Issuu on Google+

BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de escolas de idães NEWSLETTER N.º 5

DEZEMBRO/2011

Editorial

Pontos de interesse especiais:

Neste ano letivo as Bibliotecas Escolares do Agrupamento estão a dinamizar, em articulação com os Departamentos, várias atividades: - Projetos: Plano Nacional de Leitura * Bibliomala em articulação com o 1º CEB; * Clube dos Amigos da BE; * Hora do Conto; * Passaportes de Leitura; * Contos por e-mail; - Concursos * Concurso Nacional de Leitura - CNL; - Outras * Leitor do Mês; * Os mais lidos; * Dossiers Temáticos; * Boletins Bibliográficos; * Blogue - www.biblioidaes.blogspot.com

Os projetos só são viáveis com a participação de todos. SARAU CULTURAL principal missão - a salvaguarda e divulgação das tradições da nossa comunidade educativa. A música e a alegria dos seus participantes contagiaram os presentes, naquela noite fria de Dezembro.

 Semana das Bibliotecas Escolares.  Visita do escritor Pedro Seromenho.  Feira do Livro  Sarau Cultural

Nesta edição: Semana das Bibliotecas Escolares

2

Visita do escritor Pedro Seromenho

3

Hora do Conto

3

Feira do Livro

3

Exposições/Palestras

4

Vamos rifar um Livro

4

Concurso Nacional de Leitura

4

Próximas Atividades

4

Opinião Leitora

5

O Rancho Infantil e Juvenil da Casa do Povo da Longra brindou-nos com a sua atuação no nosso Sarau Cultural, o enriquecendo e contribuindo, com aquilo que é a sua Com a Colaboração do:

Rancho Infantil e Juvenil da Casa do Povo da Longra


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Página 2

Semana das Bibliotecas Escolares Entre os dias 24 e 28 de Outubro decorreu a semana das bibliotecas escolares com várias atividades realizadas nas duas bibliotecas do Agrupamento. O objetivo desta semana é a valorização da biblioteca escolar e do seu papel na educação das crianças e dos jovens. Hoje, sabe-se que os jovens e adolescentes que mais lêem, desenvolvem melhor a literacia e obtêm, geralmente, melhores resultados. Nesse sentido foram programadas algumas atividades para estimular a leitura. O leitor mergulhou na feira do livro e no encontro com o escritor, a sua escrita e a sua ilustração em busca de um sentido, pois cada um lê com os olhos que tem e interpreta de forma diferente. Feira do Livro Infantil Pela 2.ª vez, realizou - se a Feira do Livro Infantil, na biblioteca da escola Básica de Idães, entre os dias 24 e 28 de Outubro.

Contámos com a presença das crianças e alunos de todos os Jardins de Infância e EB 1 do Agrupamento. Visita do Escritor Pedro Seromenho No dia Mundial das Bibliotecas Escolares os alunos 2º ciclo, releram e recontaram os textos de Pedro Seromenho e ouviram. Atentamente a sua forma de contar e de ilustrar o texto. No final do encontro com o escritor, os alunos do CEF, ofereceram um café com doces da região ao escritor convidado, à coordenadora interconcelhia da RBE, à direção, às professoras bibliotecárias e aos docentes.

Os alunos tiveram a oportunidade de participar num encontro com o escritor Pedro Seromenho.


DEZEMBRO/2011

Página 3

BIBLIOTECAS ESCOLARES

Hora do Conto Durante o mês de Novembro as professoras bibliotecárias realizaram a Hora do Conto nos Jardins de Infância e nas EB1 do Agrupamento. Esta atividade tem como finalidade promover a leitura e despertar nas crianças o interesse para explorar o mundo mágico da leitura e dos livros.

Trabalhos realizados pelos alunos da EB1 de Rande

A biblioteca oferece todos os dias a possibilidade de folhear, ler e escolher um jornal, uma revista ou um livro. Utiliza! Feira do Livro Já vem sendo hábito em Dezembro, com a chegada do inverno e do frio a Biblioteca da Escola Sede ter a sua Feira do Livro. Assim dando continuidade à realização desse evento, mais uma vez se cumpriu a realização da Feira do Livro. Tivemos a visita dos alunos da escola Sede, dos alunos do 1º Ciclo da escola Básica de Idães e do Jardim de Idães, dos docentes, dos auxiliares, e demais elementos da Comunidade Educativa. No dia do Sarau Cultural a Feira esteve aberta até às 23 horas. Encarregados de Educação e alunos visitaram a feira do Livro.

Mais uma vez contámos com a colaboração do “Bazar Lolita, Livraria e Papelaria” para a concretização deste evento.


Página 4

BIBLIOTECAS ESCOLARES

Exposições/Palestras Ao longo deste período tivemos na Biblioteca várias exposições de trabalhos promovidos pelos alunos. De realçar duas exposições: “Estudo e Profundidade do Espaço” realizado pelos alunos de 7ºano nas aulas de Ed. Visual da prof.ª Fernanda Carvalho e o Concurso “Postais de Natal” promovido pelo grupo de Educação Visual e que possibilitou a todos os alunos do Agrupamento participarem de forma autónoma. Mais uma vez a Biblioteca disponibilizou o seu espaço aos alunos e docentes, permitindo a articulação entre os recursos da Biblioteca e as diversas áreas disciplinares. Neste período contámos com a presença de um designer Inglês que se disponibilizou para um diálogo com os alunos de secretariado do 10º ano dinamizado pela prof.ª Maria Conceição Costa Reis. Ainda por último de destacar a decoração de Natal realizada pelos alunos de 5.º e 6.º ano na disciplina de Educação Visual e Tecnológica das professoras Maria Conceição Freitas e Manuela Duarte. Vamos rifar um Livro!

Poema

Este ano a equipa da BE promove o sorteio de livros ao longo do ano, com o intuito de criar novos leitores e angariar algum fundo para mais livros. Os alunos aderiram de forma entusiasmada, nas duas Bibliotecas. Concurso Nacional de Leitura À semelhança dos anos anteriores, a Biblioteca Escolar e as docentes dinamizadoras do departamento de línguas, estão a organizar a participação dos alunos da escola no Concurso Nacional de Leitura (CNL). O regulamento, calendarização e obras selecionadas podem ser consultadas na biblioteca ou no blogue da BE.

O amor cresce durante o dia, Vive connosco durante a vida. Entristece o nosso coração. Nunca morre quando chega a noite. Traz-nos harmonia e alegria, Mas, por vezes, também, separação. Se um dia deixares cair uma lágrima, Limpa-a com um sorriso. Enche o teu coração de mimos, Não deixes que a tristeza entre dentro de ti. Lembra-te que a felicidade é a melhor coisa em ti. Joana Magalhães, nº19 - 9.ºB

Próximas atividades Daremos continuidade a nossa “Hora do Conto”, percorrendo as escolas do 1.º ciclo e Jardins do nosso Agrupamento.

Em Março, teremos a Semana da Leitura concelhia, com várias atividades dinamizadas pelos Agrupamentos de escolas e Escolas Secundárias do concelho de Felgueiras, em parceria com a Biblioteca Municipal.


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Página 4

Opinião Leitora Todos os livros deixam uma certa marca na pessoa que o lê, marcas positivas ou negativas dependendo da opinião de cada leitor. O livro “Os Filhos da Droga” é uma história verídica que me prendeu desde a primeira palavra, um relato de vida de uma criança que rápido se tornou numa mulher crescida, uma mulher que tinha que trabalhar para sustentar o seu vício, a heroína. É impressionante a maneira como este livro está escrito, é uma escrita paralela pois temos a possibilidade de ler as duas versões da história, a de Christiane e o da mãe dela. Uma escrita simples e clara, detalhada, não deixando escapar nenhum pormenor. É um livro intemporal, uma lição de vida que me ajudou muito na compreensão das pessoas toxicodependentes, ajudou a perceber que os seres humanos não têm quaisquer forças perante este vicio, ajudou a perceber o que vai na cabeça das pessoas que se agarram à sua destruição, agarram-se à morte, ajudou a perceber os sentimentos destas e principalmente ajudou a perceber que droga só tem um lado, o da morte. Toda a gente devia ler, principalmente os adolescentes, quando entram naquela fase que querem descobrir tudo sobre tudo, não queiram entrar num mundo aparentemente atrativo, não queiram entrar para o túnel que só tem uma saída, a destruição, a infelicidade, a dependência, a morte. Leiam! [Maria Guimarães Nº 19 -11ºA]. A autora fez um trabalho notável neste livro. Teve de tomar grande liberdade imaginativa, pois a maior parte desta história é um mito. O que, de facto, me surpreendeu muito neste livro foi que a autora, com a sua escrita quase mágica, conseguir dar vida e sentido a personagens, criatura mitológicas e deuses, todas elas muito bem retratadas de acordo com a mitologia grega, o que demonstra que houve um trabalho profundo de pesquisa histórica e que não se limitou a “inventar”. Gostei sobretudo das personalidades dos deuses, que apesar de serem mais belos e superiores aos humanos, têm uma natureza traiçoeira e estão carregados de sentimentos humanos como o ciúme, o orgulho e até o amor. A personagem de Helena, que narra a sua própria história, está magnificamente construída, tendo uma personalidade forte, inteligente e decidida. Retirando-nos a ideia de uma personagem submissa e egoísta que ora se deixa casar com quem não quer, ora se deixa raptar, perdida pela sua própria beleza. Não é o caso desta Helena que pondera e justifica pertinentemente cada uma das suas ações. Mesmo não tendo provas da existência da lendária Troia e seus muitos heróis, Margaret George conseguiu reunir o que há de melhor na história de Helena, Páris, Aquiles, Heitor, Menelau, Agmmenon, Príamo e todos os demais ícones de Troia. Com sinceridade, para quem quer ter um olhar mais abrangente sobre o mito de Troia, recomendo a leitura de “Helena de Troia”. [Linda Inês Mendes da Silva nº 17 -11ºA].

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história”. Bill Gates «No mundo em que vivemos, é cada vez mais necessário “ressuscitar” a criança que mora em cada um de nós». Esta afirmação está de acordo com o texto «O Principezinho» e também deveria estar presente no nosso quotidiano. Hoje em dia, as pessoas adultas só pensam em coisas materiais, só pensam em dinheiro e acabam por esquecer aquela fase importante que vivemos na nossa vida: “ Quando éramos crianças.” Devíamos, sempre, ou, vá lá, muitas vezes, ressuscitar essa pessoa que vive dentro de nós, mas, enfim, com a realidade tão difícil que temos que enfrentar, com a crise, com a fome, com as desgraças que acontecem por esse mundo fora, é um bocado ou até muito difícil recordar esses tempos. Para algumas pessoas torna-se verdadeiramente um absurdo perder tempo a recordar os velhos momentos, e porquê? Porque só pensam em trabalho, em organizar a vida, em ir às compras, em ir às finanças, etc., etc. … A opinião que tenho é que se todas as pessoas lessem «O Principezinho», certamente iriam recordar os bons momentos que passaram, iriam enfrentar melhor a vida, aproveitar cada momento como se fosse o último, e com certeza, iriam ser bem mais felizes! (Adriana Ferreira, nº 1-9ºB)


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Página 4

Opinião Leitora A história da vida passa a ser contada pelo próprio António Feio tornando o discurso num emocionante texto autobiográfico. É logo a partir da introdução que ele mostra uma grande frontalidade em relação à doença e podemos ler que esta entrevista foi feita duas semanas antes da sua morte. Ao longo do livro António mantém o seu otimismo e considera que lutar por alguma coisa tem sempre os seus benefícios. Mostra algum arrependimento quando toca naquilo que deixou para trás, revela que se pudesse teria passado mais tempo com a família e tudo aquilo que mais importava para ele. Falando em importância, António considerava ser fundamental ter sonhos , ele que em pequeno sonhava ser músico, ter uma mota, um estúdio fotográfico e também um Porsche. Já os sonhos de adulto, e porque a idade assim o proporciona, são mais maduros e englobam como por exemplo a vontade de ter sucesso nos espetáculos, ter filhos ou ser avô. Depois de várias páginas que nos deixam agarrados pela simplicidade de um homem que faz parte de um leque incontornável de artistas portugueses, ele escreve sobre o seu cancro, o grande tumor no pâncreas que «Raios partam (…) não desaparece!». António acha estranho como algo que não se vê pode deixar alguém tão limitado, que de repente tanto está cheio de dores e de um momento para o outro, ao desaparecerem, parece originarse uma vaga de energia que o faz sentir saudável. Devido à sua irmã ter passado pelo mesmo problema, ele já desconfiava do que lhe poderia estar a acontecer e foi, como já referi anteriormente, com grande frontalidade que reagiu à notícia e procurou lutar pela cura com um grande otimismo. Este é um livro ideal para qualquer tipo de leitor, desde o fanático de leitura até àquele que considera os livros da escola suficientes. está esteticamente bem construído: fácil leitura, imagens elucidativas e lições de vida que nem os mais insensíveis ficam indiferentes. [Nélson Filipe Lopes da Silva 12ºA Nº20] Anne descreveu seu quotidiano com pormenores: a preocupação diária com a possível falta de comida, em certos momentos mesmo a fome, mas acima de tudo o horror de serem descobertos. O diário de Anne Frank é uma das obras mais lidas e mais comentadas em todo o mundo. Esta jovem deixou-nos um testemunho vivo, incómodo e autêntico das crueldades cometidas pelas forças nazis. A História da Humanidade não pode ser branqueada, é importante dar a conhecer a todos, sobretudo aos mais jovens, as atrocidades cometidas, sobre pessoas indefesas, mulheres, crianças e idosos, que não cometeram nenhum erro. A única culpa foi: nascerem Judeus. Todos aqueles que condenam toda e qualquer prática de racismo gostarão de ler este livro. Não devemos deixar cair no esquecimento estas atrocidades. Gostaria também de salientar a criatividade, a maturidade e a qualidade desta jovem. Ela prova que todos nós poderemos ser escritores, o importante é ler e escrever.[ Miguel Ribeiro,12ºA] No mundo em que vivemos, as pessoas crescidas, ou seja, os adultos vivem complicando a sua forma de pensar e agir, as pessoas andam «stressadas» com tudo e todos, quando alguém lhe faz mal, preocupam-se logo em arranjar forma de lhes pagar com a mesma moeda. Não compreendem quando uma criança pergunta alguma coisa ou afirma algo de novo, não compreendem, porque complicam e essa criança tem que repetir meia dúzia de vezes para o adulto compreender. Normalmente, os adultos só compreendem quanto uma coisa é linda quando traduzimos essa mesma coisa em números. Os adultos classificam uma pessoa pelo seu exterior, se estiver mal vestida, se for feia, essa pessoa já não vale nada, mesmo que tenha inúmeras capacidades e aptidões. Felizmente, no nosso mundo, existem pessoas em que tudo aos seus olhos é perfeito: as crianças! As crianças são o orgulho, a felicidade, o sorriso e a simplicidade de agir e pensar no nosso mundo. Se nós, adultos, parássemos e pensássemos na criança que fomos e o quão éramos felizes, hoje gostaríamos de voltar a ter o mesmo espírito simples e o mundo seria muito melhor.(Ana Clara Sousa, nº 5, 9ºB)


NEWSLETTER N.º 5