Page 1

G I S anos

www.ics.ul.pt

1962

2012 INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS . UNIVERSIDADE DE LISBOA

I C S

LAB O RAT Ó R I O AS S O C IAD O F C T

Gabinete de Investigações Sociais

GIS COMEMORAÇÕES 50 ANOS GIS/ICS-UL

1962

ENTREVISTA A JOSÉ MANUEL ROLO DOUTORAMENTOS HONORIS CAUSA SELOS COMEMORATIVOS DOS CTT PRÉMIOS ERICS-CGD 2011 REVISTA ANÁLISE SOCIAL N.º 202, 203, 204, 205 CONFERÊNCIA ICS 2012 NOVOS PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO 2.º ENCONTRO “A INVESTIGAÇÃO NO ICS” POLÍTICAS PÚBLICAS E TERRITÓRIO EM 2014-2020 BOLSAS ANUAIS DE INTERCÂMBIO POLÍTICAS PÚBLICAS E NOVAS PARENTALIDADES A QUALIDADE DA DEMOCRACIA EM PORTUGAL: A PERSPETIVA DOS CIDADÃOS NOVOS PÓS-DOC

U L 2012 C I S Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa 12

ICSNews . Ano V Dezembro . 2012

UL


conhecimento científico sobre os indivíduos, os grupos e as instituições e o seu contributo único para a análise da sociedade portuguesa. A primeira fase da história do ICS inicia-se com a passagem do Gabinete de Estudos Corporativos a Gabinete de

1962 -2012

Celebrar a história do ICS significa nomear as marcas da sua identidade e destacar o seu papel na construção do

Investigações Sociais (GIS), o que ocorre em 1962. Há, pois, cinquenta anos. O que marcará o GIS é a sua orientação para a inovação, propondo novos instrumentos analíticos, conceptuais e metodológicos para o entendimento da sociedade portuguesa, instrumentos não só relevantes no plano do conhecimento mas também no plano do impacto social. A transformação das grandes questões sociais, que durante os anos 60 e 70 marcaram a sociedade portuguesa, em questões de pesquisa produziu trabalhos de investigação ainda hoje exemplares, como se pode constatar nos artigos então publicados na Análise Social. Realço três tópicos de investigação que marcam outros tantos domínios de inovação: o desenvolvimento económico e social, os estudos sobre educação e a universidade, e a pesquisa sobre a juventude. O aprofundamento da pesquisa e a necessidade de formação de investigadores em ciências sociais exigia, porém, um enquadramento institucional mais estável, que o GIS não oferecia. Esta preocupação torna-se central para Adérito Sedas Nunes, que irá conseguir, em 1982, a transformação do GIS em Instituto de Ciências Sociais, uma unidade orgânica da Universidade de Lisboa, dedicada à investigação e à pos-graduação. A Universidade de Lisboa em boa hora soube entender o potencial institucional que o GIS, agora ICS, poderia oferecer e esta nova institucionalização permitiu a contratação de um corpo de investigadores representativos do diversificado leque de disciplinas que compõem as ciências sociais. As novas condições institucionais vão, pois, permitir o desenvolvimento no ICS de uma cultura de diálogo pluridisciplinar, integrando não só a sociologia e a história, mas também a antropologia, a ciência política, a geografia, a economia e a psicologia social. Entre 1982 e o início do novo milénio, o ICS consolida o seu plano de pesquisa e a difusão da sua produção científica. O reconhecimento nacional e internacional do trabalho desenvolvido e as sucessivas avaliações de excelência recebidas pelo ICS granjearam-lhe a atribuição do estatuto de Laboratório Associado da FCT. Este estatuto foi concedido ao ICS em 2002 e abriu uma terceira etapa da vida institucional. Depois da orientação para a inovação e da pluridisciplinaridade, esta nova fase soma um novo desafio ao projecto ICS: a internacionalização. Não estamos a falar na internacionalização apenas nos seus aspectos instrumentais de captação de recursos, difusão de publicações e colaboração internacional, estamos a falar numa nova forma de fazer ciência social, que analisa as relações entre indivíduos e grupos sociais e as relações entre indivíduos, grupos e instituições no quadro de um mundo global, de problemas globais, através de redes de pesquisa globais e com conceitos que se querem globais. Como temos sublinhado noutras ocasiões, olhada desta forma, como uma dimensão de um projeto científico, e não apenas como um meio de afirmação de comunidades científicas locais, a produção de conhecimento no quadro das interacções decorrentes de redes internacionais contribui “para abrir as ciências sociais”, na bela e problematizante expressão de Immanuel Wallerstein. Ora, apesar das crises que atravessamos serem iminentemente sociais, temos que ultrapassar o risco de que as contribuições das ciências sociais possam ser percebidas pelos decisores políticos e pelas agências financiadoras da investigação como pouco relevantes. Saberemos ultrapassar esse risco, pois seremos capazes de oferecer novas grelhas de leitura para as crises que se instalaram, saberemos lançar luz sobre a opacidade da presente vida social e política e responder ao apelo de sociedades que se sentem desprovidas de instrumentos para entender as suas próprias mutações, que se sentem vulneráveis, despojadas de controlo sobre essas mesmas mutações, mas que estão dispostas a questionar as soluções adotadas até aqui. E não estamos sós neste projeto. Contamos com as redes de pesquisa que integram os nossos colegas de outras universidades portuguesas e estrangeiras e de novas redes que a nova Universidade de Lisboa irá propiciar. Estamos unidos num projecto comum: conhecer mais para agir melhor. O conhecimento que prosseguimos não é, contudo, meramente instrumental, vale por si e é um fim em si. Como argumentava Adérito Sedas Nunes, em 1988, num artigo sobre a história do ICS publicado na Análise Social: “Vimos porque queremos o saber, e também porque queremos mais justiça; mas não queremos o saber apenas para que possa haver mais justiça; dar gosto ao gosto de saber também é de justiça.”

Jorge Vala (extrato das palavras proferidas na Sessão de Abertura da Conferência ICS - 2012)

COMEMORAÇÕES 50 ANOS GIS / ICS-UL

1

UM PERCURSO VENTUROSO


2

3

2.º ENCONTRO A INVESTIGAÇÃO NO ICS

DOUTORAMENTO HONORIS CAUSA JACK GOODY PHILIPPE SCHMITTER Pela Universidade de Lisboa

Jack Goody

Integrada nas Comemorações dos 50 Anos do GIS/ICS, realizou-se em 16 e 17 de abril de 2012 a segunda edição do Encontro “A Investigação no ICS”. Tal como em 2010, aquando da realização do primeiro Encontro, a iniciativa contou com uma enorme participação da comunidade ICS. Mais de 90% dos investigadores e mais de metade dos estudantes de doutoramento e mestrado do Instituto tiveram oportunidade de apresentar o seu trabalho, oralmente ou em formato de poster, assim contribuindo para a discussão interna da investigação que atualmente se faz no ICS. Os dois dias do Encontro foram marcados pela elevada participação e discussão científica e espelharam a enorme diversidade dos temas, objetos de estudo e áreas de conhecimento que caracterizam a investigação no ICS. No total, 176 investigadores seniores e juniores participaram na iniciativa, criando, além de uma mostra científica, um espaço de reflexão alargado que contribuirá certamente para a promoção do intercâmbio científico e institucional, da interdisciplinaridade, da criatividade e da inovação e para um maior conhecimento do posicionamento do ICS e dos seus investigadores no campo das ciências sociais em Portugal e no estrangeiro. No Encontro (organizado por Sofia Aboim, Susana Durão, Mónica Brito Vieira e Rui Costa Lopes) estiveram envolvidos, para além dos investigadores e estudantes, muitos outros elementos do Instituto cuja colaboração foi indispensável, nomeadamente a Assessoria de Direção (Mafalda Vieira e Tânia Almeida), a Assessoria de Comunicação (Margarida Bernardo e João Silva), a Comissão de Estudos Pós-Graduados e os seus coordenadores e o Gabinete de Estudos Pós-Graduados (Maria Goretti Matias e Élia Paiva).

No passado dia 28 de maio, teve lugar no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa, a cerimónia de Doutoramento Honoris Causa de Jack Goody e Philippe Schmitter, por proposta do Instituto de Ciências Sociais. Esta cerimónia, integrada nas comemorações dos 50 anos do GIS/ICS-UL e presidida pelo Magnífico Reitor António Nóvoa, representou uma merecida homenagem a estas duas personalidades da vida académica, que em muito contribuíram para o desenvolvimento das Ciências Sociais a nível mundial. Nesta cerimónia, António Costa Pinto (ICSUL) e José Sobral (ICS-UL) proferiram respetivamente os discursos elogiosos a Philippe Schmitter e Jack Goody.

Número de comunicações orais

1.º Encontro (2010)

2.º Encontro (2012)

64

63

1 autor

52 (81% )

41 (65% )

2 autores

4 (6,3% )

11 (17,5% )

M ais de 3 autores

8 (12,5% )

11 (17,5% )

Posters de Projetos de Investigação

9

8

Posters de Observatórios/Grupos de Pesquisa

6

6

Posters de Estudantes

-

61

Total de Participantes

105

176*

Taxa de adesão Investigadores ICS

-

91%

Taxa de adesão Estudantes ICS

-

53%

*Incluindo bolseiros, visitantes, estudantes e colegas de outras universidades.

Philippe Schmitter

Análise comparativa dos dois encontros


5

Cerimónia de Lançamento Culminando uma oportuna iniciativa dos CTT Correios de Portugal, decorreu, no dia 4 de julho, no Auditório A. Sedas Nunes, uma concorrida cerimónia da emissão de dois selos comemorativos dos 50 anos do GIS/ICS-UL. No início da sessão, Jorge Vala, diretor do ICS-UL, agradeceu o contributo dos CTT Correios de Portugal para as Comemorações e Pedro Coelho, presidente do Conselho de Administração desta prestigiada empresa, brindou a numerosa assistência com uma inesperada comunicação sobre o papel que Adérito Sedas Nunes e o GIS/ICS-UL tiveram no desenvolvimento das ciências sociais em Portugal. Sob a orientação de Raul Moreira, diretor do internacionalmente reconhecido departamento de filatelia dos CTT, teve lugar uma curiosa sessão de obliteração dos selos apostos em envelopes alusivos às Comemorações, que foram assinados por várias das individualidades presentes.

Seguiu-se um inesquecível concerto intitulado “Solstício”, a cargo de Victor Gama, um jovem músico que, alicerçado no estudo sistemático da metamorfose dos instrumentos, tem vindo a afirmar-se nacional e internacionalmente como compositor, intérprete e construtor dos seus próprios instrumentos. A memorável sessão terminou com um animado cocktail tornado possível graças à generosidade de vários mecenas da casa.

Artur Santos Silva

Leonor Parreira

SELO COMEMORATIVO DOS 50 ANOS GIS / ICS-UL

Paul De Grauwe

4

Jorge Vala

António Sampaio da Nóvoa

CONFERÊNCIA ICS 2012 PORTUGAL EM MUDANÇA

O ponto alto das comemorações dos 50 anos do GIS/ICS-UL foi a Conferência ICS 2012, que decorreu a 26 e 27 de Novembro no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian. A conferência de abertura esteve a cargo de Paul De Grauwe, professor da London School of Economics, que, discreteou sobre a crise das dívidas soberanas e sobre a inadequação das políticas de austeridade para a resolução dessas crises. Ao longo dos dois dias, especialistas do ICS-UL e de outras prestigiadas instituições universitárias portuguesas (FD-UNL, FCSH-UNL, ISEG-UTL, ISCTE-IUL, CES-FEUC, ISCSP-UTL, IGOT-UL), discutiram aspetos relevantes da sociedade portuguesa. O assinalável êxito da Conferência ICS 2012 ficou a dever-se à feliz conjugação de vários fatores, com destaque para a preciosa colaboração prestada pela Fundação Calouste Gulbenkian, para o inexcedível empenho demonstrado por investigadores, funcionários e estudantes do ICS/UL na organização da Conferência e na montagem das exposições conexas, para a excelência das intervenções dos participantes, e ainda a presença do numeroso público que durante os dois dias participou ativamente nos trabalhos, e ainda a comunicação social que, antes, durante e depois da Conferência, se fez eco de tão importante acontecimento científico.


Universitário da Mocidade Portuguesa, Sedas Nunes e os seus colegas conseguiram dar à estampa, entre 1950 e 1961, 48 números da Revista do Gabinete de Estudos Corporativos onde abundavam os tais estudos sociais e escasseavam os anunciados estudos corporativos, e conseguiram também reunir uma

JOSÉ MANUEL ROLO Membro da Comissão Coordenadora das Comemorações

espantosa biblioteca recheada de autores cuja leitura e difusão muito contribuiu para as transformações sociais que culminaram no 25 de Abril de 1974. A revista e a biblioteca do Gabinete de Estudos Corporativos integram a Biblioteca do ICS/UL. No âmbito das comemorações, decorrerá uma exposição de exemplares julgados mais representativos do

Desde janeiro deste ano de 2012, estão a decorrer as Comemorações dos 50 anos do Gabinete de Investigações Sociais (GIS) / Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL). Para divulgar os fundamentos e os propósitos da efeméride, ICSNews entrevistou José Manuel Rolo, membro da Comissão Coordenadora das Comemorações.

domínio das ciências sociais. Como o modelo do GEC estava

Em 2007, o ICS comemorou 25 anos. Como

próximos não hesitaram e criaram o Gabinete de Investigações

espírito “não alinhado” do GEC.

Como surgiu o GIS? JMR. Em 1961, surgiu a oportunidade de criar uma instituição de índole universitária no ISCEF dedicada à investigação no esgotado, Adérito Sedas Nunes e alguns dos seus colegas mais

se compreende que, cinco anos depois, se

Sociais (GIS). O GIS representou uma rutura com o passado e

esteja a comemorar de novo?

assumiu-se como um projeto de futuro, orientado para o estudo

JMR. Em 2007, assistimos às comemorações dos 25

portuguesa. Como se disse acima, o GIS durou até 1982, quando

das transformações exigidas pelo desenvolvimento da sociedade

anos da institucionalização do ICS, ou seja, da

deu lugar ao atual ICS-UL - Laboratório Associado, uma

transformação do antigo GIS naquilo que é hoje o

instituição de excelência reconhecida nacional e

ICS-UL. Em 2012 faz 50 anos que foi criado o GIS e, em

internacionalmente.

bom rigor, é essa a data de referência destas comemorações que, afinal, celebram a continuidade das duas instituições.

Como estão a decorrer as comemorações? JMR. Mau grado a austeridade, estão a decorrer bem, com a

Mas a história é ainda mais antiga!

dignidade devida. Sobre o programa já realizado e a realizar,

JMR. A história completa começa em 1949! Nesse

Comemorações. No já realizado, destaco a sessão comemorativa

sugiro a consulta, no site do ICS-UL, da janela das

ano, como nos recorda Raúl da Silva Pereira no seu

do lançamento do n.º 200 da Análise Social; o 2.º Encontro ”A

contributo “Ab initio” para a Análise Social n.º200,

Investigação no ICS”; a cerimónia de concessão do doutoramento

um grupo dos primeiros finalistas do então Instituto

honoris causa aos Professores Jack Goody e Philippe Schmitter; a

Superior de Ciências Económicas e Financeiras

cerimónia da emissão dos selos comemorativos dos 50 anos do

(ISCEF) liderado por Adérito Sedas Nunes,

GIS/ICS-UL, uma iniciativa conjunta do ICS e dos CTT-Correios

entusiastas declarados dos chamados estudos

de Portugal; a Exposição da Biblioteca do GEC; por ocasião da

sociais, autênticos pioneiros da introdução das

Abertura do Ano Académico, a 24 de outubro, a Palestra A. Sedas

ciências sociais em Portugal, convenceu o Professor

Nunes, este ano proferida pelo Professor Keith Harth; e a

Pires Cardoso, responsável esclarecido da disciplina

“Conferência ICS 2012”, na Fundação Calouste Gulbenkian a 26 e

de Direito Corporativo, a criar o que viria a ser o

27 de novembro, que constituiu o ponto alto destas

Gabinete de Estudos Corporativos (GEC).

comemorações. No que falta realizar, em junho de 2013 celebrarse-ão os 50 anos da revista Análise Social e teremos uma sessão de encerramento.

Uma nota final? JMR. As Comemorações dos 50 Anos do GIS/ICS-UL, muito para além da simples celebração de uma efeméride, pretendem ser uma homenagem a Adérito Sedas Nunes e a todos aqueles que ao longo dos anos contribuíram para o engrandecimento do ICS-UL e para o desenvolvimento das ciências sociais em Portugal!

1962 -2012

Entrevista

COMEMORAÇÕES 50 ANOS GIS / ICS-UL

Sob a direção protetora deste prestigiado catedrático e a partir de uma improvisada sede situada nas águas furtadas do Centro


6

7

PALESTRA A. SEDAS NUNES

NOVOS PÓS-DOC NO ICS

Keith Hart

TERESA DUARTE MARTINHO

Observatório das Atividades Culturais O projeto "A divulgação da arte e da ciência: práticas, actores e trajectórias" pretende desenvolver uma abordagem comparativa da divulgação da arte e da ciência, focando o trabalho dos mediadores e os contextos institucionais. Se ao nível ao nível das práticas artística e científica o cruzamento da arte e da ciência é cada vez mais recorrente, importa aproximar estas esferas enquanto objeto de investigação também no plano da sua divulgação e no que se refere àqueles que a praticam em diversos terrenos (museus, escolas, media, entre outros). ALINE AFONSO

ISCTE -Instituto Universitário de Lisboa

No dia 24 de Outubro, decorreu a cerimónia da abertura do Ano Académico 2012/2013. Depois das tradicionais palavras de boas vindas proferidas por Jorge Vala, diretor do ICS-UL, José Manuel Sobral procedeu à apresentação de Keith Hart, antropólogo de renome internacional, que brindou a assistência que enchia por completo o Anfiteatro A. Sedas Nunes com uma brilhante e oportuna palestra intitulada “The Human Economy: an Interdisciplinary Approach to the World Crisis”. José Luis Cardoso, presidente da Comissão de Estudos Pós-Graduados do ICS-UL, fez o balanço e delineou as perspetivas dos estudos pósgraduados da instituição e Tânia Alves, doutoranda e membro do Conselho Pedagógico fez-se eco das expetativas positivas dos estudantes em relação à qualidade da oferta do ICS-UL neste domínio. O Instituto atribuiu o título de investigador honorário a Maria Manuela Silva e Raul da Silva Pereira, dois destacados membros das instituições que precederam o ICS-UL. António Sampaio da Nóvoa, reitor da Universidade de Lisboa, agraciou os homenageados com a medalha da universidade e, no encerramento da sessão, proferiu um inspirado discurso onde traçou uma panorâmica sistemática e rigorosa dos desafios que se colocam às universidades portuguesas em geral e à Universidade de Lisboa em particular. Miguel Seabra, presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, inaugurou uma mostra bibliográfica intitulada “50 Livros que Agitaram o Pensamento Social”.

Doutorada em Estudos Africanos pelo ISCTE-IUL em 2011, trabalha sobre as dinâmicas de associativismo feminino na Guiné-Bissau, tendo como enfoque o papel das famílias transnacionais, em particular no âmbito da atividade comercial. É investigadora no projeto “Lugares e pertenças: conjugalidade circular entre Angola e Portugal”, coordenado pela Doutora Marzia Grassi no ICS, e no projeto “Pluralismo terapêutico e género: acesso das mulheres aos cuidados de saúde privados em África”, coordenado pela Professora Clara Carvalho no Centro de Estudos Africanos do ISCTE-IUL.

ANA PAULA NUNES

Universidade do Colorado Doutorou-se em Psicologia Social pela Universidade do Colorado - Boulder em 2011. Desde fevereiro de 2012, desenvolve investigação pós-doutoral no ICS. A sua pesquisa foca processos de perceção social e o efeito de mensagens de diversidade em atitudes e comportamentos, especialmente em contextos decisionais altamente relevantes, tais como o da contratação de recursos humanos. Antes de ingressar na academia, foi responsável por estudos sobre discriminação ao nível imobiliário no Project Sentinel em Palo Alto, Califórnia, e ao nível do emprego para o Discrimination Research Center em Berkeley, Califórnia. CATARINA LORGA

ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa Licenciou-se em Sociologia, pelo ISCTE, em 1996, e doutorou-se em Sociologia, também pelo ISCTE, em 2010. A sua formação pós-graduada contou com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Tem desenvolvido trabalho de investigação de âmbito nacional e internacional nas áreas da comunicação, do género, da família e das representações sociais do risco. O seu projeto de investigação pós-doutoral tem como principal objetivo averiguar as implicações das políticas públicas de família e das desigualdades de género nas modalidades de articulação família-trabalho dos casais de duplo emprego qualificado, no contexto de uma comparação entre quatro países europeus - Portugal, Suécia, França e Inglaterra - com regimes de género, de welfare e de mercado de trabalho contrastantes.


AMÍLCAR MOREIRA

Universidade de Bath Integrado no Instituto do Envelhecimento da UL, desenvolve um projeto sobre a 'Economia Política dos Mercados de Trabalho em Envelhecimento', onde irá investigar se o envelhecimento demográfico poderá gerar/reforçar conflitos intergeracionais em três áreas essenciais da regulação dos mercados de trabalho: a proteção dos desempregados, a proteção do emprego e o investimento em capital humano. Em paralelo, vem desenvolvendo um projeto sobre a ativação dos beneficiários de programas de rendimento mínimo na Europa e nos EUA.

ANTONIO MUÑOZ SÁNCHEZ

Instituto Universitário Europeu Investiga a inf luência da Europa Ocidental, e particularmente da República Federal da Alemanha, nos processos de transição da dictadura para a democracia em Portugal e Espanha na década de 1970. Utilizando como fonte principal documentação de arquivo, estuda sobretudo as relações oficiais, a migração laboral e o apoio da social-democracia alemã aos partidos e sindicatos socialistas ibéricos.

RODRIGO ROSA

ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa Licenciou-se em Sociologia, pelo ISCTE, em 1997, e doutorou-se em Sociologia, especialidade de Sociologia da Família e da Vida Quotidiana, também pelo ISCTE, em 2009. Desde 2004, é Professor Auxiliar da unidade curricular de Sociologia Urbana da Licenciatura em Arquitectura na UAL e investigador no Centro de Estudos de Arquitectura, Cidade e Território da UAL. Tem realizado trabalho de investigação no âmbito quer da sociologia da família e do género, quer da sociologia urbana. O projeto de investigação que atualmente desenvolve procura averiguar as implicações das políticas públicas de família e igualdade de género na articulação entre a vida profissional e a vida familiar quando ambos os cônjuges exercem profissões qualificadas. Realizado em Portugal, Suécia, França e Inglaterra, o projeto «Highly Qualified Working-Parents and (In)equality in Europe» privilegia uma perspetiva comparativa internacional na análise dos processos de desigualdade de género envolvidos nas modalidades de articulação trabalhofamília.

ANA ESPÍRITO SANTO

Instituto Universitário Europeu O projeto de pesquisa que desenvolve no ICS tem como principal objetivo contribuir para o conhecimento sobre a forma como os partidos políticos nomeiam os seus candidatos, quer à Assembleia da República (AR), quer a lideres nacionais: primeiros-ministros (PM) e Presidentes da República, com ênfase na perspetiva de género. Tanto quanto possível, esta análise será feita numa perspetiva comparativa embora centrada em Portugal já que grande parte dela se insere no projeto internacional “Electoral Systems and Party Personnel”.

8 NOVOS PROJETOS NO ICS Projetos iniciados em 2012 ANA DELICADO Projeto: Consensos e controvérsias socio-técnicas sobre energias renováveis. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) DENIS SINDIC Projeto: O uso estratégico de estereótipos sobre imigrantes. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) DULCE FREIRE Projeto: Agricultura em Portugal: alimentação, desenvolvimento e sustentabilidade (1870-2010). Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) JOÃO FERRÃO Projeto: Valores e atitudes face à mudança a favor de um desenvolvimento económico mais sustentável. Financiamento: Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) JORGE VALA Projeto: European Social Survey 6. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) MARINA COSTA LOBO Projeto: A personalização da política no século XXI - um projeto de pesquisa sobre eleições democráticas. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) MARZIA GRASSI Projeto: Lugares e pertenças: conjugalidades circulares entre Angola e Portugal. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) PEDRO MAGALHÃES Projeto: POPSTAR - Acompanhamento, análise e pesquisa de opinião pública e sentimentos. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) SUSANA MATOS VIEGAS Projeto: Co-habitações: dinâmicas de poder em Lautém (Timor-Leste). Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) VANESSA CUNHA Projeto: O duplo adiamento: as intenções reprodutivas de homens e mulheres depois dos 35 anos. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) VÍTOR SÉRGIO FERREIRA Projeto: Tornando profissões de sonho realidade: transições para novos mundos profissionais atractivos aos jovens. Financiamento: Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT)

Projetos recomendados para financiamento Concurso FCT 2012 SUSANA DURÃO, IC&DT Projeto: COOP-LAB: Circulações de polícias em Portugal, África Lusófona e Brasil. DENIS SINDIC, Investigação Exploratória Projeto: Explorar as atitudes políticas para a Europa: identidade e legitimidade. JORGE VALA, Consolidação de competências e recursos em investigação Projeto: Infraestrutura das atitudes sociais e políticas dos portugueses. MIGUEL BANDEIRA JERÓNIMO, IC&DT Projeto: Internacionalismo e Império: As políticas da diferença no Império Colonial Português numa perspetiva comparada (1920-1975). NINA WIESEHOMEIER, IC&DT Projeto: Mulh(j)er e Poder: a representação política das mulheres em Portugal e Espanha.


A

Sexualidades e Afectos Juvenis.

9

JOSÉ MACHADO PAIS

B

Islão e Transnacionalismo. Uma etnografia entre Portugal e o Bangladeche. JOSÉ MAPRIL

C

Futebol e Colonialismo. Corpo e Cultura Popular em Moçambique.

IMPRENSA DE CIÊNCIAS SOCIAIS

NUNO DOMINGOS

D

Novas Publicações Criatividade e Instituições. Novos desafios à vida dos artistas e dos profissionais da cultura. VERA BORGES, PEDRO COSTA (Orgs.)

E

Governar em Ditadura. Elites e decisão política nas ditaduras da era do fascismo. ANTÓNIO COSTA PINTO (Org.)

Pode folhear estes e outros livros em . www.ics.ul.pt/imprensa

F

Os Outros da Colonização. Ensaios sobre o colonialismo tardio em Moçambique. CLÁUDIA CASTELO, OMAR RIBEIRO THOMAZ, SEBASTIÃO NASCIMENTO e TERESA CRUZ E SILVA (Orgs.)

G

D

Impérios em Concorrência. Histórias conectadas nos séculos XVI e XVII.

I

SANJAY SUBRAHMANYAM

H

Normas, Atitudes e Comportamento Social. CÍCERO ROBERTO PEREIRA e RUI COSTA-LOPES (Orgs.)

I

E

Crianças & Media. Pesquisa internacional e contexto português do século XIX à atualidade. CRISTINA PONTE

J

J

Polícia, Segurança e Ordem Pública. Perspetivas Portuguesas e Brasileiras. SUSANA DURÃO e MARCIO DARK (Orgs.)

L

Sociologia da Cultura. Perfil de uma carreira.

A

F

MARIA DE LOURDES LIMA DOS SANTOS

L M

Projetar e Construir a Nação. Engenheiros, ciência e território em Portugal no século XIX. MARTA MACEDO

N

Fazendo Género no Recreio. A negociação do género e sexualidade entre jovens na escola.

B

G M

MARIA DO MAR PEREIRA

ICS

Imprensa de Ciências Sociais

www.ics.ul.pt/imprensa

C

H N


ANÁLISE SOCIAL

VOLUME XLVII .

Novos volumes publicados

3.º TRIMESTRE 2012

204

VOLUME XLVII . 1.º TRIMESTRE 2012

202

ARTIGOS: Acerca da instabilidade da condição da sociologia económica. JOÃO CARLOS GRAÇA From the Ancien Régime to liberalism in Portugal. LUCIANO AMARAL A heráldica em Portugal no século XIX: sob o signo da renovação. MIGUEL METELO DE SEIXAS Measuring group switching in the European Parliament (1979-2009). ANA MARIA EVANS e MAARTEN PETER VINK

DOSSIÊ: SOCIOLOGIA NO TRABALHO Deontologia e capitalização simbólica na advocacia portuguesa contemporânea. MIGUEL CHAVES e JOÃO SEDAS NUNES Boas práticas laborais e negociação coletiva na Autoeuropa e SATASNPVAC. MARINÚS PIRES DE LIMA, ANA GUERREIRO LATAS e CRISTINA NUNES Interação comercial e contextos organizacionais na restauração e lojas de vestuário. SOFIA ALEXANDRA CRUZ

ARTIGOS: Demiurgia e invenção institucional na tradição republicana brasileira. RENATO LESSA A arte como contrabando: notas sobre antropofagia e política. GIORDANO BARBIN BERTELLI O contributo das ciências sociais para a análise de acidentes maiores. JOÃO AREOSA DOSSIÊ: ESTADO E POLÍTICAS SOCIAIS A descriminalização do aborto em Portugal. ROSA MONTEIRO Estado e políticas sociais sobre a velhice em Portugal (1990-2008). SÓNIA CARDOSO, MARIA H. SANTOS, MARIA I. BAPTISTA e SUSANA CLEMENTE Drogas, economia, tributação e a ética liberal. LUÍS FERNANDO MOREIRA Estado e programas municipais de habitação popular em Campos dos Goytacazes. JULIO CEZAR PINHEIRO DE OLIVEIRA e MARCOS ANTONIO PEDLOWSKI

VOLUME XLVII . 4.º TRIMESTRE 2012 VOLUME XLVII .

205

2.º TRIMESTRE 2012

203

ARTIGOS: Fugas, quilombos e fujões nas Américas (séculos XVI-XIX). MANOLO FLORENTINO e MARCIA AMANTINO A afirmação da identidade nacional brasileira na Bahia. DANIEL AFONSO DA SILVA O euro e o crescimento da economia portuguesa: uma análise contrafactual. LUÍS AGUIAR-CONRARIA, FERNANDO ALEXANDRE e MANUEL C. DE PINHO Pareto e Gramsci: itinerários de uma ciência política italiana. ALVARO BIANCHI e LUCIANA ALIAGA DOSSIÊ: IMPRENSA, POLÍTICA, REPRESENTAÇÕES O poder visível: D. Carlos, a imprensa e a opinião pública. JOSÉ MIGUEL SARDICA Ecos da Grande Depressão em Portugal: relatos, diagnósticos e soluções. JOSÉ LUÍS CARDOSO Confrontos futebolísticos entre brasileiros e argentinos na imprensa carioca. TIAGO L. BARTHOLO, ALEXANDRE F. VAZ e ANTÓNIO JORGE GONÇALVES SOARES Representações do corpo na imprensa diária da Índia bengali. SANDRA C. S. MARQUES

ARTIGOS: Petição coletiva e cidadania feminina no Portugal constitucional (1820-1910). DIEGO PALACIOS CEREZALES Crise e republicanismo no discurso dos lojistas de Lisboa. DANIEL ALVES Investigando a rua através da internet (e vice-versa). JOSÉ ALBERTO SIMÕES Apropriação e desenvolvimento: do discurso à prática na Declaração de Paris. RAQUEL FREITAS DOSSIÊ: MIND THE GAP (crossing the lines between the Social Sciences and the Brain Sciences) Endangered languages, orality and cognition. MARK TURIN The wandering mind: mental time travel, theory of mind, and language. MICHAEL C. CORBALLIS Neuroscience and the dialectics of history. DANIEL LORD SMAIL Argumentative theory of reasoning and deliberative democracy. HÉLÈNE LANDEMORE AND HUGO MERCIER

Pode consultar estes e outros números da revista Análise Social em . www.ics.ul.pt/analisesocial

10


11 ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS Com o objetivo de promover o intercâmbio com outras instituições universitárias internacionais, o ICS atribui bolsas anuais nas diversas áreas de investigação às quais o instituto se dedica. Até hoje foram atribuídas:

Bolsa Luso-Afro-Brasileira Atribuída pela primeira vez em 1997, esta bolsa possibilitou o desenvolvimento de vários projetos dos seguintes investigadores: (1997) Otávio Guilherme C. A. Velho, Univ. Federal do Rio de Janeiro, Brasil;

12 INVESTIGADOR FCT Durante o mês de Dezembro foram comunicados, pela FCT, os resultados da última fase do concurso “Investigador FCT”. No ICS, foram três os investigadores selecionados: Dulce Freire, Miguel Bandeira Jerónimo e Monica Trüninger.

(1998) Antônio Souza Lima, Univ. Federal do Rio de Janeiro, Brasil; (1999) Maria da Conceição Moço Neto, Univ. Agostinho Neto, Angola; (2000) José de Souza Martins, Univ. de São Paulo, Brasil; (2001) António Fernandes da Conceição, Univ. Eduardo Mondlane, Moçambique; (2002) Francisco Palmomanes Martinho, Univ. do Estado do Rio de Janeiro, Brasil; (2003) Alcida Rita Ramos, Univ. de Brasília, Brasil; (2004) Renato de Andrade Lessa, IUPERJ, Brasil; (2005) Márcio Goldman, Univ. Federal do Rio de Janeiro, Brasil; (2006) Octavio Amorim Neto, Fundação Getulio Vargas EPGE, Brasil; (2007) Luiz César Ribeiro, Univ. Federal do Rio de Janeiro, Brasil; (2008) Marcus Oliveira Lima, Univ. Federal de Sergipe, Brasil; Maria Fernanda Bicalho, Univ. Federal Fluminense do Rio de Janeiro, Brasil; (2009) Júnia Furtado, Univ. Federal de Minas Gerais, Brasil; (2010) José António Cheibub, Univ. de Illinois, EUA; (2011) Luiz Machado da Silva, IUPERJ, Brasil; (2012) Iris Kantor, Univ. de São Paulo, Brasil; Para o ano de 2013, esta bolsa possibilitará o desenvolvimento do projeto Governança territorial: desafios e avanços em experiências brasileiras e europeias, proposto por Valdir Roque Dellabrida, Universidade de Contestado, Brasil.

Bolsa Europeia de Intercâmbio em Ciências Sociais Atribuída pela primeira vez em 2011, contemplou os seguintes projetos: (2011) Giuseppe Marcocci, Para uma reconfiguração histórica das relações com os muçulmanos no mundo lusitano: contactos, convivências, conversões na cultura imperial portuguesa (sécs. XVI-XVII); (2012) Tim O’Riordan. Para o ano de 2013, o Conselho de Gestão do ICS não atribuiu qualquer bolsa.

13 POLÍTICAS PÚBLICAS E TERRITÓRIO EM 2014-2020: OPÇÕES PARA UM NOVO CICLO COMUNITÁRIO Ciclo de Debates Em 2014 inicia-se um novo período de programação comunitária, que se estende até 2020. Neste período será atribuída, em relação ao ciclo atual (2007-2013), uma maior importância às questões territoriais. A inclusão explícita da dimensão territorial na futura política de coesão, o reforço das abordagens territoriais integradas, o relevo conferido à agenda urbana europeia e uma maior territorialização das políticas de natureza sectorial deixam antever essa tendência. Simultaneamente, o alargamento da União Europeia a 27 Estados-membros amplifica a relevância das diversidades e das disparidades de base territorial. A estratégia Europa 2020 (2010), bem como as várias propostas apresentadas pela Comissão Europeia ao Conselho Europeu e ao Parlamento Europeu a partir de junho de 2011 e atualmente em negociação entre estas várias instituições comunitárias, balizam os debates e o processo de negociação com os Estados-membros que irão preceder a aprovação do novo quadro financeiro e político. O novo ciclo de programação comunitária 2014-2020 tem um significado muito particular para Portugal. No atual contexto de incerteza e instabilidade, face ao período de crise e transição que vivemos, Portugal deverá ter uma ideia clara acerca do que precisa, do que quer e de como vai concretizar os objetivos e as metas a contratualizar tanto com a Comissão Europeia como no plano interno. Decisões ponderadas exigem informação, conhecimento e diálogo. Importa, por isso, divulgar o conteúdo das propostas em debate, identificar as oportunidades, ameaças e dificuldades previsíveis, conhecer os processos de negociação em curso. Foi neste sentido que o Instituto de Ciências Sociais, em associação com o CIRIUS (UTL), o IGOT (UL) e o Observatório do QREN, promoveu um ciclo intitulado Políticas Públicas e Território em 2014-2020: Opções para o Novo Ciclo Comunitário. O ciclo, coordenado por João Ferrão e João Seixas, decorreu ao longo dos meses de maio e junho, e envolveu oito sessões.


14

b q d barómetro

da qualidade da democracia barometer of the quality of democracy

A QUALIDADE DA DEMOCRACIA

15

EM PORTUGAL: A PERSPETIVA DOS CIDADÃOS Relatório do Barómetro da Democracia

POLÍTICAS PÚBLICAS E NOVAS PARENTALIDADES Seminário do OFAP

No passado dia 19 de janeiro foram apresentados no ICS os principais resultados do Relatório do Barómetro da Qualidade da Democracia(www.bqd.ics.ul.pt). De acordo com os dados do inquérito realizado em julho de 2011, os níveis de satisfação dos portugueses com a democracia atingem valores bastante baixos. Se em 2009, num inquérito realizado pela SEDES, 51% dos portugueses se consideravam pouco satisfeitos ou nada satisfeitos com a maneira como funciona a democracia em Portugal, atualmente, a insatisfação com a democracia ascende a 64,6% dos inquiridos. Além disso, quase metade da população adulta está convencida de que atualmente a democracia em Portugal funciona pior ou muito pior do que há cinco anos. Satisfação com a democracia, % Funcionamento da democracia

48

Pior / muito pior do que há 5 anos

Satisfação com a democracia

65

Pouco / nada satisfeito

Na opinião dos portugueses, a falta de confiança nos políticos e no governo constitui o maior defeito da democracia no país. Seguem-se a falta de eficácia da governação, a corrupção e as desigualdades sociais, o que conduz a uma série de problemas sociais, políticos e económicos, dos quais o desemprego é o mais importante para os portugueses. De acordo com os dados do European Values Study de 2008, 93% dos portugueses consideravam a democracia como um sistema muito bom ou bom para governar o país. No inquérito do Barómetro da Qualidade da Democracia, apenas 56% dos inquiridos consideram que a democracia é preferível a qualquer outra forma de governo. É importante sublinhar que, nesta avaliação geral da importância da democracia, uma parte significativa da população (15%) está a favor da existência de um governo autoritário, em algumas circunstâncias.

Realizou-se no passado dia 14 de julho no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa o seminário "Políticas Públicas e Novas Parentalidades", organizado pelo Observatório das Famílias e das Políticas de Família (OFAP). Os objetivos deste seminário foram apresentar as principais conclusões do último relatório anual do OFAP (2011) e refletir sobre as novas parentalidades, no contexto das mudanças ocorridas nas políticas de família ao longo dos últimos cinco anos em Portugal. A lei da licença parental inicial, a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo e a lei da responsabilidade conjunta após o divórcio ou separação são alguns exemplos de medidas públicas recentes. Neste encontro foram analisadas e debatidas por vários peritos e parceiros sociais na área da família as implicações destas e de outras medidas nas representações e nas práticas das famílias, bem como nos direitos e nos condicionamentos à parentalidade. No relatório apresentado conclui-se que os principais desenvolvimentos ocorridos nas políticas de família nos anos 2010 e 2011 dizem respeito a cortes nas prestações sociais não contributivas. Estes cortes têm por base uma elegibilidade mais apertada para todos os apoios sociais do Estado com condição de recursos (abono de família, rendimento social de inserção, subsídios sociais de parentalidade, subsídio social de desemprego, ação social escolar), alargamento do conceito de agregado familiar e novos critérios no apuramento do rendimento referência do agregado familiar. Tomando o abono de família como exemplo, verifica-se: - Eliminação de 25% de aumento do 1.º e 2.º escalões e do 13.º mês em todos os escalões; - Eliminação do 4.º e 5.º escalões; - Diminuição do número de titulares: 1.846.904 em 2009, 1.389.920 em 2011; - Diminuição da despesa.

Preferência pela democracia como forma de governo, % A democracia é preferível a qualquer outra forma de governo Nalgumas circunstâncias, um governo autoritário é preferível a um sistema democrático Para pessoas como eu, é indiferente uma ou outra forma de governo Não sabe

56 15

10 16

Para mais informações consulte o site: www.bqd.ics.ul.pt

Para mais informações consulte o site: www.observatoriofamilias.ics.ul.pt


16

18 RUY BLANES

O ICS NO REPOSITÓRIO DA UNIV. DE LISBOA - 2012 A Biblioteca ICS tem vindo a depositar a produção científica dos investigadores do Instituto no Repositório Institucional da Universidade de Lisboa. O quadro seguinte mostra o número de documentos depositados e o número de consultas e downloads. Os dados abrangem o período de 01-01-2012 a 31-12-2012. A maioria das consultas e downloads de documentos associados às coleções de cada linha de investigação do ICS são efetuadas de fora de Portugal. O país onde se fazem mais consulta e download são os Estados Unidos da América.

Prémio Gulbenkian 2012 O artigo “Unstable Biographies. The Ethnography of Memory and Historicity in an Angolan Prophetic Movement”, publicado na History and Anthropology , da autoria de Ruy Llera Blanes, foi selecionado e distinguido pela Fundação Calouste Gulbenkian no concurso de 2012 do Programa para a Internacionalização das Ciências Sociais. Este programa tem como objetivo o incentivo à publicação em revistas internacionais de referência.

19

Documentos depositados................. 288 Consultas................................... 45289 Downloads de Documentos.......... 44729

PRÉMIOS ERICS-CGD 2011 Pesquisa Online na Biblioteca ICS em:

Investigadores Premiados

www.ics.ul.pt/biblioteca

17 LIVRARIA ICS Abriu recentemente um espaço no ICS onde cómoda e confortavelmente poderá folhear e adquirir todas as publicações do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa - livros da Imprensa de Ciências Sociais e a revista Análise Social. A Livraria ICS funciona durante todo o ano e está aberta todos os dias úteis, das 10h às 18h. Poderá ainda beneficiar de descontos, promoções e inúmeras vantagens. Visite-nos na Avenida Professor Aníbal Bettencourt, n.º 9, em Lisboa (junto da Biblioteca Nacional).

Em julho de 2012, foi atribuído o Prémio Estímulo e Reconhecimento da Internacionalização em Ciências Sociais (ERICS), Edição 2011, financiado pela Caixa Geral de Depósitos. O Prémio ERICS tem como objetivo valorizar o desempenho científico dos investigadores do ICS-UL, com especial incidência na produção e nas atividades desenvolvidas no âmbito de instituições e instâncias internacionais acreditadas. Visa estimular, reconhecer e recompensar os investigadores deste Instituto pelo empenho que dedicam à internacionalização das suas atividades de investigação. Os prémios foram atribuídos nas seguintes modalidades:

MODALIDADE A ARTIGOS PUBLICADOS EM REVISTAS DE ESCALÃO A NA RESPETIVA ÁREA DISCIPLINAR

OLIVIA BINA

A

History and Anthropology

SUSANA DURÃO

JOÃO DE PINA CABRAL

Social Anthropology

Social Anthropology

Poderá ainda utilizar o nosso serviço de loja online, igualmente com descontos e vantagens. Compre online os nossos livros em:

www.imprensa.ics.ul.pt

VITOR SÉRGIO FERREIRA Youth & Society

LIVRARIA

ICS

RUY BLANES

Ecological Economics Environmental Impact Assessment Reviewed

JOSÉ LUÍS GARCIA Journal of Risk Research

MARINA COSTA LOBO

JOSÉ MACHADO PAIS

Political Research Quarterly

Ethnography

JOSÉ PEDRO ZÚQUETE The Leadership Quaterly


MODALIDADE B LIVROS DE AUTORIA INDIVIDUAL, CO-AUTORIA, OU COORDENAÇÃO EDITORIAL

MÓNICA BRITO VIEIRA Warsaw: Sic

B C D

STEFFEN DIX Leeds: Legenda

ANNE COVA Paris: L’Harmattan

RUY BLANES Oxford: Berghahn Books

ANDRÉS MALAMUD Buenos Aires: Eudeba

FILIPE CARREIRA DA SILVA

ANTÓNIO COSTA PINTO

New York: Columbia University Press Hampshire: Palgrave Macmillan London: Routledge

London: Routledge

JOÃO DE PINA CABRAL New York: Berghahn

MODALIDADE C

CAPÍTULOS DE LIVROS DE AUTORIA INDIVIDUAL OU COAUTORIA

VALENTIM ALEXANDRE

JOSÉ BARRETO

New York: Columbia University Press

Leeds: Legenda

OLIVIA BINA

RUY BLANES

Bristol: Policy Press

Paris: Maison des Sciences de l’Homme

ANA MARIA EVANS

VITOR SÉRGIO FERREIRA

Plymouth: Lexington Books

Dordrecht: Springer

JOSÉ LUÍS GARCIA Madrid: CIS

PEDRO LAINS

New York: Columbia University Press

MARINA COSTA LOBO

New York: Columbia University Press

20 ICS WORKING PAPERS Relançamento O ICS-UL relançou em 2012, em formato eletrónico, duas coleções de estudos em ciências sociais, da autoria dos seus investigadores, colaboradores, estudantes de pós-graduação e investigadores visitantes. Ambas as coleções visam promover a difusão alargada e a discussão do trabalho científico produzido no ICS-UL, constituindo uma plataforma dinâmica de publicação online de textos em ciências sociais. Os ICS Working Papers reúnem versões preparatórias de artigos, capítulos de livro ou comunicações em encontros científicos ainda não aceites para publicação, mesmo que já submetidas a avaliação. Os ICS Estudos e Relatórios reúnem relatórios de pesquisas em progresso ou concluídas que, pela sua natureza, não cabem no formato de um paper. Esta coleção tem como objetivo divulgar online os resultados de projetos científicos antes da sua publicação noutros formatos. Todas as propostas são apreciadas por uma Comissão Editorial, que avalia a sua adequação às coleções e comunica aos autores a sua decisão. Esta Comissão é constituída por: Sofia Aboim (coordenadora), Andrés Malamud, Dulce Freire, João Mourato, João Vasconcelos e Rui Costa-Lopes. Ambas as coleções podem ser consultadas no site do ICS.

PAULO GRANJO

Bloomington: Indiana University Press

ANDRÉS MALAMUD London: Routledge New York: Palgrave Farnham: Ashgate

PEDRO MAGALHÃES New York: Columbia University Press

ELSA PERALTA

Amsterdam/New York: Rodopi

JAIME REIS

Stanford: University Press

TIAGO SARAIVA Torino: Einaudi

ÂNGELA BARRETO XAVIER Madrid: Casa de Velázquez

LUÍSA SCHMIDT JOÃO PATO TIAGO SARAIVA

London: Taylor & Francis

SUSANA MATOS VIEGAS

21

New York: Berghahn

INVESTIGADORES ICS EM

ANTÓNIO COSTA PINTO MARINA COSTA LOBO PEDRO MAGALHÃES

INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS

Plymouth: Lexington Books

FILIPE CARREIRA DA SILVA MÓNICA BRITO VIEIRA New York: Berghahn

Desde o final de 2012 o ICS deixou de contar com a colaboração de alguns investigadores. Apesar do impacto da sua saída e perda dos importantes contributos dados durante a sua permanência, o ICS congratula-se pelas novas posições ganhas em instituições de grande prestígio internacional: Universidade de Kent, Inglaterra

MODALIDADE D

Universidade de Swansea, Inglaterra

PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO COM FINANCIAMENTO INTERNACIONAL

Universidade de Oxford, Inglaterra

OLIVIA BINA

7.º PQ da Comissão Europeia

Universidade de York, Inglaterra Universidade de Bergen, Noruega Universidade Estatual de Campinas, Brasil Universidade de Drexel, USA

Membros do Júri ERICS-CGD: Jorge Vala (Presidente), Maria de Sousa e Manuel Villaverde Cabral.

Privado, Portugal


22 REALIZING THE RIO + 20 AGENDA The role of Portugal in preparing for an age of austerity and localism Neste workshop, organizado por Luísa Schmidt, Tim O'Riordan e João Guerra, no âmbito do OBSERVA/ICS-UL, participaram cientistas, autarcas, representantes de ONG e do mundo associativo, procurando uma complementaridade de perspetivas sobre a transição para sociedades mais sustentáveis. Os trabalhos centraram-se nos objetivos da Agenda 21, complementados pelos do Rio+20, reafirmando os valores ambientais e os indicadores de bem-estar social na implementação do conceito polissémico de desenvolvimento sustentável e no interesse crescente pelo localismo em contexto de austeridade. Se a globalização e as dinâmicas globais de mercado afetam todos, em todo o lado, neste tempo de transição social, económica e ecológica, torna-se cada vez mais importante a capacidade de resposta e resiliência das comunidades locais. O localismo seria, assim, visto simultaneamente como um contributo e um complemento às forças hegemónicas da globalização, e o futuro resultaria da interceção dos vários níveis de governança (global, nacional e local) assente em comunidades mais justas, mais participativas e mais democráticas. O sucesso dos processos de transição para a sustentabilidade depende assim de vários fatores: 1) do grau de resiliência local que decorre da história, da cultura, das conjunturas económicas, das práticas de governança e do grau de coesão social (Tim O´Riordan, UEA); 2) da aproximação entre discursos apologistas da sustentabilidade e práticas que no terreno rompem modos de decisão centralistas e tecnocráticos (Pedro Jacobi, USP); 3) da clarificação entre o localismo cultural e político historicamente enraizado e o localismo como agenda política e académica recentemente importada (João Ferrão, ICS-UL). Se em termos globais, europeus e nacionais as intervenções no workshop sublinharam o agudizar da insustentabilidade, em termos locais os exemplos e casos de sucesso apresentados revelaram novas possibilidades e caminhos que, tanto em Portugal como um pouco por todo o mundo, se vão construindo e consolidando com uma componente importante de desenvolvimento local, mas sobretudo ideias novas, criatividade, esperança e projetos inovadores.

António José Correia . António Manuel Ribeiro . Aristides Leitão . Carlos Silva . Cátia Miriam Costa . Filipe Camelo . Filipe Duarte Santos . Francisco Ferreira . Frederic Coustols . Gil Penha-Lopes . Inês Campos . João Ferrão . João Guerra . José Castro Caldas . José Vítor Malheiros . Luísa Schmidt . Luiz Oosterbeek . Manuel Heitor . Mário Alves . Mário Ruivo . Olivia Bina . Pedro Jacobi . Pedro Teiga . Sandro Mendonça . Sofia Vaz . Susana Carvalho . Tim O'Riordan . Viriato Soromenho-Marques

Para mais informações consulte o site: www.observa.ics.ul.pt

23 CONHECER PARA AGIR CONTRIBUTOS PARA O LIVRO BRANCO DA JUVENTUDE Encontro OPJ O Observatório Permanente de Juventude (OPJ), em parceria com a Secretaria de Estado do Desporto e da Juventude (SEDJ), organizou no dia 17 de maio 2012, no ICS, um evento nacional onde foram sistematizados e discutidos os contributos para o Livro Branco da Juventude, quer por parte da sociedade civil (cuja recolha foi da responsabilidade da SEDJ), quer por parte de investigadores com trabalho científico sobre as realidades juvenis (da responsabilidade do OPJ). O OPJ associou a este evento nove workshops de peritos reunindo, ao todo, 46 especialistas em diferentes áreas de conhecimento definidas na elaboração do Livro Branco: Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Cultura, Inovação e Criatividade; Desigualdades e Inclusão Social; Educação e Formação; Emancipação Jovem e Habitação; Emprego e Empreendedorismo; Mobilidade e Migrações; Participação Política, Cívica e Voluntariado; Saúde e Prevenção de Comportamentos de Risco. Estes workshops tiveram como objetivo reunir, sem a pretensão da exaustividade, o património de conhecimento produzido pelas ciências sociais acerca da juventude. Os peritos discutiram tendências e cruzaram saberes com o objetivo de identificar lacunas e formular sugestões que possam ser equacionadas no plano de açao ̃ na aŕ ea da Juventude. Os resultados deste trabalho evidenciaram a transversalidade desses saberes e a exigência de respostas políticas articuladas. Por sua vez, sobressaiu a ideia de que a monitorização permanente (através do conhecimento e da avaliação) é um requisito indispensável para a tomada de decisão adequada, e que esse conhecimento (e ação) não pode dispensar a voz dos próprios jovens. O OPJ elaborou um relatório-síntese das conclusões, oportunamente enviado à SEDJ, e prevê-se a publicação em livro dos principais resultados.

Para mais informações consulte o site: www.opj.ics.ul.pt


24 PÓS-GRADUAÇÃO Realidades e desafios Prosseguem no presente ano letivo 2012-2013 as habituais atividades formativas, seminários e sessões tutoriais que integram os diversos programas doutorais que o ICS organiza, ou nos quais é instituição participante ativa. O ambiente e os estímulos académicos proporcionados pelo ICS garantem as condições favoráveis à realização de trabalho de pesquisa teórica e empírica e à escrita de uma dissertação que culminará o processo de aprendizagem e de investigação dos candidatos à obtenção do grau de doutor.

Escola de verão . Workshop de Escrita Etnográfica . Julho 2012

Para este ano letivo estão previstas diversas atividades de formação pós-graduada de curta duração, designadamente workshops doutorais e escolas de verão, que mobilizam docentes, investigadores e formandos de diversas proveniências institucionais e geográficas e de diferentes áreas disciplinares das ciências sociais. A oferta de formação pós-graduada no ICS através de programas doutorais e de formação qualificada de curta duração atingiu padrões elevados de qualidade e de maturidade e contribui para o desenvolvimento de recursos qualificados nos domínios das ciências sociais. ECPR Summer School on Latin American Politics . Junho 2012

As atividades de pós-graduação do ICS, com especial destaque para os cursos de doutoramento, conhecerão em breve novos estímulos e desafios, quer decorrentes do já anunciado concurso de bolsas a atribuir pela FCT a programas doutorais que se venham a candidatar para o efeito, quer face às exigências de colaboração inter-institucional resultantes da fusão entre a UL e a UTL. O ICS estará particularmente atento às oportunidades de criação de uma escola doutoral em ciências sociais, tendo em atenção o enquadramento e a missão do Instituto que têm vindo a ser definidos. Neste sentido, estão já em curso diversas iniciativas de aproximação e colaboração com outras unidades orgânicas da UL e da UTL, procurando o ICS contribuir de forma ativa para a futura configuração da formação avançada de elevada qualidade nos domínios das ciências sociais e humanidades.

Informações em: www.ics.ul.pt/posgraduacao/ Escola de verão . Métodos de Análise de Dados . Julho 2012

PROGRAMAS DOUTORAIS 2012/2013 Antropologia

ESCOLAS DE VERÃO 2012 DO ICS ... Métodos Avançados de Análise de Dados

Coordenação: José Manuel Sobral

Coordenação: Cícero Pereira e Alice Ramos (ICS-UL)

Política Comparada

Análise de Redes Sociais

Coordenação: Marina Costa Lobo

Coordenação: Marta Varanda (ICS-UL)

Sociologia Coordenação: Ana Nunes de Almeida

Workshop de Escrita Etnográfica Coordenação: João de Pina Cabral e Susana Durão (ICS-UL)

25 ICS VÍDEOS

História (programa inter-universitário) Coordenação pelo ICS: José Luís Cardoso

Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável (programa inter-universitário)

Coordenação pelo ICS: Luísa Schmidt

Migrações (programa da Área Estratégica de Ciências Sociais da UL) Coordenação pelo ICS: Jorge Vala

Psicologia Social (em colaboração com a Faculdade de Psicologia da UL)

... E EM COLABORAÇÃO COM O ICS

Canal do ICS no YouTube

Religion and the Public Domain Coordenação: Ramon Sarró, Ruy Llera Blanes (ICS-UL) e Kim Knibbe (U.Groningen)

ECPR Summer School on Latin American Politics. The International Politics of Latin America. Coordenação: Andrés Malamud (ICS-UL) e Mariana Llanos (GIGA)

NIS Summer School / Curso Livre «Sistema Nacional de Integridade» Coordenação: Luís de Sousa (ICS-UL) e Marcelo Moriconi (CIES/ISCTE-IUL)

Foi aberto recentemente o canal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa na maior rede de partilha de vídeos do mundo o YouTube. Assim, de forma cómoda e eficaz, o ICS disponibiliza principais eventos, palestras, debates e conferências que decorreram nas suas instalações. O objetivo final é possibilitar o acesso livre a todas as atividades científicas que foram e vão sendo registadas em formato vídeo.


26

em Destaque

PROVAS ACADÉMICAS Doutoramentos

G I S

SOFIA MARINHO

1962

anos

Sociologia Geral (janeiro 2012) Tese . “Paternidades de hoje. Significados, práticas e negociações da parentalidade na conjugalidade e na residência alternada.”

2012

VÍRGINIA HENRIQUES CALADO

I C S

Antropologia Social e Cultural (junho 2012) Tese . “À mesa com o universo: a proposta macrobiótica de experiência do mundo.”

UL

SUSANA ATALAIA FERREIRA

Sociologia Geral (julho 2012) Tese . “A parentalidade em contexto de recomposição familiar: o caso do padrasto.”

COMEMORAÇÕES DOS 50 ANOS DA REVISTA ANÁLISE SOCIAL

ADRIAN LUKASZ CHROBOT

Sociologia Política (outubro 2012) Tese . “Europeanization and its impact on the new democracies that joined the European Union. A comparative study of Portugal and Poland.”

(1963 - 2013)

ISABEL CORRÊA DA SILVA

Dinâmicas do Mundo Contemporâneo (outubro 2012) Tese . “O espelho fraterno: O Brasil no discurso do republicanismo português (c. 1889 - c. 1914).”

Junho de 2013

PEDRO XAVIER MENDONÇA

Sociologia Geral (dezembro 2012)

JOSÉ GOMES FERREIRA

Sociologia Geral (dezembro 2012) Tese . “Saneamento básico. Factores sociais no insucesso de uma política adiada. O caso do Lis.”

JOANA LOURENÇO RAMALHO

Sociologia Geral (dezembro 2012) Tese . “O papel da cultura na produção de cidade: a Casa da Música no Porto.”

PEDRO PEREIRA NETO

Sociologia Política (dezembro 2012) Tese . “Ambientalismo e comunicação política: media e empowerment tecnológico enquanto condição de influência política exógena.”

+ Informações . www.ics.ul.pt

Tese . “Navegar à vista: condições retóricas na construção de artefactos tecnológicos.”

PATRÍCIA DIAS DA SILVA

Sociologia Geral (dezembro 2012) Tese . “The politics of Youtube: studying online video and political discussion.”

PATRÍCIA FERRAZ DE MATOS

Antropologia Social e Cultural (dezembro 2012) Tese . “Mendes Correia e a Escola de Antropologia do Porto: contribuição para o estudo das relações entre antropologia, nacionalismo e colonialismo (de finais do século XIX aos finais da década de 5.º do século XX)”.

FILIPE ABREU NUNES

Sociologia Política (dezembro 2012) Tese . “Os diretores-gerais: o recrutamento das elites administrativas no Portugal democrático.”

Edição . Assessoria de Comunicação Email . comunicacao@ics.ul.pt Telefone . 21 780 47 00 Fax . 21 794 02 74 Design . João Pedro Silva

ICSNEWS12  

ICS NEWS 12

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you