Page 1

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Ano XXXVi | Edição nº 8900 | R$ 1,50

Indústria&Comércio DIÁRIO

INFORMAÇÃO. conhecimento. inteligência. DESDE 1976.

Aroldo Murá SÔNIA, A BELA QUE VIROU MENDIGA A história de Sônia Schuller tem ligações com Curitiba e Santa Catarina. É o folhetim-real da mulher formosa, rainha de passarelas, que virou mendiga.

Página A3

Balança comercial tem pior primeiro semestre em 18 anos Déficit de US$ 3 bilhões é o resultado das importações que subiram e totalizaram US$ 18,833 bilhões

Pedro Washington Mudanças no céu

Uma frase atribuída ao banqueiro e político mineiro Magalhães Pinto, da antiga UDN, na metade do século passado, pode ser atualizada: “Política (opinião pública) é como nuvem no céu. A cada vez que se olha está diferente”. Página | A2

Ministério do Trabalho e Emprego abre concurso para auditor fiscal O MTE divulgou edital para concurso público para preenchimento de 100 vagas de Auditor Fiscal do Trabalho de acordo com informações publicadas no Diário Oficial da União. O salário é de R$ 14.280. Os candidatos precisam ter formação em nível superior em qualquer área e a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

INDICADORES FINANCEIROS

O resultado do semestre é o mais baixo desde 1995, quando foi registrado déficit de US$ 4,2 bilhões. Saiba mais na página A5

MERCADO À VISTA Maiores altas

COTAÇÃO

MERC BRASIL DP 11,30 CHIARELLI ON CHIARELLI PN MINUPAR ON HRT PETROLEO ON NM

Maiores QUEDAS TRIUNFO PART DO 11,00 TECTOY PN * JOSAPAR ON ALFA HOLDING ON ALFA FINANC ON

0,04 0,29 0,21 0,06 2,58

COTAÇÃO 0,01 0,01 13,00 3,10 4,74

IBOVESPA Maiores altas*

COTAÇÃO

JBS ON NM FIBRIA ON NM COPEL PNB N1 AMBEV PN SUZANO PAPEL PNA N1

Maiores QUEDAS MMX MINER ON NM LLX LOG ON NM OGX PETROLEO ON NM USIMINAS ON N1 B2W DIGITAL ON NM

6,45 24,61 27,80 83,17 8,25

COTAÇÃO 1,47 0,99 0,78 7,64 6,62

CÂMBIO Moeda

Compra

Venda

Dólar turismo 2,1900

2,3100

Dólar comercial 2,2310

2,2317

Dólar paralelo 2,0900

2,2000

Euro

2,9052

2,9034

Ouro (Grama/R$): 88,40

Acesse a edição digital

www.icnews.com.br

DILMA: Reforma Incluirá financiamento de campanha e sistema de voto

nacional | b3

Tribunal julga mais de 116 mil processos no semestre

PR autoriza transformação de multas em advertências

O número representa 37,7% do total de causas a julgar. Cada ministro julgou, em média, 4.686 processos. Pág. A8

Apreensão de documentos pela Fazenda dispensa ordem judicial Esse é o entendimento da Quinta Turma do STJ que manteve a condenação de um empresário que contestava os poderes da Fazenda.

O benefício vale para o motorista que não tenha cometido a mesma infração em 12 meses. A medida é prevista no artigo 267 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e na resolução 404 do Contran, mas nunca funcionou por falta de regulamentação federal e de sistemas de dados compatíveis. O motorista tem até 15 dias para procurar o autuador e solicitar a transformação da multa em advertência

Pág. A8

OGX nunca seria blue chip. Falta seriedade mesmo resultado: a ação da OGX perdeu 29,11%, para R$ 0,56, após ter chegado a cair 39%. A petrolífera informou que não investirá no aumento da produção dos poços do campo de Tubarão Azul. Quem acreditou nele e pagou até R$ 17,65 por ação, amarga um prejuízo gigante.

Editais na página b1

CMYK

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia continua a cair. De acordo com a pesquisa semanal do BC ao mercado financeiro, a estimativa para a expansão do PIB - soma de todos os bens e serviços produzidos no país - este ano, caiu pela sétima semana seguida: passou de 2,46% para 2,40%. Para 2014, também houve redução, pela segunda semana consecutiva, de 3,1% para 3%. No último dia 27, o BC reduziu a sua projeção para o crescimento da economia, este ano, de 3,1% para 2,7%. A estimativa para a expansão da produção industrial oscilou de 2,56% para 2,49%, este ano, e de 3,1% para 3,2%, em 2014. Pág. A5

Confira na página a4

Editorial O principal índice acionário da Bovespa reduziu o ritmo de queda, mas fechou em baixa, pressionado pelo forte tombo da petrolífera OGX, do empresário Eike Batista. Muitas promessas, poucos investimentos, pouca transparências e muitas dúvidas. Deram novamente, o

Projeção para crescimento da economia cai pela sétima semana

Central de Atendimento: 41 3333.9800

“A saúde precisa de soluções, não de paliativos”, diz Presidente do CRM-PR

Economia: alimentos mais baratos ajudam a segurar a inflação

Veja entrevista na página | A6

e-mail: pauta@induscom.com.br

Página | A5


CURITIBA

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A2

Previsão do tempo

Mín.: 8° | Máx.: 18°

Com o afastamento mais significativo das áreas de instabilidade e o avanço de uma massa de ar seco, o tempo volta a ficar estável nesta terça-feira no Paraná. Muitas nuvens ainda cobrem a parte central, leste e litorânea do Estado, devido ao ingresso de umidade do Oceano. fonte: www.simepar.br

Trânsito

PR autoriza transformação de multas em advertências O benefício vale para o motorista que não tenha cometido a mesma infração em 12 meses

prpress@terra.com.br

PanoramaPolítico Mudanças no céu

Uma frase atribuída ao banqueiro e político mineiro Magalhães Pinto, da antiga UDN, na metade do século passado, pode ser atualizada: “Política (opinião pública) é como nuvem no céu. A cada vez que se olha está diferente”. Se conhecesse esse pensamento do político mineiro, a presidente Dilma não estaria tão surpresa com a mudança de postura do povo brasileiro que, há pouco mais de dois meses lhe dera a certeza de uma reeleição tranqüila. Na realidade as pesquisas com números alentadores nada mais eram que ‘brasa encoberta’. Um sentimento de frustração, com inúmeras posturas do governo que agora festejava a sua continuidade no poder, veio à tona quando o próprio PT lembrou que já mandava no país há dez anos. Nas festividades, ao invés de realizarem reflexão sobre o que mudara realmente, apenas acenavam seus líderes para a perspectiva de ficarem pelo menos mais dez. Esquecidos que os primeiros anos de Lula, tinham aproveitado o que os governos anteriores haviam conquistado, inclusive em programas sociais que dona Ruth Cardoso (no de FHC), sem estardalhaço, iniciara, e que o governo Lula agrupou, deles se adonando; da estabilidade financeira alcançada, com o domínio da incrível inflação recebida dos anos 80, à custa de enormes sacrifícios exigidos ao povo. A compra da opinião dos grandes veículos de comunicação através as verbas da estatais (BB, Caixa, Petrobras, etc..), encarregou-se de jogar sobre os olhos do povo uma cortina de fumaça, mostrando o que acontecia de bom e escondendo as malfeitorias que, mesmo assim teimaram em vir à tona, pela atuação de uns poucos jornais investigativos. De tanto tentar encobrir essas más ações de companheiros, mesmo acenando com projetos mirabolantes como os PACs (que empacaram), tentando ainda omitir a má qualidade da saúde e da educação, o governo se viu surpreendido pela revolta popular, puxada por 20 centavos de aumento nos transportes coletivos. Na realidade, a gota d’água...

Expectativa

As grandes redes de TV, mesmo abastecidas pelo governo, tiveram que se curvar aos problemas criados por Zé Dirceu e seus companheiros de avanço nos cofres públicos, durante o julgamento do mensalão. Problema que ainda hoje cria expectativa na opinião pública, sequiosa de saber qual será o fim desse julgamento. Com o clima atual, tergiversações não serão aceitas.

Surpresa

Nesse episódio, despreocupadas com a TV Senado que sempre apresentara nas pesquisas de audiência, apenas traço, as TVs abertas surpresas, viram-na virar top de visibilidade com as transmissões das sessões do STF que, desnudavam um dos grandes escândalos deste país. A solução foi também mostrar o desempenho de Joaquim Barbosa e demais ministros.

Feitiço...

Curiosamente, no caso da compra de opinião das TVs, um efeito contrário aconteceu. Recheadas de verbas públicas, as emissoras viram-se impossibilitadas de dar total liberdade a seus departamentos de notícias. A solução foi mudar o foco dos telejornais: ao invés de apontarem o que havia de errado na administração pública brasileira, passaram a dar ênfase ao noticiário policial. Metade dos telejornais dedicados ao noticiário policial. Algum destaque ao panorama internacional, hoje conflitado e um mínimo de noticiário político. Destaque apenas para a atuação da Presidente.

...contra o feiticeiro

O resultado inesperado dessa influência do governo no noticiário das redes de TV é que aumentou em muito a sensação de insegurança, um dos pontos hoje criticados pela opinião pública. Caso típico de “feitiço que virou contra o feiticeiro”. Inclusive agora, com a ostensiva cobertura às manifestações populares de descontentamento com o estado de coisas no Brasil.

Em choque

Aturdido com as manifestações populares, ampliadas pela suntuosidade dos estádios, cujos custos bilionários nem a vitória na Copa consegue acalmar, o governo procura saídas. Certamente não será com apenas uma medida que as manifestações cessarão.

EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

Ao receber notificação de multa, é importante verificar o órgão autuador e a classificação da infração. O motorista tem até 15 dias para procurar o autuador e solicitar a transformação da multa em advertência

O

Paraná é um dos primeiros estados a permitir que infrações de trânsito consideradas leves ou médias possam resultar em advertência por escrito, em vez de multa. O governador Beto Richa autorizou o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran – PR) a aplicar a medida. O benefício vale para o motorista que não tenha cometido a mesma infração em 12 meses. A medida é prevista no artigo 267 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e na resolução 404 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), mas nunca funcionou por falta de regulamentação federal e de sistemas de dados compatíveis. “Por determinação do governador Beto Richa, o Paraná não vai esperar o Conselho.

Entendemos que é uma medida educativa importante, que beneficia os condutores responsáveis, que ao longo de um ano não cometeram determinada infração e por isso merecem nosso voto de confiança”, afirma o diretor-geral do Detran, Marcos Traad. O benefício aos motoristas paranaenses foi possível com a implantação do GIT – Gestão de Infrações de Trânsito, criado pelo Detran em parceria com a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar). Apenas Rio Grande do Sul também tinha sistemas adequados, e outros sete estados estavam em ajuste, o que fez o Contran prorrogar a mudança até dezembro. Ao receber notificação de multa, é importante verificar o órgão au-

tuador e a classificação da infração. O motorista tem até 15 dias para procurar o autuador e solicitar a transformação da multa em advertência. O processo é semelhante ao do recurso ou defesa de infração. O artigo 267 do CTB diz que “poderá ser imposta a penalidade de advertência por escrito à infração de natureza leve ou média, passível de ser punida com multa, não sendo reincidente o infrator, na mesma infração, nos últimos doze meses, quando a autoridade, considerando o prontuário do infrator, entender esta providência como mais educativa”. A advertência não será concedida aos condutores com CNH em situação irregular (suspensa ou cassada); com recurso de suspensão ou cassação sendo julgado; e

Fundo Municipal de Habitação terá orçamento de R$ 4,2 mi em 2014 O Conselho Gestor do Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social (FMHIS) aprovou na última sexta-feira (28) o orçamento para o ano de 2014. De acordo com a previsão, o Fundo terá R$ 4,2 milhões para financiar projetos de urbanização, reassentamento e ações de regularização fundiária e para gastos de custeio. A aprovação ocorreu durante reunião dos conselheiros, na sede da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab). O Conselho Gestor do Fundo é integrado por representantes dos setores público e privado e dos movimentos populares e é presidido pelo secretário municipal de Obras Públicas, Sérgio Antoniasse. A Cohab, que é o agente operador do FMHIS, tem um representante no Conselho, além do Ippuc,

Secretaria de Finanças, Câmara Municipal, Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon PR) e dois representantes dos movimentos populares escolhidos em eleição direta. O Fundo é um organismo auxiliar da política de habitação popular do Município e foi constituído em 2008 para dar suporte financeiro aos projetos destinados à faixa mais carente da população. Os recursos que sustentam o FMHIS são captados no próprio município e são originários, em sua maior parte, da venda de potencial construtivo – instrumento de política urbana, que permite às empresas de construção civil aumentar, dentro de parâmetros previstos na lei de zoneamento, a área construída dos empreendimentos. De acordo com a previsão da

secretaria executiva do FMHIS, dos R$ 4,2 milhões que compõem o orçamento do Fundo para 2014, R$ 3,5 milhões virão da arrecadação de incentivo construtivo – também chamado de “solo criado”. Este ano, cerca de 45% da receita prevista de solo criado – em torno de R$ 3,1 milhões – foi alcançada no final do mês de maio, com o ingresso, em cinco meses, de R$ 1,4 milhão. A principal obra em andamento com financiamento do Fundo está na Vila Bom Jesus, uma área de ocupação irregular localizada no bairro Cachoeira, onde vivem 150 famílias. Lá, os moradores estão sendo atendidos com melhoria da infraestrutura. Os serviços em execução no local incluem pavimentação de ruas, instalação de redes de drenagem, água, esgoto e iluminação pública.

Ônibus Acesso começa a atender em mais quatro regionais Começou a funcionar ontem o serviço do ônibus Acesso nas regionais do Cajuru, Bairro Novo, Santa Felicidade e Boa Vista. Até agosto, toda a cidade será atendida pelo serviço, que é destinado a pessoas com deficiência que possuem condições restritas de mobilidade, autonomia ou comportamento. O prefeito Gustavo Fruet acompanhou nesta segunda a ampliação do serviço na Administração Regional Santa Felicidade. “O Acesso está sendo implantado para diminuir as diferenças”, disse Gustavo Fruet, afirmando que uma das metas do governo é elaborar um novo plano de mobilidade com a participação de diferentes órgãos municipais. O ônibus Acesso foi criado

Foto: Valdecir Galor/SMCS

O prefeito Gustavo Fruet e a secretária da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdocimo, no lançamento do Ônibus Acesso

para levar pessoas com deficiência de suas residências aos serviços de saúde para consulta, exames, habilitação, reabilitação e atendimentos sociassistenciais e, depois,

reconduzi-las para casa. O primeiro ônibus começou a funcionar em março, no Pinheirinho, como projeto piloto, e hoje atende 20 pacientes.

com suspensão ou cassação no período inferior a um ano, por exemplo. Somente se o pedido for aceito é que serão canceladas as penalidades de multa e pontuação na carteira de habilitação. Entre as infrações que poderão resultar na advertência está parada do veículo por falta de combustível e desrespeito à velocidade máxima indicada em até 20%. A infração média implica em quatro pontos na CNH e multa de R$ 85,13. Infração leve, como dirigir sem portar os documentos do veículo (que ainda fica retido), resulta em três pontos e multa de R$ 53,20. A natureza das infrações pode ser verificada no site www.detran. pr.gov.br, na área destinada a Motoristas e no item Conheça as infrações de trânsito.

Paraná define novos municípios para atualização cartográfica Técnicos do Governo do Estado e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) se reúnem no Rio de Janeiro, para avaliar e definir as próximas ações do “Projeto Nomes Geográficos do Paraná - Toponímia passo a passo”, que tem o objetivo de atualizar a identificação de estradas, povoados, rios e montanhas nos mapas paranaenses. Os encontros acontecem até sexta-feira (05) e vão tratar da metodologia e da escolha de novas áreas para a próxima expedição de trabalho. O objetivo é eleger cidades com maior potencial de parceria externa. Já foram realizados levantamentos em cerca de 30 municípios nas regiões dos Campos Gerais, Centro-Sul e Sudeste do Estado. A ideia é criar uma base de dados oficial de nomes geográficos para incorporação na cartografia estadual. De acordo com Gislene Lessa, diretora de Geociências do Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG) – vinculado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - nesta etapa também serão avaliados os pontos extremos do Paraná. “O trabalho será realizado nas Bacias Hidrográficas Paraná 3 e Litorânea. A atualização cartográfica vai auxiliar, por exemplo, a Defesa Civil na localização de suas ocorrências”. Outra demanda é a produção de um atlas municipal. “Vamos indicar um município desenvolvido no turismo, na agricultura entre outros setores, para elaborar um atlas de nomes geográficos. A ideia é que o material seja distribuído em escolas e bibliotecas públicas da região”, explica.


Aroldo Murá G. Haygert

Contato com o jornalista: aroldo@cienciaefe.org.br

Diário Indústria&Comércio Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A3

SÔNIA, A MENDIGA QUE ENCANTOU MULTIDÕES A história de Sônia Schüller é coisa de folhetim. Incrível. Tem todos os componentes para garantir audiência em horário nobre. Foi exposta em sua crueza na edição de domingo de O Globo, do Rio, o jornal que sabe captar o toque humano de histórias jamais imaginadas. A de Sônia é a de uma esquizofrênica, vivendo como mendiga nas ruas da Zona Sul do Rio, de preferência em Ipanema. Passa boa parte do dia de mãos estendidas, pedindo dinheiro para, pelo menos, comprar cigarros, os Malboro inseparáveis. É uma mendiga. Catarinense, ela foi para o Rio com a mãe, aos 4 anos. Criou-se num

bom padrão de classe média, a julgar-se pelo apartamento em que ainda mora, em Ipanema, e que deve ser herança familiar (o condomínio é pago pelo irmão Cláudio, que mora na região serrana). A mãe era fisioterapeuta. Nesse mesmo prédio da Rua Barão da Torre, 42 morava Rubem Braga, com que ela chegou a ter um affair passageiro. Outro relacionamento rápido foi com um carioca de grande visibilidade na época, dirigente do famoso Clube dos Cafajestes, Sergio Petezzoni. Dessa relação resultou um filho, Bruno, 46, advogado, que vive em Curitiba há 19 anos.

Sônia foi vice-miss Estado da Guanabara, em 1964. Não conquistou o título, mas fez o Maracanãzinho quase vir abaixo, em aplauso à classe e a beleza loira que, depois, seria Miss Praias Cariocas de 1965. A história de Sônia é comovente: ela divide o espaço do outrora elegante apartamento, numa das áreas valorizadas da Zona Sul, com um filho que estuda Direito. O local vive repleto de quinquilharia e lixo que essa mulher, hoje sem dentes e em andrajos, recolhe como parte de seu ritual de alienada. Uma alienação que, parece, nem lhe traz à lembrança os grandes momentos em que viveu, registrados nos jornais e revistas da época.

Sônia Schüller, a Miss

Sônia Schüller hoje

Rubem Braga

PARANAENSE É VICE EM ASSOCIAÇÃO DE CONSTITUCIONALISTAS

As controvérsias que fizeram com que a presidente Dilma fosse levada a descartar a hipótese de convocar uma Constituinte para tratar da reforma política, no mês passado, mostram a necessidade de maior debate e estudo de questões jurídicas tão complexas. Não por acaso, certamente, três ministros do Supremo Tribunal Federal e outros 24 estudiosos de Direito Constitucional fundaram, no dia 10 de junho, a Associação Brasileira de Direito Processual Constitucional (ABDPC). Um dos objetivos previstos em seu estatuto é o de “desenvolver ou participar ativamente na criação de um Código de Processo Constitucional para o Brasil”. A defesa da codificação do processo constitucional vem crescendo na mesma medida da consolidação dos direitos fundamentais, no rastro do protagonismo do Supremo Tribunal Federal no julgamento de questões que versam sobre o tema.

PARANAENSE É VICE Os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Roberto Barroso são membros fundadores da associação. A primeira diretoria, que exercerá um mandato de três anos, é a seguinte: André Ramos Tavares, presidente; Luiz Guilherme Bittencourt Marinoni, vice-presidente; Bruno Dantas, secretário-geral; Cleverton Cremonese de Souza, diretor financeiro; Sergio Cruz Arenhart, diretor acadêmico; e Daniel Francisco Mitidiero, diretor de relações institucionais. O advogado curitibano Luiz Marinoni , como vice-presidente, anunciou a criação da nova entidade durante a realização, na Universidade de Buenos Aires, do “I Congreso Internacional de Derecho Procesal Constitucional”, promovido pela Associação Argentina de DPC. Na ocasião, Marinoni proferiu conferência sobre a autoridade dos precedentes constitucionais no Brasil.

CONDOMÍNIOS

Com investimento inicial de R$ 1 milhão a APS Administradora de Condomínios estará logo se instalando em Curitiba, como parte de um processo de expansão que inclui atuação também em São Paulo e Brasília. A empresa já opera no Rio e em Recife, Fortaleza, e Salvador.

Luiz Felipe Scolari, como bom gaúcho descendente de italianos e nascido na região da serra (Caxias, Bento

NOSSOS PENETRAS Na semana que passou, promoters de festas, assessores de imprensa e notáveis de grandes pontos de encontro da noite faziam exercícios de memória para catalogar os mais notórios penetras de grandes eventos, coquetéis, festas, lançamentos de livros, vernissages, e eventos tipo entrega de condomínios de luxo e até – benzam os céus – festas de casamento em clubes fechadíssimos. “Na disparada, apareceu um senhor sessentão, empertigado, com ternos clássicos, fala mansa e convincente, com alguma história em Curitiba, como sendo o maior bicão da Capital”, dizia ontem à coluna a jovem auxiliar de colunista social, resumindo “a avaliação”. No Rio, a arte de ser bicão e penetrar em ambientes exclusivos sem ser convidado é magistralmente ensinada por uma mulher, Graça Couto, quarentona. Sempre bem vestida, a penetra mais famosa da vida carioca é famosa por dar carteiradas em grandes eventos, não poucas vezes se apresentando como ‘credenciada’ por agência de notícias francesa.

NO RIO (2) Graça costuma acompanhar-se de dois amigos também penetras. Depois que conseguem entrar no lugar-alvo, é cada um por si. Segundo se diz no Rio, Graça é “eclética, e sua lista de participações vai da abertura de exposições de arte (em galerias chiques), inauguração de lojas, premiações, festas, o que quer que seja desde que tenha coquetel”, garante Marcos Azambuja Rios, empresário da noite carioca. O natural é que ela fique sempre na reta da cozinha e de olho nos garçons. Para alguns promoters de festas do Rio, “Graça é o termômetro de sucesso. Se ela vem é porque o evento é bom...”

Não se tem notícias se o curitibano Amadeus Richers, 62, continua ou não preso na cidade do Panamá, onde, até poucos dias, corria o risco de ser extraditado para os Estados Unidos. Tudo porque a Promotoria de Miami o acusa de ter se envolvido no pagamento propina de US$ 1,2 milhão a diretores da Teleco, estatal haitiana de telefonia fixa, entre 2004/05. Em Curitiba, familiares de Richers não foram localizados para falar do assunto.

Goncalves, Ana Recchia...) é devoto de Nossa Senhora do Caravaggio. A invocação da mãe de Jesus nasceu em 1432, na pequena cidade de Caravagio, na Lombardia, onde ela teria aparecido. Ontem, houve testemunhas de que Felipão contemplava, compungido, a mais recente imagem de Carvaggio que ganhou, presente do técnico do time da Itália Cesare Prandelli.

‘O LAUDÊMIO NO SUS’

Cesare Prandelli: presente e devoção

Registrado pelo jornais como o cartaz mais criativo dentre os aparecidos em passeatas, o que se observou, dias atrás, na manifestação de 10 mil pessoas em Petrópolis: “Majestade, enfia o laudêmio no SUS”. Explicação: por lei, que vem desde os tempos imperiais, em todos os imóveis vendidos em Petrópolis , uma percentagem vai para a família imperial brasileira...

BUROCRATAS CORRUPTOS

NO RIO, GRAÇA COUTO

CURITIBANO PRESO NO PANAMÁ Luiz Guilherme Marinoni

SENHORA DO CARAVAGGIO

Luiz Felipe Scolari.

Do enorme sociólogo Manuel Castells, em entrevista domingo, em O Globo, sobre os protestos no Brasil: Para ele, os protestos no Brasil e Turquia têm pontos em comum: “... (é) a deterioração da qualidade de vida urbana sob o crescimento econômico irrestrito que não dá atenção à vida dos cidadãos. Especuladores imobiliários e burocratas, normalmente corruptos, são os inimigos nos dois casos.”

CARTAS (correspondências para a coluna: aroldo@cienciaefe.org.br)

PARA BIA, OBSCURANTISMO

Como afirmou uma advogada na sua coluna. (O Feliciano) ele é um agente ativo do obscurantismo, do preconceito e da estupidez. Vítimas são os gays que ele pretende curar, como se homossexualismo fosse doença, e, pior, doença contagiosa. O que foi essa manifestação dos evangélicos, Aroldo? Estou pasma. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ poder/116629-marcha-para-jesus-vira-ato-dedesagravo-a-feliciano.shtml

AGRADECENDO

Ao cumprimentá-lo cordialmente agradeço o prestígio da veiculação do material! Abraço cordial, Melina Fachin , advogada, Curitiba.

RESPOSTA: Essa gente acredita ser íntima do Onipotente e se acha, pois, com procuração d’Ele para toda sorte de absurdos. É uma gente que quer cancelar o avanço científico que há muito exorcizou o homossexualismo da categoria de “doenças”. Não é só você que está pasma, o Brasil que pensa não pode alimentar esse universo de políticos que, infelizmente, vem crescendo graças à nossa omissão.

Frei Chico

Aroldo Murá, paz e bem! Recebi e venho agradecer a sua reportagem que descreve fielmente nosso encontro e fala com graça do conteúdo ed a finalidade do Dicionário. Foi bom tê-lo encontrado. Grande abraço, Frei Chico Van Der Poel

Sergio Cruz Arenhardt Melina Fachin

PRIMEIRO ‘TALK SHOW”

Ministro Gilmar Mendes

Amadeus Richers

Frei Chico

Alô amigos, aí está o primeiro talk show da tv do Paraná. Curtam nossa fan page: www.facebook/ProsaCuritibana http://www.youtube.com/ watch?v=dSt2Ns0HteM Brevilheri Jr., jornalistsa, Curitiba.


curitiba Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A4

Diário Indústria&Comércio


Contexto Político Nenhum paranaense

Pela primeira vez desde sua primeira edição, em 2.004, nenhum parlamentar paranaense – deputado ou senador – figura na lista dos melhores parlamentares escolhidos por 167 profissionais que fazem a cobertura diária do Congresso Nacional. Entre os melhores, os jornalistas escolheram dois parlamentares da oposição – o senador Randolfe Rodrigues, do Psol do Amapá, e o deputado Chico Alencar, do Psol do Rio de Janeiro. Caberá, agora, aos internautas escolherem os melhores parlamentares do Brasil A votação começa no dia 9 de julho e irá até 9 de setembro.

Senadores

Os senadores eleitos pelos jornalistas foram: Randolfe Rodrigues, Pedro Taques, Cristovam Buarque, Pedro Simon, Eduardo Suplicy, Paulo Paim, Aloysio Nunes Ferreira, Ana Amélia, Rodrigo Rollemberg, e Walter Pinheiro.

Deputados

Os deputados escolhidos pelos jornalistas foram: Chico Alencar, Jean Wyllys, Reguffe, Alessandro Molon, Ivan Valente,Luiza Erundina, Miro Teixeira, Domingos Dutra, Manuela D’Ávila,Beto Albuquerque, Carlos Sampaio, Henrique Fontana, Jandira Feghali, Mara Gabrilli, Ronaldo Caiado. Foram escolhidos, também, Nilmário Miranda, Benedita da Silva,Fernando Ferro,Jerônimo Goergen, Arlindo Chinaglia, Glauber Braga, Paulo Rubem Santiago, Paulo Teixeira e Tiririca.

Roseli Abrão

Ferroeste

As empresas interessadas na obtenção de áreas no terminal de cargas da Ferroeste em Cascavel tem pouco tempo para se habilitarem. A data de abertura das propostas é 22 de julho. A informação é da própria Ferroeste que acrescenta que o objeto da

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A5

concorrência pública nº 02/2013 é facilitar a instalação e construção de instalações de transbordo rodoferroviário e armazenagem provisória de cargas.

Morreu nesta segunda-feira, o prefeito de Paranaguá, Mário Roque, do PMDB. Há duas semanas Roque estava internado no Hospital Vita, em Curitiba, após sofrer um enfarte. O vice-prefeito de Paranaguá, Edson de Oliveira Kersten, também do PMDB, assume o cargo. Mário Roque foi por duas vezes prefeito de Paranaguá, vereador e deputado estadual.

Dilma

Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas, entre os dias 23 e 26 de junho, ouvindo 513 eleitores, mostra que os londrinenses não estão satisfeitos com o governo da presidente Dilma Rousseff. São 62,18% da população que desaprovam seu governo contra 34,11% que aprova.

Beto

Ao contrário da presidente, o governador Beto Richa tem o que comemorar. Seu governo Richa é aprovado por 59,06%. Desaprovam Richa 36,95% da população.

Povo

Em seu programa “Café com a presidenta” desta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que, “como há uma distância enorme entre o querer e o fazer, as coisas só andam se a gente se unir em torno de pontos concretos, específicos e urgentes”. Dilma destacou que “um país não pode andar bem se sua política não estiver bem, porque o papel da política é harmonizar a sociedade. E a política só pode estar bem se houver participação popular, se o povo participar das decisões, acompanhando de perto e fiscalizando a ação dos governantes”.

Foi por isso, disse a presidente, está apresentando uma proposta ao Congresso Nacional de convocar um plebiscito popular para que os cidadãos opinem sobre os temas mais urgentes que o Legislativo deve discutir em uma reforma política. Entre as propostas do plebiscito, se o brasileiro quer mudar na forma de eleger seus representantes e do financiamento das campanhas.

Balança fecha semestre com déficit de US$ 3 bi Em junho, a balança comercial registrou superávit de US$ 2,394 bilhões

A

trado em junho de 2012, quando apresentou saldo de US$ 800 milhões. Apesar do resultado positivo, o saldo comercial fechou o primeiro semestre do ano com déficit de US$ 3 bilhões, o resultado mais baixo desde 1995, quando foi registrado

déficit de US$ 4,2 bilhões. A exportação somou US$ 21,227 bilhões no mês, a melhor média diária em 2013, de US$ 1,061 bilhão, considerando 20 dias úteis. Em relação a junho do ano passado, as exportações registraram aumento

Caixa Econômica Federal vai liberar R$ 3,7 bilhões para crédito rural A Caixa Econômica Federal informou que vai destinar cerca de R$ 3,7 bilhões para o crédito rural na safra 2013/2014, iniciada ontem. Os recursos serão destinados a custeio agrícola e pecuário e a operações de investimentos em máquinas, equipamentos, aquisição de animais e projetos de infraestrutura rural. De acordo com a Caixa, a atuação no crédito rural integra a estratégia do banco de desenvolver novos negócios. Segundo o banco, o Caminhão do Agronegócio, unidade móvel que funciona como

agência, estará presente em feiras agropecuárias e outros eventos para divulgar e disponibilizar crédito rural. As cerca de mil agências que irão operar o crédito rural poderão ser consultadas no site da Caixa, a partir de hoje. A Caixa iniciou a sua atuação no crédito rural em setembro de 2012, com um projeto piloto desenvolvido em 62 agências de oito estados brasileiros. Inicialmente, foram atendidos produtores rurais pessoa física e jurídica, cooperativas e produtores com relacionamento junto ao agronegócios para o fi-

nanciamento das culturas de milho e soja e às atividades de pecuária, bovinocultura de leite e de corte. A estratégia de atuação da Caixa incluiu além do atendimento aos produtores rurais nas agências, o atendimento às cooperativas de produção agropecuária. Ontem, o Banco do Brasil informou que serão desembolsados R$ 70 bilhões de crédito rural na safra 2013/2014. Desse total, R$ 13,2 bilhões vão financiar a agricultura familiar e R$ 56,8 bilhões vão para agricultores empresariais e cooperativas rurais.

Projeção para crescimento da economia cai pela sétima semana A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia continua a cair. De acordo com a pesquisa semanal do Banco Central (BC) ao mercado financeiro, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) - soma de todos os bens e serviços produzidos no país - este ano, caiu pela sétima semana seguida: passou de 2,46% para 2,40%. Para 2014, também houve redução, pela segunda semana

consecutiva, de 3,1% para 3%. No último dia 27, o BC reduziu a sua projeção para o crescimento da economia, este ano, de 3,1% para 2,7%. A estimativa para a expansão da produção industrial oscilou de 2,56% para 2,49%, este ano, e de 3,1% para 3,2%, em 2014. A projeção das instituições financeiras para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB segue em 35%, tanto para este

ano quanto para 2014. A expectativa para a cotação do dólar subiu de R$ 2,13 para 2,15, este ano, e segue em R$ 2,20, ao fim de 2014. A previsão das instituições financeiras para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) caiu de US$ 6,5 bilhões para US$ 6 bilhões, este ano, e de US$ 8 bilhões para US$ 7,35 bilhões, em 2014.

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Cármen Lúcia, recebeu nesta segunda-feira uma carta da presidente em que Dilma Rousseff expõe a intenção de realizar no país um plebiscito sobre a reforma política. A carta foi entregue pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. A presidente do TSE já convocou presidentes dos TREs das 27 unidades federativas para discutir a proposta. A reunião deve ocorrer nesta terça-feira em Brasília.

CPI da Urbs

Foi realizada na tarde desta segunda-feira a primeira reunião da CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal de Curitiba. Os vereadores aprovaram o regimento interno e uma série de medidas que irá nortear os trabalhos da comissão e uma delas será a contratação de uma auditoria externa para acompanhar as investigações. Mas o primeiro passo será requisitar junto à Urbs os documentos sobre o processo licitatório da Rede Integrada de Transporte. A expectativa é que esses documentos sejam entregues na próxima quinta-feira. Segundo o presidente da comissão, vereador Jorge Bernardi, do PDT, a partir destes estudos serão convocadas pessoas para depor. As reuniões da CPI serão realizadas, durante o recesso parlamentar, às quintas-feiras, às 14 horas. A partir de agosto, as reuniões serão realizadas pela manhã. A população poderá contribuir com informações pelo site da Câmara Municipal.

Entre aspas

Plebiscito (I)

Saldo comercial

balança comercial registrou superávit de US$ 2,394 bilhões em junho, segundo dados divulgados ontem, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O valor foi 199,3% superior ao regis-

Plebiscito (II)

Mário Roque

Vale-transporte

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, encaminhou ao governo da presidente Dilma Rousseff novas propostas para redução da tarifa e retomada da qualidade no transporte coletivo. A principal delas, a universalização do vale-transporte. Segundo ele, com isso, o trabalhador não pagaria mais a tarifa. Pela proposta de Fruet todas as empresas e órgãos públicos repassariam obrigatória e diretamente para o sistema de transporte coletivo o valor correspondente ao valetransporte de todos os seus empregados. Esse custo seria bancado pelas empresas.

Diário Indústria&Comércio

roseli@roseliabrao.com.br

de 9,7%, pela média diária. As importações totalizaram US$ 18,833 bilhões. Segundo a pasta, a média diária foi recorde para meses de junho, de US$ 941,7 milhões. As importações cresceram 1,5% ante junho de 2012, pela média diária.

Alimentos mais baratos ajudam a segurar a inflação O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) encerrou o mês de junho em alta de 0,35% ante 0,37% percentual apurado na terceira prévia do mês. Esse pequeno decréscimo foi influenciado pelo grupo alimentação que passou de 0,20% para 0,02%. Houve recuo das frutas de 1,33% ante 0,94% no período anterior. Também houve influência do grupo vestuário com variação de 0,59% ante 0,71% na terceira prévia. Neste último caso, o destaque foi o vestuário feminino - que teve elevação mais lenta - passando de 0,93% para 0,70%. O levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que seis dos oito grupos pesquisados apresentaram avanços em relação à apuração da terceira prévia do mês. A taxa mais expressiva foi constatada em saúde e cuidados pessoais com 0,48% ante 0,34% e foi puxada pelos medicamentos em geral cujo valor médio cobrado foi revertido de uma queda de 0,08% para uma alta de 0,23%. Nos demais grupos ocorreram as seguintes oscilações: em educação, leitura e recreação, alta de 0,35% ante 0,23%.

“Essa pesquisa tem o valor de uma vaia em estádio: não passa de catarse temporária. Redobro a aposta: Dilma ganha no 1º turno”. Frase de João Saldanha, marqueteiro de Dilma Rousseff, sobre a pesquisa Datafolha que mostra uma queda de 21 pontos da presidente e aponta para um 2º turno, registada pela coluna “Painel”, da Folha de S. Paulo..


saúde&bemestar

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A6

Raio X

Luiz Augusto Juk jornalistajuk@induscom.com.br

Adriana Schmidt na jornada

Curitiba recebeu entre os dias 28 e 30 de junho a XVI Jornada Sul-brasileira de Otorrinolaringologia. O evento, foi realizado na sede da Associação Médica do Paraná,que contou com a presença de renomados profissionais da saúde, como a médica curitibana Adriana Vidal Schmidt. No encontro, a doutora ministrou palestra sobre o tema “Rinite e Alergia”, no workshop de Alergia.  

Saúde bucal

Médicos (I)

“A saúde precisa de soluções, não de paliativos” “O governo federal protagoniza mais um triste episódio em relação à saúde pública ao anunciar a contratação de profissionais estrangeiros para trabalhar no Brasil sem que precisem revalidar seus diplomas, concedendo apenas uma autorização provisória para exercerem a Medicina em locais específicos.” A afirmação é Alexandre Gustavo Bley Presidente do CRM-PR-Conselho Regional de Medicina no Paraná, em entrevista exclusiva para o jornal Indústria & Comérico. “Como médico e representante de classe repudio veementemente tal proposta, que não apenas coloca em risco a saúde da população, mas planta a dúvida sobre a atuação do médico brasileiro”, enfatiza.

RESPEITO

Fatores biológicos, escovação inadequada e consumo de alimentos ácidos podem provocar lesões nao cariosas, um problema cada vez mais comum. As lesões não cariosas mais comuns são as da região cervical (localizada perto da gengiva) em dentes pré-molares do maxilar superior e as de oclusão (na região dos molares e incisivos). Segundo o dentista curitibano Danilo Biazzetto de Menezes Caldas, mestre pela Indiana University School of Dentistry e doutor pela Unicamp, dependendo da idade, a prevalência destas lesões pode chegar a até 82% dos indivíduos. A maior parte dos casos está relacionada à alimentação ácida. E, com o passar da idade, essas lesões se tornam ainda mais comuns.

Mamoplastia

Mais adiante, Alexandre Gustavo Bley salienta que “já é sabido que o que se verifica é a falta de estrutura e a falta de perspectivas de um plano de carreira para incentivar a interiorização e a permanência dos profissionais no interior do país. De forma que não é trazendo médicos estrangeiros que será possível avançar nas questões relativas à

Alexandre Gustavo Bley: “A classe médica exige respeito”

saúde pública. Eles vão enfrentar os mesmos problemas estruturais que os brasileiros e ainda o agravante da dificuldade com o idioma.” “A classe médica exige respeito não só para a dignidade de sua profissão, mas também para com

A classe médica está a postos para um amplo debate propositivo que vise à construção de um sistema de saúde digno para quem nele trabalha e para quem precisa se beneficiar dele.”

a população desses municípios. Se médicos de outros países querem trabalhar no Brasil, que o façam seguindo a lei, revalidando seus diplomas (Prova do Revalida), fazendo o teste de proficiência em língua portuguesa e, finalmente, obtendo o registro junto ao Conselho de classe. Nada os impede de trabalhar aqui, desde que cumpram com as obrigações inerentes à essa vontade, salienta o presidente do CRM-PR. Alexandre Gustavo Bley disse ainda que “o Conselho de Medicina do Paraná está atuando de forma ativa nessa discussão, tendo participado de Atos Públicos em defesa da Saúde e se manifestando ante a sociedade e a imprensa. A classe médica está a postos para um amplo debate propositivo que vise à construção de um sistema

de saúde digno para quem nele trabalha e para quem precisa se beneficiar dele.” Ao finalizar o presidente do CRM-PR disse que “defendemos a autonomia do médico para escolher o local onde quer se fixar, com base na estrutura de que cada local dispõe e em suas ambições profissionais, tendo em vista a possibilidade de prestar o melhor atendimento possível à população. Locais sem estrutura, equipamentos, medicamentos e equipe de apoio estão longe de serem ideais, e nenhum médico, seja ele brasileiro ou não, deveria ter que se submeter a prestar atendimento em ambientes como esses. Esta preocupação não é só minha, mas de toda uma classe que, ao contrário do que muitos pensam, quer o melhor para o país e seu povo”.

Médicos (II)

SPA Shishindo

Tudo é muito especial na Rede de SPA Shishindo: tratamentos que criam sinergia entre técnicas, produtos, instalações misturados com refinada simplicidade. Salas ambientadas e climatizadas, para se sentir inteiramente à vontade e relaxar.O Shishindo utiliza uma metodologia exclusiva terapêutica que integra conhecimentos do oriente e do ocidente: ciência e tradição. Além de possuir método terapêutico próprio, a Rede Shishindo Spas traz rituais exclusivos, uma equipe que faz toda a diferença e produtos 100% naturais para melhorar a vida de todos.Em Curitiba há três unidades da Rede localizadas dentro dos hotéis Radisson, Pestana e Deville Rayon.

PASSEATA DE MÉDICOS

O Conselho Regional de Medicina (CRM-Pr) está convocado para passeata da classe médica que sairá da Boca Maldita, as 10h da manhã, e seguirá até a entrada do prédio da Universidade Federal do Paraná. Entre as reivindicação esta a questão da “importação” de médicos ,anunciada recentemente pela presidente Dilma. Alexandre Gustavo Bley, Presidente do CRM-PR, em nota oficial publica, diz, em certo trecho que “a sociedade brasileira tem demonstrado que já não aguenta mais o jogo político e os discursos falaciosos, clamando por medidas definitivas que garantam a qualidade da assistência à saúde, bem como outros direitos constitucionais visando o respeito e a dignidade humana.” No dia 3 de julho, quarta-feira, acontece uma passeata, que segundo a CRM-Pr, “é para ajudar a mudar a triste história da Saúde no Brasil!” Alexandre Gustavo Bley, Presidente do CRM-PR, em nota oficial publica, diz, em certo trecho que “a sociedade brasileira tem demonstrado que já não aguenta mais o jogo político e os discursos falaciosos, clamando por medidas definitivas que garantam a qualidade da assistência à saúde, bem como outros direitos constitucionais visando o respeito e a dignidade humana.” No dia 3 de julho, quarta-feira, acontece uma passeata, que segundo a CRM-Pr, “é para ajudar a mudar a triste história da Saúde no Brasil!” Segunto Alexandre Gustavo Bley,presidente do CRM-PR, a passeta “é para ajudar a mudar a triste história da Saúde no Brasil”.

Projeto propõe registro e aplicação de provas O deputado estadual Ney Leprevost, apresentou projeto de em que fica proibida no Paraná a atuação de médicos não portadores de registro profissional no Conselho Regional de Medicina (CRM). Segundo o parlamentar o projeto tem por finalidade “preservar a qualidade dos serviços de saúde prestados a nossa população, defendendo desta forma o mais precioso bem que nos foi dado, a vida humana e respeitando verdadeiramente a carta magna de nosso país, a Constituição Brasileira que prevê que a saúde é um direito de todos os cidadãos e garante que ela seja prestada com qualidade”. De acordo com o projeto, para que o Conselho Regional de Medici-

“Preservar a qualidade dos serviços em defesa da vida humana”

Simepar

Enquanto a maioria das mulheres deseja colocar próteses de mama e aumentar o tamanho do sutiã, vários consultórios médicos estão recebendo pacientes interessadas em diminuir o volume dos seios. Mulheres com mamas muito grandes ou flácidas recorrem à cirurgia plástica para solucionar um problema estético, mas que, muitas vezes, influencia também na saúde e bem-estar delas próprias. De acordo com o doutor Alexandre Mansur, médico especialista em cirurgia plástica, dependendo do tamanho da mama da paciente, ela pode vir a ter dores nas costas, peso nos ombros e até mesmo letargia, sem falar na marca profunda na pele causada pelo sutiã. Visando a saúde dessas mulheres e, consequentemente, a elevação das suas autoestimas, existe a mamoplastia redutora, cirurgia que diminui o volume e o peso mamário.

Manifestação em Curitiba contra a “importação” de médicos sem validação dos diplomas

na conceda o registro profissional a médicos formados no exterior “será exigida a aprovação em prova de conhecimento de conteúdo especifico, realizada por Instituição de Ensino Superior, Estadual ou Federal, reconhecida pelo órgão competente (Ministério da Educação ); ou aprovação no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida).” Esclarece Ney Leprevost que

de acordo com seu projeto, “para ordem de aplicação da prova, será dada prioridade aos médicos brasileiros formados no exterior.” Em outro artigo, diz que a aprovação em prova de domínio do uso do idioma pátrio , em caso de estrangeiros legalizados, também será exigida para concessão de registro profissional dos médicos formados em países de língua não portuguesa. Fica o governo do Paraná, responsável pela elaboração de programas de

incentivo a permanência de médicos no interior do estado.” De acordo com o parlamentar, “Os médicos devidamente registrados no Conselho Regional de Medicina, tem sua atuação profissional balizada pelos conceitos éticos do Código de Ética Médica, a capacitação acadêmica devidamente avaliada e sua conduta profissional fiscalizada, o que assegura a prática de uma medicina de qualidade em nosso estado.”

Transplante capilar é aliado da auto estima No Brasil, a cirurgia da calvície ocupa o segundo lugar no ranking das cirurgias plásticas realizadas por homem e as mulheres estão cada vez mais procurando os procedimentos cirúrgicos para a queda de cabelo. “A calvície feminina ocorre às vezes de forma sutil e as mulheres conseguem disfarçá-la com o penteado. Outras vezes pode atingir somente a região frontal ou todo o couro cabeludo de forma geral, o que resulta em sérias conseqüências psicológicas como baixa auto estima, afeta relações profissionais e pessoais”, explica o médico Leandro Ribeiro Mauro. São muitas as razões para que um paciente procure o transplante capilar:  disfarçar cicatrizes decorrentes

de traumas ou cirurgias anteriores, fatores genéticos, transplante de sombrancelhas, entre outros motivos. O transplante capilar é uma opção para homens e mulheres calvos que ainda têm fios volumosos e elásticos atrás da cabeça. O cabelo do próprio paciente serve de doador: é retirado do couro na hora da cirurgia e implantado, fio por fio, nos folículos (onde nasce cada um deles) da área careca. “Os aperfeiçoamentos contínuos em cirurgia da calvície oferecem às pessoas com queda de cabelo uma aparência natural, com resultados que são visualmente indetectáveis e com a elevação da auto estima e melhora na qualidade de vida, finaliza Ribeiro Mauro.

John Travolta antes e depois do transplante


Publicidade Legal

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A7

A empresa Vialle & Coelho Engenharia Ltda., inscrita no CNPJ 06.703.075/0001-15, com sede e foro na Alameda Carlos de Carvalho, 373, loja 4, Centro, Curitiba/PR, vem comunicar que teve seus blocos de notas extraviados.

COMUNICADO PÚBLICO A Vivo, operadora do Serviço Móvel Pessoal no Estado do Paraná, informa a seus clientes e ao público em geral que ocorreram dificuldades pontuais e temporárias na prestação do serviço, devido à instabilidade em equipamento e instabilidade no

SÚMULA DE PEDIDO DE LICENÇA PRÉVIA Hobi & Cia.Ltda, torna publico que REQUEREU junto ao Instituto Ambiental do Paraná - IAP, a Licença Ambiental Prévia, para extração mineral de Areia em bancadas, no Município de União da Vitoria-(PR), referente ao processo DNPM nº 826.800/2010.

suprimento de energia elétrica nas localidades: Mallet dia 27/06/2013 das 09h27 até dia 28/06/2013 às 16h26; Nova Laranjeira dia 29/06/2013 das 03h30 às 13h30; Diamante do Norte dia 29/06/2013 das 16h50 às 20h00; Itaúna do Sul e Diamante do Norte dia 29/06/2013 das 19h50 às 23h59; Céu Azul dia 30/06/2013 das 17h38 às 19h26. Após o envio de equipe técnica ao local os circuitos foram restabelecidos.

PINOCAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE CAL LTDA., torna publico que requereu ao IAP, Renovação da Licença de Operação nº 17.357, com validade até 22/12/2013, para Extração Mineral de calcário (dolomito), na Estrada do Morro Grande, s/n º, Marmeleiro-Araçazeiro, Colombo – PR.

PINOCAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE CAL LTDA., torna publico que recebeu do IAP, Licença de Operação nº 17.357, com validade até 22/12/2013 para Extração Mineral de calcário (dolomito), na Estrada do Morro Grande, s/nº, MarmeleiroAraçazeiro, Colombo – PR. PINOCAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE CAL LTDA., torna publico que requereu ao IAP, Renovação da Licença de Operação nº 19.040, com validade até 15/12/2013, para Extração Mineral de Dolomito, na localidade de Campina, s/n, Rio Branco do Sul – PR. PINOCAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE CAL LTDA., torna publico que recebeu do IAP, Licença de Operação nº 19.040, com validade até 15/12/2013, para Extração Mineral de Dolomito, na localidade de Campina, s/n, Rio Branco do Sul – PR. MINA DE FERRO COMÉRCIO DE PEDRAS LTDA., torna publico que recebeu do IAP, Licença de Operação nº 20.062, com validade até 03/12/2013, para Beneficiamento de Pedras, na Estrada do Capiruzinho, s/nº, Rio Branco do Sul, PR. 3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ Bel. Mônica Maria Guimarães de Macedo Dalla Vecchia Registradora Designada

  Faço saber que pretendem se casar:   01- LUIZ FELIPE SOMMAVILLA e GISLAINE LARA BERGER.   Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias. CURITIba, 01 DE JULHO de 2013

GRANIPAVE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MINÉRIOS LTDA., torna publico que requereu ao IAP, Renovação da Licença de Operação nº 20.062, com validade até 03/12/2013, para Beneficiamento de Pedras, na Estrada do Capiruzinho, s/nº, Rio Branco do Sul, PR. COMISSÃO PRO-FUNDAÇÃO DO Sindicato Nacional dos Engenheiros, Arquitetos, Economistas, Estatísticos e Geólogos

EDITAL DE CONVOCAÇÃO A COMISSÃO PRO-FUNDAÇÃO do Sindicato Nacional dos Engenheiros, Arquitetos, Economistas, Estatísticos e Geólogos regidos pela Lei 12.277/2010, convoca todos os servidores públicos federais dos cargos de economistas, estatísticos, engenheiros, arquitetos e geólogos do Poder Executivo Federal, de todo o território nacional alcançados pelo artigo 19 da Lei nº 12.277/2010, a comparecerem à Assembleia de fundação, no dia 14/08/2013, às 18:30, na SEPN 505, BL A, Lt 1, CEP: 70730-541, Brasília-DF, para apreciação e deliberação da seguinte 2UGHP GR 'LD ‡ )XQGDomR GR 6LQGLFDWR 6,1$(* ‡ $SURYDomR GR (VWDWXWR 6RFLDO ‡ (OHLomR GD Diretoria e Conselho Fiscal. Brasília-DF, 28 de junho de 2013. COMISSÃO PRÓ-FUNDAÇÃO Flauzino Antunes Neto - P/ Comissão de Fundação - SBN, Qd. 01, BL D, 21º andar, Brasília-DF

CARTÓRIO DE SANTA FELICIDADE IRIO DAS CHAGAS LIMA – OFICIAL Av. Manoel Ribas, 6031 - Fone (41) 3372-1671 – CEP 82020-000 – CURITIBA – PARANÁ EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar: 1- ANDRÉ GONÇALVES com BRUNA MUNÔZ PANIZO; 2- JONATÃ STRECHAR com SUELEN FERREIRA RODRIGUES; 3- ELIAS TEIXEIRA com CLEIDE DO ROCIO KOVALSKI; 4- FERNANDO VAZ PEREIRA com ANNA PAULA VIEIRA MARTINS; 5- MOHAMMEDSADEQ MAADAL com CLARICE PANINI; 6- LUCAS KRUPNISKI com FERNANDA RATZK CISCON; 7- LUIZ ADRIANO ROSSETO com DAVINA FERREIRA DE JESUS; 8- ANDRÉ ZARICHEN com DJULY CAROLINI FABRICIO; 9- JOSÉ RICARDO FLORIANO com SALETE BEATRIZ MEYER; 10- JEAN CARLOS CHIOQUETTA com LORENA SIQUEIRA CORDEIRO. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. Curitiba, 01 de julho de 2013 IRIO DA CHAGAS LIMA Oficial EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5041744-67.2012.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : JOSNEI FOUTOURA DA SILVA EDITAL N.º 7305452 PRAZO: 30 (TRINTA) DIAS

Finalidade: Citação de Josnei Foutoura da Silva, inscrito no CPF nº 07731322955, para que, no prazo de 03 (três) dias, efetue o pagamento da dívida no valor de R$ 13.702,21 (treze mil setecentos e dois reais e vinte e um centavos), acrescido de 10 % de honorários advocatícios, válido até agosto de 2012, e das custas processuais, com demais acréscimos, a ser devidamente atualizado monetariamente à época do efetivo pagamento, sob pena de penhora em tantos bens quantos bastem para satisfazer o crédito, nos termos do art. 652, §1º, do CPC, observando que, efetuado o pagamento integral no prazo supra, a verba honorária será reduzida pela metade (art. 652-A, par. único do CPC). Fica, ainda, notificado de que poderá opor embargos à execução, no prazo de 15 (quinze) dias, contados do decurso de prazo do presente edital, nos termos do art. 738, caput do CPC, independentemente de penhora, depósito ou caução, e que no mesmo prazo, reconhecendo o crédito do exeqüente e comprovando o depósito de 30% do valor em execução, inclusive custas e honorários de advogado, poderá o executado requerer ao juiz seja admitido a pagar o restante em até 6 parcelas mensais, acrescidas de correção monetária e juros de 1% ao mês (art. 745-A do CPC). Expedido nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, 04 de junho de 2013. Eu, Renato Bueno, estagiário, digitei e eu, Wagner Caetano Bruginski, Diretor de Secretaria, conferi este edital, que vai assinado pelo MM. Juiz Federal desta Vara. Sílvia Regina Salau Brollo Juíza Federal na Titularidade Plena

MARS S/A PARTICIPAÇÕES CURITIBA - PR. CNPJ Nº. 08.853.697/0001-55 BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012. SENHORES ACIONISTAS: De acôrdo com as disposições legais e estatutárias, temos a satisfação de submeter a Vs.Sas. as Demonstrações Financeiras relativas ao Exercício Findo em 31.12.2012. Colocamo-nos a disposição dos Senhores Acionistas para quaisquer outros esclarecimentos que se fizerem necessários. "A DIRETORIA" - Curitiba, 31 de maio de 2013.

BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

31.12.2012

NÃO CIRCULANTE Investimentos TOTAL DO ATIVO

31.12.2011

9.882.293 9.882.293

5.197.350 5.197.350

9.882.293

5.197.350

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

PASSIVO PATRIMÔNIO LIQUIDO Capital Social Lucros Acumulados TOTAL DO PASSIVO

31.12.2012

31.12.2011

9.882.293 5.058.242 4.824.051

5.197.350 5.058.242 139.108

9.882.293

5.197.350

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES PATRIMONIAIS CAPITAL SOCIAL

HISTORICO Saldo em 31.12.11 Integralização de Capital Distribuição de Lucros Resultado do Exercício Saldo em 31.12.12

CAPITAL SOCIAL A INTEGRALIZAR

RESERVA CORR..MON. CAPITAL

RESERVAS LEGAIS E AÇÕES EM TESOURARIA

5.058.242

RESERVA DE SUBV. INC.FISCAIS

LUCRO E/OU PREJUIZO 139.108 (284.483) 4.969.426 4.824.051

5.058.242

PATRIMONIO LIQUIDO 5.197.350 (284.483) 4.969.426 9.882.293

NOTAS EXPLICATIVAS

Outras Receitas LUCRO OU PREJUÍZO DO EXERCÍCIO

LUISA MARI GULIN TEIXEIRA DE FARIA Diretora Superintendente

Fluxos de caixa das atividades operacionais Lucro Líquido do Exercício Ajustes para a reconciliação do lucro líquido do exercício com a geração de caixa das atividades operacionais Redução (aumento) dos ativos Aumento Ativo Não Circulante Aumento (redução) dos passivos Caixa líquido gerado pelas atividades operacionais Lucros Pagos Fluxos de caixa das atividades de investimento

INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA. CNPJ (MF) nº 08.326.272/0001-98- NIRE nº 41205779216 1ª ALTERAÇÃO CONTRATUAL Hélio Bruck Rotenberg, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.176-5/SSP/ PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68; e Fany Zindeluk Rotenberg, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430-190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20; Únicos sócios da sociedade empresária limitada que gira sob a denominação social de INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº 08.326.272/0001-98; com seu Estatuto Social devidamente arquivado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/2006, RESOLVEM por este instrumento particular de contrato, ALTERAR seu contrato social, mediante as cláusulas e condições seguintes: I - CISÃO PARCIAL DA SOCIEDADE 1.1. Conforme Justificativa e Protocolo de Cisão Parcial de 15 de janeiro de 2013 cujo instrumento é aprovado neste ato pela totalidade dos sócios e faz parte integrante e indissociável do presente, ficou estabelecido a transferência por cisão parcial de parcela do patrimônio para a receptora LUPA INVESTIMENTOS S. A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, em constituição concomitantemente a este ato. 1.2. Para avaliar o patrimônio líquido da sociedade e a parcela que será destinada à receptora, foi indicada e aprovada como Perita a empresa especializada CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, pessoa jurídica de direito privado com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Mateus Leme, 2004, 1º andar, Bairro Centro Cívico, inscrita no CNPJ sob nº. 77.371.854/000109 e no CRC/PR sob nº. 2.776, com contrato social arquivado no Cartório Loures, Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Curitiba - PR, sob o nº. 4.661, Livro “A” 3, em 23/NOV/76. 1.3. Por aquela Perita foi apresentado o Laudo de Avaliação do balanço especial de 31 de janeiro de 2013, que depois de lido e achado conforme, foi aprovado por unanimidade e ora se anexa à presente alteração para dela fazer parte integrante e indissociável. O referido Laudo avaliou o Patrimônio Líquido da sociedade no valor de R$ 42.425.576,12 (quarenta e dois milhões, quatrocentos vinte e cinco mil, quinhentos e setenta e seis reais e doze centavos), e a parcela que será vertida para a receptora, no montante de R$ 15.412.308,06 (quinze milhões, quatrocentos doze mil, trezentos e oito reais e seis centavos), que corresponde às contas seguintes: ATIVO NÃO CIRCULANTE 15.412.308,06 Investimentos 15.412.308,06 Positivo Participações S. A. 10.029.400,00 Positivo Participações S. A. Ágio 5.382.908,06 TOTAL DO ATIVO 15.412.308,06 PASSIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15.412.308,06 Capital 10.000,00 Capital Social Integralizado 10.000,00 Reservas de Reavaliação 812.850,00 Reflexa Positivo Participações S. A. 812.850,00 Reservas de Lucros 2.835.000,00 Lucros até 2012 2.835.000,00 Adiantamento Futuro Aumento Capital 11.754.458,06 Hélio Bruck Rotenberg 11.754.458,06 TOTAL DO PASSIVO 15.412.308,06 1.4. Do patrimônio cindido, o valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais) é reduzido do capital social, cancelandose 10.000 (dez mil) quotas com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, na proporção do capital. 1.5. Como consequência das disposições anteriores o capital social da sociedade, totalmente subscrito e integralizado, no valor de R$ 90.000,00 (noventa mil reais), dividido em quotas com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, fica distribuído entre os sócios, conforme segue: Sócios Quotas Valor R$ Hélio Bruck Rotenberg 89.100 89.100,00 Fany Zindeluk Rotenberg 900 900,00 TOTAL 90.000 90.000,00 II - DA RATIFICAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL Todas as demais disposições do contrato social que não colidem com as deliberações deste instrumento, são ratificadas, continuando em pleno vigor. E, por assim terem justos e contratados, lavram, datam e assinam o presente instrumento, juntamente com 02 (duas) testemunhas, em 03 (três) vias de igual teor e forma, obrigando-se fielmente por si e por seus herdeiros e sucessores, a cumpri-lo em todos os seus termos. Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Visto do Advogado: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº 44.904 Testemunhas: Mariana Corrêa Monteiro Seccatto - RG n° 8.333.303-0/SSP/PR ; Jussara Claro Fontoura - RG n° 5.937.522-9/SSP/PR Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/06. JUSTIFICATIVA E PROTOCOLO DE CISÃO PARCIAL Que fazem os sócios e diretores das empresas a seguir qualificadas: Representando a sociedade a ser cindida INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº 08.326.272/0001-98; com seu Estatuto Social devidamente arquivado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/2006, seus sócios: Hélio Bruck Rotenberg, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.176-5/SSP/PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68; e Fany Zindeluk Rotenberg, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial

LUIZ HENRIQUE VRIESMAN CONTADOR - CRC.-PR.- 32.386/O-7

de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430-190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/ PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20; Representando à sociedade receptora LUPA INVESTIMENTOS S. A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, em constituição concomitantemente a este ato, representada por seus sócios: Hélio Bruck Rotenberg, já qualificado; Fany Zindeluk Rotenberg, já qualificada Pela unanimidade dos assinantes e tendo em vista o que entre si ajustaram com o objetivo de promover uma operação de cisão parcial da sociedade INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., com versão parcial do seu patrimônio para a receptora LUPA INVESTIMENTOS S. A., nos termos dos artigos 224 e 225 da Lei nº. 6.404/76 acordam a presente: I - JUSTIFICATIVA DE CISÃO PARCIAL Em atendimento ao disposto no art. 225 e incisos da Lei nº. 6.404/76, as sociedades aprovam o seguinte: a) É de interesse das sociedades separar as atividades operacionais de educação das de administração de imóveis. b) Não haverá qualquer beneficiado ou prejudicado, já que todos os sócios e acionistas participarão destas operações. c) As ações canceladas na cindida serão compensadas com o direito que os acionistas terão no patrimônio líquido da receptora. d) Atendendo aos quesitos exigidos pelo artigo 225 da Lei nº. 6.404/76, as sócias das empresas envolvidas, deliberam pela transferência do patrimônio da cindida, através de cisão parcial, para a receptora, para tanto informamos: 1) Os motivos da operação foram delineados nos itens anteriores. 2) O valor dos ativos vertidos para a receptora será determinado conforme laudo de avaliação e acordo entre as partes por seu valor contábil. II - PROTOCOLO DE CISÃO PARCIAL Em atendimento ao disposto no art. 224 e incisos da Lei nº. 6.404/76, os sócios e diretores, anteriormente identificados e qualificados, aprovam o seguinte Protocolo de Cisão Parcial, de acordo com as cláusulas a seguir: 1. A cisão parcial terá como data base o dia 31 de janeiro de 2013. 2. A avaliação será feita por Peritos nomeados neste ato para tal e terá por base Balanço Patrimonial Especial encerrado em 31 de janeiro de 2013. A avaliação será realizada com base nos valores contábeis da sociedade. 3. As variações patrimoniais ocorridas a partir da data base da cisão, decorrentes do patrimônio transferido, constituirão resultados da receptora e serão por ela escrituradas e assumidas. 4. O patrimônio líquido da Cindida a ser vertido para a receptora será calculado a valor contábil e corresponderá à participação que a cindida possui na sociedade Positivo Participações S. A. 5. O patrimônio líquido cindido será para aumento de patrimônio na receptora na proporção já existente. 6. Nomeiam como Perita para avaliar o patrimônio líquido da sociedade cindida à empresa especializada CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, pessoa jurídica de direito privado com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Mateus Leme, 2004, 1º andar, Bairro Centro Cívico, inscrita no CNPJ (MF) sob nº. 77.371.854/0001-09 e no CRC/PR sob nº. 2.776, com contrato social arquivado no Cartório Loures, Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Curitiba - PR, sob o nº. 4.661, Livro “A” 3, em 23/NOV/76. Este instrumento foi lido, discutido e aprovado pela unanimidade dos sócios, passando a fazer parte integrante e indissociável das alterações de contrato social na cindida e nas receptoras, que consubstanciarão a operação de Cisão ora proposta. Curitiba, 15 de janeiro de 2013. Pela cindida: Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Pela Receptora: Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Visto: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº. 44.904 LAUDO DE AVALIAÇÃO PARA CISÃO PARCIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2013 CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, PR, na Rua Mateus Leme, 2.004, 1º andar, inscrita no CNPJ (MF) sob nº. 77.371.854/0001-09 e no CRC/PR sob nº. 2.776, com contrato social arquivado no Cartório Loures, Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Curitiba, Paraná, sob nº. 4.661, Livro “A” 3, em 23/NOV/76, representada por seus sócios responsáveis técnicos, Jacó Moacir Schreiner Maran, brasileiro, casado, contador, CRC/PR nº. 17.214/ O-8, portador da cédula de identidade civil RG n° 893.499/SSP/PR e CPF (MF) n° 157.181.409-44 e Abraham Segundo Lobos Sáez, chileno, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, técnico contábil, com registro no CRC/PR n° 053.012/O-9, portador da cédula de identidade civil RNE n° W685744P/CGPI/DIREX/DPF e CPF (MF) n° 550.848.267-91, ambos com escritório comercial em Curitiba – PR, na Rua Mateus Leme, 2.004, 1º andar, vem pela presente, na qualidade de PERITA designada; após realizar as análises e estudos necessários, apresentar laudo de avaliação pelo critério contábil do patrimônio líquido da INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº 08.326.272/0001-98; com seu Estatuto Social devidamente arquivado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/2006 (“INFOINVEST”), e da parcela que será vertida para a receptora LUPA INVESTIMENTOS S. A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, em constituição (“LUPA”), atendendo as recomendações do Protocolo de Cisão Parcial de 15 de janeiro de 2013, aprovado pela totalidade dos acionistas e sócios das empresas envolvidas, apresenta o Laudo de Avaliação nos seguintes termos: LAUDO DE AVALIAÇÃO I. OBJETIVO DO LAUDO DE AVALIAÇÃO 1.1. O presente Laudo de Avaliação tem como objetivo registrar o valor contábil do patrimônio líquido da INFOINVEST e da parcela que será cindida e vertida para a receptora LUPA, para os fins e com fundamento nos artigos 226 e 229, combinados com os artigos 7° e 8°, todos da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada (“Lei das Sociedades por Ações”). II. PRINCÍPIOS ADOTADOS NO LAUDO DE AVALIAÇÃO 2.1. A elaboração deste Laudo de Avaliação obedece criteriosamente os princípios descritos a seguir: (i) A CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, seus sócios, administradores e colaboradores não têm interesse, direto ou indireto, nas companhias envolvidas ou na operação, bem como não há qualquer outra circunstância relevante que possa caracterizar conflito de interesse; (ii) No melhor conhecimento e crédito da CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, seus sócios, administradores e colaboradores, as análises, opiniões e conclusões expressas no presente relatório, são baseadas em dados, diligências, pesquisas e levantamentos verdadeiros e corretos; (iii) Este Laudo de Avaliação apresenta todas as condições limitativas impostas pelas metodologias adotadas, que afetam as análises, opiniões e conclusões deste Laudo de Avaliação; (iv) Os honorários profissionais da CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, seus sócios, administradores e colaboradores não estão, de forma alguma, sujeitos às conclusões deste Laudo de Avaliação; (v) No presente Laudo de Avaliação assumem-se como corretas as informações recebidas da INFOINVEST; (vi) O relatório foi elaborado pela CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL e ninguém, a não serem seus próprios sócios, administradores e colaboradores preparou as análises e respectivas conclusões; (vii) Para efeito de projeção partimos do pressuposto da inexistência

31.12.2011

4.969.426 4.969.426

175.191 175.191

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA METODO INDIRETO

As Demonstrações Financeiras foram eleboradas conforme disposições contidas na Lei das Sociedades Anônimas e alterações posteri ores; Caixa líquido gerado pelas atividades de investimento Fluxos de caixa das atividades de financiamento As Receitas e as Despesas foram escrituradas pelo regime de competência; O Capital Social está representado por 5.058.242 ações Ordinárias de valor nomimal de R$ 1,00 cada uma; Caixa líquido gerado pelas atividades de financiamento Todos os valores aqui demonstrados estão expresso em R$ (Reais). SAMIR CARLOS TEIXEIRA DE FARIA Diretor Presidente

31.12.2012

Total dos Efeitos no caixa e equivalentes a caixa Saldo inicial de caixa e equivalentes a caixa Saldo final de caixa e equivalentes a caixa Variação no caixa e equivalentes a caixa

31.12.2012

31.12.2011

4.969.426

175.191

(4.684.943)

-

-

-

284.483 (284.483)

175.191 (175.791)

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

de ônus ou gravames de qualquer natureza, judicial ou extrajudicial, atingindo a INFOINVEST os seus bens e direitos, exceto se expressamente ressalvado neste Laudo de Avaliação; e (viii) Os controladores e os administradores da INFOINVEST e da LUPA não direcionaram, limitaram, dificultaram ou praticaram quaisquer atos que tenham ou possam ter comprometido o acesso, a utilização ou o conhecimento de informações, bens, documentos ou metodologias de trabalho relevantes para qualidade das respectivas conclusões contidas neste Laudo de Avaliação. III. DOS LIVROS E DA ESCRITURAÇÃO 3.1. Os livros e registros contábeis da INFOINVEST acham-se revestidos de todas as formalidades legais e fiscais e foram escriturados de acordo com as normas e princípios contábeis usualmente aceitos no Brasil. IV. DATA-BASE 4.1. Conforme determinado pelos administradores das receptoras e da INFOINVEST na operação, sujeito à ratificação de seus sócios, a data-base do Laudo de Avaliação foi fixada em 31 de janeiro de 2013. 4.2 Na data-base, a administração da INFOINVEST elaborou e levantou demonstrações financeiras da INFOINVEST, as quais se encontram demonstradas neste Laudo de Avaliação. V. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO UTILIZADOS 5.1. Os bens, direitos e obrigações que compõem o patrimônio líquido e a parcela cindida do patrimônio da INFOINVEST foram avaliados segundo os critérios contábeis de avaliação, previstos nos artigos 183 e 184 da Lei das Sociedades por Ações. VI. TRABALHOS EFETUADOS 6.1. Para emitir o presente Laudo de Avaliação, efetuamos uma revisão das demonstrações financeiras da INFOINVEST, elaboradas pela sua administração. 6.2. Nosso exame foi realizado em conformidade com as normas de contabilidade aplicáveis no Brasil, no sentido de comprovar a adequada apresentação das demonstrações financeiras em todos os seus aspectos relevantes. 6.3. Assim, as atividades realizadas no âmbito da elaboração e emissão do presente Laudo de Avaliação compreendem: (a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos, o volume das operações, e os sistemas de contabilidade e de controles internos da INFOINVEST; (b) a constatação, com base em testes e amostragens, das evidências e dos registros que suportam as informações e lançamentos contábeis divulgados; e (c) avaliação das práticas e estimativas contábeis mais representativas adotadas pela INFOINVEST. VII - PATRIMÔNIO LÍQUIDO DA CINDIDA E SUA DESTINAÇÃO Com base em Balanço Patrimonial Especial de 31 de janeiro de 2013 e de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos, a Perita declara que o patrimônio líquido da sociedade avaliada é no montante de R$ 42.425.576,12 (quarenta e dois milhões, quatrocentos vinte e cinco mil, quinhentos e setenta e seis reais e doze centavos), dos quais R$ 15.412.308,06 (quinze milhões, quatrocentos doze mil, trezentos e oito reais e seis centavos) correspondem à parcela cindida destinada à receptora LUPA, tudo conforme o balanço a seguir: BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIAL EM 31/01/2013 ATIVO Infoinvest Infoinvest Antes cisão Cisão p/ Lupa Após Cisão CIRCULANTE 757.758,01 757.758,01 Disponibilidades 6.104,58 6.104,58 Bancos e aplicações 6.104,58 6.104,58 Realizável a curto prazo 751.653,43 751.653,43 Impostos a recuperar 751.653,43 751.653,43 NÃO CIRCULANTE 45.935.135,96 15.412.308,06 30.522.827,90 Investimentos 45.935.135,96 15.412.308,06 30.522.827,90 Rosch Administração de Bens Ltda. 9.214.974,66 9.214.974,66 Rosch Administração de Bens Ltda. AFAC 2.590.000,00 2.590.000,00 Positivo Administradora de Bens Ltda. 10.411.831,88 10.411.831,88 Positivo Administradora de Bens Ltda. Ágio 6.513.021,36 6.513.021,36 Positivo Participações S. A. 10.029.400,00 10.029.400,00 Positivo Participações S. A. Ágio 5.382.908,06 5.382.908,06 SCP - JV Consultoria e Part Ltda 793.000,00 793.000,00 SCP - Empreend São José dos Pinhais 1.000.000,00 1.000.000,00 TOTAL DO ATIVO 46.692.893,97 15.412.308,06 31.280.585,91 PASSIVO NÃO CIRCULANTE 4.267.317,85 4.267.317,85 Contas com pessoas ligadas 4.267.317,85 4.267.317,85 Hélio Bruck Rotenberg 4.267.317,85 4.267.317,85 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 42.425.576,12 15.412.308,06 27.013.268,06 Capital 100.000,00 10.000,00 90.000,00 Capital Social Integralizado 100.000,00 10.000,00 90.000,00 Reservas de Reavaliação 4.530.019,13 812.850,00 3.717.169,13 Reflexa Positivo Adm Bens 3.717.169,13 3.717.169,13 Reflexa Positivo Participações S. A. 812.850,00 812.850,00 Reservas de Lucros 5.797.913,29 2.835.000,00 2.962.913,29 Lucros até 2012 5.669.177,35 2.835.000,00 2.834.177,35 Resultado do Exercício 128.735,94 128.735,94 Adiantamento Futuro Aumento Capital 31.997.643,70 11.754.458,06 20.243.185,64 Hélio Bruck Rotenberg 31.997.643,70 11.754.458,06 20.243.185,64 TOTAL DO PASSIVO 46.692.893,97 15.412.308,06 31.280.585,91 VIII – CONCLUSÕES Em decorrência da cisão parcial e conforme o pactuado na Justificativa e Protocolo, neste Laudo demonstra-se: 1. O patrimônio líquido da cindida antes da cisão, avaliado pelo valor contábil no montante de R$ 42.425.576,12 (quarenta e dois milhões, quatrocentos vinte e cinco mil, quinhentos e setenta e seis reais e doze centavos). 2. A parcela do patrimônio líquido a ser cindida para a receptora LUPA, no valor R$ 15.412.308,06 (quinze milhões, quatrocentos doze mil, trezentos e oito reais e seis centavos). É o laudo. Curitiba, 31 de janeiro de 2013 Abraham Segundo Lobos Sáez - CRC/PR nº. 053.012/O-9; Jacó Moacir Schreiner Maran CRC/PR nº. 17.214/O-8 CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL CRC/PR nº. 2.776 Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20130943975 em 17/06/13.

Cresce o número de empresas japonesas no Brasil Desde que inaugurou sua Japan Desk, em agosto de 2012, a KSI Basil – consultoria e auditoria ligada ao grupo britânico KS International – tem sido procurada por diversas empresas japonesas com a intenção de se estabelecer no Brasil. “Aproximadamente 1,5 empresa japonesa nos procuram por mês para saber quais são os trâmites legais necessários para se fixar no País”, conta Danilo Ogassawara, responsável pela área internacional da consultoria. O avanço tem sido percebido também pela Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, que, desde 1990, mede de maneira sistemática a evolução das empresas nipônicas no Brasil. Na década de 1990, muitas empresas do Japão deixaram o Brasil. A retomada dos investimentos diretos japoneses no País aconteceu em 2005 e se intensificou a partir de 2011, quando houve o tsunami no país asiático. Apenas entre 2011 e 2012 entraram 20 empresas japonesas no Brasil, número recorde de ingressos de um ano para outro. Em 2013, já foram registradas dez novas empresas japonesas pela Câmara. “O Brasil entrou com força na rota dos investidores japoneses, que pretendem diversificar os investimentos e buscar alternativas mais seguras do que o mercado europeu e o próprio mercado japonês, que demonstrou fragilidade depois do tsunami”, ressalta Ogassawara. De acordo com Danilo Ogassawara, responsável pela área internacional da consultoria da KSI Brasil, as empresas que procuram a auditoria são de setores variados, com destaque para os setores automotivo e de tecnologia. “Das 13 companhias que nos consultaram nos últimos meses, 70% delas de fato se estabeleceram ou estão se estabelecendo no Brasil”, comenta. Para as empresas que operam em diversos países e desejam se instalar no Brasill, a KSI Brasil possui um pacote de serviços que inclui desde o estudo de viabilidade e estruturação do negócio até o suporte contábil, tributário, fiscal, trabalhista e operacional procurado pelo investidor estrangeiro.


judiciário

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. A8

Tribunal Superior do Trabalho

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Decisão

Mantido o Tribunal julga mais de 100 mil pagamento processos no primeiro semestre solidário de indenização da Foram julgados 116.926 processos, cada ministro julgou 4.686 Golden Cross Tribunal Superior do Tra- durante a última sessão do Órgão relação à iniciativa de rever o PJeA Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão que condenou a Golden Cross Assistência Internacional de Saúde Ltda. ao pagamento solidário de indenização por danos morais a uma segurada e seu marido, por erro médico na interpretação de um exame de ultrassonografia com translucência nucal (TN). A médica, funcionária de uma clínica de radiologia credenciada da operadora de plano de saúde, apontou, como resultado do exame, que o feto poderia ser portador de Síndrome de Down. Porém, após exames, constatou-se que o feto era normal e não apresentava nenhuma síndrome cromossômica. Seguindo o relator, ministro Marco Buzzi, a Quarta Turma afirmou que o STJ tem posição clara no sentido de reconhecer a responsabilidade solidária entre a operadora de plano de saúde e o hospital conveniado ou credenciado pelos prejuízos daí resultantes para o contratante do plano. O juízo da 37ª Vara Cível da comarca do Rio de Janeiro julgou improcedente a ação indenizatória, entendendo ser inviável a ocorrência de abalo psicológico da filha, ainda não nascida à época. O valor foi um ponto mantido pelo relator.

Paraná deve absorver excedente de presos da PF de Foz do Iguaçu O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou, nesta semana, recurso do estado do Paraná e confirmou sentença que obriga o governo a receber, nos estabelecimentos prisionais estaduais, presos oriundos de condenação pela Subseção Judiciária da Justiça Federal de Foz do Iguaçu (PR). A ação civil pública foi movida pela Ministério Público Federal (MPF), que denuncia o excesso de presos na Delegacia da Polícia Federal do município. Segundo o MPF, a lotação máxima da delegacia é de 14 presos, mas esta já chegou a ter 100 detentos em suas instalações. O governo alega que a União não repassa verbas para o sustento dos presos da Justiça Federal absorvidos no sistema penitenciário estadual. Argumenta ainda que a lei que previa essa colaboração entre estado e União (Lei 5.010/66, artigo 85) perdeu sua aplicabilidade após a construção do presídio federal de Catanduvas, localizado no Paraná, bem como ofensa à independência entre os Poderes.

Apreensão de documentos fiscais pela Fazenda dispensa ordem judicial A apreensão de documentos fiscais pela administração fazendária, sem ordem judicial, é legal. Com esse entendimento, a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a condenação por crimes tributários de proprietário de lojas O Boticário em Brasília. O empresário foi condenado a quatro anos, três meses e 20 dias de detenção por sonegação fiscal e por deixar de fornecer documentos reais sobre vendas efetivadas. O crime foi comprovado por “demonstrativos de controle paralelo de vendas”. Segundo o desembargador convocado Campos Marques, a jurisprudência do STJ afirma que não representa ilegalidade a apreensão, por fiscais tributários, de documentos e livros relacionados com a contabilidade da empresa, sem o respectivo mandado judicial.

O

balho julgou 116.926 processos no primeiro semestre de 2013. O número representa 37,7% do total de causas a julgar. Cada ministro julgou, em média, 4.686 processos. Os dados foram anunciados nesta segunda-feira pelo presidente do TST, ministro Carlos Alberto Reis de Paula. O presidente fez um balanço das atividades do Tribunal no semestre

Especial antes do recesso forense de julho. “O TST recebeu 141.229 processos, 16% a mais em relação ao primeiro semestre de 2012”, revelou. “Foram distribuídos 102.485 processos e cada ministro recebeu, em média, 5.283 processos”. O vice-presidente do TST, ministro Antônio José de Barros Levenhagen, elogiou a atual administração , principalmente com

LUPA INVESTIMENTOS S. A. ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO Data, hora e local: 31 de janeiro de 2013, às 14:00 horas, na sede social da empresa em Curitiba PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000. Convocação e presença: Convocação dispensada pela presença de todos os acionistas: Hélio Bruck Rotenberg, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.176-5/ SSP/PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68; e Fany Zindeluk Rotenberg, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20. Mesa: Hélio Bruck Rotenberg e Fany Zindeluk Rotenberg, como presidente e secretária. Ordem do dia: a) Constituição da companhia de capital fechado sob a denominação social de LUPA INVESTIMENTOS S.A. b) Apreciação e votação do Protocolo de Cisão Parcial da sociedade INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA. c) Aprovação dos peritos para avaliação do patrimônio da cindida que será vertido para compor o capital desta Companhia; d) Deliberação do Laudo de Avaliação e aprovação da operação de Cisão; e) Deliberação da proposta do Estatuto Social, juntamente com o boletim de subscrição, f) Eleição da diretoria e fixação da remuneração dos diretores da companhia. Deliberações: a) Foi aprovada por unanimidade a proposta para que os acionistas acima qualificados sejam os únicos acionistas da companhia fechada nesta data constituída, que girará sob a denominação social de LUPA INVESTIMENTOS S.A., cuja sede social será em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, cuja Ata de Assembleia de Constituição será devidamente arquivada na Junta Comercial do Estado Paraná, e seu capital social será composto com parcela de patrimônio cindida da sociedade Infoinvest Investimentos Ltda., conforme segue. b) Foi deliberada a proposta de Cisão Parcial da sociedade INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº 08.326.272/0001-98; com seu Contrato Social devidamente arquivado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/2006; que transfere bens e direitos para esta Companhia, conforme consta da Justificativa e Protocolo de Cisão Parcial, assinados pelos acionistas em 15 de janeiro de 2013, onde foram delineadas as premissas básicas da operação, assim como os motivos que justificam a operação. Depois da leitura e debate do referido documento, foi aprovado pela unanimidade dos votos, passando a fazer parte integrante e indissociável desta ata, inclusive em seu arquivamento nos órgãos de comércio. c) Em decorrência da aprovação do Protocolo de Cisão Parcial, foi aprovada pela Assembleia como perita a empresa especializada CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, pessoa jurídica de direito privado com sede e foro em Curitiba, Paraná, na Rua Mateus Leme, 2004, 1º andar, CEP 80.530-010, inscrita no CNPJ n o 77.371.854/0001-09 e no CRC/ PR no 2.776, com contrato social arquivado no Cartório Loures, Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Curitiba, Paraná, sob nº. 4.661 Livro “A”3, em 23/NOV/76, neste ato representada por seus sócios responsáveis técnicos, Abraham Segundo Lobos Sáez, chileno, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, técnico contábil, com registro no CRC/PR n° 053.012/O-9, portador da cédula de identidade civil RNE n° W685744-P/CGPI/DIREX/DPF e CPF (MF) n° 550.848.267-91 e Jacó Moacir Schreiner Maran, brasileiro, casado, contador, CRC/PR n°. 17.214/O-8, portador da carteira de identidade RG no 893.499-PR e CPF(MF) n°. 157.181.409-44, ambos com escritório comercial em Curitiba - PR, na Rua Mateus Leme, 2.004, 1º andar, que introduzidos no local, aceitaram a incumbência e solicitaram um prazo de 4(quatro) horas para a elaboração do competente Laudo de Avaliação, tendo em vista já terem conhecimento do patrimônio líquido, bem como da parcela a ser cindida. Face ao tempo solicitado e com a concordância de todos os acionistas presentes, a Assembleia foi suspensa pelo tempo solicitado. d) Decorrido o prazo, com a presença dos mesmos acionistas e dos representantes da Perita, foi reaberta a sessão, colocando-se em discussão, exame e votação o Laudo de Avaliação, já devidamente elaborado pelos Peritos. Examinado o documento, após as explicações formuladas pelos Peritos, foi o mesmo aprovado por unanimidade dos acionistas presentes, o qual passa a fazer parte integrante e indissociável da mesma, devendo ser igualmente arquivado nas juntas comerciais correspondentes. O referido Laudo demonstra que a parcela do Patrimônio líquido que será vertida para esta Companhia, representa o valor de R$ 15.412.308,06 (quinze milhões, quatrocentos doze mil, trezentos e oito reais e seis centavos), correspondentes ao investimento no capital da POSITIVO PARTICIPAÇÕES S.A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba – PR, na Av. Candido Hartmann, 1.400, Bairro Bigorrilho, CEP 80710-570, inscrita no CNPJ (MF) nº 14.764.573/ 0001-04, com seu estatuto social arquivado na Junta Comercial do Paraná sob o NIRE nº 41300083657, em sessão de 01 de dezembro de 2011. e) O patrimônio líquido recebido na cisão terá a seguinte destinação: R$ 10.000,00 (dez mil reais) serão destinados para formação do capital social, na proporção que os acionistas possuíam na cindida, realizando a subscrição de 10.000 (dez mil) ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, conforme o Boletim de Subscrição de Ações que constitui o anexo I desta ata; R$ 812.850,00 (oitocentos e doze mil, oitocentos cinquenta reais) serão contabilizados como Reservas de Reavaliação Reflexa do investimento na Positivo Participações S. A; R$ 2.835.000,00 (dois milhões, oitocentos trinta e cinco mil reais) será contabilizado como Reservas de Lucros; e 11.754.458,06 (onze milhões, setecentos cinquenta e quatro mil, quatrocentos cinquenta e oito reais e seis centavos), será contabilizado com Adiantamento para Futuro Aumento de Capital – AFAC do acionista Hélio Bruck Rotenberg. f) Dando prosseguimento à Assembleia, o Sr. Presidente propôs que a LUPA INVESTIMENTOS S. A., se regesse pelo disposto no Estatuto Social, cujo texto integral constitui o Anexo II desta Ata, sendo o referido Estatuto Social aprovado, por unanimidade, pelos acionistas presentes. g) Considerando as deliberações acima, o Sr. Presidente declarou formalmente a constituição da companhia LUPA INVESTIMENTOS S. A. h) A seguir, foram eleitos por unanimidade dos presentes, com prazo de gestão de 3 (três) anos os membros da Diretoria, para Diretor Presidente o Sr. Hélio Bruck Rotenberg e para diretora a Sra. Fany Zindeluk Rotenberg, amboss já qualificados. Os diretores não receberão qualquer remuneração pelos serviços prestados. Ata: Finalizando os trabalhos, o Sr. Presidente ofereceu a palavra aos presente para tratarem de assuntos de interesse social, e, como ninguém se manifestou, foi suspensa a sessão pelo tempo necessário à lavratura desta Ata. Reabertos os trabalhos, esta Ata, redigida na forma prevista pelo Artigo 130 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1.976, foi lida, discutida e, depois de achada conforme, aprovada por unanimidade, indo assinada por todos os acionistas. Certificamos que a presente é cópia fiel da que se encontra lavrada no livro de Atas de Assembleias Gerais da Companhia. Curitiba, 31 de Janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg - Presidente; Fany Zindeluk Rotenberg - Secretária Acionistas: Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Visto: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº. 44.904 Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41300087482 em 17/06/13. LUPA INVESTIMENTOS LTDA. - CONTRATO SOCIAL HÉLIO BRUCK ROTENBERG, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.1765/SSP/PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68; e FANY ZINDELUK ROTENBERG, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20; RESOLVEM, através deste instrumento particular de contrato, constituir uma sociedade empresária limitada, que será regida pela Lei nº 10.406/2002, pelas demais disposições legais aplicáveis à espécie e pelas cláusulas e condições seguintes: CLÁUSULA PRIMEIRA: DA DENOMINAÇÃO SOCIAL A sociedade empresária limitada gira sob a denominação social de LUPA INVESTIMENTOS LTDA., será regida pelo Código Civil Brasileiro referente às sociedades limitadas (artigos 1.052 a 1.087) e supletivamente pelas normas legais aplicáveis às sociedades anônimas. CLÁUSULA SEGUNDA: DA SEDE E SUAS FILIAIS A sociedade tem sua sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, podendo abrir e fechar filiais, postos de vendas ou escritórios em qualquer parte do território nacional ou no exterior, a critério dos seus sócios. CLÁUSULA TERCEIRA: DO OBJETO SOCIAL A sociedade tem como objetivo social o investimento em títulos e valores mobiliários (ações, quotas, debêntures, etc.) emitidos por outras sociedades juridicamente independentes, na qualidade de controladora ou meramente participante minoritária de seus respectivos capitais sociais. CLÁUSULA QUARTA: DO PRAZO A sociedade tem seu prazo de duração por tempo indeterminado. CLÁUSULA QUINTA: DO CAPITAL E DAS QUOTAS 5.1. Nesta data é aprovada a cisão parcial da sociedade INFOINVEST INVESTIMENTOS LTDA., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, inscrita no CNPJ (MF) sob o nº 08.326.272/0001-98; com seu Estatuto Social devidamente arquivado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 41205779216 em 04/09/2006, com parcela de seu patrimônio líquido destinada a esta sociedade. 5.2. Para avaliar o patrimônio líquido da companhia cindida e a parcela que será destinada a esta receptora, foi indicada e aprovada como Perita a empresa especializada CONSULT CONSULTORIA EMPRESARIAL, pessoa jurídica de direito privado com sede e foro em Curitiba PR, na Rua Mateus Leme, 2004, 1º andar, Bairro Centro Cívico, inscrita no CNPJ sob nº. 77.371.854/ 0001-09 e no CRC/PR sob nº. 2.776, com contrato social arquivado no Cartório Loures, Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Curitiba - PR, sob o nº. 4.661, Livro “A” 3, em 23/NOV/76. 5.3. Por aquela Perita foi apresentado o Laudo de Avaliação de 31 de janeiro de 2013, que depois de lido e achado conforme, foi aprovado por unanimidade e ora se anexa a este instrumento para dele fazer parte integrante e indissociável. O referido Laudo avaliou o Patrimônio Líquido da cindida e determinou que a parcela que será vertida para esta sociedade no valor de R$ 15.412.308,06 (quinze milhões, quatrocentos doze mil, trezentos e oito reais e seis centavos), corresponde às seguintes contas: ATIVO NÃO CIRCULANTE 15.412.308,06 Investimentos 15.412.308,06 Positivo Participações S. A. 10.029.400,00 Positivo Participações S. A. Ágio 5.382.908,06 TOTAL DO ATIVO 15.412.308,06 PASSIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15.412.308,06 Capital 10.000,00 Capital Social Integralizado 10.000,00 Reservas de Reavaliação 812.850,00 Reflexa Positivo Participações S. A. 812.850,00 Reservas de Lucros 2.835.000,00 Lucros até 2012 2.835.000,00 Adiantamento Futuro Aumento Capital 11.754.458,06 Hélio Bruck Rotenberg 11.754.458,06 TOTAL DO PASSIVO 15.412.308,06 5.4. O patrimônio líquido recebido na cisão terá a mesma destinação já existente na cindida, ou seja, R$ 10.000,00 (dez mil reais) serão destinados capital, na proporção que os sócios possuíam em dita sociedade, R$ 812.850,00 (oitocentos doze mil, oitocentos e cinquenta reais) serão contabilizados como Reservas de Reavaliação Reflexa do investimento na Positivo Participações S. A., R$ 2.835.000,00 (dois milhões, oitocentos e trinta e cinco mil reais) serão contabilizados como Reservas de Lucros, e R$ 11.754.458,06 (onze milhões, setecentos cinquenta e quatro mil, quatrocentos cinquenta e oito reais e seis centavos), como Adiantamento para Futuro Aumento de Capital realizado pelo sócio Hélio Bruck Rotenberg. 5.5. Como consequência das deliberações acima, o capital social, totalmente subscrito e realizado, no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), dividido em 10.000 (dez mil) quotas, com valor nominal de R$1,00 (um real) cada, é assim distribuído entre os sócios: Sócios Quotas Capital R$ Hélio Bruck Rotenberg 9.900 9.900,00 Fany Zindeluk Rotenberg 100 100,00 TOTAL 10.000 10.000,00 Parágrafo Primeiro: O capital social está inteiramente subscrito e integralizado em moeda corrente. Parágrafo Segundo: A responsabilidade dos sócios é restrita ao valor de suas quotas, não respondendo os sócios, subsidiariamente, pelas obrigações sociais, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social, conforme o art. 1.052 do Código Civil Brasileiro. Parágrafo Terceiro: As quotas sociais são indivisíveis perante a sociedade, salvo para efeito de transferência, caso em que se observará o disposto no parágrafo 1º do art. 1.056 do Código Civil Brasileiro, e a cada uma delas corresponde o direito a um voto nas deliberações dos sócios. Parágrafo Quarto: No caso de não integralização do valor das respectivas quotas por qualquer dos sócios em futuras subscrições com integralização em espécie, aplicar-se-á o disposto no art. 1.058 do Código Civil Brasileiro, mediante resolução aprovada por votos da maioria absoluta do capital social, excluído da deliberação o sócio em mora, podendo os sócios partilhar entre si as quotas do sócio remisso, na proporção de suas participações na sociedade, ou transferi-las a terceiros, excluído o subscritor primitivo do aumento de capital. Parágrafo Quinto: Do valor devido ao sócio excluído, os sócios deduzirão os valores correspondentes aos juros de mora, pelo período em que sua obrigação de realizar o capital restou sem cumprimento, calculados pela aplicação da taxa de 1% (um por cento) ao mês ou fração, bem como as despesas incorridas pela sociedade para apuração do valor, as quais são prefixadas em 2% (dois por cento) do montante devido ao sócio excluído. Parágrafo Sexto: Os sócios têm preferência para subscrição das quotas decorrentes de aumento de capital social na proporção das quotas já possuídas anteriormente, sendo assegurado o exercício deste direito na data da aprovação do aumento de capital ou até 30 (trinta) dias após a deliberação. Caso qualquer dos sócios deixe de exercer este seu direito de subscrição no prazo retro estabelecido, tal direito ficará automaticamente transferido aos demais sócios, na proporção de suas respectivas participações no capital social. CLÁUSULA SEXTA: DA CESSÃO DE QUOTAS As quotas da sociedade podem ser livremente transferidas entre os sócios, não podendo ser alienadas, cedidas, transferidas ou oneradas a qualquer título, inclusive penhoradas ou oferecidas a penhor a terceiros, sem o expresso consentimento da Sociedade, aprovada mediante deliberação de votos correspondentes a 75% (setenta e cinco por cento) das quotas representativas do capital social. Parágrafo Primeiro: As quotas sociais são impenhoráveis, ou seja, não responderão por dívidas dos sócios, pois a presente sociedade é formada na confiança pessoal que cada sócio possui uns nos outros e a penhora e/ou alienação para terceiros quebrará a característica intuito personae, que de forma única se operou na constituição e os atos seguintes da sociedade. Em eventual decisão judicial, o penhor se dará apenas sobre os frutos originários das quotas, tais como lucros, dividendos e restituição

JT, no entanto, desprestigiá-lo e diminuir o ritmo de implantação. “É um instrumento relevantíssimo. Não podemos nos permitir introduzirmos essa nova ferramenta com problemas que possam comprometer os objetivos que ela visa”. O ministro Carlos Alberto ressaltou ainda “importantes conquistas” do Processo Judicial Eletrônico (PJe-JT). Ele lembrou que até

Barros Levenhagen disse que quando assumiu a Vice-presidência (foto), há menos de quatro meses, existiam 20.800 processos conclusos no gabinete. Foram liberados 14.800 e ficou um remanescente de 6.100, a maioria com pendência de pronunciamento do Supremo Tribunal Federal

março eram pouco mais de 100 mil processos tramitando no sistema. “Atualmente, são quase 400 mil

em caso de redução de capital ou dissolução da sociedade, sendo que em nenhuma hipótese o favorecido pela garantia será admitido aos quadros sociais ou exercerá direitos políticos de sócio, como o de voto, inclusive não sendo permitido assinar alterações contratuais. Parágrafo Segundo: O sócio que desejar alienar suas quotas e/ou direitos de subscrição, a qualquer título, deverá comunicar à sociedade e aos demais sócios de sua intenção, por comunicação escrita, remetida por correio com aviso de recebimento ou por outra maneira que comprove o efetivo recebimento pelo destinatário, informando o preço e demais condições para a cessão e se for o caso, o nome do terceiro pretendente à aquisição das quotas do cedente. Parágrafo Terceiro: Nos 30 (trinta) dias subseqüentes ao recebimento da notificação de que trata o parágrafo anterior, os demais sócios poderão exercer o seu direito de preferência para a aquisição das quotas ou direitos de subscrição ofertados, na mesma proporção de sua respectiva participação societária (excluída, para efeitos de determinação dessa participação, a participação do sócio alienante) pelo mesmo preço e demais condições negociais. Parágrafo Quarto: Esgotado o prazo previsto no parágrafo anterior, se qualquer dos sócios notificados não exercer o direito de preferência, os demais sócios que o exercerem terão prazo adicional de 30 (trinta) dias para adquirir ou subscrever as quotas ou direitos de subscrição do sócio que não exercer o direito de preferência proporcionalmente às suas participações. Não são computadas no cálculo dessas participações proporcionais nem a participação do sócio alienante nem a participação do sócio que não exerceu direito de preferência. Parágrafo Quinto: Decorridos os prazos previstos nos parágrafos anteriores sem que tenham sido adquiridas as quotas pelos demais sócios, o sócio alienante estará livre para realizar a cessão a adquirentes sócios ou não. Neste último caso, o alienante está livre para realizar a cessão desde que os sócios remanescentes aceitem o nome do pretendente à aquisição e que a mesma conte com a aprovação prevista no caput desta cláusula, pelo mesmo preço e demais condições. Findo o prazo de 90 (noventa) dias, o procedimento descrito acima deverá ser renovado. Parágrafo Sexto: A comunicação das condições por escrito à sociedade também deverá ser observada caso o sócio pretenda solicitar autorização para oneração das quotas. De posse desta solicitação a sociedade deliberará sobre a concessão da autorização para qualquer tipo de garantia, especialmente o penhor de quotas, bem como definirá suas condições. Neste sentido, salvo deliberação tomada por votos de mais de ¾ (três quartos) das quotas do capital social em contrário, excluído o sócio que solicitou a autorização, o penhor se dará apenas sobre os resultados financeiros produzidos pelas quotas, tais como lucros, dividendos e restituição em caso de redução de capital ou dissolução da sociedade. Parágrafo Sétimo: Será nula de pleno direito e inoperante em relação à sociedade, qualquer transferência ou oneração feita em desacordo com o disposto nesta cláusula. CLÁUSULA SÉTIMA: DA ADMINISTRAÇÃO A sociedade será administrada por administradores, sócios ou não sócios, designados no presente instrumento. Fica nomeado desde logo para administrador, o sócio Hélio Bruck Rotenberg, já qualificado, que com a assinatura neste contrato toma posse de seu cargo. Parágrafo Primeiro: O Administrador é investido, isoladamente, de todos os poderes de administração e representação da Sociedade, em juízo ou fora dele, perante quaisquer pessoas, naturais ou jurídicas, de direito público ou privado, inclusive a representação perante qualquer repartição federal, estadual ou municipal e autarquias, a fim de assegurar o pleno desempenho de suas funções, sendo que, entretanto, os aludidos poderes deverão ser exercidos de acordo com as disposições do presente Contrato Social e respeitadas as limitações aqui estabelecidas. Parágrafo Segundo: O administrador poderá, isoladamente, conceder poderes específicos de gestão a procuradores mediante competente instrumento de mandato, dentro dos limites estabelecidos nesta cláusula. Parágrafo Terceiro: São expressamente vedados, sendo nulos e inoperantes em relação à sociedade e perante terceiros, os atos de quaisquer sócios, administradores, procuradores ou funcionários que a envolverem em obrigações relativas a negócios e operações estranhas aos objetivos sociais, tais como fiança, avais, endossos ou quaisquer outras garantias prestadas em favor de terceiros, ressalvando o previsto nos parágrafos anteriores. Parágrafo Quarto: O Administrador no efetivo exercício das funções poderá receber um pró-labore mensal, a ser pago ou creditado, fixado por sócios que representem a maioria do capital social. CLÁUSULA OITAVA: DO CONSELHO FISCAL A sociedade não terá conselho fiscal. CLÁUSULA NONA: DAS DELIBERAÇÕES DOS SÓCIOS E ALTERAÇÕES DO CONTRATO SOCIAL Os sócios são soberanos para deliberar sobre quaisquer modificações ou alterações do contrato social e poderão fazê-lo mediante celebração de documento escrito de alteração de contrato social ou através de reunião de sócios, da qual será extraída uma ata ou uma alteração contratual. Parágrafo Primeiro: As reuniões de sócios serão convocadas pelos administradores ou por qualquer dos sócios nos casos previstos na legislação ou neste contrato, mediante comunicação escrita com aviso de recebimento, com antecedência não inferior a 05 (cinco) dias da reunião, estabelecendo o local, a data e horário de instalação em primeira e segunda convocação, bem como um resumo da pauta de assuntos. Os sócios também poderão ser convocados por editais publicados na forma da lei. Parágrafo Segundo: O local da realização da reunião deverá ser o da sede social, salvo se por razões justificadas, outro local seja escolhido. Parágrafo Terceiro: A Reunião de Sócios instalar-se-á em primeira convocação com a presença de titulares de, no mínimo, ¾ (três quartos) do capital social e, em segunda convocação, com qualquer quorum. Parágrafo Quarto: Entre os presentes serão eleitos, caso necessário, o presidente e o secretário da reunião e tomar-se-á por escrito as deliberações em ata ou em documento de alteração contratual. Parágrafo Quinto: Poderão ser dispensadas todas as formalidades de convocação acima previstas, na reunião em que todos os sócios tenham comparecido. Parágrafo Sexto: Anualmente, deverá realizarse uma reunião de sócios com o objetivo de: 1. Tomar as contas dos administradores e deliberar sobre o balanço patrimonial e o resultado econômico; 2. Designar administradores, quando for o caso; e 3. Tratar de qualquer outro assunto constante na ordem do dia. Parágrafo Sétimo: As deliberações da sociedade sobre quaisquer matérias, ressalvadas as regras e exceções deste contrato, e ressalvadas ainda as que dependam de quorum maior em decorrência de lei, serão consideradas quando tomadas por votos representativos de mais da metade das quotas do capital social e a cada quota corresponderá o direito a 01 (um) voto. Parágrafo Oitavo: As alterações contratuais serão sempre formalizadas por escrito, sendo consideradas válidas quando assinadas por sócios titulares de votos representativos de, no mínimo, ¾ (três quartos) do capital social, salvo quando a matéria em discussão exija quorum diverso em razão de disposições legais ou deste contrato, situação em que a ata de reunião ou o documento de alteração contratual deverá conter assinaturas correspondentes a este quorum. Parágrafo Nono: As seguintes matérias estarão sujeitas a quorum especial de aprovação indicado: a) Pela unanimidade dos sócios: a.1) a deliberação que aprove a participação e distribuição de resultados de algum período intermediário ou exercício social anual, em proporção diferente à participação de cada sócio no capital social; a.2) a designação de administradores não sócios, enquanto o capital social não estiver integralizado. b) Pelos votos correspondentes a, no mínimo, ¾ (três quartos) do capital social: b.1) a modificação do contrato social; b.2) a incorporação da sociedade por outra, sua fusão, cisão, dissolução ou cessação do estado de liquidação da sociedade; b.3) a transformação de sociedade limitada para sociedade anônima; b.4) a admissão de novos sócios; b.5) matéria que trate da exclusão de sócio por justa causa. Os votos representativos das quotas do sócio excluído não serão computados como votos válidos para este fim. b.6) a designação de administradores não sócios, com o capital social integralizado. c) Pelos votos correspondentes a mais da metade do capital social: c.1) a deliberação que aprove a não distribuição de resultados em períodos intermediários ou no final exercício social, mantendo-se os montantes não distribuídos em conta de reserva, para futura distribuição ou capitalização; c.2) a designação de administrador sócio e o modo de sua remuneração; c.3) a destituição de administradores sócios ou não sócios. d) Pela maioria de votos dos presentes: d.1) nos caso de aprovação das contas anuais da administração, nomeação e destituição de liquidantes e julgamento das suas contas. Parágrafo Décimo: O sócio dissidente de deliberação que tenha aprovado modificação do contrato social, cisão ou fusão da sociedade, incorporação de outra, ou dela por outra, terá o direito de retirar-se da sociedade nos 30 (trinta) dias subseqüentes à deliberação, recebendo em pagamento de sua participação realizada o valor patrimonial da mesma, conforme os critérios de apuração estabelecidos nos parágrafos seguintes. Parágrafo Décimo Primeiro: Os haveres do sócio retirante serão apurados com base na situação patrimonial da sociedade, à data do evento, verificada em balanço especialmente levantado. Parágrafo Décimo Segundo: O pagamento do reembolso de capital previsto no parágrafo anterior, a critério da sociedade, poderá ser feito em até 36 (trinta e seis) parcelas mensais, iguais e sucessivas, representadas por igual número de “notas promissórias” emitidas pela sociedade, sendo a primeira delas com vencimento nos 30 (trinta) dias seguintes à data da assinatura da alteração contratual respectiva. Parágrafo Décimo Terceiro: Por acordo entre os sócios, estes valores poderão ser pagos de forma diferente, inclusive com bens móveis e/ou imóveis, porém sempre dentro do prazo máximo de 37 (trinta e sete) meses da data do evento. CLÁUSULA DÉCIMA: DO EXERCÍCIO SOCIAL E DISTRIBUIÇÃO DE RESULTADOS O exercício social se estenderá de 1o de janeiro até 31 de dezembro de cada ano e, a seu término, os administradores prestarão contas justificadas de sua gestão, procedendo à elaboração do inventário, do balanço patrimonial e do balanço de resultado econômico da sociedade. Parágrafo Primeiro: Os resultados apurados poderão ser distribuídos entre os sócios, de forma proporcional ou não à participação no capital social, ou ficarem em conta de reserva na sociedade, tudo conforme deliberação em reunião de sócios. Parágrafo Segundo: Nenhum sócio terá direito a qualquer parcela dos resultados até que seja deliberado, pelos próprios sócios, sobre sua aplicação. Parágrafo Terceiro: Por deliberação dos sócios, poderá ser estabelecida a não distribuição dos resultados ao final do exercício social, mantendo-se os montantes não distribuídos em conta de reserva, para futura distribuição ou capitalização. Parágrafo Quarto: A sociedade poderá proceder à elaboração de demonstrações financeiras e contábeis em períodos intermediários, inclusive mensais, e, a critério dos sócios, os resultados apurados nestas demonstrações poderão ser distribuídos, ad referendum na reunião de sócios que aprove as demonstrações sociais anuais. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA: DA EXCLUSÃO DE SÓCIOS O sócio pode ser excluído mediante a iniciativa dos sócios que representam ¾ (três quartos) do capital social, quando estes entenderem que há justa causa (Art. 1.085 do Código Civil Brasileiro). Parágrafo Primeiro: Entende-se por justa causa a colocação em risco da continuidade da empresa, em virtude de atos de inegável gravidade, o cometimento de falta grave no cumprimento das obrigações de sócio, a incapacidade superveniente e também a ausência da “affectio societatis”. Parágrafo Segundo: A exclusão somente poderá ser determinada em reunião especialmente convocada para este fim, ciente o acusado em tempo hábil para permitir seu comparecimento e o exercício do direito de defesa. Parágrafo Terceiro: O sócio excluído receberá seus haveres (capital, lucros e demais créditos), com observância das condições estipuladas nos Parágrafos Décimo Primeiro, Décimo Segundo e Décimo Terceiro da Cláusula Nona deste Contrato Social. CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA: DA LIQUIDAÇÃO E DISSOLUÇÃO A retirada, exclusão, falência, insolvência civil, liquidação, impedimento ou falecimento de qualquer um dos sócios não dissolverá a sociedade, que remanescerá com os demais sócios. No caso de permanecer apenas um sócio, a sociedade terá o prazo de 180 (cento e oitenta) dias para o ingresso de um novo sócio. Parágrafo Primeiro: No impedimento ou falecimento de quaisquer dos sócios, seus herdeiros e sucessores poderão ingressar na sociedade, com o consentimento de sócios supérstites que representem mais da metade do capital social. No caso de ser rejeitada esta admissão, os herdeiros ou meeiro do de cujus serão reembolsados pelo valor de suas quotas, nas condições estipuladas nos Parágrafos Décimo Primeiro, Décimo Segundo e Décimo Terceiro da Cláusula Nona deste Contrato Social. Parágrafo Segundo: A sociedade será dissolvida nos demais casos previstos em lei ou por deliberação de sócios que representem ¾ (três quartos) do capital social, cabendo aos sócios, em qualquer hipótese, estabelecer o modo de liquidação, eleger os liquidantes e tomar as demais medidas necessárias para promover a liquidação. Realizado o ativo e solvido o passivo, o saldo verificado será repartido entre os sócios proporcionalmente ao valor das respectivas quotas de capital. Parágrafo Terceiro: No caso da dissolução da sociedade, fica reservado, preferencialmente ao sócio que manifestar interesse, o direito de adjudicação do negócio, este assumindo o ativo e passivo, desde que efetue o pagamento dos haveres eventualmente devidos aos demais sócios, nas condições estipuladas nos Parágrafos Décimo Primeiro, Décimo Segundo e Décimo Terceiro da Cláusula Nona deste Contrato Social. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA: DO DESIMPEDIMENTO Os sócios e/ou administradores declaram, sob as penas da Lei, que não estão impedidos de exercer o comércio ou a administração de sociedades por lei especial, ou em virtude de condenação criminal ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade. CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA: DO FORO Os casos omissos no presente contrato serão resolvidos nos termos da legislação em vigor, ficando eleito, de comum acordo entre os sócios, o foro da Comarca de Curitiba - PR, para resolução dos casos que possam surgir na sociedade. E, por assim terem justos e contratados, lavram, datam e assinam o presente instrumento, juntamente com 02 (duas) testemunhas, em 03 (três) vias de igual teor e forma, obrigando-se fielmente por si e por seus herdeiros e sucessores, a cumpri-lo em todos os seus termos. Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Administrador: Hélio Bruck Rotenberg Visto do Advogado: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº 44.904 Testemunhas: Mariana Correa Monteiro Seccatto - RG n° 8.333.303-0/SSP/PR; Jussara Claro Fontoura - RG nº 5.937.522-9/SSP/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Artigo 1º. A Companhia é constituída na forma de sociedade anônima de capital fechado, com denominação de “LUPA INVESTIMENTOS S. A.”, regida pelo presente Estatuto Social e pelas disposições legais aplicáveis. Artigo 2º. A companhia tem sua sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000. Parágrafo Único: A critério da Diretoria, a companhia poderá abrir, instalar, manter e fechar filiais, agências, depósitos, sucursais, escritórios e departamentos em qualquer localidade do país ou do exterior. Artigo 3º. A companhia tem por objetivo social o investimento em títulos e valores mobiliários (ações, quotas, debêntures, etc.) emitidos por outras sociedades juridicamente independentes, na qualidade de controladora ou meramente participante minoritária de seus respectivos capitais sociais. Parágrafo Único: A assembléia geral poderá alterar o objeto social, em razão de expansão ou diversificação das linhas operacionais da companhia. Artigo 4º. O prazo de duração da companhia é indeterminado, podendo encerrar suas atividades com observância das disposições legais e estatutárias atinentes. CAPÍTULO II – DO CAPITAL SOCIAL E DAS AÇÕES Artigo 5º. O capital social totalmente subscrito, no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais), é constituído por 10.000 (dez mil) ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Parágrafo Único: A ação é indivisível em relação à companhia e quando a ação pertencer a mais de uma pessoa, os direitos por ela conferidos serão exercidos pelo representante do condomínio. Artigo 6º. Cada ação ordinária nominativa confere ao seu titular o direito de voto nas Assembléias Gerais, ou o direito de voto múltiplo nos casos e na forma previstos em lei. Artigo 7º. O acionista que desejar transferir suas ações nominativas deverá notificar por escrito à companhia, discriminando o preço, forma e prazo de pagamento, para que esta, através dos demais acionistas, exerça ou renuncie ao seu direito de preferência na aquisição, o que

processos, o que representa uma média de mais de 2.500 processos novos todos os dias”.

deverá fazer dentro de até 30 (trinta) dias contados do recebimento da notificação. Decorrido esse prazo sem o exercício da preferência, as ações poderão ser livremente transferidas nas mesmas condições. CAPÍTULO III – DA DIRETORIA Artigo 8º. A administração da companhia competirá à Diretoria. Artigo 9º. A companhia será administrada por uma diretoria constituída de até 04 (quatro) membros, residentes no país, acionistas ou não, sendo um Diretor Presidente e os demais Diretores sem designação especial. Artigo 10. O mandato da diretoria terá duração de 03 (três) anos, permitida a reeleição, sendo que os diretores permanecerão em seus cargos, até a investidura por termo no livro próprio, dos novos diretores eleitos. Parágrafo Primeiro: Em caso de destituição ou renúncia de Diretor, a própria assembléia que tomar tal deliberação elegerá, caso necessário, seu substituto pelo tempo que restar para o término do mandato da Diretoria. Parágrafo Segundo: Ocorrendo impedimento ocasional ou licença de diretores, o Diretor Presidente providenciará a distribuição de suas funções entre os demais diretores, até que o mesmo reassuma suas funções ou a assembléia geral eleja seu substituto. Artigo 11. Os diretores, quando no exercício efetivo de seus cargos, poderão receber remuneração fixada pela assembléia geral ordinária, que também poderá estabelecer participação da Diretoria nos lucros do exercício. Parágrafo Único: No caso de substituição dos diretores no decurso do mandato, a assembléia geral poderá fixar os honorários de seus substitutos em montantes diferentes dos que vinham sendo pagos ou creditados aos substituídos, se tal for exigido por razões de mercado e, se for o caso, na mesma oportunidade, far-se-á reajuste dos vencimentos dos demais diretores. Artigo 12. Compete à diretoria: a) Administrar e representar a companhia, ativa ou passivamente, em juízo ou fora dele, perante quaisquer pessoas, naturais ou jurídicas, de direito privado ou público, inclusive perante qualquer repartição federal, estadual, municipal e autarquias, a fim de assegurar o pleno desempenho de suas funções, dentro dos limites estabelecidos na Lei e neste Estatuto. b) Realizar todos os atos necessários para o alcance dos objetos sociais da companhia, celebrando contratos, convênios, distratos, endossos, empréstimos; constituir e destituir procuradores investidos de poderes especiais por tempo determinado; c) Propor à Assembléia Geral o aumento do Capital Social e todas as medidas necessárias aos interesses da companhia; d) Preparar relatórios, balanços e outras contas anuais a serem apresentadas à Assembléia Geral; e) Abrir e fechar filiais, sucursais, agências, escritórios ou depósitos em qualquer ponto do território nacional ou do exterior, onde convenha aos interesses da companhia; f) Observar e fazer observar este estatuto, as deliberações da Assembléia Geral e a legislação em vigor; g) Assumir empréstimos, com garantia hipotecária ou alienação fiduciária, conforme especificado no parágrafo primeiro do Artigo 13; h) Decidir sobre os investimentos relevantes em ativos imobilizados. Artigo 13. Qualquer ato, representação ou documento que obrigue a Companhia ou isente qualquer terceiro de responsabilidade perante a companhia, somente terá validade quando assinado: a) Pelo Diretor Presidente, isoladamente; ou b) Pelo Diretor Presidente em conjunto com qualquer outro Diretor. Parágrafo Primeiro: A representação da sociedade será exercida, isoladamente pelo Diretor Presidente, inclusive nos seguintes casos: a) Alienar, hipotecar e/ou onerar bens imóveis da sociedade; b) Alienar, hipotecar e/ou onerar investimentos; c) Contratar empréstimos e financiamentos na condição de mutuante ou mutuário, com garantias de bens do ativo permanente; d) Representar e votar pela companhia em empresas controladas, coligadas ou investidas. Parágrafo Segundo: Além da competência geral prevista nos artigos 12 e 13, as atribuições e competência de cada Diretor ficam definidas da seguinte forma: I) O Diretor Presidente é competente para: a) Representar ativa e passiva, judicial e extrajudicial a companhia; b) Realizar todos os atos necessários para o alcance dos objetos sociais da companhia, celebrando contratos, convênios, distratos, endossos, empréstimos, etc; c) Convocar as assembléias gerais, ordinárias e extraordinárias, presidindo-as; d) Convocar e presidir as reuniões da Diretoria; e) Fixar a política geral da empresa em toda sua extensão, observando as recomendações que por ventura sejam formuladas pela Assembléia Geral; f) Coordenar as atividades dos demais diretores; g) Assinar os documentos que envolvem a responsabilidade da companhia; h) Constituir e destituir procuradores investidos de poderes conforme o artigo 5º, parágrafo 2º da Lei 8.906/94 (procuração para o foro em geral), com prazo determinado; i) Constituir e destituir procuradores investidos de poderes especiais por tempo determinado; j) Representar e votar pela companhia em empresas controladas, coligadas ou investidas. II) O Diretor sem especificação é competente para: a) Representar a companhia sempre em conjunto com o Diretor Presidente; b) Em conjunto com o Diretor Presidente constituir e destituir procuradores investidos de poderes conforme o artigo 5º, parágrafo 2º da Lei 8.906/94 (procuração para o foro em geral), por prazo determinado; c) Sempre em conjunto com o diretor presidente, constituir e destituir procuradores investidos de poderes especiais por tempo determinado. Artigo 14. É vedado a qualquer membro da Diretoria prestar aval, fiança ou oferecer garantia pessoal a terceiros. Parágrafo Único: Não se incluem na proibição deste artigo os atos praticados pelos diretores, que forem praticados em benefício ou a favor da própria companhia, de suas subsidiárias, associadas, coligadas, consorciadas, controladas ou investidas, vinculado a negócios de interesse das mesmas. Artigo 15. A companhia não poderá prestar aval, fiança ou oferecer garantia a terceiros, como favor. CAPÍTULO IV – DO CONSELHO FISCAL Artigo 16. O Conselho Fiscal será composto de 03 (três) membros efetivos e 03 (três) membros suplentes, acionistas ou não, residentes no país, todos qualificados sob as exigências legais. Artigo 17. Aos membros do Conselho Fiscal competem as atribuições previstas em lei. Artigo 18. O Conselho Fiscal somente será instalado por deliberação da Assembléia Geral, caso em que serão eleitos todos os seus membros efetivos e suplentes, cujo mandato expirar-se-á na data da Assembléia Geral Ordinária seguinte. Artigo 19. A Assembléia Geral Ordinária que eleger o Conselho Fiscal, na forma do artigo anterior, fixará os honorários devidos a cada membro efetivo, quando no exercício de suas funções. Parágrafo Único: Quando o membro efetivo estiver afastado de suas funções, serão os respectivos honorários atribuídos ao suplente que o estiver substituindo, obedecendo-se a ordem de nomeação. CAPÍTULO V - DA ASSEMBLÉIA GERAL Artigo 20. A Assembléia Geral será convocada, normalmente, pelo Diretor Presidente, pelo Conselho Fiscal, quando em funcionamento, ou por acionistas, observadas as exigências e condições legalmente impostas. Parágrafo Primeiro: Para a convocação da Assembléia Geral far-se-á publicação do respectivo edital por três vezes, no órgão da Imprensa Oficial do Estado e por jornal de grande circulação na sede da sociedade, ou através de carta convocação, observadas as disposições legais aplicáveis. Parágrafo Segundo: Os acionistas possuidores de 5% (cinco por cento) ou mais do capital social podem solicitar, por escrito, sua convocação por telegrama ou carta registrada, com indicação do prazo de vigência do pedido, que não poderá ser superior a dois exercícios sociais. Parágrafo Terceiro: Independentemente das formalidades previstas na lei e no presente artigo, considerar-se-á regular a Assembléia Geral à que compareçam todos os acionistas. Artigo 21. A Assembléia Geral será realizada sempre no edifício sede da companhia, instalando-se, em primeira convocação, com o quorum legalmente exigido e, em segunda convocação, com qualquer número de presentes. Parágrafo Único: A primeira convocação da Assembléia Geral será efetivada com observância dos prazos legais mínimos de antecedência; não se realizando a Assembléia, será publicado novo anúncio, de segunda convocação, com antecedência mínima de cinco dias. Artigo 22. Os acionistas presentes à Assembléia Geral deverão, antes de sua abertura, assinar o livro de presença, depois de haverem provado a sua qualidade de acionista pelas formas legalmente admissíveis. Artigo 23. A Assembléia Geral será presidida por um diretor ou acionista que na ocasião for designado, o qual convidará outro diretor, acionista ou qualquer pessoa, para servir de secretário. Artigo 24. A Assembléia Geral Ordinária terá as atribuições previstas em lei e realizar-se-á dentro do primeiro quadrimestre subseqüente ao encerramento do exercício social. Artigo 25. Sempre que necessário, a Assembléia Geral poderá ser convocada em caráter extraordinário, uma ou várias vezes em cada exercício, podendo ser realizada concomitantemente com a Assembléia Geral Ordinária. Artigo 26. As deliberações serão aprovadas pela maioria simples de votos, exceto nos casos que este estatuto e/ou a lei prevejam quorum qualificado. CAPÍTULO VI – DO EXERCÍCIO SOCIAL – BALANÇO E RESERVAS Artigo 27. O exercício social terminará em 31 de dezembro de cada ano civil, quando serão levantados balanço geral e as demonstrações financeiras exigidas em lei, com observância das prescrições legais e técnicas que regem a matéria. Parágrafo Único: A Diretoria, por deliberação de seus membros, poderá levantar balanços periódicos em qualquer época do ano, quando julgar conveniente, distribuindo ou não dividendos provisórios ad referendum da Assembléia Geral, desde que cumpridas as formalidades da legislação empresarial e fiscal. Artigo 28. Do lucro líquido do exercício destinar-se-ão: a) 5% (cinco por cento) para o Fundo de Reserva Legal, até este atingir 20 % (vinte por cento) do capital social; b) 25 % (vinte e cinco por cento) como dividendo mínimo obrigatório a ser pago aos acionistas; c) o saldo ficará em conta de lucros acumulados e a Assembléia Geral deliberará a respeito de sua aplicação. Parágrafo Único: A Assembléia Geral poderá, desde que não haja oposição de qualquer acionista presente, deliberar a distribuição de dividendo inferior ao obrigatório nos termos deste artigo, ou decidir pela não distribuição qualquer dividendo, retendo todo o lucro. Artigo 29. Embora contabilizada como “dividendo a pagar”, a importância de que trata o item “b” do “caput” do artigo antecedente, poderá ser paga em parcelas mensais, iguais e sucessivas, vencendo-se a primeira em trinta dias contados da data da Assembléia Geral Ordinária que aprovar as contas do exercício encerrado. Não será distribuído dividendo aos acionistas quando não houver lucro apurado no exercício findo. CAPÍTULO VII – DA LIQUIDAÇÃO Artigo 30. A sociedade entrará em liquidação nos casos e modos previstos em Lei ou por deliberação dos acionistas. Parágrafo Único: Ressalvada a hipótese de liquidação judicial, é competência da Assembléia Geral determinar a forma de liquidação, a nomeação do Liquidante e do Conselho Fiscal que deverá funcionar na fase de liquidação. CAPÍTULO VIII – DISPOSIÇÕES FINAIS Artigo 31. Os casos omissos no presente estatuto serão resolvidos no foro de Curitiba, Paraná, considerando a legislação em vigor. E, por assim terem justos e contratados, lavram, datam e assinam o presente instrumento, em 03 (três) vias de igual teor e forma, obrigando-se fielmente por si e por seus herdeiros e sucessores, a cumpri-lo em todos seus termos. Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Visto: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº. 44.904 TERMO DE POSSE Neste ato e na melhor forma de direito, FANY ZINDELUK ROTENBERG, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430-190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20, eleito para o cargo de Diretora sem denominação específica da LUPA INVESTIMENTOS S.A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, em constituição (doravante denominada simplesmente “Sociedade”), declara, para todos os fins e efeitos legais, (i) que não está impedida por lei especial, ou condenado por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fé pública ou a propriedade, ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, como previsto no § 1º do art. 147 da Lei nº 6.404/76; (ii) que atende ao requisito de reputação ilibada estabelecido pelo §3º do art. 147 da Lei nº 6.404/76; e (iii) que não ocupa cargo em sociedade que possa ser considerada concorrente da Sociedade, e não tem, nem representa, interesse conflitante com o da Sociedade, na forma dos incisos I e II do §3º do art. 147 da Lei nº 6.404/76, e toma posse do seu cargo como Diretora sem denominação específica da Sociedade, cargo para o qual foi eleita nesta data, com todos os poderes, direitos e obrigações que lhe são atribuídos pelas leis e pelo Estatuto Social da Sociedade, para ocupar o cargo durante o mandato de 3 (três) anos que se encerra com a eleição dos novos membros na Assembleia Geral Ordinária subseqüente. Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Fany Zindeluk Rotenberg - Diretora TERMO DE POSSE Neste ato e na melhor forma de direito, HÉLIO BRUCK ROTENBERG, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.176-5/SSP/PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68, eleito para o cargo de Diretor Presidente da LUPA INVESTIMENTOS S.A., pessoa jurídica de direito privado, com sede e foro em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, sala 01, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, em constituição (doravante denominada simplesmente “Sociedade”), declara, para todos os fins e efeitos legais, (i) que não está impedido por lei especial, ou condenado por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fé pública ou a propriedade, ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, como previsto no § 1º do art. 147 da Lei nº 6.404/76; (ii) que atende ao requisito de reputação ilibada estabelecido pelo §3º do art. 147 da Lei nº 6.404/76; e (iii) que não ocupa cargo em sociedade que possa ser considerada concorrente da Sociedade, e não tem, nem representa, interesse conflitante com o da Sociedade, na forma dos incisos I e II do §3º do art. 147 da Lei nº 6.404/ 76, e toma posse do seu cargo como Diretor Presidente da Sociedade, cargo para o qual foi eleito nesta data, com todos os poderes, direitos e obrigações que lhe são atribuídos pelas leis e pelo Estatuto Social da Sociedade, para ocupar o cargo durante o mandato de 3 (três) anos que se encerra com a eleição dos novos membros na Assembleia Geral Ordinária subseqüente. Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg - Diretor Presidente BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES ACIONISTAS Ações R$ HÉLIO BRUCK ROTENBERG, brasileiro, natural de Curitiba - PR, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, empresário, domiciliado em Curitiba - PR, na Rua Senador Accioly Filho, 1021, Bairro Cidade Industrial de Curitiba, CEP 81310-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.217.176-5/SSP/PR e inscrito no CPF (MF) sob nº 428.804.249-68. 9.900 9.900,00 FANY ZINDELUK ROTENBERG, brasileira, natural de Curitiba - PR, casada pelo regime de comunhão parcial de bens, arquiteta, residente e domiciliada em Curitiba - PR, na Rua Fernando Simas, 95, conjunto 04, Bairro Mercês, CEP 80430-190, portadora da Cédula de Identidade Civil RG nº 1.678.134-7/SSP/PR e inscrita no CPF (MF) sob nº 874.486.539-20. 100 100,00 TOTAL 10.000 10.000,00 Curitiba, 31 de janeiro de 2013. Hélio Bruck Rotenberg; Fany Zindeluk Rotenberg Visto: Ademar Cardec Seccatto - OAB/PR nº. 44.904


Negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. B1

CURITIBA

abnoticias@abcom.com.br

AB Notícias

Indústria paranaense discute sobre logística reversa

SERINGUEIRA NO NOROESTE

O governo do Paraná irá subsidiar 50% do custo da muda de seringueira para incentivar o plantio na região Noroeste do Estado. Os municípios de Indianópolis e Tuneiras do Oeste serão os primeiros a desenvolverem o projeto e serão plantados inicialmente 400 hectares de seringueira. Na implantação da cultura, o produtor tem um custo avaliado em sete mil reais por hectare. Deste total, 50% correspondem ao investimento em mudas.

Fiep e a Sema vão definir cronogramas para a implantação de planos setoriais Foto: Mauro Frasson

A

Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) finalizam, no início de julho, uma série de reuniões para definir cronogramas para a implantação de planos setoriais de logística reversa na indústria paranaense. As atividades – que incluíram mais de 30 reuniões oficiais de sensibilização e de trabalho, além de diversos outros encontros de articulação – envolvem 14 cadeias produtivas. O trabalho de estruturação dos planos continua no segundo semestre, com a previsão de que ações concretas sejam implantadas já no início de 2014. As atividades conjuntas entre Fiep e Sema nessa área são decorrência de um termo de compromisso assinado em dezembro passado entre a entidade e o governo do Estado. Com a medida, a indústria paranaense se comprometeu a adequar seus processos para atender à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada pelo Congresso Nacional em 2010. A política instituiu, entre outros pontos, a obrigatoriedade da logística reversa – o caminho contrário que o produto faz após o seu consumo, passando por toda cadeia produtiva, voltando até o fabricante, que lhe dará a destinação final ambientalmente correta. Prática que envolve também o comércio, importadores e os consumidores, entre outros atores. Na Fiep, a questão está sendo

O campus da UTFPR de Apucarana, Norte do Estado, vai receber cerca de dez milhões de reais. Seis milhões serão destinados para a construção de um bloco de quatro pavimentos. A área será de 4.500 metros quadrados para abrigar os cursos de Engenharia Química, Engenharia Elétrica e outros. O restante do dinheiro será investido na construção de estacionamentos e do restaurante universitário, além de outras reformas.

PEQUENAS EMPRESAS

Laerty Dudas, da Sema, durante uma das reuniões setoriais

tratada pelo Conselho Temático de Meio Ambiente, com apoio técnico da Gerência de Fomento e Desenvolvimento. Irineu Roveda Junior, assessor da presidência da Federação e coordenador do Comitê de Logística Reversa do Conselho, explica que o ciclo de reuniões setoriais realizado no primeiro semestre é mais uma etapa do processo de construção conjunta de soluções para o tema. “Desde o primeiro dia que nos reunimos com a Sema, a Fiep e o setor industrial do Paraná já iniciaram uma discussão concreta sobre a logística reversa, com todos os segmentos participando e atuando em sinergia para buscar soluções em conjunto com os ór-

gãos ambientais”, afirma. A partir da data de suas respectivas reuniões, as diferentes cadeias produtivas têm 60 dias para fechar um cronograma de ações que pretendem adotar para finalizar a elaboração de seus planos setoriais. Depois disso, terão mais 180 dias para estruturar as estratégias previstas nos cronogramas, concretizar essas ações e colocar em prática o processo de logística reversa. Além dos 14 segmentos envolvidos, outros dois que têm atuação no Paraná – Fumo e Automotivo – participam de discussões que ocorrem em âmbito nacional. Para Laerty Dudas, da coordenadoria de Resíduos Sólidos da Sema,

alto desempenho, pequeno e que caiba em qualquer bolsa ou bolso. Além disso, a noite contará com um momento de comemoração, em que serão entregues as chaves dos automóveis MINI One zero quilômetros aos 10 consumidores sorteados, que participaram da promoção Esse MINI é Meu. O concurso selecionou, por meio de sorteio, consumidores de todo o país que compraram um smartphone Galaxy SIII mini entre os meses de fevereiro e março deste ano. “Fruto da parceria com a MINI, esta promoção fez parte da plataforma Samsung Play MINI, que tem como objetivo unir duas marcas com produtos modernos e

descolados e envolver os públicos em ações divertidas”, afirma Paula Costa, Diretora de Marketing de Telecom da Samsung. “Estamos extremamente satisfeitos com a parceria entre MINI e Samsung, duas marcas ousadas e inovadoras. A participação no lançamento do Galaxy SIII mini foi importante para a estratégia da marca, pois reforçou uma das nossas diretrizes mundiais, que tem como foco a realização de parcerias de valor que possibilitam aumentarmos a percepção da marca perante clientes e potenciais clientes MINI”, complementa Paulo Manzano, Diretor de Vendas e Marketing da MINI no Brasil.

Belsul amplia atuação no Estado A Belsul, empresa gaúcha que atua no ramo de importação e distribuição de matérias-primas, e tem sua sede em Porto Alegre (RS), está ampliando as instalações do centro de distribuição que mantém em Quatro Barras (PR). Com o novo projeto, com previsão para ser finalizado em agosto, o espaço disponível para armazenamento das cargas

passa de cinco mil para sete mil quadrados. Além dos serviços logísticos, o centro contará com departamento comercial, de comércio exterior e de apoio administrativo. A ampliação, segundo o diretor presidente da Belsul, Sérgio Corrêa, foi necessária devido ao crescimento de mais de 65% no volume movimentado pela empresa no último

ano e a inclusão de novos produtos. Hoje a Belsul opera no Porto de Paranaguá com cerca de quatro mil toneladas. Um dos maiores problemas nos processos de importação é o tempo de espera para a liberação das cargas. Em alguns casos chega até 30 dias. Em países como o Japão e a Alemanha a liberação leva no máximo dois dias.

o diálogo com cada um dos segmentos industriais é fundamental para garantir o sucesso do processo de Logística Reversa no Paraná. “A ideia é sentir quais são as dificuldades de cada setor e buscar soluções conjuntas”, diz. Além disso, ele aponta a educação da população e a possibilidade de geração de novos negócios a partir dos resíduos como outros pontos importantes. “Os segmentos precisam nos dizer o pepino que têm nas mãos e, a partir daí, o governo do Estado vai buscar os parceiros que possam utilizar esse pepino como matéria prima”, ilustra Dudas. “Para isso, toda a cadeia produtiva daquele segmento tem que ser envolvida na discussão”, completa.

Sadia renova patrocínio à Confederação de Judô A Sadia, marca do portfolio da BRF conhecida por seu engajamento no meio esportivo, anuncia a renovação de seu contrato de patrocínio à Confederação Brasileira de Judô (CBJ) e permanece como principal patrocinador da modalidade. “Vemos na prática esportiva o melhor meio para a conscientização sobre a importância de uma vida mais saudável e equilibrada e por isso temos intensificado ainda mais nosso investimento em patrocínios, como o recente anúncio do apoio aos Jogos Olímpicos Rio 2016 e do patrocínio à CBF”, afirma Eduardo Bernstein, diretor de Marketing da BRF. Patrocinadora da CBJ desde junho de 2011, a marca reforça seu compromisso de apoiar o esporte brasileiro e de proporcionar melhores condições para o desenvolvimento de atletas de alto nível que representam e vão representar o país em competições mundiais, como os próprios Jogos Olímpicos de 2016.

Oi apresenta nova campanha no Paraná A Oi acaba de lançar uma nova campanha publicitária sobre a oferta que combina telefonia fixa e celular pré-pago, destacando as vantagens dos serviços convergentes para toda a família. Por R$ 39,90 mensais até 30/09/2013, novos clientes fazem ligações ilimitadas do fixo para telefones fixos da Oi em todo o Brasil e do pré-pago para celulares e fixos locais da Oi. As peças, criadas pela agência NBS, são veiculadas em rádio, outdoor e TV. A nova campanha reforça o conceito inaugurado neste ano “Oi completa você”, que estabelece uma evolução no posicionamento da companhia. Agora, a Oi mostra que é capaz de completar a vida de qualquer pessoa, de acordo com

Será realizado a partir desta semana, em Ponta Grossa, um estudo para mostrar as potencialidades de investimentos em negócios na cidade e nos Campos Gerais. Idealizado pelo Sebrae – PR, que irá fazer a pesquisa de campo, tem apoio da e com o apoio da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa e da prefeitura. Será um levantamento das oportunidades de negócios, beneficiando os setores da indústria, serviços e comércio.

INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO

Samsung apresenta Galaxy S4 mini em evento na Euro Import A Samsung lançará o seu mais novo smartphone, Galaxy S4 mini para um seleto grupo de parceiros, formadores de opinião e personalidades de Londrina e região, hoje (2), na Euro Import MINI, concessionária que faz parte do grupo UAB Motors. A marca aproveitará o momento para celebrar o encerramento da promoção Esse MINI é Meu. Durante o evento, os convidados poderão conhecer todos os detalhes do Galaxy S4 mini, que conta com interface intuitiva, design elegante e ainda traz características semelhantes ao seu irmão mais velho, Galaxy S4, tornando-se ideal para quem busca um smartphone com

NEGÓCIOS NOS CAMPOS GERAIS

as suas necessidades de telecom. Única operadora no Brasil com telefonia fixa e móvel, internet banda larga fixa e móvel, wi-fi e TV por assinatura, em escala nacional, a Oi é pioneira na oferta de serviços convergentes no Brasil. A Oi oferece a convergência de serviços de voz com o Oi Fixo Ilimitado com DDD + Oi pré-pago Ilimitado para novos clientes por R$ 39,90 mensais, preço promocional até 30/09/2013. O plano fixo inclui franquia de 1.000 minutos para falar com telefones fixos locais de qualquer operadora e, após o consumo da franquia, o cliente ainda faz chamadas ilimitadas para Oi Fixo local. O plano também inclui ligações DDD ilimitadas para fixos de qualquer

operadora de todo o Brasil usando o 14. E o novo cliente do Oi Fixo Ilimitado com DDD ainda pode aderir à recarga ilimitada do seu pré-pago Oi para fazer ligações ilimitadas para telefones fixos e celulares da Oi locais. Para contratar a oferta convergente de fixo e pré-pago por R$ 39,90, o cliente deve aderir ao Oi Fixo Ilimitado com DDD ligando para o 0800 031 0031 ou acessando o site www.oi.com.br/ fixomaispre. Depois que o telefone fixo for instalado, basta ligar para o 10331 em até 60 dias após a instalação do serviço e solicitar a ativação da “recarga automática com bônus ilimitado”. A oferta convergente de Oi Fixo Ilimitado com DDD e pré-pago

ilimitado está disponível exclusivamente para novos clientes de Oi Fixo Ilimitado que fizerem adesões até 31/07/2013 nos estados de AC, AM, AP, ES, GO, MS, MT, PA, PR, RR, RO, RS, SC e TO, além do DF. A partir de outubro, o Oi Fixo Ilimitado com DDD sobe de R$ 38,90 para R$ 59,90 mensais e a recarga automática, para ter ligações ilimitadas no pré-pago, passa de R$ 1 para R$ 10. Caso ocorra o cancelamento da recarga automática antes do período de 12 meses, haverá cobrança da taxa de adesão (R$ 240,00) proporcional ao período restante para completar 12 meses. As novas linhas de telefone fixo preveem taxa de habilitação. Mais informações no site www. oi.com.br/fixomaispre.

Noventa e nove por centro das empresas na América Latina estão no segmento das micro, pequenas e médias (PMEs). Apesar do elevado número, o grau de empreendedorismo na região é menor que o visto nas economias desenvolvidas. A pesquisa foi feita pelo Banco Santander. Entre o universo das PMEs latino-americanas, a maioria é composta por microempresas: o segmento responde por 90% dos pequenos e médios negócio.

PECUÁRIA DE LEITE

Produtores rurais e estudantes podem ingressar no curso de bovinocultura de leite, com inscrições até quinta-feira, 4. Acontece em Irati, Centro-Sul do Estado, e é promovido pelo IFPR. A bovinocultura leiteira tem se mostrado uma boa alternativa de renda para o produtor rural. No curso os alunos serão capacitados a gerenciar a atividade produtiva leiteira, planejando, organizando, controlando e avaliando a atividade de produção.

VENTOS DO PARANÁ GERAÇÃO DE ENERGIA S/A CNPJ MF Nº 13.361.504/0001-89 NIRE N.º 41300081484 ATA DA QUARTA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 15 DE ABRIL DE 2.013 01.FORMA: Lavrada nos termos do parágrafo primeiro do art. 130, da Lei 6.404/76. 02.DATA, HORA E LOCAL: 15.04.2013, às 14:00 horas, na sede social, na Rua Estados Unidos, 1680, Conjunto 104, Bairro Boa Vista, Curitiba, Paraná, CEP 82.540030. 03.PUBLICAÇÕES: Dispensadas, de acordo com o disposto no art. 124, parágrafo quarto, da Lei 6.404/76. 04.PRESENÇA: Acionistas representando 100% (cem por cento) do capital social, conforme Livro de Presenças de Acionistas. 05.COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente da Mesa Sr. José Carlos Golin e Secretário Sr. Alexandre Radtke. 07. ORDEM DO DIA EM ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA: a) Apreciação, discussão e votação do Relatório da Diretoria e Balanço Geral referente ao exercício encerrado em 31.12.2012; b) Eleição de nova Diretoria para Triênio 2013/2015. DELIBERAÇÕES: Dando início aos trabalhos o Sr. Presidente da Mesa determinou a mim Secretário, que procedesse a leitura dos documentos a que se refere a letra “a”, da Ordem do Dia. Concluída a leitura, o Sr. Presidente da Mesa, dando prosseguimento aos trabalhos, fez rápidos esclarecimentos sobre os assuntos em exame, inclusive que a sociedade está desobrigada da publicação do Balanço Patrimonial por se enquadrar no Artigo 294 da Lei 6.404/76, recomendando a assembleia a aprovação do Balanço Patrimonial e das Demonstrações referente ao exercício encerrado em 31/12/2012. Após considerações, o Sr. Presidente da Mesa colocou em votação os documentos e a proposição referente aos resultados, matéria esta, toda constante da letra “a”, da Ordem do Dia, a qual foi aprovada por unanimidade de votos sem reservas ou restrições. Passando ao item “b” da Ordem do Dia da Carta Convite, disse o Sr. Presidente da Mesa da necessidade de se eleger uma nova Diretoria para Triênio 2.013/2.015, concluída a consulta, constatou-se a reeleição para o cargo de DIRETOR PRESIDENTE Sr. JOSÉ CARLOS GOLIN, brasileiro, natural de Curitiba estado do Paraná, casado em regime de separação total de bens, advogado, portador da Carteira de Identidade Civil nº 766.109-6/SSP-PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 016.238.509-91, residente e domiciliado à Rua João Américo de Oliveira nº 715 – Apto. 801, Bairro Cabral, em Curitiba, PR., CEP nº 80.035-060, DIRETOR VICE-PRESIDENTE Sr. DONATO GULIN, brasileiro, natural de Curitiba estado do Paraná, casado em regime de comunhão universal de bens, empresário, portador da Cédula de Identidade Civil no. 415.356/SSP-PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob o no. 003.065.339-87, residente e domiciliado à Rua Theodoro Makiolka no 714, Bairro Santa Cândida, em Curitiba, Pr., CEP nº 82.640010, DIRETOR DE MARKETING Sr. JOSÉ LUIZ DE SOUZA CURY, brasileiro, natural de Curitiba estado do Paraná, casado em regime de comunhão universal de bens, Administrador de Empresas, portador da Cédula de Identidade Civil nº 737.476-3/ PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 087.547.729-15, residente e domiciliado à Av. Visconde de Guarapuava nº 4.977, Bairro Batel, em Curitiba, PR., CEP nº 80.240-010; DIRETOR OPERACIONAL Sr. ALEXANDRE RADTKE, brasileiro, natural do Rio de Janeiro estado do Rio de Janeiro, casado em regime de comunhão universal de bens, advogado, portador da Cédula de Identidade Civil nº 586.023-7/SSP-PR., inscrita junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 028.104.849-53, residente e domiciliado à Rua Dr. Manoel Pedro nº 807, Bairro Cabral, em Curitiba, PR., CEP nº 80.035-030, DIRETOR ADMINISTRATIVO Sr. DANTE JOSÉ GULIN, brasileiro, natural de Curitiba estado do Paraná, casado em regime de comunhão universal de bens, empresário, portador da Cédula de Identidade Civil nº 610.832-6/SSP-PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 003.069.169-91, residente e domiciliado à Rua Recife nº 461, apto. 61, Bairro Cabral, em Curitiba, PR., CEP nº 80.035-110, DIRETOR DA CONTROLADORIA Sr. DÉLFIO JOSÉ GULIN, brasileiro, natural de Curitiba estado do Paraná, casado em regime de comunhão universal de bens, economista, portador da Cédula de Identidade Civil nº 411.996-PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 003.068.949-04, residente e domiciliado à Rua Clóvis Beviláqua, 300 - apto 601, Bairro Cabral, em Curitiba, PR., CEP nº 80.035080, DIRETOR FINANCEIRO Sr. OZIRES ALBERTI, brasileiro, casado em regime de comunhão Universal de Bens, engenheiro civil, residente e domiciliado à Rua Joaquim de Paula Xavier, n º 1.100, Condomínio Villagio Del Tramonto. Centro, Ponta Grossa, Paraná, CEP: 84.050-000, portador da Cédula de Identidade Civil RG nº 713.579-3/ SSP-PR, expedida pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná e inscrito no CPF nº. 215.100.759-68, DIRETOR COMERCIAL Sr. SIDNEI ALBERTI, brasileiro, natural de Tibagi estado do Paraná, casado em regime de comunhão universal de bens, empresário, portador da Cédula de Identidade Civil nº 399.445/SSP-PR., inscrito junto ao Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda sob nº 006.293.329-91, residente e domiciliado à Rua Dr. Penteado de Almeida nº 433, Bairro Centro, em Ponta Grossa, PR., CEP nº 84.010-240 e DIRETOR DE COMPRAS E SUPRIMENTOS Sr. VALMOR ALVES, brasileiro, casado pelo regime de comunhão parcial de bens, engenheiro químico, inscrito no CPF sob o nº 474.087.159-91, titular da Cédula de Identidade RG nº 1.463.352 SSP/SC, residente e domiciliado na Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, nº 2546, apartamento 1.501, Bairro Mossunguê, CEP: 81.210-000, em Curitiba, Paraná. Os indicados foram eleitos por unanimidade, dos presentes sem reservas ou restrições, com mandato até a Assembleia Geral Ordinária que aprovar as Contas de seu último ano de gestão, ou seja, com aprovação do Balanço Patrimonial de 31 de dezembro de 2015, valendo à presente como termo de posse e como declaração de desimpedimento, eis que declaram os Diretores eleitos que não estão incursos em qualquer situação que os impeça de assumir o cargo para os quais foram eleitos ou de exercer atividade mercantil. Submetido o assunto a discussão e votação foi o mesmo, aprovado por unanimidade. 09. QUORUM DELIBERATIVO: Todas as deliberações foram aprovadas pela unanimidade dos presentes. 10. ENCERRAMENTO: Foram suspensos os trabalhos até a lavratura da presente, que lida e achada conforme foi por todos assinada. 11. ACIONISTAS PRESENTES: PAINEIRA PARTICIPAÇÕES E EMPREENDIMENTOS LTDA, (JOSÉ CARLOS GOLIN, DONATO GULIN, DANTE JOSÉ GULIN e ALEXANDRE RADTKE – Administradores), ÍCARO GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA LTDA (VALMOR ALVES e RENE BETTEGA – Administradores) OZIRES ALBERTI, SIDNEI ALBERTI, WALTER ALBERTI, IVONEI ALBERTI, DANIEL JOSÉ ALBERTI, MARIA RISOLETE ALBERTI AARDOOM e FRATERNITÁ PARTICIPAÇÕES LTDA, ( DONATO GULIN e WALFRIDO VICTORINO AVILA). 12. CERTIDÃO: Certifico que a presente ata é cópia fiel da ata lavrada no livro de Registro de Atas de Assembléias nº 01 da companhia. Curitiba/Pr, 15 de abril de 2.013. JOSÉ CARLOS GOLIN ALEXANDRE RADTKE Presidente da Mesa Secretário DIRETORIA ELEITA: JOSÉ CARLOS GOLIN DONATO GULIN JOSÉ LUIZ DE SOUZA CURY ALEXANDRE RADTKE DANTE JOSÉ GULIN DÉLFIO JOSÉ GULIN OZIRES ALBERTI SIDNEI ALBERTI VALMOR ALVES Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20132535432 em 23/05/2013.


Nacional

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. B3

ANÚNCIO

Reforma incluirá financiamento de campanha e sistema de voto A presidenta Dilma Rousseff confirmou que enviará hoje ao Congresso Nacional mensagem pedindo um plebiscito para discutir a reforma política. Segundo ela, o governo pretende discutir pelo menos dois pontos: financiamento de campanhas e sistema eleitoral. Dilma, no entanto, declarou que a formulação das perguntas não cabe ao Palácio do Planalto, mas ao Congresso e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ela ressaltou ainda que o poder de convocar uma consulta popular cabe exclusivamente ao Congresso. “Não vamos dar sugestões de perguntas. Isso fica entre o Senado, a Câmara dos Deputados e o Tribunal Superior Eleitoral. Está claro, na Consituição, que quem convoca plebiscito é o Congresso Nacional. Por isso, insisti na palavra sugestão no que se refere à relação entre o Executivo e o Legislativo”, explicou. Dilma disse ainda que o Congresso poderá mudar a proposta de reforma política enviada pelo Planalto. “Amanhã, enviamos nossa sugestão à Câmara e ao Senado no sentido de plebiscito apontando em linhas gerais as balizas que julgamos importantes. Isso não significa que outras balizas não podem aparecer”, declarou.

Antonio Cruz/ABr

A reunião ministerial discute a onda de protestos e medidas para solucionar o impasse

Os manifestantes reivindicam a redução das tarifas do transporte público, assim como melhorias nos serviços de atendimento à saúde e educação, além do combate à corrupção. A reunião tem como objetivo achar solucões para os problemas

A presidenta também disse que, na reunião desta tarde, tratou com os ministros sobre a necessidade de todos os ministérios acelerarem a execução dos projetos de infraestrutura, tanto das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) como dos projetos do Programa de Investimentos em

Logística, que envolvem a concessão à iniciativa privada de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias, além da licitação de áreas de exploração de petróleo e gás. Dilma interrompeu a reunião ministerial, a terceira de seu governo, para dar esclarecimentos à imprensa. O encontro começou

por volta das 17h e, de acordo com a presidenta, ainda levará várias horas. Ela disse que seria “oportuno” que as eventuais mudanças resultantes do plebiscito sobre a reforma política valessem para as eleições de 2014, mas ressaltou que esse prazo não depende do governo.

Acordo do Mercosul sobre imigrantes precisa de fiscalização, diz ministra O Acordo sobre Residência para Nacionais dos Estados-Partes do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela e Paraguai, suspenso temporariamente do bloco, mais Bolívia e Chile, como associados) é de 2009 e fixa uma série de medidas de proteção para os imigrantes legais no Brasil. A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, defende a implementação e a fiscalização de todos os aspectos contidos no texto, que menciona igualdade de direitos civis e de

reunião familiar, assim como os benefícios previdenciários. “Avançamos tanto na fiscalização do trabalho escravo no Brasil e agora temos de continuar os nossos esforços, só que por novos caminhos”, disse a ministra. Dados de autoridades brasileiras referentes a 2010 indicam que, só no Brasil, os bolivianos são cerca de 250 mil, sendo que 200 mil moram em São Paulo e aproximadamente 30 mil são explorados por compatriotas. Há, ainda, os que vivem em Santa Catarina, Mato Grosso e no

Rio de Janeiro. Mas a preocupação das autoridades se concentra nos que são vítimas de trabalho análogo à escravidão. A família de Brayan Yanarico Capcha, de 5 anos, retrata a situação da maioria dos bolivianos que buscam oportunidades no Brasil e que trabalham até 17 horas em fábricas de confecção em São Paulo, segundo relatos. Muitos são atraídos por bolivianos que vivem no Brasil há mais tempo e que prometem uma série de benefícios, como salários elevados, amparo previdenciário e

assistência de saúde. Esses bolivianos recebem por produção e um valor abaixo do salário mínimo. Moram em condições precárias e têm dificuldades com a língua. Eles evitam denunciar as irregularidades com medo das ameaças dos compatriotas. No caso da família e de amigos de Brayan Capcha, os criminosos conseguiram fugir com R$ 4,5 mil das vítimas. Armados com revólveres e facas, os bandidos invadiram o sobrado onde os pais do menino e amigos moram e trabalham.

Brasil ratifica adesão à Academia Internacional contra a Corrupção

Consulta popular pode custar mais de R$ 500 milhões

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, ratificou nesta segunda-feira a adesão do Brasil à Academia Internacional contra a Corrupção (cuja sigla em inglês é Iaca). O documento com a formalizando do ato foi entregue à entidade, em Viena, na Áustria. O chanceler ressaltou ainda que o Brasil se candidata para ser a sede regional da academia para incentivar a participação dos latinoamericanos. No texto, o governo do Brasil destaca que a “prevenção e o combate à corrupção são prioridades” na agenda pública brasileira. “Queremos reiterar o interesse e a disposição do governo do Brasil para sediar a academia regional, o que poderia beneficiar países de língua latino-americana e português”, diz o documento. O texto diz ainda que o Brasil tem se empenhado no combate e

Antonio Cruz/ABr

Segundo o ministro Antonio Patriota, o Brasil se candidata para ser a sede regional da academia para incentivar a participação contra a corrupção

prevenção à corrupção ao desenvolver mecanismos, como a promoção da ética, integridade e transparência, fortalecendo a relação entre o governo e o setor privado, além do incentivo à pesquisa, ao planejamento e à consolidação e métodos e instrumentos de combate à prática.

A Iaca é financiada por meio de contribuições voluntárias. Em 2010, o Brasil indicou a intenção de aderir à agência. A academia é a única instituição mundial dedicada exclusivamente a estudar métodos de combate à corrupção, fornecendo treinamentos e orientações aos países interessados.

Passa a valer reajuste de quase 25% em bolsas de residência médica A partir de hoje (1°) as bolsas pagas aos profissionais de residência médica e de outras áreas da saúde passam a ter reajuste de 24,8%, alcançando o valor de R$ 2.976,26 mensais. Cerca de 23 mil profissionais receberão esse valor, de acordo com informação do Ministério da Saúde. O reajuste está definido em portaria dos ministérios da Saúde e da Educação publicada na edição desta segunda-feira do Diário Ofi-

cial da União. O reajuste fazem parte de um conjunto de medidas para estimular a formação de especialistas e aumentar o número de médicos. No final de junho, o Ministério da Saúde anunciou a abertura de 12 mil novas vagas de residência até 2017, sendo as primeiras 4 mil nos próximos dois anos Na criação de vagas de residência serão priorizadas as especialida-

des de que o país mais precisa como pediatria, psiquiatria, neurologia, radiologia e neurocirurgia. Os postos serão abertos em municípios ou regiões com mais de 50 mil habitantes, com o mínimo de 100 leitos hospitalares e cinco leitos por residente. Para acompanhar as medidas haverá um incentivo anual de R$ 100 milhões em hospitais e unidades de saúde que expandirem programas de residência.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estima que a realização de uma consulta popular sobre a reforma política poderá custar cerca de R$ 500 milhões aos cofres públicos, caso a convocação ocorra ainda este ano. A previsão leva em conta números atualizados das últimas eleições municipais, realizadas em 2012, que custaram R$ 395 milhões, uma média de R$ 2,81 por eleitor. Além dos R$ 500 milhões estimados pela Justiça Eleitoral, há despesas também com a publicidade para esclarecimento do eleitorado nas emissoras de rádio e televisão, assim como na mídia impressa e online. No ano passado, a produção da campanha Voto Limpo, para veiculação gratuita em rádio e televisão, custou R$ 2,8 milhões ao TSE. Uma vez definido o modelo de consulta, a empresa responsável pela publicidade precisa de pelo menos 30 dias para preparar o material. É necessário também calcular os custos relativos ao deslocamento de eleitores em áreas distantes do país, principalmente no meio rural. Em 2012, os gastos com a Força Nacional somaram R$ 24 milhões. O Executivo sugeriu como possíveis datas os feriados de 7 de Setembro ou 15 de Novembro, mas ainda há a opção de realizar a consulta com as eleições presidenciais do ano que vem, reduzindo custos.

CONSUSMO E CONSUMISMO

Carlyle Popp, doutor em Direito Civil pela PUC/ SP, mestre em Direito Público pela UFPR e membro do Instituto dos Advogados do Paraná, professor de cursos de graduação e de pósgraduação, orientou e coordenou os trabalhos que fazem parte do livro “Consumo e Consumismo”. O próprio autor esclarece: “O embrião desta obra nasce das discussões encerradas no âmbito do grupo de pesquisa em atividade junto ao Centro Universitário Curitiba – Unicuritiba, cujo projeto denomina-se Liberdade de Iniciativa, Dignidade Humana e Proteção ao Meio Ambiente Empresarial, que lidero junto com a doutoranda Ana Cecília Parodi”. Os trabalhos foram realizados a partir da obra literária “As Coisas”, de Georges Perec, e da obra “Vida Para Consumo: a transformação das pessoas em mercadoria”, de Zybmunt Bauman. No livro são apresentados aspectos importantes do comportamento humano e são analisadas as causas e consequências do consumismo. Para isso o autor procura informações em diferentes fontes. Fala da Teoria dos Jogos, esclarecendo que pode ser de cooperação ou de competição, analisa a função social jurídica no meio ambiente empresarial sustentável. Coloca em evidência a compulsão de consumo de nossa época, na qual uma pessoa compra um produto, por exemplo, um celular, e pouco tempo depois o deixa de lado ainda que funcione, porque o mercado oferece um novo modelo com mais funções. Ou seja, a sede de consumo nunca é saciada. É como uma ciranda sem fim. Os objetos dominam o pensamento e o imaginário do homem contemporâneo, é preciso comprar sempre o melhor, os produtos de última geração, para se sentir participante da sociedade e capaz de adquirir objetos de valor. Velocidade e imediatismo são características da época. Como já disse o filósofo indiano Jiddhu Krishnamurti nos anos 80, as coisas se tornaram finalidade e os seres humanos, meios para atingir coisas. Essa mudança de valores faz também com que os valores éticos sejam esquecidos. Em um capítulo, lemos: “A transição do ser para o ter, valorizadora do patrimônio em detrimento do ser humano”. Carlyle Popp na obra “Consumo e consumismo” (Juruá Editora, 188p.) contou com os colaboradores: Alex Sandro Noel Nunes, Amarílio H. Leal de Vanconcellos, Ana Cecília Parodi, Bruna Singh, Ingrid Karoline Trinkel, Marcelo de Souza Sampaio, Raissa de Cavassin Milanezi, Rudha Baluta. O livro é um estudo profundo do consumismo e seu impacto no mundo atual. Vale a pena conferir. CARÊNCIA EMOCIONAL - Arma de dois gumes? Quando qualquer discussão começa a tomar caminhos inesperados, não é raro alguma das partes dar o grito de guerra: “Você tem carência emocional”. É a frase pronunciada para demolir o adversário. Daí para frente ele perde terreno, às vezes perde o chão completo, enquanto que a pessoa que usa a frase pode se sentar sobre uma montanha de conforto. A luta já está ganha. Não importa o que o outro fale, os argumentos dele são nulos. Quem pode dar ouvidos a alguém que fala porque tem carência emocional? A tática é utilizada não só para desqualificar argumentos, mas para desqualificar o argumentador. Uma forma cruel de vencer a luta. Mas é muito interessante porque essa frase de carência emocional no fundo atinge não digamos a todos, mas a maioria das pessoas. Quem não tem uma carência emocional lá, no fundo, bem guardada? Quem é tão amado quanto quer? Quem é tão popular quanto sonha? Quem conseguiu, realmente, realizar todos os seus sonhos? Tem um amante? Fez cirurgia plástica? Come demais? Está gordo? Sente-se velho? Tudo isso pode fazer parte da carência emocional. Quer ser famoso? Quer ser o melhor? Quer aplausos? A origem pode ser a mesma. Quer viver uma grande paixão, ser o dono da rua, ser admirado? Carência emocional também. Reveste-se de milhares de formas. Da necessidade de sentir-se bonito ao desejo de triunfar profissionalmente, do sonho de ter um filho ao sonho de ser famoso em Hollywood. No fundo, o ser humano tem carência, porque o mundo é caleidoscópico, cheio de formas, cores, conteúdos e sonhos irrealizáveis. Por isso, na próxima vez que em uma discussão alguém triunfante diga que você age desse jeito porque tem carência emocional, responda que ele deveria tirar a máscara de perfeição e olhar para dentro. E tenha certeza, se ele olhar descobrirá em alguma parte da sua mente a “carência emocional”. Afinal até Platão disse que o Amor, o incrível Amor, é filho do Recurso e da Carência. É só ficar sozinho, olhar-se no espelho da verdade e a carência emocional estará lá... gritando muito perto dos ouvidos. Isabel Furini é escritora e ministrará a oficina “Como escrever contos” no mês de Julho, no Solar do Rosário. Fone (41) 32256232.


3

Diário Indústria&Comércio Curitiba, terça-feira, 02 de julho de 2013 | Pág. B4

Nem te Conto Product placement

Adélia Maria Lopes

a

margem arte&atitude

moda&cia

adeliamarialopes@yahoo.com.br

Japão, personagens e japoneses No clipe Bring Out The Noize, a inglesa M.I.A. e seus figurantes aparecem usando óculos e relógios da brasileira Chilli Beans. O single faz parte do quarto álbum da artista, o ainda inédito Matangi. “Além de reforçar a nossa ligação com a música, a presença no clipe da M.I.A. tem tudo a ver com o posicionamento da Chilli Beans como uma marca global”, diz seu criador, o fenomenal Caito Maia. O diretor de marketing Cristiano Frois lembra que a estratégia de product placement em produções musicais acompanha o processo de internacionalização da rede, que abriu seu 12º ponto de venda nos EUA, o primeiro em Nova York (os outros onze ficam em LA). Criada há 15 anos, a maior rede em óculos escuros da América do Sul fechou 2012 com 550 pontos de venda no Brasil, Portugal, EUA, Colômbia e Kuwait. Lança dez modelos de óculos de sol, cinco de relógios e três de armações de grau por semana. É pioneira na oferta de 15 dias para adaptação, com possibilidade de troca, mesmo sem defeito de fabricação.

Comes&Bebes

1-O embaixador do portfólio da holandesa Ketel One no país, Fabrício Marques, e Jonas Rossi, bartender do Taj Bar, apresentaram em Curitiba um coquetel da vodka artesanal da Diageo, empresa líder mundial no setor de bebidas alcoólicas premium. Destilada em cobre de alambique com 100 % trigo e filtrada por carvão a granel, a produção da Ketel One é limitada, para preservar a sua qualidade tida como excepcional. 2- A Vinícola Famiglia Zanlorenzia apresenta a novo Vinho Lunar Riesling, elaborado com uvas Riesling, a partir de castas selecionadas, da Serra Gaúcha. “É um vinho jovem, descomplicado. Tem boa densidade e volume, revelando aromas intensos e persistentes de maçã verde e notas cítricas”, diz o enólogo Mateus Poggere, sugerindo harmonização com peixes, aves, massas de molho branco e risotos com frutos do mar. Além de ser excelente para acompanhar desde um bate-papo entre amigos, até reuniões familiares, sendo perfeito também para momentos a dois, incrementando o romantismo”, sugere o presidente Giorgeo Zanlorenzi. 3- Depois do ParkShoppingBarigüi, Gabriela Folador e Christiane Jansen abrem franquia Spoleto no Shopping Estação e em breve inauguram outra no Mueller. Assim, a maior rede de culinária italiana do Brasil expande atuação no Sul, com o formato Spoleto 21, que agrega o conceito de sustentabilidade, do preparo dos pratos até a logística de descarte de resíduos. Além disso, a rede visitou três fábricas na Itália a fim de viabilizar o projeto inédito de introduzir itens gourmet como o presunto cru (Parma) nas praças de alimentação.

4- A última aula-show dessa temporada na Versadas, nesta terçafeira 2, às 19h15, será com Délio Canabrava e Gliciara Bueno, da Cantina do Délio. No cardápio, Bruschetta Tradizionale, Spaghetti al Pesto, Saltimboca, Patate ai Rosmarino e de sobremesa Panna Cotta ai Pistacchi. Inscrições pelo 3078- 3312.

Teste de audiência

A sexta sessão Teste de Audiência, idealizado pelos cineastas Márcio Curi e Renato Barbieri, acontece na Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280) nesta terça-feira 2, às 20h. O projeto traz todos os meses um filme nacional, ainda em processo de finalização, apresentado gratuitamente. O espectador só fica sabendo ao que vai assistir só no início da projeção.

O

Consulado Geral do Japão em Curitiba, Fundação Japão e a Fundação Cultural realizam a mostra itinerante Japan: Kingdom of Characters (Japão: Reino dos Personagens). Será no Museu Municipal de Arte, com abertura nesta quinta-feira 6. A programação prossegue até dia 28, com vários eventos sobre a cultura pop japonesa. A exposição revela a relação íntima entre os personagens de mangá e anime e os japoneses, oferecendo compreensão das circunstâncias culturais e históricas por trás dessa afeição. Hiroyuki Aihara, presidente do Character Research Institute, lembra que o Japão tem vivência com os personagens, não apenas em Akihabara e Harajuku, que passaram a ser conhecidas no exterior como locais sagrados dos personagens. Em supermercados e lojas de suvenires em qualquer pequena cidade por

todo o país, pode-se encontrar inúmeros produtos decorados com imagens de Hello Kitty e Pocket Monsters. Legiões de adultos assistem a filmes produzidos pelo Studio Ghibli e não é nem um pouco incomum ver pessoas entretidas na criação de bonecos do Mobile Suit Gundam. Também é espantosa a existência de produtos com personagens, como bichinhos de pelúcia e artigos de papelaria, acessórios de moda e serviços. Hiroyuki Aihara observa ainda as mudanças do perfil de consumo: de crianças para adultos; de uso familiar para pessoal; e de entretenimento para suprimento de necessidades psicológicas. E registra: “No momento, cada governo e entidades públicas locais têm seu próprio personagem. Os personagens, em sua existência simbólica, frequentemente ultrapassam os líderes reais da área como uma presença visível. Eles fun-

cionam cada vez mais como figuras sociais e públicas”. A exposição está dividida em quatro partes: "Os personagens que representam o Japão" separados por décadas, apresentado-os com painéis e bonecos. A segunda parte expõe produtos e um quarto de uma estudante japonesa montado totalmente com Hello Kitty. "O futuro dos personagens" é formada por exposição de

personagens criados por organizações e miniaturas e a apresentação de desenhos flash. A quarta é sobre "Os personagens e os japoneses" mostrando em formato de painéis o cotidiano de japoneses de várias idades e a relação deles com os personagens. Visitação: de 6 a 28 de julho, das 10 às 19h, de terça a domingo, no Museu Municipal de Arte de Curitiba/Portão Cultural. Entrada gratuita.

De dublagem e de mangás

Entre as atrações de Japão: Reino dos Personagens estão a mostra de cinema japonês, de 12 a 18 deste mês, às 18 e 20h, no Cine Guarani. Todos os filmes serão exibidos em japonês com legendas em português. Entrada Gratuita. E a palestra do dublador Toru Furuya, a voz por traz de personagens que marcaram gerações. Toru Furuya é conhecido por dublar Amuro Ray (Mobile Suit Gundam), Yamcha (Dragan Ball), Seiya de Pégaso (Os Cavaleiros do Zodíaco), Mamoru Chiba (Sailor Moon), entre outros. Ele falará sobre sua vida profissional e reproduzirá algumas cenas de animes, jun-

tamente com cosplayers e dará autógrafos, no dia 13, das 13h30 às 15h, no Cine Guarani/ Portão Cultural. No dia 14, das 14 às 15h30, Furuya também estará no Auditório do Museu Oscar Niemeyer, quando responderá as perguntas dos participantes, que terão também uma surpresa ao final. Entrada grátis, mas para participar, necessita-se de inscrição pelo e-mail: cultura@ c1.mofa.go.jp. Outro programa traz workshop de mangá e painel de debates sobre a influência dos desenhos japoneses. A aula de mangá será dada

pelo professor Guilherme Match, pondendo participar também iniciantes, desde que acima de 12 anos de idade. Será no dia 21, das 13 às 15h, no Portão Cultural. Participação gratuita, pelo e-mail: cultura@c1.mofa.go.jp. O debate “Mangás e Animes: do Japão para o Mundo” reunirá os estudiosos Jéssica Paes, Simonia Fukue e Mitie Taketani, tendo como mediador o jornalista Marden Machado. Será no dia 21, das 15h30 às 17h, no Auditório Antônio Carlos Kraide/ Portão Cultural. Inscrições em cultura@c1.mofa.go.jp. (Site: http://www. curitiba.br.emb-japan.go.jp/)

Tortura nunca mais Depois de passar por dez países e ser vista por mais de dois milhões de pessoas, chega a Curitiba a mostra Instrumentos Medievais de TorturaPeríodo da Inquisição, com mais de 50 peças originais, restaurações e réplicas de instrumentos de tortura utilizados do século XIII ao XVII. Vernissage para convidados às 19h desta terça-feira. O acervo fixo fica em Praga. A mostra itinerante deve-se a um grupo de colecionadores europeus, a partir da Itália. Reconhecida pelo Ministério Cultural de Patrimônio Italiano, seu objetivo é divulgar a extensão da crueldade institucionalizada e gerar conscientização contra a tortura e a favor da liberdade de pensamento. “É importante disseminar este fato histórico que, inclusive, muitos de nossos antepassados vivenciaram”, conta a diretora artística da mostra, Aurora Corina Lopes. “Virgem de Nuremberg” ou “Donzela de ferro”, banco de estiramento, triturador de cabeças e a cadeira inquisitória são alguns dos aparelhos criados com o objetivo de torturar, humilhar e conseguir confissões dos considerados hereges pela Santa Inquisição, instituição criada na Idade Média (século XIII) pela Igreja Católica. As pessoas consideradas ameaças às doutrinas e dogmas do catolicismo

eram julgadas por um tribunal específico, o Santo Ofício, que vingou especialmente em Portugal, França, Itália e Espanha. Os suspeitos eram perseguidos, torturados cruelmente e condenados a diversas penas, desde prisão temporária, perpétua à decapitação ou morte na fogueira. A mostra também contextualiza vítimas históricas: Joana d’Arc, morta em 1431, Nicolau Copérnico, censurado ao

apresentar a teoria heliocêntrica, e Galileu Galilei, preso e obrigado a esconjurar a teoria de Copérnico. Conheça: no Museu Municipal de Arte de Curitiba/Portão Cultural (Rep. Argentina, 3.430). Ingressos a 15 e 7,50 reais. Abre ao público a partir desta quarta dia 3 a 6 de outubro. Depois segue para Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Industria e comercio 02 07 2013  

jornal, economia, curitiba, parana, brasil, negocios, bovespa, financas, aroldo mura, pedro washington, ayrton baptista, eliseu tisato, bet...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you