquei muito emocionada quando fui lá e vi como tudo está tão lindo!”, conta. Todo amor e carinho da professora pelo Sagrado transpareciam em sua dedicação. Certa vez, ao chegar em casa após aplicar provas finais para seus alunos, Lourdinha deu por falta de cerca de 30 provas. “Lembro-me que chovia

muito nessa noite. Quando fui começar a correção das provas, percebi que faltavam algumas. Fiquei desesperada e segui para o Colégio” lembra. Dentro do táxi, a professora se deparou com um engarrafamento. Muito ansiosa para encontrar as provas, Lourdinha saltou do táxi e seguiu correndo para o Sagrado, debaixo da chuva. “As irmãs estavam na capela, fazendo vigília. Entrei desesperada! A irmã Maria da Paz, com uma postura muito calma, me disse que resolveríamos o problema”. Com confiança em Deus de que tudo daria certo, mas muito triste pelo acontecido, Lourdinha voltou para casa. “Você não vai acreditar! As provas estavam o tempo todo no pacote, em cima da minha mesa, lá em casa! Hoje dou risada, mas no dia foi realmente desesperador”.

“Serenatas ao luar” Dr. Sebastião Lopes nunca foi aluno do Sagrado. Ele é o arquiteto responsável pela reforma da estrutura física do Colégio. Sua empresa foi contratada para adaptar o projeto às exigências do Patrimônio Histórico Municipal e também para atender às necessidades pedagógicas. Mas a sua relação com o Colégio não começou assim. “Nos tempos em que o Sagrado era um internato para meninas, nós fazíamos serenatas para elas à noite, quando todos já estavam dormindo. Lembro-me que sentávamos sobre os pilares do muro, um amigo com o violão dava o primeiro acorde. Outro, que cantava no

coral, começava a entoar canções românticas”, diz o arquiteto. Lá de cima, um sinal. Para demonstrar que estavam ouvindo as canções dos galanteadores, as meninas acendiam e apagavam a luz. “Só assim para sabermos se elas estavam ouvindo”. Sebastião conta que, lá pelas três horas da manhã – “e isso acontecia todas as vezes” – saía uma das irmãs de dentro da capela. “O mais interessante é que ela não brigava com a gente, ficava preocupada e dizia: ‘meninos, já está muito tarde. As mães de vocês vão ficar preocupadas, voltem para casa”, lembra.

13


Centenário: um ano inteiro de comemorações

Em maio de 2010, o corredor que dá acesso ao pátio se transformou em um grande túnel do tempo. Ex-alunos, funcionários e pessoas que fizeram parte dessa história reviram suas turmas e velhas amizades, por meio de painéis com fotos que cobriam todas as paredes do corredor. A surpresa, que fez parte da Festa de Abertura do Centenário, levou muitas pessoas às lágrimas – símbolo da felicidade. Esse foi apenas o começo dos inúmeros festejos promovidos entre maio de 2010 e junho de 2011 para marcar o centenário do Sagrado. As atividades envolveram plantio de árvores, festa junina, excursão à Serra da Piedade, Café Cultural, adoção da Praça ABC e muito mais. 14


Alunos, ex-alunos, professores, ex-professores e toda a Família Sagrado marcaram presença na Festa de Abertura do Centenário. Além do Túnel do Tempo, a programação contou com a tradicional missa de Pentecostes, celebrada pelo arcebispo emérito de Belo Horizonte, Cardeal Dom Serafim Fernandes, além do lançamento do selo comemorativo dos Correios em homenagem ao centenário.

15


Um Colégio que tem sua origem na doação e solidariedade não poderia esquecer-se da cidade que cresceu junto com o ele. Para demonstrar carinho por Belo Horizonte e ressaltar a importância da preservação do meio ambiente, alunos de diversas idades plantaram árvores. Além disso, a Praça Benjamim Guimarães, conhecida como Praça ABC, também foi adotada e será preservada pelo Colégio.

16


Aberto à toda a comunidade escolar, o Café Cultural, realizado em abril de 2011, contou com lançamento de livros produzidos pelos próprios alunos, com a brilhante participação do escritor Bartolomeu Campos de Queirós. As famílias lotaram o teatro do Colégio e aplaudiram de pé os escritores mirins.

Fechar uma programação tão vasta com chave de ouro é um verdadeiro desafio. Mas, cem anos de determinação ensinaram ao Sagrado que, com amor, tudo é possível. A Festa de Pentecostes, comemorativa aos 100 anos do Colégio, marca o encerramento das comemorações e representa um encontro de gerações. 17


Inovações para os Foto: Eugênio Gurgel

Colégio investe na modernidade com reformas na estrutura física e novo Projeto Pedagógico

Para conseguir manter-se vivo por um século, o Sagrado Coração de Jesus teve que renovar-se, ano a ano. A estrutura física e o projeto pedagógico do Colégio foram desenvolvidos visando oferecer sempre o melhor em todos os aspectos para os nossos alunos. O prédio que abriga o Colégio desde sua fundação é tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal. Por isso, quaisquer reformas feitas seguem um exigente padrão. Alinhar tais exigências técnicas às necessidades pedagógicas que uma instituição de ensino moderna requer foi o grande desafio de todos os envolvidos. O novo projeto pedagógico segue os parâmetros curriculares nacionais, além dos quatro pilares da UNESCO para a Educação: Aprender a Ser, Aprender a Aprender, Aprender a Conviver e Aprender a Fazer. Os alunos são levados a pensar e questionar. Tal metodologia, alinhada a um espaço físico eficiente e moderno, prepara os estudantes de maneira ímpar para o mercado de trabalho e para o mundo. 18

A empresa Arqsol Tecnologia e Arquitetura foi contratada para intervir na estrutura física do Sagrado. A parte histórica foi completamente revitalizada, mantendo a essência da tradição de um Colégio centenário. Já nas salas de aula, a reforma trouxe a adaptação para o sistema multimídia. Os banheiros, também, passaram por melhorias. Novos laboratórios de Física, Química e Biologia foram aparelhados de acordo com as especificidades de cada disciplina. Os laboratórios de Dança, de Arte, Teatro e Música, oferecem um ambiente que estimula a criatividade e os dons artísticos dos alunos. Fazer de seus alunos protagonistas da história do Colégio, oferecendo a eles a estrutura necessária para tal é o grande diferencial do Sagrado Coração de Jesus. Adicionando a essa equação os valores, a experiência e o amor que sustentam o Colégio, chegamos a um resultado valioso: cem anos de ensino, oferecendo o melhor a todos os alunos.


Foto: Eugênio Gurgel

próximos 100 anos Construção da nova biblioteca Foto: Eugênio Gurgel

Novo espaço de dança

Revitalização do patrimônio tombado Laboratório de Música

Laboratório de Arte 19


Novo laboratório de Física

Foto: Eugênio Gurgel

Novo restaurante e cozinha Foto: Eugênio Gurgel

Nova lanchonete

Revitalização da parte interna

20

Foto: Eugênio Gurgel

Revitalização do pátio interno


Outras obras concluídas Revitalização da recepção. Execução do projeto de prevenção e combate à incêndios; Nova e moderna enfermaria; Revitalização e construção de banheiros para portadores de necessidades especiais;

Foto: Eugênio Gurgel

Novo laboratório de Biologia

Obras em andamento Construção de novo parque infantil (foto); Reforma do Centro de Processamento de Dados (CPD). Construção de refeitório, vestiário e oficinas para funcionários. Revitalização do estacionamento da capela; Reforma da entrada de alunos. Laboratório de Artes Cênicas Foto: Eugênio Gurgel

Projetos em fase de aprovação Construção de planetário no terraço do prédio principal. Reforma completa do prédio infantil, com elevador e terraço. Espaço pluricultural sob o ginásio para o recreio. Construção passarelas cobertas ligando os prédios principal e infantil; Construção do foyer do Teatro e Memorial do Colégio. Reformulação da entrada para embarque e desembarque de alunos. Novo laboratório de Química

Instalação de subestação de energia elétrica. 21


Como estará o sagrado e o foram convidados a vias no alu os ss no a, ric stó hi o içã ed Nesta ores, propusemos en m s Ao . ro tu fu ao o çã re di em jar no tempo s daqui a 100 anos? su Je de o çã ra Co o ad gr Sa o ria se como próximo século no do un m o er ev pr i fo fio sa de o s, Já aos maiore

Sagrado para todas as épocas Eu estava notando como meu filho está grande, maduro e responsável. Queria que sua avó estivesse vendo como ele está diferente... Hoje, eu e Bernardo vamos à festa de 200 anos do Colégio Sagrado Coração de Jesus. É, também, a festa de ex-alunos afinal, eu, Sofia Antunes e meu filho, Bernardo, seguimos a minha mãe Helena e continuamos a história da família no Colégio. É emocionante escrever que uma família quase inteira estudou no Sagrado em épocas tão distintas. Lembro de minha mãe contando histórias que eram criadas a partir de fatos reais, como dizer que o quarto andar era mal assombrado. Se não me falha a memória, ela também dizia que se lembra do nervosismo que tinha antes de subir no palco durante o Festival de Dança, do dia em que sua turma escreveu um livro e muitas outras lembranças. Quando eu estudei no Sagrado, muitas mudanças haviam sido feitas. Até me lembro de quando reformaram o Ginásio do colégio e teve uma grande festa de inauguração com um jogo de futebol como abertura. Então, em 2049, Bernardo nasceu e trouxe uma alegria imensa para todos. Ele estudou no Sagrado por uma decisão minha, pois queria que o meu filho soubesse como é conviver com as pessoas em harmonia, ter um ótimo ensino e educação. Bernardo terminou o Ensino Médio, viu o Colégio se tornar uma das maiores instituições de ensino do Brasil e hoje ele segue o caminho de sua avó: é um jornalista consagrado. Helena Resende Antunes – 9º A – 14 anos Professor Luciano Carielo Lima 22


mundo daqui a 100 anos? Sagrado, sempre sagrado Com os avanços da medicina, hoje estou com 111 anos, tranquilamente caminhando com meu bisneto em direção a sua escola, a mesma que estudei há cem anos, o Colégio Sagrado Coração de Jesus. Na portaria, escadas rolantes e elevadores panorâmicos. Alunos chegam de pranchas voadoras cibernéticas. Nas mochilas, notebook, prancheta interativa e galaxi tab. Eles nem sabem o que é um caderno ou livros didáticos. Todas as salas são multimídia e uma delas tem tela de cinema 5D. Na cantina, robôs em pílulas e o dinheiro só existe através do cartão magnético. Nada de filas. A estrela do Sagrado é a sala interativa, onde é possível viajar no tempo, para qualquer época e lugar. E mais, pode-se interagir com as pessoas da época escolhida. Já no alto está o observatório, lindo e avançado tecnologicamente. É o programa preferido dos alunos no estudo da Astronomia. Nas quadras, telas gigantes de 500 polegadas com placares eletrônicos, controlando tempo, faltas, posse de bola etc. O juiz também é eletrônico. No pátio, brinquedos infláveis com flutuadores, ao som de bandas eletrônicas. No último andar, existe um museu totalmente computadorizado contando a história dos 200 anos de Sagrado que até hoje cumpre sua missão de fazer alunos felizes e éticos. E os professores? São robôs ou pessoas? Isso é para você pensar e responder... Despeço-me de meu neto e volto para casa, lembrando com saudade do Sagrado de cem anos atrás. Lucas Macedo e Bruno Monteiro Barros - 6º ano A – 11 anos, ambos Professora Rizete Vego

23


O Mundo em 100 anos São 06h30, acabo de acordar, hora de ir para aula. Levanto e desligo o despertador. Coloco o uniforme. Estou com fome, acho melhor tomar o café. Pão, queijo e leite, como sempre. Escovo os dentes, pego a mochila e vou para à escola. Tenho que chegar até às 7h30, mas sempre me atraso por causa dos sinais, e quando chego ao Colégio tenho que subir muitas escadas com o peso dos livros nas costas. Paro e penso, como seria o mundo daqui a 100 anos? Começo a imaginar. Acordo as 06h30 com um belo robô me chamando, sento na cama e ele começa a me vestir e a arrumar meu cabelo. Em seguida, sai e volta com um esplêndido café. Assim que termino de comer, meus dentes são escovados. Levanto, vou em direção à porta. O robô aparece, me entrega a mochila e diz bom-dia. Em seguida, saio. Fora de casa subo uma escada e chego a uma rodovia só para pedestres, olho para baixo e vejo carros passando, olho para cima e vejo mais carros, em pleno vôo. Assim fica fácil chegar a tempo. Só agora percebo que minha mochila está mais leve, é melhor abrir. Dentro dela, não tinham livros, apenas um tipo de iPad, muito moderno. Legal. Cheguei, agora não existem mais escadas, bom, na verdade existem, mas são rolantes. Gosto da ideia. Chega de fantasia, paro de imaginar todos esses avanços e começo a pensar em desordem, caos. Daqui a 100 anos não haverá mais vida e caso haja será sombria, se nós do presente não nos conscientizarmos e repensarmos nossos atos, pois tudo o que fazemos hoje terá um reflexo no futuro, isso pode ser bom ou não, basta termos atitude e cuidar do planeta. Marcela Pires de Mattos Fiusa - 1ª série A – 16 anos Professora Luciano Carielo Lima

24


Daqui a 100 anos... Se hoje já nos deparamos com grandes avanços tecnológicos, daqui a cem anos esperamos presenciar um universo totalmente novo e impossível de ser descrito. Há muito tempo às pessoas já tinham uma versão de como o mundo seria. No início do século XX um livro polêmico foi escrito por Aldous Huxley chamado Admirável Mundo Novo, em que o autor propôs um novo mundo em que as pessoas viveriam em uma sociedade que os bebês seriam fertilizados em tubos de ensaio e as pessoas seriam condicionadas por gravações durante à noite. O desenho infantil “Os Jetsons”, mostrava carros voando, robôs como empregados e hologramas. Todos esses “absurdos” para aquela época acabaram acontecendo; hoje há bebês de proveta, a mídia influencia os consumidores, carros que dirigem sozinhos e hologramas em telejornais. Antes essa versão do futuro era fácil de imaginar, pois o mundo estava em ritmo pós-guerra, de restaurações, mudanças eram os grandes objetivos da humanidade. Porém hoje, que o mundo permanece estável ideologicamente, fica difícil prever como as novas gerações irão crescer, pensar e agir ao guiar a humanidade do futuro. Apenas é possível imaginar que daqui a cem anos tudo estará sempre caminhando para o desenvolvimento e praticidade. Além disso, não podemos esquecer que o pensamento e a preocupação com o planeta Terra, não poderão desaparecer, pois o nosso planeta vive, reproduz e se não cuidarmos, com o tempo, chegará a hora que ela irá morrer. Esperamos então, mesmo com essa incógnita da ideologia dessas futuras gerações, além das mudanças e avanços tecnológicos, o cuidado de pessoas com pessoas e o com o planeta sempre serão necessários e atemporais. Luiza Ruas Drumond e Larissa Fernandes Dornas - 2ª série B – 16 anos, ambas Professora Mariane Lemos Capelli Nogueira.

s:

ho Desen

° ano eira - 2 v i l O e u Henriq lo - 4° ano Felipe el l Camp o Gabrie Diniz - 5° an ano a l e i va 5° Gabr Vilano 5° ano o r d e aJoão P Oliveir e d a n Lore 5° ano Felix a z i u L no a - 5° a Vaness

25


Educação qu Ex-alunos do Sagrado hoje brilham no mundo

Encontro das ex-alunas do Sagrado Coração

Quando os pais confiam na educação que deram aos filhos, não existem motivos para receio. Eles saem de casa para construir seu próprio caminho e o que fica é apenas o orgulho. Os ex-alunos do Sagrado são como filhos, que se formaram em nossos braços e hoje constroem um mundo melhor, levando consigo os valores e ensinamentos adquiridos aqui. O Sagrado, por sua vez, é como um pai coruja, que se orgulha muito e gosta 26

de contar para todo mundo o sucesso de seus filhos. Médicos, dentistas, jornalistas, professores, músicos, escritores e muitos outros profissionais bem sucedidos nos dão orgulho e força para continuar acreditando e formando humanos para fazer um mundo melhor. Confira abaixo três entrevistas com ex-alunas, que representam todos os milhares de profissionais bem sucedidos que passaram por aqui.


ue dá orgulho Embaixadora de Solidariedade Fabia Russano Yazaki foi aluna do Sagrado Coração de Jesus da quinta série do Ensino Fundamental ao terceiro ano do Ensino Médio. Hoje, após passar em um concurso internacional da Organização das Nações Unidas (ONU), atua em uma missão no Timor-Leste. Muitas experiências marcaram os anos que ela conviveu com o Sagrado. Dessas, algumas nunca saíram de seu coração. Das experiências vividas no Sagrado Coração de Jesus, quais foram as que mais te marcaram? Lembro-me que nossos pais sentiam tranquilidade em confiar seus filhos ao Sagrado e os alunos eram muito unidos. O Colégio me presenteou com fortes amizades, com a noção da importância do trabalho em equipe e reforçou meus valores e o respeito pela tradição, além de grande parte da minha formação acadêmica, é claro. Uma das lembranças que me marcaram era a alegria que eu sentia em levar meus avós, vindos de São Paulo e do Japão, ao Colégio, para mostrar-lhes o quadro de honra que destacava os melhores alunos do ano. Lembro-me que alguns colegas e eu nos esforçávamos muito para isso, do qual não tenho arrependimentos. Dos amigos feitos no tempo de escola, você ainda mantém contato com algum? Quando se vive fora do país por tanto tempo, são as raízes criadas na infância e na adolescência que nos dão o senso de lar, de pátria. Portanto, além da minha família, os amigos são fundamentais

para o meu próprio senso de identidade e origem. Sem dúvida, entre meus melhores amigos estão aqueles que conheci no Sagrado e na UFMG e cujas amizades espero merecer para o resto da vida. Gosto muito de estar com eles quando volto a BH, a maioria já se tornou mães, pais e profissionais de sucesso no mercado. Qual sua lembrança dos funcionários e professores do Sagrado? Tenho muito carinho e gratidão pelos meus professores do Sagrado. Devo minha carreira na área de exatas aos meus professores de Matemática e Física, Dona Vilma Kotosky, Daniel, Gerson e ao meu pai, que foi professor de Matemática e engenheiro. Minha paixão por história devo ao professor Domingos. Lembro com carinho dos funcionários do Colégio, do jardineiro à diretora, e da Adriana, que começou jovenzinha a trabalhar no Colégio e com sua competência e determinação alcançou a diretoria. E é claro, das irmãs, das mais bem-quistas às mais “temidas” (risos).

Fabia Russano Yazaki Funcionária da ONU, em missão no Timor-Leste

O que o Colégio Sagrado Coração de Jesus significa para você? O Colégio Sagrado Coração de Jesus significa para mim não só a principal fonte formal de educação que tive, mas também a origem de amizades que levarei pela vida toda. Se pudesse resumir sua passagem pelo Colégio em três palavras, quais seriam? Amizade, Conhecimento e Honestidade. 27


Sons que tocam o coração Camila Pacífico Homem estudou no Sagrado Coração de Jesus por nove anos. Na Suíça, concluiu a graduação e o mestrado em música. Hoje, aos 27 anos, Camila mora em Belo Horizonte e toca violoncelo na Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, considerada uma das melhores do Brasil. Dentre as lembranças que guarda estão ensinamentos e momentos engraçados no Sagrado Coração de Jesus.

Camila Pacífico Homem Musicista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Como foi sua experiência no exterior? Minha experiência fora do Brasil foi maravilhosa! Fui aos 19 anos para estudar música na Europa, onde morei por oito anos, seis na Alemanha e dois na Suíça. Lá concluí os cursos de Bacharelado e Mestrado. Posso dizer que cresci muito não só na área da música, mas também como pessoa. Tive que me adaptar a uma cultura completamente diferente, a um novo ritmo de vida e às novas regras de um lugar tão diferente do que eu estava acostumada. Mas depois do impacto da mudança e com o passar dos anos, cada coisa que eu conquistava significava muito para mim e me dava uma sensação de muito orgulho. São boas lembranças que vão ficar na memória pelo resto da vida. Você ainda mantém contato com seus amigos do tempo de Sagrado? Poucos, pois fiquei muito tempo fora e acabei perdendo contato com muita gente. Mas aqueles que consegui manter são pessoas muito especiais às quais dou muito valor. As aulas e os professores influenciaram de alguma maneira na escolha de sua carreira? Diretamente não, pois o amor pela música já veio de dentro de casa já que venho de uma família de músicos. Mas o fato de a escola proporcionar aulas obrigatórias de flauta doce ao primário foi um grande incentivador. Acho muito importante o ensino da música nas esco-

28

las. Já foi provado que existe uma incrível correlação entre a educação musical e o desenvolvimento das habilitações que as crianças necessitam para se tornarem bem sucedidas na vida. A autodisciplina, paciência, sensibilidade, coordenação e a capacidade de memorização e de concentração são muito valorizadas com o estudo da música. Essas qualidades acompanharão as crianças em qualquer caminho que escolham para a sua vida. O que você mais gostava no Sagrado? Tenho boas lembranças dos professores do Sagrado. Eram pessoas que nos tratavam de forma muito pessoal. Ao contrário de muitos colégios onde os alunos são identificados por números, no Sagrado cada professor sabia nosso nome e conhecia a personalidade e as dificuldades de cada um de nós. Acho isso muito importante no aprendizado, já que cada aluno precisa de um tempo e de uma forma para aprender e é dever do professor conhecê-lo bem e encontrar a melhor maneira de ensiná-lo. Você se lembra de algum caso inusitado ou engraçado que tenha acontecido com você quando estudava lá? Uma vez eu e minha amiga Líliam (ex-aluna do Sagrado, pela qual tenho um carinho muito grande até hoje) ficamos presas dentro da igreja do Colégio. Não me lembro bem o motivo, mas acho que era porque queríamos ver a moça bater o sino do meio-dia. Ficamos lá dentro escondidinhas, mas não sabíamos que eles trancavam a capela ao meio-dia. Ficamos presas lá dentro! Tivemos que bater forte na porta para que nos tirassem de lá e a vergonha ao sair e ver todos rindo foi algo que ficou na memória. Se você pudesse resumir sua passagem pelo Sagrado em três palavras, quais seriam? Aprendizado, Crescimento e Amizade


Alegria das palavras A ex-aluna do Sagrado Coração de Jesus, Paula Pimenta, é formada em Publicidade e Propaganda, mas descobriu nos romances sua verdadeira vocação. A carreira de escritora começou em 2001, com o lançamento do livro de poemas “Confissão”. De lá para cá estudou música, atuou na sua área de formação e escreveu diversas crônicas que, segundo ela, ainda virarão livro. Paula passou a ser conhecida pelo grande público em 2008, quando lançou “Fazendo meu filme”. Em 2009, lançou “Fazendo meu filme 2” e, em 2010, “Fazendo meu filme 3”. Conheça a seguir um pouco mais sobre a escritora e sua relação com o Sagrado.

época são tão intensos que acabam nos influenciando por grande parte da vida. Pelo menos para mim, esse foi um período tão marcante que eu me lembro muito mais de acontecimentos dessa fase do que de coisas que vivi poucos anos atrás.

Dos momentos vividos no Sagrado Coração de Jesus, existe algum que a tenha marcado mais? Acho que nossa vida é muito marcante na adolescência, então tenho lembranças muito nítidas da época em que estudei lá. Foi bem na fase das “festas de 15 anos” e primeiras paixões, era tudo muito intenso. Do Colégio em si, me lembro muito das missas de Pentecostes. Até hoje sei algumas músicas da missa de cor!

Você teve a oportunidade de ver as reformas na estrutura física do Sagrado? O que achou? Tive, sim! Achei que o Colégio está lindo, supermoderno, deu até vontade de estudar lá de novo!

Como foi a opção pela carreira de escritora? O que influenciou sua escolha? No Colégio, minhas melhores notas eram em Literatura, Português e Redação. Na época do vestibular resolvi fazer Jornalismo, para profissionalizar esse amor pela escrita. Mas logo no começo do curso eu percebi que não queria relatar os fatos imparcialmente e sim colocar emoção nas linhas. Foi com “Fazendo meu filme” que eu realmente descobri que o que eu mais gosto de escrever são romances. Do que você tem mais saudade nos tempos de escola? Ah, tenho saudade de tudo! A escola não é só o lugar que a gente vai para estudar, mas onde a gente também aprende a viver. As amizades e amores dessa

Como foi a experiência de voltar ao Colégio para falar aos alunos como uma escritora? Você acha que por ser ex-aluna a receptividade é diferente? Foi muito emocionante, pois eu me enxerguei nos alunos. Eu era exatamente como eles! Acho que o carinho é maior, pois de certa forma o Colégio é responsável pelo futuro dos alunos, por nos dar uma boa formação.

Paula Pimenta Escritora

Qual sua lembrança dos funcionários e professores do Sagrado? Eu me lembro especialmente das Irmãs, elas eram muito participativas no Colégio na época em que estudei lá. A diretora era a Irmã Obedientíssima e eu tive aula com as Irmãs Maria da Paz e Edwiges. E eu me lembro muito também das aulas da professora Mariane, com quem eu tive o grande prazer de reencontrar! O que o Colégio Sagrado Coração de Jesus significa para você? O Sagrado me passa uma sensação de familiaridade, de aconchego. Às vezes eu passo de carro na porta e eu sempre penso: “Meu Colégio!”. É como se eu tivesse um elo com a escola. E o mais interessante é que a minha avó também estudou no Sagrado, então é como se realmente o Colégio fizesse parte da minha família! Se pudesse resumir sua passagem pelo Colégio em três palavras, quais seriam? Amizade, Estudo e Saudade

29


Personalidades registram a “O Colégio Sagrado Coração de Jesus faz parte da história de Belo Horizonte e de Minas Gerais. Em seus 100 anos de existência, vem mostrando que educar não é apenas valorizar o aspecto intelectual, mas também o humano, cidadão. Parabéns a todos que fizeram, fazem e farão parte da história desta centenária instituição pedagógica cultural de nossa terra.” Antonio Augusto Anastasia Governador de Minas Gerais

“Um ciclo de apenas 14 anos separa o surgimento de Belo Horizonte, como capital de Minas, em 1897, e o Colégio Sagrado Coração de Jesus, fundado em 1911 e referência no sistema educacional de nossa cidade. Ao longo de sua história de 100 anos, essa instituição tem desempenhado um papel fundamental na formação acadêmica e humana de nossos jovens e contribuído, de maneira decisiva, para que seus alunos e alunas aprendam a exercer com dignidade a liberdade e a cidadania.” Marcio Lacerda Prefeito de Belo Horizonte

“A felicidade vivenciada pelos alunos no espaço escolar é um indicador maior da qualidade da educação que se pratica. Os alunos do Sagrado Coração de Jesus vivem no Colégio em constante estado de felicidade.” Bartolomeu Campos de Queiros Escritor

30


relação do Sagrado com BH “Uno-me aos membros desta grande família jubilar, com o coração repleto de alegria, dando graças a Deus pelo Centenário do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Alegro-me, particularmente, dando graças pelo dom das Irmãs da Congregação das Servas do Espírito Santo que, com grande empenho missionário e educativo, fizeram desta obra um precioso instrumento de formação integral de jovens e crianças, alicerçada nos valores do Evangelho de Jesus Cristo. Nossa Senhora da Piedade, Padroeira de Minas Gerais, guie e acompanhe, hoje e sempre, este trabalho fecundo.” Dom Valmor de Oliveira Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte

“O Colégio Sagrado Coração de Jesus está comemorando os seus abençoados 100 anos de existência em nossa Belo Horizonte. Uma verdadeira bênção sobre tantas e tantas famílias... É uma bela história da presença amorosa de Deus, plantando valores de fé, vida e saber em tantos corações. Belo Horizonte agradece.” Dom Serafim Fernandes Arcebispo Emérito de Belo Horizonte

“Ana Catarina e eu temos dois filhos menores, Daniel e Gabriel, no Colégio Sagrado Coração de Jesus. O que destaca a escola, além da qualidade do ensino acadêmico, é o tratamento personalizado, de atenção e de carinho com os alunos. Parabéns pelos 100 anos.” Hélio Costa Ex-Senador e Ministro

31


Homenagem do S que ajudaram a cons Durante um século de vida, diversas pessoas ajudaram a construir, tijolo por tijolo, a história do Sagrado Coração de Jesus. Gostaríamos de homenagear todas elas nessa publicação histórica, mas infelizmente isso é impossível. Assim, escolhemos algumas personalidades que representam toda a Família Sagrado. A todos vocês: Muito obrigado!

Professor Aloísio Fabiano Graciano Cruz Fabiano foi Coordenador Geral do Sagrado e professor de Matemática do 3º ano do Ensino Médio, de 1977 a 1994. Sua presença entre alunos, professores, direção e funcionários do Sagrado foi extremamente marcante, pois Aloísio é e sempre foi uma referência de profissionalismo, dedicação e trabalho. No Colégio sua competência se manifestava, sobretudo, na serenidade e equilíbrio com que transigia nas relações e nos conflitos naturais decorrentes da própria atividade profissional. Ao professor Fabiano, nossos mais sinceros agradecimentos pelo brilhante trabalho que realizou em prol do Sagrado Coração de Jesus. Seus anos de trabalho estão para sempre gravados na História do Sagrado.

Professora Eloísa Helena Vilela Cruz Quem não se lembra com enorme carinho da “Tia Eloísa”? Como esquecer sua energia, determinação, carinho e empenho como Diretora do Ensino Infantil do Sagrado, durante o período de 1979 a 1994? Incansável colaboradora das Irmãs, das professoras e das famílias que para cá traziam seus filhos, ainda pequenos – muitos nas fraldas – para receberem as primeiras lições... Era com um desvelo e entrega incondicionais que Eloísa realizava seu trabalho junto à comunidade escolar que estava sob sua orientação. Sua dedicação à tarefa de educar, no seu sentido mais amplo, não encontrava limites de tempo nem hora. À Eloísa, a nossa homenagem e a certeza de que sem ela o Centenário do Sagrado não teria o mesmo brilho.

32


Sagrado àqueles struir a sua história Irmã Matilde Nossa Irmã Matilde, Serva do Espírito Santo, revela em cada gesto e em cada palavra a certeza de sua escolha. A vida entregue a favor do outro é seu bem maior. Suas principais qualidades são o silêncio, equilíbrio e a grande sensibilidade para com os próximos. A todos tinha uma palavra de ânimo e de simpatia. Querida dos funcionários e de todos da casa, era a pessoa responsável pelas finanças do Colégio. Hoje, Irmã Matilde presta seus valiosos serviços na Itália e daqui mandamos para ela o nosso mais sincero muito obrigado. Seu jeito sereno e humilde cativou-nos e deixou para sempre nosso coração cheio de saudades.

Maria Geralda Leão Macedo Geralda conquistou, por sua competência e merecimento, a confiança de todos do Sagrado, desde alunos, pais, familiares, professores, funcionários até a direção. Sua disponibilidade, firmeza, generosidade para com cada um de nós tornou-a indispensável no nosso dia a dia. Geralda é uma Educadora que sabe ouvir, confiar e encorajar cada um que pede sua ajuda. Uma combinação de firmeza com carinho, de exigência sem atropelos. Inspira-nos o tempo todo a chegar aos 200 anos de Sagrado com a energia de meninos. A você, Geralda, a nossa mais profunda gratidão.

Ir. Algarda Hildegard Bocher Ir. Algarda nasceu em Fussingen, na Alemanha, no dia 9 de março de 1924. Chegou ao Brasil em 22 de novembro de 1953, para cumprir sua missão evangelizadora. Tão logo aprendeu Português, começou a se dedicar à administração da província e dos Colégios da Rede, o que vem realizando com muito afinco durante mais de 50 anos. Ir. Algarda faz parte da história do Colégio Sagrado Coração de Jesus, pois acompanhou com muito carinho e competência toda a administração do Colégio dos anos 50 ao início dos anos 90. Seu amor e profissionalismo foram os responsáveis pela revolução nesse setor, contribuindo em muito para nosso crescimento.

33


A Família Sagrado orgulha-se em compartilhar este centenário com você! Adelmo Carvalho dos Santos Adriana Batista Cerqueira de Melo Adriana Sales Zardini Adriana Vilaça Gonçalves Santiago Campos Alcione Rodrigues da Silva Alessandro Alvarenga Tocafundo Ana Carolina dos Reis André Mansur Saadallah Andréa da Costa Freitas Andréia Silva Porto Andreza Patrícia Gomes Carmo Ângela Maria Gonçalves Pereira de Oliveira Ângela Melendez Conigliaro Anita Kelly Vilela Olimpio Aparecida Antônia Alves da Silva Ariadna Alice Figueiredo de Souza Bruno Ambrózio Teixeira Carolina Olympio Barçante Carolina Paubel dos Santos Célia Almeida de Holanda Melo Cláudia Helena Cintra Ricci Sabatine Cláudia Maria Rossi de Carvalho Cláudio Luiz Soares Lima de Lana Cleidson Barbosa Fonseca David Leopoldino Denise Pires Silva Carneiro Eliana Aparecida de Jesus Melo Elson Teixeira Damasceno Érika de Melo Santos Érika Giesbrecht Fábio Lucena Reis Fátima Luzia Rafael Corrêa Felipe Piñeiros Caldeira Fermin José Sueiro Fernanda Moura Vale Mota Fernando Carlos Miranda Flávia Oliveira Motta Pessoa Miguez Flávia Simone de Oliveira

34

Geraldo Kisteumacher do Nascimento Gilberta Aparecida de Souza Giovanni Bernardo da Silva Gislane Marcondes Vieira Peluso Graziela Impellizieri Castro Helena da Silva Rocha Hélio Silveira Vilaça Hildeana de Jesus Melo Inara Gonçalves Gomes dos Santos Ione de Araújo Botelho Jacqueline de Lima e Sousa Campos Jarbas de Carvalho Filho Joaquim Raimundo de Rezende Jonas José Santana Juliana Araújo Caixeta Lima Juliana Miranda Moreira Juliana Perpétua de Carvalho Kelly Glaice Viturino Sampaio Marte Kildery Cristian Pereira Mendes Leda Ferreira Laredo Leda Marcia Caldas Fernandes Lilian Alves de Andrade Lucas Eugênio de Almeida Santos Pantolfo Lúcia Alves Melo Lúcia Elza Freitas Luciano Carielo Lima Luciano Juvenal Luzia Ferreira da Silva Marcelo Aleluia de Souza Márcia Margarida Vilaça Márcia Maria Mendes Marco Antônio Pinto Maria Aparecida Braga Arêas Maria Aparecida Fernandes de Oliveira Maria Celina Baptista de Assumpção Maria Cristina de Souza Caetano Maria das Graças Gonçalves Maria do Carmo Péret Dias

Maria Geralda Leão Macedo Maria Imaculada Oliveira Mariana Gonçalves P. O. de Freitas Mariane de Oliveira Tokairin Mariane Lemos Capelli Nogueira Marília Cerqueira Melo Carsalade Marília Fernanda da Silva Pereira Matheus Rosa Venâncio Miguel Renato de Almeida Miriam Silva Alves Moizes Rodrigues da Silva Mônica de Mattos Silva Nilzete Alves dos Santos Olinda de Abreu Soldati Patrícia Carneiro Vasconcelos Pedro Delfino Vieira Priscila Garcia Reis Regina Celi Folsta Valle Regina Justiniana Galantini Lana Renata Teixeira da Conceição Ricardo Alexandre de Oliveira Santos Ricardo Vilela Cecílio Rita de Cássia Lucas Pereira Rita de Cássia Pinheiro Barbosa Rizete Maria Felipe Vega Rodrigo Moreira Abrantes Rubelardo Alcântara Sebastião Daniel Guimarães Martins Silvano Aparecido de Melo Silvia Gomes da Silva Simone Soares dos Santos Solange Ulhôa Goulart de Lucena Tânia Valéria Cruz Lobato Tiago Luiz Teixeira de Oliveira Valdir Antônio Ferreira Vânia Maria de Pádua Wagner Cândido da Silva Wilson Dantas Rodrigues


Irmã Maria de Fátima Marques de Oliveira Diretora Geral

Regina Celi Folsta Valle Diretora Educacional

Adriana Vilaça Gonçalves Santiago Campos Diretora Administrativa

Sentimos imensa satisfação e, ao mesmo tempo, grande responsabilidade de estar à frente de uma Escola Centenária que objetiva formar crianças e jovens conscientes de seu valor como seres humanos. Contamos com educadores de excelência para educar pessoas e futuros profissionais, comprometidos com a construção de uma sociedade mais justa e um planeta sustentável. É muita honra fazer parte desta história! Diretoria do Colégio Sagrado Coração de Jesus

Que venham os próximos 100 anos 35


Centenário do Colégio Sagrado Coração de Jesus 36


Revista dos 100 Anos do Sagrado Coração de Jesus  

Revista comemorativa de 100 anos do colégio Sagrado Coração de Jesus de Belo Horizonte

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you