Page 1

Curitiba, sexTa-feira a domingo, 30 de AGOSTo a 1º DE setembro de 2013 | Ano XXXVi | Edição nº 8943 | R$ 1,50

Indústria&Comércio DIÁRIO

INFORMAÇÃO. conhecimento. inteligência. DESDE 1976.

Aroldo Murá Cristãos do Oriente Médio Sob Ameaça De Extinção

Os cristãos não deveriam ser olhados como cidadãos estranhos ao Oriente Médio. Isto porque a história do cristianismo nasceu no Oriente Médio – na Terra Santa, Israel – e foi-se espraiando, já nos dias apostólicos, pelo Egito e Síria.

Mantega diz que Caixa deixará de financiar grandes empresas

página | a3

Pedro Washington Dia Nacional da Vergonha

O modismo de se dedicar dias do ano a categorias ou eventos, deveria ser aproveitado por algum dos deputados federais que votou a favor da cassação do mandato de Natan Donadon (sem partido-RO) para propor o dia 28 de agosto como o Dia Nacional da Vergonha! página | a2

Roseli Abrão

Para o ministro, as grandes empresas não precisam do crédito da Caixa, e podem obter os mesmos recursos em outros bancos

Eles ajudaram a salvar Donadon

Quatro deputados paranaenses ajudaram a salvar o mandato do deputado Natan Donadon, na noite de quarta-feira, na Câmara Federal. Eles estavam na sessão, marcaram presença, mas não votaram. página | a5

INDICADORES FINANCEIROS MERCADO À VISTA Maiores altas

COTAÇÃO

TECTOY PN * CHIARELLI PN LAEP DR3 J B DUARTE ON REC CHIARELLI ON

Maiores QUEDAS INEPAR TEL ON KARSTEN PN OSX BRASIL ON NM M G POLIEST ON PRO METALURG PNB*

0,02 0,24 0,35 0,41 0,26

COTAÇÃO

Nacional | B3

Paraná vai colher mais de 36 milhões de t em grãos

0,07 0,80 0,73 0,06 0,15

População brasileira cresce 0,9% entre 2012 e 2013

COTAÇÃO

MMX MINER ON NM CIA HERING ON NM KLABIN S/A PN N1 ROSSI RESID ON NM AMBEV PN

Maiores QUEDAS OGX PETROLEO ON NM LLX LOG ON NM VALE ON N1 BROOKFIELD ON NM V-AGRO ON NM

2,13 31,40 12,20 2,77 82,91

A população brasileira cresceu 0,9%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste ano, o Brasil tem 201,03 milhões, ou seja, 1,79 milhão a mais do que no ano passado (199,24 milhões).

COTAÇÃO 0,51 1,51 34,02 1,75 3,59

Nacional b3

Conselho da Mulher Executiva celebra 30 anos

CÂMBIO Moeda

Compra

Venda

Dólar turismo 2,2630

2,4870

Dólar comercial 2,3770

2,3780

Dólar paralelo 2,3556

2,3563

Euro

3,1238

3,1224

O Conselho da Mulher Executiva (CME) da ACP, comemorou seus 30 anos na noite de quarta-feira (28). O presidente Edson José Ramon abriu o evento enaltecendo a contribuição de cada coordenadora que ao longo do tempo exerceram o cargo.

Ouro (Grama/R$): 107,50

Acesse a edição digital

www.icnews.com.br

Mesmo com as ocorrências climáticas sérias durante o percurso a safra deve ser recorde

Editorial

Carga tributária: um quadro a ser mudado

O

Brasil ainda precisa avançar muito quando o assunto é a carga tributária. Se o dinheiro arrecadado com os impostos fosse bem administrado, certamente toda a população seria beneficiada com uma qualidade maior nos serviços públicos como educação, saú-

de, segurança e saneamento básico. egundo relatório elaborado pela Comissão Econômica para América Latina, realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento, a proporção da receita tributária média em relação ao PIB no

S

Brasil passou de 28,2%, em 1990, para 32,4%, em 2010. a América Latina, o Brasil perdeu apenas para a Argentina, que registrou 33,5% do PIB. Como se vê, ainda há muito o que se fazer para mudar esse quadro altamente nocivo de alta carga tributária.

N

Editais na página a7

CMYK

Economia a5

Governo propõe salário mínimo de R$ 722,90 para vigorar em 1º de janeiro 2014

IBOVESPA Maiores altas*

A Caixa Econômica Federal vai deixar de financiar grandes empresas, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, o banco concentrará a atuação no crédito a pequenas empresas, a pessoas físicas e no financiamento habitacional. Segundo o ministro, a manutenção dos empréstimos do banco às grandes companhias exigiria que o Tesouro Nacional reforçasse o capital da instituição financeira. Ele ressaltou que existe uma limitação de recursos que obriga o governo a definir um foco para as atividades da Caixa.

Negócos b1

Geral a2

Estado e municípios discutem operação Verão

Paraná vai cobrar água usada por indústrias

A Secretaria da Saúde e demais entidades do Grupo de Trabalho Saúde no Litoral já iniciaram a preparação das atividades para a Operação Verão. O grupo tratou de ações para apoiar as atividades dos municípios e garantir atendimento adequado à população.

A partir do mês de setembro, aproximadamente 76 indústrias e grandes usuários que utilizam a água dos rios da Bacia do Alto Iguaçú e Afluentes do Alto Ribeira com finalidades comerciais, em seus processos de produção e operação, terão que pagar pelo uso da água.

Geral a4

Central de Atendimento: 41 3333.9800

e-mail: pauta@induscom.com.br

Geral a4


Geral/Curitiba

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A2

Previsão do tempo

Mín.: 4° | Máx.: 24°

Nesta sexta-feira a massa de ar frio perde força, mas as temperaturas continuam baixas ao amanhecer nas regiões de maior altitude do Estado (centro-sul, Campos Gerais e RMC). Como o Sol segue predominando, aquece rápido nos diversos setores. À tarde faz calor no oeste, noroeste e norte pioneiro. Umidade relativa continua baixa no período de maior aquecimento.

fonte: www.simepar.br

Safra 2012/13

PR vai colher mais de 36 milhões de t de grãos Mesmo com as ocorrências climáticas sérias durante o percurso a safra deve ser recorde

N prpress@terra.com.br

PanoramaPolítico Dia Nacional da Vergonha

O modismo de se dedicar todos os dias do ano a categorias ou eventos, deveria ser aproveitado por algum dos deputados federais que votou a favor da cassação do mandato do deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO) para propor o dia 28 de agosto como o Dia Nacional da Vergonha! Só o fato de o parlamentar que agora vai receber na penitenciária da Papuda, seus polpudos vencimentos, ter chegado algemado e de camburão ao Plenário da Câmara Federal para fazer a sua defesa perante seus pares, já seria motivo justificável para a titulação à data. O que ocorreu depois, foi um cala boca aos brasileiros que saíram em junho às ruas, pedindo mudança nos costumes. Uma vergonha! Dos 513 deputados, 233 votaram a favor da cassação que exigiria maioria absoluta para se consumar, isto é, 257 votos. Na base daquela propaganda da Seguradora do Bradesco, “Vai que...”, 131 votaram contra, 41 se abstiveram e 108 faltaram, isto é, foram coniventes. O resultado é que Natan, condenado pelo STF a 13 anos, 4 meses e 10 dias por ter desviado R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, preso em regime fechado, vai continuar sendo deputado. Era só o que faltava ao brasileiro saber, para ter vergonha de morar neste país tão conspurcado pela ação de alguns. O detalhe é que situação como essa, já liberou a deputada filha de Joaquim Roriz, flagrada recebendo propina, também beneficiada pelo “voto secreto”. Voto equivalente à máscara daqueles que se aproveitam das marchas recentes para promover baderna, que coloca na clandestinidade os que votaram pela preservação da condição de Natan, os que se abstiveram e os que faltaram à votação. Seria importante que numa votação aberta a população soubesse seus nomes. O voto secreto mistura “alhos e bugalhos”. Coloca a todos na mesma cumbuca. Traz de volta a frase de Lula, quando deputado. Um número parecido com os 280 de agora: “na Câmara tem uns 300 picaretas”. Com esse voto secreto viraram 513.

Barroso tem razão

A votação de quarta-feira, na Câmara Federal, deu razão ao pronunciamento do novo ministro do STF, Luiz Roberto Barroso, que na contestação da defesa de José Genoino, lamentou sua condenação. Fez duras críticas aos políticos e lembrou: “Pior que tudo: o povo saiu às ruas e já não se fala mais em mudanças”. E completou, entre outras afirmações: “Precisamos de uma agenda patriótica para desfazer essa armadilha histórica que nos manterá atrasados”. Com a palavra os deputados defensores de Natan.

Em causa própria

O “vai que” da Seguradora Bradesco, citado acima, é em função de alguns deputados que se posicionaram contra a cassação do mandato de Natan, terem votado em causa própria. “Vai que” amanhã estejam na mesma situação. Alguns deles por sinal, condenados no mensalão, irão “trabalhar” durante o dia e dormir na prisão. Se aumentar muito o número dos que podem sofrer condenações, a Câmara em 2014, na renovação da frota, ao invés de automóveis de luxo pode adquirir alguns camburões.

Lula vive

A tática “lulista” de contrapor um fato que desperte atenção, a outro desgastante, está em uso pela equipe da ministra Gleisi Hoffmann. Agastada com a situação criminal que envolve o ex-prefeito de Realeza, agora seu ex-assessor, anuncia-se os benefícios que a ministra deve trazer de sua viagem à China. Os números da economia chinesa citados, são suculentos. Resta saber quanto, deles, será investido no Paraná.

Em choque

Bafejado pela sorte que leva seu time, o Atlético Paranaense, às alturas depois de sua ascensão à presidência, Mário Celso Petraglia, criticado por muitos pelo seu estilo ditatorial e nada transparente, mostra que, se é ruim de relações públicas, é bom de marketing. Em parceria com o Hospital Pequeno Príncipe, vai reservar grande espaço na Arena da Baixada, em ampliação, para um ambulatório em que serão tratadas crianças carentes, com problemas cardíacos.

EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

o Paraná, a safra de grãos 2012/13 caminha para a reta final e sinaliza para um resultado recorde, acima de 36 milhões de toneladas, mesmo com as ocorrências climáticas sérias durante o seu percurso, como estiagem, seguida de excesso de chuvas e mais recentemente com a incidência de fortes geadas sobre as lavouras. A pesquisa mensal do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, referente ao mês de agosto, divulgada ontem, informa que a safra total de grãos da safra 2012/13, considerando o período de verão, inverno e terceira safra, está estimada em 36,8 milhões de toneladas. Neste resultado já estão incorporadas as perdas decorrentes das fortes geadas que aconteceram entre os dias 24 e 25 de julho, avaliadas em 2 milhões de toneladas de grãos correspondentes aos prejuízos nas safras de trigo e milho da segunda safra. O café também sofreu com as geadas e deverá perder até 62% da safra, mas só em 2014. Sobre as geadas ocorridas nesta semana, o diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, informa que os técnicos saíram novamente a campo para coletar as informações e o resultado será divulgado no final de setembro. Ele antecipa que dessa vez apenas o trigo está em fase suscetível à baixa de temperaturas e certamente foi atingido. Cerca de 60% do trigo está em fase de floração e frutificação, considerada bastante sensível à queda das temperaturas. Mas o nível de intensidade ainda não é conhecido. O milho da segunda safra, que registrou uma pequena perda de 960 mil toneladas até as geadas de julho, dessa vez não foi mais atingido porque toda a safra já estava em maturação, na reta final para

Cleverson Beje/FAEP

A safra de soja atingiu 15,8 milhões de toneladas, também recorde, que correspondeu a um aumento de 46% sobre a safra anterior. A produtividade média da soja alcançada no Paraná foi 3.381 quilos por hectare, 37% acima da média de produtividade do ano anterior

a colheita, o que ajudou a escapar do rigor do clima essa semana. Não fossem os problemas de clima como seca, seguida de chuvas e depois de geadas, a segunda safra de milho teria sido mais um recorde, disse a técnica do Deral, Juliana Tieme Yagushi. Outras culturas de inverno que estão em campo como cevada, canola, aveia, triticale e frutas também foram atingidas pelas geadas, mas não deverá significar grande impacto econômico para o resultado total do Estado, explicou Simioni. Em relação às frutas, de acordo com o engenheiro agrônomo. Agrônomo Paulo Fernando de Souza Andrade, responsável técnico por essa área no Deral, as mais atingidas foram o pêssego e a ameixa, cultivares precoces e de meia estação que são frutas de clima temperado e estavam no período da florada, mais sensíveis aos efeitos do frio/geadas.

O Deral espera divulgar a primeira estimativa da safra 2013/14 que começa a ser plantada até o dia 6 de setembro. O aumento da produtividade foi o elemento fundamental que contribuiu para a safra recorde colhida este ano. O produtor recorreu a novas variedades de sementes, incorporou o conhecimento da pesquisa e da assistência técnica plantando variedades mais precoces, adubou corretamente as lavouras e fez o manejo correto e controle de pragas de forma mais intensiva, elementos que ajudaram a elevar a produtividade das lavouras, explicou a engenheira agrônoma Juliana Tieme Yagushi. A safra de soja atingiu 15,8 milhões de toneladas, também recorde, que correspondeu a um aumento de 46% sobre a safra anterior. A produtividade média da soja alcançada no Paraná foi 3.381 quilos por hectare, 37% acima da

Estado negocia implantação de corredores de transporte rápido O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná, Ratinho Junior, defendeu na quarta-feira (28), em Brasília, a liberação de recursos solicitados pelo Paraná, no último mês de julho, para cinco projetos de mobilidade urbana em Curitiba e Região Metropolitana. O secretário se reuniu com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, que informou que a União vai priorizar a implantação de quatro corredores de BRT - Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por Ônibus - que somam investimentos de R$ 550 milhões. Os recursos solicitados pelo Paraná somam R$ 1,25 bilhão e incluem também o Corredor Metropolitano, que ligará sete municípios

da Região Metropolitana e demanda investimento de R$ 707 milhões. O secretário Ratinho Júnior disse que o Governo do Paraná tem total interesse em realizar os projetos e a União deve definir como vai financiar as obras – se os recursos serão repassados pela União a fundo perdido ou se por meio de empréstimo. O ministro pediu para a próxima semana uma reunião técnica sobre o Termo de Referência para Regime Diferenciado de Contratação (RDC), uma novidade da Legislação Brasileira para agilizar as obras da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, permitindo a licitação conjunta do projeto e da obra, o que reduz os custos e torna

mais rápido o processo. Os projetos levados pelo Estado ao ministério incluem corredores de BRT que vão ligar os quatro maiores municípios da Região Metropolitana aos eixos de transporte de Curitiba - a Linha Verde Norte ao Terminal do Alto Maracanã, em Colombo, com o custo de R$ 175 milhões; a Linha Verde Sul à Fazenda Rio Grande, também com custo de R$ 175 milhões; o Aeroporto Afonso Pena ao bairro do Boqueirão, passando pelo Centro de São José dos Pinhais, com recursos de R$ 100 milhões; e mais uma linha para ligar o Terminal do bairro Capão da Imbuia até Pinhais, com investimento também de R$ 100 milhões.

Cerca de 800 imóveis vão ser regularizados na RMC O Governo do Estado iniciará os trabalhos de regularização fundiária nos municípios de Cerro Azul, Doutor Ulysses, Itaperuçu e Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. Aproximadamente 800 famílias serão beneficiadas com a ação que faz parte do Programa Pró-Rural. Os investimentos são de R$ 11 milhões financiados pelo Banco Mundial. Uma audiência pública, na quarta-feira (28), foi realizada em Cerro Azul para esclarecer todas as fases do programa até a entrega do título de propriedade. No município serão cadastradas 400 famílias de 7 a 18 de outubro. As equipes técnicas da Prefeitura, Emater e do Instituto de Terras,

Divulgação ITCG

O diretor-presidente do Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG), Amilcar Cabral, com as equipes da Emater e da Prefeitura de Cerro Azul, durante audiência pública

Cartografia e Geociências (ITCG) vão se deslocar nas 11 comunidades envolvidas. O objetivo do programa é dimi-

nuir as desigualdades regionais no Estado e contribuir para o aumento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

média de produtividade do ano anterior. A mesma situação ocorreu com o milho da primeira safra, que resultou em 7,14 milhões de toneladas, 8% acima da safra anterior, afirmou a engenheira agrônoma do Deral, Juliana Tieme Yagushi. A produtividade média alcançada no milho foi de 8.158 quilos por hectare, 17% acima da produtividade média alcançada na safra anterior (2011/12). As duas principais safras de feijão cultivadas no Paraná estão encerradas, restando uma terceira safra em campo que é restrita à região do Norte Pioneiro e volume pequeno com pouco impacto econômico sobre a safra total do Estado. Entre as três safras estão sendo colhidas 675 mil toneladas, volume 4% acima da safra passada. O feijão também foi muito prejudicado pelo clima, o que contribui para manter os preços firmes no mercado.

Estado amplia controle na gestão da Sanepar O novo acordo de acionistas assinado nesta semana amplia o controle do Governo do Paraná na gestão Sanepar. O grupo Dominó, sócio privado da estatal desde 1998, terá sua participação na administração reduzida. Com as alterações, o Dominó vai indicar apenas dois diretores da Sanepar e não quatro, como anteriormente. A Copel, que detém 45% das ações do Dominó, vai indicar um diretor e o Governo do Estado indicará cinco integrantes da direção da estatal de saneamento. Para compor a diretoria, os nomes indicados passarão obrigatoriamente pela análise e votação no Conselho de Administração (Cad) da companhia, que é formado por nove integrantes. A escolha deve levar em conta critérios técnicos e profissionais. A partir de agora, o plano de negócios da Sanepar, por exemplo, deve ser aprovado agora em Assembleia Geral Ordinária (AGO). Antes, tais planos recebiam aval somente do diretor Financeiro, diretor de Operações e do diretor Administrativo. Seguindo determinação do governador Beto Richa, o novo acordo também assegura que a Sanepar deve operar de acordo com o interesse público e na busca universalização dos serviços de saneamento no Estado.


Aroldo Murá G. Haygert

Contato com o jornalista: aroldo@cienciaefe.org.br

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A3

CRISTÃOS DO ORIENTE MÉDIO SOB AMEAÇA DE EXTINÇÃO Os cristãos não deveriam ser olhados como cidadãos estranhos ao Oriente Médio. Isto porque a história do cristianismo nasceu no Oriente Médio – na Terra Santa, Israel – e foi-se espraiando, já nos dias apostólicos, pelo Egito e Síria. Nesses dois países os cristãos não podem e não devem ser considerados como “outsiders”. Estão lá muito antes do Islamismo, que só nasceria no século VII da era cristã, com o profeta Maomé, cuja expressão do sagrado merece todo o respeito. Quem conhece a história da Igreja Cristã Primitiva, localiza os grandes momentos consolidadores do Cristianismo em terras egípcias – em seus desertos, particularmente – e na Síria. Falar, por exemplo, em monaquismo cristão e os primeiros movimentos monásticos, com seus monastérios históricos (um deles ainda em pé, o de Santa Catarina, no Egito) é ser introduzido num dos capítulos mais fascinantes dos monges do deserto com sua sabedoria, sua liturgia e a fascinante aventura que eles viveram como anacoretas ou cenobitas. Os mosteiros e as marcas dessas vidas e opções heroicas (e civilizatórias) estão na arqueologia de boa parte do Oriente Médio, e indissociáveis de sua História. Os estilitas (nada a ver com estilistas), apenas para citar um exemplo de marcas cristã no Oriente Médio, legaram-nos o grande exemplo de fé promovido por místicos que se isolava em cima de altas colunas. E lá chegavam a ficar anos, a rezar. Os santos do deserto, como Santo Antão, São Paulo de Tebas, entre outros tantos, foram os germinadores de uma fé que, depois, iria ser consolidada no Ocidente. Os cristãos coptas são o melhor exemplo dessas veias cristãs no Egito, como coptas e católicos de diversas expressões litúrgicas ainda sobrevivem na Síria. Mas estão ameaçados, o que nos mostra o noticiário dos últimos anos, com a acelerada destruição de lugares de culto, no Egito e Síria, além de perseguições às comunidades cristãs. O mesmo quadro se repete com o católicos caldeus do Iraque, onde vários templos, alguns históricos, foram destruídos pela sanha de fanáticos que se apresentam como muçulmanos. Isto muito embora a doutrina de Maomé não incentive tais atos criminosos, nem os apoie. A preocupação do mundo cristão do Ocidente com o que ocorre com seus irmãos no Oriente Médio está gerando movimentos internacionais de alerta. Um deles, nascido na França, começa a chegar ao Brasil, com a distribuição de decalques para au-

50% (de acordo com o censo de 1932) caiu para cerca de 40%. Ao longo dos últimos anos, o poder governante de fato no Líbano tornou-se o Hezbollah, o movimento xiita radical e fortemente armado patrocinado pelo Irã. Com toda a violência e instabilidade produzida pela guerra civil síria e o envolvimento aberto do Hezbollah na mesma, e/ou a próxima guerra que o Hezbollah decidir começar com Israel, a emigração dos cristãos do Líbano provavelmente só irá aumentar nos próximos anos, deixando os que ficam cada vez mais vulneráveis.”

PRIMAVERA ÁRABE

A FUGA DA SÍRIA

“Além disso, os terroristas islâmicos têm explorado o Sinai sem lei para perpetrar ataques brutais contra os cristãos egípcios de lá, como informou no início desta semana o New York Times. De fato, em todo o Egito, os coptas continuam a ser alvo e bode expiatório para a destituição da Irmandade Muçulmana. Mais de 2.000 anos atrás, o cristianismo nasceu como uma religião e se propagou de Jerusalém para outras partes do Levante, incluindo territórios em Israel moderno, Líbano, Síria, Iraque, Jordânia e Egito. A fé cristã floresceu como uma das grandes religiões do Oriente Médio até as conquistas muçulmanas do século VII.

LÍBANO MENOS PRECÁRIO

“No Líbano, os cristãos representam uma parcela maior da população, por isso o seu destino é agora menos precário do que o dos seus correligionários egípcios, mas suas perspectivas a longo prazo são preocupantes. A população cristã estimada em mais de

“Na Síria, 2,5 milhões de cristãos correspondem a cerca de 10% da população que precisa de alguma proteção sob o regime secular e muitas vezes brutal da dinastia Assad. Os cristãos têm sido regularmente atacados e mortos por rebeldes, e o caos e a violência que provavelmente irá prevalecer na esteira de Assad só vai aumentar o número de cristãos que fogem da Síria. No Iraque, o rescaldo sangrento da invasão de 2003 demonstrou como a vida pode se tornar perigosa para a minoria cristã, quando uma sociedade multicultural no Oriente Médio explode em violência sectária. Até 2008, metade dos 800 mil cristãos iraquianos foram estimados ter deixado o país, tornando aqueles que permanecem ainda mais inseguros. Em 2010, extremistas salafistas atacaram uma igreja de Bagdá durante a missa de domingo, matando ou ferindo quase toda a congregação. Tais incidentes transformam qualquer reunião comunitária num massacre potencial, obrigando os cristãos em todo o Oriente Médio a fazer a pergunta final de fé: “Estou preparado para morrer pelo culto cristão”? A chamada “Primavera Árabe” ameaça exacerbar as questões em grande parte do Oriente Médio, como os islâmicos agora querem controlar o governo ou influenciá-lo o suficiente para perseguir os cristãos com a impunidade. À medida que novos regimes islâmicos no Oriente Médio toleram a intolerância religiosa e introduzem a Sharia e as leis de blasfêmia, a tendência de longo prazo para os cristãos em suas terras ancestrais só vai crescer mais sombria. O único ponto positivo é o Estado de Israel - “o único lugar no Oriente Médio, onde os cristãos são realmente seguros”, de acordo com o vigário da Igreja de St. George. Em Israel é o único lugar no Oriente Médio onde a comunidade cristã cresce.“

Igreja copta incendiada

Crianças orando em ruinas da igreja incendiada

Manifestação contra perseguição aos cristãos

tomóveis convidando a que “salvemos os cristãos do Oriente”. A coluna de hoje é dedicada ao assunto, transcrevendo trechos do que o site Rua Judaica publicou ( enviado pela leitora Sheila Fligarz) semana passada, sobre o tema:

“DESTRUIÇÃO E PERSEGUIÇÃO”

“Cristãos do Egito estão sendo alvo e bode expiatório para a destituição da Irmandade Muçulmana. Um ativista egípcio de direitos humanos twittou que a Virgem Maria em Minya, uma das mais antigas igrejas no Egito, construída no século IV, foi destruída pelo fogo. E mais 40 igrejas foram supostamente queimadas desde então. Membros da Irmandade Muçulmana também foram atacando mosteiros, escolas, lojas e indivíduos.”

SINAI SEM LEI

Mapa da intolerância

Apesar da dominação muçulmana da região, ela é composta por cristãos com cerca de 20% da população do Oriente Médio, até o início do século XX. Hoje, porém, os cristãos compõem meros 5% do Oriente Médio e seus números estão rapidamente diminuindo. Escrevendo na edição de Inverno de 2001 da Middle East Quarterly, o estudioso Daniel Pipes estimou que os cristãos do Oriente Médio “provavelmente serão a metade de seus números no ano de 2020” por causa da diminuição da natalidade e um padrão de “exclusão e perseguição” levando à emigração.”

“A “Primavera Árabe” só tem piorado as condições para os cristãos do Oriente Médio. Como os curdos, os cristãos do Oriente Médio são uma minoria apátrida, lutando para sobreviver no local mais difícil do mundo. Mas os curdos, no mínimo, tem desfrutado autonomia parcial no Curdistão iraquiano, desde 1991, e a maioria deles é composta por muçulmanos sunitas, o que torna mais fácil para eles sobreviver no Oriente Médio. Os cristãos, por outro lado, são uma minoria religiosa que não controla nenhum território e vivem inteiramente sujeito aos caprichos de seus anfitriões. Estes países de acolhimento - com a exceção de Israel - oferecem um futuro sombrio para os cristãos do Oriente Médio. Lar de uma das mais antigas comunidades cristãs do mundo, o Egito também tem a maior população cristã do Oriente Médio, totalizando 12 milhões de pessoas. Os cristãos coptas representam apenas cerca de 10 a 15% do Egito, estimado em 80 milhões de pessoas, vêm por décadas vivendo no medo como cidadãos de segunda classe, sujeitos a ataques contra igrejas, vilas, casas e lojas; assassinatos da máfia, e o sequestro e conversão islâmica forçada de mulheres cristãs obrigadas a casar com homens muçulmanos. Este abuso ocorreu sob o regime firmemente secular de Hosni Mubarak, mas cresceu muito sob o governo de Mohammed Morsi, e agora eles estão sendo responsabilizados pela derrubada de Morsi.”

OPINIÃO DE VALOR

“Não à intervenção na Síria” Essa é a posição de cristãos do Oriente Médio É unânime a postura das comunidades cristãs do Oriente Médio. Um não rotundo à incursão militar que os Estados Unidos, Grã-Bretanha e França, com o apoio da Turquia e da Liga Árabe, estariam preparando como resposta ao uso de armas químicas por parte do presidente sírio Al Assad. Nas Igrejas consideram-na uma decisão que acarretará somente maiores problemas e não a tão desejada solução para guerra que há anos açoita a Síria. A reportagem é de Giorgio Bernardelli e publicada no sítio Vatican Insider, 28-08-2013. A tradução é de André Langer. Particularmente, ouve-se com força o “NÃO” que chega de Deir Mar Musa, o mosteiro que foi fundado na Síria pelo padre Paolo Dall’Oglio, o jesuíta sequestrado há quase um mês em Raqqa e de quem não se tem notícias. Um lugar que não pode ser acusado de

Santo Antonio do Deserto

apoiar o regime de Assad. “Encontramo-nos numa fase de extremo sofrimento – declarou nesta quarta-feira à agência Fides o padre Jacques Mourad, que se ocupa da direção do mosteiro desde que Dall’Oglio foi expulso do país no ano passado. Esperamos que os países ocidentais assumam uma posição justa diante desta tremenda crise síria. A postura correta é rechaçar qualquer tipo de violência, deter as armas, não colocar uns contra os outros, defender e proteger os direitos humanos”. Muito mais claramente, se acaso ainda há dúvidas, expressou-se a irmã Houda Fadoul, que junto com o jesuíta italiano fundou a comunidade feminina: “Não podemos aceitar ou aprovar uma intervenção armada das potências estrangeiras – explicou também à agência Fides. Continuamos com a nossa missão, que é a de elevar a Deus um culto espiritual, sobretudo para educar os jovens para o diálogo e a paz”. O patriarca sírio-católico Youssef III Younan também condenou com palavras muito duras a eventual intervenção, em uma entrevista para o sítio Terrasanta. net: “Em vez de ajudar as diferentes partes em conflito para que encontrem vias para a reconciliação, colocar em marcha o diálogo para as reformas baseadas em um sistema pluralista de governo, até agora estas potências somente armaram os rebeldes, incitando à violência e envenenando ainda mais as relações entre sunitas e xiitas. O Ocidente acredita que se os sunitas chegarem ao governo a democracia substituirá a ditadura, mas esta é uma enorme ilusão: mudar o regime com a força, sem dar garantias aos partidos de inspiração laica, desencadeará um conflito ainda mais dramático que aquele do Iraque”. Justamente de Bagdá, o patriarca caldeu Louis Raphael Sako falou de uma “catástrofe”. A intervenção militar estadunidense, declarou à agência Fides, “seria como provocar a erupção de um vulcão com uma explosão suficientemente forte para arrasar o Iraque, o Líbano e a Palestina. E talvez haja alguém que queira justa-

mente isto”. O patriarca dos caldeus citou o antecedente de seu país: “Após dez anos de intervenção da chamada ‘coalizão de voluntários’ que derrocou Saddam, nosso país continua sendo golpea- São Paulo de Tebas do pelas bombas, pelos problemas de segurança, pela instabilidade da crise econômica”. Do Líbano, o patriarca maronita Béchara Rai expressou claramente seu pensamento há alguns dias em uma entrevista à Rádio Vaticano: “Tudo o que está acontecendo no Oriente Médio (tanto no Egito como na Síria ou no Iraque) é uma guerra que tem duas dimensões. No Iraque e na Síria, a guerra é entre sunitas e xiitas; no Egito a guerra é entre fundamentalistas, entre a Irmandade Muçulmana e os moderados. São guerras sem fim, mas, e sinto dever dizê-lo, há países, sobretudo ocidentais (mas também do Oriente), que estão fomentando todos estes conflitos. É preciso encontrar uma solução para todos estes problemas”. Grande preocupação também surge em Jerusalém, onde o Custódio da Terra Santa, o padre Pierbattista Pizzaballa, indicou: “As imagens que temos da Síria são atrozes, falam por si mesmas – comentou em uma entrevista ao Franciscan Media Center. Mas, conhecendo o Oriente Médio, é muito mais difícil saber quem faz o quê. A comunidade política internacional deve encontrar soluções imediatas, através de pressões, para

Santo Antão

que tudo isto acabe de uma vez por todas. Não creio que, atualmente, na Síria, haja pessoas que tenham razão e pessoas que não tenham razão. Quando se usa a violência todos se equivocam”. Enquanto isso, o prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, o cardeal Leonardo Sandri, também lançou um enérgico apelo para retomar, “nestas horas de instabilidade” nas quais se “intensifica a oração pela situação na Síria”: “o ardente apelo do Papa Francisco no Angelus do domingo passado” que “levou consolo a toda a população síria, como asseguraram à Congregação para as Igrejas Orientais os pastores e fiéis que seguem invocando o dom da paz. Às comunidades da pátria-mãe se unem muitos orientais espalhados pelo mundo no mesmo apelo para que a reconciliação seja mais forte que o clamor das armas”. “A instância superior de paz e de vida – concluiu – deve prevalecer sobre qualquer outro interesse ou ressentimento particular. Sobre qualquer outra razão, para a comunidade internacional devem ser prioritários a reconciliação, a justiça e o respeito solidário dos direitos pessoais e sociais, inclusive religiosos, de todos os elementos da população do Oriente Médio”.


paraná

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A4

Saneamento

HUME Premoldados de Concreto Centrifugado Ltda, torna público que recebeu do IAP a prorrogação da Licença de Operação n. 10131 até a data 20/01/2014, para fabricação de Artefatos de Concreto em Rio Branco do Sul - PR.

Paraná vai cobrar água usada por indústrias

3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ Bel. Mônica Maria Guimarães de Macedo Dalla Vecchia Registradora Designada

  Faço saber que pretendem se casar:   01- GILBERTO KORNELIUS e CAROLINE REESE PEREIRA.   Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias. CURITIba, 29 DE AGOSTO de 2013

O projeto piloto abrange a bacia do Alto Iguaçu, na área que vai da RMC até União da Vitória Denis Ferreira Netto

EDITAL DE PROCLAMAS Cartório Distrital da Barreirinha JOAQUIM VIEIRA MACIEL - Titular Av. Anita Garibaldi ,1250 – Ahú – Fone (41) 3352-3002/3254-8424/3252-3605 Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem documentos exigidos pelo artigo 1525, incisos I, III e IV; I, III,IV e V do Código Civil Brasileiro em vigência, os contraentes: 1 - YURI KREUTZFELDT e JOCEMARE RIBAS; 2 - EDUARDO ARTUR JOST e VANESSA MAGALHÃES DA SILVA; 3 - GUILHERME QUEIROZ NASCIMENTO e CÁSSIA MICHALESKI LEAL; 4 - ANGELO AUGUSTO MARTINS e SOLANGE ISA MARIS GHIZZI; 5 - RODRIGO JACINTO BRAZ DUARTE e VERONICA REGINA DE PAULA GOES; 6 - BRUNO GUSTAVO SANTOS FREIRE e ANA CARLA DA ROCHA; 7 - EDILSON LOPES DA SILVA e RUTE QUEIROZ DA SILVA; 8 - MARCELO SCHUARTZ e ANA PAULA MARTINS MOREIRA. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 29 DE AGOSTO de 2013

EDITAL A diretora da AFASF- Associação Feminina de Apoio a Santa Felicidade do Municipio de Curitiba,no uso de suas atribuições convoca o quadro associado para se fazer presente da Assembléia, que se realizará no dia 17 do mês de setembro do corrente ano 2013,com inicio às 14:30h, em Primeira convocação e às 15:00h em segunda convocação, com qualquer número de participantes,na Sede da AFASF,sito à Rua Saturnino Miranda 208 sala 03,nesta cidade,com a seguinte: ORDEM DO DIA a)Escolha da Presidente,Secretária,Tesoureira,Conselho Diretor e Suplentes b)Assuntos gerais de interesse. Curitiba,30 de agosto de 2013 ROSE MERI S.BAGGIO Presidente

De acordo com a proposta, todas as indústrias que captam mais do que 1,8 litro de água por segundo - o que representa a captação aproximada de 75 mil litros de água por dia - para operação e produção, vão pagar pelo uso da água

A

partir do mês de setembro, aproximadamente 76 indústrias e grandes usuários que utilizam a água dos rios da Bacia do Alto Iguaçú e Afluentes do Alto Ribeira com finalidades comerciais, em seus processos de produção e operação, terão que pagar pelo uso da água. O Conselho Estadual de Recursos Hídricos aprovou na quartafeira (28) os mecanismos e valores da cobrança. O projeto piloto no Paraná abrange a bacia do Alto Iguaçu, na área que vai da Região Metropolitana de Curitiba até União da Vitória, localizada no Sul do Estado, incluindo 21 municípios em uma área de 5.870 quilômetros quadrados. De acordo com a proposta, todas as indústrias que captam mais do que 1,8 litro de água por segundo - o que representa a captação aproximada de 75 mil litros de água por dia - para operação e produção, vão pagar pelo uso da água. Também passarão a pagar os usuários despejam efluentes tratados e as

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5003434-89.2012.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : DH ALIMENTOS LTDA M E : RENATA BERCHIOR RUIZ : WILSON DA SILVA FARIAS JUNIOR EDITAL N.º 7474323 CITAÇÃO - PRAZO DE 30 (TRINTA) DIAS A DRA. GIOVANNA MAYER - MM. JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DA 5ª VARA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, NOS AUTOS ACIMA DISCRIMINADOS: FAZ SABER, aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial DH ALIMENTOS LTDA M E CNPJ/MF nº 04.660.836/0001-73, na pessoa de seu representante legal, ficando por este meio CITADO que por este Juízo e Secretaria da 5ª Vara Federal, se processa a Execução de Título Extrajudicial em epígrafe, e para, conforme dispõe o Artigo 652 do CPC, no prazo de 3 (três) dias, efetuar o pagamento do valor corrigido da dívida de R$ 147.443,49(cento e quarenta e sete mil quatrocentos e quarenta e três reais e quarenta e nove centavos), cálculo de 23/01/2012, acrescido das custas processuais e dos honorários advocatícios, fixados em R$ 5.000,00 (cinco mil reais ), sob pena de PENHORA E AVALIAÇÃO de tantos bens quantos bastem para a garantia do débito, cientificando-o que a verba honorária será devida pela metade, se o pagamento da dívida for efetivado dentro do prazo acima assinalado (art. 652-A § único do CPC), bem como do prazo de 15 (quinze) dias, independentemente de penhora, depósito ou caução (arts. 736 a 738 do CPC), para oposição de embargos à execução ou para depositar 30% do valor da execução, inclusive custas e honorários advocatícios e requerer o parcelamento do restante do débito em até 6 (seis) parcelas mensais, acrescidas de correção monetária (INPC) e juros de 1% (um por cento) ao mês (art. 745-A do CPC). E, para que chegue ao conhecimento de todos, o presente Edital será publicado e afixado na forma da lei. DADO E PASSADO nesta Cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos trinta e um (31) dias do mês de julho do ano de dois mil e treze (2013). Eu, ___________(Siro Sato), Supervisor de Processamentos Diversos, que o digitei e; eu, _____________(Kely Cristina Laurentino), Diretora de Secretaria da 5ª Vara Federal, Subseção Judiciária de Curitiba, que o conferi e subscrevi.

A Secretaria estadual da Saúde e demais entidades que participam do Grupo de Trabalho Saúde no Litoral já iniciaram a preparação das atividades para a Operação Verão 2013/2014. Durante reunião realizada na quarta-feira (28), em Paranaguá, o grupo tratou de ações para apoiar as atividades dos municípios e garantir atendimento adequado à população que cresce significativamente na temporada de verão. O GT Saúde no Litoral se reúne bimestralmente para discutir ações integradas para melhorar a qualidade de vida da população que vive na região. Apesar dos trabalhos serem focados nas demandas da população litorânea, os benefícios já conquistados refletem também durante a Operação Verão. No ano passado, por exemplo, o grupo propôs uma capacitação de boas práticas para comerciantes do setor de alimentação, como restaurantes, lanchonetes e padarias. ERRATA Na publicação do Balanço Patrimonial da C&D DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. feita na edição deste jornal do dia 28 de Agosto de 2013 página A8, onde se lê quadro das DEMONSTRAÇÂO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, leia-se: C&D - DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A Curitiba - PR DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EVENTOS

CAPITAL REALIZADO

LEGAL

ESTATUTÁRIAS

R$ Mil TOTAIS 1º Semestre

LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS

30/jun./12

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO

1.240

61

0

0

30/jun./13 1301

1 - LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO

0

0

0

(107)

(107)

9

0 0

0 0 61 (21)

0 0 0 (21)

(23) 6 0 (20)

2 - DESTINAÇÕES - Juros sobre Capital Próprio - Efeito dos Juros sobre o Capital Próprio - Absorção de Reserva - Distribuição de Dividendos SALDOS NO FINAL DO PERÍODO MUTAÇÕES DO PERÍODO

1553

0

0 0 (61) 0

1.240

0

0

(67)

1173

1.525

0

(61)

0

(67)

(128)

(28)

0

cúbico. Pelo despejo de efluentes (líquidos resultantes de processos industriais) será cobrado R$ 0,10 pelo quilo de demanda biológica de oxigênio (DBO) lançado no rio. "A principal mensagem que queremos passar com a cobrança é que a água passa a ter valor econômico, visando seu uso racional e a melhoria da sua qualidade com a redução do lançamento de efluentes e técnicas avançadas de tratamento de esgoto", ressalta Cheida. Os boletos de cobrança serão emitidos a todos os grandes usuários que possuem outorga - uma autorização que é concedida pelo Instituto das Águas do Paraná para uso da água de determinada fonte, com finalidade e prazo especifico. Dados do Instituto das Águas do Paraná , autarquia da Secretaria do Meio Ambiente, informam que cerca de 4,2 mil usuários têm outorga para captar água ou despejar dejetos nos rios no Paraná. "Quem vai pagar são aqueles que utilizam os recursos hídricos de forma significativa, retirando

Estado e municípios do Litoral discutem ações da Operação Verão

Giovanna Mayer Juíza Federal Substituta

RESERVAS DE LUCROS

companhias de saneamento. O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, disse que o momento é histórico. "Vamos começar a cobrar dos grandes usuários que utilizam a água na bacia mais impactada pela poluição, que é a do Alto Iguaçu. Em contrapartida, vamos recompensar financeiramente proprietários e agricultores que preservam fontes de água e mananciais de abastecimento", anunciou Cheida. O Paraná será o primeiro estado da região Sul a instituir a cobrança pelo uso da água por esses grandes consumidores. A medida tem como objetivo principal educar a sociedade, dar um valor econômico para a água e com isso incentivar o seu uso racional. O valor que será pago é praticamente simbólico, R$ 0,01 centavo por metro cúbico de água captada diretamente nos rios. Para os grandes usuários que captam a água de poços ou aqüíferos - as chamadas águas subterrâneas - o valor cobrado será de R$ 0,02 o metro

Durante reunião em Paranaguá, o grupo tratou de ações para apoiar as atividades dos municípios e garantir atendimento adequado à população que cresce significativamente na temporada de verão

O curso possibilitou uma sensível melhora nas condições de higiene e no preparo dos alimentos disponíveis para a venda no Litoral. Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, o objetivo é desenvolver ações para proteger a saúde da população, seja ela local ou veranista. “Como a demanda cresce, o Estado se compromete a enviar reforço de equipes e equipamentos para apoiar os municípios. A partir de agora vamos nos reunir com as prefeituras e discutir de que forma essa parceria pode ser ampliada. Quem ganha é a população”, destacou. Além das ações de vigilância sanitária, a área de controle de doenças e vigilância ambiental – que envolve o controle de acidentes com animais peçonhentos, como águas-vivas, mariposas, abelhas, cobras e aranhas

– também será fortalecida. Para a coordenadora do Centro de Saúde Ambiental, Ivana Belmonte, é comum que os acidentes com animais peçonhentos aumentem no verão. “As equipes de saúde tem que estar capacitadas para atender da melhor forma os casos que porventura cheguem nas unidades de saúde”, explicou. A partir de setembro, a 1ª Regional de Saúde de Paranaguá vai realizar reuniões periódicas com as secretarias de saúde dos sete municípios do Litoral para discutir ações conjuntas para a Operação Verão. A diretora da 1ª Regional de Saúde, Ilda Fujimoto, afirma que o diálogo vai permitir que se faça uma avaliação sobre o que foi feito na edição passada e o que pode ser melhorado para este ano.

água dos rios ou de poços e lançando carga orgânica diretamente nos rios da bacia, tal como as indústrias, mineradoras e prestadoras de serviço de abastecimento urbano", explicou o presidente do Instituo das Águas do Paraná, Márcio Nunes. Márcio Nunes explica que a cobrança não é um imposto, mas uma remuneração pelo uso de um bem público. O preço foi fixado a partir de um pacto entre os usuários da água - grande parte formado pelas indústrias, a sociedade civil e o poder público que integram os Comitês de Bacia Hidrográfica. "Ou seja, para instituir esta cobrança, o Governo do Paraná cumpriu várias etapas e discutiu com a sociedade como ela seria feita. Um grande avanço", completou Márcio. A lei determina que 92,5% dos recursos advindos da cobrança pelo direito de uso da água sejam aplicados na bacia onde foi arrecadado, e 7,5% aplicados no custeio do Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos.

Campanha de vacina termina hoje A campanha nacional de atualização de vacinação para crianças menores de 5 anos termina nesta sexta-feira (30). A Secretaria Municipal de Saúde ressalta a importância de os pais comparecerem em uma das 109 unidades básicas de saúde para conferir se a carterinha de seus filhos está em dia. Estão disponíveis nas unidades de saúde doses das seguintes vacinas: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavirus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), e DTP (difteria, tétano e coqueluche).

Desfile Cívico no Pinheirinho abre Semana da Pátria A Prefeitura promove neste domingo (01), entre 9 horas e meio-dia, o Desfile Cívico do Pinheirinho. Com 10 mil inscritos, o desfile acontecerá na Avenida Winston Churchill, desde a Rua da Cidadania do Pinheirinho até a Linha Verde. A Banda Lyra fará a abertura do evento, que marca a abertura da Semana da Pátria. O tema do desfile neste ano – “Viagem ao Mundo da Literatura: Uma Riqueza em Nossa Cultura” – é um estímulo à doação de livros em bom estado.


Contexto Político Eles ajudaram a salvar Donadon

Quatro deputados paranaenses ajudaram a salvar o mandato do deputado Natan Donadon, na noite de quarta-feira, na Câmara Federal. Eles estavam na sessão, marcaram presença, mas não votaram. De acordo com uma lista fornecida pela própria Câmara Federal, entre os 104 deputados ausentes ou que não votaram, não participaram da votação, os deputados Angelo Vanhoni, do PT; André Zacharow, do PMDB; Eduardo Sciarra, do PSD; e Nelson Padovani, do PSC. Ausente da sessão apenas Abelardo Lupion, do DEM. Na primeira listagem, divulgada nesta quinta-feira, os cinco paranaenses eram tidos como “gazeteiros”.

Vergonha

O deputado Marcelo Almeida, do PMDB, que coordena a bancada paranaense no Congresso Nacional, classifica como “uma vergonha para a Câmara” a manutenção do mandato de Natan Donadon. Ele não tem dúvida que foi “preservação da espécie”. Para ele, quem votou a favor de Donadon é porque “também tem telhado de vidro e se viu no lugar dele”. -- Foi preservação da espécie, infelizmente. Foram 172 Donadons se olhando no espelho: 131 que votaram contra o relatório e 41 que se abstiveram, lamentou.

Sciarra

O deputado Eduardo Sciarra, líder do PSD na Câmara, encaminha nota à imprensa esclarecendo que não estava presente à sessão que manteve o mandato do deputado Natan Donadon, por compromissos previamente agendados. Segundo ele, participou das atividades durante o dia e embarcou no final da tarde para São Paulo, e, por esse motivo, constava na lista de

Roseli Abrão

Diário Indústria&Comércio

roseli@roseliabrao.com.br

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A5

presentes na Casa. O deputado paranaense destacou que, numa votação aberta, votou a favor da cassação de Donadon na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Suplente

O suplente do deputado afastado, mas não cassado, Natan Donadon, Amir Lando, do PMDB de Rondônia, assumiu nesta quinta-feira o mandato parlamentar pelo tempo restante até o fim desta legislatura, em 1º fevereiro de 2015. Lando afirmou que irá lutar pelo voto aberto nas votações de cassação de mandatos.

Atrás do prejuízo

Depois de ter sua imagem arranhada com a absolvição do deputado Natan Donadon, condenado pelo Supremo Tribunal Federal por crime de peculato e formação de quadrilha, a Câmara Federal pode apressar a votação da Proposta de Emenda à Constituição, de autoria do senador Alvaro Dias, que prevê o voto aberto na cassação de mandatos de parlamentares.

PEC

A PEC do voto aberto já foi aprovada no Senado e pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara. Agora aguarda votação na comissão especial, antes de ser analisada pelo Plenário. Se for aprovado pedido de urgência para a matéria, ela poderá ser apreciada diretamente pelo plenário.

Em defesa...

O deputado paranaense Dr. Rosinha, refutou o que ele chamou de

Crédito

Caixa deixará de financiar grandes empresas Banco concentrará a atuação no crédito a pequenas empresas e a pessoas físicas

“tentativa de jogar no colo do PT” a culpa pela não cassação do mandato do deputado Natan Donadon. Segundo Dr. Rosinha, o PT teve um percentual de presença na sessão de ontem de 76,1% - -maior que o do PP (63,2%), que o do PSD (73,3) e que o do PSB (76%).

... do PT

Rosinha atesta que entre os partidos com mais de dez deputados, nenhum apresentou presença superior a 90%, nem mesmo os de oposição. O DEM, por exemplo, teve um percentual de frequência bem próximo ao do PT: 78,6%. O PPS, 81,8%. -- Esses dados demonstram que, assim como minha avaliação publicada na madrugada de quarta-feira houve quebra de presença em todos os médios e grandes partidos, atesta.

Culpa do presidente

Dr. Rosinha culpou o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, que, segundo ele, colocou o processo em votação com um plenário parcialmente esvaziado.

Zé Dirceu

O ex-ministro José Dirceu, condenado pelo STF no esquema “mensalão”, virá a Curitiba na próxima quarta-feira para participar de um debate promovido pelo PT paranaense sobre Reforma Política – Constituinte e Movimentos Sociais. O debate será às 19 horas, na sede da APP Sindicato, na Avenida Iguaçu, e terá a participação, também, de Regina Cruz, da CUT do Paraná; Roberto Baggio, do MST; e Cláudio Ribeiro, fundador do PT.

Superávit primário do Governo Central fica em R$ 3,7 bi em julho O esforço fiscal do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) nos primeiros sete meses deste ano atingiu R$ 38,1 bilhões. O resultado é 26,7% inferior ao do mesmo período do ano passado. Em julho, o superávit primário somou R$ 3,7 bilhões, resultado 7,1% inferior ao do mesmo mês do ano passado. As informações foram divulgadas ontem pelo Tesouro Nacional. A queda no superávit primário em 2013 ocorre principalmente porque as despesas continuam crescendo em ritmo maior do que o das receitas. De janeiro a julho, a receita total do Governo Central subiu 7,9%, mas os gastos aumentaram 12,8%, puxados pelas despesas de custeio (manutenção da máquina pública), que aumen-

taram 15% em relação aos sete primeiros meses de 2012. Os investimentos, que englobam as obras públicas e a compra de equipamentos, permaneceram estáveis em R$ 38,8 bilhões no acumulado de janeiro a julho, na comparação com o mesmo período do ano passado. O crescimento acumulado desse tipo de gasto somava 8,8% até abril, 2,3% até maio e 1% até junho. Os gastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) aumentaram 6,8% nos sete primeiros meses do ano com relação ao mesmo período do ano passado, somando R$ 26,4 bilhões. Até maio, o crescimento acumulado somava 15,7%, e, até junho, 7%. Houve, portanto, uma desaceleração nos desembolsos.

Orçamento para 2014 prevê redução de investimentos da Petrobras

Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega a manutenção dos empréstimos do banco às grandes companhias exigiria que o Tesouro Nacional reforçasse o capital da instituição financeira

A

Caixa Econômica Federal vai deixar de financiar grandes empresas, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, o banco concentrará a atuação no crédito a pequenas empresas, a pessoas físicas e no financiamento habitacional. Segundo o ministro, a manutenção dos empréstimos do banco às grandes companhias exigiria que o Tesouro Nacional reforçasse o

capital da instituição financeira. Ele ressaltou que existe uma limitação de recursos que obriga o governo a definir um foco para as atividades da Caixa. “A Caixa tem de ter um foco e precisaria de mais capital para continuar a fornecer financiamentos corporativos [crédito a grandes empresas]. É claro que os recursos são limitados e nos obriga a não capitalizar ainda mais a Caixa”,

declarou. Para Mantega, as grandes empresas não precisam do crédito da Caixa, e podem obter os mesmos empréstimos em outros bancos. “O empréstimo corporativo é feito para as grandes empresas. Elas são as que menos precisam de crédito no Brasil. O que a Caixa precisa fazer é emprestar a pequenas empresas e a pessoas físicas e a financiar a habitação”,

justificou. O ministro destacou que as grandes empresas podem pegar empréstimos oficiais no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), cujo papel, como banco de fomento, consiste em estimular a produção. “A Caixa tem um foco, assim como o BNDES tem o seu, que é [financiar] a indústria, as exportações e a inovação”, acrescentou.

Eventual reajuste de combustível não será motivado pelo câmbio, diz Mantega Um eventual reajuste dos combustíveis não será motivado pela forte alta do dólar nos últimos meses, disse ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele evitou confirmar se a gasolina e o diesel nas refinarias vão subir de preço antes do fim do ano, mas disse que a cotação da moeda norte-americana não provocará o aumento. “Existe um critério que a Petrobras segue. Os reajustes não se dão imediatamente depois que muda o preço do combustível internacional. A empresa segue uma política normal de reajustes periódicos adequados”, disse o ministro. Apesar de confirmar que os reajustes são periódicos, o ministro não estipulou data para um novo aumento. “Não estou anunciando que vai ter ou não ter [o reajuste dos combustíveis]. Todo ano tem reajustes, até mais de uma vez por

ano, mas até agora nada está definido. O que quis dizer é que um eventual aumento não terá nada a ver com a flutuação muito brusca do câmbio”, explicou. Neste ano, os combustíveis que saem às refinarias sofreram dois reajustes. Em janeiro, a gasolina aumentou 6,6%; e o diesel, 4,4%. Em março, a Petrobras elevou o preço do diesel em mais 5%. Nas bombas, o preço é livre. Apesar das alegações do ministro de que existe uma defasagem nos reajustes dos combustíveis, a alta do dólar pressiona as contas da Petrobras, que precisa importar gasolina e óleo diesel para cobrir a demanda doméstica e compensar a falta de refinarias no país. No início do mês, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, confirmou que a estatal pediu ao governo um aumento de até 15% nos preços dos combustíveis.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega evitou confirmar se a gasolina e o diesel nas refinarias vão subir de preço antes do fim do ano

Ao detalhar os gastos das estatais previstos no Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2014, entregue ontem ao Congresso Nacional, a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, anunciou uma redução de R$ 800 milhões nos investimentos da Petrobras no país. Também haverá redução de R$ 4 bilhões nos investimentos em subsidiárias e projetos da estatal no exterior. A redução dos aportes no Brasil está relacionada às obras que exigirão menos investimentos no próximo ano do que em 2013, como a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, a modernização de instalações e a construção de novas unidades de exploração de petróleo.

Miriam Belchior explicou que, mesmo com esses cortes, que estabelecem os gastos da Petrobras em R$ 78 bilhões no país, contra R$ 78,8 bilhões em 2013, a companhia “continuará tendo a segunda maior carteira de investimentos entre todas as petroleiras do mundo, com um investimento gigantesco para vencer o desafio da exploração do pré-sal”. Segundo a ministra, essa nova política de gastos da estatal vai resultar em uma economia total de R$ 13 bilhões em relação ao orçamento da estatal em 2013, “mas, mesmo assim, a diferença será só de R$ 800 milhões, e os restantes R$ 12,2 milhões serão reaplicados em novos investimentos que a Petrobras está programando”

Saúde será o ministério com mais dinheiro em 2014 No Orçamento previsto para 2014, a pasta da Saúde será novamente a que vai receber mais dinheiro (R$ 80,65 bilhões), a exemplo do orçamento para 2013, quando a previsão orçamentária foi R$ 76,67 bilhões. Graças ao Programa Mais Médicos e a outros projetos do Ministério da Saúde, será também a pasta cujo orçamento receberá o maior aumento (mais R$ 3,97 bilhões). Os gastos com conclusão de projetos para a Copa de 2014 e as economias feitas com custeio administrativo implicam redução de R$ 866,6 milhões nas despesas do Poder Executivo, previstas no orçamento de 2014, na comparação com 2013. Os valores apresentados não consideram obras vinculadas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). De acordo com a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, as despesas dos ministérios foram todas

ampliadas ou mantidas. “Alguns poucos ministérios tiveram redução, e os motivos ficaram restritos a casos envolvendo Copa do Mundo ou custeio administrativo”, disse a ministra. A maior parte da economia prevista no projeto de Lei Orçamentária de 2014, divulgado ontem pelo governo federal, será com custeio administrativo (R$ 589,9 milhões). O Ministério da Fazenda responderá por uma redução de R$ 342,8 milhões. As despesas com a conclusão de projetos ligados à Copa serão menores em R$ 276,7 milhões, na comparação com o projeto de lei orçamentária anual de 2013. No Ministério do Turismo, a redução será R$ 123,5 milhões; e no do Esporte, R$ 153,2 milhões. A pasta que obteve maior alta na previsão de orçamento foi a da Saúde, com uma variação positiva de quase R$ 4 bilhões, passando dos R$ 76,67 bilhões para R$ 80,65 bilhões.


negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A6

Banco Petra S.A.

CNPJ/MF nº 11.758.741.0001-52 Relatório da administração - 1º semestre de 2013 Apresentamos a seguir o Relatório da Administração do Banco Petra S/A referente ao 1º semestre de no mês de junho, quando o país foi tomado por uma onda de manifestações em que a insatisfação da relevante do patrimônio sob administração e custódia da Petra. A nova regulação agregou mudanças forma mais intensa a redução de custos promovida na Petra - Personal Trader CTVM S/A, controlada do 2013, de acordo com o que estabelece o Banco Central do Brasil. Eventos Relevantes: O primeiro sociedade com a condução do país em todas as esferas e poderes da administração foi evidenciada. importantes nas responsabilidades das partes envolvidas na condução de um FIDC. Mudanças que Banco. Isso porque será concluída a implementação de uma série de medidas de ajuste de escopo da semestre de 2013 foi um período com um número grande de eventos marcantes no Brasil. No ambiente Ainda em junho, as turbulências internas foram acirradas pela percepção dos agentes econômicos de geraram necessidade de reformulação de processos, investimentos em tecnologia e ajustes na empresa que permitiu uma importante redução da estrutura de pessoal e administrativa relacionada aos econômico, acompanhamos o Banco Central voltar a elevar os juros para conter a dinâmica dos preços, que a recuperação da economia americana levaria o FED a iniciar um movimento de retirada dos estrutura de custo para serem implementadas. Resultados importantes: A geração de receita: No negócios com corretagem de ações. Da mesma forma, será na segunda metade do ano que se uma vez que a inflação acumulada em 12 meses passou a se aproximar do teto da meta. Esta decisão, estímulos econômicos que vem concedendo. A preocupação dos investidores com essa possibilidade primeiro semestre de 2013 as receitas de prestação de serviços do Banco Petra cresceram 55,74% evidenciarão os efeitos das alterações no marco regulatório dos fundos de recebíveis. Mudanças que ainda que tecnicamente adequada ao sistema de metas, veio de encontro a um desejo claro do governo desencadeou um processo de elevação dos juros dos títulos públicos nos Estados Unidos, que teve saindo de R$ 6,71 milhões no mesmo semestre do ano anterior para atingir R$ 10,45 milhões ao final vão interferir na estrutura de custos da empresa, mas que tendem a impactar também o universo de central em manter a taxa de juros em patamares mais baixos. Também na primeira metade do ano vimos como efeito colateral uma intensa valorização do dólar em relação a outras moedas, entre elas o real e de junho. Os resultados no período: O resultado do Banco Petra no primeiro semestre de 2013 ficou prestadores de serviços de administração e custódia de fundos estruturados favorecendo a atuação de se dispersar na sociedade uma sensação de descrença em relação à capacidade do governo de liderar um crescimento expressivo da volatilidade. Essa conjunção da frustração doméstica com as novas próximo à estabilidade, com um lucro de R$ 2 mil. O resultado foi especialmente impactado por duas uma instituição como o Banco Petra, especializada neste segmento. Entendemos que o cenário o país no processo de retomada do crescimento. O nível de confiança de empresários e consumidores premissas para a economia americana motivou um forte movimento de venda de ativos brasileiros em circunstâncias: o desempenho das contas de receitas de intermediação financeira e de equivalência econômico dos próximos meses ainda será intensamente marcado pela volatilidade. Entretanto, em entrou em uma tendência claramente declinante e a resultante mais eloquente deste processo pôde ser junho que, culminou com a intensa desvalorização dos papéis locais, tanto no ambiente de renda fixa patrimonial. As perspectivas: A consistência na evolução das receitas de prestação de serviços do virtude dos mandatos já fechados ainda em fase de implementação e do crescente reconhecimento do visto nos números do PIB do primeiro trimestre. A expansão do produto interno veio bem abaixo das como no mercado de renda variável. Sob a ótica do Banco Petra mais especificamente, além da Banco Petra voltou a se comprovar neste primeiro semestre de 2013, ainda que os resultados tenham nosso mercado alvo em relação à qualidade dos serviços prestados pelo Banco, entendemos que expectativas e mostrou uma surpreendente estabilidade do consumo sugerindo a exaustão do modelo deterioração do ambiente, o evento mais importante do primeiro semestre foi a divulgação pela CVM do sido impactados por algumas questões pontuais, não recorrentes e que tendem a ser revertidas, ao estamos preparados para mantermos o forte ritmo de crescimento de receita e acelerarmos o ritmo de de estímulos adotado no Brasil. Mas o momento mais tenso do primeiro trimestre acabou por acontecer novo marco regulatório dos fundos de investimento em direitos creditórios, FIDCs, que compõe parcela menos em parte, no segundo semestre do ano. Também no segundo semestre devemos sensibilizar de geração de resultados neste ano de 2013. Demons ações con ábe s pa a os semes es ndos em 30 de unho de 2013 e de 2012 Va o e e p e o em m ha e de ea e e o e nd ado de ou a o ma Balanços patrimoniais Demonstrações do resultado Demonstrações dos fluxos de caixa Individual Consolidado Individual Consolidado Individual Consolidado Individual Consolidado Ativo Notas 2013 2012 2013 2012 Passivo e Patrimônio Líquido Notas 2013 2012 2013 2012 Notas 2013 2012 2013 2012 2013 2012 2013 2012 Ativo circulante 6.877 10.973 13.692 20.147 Passivo circulante 3.128 8.654 8.345 18.841 Receitas da intermediação financeira (333) 651 (59) 1.137 Atividades operacionais Disponibilidades 4 510 135 659 256 Depósitos 15 1.210 7.325 1.200 7.324 Resultado de operações Lucro do semestre 2 1.079 2 1.079 Aplicações interfinanceiras de liquidez 5 2.471 8.657 6.801 12.353 Depósitos à vista 1.210 7.325 1.200 7.324 com títulos e valores mobiliários (677) 641 (484) 1.127 Ajustes ao lucro líquido 309 (239) 91 268 Operações compromissadas 1.501 8.141 5.831 11.837 Relações interfinanceiras 39 1 39 1 Operações de venda ou de Depreciações e amortizações 263 208 295 247 Aplicações em depósitos interfinanceiros 970 516 970 516 Recebimentos e pagamentos a liquidar 39 1 39 1 transferência de ativos financeiros 344 10 425 10 Equivalência patrimonial 236 (567) (11) (139) Títulos e valores mobiliários 6 1.214 – 2.397 853 Outras obrigações 1.879 1.328 7.106 11.516 Despesas da intermediação financeira (11) (12) (11) (12) Atualização de título patrimonial – – (3) (3) Carteira própria 1.214 – 1.214 17 Cobrança e arrecadação de tributos e assemelhados 6 4 6 3 Operações de captação no mercado (11) (12) (11) (12) Ajuste de atualização de títulos e valores mobiliários – – – (19) Vinculados à prestação de garantias – – 1.183 836 Fiscais e previdenciárias 16 415 521 512 773 Resultado bruto da intermediação financeira (344) 639 (70) 1.125 Constituição de crédito tributário (76) 107 (76) 107 Relações interfinanceiras 110 80 110 80 Negociação de intermediação de valores – – 4.856 9.498 Outras receitas/(despesas) operacionais 589 784 492 526 Prejuízo na alienação de bens – 13 – 75 Pagamentos e recebimentos a liquidar 10 35 10 35 Diversas 11 1.458 803 1.732 1.242 Receitas de prestação de serviços 19 10.448 6.709 17.562 11.984 Ajuste do exercício anterior (114) – (114) – Créditos vinculados 7 100 45 100 45 Exigível a longo prazo – – 808 – Despesas de pessoal 20 (4.769) (3.524) (5.650) (4.596) Variações em ativos e passivos 329 4.813 (652) 1.967 Outros créditos 2.277 1.999 3.322 6.400 Outras obrigações – – 808 – Outras despesas administrativas 21 (3.750) (2.273) (8.816) (5.753) Aumento em depósitos interfinanceiros (21) (279) (21) (279) Rendas a receber 9 1.901 1.664 2.154 2.437 Diversas 11 – – 808 – Despesas tributárias (1.023) (688) (1.743) (1.236) Aumento em títulos e valores mobiliários (192) (538) (220) (3.787) Negociação de intermediação de valores 10 – – 450 2.924 Patrimônio líquido 17 13.164 13.456 13.164 13.456 Resultado de participações em Aumento em relações interfinanceiras 29 (72) 29 (72) Diversos 11 376 335 718 1.039 Capital social - domiciliado no País 17.956 17.956 17.956 17.956 coligadas e controladas (236) 567 11 139 Aumento em outros créditos (272) (1.070) 799 (1.607) Outros valores e bens 295 102 403 205 Ajustes a valor de mercado - TVM (46) (4) (46) (4) Outras receitas operacionais 2 1 57 43 Aumento em outros valores e bens (202) (7) (279) (82) Outros valores e bens 4 5 4 5 Prejuízos acumulados (4.746) (4.496) (4.746) (4.496) Outras despesas operacionais (83) (8) (929) (55) Aumento em depósitos à vista 439 6.224 435 6.223 Despesas antecipadas 291 97 399 200 Total do passivo e patrimônio líquido 16.292 22.110 22.317 32.297 Resultado operacional 245 1.423 422 1.651 Aumento/(redução) em captações no mercado aberto – (10) – (10) Ativo realizável a longo prazo 5.366 6.218 6.259 9.474 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis Resultado não operacional – (13) 2 (75) Aumento em outras obrigações 520 433 (1.602) 1.283 Títulos e valores mobiliários 3.438 4.174 4.331 7.421 245 1.410 424 1.576 Imposto de renda e contribuição social pagos 28 132 207 298 avaliação sobre as probabilidades de êxito. k) Passivo circulante e exigível a longo prazo: Resultado antes da tributação sobre o resultado Carteira própria 6 3.438 4.174 4.331 7.421 22 (243) (331) (422) (497) Caixa líquido aplicado nas atividades operacionais 640 5.653 (559) 3.314 Demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as Imposto de renda e contribuição social Outros créditos 1.928 2.044 1.928 2.053 Imposto de renda e Atividades de investimento variações monetárias em base pro-rata dia incorridos, deduzidos das correspondentes despesas a Diversos 11 1.928 2.044 1.928 2.053 contribuição social - correntes (167) (224) (346) (390) Alienação/aquisição de investimento – – – (50) apropriar. l) Provisão para imposto de renda e contribuição social: A provisão para imposto de renda Permanente 4.049 4.919 2.366 2.676 Imposto de renda e Aquisição de imobilizado de uso (106) (45) (106) (28) foi constituída à razão de 15% sobre o lucro real, acrescido de adicional de 10% sobre a parte desse Investimentos 12 2.201 3.034 140 289 contribuição social - diferidos (76) (107) (76) (107) Aplicações no intangível (80) (56) (80) (56) Títulos patrimoniais – – 105 100 2 1.079 2 1.079 Caixa líquido aplicado em atividades de investimento (186) (101) (186) (134) lucro que excedeu a R$240 no ano. A contribuição social é calculada sobre o lucro líquido antes do Lucro líquido do semestre Participações em coligadas e controladas 2.201 3.034 35 189 Nº de ações 17.955.577 17.955.577 17.955.577 17.955.577 Aumento líquido de caixas e equivalentes de caixa 454 5.552 (745) 3.180 imposto de renda, à alíquota de 15%. m) Apuração do resultado: As receitas e despesas das operações Imobilizado de uso 13 1.476 1.588 1.849 2.082 0,00 0,06 0,00 0,01 Caixa e equivalentes de caixa no início do semestre 1.557 2.724 7.235 8.913 ativas e passivas são apropriadas pelo regime de competência. Os valores sujeitos à variação monetária Lucro líquido por ação (em R$) Outras imobilizações de uso 2.377 2.148 2.930 2.771 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis Caixa e equivalentes de caixa no final do semestre 2.011 8.276 6.490 12.093 são atualizados “pro rata” dia. n) Resultado por ação: O lucro líquido por ação é calculado em reais com (Depreciações acumuladas) (901) (560) (1.081) (689) 454 5.552 (745) 3.180 12. Investimentos: Conforme Nota nº 1, em 30 de setembro de 2011, a Corretora tornou-se subsidiária Aumento em caixa e equivalentes de caixa base na quantidade de ações em circulação, na data dos balanços. 4. Caixa e equivalentes de caixa: do Banco e o saldo de investimento, composto pela participação na Corretora, é conforme quadro a seguir: Intangível 14 372 297 377 305 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis Foram considerados como caixa e equivalentes de caixa os seguintes montantes: Ativos intangíveis 677 459 689 471 Individual Individual Consolidado 21. Outras despesas administrativas: (Amortizações acumuladas) (305) (162) (312) (166) Individual Consolidado 2013 2012 2013 2012 2013 2012 Total do ativo 16.292 22.110 22.317 32.297 2013 2012 2013 2012 Informações sobre a controlada Despesas de processamento de dados (a) 1.570 1.070 1.811 1.392 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis Disponibilidades 510 135 659 256 Número de ações de capital 5.930 5.930 Despesas de serviços técnicos especializados (b) 587 197 4.469 2.229 Aplicações interfinanceiras de liquidez (Nota nº 5) Patrimônio líquido Demonstrações das mutações do patrimônio líquido Despesas de aluguéis 276 191 557 506 revendas a liquidar - posição bancada 1.501 8.141 5.831 11.837 Capital social 5.930 5.930 Ajuste de Prejuízos Despesas de depreciação e amortização 263 208 294 246 Ajuste a valor de mercado (47) (6) 2.011 8.276 6.490 12.093 Capital avaliação acumuDespesas de multas 157 – 157 – Reservas de capital 65 60 5. Aplicações interfinanceiras de liquidez social patrimonial lados Total Despesas de viagens 117 61 148 121 Prejuízo líquido de exercícios anteriores (3.510) (3.495) Individual Saldos em 31 de dezembro de 2011 13.500 – (5.575) 7.925 Despesas de serviços do sistema financeiro 110 74 329 320 2013 2012 2013 2012 Aumento de capital 4.456 – – 4.456 Despesas de comunicação 75 63 158 212 Informações sobre o investimento na controlada De 03 meses De 03 meses Ajuste reflexo ao valor de mercado - títulos e valores mobiliários – (4) – (4) Despesas de material 59 26 86 53 Número de ações possuídas 5.930 5.930 Até 03 meses a 01 ano Até 03 meses a 01 ano Lucro líquido do semestre – – 1.079 1.079 Despesas de água, energia e gás 38 40 62 75 Percentual de participação (%) 100 100 Operações compromissadas (*) 1.501 – 8.141 – Saldos em 30 de junho de 2012 17.956 (4) (4.496) 13.456 Despesas de publicações 20 – 30 – Movimentação dos investimentos no semestre Depósitos interfinanceiros – 970 – 516 Saldos em 31 de dezembro de 2012 17.956 (10) (4.634) 13.312 Despesas de manutenção e conservação de bens 15 17 33 42 Saldo inicial 2.475 2.473 1.501 970 8.141 516 Ajuste ao valor de mercado - títulos e valores mobiliários – 2 – 2 Despesas de transportes 7 15 60 67 Resultado de equivalência patrimonial (236) 567 Ajuste reflexo ao valor de mercado - títulos e valores mobiliários – (38) – (38) Consolidado Despesas de propaganda e publicidade 6 25 6 25 Ajuste a valor de mercado no patrimônio líquido (38) (6) Ajuste do exercício anterior – – (114) (114) 2013 2012 Despesas de promoções e relações públicas 1 38 11 39 Saldo final 2.201 3.034 Lucro líquido do semestre – – 2 2 De 03 meses De 03 meses Multas aplicadas pelo Banco Central do Brasil (c) 157 – 157 – No consolidado, em 30 de junho de 2013, o saldo de investimentos é composto por títulos patrimoniais da Bolsa Saldos em 30 de junho de 2013 17.956 (46) (4.746) 13.164 Até 03 meses a 01 ano Até 03 meses a 01 ano 292 248 448 426 de Valores do Paraná no valor de R$ 105 (R$ 100 em 2012) e pela participação em uma coligada conforme tabela: Outras despesas administrativas (d) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis Operações compromissadas (*) 5.831 – 11.837 – Total 3.750 2.273 8.816 5.753 Petra Capital Gestão de Investimentos Ltda. Depósitos interfinanceiros – 970 – 516 (a) Refere-se substancialmente às mensalidades dos módulos e aplicativos (Matera, YMF, Serasa, 2013 2012 Notas explicativas às demonstrações contábeis individuais e consolidadas 5.831 970 11.837 516 Sinacor, Unisistemas, entre outras) utilizados tanto no Banco como no Consolidado, para Informações sobre a coligada 1. Contexto operacional: O Banco Petra S.A. (“Banco”), controlado pela Holding Petra S.A. (99,25%), desenvolvimento e controle das atividades das empresas, entre elas administração, custódia e 100.000 100.000 constituído em 23 de setembro de 2009 na forma de sociedade anônima de capital fechado e (*) São representadas por aplicações no mercado aberto, lastreadas por títulos públicos federais com Número de cotas de capital controladoria dos fundos; (b) No consolidado, refere-se basicamente a serviço de coordenação e Patrimônio líquido 131 24 organizado sob a forma de banco comercial, foi autorizado a funcionar pelo Banco Central do Brasil a prazos de vencimento de um dia útil e não sofrem alterações no valor de mercado em virtude de sua distribuição pública de cotas emitidas pelos Fundos Administrados pela Corretora, mencionado na Nota (–) Distribuição de Resultado Antecipado (1.594) – natureza. 6. Títulos e valores mobiliários: Em 30 de junho de 2013, o saldo de títulos e valores partir de 29 de janeiro de 2010, iniciando suas atividades operacionais em 23 de agosto de 2010. O nº 19. Nessa operação, a Corretora pode contratar agentes autônomos de investimentos. As despesas Capital social 100 100 objetivo pretendido de suas operações visa à atuação no mercado financeiro, principalmente na mobiliários estavam assim representados: a) Títulos disponíveis para venda: Lucro líquido do semestre 1.649 401 de serviços técnicos especializados referem-se substancialmente ao pagamento de comissões sobre administração de fundos e clubes de investimento. Atualmente, as principais operações do Banco são Individual Informações sobre o investimento na coligada essas intermediações financeiras realizadas pelos agentes autônomos. (c) Multa pelo não cumprimento aplicações em títulos e valores mobiliários, administração de fundos de investimentos, custódia de 2013 2012 Número de cotas possuídas 19.000 50.001 da exigibilidade do crédito rural conforme Manual de Crédito Rural (MCR); (d) Representado valores, prestação de serviços de controladoria e contabilidade e negociações de operações de Ajuste acumulado Ajuste acumulado Percentual de participação (%) 19.000 50.001 substancialmente pela contribuição a associações (ANFAC e ABVCAP), no montante de R$ 176 (R$ 91 créditos. Reestruturação societária: O grupo Petra, formado pelo Banco, pela Petra - Personal Trader Sem no patrimônio no patrimônio Movimentação dos investimentos no semestre em 2012) e condomínio no total de R$ 48 (R$ 23 em 2012). 22. Imposto de renda e contribuição Corretora de Título e Valores Mobiliários S.A. (“Corretora” ou “CTVM”), pela Petra Asset Gestão de venci- Após Valor de líquido, líquido dos Valor de líquido, líquido dos Saldo inicial 24 50 social: a) Conciliação do imposto de renda e contribuição social no resultado: No primeiro Investimento Ltda. (“Asset”) e pela Holding Petra S.A. (“Holding”), apesar de anteriormente possuírem Título mento 1 ano mercado efeitos tributários mercado efeitos tributários Resultado de equivalência patrimonial 11 139 semestre de 2013 o Banco apresentou resultado antes da tributação no valor de R$ 245 (R$ 1.410 em controle societário distinto, operam sob a mesma marca: “Petra” e, por esse motivo, o grupo elaborou um Carteira própria 1.214 3.438 4.652 1 4.174 (4) Saldos finais 35 189 2012). As demonstrações do imposto de renda e da contribuição social correntes incidentes sobre as plano de reestruturação societária com o objetivo de que todos os sócios estejam no controle de todas Letras Financeiras Individual 13. Imobilizado: operações são assim apresentadas: Individual Consolidado as empresas do grupo. A reestruturação societária compreendeu os seguintes eventos: (i) permuta de do Tesouro – 3.438 3.438 1 2.779 (4) Taxa de 2013 2012 Lucros/(prejuízo) antes do imposto de renda 2013 2012 2013 2012 ações da Holding por quotas da Asset; (ii) incorporação de ações da CTVM pela Holding e (iii) Cotas de fundo depreciação Custo Depreciação Valor residual Valor residual e contribuição social e após participações 245 1.410 424 1.576 incorporação de ações da CTVM pelo Banco, e teve como principais justificativas os seguintes aspectos: de investimento 1.214 – 1.214 – 1.395 – Instalações 10% 481 (131) 350 392 Adições/(exclusões) 393 (523) 895 54 • maior capacidade de geração de resultado devido à otimização e compartilhamento dos recursos; Total 1.214 3.438 4.652 1 4.174 (4) Móveis e equipamentos de uso 10% 539 (144) 395 454 Lucro fiscal acumulado do semestre atual 638 887 1.319 1.522 • melhoria na precificação dos produtos e serviços disponibilizados pelas empresas do grupo em função Consolidado Sistema de comunicação 20% 95 (27) 68 76 Prejuízo fiscal compensado até a competência (191) (266) (396) (456) do fornecimento integrado dos serviços e produtos, concentração da administração do risco, uma vez 2013 2012 Sistemas de processamento de dados 20% 1.260 (599) 661 664 Saldo de prejuízo fiscal acumulado exercício anteriores 5.428 5.986 10.905 11.523 que todas as empresas já atuam sobre a mesma marca, e atuação de uma administração comum, Sistema de segurança 10% 2 – 2 2 Valor Ajuste acumulado Valor Ajuste acumulado Saldo de prejuízo fiscal acumulado até 30/06/2013 5.236 5.720 10.509 11.067 compartilhando as estruturas operacionais; • redução de custos de funcionamento das áreas Total 2.377 (901) 1.476 1.588 Sem de no patrimônio de no patrimônio Base de cálculo após das compensações de prejuízo 446 621 923 1.066 corporativas de suporte (RH, marketing, tecnologia, jurídico e outras). Os sócios receberam resposta Consolidado vencimento Após mer- líquido, líquido dos mer- líquido, líquido dos Imposto de renda total 100 131 208 230 positiva do Banco Central do Brasil em 16 de agosto de 2011 com relação ao plano de reestruturação Título Taxa de 2013 2012 e até 1 ano 1 ano cado efeitos tributários cado efeitos tributários Imposto de renda 15% 67 93 139 160 societária protocolizado no dia 1º de fevereiro de 2011 junto ao Banco Central. Com isso, os acionistas Carteira própria depreciação Custo Depreciação Valor residual Valor residual 1.214 4.331 5.545 2 7.438 (4) Adicional de imposto de renda 10% 34 38 68 70 controladores do Banco e da Corretora submeteram os documentos e informações necessários à Letras Financeiras Instalações 10% 888 (259) 629 751 Contribuição social sobre o lucro líquido 15% 67 93 139 160 instrução do processo, em especial os atos societários relativos à alteração de controle acionário. Como Móveis e equipamentos de uso 10% 638 (170) 468 545 do Tesouro (a) – 4.331 4.331 2 6.026 (4) Total imposto de renda e contribuição social 167 224 346 390 resultado da implementação desta consolidação, a Corretora tornou-se subsidiária integral do Banco Cotas de fundo Sistema de comunicação 20% 95 (27) 68 87 b) Composição do imposto de renda e contribuição social no resultado: Petra S.A. Com o objetivo de imediato enquadramento das instituições sob controle acionário nos limites Sistemas de processamento de dados 20% 1.287 (614) 673 681 de investimento (c) 1.214 – 1.214 – 1.395 – Individual Consolidado operacionais, os acionistas controladores do Banco e da Corretora realizaram em 30 de setembro de Certificado de Sistema de segurança 10% 2 – 2 3 2013 2012 2013 2012 2011, um aumento de capital no valor de R$ 2.000 (dois milhões de reais), concomitantemente e nos Imobilizado em andamento – – – – 15 depósito bancário – – – – 15 – Impostos correntes mesmos eventos societários que dispõem sobre a reorganização mencionada. Os documentos Letras de câmbio Outros – 20 (11) 9 – – – – – 2 – Imposto de renda e contribuição social (167) (224) (346) (390) societários foram aprovados pelo Banco Central do Brasil na data de 28 de março de 2012. Vinculados a prestação Total 2.930 (1.081) 1.849 2.082 Impostos diferidos Redirecionamento dos negócios: Em 2011, a Corretora redirecionou seus negócios, reduzindo 14. Intangível Individual de garantias 1.183 – 1.183 (48) 836 – Imposto de renda e contribuição social (76) (107) (76) (107) substancialmente o atendimento de clientes de varejo e direcionando a sua atuação para clientes de Certificado de 2013 2012 Total (243) (331) (422) (497) maior porte como: fundos de pensão, family offices, private banking, asset managers e outros. Como Taxa de amortização Custo Amortização Valor residual Valor residual depósito bancário (b) 1.049 – 1.049 – 641 – c) Origem dos créditos tributários de imposto de renda e contribuição social diferidos: Em 30 de parte desse redirecionamento estratégico, medidas de adequação da estrutura foram implementadas a Ações (b) Software 20% 677 (305) 372 297 134 – 134 (48) 195 – junho de 2013, o Banco possuía prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social acumulados no partir de 2011, o que resultou em uma redução significativa dos custos relacionados ao mercado de Total Total 677 (305) 372 297 2.397 4.331 6.728 (46) 8.274 (4) montante de R$ 5.236 para os quais foram constituídos créditos tributários diferidos no montante varejo. Do ponto de vista das receitas, novo negócio com maior volume e valor agregado tem trazido (a) o valor de mercado dos títulos públicos federais é obtido através da utilização de preços divulgados pela Consolidado R$ 2.095 (R$ 2.288 em 30 de junho de 2012). No quadro abaixo demonstramos a movimentação ocorrida: receitas significativas, o que fez com que a Corretora, obtivesse lucro fiscal em 2012, invertendo a linha 2013 2012 Individual Consolidado Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA); (b) o Banco Taxa de amortização Custo Amortização Valor residual Valor residual de tendência dos resultados, de acordo com a expectativa de seus acionistas e administradores. Descrição Saldo em 31/12/2012 Reversão Saldo em 30/06/2013 30/06/2013 30/06/2012 20% 689 (312) 377 305 Essa linha permaneceu para o 1º semestre de 2013. 2. Base de preparação e apresentação das Paulista é o banco liquidante das operações de Bolsa da controlada do Banco, Corretora Petra Personal Software Prejuízo fiscal IRPJ 1.357 (48) 1.309 1.309 1.430 689 (312) 377 305 demonstrações contábeis: As demonstrações contábeis individuais e consolidadas foram elaboradas Trader CTVM S.A., e como garantia a Corretora mantém um saldo de R$ 1.183 em CDB (R$836 em 2012) Total 814 (28) 786 786 858 Base negativa CSLL Individual Consolidado e estão sendo apresentadas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil, nessa instituição. Para realizar operações junto à CBLC a Corretora mantém R$ 134 (R$195 em 2012) em 15. Depósitos à vista: Total 2.171 (76) 2.095 2.095 2.288 2013 2012 2013 2012 observando-se as diretrizes contábeis estabelecidas pelo Banco Central do Brasil (BACEN), Conselho ações, custodiadas no Bradesco, como garantia. (c) Aplicações em cotas de fundos de investimento em Os prejuízos fiscais e base negativa de contribuição social a compensar não têm prescrição e podem 1 5 1 5 Monetário Nacional (CMN), consubstanciadas no Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro direitos creditórios, sem vencimento devido a sua natureza. 7. Relações interfinanceiras - Créditos Pessoas físicas ser compensados com resultados tributáveis futuros. A legislação fiscal de imposto de renda e 10 2 – – Nacional (COSIF) e os novos pronunciamentos, orientações e as interpretações emitidas pelo Comitê vinculados: O Banco Petra mantém junto ao Banco Central o montante de R$100 (R$ 45 em 2012), Pessoas jurídicas - Ligadas contribuição social determina que os prejuízos fiscais e a base negativa de contribuição social são Pessoas jurídicas - Não ligadas 1.199 7.318 1.199 7.319 de Pronunciamentos Contábeis (CPC) aprovados pelo BACEN. As estimativas contábeis são compensáveis, em qualquer ano, no limite de 30% do lucro do exercício antes dos impostos, referente ao recolhimento compulsório de microcrédito. 8. Operações de crédito e cessão: O Banco Total 1.210 7.325 1.200 7.324 determinadas pela Administração, considerando fatores e premissas estabelecidas com base em determinado de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, ajustado conforme a legislação Individual Consolidado julgamento, que são revisados a cada semestre. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e Petra teve operações de empréstimo na modalidade Capital de Giro (pré-fixado). O contrato de empréstimo 16. Outras obrigações - Fiscais e previdenciárias: fiscal. d) Expectativa de realização dos créditos tributários: Conforme Resolução n° 3.059/2002 do 2013 2012 2013 2012 premissas incluem as provisões para ajuste dos ativos ao valor provável de realização ou recuperação, tem a emissão pelo tomador de uma CCB (Cédula de Crédito Bancário) que dá direito de negociar a venda CMN, as instituições recém constituídas podem efetuar o registro contábil de créditos tributários 143 105 171 147 as provisões para perdas, as provisões para contingências, marcação a mercado de instrumentos do contrato ou cédula. A negociação é oficializada via Cessão de Crédito sem retenção de riscos ou Impostos e contribuições sobre salários decorrentes de prejuízo fiscal de imposto de renda, de base negativa de contribuição social sobre o lucro 84 101 111 142 financeiros, os impostos diferidos, entre outros. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas benefícios. Esse produto faz parte do plano de negócios da Instituição. Em 30 de junho de 2013 e de 2012, PIS e COFINS líquido se apresentarem expectativa de geração de lucros futuros para fins de imposto de renda e ISS a Recolher 90 86 114 139 poderá resultar em valores divergentes em razão de imprecisões inerentes ao processo de sua o saldo em operações de crédito encontra-se zerado em virtude da Cessão: contribuição social, baseada em estudo técnico que demonstre a probabilidade de ocorrência de Impostos e contribuições sobre serviços de terceiros 69 7 71 8 determinação. As demonstrações contábeis consolidadas (“Consolidado”) incluem as demonstrações obrigações futuras com impostos e contribuições que permitam a realização do crédito tributário no Individual/Consolidado Provisão para impostos e contribuições sobre o lucro 28 220 28 335 contábeis individuais do Banco e integralmente da controlada, conforme apresentado a seguir: prazo máximo de dez anos. O Banco iniciou suas atividades operacionais em 23 de agosto de 2010. 2013 2012 Provisão para impostos e contribuições diferidos 1 2 17 2 % No primeiro semestre de 2011, após consolidação efetiva do início das atividades operacionais, voltadas Cessão de crédito 178.062 1.562 Total 415 521 512 773 Empresa Atividade 2013 2012 substancialmente para administração de fundos e clubes de investimento, a Administração concluiu o Operação de crédito (valor presente) (177.703) (1.552) 17. Capital social: a) Capital social: O capital social está representado em 30 de junho de 2013 e de Participação direta no capital Receita estruturação CCB (15) – 2012 por 17.955.577 ações ordinárias, sem valor nominal, totalmente subscritas e integralizadas por estudo de realização do crédito tributário. Tal estudo levou em consideração a expectativa de geração de Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Instituição financeira 100 100 lucros tributáveis futuros que foram determinados pela Administração com base nas seguintes Lucro ou tarifa na cessão 344 10 acionistas domiciliados no país. b) Reserva de lucros: b.1) Reserva legal: O estatuto social determina Durante o processo de consolidação, os saldos de transações entre empresas foram eliminados premissas: Crescimento dos patrimônios líquidos dos fundos administrados e custodiados pelo Banco integralmente, respeitando o período de participação pela controladora. As práticas adotadas no registro 9. Outros créditos - rendas a receber: No Banco, refere-se basicamente aos valores a receber de que 5% do lucro líquido serão aplicados na constituição da reserva legal, antes de qualquer outra Petra, a partir de novos aportes e/ou entradas de novos fundos num montante aproximado de R$ 600 destinação, conforme trata o art. 193 da Lei nº 6.404/76 das Sociedades por Ações, até o limite de 20% das operações e na avaliação dos elementos patrimoniais pela controladora e pela subsidiária integral estruturação de fundos, serviços de custódia e de administração de fundos, além de prestação de MM por ano, que resultou numa variação de 94% (junho de 2013 a setembro de 2015) até a data da foram uniformemente aplicadas. Em aderência ao processo de convergência com as normas serviços de controladoria e contabilidade para fundos de investimentos administrados no valor de do capital social integralizado. b.2) Reserva de contingência: O estatuto social do Banco prevê que a realização total do prejuízo fiscal e consequente recuperação do crédito tributário; Ganho de escala nas internacionais de contabilidade, o comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) emitiu diversos R$1.901 (R$1.664 em 2012). No consolidado, inclui valores a receber de serviço de estruturação de diretoria poderá destinar parte do lucro líquido à formação de reserva para contingência. c) Dividendos: despesas operacionais (aumento de 24%) em função do crescimento das receitas (aumento de 92%), pronunciamentos relacionados ao processo de convergência contábil internacional, porém a maioria fundos, agente fiduciário e de distribuição de cotas, taxa de administração dos clubes e fundos de O estatuto social determina que seja assegurado aos acionistas o pagamento do dividendo mínimo no mesmo período do item acima, acarretando taxas decrescentes destas despesas ao processamento obrigatório de 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido, ajustado nos termos do artigo 202 da Lei não foi homologada pelo BACEN. Desta forma, o Banco, na elaboração das demonstrações contábeis, das operações. Para ajuste ao valor presente dos créditos tributários, utilizamos a taxa Swap DI x Pre adotou os seguintes pronunciamentos já homologados pelo BACEN: • Pronunciamento conceitual investimentos e das carteiras de clientes administrados pela Corretora, no montante total de R$2.154 nº 6.404/76 das Sociedades por ações. Nos semestres findos em 30 de junho de 2013 e de 2012 não da BM&F do dia 28/06/2013 (2013 - 8,94%, 2014 - 9,78%, 2015 - 10,49%) divulgada pela BM&F, básico (R1) “Estrutura conceitual para elaboração e divulgação de relatório contábil - financeiro”, (R$ 2.437 em 2012). 10. Outros créditos e outras obrigações - negociação e intermediação de foram realizadas nenhuma antecipação de dividendos. 18. Partes relacionadas: a) Partes produzindo os seguintes efeitos: Realização até Saldo em Realização VP homologado pela Resolução CMN nº 4.144/2012; • CPC 01 “Redução ao valor recuperável de ativos”, valores: No consolidado, refere-se basicamente aos saldos das operações da Corretora, por conta de relacionadas: As partes relacionadas são elencadas conforme relação a seguir: • Petra Capital Gestão Descrição 2013 2014 2015 30/06/2013 2013 2014 2015 Total homologado pela Resolução CMN nº 3.566/2008”; • CPC 03 “Demonstrações do fluxo de caixa”, clientes, pendentes de liquidação, dentro do prazo regulamentar, classificado nas seguintes categorias: de Investimentos Ltda. (denominada anteriormente como Fiere Gestão de Recursos Financeiros Ltda.); Imposto de renda - crédito tributário homologado pela Resolução CMN nº 3.604/2008; • CPC 05 “Divulgação de partes relacionadas”, pessoas físicas e jurídicas, instituições de mercado, diretores, sócios e acionistas e sociedades ligadas, • Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (no individual) - Controlada; s/ prejuízo fiscal 49 505 755 1.309 47 439 588 1.074 homologado pela Resolução CMN nº 3.750/2009; • CPC 10 “Pagamento baseado em ações”, no montante de R$450 (R$ 2.924 em 2012) para o ativo e de R$4.856 (R$ 9.498 em 2012) para o • Petra Asset Gestão de Investimento Ltda.; • Holding Petra S.A. - Controladora. b) Principais saldos e Contribuição social - crédito tributário resultados de transações com partes relacionadas: Com base nos critérios estabelecidos na homologado pela Resolução CMN nº 3.989/2011; • CPC 23 “Políticas contábeis, mudança de estimativa passivo. 11. Outros créditos e outras obrigações - Diversos: s/ base negativa 29 304 453 786 28 264 353 645 Individual Consolidado Resolução nº 3.750/2009 do CMN, as transações com partes relacionadas foram efetuadas em e retificação de erro”, homologado pela Resolução CMN nº 4.007/2011; • CPC 24 “Contabilização e 23. Instrumentos financeiros derivativos: Durante o 1º Semestre de 2013 e de 2012, o Banco e a 2013 2012 2013 2012 condições negociadas entre as partes, no tocante a encargos e prazos, e são compostas por: divulgação de eventos subsequentes”, homologação pela Resolução nº 3.973/2011; • CPC 25 Outros créditos diversos - Circulante Corretora não realizaram operações com instrumentos financeiros derivativos. 24. Gerenciamento de Individual “Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes”, homologado pela Resolução CMN Adiantamentos diversos (a) risco e índice de Basileia: Os instrumentos de governança corporativa do Conglomerado incluem 88 59 88 66 2013 2012 nº 3.823/2009. Atualmente, não é possível estimar quando o BACEN irá aprovar os demais Créditos tributários (Nota 22) estruturas de controles internos revisadas periodicamente com vistas à manutenção de um adequado 167 244 206 249 Ativo Receita Ativo Receita pronunciamentos contábeis emitidos pelo CPC, e se a utilização dos mesmos será de maneira Impostos e contribuições a compensar acompanhamento de riscos operacionais, de crédito, de mercado e de liquidez. A metodologia de (passivo) (despesa) (passivo) (despesa) 12 – 242 119 prospectiva ou retrospectiva. 3. Resumo das principais práticas contábeis: a) Caixa e equivalente Pagamentos a ressarcir (b) gerenciamento de riscos no Conglomerado observa as orientações do Comitê de Basileia e as Depósitos à vista (10) – (2) – 106 30 179 252 de caixa: Para fins de demonstração do fluxo de caixa, caixa e equivalentes de caixa correspondem aos Devedores por compra de valores e bens exigências do Acordo de Basileia II, priorizando a identificação dos possíveis riscos existentes nos Petra - PersonalTrader CTVM S.A. (10) – (1) – 3 2 3 353 saldos de disponibilidades e aplicações interfinanceiras de liquidez, com conversibilidade imediata ou Total outros créditos diversos - circulante diversos processos da Instituição, a implementação e acompanhamento de indicadores-chave e de Petra Capital Gestão de Investimentos Ltda. – – (1) – 376 335 718 1.039 com prazo original de resgate igual ou inferior a 90 dias. b) Aplicações interfinanceiras de liquidez: Outros créditos diversos - Longo prazo mecanismos de mitigação dos riscos identificados. a) Risco operacional: Em consonância com a Credores diversos (443) (2.702) (411) (1.108) Representam operações a preços fixos referentes às compras de títulos com compromisso de revenda Créditos tributários (Nota 22) Resolução CMN nº 3.380/2006 o risco operacional é atribuído a eventuais perdas resultantes de falha, Holding Petra S.A. (i) (443) (2.702) (411) (1.108) 1.928 2.044 1.928 2.044 e aplicações em depósitos interfinanceiros e estão demonstradas pelo valor de resgate, líquidas dos Devedores por depósito em garantia deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas ou de eventos externos. Consolidado – – – 9 rendimentos a apropriar correspondentes a períodos futuros. c) Títulos e valores mobiliários: Total outros créditos diversos - longo prazo O Conglomerado definiu sua política institucional, os processos, os procedimentos e os sistemas 2013 2012 1.928 2.044 1.928 2.053 necessários à implementação da estrutura de gerenciamento de risco operacional e adotou a Os títulos e valores mobiliários, conforme determinado pela Circular BACEN nº 3.068/2001, foram Outras obrigações diversas - Circulante Ativo Receita Ativo Receita metodologia do indicador básico, com o objetivo de apurar a parcela de capital para cobertura do risco classificados na seguinte categoria: • títulos disponíveis para venda: são aqueles que não se enquadram Obrigações por aquisição de bens e direitos (passivo) (despesa) (passivo) (despesa) 44 5 44 5 operacional, conforme estabelecido pela Circular nº 3.383/2008 e Comunicado nº 16.913/2008 do como para negociação ou como mantidos até o vencimento e são ajustados pelo valor de mercado em Despesas de pessoal a pagar Devedores diversos – – 342 – 456 289 548 424 Banco Central do Brasil. b) Risco de mercado: O risco de mercado existe devido a oscilações de contrapartida à conta destacada do patrimônio líquido, deduzido dos efeitos tributários. d) Demais Outras despesas administrativas Petra Asset Gestão de Investimento Ltda. (Nota nº 18) – – 342 – 375 98 507 268 mercado que podem acarretar perdas para o Conglomerado. Estas oscilações podem ocorrer nos ativos circulantes e realizáveis a longo prazo (não circulantes): Demonstrados pelos valores de Credores diversos (c) Depósitos à vista – – (1) – 583 411 633 545 preços de ativos e passivos financeiros ou em variáveis determinantes desses, como por exemplo, taxa realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias pro-rata dia Total outras obrigações diversas - circulante Petra Capital Gestão de Investimentos Ltda. – – (1) – 1.458 803 1.732 1.242 de juros, taxas de câmbio, índices de preços e outros. O Conglomerado monitora o risco de mercado por incorridos e as variações cambiais, deduzidos das correspondentes provisões para perdas ou ajuste ao Outras obrigações diversas - Longo prazo Credores diversos 492 (3.003) (546) (1.341) meio de um sistema que utiliza metodologias estatísticas a cerca da base histórica, dentre estas o Valor valor de mercado e rendas a apropriar. e) Investimentos: Estão demonstrados ao custo de aquisição, Provisão para passivos contingentes (d) Holding Petra S.A. (i) 492 (3.003) (546) (1.341) – – 808 – em Risco (VAR), e, se necessário, testes de sensibilidade, quais buscam simular e determinar os níveis sendo que os investimentos em controladas estão ajustados por avaliação pelo método da equivalência Total outras obrigações diversas - longo prazo (i) Representado pelo ressarcimento de custos e despesas por uso compartilhado de infraestrutura – – 808 – patrimonial. f) Imobilizado de uso: Demonstrado ao custo de aquisição. A depreciação do imobilizado administrativa para a Holding Petra S.A. c) Remuneração da Administração: Na Assembleia Geral de máximos de perda esperada, em um determinado período de tempo, com certo grau de confiabilidade, de uso é computada pelo método linear, com base nas taxas anuais mencionadas na Nota nº 13, que (a) Representado substancialmente por adiantamentos de 13º salário, férias para funcionários e Acionistas foi estabelecida a remuneração global anual para o Conselho de Administração e Diretoria tanto em condições normais de mercado quanto em cenários de estresse e volatilidade. c) Risco de levam em consideração a vida útil-econômica dos bens. g) Intangível: O ativo intangível é composto por adiantamento a fornecedores; (b) Referem-se basicamente a valores de despesas de cartório, taxas e Executiva do Banco em até R$ 1.000. No semestre findo em 30 de junho de 2013, foram registrados liquidez: O risco de liquidez relaciona-se com a incapacidade de atendimento das necessidades de ativos não monetários identificáveis sem substância física. Os valores registrados como ativo intangível impostos de fundos ativos que o Banco e a Corretora pagaram e depois solicitarão reembolsos e valores benefícios de curto prazo a título de remuneração no montante de R$ 656 (R$ 365 em 2012). caixa, ou seja, à ocorrência de descasamentos nos fluxos financeiros entre operações ativas e passivas são relativos a: • softwares, sendo que o Banco irá obter benefícios desses softwares em até cinco anos; antecipados para a abertura de fundos, deixando disponível em seu portfólio para futuras comercializações, Os benefícios de curto prazo da Corretora totalizam no 1º semestre de 2013 R$ 169 (R$ 176 em 2012). e os reflexos decorrentes sobre a capacidade de obtenção de recursos financeiros pela instituição para o exercício de suas obrigações. O acompanhamento do risco de liquidez é realizado a partir da • ágio apurado na aquisição da carteira de clientes da Fiere Gestão de Recursos de Terceiros Ltda., no montante de R$ 106 (R$ 30 em 2012) e consolidado, R$ 179 (R$ 252 em 2012); (c) Representado 19. Receitas de prestação de serviços: Individual Consolidado volatilidade observada em taxas de juros, moedas e índices de ações; dos fluxos de caixa previstos, dos o qual é analisado a valor recuperável anualmente. h) Redução ao valor recuperável de ativo: substancialmente pelo ressarcimento de despesas de infraestrutura para a Holding Petra S.A. no montante 2013 2012 2013 2012 saldos globais de ativos e passivos. d) Risco de crédito: O risco de crédito atualmente é considerado É reconhecida como perda, quando o valor de um ativo ou de uma unidade geradora de caixa registrado de R$ 583 (R$ 411 em 2012). Com relação ao Consolidado R$ 633 (R$ 545 em 2012); (d) Refere-se à Administração de fundos 4.319 1.524 4.389 1.739 imaterial devido ao início recente das atividades junto ao mercado, porém, as informações são contabilmente for maior do que o seu valor recuperável ou de realização. Uma unidade geradora de Custódia de valores 3.182 1.433 3.285 1.571 gerenciadas por um sistema interno, o qual possui classificações de risco em conformidade com os caixa é o menor grupo identificável de ativos que gera fluxo de caixa, substanciais, independentemente provisão para contingências trabalhistas constituídas sobre processos considerados pelo departamento Controladoria e contabilidade dos fundos de investimentos 1.818 2.449 1.818 2.449 parâmetros estabelecidos na Resolução nº 2.682/1999 do Conselho Monetário Nacional. Neste intuito jurídico da Petra com chance de perda provável. Em dois processos os valores atribuídos à causa pelos de outros ativos ou grupos de ativos. As perdas por “impairment”, quando aplicável, são registradas no Distribuição de cotas (a) – – 4.642 1.778 são utilizados instrumentos como a política de crédito e classificação de risco. e) Gerenciamento de resultado do período em que foram identificadas. i) Créditos tributários, impostos e contribuições: reclamantes são exorbitantes se comparados ao valor salarial e tempo da prestação de serviços, por esse Estruturação dos fundos de investimentos 442 979 442 1.073 capital: O processo de gerenciamento de capital é realizado de forma a proporcionar condições para o As provisões para Imposto de Renda, Contribuição Social, Programa de Integração Social (PIS) e motivo o valor estimado de perda é bem pequeno. No outro processo, considerando todo o contexto Rendas de tarifas bancárias 576 256 576 256 alcance dos objetivos estratégicos da Organização, levando em consideração o ambiente econômico e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) foram calculadas às alíquotas probatório a provisão de 42% é a mais adequada. Há um processo trabalhista recente, cujo o valor da Receita de corretagem – – 1.817 2.044 comercial onde atua. Este processo é compatível com a natureza das operações, complexidade dos vigentes, considerando, para as respectivas bases de cálculo, a legislação pertinente a cada tributo. causa é de R$ 100 que foi classificado como possível, amparada na opinião dos assessores jurídicos. Renda de comissão de colocação de títulos – – 55 664 produtos e serviços e com a dimensão da exposição a riscos da Organização. Sob a ótica do Bacen, as Os créditos tributários de imposto de renda e contribuição social são constituídos sobre diferenças Outras 111 68 538 410 instituições financeiras devem manter, permanentemente, capital (Patrimônio de Referência) compatível temporariamente indedutíveis, prejuízo fiscal de imposto de renda e base negativa de contribuição Ressalta-se ainda que a audiência inicial deste, não aconteceu. Resumidamente os processos, tratam-se Total 10.448 6.709 17.562 11.984 com os riscos de suas atividades, representado pelo Patrimônio de Referência Exigido (PRE). O PRE é social, às alíquotas de 25% e 15%, respectivamente. A realização desses créditos tributários ocorrerá de reclamações pleiteando projeção do aviso prévio; nulidade da dispensa sem justa causa - reintegração (a) Refere-se ao recebimento de comissões sobre a intermediação financeira realizada na coordenação, calculado considerando, no mínimo, a soma das parcelas de risco de crédito, risco de mercado e risco quando da realização das provisões constituídas e pela geração de lucros tributáveis, observando o - indenização; dano moral, indenização por dispensa discriminatória; reconhecimento de vínculo colocação e distribuição pública de cotas emitidas pelos Fundos Administrados pela Corretora (em 2013 operacional. O processo de adequação do Patrimônio de Referência visa assegurar que a Organização limite de 30% do lucro real do período-base. Estes créditos tributários são reconhecidos contabilmente empregatício e horas extras. O saldo provisionado refere-se também a uma contingência cível. Fundo RPW no montante de R$ 32, FIDC Sifra Star no montante de R$ 192, FIDC Intercash no montante mantenha uma sólida base de capital para apoiar o desenvolvimento das atividades e fazer face aos baseados nas expectativas atuais de realização, considerando os estudos técnicos e análises Esse processo já está em fase de aguarda de recurso no tribunal superior, tendo sido provisionado 100% de R$ 86, FIDC Red Performance R$ 66, FIDC Credix no montante R$ 80, Garson no montante R$ 150, riscos incorridos, seja em situações normais ou em condições extremas de mercado, além de atender realizadas pela Administração. j) Ativos e passivos contingentes: O reconhecimento, a mensuração e do valor da ação atualizado pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Há também quatro RED Multisetorial LP no montante de R$ 157, FIDC Sifra Premium no montante de R$ 424, aos requerimentos regulatórios de capital. f) Limites operacionais - Acordo de Basileia: As diretrizes FIDC Prospecta no montante de R$ 772, FIDC Credit Brasil no montante R$ 795, FIDC Empresarial vigentes (Resoluções CMN nº 3.444/2007 e nº 3.490/1997, respectivamente) mantiveram um indicador a divulgação dos ativos e passivos contingentes, são efetuados de acordo com os critérios definidos no pronunciamento técnico CPC 25 “Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes”, do Comitê de ações administrativas em andamento pleiteando reclamações por operações realizadas não autorizadas, no montante R$ 850 e JPP FII no montante de R$ 1.038, entre outros). O percentual da comissão varia de alocação de capital mínimo de 11%, que é a relação entre o Patrimônio Líquido de Referência (PR) Pronunciamentos Contábeis de 15 de setembro de 2009, em observância à resolução CMN que considerando todo o contexto probatório a provisão do valor total da causa é a mais adequada. de 0,25% a 6%, sobre o montante de cotas efetivamente colocado junto aos investidores. de uma instituição financeira e o total de riscos assumidos em suas operações ativas, incluindo as Individual Consolidado 20. Despesas de pessoal: nº 3.823/2009, conforme descrito a seguir: • ativos contingentes são reconhecidos somente quando há Abaixo composição das provisões para contingências por natureza: garantias prestadas, riscos de mercado e riscos operacionais. O Banco mantém patrimônio líquido 2013 2012 2013 2012 garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, transitadas em julgado. Os ativos contingentes com Consolidado compatível com o grau de risco da estrutura de seus ativos calculado de forma consolidada com a Remuneração 2.955 2.237 3.498 2.917 êxitos prováveis são apenas divulgados em nota explicativa; • passivos contingentes são provisionados 2013 2012 Corretora, que constituem o Conglomerado Financeiro nos termos da Resolução CMN nº 2.099/1994 e Encargos 928 708 1.097 928 quando as perdas forem avaliadas como prováveis e os montantes envolvidos forem mensuráveis com Ações trabalhistas 43 – normas posteriores. Em 30 de junho de 2013, o índice de adequação de capital (Índice de Basileia) do Benefícios 845 573 1.010 742 suficiente segurança. Os passivos contingentes avaliados como de perdas possíveis são divulgados, e Ações cíveis 615 – Conglomerado foi de 57,83%. Enquanto o Patrimônio de Referência (PR) foi de R$ 12.398 e o Treinamentos 41 6 45 9 aqueles não mensuráveis com suficiente segurança e como de perdas remotas não são provisionados Ações administrativas 150 – Patrimônio de Referência Exigido (PRE) que representa o consolidado de todas as exposições a risco, Total 4.769 3.524 5.650 4.596 e/ou divulgados; • as obrigações legais são registradas como exigíveis, independentemente da Total 808 – com índice de alocação de 11% foi de R$ 2.358. D eo a Con ado a Fe nando Ma ques de Ma s ac Fon es

Ed be o Pe e a

Aos Acionistas e Administradores do Banco Petra S.A. - Curitiba - PR - Examinamos as demonstrações contábeis individuais do Banco Petra S.A. (“Banco”) e as demonstrações contábeis consolidadas do Banco Petra S.A. e Controlada (“Consolidado”), que compreendem os balanços patrimoniais em 30 de junho de 2013 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da Administração sobre as demonstrações contábeis: A Administração do Banco é responsável pela elaboração e adequada apresentação destas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil (BACEN) e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Res N m m m m m m m m m m

De ano Macêdo de Vasconce os m m

m

m

m

m

Um m

m

A s ma da Cos a Nes

Relatório dos Auditores Independentes m m m Um C

m

m

O

m

m

m

m

m

Edm son Pe e a Dom ngos

m

N m

m m m

m

m m

C

m

m

m O

m

m

m

m m

C

m

M

m

m m m

m

m

C

m

m m m

m m

m

m

m

m

m

Ad ana B usn ck R m

C

m

m

m m

m

R m A C

O

m

CRC

m m C

m m

R A

m

m

m

m

m

m m

m m m m

CRC 059 398 O 7 PR

C

O R

m

m

m

m m

m

m m

R

m

m CRC R

O

RG

m

m

m

m m m

m

M m

G A


Publicidade Legal

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A7 COMPANHIA PROVIDÊNCIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ n.° 76.500.180/0001-32 NIRE 41.3.000.5081-3 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 09 DE AGOSTO DE 2013 LOCAL E HORA: Rua Funchal, 551 – 10º andar, realizada na Cidade de São Paulo, às 14:00h. CONVOCAÇÃO: Os Conselheiros foram previamente convocados na forma do parágrafo 1º do artigo 15 do Estatuto Social. PRESENÇA: Renan Bergmann, Gustavo Miotti Ubrig, John Leone, Joaquim Constantino Neto, Manuel Maria Pulido Garcia Ferrão de Sousa, Antonio Kandir, Ricardo Doria Durazzo, Marcelo Araujo e Alberto Ribeiro Guth e, a convite do Conselho de Administração, o Diretor Presidente e o Diretor Comercial. MESA: Renan Bergmann, Presidente; Gabriela Las Casas, Secretária. ORDEM DO DIA: 1) Apreciar os dados de mercado, setoriais, operacionais e informações financeiras da Companhia referentes ao mês de julho/2013 e acumulado de janeiro a julho/2013; 2) Apreciar a renúncia apresentada pelo Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Sr. Eduardo Feldmann Costa; 3) Aprovar a indicação a Diretor Financeiro e de Relações com Investidores do Sr. Hermínio Vicente Smania de Freitas, acumulando ao cargo de Diretor Presidente da Companhia. DELIBERAÇÃO: Os membros do Conselho de Administração, por unanimidade dos presentes e sem reservas: 1) Apreciaram os dados de mercado, setoriais, operacionais e informações financeiras da Companhia referentes ao mês de julho/2013 e acumulado de janeiro a julho/2013; 2) Acataram a renúncia apresentada pelo Sr. Eduardo Feldmann Costa aos cargos de Diretor Financeiro e de Relações com Investidores e de Presidente do Comitê de Gestão de Riscos da Companhia Providência Indústria e Comércio, ao cargo de Diretor Financeiro da Isofilme Indústria e Comércio de Plásticos Ltda., e ao cargo de Vice-Presidente de Finanças da Providencia USA, Inc.; 3) Elegeram interinamente, conforme disposto no artigo 14, inciso II, do Estatuto Social da Companhia, para o cargo de Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, o Sr. Hermínio Vicente Smania de Freitas, o qual acumulará as funções com a de Diretor Presidente até a eleição e posse de novo Diretor Financeiro e de Relações com Investidores; 4) Autorizar os Diretores da Companhia a adotar todas as medidas necessárias à consecução das deliberações acima. ENCERRAMENTO: Esgotada a ordem do dia, os trabalhos foram suspensos para a lavratura desta ata, a qual, reaberta a sessão, foi lida, achada conforme e aprovada pelos conselheiros presentes, que em seguida a assinam. São José dos Pinhais, 09 de agosto de 2013. (a.a.) Renan Bergmann – Presidente. Gabriela Las Casas – Secretária. Conselheiros: Renan Bergmann, Gustavo Miotti Ubrig, Joaquim Constantino Neto, Manuel Maria Pulido Garcia Ferrão de Sousa, Antonio Kandir, John Leone, Alberto Ribeiro Guth, Ricardo Durazzo e Marcelo Araújo. Confere com a original.

AÇÃO MONITÓRIA Nº 5005228-19.2010.404.7000/PR AUTOR : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF RÉU : DIAMANTINA FOSSANESE S A INDUSTRIAL E IMPORTADORA ADVOGADO : marcelo zanon simão RÉU : NELSON HARRI KRUGER : ROGER SPENCER BARDOE EDITAL N.º 7434535 PRAZO: 20 (VINTE) DIAS A DRA. TANI MARIA WURSTER, MMª. Juíza Federal Substituta da 1ª Vara, na forma da lei, FAZ SABER que todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que, perante este Juízo e Secretaria da 1ª Vara Federal, tramitam os autos em epígrafe, constando de que o RÉU NELSON HARRI KRUGER (CPF nº 169.915.169-53) encontra-se em lugar incerto e não sabido, pelo presente edital, com prazo de 20 (vinte) dias, que será publicado na forma da lei e afixado em lugar de costume na sede deste Juízo, o qual está situado à Av. Anita Garibaldi, 888, Ahú, nesta capital, fica o réu supra mencionado, por meio deste, CITADO nos termos do artigo 1.102b, do Código de Processo Civil, para que, no prazo de 15 (quinze) dias, efetue o pagamento do valor de R$ 122.443,40 (cento e vinte e dois mil, quatrocentos e quarenta e três reais e quarenta centavos), atualizado para 05/04/2010, acrescido de juros legais e atualizado monetariamente até a data do efetivo pagamento a serem depositados em conta judicial vinculada a este Juízo, na agência CEF/PAB da Justiça Federal, hipótese em que ficará isento das custas e de honorários advocatícios, conforme artigo 1.102c, § 1°, do Código de Processo Civil; ou, querendo,ou ofereça embargos, independente de penhora e INTIMADO de que: (a) não havendo o pagamento do valor nem a interposição dos embargos o mandado constituir-se-á de pleno direito em título executivo judicial, nos termos do artigo 1.102c do Código de Processo Civil, iniciando-se a execução do montante da dívida; (b) o débito em questão origina-se do Contrato de Arrendamento Mercantil nº 096-10-08559-9; (c) outras informações poderão ser obtidas diretamente na Secretaria da 1ª Vara Federal Cível, situada na Avenida Anita Garibaldi, nº 888, 4º andar, Ahú, Curitiba/PR, no horário de funcionamento ao público (das 13 às 18 horas). Tudo em conformidade com decisões dos eventos 3 e 97, a qual deferiu a citação por edital, a teor do disposto no art. 232 do CPC, e para que não alegue ignorância, mandou a MMª. Juíza Federal expedir o presente edital, na forma da lei. Nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, 17 de julho de 2013. Eu, ________________, Waldemar Gomes Ferreira Jr., Diretor de Secretaria, o conferi e subscrevi.

São Paulo, 09 de agosto de 2013. Gabriela Las Casas Secretária

Tani Maria Wurster Juíza Federal Substituta

Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20134590279 em 20/08/2013.

CORREPARTI - CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. C.N.P.J. Nº 80.202.872/0001-71 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2013

PASSIVO

ATIVO

CIRCULANTE DISPONIBILIDADES TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS Certificado de Privatização OUTROS CRÉDITOS Rendas a Receber Diversos 42 OUTROS VALORES E BENS Despesas Antecipadas REALIZÁVEL A LONGO PRAZO OUTROS CRÉDITOS Diversos 153 PERMANENTE IMOBILIZADO DE USO Outras Imobilizações de Uso (-) Depreciações Acumuladas DIFERIDO Gastos de Organização e Expansão (-) Amortização Acumulada TOTAL DO ATIVO

672 334

663 398

3

3

3 334 292 18 1 1 153 153 153 257 234 417 (183) 23 77 (54) 1.082

3 262 244 0 0 153 153 109 98 249 (151) 11 58 (47) 925

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

R$ mil 2013 2012 CIRCULANTE

186

210

186

Fiscais e Previdenciárias Diversas

112 98

120 66

EXIGÍVEL A LONGO PRAZO

153

152

OUTRAS OBRIGAÇÕES

153

152

Dentre os principais procedimentos adotados para a elaboração das demonstrações contábeis, ressaltamos:

153

152

A) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência.

718

587

B) CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA São classificados como caixa e equivalentes de caixa, numerário em espécie e depósitos bancários disponíveis.

245 473

245 342

1.082

925

Diversas PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital: De Domiciliados no País Reserva de Lucros TOTAL DO PASSIVO

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO (Método Indireto)

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO R$ Mil 2013 2012 RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA Resultado de Operações de Câmbio RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

110

1

110

1

110

OUTRAS RECEITAS/DESPESAS OPERACIONAIS Receitas de Prestação de Serviços Despesas de Pessoal Outras Despesas Administrativas Despesas Tributárias Outras Receitas/Despesas Operacionais

1

135

298

1.164 (405) (511) (116) 3

1.265 (324) (513) (130) (0)

R$ Mil 2013 2012 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS: Resultado antes do IR e CS 245 299 Ajustes para Reconciliar o Resultado às Disponibilidades Geradas pelas Atividades Operacionais: Participações nos Lucros (11) (13) Depreciações e Amortizações 23 12 257 298 IR e CS Pagos (81) (102) (AUMENTO)/REDUÇÃO DOS ATIVOS Rendas a Receber Diversos

(36) (110) (21) (12)

AUMENTO/(REDUÇÃO) DOS PASSIVOS Fiscais e Previdenciárias Diversas

(33) (23)

(11) 18

63

81

(4)

(4)

(4)

(4)

Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO S/LUCRO E PARTICIPAÇÕES

245

299

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO: Aquisição de Ativo Imobilizado e Diferido

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

(81)

(102)

(46) (35)

(59) (43)

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO:

PARTICIPAÇÕES NO LUCRO

(11)

(13)

Caixa Líquido Usado nas Atividades de Financiamento

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO

153

184

(REDUÇÃO) LÍQUIDO DE CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA:

0,62

0,75

Provisão para Imposto de Renda Provisão para Contribuição Social

Lucro Líquido por Quota

Caixa Líquido Usado nas Atividades de Investimento

Distribuição de Lucros

(194) (131)

Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período Caixa e Equivalentes de Caixa no Fim do Período

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO EVENTOS

CAPITAL REALIZADO

RESERVAS DE LUCROS RESERVA RESERVA LUCROS LEGAL ESPECIAL ACUMULADOS

NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as normas e instruções do Banco Central do Brasil em conformidade com o COSIF Plano Contábil das Instituições Financeiras, bem como com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com observância as disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações. NOTA 3. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS

D) ATIVO PERMANENTE - IMOBILIZADO Está demonstrado ao custo de aquisição, acrescido de correção monetária até 31/dez./95, ajustado por depreciações acumuladas, calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, fixado por espécie de bens, como segue:

Instalações Equipamentos e Instalações de Escritório Equipamentos de Comunicação Equipamentos de Processamento de Dados Totais

% ANUAL DE DEPRECIAÇÃO CUSTO

10%

79

DEPRECIAÇÃO ACUMULADA

(16)

63

10%

157

(53)

104

42

10%

68

(37)

31

23

20%

113 417

(77) (183)

36 234

28 98

245

49

465

0

759

534

1 - LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO

0

0

0

153

153

184

0 0

0 0

0 (41)

(194) 41

(194) 0

(131) 0

245

49

424

0

718

587

0

0

(41)

0

(41)

53

2 - DESTINAÇÕES

SALDOS NO FINAL DO PERÍODO MUTAÇÕES DO PERÍODO

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmos. Srs. DIRETORES e QUOTISTAS da CORREPARTI CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da CORREPARTI CORRETORA DE CÂMBIO LTDA., que compreendem o balanço patrimonial em 30 de junho de 2013 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS A Administração da Instituição é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil BACEN e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. RESPONSABILIDADE DOS AUDITORES INDEPENDENTES Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante.

Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e a adequada apresentação das demonstrações financeira da Instituição para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia dos controles internos da Instituição. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. OPINIÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Em nossa opinião, as demonstrações contábeis referidas acima apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da CORREPARTI CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. em 30 de junho de 2013, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Curitiba, 14 de agosto de 2013. MÜLLER & PREI AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC-PR Nº 6.472/O-1 REGINALDO BESCOROVAINE CONTADOR CRC-PR Nº 45.212/O-5

DIRETORIA

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5016218-98.2012.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : SILVIA EIKO HONDA EDITAL N.º 7434611 PRAZO: 20 (VINTE) DIAS A DRA. TANI MARIA WURSTER, MMª. Juíza Federal Substituta da 1ª Vara, na forma da lei, FAZ SABER que todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que, perante este Juízo e Secretaria da 1ª Vara Federal, tramitam os autos em epígrafe, constando que o  EXECUTADO  SILVIA EIKO HONDA (CPF nº 23423085827) encontra-se em lugar incerto e não sabido, pelo presente edital, com prazo de 20 (vinte) dias, que será publicado na forma da lei e afixado em lugar de costume na sede deste Juízo, o qual está situado à Av. Anita Garibaldi, 888, Ahú, nesta capital, ficam o executado supra mencionados, por meio deste, CITADO para, no prazo de 3 (três) dias, efetuar o pagamento do valor corrigido da dívida, acrescido das custas processuais e dos honorários advocatícios (o pagamento deverá ser realizado em conta judicial vinculada aos autos, no PAB-Justiça Federal da Caixa Econômica Federal, agência 0650) e INTIMADO de que: a) poderá se defender, por advogado constituído, através de embargos à execução, pelo processo eletrônico (eproc v2), no prazo de 15 (quinze) dias, independentemente de penhora, depósito ou caução (arts. 736 e 738, CPC); b) eventual atribuição de efeito suspensivo aos embargos não impedirá a efetivação dos atos de penhora e de avaliação dos bens (739-A, § 6º, CPC); c) no prazo para embargos, reconhecendo o crédito do exeqüente e comprovando o depósito de 30% (trinta por cento) do valor em execução, inclusive custas e honorários de advogado, poderá requerer ao juiz seja admitido a pagar o restante em até 6(seis) parcelas mensais, acrescidas de correção monetária pelo índice do INPC, mais juros de 1% (um por cento) ao mês (art. 745-A, CPC). Tudo em conformidade com as decisões dos eventos 9 e 51, a qual deferiu a intimação por edital, a teor do disposto nos arts. 232 e 652 do CPC, e para que não alegue ignorância, mandou a MMª. Juíza Federal expedir o presente edital, na forma da lei. Nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, 17 de julho de 2013. Eu, (a), Waldemar Gomes Ferreira Jr., Diretor de Secretaria, o conferi e subscrevi. Tani Mariahttp://www.trf4.gov.br/trf4/processos/visualizar_documento_gedpro.ph... Wurster Juíza Federal Substituta

TÍTULO

EXTRAJUDICIAL

CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF MARCELO LUIZ DREHER CIRINEI ASSIS KARNOS CLAUDIA LORENA CARRARO VARGAS EDGAR LUIZ DIAS MAURICIO PIOLI EROTIDES BORGES FILHO RAQUEL COSTA KALIL MAURICIO GALEB VILSON BORGES NILSON BUENO BORGES ALMIR SANTOS BORGES MARCOS DANIEL BORGES ERADINES PINHEIRO ELIANE BORGES DELEUZE LANCIZOLLE LIDIA TERESINHA BORGES

D.E. Publicado em 27/08/2013

CITANDOS/INTIMANDOS: NILSON BUENO BORGES (CPF 307.414.329-00) e ERADINES PINHEIRO (CPF/MF 670.306.709-06), últimos endereços conhecidos: Rua Paulo Martins, 684, casa 06, Mercês, Curitiba/PR; Rua Antônio Zendron, 69, Valparaíso, Blumenau/SC.

OBJETO: CITAÇÃO dos executados acima qualificados dos termos da decisão proferida de fls. 227 dos autos supra, para que paguem o valor do crédito reclamado, ou deposite o valor em Juízo (R$ 89.274,38, em 19/08/2010), em 24 horas, a ser atualizado por ocasião do E) PASSIVO CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO pagamento; INTIMAÇÃO da penhora realizada, em 22 de outubro de 2010, sobre o imóvel Demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações e correções monetárias :: Portal damatriculado Justiça Federal da 4ª Região :: http://www.trf4.gov.br/trf4/processos/visualizar_documento_gedpro.ph... sob nº 66.286 da 9ª Circunscrição de Registro de Imóveis da Comarca de incorridos. Curitiba/PR, bem como para oporem embargos à execução, no prazo de 10 (dez) dias. Estão calculados levando-se em consideração a legislação fiscal em vigor. A provisão para o imposto de renda foi calculada à alíquota de 15% sobre os lucros tributáveis, acrescidos de adicional de 10% acima de limites específicos. A provisão para a contribuição social foi calculada à alíquota de 15% do lucro tributável antes do imposto de renda, ajustado conforme legislação específica. F) LUCRO POR QUOTA Calculado com base no número de quotas, conforme Contrato Social.

1 de 2

NOTA4. TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS

A) ATIVO CIRCULANTE OUTROS CRÉDITOS Diversos - Adiantamentos e Antecipações Salariais - Títulos e Créditos a Receber

2013 3

2013

2012

42 39 3

18 15 3

B) ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO OUTROS CRÉDITOS Diversos - Devedores por Depósito em Garantia

153 153

153 153

C) PASSIVO CIRCULANTE OUTRAS OBRIGAÇÕES Diversas - Provisão para Pagamentos a Efetuar

98 98

66 66

153 153

152 152

D) PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO OUTRAS OBRIGAÇÕES Diversas - Provisão para Passivos Contingentes

CUMPRIMENTO DE SENTENÇA Nº 5052372-52.2011.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : JOSE HENRIQUE AYALA OSCARIZ EDITAL N.º 7534791 EDITAL DE INTIMAÇÃO - PRAZO 30(TRINTA) DIAS

NOTA 6. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

Lucro antes do Imposto de Renda e Contribuição Social Alíquota aplicável Imposto de Renda e Contribuição Social as alíquotas da legislação Efeito de diferenças permanentes líquidas Imposto de Renda e contribuição social devidos sobre o resultado do período

Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos 22 de agosto de 2013. Eu,______, Técnico Judiciário, que o digitei e; eu,__________________(Fátima Aparecida Santanna Hansen), Diretora de Secretaria da Vara Federal do Sistema Financeiro da Habitação e Juizado 29/08/2013 10:57 Especial Federal Cível de Curitiba/PR, o conferi e subscrevi. Anne Karina Stipp Amador Costa Juíza Federal

2012 3

Apuração do imposto de renda e contribuição social em 30 de junho:

- Distribuição de Lucros - Absorção de Reserva

Prof. Dr. Flavio Daniel Saavedra Tomasich Diretor Geral do HC

FINALIDADE: FAZ SABER, a todos que virem o presente edital ou dele tiverem notícia, o qual será afixado no local de costume desta Secretaria e publicado no Diário de Justiça do Estado do Paraná, que, tendo em vista os executados, adiante qualificados, estarem em lugar incerto e não sabido, não sendo possível citá-los e intimá-los pessoalmente, cita-os e os intima por meio deste.

- DIFERIDO Está demonstrado aos valores de custo, acrescido de correção monetária até 31/dez./95, ajustado por amortizações acumuladas, calculadas a partir do início em que começam a ser usufruídos os benefícios respectivos, em períodos que não ultrapassem o prazo máximo estabelecido na Lei nº 6.404/76.

NOTA 5. COMPOSIÇÃO DE SALDOS DO BALANÇO PATRIMONIAL

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO

Prazo de 20 (vinte) dias

5

(135) (54) ------------ -----------469 452 334 398

TOTAIS 2013 2012

Publique-se.

EDITAL N.º 7527178

2013 2012 RESIDUAL RESIDUAL

Títulos Disponíveis para Venda Certificado de Privatização

R$ mil

C) ATIVO CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Demonstrado pelo valor de aplicação ou de aquisição, acrescido de rendimentos incorridos até a data do balanço.

(194) (131)

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

Envio de propostas a partir de 29/08/2013, com abertura para lances na data de 13/09/2013, horário: 13h30min, disponível no site www.comprasnet.gov.br. Objetivo: Implantação de Sistema do Registro de Preços, com vigência de 12 (doze) meses, para aquisição parcelada, conforme necessidade, de contrastes radiológicos. O objeto atenderá o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Os interessados poderão obter todas as informações necessárias a respeito com a Comissão de Licitação pelo telefone (0xx41) 3360-1831. Tânia Mara Ziolkoski - Pregoeira.

EXEQUENTE : ADVOGADO : : : : : EXECUTADO : ADVOGADO : : EXECUTADO : : : : : : :

A instituição está habilitada à prática das atividades que lhe são atribuídas pela regulamentação aplicável, atuando na intermediação de operações, conforme autorização do Banco Central do Brasil sendo que tem por objetivo principal operar em qualquer atividade que lhe seja facultada no Mercado de Câmbio.

210

OUTRAS OBRIGAÇÕES

Processo nº 048866/2012-75 - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 059/2013

EXECUÇÃO DE 2005.70.00.003087-9/PR

NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL

R$ mil 2013 2012

AVISO DE LICITAÇÃO

:: Portal da Justiça Federal da 4ª Região ::

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2013 - (Valores em R$ Mil)

BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO

HOSPITAL DE CLÍNICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

2013

2012

245 40%

299 40%

(98) 17

(120) 18

(81)

(102)

NOTA 7. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Pertencente inteiramente a quotistas domiciliados no país está composto de 245.000 quotas, no valor nominal de R$ 1,00 cada. Reserva Legal No exercício, não houve constituição da Reserva Legal tendo em vista que a Reserva atingiu o limite de 20% (vinte por cento) do Capital Social. Reserva Especial Refere-se aos saldos de lucros acumulados de anos anteriores, cuja destinação dependente de deliberação dos quotistas. Distribuição de Lucros Foram distribuídos lucros no decorrer do semestre no montante de R$ 194 mil. NOTA 8. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS - INVESTIMENTOS EM COLIGADAS E CONTROLADAS A sociedade não possui investimentos em coligadas e controladas. - CONTROLADORA A Instituição é controlada por pessoas físicas. - PARTES RELACIONADAS Para o exercício de 2013 não foram realizadas transações entre partes relacionadas. NOTA 9. GERENCIAMENTO DE RISCOS A estrutura de gerenciamento de riscos da Correparti Corretora de Câmbio Ltda., abrange: Gerenciamento de Risco Operacional Política e estrutura integrada com o sistema de controles internos com avaliação de suas atividades e processos, identificando os riscos inerentes e a efetividade dos controles praticados que resultem em menor exposição aos riscos. Gerenciamento de Risco Mercado Política e estrutura de gerenciamento de risco de mercado que tem como finalidade identificar, mensurar, acompanhar e controlar as operações financeiras sujeitas a este risco.

Paulo Roberto Esquelbek Diretor

Jefferson Luiz Rugik Diretor

Pela estrutura implementada, a corretora atende à Resolução do CMN nº 3.380/06 e a 3.464/07, bem como garante maior compromisso e responsabilidade dos gestores, resultando numa organização melhor gerenciada.

Aluízio Gomes da Silva Diretor

Sérgio Luiz Alves Júlio Contador - CRC-PR 029866/O-0

A descrição da estrutura do gerenciamento de riscos está disponível ao público, no site da instituição.

2 de 2

A Doutora Gisele Lemke, Juíza Federal da Segunda Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Paraná - Subseção Judiciária de Curitiba, na forma da lei, F A Z S A B E R aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, que tramitam neste Juízo da Segunda Vara Federal Cível os autos de Cumprimento de Sentença nº 5052372-52.2011.404.7000, em que figura como autora a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, inscrita no CNPJ/MF sob nº 00.360.305/0001-04 e executado JOSÉ HENRIQUE AYALA OSCARIZ, inscrito no CPF/MF sob nº 081.957.159-82. E, constando dos autos encontrar-se o executado EM LUGAR INCERTO E NÃO SABIDO, nos termos dos despachos proferidos nos eventos 41 e 64, pelo presente fica o mesmo devidamente INTIMADO, para, no prazo de 15(quinze) dias, promover o pagamento voluntário do valor da condenação - R$ 20.844,54(vinte mil, oitocentos e quarenta e quatro reais e cinquenta e quatro centavos), devidamente atualizado até a data do efetivo pagamento, sob pena de incidir sobre este valor multa de 10%(dez por cento), nos termos do artigo 475-J, do Código de Processo Civil, acrescentado pela Lei nº 11.232/05. O prazo de 15(quinze) dias começará a fluir após o prazo deste edital. DESPACHO DO EVENTO 41: ‘1. Tendo em vista a inércia da ré, estando devidamente citada (conforme certidão do evento 39), altere-se a classe do processo para Cumprimento de Sentença, visto que estará constituído de pleno direito o título executivo, e intime-se para que efetue o pagamento do débito, no prazo de 15 dias, sob pena de ser acrescida no montante da condenação multa no percentual de 10%, conforme disposto no artigo 475-J do CPC(acrescentado pela Lei 11.232/05). Expeça-se edital, com prazo de 30 dias, devendo a CEF comprovar nos autos, em 15 dias (contados da retirada do edital), a publicação respectiva. 2. Decorrido o prazo fixado no item anterior e na ausência de pagamento, intime-se o credor para que, no prazo de 15 dias, requeira a expedição de mandado de penhora e avaliação, nos termos do dispositivo legal citado no item anterior, podendo indicar os bens a serem penhorados (artigo 475-J, § 3º, do CPC). 3. Requerida a expedição do mandado de penhora e avaliação, cumpra-se, devendo ser penhorados tantos bens quantos bastem para a satisfação do crédito, incluída a multa de 10% referida no item 5. 4. Efetivada a penhora, dela intime-se o devedor, cientificando-o de que terá o prazo de 15 dias para oferecer impugnação (artigo 475-J, § 1º do CPC). Curitiba, 03 de abril de 2013 (a) Gisele Lemke - Juíza Federal.’ DESPACHO DO EVENTO 64: ‘1. Defiro o pedido formulado pela Caixa Econômica Federal no evento 62. Expeça-se novo edital, com prazo de 30 dias, devendo a CEF comprovar nos autos, em 30 dias (contados da retirada do edital), a 29/08/2013 10:57 publicação respectiva. 2. Decorrido o prazo fixado no item anterior e na ausência de pagamento, intime-se o credor para que, no prazo de 15 dias, requeira a expedição de mandado de penhora e avaliação, nos termos do dispositivo legal citado no item anterior, podendo indicar os bens a serem penhorados (artigo 475-J, § 3º do CPC). 3. Requerida a expedição do mandado de penhora e avaliação, cumpra-se, devendo ser penhorados tantos bens quantos bastem para a satisfação do crédito, incluída a multa de 10% referida no item 5. 4. Efetivada a penhora, voltem-me os autos conclusos para nomeação de curador. Curitiba, 05 de junho de 2013 (a) Gisele Lemke - Juíza Federal.’ E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, determinou a MM. Juíza Federal que se expedisse o presente edital, o qual será afixado no lugar de costume e publicado na forma da lei. Expedido nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos vinte dias do mês de agosto do ano de dois mil e treze, por Eliana C. P. Machado, Supervisora de Processamento, e conferido por MARLUZ AUGUSTO MAGIERSKI, Diretor de Secretaria da Segunda Vara Federal, por ordem da MM. Juíza Federal. Gisele Lemke Juíza Federal


JUDICIÁRIO

Diário Indústria&Comércio

Justiça&Direito

www.justicaedireito.com

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. A8 www.macedocunha.com.br

Dr.FranciscoCunha ENCERRAMENTO INDEVIDO DE CONTACORRENTE GERA INDENIZAÇÃO Decisão recente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no Recurso Especial 1277762, entendeu que o banco não pode, sem justo motivo, encerrar a conta-corrente do cliente de maneira unilateral e mediante simples notificação. A decisão, unânime, decorre de processo judicial movido por dois correntistas que após receberem notificação do banco dando conta do encerramento de sua conta-corrente, ativa há anos e com razoável movimentação financeira, seria encerrada em dez dias por desinteresse comercial. Na ação, os correntistas pediram a manutenção da conta e a fixação de indenização por danos morais. Após vitória inicial dos correntistas em primeira instância, o processo sofreu uma reviravolta quando o tribunal revisor entendeu que seria possível o encerramento unilateral das contas pelo banco, afastando a indenização. Perante o STJ, no entanto, os correntistas conseguiram reverter a decisão estadual. E com razão, a nosso ver. O banco só poderia encerrar unilateralmente a conta se houvessem problemas cadastrais ou inadimplemento dos correntistas. Limitar-se a alegar que perdeu o interesse comercial no contrato, sem qualquer outra justificativa, não se revela suficiente. A liberdade contratual deve ser se pautar na função social do contrato e nas regras éticas e da boa-fé objetiva. No caso, reconheceu o STJ a ocorrência de abuso de direito por parte do banco. Segundo a ministra Nancy Andrighi, a situação é diferente da contratação inicial, quando a instituição financeira pode aplicar a liberdade de contratar, por se tratar de uma atividade de risco e que exige diversas medidas de segurança. No caso, segundo afirma a ministra, não se vê uma justificativa razoável para a perda de interesse no contrato de conta-corrente por parte do banco após anos de relação contratual, mesmo que a rescisão unilateral por qualquer uma das partes esteja prevista em resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN). Afirmou a ministra Nancy que “Não há como compreender como legítimo exercício do direito de não contratar, sem qualquer alegação de alteração da situação fática das partes, que o interesse comercial por tantos anos existente, tenha se perdido”. Em seu voto, a ministra cita ainda que o fechamento imotivado de conta-corrente contraria o atual movimento do governo brasileiro pela inclusão bancária. Para o ministro Sidnei Beneti, relator do processo, o fato de ser uma conta-corrente vinda de longo tempo e mantida em constante atividade afasta a faculdade do banco de, imotivadamente, por seu próprio arbítrio e com uma simples notificação, encerrá-la: “A pura e simples conclusão de que o banco não teria o dever de manutenção das contas-correntes de longa duração, vivas e com razoável movimento, dadas a pretensa liberdade unilateral de contratar, encerraria rendição do intérprete judiciário à inquestionabilidade do positivismo jurídico”. Com a decisão, o banco foi condenado a manter conta-corrente questionada e, ainda, pagar indenização por danos morais aos clientes, por considerar ter havido dano à honra dos mesmos.

DECISÕES STJ

Ministra nega pedido de ex-policiais acusados de matar estudante no Maranhão A ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), não conheceu do habeas corpus impetrado por dois expoliciais acusados de matar o estudante Ivanildo Paiva Barbosa Júnior, em setembro de 2008, na cidade de Imperatriz (MA). O hc foi impetrado contra acórdão do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), que manteve a sentença de pronúncia dos acusados. Com a pronúncia, eles foram mandados a julgamento pelo tribunal do júri, que os condenou a 21 anos e 22 anos e oito meses de reclusão, com base nos artigos 148, caput, 121, parágrafo 2º, incisos I, III e IV, e 211, combinado com o artigo 69, todos do Código Penal. No STJ, os impetrantes argumentaram que a sentença de pronúncia teria se baseado em

testemunho falso. Tanto a autoridade policial que presidiu o inquérito quanto a mãe da vítima, em instrução de plenário do júri, teriam reconhecido a falsidade da prova contestada. De acordo com a relatora do habeas corpus, ministra Laurita Vaz, a alegada nulidade da decisão de pronúncia não foi analisada pelo TJMA, de forma que a questão levantada no pedido não pode ser decidida pelo STJ, sob pena de supressão de instância. Além disso, ao contrário do alegado pelos réus, conforme a ministra, o juízo de primeiro grau entendeu que a existência do crime foi devidamente demonstrada e que houve indícios suficientes de autoria, com base nos laudos e depoimentos colhidos, sobretudo a partir do interrogatório de um corréu.

Admitida reclamação sobre restituição de valores pagos à assistência médica da PM paulista O ministro Arnaldo Esteves Lima, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), admitiu o processamento de reclamação que discute a possibilidade de restituição de contribuições compulsórias feitas à Caixa Beneficente da Polícia Militar de São Paulo (CBPM), para assistência médico-hospitalar. A reclamação foi ajuizada por policial militar contra acórdão da Terceira Turma Cível do Colégio Recursal de Campinas que desobrigou a CBPM de restituir os valores recebidos, mesmo sendo ilegal a cobrança compulsória da contribuição,

sob a afirmação de que “os serviços estiveram disponíveis aos contribuintes”. O reclamante sustentou que a posição do colégio contrariou a jurisprudência do STJ, que, segundo ele, entende ser necessária a devolução dos valores descontados nos contracheques de forma ilegal, porque não houve livre adesão dos interessados. Com a admissão da reclamação, o STJ abriu prazo para que os interessados possam se manifestar. A Primeira Seção do STJ, especializada em direito público, irá julgar a controvérsia.

CAPACITAÇÃO

Resolução definirá política de formação de servidores O projeto definirá as diretrizes que os tribunais deverão seguir para formar seus servidores

O

Grupo de Trabalho de Política Nacional de Formação dos Servidores do Poder Judiciário finalizou, na última terça-feira (27/8), a minuta do projeto de resolução que definirá as diretrizes que os tribunais deverão seguir para garantir a formação e capacitação de seus servidores. O objetivo é assegurar que a educação e o aperfeiçoamento sejam parte de um processo permanente que sirva como instrumento de valorização do servidor. “A minuta da resolução é fruto de cinco reuniões do grupo de trabalho e servirá de base para o aperfeiçoamento técnico de servidores da Justiça”, explicou o chefe do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário (CEAJud) e representante do CNJ no grupo de

trabalho, Diogo Albuquerque. A proposta finalizada pelo grupo, que reuniu servidores de todos os ramos da Justiça, prevê maior oferta de cursos e treinamentos e a profissionalização dos que atuam nas áreas de formação. A ideia é que a formação do servidor aconteça ao longo de toda a carreira, desde o ingresso, e atinja servidores efetivos, terceirizados e ocupantes de cargos em comissão.A minuta da resolução prevê, ainda, o uso prioritário de cursos de educação a distância com uso de softwares livres e compartilhamento de material e recursos entre os tribunais. “Além de uniformizar as ações, o intercâmbio dos cursos reduzirá gastos com a capacitação e o treinamento”, informou o chefe do Ceajud. Segundo Diogo, um dos objetivos

O texto seguirá agora para a Comissão de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que, após avaliá-lo, deverá submetê-lo ao Plenário do conselho

é dar suporte e auxiliar os tribunais que ainda estão organizando suas áreas de capacitação. O texto sugere também que as ações de formação

sejam oferecidas durante a jornada de trabalho e que os tribunais criem formas de incentivo aos servidores que participem dessas ações.

STF mantém condenação dos deputados José Genoíno e Pedro Henry O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por decisão unânime, os embargos de declaração apresentados pela defesa do deputado José Genoíno (PT-SP), condenado a 6 anos e 11 meses de prisão, além de multa de R$ 468 mil, no processo do Mensalão, Também foram rejeitados os

recursos do deputado Pedro Henry (PP-MT), condenado a 7 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os embargos servem para questionar omissões, obscuridades ou contradição na sentença condenatória. Na Ação Penal 470, Genoíno foi condenado pelos crimes de

corrupção ativa e formação de quadrilha. Sua defesa questionou, entre outros pontos, a aplicação de lei mais severa no cálculo da pena do crime de corrupção. A lei mais severa (10.763/03) passou a vigorar em novembro de 2003. Os atos de que o deputado é acusado começaram a ocorrer em

TSE nega liminar ao Rede Sustentabilidade A corregedora-geral eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Laurita Vaz, negou pedido de liminar feito pela ex-senadora Marina Silva para obrigar os cartórios eleitorais a publicarem, em 24 horas, a lista das assinaturas em apoio ao partido Rede Sustentabilidade que não foram validadas dentro o prazo. Marina Silva, que tenta criar o Rede, alega que os cartórios estão descumprindo o prazo legal de 15 dias para validar as assinaturas. Segundo a ministra do TSE, o pedido não tem amparo legal. Laurita Vaz determinou aos tribunais regionais eleitorais (TREs) que ordenem os cartórios a publicar

imediatamente os editais que dão publicidade às listas ou formulários de apoiamento apresentados pelo Rede Sustentabilidade. Na última segunda-feira (26), Marina Silva protocolou no TSE o pedido de registro do partido, mesmo sem conseguir certificar todas as assinaturas necessárias. No documento, o Rede informa que 867 mil assinaturas de apoiadores foram colhidas em todo o país. No entanto, das 640 mil entregues à Justiça Eleitoral, 304 mil foram certificadas pelos cartórios eleitorais e cerca de 220 mil ainda precisam ser analisadas. Para obter registro, o partido deve validar cerca de 500 mil

assinaturas, o que corresponde a 0,5% dos votos registrados na última eleição para a Câmara dos Deputados. Também é exigido que as assinaturas tenham sido colhidas em pelo menos nove estados. Em seu parecer, Laurita Vaz determinou que os cartórios eleitorais do Acre, de Alagoas, do Amazonas, do Amapá, de Goiás, de Mato Grosso do Sul, de Mato Grosso, do Piauí, de Rondônia, de Santa Catarina, de Sergipe, de São Paulo, do Tocantins, do Paraná e do Distrito Federal concluam, em 48 horas, as providências indispensáveis à retomada da regularidade do trâmite processual, especialmente com relação aos prazos.

Negado o recurso de Cristiano Paz para reduzir pena O Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta quinta-feira (29) os recursos do publicitário Cristiano Paz no julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão, para reduzir a pena e anular o acórdão (texto final do julgamento). Os ministros acataram apenas o pedido de correção material (quando há erro na grafia) no acórdão na somatória de penas. A mudança, porém, não altera a pena e a multa aplicadas. Cristiano Paz teve a terceira

maior condenação no processo do mensalão. O ex-sócio do publicitário Marcos Valério foi condenado a 25 anos, 11 meses e 20 dias, além de multa de mais de R$ 2,5 milhões, pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro, peculato e formação de quadrilha. A defesa alegou desproporcionalidade na fixação das penas e pediu a anulação do acórdão, alegando que o texto está incompleto. O documento de mais de 8,4 mil páginas – com as principais decisões, votos

e discussões do julgamento – foi publicado no último dia 15 de abril. Para o advogado Castellar Neto, o acórdão deveria ser reescrito e republicado porque houve, por exemplo, a supressão de falas e votos dos ministros Celso de Mello e Luiz Fux. Para o ministro-relator da ação, Joaquim Barbosa, a maioria das alegações da defesa foi uma clara tentativa de atrasar o julgamento. Cristiano Paz é o 19º dos 25 réus a ter os recursos julgados.

Justiça revoga liminar e CPI dos Ônibus do Rio vai continuar A juíza Roseli Nalim, da 5ª Vara de Fazenda Pública do Rio, revogou na última quarta-feira a liminar que impedia o funcionamento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Ônibus, instalada na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Os oito vereadores que compõem a bancada da oposição à CPI, instalada na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, fizeram ontem uma reunião para avaliar se entram na

Justiça contra a decisão da juíza A CPI foi suspensa no último dia 22, pela própria magistrada, que pediu informações ao presidente da Casa, vereador Jorge Felippe, sobre a proporcionalidade da comissão, que conta com apenas um vereador da oposição na sua composição: Eliomar Coelho (PSOL). Na decisão, Roseli Nalim disse que não há nos autos qualquer indicação de que o critério da pro-

porcionalidade estabelecido pelo Código Eleitoral não seja adotado. “A proporcionalidade aplicada no âmbito tem critério próprio e diferenciado. Se a sua aplicação em algumas situações não enseja resultado satisfatório, isso se deve pela composição da Casa e não poderá ser revisto pelo Judiciário”. A Câmara Municipal do Rio informou que não terá mais tempo de fazer a segunda sessão da CPI.

2002. O ministro relator, Joaquim Barbosa, lembrou que súmula do STF determina que em caso de crimes continuados é aplicada a lei mais severa. O ministro considerou que os embargos que questionavam obscuridades em votos dJ Já foram julgados 17 dos 25 recursos dos réus do processo.

Superior Tribunal de Justiça empossa três ministros O Superior Tribunal de Justiça (STJ) empossou hoje (28) três ministros. Passam a fazer parte do tribunal Paulo Dias de Moura Ribeiro, Regina Helena Costa e Rogerio Schietti Machado. Os novos integrantes podem ficar nos cargos até completar 70 anos, data da aposentadoria compulsória. Antes de chegar ao STJ, Moura Ribeiro ocupava o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ele ficará na cadeira do ministro aposentado Massami Uyeda. A ministra Regina Helena Costa, juíza do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, ocupará o lugar do ministro Teori Zavascki, empossado no Supremo Tribunal Federal (STF). Rogerio Schietti ficará na cadeira ao ministro aposentado Cesar Asfor Rocha. Os novos ministros foram escolhidos pela presidenta Dilma Rousseff a partir tríplices enviadas pelo STJ.

Nova sede da JF em Toledo será inaugurada hoje O presidente do Tribunal Regional Federal da 4a Região, desembargador federal Tadaaqui Hirose, inaugura as novas instalações da Subseção Judiciária de Toledo nesta sexta-feira, 30 de agosto, as 17h. Atualmente, tramitam 5.186 ações na Subseção Judiciária de Toledo que tem uma Vara Federal com Juizado Especial Federal (JEF). Em andamento há 8094 processos e nas instancias superiores, 1471. A Subseção Judiciária de Toledo foi instalada em 10 de novembro de 2005 atraves da Resolução n 116 de 27/10/2005.


negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. B1

Mercado óptico brasileiro supera expectativas e cresce 27% no 1º semestre

ANIVERSÁRIO

Conselho da Mulher Executiva celebra 30 anos Evento realizado na ACP homenageou a participação de diversas mulheres Foto: Felipe Rosa

O

Conselho da Mulher Executiva (CME) da ACP, comemorou seus 30 anos na noite de quarta-feira (28). O presidente Edson José Ramon abriu o evento enaltecendo a contribuição de cada coordenadora que ao longo do tempo exerceram o cargo. “A mulher com o seu equilíbrio emocional, ternura e afeto é capaz de tomar as decisões certas e de conduzi-las da melhor maneira possível. Nessa magnânima Casa a mulher sempre será prestigiada”, disse Ramon. Por sua vez a vice-presidente e coordenadora do Conselho da Mulher Executiva (CME) Edda Deiss de Mello e Silva, fez um discurso emocionado em defesa dos direitos e da liberdade de expressão, valores esses que foram conquistados ao longo dos anos pelas mulheres. “Hoje estamos aqui comemorando os 30 anos do CME com as conquis-

Estiveram presentes a presidente da Fundação de Ação Social, Marcia Fruet, entre outras convidadas.

tas de cada uma de nós, lembrando e honrando todas as mulheres tanto executivas ou donas de casa são acima de tudo vencedoras”, disse Edda. A coordenadora do CME foi ho-

menageada pelas ex-presidentes da ACP, Regina Zanchi (1992/1994), Evely Cotait (2001/2004), Isabel Mendes (2006/2008) e Avani Slomp Rodrigues (2006/2010). Em seguida Edda congratulou com

flores as fundadoras do CME, Leia Miró Rebelo e Cléia Pereira. Estiveram presentes a presidente da Fundação de Ação Social, Marcia Fruet, entre outras convidadas.

A Abióptica - Associação Brasileira da Indústria Óptica - finalizou um balanço sobre o 1º semestre do mercado óptico nacional. Os números revelam um crescimento de 27% entre janeiro e junho de 2013 em comparação com o mesmo período de 2012, número que já supera a previsão para o ano todo, que era de 25%. Nos últimos 5 anos, entre 2008 e 2012, o setor apresenta crescimento de 133%. Em números absolutos, o número dos primeiros seis meses de 2013 projetam para a óptica brasileira – que emprega atualmente 150 mil em todo o país – um faturamento de R$ 24,7 bilhões no final do ano. Segundo a Abióptica, a boa notícia é fruto da conjunção de alguns fatores, como os investimentos contínuos do setor em ações de combate à pirataria e à ilegalidade, à adoção de normas de regulamentação, campanhas de conscientização quanto às questões que envolvem a saúde ocular do brasileiro, maior acesso a crédito e, mais recentemente, esforços conjuntos entre a indústria e o varejo óptico nacional Para Bento Alcoforado, presi-

dente da Abióptica, o momento do setor reflete também a entrada na economia de um grande número de consumidores. “Além de todo o potencial natural da óptica em si e do crescente número de ofertas, o crescimento da economia nos últimos anos possibilitou ao consumidor investir mais em sua própria saúde ocular e, também, em produtos de maior luxo, como é o caso das armações e lentes importadas. Até por isso, estamos nos preparando para atender a essa demanda, por exemplo, finalizando a revisão e a elaboração de normas técnicas que garantirão à indústria e ao consumidor maior segurança na hora da compra”. De acordo com números levantados pelo Imeppi (Instituto Meirelles de Proteção à Propriedade Intelectual), com dados de órgãos oficiais como Receita Federal e Polícias Estaduais e Federal, entre os meses de janeiro a junho de 2013 foram apreendidas 1,8 milhões de unidades de óculos ilegais no País. Desde 2006 foram 70 milhões de unidades apreendidas, das quais 29 milhões já destruídas.

Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.

CNPJ nº 03.317.692/0001-94 Relatório da Administração 1º Semestre de 2013 Apresentamos a seguir o Relatório da Administração da Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e surpreendente estabilidade do consumo sugerindo a exaustão do modelo de estímulos adotado no Brasil. variável. Como a deterioração do ambiente passou a se configurar de forma mais evidente apenas no no mesmo semestre do ano anterior para atingir R$ 7,11 milhões ao final de junho. Os resultados no Valores Mobiliários S.A. (“Corretora”) referente ao 1º semestre de 2013, de acordo com o que estabelece Mas o momento mais tenso do primeiro semestre acabou por acontecer no mês de junho, quando o país final do primeiro semestre, a Petra Corretora acabou sendo menos afetada por estas mudanças no semestre: O resultado contábil da Corretora no primeiro semestre de 2013 foi de Prejuízo de R$ 239 mil, o Banco Central do Brasil. Eventos Relevantes: O primeiro semestre de 2013 foi um período com um foi tomado por uma onda de manifestações em que a insatisfação da sociedade com a condução do país cenário econômico. Nesse sentido, o destaque do primeiro semestre do ano ficou com a decisão de seus porém obtendo Lucro Fiscal de R$ 681 mil. O resultado foi especialmente impactado por provisões para número grande de eventos marcantes no Brasil. No ambiente econômico, acompanhamos o Banco em todas as esferas e poderes da administração foi evidenciada. Ainda em junho, as turbulências acionistas de descontinuar sua atuação no segmento de corretagem de ações. Há alguns semestres a contingências. As perspectivas: A consistência na evolução das receitas de prestação de serviços da Central voltar a elevar os juros para conter a dinâmica dos preços, uma vez que a inflação acumulada em internas foram acirradas pela percepção dos agentes econômicos de que a recuperação da economia geração de margem de contribuição da Petra Corretora vinha se concentrando na distribuição de fundos Corretora voltou a se comprovar neste primeiro semestre de 2013, ainda que os resultados do último 12 meses passou a se aproximar do teto da meta. Esta decisão, ainda que tecnicamente adequada ao americana levaria o FED a iniciar um movimento de retirada dos estímulos econômicos que vem e não no negócio de intermediação de ações. Ademais, a visão da empresa é de que a rentabilidade da semestre tenham sido impactados por uma questão pontual. Também no segundo semestre devemos sistema de metas, veio de encontro a um desejo claro do governo central em manter a taxa de juros em concedendo. A preocupação dos investidores com essa possibilidade desencadeou um processo de área de corretagem seguirá pressionada, mesmo na hipótese de uma melhora do ambiente, seja pela sensibilizar de forma mais intensa a redução de custos promovida na Petra - Personal Trader CTVM S/A. patamares mais baixos. Também na primeira metade do ano vimos se dispersar na sociedade uma elevação dos juros dos títulos públicos nos Estados Unidos, que teve como efeito colateral uma intensa grande competição que se instaurou no segmento, seja pelos seus elevados custos, seja pela Isso porque será concluída a implementação de uma série de medidas de ajuste de escopo da empresa sensação de descrença em relação a capacidade do governo de liderar o país no processo de retomada valorização do dólar em relação a outras moedas, entre elas o real e um crescimento expressivo da predisposição do investidor local em delegar suas aplicações a gestores profissionais. A decisão tende a que permitiu uma importante redução da estrutura de pessoal e administrativa relacionada aos negócios do crescimento. O nível de confiança de empresários e consumidores entrou em uma tendência volatilidade. Essa conjunção da frustração doméstica com as novas premissas para a economia favorecer os resultados da corretora tanto pela ótica da redução de custos com pela ótica do foco nas com corretagem de ações. Os ajustes que estão sendo implementados permitirão que a Petra Corretora claramente declinante e a resultante mais eloquente deste processo pôde ser visto nos números do PIB americana motivou um forte movimento de venda de ativos brasileiros em junho que, culminou com a linhas mais rentáveis de produtos. Resultados importantes: A geração de receita: No primeiro semestre esteja melhor preparada para seguir contribuindo positivamente com os resultados do Grupo, mesmo do primeiro trimestre. A expansão do produto interno veio bem abaixo das expectativas e mostrou uma intensa desvalorização dos papéis locais, tanto no ambiente de renda fixa como no mercado de renda de 2013 as receitas de prestação de serviços da Corretora cresceram 34,86% saindo de R$ 5,27 milhões diante de um esperado crescimento da volatilidade. Demonstrações contábeis para os semestres findos em 30 de junho de 2013 e de 2012 (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Balanços patrimoniais 2013 2012 Passivo e Patrimônio Líquido Notas 2013 2012 5.227 10.189 6.825 12.422 Passivo circulante Outras obrigações 5.227 10.189 4 159 122 Fiscais e previdenciárias 12 97 252 5 4.330 3.696 Negociação de intermediação de valores 8 4.856 9.498 4.330 3.696 274 439 Diversas 9 6 1.183 4.100 808 – – 3.264 Exigível a longo prazo 808 – 1.183 836 Outras obrigações Diversas 9 808 – 1.045 4.401 2.201 3.033 13 7 253 773 Patrimônio líquido Capital de domiciliados no país 5.930 5.930 8 450 2.924 Reservas de capital 65 59 9 342 704 Ajuste de avaliação patrimonial (48) (6) 108 103 (3.746) (2.950) Prejuízos acumulados 108 103 8.236 13.222 893 9 Total do passivo e patrimônio líquido As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis 893 – 893 – Demonstrações das mutações do patrimônio líquido – 9 Ajuste de 9 – 9 Capital Reservas avaliação Prejuízos 518 791 social de capital patrimonial acumulados Total 10 140 289 Saldos em 31 de dezembro de 2011 5.930 56 (18) (3.495) 2.473 105 100 Atualização de título patrimonial – 3 – – 3 35 189 Ajuste ao valor de mercado 11 373 494 títulos e valores mobiliários – – 12 – 12 553 623 Lucro líquido do semestre – – – 545 545 (180) (129) Saldos em 30 de junho de 2012 5.930 59 (6) (2.950) 3.033 5 8 Saldos em 31 de dezembro de 2012 5.930 62 (10) (3.507) 2.475 12 12 Atualização de título patrimonial – 3 – – 3 (7) (4) Ajuste ao valor de mercado 8.236 13.222 títulos e valores mobiliários – – (38) – (38) – – – (239) (239) Prejuízo líquido do semestre Notas explicativas às demonstrações contábeis 5.930 65 (48) (3.746) 2.201 Saldos em 30 de junho de 2013 1. Contexto operacional: A Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis (“Corretora”) foi constituída em 14 de abril de 1999 e iniciou suas atividades em julho de 1999. A Corretora tem por objeto social entre outras atividades: comprar e vender títulos e valores mobiliários, por conta somente quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, transitadas em julgado. Os ativos própria ou de terceiros, instituir, organizar e administrar fundos mútuos e clubes de investimentos e contingentes com êxitos prováveis são apenas divulgados em nota explicativa; • passivos contingentes exercer outras atividades expressamente autorizadas pelo Banco Central do Brasil (BACEN) e/ou pela são provisionados quando as perdas forem avaliadas como prováveis e os montantes envolvidos forem Comissão de Valores Mobiliários (CVM). I) Reestruturação societária: O Grupo Petra, formado pela mensuráveis com suficiente segurança, os passivos contingentes avaliados como de perdas possíveis Corretora, pelo Banco Petra S.A. (“Banco”), pela Petra Asset Gestão de Investimento Ltda. (“Asset”) e são divulgados, e aqueles não mensuráveis com suficiente segurança e como de perdas remotas não pela Holding Petra S.A. (“Holding”), apesar do controle societário de cada sociedade ser distinto, operava são provisionados e/ ou divulgados; • as obrigações legais são registradas como exigíveis, independensob a mesma marca “Petra” e administração comum. Por esse motivo, os acionistas das referidas empre- temente da avaliação sobre as probabilidades de êxito. k) Passivo circulante e exigível a longo prazo: sas elaboraram um plano de reestruturação societária com o objetivo de que os sócios compartilhassem Demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as o controle de todas as empresas do Grupo. A reestruturação societária compreendeu os seguintes even- variações monetárias em base “pro rata” dia incorridos, deduzidos das correspondentes despesas a tos: (i) Permuta e ações da Holding por quotas da Asset; (ii) Incorporação de ações da Corretora pela apropriar. l) Provisão para imposto de renda e contribuição social: A provisão para imposto de renda Holding e (iii) Incorporação de ações da Corretora pelo Banco, e tem como principais justificativas os se- foi constituída à razão de 15% sobre o lucro real, acrescido de adicional de 10% sobre a parte desse lucro guintes aspectos: a) maior capacidade de geração de resultado devido à otimização e compartilhamento que excedeu a R$240 no ano. A contribuição social é calculada sobre o lucro líquido antes do imposto de dos recursos; b) melhoria na precificação dos produtos e serviços disponibilizados pelas empresas do renda, à alíquota de 15%. m) Apuração do resultado: As receitas e despesas das operações ativas e Grupo em função do fornecimento integrado dos serviços e produtos, concentração das atividades de passivas são apropriadas pelo regime de competência. Os valores sujeitos à variação monetária são administração de risco, uma vez que todas as empresas já atuam sob a mesma marca e administração atualizados “pro rata” dia. n) Resultado por ação: O lucro líquido (prejuízo) por ação é calculado em comum, compartilhando estruturas operacionais; e c) redução de custos de funcionamento das áreas reais com base na quantidade de ações em circulação, na data dos balanços. 2013 2012 corporativas de suporte (RH, marketing, tecnologia, jurídico e outras). Os sócios receberam resposta po- 4. Caixa e equivalentes de caixa: 159 122 sitiva do Banco Central em 16 de agosto de 2011 com relação ao plano de reestruturação societária pro- Disponibilidades 4.330 3.696 tocolizado no dia 01 de fevereiro de 2011. Com isso, submeteram os documentos e informações necessá- Aplicações interfinanceiras (Nota nº 5) 4.489 3.818 rios à instrução do processo, em especial os atos societários relativos à alteração de controle acionário em Total comento. Como resultado desta consolidação, a Corretora se tornou uma subsidiária integral do Banco. 5. Aplicações interfinanceiras de liquidez: Até 3 meses Os documentos societários foram aprovados em definitivo pelo Banco Central em 28 de março de 2012. 2013 2012 II) Redirecionamento dos negócios: A partir de 2011, a Corretora redirecionou seus negócios, reduzindo Operações compromissadas (*) 4.330 3.696 substancialmente o atendimento de clientes de varejo e direcionando a sua atuação para clientes de maior (*) São representadas por aplicações no mercado aberto, lastreadas por títulos públicos federais com porte como: fundos de pensão, family offices, private banking, asset managers e outros. Como parte desse prazos de vencimento de um dia útil. Estas operações não sofrem alterações no valor de mercado em redirecionamento estratégico, medidas de adequação da estrutura foram implementadas a partir de 2011, virtude de sua natureza. 6. Títulos e valores mobiliários: A Corretora possui títulos públicos federais o que resultou em uma redução significativa dos custos relacionados ao mercado de varejo. Do ponto de classificados na categoria de “Títulos disponíveis para venda”, conforme demonstrado na tabela abaixo: vista das receitas, novo negócio com maior volume e valor agregado tem trazido receitas significativas, o 2013 2012 que fez com que a Corretora, obtivesse lucro fiscal em 2012, invertendo a linha de tendência dos resultaAjuste Ajuste dos, de acordo com a expectativa de seus acionistas e administradores. Essa linha permaneceu para o Sem acumulado acumulado 1º semestre de 2013. 2. Base de preparação e apresentação das Demonstrações Contabéis: As devencino patrimônio no patrimônio monstrações contábeis foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contámento líquido, líquido líquido, líquido beis adotadas no Brasil, observando as diretrizes contábeis estabelecidas pelo Banco Central do Brasil e até Após Valor de dos efeitos Valor de dos efeitos (BACEN), Conselho Monetário Nacional (CMN), consubstanciadas no Plano Contábil das Instituições do Título 1 ano 1 ano Mercado tributários Mercado tributários Sistema Financeiro Nacional (COSIF) e os novos pronunciamentos, orientações e as interpretações emi- Carteira própria – 893 893 – 3.264 9 tidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) aprovados pelo BACEN. As estimativas contábeis Certificado de depósito bancário – – – – 15 – são determinadas pela Administração, considerando fatores e premissas estabelecidas com base em jul- Letras de câmbio – – – – 2 – gamento, que são revisados a cada semestre. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e premissas Letras financeiras do tesouro – 893 893 – 3.247 9 incluem as provisões para ajuste dos ativos ao valor provável de realização ou recuperação, as provisões Vinculados à prestação para perdas, as provisões para contingências, marcação a mercado de instrumentos financeiros, os im1.183 – 1.183 (48) 836 (15) de garantias postos diferidos, entre outros. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar Certificado de depósito em valores divergentes em razão de imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. Em aderênbancário (a) 1.049 – 1.049 – 641 – cia ao processo de convergência com as normas internacionais de contabilidade, o comitê de Pronuncia- Ações (a) e (b) 134 – 134 (48) 195 (15) mentos Contábeis (CPC) emitiu diversos pronunciamentos relacionados ao processo de convergência Total 1.183 893 2.076 (48) 4.100 (6) contábil internacional, porém a maioria não foi homologada pelo BACEN. Desta forma, a Corretora, na (a) O Banco Paulista é o banco liquidante das operações de Bolsa da Corretora, e como garantia a Corelaboração das demonstrações contábeis, adotou os seguintes pronunciamentos já homologados pelo retora mantém um saldo de R$ 1.049 em CDB (R$ 641 em 2012) nessa instituição. Para realizar operaBACEN: a) Pronunciamento conceitual básico (R1) “Estrutura Conceitual para elaboração e divulgação de ções junto a CBLC a Corretora mantém R$ 134 (R$ 195 em 2012) em ações, custodiadas no Bradesco, relatório contábil-financeiro”, homologado pela Resolução CMN nº 4.144/2012; b) CPC 01 “Redução ao como garantia; (b) O valor de mercado das ações é obtido através da utilização de preços médios divulvalor recuperável de ativos”, homologado pela Resolução CMN nº 3.566/2008; c) CPC 03 “Demonstrações gados pela Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA). 7. Outros créditos - rendas a do fluxo de caixa”, homologado pela Resolução CMN nº 3.604/2008; d) CPC 05 “Divulgação de partes receber: São rendas a receber de serviço de estruturação de fundos, de distribuição de cotas, taxa de relacionadas”, homologado pela Resolução CMN nº 3.750/2009; e) CPC 10 “Pagamento baseado em administração dos Clubes e Fundos de Investimentos e das carteiras de clientes administrados pela ações”, homologado pela Resolução CMN nº 3.989/2011; homologado pela Resolução CMN Corretora, totalizando R$ 253 (R$ 773 em 2012). 8. Outros créditos e outras obrigações - negociação nº 4.007/2011; f) CPC 23 “Políticas contábeis, mudança de estimativa e retificação de erro”, homologado pela e intermediação de valores: Referem-se basicamente aos saldos das operações por conta de clientes, Resolução CMN nº 4.007/2011; g) CPC 24 “Contabilização e divulgação de eventos subsequentes”, ho- pendentes de liquidação, dentro do prazo regulamentar, classificado nas seguintes categorias: pessoas mologação pela Resolução nº 3.973/11; h) CPC 25 “Provisões, passivos contingentes e ativos contingen- físicas e jurídicas, instituições de mercado, diretores, sócios e acionistas e sociedades ligadas, no montes”, homologado pela Resolução CMN nº 3.823/09. Atualmente, não é possível estimar quando o BACEN tante de R$ 450 (R$ 2.924 em 2012) para o ativo e de R$ 4.856 (R$ 9.498 em 2012) para o passivo. irá aprovar os demais pronunciamentos contábeis emitidos pelo CPC e se a utilização dos mesmos será 9. Outros créditos e outras obrigações - diversos: 2013 2012 de maneira prospectiva ou retrospectiva. 3. Resumo das principais práticas contábeis: As principais Outros créditos diversos - circulante práticas contábeis adotadas pela Corretora na elaboração das demonstrações contábeis são: a) Caixa e Créditos tributários 38 5 equivalentes de caixa: Para fins de demonstração do fluxo de caixa, caixa e equivalentes de caixa cor- Adiantamentos diversos – 7 respondem aos saldos de disponibilidades e aplicações interfinanceiras de liquidez com conversibilidade Impostos e contribuições a compensar 230 119 imediata ou com prazo original de resgate igual ou inferior a 90 dias. b) Aplicações interfinanceiras de Pagamentos a ressarcir (a) 74 222 liquidez: Representam operações a preços fixos referentes às compras de títulos com compromisso de Devedores por compra de valores e bens – 351 revenda e aplicações em depósitos interfinanceiros e estão demonstradas pelo valor de resgate, líquidas Total outros créditos diversos - circulante 342 704 dos rendimentos a apropriar correspondentes a períodos futuros. c) Títulos e valores mobiliários: Outros créditos diversos - longo prazo Os títulos e valores mobiliários, conforme determinado pela Circular BACEN nº 3.068/2001, foram classi- Depósitos judiciais – 9 ficados na seguinte categoria: Títulos disponíveis para venda: são aqueles que não se enquadram como Total outros créditos diversos - longo prazo – 9 para negociação ou como mantidos até o vencimento e são ajustados pelo valor de mercado em contra- Outras obrigações diversas - circulante partida à conta destacada do patrimônio líquido, deduzido dos efeitos tributários. d) Demais ativos circu- Despesas de pessoal a pagar 93 135 lantes e realizáveis a longo prazo (não circulantes): Demonstrados pelos valores de realização, incluin- Outras despesas administrativas (b) 132 170 do, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias pro-rata dia incorridos e as variações Credores diversos (c) 49 134 cambiais, deduzidos das correspondentes provisões para perdas ou ajuste ao valor de mercado e rendas Total outras obrigações diversas - circulante 274 439 a apropriar. e) Investimentos: Estão demonstrados ao custo de aquisição, sendo que os investimentos em Outras obrigações diversas - longo prazo controladas estão ajustados por avaliação pelo método da equivalência patrimonial. f) Negociação e in- Provisão para contingências trabalhistas (d) 808 – termediação de valores: Registram-se os créditos decorrentes das relações com o mercado (sistema e Total outras obrigações diversas - longo prazo 808 – clientes) relativamente à negociação de valores (títulos, ações, mercadorias e ativos financeiros) por con- (a) Referem-se a valores de despesas de cartório, taxas e impostos de fundos ativos que a Corretora paga e ta própria e por conta de terceiros. g) Imobilizado de uso: Demonstrado ao custo de aquisição. depois solicita reembolso, no montante de R$ 57, e valores que a Corretora antecipou para a abertura de A depreciação do imobilizado de uso é computada pelo método linear, com base nas taxas anuais men- fundos totalizando R$ 17, deixando disponível em seu portfólio para futuras comercializações; (b) Referem-se cionadas na Nota 11, que levam em consideração a vida útil-econômica dos bens. h) Intangível: O ativo à provisão para pagamento de aluguel e condomínio no montante de R$ 39, comunicações no montante de intangível é composto por ativos não monetários identificáveis sem substância física. Os valores registra- R$ 9, assistência médica no montante de R$ 16, serviços de auditoria no montante de R$ 43 e IPTU no dos como ativo intangível são relativos a: • softwares, sendo que a Corretora irá obter benefícios desses montante de R$ 19 e outros no montante de R$ 6; (c) Representados basicamente pelo ressarcimento de softwares em até cinco anos; e • ágio apurado na aquisição da carteira de clientes da Fiere Gestão de despesas de infraestrutura para a Holding Petra S.A. no montante de R$ 49; (d) Referem-se à provisão para Recursos de Terceiros Ltda., o qual é analisado a valor recuperável anualmente. i) Redução ao valor re- contingências trabalhistas constituídas sobre processos considerados pelo departamento jurídico da Petra cuperável de ativo: É reconhecida como perda, quando o valor de um ativo ou de uma unidade geradora com chance de perda provável. Em dois processos os valores atribuídos à causa pelos reclamantes são de caixa registrado contabilmente for maior do que o seu valor recuperável ou de realização. Uma unidade exorbitantes se comparados ao valor salarial e tempo da prestação de serviços, por esse motivo o valor estigeradora de caixa é o menor grupo identificável de ativos que gera fluxo de caixa, substanciais, indepen- mado de perda é pequeno. No outro processo, considerando todo o contexto probatório a provisão de 42% é dentemente de outros ativos ou grupos de ativos. As perdas por “impairment”, quando aplicável, são regis- a mais adequada. Há um processo trabalhista recente, cujo o valor da causa é de R$ 100 que foi classificado tradas no resultado do período em que foram identificadas. j) Ativos e passivos contingentes: O reco- como possível amparada na opinião dos assessores jurídicos. Ressalta-se ainda que a audiência inicial deste, nhecimento, a mensuração e a divulgação dos ativos e passivos contingentes são efetuados de acordo não aconteceu. Resumidamente os processos, tratam-se de reclamações pleiteando projeção do aviso prévio; com os critérios definidos no pronunciamento técnico CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos nulidade da dispensa sem justa causa - reintegração - indenização; dano moral, indenização por dispensa Contingentes, do Comitê de Pronunciamentos Contábeis de 15 de setembro de 2009, em observância discriminatória; reconhecimento de vínculo empregatício e horas extras. O saldo provisionado refere-se tamà resolução CMN nº 3.823/2009, conforme descrito a seguir: • ativos contingentes são reconhecidos bém a uma contingência cívil. Esse processo já está em fase de aguarda de recurso no tribunal superior,

Ativo circulante Disponibilidades Aplicações interfinanceiras de liquidez Operação compromissada Títulos e valores mobiliários Carteira própria Vinculados à prestação de garantia Outros créditos Rendas a receber Negociação de intermediação de valores Diversos Outros valores e bens Despesas antecipadas Realizável a longo prazo Títulos e valores mobiliários Carteira própria Outros créditos Diversos Permanente Investimentos Títulos patrimoniais Participação em controlada Imobilizado de uso Outras imobilizações de uso (Depreciações acumuladas) Intangível Ativos intangíveis (Amortizações acumuladas) Total do ativo

Fernando Marques de Marsillac Fontes

Notas

Ricardo Binelli

Aos Acionistas e Administradores da Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Curitiba - PR. Examinamos as demonstrações contábeis da Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (Corretora), que compreendem o balanço patrimonial em 30 de junho de 2013 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o semestre findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da Administração sobre as demonstrações contábeis: A Administração da Corretora é responsável pela elaboração e adequada apresentação destas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil (BACEN) e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos

Diretoria Delano Macêdo de Vasconcellos

Demonstrações do resultado Notas 2013 2012 274 486 Receitas da intermediação financeira Resultado de aplicações interfinanceiras de liquidez 193 380 81 106 Resultado de operações com títulos e valores mobiliários 274 486 Resultado bruto da intermediação financeira (336) 287 Outras receitas/(despesas) operacionais Receitas de prestação de serviços 14 7.114 5.275 Despesas de pessoal (881) (1.072) Outras despesas administrativas 15 (5.066) (3.480) Despesas tributárias (720) (548) Resultado de participações em controladas 10 11 139 Outras receitas operacionais 55 20 (849) (47) Outras despesas operacionais 16 (62) 773 Resultado operacional 2 (62) Resultado não operacional Resultado antes da tributação sobre o resultado (60) 711 (179) (166) Imposto de renda e contribuição social 17 Imposto de renda e contribuição social - correntes (179) (166) (239) 545 (Prejuízo)/lucro líquido do semestre Nº de ações 5.930.000 5.930.000 (Prejuízo)/lucro por ação (em R$) (0,04) 0,09 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis tendo sido provisionado 100% do valor da ação atualizado pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Há também quatro ações administrativas em andamento pleiteando reclamações por operações realizadas não autorizadas, que considerando todo o contexto probatório a provisão do valor total da causa é a mais adequada. Abaixo composição das provisões para contingências por natureza: 2013 2012 Ações trabalhistas 43 – Ações cíveis 615 – 150 – Ações administrativas 808 – Total 10. Investimentos: Em 30 de junho de 2013, o saldo de investimentos é composto por títulos patrimoniais da Bolsa de Valores do Paraná no valor de R$ 105 (R$ 100 em 2012) e pela participação em Petra Capital Gestão de uma coligada conforme tabela: Investimentos Ltda. 2013 2012 Informações sobre a coligada Número de cotas de capital 100.000 100.000 Patrimônio líquido 131 24 (–) Distribuição de Resultado Antecipado (1.594) – Capital social 100 100 Lucro líquido do semestre 1.649 401 Informações sobre o investimento na coligada Número de cotas possuídas 19,000 50,001 Percentual de participação (%) 19.000 50,001 Movimentação dos investimentos no semestre Saldo inicial 24 50 11 139 Resultado de equivalência patrimonial 35 189 Saldos finais 11. Imobilizado de uso: 2013 2012 % - Taxa Custo Depreciação Saldo Saldo Instalações 10 407 (128) 279 359 Móveis e equipamentos de uso 10 99 (26) 73 91 Processamento de dados 20 27 (15) 12 17 Outros 10 a 20 20 (11) 9 12 – – – – 15 Imobilizado em andamento – 553 (180) 373 494 Total 12. Outras obrigações - fiscais e previdenciárias: 2013 2012 IRPJ e CSLL – 115 PIS e COFINS 27 41 Impostos e contribuições sobre salários a recolher 28 42 Impostos e contribuições sobre terceiros 2 1 Impostos sobre serviços a recolher (a) 24 48 16 5 Outros 97 252 Total - circulante (a) Representado substancialmente por ISS a pagar de São Paulo no montante de R$ 18 (R$ 31 em 2012) e ISS a pagar de Curitiba no montante de R$ 4 (R$ 5 em 2012). 13. Patrimônio líquido: a) Capital social: O capital social subscrito e integralizado por acionistas domiciliados no país está representado por 2.965.000 ações ordinárias nominativas e por 2.965.000 ações preferenciais nominativas, no valor de R$1,00 cada uma. b) Reserva de capital: A reserva de capital é decorrente da atualização de títulos patrimoniais, podendo ser utilizada para futuro aumento de capital social e/ ou compensação de prejuízos acumulados. c) Reserva de lucro: Conforme determina o artigo 193 da Lei nº 6.404/1976, 5% (cinco por cento) do lucro líquido será aplicado na constituição de reserva legal, antes de qualquer outra destinação, até o limite de 20% do capital social integralizado, podendo ser utilizada para futuro aumento de capital social e/ou compensação de prejuízos acumulados. d) Dividendos: O estatuto social determina que seja assegurado aos acionistas o pagamento do dividendo mínimo obrigatório de 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido, ajustado nos termos do artigo 202 da Lei nº 6.404/1976 das Sociedades por Ações. As ações preferenciais terão direito a receber, com prioridade, um dividendo não cumulativo, calculado a taxa de 6% (seis por cento) ao ano, sobre o respectivo saldo contábil. Nos semestres findos em 30 de junho de 2013 e de 2012 não foram realizadas nenhuma antecipação de dividendos. 2013 2012 14. Receita de prestação de serviços: Rendas de corretagem 1.817 2.044 Distribuição e colocação de cotas (a) 4.642 1.778 Rendas de custódia 104 138 Taxa de administração de fundos 70 215 Renda de comissão de colocação de títulos 55 664 Estruturação de fundos – 94 426 342 Outras receitas de serviços Total 7.114 5.275 (a) Refere-se ao recebimento de comissões sobre a intermediação financeira realizada na coordenação, colocação e distribuição pública de cotas emitidas pelos Fundos Administrados pela Corretora (em 2013 Fundo RPW no montante de R$ 31, FIDC Sifra Star no montante de R$ 192, FIDC Intercash no montante de R$ 86 , FIDC Red Performance R$ 66, FIDC Credix no montante R$ 80, Garson no montante R$ 150, RED Multisetorial LP no montante de R$ 157, FIDC Sifra Premium no montante de R$ 424, FIDC Prospecta no montante de R$ 772, FIDC Credit Brasil no montante R$ 795, FIDC Empresarial no montante R$ 850 e JPP FII no montante de R$ 1.038, entre outros). O percentual da comissão varia de 0,25% a 6%, sobre o montante de cotas efetivamente colocado junto aos investidores. 2013 2012 15. Outras despesas administrativas: Despesas de serviços técnicos especializados (a) 3.882 2.032 Despesas de aluguéis 281 315 Despesas de processamento de dados 241 322 Despesas de serviços do sistema financeiro 219 246 Despesas de comunicação 83 149 Despesas de transportes 53 52 Despesas de viagens 31 60 Despesas de depreciação e amortização 31 38 Despesas de material 27 27 Despesas de água, energia e gás 24 35 Despesas de manutenção e conservação de bens 18 25 Despesas de promoções e relações públicas 10 1 Despesas de publicações 10 – 156 178 Outras despesas administrativas 5.066 3.480 Total (a) Para o serviço de coordenação e distribuição pública de cotas emitidas pelos Fundos Administrados pela Corretora, mencionado na Nota 14, a Corretora pode contratar agentes autônomos de investimentos. As despesas de serviços técnicos especializados referem-se substancialmente ao pagamento de comissões sobre a intermediação financeira realizada pelos agentes autônomos no montante de R$ 2.167 (R$ 1.933 em 2012). Adicionalmente, referem-se a serviços de auditoria no montante R$ 47 (R$ 69 em 2012) e a utilização de serviços técnicos de contabilidade, assessores jurídicos, consultoria e assessoria na emissão de certificados no montante de R$ 1.668 (R$ 30 em 2012). 2013 2012 16. Outras despesas operacionais: Provisão para passivos contingentes (nota nº 9 - d) 740 – Estruturação/outras despesas fundos 21 11 Diferença de liquidação 15 3 Prejuízo com títulos de renda fixa – 19 73 14 Outras despesas operacionais Total 849 47

Edilberto Pereira Edmilson Pereira Domingos Relatório dos Auditores Independentes auditores e também que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter uma segurança relevantes, a posição patrimonial e financeira da Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve Mobiliários S.A. em 30 de junho de 2013, o desempenho de suas operações e os fluxos de caixa para o a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e das semestre findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Ênfase: Sem ressalvar nossa opinião, julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações chamamos a atenção para a nota explicativa 1, que indica as medidas tomadas pela Administração contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nesta avaliação de riscos, o auditor quanto ao reposicionamento dos negócios e a reversão do cenário de prejuízos acumulados em períodos considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Corretora para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados anteriores. As demonstrações contábeis da Corretora foram preparadas no pressuposto da sua nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia destes controles internos da continuidade operacional, que depende da continuidade e sucesso do reposicionamento dos negócios Corretora. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a mencionado e não incluem quaisquer ajustes nos saldos de ativos e passivos que seriam necessários no razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da caso de descontinuidade das operações da Corretora. Outros assuntos: As demonstrações contábeis apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de da Petra - Personal Trader Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., para o semestre findo em 30 auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião: Em nossa opinião, de junho de 2012, apresentadas para fins de comparação, foram anteriormente examinadas por outros as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos auditores independentes que emitiram relatório de auditoria datado de 28 de setembro de 2012,

Demonstrações dos fluxos de caixa Atividades operacionais 2013 2012 (239) 545 Lucro/(prejuízo) do semestre Ajustes ao lucro (prejuízo) do semestre 21 (39) Depreciações e amortizações 32 38 Resultado de participação em controlada (11) (139) Prejuízo na alienação de bens – 62 (977) (2.845) Variações em ativos e passivos Redução em títulos e valores mobiliários (28) (3.249) Redução/(aumento) em outros créditos 1.071 (537) Aumento em outros valores e bens (77) (75) (Redução)/aumento em outras obrigações (2.122) 850 179 166 Imposto de renda e contribuição social pagos (1.195) (2.339) Caixa líquido aplicado em atividades operacionais Atividades de investimento Alienação/(aquisição) de investimento – (50) – 18 Aquisição/(alienação) de imobilizado de uso – (32) Caixa líquido originado em atividades de investimento (1.195) (2.371) Redução de caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa no início do semestre 5.684 6.189 4.489 3.818 Caixa e equivalentes de caixa no final do semestre Redução de caixa e equivalentes de caixa (1.195) (2.371) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis 17. Imposto de Renda e Contribuição Social: a) Conciliação do imposto de renda e contribuição social no resultado: No primeiro semestre de 2013, a Corretora apresentou lucro fiscal acumulado no montante de R$681 (lucro fiscal de R$ 635 em 2012) e consequentemente, houve recolhimento de imposto de renda e contribuição social no primeiro semestre de 2013. A demonstração do imposto de renda e da contribuição social corrente incidente sobre as operações de 30 de junho de 2013 e 2012 são assim apresentadas: 2013 2012 Resultado antes do imposto de renda e contribuição social e após as participações (60) 711 Adições (exclusões): 749 (76) Brindes – 1 Equivalência patrimonial (11) (139) Provisão para passivos contingentes 740 – Outras 12 62 Base de cálculo antes das compensações de prejuízo fiscal 681 635 Prejuízo fiscal compensado até a competência (204) (190) Base de cálculo após as compensações de prejuízo fiscal. 477 445 Imposto de renda total 107 99 Imposto de renda 15% 71 67 Adicional de Imposto de renda 10% 36 32 Contribuição social sobre o lucro líquido 15% 72 67 Total Imposto de renda e Contribuição social 179 166 Devido a Corretora não estar enquadrada nas situações previstas na regulamentação vigente para registro de imposto de renda e contribuição social diferidos (Resolução nº 3.059/02), não foram constituídos imposto de renda e contribuição social diferidos ativos sobre prejuízo fiscal, base negativa de contribuição social e diferenças temporárias. 18. Transações com partes relacionadas: a) Principais saldos e resultados de transações com partes relacionadas: As transações com partes relacionadas foram efetuadas em condições pactuadas entre as partes (prazos de vencimento e taxas de remuneração), e os saldos são assim resumidos: 2013 2012 Ativo/ Receita/ Ativo/ Receita/ (passivo) (despesa) (passivo) (despesa) Disponibilidades 10 – 1 – Banco Petra S.A. 10 – 1 – Devedores diversos – – 342 – Petra Asset Gestão Inv. Ltda. – – 342 – Credores diversos (49) (300) (134) (223) Holding Petra S.A. (*) (49) (300) (134) (223) (*) Representado pelo ressarcimento de custos e despesas por uso compartilhado de infraestrutura administrativa para a Holding Petra S.A. A partir de 1 de abril de 2011, o critério de rateio foi alterado conforme aditamento assinado entre todas as partes (Holding, Banco e Corretora), passando a Corretora a ressarcir a Holding, na proporção de 10% das despesas. Para apurar o percentual, levou-se em consideração a proporção dos patrimônios líquidos das empresas do grupo para as quais a Holding Petra S.A. presta serviço. b) Remuneração da administração: Os benefícios de curto prazo são compostos pela remuneração fixa do exercício, bem como pela remuneração variável, provisionada no ano base e paga no ano corrente, e totalizaram no primeiro semestre de 2013 R$169 (R$ 176 em 2011). 19. Instrumentos financeiros derivativos: Durante o 1º Semestre de 2013 e 2012, a Corretora não realizou operações com instrumentos financeiros derivativos. 20. Gerenciamento de risco e índice de Basileia: Os instrumentos de Governança Corporativa do Conglomerado incluem estrutura de controles internos revisadas periodicamente com vistas à manutenção de um adequado acompanhamento de riscos operacionais, de crédito, de mercado e de liquidez. A metodologia de gerenciamento de riscos no Conglomerado observa as orientações do Comitê de Basileia e as exigências do Acordo de Basileia II, priorizando a identificação dos possíveis riscos existentes nos diversos processos da Instituição, a implementação e acompanhamento de indicadores-chave e de mecanismos de mitigação dos riscos identificados. a) Risco operacional: Em consonância com a Resolução CMN nº 3.380/2006 o risco operacional é atribuído a eventuais perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas ou de eventos externos. O Conglomerado definiu sua política institucional, os processos, os procedimentos e os sistemas necessários à implementação da estrutura de gerenciamento de risco operacional e adotou a metodologia do Indicador Básico, com o objetivo de apurar a parcela de capital para cobertura do Risco Operacional, conforme estabelecido pela Circular nº 3.383/2008 e Comunicado nº 16.913/2008 do Banco Central do Brasil. b) Risco de mercado: O risco de mercado existe devido a oscilações de mercado que podem acarretar perdas para o Conglomerado. Estas oscilações podem ocorrer nos preços de ativos e passivos financeiros ou em variáveis determinantes desses, como por exemplo, taxa de juros, taxas de câmbio, índices de preços e outros. O Conglomerado monitora o risco de mercado por meio de um sistema que utiliza metodologias estatísticas a cerca da base histórica, dentre estas o Valor em Risco (VAR), e, se necessário, testes de sensibilidade, quais buscam simular e determinar os níveis máximos de perda esperada, em um determinado período de tempo, com certo grau de confiabilidade, tanto em condições normais de mercado quanto em cenários de estresse e volatilidade. c) Risco de liquidez: O risco de liquidez relaciona-se com a incapacidade de atendimento das necessidades de caixa, ou seja, à ocorrência de descasamentos nos fluxos financeiros entre operações ativas e passivas e os reflexos decorrentes sobre a capacidade de obtenção de recursos financeiros pela instituição para o exercício de suas obrigações. O acompanhamento do risco de liquidez é realizado a partir da volatilidade observada em taxas de juro, moedas e índices de ações; dos fluxos de caixa previstos, dos saldos globais de ativos e passivos. d) Risco de crédito: O risco de crédito atualmente é considerado imaterial devido ao início recente das atividades junto ao mercado, porém, as informações são gerenciadas por um sistema interno, o qual possui classificações de risco em conformidade com os parâmetros estabelecidos na Resolução nº 2.682/1999 do Conselho Monetário Nacional. Neste intuito são utilizados instrumentos como a política de crédito e classificação de risco. e) Gerenciamento de capital: O processo de gerenciamento de capital é realizado de forma a proporcionar condições para o alcance dos objetivos estratégicos da Organização, levando em consideração o ambiente econômico e comercial onde atua. Este processo é compatível com a natureza das operações, complexidade dos produtos e serviços e com a dimensão da exposição a riscos da Organização. Sob a ótica do Bacen, as instituições financeiras devem manter, permanentemente, capital (Patrimônio de Referência) compatível com os riscos de suas atividades, representado pelo Patrimônio de Referência Exigido (PRE). O PRE é calculado considerando, no mínimo, a soma das parcelas de risco de crédito, risco de mercado e risco operacional. O processo de adequação do Patrimônio de Referência visa assegurar que a Organização mantenha uma sólida base de capital para apoiar o desenvolvimento das atividades e fazer face aos riscos incorridos, seja em situações normais ou em condições extremas de mercado, além de atender aos requerimentos regulatórios de capital. f) Limites operacionais - Acordo de Basileia: As diretrizes vigentes (Resoluções CMN nº 3.444/2007 e nº 3.490/1997 respectivamente) mantiveram um indicador de alocação de capital mínimo de 11%, que é a relação entre o Patrimônio Líquido de Referência (PR) de uma instituição financeira e o total de riscos assumidos em suas operações ativas, incluindo as garantias prestadas, riscos de mercado e riscos operacionais. O Banco mantém patrimônio líquido compatível com o grau de risco da estrutura de seus ativos calculado de forma consolidada com a Corretora, que constituem o Conglomerado Financeiro nos termos da Resolução CMN nº 2.099/1994 e normas posteriores. Em 30 de junho de 2013, o índice de adequação de capital (Índice Basileia) do Conglomerado foi de 57,83%. Enquanto o Patrimônio de Referência (PR) foi de R$ 12.398 e o Patrimônio de Referência Exigido (PRE) que representa o consolidado de todas as exposições a risco, com índice de alocação de 11% foi de R$ 2.358. Contadora Adriana Brusnicki - CRC 059398/O-7 PR contendo parágrafo de ênfase semelhante ao mencionado acima e também as seguintes ressalvas, que não são mais aplicáveis, pois as ações corretivas já foram realizadas sem gerar impacto sobre as demonstrações contábeis do semestre findo em 30 de junho de 2013: (a) Em 30 de junho de 2012, a Corretora possuía registrado no ativo circulante valores a receber no montante de R$ 222 mil, apresentados na rubrica “Pagamentos a ressarcir”, para os quais não foram apresentadas as evidências de auditoria suficientes sobre a existência e realização desses valores. Consequentemente, para 30 de junho de 2012, não foi possível concluir sobre a adequação do valor acima mencionado. (b) Em 30 de junho de 2012, a Corretora possuía registrado no ativo não circulante saldo de investimento de R$ 189 mil e resultado positivo de participação em coligada no semestre de R$ 139 mil, referentes a participação societária na empresa Fiere - Gestão de Recursos de Terceiros Ltda., para os quais não foram apresentadas evidências suficientes que permitissem concluir sobre a adequação desses valores. São Paulo, 23 de agosto de 2013. Ana Cristina Linhares Areosa - Contadora CRC RJ-081.409/O-3 “S” - PR; Grant Thornton Auditores Independentes - CRC 2SP-025.583/O-PR.


Nacional

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. B3

Estudo

Opinião

População brasileira cresce 0,9% entre 2012 e 2013

Refém da Selic Nos últimos meses, a cada reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, tem sido preocupante constatar que o governo, em decorrência de equívocos na política econômica, vai se tornando refém da Selic como mecanismo de controle da inflação. De fato, no presente cenário, parece não haver outro recurso para conter a alta generalizada dos preços senão o aumento da taxa básica de juros, por mais prejudicial que a medida possa ser para outros indicadores, em especial o crescimento do PIB.

Segundo o estudo do IBGE, o Brasil tem, neste ano, 201,03 milhões de habitantes

Marcelo Camargo/ABr

A

população brasileira cresceu 0,9%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste ano, o Brasil tem 201,03 milhões, ou seja, 1,79 milhão a mais do que no ano passado (199,24 milhões). O crescimento é menor do que o observado entre 2011 e 2012, que havia sido 0,93%. Segundo o pesquisador do IBGE Gabriel Borges, a tendência é que o ritmo de crescimento da população caia até 2042, ano em que a população brasileira para de crescer. “A população vai crescendo, cada vez menos, até 2042, quando começa a diminuir”, disse ele. Em 2042, a população brasileira atingirá seu tamanho máximo, de 228,4 milhões. A redução do ritmo de crescimento nos próximos 30 anos e a queda da população a partir daí são reflexos principalmente da queda de taxa de fecundidade. Se hoje a média de filhos por mulher é 1,77, em 2030 será 1,5. A queda da taxa de fecundidade, aliada ao aumento da expectativa de vida da população provoca o envelhecimento da população. Segundo a presidenta do IBGE, Wasmália Bivar, a mudança do perfil da população brasileira de uma nação jovem para um país de idosos é um desafio para o governo e a sociedade.

Em 2042, a população brasileira atingirá seu tamanho máximo, de 228,4 milhões

O estudo Projeção da População do Brasil por Sexo e Idade para o Período 2000/2060 e Projeção da População das Unidades da Federação por Sexo e Idade para o período 2000/2030 também mostra que a taxa de mortalidade infantil cairá de 17,2 por mil nascidos vivos para 11,6 em 2020 e 9 em 2030. Em 2060, a taxa chegará a 7,1 por mil. Segundo o levantamento, São

Paulo é o estado brasileiro mais populoso (com 43,66 milhões de habitantes) e Roraima o estado com menor população (com 488 mil habitantes). As disparidades entre os estados não se mostram apenas no contingente populacional. As expectativas de vida ao nascer em Santa Catarina, por exemplo, serão 80,2 em 2020 e 82,3 em 2030. Por outro

lado, no Piauí serão 71,8 em 2020 e 73,4 em 2030. Segundo o IBGE, esta é a primeira projeção populacional calculada a partir do Censo Demográfico de 2010. Até o ano passado, o instituto utilizava estimativas matemáticas. Por isso, houve revisão da população de 2000 a 2012. A população de 2012, por exemplo, foi corrigida de 193,9 milhões para 199,2 milhões.

RN), determinou a convocação do suplente imediato para assumir o mandato parlamentar pelo tempo que durar o impedimento do titular. “Uma vez que, em razão do cumprimento de pena em regime fechado, o deputado Natan Donadon encontra-se impossibilitado de desempenhar suas funções, considero-o afastado do exercício do mandato”, disse Alves. Foram 233 votos a favor do parecer do relator, Sergio Sveiter (PSD-RJ), 131 votos contra e 41 abstenções.

Para que Donandon perdesse o mandato, o parecer de Sveiter precisaria de, no mínimo, 257 votos. Faltaram 24 votos para que o deputado fosse cassado e perdesse o mandato parlamentar. Ele justificou a convocação do suplente dizendo que a representação da Câmara não pode ficar desfalcada indefinidamente, assim como a sociedade e o estado de Rondônia não podem ficar privados de um de seus representantes. Rondônia tem oito deputados federais.

Donadon foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a mais de 13 anos de prisão pelos crimes de peculato e formação de quadrilha. A condenação foi pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia à época em que ele era diretor financeiro da Casa. No início de julho, Donadon deixou de receber o salário de deputado e os funcionários do seu gabinete foram demitidos. Natan Donadon acompanhou toda a votação do processo sentado no plenário ao lado dos parentes.

Segundo OMS, população brasileira tem 12% de fumantes

Governo propõe salário mínimo de R$ 722,90

De acordo com o Ministério da Saúde, 24.515 equipes de 4.371 municípios brasileiros estão inscritas no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), que inclui o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT). A meta do governo é reduzir de 15% para 9% a proporção de fumantes na população adulta até 2022. O tratamento contra o vício do serviço público inclui apoio psicológico, medicamentos (entre adesivos, pastilhas, gomas de mascar e o antidepressivo bupropiona), atendimentos educativos e terapêuticos. Segundo Meirelles, deixar de fumar é difícil, mas o acompanhamento de profissionais pode tornar o processo mais confortável. O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde

O novo valor do salário mínimo deverá ser R$ 722,90. O anúncio foi feito há pouco pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Ela esteve no Congresso para entregar ao presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), a peça orçamentária de 2014. O texto deve ser votado pela Câmara e pelo Senado até o fim do ano. O reajuste passa a valer em 1º de janeiro de 2014. O valor atual do mínimo é R$ 678.

Marcello Casal Jr/ABr

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável

(OMS) a principal causa de morte evitável. Além disso, cerca de 1,2 bilhão de pessoas são fumantes. Segundo pesquisa da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), entre 1989 e 2010 um em

cada três brasileiros deixou de fumar devido à entrada em vigor das medidas que restringiram a propaganda de cigarros na televisão e em veículos de comunicação de massa.

Orçamento prevê saúde como o ministério com mais dinheiro em 2014 No Orçamento previsto para 2014, a pasta da Saúde será novamente a que vai receber mais dinheiro (R$ 80,65 bilhões), a exemplo do orçamento para 2013, quando a previsão orçamentária foi R$ 76,67 bilhões. Graças ao Programa Mais Médicos e a outros projetos do Ministério da Saúde, será também a pasta que receberá o maior aumento (mais R$ 3,97 bilhões). Os gastos com conclusão de

Ao insistir em erros como não reduzir os gastos públicos, segurar indefinidamente os reajustes da gasolina e outros combustíveis, que deverão ter aumento abrupto até o final do ano, e atuar timidamente no resgate da competitividade da indústria, mitigando a entrada de dólares das exportações de manufaturados, o governo tornou-se dependente dos juros. Não lhe resta outro mecanismo, a não ser o aumento da taxa básica, para conter o dragão da maldade da inflação. É um amargo remédio para tratar as feridas abertas pelos vários tiros no pé que a política econômica vem disparando. Para se conter a inflação, o mais urgente seria resgatar a competitividade da indústria, pois a forte pressão sobre os preços resulta de demanda aquecida. Estamos pagando em dólar por boa parte dos manufaturados que compramos no varejo, que são importados. Nosso consumo segue aquecido, mas cada vez mais abastecido por produtos fabricados no Exterior. Os ônus do Custo Brasil, impostos exagerados, burocracia e distorções como o crescimento dos salários descolado da produtividade continuam inviabilizando nossa indústria na competição com empresas concorrentes de países nos quais os custos para produzir são menores.

Amir Lando assume vaga de Natan Donadon na Câmara dos Deputados A Câmara dos Deputados deu posse, há pouco, ao ex-senador Amir Lando (PMDB-RO), que ficou com a vaga do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), que está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, desde o dia 28 de junho. Na noite de quarta-feira (28), o plenário não conseguiu os votos suficientes para cassar o mandato de Donadon. Após Donadon ser absolvido pelo plenário e retornar à penitenciária, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-

coluna@induscom.com.br

projetos para a Copa de 2014 e as economias feitas com custeio administrativo implicam redução de R$ 866,6 milhões nas despesas do Poder Executivo, previstas no orçamento de 2014. Os valores apresentados não consideram obras vinculadas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As despesas com a conclusão de projetos ligados à Copa serão menores em R$ 276,7 milhões, na comparação com o projeto de lei

orçamentária anual de 2013. No Ministério do Turismo, a redução será R$ 123,5 milhões; e no do Esporte, R$ 153,2 milhões. A pasta com maior alta foi a da Saúde, com uma variação positiva de quase R$ 4 bilhões, passando dos R$ 76,67 bilhões para R$ 80,65 bilhões. “O aumento está relacionado ao Programa Mais Médicos e, também, a uma série de ampliações propostas pelo ministro Alexandre Padilha”, disse a ministra.

ANTT anuncia publicação do edital de concessão da BR-101 A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou ontem (29), a publicação do edital de concessão que define as regras para a licitação da BR-101. Por meio de leilão será decidido qual empresa terá concessão para explorar por 30 anos a infraestrutura da rodovia, além de prestar serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade. Localizado na Bahia, o trecho tem extensão de 772,3 quilômetros, vai do entroncamento da BR–101 com a BR–324, próximo a Feira de Santana, até o entroncamento com a BA-698, em Mucuri.

O ideal, neste momento, seria um choque de competitividade, o que incluiria carrear recursos do custeio para investimentos públicos produtivos, aumentar o superávit primário e desonerar de modo equilibrado toda a produção industrial, com estímulos para todos os segmentos e não apenas alguns. Para isso, é necessário ampliar a desoneração da folha de pagamentos e a redução de impostos para mais setores industriais, em especial aqueles cujos produtos têm peso significativo no orçamento das famílias e na composição do IPCA. Exemplos são os livros e embalagens de alimentos e medicamentos, que são essenciais. Chegamos ao cúmulo de assistir a centenas de toneladas de livros brasileiros sendo impressos na China. Estamos falando de produtos impressos que poderiam muito bem ser supridos pelo parque gráfico nacional, constituído por 20 mil empresas que empregam cerca de 230 mil trabalhadores. Com uma estratégia mais eficaz para resgatar a competitividade, economia de recursos e melhor gestão fiscal, seriam criadas condições para que a Selic estivesse em patamares bem mais baixos. No entanto, ao negligenciar medidas dessa natureza, há tempos reclamadas pela sociedade, o governo precisa recorrer à velha fórmula do juro alto para impedir o mal maior da inflação. *Fabio Arruda Mortara é empresário e presidente da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF Nacional) e do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (SINDIGRAF)

Shopping Center incentiva troca de minutos com o cigarro por diversão O ato de fumar rouba um tempo precioso do dia. O fumante gasta seis minutos do seu tempo a cada cigarro fumado. O que você poderia fazer caso aproveitasse esse tempo de outra forma? O Palladium Shopping Center mostra alguns exemplos, ontem (29) e hoje (30). O shopping promove a segunda edição da campanha antitabagismo, por meio do conversor antitabaco, em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Fumo. Para marcar a ocasião, o Palladium promoverá uma série de ações e, também, promoções para os participantes empenhados em trocar seus cigarros por atitudes mais saudáveis. Em todo o shopping haverá totens que farão a conversão alertando sobre investimento de tempo perdido com o cigarro, bem como cartazes informativos e ilustrativos da campanha. As promotoras estarão das 12h às 20h, 29 e 30/8, interagindo com o público e incentivando a troca do hábito de fumar por investimentos mais saudáveis,

como pedalar ou ir ao cinema. O shopping fará diversas intervenções, por meio das promotoras e lojas participantes, em que os clientes terão a oportunidade de efetuar as trocas de seus cigarros por atividades mais saudáveis, como pedalar, e mais educativas, como ler um livro. O IMAX Palladium também abraçou a causa e disponibilizará 400 ingressos para os participantes da campanha. Para participar, basta trocar uma carteira de cigarro por um ingresso, na bilheteria do cinema. Os 20 cigarros de uma carteira, equivale ao tempo de um excelente filme na supertela IMAX. Os cigarros arrecadados durante a campanha serão destinados à destruição. Essa é a segunda vez que o Palladium se mobiliza para incentivar a população em relação a troca de investimentos que o cliente pode fazer em troca do cigarro. O evento teve início no dia 29 de agosto, escolhido para marcar o Dia Nacional de Combate ao Fumo.


Diário Indústria&Comércio

3

Curitiba, sexta-feira a domingo, 30 de agosto a 1º de setembro de 2013 | Pág. B4

Nem te Conto Mistifórios e Janela Verde

Adélia Maria Lopes

a

margem arte&atitude

moda&cia

adeliamarialopes@yahoo.com.br

Viagem ao coração de Curitiba V

Aquarelas, óleo e guache compõem as mostras Mistifórios Urbanos, de Francis Rodrigues, e Uma Grande Janela Verde, de Luciana Silveira, com vernissage nesta sexta-feira 30, às 18h, no Museu Alfredo Andersen. Visitação até 29 de setembro, com entrada gratuita. Francis Rodrigues abstrai o caos das cidades, enquanto Luciana propõe uma experiência de reapresentação do cotidiano.

One Direction

Quem quiser conferir o filme One Direction: This Is Us 3D, que estréia dia 6 próximo, pode compra ingressos antecipados. Em Curitiba, estão disponíveis nos cinemas, como o UCI Estação e Palladium. O documentário é sobre a banda britânica One Direction de apenas três anos, que mesmo sem ser vencedora já vendeu mais de 30 milhões de cópias.

Caleidoscópio

É do multiartista Yamba Daher a direção cênica do espetáculo Caleidoscópio, do grupo Papo Coral, e cartaz até domingo no Teatro Paiol. É o segundo trabalho que ele faz com o coral, que reúne participantes de seis a 19 anos de idade. A preparação deste espetáculo começou há um ano. O título do show remete à diversidade do repertório: músicas brasileiras (indígenas e MPB), portuguesas, japonesas e espanholas.

Pelos shoppings

ilma Slomp, nascida em Paranavaí e curitibana por amorosa adoção, lança o livro Curitiba Central, com 244 fotografias que flagram a mais democrática área da cidade, desde a década de 70 aos dias atuais. O lançamento acontece neste sábado 31, com bis da exposição realizada no Museu Oscar Niemeyer, em 2011, e na Galeria Funarte, em 1983, além de outras imagens inéditas, captadas há poucos meses. O álbum, de 384 páginas, é um luxo em preto e branco. Ao mesmo tempo lúdico: por não identificar as fotografias, apenas designar a rua, o leitor fica obrigado a fazer um exaustivo exercício de memória. Quem não conhece a cidade resta admirar o trabalho da fotógrafa, que ao final de 33 anos de clics pôde documentar as modificações que o centro de Curitiba sofreu - para o bem ou para o mal (necessário?). “Curitiba e eu crescemos e mudamos juntas. Registrei detalhes e construções importantes da história, como o Café Alvorada e o Museu Paranaense. O observador resgata nas fotografias o patrimônio urbano que remete

a diferentes épocas da nossa cultura e ajuda a entender a Curitiba do centro atual”, diz Vilma Slomp, que tomou por referência o anel central determinado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano, circundado pela Av. 7 de Setembro até a Augusto Stellfeld, e da Des. Motta até a Ubaldino do Amaral. Entre os textos do álbum, está o do pesquisador Rubens Fernandes Junior, que repara: “O ensaio traz alguns panoramas da região central de Curitiba, mas hoje é perceptível que a visão panorâmica não dá mais conta daquilo que é efetivamente a cidade. Antigamente, evidenciava os relevos, a sinuosidade dos rios, as torres das igrejas. Hoje, exibe um desenho recortado de volumes edificados que não dão conta de mostrar qualquer detalhe mais significativo da cidade”. A obra é enriquecida ainda com

textos do arquiteto Key Imaguire Jr, que tem o invejável título acadêmico de Doutor em História das Ideias, e do talentoso colega José Carlos Fernandes, professor de jornalismo da UFPR. Assinam o elegante projeto gráfico Vilma Slomp, Daniela Slomp Busarello e Rafael Slomp de Azevedo. Impressão: Posigraf, com patrocínio da Volvo/Lei Rouanet/MinC. Para seu trabalho, Vilma usou equipamentos analógicos e filmes

preto e branco, luzes naturais, além de um olhar nascido na alma. P.S: O fotógrafo Orlando Azevedo, marido de Vilma, é nascido em Portugal e realizou uma epopéia pelo coração do Brasil, que resultou também em magnífica exposição e edição de álbuns. Agende-se: sábado,dia 31, das 11 às 16h, no ateliê do casal (Rua Júlia Wanderley, 161, Mercês). Preço do exemplar: 190 reais.

Aluga-se Casa Selvática Neste sábado 31, Cris Carvalho e Banda levam pop rock, a partir das 17h, no Crystal Sessions traz mais uma programação musical especial para animar o Shopping Crystal.

Test drive

New Balance lança em Curitiba, neste sábado 31, o tênis 890v3, em treino de alta performance conduzido por Rafael Sodré e Sergio Dantas, atletas da marca e do Batalhão de Operações Policiais Especiais do Rio de Janeiro-Bope . A corrida terá início na Procorrer, na Vicente Machado, e seguirá até o Passeio Público. Ao longo do trajeto, os participantes serão surpreendidos com atividades programadas pela marca.

Comes&Bebes

1-A Fundação Francisco Bertoncello promove neste sábado 31, às 12h, no Clube Curitibano/Concórdia, a primeira edição do Feijão de Inverno. A refrigerante, água e cerveja, até às 16h, grátis. Som com as bandas Contradição, Coisa Fina e Tá Tudo Errado. São esperadas mil pessoas. E a renda vai para o Lar André Valério Correia. Vendas: 3315- 0808. - A nova feijoada do Bristol Portal do Iguaçu, estrelado hotel em São José dos Pinhais, é servida aos sábados, pela nova chefe de cozinha: Juliana Fagundes, que comandou um dos restaurantes Madero. Fone: (41) 3151-8700. - O Servire agora também entrega fondue de carne, camarão, carne ao vinho e queijo. Na versão doce, fondue de chocolate ao leite e de doce de leite, com morango, banana, uva, tubetes e marshmallow. Para entrega no mesmo dia, das 18 às 20h, o pedido deve ser efetuado às 13h pelo site www.servire.com.br. De terça-feira a domingo. - O Gardeno - Gastronomia Mediterrânea lança pacote para as mais variadas celebrações de pequeno porte. O cardápio é exclusivo e pode ser moldado de acordo com as necessidades do cliente. Capacidade para até 40 pessoas. (Fone 041. 3016-3044).

Demian Garcia

Professor de som para cinema na FAP e compositor de música de filmes, Demian Garcia fala sobre trilhas de produções francesas, nesta sexta dia 30, na Fnac/ParkShoppingBarigui, às 19h30. Maurice Jaubert (Atalante), Maurice Jarre (Lawrence da Arábia) e Alexandre Desplat (Harry Potter e As Relíquias da Morte; O Discurso do Rei) serão ilustrados com trechos de filme que serão projetados. (Realização Aliança Francesa, entrada franca).

Fotografando

O starshop, curso com duração de três horas, acontecerá de 13 a 15 de setembro, com os fotógrafos Daniel Sorrentino e Demmis Nielsen na Casa Rosa Estúdio. Cada aluno montará a grade de interesse para fotografar, entre gastronomia, moda, book, externas, pet, bebês, trash the dress (noivas destruindo o vestido durante sessão de fotos), flash, maquiagem para fotografia, introdução ao lightroom e photoshop. O valor é de 150 reais até esta sexta dia 30. Inscrições: www. clix.fot.br/startshop.

O grupo Aluga-se, de São Paulo, e o espaço cultural Casa Selvática, de Curitiba, realizam exposição que abre neste domingo. Aluga-se Casa Selvática é resultado de um período de convivência entre os artistas Ana Zveibil, Duda Oliveira, Evandro Prado, Giba Gomes, Renata Cruz e Yara Dewachter e cinco “residentes”: a bailarina Mari Paula, a atriz Leonarda Glück, a multiartista Tamíris Spinelli, o artista Ricardo Nolasco e a atriz Danielle Campos, além do artista potiguar convidado Jota Mombaça. Durante o período de exposição os artistas vão desenvolver performances que dialogam seus trabalhos pessoais com as obras expostas. Os dois grupos que têm muitas afinidades. O Aluga-se é movido pela busca de espaços de arte: são artistas que se reuniram pela primeira vez para ocupar uma casa em São Paulo com seus trabalhos artísticos. Desde então, a ideia de criar situações para a arte, se ampliou e ramificou.

A Casa Selvática, instalada há um ano, visa o intercâmbio artístico. Hoje reúne mais de vinte artistas que compartilham seus processos criativos e desenvolvem projetos

investigativos de novas linguagens para teatro, dança, literatura, artes visuais e performáticas. Visite: Rua Nunes Machado, 950. Vernissage neste domingo

dia 1º, às 18. Exposição até 15 de setembro, quartas, quintas e sextas das 15 às 19h. Sábados e domingos das 18 às 21h.Entrada franca.

Um dia de domingo no museu O Museu Oscar Niemeyer realiza neste domingo, o 1º de setembro, o projeto Domingo + Arte, com entrada gratuita. Boa oportunidade para acompanhar exposição e eventos da Bienal Internacional de Curitiba, que completa vinte anos. Efigênia Rolim, um dos destaques brasileiros da mostra, e o Grupo de Canto da UFPR se apresentam às 11h, no Chão de Vidro. Duas outras performances estão previstas com artistas da Bienal:

às 16h30, Pinhão, com Joseph Ravens, na Rampa Caracol, e às 17h, o sueco Erik Bünger em The girl who never was, no Miniauditório do Subsolo. A artista Denise Roman realizará oficinas artísticas com o tema Iniciação à gravura, às 14h, 15h15 e 16h30, no espaço da Ação Educativa. Às 15h, haverá visita com o crítico Fernando Bini pela exposição de Violeta Franco. E a G2 CIA de Dança apresenta o espetáculo Banquete das

Cartola vai à Cena HQ A atração da Cena HQ, na próxima quarta-feira, é o quadrinho Km Blues, de Daniel Esteves, que será lido por Márcio Mattana, Octavio Camargo, Lilyan de Souza e Jossane Ferraz, com direção cênica de Renato Sbardelotto. O evento é da Vigor Mortis em parceria com a Quadrinhofilia. Km Blues é centrada em Flávio, recém-divorciado em viagem, a procura de respostas que possam ajudá-lo nesse novo momento de vida. Em seu percurso, ele encontra o músico carioca, Cartola, sambista já falecido, que abre um desvio nessa trama de road movie.

O texto de Daniel Esteves recebe traço de Wanderson de Souza, cores de Wagner de Souza e prefácio de Laudo Ferreira. A publicação foi lançada em dezembro de 2012, pelo selo HQemFoco. Em Cena HQ, cada leitura é seguida de um debate entre o encenador e o autor da obra. A curadoria de José Aguiar e de Paulo Biscaia Filho. Confira: Teatro da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280), na quarta dia 4, às 20h. Ingressos: um livro. Não recomendado para menores de 14 anos

diferenças, às 15h30, no Chão de Vidro. O centro de Documentação e Referência do museu também funcionará neste domingo. O espaço possui cinco mil publicações e 1.300 periódicos para consultas sobre artes visuais, design, arquitetura e urbanismo. Atenção: os ingressos precisam ser retirados gratuitamente na bilheteria do MON até as 17h30. Abre das 10 às 18h.


Diário Indústria & Comércio 30 08 2013  

jornal, economia, curitiba, parana, brasil, negocios, bovespa, financas, aroldo mura, pedro washington, ayrton baptista, eliseu tisato, rol...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you