Page 78

ali perto, Boudin cresceu em Le Havre e teve seu primeiro estúdio na cidade. Mais que qualquer outro pintor, com exceção de Dufy, ele encontrou na paisagem de Le Havre uma fonte infinita de inspiração, pintando a vida e o vaivém dos barcos ao longo de suas docas e bacias, e captando as variações da atmosfera no estuário do Sena. Foram mesmo as cenas marinhas que lhe deram fama, sobretudo porque, em 1868, um comerciante encomendou-lhe paisagens marinhas, e Boudin gradualmente abandonou as praias e priorizou os portos. No entanto, ele pintou cenas de praia até o fim de seus dias, mas geralmente eram pequenos estudos realizados por ocasião da visita de amigos. O artista esforçou-se para encontrar a verdade da luz e capturar a natureza caprichosa. Por meio de formas e cores, moldou paisagens, dando-lhes mil faces e mil vibrações, sombra, brilho, faísca, raio, esculpindo suas composições em uma rica paleta de tons. Com isso, as margens do mar calmo, o mar tempestuoso, as falésias selvagens e a elegância à beira-mar ganham vida com uma intensidade rara. É por meio da luz que Boudin revela a emoção no pincel, numa linguagem poética e sensível capaz de dizer que “o vento sopra no rosto, as ondas rolam na praia ou o calor do sol esquenta a pele”. Ao longo de sua carreira, Eugene Boudin prosseguiu, intransigente, sua busca da luz. É nesse espírito de pesquisa e laboratório que a exposição foi montada. Reuniu 200 obras, além de diários e correspondências do artista que convidavam o visitante a imergir em seu processo criativo e descobrir o virtuosismo do pintor, que tinha grande apego à sua região natal. u

Profile for Iate Clube

Revista Iate - 41  

43ª SEMANA DA VELA DE ILHABELA: Com as bençãos do imponente Cisne Branco / PRÊMIO REVISTA IATE: Elegância a toda prova

Revista Iate - 41  

43ª SEMANA DA VELA DE ILHABELA: Com as bençãos do imponente Cisne Branco / PRÊMIO REVISTA IATE: Elegância a toda prova

Profile for ics2013