Issuu on Google+

WWW.ICNE WS .COM.BR

Indústria&Comércio CURITIBA, TERÇA-FEIRA, 31 DE JANEIRO DE 2012 | ANO XXXV | EDIÇÃO Nº 8552 | R$ 1,50

DIÁRIO. MAIS QUE NOTÍCIAS. INTELIGÊNCIA. CONHECIMENTO.

Aroldo Murá DE ONDE E COMO VEM NOSSO LINGUAJAR Prosseguindo no fascinante mundo da linguagem curitibana - o “curitibês” e paranaense do Sul, a coluna examina as origens do chamado ‘ítaloeclesiástico’, um falar influenciado pelos padres italianos. Do mundo curitibano também é a abordagem dos cursos e escolas bilíngues da Capital, que vão crescendo. O mais novo curso bilíngue é do Positivo. PARANÁ | A3

Pedro Washington Até que a morte... Um curioso levantamento realizado por um grupo de estudos da Universidade de São Paulo concluiu que em 2011, 90% dos projetos apresentados pelo governo na Câmara Federal foram acompanhados pelos “partidos aliados”, comandados pelo PT. O mesmo estudo feito nos governos de FHC provavelmente teria obtido resultado semelhante. Um dos defeitos de nossas democracias, periodicamente interrompidas por golpes de estado é ter inúmeros partidos, quase 30, com vocação governista. GERAL | A2

EM 2011

Inadimplência das empresas foi a maior dos últimos dois anos

Governo executa R$ 12 mi em obras urbanas no litoral

Medidas beneficiam Antonina, Guaratuba, Guaraqueçaba, Matinhos e Paranaguá O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu/Paranacidade), executa um conjunto de obras de infraestrutura nos municípios do Litoral do Paraná, representando um investimento de mais de R$ 12,6 milhões. As obras em andamento beneficiam os moradores dos municípios de Antonina, Guaratuba, Guaraqueçaba, Matinhos e Paranaguá e também os veranistas que frequentam o Litoral do Estado. De acordo com o secretário do Desenvolvimento Urbano, Cezar Silvestri, as obras de pavimentação e recape asfáltico irão contribuir para melhorar o fluxo de veículos nas vias urbanas e os projetos nas áreas da saúde e social oferecerão melhor qualidade de vida à população residente e também aos veranistas. Em Antonina, estão em execução as obras de ampliação e reforma do Hospital Municipal Dr. Silvio Bittencourt Linhares.

Jonas Oliveira/AENoticias

Obras do Centro de Convivência da Pessoa Idosa, no Balneário Banhomar (na confluência da Rua de acesso, lote A2, com Avenida Juscelino Kubitscheck de Oliveira

ECONOMIA | A5

QUALIFICAÇÃO

Profissionais de banho e tosa são o grande desafio dos pet shops NEGÓCIOS | B4

CONSTRUTORA

Plaenge apresenta a clientes o primeiro lançamento do ano NEGÓCIOS | B4

REGISTRO Mercado mantém estimativa de crescimento da economia A estimativa de analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) para o crescimento da economia – Produto Interno Bruto (PIB) – este ano foi mantida em 3,27%. Para 2013, a previsão caiu de 4,25% para 4,15%. Essas projeções estão no boletim Focus, publicação semanal do BC, elaborada com base em estimativas de analistas do mercado financeiro para os principais indicadores da economia. A expectativa para o crescimento da produção industrial, neste ano, passou de 2,94% para 3%. Para 2013, permanece em 4%. Produtores de aves apostam em aumento da produção este ano A avicultura nacional deve experimentar, este ano, um crescimento moderado, em torno de 2%, tanto na produção quanto na exportação, em função da crise internacional. A avaliação foi feita nesta segunda-feira (30/01), na Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), no Rio de Janeiro, pelo presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubrabef), que congrega os produtores e exportadores de aves do país, Francisco Turra. O consumo interno atingiu 47,4 quilogramas por habitante/ano (kg por hab/ano), em 2011. Nível de atividade da indústria paulista caiu 11,2% em dezembro O Nível de Atividade da Indústria (INA) paulista caiu 11,2% em dezembro na comparação com novembro, de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), divulgado nesta segunda-feira (30/01), na capital paulista. Na comparação entre dezembro de 2011 com dezembro do ano anterior, houve crescimento de 0,6%. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) caiu 0,5%. Na análise por setores, o pior desempenho foi o dos produtos têxteis, que tiveram queda de 28,9% em dezembro ante novembro.

GERAL | A2

Agronegócio acredita que 2012 será melhor que 2011

Roosewelt Pinheiro/Abr

A 1ª Sondagem de Expectativas para o Agronegócio, divulgada nesta segunda-feira (30/01) pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), aponta otimismo do setor para o ano de 2012: 67% dos entrevistados acham que o ano será melhor do que 2011. A pesquisa foi feita há cerca de dez dias com uma amostra de 100 pessoas ligadas à cadeia do agronegócio, sendo 55% produtores, 25% consultores e 20% fornecedores de insumos e distribuidores.

ECONOMIA | A5

INDICADORES FINANCEIROS MAIORES ALTAS PANAMERICANO TECTOY TEC BLUMENAU DTCOM-DIRECT BICBANCO

MAIORES QUEDAS FAB C RENAUX M G POLIEST AES ELPA SANTANDER BR FII TORRE NO

CÂMBIO

IBOVESPA

MERCADO À VISTA COTAÇÃO 0,75 0,05 1,74 1,05 8,00

COTAÇÃO 0,32 0,11 39,90 0,15 200,00

MAIORES ALTAS* JBS COPEL ELETROBRAS BRASIL TELEC HYPERMARCAS

MAIORES QUEDAS MRV LLX LOG BRASKEM V-AGRO GOL

COTAÇÃO 6,30 40,00 25,31 11,19 10,66

COTAÇÃO 13,64 3,56 15,46 0,36 11,93

Moeda

Compra

Venda

1,6700

1,8100

Dólar comercial 1,7489

1,7494

Dólar turismo

Dólar paralelo

Euro

1,7300

2,2942

2,2959

Ouro (Grama/R$): 220,91

BOM DIA!

EDITORIAL

Não sabemos comer Nós, brasileiros, não sabemos comer. Fato maciço que nos acompanha talvez desde a chegada de Cabral ao generoso litoral da pátria amada. Por exemplo, mesmo com tão extensa faixa litorânea nosso consumo de peixe por cabeça é desprezível, irrelevante. Em compensação, comemos arroz-feijão-massa em excesso. Outro tópico crítico da tão desequilibrada dieta tupiniquim – o baixíssimo consumo de frutas! Como se tivéssemos de importá-las! Ou como se os nossos amplos campos fossem avaros em frutos&frutas. Ou estéreis neste doce item. O nacional frutas não te ligo se amplia ao desprezarmos os suculentos sucos pelos artificiais refrigerantes e suas não pequenas doses calóricas. O pouco consumo de sucos naturais é praticamente acanalhado pela brutal adição de açúcar, replicada no café nosso de cada dia, hora, o campeão brasileiro disparado, o preferido de dez em dez famílias. E as verduras&legumes?! Com algum exagero é possível sustentar que neste imenso pedaço dos tristes trópicos os dois excelente complementos alimentares só entram na nossa dieta como Pilatos no credo... Urge mudar esta triste e incômoda realidade. Aí está algo que deveria mobilizar a sociedade que vê crescer simultaneamente algo com aparência de paradoxo: o brasileiro é cada vez mais gordo e mal alimentado.

CENTRAL DE ATENDIMENTO: 41 3333.9800 CMYK

1,5900

Municípios doParaná Prefeitura inicia obras de revitalização da Praça Vicente Machado A Prefeitura de Araucária iniciou as obras de revitalização da Praça Vicente Machado, também conhecida como Praça Matriz. A primeira etapa prevista na revitalização é a remoção das árvores. Por isso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em cumprimento à legislação, fez a poda dos galhos dos cinamomos e está realizando o corte e a retirada de aproximadamente 15 árvores exóticas da praça.

PÁGINA A4

E-MAIL: PAUTA@INDUSCOM.COM.BR

Cupcake Company vira franquia e inaugura loja Os cupcakes, tradicionais bolinhos da culinária norte-americana e europeia, caíram no gosto dos consumidores e se tornaram uma grande oportunidade de negócio para as empresas paranaenses. PÁGINA B4

EDITAIS NA PÁGINA A7


Geral

“A necessidade é com frequência a espora do gênio.” Honoré Balzac Indústria&Comércio | Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A2 prpress@terra.com.br

Previsão do tempo

Panorama Político

fonte: www.simepar.br

Mín.: 13° Máx.: 27°

Pedro Washington

As condições do tempo se mantém semelhantes no Estado nesta terça-feira. O sol predomina no Estado na maior parte do dia com temperaturas em elevação expressiva em todas as regiões. Novamente o tempo abafado e a presença de umidade atmosférica, são fatores que possibilitam o crescimento das nuvens à tarde, com possibilidade de pancadas de chuvas e trovoadas bastante isoladas entre as regiões sudoeste, centro, sul e leste.

Até que a morte...

serviços públicos

Governo executa R$ 12 mi em obras urbanas no litoral Outras ações estão previstas para melhorar a infraestrutura no PR Jonas Oliveira/AENoticias

O

Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu/Paranacidade), executa um conjunto de obras de infraestrutura nos municípios do Litoral do Paraná, representando um investimento de mais de R$ 12,6 milhões. As obras em andamento beneficiam os moradores dos municípios de Antonina, Guaratuba, Guaraqueçaba, Matinhos e Paranaguá e também os veranistas que frequentam o Litoral do Estado. De acordo com o secretário do Desenvolvimento Urbano, Cezar Silvestri, as obras de pavimentação e recape asfáltico irão contribuir para melhorar o fluxo de veículos nas vias urbanas e os projetos nas áreas da saúde e social oferecerão melhor qualidade de vida à população residente e também aos veranistas. “Com isso, atendemos recomendação do governador Beto Richa, no sentido de oferecer serviços públicos de qualidade no Litoral paranaense”, disse. Em Antonina, estão em execução as obras de ampliação e reforma do Hospital Municipal Dr. Silvio Bittencourt Linhares. O valor investido é de aproximadamente R$ 3,8 milhões.

Polícia em crise

Apesar dos entendimentos em andamento nas polícias civil e militar do Paraná, que dialogam com o governo cobrando a aplicação da emenda 29, que incorpora algumas vantagens, setores policiais não andam de boa veia. O incidente de sexta, com a invasão de um cassino clandestino, fez aflorar uma crise no setor. “Ação de milicianos” classificou o Chefe da Polícia Civil.

Obras de ampliação e reforma do Hospital Municipal DR. Silvio Bittencourt Linhares, localizado na Avenida Thiago Peixoto em Antonina.- Antonina/PR

O projeto prevê um novo ambulatório, centro cirúrgico, UTI semi-intensiva, pronto atendimento (com sala de Raio X), farmácia, laboratório, sala de fisioterapia, enfermaria, berçário, central de esterilização, salas para a administração, centrais de gases, subestação transformadora e guaritas. Um Centro da Juventude está sendo construído na Vila dos Comerciários, em Paranaguá, e conta com um investimento no valor de R$ 2,4 milhões. Com 2.541 metros quadrados, a obra prevê a execução de um bloco principal com salas de múltiplo

uso, auditório, biblioteca, cozinha, copa, depósito, circulação e vestiários. Também haverá área de estacionamento, pista de skate, anfiteatro, piscina e quadra esportiva coberta. CENTROS - Em Matinhos, estão em andamento as obras de três Centros de Convivência da Pessoa Idosa nos balneários Gaivotas e Banhomar e no Jardim Royal, e um Centro de Referência de Ação Social. Os investimentos somam cerca de R$ 1,1 milhão. O projeto de cada uma das unidades de Centro de Convivência prevê uma área de 195

metros quadrados, com dois blocos unidos por um pátio coberto, contendo salas de atividades e de administração, cozinha, banheiros, área de serviço e abrigo de gás. O Centro de Referência de Assistência Social terá área de 103 metros quadrados, com área para recepção, duas salas de atendimento, administração, copa e sanitários. Guaratuba está sendo beneficiada com a execução de pavimentação asfáltica, num investimento de cerca de R$ 4,2 milhões, e também com obras de recapeamento, com recursos no valor de R$ 261 mil.

Projeto prevê mais rigor na fiscalização de construções “Por mais que o município de Curitiba esteja sempre na vanguarda de iniciativas visando o desenvolvimento de ações voltadas ao bem-estar social de seus cidadãos, há necessidade de impor maior rigor na fiscalização das construções existentes na capital, considerando os acidentes ocorridos em várias cidades brasileiras.” A afirmação é do presidente em exercício da Câmara Municipal, vereador Tico Kuzma (PSB), que apresentou, nesta segunda-feira (30), projeto de lei determinando que alguns tipos de edificações devem sofrer vistorias técnicas e manutenções periódicas. O objetivo é evitar danos materiais e principalmente pessoais, ocasionados por acidentes devido à depredação dos elementos que compõem as construções. De acordo com o documento,

Um curioso levantamento realizado por um grupo de estudos da Universidade de São Paulo concluiu que em 2011, 90% dos projetos apresentados pelo governo na Câmara Federal foram acompanhados pelos “partidos aliados”, comandados pelo PT. O mesmo estudo feito nos governos de FHC provavelmente teria obtido resultado semelhante. Um dos defeitos de nossas democracias, periodicamente interrompidas por golpes de estado – a atual já resiste há 27 anos – é ter inúmeros partidos, quase 30, com vocação governista. É da essência da política a busca do poder. Quando não conseguida pelo voto, acontece pela cooptação que sempre é feita em nome da “governabilidade”. Numa comparação grotesca, o termo poderia ser comparado a uma mesa farta de jantar, onde alguns convivas vencedores confraternizam. Os demais ficam ao redor catando o que cai. Um empreguinho aqui, uma verbinha ali e a roda gira. Não por acaso poucos partidos fazem aposição com obstinação, cumprindo a missão que as urnas lhes deram ao derrotá-los. Aqui no Paraná, recentemente, não tardou para o grupo derrotado aproximar-se do poder. Os mais conectados em política facilmente irão identificá-lo. “É da índole do partido estar sempre no governo aqui e lá em Brasília”, afirma-se. Assim como fizeram alguns tucanos quando Requião derrotou o grupo de Jaime Lerner a quem prestavam aparente fidelidade. De qualquer forma, a comparação hoje presente entre a política partidária que se pratica por aqui e a americana, por exemplo, em grande evidência no momento, deixa claro que ou se produz a desejada reforma política ou não teremos partidos consolidados em torno de programas. Lá como aqui há dezenas de pequenas agremiações que gravitam em torno de duas. A decisão de ser “democrata” ou “republicano” porém, é como casamento antigo.

as edificações com três ou mais andares destinadas ao uso habitacional, comercial e de serviços e, ainda, os edifícios de uso industrial, institucional, escolas, igrejas, auditórios, teatros, cinemas, shoppings e locais para eventos e espetáculos, além de prédios e instalações que abriguem inflamáveis, explosivos ou produtos químicos agressivos, deverão passar por vistorias técnicas e realizar a devida manutenção preventiva e periódica. Vistoria - Segundo o vereador, muitas construções depois de prontas e ocupadas não recebem nenhum tipo de vistoria técnica para avaliar o seu estado geral de conservação e também a sua segurança estrutural. A responsabilidade de contratar estas vistorias será dos proprietários ou síndicos e serão realizadas por

O Hospital Sírio Libanez em São Paulo tem sido palco de encontros inesperados. Como o do ex-presidente Lula (PT) que ali faz tratamento, do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que veio fazer revisão de seu câncer linfático e do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que foi visitá-los.

Ano crítico

A quarta-feira vai ser de suspense na área jurídica. Entra em julgamento no STF a ação que pede limites ao CNJ, hoje em aberto conflito com a associação dos juizes brasileiros. Também as atividades do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) estão na mira dos juizes. O julgamento do “mensalão” previsto para este ano aumenta a tensão.

FOLCLORE POLÍTICO

Na semana, a função dada à ministra Gleisi de comandar as ações do governo, foi lembrada como fato ocorrido aqui no governo de Canet Jr. que, governou como empresário, com o governo sob seu absoluto controle. No computador, o que por ser de conhecimento de todos, com cobranças permanentes, evitava malfeitorias. A coluna contou um episódio ocorrido com o então prefeito de Toledo, Duílio Genari. Encontrou-se ele com Canet no aeroporto de Foz. O governador saudou-o lembrando de obra recém autorizada. “Já está tocando o convênio, Duílio?”. Meio constrangido este comentou: “Olha governador. Não assinei. Sua equipe não fez como o senhor combinou”. No dia seguinte Duílio recebeu um telefonema. Era a assessoria chamando-o para assinar o convênio. Do jeito que tinha sido combinado. Uma reclamação: “Prefeito. O senhor não precisava ter reclamado para o governador!” Duílio não deixou por menos. Com seu linguajar italianado respondeu: “E pra quem você queria que eu reclamasse. Pra nona!?”

EXPEDIENTE O objetivo é evitar danos materiais e principalmente pessoais, ocasionados por acidentes devido à depredação dos elementos que compõem as construções

profissionais ou empresas habilitados e registrados no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-PR) e na prefeitura municipal. “A primeira vistoria técnica deverá ocorrer contado o prazo

de cinco anos a partir da data de expedição do Certificado de Vistoria de Conclusão de Obras ou da ocupação do imóvel e uma nova vistoria técnica e novo laudo técnico deverão ser executados a cada cinco anos.

Informe da Câmara Municipal de Curitiba Vereadores acompanham ações na área da saúde A nova ala pediátrica do Instituto Curitiba de Saúde (ICS) foi inaugurada nesta quinta-feira (26), quando também foi assinado, pelo prefeito Luciano Ducci, o decreto que garante aos servidores do órgão remuneração mensal relativa ao PPQ (Programa de Produtividade e Qualidade). Os vereadores Professor Galdino (PSDB) e Julieta Reis (DEM) acompanharam a solenidade e comentaram sobre as ações nesta área e também na educação, segurança e outras, que têm recebido investimentos.

Não programado

De acordo com a prefeitura, a pediatria, que atende em média três mil pacientes por mês, contará, agora, com nove consultórios, sala de pré-consulta e sala de acolhimento, distribuídos em um espaço de 250 metros quadrados. A inauguração também foi comentada pela diretora-presidente do ICS, Ana Schneider Gondim, que destacou a importância do trabalho desenvolvido pelos servidores do ICS. O instituto presta serviços médicos e odontológicos a quase

77 mil servidores públicos municipais dentre servidores ativos, inativos, seus dependentes e pensionistas. No último ano, foram realizadas mais de 27 mil consultas, em uma média superior a dois mil atendimentos mensais. O corpo clínico é composto por 130 médicos, 12 enfermeiros, 53 dentistas, 64 auxiliares de consultório odontológico, 49 auxiliares de enfermagem, 14 fisioterapeutas, cinco psicólogos, três nutricionistas, dois fonoaudiólogos e seis assistentes sociais.

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Administração Irene Morva Martins (diretoria@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.


GeralEstadual Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A3 | Indústria&Comércio

aroldo@cienciaefe.org.br

Aroldo Murá G.Haygert

RETRATO DO DIA

AFINAL, O QUE É A PRONÚNCIA ÍTALO-ECLESIAL? Um estudioso – na verdade, um erudito, que sabe quase tudo de tudo – do linguajar dos europeus no Sul, assunto abordado na coluna de ontem, para analisar a fala paranaense (e curitibês, em particular) encaminha as seguintes considerações à coluna: “O fenômeno fonético “italo-eclesial”, muito generalizado entre descendentes de italianos no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e um pouco menos no Paraná, decorre da religiosidade desses imigrantes. Religiosidade praticamente absoluta entre as mulheres e mais diluída entre os homens, muitos vindos do país de origem portando idéias anti-clericais, com tendências socialistas e anarquistas.

mais isoladas, quanto difundido em transmissões radiofônicas. Trata-se de mistura do dialeto vêneto com palavras do italiano culto e palavras portuguesas, em diversas formas de influência e combinação, além de neologismos. Curiosamente, este fenômeno restringe-se às comunidades rurais ítalo-brasileiras do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, sem se manifestar no Paraná, mesmo nas vastas regiões do sudoeste ocupadas por gaúchos ítalo-brasileiros. A pronúncia ítalo-eclesial, entretanto, está presente em vários municípios da Região Metropolitana de Curitiba e mesmo na Capital, como é o caso do bairro de Santa Felicidade.

APRENDENDO NAS MISSAS

Resta estudar o caso de Estados como São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, onde também aportaram, no final século XIX e início do século XX, grandes levas de imigrantes italianos. Ao contrário dos vênetos, que procuraram os Estados mais frios do Sul, mais compatíveis com o clima ao qual estavam acostumados, os italianos que se dirigiram aos demais Estados eram predominantemente do sul e da Itália central, salientando-se napolitanos e calabreses majoritários em S.Paulo. As características da imigração nesses Estados parecem ter sido marcadas, além de outras contingências, pelo pequeno número de padres que acompanhou os imigrantes. Com a língua portuguesa falada por oficiantes brasileiros ressoando nos altares e nos púlpitos foi-se “abrasileirando” rapidamente a pronúncia dos recém-chegados. Em S.Paulo, o falar dos imigrantes incorporou a prosódia paulista, às vezes com pronúncia meio “cantada” do modo de falar napolitano e siciliano.

Mas deve-se observar que entre as concepções ideológicas e a prática política – excetuando-se alguns poucos militantes. engajados até em atos terroristas, como o célebre Gigi Damiani – grande era a distância. É o que bem retrata o próprio título do livro de memórias de Zélia Gattai, mulher de Jorge Amado “Anarquistas, graças a Deus”. Muitos “esquerdistas” punham seu terno azul-marinho e participavam das missas dominicais, pelo menos para acompanhar a família. E o grande aprendizado da nova língua desenrolava-se no culto, quando os padres deixaram de rezar a missa no idioma da terra de origem.

A INFLUÊNCIA VÊNETA

E EM OUTROS ESTADOS?

A FALA DE ADONIRAN

Mesmo no meio urbano cosmopolita, entretanto, desenvolveuse um típico linguajar no bairro do Brás, que está mais para Adonirã Barbosa do que para qualquer influência eclesiástica. Nas grandes concentrações urbanas, em todos os Estados brasileiros, o sotaque logo se diluiu na forma prosódica, culta ou popular, com que é falado o português no Brasil.

AINDA DE ITALIANOS

Dançarinos de folclore italiano, interpretando A Tarantela

Observe-se que os sacerdotes e colonos, nos três Estados sulinos, eram predominantemente procedentes da região do Vêneto, Norte da Itália, plasmando-se o linguajar ítalo-eclesial com influência das palavras ou pelo menos da entonação dialetal, tudo escandido no rítmo de orações, jaculatórias e sermões. Explica-se esse aprendizado nas missas considerando-se a circunstância de que a maioria dos camponeses italianos que chegaram ao Brasil não era alfabetizada, principalmente as mulheres. Assim, aprenderam a nova língua “ouvindo” e não “lendo”. Mesmo que na época a missa fosse em latim, a pronúncia dos padres era italiana, afetando também a parte falada em português, como o sermão e a leitura do evangelho.

NO RS, SURGE O “TALIAN”

No Rio Grande do Sul e Santa Catarina, incorporando a prosódia “ítalo-eclesial”, desenvolveu-se mais recentemente um novo fenômeno linquístico, o “Talian” , usado tanto por comunidades

ENSINO BILÍNGUE EM CRESCIMENTO

Os primeiros frutos de uma escola bilíngüe inglês/português em Curitiba estão visíveis em homens e mulheres que hoje andam na casa dos 60/70 anos anos. Corresponde ao período – a partir de 1959 - quando começou a funcionar a Escola Internacional de Curitiba, sobre cuja história, nas suas raízes, há poucas referências. A segunda e definitiva fase (bem documentada) da Escola Internacional de Curitiba aconteceu no início dos 1980, com a inauguração da sede no Bom Retiro, num casarão de estilo eclético assentado sobre amplo terreno. Hoje ali funcionam o maternal e jardim de infância da Escola Internacional. O novo campus localiza-se em Santa Felicidade, moderníssimo, com todas as facilidades que fazem as delícias das crianças e jovens que formam seu público-alvo: cafeteria, campo de futebol, teatro, pistas esportivas, instalações com laboratórios, etc. Ali estudam alunos que vão até o décimo segundo grau, ao final do qual podem receber o chamado bacharelato internacional. É o certificado de reconhecimento pela conclusão do sênior high school, aceito internacionalmente.

Fontes confiáveis admitem que o Estado brasileiro com maior número de descendentes de italianos é o Espírito Santo, e não São Paulo, como muitos acreditam. Segundo essas fontes, pelo menos 60% da população capixaba tem origem italiana, marcadamente identificada a partir do século 19.

POSITIVO BILÍNGUE

O Grupo Positivo, de Oriovisto Guimarães, assim atende a essa realidade que se impõe: o seu curso bilíngüe passou a existir este ano, as aulas começam em 6 de fevereiro. O seu funcionamento será no Colégio Positivo Junior, no Champgnat, para alunos da primeira a oitava série. Os inscritos, até ontem, eram 200 alunos, que freqüentarão as aulas em período integral. “O aluno sairá do oitavo ano fluente em inglês,” garante um dos dirigentes do curso bilíngue.

OUTRAS EXPERIÊNCIAS

Duas experiências já sólidas de ensino bilíngüe ocorrem em escolas católicas: uma, no Bom Jesus Internacional, na região de Pinhais, na Estrada da Graciosa. O colégio assenta-se em terreno

AB Notícias

abnoticias@abcom.com.br

TECNOLOGIA DAQUI A região dos Campos Gerais tem atraído técnicos de agricultura e pecuária de diversos países devido a tecnologia na produção de leite e a técnica do plantio direto. Um grupo de canadenses vai fazer visitas técnicas a propriedades em Castro nesta semana. Em fevereiro e março, estão programadas visitas de profissionais americanos. Um dos destaques é a Castrolanda, que atrai os técnicos estrangeiros pela excelência na produção leiteira.

VIAS SEGURAS As rodovias estaduais do Vale do Ivaí, Norte do Estado, receberão 38 milhões de reais nos próximos dois anos. A verba do Departamento de Estrada e Rodagem será investida em reparos e conservação do pavimento e também na limpeza de canaletas, bueiros e serviços de roçagem. O objetivo é garantir mais segurança para os motoristas que passam por ali. As licitações devem ser feitas até março e as obras iniciam entre maio e junho.

PEPINO DE MATELÂNDIA O município de Matelândia, no Oeste, investe na diversificação como ferramenta para aumentar a renda nas propriedades rurais. Uma das opções é o cultivo de pepino, que será industrializado na região pela Cerme. Com isso, a prefeitura dará subsídios a quem desejar investir no plantio do legume em escala comercial. O objetivo é gerar mais ganhos para o campo, beneficiando os produtores.

MUITOS IMPOSTOS Dom Pedro Fedalto: exemplo de fala “ítaloeclesial”

de 3 hectares de terra. A escola, integral, dispõe-se a formar alunos dentro das propostas técnica, tecnológica e teológica, “no espírito franciscano”, que é de valorização do ser humano, como diz o site do colégio. COLÉGIO EVEREST A outra experiência desenvolve-se desde o final dos anos 1990, é o Colégio Everest, na Ecoville. Foi fundado e é mantido por uma entidade católica internacional (escolas e universidades em vários países) ligada ao Movimento Regnum Christi (e Legionários de Cristo). É dirigido por mulheres, as chamadas “consagradas do Regnum Christi”, boa parte oriunda de países de língua espanhola. A formação é dada em inglês-português. Quando estiver plenamente implantado, o colégio deverá fornecer diploma de segundo grau reconhecido internacionalmente. O Everest é considerado, em meios educacionais, uma certa “réplica” de antigas escolas católicas voltadas para elites econômicas.

O SUIÇO-BRASILEIRO

Os brasileiros pagaram valor recorde de impostos e contribuições no ano de 2011. Segundo a Receita Federal, a arrecadação federal somou R$ 969,907 bilhões de reais, um aumento de mais de 143 bilhões em relação a 2010, representando uma alta de cerca de 10% em relação ao ano anterior. Dois tributos, o IRPJ e o CSLL, que incidem sobre o lucro das empresas, apresentaram alta de 12,82%. A arrecadação de ambos representa R$ 166,63 bilhões.

COURO E EMPREGOS O município de Apucarana, Norte do Estado, ganha destaque com o segundo maior volume de produção de couro do Paraná. Algumas empresas chegam a gerar centenas de empregos, como é o caso da KPS Industrial, que está a dois anos funcionando ali e já abriu 400 vagas de trabalho na cidade. Outra que se destaca é a BSB Safety, que gera 500 empregos na fabricação de calçados de segurança.

ARTE DOS CAMPOS GERAIS Castro será a primeira cidade dos Campos Gerais a ter obras de uma artista expostas no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. Dorothea Wiedemann tem hoje 250 obras que serão catalogadas, entre gravuras, tapeçarias e aquarelas que estão expostas na Casa da Cultura de Castro. Para o MON, serão selecionadas 50 peças, especialmente de xilogravura. Em sua obra, valoriza a diversidade cultural e os detalhes. Já realizou exposições nos Estados Unidos e no Japão.

BOA COMIDA

ENSINO BILÍNGUE - 2

A nova sede de Santa Felicidade foi lançada em 2009, com a presença de Beto Richa e Jaime Lerner. A Lerner foi dedicada uma placa de agradecimento, colocada no campus, em reconhecimento ao empenho que ele fez em diversos momentos em favor da instituição de fins não lucrativos, quando prefeito de Curitiba e como governador. Agora, as escolas e cursos bilíngües vão sendo ampliados, como conseqüência mais ou menos ‘natural’ da globalização que diminui fronteiras, ampliando a necessidades do manejo de línguas essenciais, como o inglês. E também para atender a centenas e centenas de família que para cá se deslocaram para trabalhar em multinacionais. O Grupo Positivo é o exemplo dessa preocupação.

ANA CLARA CASTOR LOHMANN, dupla cidadã, brasileira e alemã, no colo da avó Elizabeth Castor, embarcando para a Alemanha, depois de visitar os avós, Belmiro e Elizabeth Castor. Registro de um “até logo”.Volta em março, para ser batizada em Curitiba.

O programa Restaurante Popular vem fazendo sucesso em Maringá. Em um ano e cinco meses de funcionamento, o local oferece mil refeições por dia ao valor de R$ 1,50. A ideia agora é ampliar o programa para os bairros da cidade, trazendo o local para mais perto da população. Além dos baixos preços, há um investimento também na boa qualidade do que é servido. O local atende principalmente a pessoas de baixa renda, aposentados e estudantes.

Colégio Suíço-Brasileiro: sem luxos. Eficiência

De todas essas escolas e cursos internacionais, com ensino bilíngüe em Curitiba, o de maior projeção nacional deve ser o Colégio Suíço-Brasileiro. Tem status não exatamente de oficial do governo suíço, mas conta com seu apoio explícito. É similiar ao Colégio Suíço-Brasileiro localizado em São Paulo. O nosso Suíço-Brasileiro existe há pelo menos 30 anos, funciona em Pinhais, na área urbana. Ao contrário dos outros bilíngues, a aparência do Suíço-Brasileiro é simples, sem apresentar instalações luxuosas. As aulas, em período integral, são dadas, desde o jardim de infância, em alemão e português, com o rigor da pedagogia germânica. Os resultados conseguidos por seus ex-alunos em universidades européias e brasileiras “são alentadores, o que nos alegra a continuarmos assim como somos”, diz uma das diretoras do colégio, pedindo para não ser identificada. Grande parte dos alunos é oriunda de famílias de profissionais estrangeiros que trabalham em indústrias em Curitiba e RMC, mas bom número desses estudantes tem origem em famílias da Capital e cidades da região.

SEMENTE PODEROSA De origem mexicana e consumida há mais de 2 mil anos, a Chia, alimento rico em ômega 3, ganha cada vez mais espaço na mesa dos brasileiros. Além de contribuir para a saciedade, fazendo com que as pessoas percam peso, ela também é importante fonte de fibras, proteínas, minerais e antioxidantes. Suas proteínas possuem alto valor biológico, ideal para a prevenção de diabetes, pressão alta e obesidade.

AULAS COMEÇANDO Nesta semana que antecede a volta às aulas, professores e Iporã, no Noroeste, estão realizando cursos de capacitação e reciclagem. Outros profissionais da área de educação também participam. O objetivo é programar as atividades do ano, proporcionando aos alunos educação de qualidade. Cerca de 1200 estudantes voltam para as salas de aula no dia 8 de fevereiro, incluindo os inscritos na Educação de Jovens e Adultos.


Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A4

LAPA Objetos arqueológicos são encontrados durante obras

PINHAIS

Prefeitura começa nova etapa de limpeza dos rios Município investiu em máquinas para auxiliar na limpeza

Objetos do início do século passado estão intactos

No segundo semestre de 2010 durante as obras do Parque Linear onde está localizada a Fonte do Campo, foram encontradas mais de duas mil peças de objetos utilizados PR moradores da Lapa em séculos passados. A construção da praça e a restauração da Fonte do Campo fazem parte do programa de melhorias na infra-estrutura urbana da Prefeitura Municipal da Lapa das obras do Parque

Linear. Como a área onde se encontra a fonte constitui um importante ponto que remete ao processo de ocupação urbana, foi necessário ter durante as obras no local, um acompanhamento arqueológico. Esse procedimento foi importante para obter informações de como era a utilização do espaço da Fonte do Campo, quanto da estrutura de abastecimento de água de épocas anteriores.

Balsa Nova Conheça as candidatas a Miss

A Festa do Milho que é realizada para comemorar a emancipação política de Balsa Nova, também é o cenário da escolha da Miss Balsa Nova. Todo ano o desfile é realizado e reuni as mais belas mulheres da cidade. Ao todo já foram escolhidas 16 meninas e em sua 17ª

edição os organizadores prometem surpresas. A noite de sexta-feira da comemoração na cidade é com certeza o dia mais glamoroso do evento. Na edição de 2012 os jurados devem ser compostos por diferentes classes da sociedade. Participam do concurso 17 meninas

As obras de limpeza e desassoreamento dos rios de Pinhais continuam. A nova etapa está sendo coordenada pelo Instituto das Águas do Paraná, e compreende os trechos da Estrada da Graciosa até a Rua Apucarana, no bairro Emiliano Perneta, e da Rua Cassiano Ricardo até a foz do Atuba no bairro Vargem Grande. A ação do Estado também contempla outros rios e canais da Região Metropolitana. As empresas trabalham de segunda a sábado e são fiscalizadas diariamente por engenheiros do AguasParaná. Os solos retirados passam por um processo de separação dos resíduos sólidos, que são encaminhados para aterros sanitários. Além do desassoreamento, está sendo realizada a poda da vegetação que impede o fluxo das águas e retém lixo.

As obras de limpeza dos rios de Pinhais iniciaram em 2009 após anos de espera. Receberam manutenção e intervenção da Prefeitura os rios, Iraí, Palmital e mais recentemente o Atuba. As obras de retirada de solo têm

como objetivo minimizar os problemas com cheias e alagamentos, que eram constantes nos bairros próximos aos rios. Em 2011 a Prefeitura investiu R$619 mil na compra de uma retroescavadeira hidráulica

Long Reach com capacidade de alcance de 15 metros, adequada para a limpeza e desassoreamento. Com a aquisição deste maquinário o município pode realizar manutenções constantes nos rios de Pinhais.

ARAUCÁRIA

Prefeitura inicia obras de revitalização da Praça Vicente Machado A Prefeitura de Araucária iniciou essa semana as obras de revitalização da Praça Vicente Machado, também conhecida como Praça Matriz. A primeira etapa prevista no projeto de revitalização é a remoção das árvores. Por isso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), em cumprimento à legislação ambiental em vigor (Portaria nº 51 SEMA/IAP), fez a poda dos galhos dos cinamomos e está realizando o corte e a retirada de aproximadamente 15 árvores exóticas da praça. As espécies de pinheiro, erva-mate, jacarandá, pau-ferro e palmeira permanecerão no local. Grande parte das árvores que estão sendo cortadas são

alfeneiros que estão com problemas de parasitas (erva de passarinho) ou com o tronco oco, o que significa risco de queda e, portanto, precisam ser retiradas. Além disso, trata-se de uma espécie exótica inadequada para o plantio em área urbana. A segunda e a terceira etapas do projeto de revitalização incluem a instalação de novos canteiros e o plantio de mudas e árvores. Ao final das obras, a SMMA irá plantar mais de 20 mudas de árvores na praça de espécies como dedaleiro, ipê e aroeira-salsa. No início da próxima semana, a Praça Vicente Machado será cercada por tapumes para

que as obras sejam iniciadas. O acesso da população será possível apenas pela rua ao lado do módulo policial ou em frente à agência do banco Itaú. Nesse período de obras, os ambulantes serão realocados do meio

para a lateral da praça e usarão barracas fornecidas pela Prefeitura para vender seus produtos, conforme acordado durante reunião entre os ambulantes e as secretarias de Finanças, Meio Ambiente e Urbanismo.

VINO VITA EST.

Osvaldo Nascimento Júnior osvaldopinheiro@gmail.com

O ENOTURISMO NAS VINHAS DAS AMÉRICAS

Estamos em plenas férias de verão em nosso hemisfério, e como já frisamos em nossa matéria passada, PAUSAS SÃO NECESSÁRIAS, onde citamos e fazemos questão de citar novamente o grande pensador italiano DOMENICO DE MASI em sua obra máxima O ÓCIO CRIATIVO que diz “O cérebro precisa de ócio para produzir idéias. Férias, teatro, cinema, VIAGENS, são necessários, NÃO PERDA DE TEMPO, MAS ESTÍMULOS, O FUTURO É DE QUEM EXERCITARÁ O ÓDIO CRIATIVO”. O mundo nos oferece opções variadas em turismo, para cada gosto uma sugestão, religioso, cultural, trabalho, cursos e não poderia deixar de ter o nosso ENOTURISMO, ou até melhor, o ENOGASTROTURISMO, uma “ assemblage” (mistura) do que existe de melhor Vinho com Gastronomia, para os apreciadores das boas coisas da vida. E isto, o mundo tem muito a oferecer, campos cobertos de parreirais aliam cultura, sabedoria e o espírito do lugar e matam a sede do turista em busca de sabores e paisagens do vinho . E, ao redor do mundo, turistas adaptam esse roteiro aos seus interesses, indo de uma vinícola à outra, de uma região produtora tradicional para algum integrante do novo mundo enológico. Para iniciarmos nossa ENOVIAGEM destas férias, vamos iniciar pelo nosso continente americano, que também semeia apreço por vinícolas, para mostrar em poucas palavras, o que acontece no Novo Mundo, que também é de Baco, focalizando os Estados Unidos, lá em cima, onde muitos desconhecem seu potencial em vinhos. Para os Cinéfilos (amantes do cinema), é mais fácil a indicação. Todos assistiram o filme” SIDEWAYS – ENTRE UMAS E OUTRAS” que versa sobre a história de dois amigos que, de carro, visitam as famosas vinícolas ao sul da California, Napa Valley , Sonoma , degustando aqueles belos vinhos, sendo que um deles só toma PINOT NOIR, cuja transformou-se na vedete vínica, a primeira uva estrela de cinema, apesar da Cabernet Sau-

CMYK

vignon ser aí a tinta mais difundida, com 23% do parreiral rubro e a Pinot Noir 3,7%, num filme sem compromissos, leve, que transformou-se em sucesso mundial, arrebatando até um Oscar em 2005 de melhor roteiro, cujo recomendamos. Pois desde que o filme transformou-se em sucesso pelo mundo, houve um desvio da rota vínica ao sul da Califórnia, pois quando mencionava-se vinhos nos Estados Unidos, o primeiro pensamente era para os excelentes vinhos de Napa Valley , distantes 80kms. ao norte de San Francisco, começando na Baía de San Pablo – um reentrância da imensa e bela Baía de San Francisco – e se estende por mais ou menos 50 Kms. até a cidade de Calistoga, com suas megas e minivinícolas, também com sua típica uva ZINFANDEL, a casta que tornou-se a uva emblemática dos Estados Unidos, originária da Europa, “vitisvinifera” sua origem foi descoberta há pouco tempo,sendo a Primitivo da Puglia, no sul da Itália, chamada pelos Croatas de Crljenak, dá tintos poderosos, possuindo até um fã- clube para sua degustação, ocupa hoje 20% na preferência passando para o segundo lugar empurrada pela Cabernet Sauvignon, e nas brancas o parreiral californiano de cepas claras atingiu, 42% do total colhido para vinho, sendo a variedade mais plantada do Estado, é a Chardonnay representando 44%, e complementada pela Sauvignon Blanc(ou Fumé Blanc) com 5,8% e a mesclada com Sémillon, conforme dados de nosso enófilo –Mór, meu chará JOSÉ OSWALDO ALBANO DO AMARANTE, Com uma paisagem bucólica, vegetação luxuriante , requintadíssimos hotéis e restaurantes, o Vale do Napa (quer dizer “abundancia” na língua dos índios wrappo, que habitavam o lugar) é uma espécie de Borgonha nos Estados Unidos. Há quem considere essa comparação exagero, que contaminou até o escritor Robert Louis Stevenson, com o que ele chamou de “poesia engarrafada” seus vinhos, hoje comparáveis aos franceses.

O bucólico Vale de Santa Ynez, ao sul do Estado, a 45 minutos de Santa Bárbara e a duas horas de Los Angeles, tem hoje as mais altas taxas de ocupações nos hotéis, e as salas de degustações, registram um aumento de mais de 60% no movimento dos enoturistas que percorrem as estradas margeadas por plantações de uvas, pelas cercas de 60 vinícolas que se espalham pelo Vale. Em nossa visita à região, movidos também pela curiosidade advinda pelo filme e como Andarilho do Mundo Vínico ( WineGlobetrotter), onde nestas últimas décadas venho alternando constantemente três ações fundamentais de aprendizado: “LER,”VIAJAR” e DEGUSTAR, pudemos constatar as maravilhas das paisagens, e a organização das vinícolas bem como a qualidade do vinho servido. Como podem notar caros leitores(as) aqueles que conseguem fugir com criatividade do circuito Miami/Nova York (os Estados Unidos tem muito mais a oferecer do que isto, para sempre repetir o mesmo), indo a Los Angeles, estão a duas horas deste paraíso vínico inesquecível, tentem na próxima, disponham. Mas a par da novidade da nova região descoberta no MONDOVINO nos Estados Unidos, ainda Napa Valley, O VALE DOS PRAZERES, na Califórnia é a estrela vínica do país e referência mundial. Visitá-la é adentrarmos num mundo diferente do que conhecemos em vinícolas pelo mundo, conhecido como um dos vales com vitivinícolas do mundo e recebe mais de 5 milhões de enoturistas anualmente. Cerca de 300 vinícolas operam nesse Vale verdejante que engloba vinhas em Santa Helena, Napa, Oakville, Rutherfor e Yountville. E claro, o Vale tem suas estrelas. A maior delas fica em Oakville, é a ROBERT MONDAVI, de 1966, que tem vinhos finos, bem caros e uma estrutura grandiosa. Há outras famosas como Niebaum –Coppola que pertence em parte ao famoso diretor de cinema Francis Ford Coppola e Beringer de 1876, a primeira a organizar os

ENOTOURS. São todas maravilhosas e altamente organizadas, e colocou os Estados Unidos no mapa da enogastronomia mundial, onde mistura o charme rural à sofisticação das vinícolas em estilo europeu. Para se ter uma idéia da enormidade disso, basta lembrar que o Brasil –com seus oito mil kms de litoral maravilhoso e inigualável no mundo como o nosso Nordeste, floresta amazônica e cultura peculiar – só recebe por ano, em média cinco milhões de estrangeiros. Como se nota, é preciso fazer muita coisa para chegarmos aos pés não só dos Estados Unidos, mas da Argentina e Chile como veremos nas próximas matérias. E o vinho faz parte da vida dos americanos como se pode notar em filmes que em quase todas as refeições o vinho faz parte, por isso tem um consumo per capita de 09 litros por pessoa/ano. A França tem 60 litros, a Itália 49 e nós ainda 2.0, mas estamos avançando a cada ano, mudando a cultura dos brasileiros, trabalho esse que nós, enófilos fazemos e mostramos através de publicações especializadas como esta nossa Coluna VINO VITA EST, onde há o reconhecimento por parte de seu Diretor Fundador Sr; Odone Fortes Martins, que honrou-nos com o convite, para trazer a cultura vínica à este Jornal Indústria e Comércio aos seus leitores, e mais palestras, cursos que fazemos,orientando nossos leitores(as), viajando, praticando o ENOTURISMO , conhecendo e trazendo a todos vocês este mundo maravilhoso de Baco. Que sejamos o país da cerveja, mas que cresçamos também na cultura de Baco. Tudo é uma questão de CULTURA. VINHO. VOCE MERECE ESTE MOMENTO EM TODOS OS CANTOS DO MUNDO. Celebremos a vida com um brinde à arte de viver, com felicidades e descobertas a cada garrafa. AVOE- BRADO DE EVOCAÇÃO Á BACO PR SEUS SÚDITOS.


Economia Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A5 | Indústria&Comércio

EMPRESAS

Inadimplência em 2011 foi a maior dos últimos 2 anos Indicador teve alta de 19% em 2011 ante uma queda de 3,7% em 2010 O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas teve alta de 19% no ano passado ante uma queda de 3,7% em 2010. Na comparação entre dezembro de 2011 e o mesmo período de 2010, houve um aumento de 23,7%. Sobre novembro, no entanto, a taxa diminuiu 4,1%, o que “pode ser um sinal de que a inadimplência das empresas está perdendo fôlego”, acreditam os economistas da Serasa

Experian. Ao longo do ano passado, as empresas tiveram mais dificuldades para pagar em dia as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água). Sobre 2010, o atraso nesses pagamentos aumentou 28,3%. O valor médio atingiu R$ 744,01, o que significa uma elevação de 2,2% ante o registrado no ano anterior.

Dívida Pública Federal sobe 1,79% em dezembro e alcança R$ 1,866 tri

PROJEÇÃO

A Dívida Pública Federal (DPF) cresceu 1,79% em dezembro, comparado a novembro, e soma R$ 1,866 trilhão. Houve, portanto, aumento nominal de R$ 32,81 bilhões no último mês de 2011, de acordo com relatório divulgado nesta segundafeira (30/01) pela Secretaria do Tesouro Nacional. No acumulado do ano passado, a DPF cresceu 10,17%, o equivalente a R$ 172,3 bilhões. O crescimento da dívida pública no mês passado resultou da emissão de R$ 38,66 bilhões em títulos – dos quais 78,68% com remuneração prefixada – contra resgates de títulos no valor de R$ 25,92 bilhões. Essa operação resultou em uma emissão líquida de R$ 12,74 bilhões em títulos, que se somaram aos R$ 17,49 bilhões pagos em juros no mês para aumentar a dívida. O aumento do endividamento em 2011 foi resultado das despesas com juros, no valor de R$ 211,52 bilhões, e de menos resgates líquidos de títulos em poder de terceiros, no total de R$ 39,20 bilhões. No geral, os resgates foram de R$ 84,20 bilhões, neutralizados, em parte, pela capitalização de R$ 45 bilhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Na composição da dívida total, 95,54% se referem à dívida interna (DPFi) e 4,46% à dívida externa (DPFe). O Tesouro conseguiu, ao longo de 2011, reduzir a participação percentual da dívida interna, em razão, principalmente, do aumento gradativo da emissão de títulos com remuneração prefixada, enquanto as demais modalidades de correção caíram. Os títulos corrigidos por taxas prefixadas equivalem a 38,28% do total da dívida, equivalentes a R$ 682 bilhões, enquanto 31,7% (R$ 565 bilhões) são remunerados por taxas posteriores, determinadas pela variação da taxa básica de juros (Selic), e 29,6% (R$ 527 bilhões) são atrelados a índices de inflação. Resta ainda um residual de 0,4% de títulos (R$ 7,2 bilhões) corrigidos pelo dólar. De acordo com o relatório, houve melhora no perfil da DPF, uma vez que o prazo médio de vencimento dos títulos mobiliários federais subiu de 3,51 anos, em 2010, para 3,62 anos, em 2011. O prazo médio da DFPi passou de 3,36 anos para 3,49 anos, e o prazo médio da DFPe evoluiu de 6,15 anos para 6,48 anos. O vencimento da dívida de curto prazo, que era de 22,73% dos títulos, em 2010, caiu para 21,89% no final de 2011, equivalentes a R$ 408,53 bilhões.

Também foi expressiva a inadimplência com os bancos, com alta de 23%. Na média, o valor que as empresas deixaram de pagar ficou em R$ 5.169,91 – 9,7% acima do constatado em 2010. As emissões de cheque sem fundo cresceram 12,8% com valor médio de R$ 2.089,50 – 1,7% maior ante 2010. Os títulos protestados foram 10,9% superiores ao ano anterior, com valor médio de R$ 1.803,04, quantia que cresceu

9,1%. Para os economistas da Serasa, essa situação foi provocada, em parte, pelo desaquecimento das vendas como efeito da queda na atividade econômica. Eles justificaram que o aumento no ritmo de inflação pressionou os custos dos negócios. Ao mesmo tempo, as empresas enfrentaram juros mais elevados na tomada de dinheiro para capital de giro e a inadimplência do consumidor ampliou a taxa de risco de crédito inibindo os negócios.

Agronegócio acredita que este ano será melhor do que o ano passado Roosewelt Pinheiro/Abr

Confiança do consumidor cresce em janeiro, diz CNI A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta segunda-feira (30/01) que o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), que mede a confiança dos compradores, ficou 1,5% abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado – mesmo com a alta de 0,2% em janeiro frente dezembro de 2011. Ao analisar os componentes do Inec (expectativas de desemprego, inflação, renda pessoal e compras de bens de maior valor, avaliação da atual situação financeira e do endividamento), a CNI informou que, no último mês, pôde ser observado que “a preocupação dos brasileiros com o desemprego, crescente há dois meses consecutivos, se reduziu este mês ante dezembro, com índice 5,1% maior – no caso, quanto maior o índice, menor o receio do desemprego”. Para o economista da CNI Marcelo Azevedo, a melhora no otimismo dos entrevistados pode ser atribuída à “confiança de que os contratos temporários para as vendas de fim de ano sejam efetivados

neste começo de 2012”. Por outro lado, o indicador registrou redução de 3,1% ante janeiro de 2011. A piora no índice indica maior temor dos brasileiros em relação à diminuição das vagas no mercado de trabalho quando comparado ao mesmo mês do ano passado. A evolução do endividamento, outro componente do Inec, também está piorando, informou a entidade. Esse índice cresceu 1,6% na comparação com dezembro. Contudo, o indicador teve redução de 4,4% ante janeiro de 2011. Ao mesmo tempo, a relação do consumidor com a inflação continua sendo a “maior preocupação” dos brasileiros, segundo análise da CNI – 69% dos entrevistados acreditam que os preços terão alta nos próximos meses. O Inec é realizado pela CNI por meio de pesquisa de opinião pública de abrangência nacional conduzida pelo Ibope Inteligência com 2.002 pessoas de todo país. As entrevistas foram feitas entre 12 e 16 de janeiro.

Projeção para inflação em 2012 cai pela nona semana consecutiva Manutenção dos preços e as condições de clima favoráveis para a safra de verão justificam o otimismo

A 1ª Sondagem de Expectativas para o Agronegócio, divulgada nesta segunda-feira (30/01) pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), aponta otimismo do setor para o ano de 2012: 67% dos entrevistados acham que o ano será melhor do que 2011. A pesquisa foi feita há cerca de dez dias com uma amostra de 100 pessoas ligadas à cadeia do agronegócio, sendo 55% produtores, 25% consultores e 20% fornecedores de insumos e distribuidores. O diretor técnico da SNA, Fernando Pimentel, disse que a manutenção dos preços e as condições de clima favoráveis para a safra de verão justificam o otimismo. “Salvo o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, o sul de Mato Grosso do Sul e o oeste do Paraná, basicamente o Brasil, de uma maneira geral, está produzindo muito bem. Vai ser uma safra muito boa, embora com redução de soja e milho”, declarou. Ele ponderou, contudo, que os preços agrícolas estão se mantendo, permitindo que a renda no campo também se mantenha. Pimentel lembrou que o governo federal já sinalizou a possibilidade de estender alguns benefícios, como renegociação e alongamento de dívidas. “Se

você olhar no cômputo geral a safra brasileira, ela sinaliza um ambiente de otimismo, independentemente desses problemas de clima localizados”. Eles podem trazer preocupação para safra de inverno de trigo, de aveia e milho segunda safra. “Mas, de maneira geral, os sinais são bem positivos”. A infraestrutura e a logística de transporte e a comercialização são os principais obstáculos para o desenvolvimento do setor nacional, de acordo com 97% dos consultados. “Somos muito eficientes da porteira para dentro, mas nossa infraestrutura não acompanhou o ritmo de crescimento da produção”, avaliou o presidente da SNA, Antonio Alvarenga. Para ele, isso prejudica a competitividade do produto brasileiro no exterior e contribui para diminuir a renda dos produtores. Um total de 71% dos representantes da cadeia do agronegócio brasileiro demonstrou preocupação também com o cenário internacional, em especial a Europa e China, para onde são destinados, respectivamente, 25% e 17% das exportações do setor nacional. Fernando Pimentel ressaltou que em função da crise mundial, poderá ocorrer problemas na oferta de recursos para a agricultura no Brasil,

“principalmente nas linhas de financiamento à exportação”. Mas não será nada de grande envergadura porque as commodities agrícolas são essenciais, “principalmente as que o Brasil produz”. Ele analisou que a crise vai afetar o ambiente de crédito e de consumo de bens de capital, “mas eu não vejo ninguém deixando de comer na Europa ou na China”. Pimentel destacou que mesmo na crise de 2008, o produtor brasileiro não sofreu reflexos negativos. Como a agricultura trata de bens essenciais, admitiu que poderá haver um pequeno recuo na curva de crescimento das exportações de alimentos brasileiros para a União Europeia ou China, mas assegurou que “não há como abrir mão dos insumos essenciais que o Brasil produz para a alimentação”. Câmbio (80%), burocracia (82%) e juros (68%) também foram apontados na sondagem entre os obstáculos ao desenvolvimento do agronegócio, superando as tradicionais reclamações do setor, entre as quais falta de crédito e de apoio do governo. A pesquisa traz como novidade a crescente preocupação do setor com a falta de mão de obra qualificada, citada por 66% dos entrevistados.

EMPREENDIMENTO

Debate para construção do Poliduto Paranaguá – Assunção O vereador de Foz do Iguaçu, Carlos Budel, esteve nesta segunda-feira (30/01) em Curitiba para uma reunião com o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. Na pauta a construção de um poliduto entre o litoral do Estado e Assunção, no Paraguai, passando por Foz. O empreendimento teria 800 quilômetros para trazer o óleo diesel produzido na Região Metropolitana de Curitiba e levar o etanol do

Paraguai para exportação. Nesta terça feira (31/01), o vereador e o secretário Richa Filho, acompanham a comitiva paraguaia que visita o Porto de Paranaguá para iniciar a discussão do projeto com as autoridades paranaenses. Do encontro participarão o ministro Secretário Geral Chefe do Gabinete Civil, Miguel Angel López Perito, o presidente da Petropar, Sérgio Escolar, o presidente da

Administração Nacional de Navegação e Portos, Vidal Francis Zaradio, e o diretor de Poliductos Integrados S.A., Conrado Pappalardo. Segundo Carlos Budel, o Oeste do Estado sairá ganhando com o a concretização do poliduto que deverá custar aproximadamente um bilhão de dólares. “Teremos uma nova fonte energética a disposição dos produtores da fronteira”, conclui.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve encerrar este ano em 5,28%. A previsão é de analistas do mercado financeiro que, pela nona semana seguida, reduziram a estimativa para o índice. Na semana passada, a projeção estava em 5,29% e há quatro semanas em 5,32%. Para 2013, a estimativa para o IPCA segue em 5%, há nove semanas. As projeções estão acima do centro da meta de inflação – 4,5% –, mas dentro do limite superior de 6,5%. Para a taxa básica de juros, a Selic, usada pelo Banco Central (BC) como instrumento para controlar a inflação, a previsão para este ano segue em 9,5% ao ano, há sete semanas, e para 2013 passou de 10,25% para 10,38% ao ano. Essas estimativas são do boletim Focus, uma publicação semanal, elaborada pelo

Banco Central (BC), com base nas expectativas de analistas do mercado financeiro para os principais indicadores da economia. Outra estimativa dos analistas é para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que permanece em 5,22%, este ano, e foi ajustada de 4,75% para 4,8%, em 2013. A expectativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) segue em 5,01%, este ano, e subiu de 4,9% para 4,92%, em 2013. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM), foi mantida a projeção de 5% em 2012 e ajustada a estimativa de 5% para 4,98%, no próximo ano. A estimativa dos analistas para os preços administrados foi mantida em 4%, este ano, e em 4,5%, em 2013.

Índice que corrige aluguéis sobe e fica em 0,25% em janeiro O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), teve alta de 0,25% em janeiro ante uma queda de 0,12% em dezembro. Nos últimos 12 meses, a taxa acumula alta de 4,53%.O IGPM serve como base de cálculo na correção de aluguéis, entre outros reajustes. Dois dos três subcomponentes do índice apresentaram aumento no ritmo de elevações: o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que passou de 0,71% para 0,97%, e o Índice Nacional de Custo da construção (INCC), com alta de 067% ante 0,35%. No acumulado desde janeiro do ano passado, o maior impacto foi provocado pelo custo da construção, com alta de 7,9%, puxada, principalmente, pela mão de obra, que de janeiro de 2010 a janeiro de 2011 aumentou 11,44%. Já o IPC subiu 6,05%,

em 12 meses, e o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que reflete a evolução no setor atacadista, apresentou aumento de 3,48%. Em janeiro, no entanto, o IPA deu sinais de recuperação, embora tenha mantido variação negativa. A taxa passou de -048% para -0,07%. Os itens desse grupo de despesa com maior influência sobre o IGP-M foram: soja em grão (de -3,53% para 3,37%), milho em grão (de -7,04% para 5,21%), mandioca (de 0,34% para 15,08%), feijão (de 0,41% para 9,75) e farelo de soja (de -4,14% para 5,05%). No IPC, os aumentos mais significativos foram os do tomate (de -7,55% para 19,87%), de cursos de ensino superior (de 0,00% para 4,36%), de ensino fundamental (de 0,00% para 6,33%) e de ensino médio (de 0,00% para 6,37%), e de tarifa de ônibus urbano (de 0,00% para 1,62%).


Indústria&Comércio

BAN C O DE D A D O S Indústria&Comércio

Principais dados financeiros

Inflação/taxas/índices/comportamento de mercado Base de Cálculo de juros e reajustes | Informações de 30 de janeiro de 2012

2003 ICV DIEESE Mensal (%) 2,92 1,35 1,06 1,39 0,24 -0,27 0,35 -0,15 1,26 0,47 0,26 0,32 9,5500 9,5500

IGP-DI FGV Mensal (%) 2,17 1,59 1,66 0,41 -0,67 -0,70 -0,20 0,62 1,05 0,44 0,48 0,60 7,6700 7,6700

IGP-M FGV Mensal (%) 2,33 2,28 1,53 0,92 -0,26 -1,00 -0,42 0,38 1,18 0,38 0,49 0,61 8,6900 8,6900

INCC-DI FGV Mensal (%) 1,51 1,39 1,38 0,90 2,84 1,05 0,99 1,44 0,22 0,65 1,04 0,16 14,4100 14,4100

INCC-M FGV Mensal (%) 1,45 1,60 1,38 0,81 2,98 0,74 0,59 2,20 0,24 0,47 0,42 0,99 14,7600 14,7600

INPC IBGE Mensal (%) 2,47 1,46 1,37 1,38 0,99 -0,06 0,04 0,18 0,82 0,39 0,37 0,54 10,3839 10,3839

IPA-DI FGV Mensal (%) 2,21 1,71 1,93 0,07 -1,68 -1,16 -0,59 0,70 1,29 0,50 0,46 0,74 6,2735 6,2735

IPA-M FGV Mensal (%) 2,55 2,64 1,72 0,80 -1,11 -1,67 -0,75 0,20 1,54 0,36 0,57 0,64 7,6447 7,6447

IPC-DI FGV Mensal (%) 2,32 1,37 1,06 1,12 0,69 -0,16 0,34 0,13 0,76 0,21 0,33 0,43 8,9200 8,9200

IPC FIPE/USP Mensal (%) 2,19 1,61 0,67 0,57 0,31 -0,16 -0,08 0,63 0,84 0,63 0,27 0,42 8,1700 8,1700

IPCA IBGE Mensal (%) 2,25 1,57 1,23 0,97 0,61 -0,15 0,20 0,34 0,78 0,29 0,34 0,52 9,3000 9,3000

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 1,98 2,19 1,14 1,14 0,85 0,22 -0,18 0,27 0,57 0,66 0,17 0,46 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 1,98 2,19 1,14 1,14 0,85 0,22 -0,18 0,27 0,57 0,66 0,17 0,46 9,8600 9,8600

SELIC B.Central Mensal (%) 1,9233 1,7776 2,0166 1,9509 2,0166 1,9376 1,9555 1,8163 1,5880 1,5396 1,4013 1,3459 23,4700 23,4700

TJLP COPOM Mensal (%) 0,9167 0,9167 0,9167 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 0,9167 0,9167 0,9167 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,4878 1,67 0,4116 0,78 0,3782 0,56 0,4184 0,46 0,4650 0,34 0,4166 0,26 0,5465 8,95 0,4038 0,15 0,3364 0,40 0,3213 0,31 0,1776 0,40 0,1899 0,35 4,6485 15,3000 4,6485 15,3000

PIB Gov. Trimest. (%) -1,18 -1,18 -1,18 -0,13 -0,13 -0,13 0,96 0,96 0,96 1,25 1,25 1,25 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 11,20 Jan 11,60 Fev 12,10 Mar 12,40 Abr 12,80 Mai 13,00 Jun 12,80 Jul 13,00 Ago 12,90 Set 12,90 Out 12,20 Nov 10,90 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal 1,46 -0,18 0,47 0,06 0,43 1,12 1,21 0,69 0,29 0,53 0,83 0,54 1,09 7,6965 7,6965

IGP-DI FGV Mensal 0,80 1,08 0,93 1,15 1,46 1,29 1,14 1,31 0,48 0,53 0,82 0,52 1,47 12,1303 12,1303

IGP-M FGV Mensal 0,88 0,69 1,13 1,21 1,31 1,38 1,31 1,22 0,69 0,39 0,82 0,74 1,76 12,4200 12,4200

INCC-DI FGV Mensal 0,33 1,00 1,16 0,59 1,83 0,70 1,12 0,81 0,58 1,19 0,71 0,51 0,59 11,0434 11,0434

INCC-M FGV Mensal 0,28 0,48 1,59 0,60 1,74 0,56 1,12 0,90 0,67 0,95 0,94 0,61 0,43 10,9428 10,9428

INPC IBGE Mensal 0,83 0,39 0,57 0,41 0,40 0,50 0,73 0,50 0,17 0,17 0,44 0,86 0,97 6,1332 6,1332

IPA-DI FGV Mensal 0,75 1,42 1,09 1,57 1,71 1,57 1,35 1,59 0,65 0,61 1,00 0,48 1,90 14,6838 14,6838

IPA-M FGV Mensal 0,98 0,79 1,33 1,65 1,52 1,73 1,58 1,42 0,90 0,44 0,99 0,81 2,36 15,0828 15,0828

IPC-DI FGV Mensal 1,08 0,28 0,46 0,31 0,71 0,78 0,59 0,79 0,01 0,10 0,37 0,63 0,70 6,2784 6,2784

IPC FIPE/USP Mensal 0,65 0,19 0,12 0,29 0,57 0,92 0,59 0,99 0,21 0,62 0,56 0,67 0,82 6,5654 6,5654

IPCA IBGE Mensal 0,76 0,61 0,47 0,37 0,51 0,71 0,91 0,69 0,33 0,44 0,69 0,86 0,74 7,6006 7,6006

IPCA-15 IBGE Mensal 0,68 0,90 0,40 0,21 0,54 0,56 0,93 0,79 0,49 0,32 0,63 0,84 0,70 — —

IPCA-E IBGE Mensal 0,68 0,90 0,40 0,21 0,54 0,56 0,93 0,79 0,49 0,32 0,63 0,84 0,70 7,5300 7,5300

SELIC B.Central Mensal 1,3044 1,2174 1,2936 1,2323 1,2650 1,2240 1,2650 1,2650 1,2329 1,2966 1,2928 1,3759 0,9096 16,3800 16,3800

TJLP COPOM Mensal 0,8333 0,8333 0,8333 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,5208 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal 0,1280 0,51 0,0458 0,52 0,1778 0,67 0,0874 0,47 0,1546 0,74 0,1761 0,63 0,1952 3,12 0,2005 0,28 0,1728 0,40 0,1108 0,67 0,1146 0,30 0,2400 0,49 0,0640 0,35 1,8184 9,1000 1,8184 9,1000

PIB Gov. Trimest. 1,94 1,94 1,94 1,94 1,94 1,94 1,13 1,13 1,13 1,00 1,00 1,00 6,70 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês 11,70 Jan 12,00 Fev 12,80 Mar 13,10 Abr 12,20 Mai 11,70 Jun 11,20 Jul 11,40 Ago 10,90 Set 10,50 Out 10,70 Nov 9,60 Dez 7,40 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal 0,91 0,32 0,81 0,50 0,39 -0,17 -0,17 0,00 0,72 0,57 0,38 0,19 1,09 4,5345 4,5345

IGP-DI FGV Mensal 0,33 0,40 0,99 0,51 -0,25 -0,45 -0,40 -0,79 -0,13 0,63 0,33 0,07 1,47 1,2321 1,2321

IGP-M FGV Mensal 0,39 0,30 0,85 0,86 -0,22 -0,44 -0,34 -0,65 -0,53 0,60 0,40 -0,01 1,76 1,2008 1,2008

INCC-DI FGV Mensal 0,75 0,44 0,67 0,72 2,09 0,76 0,11 0,02 0,24 0,19 0,28 0,37 0,59 6,8284 6,8284

INCC-M FGV Mensal 0,70 0,42 0,71 0,38 0,54 2,20 0,65 0,05 0,06 0,28 0,29 0,38 0,43 6,8488 6,8488

INPC IBGE Mensal 0,57 0,44 0,73 0,91 0,70 -0,11 0,03 0,00 0,15 0,58 0,54 0,40 0,97 5,0474 5,0474

IPA-DI FGV Mensal 0,08 0,39 1,14 0,33 -0,98 -0,78 -0,69 -1,04 -0,28 0,79 0,24 -0,14 1,90 -0,9627 -0,9627

IPA-M FGV Mensal 0,20 0,20 0,94 0,96 -0,77 -1,00 -0,65 -0,88 -0,76 0,72 0,40 -0,27 2,36 -0,9356 -0,9356

IPC-DI FGV Mensal 0,85 0,43 0,70 0,88 0,79 -0,05 0,13 -0,44 0,09 0,42 0,57 0,46 0,70 4,9291 4,9291

IPC FIPE/USP Mensal 0,56 0,36 0,79 0,83 0,35 -0,20 0,30 -0,20 0,44 0,63 0,29 0,29 0,82 4,5254 4,5254

IPCA IBGE Mensal 0,58 0,59 0,61 0,87 0,49 -0,02 0,25 0,17 0,35 0,75 0,55 0,36 0,74 5,6897 5,6897

IPCA-15 IBGE Mensal 0,68 0,74 0,35 0,74 0,83 0,12 0,11 0,28 0,16 0,56 0,78 0,38 0,70 — —

IPCA-E IBGE Mensal 0,68 0,74 0,35 0,74 0,83 0,12 0,11 0,28 0,16 0,56 0,78 0,38 0,70 5,8700 5,8700

SELIC B.Central Mensal 1,4076 1,3047 1,4837 1,4633 1,5321 1,4924 1,5425 1,5425 1,4831 1,5105 1,4318 1,4321 0,9096 19,1300 19,1300

TJLP COPOM Mensal 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,5208 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal 0,1880 0,38 0,0962 0,33 0,2635 0,44 0,2003 0,21 0,2527 0,29 0,2993 3,93 0,2575 0,24 0,3466 0,05 0,2637 0,11 0,2100 0,35 0,1929 0,17 0,2269 0,10 0,0640 0,35 2,8335 6,7300 2,8335 6,7300

PIB Gov. Trimest. -0,12 -0,12 -0,12 2,32 2,32 2,32 -1,06 -1,06 -1,06 1,06 1,06 1,06 6,70 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês 10,2 Jan 10,7 Fev 10,9 Mar 10,8 Abr 10,2 Mai 9,4 Jun 9,5 Jul 9,4 Ago 9,7 Set 9,6 Out 9,6 Nov 8,4 Dez 7,40 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal 0,72 0,12 0,52 -0,06 -0,37 -0,21 -0,14 0,32 0,39 0,27 0,33 0,65 1,09 2,5630 2,5630

IGP-DI FGV Mensal 0,72 -0,06 -0,45 0,02 0,38 0,67 0,17 0,41 0,24 0,81 0,57 0,26 1,47 3,7973 3,7973

IGP-M FGV Mensal 0,92 0,01 -0,23 -0,42 0,38 0,75 0,18 0,37 0,29 0,47 0,75 0,32 1,76 3,8476 3,8476

INCC-DI FGV Mensal 0,34 0,19 0,20 0,36 1,32 0,90 0,47 0,24 0,11 0,21 0,23 0,36 0,59 5,0359 5,0359

INCC-M FGV Mensal 0,24 0,28 0,23 0,21 0,81 1,45 0,57 0,35 0,09 0,18 0,23 0,30 0,43 5,0452 5,0452

INPC IBGE Mensal 0,38 0,23 0,27 0,12 0,13 -0,07 0,11 -0,02 0,16 0,43 0,42 0,62 0,97 2,8134 2,8134

IPA-DI FGV Mensal 0,81 -0,12 -0,82 -0,15 0,46 1,06 0,17 0,53 0,28 1,16 0,75 0,11 1,90 4,3052 4,3052

IPA-M FGV Mensal 1,10 -0,06 -0,48 -0,77 0,43 1,11 0,21 0,46 0,36 0,65 1,02 0,29 2,36 4,3867 4,3867

IPC-DI FGV Mensal 0,65 0,01 0,22 0,34 -0,19 -0,40 0,06 0,16 0,19 0,14 0,24 0,63 0,70 2,0644 2,0644

IPC FIPE/USP Mensal 0,50 -0,03 0,14 0,01 -0,22 -0,31 0,21 0,12 0,25 0,39 0,42 1,04 0,82 2,5421 2,5421

IPCA IBGE Mensal 0,59 0,41 0,43 0,21 0,10 -0,21 0,19 0,05 0,21 0,33 0,31 0,48 0,74 3,1418 3,1418

IPCA-15 IBGE Mensal 0,51 0,52 0,37 0,17 0,27 -0,15 -0,02 0,19 0,05 0,29 0,37 0,35 0,70 — —

IPCA-E IBGE Mensal 0,51 0,52 0,37 0,17 0,27 -0,15 -0,02 0,19 0,05 0,29 0,37 0,35 0,70 2,9500 2,9500

SELIC B.Central Mensal 1,3926 1,2283 1,3198 1,2434 1,2500 1,0117 1,0120 1,1742 1,1010 1,1221 1,0633 1,0624 0,9096 14,9100 14,9100

TJLP COPOM Mensal 0,7500 0,7500 0,7500 0,6792 0,6792 0,6792 0,6250 0,6250 0,6250 0,5708 0,5708 0,5708 0,5208 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal 0,2326 0,23 0,0725 0,15 0,2073 0,12 0,0855 0,08 0,1888 0,25 0,1937 0,15 0,1751 2,89 0,2436 0,11 0,1521 0,21 0,1875 0,12 0,1282 0,05 0,1522 0,10 0,0640 0,35 2,0377 4,5200 2,0377 4,5200

PIB Gov. Trimest. 1,82 1,82 1,82 0,22 0,22 0,22 1,54 1,54 1,54 1,18 1,18 1,18 6,70 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês 9,3 Jan 10,1 Fev 10,4 Mar 10,4 Abr 10,2 Mai 10,4 Jun 10,8 Jul 10,6 Ago 10,0 Set 9,8 Out 9,6 Nov 8,4 Dez 7,40 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal (%) 0,95 0,21 0,25 0,41 0,63 0,15 -0,30 0,40 0,30 0,33 0,28 1,09 4,7949 4,7949

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,43 0,23 0,22 0,14 0,16 0,26 0,37 1,39 1,17 0,75 1,05 1,47 7,8984 7,8984

IGP-M FGV Mensal (%) 0,50 0,27 0,34 0,04 0,04 0,26 0,28 0,98 1,29 1,05 0,69 1,76 7,7463 7,7463

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,45 0,21 0,27 0,46 1,15 0,92 0,31 0,26 0,51 0,51 0,36 0,59 6,1633 6,1633

INCC-M FGV Mensal (%) 0,45 0,26 0,17 0,43 0,55 1,67 0,21 0,35 0,39 0,49 0,48 0,43 6,0324 6,0324

INPC IBGE Mensal (%) 0,49 0,42 0,44 0,26 0,26 0,31 0,32 0,59 0,25 0,30 0,43 0,97 5,1556 5,1556

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,32 0,19 0,11 0,02 -0,04 0,09 0,42 1,96 1,64 1,02 1,45 1,90 9,4313 9,4313

IPA-M FGV Mensal (%) 0,40 0,21 0,33 -0,14 -0,09 0,01 0,26 1,31 1,83 1,42 0,97 2,36 9,1997 9,1997

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,69 0,34 0,48 0,31 0,25 0,42 0,28 0,42 0,23 0,13 0,27 0,70 4,6131 4,6131

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,66 0,33 0,11 0,33 0,36 0,55 0,27 0,07 0,24 0,08 0,47 0,82 4,3723 4,3723

IPCA IBGE Mensal (%) 0,44 0,44 0,37 0,25 0,28 0,28 0,24 0,47 0,18 0,30 0,38 0,74 4,4572 4,4572

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,52 0,46 0,41 0,22 0,26 0,29 0,24 0,42 0,29 0,24 0,23 0,70 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,52 0,46 0,41 0,22 0,26 0,29 0,24 0,42 0,29 0,24 0,23 0,70 4,3600 —

SELIC B.Central Mensal (%) 1,0581 0,9420 1,0287 0,9838 1,0054 0,9432 0,9511 0,9288 0,8832 0,9096 0,8801 0,9096 12,0400 12,0400

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,2189 0,13 0,0721 0,10 0,1876 0,21 0,1272 0,16 0,1689 0,19 0,0954 0,26 0,1469 3,04 0,1466 0,34 0,0352 0,32 0,1142 0,42 0,0590 0,40 0,0640 0,35 1,4452 — — —

PIB Gov. Trimest. (%) 5,15 5,15 5,15 6,41 6,41 6,41 6,06 6,06 6,06 6,70 6,70 6,70 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 9,30 Jan 9,90 Fev 10,10 Mar 10,10 Abr 10,10 Mai 9,70 Jun 9,50 Jul 9,50 Ago 9,00 Set 8,70 Out 8,20 Nov 7,40 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal (%) 0,88 -0,03 0,45 0,42 0,87 0,97 0,87 0,32 0,14 0,43 0,53 0,10 6,1084 6,1084

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,99 0,38 0,70 1,12 1,88 1,89 1,12 -0,38 0,36 1,09 0,07 -0,44 9,1073 9,1073

IGP-M FGV Mensal (%) 1,09 0,53 0,74 0,69 1,61 1,98 1,76 -0,32 0,11 0,98 0,38 -0,13 9,8054 9,8054

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,38 0,40 0,66 0,87 2,02 1,92 1,46 1,18 0,95 0,77 0,50 0,17 11,8602 11,8602

INCC-M FGV Mensal (%) 0,41 0,43 0,59 0,82 1,10 2,67 1,42 1,27 0,95 0,85 0,60 0,22 11,9674 11,9674

INPC IBGE Mensal (%) 0,69 0,48 0,51 0,64 0,96 0,91 0,58 0,21 0,15 0,50 0,38 0,29 6,4814 6,4814

IPA-DI FGV Mensal (%) 1,08 0,52 0,80 1,30 2,22 2,29 1,28 -0,80 0,44 1,36 -0,17 -0,88 9,7963 9,7963

IPA-M FGV Mensal (%) 1,24 0,64 0,96 0,65 2,01 2,27 2,20 -0,74 0,04 1,24 0,30 -0,42 10,8411 10,8411

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,97 0,00 0,45 0,72 0,87 0,77 0,53 0,14 -0,09 0,47 0,56 0,52 6,0664 6,0664

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,52 0,19 0,31 0,54 1,23 0,96 0,45 0,38 0,38 0,50 0,39 0,16 6,1729 6,1729

IPCA IBGE Mensal (%) 0,54 0,49 0,48 0,55 0,79 0,74 0,53 0,28 0,26 0,45 0,36 0,28 5,9023 5,9023

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,70 0,64 0,23 0,59 0,56 0,90 0,63 0,35 0,26 0,30 0,49 0,29 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,70 0,64 0,23 0,59 0,56 0,90 0,63 0,35 0,26 0,30 0,49 0,29 6,1000 —

SELIC B.Central Mensal (%) 0,9071 0,8483 0,9071 0,8950 0,9454 0,9468 0,9983 1,0406 1,0433 1,0972 1,0616 1,0972 12,4500 12,4500

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,1010 0,34 0,0243 6,00 0,0409 0,42 0,0955 0,39 0,0736 0,75 0,1146 6,05 0,1914 0,64 0,1574 0,87 0,1970 0,75 0,2506 0,87 0,1618 0,44 0,2149 0,34 1,6348 12,6800 — 12,6800

PIB Gov. Trimest. (%) 6,40 6,40 6,40 6,50 6,50 6,50 7,10 7,10 7,10 0,80 0,80 0,80 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 8,00 Jan 8,70 Fev 8,60 Mar 8,50 Abr 7,90 Mai 7,80 Jun 8,10 Jul 7,60 Ago 7,60 Set 7,50 Out 7,60 Nov 6,80 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal (%) 0,69 0,02 0,40 0,31 0,23 0,05 0,49 0,30 0,27 0,53 0,60 0,08 4,0403 4,0403

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,01 -0,13 -0,84 0,04 0,18 -0,32 -0,64 0,09 0,25 -0,04 0,07 -0,11 -1,4364 -1,4364

IGP-M FGV Mensal (%) -0,44 0,26 -0,74 -0,15 -0,07 -0,10 -0,43 -0,36 0,42 0,05 0,10 -0,26 -1,7123 -1,7123

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,33 0,27 -0,25 -0,04 1,39 0,70 0,26 -0,05 0,15 0,06 0,29 0,10 3,2474 3,2474

INCC-M FGV Mensal (%) 0,26 0,35 -0,17 -0,01 0,25 1,53 0,37 0,01 0,07 0,13 0,18 0,20 3,2062 3,2062

INPC IBGE Mensal (%) 0,64 0,31 0,20 0,55 0,60 0,42 0,23 0,08 0,16 0,24 0,37 0,24 4,1137 4,1137

IPA-DI FGV Mensal (%) -0,33 -0,31 -1,46 -0,10 -0,10 -0,64 -1,16 0,07 0,29 -0,08 -0,04 -0,29 -4,0858 -4,0858

IPA-M FGV Mensal (%) -0,95 0,20 -1,24 -0,44 -0,30 -0,45 -0,85 -0,61 0,53 0,04 0,08 -0,50 -4,4128 -4,4128

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,83 0,21 0,61 0,47 0,39 0,12 0,34 0,20 0,18 0,01 0,26 0,24 3,9261 3,9261

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,46 0,27 0,40 0,31 0,33 0,13 0,33 0,48 0,16 0,25 0,29 0,18 3,6490 3,6490

IPCA IBGE Mensal (%) 0,48 0,55 0,20 0,48 0,47 0,36 0,24 0,15 0,24 0,28 0,41 0,37 4,3120 4,3120

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,40 0,63 0,11 0,36 0,59 0,38 0,22 0,23 0,19 0,18 0,44 0,38 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,40 0,63 0,11 0,36 0,59 0,38 0,22 0,23 0,19 0,18 0,44 0,38 4,1800 —

SELIC B.Central Mensal (%) 1,0758 0,9248 0,9503 0,8776 0,8322 0,7549 0,7428 0,7150 0,6918 0,7150 0,6918 0,7150 10,1300 10,1300

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,1840 0,37 0,0451 0,37 0,1438 -0,19 0,0454 -0,09 0,0449 0,02 0,0656 0,03 0,1051 4,06 0,0197 0,06 0,0000 0,35 0,0000 0,17 0,0000 0,29 0,0533 0,13 0,7090 5,6400 — 5,6400

PIB Gov. Trimest. (%) -2,97 -2,97 -2,97 -2,75 -2,75 -2,75 -1,81 -1,81 -1,81 5,02 5,02 5,02 — —

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 8,20 Jan 8,50 Fev 9,00 Mar 8,90 Abr 8,80 Mai 8,10 Jun 8,00 Jul 8,10 Ago 7,70 Set 7,50 Out 7,40 Nov 6,80 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal (%) 1,72 0,59 0,47 0,22 0,15 0,02 0,14 0,25 0,53 0,93 1,04 0,65 6,9067 6,9067

IGP-DI FGV Mensal (%) 1,01 1,09 0,63 0,72 1,57 0,34 0,22 1,10 1,10 1,03 1,58 0,38 11,3058 11,3058

IGP-M FGV Mensal (%) 0,63 1,18 0,94 0,77 1,19 0,85   0,15   0,77 1,15 1,01 1,45 0,69 11,3220 11,3220

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,64 0,36 0,75 0,84 1,81 1,09 0,44 0,14 0,21 0,20 0,37 0,67 7,7717 7,7717

INCC-M FGV Mensal (%) 0,52 0,35 0,45 1,17 0,93 1,77 0,62 0,22 0,20 0,15 0,36 0,59 7,5683 7,5683

INPC IBGE Mensal (%) 0,24 0,70 0,71 0,73 0,43 -0,11 -0,07 -0,07 0,54 0,92 1,03 0,60 6,4652 6,4652

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,96 1,38 0,52 0,68 2,06 0,43 0,34 1,70 1,47 1,32 1,98 0,21 13,8336 13,8336

IPA-M FGV Mensal (%) 0,51 1,42 1,07 0,72 1,49 1,09 0,20 1,24 1,60 1,30 1,84 0,63 13,9124 13,9124

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,29 0,68 0,86 0,76 0,21 -0,21 -0,21 -0,08 0,46 0,59 1,00 0,72 6,2281 6,2281

IPC FIPE/USP Mensal (%) 1,34 0,74 0,34 0,39 0,22 0,04 0,17 0,17 0,53 1,04 0,72 0,54 6,4129 6,4129

IPCA IBGE Mensal (%) 0,75 0,78 0,52 0,57 0,43 0,00 0,01 0,04 0,45 0,75 0,83 0,63 5,9090 5,9090

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,52 0,94 0,55 0,48 0,63 0,19 -0,09 -0,05 0,31 0,62 0,86 0,69 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,52 0,94 0,55 0,48 0,63 0,19 -0,09 -0,05 0,31 0,62 0,86 0,69 5,7900 —

SELIC B.Central Mensal (%) 0,7150 0,6455 0,7150 0,6956 0,7738 0,7883 0,8447 0,8710 0,8579 0,8169 0,8169 0,8710 9,9000 9,9000

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,0000 0,20 0,0000 0,18 0,0792 0,24 0,0000 0,17 0,0510 0,38 0,0589 0,51 0,1151 5,75 0,0909 0,20 0,0702 0,27 0,0472 0,12 0,0336 0,16 0,1406 0,05 0,6887 8,4100 0,6887 8,4100

PIB Gov. Trimest. (%) 9,27 9,27 9,27 9,16 9,16 9,16 6,74 6,74 6,74 5,04 5,04 5,04 7,4897 7,4897

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 7,20 Jan 7,40 Fev 7,60 Mar 7,30 Abr 7,30 Mai 7,00 Jun 6,90 Jul 6,70 Ago 6,20 Set 6,10 Out 5,70 Nov 5,30 Dez — No ano — 12 meses

ICV DIEESE Mensal (%) 1,28 0,41 0,91 0,80 0,04 -0,34 0,44 0,39 0,69 0,31 0,52 0,50 6,1051 6,1051

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,98 0,96 0,61 0,50 0,01 -0,13 -0,05 0,61 0,75 0,40 0,43 -0,16 5,0125 5,0125

IGP-M FGV Mensal (%) 0,79 1,00 0,62 0,45 0,43 -0,18 -0,12 0,44 0,65 0,53 0,50 -0,12 5,0977 5,0977

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,41 0,28 0,43 1,06 2,94 0,37 0,45 0,13 0,14 0,23 0,72 0,11 7,4818 7,4818

INCC-M FGV Mensal (%) 0,37 0,39 0,44 0,75 2,03 1,43 0,59 0,16 0,14 0,20 0,50 0,35 7,5842 7,5842

INPC IBGE Mensal (%) 0,94 0,54 0,66 0,72 0,57 0,22 0,00 0,42 0,45 0,32 0,57 0,51 6,0799 6,0799

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,96 1,23 0,60 0,24 -0,63 -0,19 -0,13 0,77 0,94 0,48 0,34 -0,55 4,1154 4,1154

IPA-M FGV Mensal (%) 0,76 1,20 0,65 0,29 0,03 -0,45 -0,22 0,57 0,74 0,68 0,52 -0,48 4,3594 4,3594

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,27 0,49 0,71 0,95 0,51 -0,18 -0,04 0,40 0,50 0,26 0,53 0,79 6,3595 6,3595

IPC FIPE/USP Mensal (%) 1,15 0,60 0,35 0,70 0,31 0,01 0,30 0,39 0,25 0,39 0,60 0,61 5,8044 5,8044

IPCA IBGE Mensal (%) 0,83 0,80 0,79 0,77 0,47 0,15 0,16 0,37 0,53 0,43 0,52 0,50 6,5031 6,5031

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,76 0,97 0,60 0,77 0,70 0,23 0,10 0,27 0,53 0,42 0,46 0,56 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,76 0,97 0,60 0,77 0,70 0,23 0,10 0,27 0,53 0,42 0,46 0,56 6,5500 6,5500

SELIC B.Central Mensal (%) 0,8859 0,8212 0,9455 0,9235 0,9659 0,9481 0,9931 1,0054 0,9358 0,9523 0,8987 0,8903 11,7600 11,7600

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR CUB-PR B.Central Sinduscon/PR Mensal Mensal (%) (%) 0,0715 0,08 0,0524 0,11 0,1212 0,16 0,0369 0,20 0,1570 0,28 0,1114 0,30 0,1229 5,35 0,2076 0,63 0,1003 0,44 0,0620 0,33 0,0645 0,34 0,0937 0,18 1,2079 8,5900 1,2079 8,5900

PIB Gov. Trimest. (%) 0,78 0,78 0,78 0,72 0,72 0,72 -0,04 -0,04 -0,04 — — — 3,2009 3,5966

Desempr. IBGE Mensal Mês (%) 6,10 Jan 6,40 Fev 6,50 Mar 6,40 Abr 6,40 Mai 6,20 Jun 6,00 Jul 6,00 Ago 6,00 Set 5,80 Out 5,20 Nov 4,70 Dez — No ano — 12 meses

Fonte Mês

ICV DIEESE Mensal

IGP-DI FGV Mensal

IGP-M FGV Mensal

INCC-DI FGV Mensal

INCC-M FGV Mensal

INPC IBGE Mensal

IPA-DI FGV Mensal

IPA-M FGV Mensal

IPC-DI FGV Mensal

IPC FIPE/USP Mensal

IPCA IBGE Mensal

IPCA-15 IBGE Mensal

IPCA-E IBGE Mensal

SELIC B.Central Mensal

TJLP COPOM Mensal

TR B.Central Mensal

PIB Gov. Trimest.

Desempr. IBGE Mensal

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

— — — — — — — — — — — — — —

Fonte Mês

Guia dos

Índices Odailson Spada

spada@induscom.com.br

IGP-M subiu 0,25% em janeiro, diz FGV

A deflação chegou ao fim no IGP-M. O índice subiu 0,25% em janeiro, após queda de 0,12% em dezembro, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa mensal ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro consultados pelo AE-Projeções (de 0,20% a 0,40%), e foi inferior à mediana das projeções (0,32%). Nos três indicadores que compõem o IGP-M de janeiro, o IPA-M teve queda de 0,07%, após cair 0,48% em dezembro. O IPC-M apresentou alta de 0,97% este mês, contra elevação de 0,71% em dezembro. Já o INCC-M avançou 0,67% em janeiro, após subir 0,35% em dezembro. A taxa acumulada do IGP-M é muito usada no cálculo de reajustes de aluguel. Até janeiro, o indicador acumula alta de 4,53% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo do IGP-M deste mês foi do dia 21 de dezembro a 20 de janeiro.

IPC-M tem de 6,05% em um ano A inflação junto ao consumidor medida pelo IPC-M acumula alta de 6,05% em 12 meses até janeiro, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Hoje, a FGV anunciou o IGP-M – sendo que o IPC-M representa 30% do total do índice. A aceleração na taxa do IPC-M, de dezembro para janeiro (de 0,71% para 0,97%) foi provocada por acréscimos nas taxas de variação de preços em três das sete classes de despesa pesquisadas. O destaque ficou com o avanço de preços em Educação, Leitura e Recreação (de 0,44% para 3,33%), pressionado por cursos formais 5,50% mais caros, no período. As outras classes de despesa que também apresentaram avanço em suas taxas de variação de preços foram Alimentação (de 1,24% para 1,47%) e Transportes (de 0,53% para 0,76%). Em contrapartida, houve desacelerações de preços em Vestuário (1,10% para 0,04%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,64% para 0,48%), Despesas Diversas (de 0,37% para 0,27%) e Habitação (de 0,38% para 0,32%).

Alimentos pressionam preços Entre os produtos pesquisados no varejo, as altas de preço mais expressivas em janeiro foram registradas em tomate (19,87%); curso de ensino superior (4,36%); e tarifa de ônibus urbano (1,61%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em limão (-30,24%); leite tipo longa vida (-1,32%); e passagem aérea (-6,39%). Já a inflação atacadista apurada pelo IPA-M acumula em 12 meses alta de 3,48% até janeiro segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O IGP-M tem participação de 60% do atacado. Os preços dos produtos agrícolas acumulam aumento de 2,98% em 12 meses no setor atacadista. Já os preços dos produtos industriais registraram elevação de 3,67% em 12 meses.

Altas no atacado foram menores Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais subiram 3,74% em 12 meses. Por sua vez, os preços dos bens intermediários tiveram aumento de 2,86% em 12 meses. Já os preços das matérias-primas brutas acumularam elevação de 4,01% em 12 meses, até janeiro. Entre os produtos pesquisados, as altas de preços mais expressivas no atacado em janeiro foram registradas em soja em grão (3,37%); milho em grão (5,21%); e mandioca - aipim (15,08%). Já as mais expressivas quedas de preço, no atacado, em janeiro, foram apuradas em minério de ferro (-5,44%); aves (-7,47%); e bovinos (-3,52%).

IPCA tem previsão reduzida Pela nona semana seguida, o mercado financeiro reduziu a previsão para o IPCA em 2012. Segundo a pesquisa Focus divulgada hoje pelo Banco Central (BC), a mediana das estimativas para a inflação neste ano caiu de 5,29% para 5,28%. Há quatro semanas, a previsão estava em 5,32%. Para 2013, as projeções não foram alteradas pela nona semana seguida e segue a expectativa de alta de 5,00% para o IPCA. Também foi mantida a estimativa suavizada para o IPCA nos próximos 12 meses que segue em 5,30%. Há um mês, a projeção estava em 5,33%. Entre o grupo de analistas que mais acertam as projeções do BC, o chamado top 5, a mediana das estimativas para o IPCA em 2012, seguiu em 5,41%; para 2013, o número subiu de 5,00% para 5,25%. Há quatro semanas, o grupo esperava altas de 5,27% neste ano e de 4,80% no ano que vem. Entre todos os analistas ouvidos pelo BC, a mediana das projeções para o IPCA em janeiro de 2012 caiu de 0,58% para 0,55%.

Curitiba, terça-feira 31 de janeiro de 2012 Pág. A6

PUBLIQUE AQUI O SEU ANÚNCIO! O banco de dados mais completo impresso diariamente no Brasil.

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2004 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Dez No ano 12 meses

2005 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Dez No ano 12 meses

2006 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Dez No ano 12 meses

2007 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2008 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2009 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2010 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2011 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2012 (%)

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

0,25 — — — — — — — — — — — 0,2500 4,5347

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

0,67 — — — — — — — — — — — 0,6700 7,9047

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

-0,07 — — — — — — — — — — — -0,0700 3,4997

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

0,65 — — — — — — — — — — — — —

(%)

0,65 — — — — — — — — — — — 0,6500 —

(%)

0,8717 0,7943 — — — — — — — — — — 1,6700 11,7100

(%)

0,5000 0,5000 0,5000 — — — — — — — — — — —

(%)

0,0864 — — — — — — — — — — — 0,0864 —

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

— — — — — — — — — — — — — —

(%)

Mês

— Jan — Fev — Mar — Abr — Mai — Jun — Jul — Ago — Set — Out — Nov — Dez — No ano — 12 meses

Fontes: DIEESE; FGV; FIPE/USP; SINDUSCON/PR; IBGE; COPOM; Banco Central


PublicidadeLegal Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A7 | Indústria&Comércio CARTÓRIO DE SANTA FELICIDADE IRIO DAS CHAGAS LIMA – OFICIAL Avenida Manoel Ribas, 6031 - fone (41) 3372-1671 – CEP 82025-160 CURITIBA – PARANÁ EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar: 1- JACKSON ALBERTI com VANESSA FRANCESCHINI 2- CONSTANTINO DURIGAN FILHO com JENIFFER CASSINS DOS SANTOS Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. Curitiba, 30 de janeiro de 2012 IRIO DAS CHAGAS LIMA Oficial

1º Ofício do Registro Civil 13º Tabelionato Leão Bel. Ricardo Augusto de Leão - Oficial Trav. Nestor de Castro, 271 - CEP 80.020-120 Centro - Curitiba - PR EDITAL DE PROCLAMAS

Faço saber que pretendem casar-se:

CRISTIANO JOSE FAOTH e LÉA ONDINA DE ALMEIDA ROESNER GABRIEL ARANTES ZANIN e PAOLA ROTTSCHAEFER CARTÓRIO DISTRITAL DO BACACHERI Avenida Paraná, 1330 – CEP 80035-130 Fone (41) 3071-7000 Curitiba-Pr

Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIBA, 30 DE JANEIRO DE 2012

EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que neste Cartório foram autuados os autos de habilitação de casamento em que são requerentes SAMUEL GALAN e JAQUELINE GONÇALES DIAS, MATEUS GEOVANE GAMA DE SOUSA APERIBENSE e JÉSSICA FRANCO, ADRIANO BARROZO DI RENZO e FRANCIELLE GOLL KUDLA, OSNI JOÃO DOS SANTOS e NADIR MARIA DOS SANTOS, TOBIAS PEREIRA MOLOSSI e RENATA CALIXTO LOPES FERES, ZELIO MESQUITA e HELENA AKEMI YAMADA, VICTOR MOREIRA LIMA e CENDY JARA PECCIOLI, FERNANDO YAMADA e VIVIAN CRISTINA DIAS, CAIO FREDERICO DE PAULA VEIGA e JOCIANE TESSER, BRUNO CARDIN COSTA e CÍNTIA CAMARGO KUCZMARSKI, PEDRO CRISTIANO CARDOZO IIDA e GISLENE QUEIROZ FIORAVANTI, FERNANDO FERREIRA DE SOUZA e FERNANDA BURDA FRIEDEMANN, AUJOR ANTONIO MARTINS CORREIA e ALICE DO ROCIO ANDRADE FERREIRA. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei e no prazo de quinze dias. Curitiba, 30 de Janeiro de 2012. ROGÉRIO PORTUGAL BACELLAR OFICIAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL DE CONSTITUIÇÃO DE S/A A HS Administração e Participações S/A, empresa em constituição, de acordo com o artigo 124, da lei 6.404/76, com redação dada pela Lei 10.303/2001, convoca os Membros da Mesa Diretora para Assembleia Geral de Constituição, que será realizada no dia 08 de fevereiro de 2012, às 14h, na Av. Anita Garibaldi, nº. 1569 – Ahú – CuritibaPR, onde estarão em pauta os seguintes assuntos: 1- Leitura e aprovação da minuta do Estatuto Social; 2- Boletins de Subscrição das Ações; 3- Eleição dos Membros do Conselho de Administração e definição da remuneração global dos administradores; 4- Indicação da sede da Companhia; 5- Definição dos jornais nos quais serão efetuadas as publicações que se fizerem necessárias; 6- Descrição da integralização do capital social; 7- Indicação e eleição de empresa especializada para realização da e avaliação do capital de bens.

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5025282-06.2010.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : CLAUDINEI APARECIDO MOURA FERREIRA EDITAL N.º 5803269 FINALIDADE: CITAÇÃO de CLAUDINEI APARECIDO MOURA FERREIRA, inscrito no CPF nº 088.052.919-94, para que, no prazo de 03 (três) dias, efetue o pagamento da dívida no valor principal de R$ 15.535,00 (quinze mil quinhentos e trinta e cinco reais), acrescido de 10 % de honorários advocatícios, válido até outubro de 2010, e das custas processuais, com demais acréscimos, a ser devidamente atualizado monetariamente à época do efetivo pagamento, sob pena de penhora em tantos bens quantos bastem para satisfazer o crédito, nos termos do art. 652, §1º, do CPC, observando que, efetuado o pagamento integral no prazo supra, a verba honorária será reduzida pela metade (art. 652-A, par. único do CPC). Fica, ainda, ciente de que poderá oferecer embargos à execução, no prazo de 15 (quinze) dias, contados do decurso de prazo do presente edital, nos termos do art. 738, caput do CPC, independentemente de penhora, depósito ou caução, e que no mesmo prazo, reconhecendo o crédito do exeqüente e comprovando o depósito de 30% do valor em execução, inclusive custas e honorários de advogado, poderá o executado requerer ao juiz seja admitido a pagar o restante em até 6 parcelas mensais, acrescidas de correção monetária e juros de 1% ao mês (art. 745-A do CPC). PRAZO: 30 (trinta) dias EXPEDIDO nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, 12 de janeiro de 2012 Eu ____ Luis Giacomitti, Técnico Judiciário, digitei e ____eu Gelson Pacheco, Diretor de Secretaria, conferi e subscrevi este edital, que vai assinado pelo MM. Juiz Federal desta Vara. Nicolau Konkel Junior Juiz Federal

GRANOLAB DO BRASIL S/A TECN. PARA A IND. ALIM. CNPJ 06.895.723/0001-82 NIRE 41300022879 AVISO AOS ACIONISTAS

GRANOTEC DO BRASIL S/A BIOTECN. E INGRED. ALIM. CNPJ 82.496.183/0001-42 NIRE 41300022861 AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos senhores acionistas da Granotec do Brasil S/A Biotecnologia e Ingredientes Alimentares que acham-se a disposição, na sede social, a Rua João Bettega 5.800, Cidade Industrial, nesta Capital, as demonstrações financeiras e os demais documentos referidos no art. 133 da Lei nº. 6.404/76, relativos ao exercício findo em 31/12/2011. Curitiba, 23 de Janeiro de 2.012. Mario Venturelli Presidente do Conselho de Administração BIOLINK PARTICIPAÇÕES S/A CNPJ 03.730.282/0001-70 NIRE 41300072175 AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos senhores acionistas da BIOLINK PARTICIPAÇÕES S/A que acham-se a disposição, na sede social localizada em Curitiba, Paraná, a Travessa Itália 102, Bairro Alto da Glória, as demonstrações financeiras e os demais documentos referidos no art. 133 da Lei nº. 6.404/76, relativos ao exercício findo em 31/12/2011. Curitiba, 23 de Janeiro de 2.012. Paloma Benghi Venturelli Fondacaro Diretora

Comunicamos aos senhores acionistas da Granolab do Brasil S/A Tecnologia para a Indústria Alimentícia que acham-se a disposição, na sede social, a Rua João Kalinowski 105, Cidade Industrial, nesta Capital, as demonstrações financeiras e os demais documentos referidos no art. 133 da Lei nº. 6.404/76, relativos ao exercício findo em 31/12/2011. Curitiba, 23 de Janeiro de 2.012. Mario Venturelli Presidente do Conselho de Administração

SÚMULA DE PEDIDO DE CANCELAMENTO DE LICENÇA PRÉVIA A Empresa Tecnotam Soluções Ambientais Ltda. torna público que solicitou ao IAP, o CANCELAMENTO da Licença Prévia nº 26752 para Recebimento, armazenamento provisório, preparação e trituração de resíduos Classe I e II para Reciclagem e ou Co-processamento.

A empresa abaixo, torna público que recebeu do IAP a Licença de Operação, para o empreendimento a seguir especificado: EMPRESA: Ampla Produtos de Comunicação Visual Ltda; ATIVIDADE : Fabricação de máquinas e equipamentos para uso industrial específico não especificados anteriormente, peças e acessórios; ENDEREÇO : Av. Maringá, 651 – Vila Emiliano Perneta MUNICÍPIO: Pinhais- PR.

Smartcom comemora dois anos de atividades planejando consolidação no mercado A Smartcom – Inteligência em Comunicação comemora neste mês de janeiro dois anos de atuação. Com clientes de diversas áreas e com grandes expectativas para 2012, a agência especializada em soluções de comunicação espontânea tem o objetivo de consolidar-se no mercado e se destacar pelos mais de 23 anos de experiência das jornalistas à frente da empresa. Os diferenciais da Smartcom têm sido um ponto alto na conquista de novos clientes, já que os serviços oferecidos são personalizados e priorizam as reais necessidades daqueles que contratam a agência. O período de integração, por exemplo, é uma das ações diferenciadas proposta quando o contrato é fechado.

“Ele pode ter a duração de meio período ou de uma semana, de acordo com a necessidade e, com ele, temos o objetivo de entender 100% do cliente”, afirma Silvana Piñeiro Nogueira, diretora da Smartcom. Segundo a jornalista, com isso é possível saber em detalhes como a empresa funciona em todos os processos e também conhecer as pessoas que trabalham na organização. “Essas informações facilitam a identificação dos possíveis assuntos a serem trabalhados para fortalecer a imagem do novo cliente”, completa. Além disso, a Smartcom realiza uma pesquisa de imagem com jornalistas e/ou pessoas de preferência do cliente para saber como a empresa é vista pelos mesmos e identificar os

pontos fortes e fracos da marca. “Trabalhamos para promover o reforço da marca no mercado e perante a comunidade. Essas ações nos ajudam a ter uma visão global do negócio”, explica Jaqueline Tiepolo, analista de comunicação da agência. Depois de todo este estudo, a Smartcom desenvolve um planejamento estratégico e um plano de ações junto com o cliente, para que o mesmo acompanhe as atividades que serão trabalhadas semana a semana. A fim de atender a forte demanda de empresas com interesse em multiplicar o fortalecimento da marca nacionalmente, a Smartcom inova e oferece um braço da sua metodologia em São Paulo. A agência é a única no mercado com um parceiro

direto na maior cidade do Brasil que utiliza os mesmos métodos de serviço personalizado. Silvana Piñeiro Nogueira explica que esta estratégia vem ao encontro da necessidade de certas empresas em contar com uma agência de comunicação próxima à sede, mas também que esteja ao lado dos principais veículos de comunicação do Brasil. “O cliente se sente mais seguro quando o assessor está vivenciando a sua rotina, pensando na sua empresa. Ao mesmo tempo, com esta fórmula, a empresa terá sempre um contato de comunicação perto também dos jornalistas. Em um caso de entrevista em São Paulo, por exemplo, ele estará amparado pelo assessor de lá que já o conhece,” finaliza.

Brado é a responsável pelas operações logísticas do Grupo Walmart no Sul do Brasil A Unidade de Esteio (RS) da Brado Logística recebeu, em dezembro, excelente avaliação pela auditoria interna do Grupo Walmart, cliente da Companhia desde 2001. A marca de 98% nos índices refere-se à operação logística de produtos perecíveis, que consiste em recebimento, armazenagem e expedição de mercadorias para as lojas no Rio Grande do Sul. São mais de 100 colaboradores da Companhia envolvidos nas operações da rede varejista do grupo. “O Walmart é um

dos nossos maiores parceiros com alto nível de exigência de padronização dos processos, acuracidade e velocidade de resposta aos pedidos das lojas”, avalia o gerente geral da Unidade de Esteio, Vicente Bittencourt, sobre o sucesso no resultado da auditoria interna. O Grupo Walmart possui, no Sul, as bandeiras Todo Dia, Big, Nacional e Maxxi e movimenta na Unidade de Esteio mercadorias perecíveis distribuídas para essas lojas. O atacadista Maxxi

passou recentemente a integrar o portfólio da Brado, que agora atende todas as bandeiras do Walmart no Estado. “2011 foi um ano de consolidação da parceria entre Walmart e Brado. Esta elevação nos índices de avaliação comprova esta sinergia”, afirma o gerente de logística do Walmart no Sul, Alex Sandro Leite Rodrigues. A Unidade de Colombo (PR) da Brado Logística, também recebe operações da rede Walmart há mais de 11 anos. A operadora logística funciona como

um distribuidor de perecíveis e FLV (Frutas, Legumes e Verduras). Os produtos expedidos atendem as lojas das bandeiras Big, Mercadorama, Todo Dia e Maxxi, do Paraná e parte de Santa Catarina. “São 42 pessoas dedicadas a essa operação, em que movimentamos em média seis mil toneladas por mês. O cliente tem alta exigência com o nível do serviço e os processos internos, onde temos conquistado cada dia mais sucesso”, analisa a gerente geral da Unidade de Colombo, Renata Del Debbio.

Empresas & Produtos Wurth lança cera em spray para proteção anticorrosiva

A Wurth do Brasil, multinacional alemã especializada em peças de fixação, produtos químicos, ferramentas e EPIs, lança no mercado brasileiro uma cera especial em spray para proteção anticorrosiva. A Cavity Wax pode ser aplicada em chapas metálicas, proporcionando uma maior durabilidade contra umidade, maresia e outros fatores que provocam oxidação do ferro. Além de chapas metálicas, a Cavity Wax tem eficácia em chassis, portas, caixa de ar, paralamas laterais, cordão de solda e toda superfície que necessitar de proteção contra corrosão. A cera apresenta fácil aplicação e ótimo rendimento. Sua rápida secagem resulta em uma película de média espessura protetora e de longa duração. O produto ainda possui ótima aderência em superfícies verticais e não deixa manchas no local aplicado, proporcionando ótimo acabamento. Para aplicar Cavity Wax, basta limpar a superfície a ser protegida, agitar a lata e espalhar pelo local desejado de maneira uniforme. Para melhor desempenho e proteção, é recomendado que haja uma segunda aplicação.

UniBrasil promove especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica

A especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva promovida pela UniBrasil tem como público-alvo profissionais da área e será coordenada pelas professoras Msc. Ana Carolina Brandt de Macedo e Cristiane Regina Gruber. Os módulos totalizam 390 horas-aula e alguns dos assuntos que serão discutidos na especialização são Anatomia Palpatória, Biomecânica e Fotogrametria, Princípios de Reeducação Postural, Terapia Manual e Fisioterapia Desportiva. O curso terá duração de aproximadamente 18 meses e as aulas acontecem às sextas-feiras, das 18h30 às 22h30, e aos sábados, das 8h às 12h e das 13h30 às 18h. O investimento é dividido em 18 parcelas de R$352,94 cada, sendo que egressos da UniBrasil têm 15% de desconto. Para mais informações, entre em contato com a Secretaria da Pós-Graduação pelo telefone (41) 3361-4271 ou pelos e-mails posgraduacao@unibrasil. com.br e pos@unibrasil.com.br. O horário de atendimento da secretaria é de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h, e aos sábados, das 8h às 12h.

Férias aumentam a procura por cursos de inglês em até 40%

Com a correria do cotidiano, muitos profissionais aproveitam o período de férias para aprender ou aprimorar seus conhecimentos em inglês. E o começo do ano é uma ótima época para estudar o idioma, tanto que, só na primeira quinzena do mês de janeiro, a EF Englishtown – maior escola de inglês online do mundo –, teve um aumento de 40% na procura de seus cursos comparado ao mesmo período de dezembro. “O crescimento da procura por cursos nas férias acontece, pois o estudante pode programar suas aulas de inglês no horário em que for mais conveniente. O ensino pela Internet é ainda mais vantajoso, pois ele pode fazer as aulas até mesmo se estiver viajando”, explica Julio De Angeli, vice-presidente da EF Englishtown para Europa e Américas.

IBPT orienta empresários em seminário sobre PIS e COFINS

O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT trará importantes orientações aos empresários no Seminário de PIS e COFINS que ocorrerá no dia 9 de fevereiro na sede do Instituto, em Curitiba. Com estratégias que visam minimizar os riscos e possibilitar um planejamento tributário, o curso contribui para suprir as dúvidas dos empresários sobre o tema, uma vez que o Fisco impõe uma série de limitações aos créditos destes tributos, gerando uma enorme insegurança jurídica para o contribuinte. O Seminário será realizado das 8h30 às 18h e trará orientações de extrema relevância aos diretores, gerentes e principais assessores dos departamentos e divisões de tributos, controladoria, contabilidade, jurídico, financeiro e auditoria interna de empresas de todos os tipos e tamanhos, além de advogados, contadores, consultores e auditores tributários que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto. Os temas serão expostos pelos diretores do IBPT, especializados na área tributária: o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, o coordenador de estudos do Instituto, Gilberto Luiz do Amaral e o diretor Fernando Steinbruch. O currículo completo dos profissionais pode ser acessado no site http://ibpt.com.br/seminarios/pis-cofins/, onde está disponível também a programação completa do Seminário. As inscrições podem ser feitas por telefone ou na Loja Virtual do IBPT, que oferece comodidade e segurança no pagamento. As vagas são limitadas.

Ruy Barrozo inicia o ano com diversos eventos

O colunista e promoter Ruy Barrozo começa o ano com inúmeros eventos em sua agenda, depois do sucesso da festa do curso de Medicina da PUC-PR de Vinicius Bocchino Seleme realizado no Country Club. Ruy prepara ainda para o primeiro semestre, formaturas, casamentos e também uma grande festa de um conhecido advogado no Country Clube. O promoter conta sempre com o apoio e colaboração dos seus principais fornecedores, entre eles Classic luz e som, floricultura Flor de Liz, Buffet Marzia Lorenzetti, Tina Gabriel arranjos florais, Studio F22 fotografia e os Djs Denis Rica e André Gentil.

Rede Mani Hotéis & Resorts firma parceria com o programa Multiplus

A Rede Mabu Hotéis & Resorts oferece uma nova vantagem, o Multiplus Fidelidade, programa que permite aos hóspedes acumular pontos e trocar por diferentes prêmios. A cada três reais gastos no valor da diária em um dos hotéis da rede – não incluindo taxas extras e serviços, como alimentação – os clientes acumulam um ponto. Para participar é necessário apenas efetuar o cadastro no site do Multiplus Fidelidade. O programa de fidelização reúne diversas empresas parceiras, sendo que os pontos adquiridos nos hotéis da Rede Mabu podem ser trocados por benefícios em: bilhetes aéreos, cartões de crédito, lojas de departamento, supermercados, postos de gasolina, livrarias, telefonia, provedores de televisão e internet, entre outros produtos e serviços. “O nosso objetivo é premiar a fidelidade dos clientes. Por meio da inserção no programa Multiplus Fidelidade, o Mabu vai possibilitar aos hóspedes a utilização de serviços e benefícios diferenciados”, destaca o superintendente da Rede Mabu Hotéis & Resorts, Alberto Asseis.


Opinião Um porquinho na casa do lobão Helder Caldeira* É impressionante a capacidade do Brasil de levar a fantasia para a vida pública, para o universo político. Brasília, às vezes, parece um eterno conto de fadas. Ou melhor, um conto de bruxas! Ainda durante a campanha de Dilma Rousseff rumo à Presidência da República, ficou famosa a expressão “Os Três Porquinhos” para classificar seus fiéis escudeiros Antônio Palocci, José Eduardo Cardozo e José Eduardo Dutra. Tão logo eleita, a própria Dilma assumiu a galhardia dos cognomes, durante um discurso de agradecimento ao Diretório Nacional do PT, em 19 de novembro de 2010. Até eu dediquei um capítulo inteiro do livro “A 1ª Presidenta” (Editora Faces, 2011, 240 páginas) para falar sobre a participação dos “três” na jornada dilmista: “Cícero, Heitor e Prático – Sobre Porquinhos e Casas Frouxas” (págs. 195-200). Com os dois primeiros nós sabemos o que aconteceu. José Eduardo Cardozo, o melhor sucedido, firmou-se como titular do Ministério da Justiça e vem realizando um excelente trabalho, diga-se de passagem. Já Antônio Palocci, após protagonizar um retorno triunfante ao Palácio do Planalto, de onde fora defenestrado durante o governo Lula por suspeitas lupanares e por violar o sigilo bancário de um humilde caseiro “dedo-duro” que seria chantageado, ganhou de Dilma Rousseff o título de ministro-chefe da Casa Civil e, antes de completar 200 dias de novo governo, já estava atolado em escândalos, após a denúncia do jornal Folha de S. Paulo de que seu patrimônio aumentou 25 vezes em apenas 4 anos com a prestação de milionárias e misteriosas consultorias. Palocci foi novamente defenestrado do governo petista. Com o terceiro porquinho a coisa foi mais difícil. José Eduardo Dutra era presidente nacional do PT, cargo que deixou nas mãos do deputado paulista Rui Falcão. Na formação do tétrico corpo ministerial de Dilma, antes da posse oficial, toda cúpula do Partido dos Trabalhadores articulou maciçamente para que Dutra ganhasse ou o Ministério do Turismo, ou o Ministério da Previdência Social, pastas consideradas fundamentais para os partidos políticos por serem vertedouros quase ilimitados de recursos públicos para o famoso “Caixa 2”, que teve a existência atestada e chancelada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 17 de julho de 2005, em sua famigerada declaração ao programa Fantástico, da Rede Globo, nos jardins de um palácio francês durante o escândalo do Mensalão: “Ué, o ‘caixa 2’ que o PT fez, do ponto de vista eleitoral, é o que é feito no Brasil sistematicamente.” Ou seja, roubamos sim, e daí?! Todo mundo rouba mesmo! Mas o Turismo e a Previdência Social, pelos motivos acima expostos, já faziam parte da cobiça feroz do partidão PMDB, cotista prioritário por ter o vice-presidente da República e as maiores bancadas na Câmara e no Senado. Ainda assim, o PT fez pressão para encontrar uma saída honrosa para o terceiro “porquinho” de Dilma: como José Eduardo Dutra é o primeiro-suplente do senador socialista sergipano Antônio Carlos Valadares (PSB/SE), a nomeação deste a algum Ministério abriria espaço para que Dutra assumisse o mandato no Senado Federal. Não deu certo. O nome de Valadares não emplacou em lugar nenhum e o ex-presidente do PT ficou sem um cargo no primeiro escalão da República. Como pra essa “gente grande” não servem outras funções que não as de mandatários, o homem ficou “desempregado”. Eis que, um ano depois de assumir a Presidência da República, Dilma Rousseff conseguiu, finalmente, arrumar um lugarzinho para acomodar seu último “porquinho”. Por um desses caprichos do destino e contrariando qualquer sanidade das histórias infantis, José Eduardo Dutra foi parar no Ministério (peemedebista) das Minas e Energia, cujo titular é o maranhense Edson Lobão. Um “porquinho” na casa do Lobão! Essa foi a primeira decisão da “coleguinha da presidenta” Maria da Graça Foster, nova presidente da Petrobras, técnica dita competentíssima segundo relatos dos “entendedores” do assunto: criar a Diretoria Corporativa que irá administrar a mega estatal brasileira e que será assumida pelo então esquecido apaniguado petista José Eduardo Dutra. A decisão será referendada no início de fevereiro, conforme anunciou o ministro Lobão. “Mal vai a história”, diria minha saudosa vovozinha. Num governo onde corrupção e bandidagem são chamadas de meros “malfeitos” infantilóides, não é de espantar que a presidente Dilma Rousseff tenha conseguido colocar sob um mesmo teto e com os mesmos “objetivos” um lobão e um porquinho. Na mesma toada, Dilma amarelou e acabou rendida pelas ameaças públicas do líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN). Depois de uma “avaliação pragmática”, a presidente decidiu voltar atrás e manter os peemedebistas no comando da Transpetro. Ainda mais agora, que seu último “porquinho” já está confortavelmente acomodado no primeiro escalão de seu governo e com a faca, o queijo e as chaves do cofre nas mãos. E todos foram felizes para sempre, no reino encantado dos larápios, na “Brasília” da fantasia! *Helder Caldeira é escritor, jornalista político, palestrante e conferencista, autor do livro “A 1ª PRESIDENTA” (Editora Faces, 2011, 240 páginas), primeira obra publicada no Brasil com a análise da trajetória da presidente Dilma Rousseff e que já está entre os livros mais vendidos do país em 2011. www.heldercaldeira.com.br – helder@heldercaldeira.com.br

Edital de concurso público com vagas regionalizadas é legal A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou recurso em mandado de segurança de candidato aprovado além do número de vagas para o cargo de analista judiciário, em São José dos Campos (SP). O colegiado, em decisão unânime, entendeu que não existe ilegalidade no edital do concurso por ter como critério a distribuição de vagas por região. No certame realizado para o cargo de analista judiciário do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), as vagas foram disponibilizadas por unidades administrativas no estado de São Paulo. Como consta no edital, o candidato poderia concorrer às vagas disponíveis para a lo-

calidade pretendida, fazendo a opção no momento da inscrição, assim como também se inscrever para a lista geral formada pelos candidatos habilitados que não fossem aprovados na lista regional. Por vislumbrar a possibilidade de nomeação de outra pessoa aprovada em colocação inferior à sua na lista geral, o candidato impetrou mandado de segurança no TRF3, alegando que a regionalização acarreta “grave violação do princípio da isonomia”, uma vez que os candidatos empossados, após três anos, podem solicitar remoção, impossibilitando a nomeação de outros aprovados para a mesma localidade.

Justiça&Direito Indústria&Comércio | Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | A8

menos burocracia

CNJ firma acordo para uso de cartões nos tribunais Novo sistema trará mais agilidade ao processo de pagamento em acordos

A

corregedora Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, participou, nesta segunda-feira (30), da assinatura de um termo de cooperação técnica que permitirá o uso de cartões de crédito ou débito no pagamento de dívidas trabalhistas. A iniciativa é inédita e tem como objetivo tornar mais ágil o processo de execução de decisões e acordos na Justiça trabalhista, repassando o dinheiro rapidamente à parte beneficiada e reduzindo a burocracia na parte de execução e arquivamento dos

processos. Atualmente, quando as partes entram em acordo, o pagamento da dívida é feito de forma manual, por meio de depósitos bancários, e envolve uma série de etapas burocráticas a serem cumpridas desde o fechamento do acordo na sala de audiência até a liberação efetiva do dinheiro e o arquivamento do processo. Com o uso de cartões, a liberação dos recursos poderá ser imediata, no caso de cartão de débito, ou em 30 dias, no caso de pagamento com cartão de crédito. O arquivamento do

processo também passa a ser feito logo após a impressão dos recibos de pagamento. Após a assinatura do termo, um projeto piloto será implantado em uma das varas do trabalho de Belém/PA, momento em que será testado e aprimorado pelo período de seis meses. Posteriormente, o sistema deverá ser disponibilizado para todos os tribunais e unidades interessadas. Além da ministra Eliana Calmon, participaram da assinatura do termo de cooperação o corregedor-geral da Justiça

do Trabalho, ministro Antônio José de Barros Levenhagen; o presidente do Colégio de Presidentes e Corregedores da Justiça do Trabalho (Coleprecor), desembargador Renato Buratto; o presidente do TRT da 8ª Região (PA), desembargador José Maria Quadros de Alencar; o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e o vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, Alexandre Corrêa Abreu. A assinatura acontece às 14h30 no plenário do Conselho Nacional de Justiça, em Brasília.

Prazo inicial para regularização de dívidas no Banco Nacional de Devedores termina dia 3 Na próxima quinta-feira (3), encerra-se o prazo de 30 dias estabelecido pelo Ato TST-GP 01/2012, do Tribunal Superior do Trabalho, para que os devedores que constavam do Banco Nacional de Débitos Trabalhistas (BNDT) no dia 4 /1, quando entrou em vigor a Lei 12.440/2011 regularizassem sua situação para fins de emissão da Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas. Ao fixar o prazo, o presidente do TST, ministro João

Oreste Dalazen, adotou critérios semelhantes aos utilizados na inclusão de devedores no Cadastro Informativo (CADIN), que proporciona ao devedor a oportunidade de quitar seus débitos antes de sua inscrição definitiva no banco ou de questionar a sua inclusão. Desde o dia 4/1, o sítio eletrônico do TST já emitiu 589.853 certidões. O BNDT conta com 963.316 devedores, condenados em 1.617.209 processos traba-

lhistas. Desses, todos os que já haviam sido pré-cadastrados no dia 4 de janeiro não conseguirão obter a certidão negativa a partir da quinta-feira e, portanto, estarão impedidos de participar de licitações públicas, como determina a Lei 12.440/2011. No seu caso, a certidão emitida será a positiva de débitos. Muitos devedores, aproveitando o prazo de 30 dias, anteciparam-se e quitaram seus débitos, pagando

Demitido por entregar produtos antecipados consegue reversão A entrega de mercadorias por vendedor da Souza Cruz S.A. antes de os compradores pagarem por elas não configura quebra de confiança que justifique a demissão por justa causa, ainda mais levando-se em conta que a empregadora não sofreu nenhum prejuízo financeiro, pois o trabalhador a ressarciu, pagando pelos produtos vendidos e não pagos. Por meio de recurso de revista ao Tribunal Superior do Trabalho, a Souza Cruz tentou reverter a decisão regional que, afastando a justa causa, determinou à empresa o pagamento das verbas rescisórias ao empregado. A Primeira Turma, porém, não conheceu do recurso quanto ao tema, mantendo, assim, o entendimento do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (CE).

Sem prejuízo

A Souza Cruz alegou que de-

mitiu o empregado por improbidade, pois teria desrespeitado o regulamento da empresa, que veda a entrega de produtos sem o devido pagamento. O vendedor foi dispensado em 2/6/2003, mas o fato ocorreu em 8/4/2003 e foi descoberto em 14/4/2003 por um inspetor que fez a auditoria e foi testemunha da empresa na audiência trabalhista. O auditor afirmou que o vendedor emitiu cheque de R$ 630,00 para cobrir as vendas a dois clientes que não pagaram, e que não houve prejuízo financeiro para a empregadora. Ele detectou junto a um dos clientes, o Posto Irmãos Leste, que houve a entrega do produto, mas que o comprador não efetuou o pagamento. Para o TRT/CE, a demissão foi injusta e, por essa razão, condenou a empresa a pagar as verbas rescisórias. O vendedor, que alegou acumular também as

funções de cobrador e motorista, receberá, então, aviso prévio, décimo terceiro proporcional, férias proporcionais acrescidas do terço e liberação do FGTS com multa de 40%. A Souza Cruz, então, recorreu ao TST, entre outros motivos, pela reversão da justa causa.

TST

Segundo o relator do recurso de revista, juiz convocado Hugo Scheuermann, não se configura, no caso, a quebra de confiança que possibilite a despedida por justa causa, em razão do princípio da proporcionalidade na aplicação da pena, “uma vez que, de acordo com o que foi relatado pela Corte de origem, o próprio empregado procurou minimizar sua conduta, ressarcindo a empregadora, para que ela não sofresse qualquer prejuízo patrimonial”.

aos trabalhadores os valores que lhes foram reconhecidos em sentenças condenatórias da Justiça do Trabalho. A emissão da CNDT é feita a partir de consulta ao Banco Nacional de Devedores, cuja regulamentação considera obrigatória a inclusão do devedor que, devidamente cientificado, não pagar o débito ou descumprir obrigações determinadas judicialmente no prazo previsto em lei.

JT faz acordo de quase R$ 3 milhões Um acordo em 32 processos no valor R$ 2,9 milhões foi realizado, no dia 19 de janeiro, pela juíza da Vara do Trabalho de Paranavaí Ester Alves de Lima. Os autos envolviam apenas um supermercado da região e cobravam verbas trabalhistas a diversos funcionários da empresa. “Havia autos que tramitavam na Justiça desde 1995. O acordo mostrou que é possível solucionar casos por meio da conciliação. Sem ela, demoraria mais tempo para resolvê-los”, explica a juíza. O supermercado se comprometeu a quitar mais cinco processos que foram abertos para pagamentos de despesas processuais e contribuições previdenciárias, os quais já foram devidamente quitados.

Banco do Brasil perde de novo recurso para manter exclusividade no consignado A desembargadora federal Selene Maria de Almeida indeferiu o pedido de agravo de instrumento do Banco do Brasil, que tentava recorrer da decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em relação ao crédito consignado. Essa é a segunda vez que o banco é derrotado na tentativa de manter a exclusividade no empréstimo com desconto em folha. Tribunal Regional Federal da Primeira Região já havia negado liminar do banco em 24 de novembro de 2011. Agora teve de novo uma tentativa frustrada junto à desembargadora federal Selene Maria de Almeida, que publicou despacho negativo de agravo de instrumento no último 25 de janeiro e aguarda publicação no Diário Oficial da União (DOU). As negações dos pedidos indicam que o judiciário está em concordância com o processo administrativo de número 08700.003070/2010-14 do Cade publicada em 11 de novembro do ano passado. A determinação proíbe o Banco do Brasil de praticar a exclusividade no crédito consignado nos estados e municípios onde controla a folha de pagamento,

com o objetivo de preservar os princípios constitucionais de livre concorrência e livre iniciativa. Cabe agora ao Cade fazer valer a decisão obriga a instituição financeira a suspender os contratos de exclusividade nessa modalidade de operação, sob pena de sofrer sanções. Dentre as punições, está o pagamento de multa de R$ 1 milhão por dia, o que já acumula dívida de R$ 86 milhões pelo descumprimento desde novembro de 2011. A demanda judicial teve início em julho de 2010, quando a Federação Interestadual dos Servidores Públicos (Fesempre) protocolou pedido de instauração de processo administrativo com pedido de medida preventiva contra o monopólio do BB. As medidas preventivas são as seguintes: 1 - Cessação imediata da assinatura de quaisquer novos contratos contendo cláusula de exclusividade de consignação em pagamento, ou de cláusulas que exijam dos órgãos responsáveis pelo pagamento dos vencimentos de seus potenciais clientes dessa modalidade de crédito quaisquer benefícios

concedidos a si que não possam ser também estendidos a todos os seus demais concorrentes, especial, mas não exclusivamente no que diz respeito a prazos, margens e custos, ou que de qualquer forma restrinjam o acesso de tais clientes às operações de crédito ofertadas por outras instituições; 2 - Suspensão imediata de quaisquer acordos atualmente vigentes que tenham ou possam vir a ter os escopos referidos no item acima; 3 - Comunicar o teor da decisão, individualmente, a todos os servidores públicos que com ele tenham, atualmente, contratos vigentes de crédito consignado, informando-os, ainda, da possibilidade de quitação antecipada de seus contratos, na forma dos normativos do Banco Central do Brasil atualmente em vigor, atinentes à chamada “portabilidade” de créditos; 4 - Apresentar ao Cade, no prazo de 20 dias a partir da defesa, cópias de todos os contratos envolvendo práticas coincidentes com aquelas referidas no item 1, assinados desde 2006, especificando, em relação a cada contrato, o número

e volume total de operações de crédito consignado delas decorrentes, incluindo tanto as operações atuais quanto as já liquidadas, bem como seus respectivos valores e prazos médios, além das taxas de juros nelas praticadas; 5 – Publicar em dois jornais de grande circulação do território brasileiro, no prazo de 15 dias contado de sua intimação desta decisão, o teor da Medida Preventiva.

Exclusividade

Atualmente sete estados e cerca de 40 cidades mantêm contratos de monopólio no crédito consignado. São eles: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e São Paulo. Entre as principais cidades estão: São Paulo, São Bernardo do Campo, São Caetano, Campinas, Santo André, Santos, Mauá, Diadema, São Caetano do Sul, Rio Claro e Araras. O Tribunal de Justiça da Bahia derrubou a exclusividade, em julgamento do mérito, por 27 votos contra um. No entanto, o governo estadual não cumpriu a determinação do TJ, configurando crime de desobediência, passível de intervenção federal.


Negócios Indústria&Comércio | Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | B1

CULTURA

Projeto da Petrobras irá valorizar os blocos afro Intenção é resgatar a importância dos blocos afro no Carnaval Petrobras - maior patrocinadora da cultura brasileira - criou o projeto “Que Bloco é Esse?” com o intuito de resgatar a importância dos tradicionais blocos afro no Carnaval de Salvador. O projeto promoveu o encontro dos blocos afro com artistas consagrados do grande público e vai disseminar o conteúdo produzido nas principais redes sociais na internet. O projeto contempla a gravação de um videoclipe com a nova versão da música “Ilê Ayê”, gravado com a participação do Ilê Aiyê e do rapper paulista Criolo. As gravações foram feitas no tradicional bairro da Liberdade, em Salvador, durante o mês de janeiro. Criolo abre o clipe, de aproximadamente quatro minutos, com versos seus, criados exclusivamente

para a nova versão. A iniciativa conta ainda com encontros entre outros blocos afro e artistas consagrados da música brasileira em seus ensaios. O bloco Muzenza recebeu a banda Nação Zumbi no ensaio do dia 20 de janeiro; o Male Debalê tocou com o rapper Emicida no dia 22; e o Cortejo Afro recebeu Preta Gil ontem (30). Os vídeos com esses encontros musicais poderão ser vistos a partir de fevereiro, assim como os mini-documentários, que também serão produzidos sobre a história desses blocos. O projeto engloba ainda a cobertura dos desfiles no Carnaval de Salvador e envolverá também os blocos Okanbi, Os Negões, Bankoma e Olodum. O videoclipe pode ser visto desde o dia 28 de janeiro,

no endereço www.petrobras. com.br/queblocoeesse. Os mini-documentários com as participações especiais dos artistas estarão disponíveis no mesmo endereço virtual a partir de fevereiro. A Petrobras também patrocina outros blocos, além de trios independentes dos músicos Moraes Moreira e Davi Moraes, Armandinho, Dodô e Osmar, Luis Caldas, entre outros, e abastecerá 120 veículos com biodiesel, contribuindo para reduzir a emissão de poluentes na atmosfera nos dias de festa.

Promoção

A Petrobras levará três pessoas para passar o Carnaval em Salvador, entre os dias 19 e 22 de fevereiro, com direito a

levar um acompanhante cada, e com passagem, hospedagem e alimentação incluídos. Para isso é preciso acessar o site www.petrobras.com.br/ queblocoeesse, a partir do dia 28 de janeiro, assistir ao videoclipe com a nova versão da música Ilê Aiyê, gravada pelo bloco Ilê Aiyê e o rapper paulista Criolo, e encontrar um código que dará acesso à promoção. Após digitar o código na página de inscrição, o participante terá que responder a pergunta “O que você misturaria com um bloco afro e por quê?”. Os autores das três melhores respostas - que devem ter no máximo 400 caracteres - vencem. A divulgação dos ganhadores será realizada no dia 14 de fevereiro na página do concurso.

Plaenge apresenta primeiro lançamento do ano No último sábado (28), a Plaenge apresentou aos seus clientes o Poème, o primeiro lançamento de 2012 da construtora em Curitiba. O empreendimento é a resposta aos anseios de consumidores que buscam um imóvel moderno, prático, funcional e com todo o conforto e qualidade dos imóveis de alto padrão. “Observamos em nossas pesquisas de lançamento e de pós-ocupação esta tendência dos nossos clientes e procuramos preencher esta lacuna do mercado. Com 122 metros quadrados de área privativa, o Poème oferece todos os benefícios e diferenciais de empreendimentos com grandes metragens”, explica Luiz Gustavo Salvático, gerente regional da Plaenge. Localizado no bairro Ecoville, o Poème oferece três suítes como seu grande diferencial em relação às demais opções existentes no mercado. Suas três opções de planta garantem um ótimo aproveitamento dos espaços e a adequação do imó-

vel à necessidade de cada família. Além destes diferenciais, o Poème oferece ampla cobertura de vidros na sala, cozinha e sacada, proporcionando maior iluminação natural e sol aos ambientes, além de integração da cozinha com a varanda, passando a impressão de se ter um verdadeiro jardim dentro do apartamento. Isso sem falar na excelente qualidade do acabamento, que conta com piso laminado nas áreas secas e porcelanato na cozinha, área de serviço e banheiros. As bancadas de mármore e granito também merecem destaque. “O Poème é o único imóvel da cidade, nesta categoria, que será entregue com toda Infraestrutura para ar-condicionado split e venezianas automatizadas nas três suítes, inclusive na suíte master onde a janela vai até o chão”, comenta o gerente. A área de lazer é outra atração à parte: salão de festas, espaço gourmet, espaço da mulher, sala de jogos, brinquedoteca,

As áreas de lazer do edifícios serão entregues totalmente equipadas e decoradas com o padrão de qualidade da Plaenge

sauna, playground, praça de alongamento, piscinas cobertas aquecidas adulto (com raia) e infantil, fitness center, quadra de esportes e outros itens que transformam o Poème em um verdadeiro clube privativo para os moradores do empreendimento. “Todas as opções de lazer foram pensadas para garantir o máximo de conforto

para os clientes, porém com a preocupação de contemplar opções bastante utilizadas e evitar itens de lazer desnecessários que só acarretam custos ao condomínio”, lembra Luiz Gustavo. As áreas de lazer do edifícios serão entregues totalmente equipadas e decoradas com o padrão de qualidade da Plaenge.

Manual mostra caminho sucesso na construção Mercado em crescimento acelerado, o ramo da construção civil tem enfrentado inúmeros problemas jurídicos, resultantes, em especial, da falta de informação de empreiteiros, construtores e incorporadores. O livro Manual Jurídico da Construção Civil (Editora Ithala, R$ 69,00) visa suprir a necessidade do profissional, apresentando e analisando diversas regras jurídicas que devem ser seguidas, tanto para a realização da obra quanto para comercialização do empreendimento. “Trata-se de uma obra de caráter informativo, que procura aliar o conhecimento científico ao que o empresário encontra em sua atividade profissional”, explica o jurista Alfredo de Assis Gonçalves Neto, coordenador e um dos organizadores do livro. O lançamento oficial do livro acon-

tece no dia 14/02 (terça-feira) no Instituto dos Advogados do Paraná (IAP-PR) a partir das 18h. De fácil consulta e compreensão, a obra é um verdadeiro guia para empresários e aborda – em capítulos escritos por diferentes profissionais do direito empresarial e tributário – os diversos temas relacionados à construção civil. “Procuramos explicar com linguagem simples assuntos do cotidiano do construtor, como os contratos que costumam celebrar, as disposições que regulam a incorporação, as licitações e os encargos tributários e trabalhistas que decorrem da atividade”, explica o advogado Leonardo Sperb de Paola, também organizador do livro. Manual Jurídico da Construção Civil começa se dedicando aos aspectos empresariais e

também contratuais da atividade. Dedica também capítulos aos negócios imobiliários, incorporação e ao direito do adquirente, focando na aplicação do Código de Defesa do Consumidor no mercado imobiliário. O livro também serve como guia para empresários, explicando as modalidades de captação de recursos para construção civil, questões tributárias relacionadas ao setor e os aspectos trabalhistas, desde a segurança e medicina do trabalho às responsabilidades da terceirização, acidentes e indenizações. Com tabelas de consulta rápida e que resumem conteúdos, são abordadas ainda as regulações urbanísticas e ambientais da construção civil. Manual Jurídico da Construção Civil dedica um capítulo à responsabilidade civil

do empreiteiro, salientando a obrigação de perfeição, solidez e segurança da obra, entre outras responsabilidades. O livro ainda menciona os aspectos penais em caso de crimes de desabamento, em que o construtor responde penalmente pelo desabamento ou desmoronamento e arquitetos ou engenheiros podem responder como coautores, devido ao dever de fiscalização da obra. Os leitores ainda contam com um capítulo dedicado às licitações. O livro apresenta as modalidades de licitações, impedimentos, hipóteses de dispensa e orienta sobre os procedimentos para a participação. Um rico glossário conclui a obra, tornando-o um guia completo para profissionais do ramo da construção civil.

inFlux planeja abrir 14 franquias em 2012 Em 2012, a inFlux English School, rede de escolas de idiomas com 70 unidades em todas as regiões do país, planeja abrir mais 14 franquias e chegar a 84 escolas em todo território nacional. As cidades de Jundiaí, São José dos Campos e São Paulo (SP); Tubarão, Palhoça e Lages (SC); Rio de Janeiro, Macaé (RJ) e Niterói (RJ); Goiânia (GO); Belo Horizonte (MG) e Guarapuava (PR), Paranaguá (PR) e Cascavel (PR) são as regiões que a rede planeja chegar, ou, então, ampliar sua presença. Com investimentos de R$ 1,5

CMYK

milhão, a inFlux ganha mais força no Sul e Sudeste. Com as novas escolas, a inFlux passará a atuar no Rio de Janeiro, onde abrirá duas unidade, o único estado do Sudeste em que não estava presente. Além disso, amplia sua participação na mesma região com a abertura de três novas escolas, uma em São Paulo, e duas em Minas Gerais. A rede também ganha mais força nas regiões Sul, com a inauguração de três unidades em Santa Catarina, e na região Centro-Oeste, com uma nova escola em Goiás. Eduardo Leal, diretor de

expansão da rede, explica que a estratégia aplicada em São Paulo e Rio de Janeiro é diferente daquela utilizada em Minas Gerais e Espírito Santo. “Nosso projeto para São Paulo e Rio de Janeiro é chegar pelo interior e ir tomando os territórios aos poucos, porém há a possibilidade de montar novas unidades nessas capitais e em pontos estratégicos. Já em Minas no Espírito Santo, o processo se dá de forma inversa, partindo das capitais para o interior. Mudanças no perfil de mercado e surgimento de candidatos a franqueados com alto poten-

cial nos permite tomar novos rumos”, revela Eduardo. Até 2020, a rede deve estar presente em todo o território nacional e aposta nas regiões Sul e Sudeste para ganhar mais visibilidade e atrair franqueados de todo o Brasil. “Nossa meta é sempre selecionar candidatos que tenham o perfil ideal do negócio inFlux, pois sabemos que a seleção do franqueado é um dos fatores determinantes para nosso sucesso. Por isso, após a aprovação do candidato oferecemos apoio completo para o andamento do negócio”, afirma Leal.

Empresas & Produtos TI lidera ranking de fusões e aquisições no Brasil pelo 4° ano

Tecnologia da Informação foi o setor que mais realizou fusões e aquisições no ano de 2011 no Brasil, liderando o ranking pelo 4° ano consecutivo. Somente o ano passado, foram concretizados 90 negócios envolvendo empresas do segmento, um aumento de 5,5% em relação ao ano anterior. Os dados constam em um levantamento realizado trimestralmente pela KPMG e que identifica as 42 áreas que mais realizaram transações no país. O setor de TI vem registrando um movimento crescente no número de fusões e aquisições desde 1999 e, há quatro, se mantém na posição de líder, ultrapassando indústrias fortes no país como Alimentos e Bebida, Imobiliário e Petróleo e Gás. Em 2011, o levantamento da KPMG apontou ainda que o mercado doméstico de TI está bastante aquecido. Foram feitas durante esse período 45 transações que envolvem somente empresas de capital brasileiro. Também foram registrados 17 de negócios entre empresas estrangeiras adquirindo brasileira estabelecida no País, três brasileiras adquirindo estrangeira no exterior, duas brasileiras adquirindo estrangeira estabelecida no País e 23 estrangeiras adquirindo outra estrangeira estabelecida no País. Para o coordenador da pesquisa, sócio da KPMG, Luis Motta, TI contribuiu para o aumento das operações entre empresas brasileiras e que corresponderam a 50% do total dos negócios do ano.

ABRH-PR realiza primeiro Bom Dia RH de 2012

No dia 15/02 (quarta-feira), acontece a primeira edição do ano do Bom Dia RH, evento organizado mensalmente pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional do Paraná (ABRH-PR). A apresentação, que será ministrada pelo consultor Dorian Bachmann, faz parte do lançamento oficial do Benchmarking 2011, realizado pela ABRH-PR em parceria com a Bachmann & Associados e o ISAE/FGV. A palestra irá abordar os resultados da terceira edição do Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos – números de 2010. O levantamento, que teve a participação de 162 empresas do Estado em um universo de mais 150 mil funcionários, possui 11 indicadores pertinentes à gestão de RH, como: rotatividade, grau de terceirização, absenteísmo, treinamento, horas extras, retenção 90 dias, entre outros. Além destes índices, o Benchmarking também traz uma avaliação do perfil de escolaridade dos empregados e também uma análise com relação a segmentação dos setores ocupados por homens e mulheres do mercado de trabalho. O Bom Dia RH acontece no Hotel Deville Rayon, à rua Visconde de Nacar, 1424, das 7h30 às 10h. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo telefone (41) 3262-4317 ou no e-mail abrh-pr@abrh-pr.org.br. Aos associados da ABRH-PR a participação é gratuita, aos demais participantes o custo é de R$ 30.

Gastronomia cosmopolita inspira cardápio de verão

Curitiba é famosa pelo seu clima ameno, mas nem por isso o verão deixa de ser protagonista. O estilo cosmopolita conta com um espaço onde diferentes sabores se encontram em perfeita harmonização. A Forneria Copacabana, espaço gourmet onde várias influências inspiram pratos que passam por diferentes nuances, preparou um cardápio mais que especial para os paladares mais aguçados. O clima tropical e as viagens do empresário Beto Madalosso pelas Américas e Europa inspiraram sabores que vão desde as saladas, ideais para a estação, até pizzas com massa leve e pratos que levam frutos do mar ou mignon. Nas entradas, a Salada Copacabana reúne folhas e caçarola de polvo, lula e cogumelos grelhados. Se a preferência é por um sabor sublime e fresco, a opção é o Ceviche Peruano Tradicional, um preparado de linguado marinado no limão com batata-doce cozida, milho, pimenta dedo-de-moça, coentro, cebola vermelha e regado a muito azeite. As bruschetas, preparadas sobre a massa de pizza pronta, contam com sabores variados, que vão desde Brie com Geleia de Frutas preparada no local, até a picante Calabresa. Entre os pratos principais, o Pescado Equatoriano é uma verdadeira volta ao mundo: o arroz negro, originário da China, se mistura ao sabor do pescado com molho branco de limão. Já o Espague Miraflores do Mar traz a leveza do camarão juntamente com aspargos, champignon, tomate e amêndoas. O mesmo prato ainda tem a opção com tiras de mignon no lugar do camarão. A Caçarola de Frutos do Mar também é uma boa alternativa para os dias mais quentes. Já as novidades para este começo de ano são: Salmão Vintage: molho de laranja e arroz com amêndoas, Risoto de camarões e aspargos, Bacalhau Portuga: arroz português, bacalhau, azeitona preta, tomate, creme e gema de ovo.

Fiep promove workshop na área da panificação

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), através do seu Centro Internacional de Negócios (CIN), promove hoje (31) o Workshop do Projeto Setorial de Exportação de Panificadoras da Apex-Brasil. Este projeto tem como objetivo promover a internacionalização da Indústria brasileira de equipamentos, acessórios, ingredientes e cozinhas industriais para panificação, biscoitos, massas alimentícias e food service. A iniciativa tem a parceria da Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos, Ingredientes e Acessórios para Alimentos (Abiepan), Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP) e os Sindicatos da Indústria de Panificação e Confeitaria dos Campos Gerais, da região Oeste e Norte e do Estado do Paraná.

AmbServ Sul assina contrato para gerenciamento de resíduos em Curitiba

A AmbServ Sul Serviços Ambientais foi a empresa vencedora do processo de licitação realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curitiba, para a coleta, transporte e tratamento de resíduos do serviço de saúde das unidades ligadas ao Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, como o Zoológico e o Passeio Público. O contrato, com duração de 12 meses, foi assinado ontem (30). Para o diretor da AmbServ, Diego Romero, o recolhimento dos resíduos nessas unidades é fundamental para preservar a limpeza no local e o meio ambiente. “Os resíduos recebem tratamento adequado e são depositados em locais apropriados, sem riscos a saúde e ao meio ambiente”, diz.


Geral

Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | b3 | Indústria&Comércio

Desenvolvimento

Curitiba já vive em pleno emprego, diz Luciano Ducci Em 2011, a Jucepar aponta a abertura de 17.446 novas empresas na Capital

O

prefeito Luciano Ducci destacou que Curitiba atingiu o status do “pleno emprego” revelado pelos dados apurados pelo Ipardes/IBGE. “A taxa de desemprego está na casa dos de 3% na grande Curitiba. A média de 2011 ficou em 3,7%. Historicamente, Curitiba tem a taxa 0,5% menor do que região metropolitana. Há um ano, então, vivemos um momento de pleno emprego”, disse Ducci após transmitir o cargo de prefeito ao vereador Sabino Picolo. Na economia, o pleno emprego é considerado quando a taxa de desemprego é inferior a 4%. Essa taxa no ano passado em Curitiba ficou na média de 3,2% e hoje está na casa dos 2,5%. “Curitiba é uma cidade de referência, de vanguarda em vários setores, e que tem um olhar muito especial à popula-

ção mais pobre e mais carente”, disse Ducci. O prefeito se refere ao estudo da Fundação Getúlio Vargas que aponta que Curitiba reduziu em 65% a pobreza entre 2003 e 2009, enquanto a média nacional no período ficou em 45%. “Curitiba reduziu a pobreza em mais de 60% no período de seis anos. A cidade fez mais de 25 anos em cinco”, disse. O mesmo estudo da FGV, com base na Pnad/IBGE, aponta que 650 mil curitibanos subiram de classe social entre 2003 e 2009. “A redução da desigualdade e o célere caminho na erradicação da pobreza em Curitiba são resultados da consolidação de dois pilares de uma sociedade sustentável: o crescimento econômico aliado ao forte investimento na base da pirâmide social”, disse Ducci.

Renda - Dois outros dados reforçam a tese de Ducci. Curitiba fechou 2011 com 721.499 trabalhadores com carteira assinada e 34.259 novos empregos gerados. Os dados do Ministério do Trabalho foram divulgados nesta terça-feira, 24. Em 2011, Curitiba teve um aumento do estoque de empregos de 4,5% comparado a 2010, enquanto que no Paraná foram criadas 123.916 vagas (5,2% de aumento) e na região metropolitana, foram criadas 50.714 vagas (5,1% de aumento). Ainda em 2011, a Jucepar (Junta Comercial do Paraná) aponta a abertura de 17.446 novas empresas em Curitiba. Em relação a 2010, o crescimento foi de 8%.

Curitiba teve um aumento do estoque de empregos de 4,5% comparado a 2010, enquanto que no Paraná foram criadas 123.916 vagas (5,2% de aumento) e na região metropolitana, foram criadas 50.714 vagas (5,1% de aumento)

Inauguração de indústria reflete a força do cooperativismo Com a presença do governador do estado Beto Richa, superintendente da Ocepar José Roberto Ricken, deputados estaduais e federais, prefeitos da região, lideranças cooperativistas do Paraná, associados, colaboradores e a comunidade em geral, a diretoria da Copacol inaugurou, a sua nova Unidade Industrial de Soja. Cerca de cinco mil pessoas acompanharam o evento de inauguração, realizado em Cafelândia, região Oeste do Paraná. A unidade recebeu investimentos de R$ 80 milhões e terá a capacidade para esmagar 1.800 toneladas de soja por dia, gerando 65 empregos em três turnos de trabalho. O novo empreendimento vai viabilizar toda a produção de óleo e de farelo da soja que as fábricas de rações da cooperativa necessitam para atender as atividades de avicultura, suinocultura, bovinocultura de leite e a piscicultura. Reconhecimento e apoio - O governador do estado Beto Richa, que prestigiou a inauguração, enalteceu o trabalho desenvolvido pela diretoria da cooperativa em colocar em atividade mais um empreendimento que além de impulsionar a economia de toda uma região, vai gerar fontes de trabalho e agregar valor ao produto produ-

para que tenha o suporte necessário do Estado para crescer”, disse ele. A nova unidade agrega valor à produção de soja dos associados e torna a cooperativa autossuficiente na produção de farelo de soja, além de reduzir custos de frete.

zido pelos produtores do Oeste do Paraná. “Este investimento representa a força do cooperativismo e sua contribuição para o desenvolvimento social e econômico do Paraná. O Estado estará sempre presente para tornar as cooperativas paranaenses cada vez mais fortes”, disse o governador. O BRDE repassou R$ 25 milhões para investimento na nova unidade. O restante dos recursos é originário da

cooperativa e de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Orgulho - Richa disse que a Copacol é um orgulho para o Paraná e destacou o novo momento do Estado, marcado pelo apoio do governo ao agronegócio e pela postura de parceria com a iniciativa privada. “Damos uma atenção especial a quem produz,

Mais desenvolvimento - Durante a solenidade de inauguração, o superintendente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, fez questão de ressaltar a importância que este projeto da cooperativa significa para a região e para o cooperativismo paranaense. “Acompanhamos aqui hoje não só a inauguração de mais uma agroindústria paranaense, mas sim o início de um processo que desen-

Marco histórico - O diretor presidente da cooperativa, Valter Pitol, agradeceu a parceria com o governo estadual e classificou a expansão da unidade como um marco histórico para a região. “É o início da industrialização da nossa soja. Queremos agregar mais valor às nossas matérias-primas e melhorar a competitividade”, disse Pitol. Segundo ele, com a nova estrutura permitirá melhores oportunidades de comercialização da produção dos associados. “Estamos finalizando um empreendimento estratégico para a expansão da Copacol, que promoverá ainda mais o crescimento e desenvolvimento da Cooperativa”, conclui.

cadeará um novo perfil de desenvolvimento para a região Oeste do estado. Afinal, uma agroindústria de cooperativa não pertence a um grupo reduzido de pessoas e sim a milhares de sócios cooperados da Copacol. Cada cooperado aqui presente sente-se dono deste empreendimento e sabe que esta empresa cooperativa tem um endereço fixo e jamais o deixará na mão. Esta é a grande diferença.

Paraná começa a implantar programa de combate à obesidade infantil

O programa Paraná Saudável – Prevenção e Controle da Obesidade Infanto-Juvenil, lançado pela Secretaria de Estado do Esporte no final do ano passado, entra este ano na etapa de desenvolvimento, até o trabalho de intervenção, a partir de 2013. Os três próximos estágios são a capacitação da equipe, em março; a coleta de dados de 14 mil escolares, em abril, maio e junho; e a publicação das orientações para mais de dois milhões de alunos, a partir de agosto. “É uma preocupação do Governo com as gerações futuras do Estado, para que tenham vida saudável”, diz o secretário Evandro Rogério Roman. A razão do programa é a prevenção à obesidade infantojuvenil e ao controle de peso corporal em jovens escolares com sobrepeso e obesidade, no Estado. O público alvo, portanto, são os alunos das escolas públicas das redes municipal e estadual, além de seus familiares. A iniciativa é da Secretaria do Esporte com a participação de outras quatro: da Educação, Saúde, Família e Desenvolvimento Social e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Em todo o planejamento, o projeto conta também com o apoio dos conselhos regionais de Educação Física, Nutrição e Psicologia, além da Associação Médica do Paraná e da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. A coordenação geral do programa é do professor de Educação Física Dartagnan Pinto Guedes, com vários estudos e publicações sobre crescimento e desenvolvimento humano. Aposentado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), onde atuou por 30 anos, Dartagnan é também professor da Unopar, em Londrina. Na capacitação da equipe de trabalho serão treinados 16 avaliadores, todos profissionais universitários selecionados pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. As coletas de dados serão em escolas públicas de 96 municípios de todas as regiões do Estado. Constituirão a amostragem 14 mil escolares de 5 a 18 anos. A coleta consiste num levantamento sobre os hábitos alimentares, práticas de atividades físicas e o cotidiano familiar desses alunos.

Projeto financiado pela Sanepar já recuperou 600 nascentes

A Sanepar é a principal fonte de recursos do Projeto Oásis, que remunera proprietários rurais pela preservação de nascentes de água na região de Apucarana. Na última sexta-feira (27), 56 produtores que se cadastraram em 2011 receberam, pela primeira vez, o pagamento pelos serviços ambientais prestados na conversação de matas ciliares e reservas legais. Atualmente, 184 propriedades estão cadastradas e 613 nascentes nas bacias do Pirapó, Tibagi e Ivaí já foram recuperadas. Coordenado há três anos pela Prefeitura de Apucarana, o Projeto Oásis tem como parceiros a Sanepar, Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Sindicato Rural Patronal de Apucarana, Conselho Municipal de Meio Ambiente de Apucarana, Emater, Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Agência Nacional de Águas (ANA), entre outros. Mensalmente, a Sanepar repassa 1% do que arrecada no município ao Fundo de Meio Ambiente de Apucarana – que, por sua vez, encaminha os recursos ao projeto. Devido aos bons resultados obtidos pelo Projeto Oásis, a Agência Nacional das Águas (ANA) vai repassar R$ 500 mil para incrementar as atividades. Já a Fundação Banco do

Brasil classificou o Oásis como um dos 50 melhores projetos ambientais do Brasil, por meio do Prêmio Tecnologia Social. Os recursos da ANA devem ser utilizados na conservação de solos e revitalização de áreas na bacia do rio Pirapó, manancial de abastecimento da cidade. RECONUECIMENTO – “Os produtores rurais fazem parte do único setor capaz de salvar o planeta”, diz o gerente de Usos Sustentáveis da Água e do Solo da agência, Devanir Garcia dos Santos. “A sociedade urbana precisa reconhecer este serviço e lembrar, ao abrir as torneiras das suas casas, que depende de produtores rurais que abriram mão da renda para preservar matas e nascentes”, completa. O secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo, João Batista Beltrame, considera que o repasse mensal aos produtores cadastrados é um prêmio pelos serviços prestados ao meio ambiente. Apucarana é uma das poucas cidades brasileiras que pertence a três bacias: Pirapó, que abastece Apucarana e Maringá, Tibagi, que serve Londrina, e Ivaí, maior rio do Paraná. O custo mensal para o projeto, a partir deste mês, será de cerca de R$ 32 mil, sendo a menor remuneração paga de R$ 93,80 e a maior, de R$ 578,20.

Famílias de Florestópolis assinam contratos da casa própria A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de Florestópolis assinaram contratos com 114 famílias do município do Norte do Estado. O Residencial Madre Cecília Merloni terá 246 unidades habitacionais e investimentos de R$ 10,1 milhões. O presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche, ressaltou o programa habitacional do Governo do Estado. “O governador Beto Richa está promovendo uma revolução na habitação de interesse social do Paraná. “Por conta desta união com a Caixa e Governo do Es-

tado, estamos proporcionando o maior programa habitacional da história do município”, disse o prefeito de Florestópolis, Onício de Souza. Para o superintendente regional em exercício da Caixa Econômica Federal, Olides Milezzi Junior, somente com a união dos três governos é possível proporcionar à população a aquisição da casa própria. “A aliança entre governos federal, estadual e municipal reduz o custo dos empreendimentos e também permite que a infraestrutura seja ágil, para viabilizar o sonho dessas famílias terem um lar”, pontuou.


Negócios Curitiba, terça-feira, 31 de janeiro de 2012 | B4

CRESCIMENTO

Cupcake Company vira franquia e inaugura loja Depois de dois anos em Curitiba, empresa optou por lançar o sistema Os cupcakes, tradicionais bolinhos da culinária norte-americana e europeia, caíram no gosto dos consumidores e se tornaram uma grande oportunidade de negócio para as empresas paranaenses. Tanto que, depois de dois anos de funcionamento com uma loja, em Curitiba, a Cupcake Company lança seu sistema de franquia. A primeira unidade será inaugurada no início de fevereiro, no Shopping Palladium. De acordo com as proprietárias da marca, Ignez e Caroline Strobel, outras unidades devem ser inauguradas ainda neste ano. “Estamos prevendo a abertura de mais quatro ou seis lojas, no Paraná e em Santa Catarina. A procura pelos candidatos a franqueado tem sido muito grande, no entanto, a marca tem a característica de ter um processo criterioso de seleção. No médio prazo, o objetivo é alcançar as grandes capitais do país”, revela Caroline Com o sistema de franquia, a Cupcake Company espera quintuplicar o seu faturamento, que apenas com a loja no Batel Soho deve crescer 25% neste ano, em relação a 2011, e duplicar o seu número de funcionários. “Cada unidade gera de 8 a 12 empregos diretos”, revela Caroline. Além dos funcionários, a equipe conta com um gerente de franquia,

responsável por dar assistência e realizar os treinamentos ao franqueado. O investimento para a abertura de uma franquia da Cupcake Company, no conceito de loja, é a partir de R$ 200 mil e o contrato tem vigência de cinco anos. Neste sistema, o franqueado é responsável pelo atendimento de sua unidade, de acordo com os padrões de qualidade estabelecidos pela marca. A franqueadora tem as atribuições de criar e fornecer novos produtos, dar suporte ao franqueado na montagem da unidade, realizar treinamentos, inclusive de reciclagem, e acompanhar os resultados. As franquias são abastecidas, diariamente, por Centros de Produção que atendem um determinado raio e número de lojas. Segundo Ignez, a aposta inicial foi levar a marca ao shopping pela própria característica do produto. “Os cupcakes são uma opção de lanche ou sobremesa, com facilidade de consumo. Além disso, optamos pelo local, pois, o horário de atendimento do shopping vai complementar o da loja no Batel Soho”, explica. A loja no Palladium vai comercializar parte do mix de produtos da empresa. Além dos cupcakes, que são o carro-chefe,

crescimento desses dois setores se deve, também, por conta dos mais de 40 mil Pet Shops espalhados por todo Brasil, que empregam atualmente 220 mil trabalhadores. A Pet Society - maior empresa da América Latina em produtos para embelezamento, higiene e saúde animal – sempre preocupada com a excelência dos serviços prestados no mercado – organiza e realiza o maior evento do Brasil de estética animal, Mega Grooming Show, que acontece nos dias 05 e 06

As proprietárias da Cupcake Company, Ignez e Caroline Strobel, e o franqueado Guilherme Schümann.

serão vendidos brigadeiros de pote, CakePops (bolinhos no palito), Whoopies (uma espécie de sanduíche recheado), cookies, brownies e pão de mel, além de bebidas quentes e geladas. As encomendas serão centralizadas na loja do Batel Soho. O franqueado e empresário, Guilherme Schümann, de 24 anos, diz ser um assíduo frequentador da marca e, por conhecer a qualidade dos produtos, decidiu abrir a loja. “A opção pelo shopping levou em conta o fluxo de pessoas por dia e mostrou que o público é diversificado, característica compatível com a atual clientela. Por ser um produto de alta satisfação, o cupcake atinge todas as classes, independente da

idade”, analisa. Foi criado um projeto arquitetônico próprio para as franquias, de autoria dos arquitetos Leonardo Mueller e Luize Bussi. O padrão das lojas reflete as cores da marca (rosa, marrom e verde), com ilustrações que mostram os cupcakes sendo produzidos e confeitados. Os estabelecimentos contam a história de cada produto criado pela empresa e a decoração reflete o estilo jovem da marca. “O franqueado conta com toda a estrutura para a montagem e desenvolvimento do negócio baseado nos manuais do franqueado e acompanhamento e supervisão de campo”, completa Caroline.

de fevereiro, no Grande Auditório do Centro de Convenções Rebouças, SP. “O mercado está em franco crescimento e os profissionais da área precisam a cada dia aprimorar seus conhecimentos, por isso, a Pet Society sempre investiu na educação deles, por meio da realização de palestras com nossos principais profissionais de Estética Animal do Brasil para diversas cidades e capitais do país” comenta Cleiser Kurashima, Coordenadora do Programa de Educação Conti-

nuada da Pet Society. Neste ano, a empresa traz com exclusividade ao Brasil as Groomers Internacionais – Kitty Dekeersgieter, residente na Bélgica, com 24 anos de experiência na arte de Grooming, dona de um “Grooming Shop” reconhecido internacionalmente. Kitty já recebeu o título de Campeã Mundial de Groomer em poodles e Groomer Internacional do Ano. Atualmente é juíza internacional e membro da Associação Européia de Grooming.

Ideally Iluminação dá dicas para a casa de praia Calor, sol e mar. O verão está chegando e, com ele, não há quem não deseje ter um refúgio à beira-mar. E, para deixar sua casa de praia mais aconchegante e confortável, nada melhor do que uma decoração que transmita tranquilidade, descontração e leveza. Um dos itens que podem contribuir para isso é a iluminação. Por meio dela, é possível tornar os ambientes mais atraentes, harmônicos e sofisticados. “A escolha correta de luminárias e lâmpadas é fundamental para valorizar os espaços”, afirma Elizabeth Bianco, gerente comercial da Ideally Iluminação, empresa especializada em assessoria na área de luminotécnica. Uma iluminação bem planejada pode criar o clima ideal para relaxar, descansar, receber amigos e curtir o verão. Além disso, o projeto luminotécnico deve levar em conta a decoração do ambiente. Em casas de praia, o uso de elementos naturais e tons claros, que realçam e refle-

Pendentes de materiais específicos, como esse de alumínio da Ideally Iluminação, são mais resistentes aos fatores climáticos

tem a iluminação, exigindo menos fontes de luz, são frequentes, assim como a instalação de portas e janelas amplas, que

permitem uma maior captação de luz natural. Em função disso, é possível utilizar lustres ou pendentes,

que podem ser de vários tamanhos e formatos, ou também optar pela iluminação embutida no teto. “Como uma residência praiana costuma ficar longos períodos fechada e exposta à maresia, é preciso escolher materiais duradouros, fáceis de limpar e que sejam resistentes aos fatores climáticos, como o alumínio”, explica Elizabeth. Na área externa da casa, a iluminação, aliada ao paisagismo, valoriza o imóvel e também pode criar cenários diversos, tornando o ambiente palco de bons momentos. Balizadores, refletores, arandelas, postes e up lights são boas opções para espaços ao ar livre. Além disso, tão importante quanto a escolha da luminária, é o cuidado na escolha das lâmpadas. Evite lâmpadas muito potentes, que geram calor excessivo. Prefira os LEDs, que possuem baixo consumo energético, alta durabilidade e baixa manutenção.

Syngenta mostra novidades no Coopavel

A Syngenta participa do Show Rural Coopavel desde sua primeira edição, em 1989. Neste ano, o evento acontece entre os dias 6 e 10 de fevereiro, e reúne empresas, produtores e técnicos de todo o país, com o objetivo de disseminar tecnologias que contribuem para o aumento de produtividade de pequenas, médias e grandes

propriedades rurais. A Syngenta mostrará aos visitantes sua plataforma integrada de defensivos agrícolas e sementes, com produtos como Priori Xtra, Avicta Completo, Cruiser e Engeo Pleno, o lançamento de três variedades de soja (SYN 1152RR, SYN 1157RR e SYN 1158RR) e dos híbridos de milho Maximus Viptera,

Começa a preparação para as provas de 2012

Quem pretende prestar concursos públicos no ano de 2012, nada melhor do que estar bem preparado para as provas que estão por vir. Para atender esta demanda, a Damásio de Jesus Complexo Educacional coloca à disposição mais de vinte cursos preparatórios para diferentes funções públicas. Quinze deles começam entre os dias 01 e 27 de fevereiro. As aulas são aplicadas nos métodos telepresencial, estúdio e streaming, além de aulas-bônus e total suporte através do portal www.damasio.com. br com simulados e exercícios on-line gratuitos. Ministrados por professores e profissionais especializados, competentes e reconhecidos no mercado os cursos da Damásio de Jesus tem como maior objetivo preparar de maneira eficaz todos os candidatos abrangendo amplamente o conteúdo pedido pelos editais dos concursos e aprofundando ainda mais os conhecimentos de cada aluno. As inscrições estão abertas e até 31 de janeiro alunos recebem até 20% de desconto nas mensalidades.

Bazar de verão da Boreal antecipa as próximas tendências

Profissionais qualificados de banho e tosa são o grande desafio dos pet shops Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação (Anfalpet), o Brasil tem a segunda maior população de cães e gatos do mundo, possuindo cerca de 98 milhões de animais de companhia, sendo 35 mil cães e 19 mil gatos. Um dos setores que mais cresce é o de serviços, faturando em média R$ 2,2 bilhões. O segmento de produtos para higiene e embelezamento, também teve um faturamento bem significativo no setor, R$ 910 milhões. Tal

Empresas & Produtos

Status, Truck, Fórmula e Feroz, desenvolvidos com a tecnologia exclusiva Agrisure Viptera. Uma grande equipe de técnicos e pesquisadores estará à disposição para atender e tirar dúvidas dos visitantes, que terão acesso a ensaios de produção e a novos produtos e sementes e aprenderão como otimizar o desempenho de suas

lavouras “A Coopavel é uma importante vitrine tecnológica, além, é claro, de promover um contato direto com os agricultores, ampliando nossos laços de aproximação e conhecimento de suas necessidades”, esclarece Celso Batistella, coordenador de Marketing da Syngenta.

A multimarcas Boreal está iniciando o ano com uma seleção de peças com preços convidativos. Os descontos variam entre 40% e 70% em marcas como Forum, Lanthana, Indigo Jeans, Chicaboom, Fino Rastro, Griff Line, Fellipe Krein, Drops Of Joy, Qué te encante, Rosana Mattua e Emme Per Me. Antenados nas principais semanas de moda do cenário fashion, a equipe da loja optou por colocar nas araras, além das apostas para este verão, composições que apresentem as tendências para a próxima temporada. Tricôs, trench coat, vestidos com mangas arredondadas, alfaiataria clássica em apresentações contemporâneas e tons sóbrios como preto, marrom, verde musgo e berinjela, entre outras antecipações do que veremos pelas ruas durante o inverno de 2012.

Fiat inicia curso em Eletroeletrônica para jovens de Curitiba

No dia 6 de fevereiro (segunda-feira), a Fiat Automóveis, por meio do seu Programa de Responsabilidade Social, Árvore da Vida – Capacitação Profissional, inicia o curso em Eletroeletrônica, no Senai, para 11 jovens de Curitiba (PR), com idade entre 18 a 22 anos. Para Watena Ferreira N’tchala, de 19 anos, o curso vai ajudar até no futuro da família. “Sempre tive o pensamento que tenho que me concentrar no futuro. O curso vai me ajudar nisso, pois mais qualificado, vou conseguir um bom emprego para ajudar meus pais e meus irmãos. Sou o segundo homem da casa, tenho que pensar na minha família”. Durante o curso, com duração prevista de 12 meses, os jovens receberão uniforme, material didático, alimentação (almoço e lanches) e vale-transporte. O conteúdo é desenvolvido pelo ISVOR, a Universidade Corporativa do grupo Fiat, e é certificado pelo Senai. As aulas práticas são realizadas nas concessionárias Fiat parceiras do programa, que em Curitiba são Barigui, Florença e Super. Ao final do curso, os alunos são avaliados e podem ser contratados pelas concessionárias. Para Robson Carvalho Carlota, gestor da concessionária Florença, que participa do programa há dois anos, o Capacitação Profissional é um meio excelente e necessário de aprendizagem.

Diretoria da Brado Logística participa do InfraBrasil

O presidente José Luis Demeterco e o diretor financeiro da Companhia, Alan Fuchs, estarão no InfraBrasil Expo&Summit 2012, que acontece de até amanhã (1º), no WTC Convention Center, em São Paulo. Hoje (31/1), às 15 horas, o presidente da Brado apresenta a palestra “O Futuro das Ferrovias: O Potencial do Mercado de Contêineres no Brasil”, abordando a competitividade e o potencial do mercado de cargas por ferrovias, além dos investimentos e resultados da Companhia. No dia 1/2, às 13h30, Alan Fuchs vai expor o estudo de caso “O Novo Vagão Ferroviário da Brado Logística: O AmaxLong e a Otimização no Transporte de Contêineres”. O diretor financeiro abordará os vários tipos de vagões disponíveis no mercado internacional e quais são os mais eficientes nos trilhos brasileiros, incluindo a descrição, viabilidade e implementação do modelo Double Stack. O InfraBrasil Ferrovias é um espaço único de discussão dos principais assuntos executivos e técnicos que permeiam o segmento no momento, abordando desde os vultosos investimentos públicos e privado, até a mudança do marco regulatório da ANTT sobre as concessões ferroviárias.

Thá comemora sucesso de vendas do Moving Home Space

Depois de realizar a convenção de vendas, em formato de festa, de seu primeiro lançamento do ano, o Moving Home Space, a Thá Incorporadora comemora o singular sucesso de vendas do empreendimento. Em menos de uma semana após o lançamento, realizado em 20 de janeiro, o Moving Home Space teve 80% de suas unidades comercializadas. A velocidade nas vendas surpreendeu a equipe comercial do Grupo Thá, como André Ruediger, diretor da Imobiliária Thá. “Apesar de conhecer as expectativas da incorporadora para a venda acelerada do produto, sabia que o desafio de vender 170 unidades em trinta dias (período sugerido como meta de vendas na convenção) seria bastante agressivo”, pontuou. Para Cristiane Kilter, gerente de marketing da Thá, esse sucesso é atribuído ao lançamento de um produto assertivo. “O Moving, assim como todos os nossos empreendimentos, é fruto de um excepcional trabalho de pesquisa. Ele está posicionado em uma excelente localização e destaca uma parcela muito atrativa”, justifica a gerente.

Hotel Blue Tree Towers Curitiba comemora crescimento em 2011

O Hotel Blue Tree Towers Curitiba, localizado no centro da capital paranaense, começa o ano comemorando os excelentes resultados conquistados em 2011. No comparativo com o ano anterior, o hotel registrou um crescimento na ordem de 19% em todos os seus indicadores de receita: diária média, RevPAR – receita por apartamento disponível - e faturamento. Já a receita líquida, comparada ao ano de 2010, registrou mais de 46% de aumento. “O bom resultado é reflexo do mercado hoteleiro em Curitiba que está aquecido, além de esforços operacionais que alavancaram o crescimento não só na área de hospedagem do nosso hotel, como também em eventos, alimentos e bebidas. O hotel deve continuar crescendo com as melhorias que estão sendo planejadas pela rede para 2012”, declara a presidente da Blue Tree Hotels, Chieko Aoki. Com sete anos de atuação no setor hoteleiro de Curitiba, o Blue Tree Towers oferece serviços e diferenciais para seus hóspedes durante o ano inteiro. Com 106 apartamentos e localizado na região central da cidade, o hotel está perto dos principais shoppings de Curitiba e tem fácil acesso ao aeroporto internacional e à rodoviária.


31-01-12 Indústria&Comércio