Issuu on Google+

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Ano XXXVi | Edição nº 8894 | R$ 1,50

Indústria&Comércio DIÁRIO

INFORMAÇÃO. conhecimento. inteligência. DESDE 1976.

Aroldo Murá Lançamento do Vozes do Paraná 5 Confira mais imagens da grande noite de lançamento do Vozes do Paraná 5, livro de Aroldo Murá G.Haygert. No casarão histórico de Casillo Advogados, em Curitiba, segunda-feira, dia 17. Página a10

Pedro Washington Vontade política

Um artigo do senador Cristovam Buarque, um solitário batalhador pela Educação, faz uma comparação do que se poderia obter positivamente com o bilhão e meio de dinheiro público colocado no Mane Garrincha em Brasília. Página | A2

Dólar fecha em queda pela primeira vez em cinco dias Em um dia marcado por intervenções do Banco Central (BC), a moeda norte-americana fechou em queda pela primeira vez em cinco dias. O dólar comercial encerrou a sexta-feira (21/06) em R$ 2,2445 para venda, queda de 0,6%. O câmbio vinha operando em alta até o início da tarde.

INDICADORES FINANCEIROS

A agropecuária, os serviços e a indústria foram os setores com os melhores resultados - abertura de 33,8 mil, 21,1 mil e 15,7 mil postos, respectivamente

Emprego com carteira assinada cresce menos pelo 2º mês seguido Pior desempenho foi registrado na construção civil, com o fechamento de mais de 1,8 mil postos página a3

MERCADO À VISTA Maiores altas

COTAÇÃO

INEPAR TEL ON FISET PESCA CI FINOR CI * M G POLIEST ON CEEE-GT PN N1

Maiores QUEDAS

0,04 0,24 0,24 0,08 1,88

COTAÇÃO

FISET TUR CI MENDES JR PNB TRIUNFO PART DO 11,00 COPEL ON N1 COPEL PNB N1

0,35 16,40 0,07 20,60 26,15

IBOVESPA Maiores altas*

COTAÇÃO

BR PROPERT ON NM CIELO ON NM SUZANO PAPEL PNA N1 NATURA ON NM SOUZA CRUZ ON

Maiores QUEDAS

18,00 53,16 8,10 47,59 26,40

Curitiba: Contratos com empresas de transporte estão na internet

PR anuncia início das obras da CADERNO SEMANAL Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu finanças & NEGÓCIOS Arnaldo Alves / ANPr

COTAÇÃO

COPEL PNB N1 LLX LOG ON NM MMX MINER ON NM OI PN N1 OI ON N1

26,11 1,02 1,27 3,56 3,85

Compra

Venda

Dólar turismo 2,3000

2,3800

Dólar comercial 2,2438

2,2445

Dólar paralelo 2,0900

2,2000

Euro

2,9472

2,9437

Ouro (Grama/R$): 93,00

Solange Ribeiro, diretora da Neoenergia, no anúncio da construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu página a2

Editorial

Operadoras de internet cumprem seu dever

F

elizmente houve um avanço na prestação do serviço de internet fixa em algumas regiões do país. De acordo com a segunda avaliação sobre a qualidade da banda larga fixa no país, as operadoras dos estados de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Paraná cumpriram as metas de velocidade estipuladas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A

s regras mínimas de velocidade para as operadoras de internet fixa valem desde outubro do ano passado, e os percentuais devem aumentar a cada ano. Em novembro, a velocidade instantânea passará para 30% e a média para 70% da velocidade anunciada. O fato deve ser comemorado. Porém, o consumidor não pode desistir de cobrar um serviço mais eficiente, pois ainda há muito que pode ser melhorado.

Editais na página a7

CMYK

representadas pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Setcepar) que completa neste mês 70 anos de atividades. págna a5

internet móvel Curitiba já tem o 4G da Telefônica Vivo

Acesse a edição digital

www.icnews.com.br

Infraestrutura ruim e pedágio caro desafiam transporte de cargas Pedágio caro, infraestrutura ruim, burocracia, legislação omissa e confusa, roubo de cargas e agora a crise na economia. Estes são os principais problemas enfrentados pelas transportadoras de cargas,

CÂMBIO Moeda

curitiba | a2

A Telefônica Vivo oferece, desde sexta-feira (21), conexão 4G em Curitiba. O lançamento da tecnologia em trinta bairros da capital paranaense ocorreu com antece-

dência de seis meses em relação ao prazo definido pela Anatel – até 31 de dezembro de 2013 Página a9

Joaquim Severino

Roseli Abrão Seria a saída?

O senador Cristovam Buarque, do PDT do Distrito Federal, defendeu, nesta sexta-feira no plenário do Senado, a realização de uma reforma política e o fim dos partidos como resposta aos anseios dos manifestantes pelo país.

O CULPADO É O CONVENIO

A burocracia não é para ser considerada limitante de ações, mas sim para assegurar que as ações se pautem pela legalidade. Os convênios se converteram em expedientes alienantes da livre concorrência.

Página | A3

Central de Atendimento: 41 3333.9800

e-mail: pauta@induscom.com.br

Página | b7


CURITIBA

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A2

Previsão do tempo

Mín.: 12° | Máx.: 18°

O tempo continua estável em todas as regiões do estado do Paraná durante a segunda-feira. Um nova massa de ar frio ingressa na Região Sul e o frio continua nos três estados. Como o ar que predomina é seco, o tempo fica com predomínio de sol desde as primeiras horas do dia. fonte: www.simepar.br

Energia

PR anuncia início das obras da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu Foto: Arnaldo Alves / ANPr

O investimento é de R$ 1,6 bi, com participação de 30% da Copel e o restante da Neonergia

prpress@terra.com.br

PanoramaPolítico Vontade política

Um artigo do senador Cristovam Buarque, um solitário batalhador pela Educação (assim mesmo com E maiúsculo) neste Brasil, a exemplo do que fazia o Álvaro Vale, fundador do Partido Liberal quando vivo, faz uma comparação do que se poderia obter positivamente com o bilhão e meio (provavelmente até mais um pouco) de dinheiro público colocado no Mane Garrincha em Brasília, cidade sem times que justifiquem um estádio para 71 mil pessoas. Infelizmente a coluna não teve acesso aos dados que mostravam os valores expostos por Buarque, que acompanhariam a formação de 6.8 mil engenheiros, desde o fundamental, em escolas da alta qualificação, com professores que receberiam até R$ 9 mil por mês. Claro que com essa valorização, uma profissão mais disputada, não dependendo apenas dos heróis que teimam em alfabetizar boa parte deste país, com salários aviltados. O que impressiona é ouvir hoje as explicações de prefeitos e governadores, para não subir até Brasília, justificando a “impossibilidade de se retirar vinte centavos da passagem no transporte coletivo, sem prejuízo de outros programas nas áreas de saúde e educação”, quando foi desnudado para uma população atônita que, aproximadamente R$ 7 bilhões foram torrados para abrigar duas Copas que, a julgar por esta, faça-me o favor! Ainda há previsão de mais quase 10% de acréscimo nesses custos. O colunista nega-se a pensar a reação que haverá, se o Brasil não ganhar esta, que de importante, só apresentou o crescente futebol do Japão e o velho conhecido da Espanha. Pior ainda se derrotado como em 1950, em casa, na Copa do Mundo. A situação atual mostra que, o que falta neste país é vontade política de mudar as prioridades. Dinheiro existe, mais das vezes mal aplicado! Como agora!

Sem resposta

A pergunta que não cala e que evidentemente não tem que ser feita ao prefeito Gustavo Fruet, que hoje tenta justificar a dificuldade para bancar o recuo de vinte centavos na passagem do, hoje, mau transporte coletivo que serve o povão: quanto, ao final, a Prefeitura colocou em potencial construtivo na Arena da Baixada? Certamente bem mais que o faltante para subsidiar o transporte coletivo!

Amém

Pior: quando o assunto estava sendo discutido, o titular daquele clube (do qual o colunista é torcedor), com a arrogância que lhe é habitual, ainda fazia ameaças. “Ou fazem como eu quero, ou não aceito as condições do governador e do prefeito”, só faltou dizer. Como aconteceu com Lula e Dilma, em relação à Fifa, por aqui também se baixou a cabeça. Nem questionaram as decisões “nepotistas” sobre o fornecimento de materiais. Inclusive uma CPI na Assembleia, disse amém!

Ideia viável

Uma sugestão do advogado Carlos Fernando Ross no Face, lembrando um comportamento adotado na Argentina, quando agitadores infiltrados partiam para a baderna, em manifestações pacíficas: os bem intencionados sentavam-se no chão. Os “cara encoberta” ficavam visíveis, facilitando a intervenção da polícia. Ideia a ser adotada em próximas manifestações.

Frustração

O que se temia pode acontecer: os principais líderes do movimento pela redução do preço nas passagens do transporte coletivo, satisfeitos com o resultado já obtido, anunciam que não mais convocarão passeatas. Não estariam dispostos a lutar pelas outras causas, até mais importantes que uma simples vitória de “vinte centavos”. O Brasil aparentemente desperto não pode se resumir a isso. Se acontecer a vitória será dos governos e do “status quo”!

Em choque

O “velho esquerdista” Rui Falcão, presidente do PT, sem perceber a dimensão do movimento apartidário que se articulou pelo país afora, perdeu ótima oportunidade de ficar calado. Ao convocar os petistas para participar das manifestações, quando portadores de bandeiras do PSTU já tinham sido escorraçados, cometeu uma imprudência que, pelo menos em São Paulo terminou em reação e pancadaria. O mesmo aconteceu com sindicalistas. EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

Evento em Capanema para anuncio da construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu

O

Governo do Paraná, a Neoenergia e a Copel anunciaram na sexta-feira (21) o início das obras da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, no Rio Iguaçu, entre Capanema e Capitão Leônidas Marques, no Sudoeste do Estado. O investimento é de R$ 1,6 bilhão, com participação de 30% da Companhia Paranaense de Energia (Copel) e o restante da Neonergia. A usina terá capacidade de 350 megawatts, suficiente para atender 1 milhão de pessoas. As obras devem começar até julho e vão criar mais de 2.500 empregos diretos. “O empreendimento é dos mais significativos, diante do crescente consumo de energia no Brasil”, disse o diretor de meio ambiente e cidadania empresarial da Copel, Jonel Iurk, na solenidade de anúncio das obras, realizada no Centro de Exposições de Capanema. O diretor da Copel citou a expansão do setor industrial do Paraná, com a instalação de novas indústrias e ampliação de plantas

já existentes. “Neste quadro de crescimento e desenvolvimento, a Usina Baixo Iguaçu é importante para ampliar a oferta de energia para o Estado e para o país”, disse Iurk. O anúncio do início das obras teve a presença, também, do diretor de Geração, Transmissão e Telecomunicações da Copel, Jaime de Oliveira Kuhn; do diretor de Engenharia, Jorge Andriguetto Jr, e do diretor jurídico, Julio Jacob Jr. O reflexo da Usina Baixo Iguaçu na região foi enfatizado pela diretora-presidente da Neoenergia, Solange Ribeiro. “O empreendimento significa progresso, movimento na economia e desenvolvimento”, disse ela. Solange Ribeiro destacou a parceria com a Copel no empreendimento. “A Copel é uma grande empresa e segura para investimentos”, afirmou ela. Os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques, que terão áreas abrangidas na construção da usina, serão diretamente beneficiados com o aumento na

arrecadação de impostos e geração de empregos. Além disso, quando começar a produzir energia, a Usina Baixo Iguaçu vai pagar uma compensação financeira pelo uso dos recursos hídricos, aumentando a receita das prefeituras. “É a maior obra da história do nosso município, era aguardada há mais de dez anos e agora se torna realidade graças ao Governo do Estado”, afirmou a prefeita de Capanema, Lindamir Denardin. “A construção da usina vai criar empregos e ajudar muito o desenvolvimento da nossa região”, afirmou. Além de integrar a diretoria do consórcio a ser formado entre as empresas, a Copel assumirá as atividades de engenharia do proprietário e será responsável por monitorar a execução da obra e o cumprimento de cronogramas, controlar os contratos com fornecedores, avaliar do ponto de vista técnico o projeto civil da Usina, acompanhar a fabricação e montagem de equipamentos, entre outras

Ipem fiscaliza produtos mais consumidos em festas juninas O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem), vinculado à Secretaria de Estado da Indústria e Comércio, encerrou na última semana, em Curitiba, a fiscalização dos produtos mais consumidos durante o período de festas juninas. A operação começou em maio, em supermercados e outros estabelecimentos comerciais, onde foram analisados produtos já pesados ou medidos, que devem seguir as informações descritas nas embalagens. Nove foram reprovados. Produtos como paçoca, pé-demoleque, doce de abóbora, milho para pipoca, vinho, cocada, amendoim, entre outros produtos, das mais variadas marcas foram coletados. Os exames foram realizados no laboratório do Ipem, onde os técnicos conferiram o peso bruto dos produtos e da embalagem, comparando com as informações apresentadas ao consumidor. As empresas autuadas pelo instituto têm dez dias para apresentar defesa ao Ipem, que define advertência ou multa a ser aplicada. De acordo com a lei federal 9.933/99,

Produtos como paçoca, pé-de-moleque, doce de abóbora, milho para pipoca, vinho, cocada, amendoim, entre outros produtos, das mais variadas marcas foram coletados

as multas no Ipem podem variar entre R$ 100 e R$ 1,5 milhão. Os valores levam em conta a reincidência de infração. O presidente do Ipem, Rubico Camargo, destacou a importância de ações como essa. “É preciso que as pessoas observem esses detalhes ao adquirir um produto, fazer a conferência do peso da mercadoria com o constante na embalagem, e,

principalmente, que não paguem pelo peso da embalagem”. O Ipem aconselha que o cidadão fique atento quando comprar produtos pesados e embalados sem observação do consumidor. Se perceber que existe alguma irregularidade, deve denunciar imediatamente à Ouvidoria do Ipem pelo e-mail: ouvidoria@ipem.pr.gov.br, ou pelo telefone 0800-645-0102.

atribuições. A construção da Usina de Baixo Iguaçu marca a retomada da Copel na construção de unidades de geração energia. Em dezembro último, a companhia inaugurou a Usina Mauá, em Telêmaco Borba e Ortigueira, com 363 megawatts. Nas próximas semanas, será inaugurada a PCH Cavernoso 2, entre Virmond e Candói, com 19 megawatts. Juntas, Baixo Iguaçu, Mauá e Carvernoso 2 somam R$ 3,42 bilhões em investimentos. A nova usina ficará cerca de 30 quilômetros rio abaixo (jusante) da Usina Governador José Richa (Salto Caxias) e terá três unidades geradoras que, juntas, terão potência instalada de 350 megawatts. A casa de força será do tipo abrigada e ficará no município de Capanema, na margem esquerda do rio. Um conjunto composto por subestação e linha de transmissão também será construído para conectar a usina ao Sistema Interligado Nacional.

Exportação é tema de palestras para MPEs O Governo do Paraná, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realiza na próxima semana palestras sobre exportação para micro e pequenos empresários do interior do Estado. Os eventos ocorrem em Apucarana e Arapongas amanhã (25), em Maringá na quarta (26) e em Cianorte na quinta-feira (27). Os empreendedores vão conhecer o “Projeto Brasil Trade”, que tem o objetivo de promover exportações de produtos brasileiros por meio de Empresas Comerciais Exportadoras - especializadas em exportação e importação – e fortalecer a essa cultura nas micro e pequenas empresas. Também serão identificadas as principais barreiras à exportação e discutidas as possíveis soluções. As palestras são organizadas pela Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, com a Apex - órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Curitiba: Contratos com empresas de transporte estão disponíveis na internet Todos os documentos da licitação e os contratos com os consórcios Pontual, Pioneiro e Transbus, que fazem a operação do transporte coletivo em Curitiba, foram digitalizados e estão, à disposição da sociedade, no site da Urbs (www. urbs.curitiba.pr.gov.br), desde a última sexta-feira (21).

Para chegar aos documentos, o interessado deve clicar na aba Institucional e em seguida em Licitações. Depois, clicar em Homologadas, no menu à direita, e selecionar a licitação 005/2009. Nessa página estão elencados todos os documentos disponíveis para consulta. Os documentos inseridos no site nesta

sexta-feira estão no último item da lista, Processo Digitalizado. Os mesmos documentos, gravados em meio digital, serão encaminhados a todos os vereadores da cidade. A inclusão do processo digitalizado significa que os dados da licitação, que por força de lei estavam disponíveis no site da Urbs desde o

início do processo, agora estão disponíveis também com a validade de documentos assinados e rubricados. Também os contratos, que só foram incluídos no site, na íntegra, no início desta gestão, estão à disposição dos interessados, que podem baixar e fazer cópias de documentos com rubricas e assinaturas.


Contexto Político

Roseli Abrão

- Nada unifica mais hoje todos os militantes e manifestantes do que a ojeriza, a desconfiança, a crítica aos partidos políticos. Talvez seja a hora de dizermos: estão abolidos todos os partidos. E vamos trabalhar para saber o que é que a gente põe no lugar, disse Cristovam.

Seria a saída?

Ninguém se reelegeria

O deputado Luiz Carlos Martins, do PSD, fez uma enquete entre seus ouvintes da Rádio Banda B na manhã desta sexta-feira para saber como se posicionam sobre nossos governantes. Ninguém escapou. Se as eleições fossem hoje, seus ouvintes não reelegeriam a presidente Dilma Rousseff, o governador Beto Richa e até mesmo o prefeito Gustavo Fruet. O pior resultado foi em relação a presidente Dilma Rousseff: 77% dos ouvintes não votariam nela. O governador Beto Richa passou perto: 75% não o reconduziriam ao Palácio Iguaçu; e 74% não votariam no prefeito de Curitiba.

Pior situação

O senador Cristovam Buarque, do PDT do Distrito Federal, defendeu, nesta sexta-feira no plenário do Senado, a realização de uma reforma política e o fim dos partidos como resposta aos anseios dos manifestantes pelo país. A informação é da Agência Senado, que destaca que Buarque assinou, na quinta-feira, com mais seis senadores, uma proposta de Assembleia Constituinte exclusiva para fazer, no prazo de um ano, a reforma política.

Ponto comum

O senador pedetista disse acreditar que, além das várias demandas que estão sendo apresentadas pelos manifestantes, existe um pleito comum a todos os manifestantes, que é a abolição dos partidos.

A Banda B entrevistou o diretor-presidente do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, para analisar o resultado da enquete e, segundo ele, a “pior situação” é de Richa e Dilma. -- Está difícil para os três, mas a situação do Beto e da Dilma é mais complicada porque a eleição está mais próxima que a do Gustavo. O país vive um momento difícil e todas as esferas hoje saem perdendo. Tudo está muito ruim para os políticos e bom para a população, que está demonstrando força, afirmou.

Alerta

Para Murilo Hidalgo, uma enquete como essa serve como um alerta para os políticos. -- Essa enquete serve como um importante alerta para os políticos, até porque, para muitos, a ficha ainda não caiu. A gente vê medidas sendo tomadas de forma pontual, mas ainda de maneira distante do que pedem os movimentos nas ruas, avaliou.

É só consultar

Pelo Twitter, o senador Roberto Requião criticou

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A3

o prefeito Gustavo Fruet , dizendo que ele mostra contratos mas não abre planilhas. -- Abra tudo de uma vez Gustavo, luz e oxigênio no transporte, escreveu o senador. Também pelo Twitter, a Prefeitura de Curitiba respondeu a Requião. -- Prezado Senador @requiaopmdb As planilhas estão todas no site da Urbs. Informamos o link: http://bit.ly/TviaJa É só consultar.

Não apoia

Depois do deputado João Arruda agora é a vez de Eduardo Sciarra desmentir a campanha que ganha a Internet e que o lista entre os parlamentares paranaenses que seriam favoráveis à PEC 37, que retira o poder de investigação do Ministério Público. Pelo Facebook, o líder do PSD na Câmara Federal disse que “em momento algum manifestei apoio à PEC 37”. Para Sciarra, “o papel do MP tem sido fundamental para a consolidação da nossa democracia”, no entanto, diz, “é evidente que, em alguns casos, há exageros exatamente por não haver definição até onde vai o seu poder de investigação”.

Novos partidos

O Senado poderá dar continuidade a tramitação do projeto que dificulta a criação de novos partidos políticos. Foi o que decidiu, ontem, o Supremo Tribunal Federal. A decisão foi por sete votos a três. O projeto, de autoria do deputado Edinho Araújo, do PMDB de São Paulo, foi aprovado na Câmara em abril, e acaba com a portabilidade dos votos. Isso significa que os deputados que mudarem de partido não vão levar os votos para as novas legendas.

Em perigo

O site “Congresso em Foco” analisa que, desta forma, agremiações ainda em formação, com a Rede, da ex-senadora Marina Silva, e o Solidariedade, do deputado Paulinho da Força, do PDT, seriam prejudicadas pois ficariam sem o tempo de rádio e televisão e uma fatia maior do Fundo Partidário.

desaquecimento

Emprego com carteira assinada cresce menos

Agropecuária, serviços e indústria foram os setores com os melhores resultados A geração de postos de trabalho com carteira assinada teve o segundo mês consecutivo de baixo crescimento - 0,18% em maio, em comparação a abril, quando foi registrado aumento de 0,49%, em relação ao mês anterior. Os números divulgados na sextafeira (21/06) são Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. O saldo de pouco mais de 72 mil postos criados é resultado de cerca de 1,8 milhão contratados menos 1,7 milhão demitidos.

De acordo com o Caged, o setor que registrou o pior desempenho foi o da construção civil, com o fechamento de mais de 1,8 mil postos. A agropecuária, os serviços e a indústria foram os setores com os melhores resultados - abertura de 33,8 mil, 21,1 mil e 15,7 mil postos, respectivamente. Na agropecuária, os destaques foram para a produção de café, de cana-de-açúcar e de laranja. Nos serviços, para os relacionados a transportes, comunicações, serviços médicos e odontológicos;

administração de imóveis e instituições financeiras. Na área da indústria, as áreas com melhor desempenho foram as de produtos alimentícios, químicos, material de transporte; têxtil, elétrico e de comunicação. Os estados com os melhores resultados foram Minas Gerais (com o saldo positivo de 25,9 mil empregos formais), São Paulo (22,4 mil) e Paraná (9,7 mil). Os piores foram Alagoas (com saldo negativo de 3,4 mil postos de trabalho), Pernambuco (-2,4 mil) e

Rio Grande do Sul (-2,1 mil). A desaceleração de crescimento não era verificada desde 2009, ano da crise financeira internacional, quando foram verificados os números mais baixos para o mês de maio: pouco mais de 131 mil postos de trabalho formal. Em 2009, houve recuperação e foi registrada a geração de mais de 298 mil empregos com carteira assinada. A partir de então, os saldos passaram a ter queda, 252 mil em 2011; 139 mil em 2012; culminando nos 72 mil em 2013.

Minérios, óleo diesel e automóveis lideram lista dos maiores produtores industriais Minérios de ferro bruto ou beneficiado, óleo diesel e automóveis para passageiros com motor entre 1.5 a 3.0 cilindradas lideraram a relação dos 15 maiores produtos industriais brasileiros em 2011, em termos de valor das vendas, informa a Pesquisa In dustrial Anual - Produto (PIA-Produto), divulgada na sexta-feira (21/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em quarto lugar, aparecem óleos brutos de petróleo. Segundo informou à Agência Brasil o analista da Coordenação de Indústria do IBGE, Denis da Costa, a análise por regiões mostra que enquanto minérios de ferro lideraram no Norte e no Sudeste, o óleo diesel exerceu supremacia no Nordeste e no Sul do país. Já na Região CentroOeste, predominou a indústria de carnes de bovinos. Outro dado que ele considerou interessante foi que, pela primeira vez, em 13 anos, as vendas de minério de ferro ultrapassaram as de óleo diesel. "(Houve) um grande número de exportações de minério de ferro em 2011", comentou. De acordo com a pesquisa, as exportações brasileiras de minério de ferro e pelotas somaram 330,8 milhões de toneladas, em 2011, com valor de US$ 41,8 bilhões. Em comparação ao ano anterior, a expansão observada atingiu 6,4%

Minérios de ferro bruto ou beneficiado, óleo diesel e automóveis para passageiros com motor entre 1.5 a 3.0 cilindradas lideraram a relação dos 15 maiores produtos industriais brasileiros em 2011, em termos de valor das vendas

em quantidade e 44,6% em valor. O principal país de destino foi a China, que participou com 51% do total. As vendas dos 100 maiores produtos industriais somaram em 2011 cerca de R$ 908 bilhões. Destaque para minérios de ferro, cujo valor das vendas atingiu R$ 50,851 bilhões. O valor de produção dos 100 maiores produtos alcançou R$ 1,152 trilhão. Comparando as perdas e ganhos registrados no período de 2007 a 2011, Denis da Costa informou que alguns produtos se sobressaíram.

Diário Indústria&Comércio

roseli@roseliabrao.com.br

O maior avanço coube ao biodiesel, que passou da posição 382 no ranking, há cinco anos, para a 43ª posição, em 2011. Outro destaque foram as pedras britadas, que ganharam 118 posições, subindo da 193ª para a 75ª posição. Do mesmo modo, computadores pessoais portáteis, conhecidos como laptops, evoluíram da posição 118 para o patamar 44, no período pesquisado. Em contrapartida, o setor que perdeu mais posição de 2007 para 2011 foram as chapas, bobinas, fitas e tiras de aço: o setor subiu

da posição 47, em 2007, para a 90, em 2011. Costa avaliou que isso está relacionado não só ao acúmulo de produção de aço no mundo, mas também à questão dos outros produtos. "Conforme os outros produtos ganham em termos de posição, esses ficam para trás". Também os computadores de mesa, chamados PC, mostraram perda no ranking. "Como o laptop ganhou, esse tipo de computador perdeu 28 posições de 2007 para 2011. Ele estava na posição 50 e foi para a 78", disse o analista.

Se forem criados, os dois partidos teriam dificuldades para participar das eleições de 2014.

Provocação

O deputado João Arruda, do PMDB, ironizou, no Twitter, o anúncio feito pelo governador Beto Richa, ontem, em Londrina, que mandou a Copel suspender o reajuste da tarifa de energia elétrica. -- A historia do governador que desautorizou o aumento na tarifa de energia que ele mesmo pediu através de consulta a Aneel é pior que a cura gay, comparou.

Pedido

Em seu site, em matéria disponibilizada quintafeira, a Copel confirmou que o pedido de reajuste foi feito pelo governo do Paraná. Segundo a Copel, “a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deliberou nesta quinta-feira (20) um reajuste de 1,4% nas tarifas de energia da Copel para reposição de custos operacionais da empresa. Este foi o índice aprovado pelo Governo do Estado, controlador da Companhia. A Aneel também deliberou que seja repassado à tarifa no Paraná um reajuste de 13,21% referente, principalmente, ao custo do uso de usinas térmicas.

Multada

O Tribunal de Contas do Paraná decidiu multar em R$ 1.382,28 ex-secretária estadual de Educação, Yvelise Arco-Verde, por irregularidade na contratação de técnicos administrativos realizada em 2009. Segundo o TC, em 16 de janeiro de 2009, a Secretaria de Estado da Educação publicou edital de teste seletivo para contratar 2.000 técnicos administrativos por prazo determinado. A seleção ocorreu enquanto estava em vigência (até 18 de novembro daquele ano) a classificação de concurso público que dispunha de 1.357 vagas daquela função então ainda não preenchidas. Na avaliação do TC, a decisão da Secretaria feriu o Artigo 37 da Constituição Federal, que garante expressamente a prioridade de nomeação, dentro do prazo de validade, dos aprovados em concurso sobre novos selecionados.

Indústria do petróleo é o motor do crescimento do país A Pesquisa Industrial Anual - Empresa (PIA-Empresa), divulgada na sexta-feira (21/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informa que o segmento que obteve a maior produtividade do trabalho nos últimos cinco anos compreendidos entre 2007 e 2011 foi a extração de petróleo e gás natural. Essa indústria ocupava a 11ª posição, em 2007, no ranking entre 29 atividades industriais e, em 2011, assumiu a liderança. A segunda maior produtividade foi atribuída à extração de minerais metálicos, que passou da primeira posição, em 2007, para a segunda classificação, em 2011. Nesse segmento, o produto de destaque é o minério de ferro.

"(Houve) aumento na sua produção, em termos de valor de vendas, no ano de 2011. Foi a primeira vez que ele ultrapassa o produto que é o óleo diesel, desde 1998", disse em entrevista à Agência Brasil a economista Maristella Rodriguez, da Coordenação de Indústria do IBGE. Os dados mostram que a produção de minério de ferro, em termos de valor de vendas, somou R$ 50,9 bilhões, enquanto o valor de vendas do óleo diesel ficou em R$ 48,1 bilhões. É a indústria extrativa que segura o crescimento da indústria geral no período, disse a pesquisadora. Sua participação no total aumentou de 6,3% para 11,8%, ao passo que a indústria de transformação, que era 93,7%, passou para 88%.

BC: Gastos de brasileiros no exterior batem recorde em maio Os gastos de brasileiros no exterior chegaram a US$ 2,232 bilhões, em maio, de acordo com dados divulgados na sexta-feira (21/06) pelo Banco Central (BC). Esse foi o maior resultado para meses de maio, na série histórica do BC, iniciada em 1969. Em igual mês do ano passado, esses gastos ficaram em US$ 1,829 bilhões. De janeiro a maio, os gastos de brasileiros ficaram em US$ 10,370 bilhões, contra US$ 9,019 bilhões registrados nos cinco meses de 2012. O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, ressaltou que as viagens internacionais são "sensíveis" à cotação do dólar, que está em alta. "O câmbio tem oscilado e a conta

de viagens internacionais tende a responder em alguma proporção em relação ao câmbio". Entretanto, Maciel disse que a renda dos brasileiros continua crescendo e isso estimula às viagens ao exterior. Além disso, Maciel lembrou que muitos turistas compram pacotes de viagens internacionais antecipadamente. Por isso, a alta do dólar pode não ter efeito imediato na redução dos gastos de brasileiros no exterior. Neste mês, segundo ele, é possível que essas despesas sejam maiores do que em junho de 2012. "(Há) alguma defasagem desse movimento (de alta do dólar) e a resposta das viagens", disse.

Inflação recua 0,08 ponto percentual em junho O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 teve variação de 0,38% em junho, divulgou na sexta-feira (21/06) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A taxa recuou 0,08 ponto percentual em relação à de maio, que alcançou 0,46%. Em junho de 2012, o IPCA-15 foi 0,12%. Com o resultado, o acumulado no 1º semestre de 2013 é 3,45%, índice superior ao registrado no primeiro semestre de 2012: 2,58%. Em doze meses, a inflação acumulada no IPCA-15

chegou a 6,67%. Os principais grupos que contribuíram para a desaceleração foram remédios e alimentos. A inflação dos medicamentos caiu de 2,94% em maio para 0,65% em junho, já que o índice do mês anterior ainda foi afetado pelo reajuste dos remédios vigente desde abril. Os alimentos tiveram queda de 0,47% para 0,27%. O IPCA-15 leva em conta os preços coletados entre 15 de maio e 13 de junho, comparados aos de 13 de abril a 14 de maio.


Especial

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A4

Turismo

Ida&Volta O TURISMO E A COPA

“Imagem, posicionamento e reputação de empresas e destinos turísticos” é o tema do debate que o Mestrado de Turismo da Universidade Federal do Paraná promove nesta quinta-feira 27/6, às 14h, no auditório da Fecomércio (r. Visconde do Rio Branco, 931). O evento abre com a apresentação do projeto de pesquisa “Acompanhamento e avaliação de projetos, obras e serviços destinados à Copa do Mundo 2014, em Curitiba”, desenvolvido pelo Ministério do Esporte. Participam dos debates os doutores em Economia Sérgio Moreno Gil e Javier de Leon Ledesma; em Administração, Bráulio Oliveira; e em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Alexandre Biz. O moderador será o professor José Manoel Gândara, doutor em Turismo e Desenvolvimento Sustentável e pesquisador do Mestrado de Turismo da UFPR.

A MELHOR DO MUNDO

Júlio Zaruch juliozaruch@gmail.com

Férias de julho

no Vale dos Vinhedos

Com base na opinião de 18 milhões de viajantes de negócios e lazer de mais de 160 países, a Skytrax World Airlines, entidade de pesquisa da aviação, com sede na Grã-Bretanha, conferiu à Emirates o prêmio de “Melhor companhia aérea do mundo de 2013”. A empresa de Dubai foi também considerada como a “Melhor companhia aérea do Oriente Médio” e com o “Melhor entretenimento de bordo do mundo”, esse último conquistado pelo nono ano consecutivo. Os prêmios foram recebidos por Tim Clark, presidente da Emirates Airline, durante o Paris Airshow. No ano passado, mais de 39 milhões de passageiros voaram com a Emirates, que já recebeu mais de 500 prêmios internacionais pela qualidade do serviço. Na América do Sul, a Skytrax premiou a LAN e a TAM, hoje juntas no grupo Latam, como as melhores. O resultado final da premiação foi divulgado na terça-feira 18/6, em Paris.

HYATT PLACE NO BRASIL

Capitais e cidades brasileiras “com infraestrutura comercial e industrial já desenvolvida” (Curitiba entre elas?) serão contempladas com nove novos hotéis próprios da marca Hyatt Place, cada um com capacidade entre 150 e 200 quartos e com localização próxima a aeroportos, conforme anúncio feito na terça-feira 18/6 pela Hyatt Hotels Corporation, que, para isso, firmou joint venture com o FSA Gropu, integrante do Grupo Libra. O investimento será de aproximadamente 270 milhões de dólares e a primeira unidade deverá ser inaugurada em 2016. A Hyatt não especificou quais cidades serão beneficiadas. Caberá ao FSA a gestão e coordenação dos projetos e da construção e à Hyatt a administração de cada unidade.

O HOTEL DO FESTIVAL

Hotel Villa Michelon, atrativos da colonização italiana

O

hotel Villa Michelon, do Vale dos Vinhedos (RS) no quilômetro 18,9 da RS 444, a estrada do Vinho, recebe os hóspedes para as férias de julho com pacotes de três e cinco diárias, com café da manhã, brindes e programação infantil. O Villa Michelon tem 57 apartamentos (sete executivos, 36 luxo, 12 super luxo e duas suítes) dispostos em alas batizadas com nomes de uvas:  Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot

e Riesling. Em seu entorno, o hotel oferece ao hóspede uma série de atrativos especialmente voltados para a cultura italiana, incluindo a elaboração de vinhos. Conta também com um parreiralmodelo, onde são cultivadas uvas de diferentes cepas.  No inverno, as videiras hibernam, mas no verão o visitante pode caminhar entre elas e degustar a fruta colhida do pé. Pomares com frutas da estação, trilhas e

passeios de bicicleta também fazem parte dos atrativos, assim como quadras esportivas para a prática de várias modalidades, além de um Centro de Convivência que promove a cultura italiana característica na região. As crianças dispõem de um parque infantil temático, além de recreacionista nos finais de semana e de uma fazendinha com animais domésticos. O preço dos pacotes estão em villamichelon.com.br.

ViaGastronômica Pelo quinto ano consecutivo, e sempre com sucesso, o Rafain Palace Hotel & Convention Center, de Foz, foi palco do Festival de Turismo das Cataratas, cuja oitava edição foi realizada de 12 a 14 de junho, com cerca de 700 expositores. O Rafain, com 200 apartamentos, conta com mais de 18 mil metros quadrados de área para eventos de grande porte e que podem ser divididos em até 43 ambientes, como a o gerente geral do hotel, Cândido Ferreira Neto, à direita da foto, ao lado do secretário de turismo do Paraná, Jackson Pitombo Cavalcanti Jr.

UM MELIÁ DE VIDRO

BEATS AND BEANS NO RADISSON Um bufê de 38 itens – 20 pratos quentes, quatro saladas, quatro aperitivos e 10 sobremesas – mais drinques especiais com a vodca russa Czar’s Gold e boa música comandada por DJs convidados: este é o cardápio da nova atração do restaurante Origens, do Radisson Curitiba Hotel – a feijoada Beats and Beans (batidas e feijões), aos sábados, entre 13h e 17h. De quebra, haverá atrações culturais, como o circuito de exposições fotográficas, de pintura, escultura e

intervenções artísticas; cada mostra ficará aberta durante dois meses. As cumbucas e arremates ficam por conta da chef Cleuza Reis, há duas décadas no ramo, e o DJ é escolhido entre os formados pelo curso do Centro Europeu Aimec; a primeira exposição tem o apoio da escola Portfólio. A proposta, segundo o gerente geral do Radisson, Nilson Bernal, é atrair um público entre 25 e 40 anos, hóspedes do hotel e curitibanos em geral. O preço por pessoa é de R$ 49.

NYC RESTAURANT WEEK

A Meliá Hotels International, que inaugura um novo hotel a cada três semanas, de acordo com seu relatório trimestral, anuncia para 2015 a abertura de um luxuoso empreendimento em Riad, capital da Arábia Saudita. Será o Gran Meliá Riyadh, um edifício todo de vidro que está sendo construído na Cairo Square, no centro da cidade, área rodeada de parques, shoppings centers, órgãos governamentais e prédios de escritórios. Terá 252 apartamentos, vários restaurantes, spa, wellness center e um centro de convenções de cerca de 2.500 metros quadrados.

EMBARQUE

*** A diretora do Programa de Membros Afiliados da Organização Mundial do Turismo, Yolanda Perdomo, confirmou presença na 25ª edição do Festival de Turismo de Gramado, marcado para 7 a 10 de novembro. A empresa promotora do evento – Marta Rossi & Sílvia Zorzanello – é agora membro-afiliado da OMT. Na foto, Yolanda entre os diretores do Festuris Marcos Vinicius Rossi e Eduardo Zorzanello, em encontro em Madri. *** Os portos de Itajai e São Francisco do Sul (SC) serão escala do navio Grand Mistral, da Ibero Cruzeiros, empresa do grupo Costa, em cruzeiros marítimos da temporada 2013/2014. Paranaguá, quem sabe, poderá ter o mesmo privilégio lá pelo final do século 22. *** Quarenta agências de viagens de cidades do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo foram premiadas pela MGM Operadora dentro da ação Top MGM. São as que tiveram melhor desempenho em vendas nos últimos 12 meses. *** Até 29 de junho é possível comprar passagens da TAM para vários destinos dos Estados Unidos, a preços promocionais: a partir de R$ 1.173 para Miami; R$ 1.708 para Nova York e R$ 1.921 para Los Angeles, Orlando e São Francisco. As viagens devem ser feitas entre 22 de julho e 12 de dezembro.

Para quem vai a Nova Iorque nas próximas semanas, uma dica: a edição de verão da NYC Restaurant Week, a original, criada em 1992 e que deu origem às várias versões no resto do mundo, inclusive em Curitiba, está marcada para o período de 22 de julho a 16 de agosto, de segunda à sexta e eventualmente aos domingos. Com entrada, prato principal e sobremesa, o almoço custará 25 dólares e o jantar, 38; bebidas, gorjetas e impostos são cobrados à parte. As reservas podem ser feitas a partir de 8 de julho no nycgo.com/restaurantweek, onde também está a lista dos restaurantes.

CHÁ DA TARDE NO PALÁCIO DA RAINHA De 27 de julho a 29 de setembro será possível tomar o chá da tarde no Palácio de Buckingham, em Londres, residência oficial da rainha, e ainda fazer um tour pelo prédio e pelos jardins. Este é mais um dos eventos programados para comemorar os 60 anos de coroação de Elizabeth II. O ingresso custa 43 libras por pessoa e inclui: o tradicional chá da tarde preparado pelo chef William Drabble e bilhete para visitar as salas do palácio, decoradas com alguns dos tesouros da coleção real, pinturas de Rembrandt, Rubens, Canaletto e esculturas de Canova. Será possível também o acesso a uma exposição que reúne pela primeira vez desde a coroação uma variedade de trajes

*** Cento e cinquenta dos melhores sommeliers de 40 países vão participar, em Mendoza, Argentina, de 15 a 20 de abril de 2014, do concurso Melhor Sommelier do Mundo, que coincide com a celebração do Malbec World Day. Mendoza foi escolhida sede do evento na semana passada, na abertura da VinExpo, a maior feira de vinhos do mundo, realizada em Bordeaux, França. *** Uma ideia que nasceu em Nápoles, Itália, faz escola na Argentina: o caffè sospeso ou café pendente. Consiste no seguinte: um cliente toma um café e paga dois, para que um próximo freguês possa usufruir gratuitamente da bebida. Mais de 100 bares e cafés de Buenos Aires e vários de Córdoba aderiram à simpática promoção e são identificados com o símbolo de uma xícara e um coração. Em alguns pontos comerciais, a gentileza inclui ainda um sanduíche ou um pedaço de bolo. *** Novidades no menu de inverno do Victor Fish ‘n’ Chips, no shopping Mueller: as

e uniformes utilizados pela comitiva de Sua Majestade. Informações no site do St. James Hotel & Club (stjameshotelandclub.com), que é vizinho do palácio.

sopas individuais Clam Chowder, de mariscos (prato típico da Nova Inglaterra), e de Peixe. Cada uma a R$ 16. *** A Batavo, marca do grupo BRF, coloca nas gôndolas de São Paulo, Rio de Janeiro e sul do Brasil o primeiro iogurte líquido do país, nas versões com 0% e 2% de gordura e nos sabores baunilha, morango, manga e natural. *** Começa nesta terça 25/6 e vai até 28, no Expo Center Norte, em São Paulo, o Sial Brazil (Salão Internacional de Alimentação para a América Latina. Terá 500 marcas expositoras em 20 pavilhões e a previsão é de receber mais de 15 mil visitantes. O principal destaque será o La Cuisine by Sial, área para demonstrações de chefse culinárias gastronômicas de conceitos diferentes. *** Vai até 25 de julho o festival de risotos do Gardeno – Gastronomia Mediterrânea (r. Carlos de Carvalho, 2380, em Curitiba). São 12 tipos, cujos preços para duas pessoas variam de R$ 62 a R$ 78.


Diário Indústria&Comércio

finanças & NEGÓCIOS

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A5

Infraestrutura ruim e pedágio caro desafiam transporte de cargas Bem estruturado, Setcepar chega aos 70 anos com o registro de lutas por melhorias para o setor e pelo crescimento do país

Criado em 1943, o Setcepar representa 5 mil empresas em 265 cidades do Estado e, como vem ocorrendo ao longo desses 70 anos, um de seus pontos altos é a defesa por melhorias no setor Gilberto Cantú: Setcepar é contra o modelo do pedágio, não contra o pedágio

Walter Schmidt

P

edágio caro, infraestrutura ruim, burocracia, legislação omissa e confusa, roubo de cargas e agora a crise na economia. Estes são os principais problemas enfrentados pelas transportadoras de cargas, representadas pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Setcepar) que completa neste mês 70 anos de atividades. Criado em 1943, o Setcepar representa 5 mil empresas em 265 cidades do Estado e, como vem ocorrendo ao longo desses 70 anos, um de seus pontos altos é a defesa por melhorias no setor. O atual presidente do Setcepar, Gilberto Antonio Cantú, garante que o sindicato é bom de briga quando as causas são justas. “Não são poucas”, diz. E algumas delas são abordadas na entrevista exclusiva a seguir. O Setcepar está completando 70 anos. O que representa esta comemoração para a entidade? Gilberto – Representa a solidez. Hoje é um sindicato bem estruturado com grande representatividade perante o setor em nível nacional. É um sindicato que briga pelas causas justas, que não são poucas, na área do transporte. Os 70 anos representam uma história de batalhas e de lutas que os diversos presidentes que passaram pela entidade tiveram ao longo desse tempo. Mesmo assim é um sindicato que ainda tem muito por fazer: as demandas são grandes, pois o setor carece de muita infraestrutura e de muita legislação, não para favorecer, mas para facilitar e melhorar a vida do transportador. Para comemorar os 70 anos, o Setcepar está lançando um livro... Gilberto – ... a ideia do livro surgiu no ano passado para mostrar a trajetória dos 70 anos. Mais do que isso, o livro conta a história do transporte no Paraná, desde a época da carroça que ia pela Estrada da Graciosa, e também do Brasil. O livro, feito pelo jornalista Norberto Staviski, relata as dificuldades e as vitórias que o sindicato teve ao longo dos 70 anos em prol dos seus associados. O lançamento está marcado para o dia 28 próximo, no Clube Curitibano.

de Cascavel a Paranaguá o pedágio representa 30% do custo do frete. Um absurdo. O Paraná poderia vender melhor, com uma condição melhor, mas o pedágio encarece os produtos. Em dezembro de 2011, o senhor afirmou ao Diário Indústria & Comércio que os governantes já estavam vendo como primordial a questão de infraestrutura no Brasil, trazendo esperança para os transportadores que lutam todo ano por mais investimentos. Nesses quase dois anos mudou alguma coisa? Gilberto – Na prática mudou muito pouco. Vê-se a princípio uma boa vontade, o governo enxergando que a infraestrutura é essencial para o país crescer com sustentabilidade, mas não há resultado desses investimentos. Há muita coisa parada, mesmo no âmbito do PAC: é dinheiro retornando porque não conseguiram fazer o investimento ou por problemas de projeto ou por problemas de superfaturamento quando o Tribunal de Contas da União (TCU) vai lá e barra a obra. Enfim, tantos problemas que não se consegue visualizar o que o governo divulga. Está tudo muito devagar. Uma dessas questões, por exemplo, é a dificuldade de acesso aos terminais de carga nos principais portos brasileiros. O que essa dificuldade é capaz de provocar? Gilberto – Um dos gargalos crônicos que temos. Paranaguá tem uma ressalva: este ano houve desempenho razoável, sem grandes filas; tudo fluiu bem, uma estratégia do superintendente do Porto com relação aos agendamentos. Mas em Santos, por exemplo, o caminhão para chegar ao porto tem que passar no meio da cidade, não tem estacionamento adequado para o caminhão fazer a espera do seu agendamento. Não foram feitos investimentos nos últimos 30 anos. O Brasil hoje está produzindo mais, exportando mais, importando mais. Há um fluxo “n” vezes maior nos portos, mas o problema é chegar até o porto, é chegar com rapidez e sair com rapidez. A perda de produtividade sempre acaba sendo passada para o custo do produto.

O que o setor do transporte de cargas e logística significa para a economia brasileira? Gilberto – O setor é essencial, pois responde pelo transporte de cerca de 60% das cargas brasileiras. O setor alavanca o crescimento contínuo e sustentável do Brasil. Porém, nos últimos 30 anos houve negligências e agora estamos pagando o preço. Há estradas em estado deplorável. As melhores são as pedagiadas – muitas delas, no Paraná inclusive –, mas o custo é altíssimo pelo retorno que a gente tem. Sem o caminhão, o Brasil para, como dizia uma propaganda que fizemos há três anos. E apesar do crescimento do país nos últimos anos, mesmo com o caminhão o Brasil está parando: a infraestrutura é muito ruim. Faltam ferrovias. E a gente tem consciência de que grande parte das mercadorias que está nos caminhões não deveria estar nos caminhões. Em país desenvolvido não é assim.

O cenário econômico do Brasil passa por turbulência – inflação em alta, política econômica não muito clara. Isso pode afetar a vida das empresas de transporte de cargas, pode adiar investimentos? Ou o setor ainda não sentiu os reflexos dessa nova situação? Gilberto – Não, já sentiu sim. Desde o ano passado o crescimento é baixo. Para este ano havia otimismo por parte do governo, aliás, a função dele é ser otimista, mas o empresariado do transporte teve ao longo do ano passado teve alguns impactos, como a lei do tempo de direção do motorista e o caminhão Euro 5 [problemas de abastecimento com o novo combustível usado nos caminhões Euro 5, o S-50]. Então, o empresariado ficou reticente, ficou com um pé atrás. O crescimento da economia no ano passado foi pífio, este ano vai pela mesma balada, não vamos ter crescimento acima de 2%. Se chegar a 2% vai ser bom. Em alguns setores houve queda de faturamento, até bem acentuada em alguns meses. Na média, vai ser um ano parecido com 2012. O empresariado está num compasso de espera, sem se arriscar muito.

Há dois meses, o presidente da Fiep afirmou que o pedágio prejudica a competitividade do Paraná. O senhor concorda? O pedágio realmente é um gargalo? Por quê? Gilberto – Concordo. O Setcepar há tempos se manifesta contra o modelo de pedágio do Paraná – não contra o pedágio, pois hoje, infelizmente, ele é um mal necessário já que o governo não tem capacidade de investimento e de manutenção, apesar de a gente achar que há dinheiro para isso, só que é mal empregado. Um exemplo está no setor agrícola. Muitas vezes o pedágio corresponde a 15% ou a 20% do valor da carga, principalmente se ela for de valor agregado baixo. O pedágio hoje representa um componente muito alto no custo total do frete. Eis uma situação:

A lei do descanso do motorista continua sendo alvo de protestos, tanto que uma comissão especial da Câmara dos Deputados foi criada para revisá-la. Em sua opinião, o que precisa ser mudado? Gilberto – O Setcepar é a favor da lei, mas entende que é necessária uma flexibilização, um ajuste. Fora de casa, o caminhoneiro está à mercê de sua própria sorte e por isso tem que haver regras diferentes do trabalhador de escritório. O motorista não pode trabalhar oito horas e simplesmente parar num posto. Há que se mudar o tempo de espera, que é um ponto divergente: o caminhão fica esperando muito tempo para carregar ou descarregar, o que acaba sendo computado na jornada de trabalho, no

tempo de direção. E isso é prejudicial, pois o motorista não pode ficar parado durante seis horas e depois, liberado, tem que esperar mais 11 horas para iniciar a nova jornada. Outro ponto que carece de mudança: hoje se permite que o motorista trabalhe duas horas a mais de extra, além das oito, e isso pode ser flexibilizado um pouco. O tempo interjornadas de 11 horas é muito grande, poderia ser fracionado: oito horas mais três, por exemplo. Oito horas de sono é o suficiente; nas outras três, o motorista descansaria durante o dia. E a questão dos pontos de parada? O que pode ser feito? Gilberto – Temos que ter pontos de parada e não apenas postos de gasolina. Posto de gasolina é para abastecer, para tomar café, almoçar. Para o motorista ficar parado oito, dez, onze horas, conforme a lei, são necessárias áreas de segurança com estrutura para que ele possa tomar banho, jantar e descansar a fim de iniciar nova jornada de trabalho, coisa que a maioria dos postos não tem. Mas já existe um movimento de criação de linha de crédito para os postos ampliarem e readequarem suas estruturas, para que a lei possa ser cumprida de forma digna. Como os pontos de parada são atrativos economicamente, o interessado em explorá-lo tem que ter uma linha de crédito. O dono do posto pode ampliar a sua área porque ele vai faturar mais, poderá cobrar diária hoje não cobrada. Do jeito que está, é muito difícil cumprir a lei, e aí se cria uma situação de passivo para as empresas, há perda de produtividade, com aumento de custo que, na maioria das vezes, o transportador não consegue repassar totalmente para o seu embarcador. É uma equação difícil de fechar. O senhor também falou do roubo de cargas, que é um problema antigo. Como é que as empresas estão se mobilizando, como é que o sindicato está atuando? Gilberto – No começo do ano passado, final do ano retrasado, tivemos uma onda de roubos muito grande no Paraná, principalmente na Região Metropolitana de Curitiba. Então, em junho do ano passado criamos uma assessoria de segurança, passando a cobrar mais intensamente das autoridades esforços para que o roubo seja combatido. Estamos reivindicando uma delegacia especializada para o roubo de cargas – hoje o serviço é atrelado à Delegacia de Estelionato e Desvio de Carga. Uma delegacia específica, como ocorre em outros estados, terá uma política mais definida, de atuação e inteligência. Mas nos últimos três meses várias quadrilhas foram desarticuladas pelas polícias rodoviária, civil, federal e militar. Nossa assessoria acompanha as ações. Também pedimos mudanças no layout do BO (Boletim de Ocorrência) para incluir o roubo de carga. Por que é importante a mudança? Para começar a mapear onde ocorrem os roubos, as regiões, os horários, os tipos de mercadorias, pois hoje não temos estatísticas. A questão da burocracia. Os caminhões ficam muito tempo parados nas aduanas ou nos postos fiscais dos estados. Como é que isto poderia ser resolvido? Basta a boa vontade do governo? Gilberto – A Confederação Nacional dos Transportes tem envolvido órgãos do governo em busca da melhora nos procedimentos. Há postos fiscais no Nordeste em que caminhões ficam parados oito ou dez horas. É um absurdo. Em 2013 ainda tem que ficar carimbando notas! Não tem sentido os postos fiscais. Quem é sério para e vai carimbar as notas, quem está com contrabando não para. E com as aduanas não é diferente. De um país para outro, como se vê na fronteira com a Argentina, há espera de dois dias. Mas há avanços: do Paraná para Santa Catarina e São Paulo não há mais postos fiscais. Hoje, com os sistemas eletrônicos, há maneiras de controlar e o Governo Federal vem fazendo isso por meio do conhecimento eletrônico, agora está sendo implantado o manifesto eletrônico. Eles têm mecanismos para acabar com essa burocracia. A lei do descanso e direção dos motoristas vai ajudar na busca de soluções, pois o profissional não pode mais ficar parado um tempão nos postos fiscais.


Finanças&Negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A6

Opinião

CONJUNTURA coluna@induscom.com.br

A TECNOLOGIA E OS TRAÇOS DA NATUREZA HUMANA Há algum tempo, um jornalista me perguntou se o uso de tanta tecnologia no mundo atual não estava nos desumanizando. Na verdade, acredito que não. Mais até, penso que as tecnologias que fazem sucesso a longo prazo são aquelas que apresentam potencialmente alguma característica que já temos em nossa natureza. Vejamos alguns exemplos. A primeira é imitar o sucesso. Imitar quem faz as coisas melhor está em nossa natureza e isso geralmente funciona bem, é racional. O problema foi que, a partir daí, surgiu a ideia de seguir as melhores práticas das empresas bem sucedidas para criar uma fórmula do sucesso. Em livros como o “Em busca da Excelência”, foram tomados exemplos de oito ou dez empresas consideradas as melhores do mundo e resumidas ali as “melhores práticas” para o sucesso. Embora o livro tenha sido um best-seller, oito anos depois, essas empresas já não estavam nada bem. Não vejo problemas em imitar os outros em coisas fáceis, mas no que é realmente complexo não funciona assim, o caminho do sucesso é individual. Apple, Microsoft ou Artech são bastante diferentes, por exemplo. Cada empresa busca o sucesso de forma individual porque é muito difícil alcançá-lo e cada uma tem suas peculiaridades que não são aplicáveis às demais. Além disso, existe “A versão dos Advogados”. Nesse conto de Luis Fernando Veríssimo, conta-se que os golfinhos têm uma lei que orienta o seu comportamento quando encontram um homem afogando-se no mar: devem jogar uma moeda para ver se o levam à costa, para sua salvação, ou se o levam ao alto-mar, para sua perdição. Apesar disso, as pessoas acreditam que os golfinhos sempre salvam as pessoas que se afogam no mar porque ninguém tem a versão dos que se afogam. O mesmo acontece com esses livros de melhores práticas. Entretanto, se fizermos um aplicativo como o Instagram, que nos ajude a tirar fotos muito mais bonitas e com efeitos, como se fôssemos um fotógrafo profissional, mas usando apenas o celular, certamente será bem sucedido. Uma segunda característica das pessoas é resolver problemas. O que é preciso evitar é focarmos nos problemas errados, como na anedota do advogado e do engenheiro. É assim: Um advogado e um engenheiro foram condenados à forca, dessas com uma corda e um alçapão que abre quando se empurra uma alavanca. Trazem o advogado, colocam a corda, movem a alavanca e não acontece nada; imediatamente, o advogado tira a corda e diz que ao falhar a sentença, pelo direito positivo romano, não podem voltar a julgá-lo pelo mesmo crime e o deixam ir. Mas quando vem o engenheiro, antes que a corda fosse colocada, ele fica olhando o mecanismo da forca e diz: “Esperem um momento, me deixem ver uma coisa”. Revisa o sistema, e lhes diz: “Aqui está o problema, uma roldana está mal posta. Agora mesmo vou consertar”. Em toda profissão, há dois tipos de problemas para resolver: os reais (dos clientes) e os que impressionam (os nossos colegas ou o mundo). Como também está em nossa natureza tentar impressionar, geralmente buscamos resolver problemas que chamarão atenção para nossa inteligência e criatividade, e que aumentarão nosso prestígio. Mas esses problemas, muitas vezes, são diferentes dos problemas reais que os clientes têm. Não temos que resolver problemas para impressionar, o que temos que fazer é resolver os problemas que nossos clientes tiverem. Outras características de nossa natureza é comunicar e compartilhar. Qualquer produto que aumente as formas como podemos nos comunicar ou como podemos compartilhar coisas será, portanto, bem sucedido. Além disso, quando a comunicação é eficaz, não dependemos tanto de planejar tudo detalhadamente, pois podemos nos coordenar para fazer as coisas bem e nos adaptar aos imprevistos. Por isso, as tecnologias que facilitam essas tarefas têm tanto sucesso e por isso o boom das redes sociais. Também é natural acreditar nos modelos. Somos seres que estamos constantemente criando modelos, e acreditamos neles. Às vezes, porém, acreditamos demais, sem questioná-los. Aqui temos que aplicar o que o estatístico George Box diz: todos os modelos estão errados e alguns são úteis, de modo que quando um modelo já não é útil, é preciso abandoná-lo, como os modelos astronômicos. O modelo de Ptolomeu, que basicamente dizia “estou no centro do universo e o que vejo é o sol girar ao meu redor”, era perfeito para os agricultores que só queriam saber por onde sai o sol e por onde ele se ocultava. No entanto, quando quiseram explicar o movimento diferente dos planetas, esse modelo já não funcionou e apareceu Copérnico com outro que permitia entender isso de forma mais simples. Assim também deve ser no trabalho e na tecnologia, quando um modelo não permitir lidar com informação nova, provavelmente chegou o momento de substituí-lo. Também é natural que façamos previsões. De fato, acredito que é por isso também que gostamos de fazer modelos. Não há nada de errado em fazer previsões, exceto quando ficamos presos nelas. Já sabem: o PC é o centro, a TV é o centro. Melhor seria tomar o exemplo da Zara, a famosa loja de roupas, e se esforçar para diminuir o custo dos erros em uma indústria em que as tendências mudam vertiginosamente. Como? Quando se deu conta do custo gerado por seguir apenas uma tendência e ficar com muitas peças velhas, a Zara minimizou-o fazendo lotes pequenos de muitos estilos e cores diferentes. Assim, não penso que a tecnologia esteja nos desumanizando, pelo contrário: acho que potencializa nossas tendências naturais. Precisamente por isso é preciso ter cuidado para não cair em uma das mais humanas: a soberba. Neste mundo complexo e mutante, é preciso aprender a dizer “Não sei” e também “Me enganei”. Do contrário, se aplicará a nós a frase que Michael Lewis fecha a reportagem sobre Joe Cassano, executivo da AIG, responsável pela crise hipotecária dos Estados Unidos em 2008-2009: “O problema não era que ele sabia que estava enganado, o problema era que para ele era muito importante estar certo”. Muitos na indústria da tecnologia da informação caíram pelo mesmo motivo. Embora não esteja em nossa natureza sermos humildes, para ir adiante, na tecnologia e na vida, é fundamental aprender a ser. *Nicolás Jodal é CEO e Cofundador de GeneXus International – empresa que desenvolve GeneXus – ferramenta de desenvolvimento de sistemas que permite criar aplicativos para as linguagens e plataformas mais populares do mercado, sem necessidade de programar.

Diferenciais e preço de mercado deixam imóvel bom para locação Número de imóveis ofertados em site para aluguel, em Curitiba, teve alta de 29,1%, para os residenciais

O

aquecimento dos lançamentos imobiliários na capital paranaense já apresenta reflexos no mercado de locação. Augusta Coutinho Loch, gerente da Senzala Imóveis, informa que a aquisição de um novo imóvel impactou o segmento de três formas principais. “Muitas pessoas que compraram o primeiro imóvel saíram do aluguel, deixando esses imóveis desocupados. Quem optou pela aquisição de um apartamento mais novo, por vezes, acabou deixando o seu para locação. Além disso, algumas pessoas compraram um novo imóvel para investimento, para alugar”, explica.   Isso, segundo Augusta, tem contribuído para o aumento na oferta de imóveis para locação na capital paranaense. Dados do Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar) revelam que o número de imóveis ofertados em site para aluguel, em Curitiba, teve alta de 29,1% (7.142 unidades), para os residenciais, e de 25,1% (2.601 unidades), para os comerciais, nos últimos 12 meses, tendo como referência o mês de maio. Uma pesquisa realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), no fim do ano passado, também mostrou que 15% dos interessados em adquirir um imóvel nos próximos anos pretendem o fazer com fins de investimento. Destes, 80% pretendem colocar o bem para locação.  Ao mesmo tempo em que promove uma ampliação das oportunidades de escolha aos locatários, por meio da diversidade de imóveis no mercado, o incremento da oferta também gera mais concorrência para os proprietários. Situação que pode ser constatada pela velocidade de locação.   A gerente da Senzala Imóveis conta que, em 2006, um apartamento de dois dormitórios, na região central, era alugado em, no máximo, dois meses. Hoje, o

Augusta Loch: a concorrência está nos imóveis menores

período médio é de três meses para aluguel da mesma edificação. “Normalmente a concorrência está nos imóveis menores, em apartamentos com um ou dois dormitórios, em todas as regiões da cidade. Vários prédios entregues têm metade dos imóveis com revenda ou liberado para locação”, observa.   Nesse novo cenário, Augusta afirma que é importante dotar o imóvel de diferenciais e, principalmente, coloca-lo para locação no preço real de mercado. Ela afirma que, ao mobiliar um imóvel por completo, o valor do aluguel pode ser de 10% a 20% maior. Benfeitorias que são ainda mais urgentes para os imóveis antigos, que saem em desvantagem em relação aos novos.   “Isso porque os antigos não têm toda a infraestrutura dos edifícios que estão sendo entregues. Para compensar essa diferença, o proprietário deve investir na manutenção do imóvel, em mobília, na reforma dos banheiros e da cozinha, além da troca dos pisos e revestimentos, assim como do encanamento”, aconselha.

  Entretanto, alguns nichos de mercado apresentam escassez na oferta de imóveis para locação, se comparado à demanda. Entre eles, Augusta cita as casas com área total média entre 80 e 100 metros quadrados, com dois ou três dormitórios, bem como sobrados com aluguel de até R$ 1.000,00. “É mais difícil encontrar casas neste perfil para locação, principalmente em condomínio fechado”, analisa.  

Preço de mercado

De acordo com a gerente da Senzala Imóveis, Augusta Coutinho Loch, é essencial que o imóvel para locação, especialmente ao tratar-se de apartamentos, seja anunciado dentro do preço de mercado. Caso contrário, o proprietário corre o risco de ver seu imóvel desocupado. Por isso, é importante solicitar e acatar a avaliação de um corretor de imóveis ou perito. “As pessoas pesquisam muito e, com a concorrência na oferta, aluga-se a moradia que estiver dentro do preço do mercado. Muitas vezes o inquilino nem vai ver o imóvel que está acima do valor”, relata.

  Assim como os diferenciais, outros itens são analisados no momento da avaliação de um imóvel para locação, a saber: localização, oferta na região e no condomínio, estado de conservação, ano de construção do edifício ou da edificação e valor de condomínio, quando houver. “O valor do condomínio conta muito. Muitas vezes, o proprietário precisa ajustar o valor do aluguel por conta do elevado peso das taxas condominiais”, observa Augusta.   A gerente da imobiliária lembra que o imóvel desocupado gera custos mensais para o proprietário, compreendendo a taxa de condomínio, as parcelas do IPTU e do seguro incêndio, este quando existir. Toma-se como exemplo um apartamento novo para locação, com dois dormitórios e uma vaga de garagem, no Bairro Santa Quitéria, com condomínio de R$ 280,00 e prestação de R$ 30,00 do IPTU. Se o apartamento estiver vago, mensalmente, o locador terá um encargo fixo de R$ 310,00, que corresponde a quase 30% do valor de locação do imóvel.

Feira Festa vai reunir empresas de eventos sociais e corporativos Empresas que prestam serviços para festas de aniversários, bodas, formaturas, congressos, lançamentos de produtos, workshops, peças de teatro, shows, eventos corporativos, reuniões empresariais vão marcar presença nos estandes da Feira Faça Festa 2013, na Expo Renault Barigui, de 17 a 20 de outubro . Nos quatro dias de evento são esperados 15 mil visitantes. Dentre as atrações, destacam-se desfile de trajes e serviços de moda, mostra de bolos e projeto de mesas decoradas. Concebida para ser o maior guia físico do Paraná, a Feira Faça Festa é uma oportunidade para os profissionais de diversas áreas que atuam no segmento de eventos, como fotógrafos, estilistas, chefs, administradores em geral.  Além de acompanhar as tendências lançadas

no setor, os participantes podem ampliar e qualificar o networking. A exposição reunirá mais de 100 empresas no projeto comprador, uma ação personalizada que a equipe oferece para facilidade e comodidade dos gestores de eventos, comunicação, marketing. Depois de cinco anos administrando o Teatro Positivo, e de criar o centro de eventos Expo Unimed, responsável pela realização de mais de 500 espetáculos teatrais, shows, feiras e exposições, o Grupo Positivo apresenta a Efex – Eventos, Feiras e Exposições, setor especializado em eventos. O êxito das atividades desenvolvidas no teatro e no centro proporcionou a expertise necessária e a ideia de reunir profissionais especialistas na promoção e organização de

Feira de 2012 na Expo Renault Barigui: novo padrão

negócios ligados à área de eventos, que buscam constantemente o contato com empresas nacionais e internacionais de alta especialidade no segmento. No segundo semestre de 2012, a Efex trouxe ao mercado

de Curitiba um novo padrão de organização e promoção de feiras e eventos, com a Feira Mundo Gastronômico, realizada em seu próprio pavilhão, o Expo Renault Barigui, o no Parque Barigui.

Mili importa equipamento para aumentar a produção A Mili, uma das maiores fabricantes brasileiras no segmento de higiene e limpeza, está importando da Europa um “cilindro Yankee”, da indústria alemã Voith Paper, uma das maiores fornecedoras mundiais de máquinas para fabricação de papel. Segundo o diretor comercial da Mili, Vanderlei Micheletto, o cilindro é peça fundamental da sétima máquina de papel tissue, que está sendo instalada na fábrica de Três Barras (SC). “Com este projeto de expansão, a Mili pretende aumentar a produção de papel em 90 mil toneladas/ano e será a mais moderna da América Latina no

Fábrica da Mili em Três Barras (SC): produção de papel será ampliada para 90 mil toneladas/ano

segmento”, destaca. Segundo dados da Voith, é a primeira vez em mais de 20 anos que uma empresa brasileira investe em um componente de grande porte como esse cilindro Yankee. Para a entrega deste cilindro, que possui quase 6 metros de diâmetro e 121 toneladas, o transporte será especial, irá contar com escolta e será realizado em horários alternativos. A peça chegou ao Porto de Itajaí (SC) no dia 22 de junho e deve levar aproximadamente 30 dias para ser transportada até a cidade de Três Barras (SC), em um caminhão de 53 metros de comprimento.


Mais-Valia

Walter Schmidt

Diário Indústria&Comércio

walter@induscom.com.br

Lacoste monta loja com design inovador

A Lacoste do shopping Pátio Batel está sendo montada dentro de um novo projeto de loja, o conceito Ágora. Lançado em Paris em 2011, o design vai proporcionar circulação fluida pelo mobiliário modular, evidenciando a segmentação das linhas de produtos e as coleções femininas, masculinas e infantis. Ou seja: o cliente compreenderá facilmente cada coleção e seus temas, além de ter maior interação com os produtos. ●●● Com 124m², será a primeira loja Lacoste de Curitiba dentro da nova estratégia comercial e estética da marca, que já existe nas principais flagships (loja em que a essência da marca está representada de maneira inovadora, demonstrando grandeza e posição no segmento) do mundo e em algumas cidades do Brasil.

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A7

quatro lojas. Realização da Tecnisa, com incorporação da Monarca e da Stuhlberger e vendas pela BrasilBrokers Galvão. O projeto arquitetônico é da Baggio Shiavon Arquitetura.

Inauguração chegando

Fim de agosto, início de setembro. Não deverá passar desta época a inauguração do shopping Pátio Batel, segundo preveem alguns dos lojistas. O anúncio oficial da data ocorrerá ao longo da semana.

Casa nova

O Clube de Criação do Paraná (CCPR) está de casa nova: Canal da Música, na Rua Júlio Perneta, 695 - sala 27 – Mercês. Sem fins lucrativos, o clube cuida da memória da comunicação paranaense e valoriza a atividade e os profissionais do mercado. E anualmente promove um festival para selecionar os melhores trabalhos criados no Paraná.

Planos de saúde discutem padrões

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo Regional Paraná e Santa Catarina (Abramge) promove depois de amanhã, pela manhã, o workshop “ Novo Padrão Tiss e Multiplicadores SIB”, voltado para dirigentes, gestores, assessores, controladores e auditores de operadoras de planos de saúde. No Mabu Royal & Premium Hotel. Presença de Luiz Antônio de Biase, representante da Abramge na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). ●●● Traduzindo: Tiss quer dizer Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar; e SIB, Sistema de Informações de Beneficiários.

3 perguntas para Gláucio Geara (vice-presidente e membro do Conselho Político da ACP)

Especializações em julho O Paraná é a casa da Renault. Somos parceiros do Estado do Paraná e tudo o que pudermos fazer para seu desenvolvimento, nós faremos”.

O Centro Europeu abre em julho diversos cursos de especialização nas áreas de administração de condomínio, gestão imobiliária, administração financeira, recursos humanos, comércio exterior, jurídica, tributária, contábil e fiscal, além de arquitetura, engenharia e tecnologia.

Mudanças no Sebrae

Antônio More/La Imagem

A Associação Comercial do Paraná está lidera campanha contra a proposta de instituição de feriados nos jogos da Copa do Mundo em Curitiba. Por quê? O comércio de Curitiba não vai suportar a paralisação. Afinal, serão quatro feriados nos jogos da Seleção e mais quatro (um coincide num domingo) nos dias de jogos em Curitiba. Os prejuízos serão elevados para a economia local.

Carlos Ghosn Presidente da Aliança Renault-Nissan

Iniciativa privada

Allan Marcelo de Campos Costa deixou mesmo o Sebrae/PR. Passa a se dedicar à iniciativa privada: assume o cargo de diretor presidente da Cooper Card, empresa paranaense do setor de meios de pagamento e cartões de benefícios. Será ainda conselheiro da Supernova (aceleradora de startups de Curitiba) e da Snowman Labs (desenvolvedora paranaense de soluções móveis).

Novo centro

Na Alameda Dr. Muricy esquina com a Rua André de Barros está nascendo o Novo Centro Curitiba. Terá 210 conjuntos de escritórios e

Já não se falava em feriados quando Curitiba foi anunciada como uma das sedes da Copa? Quando nos venderam a Copa do Mundo para o Brasil disseramnos que o grande evento seria uma forma de atrairmos o turismo e de incrementar o comércio. Se a proposta for levada adiante, Curitiba será uma cidade-fantasma nos dias de fluxo do turismo. Vitor Roberto Tioqueta e Julio Cezar Agostini são os novos diretorsuperintendente e diretor de operações do Sebrae-PR. Na foto, da esquerda para a direita: Julio Agostini, João Paulo Koskovski (presidente do Conselho Deliberativo), Vitor Tioqueta e José Gava Neto (diretor de gestão e negócios).

O que a ACP tem feito para barrar a proposta? O Conselho Político participou de reuniões na Câmara Municipal, ocasiões em que se manifestou contra os feriados. E já apresentou o problema ao prefeito Gustavo Fruet. O que queremos é que Curitiba saia ganhando com a Copa, não perdendo.

Presidente da Fecomércio explica empréstimo às pequenas empresas Acordo vai liberar só neste ano cerca de R$ 100 milhões em financiamentos A Vaca&Cia é presença constante em feiras e exposições

Vaca&Cia amplia o portfólio de produtos Criada na década de 1990 em Curitiba como fruto de grande admiração dos sócios pelo animal e sua integração na “cadeia do leite”, a Vaca&Cia começou com uma linha restrita de chaveiros, camisetas, bonés e gravatas. Mas depois de estabelecer parceria com o designer Felipe Locatelli, em 2006, e com o diretor comercial Gustavo de Pádua, em seguida, a marca aumentou seu portfólio de produtos.  Hoje, sua gama conta com mais de 300 produtos e se estende para decoração, presentes e design. A empresa trabalha no setor atacado com a produção de presentes corporativos. E tem mais de 700 lojas revendendo seus produtos no Brasil inteiro. Além disso, participa de muitas feiras e exposições de produtos. Principalmente em São Paulo. Os produtos da Vaca&Cia tem grande influência dos ofícios tradicionais porém sempre com um toque de modernidade. Ela revitaliza antigas técnicas de produção procurando desafiar materiais e artesãos tradicionais testando todos os seus limites. A criação de um novo produto nasce da análise de hábitos e comportamentos do dia-a-dia Em todos os produtos, um design exclusivo

ou simplesmente da expressão estética da forma. A Vaca&Cia tem como meta produzir quantidades limitadas para que cada peça tenha vida própria e não se torne um produto a mais. A Vaca & Cia trabalha com média de 40% dos seus itens importados, sendo grande parte proveniente da China e alguns itens especiais vindos de outros países como Estados Unidos e Grécia. O diferencial da marca, como explica Gustavo de Pádua, é que mesmo nos itens importados ela utiliza mão de obra regional para refinar os produtos, com o intuito de manter uma alta qualidade produtiva. A empresa importa produtos brancos como canecas, garrafas, bandejas, pratos, e kit's diversos. A segunda etapa do processo, que é produção de adesivos, aplicação e fundição dos adesivos nas peças, é feita internamente (há uma parte terceirizada), fazendo com que a empresa possa ter um alto índice de controle, além de fortalecer a indústria nacional. Os outros 60% dos produtos são comprados da indústria nacional e finalizados com o mesmo processo produtivo.

O

presidente da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Darci Piana, informa que os negócios das micro, pequenas e médias empresas do Paraná deverão ser aprimorados a partir de agora com as linhas de crédito abertas pelo Banco do Empreendedor, ligado à Fomento Paraná. A liberação ocorreu na semana passada com a assinatura de acordo de cooperação técnica entre a Fecomércio e o Governo do Paraná. A seguir, trechos de uma entrevista na qual Darci Piana explica o que é o acordo e de que forma os interessados podem se habilitar aos financiamentos. O que representa o acordo de abertura de crédito para micros, pequenos e médios empresários? Piana – O acordo de cooperação técnica entre a Federação do Comércio do Paraná e o Governo do Estado, através da Fomento Paraná, garante o acesso das empresas do comércio de bens, serviços e turismo às linhas de crédito do Banco do Empreendedor. Com o volume de empresas pequenas e médias no nosso Estado, são necessários recursos para que aprimorem seus negócios. Estes empréstimos financiam desde a compra de novos equipamentos e maquinários, até reformas de pontos comerciais. Enfim, atendem boa parte das

necessidades. Também haverá empréstimos para aquisição de veículos novos... Piana – Atendendo a um caso específico, a Fomento Paraná irá oferecer uma linha de crédito voltada aos representantes comerciais, semelhante ao que já é praticado pela linha ofertada pelo banco do Empreendedor aos taxistas. Essa nova linha permitirá que esses profissionais adquiram veículos novos em melhores condições ou possam adaptá-los para melhor atender os clientes e transportar seus produtos. De que forma os empresários podem ter acesso às linhas de crédito? Piana – Pela parceria, serão qualificados agentes de crédito entre os 59 sindicatos filiados à Fecomércio para apresentarem as linhas do Banco do Empreendedor às empresas. Hoje, esses empréstimos variam de R$ 300 a R$ 3 milhões, dependendo do tipo de investimento. Além disso, são as menores taxas de juros do país, entre 0,51% e 1,07% ao mês. Para ter uma ideia, só neste ano, a previsão é de R$ 100 milhões em financiamentos. Como a Fecomércio está presente na capital e nas cidades do interior, a capilaridade da entidade se torna a elemento facilitador para que as empresas tenham acesso às

Darci Piana: Fecomércio incentiva crescimento

linhas de crédito. O acordo vai além da abertura de linhas de crédito? Piana – Serão feitas capacitações em gestão empresarial, ofertadas pelo programa Bom Negócio Paraná, e outros cursos de capacitação promovidos tanto pela Fecomércio quanto por outras entidades parceiras. Essa parceria é benéfica a todos. É boa para a Federação do Comércio que está fazendo o seu papel como incentivadora do

crescimento e da sustentabilidade dessas empresas, como também para o empresário que têm acesso a recursos para que possa melhorar o seu negócio. Das empresas associadas à Fecomércio, quantas (e qual o percentual) se enquadram entre às micro, pequenas e médias? Piana –Temos aproximadamente 500 mil empresas representadas pela Fecomé

Henkel e Nordson têm parceria de novas tecnologias  para o mercado de embalagens Líder global em adesivos, selantes e tratamento de superfícies, a Henkel vai firmar parceria com a Nordson, empresa norte-americana que produz equipamentos precisos de distribuição para adesivos e outros materiais. O anúncio será feito na 29ª Feira Internacional de Embalagens, Processos e Logística para as Indústrias de Alimentos e Bebidas (Fispal Tecnologia 2013),

de 25 a 28 de junho, no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo. A aliança global tem como objetivo desenvolver novas tecnologias para o mercado de embalagens aliando a experiência da Nordson em engenharia de equipamentos à capacidade de formulação da Henkel e seu conhecimento de aplicações. “As duas empresas vão oferecer so-

luções integradas, sustentáveis e inovadoras que visam aumentar a confiabilidade e eficiência dos processos, reduzindo custos e incrementando a lucratividade do cliente, além de minimizar o impacto no meio ambiente”, informa Salvador Alvarado, gerente de Adesivos Industriais para América Latina da Henkel. A primeira solução criada é um

novo sistema de adesivos certificados que ajudam a conter custos e simplificar as operações, proporcionando o aumento da produtividade, confiabilidade e sustentabilidade. O sistema incorpora adesivos de alto desempenho ao equipamento de distribuição, eliminando os tanques convencionais de adesivo hotmelt, o que promove economia no uso de adesivos.


MÍDIA&MARKETING

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A8

ENTRETENIMENTO E MÍDIA

Mensagem da NeoExlcam: nova visão de mercado

NeoExclam mostra que gerar negócios é o seu novo conceito Já estão nas ruas de Curitiba os novos top sights criados pela NeoExclam. Eles mostram que a agência trabalha com a geração de negócios, indo muito além da publicidade e da propaganda. Nessa primeira etapa, os top sights podem ser vistos na Rua Eduardo Sprada, continuação da Av. Batel, e na Ivo Zanlorenzi, esquina com Lorival Maciel. Segundo o vice-presidente de planejamento da NeoExclam, Marcos Souza, o objetivo do grupo de comunicação é mostrar as novidades, desde a fusão feita no fim do ano passado com o grupo catarinense Vesta. “Esse é o resultado da ‘remodelação/ evolução’ da marca e, por isso, criamos esse conceito para dizer

a que viemos”. A união das duas empresas resultará no começo de uma nova fase na trajetória vitoriosa de um dos maiores grupos de comunicação do Paraná com mais de 46 anos de história profissional. “Sempre fomos reconhecidos por nossa postura ética, capacidade profissional e adaptação a todas as transformações impostas pela economia, pelo mercado e pela modernidade”, explica Hiram Silva Souza, presidente do Grupo Exclam.  A recente revolução digital na comunicação e a alta competitividade do mercado fizeram com que a tradição se una à modernidade, criando uma maneira de reinventar uma carreira de sucesso.

Abrafrigo critica comerciais de televisão do grupo JBS “A campanha de mídia e marketing do Frigorífico JBS, ora em exibição na mídia, olha apenas para os interesses comerciais da empresa, apresentando mensagens equivocadas e que prejudicam os mais de 200 frigoríficos em todo o país que também trabalham sob o regime do Serviço de Inspeção Federal (SIF), e que comercializam no mercado interno e exportam a carne bovina brasileira com o mesmo padrão de qualidade reconhecido mundialmente, graças ao trabalho realizado pe-

los fiscais do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa)”. A afirmação consta de nota distribuída pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), com críticas à ação publicitária promovida pelo JBS nos filmes mais recentes da segunda fase da campanha, “por não considerar todos os aspectos envolvidos na produção da cadeia produtiva da carne bovina e por desmerecer o trabalho realizado pelo SIF em frigoríficos de todo o Brasil”, segundo seu presidente executivo, Péricles Salazar.

Relatório projeta crescimento de gastos com publicidade no Brasil Maior parte dos investimentos nos próximos cinco anos ocorrerá na internet e na TV aberta

O

Brasil é um dos oito países/ regiões do mundo que terá o maior crescimento nos investimentos em publicidade e gastos do consumidor com entretenimento nos próximos cinco anos. Publicidade na internet (18,6%) e acesso à internet (14,7%) são os segmentos que terão as maiores taxas de aumento anual composto, segundo as projeções do 14º Entertainment and Media Outlook, um relatório da PricewaterhouseCoopers Brasil (PwC), empresa da rede mundial de firmas que se dedicam a prestar serviços de auditoria, consultoria tributária e de negócios. Gastos com acesso à internet, publicidade na TV aberta e assinatura e licenciamento de programas na TV paga são os maiores segmentos no Brasil e juntos respondem por 60% da receita total do setor que, em 2012, foi de US$ 42,514 milhões. O Brasil é um dos países onde o gasto do consumidor com TV por assinatura mais cresce. “A TV aberta ainda domina, especialmente devido à transmissão de jogos de futebol, das lutas de MMA e das telenovelas e a publicidade ainda está muito focada nesse canal, pois é um investimento de menor risco, mas com a ascensão da chamada nova classe média e o aumento do poder aquisitivo das famílias, mais pessoas terão acesso à TV paga e os investimentos em publicidade também devem migrar”, avalia Estela Vieira, sócia da PwC Brasil e líder de E&M (entretenimento e mídia). O mercado global de E&M crescerá a uma taxa anual composta de 5,7% nos próximos cinco anos,

Publicidade na internet (18,6%) e acesso à internet (14,7%) são os segmentos que terão as maiores taxas de aumento anual composto

gerando receita de US$ 2,2 trilhões em 2017. Brasil, China, Índia, Rússia, Oriente Médio, Norte da África, México, Indonésia e Argentina responderão por 22% da receita global projetada para o setor de E&M em 2017. Em 2008, estes oito países representavam 12% do total.

Jornais

A expansão da classe média e a migração para áreas urbanas, movimentos que vêm se intensificando nestes mercados, contribuirá para estabilizar ou até propiciar pequeno crescimento em alguns segmentos nos quais a receita vinha declinando

nos últimos anos. Publicação de jornais impressos (receita com publicidade e venda de exemplares), de revistas e publicidade em locais públicos (out of home - OOH), que compreende veiculação de anúncios em pontos de ônibus, estações de trem e metrô, bancas de revistas, aeroportos, ônibus, táxis etc, são alguns dos segmentos que se beneficiarão com estas tendências. Ainda que estes oito mercados em acelerado ritmo de crescimento, classificados como a “Próxima onda” no relatório da PwC, constituam o “motor de expansão” do setor, os mercados maduros e

tecnologicamente mais avançados, como os EUA, Europa Ocidental e Ásia pacífico, serão fundamentais na transição para o consumo global de serviços digitais de E&M. O consumo de produtos e serviços de E&M vem sendo democratizado globalmente por meio do crescente acesso à internet e do boom nas vendas de smart devices. Ao que tudo indica, segundo a análise do Global E&M Outlook, mesmo que a receita de mídias não digitais continue sendo preponderante para o setor, nos próximos cinco anos, a expansão virá dos gastos e investimentos em mídia digital.

Destaques do relatório •A lista dos 10 maiores mercados praticamente não terá alterações, no entanto haverá mudanças significativas nas posições do ranking. •Analisando somente os gastos do consumidor, a China passará de 5º ligar em 2012 para terceiro em 2017, ultrapassando o Reino Unido, em 2013, e a Alemanha, em 2016. •O Brasil será o terceiro maior mercado global de TV paga (considerando somente gastos com assinatura) ultrapassando o Reino Unido, o Canadá e

a Índia, já este ano. •Brasil, China, Índia e Rússia representarão 45% das assinaturas de serviços de banda larga fixa e 50% dos usuários de internet móvel em 2017. •Brasil e Índia são os únicos países nos quais a taxa de crescimento anual composto dos investimentos em publicidade em locais públicos (out-of-home OOH), nos próximos cinco anos, supera 10%. (Todos os percentuais representam taxa de crescimento anual composto).

A FAMÍLIA CRESCEU.

COM 229 EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA, A PREFEITURA DÁ ATENÇÃO A QUEM MAIS PRECISA. A META É CHEGAR A 500 EQUIPES, ATENDENDO TODA A POPULAÇÃO.

SAÚDE

Veja as novidades da Saúde no site www.curitiba.pr.gov.br/saude Facebook.com/PrefeituraMunicipaldeCuritiba • twitter.com/Curitiba_PMC


negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A9

COMUNICAÇÕES

Curitiba já conta com o serviço 4G da Telefônica Vivo

Mercadorama realiza 11ª edição do Festival Sabores de Inverno

Empresa antecipa prazos definidos pela Anatel e ativa rede 4G em 30 bairros

A

Telefônica Vivo oferece, desde sexta-feira (21), conexão 4G em Curitiba. O lançamento da tecnologia em trinta bairros da capital paranaense ocorreu com antecedência de seis meses em relação ao prazo definido pela Anatel – até 31 de dezembro de 2013 -- para oferta do serviço de quarta geração nas cidades-sede e subsedes da Copa do Mundo do próximo ano. Além de São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e das seis cidadessede da Copa das Confederações -- Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador --, a empresa já oferece o serviço 4G em oito localidades paulistas: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Sorocaba, Mogi das Cruzes, Barueri, Campos do Jordão e Águas de Lindóia. Com o lançamento em Curitiba, agora são dezessete os municípios brasileiros atendidos pelo 4G da Vivo. A tecnologia de quarta geração oferece ao cliente uma experiência de uso totalmente diferenciada no

Alessandro Guerra

Com expectativa de vendas 20% superiores a 2012, feira oferece bebidas e alimentos típicos com preços 15% mais baixos que nos outros meses do ano

Christian Gebara, diretor executivo de Mercado Individual Nacional da Telefônica Vivo

acesso à internet pela rede móvel. Com desempenho até dez vezes superior em relação ao 3G da Vivo, o usuário tem acesso ultrarrápido a vídeos, streaming de música e a jogos, entre outros serviços online ou na nuvem. A Telefônica Vivo adquiriu um dos blocos mais importantes do leilão 4G,

com faixa de frequência de 20+20 MHz, o que permite conectar mais clientes ao mesmo tempo com melhor qualidade. A empresa selecionou a Huawei para fazer o fornecimento e implementação da rede 4G/LTE nas regiões Sul e Nordeste (exceto Bahia e Sergipe), além dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Além da sinergia na infraestrutura, as redes 4G e 3G são complementares entre si. Por conta disso, quando o cliente ficar numa área sem cobertura de quarta geração, automaticamente é conectado à web via 3G ou 3GPlus, garantindo serviço de qualidade onde quer que o usuário ele esteja.

Editora Luz e Vida conquista prêmio Editora Luz e Vida é a vencedora do Prêmio Areté 2013 de Literatura, na categoria de melhor ilustração infantojuvenil para o livro Davi, o Rei Musical. A publicação também foi finalista nas categorias de melhor capa e multimídia. Os vencedores em cada categoria foram anunciados este mês, pela Associação de Editores Cristãos (Asec). Os premiados, além da Editora, foram os ilustradores da

obra: Equipe CartoonPro, Lucas A. Fabossi e Tiago Beresowski. O livro com CD, que faz parte da Coleção Educação Musical, lançado pela Luz e Vida, é indicado para o terceiro ano do Ensino Fundamental e conta com um repertório de canções adaptadas sobre a história do Rei Davi, salmos e playbacks, para que os professores possam trabalhar o conteúdo em sala de aula. O livro também apresenta ati-

vidades para coordenação motora e desenvolvimento intelectual. “O objetivo é apresentar às crianças a importância da música e do louvor, através da história do Rei Davi, de maneira bastante alegre e descontraída”, ressalta a autora da obra, a professora Roseli Rosário Pimenta. Criada em 1954, a Luz e Vida é uma empresa sem fins lucrativos, atuando na divulgação dos valores

cristãos, sociais e universais, produzindo materiais de qualidade . Há quase 60 anos no mercado, mantém-se fiel à sua missão de levar ao cliente produtos de qualidade que contém mensagens cristãs de amor, bondade e edificação – o que a torna reconhecida como uma das mais importantes editoras do setor. O principal destaque da empresa é a linha do personagem Smilingüido, produzida desde 1989.

Restaurantes da Capital abraçam campanha pela educação especial Os restaurantes de Curitiba se engajaram numa campanha em prol da educação especial, em ação promovida pela ASID (Ação Social para Igualdade das Diferenças). São 23 dos melhores estabelecimentos gastronômicos participando. Eles revertem parte do dinheiro da venda de pratos para projetos que serão desenvolvidos, gratuitamente, em escolas de educação especial. A parceria entre a organização sem fins lucrativos e os restaurantes começou em setembro de 2011. Até agora, já são 12 mil itens vendidos e uma arrecadação de R$ 20 mil. No caso de buffet por quilo, os estabelecimentos fazem investimentos mensais. “Esse dinheiro possibilitou a aplicação de diagnóstico e do IDEE (Índice de Desenvolvimento da Educação Especial) em oito escolas, abrindo caminho para trabalharmos na melhora da gestão e da estrutura dessas instituições”, conta Luiz Hamilton Ribas, um dos fundadores da ASID. A ideia nasceu da vontade dos próprios donos dos restaurantes, manifestada em feiras e eventos, de contribuir com a educação especial. Alguns deles participam da ação há quase dois anos. “Muitas pessoas também nos procuravam querendo contribuir com alguma coisa. Então, criamos a campanha. Para participar, basta ir a um dos estabelecimentos e consumir o item que integra a campanha e que foi determinado por cada estabeleci-

É nesse clima, de baixas temperaturas que o Mercadorama realiza a 11ª edição do Festival Sabores de Inverno. O evento tem entrada gratuita no Mercadorama Juvevê, em Curitiba. Tradicionalmente o evento apresenta aos frequentadores as novidades do mercado de vinhos, espumantes, cervejas especiais, queijos, entre outros produtos típicos da estação mais fria do ano, como os cafés especiais e os chocolates. Com mais de 20 dias de duração, o festival é ponto de encontro de apreciadores das bebidas e da culinária características da estação, mas também reúne consumidores que procuram por novidades gastronômicas e aproveitam para usufruir do espaço aconchegante montado no estacionamento coberto, do Supermercado Mercadorama, localizado na Rua João Gualberto, 1573. A expectativa de aumento nas vendas é de até 20%, comparado à edição de 2012.

Vinho nacional

O evento reúne uma ampla variedade de rótulos, de vinhos e espumantes, nacionais e importados. “Hoje, cerca de 60% do vinho comercializado é produzido no Brasil e 98% dele, é proveniente da Serra Gaúcha”, destaca Moacir Luiz Macioscik, gerente comercial do Walmart Brasil para a região Sul, responsável pela categoria de vinhos e destilados. Quanto às preferências da estação “o vinho tinto continua sendo o mais procurado para ir à mesa e corresponde

por mais de 80% da venda neste período”, destaca Macioscik. Na categoria de queijos, as apostas são os de auto-serviço que oferecem mais praticidade no momento da compra, em pedaços de 300g e 450g, além dos preparados para fondue com preços a partir de R$ 10, com porções prontas para duas pessoas. O espaço reúne 20 expositores, entre bebidas e alimentos, com preços até 15% mais baixos que nos outros meses do ano.

Cursos

Além da degustação nos estandes, os visitantes também poderão participar de inúmeros cursos e palestras, totalmente gratuitos, com gourmets, enólogos, nutricionistas e representantes das principais vinícolas. Os especialistas darão dicas sobre como montar um menu de inverno, a arte e os segredos do café, harmonização adequada para os vinhos tintos e os importados, os benefícios nutricionais dos vinhos e dos queijos, os whiskys, entre outros temas. Os cursos ocorrerão nas quartas e quintas-feiras, das 19h às 20h, e nas sextas e nos sábados, com início às 18h e às 20h, todos com uma hora de duração, conforme programação abaixo. As inscrições devem ser feitas no local. A programação completa dos cursos do Sabores de Inverno 2013 está também no Facebook da rede: Mercadorama Supermercados. Acesse aqui: http://migre.me/ f6Tzr

Empresas&Produtos Azeites gregos no Armazém Seu Luiz Duas marcas especiais de azeites gregos podem ser encontradas no Armazém Seu Luiz (av. 7 de Setembro, 6131) e nas lojas de rua da Casa da Azeitona (av. Iguaçu, 481 e Al. Júlia da Costa, 1829) - Sol Creta e Terra Creta. A primeira está disponível na versão tradicional (R$ 32,90) e com azeitonas (R$ 36,50) – ambas de 500 ml. O produto é elaborado a partir de oliveiras seculares da variedade koroneiki, localizadas na ilha de Creta. O sabor é leve e frutado, com baixa acidez. A novidade do Terra Creta é a versão em 500 ml, por R$ 31,50, e o Terra Creta Spray Gourmet Premium, de 250 ml, por R$ 24,50. Também são da variedade koroneiki, porém com sabor um pouco mais apimentado. Mais informações: www.armazemseuluiz.com.br e www.casadaazeitona.com.br.

Descontos de até 50% na Arezzo

Cantina do Délio é um dos muitos estabelecimentos revertem parte da venda de produtos para projetos em escolas

mento”, explica Ribas. Os locais participantes são: Jacobina, Bistrô do Victor, Mercearia Anos 30, Jokers, Zapata, Cantina do Délio, Pata Negra, Rock’a Burger, Carmel, Capitu, Baroneza, Bistrô Passeio, Bella Brigadeiro, Ervin Churrascaria, Villa Sabor, Happy Burger, Dom Cordoni, Mago Merlin, Kebabix, Cantata Café, La Lupa, Quanto Basta e Bom Marché. Mais informações podem ser obtidas no site www.asidbrasil. org.br <http://www.asidbrasil.

org.br/> ou na página da ASID no Facebook www.facebook.com/ asidbr <http://www.facebook. com/asidbr> .

Sobre a ASID

Fundada em 2010, a ASID (Ação Social para Igualdade das Diferenças) é uma organização sem fins lucrativos que trabalha para melhorar a qualidade de ensino e a gestão nas escolas de educação especial gratuitas, resultando na abertura de vagas no sistema. Atualmente,

são 13 instituições atendidas em Curitiba. O trabalho é totalmente gratuito para as escolas e começa com aplicação do IDEE (Índice de Desenvolvimento da Educação Especial), que possibilita o diagnóstico de cada escola a partir de 39 indicadores relacionados à situação financeira, infraestrutura, marketing, captação de recursos, recursos humanos e jurídico, além da observação de aspectos como liderança e impacto social.

Desde sábado (22), a Arezzo em Curitiba está em sua temporada de promoção. Bolsas, botas e muitos outros modelos de sapatos estarão com até 50% de desconto. Uma ótima oportunidade de turbinar o guarda roupa de inverno com peças cheias de informação de moda e preços especiais. A promoção vale por tempo indeterminado ou enquanto durarem os estoques. E para aquelas que estão programando férias em Julho, a sugestão é uma sapatilha ou uma bolsa para acompanhar essa viagem.

WORKSHOP RAPHAELLA BOOZ A grife de sapatos femininos Raphaella Booz promoveu na terça-feira (18) um Workshop especial para clientes e convidados com a designer de imagem Gisele Busmayer e a Life Coach Cibele Nardi. A designer de imagem revelou dicas de estilos e como usar as roupas apropriadas para cada um, já a Life Coach explicou a importância do Coach e como ele pode ajudar as pessoas a se desenvolverem tanto pessoalmente como profissionalmente.

IPHONE MANIA O celular se tornou um acessório especial na vida das pessoas e a Dumond sabe disso. Por isso este item básico merece destaque em looks pra lá de inspiradores. Cases em forma de desenhos animados, barrocos, minimalistas, com muito brilho ou simplesmente para proteção, se tornaram o diferencial. Para o inverno 2013, a Dumond trouxe a inspiração dos spikes para dar mais glamour às capinhas de silicone. Em seis cores diferentes essas cases prometem dar um up-grade em qualquer iPhone.

Vacina no inverno Em comemoração à chegada do inverno o Laboratório Frischmann Aisengart irá praticar valores especiais para a vacina da gripe entre os dias 22 e 30 de junho. As unidades de vacinação são: Batel II (Rua Alferes Ângelo Sampaio, 1299, Batel) e Alto da XV (Rua XV de Novembro, 3101).


Aroldo Murá G. Haygert

Contato com o jornalista: aroldo@cienciaefe.org.br

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A10

RESENHA DE MOMENTO HISTÓRICO Ainda nas lentes de Suelen Lima e Felipe Rosa, momentos da grande noite de lançamento do Vozes do Paraná 5, livro de Aroldo Murá G.Haygert. No casarão histórico de Casillo Advogados, em Curitiba, segunda-feira, dia 17.

Hélio de Freitas Puglielli, Jean Seletti,, Aroldo, Leila Magalhães e Carlos Marassi

Edson Ramon personagem do Vozes do Parana 5 e Pres. da Associação Comercial do Paraná: agradecendo ao autor pela escolha de seu nome na relação de alguns que estão fazendo a historia do Paraná contemporânea

Grupo em que aparecem Conceição Barindelli e Dóris Battisttella

A novíssima geração representada por Isabelle Vitória Leite Haygert, com Nilson Monteiro, escritor, que lançará romance em agosto

Em seu nome e no nome de Jorge Samek – a quem representou na noite – homem de Comunicação Social e amigo Gilmar Piolla

Márcio Renato dos Santos, escritor, presença aguardada na noite

Maria Elisa Ferraz Paciornick: será personagem de Vozes do Paraná 6

Jayme Guelmann e Sheila Fligarcz, presenças em nome de Sabine, enfocada em Vozes 5

O gentleman Carlos da Costa Coelho, um padrão de curitibano

João Jayme Ferreira, presidente da Sociedade Evangélica Beneficente (SEB), responsável pelo processo de recuperação do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba


especial

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A11

A beleza e o carinho de Danieli Mangini e Marcelle de Cerjat Duarte (a quem o livro é dedicado, juntamente com Isabelle Vitória Haygert)

Szyja Ber Lorber e Rosilda. Ele é o diretor do mensário Visão Judaica, amigos meus de sempre

Christiani Moraes – viúva de Creso Moraes – com filhas

Um dos melhores cronistas de Curitiba, Dante Mendonça, com a editora disputadíssima Maí Nascimernto Mendonça, recém chegados de temporada em Portugal

Marisa Valério e Isadora Valério; Edemar Colpani, Regina Freire Maia (filha de Newton Freire-Maia)

Tomás Barreiros e Darci Piana

Oscar Alves e filha (de preto), Segismundo Morgenstern, Cleverson Marinho Teixeira e Cláudia Regina Gabardo

Grupo em que aparecem: Juca Zockner, Julieta Reis, deputado Sciarra e Darci Piana

O historiador do saneamento do Paraná, Zair Schuster, e Luiz Augusto Juk (que trouxe mensagem e representou o deputado Ney Leprevost)

Da esquerda para a direita: Leonor Demeterco (viúva do professor Lamartine Correia de Oliveira), Regina Flávia Naves Freire Maia (filha do homenageado Newton Freire-Maia) e professora Cecília Vieira Helm (filha do professor Vieira Neto)

Des. Renato Bettega, João Chiminazzo, Edson Ramon, Dalton Rispolli, Sérgio Dias

Bem à esquerda, o Sr.Camilo Turmina, joalheiro e vice-presidente da Associação Comercial do Paraná e, ao lado dele, o desembargador Mário Hélton Jorge

Nílton Cezar Brejinski, Garcia Brejinski, Adélia Rodrigues Garcia Brejinski, Lilia Souza, vice-presidente da Academia Paranaense da Poesia, e Bárbara Keene, representando Andrea Gurdya

Patricia Braga Alves, a vereadora de Curitiba Julieta Reis, Osman Arruda e Oscar Alves

Ricardo Takiguti e Altair Francener (da Enfoque Comunicação)

Cacilda Clebsch, Carina Moraes, Domingos Pelergrini Jr, Christiani Moraes e Corina Moraes, familiares e amigos do homenageado Creso Moraes (in memoriam)

Tato Taborda Ribas (com Maria) e o autor

A geneticista Eleidi Freiri Maia e Edmilson Fabbri (personagem de Vozes do Paraná 3)

Sendo entrevistado pela Ó TV

Entrevista a Peter, para a TV Via Satélite da educação a distância do Grupo Uninter

Bento Garcia Junior: um dos personagens de Vozes do Paraná 2


Judiciário

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. A12

Decisão

Determina a perícia para apurar dívida bilionária do município de Salvador A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que deve ser feita perícia para apurar uma suposta dívida do município de Salvador, em valor que superaria R$ 1 bilhão. A dívida seria resultante de acordo realizado entre o município e empresas de engenharia e construção, em fase de execução. O município contesta o valor, alegando que já não há mais débitos com as empresas. O recurso ao STJ foi interposto por Coesa Comércio e Engenharia Ltda. contra decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA). Atuam como interessadas a Construtora Ferreira Guedes S/A, Góes Cohabita Construções S/A e Ecomati Construções e Incorporações Ltda.

A discussão nos autos decorre de embargos opostos pelo município contra a execução de sentença que homologou acordo entre as partes na Ação Cautelar 1.952/91, que tramitou perante a 7ª Vara de Fazenda Pública de Salvador. No acordo, o município concordou em destinar 20% das cotas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), do ICMS e do IPVA para saldar a dívida com as construtoras. Esse acordo foi posteriormente questionado e o Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) acolheu preliminar de nulidade de sentença para determinar a realização da complementação de perícia. O objetivo era apurar eventual excesso de execução.

Dispensa de honorários não é regra em renúncia a ação para aderir a parcelamento tributário É legal a imposição de honorários advocatícios de sucumbência ao contribuinte que renuncia ao direito ou desiste de ação para aderir ao regime de parcelamento de débitos tributários instituído pela Lei 11.941/09. A decisão é da Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça, em julgamento de recurso repetitivo. Seguindo tese firmada pela Corte Especial do STJ, a Seção reafirmou que o artigo 6º, parágrafo 1º, da referida lei “só dispensou dos honorários advocatícios o sujeito passivo que desistir de ação ou renunciar ao direito em demanda na qual se requer o restabelecimento de sua opção ou a sua reinclusão em outros parcelamentos”. Segundo o relator do recurso, ministro Herman Benjamin, o dispositivo condiciona a exoneração

dos honorários à extinção da ação exatamente na forma do artigo. Nas demais hipóteses, por falta de disposição legal em sentido contrário, aplica-se o artigo 26, caput, do Código de Processo Civil (CPC), que determina o pagamento dos honorários pela parte que desistiu. O recurso refere-se a ação declaratória ajuizada contra a União para discutir a existência de créditos de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, constituídos em auto de infração. Ao homologar a renúncia, o TRF3 extinguiu o processo com julgamento de mérito e fixou os honorários, conforme o artigo 20, parágrafo 4º, do Código de Processo Civil, em R$ 20 mil. Como o recurso foi negado pelo STJ, esses honorários ficam mantidos.

Justiça&Direito

www.justicaedireito.com

mandato de segurança

Plenário nega tramitação do PLC 14/2013 no Congresso O projeto de lei negado cria restrições para a criação de novos partidos políticos

O

Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu nesta quinta-feira o julgamento do Mandado de Segurança (MS) 32033, que questiona o projeto de lei que cria restrições para a criação de novos partidos políticos (PL 4470/2012 – aprovado pela Câmara e recebido no Senado Federal como PLC 14/2013). Com os três últimos votos proferidos, a maio-

ria dos ministros decidiu negar o MS de autoria do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), cassando a liminar deferida pelo relator do processo, ministro Gilmar Mendes, que determinou a suspensão do trâmite do projeto de lei. O julgamento foi suspenso na quinta-feira passada e, até aquele momento, os ministros Gilmar Mendes (relator) e Dias Toffolli

Inscrição para o repasse de recursos para o combate à seca é impidida A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, deferiu pedido de liminar formulado pelo Estado do Piauí em Ação Cautelar (AC 3381) e determinou que a União se abstenha de inscrever o estado e seu Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (EmaterPI) em cadastros de inadimplentes que impeçam a celebração de convênios e acordos de cooperação com a União e de receber recursos. A inscrição no Cadastro Único de Convênios do Sistema Integrado de Administração Financeira (SIAFI/CAUC), segundo o estado, o estaria impossibilitando de receber recursos que ultrapassam R$ 13 milhões, destinados a projetos para fornecimento de água para consumo humano no semiárido do

Piauí, oriundos de convênio com o Ministério do Meio Ambiente. A inscrição foi determinada pelo atraso na entrega de prestação de contas de um convênio firmado entre o Emater/PI e o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Ao pedir a liminar, o Piauí afirma que a interrupção do fluxo de transferências voluntárias por parte do Governo Federal causará grande impacto financeiro ao estado. Ao deferir a liminar, a ministra Rosa Weber observou que, em casos semelhantes, o STF tem deferido a cautelar, considerados os prejuízos decorrentes da inscrição no SIAFI/ CAUC para os exercícios da função primária do ente político, “sobretudo na continuidade da execução das políticas públicas”.

BC mantém projeção de investimento estrangeiro direto em US$ 65 bilhões O Banco Central (BC) manteve a projeção para os investimentos estrangeiros diretos, que vão para o setor produtivo do país, em US$ 65 bilhões, este ano. Em relação a tudo o que o país produz Produto Interno Bruto (PIB) esses investimentos vão corresponder a 2,79%. De janeiro a maio, os investimentos estrangeiros diretos chegaram a US$ 22,856 bilhões, contra US$ 23,907 bilhões nos cinco meses de 2012. De acordo com o Banco Central, esses investimentos não vão ser suficientes para cobrir o déficit nas

contas externas. Os investimentos estrangeiros diretos são considerados a melhor forma de financiar o saldo negativo das transações correntes (compras e as vendas de mercadorias e serviços do país com o mundo) por ser de longo prazo. Na sexta-feira (21/06), o Banco Central aumentou a projeção para o déficit em transações correntes, este ano, de US$ 67 bilhões para US$ 75 bilhões, o que vai corresponder a 3,22% do PIB. Mesmo assim, o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, destacou que os

investimentos estrangeiros diretos continuam cobrindo a maior parte do déficit em transações correntes. As demais fontes (empréstimos, investimentos estrangeiros em ações e renda fixa) fazem com que o quadro de financiamento continue confortável. As taxas de rolagem (dos empréstimos) continuam confortáveis, disse. O BC revisou a estimativa para a taxa de rolagem (razão entre desembolsos e amortizações) total de empréstimos de médio e longo, para este ano, de 125% para 138%. Essa taxa indica que as empresas

não somente rolaram os vencimentos, mas também tomaram novos recursos. Outra estimativa revisada foi a do investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no país de US$ 5 bilhões para US$ 12 bilhões. Esses investimentos foram estimulados por decisão do governo, anunciada no dia 4 deste mês, de isentar de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) as aplicações no país. Já a projeção para investimento estrangeiro em ações brasileiras, tanto no país como no exterior, foi mantida em US$ 10 bilhões.

Presidente da CNBB espera garantias do Estado durante a Jornada Mundial da Juventude O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno de Assis espera que o Estado dê garantias de segurança aos jovens que participarão da Jornada Mundial da Juventudeno RJ. De qualquer forma, ele não acredita que as manifestações ocorridas no decorrer da semana, em várias cidades, tragam prejuízos ao evento.

Em entrevista na CNBB, o cardeal ressaltou que não há previsão de mudanças na programação da jornada. “Desejamos que a jornada transcorra de maneira calma, acolhendo os jovens que virão de todas as partes. Que eles possam passar esse dias participando de toda a programação sem nenhum transtorno”, acrescentou. Além das garantias de segurança ao evento, dom Raymundo Damasceno

já haviam se pronunciado pela concessão parcial do MS, por considerarem inconstitucional a deliberação legislativa nos termos adotados pelo Congresso Nacional. Em sentido contrário, haviam votado pelo indeferimento do pedido os ministros Teori Zavascki – que abriu a divergência – Rosa Weber, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio.

espera que o encontro aconteça de forma tranquila, em todos os sentidos, “com bons serviços e garantia de assistência à saúde”. O presidente da CNBB destacou que os preparativos para a Jornada Mundial da Juventude avançam em ritmo acelerado e em clima de traquilidade. Questionado se as notícias sobre a violência ocorrida nas manifestações poderiam pre-

judicar a vinda de jovens de outros países ao Brasil, dom Raymundo Damasceno disse que espera um número menor de participantes europeus, mais motivado pela crise financeira no continente e não pelas manifestações. Nesta sexta, dom Raymundo Damasceno, se reunirá com Dilma e tratará da organização da Jornada Mundial da Juventude, que ocorre entre 23 e 28 de julho.

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

A ministra Rosa Weber, ao deferir a liminar, ressaltou que o Plenário reconheceu a repercussão geral da questão relativa à necessidade de prévio julgamento para a inclusão de ente federativo no SIAFI

A ministra Cármen Lúcia, ao apresentar seu voto na sessão, pronunciou-se, preliminarmente, pelo não conhecimento da ação. Ou seja, opinou que o STF nem mesmo deveria analisar os argumentos, uma vez que, em sua opinião, não ficou demonstrada nenhuma “exorbitância do Poder Legislativo” que justificasse a apresentação do mandado de segurança.

Economista será indenizada por dano existencial A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul – Cassems a indenizar em R$ 25 mil uma economista de Campo Grande que estava há nove anos sem conseguir tirar férias. A Turma considerou que a supressão do direito prejudicou as relações sociais e os projetos de vida da trabalhadora, configurando o chamado dano existencial. O Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região reconheceu o vínculo de emprego, mas indeferiu a indenização por danos morais.

IBGE: economia tem crescimento modesto, mas número de pessoas ocupadas continua aumentando O número de empresas industriais com mais de uma pessoa ocupada cresceu 4% no Brasil de 2010 para 2011, passando de 299.862 para 312 mil. Do mesmo modo, o número de pessoas ocupadas mostrou expansão de 3%, subindo de 8,4 milhões de pessoas pra 8,6 milhões, com média de 28 pessoas empregadas por empresa. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Anual Empresa (PIAEmpresa), divulgada na sexta-feira (21/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a economista Maristella Rodriguez, da Coordenação de Indústria do IBGE, a indústria brasileira mostrou estabilidade em 2011, em comparação ao ano anterior. “Ela teve um crescimento muito modesto que, na verdade, (decorre) do cenário internacional”. Lembrou que a economia mundial foi afetada pela crise financeira de 2008, pela debilidade da economia norte-americana e, mais recentemente, pela crise do euro. A volta da trajetória de crescimento modesto da indústria brasileira está apoiada na contribuição da indústria extrativa, intensiva em recursos naturais. O que ocorre, disse Maristella à Agência Brasil, é que apesar do pequeno peso da indústria extrativa na estrutura industrial, há um efeito multiplicador importante. “Os bens que nela são extraídos fornecem insumos, tanto para a indústria de transformação como para a indústria da construção civil”. Maristella ressaltou que o valor adicionado da indústria brasileira, diferença entre o valor bruto da produção e o consumo intermediário, atingiu R$ 679,3 bilhões, em 2011. As atividades com maior participação no total da indústria foram fabricação de produtos alimentícios (12,6%), extração de minerais metálicos (9,9%), fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis

(9,8%), fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (9,5%) e fabricação de produtos químicos (6,7%). Juntos, esses cinco segmentos industriais representam 48,5% do valor adicionado da indústria total. O valor bruto da produção e o consumo intermediário somaram, respectivamente, R$ 2,1 trilhões e R$ 1,4 trilhão. Já o valor da transformação industrial, que corresponde à diferença entre o valor bruto da produção industrial e o custo das operações industriais, alcançou R$ 936,8 bilhões. O IBGE observou que os dois primeiros setores (produtos alimentícios e minerais metálicos) têm grande peso dentro da indústria. O ganho de participação do ramo de fabricação de produtos alimentícios em 2011, por exemplo, foi 12,2% em relação ao ano anterior. As empresas do setor industrial mostraram receita líquida de vendas de cerca de R$ 2,2 trilhões, em 2011, com média de R$ 7 milhões por empresa. Os gastos com pessoal somaram R$ 319,2 bilhões e mostraram participação de 14,5% na estrutura dos custos e despesas da indústria, cujo total alcançou também R$ 2,2 trilhões. Maristella Rodriguez disse que as empresas com 500 ou mais pessoas ocupadas, com maior escala de produção, continuam com maior participação no total da indústria brasileira. “Em 2011, essas empresas auferiram receita líquida de vendas correspondente a 68,2% do total, percentual superior ao de 2010 (67,4%). As grandes empresas dominam o mercado, nesse sentido”, disse. Em termos de dinâmica da indústria, Maristella disse que um dos setores que têm peso grande dentro da estrutura industrial e que ganhou participação, em termos percentuais, de 2007 para 2011, foi a indústria de alimentos.


Diário Indústria&Comércio

Publicidade Legal Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B1

SÚMULA DE EMISSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO PEDREIRA PEROLA LTDA, torna público que recebeu do IAP, Licença de Operação Nº 28.927 para extração de argila na PR-170 Km 7,5, Município de Guarapuava, PR. Validade 10/06/2017. SÚMULA DE EMISSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO Mineração Redenção Ltda torna público que recebeu do IAP, Licença de Operação nº 28.757 para extração e beneficiamento de calcário instalada no Bairro Cerrado da Roseira, Jaguariaíva, PR. Validade 14/05/2017.

SÚMULA DE RENOVAÇÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO Pedreira Rio Quati Ltda torna público que requereu ao IAP, Renovação da Licença de Operação nº 19.510 para Usina de Asfalto instalada na Estrada Rio da Paz s/nº km 04, Cascavel, PR. A empresa abaixo torna público que recebeu junto a SMMA a Licença de Operação, para o empreendimento a seguir especificado: EMPRESA: CLÍNICA DE CIRURGIA PLÁSTICA MILTON DANIEL LTDA; ATIVIDADE: Atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências; ENDEREÇO: Avenida Visconde de Guarapuava, 4742 – Batel; MUNICÍPIO: Curitiba – PR.

A empresa abaixo torna público que solicitou junto a SMMA a Renovação da Licença de Operação, para o empreendimento a seguir especificado: EMPRESA: CLÍNICA DE CIRURGIA PLÁSTICA MILTON DANIEL LTDA; ATIVIDADE: Atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências; ENDEREÇO: Avenida Visconde de Guarapuava, 4742 – Batel; MUNICÍPIO: Curitiba – PR. Metalúrgica Ensil Indústria e Comércio Ltda Me torna publico que requereu a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a Licença previa da atividade Fabricação de Cabines, carrocerias e Reboques para caminhões, serviços de instalação, manutenção e reparação de acessórios para veículos automotores, situada na rua Dr. joão Kracik Neto, 100 tatuquara Curitiba - Paraná CEP: 81940-180. A VIAÇÃO CIDADE SORRISO LTDA., torna público que recebeu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, a renovação da Licença Ambiental de Operação, para serviço de transporte rodoviário coletivo de passageiros com itinerário fixo, regular, municipal urbano, situada à Rua João Sikora, 201 no bairro Umbará, município de Curitiba, Paraná. Validade: 10/06/2014. Claro S/A, torna público que protocolou para análise na Secretaria Municipal do Meio Ambiente - SMMA de Curitiba, o Estudo Prévio de Impacto de Vizinhança - EIV, referente à implantação da estação de telecomunicações, situada à Avenida Senador Souza Naves, 1417 – Cristo Rei – Curitiba – PR, CEP: 80.050-040 estando o mesmo disponível para consultas dos interessados, por 30 (trinta) dias no Departamento de Pesquisa e Monitoramento- MAPM da SMMA.Curitiba,21/06/2013.

SÚMULA DE EMISSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO RISOTOLÂNDIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA., torna público que recebeu do IAP, licença de operação, com validade até 17/05/2017para a atividade de preparação de refeições coletivas do empreendimento localizado na rua Luiz Franceschi nº 657 no Município de Araucária no Estado do Paraná.

SÚMULA DE EMISSÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO RISOTOLÂNDIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA., torna público que recebeu do IAP, licença de operação, com validade até 06/06/2017 para a atividade de preparação de refeições coletivas do empreendimento localizado na rua Carlos Gussonº 351 no Município de São José dos Pinhais no Estado do Paraná. EDITAL DE PROCLAMAS Cartório Distrital da Barreirinha JOAQUIM VIEIRA MACIEL - Titular Av. Anita Garibaldi ,1250 – Ahú – Fone (41) 3352-3002/3254-8424/3252-3605 Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem documentos exigidos pelo artigo 1525, incisos I, III e IV; I, III,IV e V do Código Civil Brasileiro em vigência, os contraentes: 1-MARCELO SCHUSTER OLIVEIRA SANTOS e EMANUELA CAROLINE NOGUEIRA ANGELIN; 2-WELINTON FERREIRA PRUDLO e KATIA TAKANO MORAES; 3- FABIANO DE SOUZA e ELOISA RODRIGUES COLAÇO; 4-DIMITRIUS CORREIA ABREU e ROBERTA KUCZKOWSKI; 5-MOISÉS DIEGO ARNOLD e ANA PAULA MACHADO CARNEIRO. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 21 DE JUNHO de 2013

1º Ofício do registro Civil 13º Tabelionato Leão Bel. Ricardo Augusto de Leão - Oficial Trav. Nestor de Castro, 271 - CEP 80.020-120 Centro - Curitiba - PR EDITAL DE PROCLAMAS

abnoticias@abcom.com.br

AB Notícias ECONOMIA AQUECIDA A Região Metropolitana de Curitiba fechou maio com a menor taxa de desocupação no mercado de trabalho (3,9%), segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Além disso, registrou o melhor rendimento médio para o trabalhador do país, com R$ 2.027,20. Os números apontam para o aquecimento econômico na capital, que vem registrando Produto Interno Bruto (PIB) superior à média nacional.

PESCA EM FOCO Arapoti, nos Campos Gerais, receberá verba para o fomento da produção da pesca familiar. O projeto Aquicultura Familiar Brasil, do Ministério da Pesca, vai atender a diversos municípios oferecendo equipamento para incentivar a diversificação de renda nas propriedades. As máquinas devem ser distribuídas até setembro e os investimentos somam um milhão de reais.

TRÂNSITO MELHOR Arapongas, Norte do Estado, inicia trabalhos de melhorias e algumas mudanças no sistema viário, visando a agilizar o fluxo de veículos. A primeira etapa envolve a revitalização e ampliação de sinalização horizontal e vertical e instalação de redutores de velocidade. Outras mudanças importantes serão realizadas, como a reforma da rotatória da Rua Rouxinol e Rua Flamingos e implantação de sinalização adequada.

Faço saber que pretendem casar-se: 1 - EDY GIANEZ SILVA e MARIANA SOUZA SANTOS. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 21 DE JUNHO de 2013

ASSEMA Associação dos Servidores do Sistema Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Presidente da ASSEMA, no uso de suas atribuições, convoca os associados, para Assembléia Geral Extraordinária, que ocorrerá no dia 04/07/2013, as 18:00 horas em primeira convocação, ou as 18:30 horas em segunda convocação, no Auditório do ÁGUASPARANA, à Rua Santo Antonio, 239, Rebouças, Curitiba/PR, com a seguinte pauta: 01) Ratificação das Alterações de Mensalidades, tomadas na Reunião da Diretoria, do dia 02/10/2012 02) Ratificação das Mudanças Estatutárias aprovada na Assembléia do dia 26/11/2012; 03) Discussão e aprovação de Mudanças no Estatuto. 04) Assuntos Gerais. Curitiba, 21 de junho de 2013. RUI DA SILVA Diretor Presidente COMPANHIA PROVIDÊNCIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Companhia Aberta CNPJ n.° 76.500.180/0001-32 NIRE 41.3.000.5081-3 FATO RELEVANTE COMPANHIA PROVIDÊNCIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO, companhia aberta, com sede na cidade de São José dos Pinhais, Estado do Paraná, na rodovia BR 376, km 16,5, s/nº (“Companhia”), líder na fabricação e comercialização de nãotecidos no Brasil, com significativa presença nas Américas e atuação global, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que a Companhia contratou, como seu assessor financeiro, o Lazard Assessoria Financeira Ltda e suas afiliadas para assessorá-la na identificação e avaliação de potenciais alternativas estratégicas envolvendo a Companhia e que sejam de seu interesse e de seus acionistas. Neste momento não há qualquer definição ou decisão tomada a respeito de qualquer potencial transação estratégica envolvendo a Companhia, seus acionistas controladores, os valores mobiliários de emissão da Companhia ou os seus ativos. A Companhia manterá seus acionistas e o mercado devidamente informados sobre qualquer fato relevante, nos termos da legislação aplicável. São Paulo, 21 de junho de 2013. Eduardo Feldmann Costa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

DE OLHO NO ENEM Estudantes que se preparam para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) terão uma ajuda da Educação a Distância do Instituto Federal do Paraná (EAD/IFPR). Inicia o curso Pré-ENEM IFPR gratuito. São aulas transmitidas ao vivo para os pólos parceiros de educação à distância. São aproximadamente quatro meses de curso preparatório. Os estudantes interessados que não residirem próximo aos pólos poderão assistir as aulas em casa. O programa estreou em 2012 com mais de seis mil acessos mensais.

ALFABETIZAÇÃO EM TOLEDO A Prefeitura de Toledo e o Núcleo Regional de Educação firmaram parceria para identificar e localizar pessoas analfabetas acima de 15 anos de idade. O objetivo é proporcionar uma oportunidade educacional para atender quem ultrapassou a idade de escolarização regular. De acordo com o censo do ano de 2010, realizado pelo IBGE, Toledo tinha 4.312 pessoas, acima de 15 anos, não alfabetizadas.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER Mais de um terço de todas as mulheres do mundo são vítimas de violência física ou sexual, segundo a Organização Mundial da Saúde. Isso representa um problema de saúde global. A grande maioria das mulheres sofre agressões e abusos de seus maridos ou namorados, e sofrem problemas de saúde que incluem ossos quebrados, contusões, complicações na gravidez, depressão e outras doenças mentais, diz o relatório.

INCUSÃO DIGITAL Reserva do Iguaçu, Centro-Sul do Estado, deve ter internet banda da Copel. A previsão é que comecem a ser vendidos planos entre os meses de outubro e novembro. A estatal já interligou todos os municípios paranaenses com uma rede de fibra óptica, chamada Backbone, e deve priorizar as cidades pequenas para disponibilizar de serviços de internet. O objetivo é promover a inclusão digital, beneficiando a população.

COMÉRCIO NA INTERNET Pesquisa do Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente concluiu que o decreto 7.962, lei do e-commerce, não está funcionando. Entre os 30 sites avaliados, apenas dois cumprem mais de 90% das determinações. A legislação começou a valer em maio e esclarece como aplicar ao comércio eletrônico as normas do Código de Defesa do Consumidor, oferecendo fácil acessa a informação, reclamação e sugestão, por exemplo.

MUDAS DE CAFÉ Ivaiporã, Norte do Estado, fez a distribuição de aproximadamente 70 mil mudas de café para os pequenos produtores da Vila Rural e distritos de Jacutinga e Santa Bárbara. O objetivo é incentivar os agricultores que investiram na pequena produção de café e que estão interessados em aumentar ou reiniciar o plantio e fazer parte do programa. A meta agora é produzir mais 200 mil mudas para distribuir futuramente.

TRANSPLANTE EM PAUTA A Associação Brasileira de Transplante de Órgãos aponta um crescimento de 19,49% no número de procedimentos realizados entre 2010 e 2012. Saltou de 12.788 para 15.281 no ano passado. Um dos principais motivos para necessitar de um transplante é a falta prevenção do ceratocone, doença que afina e deforma a córnea e que responde por 70% dos casos de transplantes.

AGRICULTURA ORGÂNICA O Distrito de Conchas, nos Campos Gerais, negocia com a secretaria de Agricultura e Pecuária a promoção de uma feira específica com produtos orgânicos. A intenção é que a feira aconteça semanalmente, em local ainda a ser definido. No projeto da feira estão previstas a participação de produtores de verduras e frutas orgânicas, além da gastronomia local.


Nacional

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B3

violência

Sebastião Nery

Manifestações foram marcadas por depredação

A VAIA NA VEIA

Diversas cidades do país tiveram prédios públicos, lojas e bancos depredados Tomaz Silva/ABr

A

s manifestações desta quinta-feira foram marcadas por atos de violência e depredação em várias partes do país. Na manhã de sexta, autoridades fizeram um balanço dos prejuízos e o governo estuda as medidas a serem tomadas de agora em diante. A presidenta Dilma Rousseff participou de uma reunião emergencial com ministros. O encontro foi marcado para discutir os protestos que levaram cerca de 1 milhão de pessoas às ruas ontem em várias cidades brasileiras, segundo informações da Polícia Militar. A imprensa brasileira divulgou, entre nesta sexta-feira, que a Federação Internacional de Futebol (Fifa) estudava o cancelamento da Copa das Confederações, que vai até o dia 30 deste mês, devido aos protestos no país. A Fifa negou essa informação. Autoridades internacionais têm orientado os turistas a evitar os tumultos. A embaixada dos Estados Unidos no Brasil chegou a publicar nota de orientação a seus cidadãos. Em diversas cidades, manifestantes depredaram prédios públicos, lojas, bancos e agrediram policiais. Em Belém, chegaram a tentar atirar pedras contra o prefeito. Em Ribeirão Perto, um manifestante morreu atropelado. Em Brasília, após confronto com a polícia no gramado em frente ao Congresso Nacional, onde a

A FAISCA

O general Costa Gomes, sereno, simpático, conversa espichada e muito esperto, que meus colegas portugueses chamavam de “General Cortiça” porque nunca afundava, sabia como o fogo crepita, mesmo quando ainda começando. As fagulhas sociais costumam tornar-se fogueiras que podem chegar a incontroláveis incêndios. O general viu a brutal guerra colonial de Salazar na África implodir de repente, quando a juventude portuguesa não quis mais ser bucha de canhão. Havia alguma força política organizada por trás do bravo Novimento dos Capitães. Sempre há. Havia o Partido Comunista de Álvaro Cunhal exilado em Moscou e o Socialista de Mario Soares em Paris. Durante meio século Salazar conseguiu sustentar sua retrograda (teclados invertidos) e criminosa ditadura. Até que a estúpida guerra contra os africanos rebelados implodiu tudo. Foi a faísca no paiol. Bancos, prédios públicos, lojas e policiais foram agredidos por um determinado grupo de manifestantes. A presidenta Dilma cancelou a viajem que faria ao Japão neste domingo devido aos manifestos

multidão foi dispersada após o lançamento de bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, os manifestantes invadiram o Palácio do Itamaraty. Polícia Federal, nesta sexta fez uma perícia para avaliar os danos. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que os “atos de vandalismo não podem se repetir”. No Rio de Janeiro, a confusão foi deflagrada depois de um confronto

entre os próprios manifestantes, em frente ao prédio da prefeitura. No centro da cidade, depois de quatro horas de enfrentamento entre o público e a polícia, o tumulto ainda se espalhou por outros pontos. Em São Paulo, estima-se que cerca de 100 mil pessoas tenham comparecido à manifestação no centro da cidade. Os protestos em São Paulo foram, em grande parte, pacíficos. Os manifestantes come-

moraram a revogação do aumento nas tarifas do transporte público na capital. Em nota publicadas nas redes sociais, o Movimento Passe Livre (MPL), que deu início às manifestações pela redução das tarifas de transporte público na capital paulista, repudiou os atos de violência e a depredação cometidos ontem. O MPL também anunciou que não convocará mais protestos em São Paulo.

Governo de Minas Gerais também anuncia redução de tarifas de ônibus Enquanto milhares de pessoas tomavam as ruas do centro de Belo Horizonte, nesta quinta-feira, para mais uma das dezenas de manifestações pelo país contra o aumento das passagens de ônibus, o governador Antonio Anastasia (PSDB) anunciava uma redução de R$ 0,15 nas tarifas das linhas que atendem a 34 cidades da região metropolitana da capital mineira. A medida só entrará em vigor em 1º de julho, quando o menor valor cairá de R$ 3,45 para R$ 3,30, uma redução de 3,65%. A decisão abrange 745 linhas de ônibus gerenciadas pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas e fiscalizadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais, não incluindo

as linhas gerenciadas pelos municípios da região metropolitana de Belo Horizonte. Ao anunciar a iniciativa, Anastasia garantiu que a redução do preço das tarifas não vai afetar os investimentos do governo estadual e que ela foi possível, em parte, graças ao recente corte de impostos federais que incidem sobre as operações das empresas de transporte coletivo – o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). “Tendo em vista as desonerações recentes que aconteceram no âmbito federal, estamos determinando a redução”, declarou o governador, lembrando que o último aumento, de 6,21%, havia sido autorizado no

final de 2012. “Nesse meio tempo, tivemos alguns acréscimos [no custo da tarifa]; agora, aconteceu esse decréscimo. Estamos, portanto, em uma linguagem mais simples, tirando do caixa das empresas esse valor de R$ 0,15 na tarifa preponderante”, disse Anastasia. O governador ainda esclareceu que, a redução do valor da tarifa paga pela maioria dos usuários será estendida às demais linhas. “Como temos muitos grupos tarifários na região metropolitana de Belo Horizonte, ela [tarifa] é fixada em razão da distância. As demais serão também reduzidas na mesma proporção”. A decisão do governo mineiro se soma à iniciativa idêntica já anunciada por diversas cidades

Carvalho diz que governo está preocupado com violência O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse nesta sexta-feira, durante reunião com organizadores da Jornada Mundial da Juventude, que o governo está preocupado com o aumento da violência durante os últimos protestos ocorridos em diversas cidades brasileiras. O ministro destacou que o governo terá de trabalhar para atender “ao novo padrão de exigência” e às demandas que estão surgindo nas manifestações populares. “O que está preocupando nos últimos momentos, sobretudo, é que as manifestações acabam sendo palco para um tipo de expressão lamentável, irresponsável de vandalismo que não podemos aceitar: ver a Esplanada [dos Ministérios] amanhecer do jeito que amanheceu, com serviços públicos afetados, bem como pontos de ônibus, símbolos públicos importantes como o Itamaraty e como a Catedral de Brasília”, disse o ministro. Carvalho acrescentou que as manifestações representam uma insatisfação popular que, muitas vezes, é expressa de maneira “menos adequada”, e acrescentou que, além de combate à corrupção e de

Em 30 de dezembro de 1974, quando o general Spinola renunciou à presidência de Portugal, cinco meses depois da Revolução dos Cravos de 25 de Abril de 1974 que derrubou o salazarisno, assumiu o governo o general Costa Gomes, chefe do Estado-Maior do Exército e principal líder militar da Revolução Carlos Lacerda estava em Lisboa, foi visitar Costa Gomes, seu velho conhecido, no Palácio de Belém: - Presidente, precisa ter cuidado com a infiltração comunista. Entre seus assessores diretos, conheço dois. Costa Gomes pegou a caneta, começou a escrever números: - Veja, doutor Lacerda. A União Soviética tem 250 milhões de comunistas. É a segunda potência do mundo. A China tem um bilhão de comunistas. É uma das cinco potências do mundo. Portugal tem esses dois, que o senhor conhece, e mais alguns, que eu conheço. Como o senhor vê, é uma porcentagem muito baixa de comunistas. Lacerda, amigo de Spinola, afastado dias antes, não gostou. Foi embora. Essa historia foi relembrada à presidente Dilma Roussef, dias atrás, em Lisboa. Seria bom que a presidente recolhesse a lição.

Wilson Dias/ABr

Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, os protestos mostram a grande camada de brasileiros que emergiu da exclusão e passou a consumir e se movimentar mais e querem novos direitos

ética na política, as reivindicações que mais aparecem são relacionadas a melhorias nas áreas de saúde e educação. “Esses temas estão a exigir do governo atitudes nessa perspectiva”, disse ele ao se referir “às três esferas” de governo. “Os protestos Também estão a mostrar que essa grande camada de brasileiros, que emergiu da exclusão e que passou a consumir e a se movimentar mais, quer novos direitos. É natural e bom que seja

assim porque as pessoas não se contentam com o meio do caminho.”, argumentou o ministro. Segundo ele, a atitude do governo federal, desde o primeiro momento, foi a de “ir ao encontro das manifestações, abrir o Palácio [do Planalto] para conversas com lideranças, tendo a compreensão de que se trata de um novo tipo de movimento, um novo tipo de liderança e de uma nova forma de organização”.

do país, entre elas São Paulo; Rio de Janeiro; Pelotas (RS); Cuiabá; João Pessoa; Recife; Porto Alegre; Montes Claros (MG) e Foz do Iguaçu (PR). Apesar do anúncio do governo mineiro, ao menos quatro novos atos estão sendo convocados para esta sexta-feira, na região metropolitana de Belo Horizonte. As marchas têm expressado protestos contra a corrupção e os gastos com grandes eventos esportivos e também pedem, entre outras reivindicações, veto ao Projeto de Lei 286, que institui o Ato Médico, aguardando sanção presidencial, e rejeição à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37, que limita o poder investigativo do Ministério Público.

Fukushima identifica vazamento de água radioativa A operadora da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Japão, a Tokyo Electric Power (Tepco), confirmou nesta sexta-feira o vazamento de 360 litros de água radioativa de um dos tanques utilizados para dessalinizar o líquido contaminado no local. Há dois anos e três meses, um terremoto seguido por tsunami causou acidentes nucleares na usina provocando vazamentos e explosões. A estimativa dos peritos e das autoridades do Japão é que o processo, iniciado em 2011 para controlar os problemas causados pelos acidentes nucleares, só será encerrado em 30 a 40 anos. Apesar da nova falha, a operadora informou que não houve vazamento da água contaminada para fora do complexo da usina nem acarretou mudanças nos percentuais de radiação nos sensores que monitoram a área. O problema foi identificado. No local, há mil contentores que armazenam água radioativa.

ANARQUISTAS

Não se compara água com azeite. Atrás do oportuno e anônimo Movimento do Passe Livre, criado por estudantes de vários Estados, também há meia dúzia de partidos nanicos inexpressivos. Mas nas ruas quem aos poucos assume o comando das ações que estão ocupando praças e avenidas pelo pais a fora é um punhado de grupos anarquistas, vândalos. Rostos cobertos, camisas enroladas nas mãos, tênis sujos, eles avançam sobre os vidros de monumentos seculares, como o Palácio Tiradentes no Rio, igrejas em São Paulo e vão quebrando ou pixando tudo. O governo finge não saber o que eles querem. Mas sabe e se cala.

PAULISTA

Não fazem discursos como nas passeatas de antigamente, não discutem posições políticas nem sequer slogans produzem. É uma cerveja na mão, bombas nas mochilas, panos nos rostos e quebrar o que puder. E vão arrastando cada dia mais gente atrás deles, porque têm um objetivo concreto : ocupar espaços como a Avenida Paulista e fazer deles fortalezas, como a Tahrir no Egito ou a Taksim na Turquia. Atenderam a brilhante e vitoriosa lição do lúcido delegado Mariano Beltrame no Rio : - Não adianta cercar, subir, prender, trocar tiros, às vezes matar e ir embora. As favelas só deixarão de ser esconderijos de bandidos quando a policia ocupar, instalar-se e implantar serviços públicos. Ai viram bairros.

DILMA

A presidente Dilma ficou surpresa e literalmente possessa com a força e unanimidade da vaia que recebeu em Brasília na abertura da Copa das Federações. A vaia lhe entrou na veia. A maioria do pais sente-se enganada com o bla-blá-blá do PT, promessas de investimentos não cumpridas, obras paradas, serviços públicos (saúde, educação, transportes e saneamento) cada dia piores, inflação e juros sobindo e PIBinho descendo. E eles achando que miúdos empréstimos da Caixa e do BB, isenções de impostos, tapeiam. Vão acabar, como Wando, distribuindo calcinhas. / sebastiaonery@ig.com.br

Profissionais de saúde aderem a protestos populares e pedem que Dilma vete Ato Médico Mais uma catetgoria adere às manifestações populares que vêm ocorrendo há mais de uma semana em todo o país, a dos profissionais de saúde, que não concordam com o Projeto de Lei (PL) 286, que trata do chamado Ato Médico. O Senado aprovou o projeto na última terça-feira . Atos de protesto contra o projeto que define as atividades exclusivas dos médicos e as que podem ser executadas por outros profissionais de saúde vêm sendo convocados nos últimos dias por meio das redes sociais. Em São Paulo, o protesto foi convocado para as 17h desta sexta-feira, na Praça Roosevelt, no centro da cidade, de onde os manifestantes seguirão, a pé, até a sede do Conselho Regional de Medicina, na Rua da Consolação, a poucos metros de distância. Mais de 5,5 mil pessoas manifestaram a intenção de participar. Em Brasília, um ato também divulgado pela internet convoca os manifestantes a se reunirem nesta sexta-feira, em frente ao Museu da República. No Rio de Janeiro, desde a manifestação de segunda-feira, já se viam cartazes contra o Ato Médico, mas, no protesto

de quinta, vários profissionais de saúde marcharam de forma organizada contra a sanção da lei. A categoria pede que a presidenta Dilma Rousseff vete os artigos do projeto que, para eles, ferem a autonomia dos profissionais. Segundo o diretor do Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais no Rio de Janeiro, Nilton Rocha, ao menos 110 profissionais e estudantes atenderam à convocatória da entidade – uma das que organizaram atos contra o projeto – antes de se juntarem aos milhares de manifestantes que tomaram as ruas da capital fluminense na noite passada. “Nossa expectativa é somar forças com os outros 13 sindicatos de área de saúde, mobilizar a categoria e atrair mais colegas para os próximos atos”, disse Rocha à Agência Brasil, confirmando que diversas categorias estão se somando aos protestos populares. Em Blumenau, Santa Catarina, a manifestação será segunda-feira, às 20h. Os participantes se concentrarão na Avenida Udo Deeke. Na internet, os responsáveis prometem bloquear as duas vias da avenida por pelo menos 30 minutos.


negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B4

EXPANSÃO

Condor marca presença na Exposuper em Santa Catarina Joinville vai ser a primeira cidade fora do Paraná a receber uma loja do Condor

A

cidade de Joinville vai ser a primeira fora do Paraná a receber uma loja do Condor Super Center. A rede está investindo R$ 50 milhõs no novo hipermercado que deve ser inaugurado em 2014. Atenta às necessidades dos consumidores e seguindo a filosofia da empresa em dar oportunidade aos fornecedores regionais, o Condor marcou presença nesta Exposuper – 26ª Feira de Produtos, Serviços e Equipamentos para Supermercados, que aconteceu de 18 a 20 de junho, no Complexo Expoville, em Joinville – SC. O estande foi montado especialmente para recepcionar os fornecedores locais e précadastrar empresas catarinenses, que tenham interesse em oferecer seus produtos na nova loja. Com um crescimento de 23%, mais que o dobro da média nacional, e um faturamento de R$ 2,627 bilhões em 2012, a empresa con-

O Condor esteve representado em Joinville por Wanclei Said, diretor administrativo; Ricardo Zonta, vice-presidente; Elaine Munhoz, diretora de marketing e o diretor de patrimônio, Aliceu Brambilla

quistou duas posições no ranking da ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados, passando da

9ª para a 7ª posição em apenas 1 ano. A meta da empresa é chegar ao

final de 2016 com 45 lojas, 12 mil colaboradores diretos e um faturamento superior a R$ 4 bilhões.

Oi lança campanha publicitária para a Copa das Confederações A Oi, patrocinadora da Copa das Confederações 2013 e da Copa do Mundo da Fifa 2014, lança campanha publicitária para mostrar que, independente do lugar e da forma de comunicação que o torcedor escolher, a companhia estará sempre com ele. As peças destacam que a Oi é o meio para que as pessoas possam manifestar suas opiniões, sentimentos e as mais variadas reações a tudo aquilo que o futebol e a Copa proporcionam, seja através dos serviços de voz ou da captura e compartilhamento de imagens e vídeos. A campanha será veiculada em TV aberta, jornais e mídia exterior.

Griletto é eleita uma das melhores franquias do Brasil 2013 O Griletto, rede especializada em grelhados e parmegianas, segue crescendo em unidades e na satisfação de seus franqueados. A marca está entre uma das melhores franquias de alimentação do Brasil. É como define um dos mais respeitados prêmios do setor, concedido tradicionalmente pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios (PE&GN),uma publicação da Editora Globo. O premiação que já se tornou referência no mercado, é feita com os franqueados das redes e mede o índice de satisfação, desempenho, número de unidades, entre outros fatores. O Griletto obteve a nota de 9,17 em satisfação dos franqueados em uma escala que vai até 10. “Estar entre melhores franquias do setor é um grande reconhecimento pelo excelente trabalho

que estamos desenvolvendo com nossos colaboradores”, afirma Ricardo José, sócio fundador do Griletto e completa: Isso demonstra que estamos no caminho certo e que nossos passos e estratégias estão sendo aprovadas por nossos franqueados, mas que isso, que estamos caminhado juntos para o crescimento da marca e dos negócios. Por meio de uma metodologia própria e diferenciada, a Serasa Experian responsável pelo ranking das marcas, consolidou a pesquisa com 428 empresas e 12 setores. No total, 900 redes de franquias compõe o Anuário 2013/2013 da PE&GN. Desde que entrou no mercado de franquias em 2008, a rede obteve um crescimento arrojado. Em cinco anos, o Griletto alcançou 130 unidades por todo o país, sendo uma das redes que mais cresce no Brasil.

O filme “Multidão”, criado pela NBS, retrata diferentes emoções dos torcedores e como elas podem ser comunicadas através dos serviços da Oi. Na primeira cena, cinegrafistas disputam espaço com torcedores que, com celulares nas mãos, registram a chegada de jogadores na porta de um hotel. Em seguida, uma mesa redonda de comentaristas é invadida por dezenas de pessoas que, com seus laptops, também querem postar suas opiniões. Corta para um técnico em campo, acompanhado por uma longa fila de torcedores com tablets em punho, prontos para

alterar a escalação do time. O filme mostra ainda a comemoração do passageiro de um carro que assiste ao vídeo de um gol, ao vivo, pelo celular, contagiando um jovem que fala pelo orelhão e moradores de um prédio que compartilham a vibração pelo telefone de casa. “Nessa Copa os cinegrafistas não vão estar sozinhos. Comentaristas vão ter mais concorrência. Técnicos terão que ser ainda mais atentos. Os brasileiros completam a Copa. E a Oi completa você”, resume o filme, enquanto apresenta serviços oferecidos pela companhia: telefonia móvel, banda

larga, internet móvel 3G, wi-fi, 4G, orelhão e telefonia fixa. Com a campanha, a Oi reforça o conceito “Oi completa você”, lançado neste ano, que põe o consumidor na posição de protagonista. Através de seus produtos e serviços, a empresa oferece formas de completar cada pessoa de acordo com as suas necessidades de telecom, respeitando as diferenças. Única operadora no Brasil com telefonia fixa e móvel, internet banda larga fixa e móvel, wi-fi e TV por assinatura, em escala nacional, a Oi é pioneira na oferta de serviços convergentes no Brasil.

Sebrae lança nova série pocket para micro e pequenas empresas

Mr. Beer apresenta cervejas para o inverno

Já estão disponíveis no portal do Sebrae/PR (www.sebraepr.com. br) os novos vídeos da série Sebrae Pocket. Tratam-se de dez miniaulas sobre gestão de negócios, voltadas para empresários de micro e pequenas empresas. O conteúdo da segunda edição também é gratuito, uma vez que a proposta é facilitar o acesso a informações sucintas e práticas que possam ser aplicadas no dia a dia dos pequenos negócios. A expectativa é que a segunda edição tenha o mesmo sucesso alcançado pela versão, apresentada em 2012. O Sebrae Pocket recebeu, em sua primeira edição, mais de 9 mil visualizações e foram distribuídos 20 mil dvds com o conteúdo, apenas para empresários com atividades no Paraná. Nesta edição, os novos vídeos estão mais 'encorpados' e têm duração média de dez minutos. Para serem acessados, os empresários devem preencher um cadastro com informações básicas. Cinco dos dez vídeos são para microempresas (empreendimentos com faturamento bruto anual de até R$ 360 mil) e outros cinco, para pequenas empresas (com faturamento bruto anual maior que R$ 360 mil e menor que R$ 3,6 milhões). Em pauta, temas de interesse dos empresários paranaenses, atendidos pelo Sebrae/PR. De acordo com Adriana Schiavon Gonçalves, consultora de Marketing do Sebrae/PR, foi realizada uma sondagem junto aos empresários de micro e pequenas empresas que assistiram à primeira edição. Eles sugeriram, por e-mail, os temas mais relevantes para atender às reais necessidades em seus negócios. "A segunda edição faz uma abordagem um pouco mais aprofundada dos temas. A ideia é que o empresário assista ao vídeo e

já possa aplicar o conhecimento em sua empresa", explica Adriana Gonçalves, informando que o Sebrae Pocket é fruto de um trabalho integrado de três áreas do Sebrae/ PR: Marketing e Comunicação, Desenvolvimento de Soluções e Atendimento Individual. "Dividimos os vídeos em dois grupos, porque há diferenças entre as micro e as pequenas empresas, que não são apenas de faturamento. Os empresários de pequenas empresas têm necessidades que os de microempresa não têm, e viceversa, são portes bem distintos de empreendimentos. Esta edição, por exemplo, traz um vídeo com o tema 'como criar um modelo de negócios para minha empresa', voltado para o empresário de pequena empresa. Já o vídeo que explica como 'compor o preço de venda' é mais dirigido para empresários de microempresas", esclarece a consultora.

Informação

Desde a sua concepção, o Sebrae Pocket foi pensado como um serviço democrático, criado para facilitar o acesso das micro e pequenas empresas ao conhecimento prático de gestão de negócios. O formato pocket ainda agrega o conforto na sua utilização, já que o empreendedor não precisa se deslocar, para buscar conhecimento especializado. O grande desafio, segundo João Luis de Moura, consultor da Desenvolvimento de Soluções do Sebrae/ PR, foi apresentar conteúdos complexos numa linguagem mais simples, filtrando as principais informações e tornado-as mais compactas. Após a escolha dos conteúdos, o próximo passo da produção do Sebrae Pocket foi selecionar os consultores para apresentar os temas dos vídeos. "Pesquisamos bastante e con-

versamos com os nossos clientes, levantamos as dificuldades deles e chegamos a essa proposta: vídeos que apresentam uma linha de reflexão para o empresário, que lida com a falta de tempo. A ideia é focar na gestão e facilidade de acesso ao conhecimento, procuramos ofertar a informação de forma mais direta e fácil para o empresário", explica João Luis de Moura, acrescentando que a equipe do Sebrae/PR teve como uma das inspirações, para a criação do Sebrae Pocket, o conceito do portal MBA 60 Segundos.

Temas escolhidos

Os temas dos vídeos da segunda edição para as pequenas empresas são: "Liderar: ciência, arte ou prática?"; "Como criar o modelo de negócios para minha empresa?"; "Como criar uma estratégia de atuação da minha empresa na internet?"; "Como dar um feedback para meu funcionário?"; e "Como atender bem o meu cliente?". O Sebrae Pocket direcionado às microempresas traz vídeos com os temas "Como formar e reter talentos na minha empresa?"; "Como fazer o planejamento da minha empresa?"; "Como controlar estoques na minha empresa?"; "Como formar o preço de venda?"; e "Impostos na microempresa: o que eu preciso saber sobre isso?". Para solicitar o Sebrae Pocket em dvd é preciso ligar para o call center do Sebrae/PR no 0800 570 0800. Mas atenção, o envio dos dvds, pelos correios, só será feito para micro e pequenas empresas instaladas no Paraná. O acesso estendido a empreendimentos de outros estados, no www.sebraepr. com.br, também é gratuito, e depende apenas do preenchimento de um rápido formulário pela web.

Ao contrário do que se pensa, a cerveja também é consumida no inverno com todo o requinte e sofisticação que pede a estação. Nos períodos de frio, as bebidas mais encorpadas e com teor alcoólico alto ganham espaço, assim como aquelas com maior adição de lúpulo. Na Mr. Beer do Shopping Curitiba, as cervejas especiais são apresentadas com características e estilos diversos para esquentar as noites mais geladas. Além da americana Anchor Porter, cerveja artesanal de coloração negra com sabor exótico que leva notas de café e chocolate (R$25,90), a loja acaba de receber cervejas alemãs exclusivas. As novidades são a Engel Bock Dunkel (R$29,90) e a Schmucker Doppel-Bock Dunkel (R$27,90). A primeira é uma cerveja com leve amargor e um final com gosto duradouro. Apresenta uma coloração marrom escura com tons de vermelho e possui corpo completo e doçura equilibrada, com sabor que fica na memória. Já a Schmucker DoppelBock Dunkel é perfeita para a estação por ser mais encorpada e apresentar 8% de teor alcoólico. Elaborada com maltes escuros e torrados, a bebida combina lúpulos frescos que dão a ela a cor marrom e um sabor único.


PUBLICIDADE LEGAL

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B5

Hospital recupera paciente com coração artificial O Hospital Cardiológico Costantini realizou com sucesso o caso que retirou um paciente da fila de transplante cardíaco, após grave infarto, ao utilizar um assistente circulatório, conhecido como coração artificial. O aparelho é chamado de “ventrículo artificial”, que substitui o coração em um processo delicado, porém preciso, para manter a circulação no corpo. Neste caso, o paciente passou 12 dias sobrevivendo com a ajuda do aparelho e não foi necessário realizar o transplante cardíaco, como em outros casos já ocorridos no Brasil. O paciente, um homem de 53 anos, chegou ao Hospital Costantini com um grave infarto agudo do miocárdio, apresentando obstrução de

100% da coronária esquerda e 80% da coronária direita. Ele foi imediatamente submetido a uma angioplastia, realizada pelo cardiologista Costantino R. Costantini e sua equipe. “Colocamos dois stents na coronária esquerda e um na direita. Nos dias seguintes observamos um quadro ainda muito grave e decidimos colocar a máquina para realizar a circulação extracorpórea, e decidimos pela mais moderna, pois era um caso de alta gravidade”, explica o cardiologista. A decisão de utilizar esse aparelho veio em função da combinação de fatores do estado de saúde do paciente. “O uso do assistente circulatório era a única solução diante de uma evolução pouco favorável do paciente

depois de realizado o tratamento de rotina”, explica Vinícius Woitoviski, cirurgião cardio-vascular da equipe do Hospital Costantini. Durante 12 dias, o coração foi poupado com o uso da do ventrículo artificial e pode se recuperar para retomar seu funcionamento mais adequado. Neste período, o paciente permaneceu sedado e com acompanhamento 24 horas na UTI do Hospital. “Foi necessário um envolvimento de toda a equipe para realizar o monitoramento preciso do caso, pois qualquer alteração era importante”, explica Márcio Moreno Luize, cardiologista e chefe da UTI coronariana do Hospital Costantini. A retirada da máquina e o

retorno do funcionamento do músculo cardíaco foram acompanhados pela equipe com muita expectativa, pois seria a confirmação do sucesso do procedimento. “Precisávamos avaliar como seria o funcionamento do coração depois desse tempo em repouso. O resultado nos surpreendeu, pois em poucos dias, apesar de algumas inconstâncias, o sistema cardíaco foi retomando seu comportamento”, explica Luize. Depois de 23 dias de internamento, a equipe médica decidiu encaminhar o paciente para uma unidade de terapia semi-intensiva, pois era preciso avaliar o comportamento do coração com a retomada de outras funções no corpo. “Foi

MANTOVA INVESTIMENTOS S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Em R$ (1,00)

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS de 31/12 de 2006 - 2007 – 2008 – 2009 – 2010 – 2011 e 2012 1 Contexto Operacional

ATIVO 2012 2011 2010 2009 Circulante 790.759,92 1.158.485,60 785.191,88 5.076.438,71 Caixa e Equivalentes de Caixa 7.845,43 376.325,51 3.661,44 297.257,56 Bancos C/Movimento 10,00 150,00 10,00 10,00 Aplicações Financeiras (Nota 4) 7.835,43 376.175,51 3.651,44 297.247,56 Impostos a Recuperar (Nota 5) 782.914,49 782.160,09 781.530,44 778.211,15 CSSL Paga a Maior 93.885,17 93.885,17 93.885,17 93.885,17 IRPJ Pago a Maior ou Indevidamente 52.093,78 52.093,78 52.093,78 52.093,78 Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF 167.804,97 167.665,58 167.665,58 165.936,68 IRRF S/ Aplicações Financeiras 469.130,57 468.515,56 467.885,91 466.295,52 Demais contas a receber 4.000.970,00 Diversos 970,00 Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. Ruben T.C. Formighieri 4.000.000,00 Não Circulante 93.633.051,23 86.949.752,53 93.037.151,72 95.872.838,14 Realizável a Longo Prazo 2.000.000,00 Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. 2.000.000,00 Investimentos 93.633.051,23 86.949.752,53 93.037.151,72 93.872.838,14 Positivo Administradora de Bens Ltda. 41.430.349,90 Positivo Participações S/A 40.453.200,00 Positivo Informática Ltda Gráfica e Editora POSIGRAF S/A 21.622,35 9.301,00 Positivo Alimentos S/A 466.999,52 2.000,00 Sociedade Educ. Positivo Ltda. - 15.215.968,52 22.939.908,77 24.002.548,77 Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. - 10.219.740,04 11.809.672,29 11.809.672,29 Editora Posivito Ltda. - 20.799.726,32 13.730.007,77 13.730.007,77 ROSCH Administradora de Bens Ltda. 11.749.501,33 11.749.501,33 3.372.856,72 3.372.856,72 RUFO Investimentos Ltda. 8.057.581,35 7.841.928,77 Editora Piá Ltda 748,12 Curso e Colégio Direto Ltda. 48.122,51 (Deságio em Invstimentos Soc. Ed. Positivo) - (2.667.328,25) (2.667.328,25) (2.667.328,25) Adiantamento Futuro Aumento Capital RUFO Invest. 4.688.500,00 4.688.500,00 Reavaliação Reflexa Soc. Ed. Positivo - 18.849.230,19 18.849.230,19 18.849.230,19 Reavaliação Reflexa Centro Ens. Sup. Positivo - 12.245.421,88 12.245.421,88 12.245.421,88 Total do Ativo 94.423.811,15 88.108.238,13 93.822.343,60 100.949.276,85 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras. 2012 83.485,35 83.485,35 49.432.238,35 49.432.238,35 44.908.087,45 100.000,00 100.000,00 18.172.842,65

PAS S I V O

2011 2010 67.026,42 66.847,27 4.775,40 237,82 67.026,42 61.834,05 49.432.238,35 61.778.722,35 49.432.238,35 61.778.722,35 38.608.973,36 31.976.773,98 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 30.554.125,22 30.554.125,22

2008 2.704.545,86 737.822,81 150,00 737.672,81 766.723,05 93.697,21 52.093,78 154.691,62 466.240,44 1.200.000,00 1.200.000,00 92.741.321,02 4.800.000,00 4.800.000,00 87.941.321,02 20.526.786,24 11.888.621,91 13.184.906,43 2.502.000,40 7.657.984,00 (2.667.328,25) 4.688.500,00 17.381.087,97 12.778.762,32 95.445.866,88

2007 2006 2.595.083,43 89.614.199,73 718.556,05 88.172.910,40 32.060,30 1.490.000,00 686.495,75 86.682.910,40 676.527,38 60.687,03 93.697,21 52.093,78 74.261,47 456.474,92 60.687,03 1.200.000,00 1.380.602,30 84.877,19 1.200.000,00 1.295.725,11 80.264.173,13 53.400.236,79 4.800.000,00 4.800.000,00 4.800.000,00 4.800.000,00 75.464.173,13 48.600.236,79 6.957.274,29 35.742.711,76 22.530.356,14 18.047.392,29 14.001.653,67 10.424.044,69 6.082.291,66 1.970.868,64 1.695.989,28 7.657.984,00 (2.667.328,25) (2.667.328,25) 4.288.500,00 82.859.256,56 143.014.436,52

2008 1.047.662,55 26,50 1.047.636,05 63.476.189,85 63.145.686,85 330.503,00 30.922.014,48 100.000,00 100.000,00 29.619.323,44

2007 91.010,02 99,19 90.910,83 62.282.704,02 62.282.704,02 20.485.542,52 100.000,00 100.000,00 -

2006 51.279.182,28 104.547,77 24.122,49 51.150.512,02 91.652.886,76 91.652.886,76 82.367,48 10.000,00 100.000,00 (90.000,00) -

-

-

Circulante Fornecedores Impostos, Taxas e Contribuições Diversas Lucros/Dividendos a Pagar Ruben T. C. Formighieri (Positivo/Posinfo) Não Circulante Empréstimos de Sócios Contas a Pagar Patrimônio Líquido Capital Social (Nota 7.a) Capital Subscrito e Integralizado Capital a Integralizar Reserva de Reavaliações Reserva de Reavaliação Reflexa Sociedade Ed. Positivo 18.849.230,19 18.849.230,19 18.849.230,19 17.381.087,97 Reserva de Reavaliação Reflexa CESPO - 11.704.895,03 11.704.895,03 11.704.895,03 12.238.235,47 Reserva de Reavaliação Reflexa Positivo Adm. Bens 14.921.442,65 Reserva de Reavaliação Reflexa Positivo Particip. 3.251.400,00 Reservas de Lucros 26.623.943,80 7.943.547,14 1.311.347,76 6.453.472,88 1.202.691,04 Lucros Exercícios Anteriores 36.257.696,80 1.291.347,76 7.843.616,94 2.899.254,93 22.356.316,31 Lucros do Exercício (9.653.753,00) 6.632.199,38 (6.552.269,18) 3.534.217,95 (21.173.625,27) Reserva Legal 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 Afac (Ruben T.C. Formighieri) 11.301,00 11.301,00 11.301,00 TOTAL DO PASSIVO 94.423.811,15 88.108.238,13 93.822.343,60 100.949.276,85 95.445.866,88 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

2012 2011 2010 Receita Operacional Bruta 3.087,95 9.312.791,62 230.932,59 Receitas Financeiras 3.087,95 2.777,39 15.280,01 Juros Ativos 604,61 11.526,00 Rendimentos Aplicações Financeiras 3.087,95 2.172,78 3.754,01 Rendimentos Aplicações SWAP Resultado Positivo Part. Societárias 9.310.014,23 215.652,58 Lucro na Equivalência Patrimonial 9.310.014,23 215.652,58 (Despesas) Receitas Operacionais (6.390.357,58) (15.462,25) (349.727,99) Despesas Financeiras (0,90) (20,00) (317.309,57) Despesas Bancárias (0,90) (20,00) (2,50) Juros Passivos (317.307,07) Resultado Negativo Part Societária (Preju. Equival .Pat.) (6.374.043,95) Despesas Gerais e Administrativas (16.312,73) (15.442,25) (32.418,42) Materiais de Expediente Anúncios e Publicações Serviços Prest. Pessoa Jurídica (16.220,00) (15.228,27) (13.130,00) Serviços Prest. Pessoa Física Despesas Legais e Jurídicas (389,10) Serviços de Consultoria (18.637,88) Despesas Indedutíveis (213,98) CPMF IOF(92,73) (11,44) Taxas Diversas Multas S/Impostos (250,00) Resultado Operacional (6.387.269,63) 9.297.329,37 (118.795,40) Resultados Não Operacionais (399.597,35) Receita Alienação de Investimentos 12.346.484,00 Val. Contábil dos Investimentos - (12.746.081,35) Outras Despesas Não Operacionais Lucro Antes do Imposto de Renda e Contribuição Social (6.387.269,63) 8.897.732,02 (118.795,40) Provisão para IRPJ e CSLL Contribuição Social S/ Lucro IRPJ Lucro Líquido do Exercício (6.387.269,63) 8.897.732,02 (118.795,40) Lucro diluído por ação (0,06) 88,98 (1,19) As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

20.385.542,52 72.367,48 70.367,48 20.295.175,04 70.367,48 20.000,00 2.000,00 82.859.256,56 143.014.436,52 -

2009 5.108.324,43 311.434,31 301.560,51 9.873,80 4.796.890,12 4.796.890,12 (328.164,93) (315.728,43) (315.728,43)

2008 455.471,08 455.471,08 367.878,00 43.973,08 43.620,00 (2.292.597,41) (863.057,90) (62,90) (862.995,00)

2007 34.700.244,50 3.801.349,29 446.055,09 3.355.294,20 30.898.895,21 30.898.895,21 (5.074.980,25) (4.750.335,27) (644,17) (4.749.691,10)

2006 945.817,53 269.720,15 269.720,15 676.097,38 676.097,38 (351.464,79) -

(1.416.820,76) (12.436,50) (12.436,50) (1.007,81) 4.780.159,50 -

(12.718,75) (14,00) (11.255,82) (441,12) (19.679,59) (1.837.126,33) -

(324.644,98) (351.464,79) (28,00) (2.738,00) (6.585,33) (1.950,00) (64,06) (21.990,47) (351.400,73) (271.673,59) 29.625.264,25 594.352,74 (177.005,54) (497.862,77) 7.352.296,56 100.307.236,25 (6.957.274,29) (94.879.195,31) (572.027,81) (5.925.903,71)

4.780.159,50 (55.010,42) (18.836,86) (36.173,56) 4.725.149,08 47,25

(1.837.126,33) (1.837.126,33) (18,37)

29.448.258,71 (44.179,13) (13.282,71) (30.896,42) 29.404.079,58 294,04

96.489,97 96.489,97 0,96

RESERVA DE CAPITAL -

RESERVA DE REAVALIAÇÃO -

(14.712.733,41) 11.301,00 11.301,00 11.301,00

29.619.323,44 -

-

2.031.725,58 (1.837.126,33) (4.664.717,32)

31.651.049,02 (1.837.126,33) (4.664.717,32)

29.619.323,44 934.801,78 30.554.125,22 30.554.125,22 30.554.125,22

20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00

1.182.691,04 533.340,44 4.725.149,08 (8.240,09) 532,41 6.433.472,88 (118.795,40) (5.023.329,72) 1.291.347,76 8.897.732,02 (2.704.978,39) 439.445,75 7.923.547,14

30.922.014,48 1.468.142,22 4.725.149,08 (8.240,09) 532,41 37.107.598,10 (118.795,40) (5.023.329,72) 11.301,00 31.976.773,98 8.897.732,02 (2.704.978,39) 439.445,75 38.608.973,36

11.301,00

(12.381.282,57) 18.172.842,65

20.000,00

30.554.125,22 (6.387.269,63) (5.486.458,93) 26.603.943,80

18.172.842,65 (6.387.269,63) (5.486.458,93) 44.908.087,45

TOTAL GERAL 10.000,00 96.489,97 (24.122,49) 82.367,48 90.000,00 29.404.079,58 (9.090.904,54) 20.485.542,52

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

(6.387.270)

8.897.732

(118.795)

4.725.149

(1.837.126)

29.404.080

96.490

(6.387.270)

8.897.732

(118.795)

4.725.149

(1.837.126)

29.404.080

96.490

(11.488) (2.800.970) 2.800.000 1.732 (999.674) 40 3.714.789

(90.196) (73) 956.725 330.503 (640.166)

(615.840) 180.602 (104.449) (51.083.724) (22.219.331)

(60.687) (1.380.602) (4.800.000) 104.548 51.174.635 45.134.383

(5.931.517) 440.425 (5.491.092)

(12.477.148) (51.177) (12.528.325)

(26.863.936) (48.600.237) 85.996.415 (86.682.910) 59.132.478 (135.283.147)

315.728 (8.240) 1.468.142 532 1.776.163 (140) (140) 150 10

862.983 (4.664.717) 31.651.049 (14.712.733) 13.136.581 (31.910) (31.910) 32.060 150

(29.370.183) 90.000 (9.090.905) (38.371.087) (1.457.940) (1.457.940) 1.490.000 32.060

Variações nos Ativos e Passivos Impostos a Recuperar (754) (630) (3.319) Demais contas a receber 4.000.970 Realizável a Longo Prazo 2.000.000 Fornecedores (4.775) 4.775 Impostos, Taxas e Contribuições Diversas (238) (1.520) Lucros/Dividendos a Pagar 16.459 5.192 13.872 Contas a Pagar (330.543) Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais (6.371.565) 8.897.282 5.565.439 Fluxos de Caixa das Atividades de Investimentos Investimentos (6.683.299) 6.087.399 835.686 Aplicações Financeiras 368.340 (372.524) 293.596 Caixa Líquido (aplicado nas) pelas Atividades de Investimentos (6.314.959) 5.714.875 1.129.283 Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos Empréstimos e Financiamentos - (12.346.484) (1.682.693) Aumento Capital Social Distribuição de Dividendos (5.486.459) (2.704.978) (5.023.330) Reserva de Reavaliação Reflexa 18.172.843 AFAC 11.301 Ajustes de Equivalência de Exercício Anterior 439.446 Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Financiamentos 12.686.384 (14.612.017) (6.694.722) Fluxo Líquido Gerado (Aplicado) no Exercício (140) 140 (0) Aumento (Diminuição) de Caixa e Equivalentes de Caixa (140) 140 Caixa e equivalente de caixa no início do exercício 150 10 10 Caixa e equivalente de caixa no fim do exercício 10 150 10 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

As demonstrações financeiras estão sendo apresentadas em Reais, e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, as quais incluem as disposições da lei das sociedades por ações e regulamentações do conselho federal de contabilidade. 3 Principais Práticas Contábeis As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia estão descritas a seguir: a) Apuração de resultado O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência. b) Caixa e equivalentes a caixa Esse grupo está composto pelo saldo que permanece nos caixas, saldo de contas correntes e aplicações financeiras com prazos de vencimentos originais de até 90 dias. As aplicações financeiras incluídas nos equivalentes de caixa são classificadas na categoria “ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado”.

As participações em empresas controladas são avaliadas pelo método de equivalência patrimonial, considerando o patrimônio líquido das controladas, na mesma data e seguindo as mesmas práticas contábeis. d) Outros ativos circulantes e não circulantes Um ativo é reconhecido no balanço quando for provável que seus benefícios econômicos futuros favoreçam a Companhia e seu custo ou valor possa ser mensurado com segurança. Os ativos são classificados como circulantes quando sua realização ou liquidação é provável que ocorra nos próximos doze meses, caso contrário, são classificados como ativos não circulantes. e) Outros passivos circulantes e não circulantes Um passivo é reconhecido no balanço quando a Companhia possui uma obrigação legal como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidá-la. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos dos correspondentes encargos e variações monetárias, quando aplicáveis, até a data do balanço. f) Tributação O imposto de renda e a contribuição social são apurados de acordo com o regime de tributação do lucro real. Quando da opção pelo regime de tributação pelo lucro real, são calculados à alíquota de (i) 25% (15% acrescida de adicional de 10% sobre lucro tributável excedente a R$ 240.000) para o imposto de renda, e (ii) 9% sobre o lucro tributável para a contribuição social. A legislação tributária brasileira vigente permite compensar prejuízos fiscais referentes a exercícios anteriores com lucros fiscais correntes, limitado a 30% do lucro tributável de cada exercício. g) Lucro (Prejuízo) por ação O cálculo é efetuado segundo a equação “lucro (prejuízo) líquido/quantidade de ações em circulação”. De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, os lucros podem ser: distribuídos, utilizados para aumento de capital ou composição da reserva de lucros. h) Reserva de Reavaliação Os saldos de reserva de reavaliação serão mantidos até a sua efetiva realização, conforme facultado pelas Leis nos 11.638/07 e 11.941/09 4 Aplicações Financeiras As aplicações financeiras estão demonstradas pelo custo de aplicação, acrescido dos rendimentos correspondentes, apropriados até a data do balanço. 5 Impostos a Recuperar

6 Débitos com Acionistas

RESERVAS DE LUCROS RESERVA LUCROS LEGAL ACUMULADOS 96.489,97 2.000,00 (2.000,00) (24.122,49) 2.000,00 70.367,48 29.404.079,58 18.000,00 (18.000,00) (9.090.904,54) 20.000,00 20.365.542,52

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA DOS EXERCÍCIOS EM 31 DE DEZEMBRO Em R$ 1,00 Atividades Operacionais Lucro Líquido do Exercício Ajustes por: Depreciação e Amortização Baixa do Imobilizado - Líquido

2 Elaboração e Apresentação das Demonstrações Financeiras

Os impostos a recuperar estão detalhados no próprio balanço.

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PERÍODO DE 31/DEZ/09 A 31/DEZ/11 Em R$ 1,00 CAPITAL SOCIAL SALDOS EM 31/DEZ/05 Integralização de Capital 10.000,00 Resultado Líquido do Exercício Constituição da Reserva Legal (Nota 7.b) Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/06 10.000,00 Integralização de Capital 90.000,00 Resultado Líquido do Exercício Constituição da Reserva Legal (Nota 7.b) Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/07 100.000,00 Constituição de Reservas de Reavaliação Reflexa por reavaliação de bens em controladas Resultado Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) Ajustes de equivalência de exercício anterior (14.712.733,41) SALDOS EM 31/DEZ/08 100.000,00 Realização e ajuste de reavaliação em controladas Resultado Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) Ajustes exercício anterior SALDOS EM 31/DEZ/09 100.000,00 Resultado Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) AFAC (Ruben T. C. Formighieri) SALDOS EM 31/DEZ/10 100.000,00 Resultado Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) Ajustes exercício anterior SALDOS EM 31/DEZ/11 100.000,00 Transferência dos investimentos por cisão de controladas e conferência de capital em holdings (Nota 7.f) Resultado Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/12 100.000,00

A Mantova Investimentos S. A. tem por objetivo social a participação em outras empresas e a gestão de participações societárias (holding).

c) Investimentos

2009 49.720,29 1.758,24 47.962,05 63.791.958,46 63.461.415,28 330.543,18 37.107.598,10 100.000,00 100.000,00 30.554.125,22

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DOS EXERCÍCIOS Em R$ 1,00

preciso testar aos poucos e cada evolução era uma vitória, pois demonstrava que o coração estava aguentando retomar a vida como um todo”, afirma Costantini. Hoje, o paciente já está em casa e três vezes por semana vai ao hospital, em que realiza seu processo de reabilitação física, junto à equipe do Hospital, se preparando para retomar as atividades cotidianas. “Depois de 48 dias de Hospital o paciente foi liberado para continuar o tratamento em casa, com fisioterapeutas, para recuperar os músculos. Agora, ele está em um processo de fortalecimento e resistência, para que possa viver com qualidade”, explica Costantini.

91.652.887 10.000 (24.122) 91.638.764 1.490.000 1.490.000 1.490.000

Os débitos com acionistas são decorrentes de contrato de compra e venda de valores mobiliários assinado em 18/11/2006, com o acionista Sr. Ruben T. C. Formighieri sendo seu vencimento final em 02/10/2016. 7 Capital Social e Reservas a) Capital Social O capital social está representado por 100.000 (cem mil) ações ordinárias, nominativas e endossáveis, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, pertencentes inteiramente a acionistas domiciliados no país. b) Reserva Legal A reserva legal é constituída anualmente como destinação de 5% do lucro líquido do exercício e não poderá exceder a 20% do capital social. A reserva legal tem por fim assegurar a integridade do capital social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízo e aumentar o capital. c) Dividendos O lucro líquido de cada exercício social, após as compensações e deduções previstas em lei e consoante a previsão estatutária, terá a seguinte destinação: • 5% para a reserva legal, até atingir 20% do capital social integralizado, e; • 25% do saldo, após a apropriação da reserva legal, serão destinados para o pagamento de dividendo mínimo obrigatório aos acionistas da Companhia, podendo, por decisão unanime da assembleia, distribuir valor inferior ou a retenção de todo o lucro. d) Reserva de Lucros A reserva de lucros tem a finalidade de financiar a expansão das atividades da Companhia a fim de atender ao projeto de crescimento dos negócios. f) Reservas de Reavaliação Reflexa As reservas de reavaliação reflexa refletem a reserva de reavaliação existente desde 2008 a fevereiro de 2012 nas investidas Centro de Estudos Superiores Positivo Ltda. e Sociedade Educacional Positivo Ltda. e, a partir de março de 2012, por reorganização societária (cisões) nas investidas Positivo Participações S. A. e Positivo Administradora de Bens Ltda. (ex Sociedade Educacional Positivo Ltda.). Ruben Tadeu Coninck Formighieri Diretor Presidente Daniela Cesar Formighieri Diretor Isabela Cesar Formighieri Diretor Rodrigo Cesar Formighieri Diretor Edson Waldir Malagutti CRC/SP 107143 – OT/PR

Paris abastece em R$ 11 bi carteira de pedidos da Rolls-Royce A Rolls-Royce, empresa global de sistemas de energia, presente no Brasil há mais de 50 anos, informa que sua carteira de pedidos aumentou em mais de R$ 11 bilhões durante a realização do Paris Air Show, maior feira mundial do setor de aviação, que acontece essa semana na capital francesa. A britânica também confirmou novos planos para o Trent 1000, seu mais avançado motor para a aviação civil mundial. As novas encomendas recebidas pela empresa incluem o fornecimento de motores e serviços para clientes no mundo todo, entre eles a United Airlines, a Air France-KLM e a Philippine Airlines. O evento acompanhou o sucesso do voo inaugural, na última semana, do Airbus A350 XWB, impulsionado pelo motor de menor consumo de combustível do mundo, o Rolls-Royce Trent XWB. Encomendas expressivas desse equipamento foram feitas pela United Airlines, Air FranceKLM e SriLankan Airlines. Já o Trent 700, líder de mercado, foi escolhido pela Philippine Airlines, Oman Air e Sri Lankan Airlines para equipar suas aeronaves Airbus A330.

Curitiba recebe fórum de investimentos Na próxima quarta-feira (26), Curitiba recebe o II Venture Forum Sul-Brasileiro, promovido pela Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP), FIERGS, FIESC e Senai no Paraná. Durante o evento, investidores de olho no potencial, crescimento e inovação dos empreendedores da região Sul poderão assistir à apresentação dos planos de negócios de empresas previamente selecionadas e capacitadas. O fórum de investimentos foi criado para facilitar o contato entre empreendedores em busca um sócio para financiar suas empresas e investidores procurando novos negócios. Da exposição de planos de negócios participarão 10 empresas, com faturamento anual entre cerca de 1 a 23 milhões de reais, dos setores de TI, moda, tecnologias limpas, saúde, alimentação, agronegócios e construção civil. Para chegar à etapa final elas passaram por um processo de seleção em que foram avaliados critérios como inovação, produtos e processos de produção, perfil de equipe, alternativas de saída e retorno financeiro. 70% das participantes são paranaenses. Filipe Cassapo, gerente de inovação do Senai, acredita que a chave da competitividade industrial brasileira está na capacidade de acelerar o desenvolvimento dos empreendimentos em tecnologia e inovação. “Neste contexto, o Venture Forum Sul Brasileiro dará uma contribuição absolutamente fundamental, que consistirá em aproximar de forma sistêmica e planejada os empreendedores inovadores de alto impacto, com o capital a busca de bons projetos. A criação de uma cultura e formas sistemáticas de maximizar o uso de capital empreendedor para negócios inovadores tornou-se fundamental para o crescimento econômico do país”, destaca Cassapo. Segundo o presidente da ABVCAP, Clovis Meurer, a aproximação de investidores aos projetos de investimento da região facilita a avaliação das potencialidades e da viabilidade dos negócios.


PUBLICIDADE LEGAL

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B6

Saúde Antonio Cruz/ABr

Santas casas terão apoio financeiro em troca de atendimento ampliado

O

governo federal vai dar apoio financeiro às santas casas e aos hospitais filantrópicos do país em troca da ampliação e melhoria do atendimento, anunciou nesta sexta-feira o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Segundo ele, o incentivo faz parte de um conjunto de medidas para a recuperação financeira das unidades. “Essa medida é para enfrentar um problema histórico das santas casas que têm dívidas tributárias acumuladas ao longo dos anos. Queríamos inovar na proposta, não é o refinanciamento da dívida, em que se tem que contrair novos empréstimos. É a troca da dívida por mais atendimento no SUS à

população”, disse. Para usar o benefício, o gestor da Santa Casa deve apresentar ao Ministério da Saúde um contrato firmado com o município ou o estado, um programa com a previsão de atendimento adicional e de recuperação financeira das entidades. As dívidas tributárias acumuladas pelas entidades totalizam cerca de R$ 13 bilhões. As unidades que aderirem ao programa terão um prazo máximo de 15 anos para quitar os débitos. A medida será encaminhada, em caráter de urgência, por projeto de lei ao Congresso Nacional. Os filantrópicos têm até o final de dezembro para aderir ao programa. Dados da pasta mostram que

atualmente existem 1.753 unidades filantrópicas sem fins lucrativos, que respondem por mais de 50% do total de internações do SUS no país. Padilha anunciou ainda que o Ministério da Saúde vai dobrar o incentivo da tabela SUS dos atendimentos dos serviços de média complexidade para as entidades que assinarem contratos com o gestor estadual ou municipal. O incentivo corresponde a um adicional de R$ 2 bilhões. “Nossa proposta está em sintonia com que estão falando nas ruas de ampliar o investimento na saúde. Eu sinto que o que os jovens falam é 'queremos melhoria do serviço público'. A medida visa, além

O governo federal vai dar apoio financeiro às santas casas e aos hospitais filantrópicos do país em troca da ampliação e melhoria do atendimento, anunciou sexta-feira o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O incentivo faz parte de um conjunto de medidas para a recuperação financeira das unidades

de realocar mais recursos, a dar maior qualidade no atendimento”, destacou Padilha.

Poliomielite

Sexta-feira foi o último dia da Campanha Nacional de Vacinação

RMR INVESTIMENTOS S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Em R$ (1,00)

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS de 31/12 de 2007 - 2008 2009 - 2010 - 2011 e 2012

ATIVO 2012

2011

2010

2009

2008

2007

6.089.081 5.942.293 5.947.429 5.736.460 3 67 5.947.426 5.736.393 141.652 205.833 53.742 205.833 70.397 16.856 657 0 64.419.662 71.949.556 15.419.872 15.419.872 64.419.662 56.529.684 21.622 350.250 9.087.780 16.848.871 15.599.795 (2.067.328) 733 47.117 14.133.845 2.507.000 2.507.000 31.072.762 30.339.900 500.000 70.508.744 77.891.849 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

9.489.933 9.256.608 2.946 9.253.662 233.325 231.112 2.212 71.323.640 11.164.886 11.164.886 60.158.753 6.976 1.500 17.242.660 8.855.777 10.295.789 (2.067.328) 14.133.845 9.182.535 2.507.000 80.813.572 -

26.075.948 10.297.405 22.947 10.274.458 113.947 113.947 15.664.596 2.580 375.000 15.287.016 62.110.877 1.125.000 1.125.000 60.985.877 18.065.260 8.855.777 10.295.789 (2.067.328) 14.133.845 9.182.535 2.520.000 88.186.825 -

32.052 32.052 32.052 73.692.837 73.692.837 20.526.786 11.888.622 13.184.906 (2.067.328) 17.381.088 12.778.762 73.724.889 -

2.000 2.000 2.000 62.146.820 62.146.820 35.742.712 18.047.392 10.424.045 (2.067.328) 62.148.820 -

2008 37.652 35.087 1.282 1.282 330.436 330.172 264 73.356.801 39.378.892 30.159.850 17.381.088 12.778.762 3.805.559 27.033.254 (23.227.695) 12.500 73.724.889

2007 1.805 903 903 62.147.015 39.378.892 22.755.623 22.755.623

Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa Caixa Bancos C/Movimento Aplicações Financeiras (Nota 4) Impostos a Recuperar (Nota 5) Provisão IRRF S/ Aplicações Financeiras IRPJ Pago a maior ou indevido CSLL Paga a Maior IRRF Sobre Aplicações Financeiras Demais Contas a Receber Diversos Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. Renato Ribas Vaz Não Circulante Realizável a Longo Prazo Renato Ribas Vaz Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. Investimentos Gráfica e Editora Posigraf S/A Positivo Almientos S/A Sociedade Educ. Positivo Ltda. Centro de Estudos Sup. Positivo Ltda. Editora Posivito Ltda. (Deságio em Invstimentos Soc. Ed. Positivo) Editora Pia Ltda. Curso e Colégio Direto Ltda. Reaval. Reflexa Soc. Ed. Positivo Reaval. Reflexa Centro E. Sup. Positivo Ribas Administração de Bens Ltda. Positivo Administradora de Bens Ltda. positivo Participaçõe S/A Debêntures BNDES Total do Ativo

PASSIVO

2012 2011 Circulante 639.899 71.934 IRPJ a Recolher 25.238 Contribuição Social a Recolher 10.645 42.531 Lucros/Dividendos a Pagar (Renato Ribas Vaz) Lucros/Dividendos a Pagar (Marcelo Mugiati Vaz) 2.082 2.082 Lucros/Dividendos a Pagar (Renato Machado Vaz) 627.172 2.082 Não Circulante 290.301 777.892 Contas a Pagar (Soc. Ed. Positivo Ltda.) Contas a Pagar (Renato Ribas Vaz) RF CDB a Apropriar 290.301 777.892 Patrimônio Líquido 69.578.543 77.042.023 Capital Social (Nota 7.a) 39.378.892 39.378.892 Reserva de Reavaliação 27.763.477 14.133.845 Reserva para Aumento de Capital 14.133.845 Res. Reaval. Reflexa Soc. Ed. Positivo 14.133.845 Res. Reaval. Reflexa CESPO R eserva de Reavaliação Reflexa Positivo Adm. Bens 11.191.082 Reserva de Reavaliação Reflexa Positivo Particip. 2.438.550 Ágio (Infoinvest Investimentos Ltda.) 16.904.960 Reservas de Lucros 930.111 6.603.350 Lucros Exercícios Anteriores 6.520.564 693.811 Lucros (Prejuízos) do Exercício (5.590.454) 5.909.540 Afac (Renato Ribas Vaz) 1.506.064 20.976 TOTAL DO PASSIVO 70.508.744 77.891.849 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

2010 18.808 967 13.677 2.082 2.082 745.553 745.553 80.049.211 39.378.892 23.316.380 14.133.845 9.182.535 16.873.702 459.261 8.469.099 (8.009.838) 20.976 80.813.572

2009 40.366 21.715 16.086 1.282 1.282 330.436 330.172 264 87.816.023 39.378.892 23.316.380 14.133.845 9.182.535 16.873.702 8.234.549 6.405.344 1.829.206 12.500 88.186.825

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DOS EXERCÍCIOS Em R$ 1,00

2012 2011 Receita Operacional Bruta 9.271.816 16.793.578 Receitas Financeiras 1.013.418 753.664 Juros Ativos (497) Rendimentos Aplicações Financeiras 1.013.418 754.162 Resultado Positivo Part. Societárias 8.258.398 16.039.914 Lucro na Equivalência Patrimonial Lucro Participação (Positivo Participações S/A) 8.258.398 13.704.614 Lucros/Dividendos Recebidos 2.335.300 (Despesas) Receitas Operacionais (11.274.888) (8.163.717) Despesas Financeiras (1.512) (456) Despesas Bancárias (766) (456) Juros Passivos (746) Resultado Negativo Part Societária (Preju. Equival .Pat.) (11.258.452) (8.155.348) Despesas Gerais e Administrativas (14.924) (7.913) Materiais de Expediente Anúncios e Publicações Serviços Prest. Pessoa Jurídica (13.510) (6.500) Despesas Legais e Jurídicas (1.414) Serviços de Consultoria Despesas Indedutíveis (1.402) IOF (11) Taxas Diversas Resultado Operacional (2.003.072) 8.629.861 Lucro Antes do Imposto de Renda e Contribuição Social (2.003.072) 8.629.861 Provisão para IRPJ e CSLL (Nota 12) (327.099) (242.772) Contribuição Social S/ Lucro (90.168) (67.440) IRPJ (236.932) (175.332) Lucro Líquido do Exercício (2.330.172) 8.387.089 Lucro diluído por ação (0,06) 0,21 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

2010 319.899 319.899 319.899 (8.824) (1.629) (1.629) (7.194) (7.006) (90) (98) 311.076 311.076 (86.364) (26.954) (59.410) 224.712 0,01

2009 6.281.112 834.438 43.696 790.742 5.446.674 5.446.674 (478.307) (4.080) (2.638) (1.442) (370.349) (103.877) (14) (1.874) (6.150) (590) (94.586) (268) (20) -376 5.802.805 5.802.805 (155.540) (45.937) (109.603) 5.647.264 0,14

12.500 62.148.820

2008 6.205.209 6.205.209 6.205.209 (8.155.979) (642) (642) (8.153.161) (2.176) (2.176) (1.950.771) (1.950.771) -

2007 31.794.097 31.794.097 31.794.097 (12.500) (12.500) (12.500) 31.781.597 31.781.597 -

(1.950.771) (0,05)

31.781.597 0,81

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PERÍODO DE 31/DEZ/09 A 31/DEZ/11 Em R$ 1,00 CAPITAL SOCIAL 39.378.892 39.378.892 39.378.892 39.378.892 39.378.892 39.378.892 -

RESERVA DE CAPITAL 12.500 12.500 12.500 16.873.702 16.886.202 8.476 16.894.678 31.258 (9.182.535) 16.925.936 (16.904.960)

SALDOS EM 31/DEZ/06 Integralização de Capital Social Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) AFAC (Renato Ribas Vaz) SALDOS EM 31/DEZ/07 Reserva de Reavaliação Reflexa Soc. Ed. Positivo Reserva de Reavaliação Reflexa CESPO Equivalência Patrimonial Soc. Ed. Positivo a maior 2007 Equivalência Patrimonial CESPO a maior em 2007 Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/08 Ágio (Infoinvest Investimentos Ltda). Reserva de Reavaliação Reflexa Soc. Ed. Positivo Reserva de Reavaliação Reflexa CESPO Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/09 Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) AFAC (Renato Ribas Vaz) SALDOS EM 31/DEZ/10 Ágio (Renato Ribas Vas). Reversão Reserva Reavaliação Reflexa CESPO Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) SALDOS EM 31/DEZ/11 Ágio (Infoinvest Investimentos Ltda). Transferência dos investimentos por cisão de controladas e conferência de capital em holdings (Nota 7.f) 13.629.632 Lucro Líquido do Exercício Distribuição de Dividendos (Nota 7.c) AFAC (Renato Ribas Vaz) 1.485.088 SALDOS EM 31/DEZ/12 39.378.892 1.506.064 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

RESERVA DE REAVALIAÇÃO 17.381.088 12.778.762 30.159.850 (3.247.243) (3.596.227) 23.316.380 23.316.380 14.133.845 27.763.477

RESERVAS DE LUCROS RESERVA LUCROS LEGAL ACUMULADOS 31.781.597 (9.025.974) 22.755.623 1.015.863 475.336 (11.268.424) (3.444.310) (1.950.771) (3.777.759) 3.805.559 5.647.264 (1.218.274) 8.234.549 224.712 (8.000.000) 459.261 (9.182.535) 8.387.089 (2.243.000) 6.603.350 -

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA DOS EXERCÍCIOS EM 31 DE DEZEMBRO Em R$ 1,00 Atividades Operacionais Lucro Líquido do Exercício

13.629.632 (2.330.172) (3.343.068) 930.111

TOTAL GERAL 39.378.892 31.781.597 (9.025.974) 12.500 62.147.015 18.396.951 13.254.098 (11.268.424) (3.444.310) (1.950.771) (3.777.759) 73.356.801 16.873.702 (3.247.243) (3.596.227) 5.647.264 (1.218.274) 87.816.023 224.712 (8.000.000) 8.476 80.049.211 31.258 8.387.089 (2.243.000) 77.042.023 (16.904.960) (2.330.172) (3.343.068) 1.485.088 69.578.543

2012

2011

2010

2009

2008

2007

(2.330.172) (2.330.172)

8.387.089 8.387.089

224.712 224.712

5.647.264 5.647.264

(1.950.771) (1.950.771)

31.781.597 31.781.597

(119.378) 15.664.596 (10.039.886) (23.158) 1.600 415.117 6.123.603

(113.947) (15.664.596) (1.125.000) 37.801 (35.087) (11.253.564)

35.846 330.436 (1.584.488)

1.805 31.783.402

827.124 1.020.796 1.847.920

12.706.959 (10.274.458) 2.432.501

(11.546.016) (11.546.016)

(62.146.820) (62.146.820)

8.476 (8.000.000) (7.991.524) (20.001) (20.001) 22.947 2.946

(1.218.274) 16.873.702 (6.843.471) 8.811.958 (9.105) (9.105) 32.052 22.947

(3.777.759) 31.651.049 (14.712.733) 13.160.556 30.052 30.052 2.000 32.052

39.378.892 12.500 (9.025.974) 30.365.418 2.000 2.000 2.000

Variações nos Ativos e Passivos Impostos a Recuperar 64.181 27.492 Outras contas a receber Realizável a Longo Prazo 15.419.872 (4.254.986) Impostos, Taxas e Contribuições Diversas (57.125) 53.126 Lucros/Dividendos a Pagar 625.090 Contas a Pagar (487.591) 32.338 Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais 13.234.256 4.245.059 Fluxos de Caixa das Atividades de Investimentos Investimentos (7.889.978) 3.629.069 Aplicações Financeiras (211.033) 3.517.269 Caixa Líquido (aplicado nas) pelas Atividades de Investimentos (8.101.012) 7.146.338 Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos Aumento Capital Social AFAC 1.485.088 Distribuição de Dividendos (3.343.068) (2.243.000) Ágio (16.904.960) 31.258 Reserva de Reavaliação Reflexa (9.182.535) Equivalência Patrimônial Transferência dos Investidores 13.629.632 Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Financiamentos (5.133.308) (11.394.277) Fluxo Líquido Gerado (Aplicado) no Exercício (64) (2.879) Aumento (Diminuição) de Caixa e Equivalentes de Caixa (64) (2.879) Caixa e equivalente de caixa no início do exercício 67 2.946 Caixa e equivalente de caixa no fim do exercício 3 67 As notas explicativas da administração são parte integrante das Demonstrações Financeiras.

contra a Poliomielite. Até o fim da manhã de quinta-feira, 9,6 milhões de crianças foram imunizadas. O ministro da Saúde ressaltou que é fundamental que todas as crianças entre seis meses e cinco anos tomem as duas gotinhas da vacina.

1 Contexto Operacional A RMR Investimentos S. A. tem por objetivo social a participação em outras empresas e a gestão de participações societárias (holding). 2 Elaboração e Apresentação das Demonstrações Financeiras As demonstrações financeiras estão sendo apresentadas em Reais, e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, as quais incluem as disposições da lei das sociedades por ações e regulamentações do conselho federal de contabilidade. 3 Principais Práticas Contábeis As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia estão descritas a seguir: a) Apuração de resultado O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência. b) Caixa e equivalentes a caixa Esse grupo está composto pelo saldo que permanece nos caixas, saldo de contas correntes e aplicações financeiras com prazos de vencimentos originais de até 90 dias. As aplicações financeiras incluídas nos equivalentes de caixa são classificadas na categoria “ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado”. c) Investimentos As participações em empresas controladas são avaliadas pelo método de equivalência patrimonial, considerando o patrimônio líquido das controladas, na mesma data e seguindo as mesmas práticas contábeis. d) Outros ativos circulantes e não circulantes Um ativo é reconhecido no balanço quando for provável que seus benefícios econômicos futuros favoreçam a Companhia e seu custo ou valor possa ser mensurado com segurança. Os ativos são classificados como circulantes quando sua realização ou liquidação é provável que ocorra nos próximos doze meses, caso contrário, são classificados como ativos não circulantes. e) Outros passivos circulantes e não circulantes Um passivo é reconhecido no balanço quando a Companhia possui uma obrigação legal como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidála. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos dos correspondentes encargos e variações monetárias, quando aplicáveis, até a data do balanço. f) Lucro (Prejuízo) por ação O cálculo é efetuado segundo a equação “lucro (prejuízo) líquido/ quantidade de ações em circulação”. De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, os lucros podem ser: distribuídos, utilizados para aumento de capital ou composição da reserva de lucros. g) Reserva de Reavaliação Os saldos de reserva de reavaliação serão mantidos até a sua efetiva realização, conforme facultado pelas Leis n os 11.638/07 e 11.941/09 4 Aplicações Financeiras As aplicações financeiras estão demonstradas pelo custo de aplicação, acrescido dos rendimentos correspondentes, apropriados até a data do balanço. 5 Impostos a Recuperar Os impostos a recuperar estão detalhados no próprio balanço. 6 Capital Social e Reservas a) Capital Social O capital social está representado por 39.378.892 (trinta e nove milhões, trezentas e setenta e oito mil, oitocentas e noventa e duas) ações ordinárias, nominativas e endossáveis, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, pertencentes inteiramente a acionistas domiciliados no país. b) Dividendos O lucro líquido de cada exercício social, após as compensações e deduções previstas em lei e consoante a previsão estatutária, terá a seguinte destinação: • 5% para a reserva legal, até atingir 20% do capital social integralizado, e; • 25% do saldo, após a apropriação da reserva legal, serão destinados para o pagamento de dividendo mínimo obrigatório aos acionistas da Companhia, podendo, por decisão unanime da assembleia, distribuir valor inferior ou a retenção de todo o lucro. c) Reserva de Lucros A reserva de lucros tem a finalidade de financiar a expansão das atividades da Companhia a fim de atender ao projeto de crescimento dos negócios. f) Reservas de Reavaliação Reflexa As reservas de reavaliação reflexa refletem a reserva de reavaliação existente desde 2008 a fevereiro de 2012 nas investidas Centro de Estudos Superiores Positivo Ltda. e Sociedade Educacional Positivo Ltda. e, a partir de março de 2012, por reorganização societária (cisões) nas investidas Positivo Participações S. A. e Positivo Administradora de Bens Ltda. (ex Sociedade Educacional Positivo Ltda.). Renato Machado Vaz Diretor Presidente Marcelo Mugiati Vaz Diretor Edson Waldir Malagutti CRC/SP 107143 – OT/PR

PM estima que 3 mil pessoas tenham depredado o centro do Rio O secretário de Segurança Pública do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, disse nesta sexta-feira que a inteligência policial não trabalha mais com o conceito de minoria para se referir aos vândalos que depredaram o centro da cidade do Rio. A estimativa é que mais de 3 mil pessoas tenham atacado e saqueado lojas, agências bancárias e uma escola municipal. Pelo menos 40 pessoas ficaram feridas e oito foram presas, sendo três adolescentes. Durante a confusão, a imprensa foi atacada. "A expressão minoria tem que ser pensada. Uma minoria, não sei se produziria o Rio de Janeiro que a gente viu", disse Beltrame. "Talvez seja uma minoria frente a 300 mil pessoas, mas uma minoria, minoria mesmo, não produz o que a cidade amanheceu e viu", completou. A Polícia Militar (PM) informou ter adotado todas as táticas para dispersar aglomerações.

Brasil presta solidariedade à Índia em decorrência de enchentes O governo do Brasil, por meio do Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, lamentou nesta sexta-feira a tragédia na Índia em decorrência das inundações que atingiram o Norte do país. Pelo menos 150 pessoas morreram na área de Uttarakhand e 60 mil ainda estão em uma região considerada de risco. Em comunicado, o Itamaraty manifestou solidariedade. “O Brasil manifesta seu pesar pelas perdas humanas e materiais causadas pelas enchentes e deslizamentos que atingem a Região Norte da Índia. O governo brasileiro transmite suas condolências e solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao governo da Índia”, diz o texto do Itamaraty. Equipes do Exército da Índia trabalham para resgatar as 60 mil pessoas que estão em uma área de risco. Há 22 helicópteros envolvidos nas operações. Os deslizamentos de terra, segundo dados oficiais, destruíram casas, pontes e estradas, em Uttarakhand e nas regiões de Himachal Pradesh e Uttar Pradesh.

MEC vai elaborar uma base curricular comum para as escolas O Ministério da Educação (MEC) vai elaborar uma base comum para o conteúdo ensinado nas escolas brasileiras, disse o secretário de Educação Básica, Romeu Caputo, em audiência na Câmara dos Deputados. Caputo baseou-se no Plano Nacional de Educação (PNE, PL 8.035/10) - aprovado na Câmara no ano passado, e atualmente em discussão no Senado. Além disso, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB, Lei 9.394/96) também estabelece que o governo federal, em conjunto com o Conselho Nacional de Educação, defina uma base nacional curricular. Pelo texto do PNE, pelo menos 70% dos alunos dos ensinos fundamental e médio devem alcançar, até o quinto ano de vigência do plano, nível suficiente de aprendizado em relação aos direitos e objetivos de aprendizagem de seu ano de estudo e 50%, pelo menos, o nível desejável. Sobre a educação infantil, o secretário reconheceu que as taxas de atendimento por creche são muito baixas. Caputo destacou que 76% das crianças até três anos estão fora da creche. A meta do governo é construir 6 mil unidades até 2014.


Diário Indústria&Comércio

Publicidade legal Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B7 joca.sev@hotmail.com

EMPRESAS

Documentos precisam ser arquivados na Junta Comercial Empresas que não arquivarem documentos por 10 anos podem se tornar inativas

É

bastante comum que sociedades – em especial aquelas constituídas para a administração de bens próprios dos sócios, ou para a participação no capital de outras sociedades – fiquem vários anos sem arquivar qualquer ato na Junta Comercial. O que poucos sabem é que, em razão do disposto no art. 60, da Lei nº. 8.934/94, se uma sociedade não proceder a qualquer arquivamento junto ao Registro do Comércio no prazo de 10 anos, terá a obrigação de comunicar à Junta Comercial que deseja manter-se em funcionamento, sob pena de ser considerada inativa, com o cancelamento do registro e a perda automática da proteção ao nome empresarial.

O alerta é do advogado Guilherme Follador (Assis Gonçalves, Kloss Neto e De Paola Advocacia). “Outro problema é que, quando esse cancelamento ocorre, a Junta Comercial comunica as autoridades fazendárias, que o interpretam como caracterizador de dissolução irregular da sociedade; e, segundo interpretação jurisprudencial bastante corrente, a dissolução irregular abre ensejo a que os sócios sejam responsabilizados pelos débitos tributários da sociedade”, diz. Antes do cancelamento, e do consequente envio da informação à Fazenda, é feita uma comunicação à sociedade; porém, como essa comunicação é feita via edital, raras vezes o chamado

é atendido Esta lei é aplicada a todas as sociedades sujeitas a registro na Junta Comercial, de qualquer área de atuação. Apenas as chamadas sociedades não empresárias, voltadas ao desempenho de atividade intelectual, como as de médicos, advogados, psicólogos, contadores, entre outros, estão excluídas dessa obrigatoriedade. Segundo Follador, os principais objetivos da legislação são os de evitar o uso da pessoa jurídica para mera segregação do patrimônio pessoal dos sócios, restringir, no tempo, as obrigações formais das empresas inativas, não sobrecarregar os arquivos de dados dos órgãos

ASSOCIAÇÃO SAN JULIAN, AMIGOS E COLABORADORES

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 - (Valores em R$)

CNPJ 07.070.735/0001-30

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (em reais) A T I V O CIRCULANTE

2012

2.857.225,33 1.796.938,44

Caixa e equivalentes de caixa Contas a receber convênio SUS/SESA Adiantamentos a empregados Despesas do exercício seguinte Estoques NÃO CIRCULANTE Investimentos Imobilizado TOTAL DO ATIVO

990.908,92

356.587,82

1.783.323,73 1.372.783,28 19.392,93

13.914,35

4.676,23 3.800,52 58.923,52 49.852,47 219.310,70 209.482,56 1.215,57 218.095,13 209.482,56 3.076.536,03 2.006.421,00

DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT OU DÉFICIT

Receitas de prestação de serviços Doações pessoas físicas e jurídicas Contribuições Associados RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA CUSTOS OPERACIONAIS Custo com pessoal sem vínculo empregatício Custo com pessoal com vínculo empregatício Despesas gerais

2012

2011

9.233.882,51

8.331.758,16

8.949.153,72 282.478,79 2.250,00

8.259.478,36 70.299,80 1.980,00

9.233.882,51

8.331.758,16

(7.423.740,54) (7.584.219,22) (1.444.606,70) (1.392.521,97) (4.072.949,02) (4.481.921,87) (1.906.184,82) (1.709.775,38)

SURERAVIT BRUTO

1.810.141,97

747.538,94

DESPESAS OPERACIONAIS

(780.281,17)

(815.237,48)

Despesas administrativas Despesas tributárias Despesas com depreciação/ amorização Outras receitas (despesas) operacionais

(739.811,29) (4.260,21)

(775.582,54) (4.406,28)

(35.823,33)

(29.941,96)

(386,34)

(5.306,70)

DESPESAS/RECEITAS FINANCEIRAS

CIRCULANTE

2012

2011

1.008.808,45 1.036.042,09

Fornecedores Impostos a recolher Salários e obrigações sociais Provisões para férias e encargos Contas a pagar PATRIMÔNIO LÍQUIDO

294.121,11 11.790,98 242.104,91

271.055,18 8.540,13 354.372,46

309.986,44 150.805,01

325.386,41 76.687,91

2.067.727,58

970.378,91

PATRIMONIO SOCIAL

1.040.771,58 1.023.182,09

SUPERÁVIT (DÉFICIT) DO EXERCÍCIO

1.026.956,00

TOTAL DO PASSIVO

(52.803,18)

3.076.536,03 2.006.421,00

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA PELO MÉTODO INDIRETO

R$ RECEITA OPERACIONAL BRUTA

NOTA 7. IMPOSTOS A RECOLHER

P A S S I V O

2011

(2.904,80)

14.895,36

Receitas financeiras (-) Despesas financeiras

24.326,97 (27.231,77)

22.235,71 (7.340,35)

SUPERÁVIT (DÉFICIT) OPERACIONAL LÍQUIDO

1.026.956,00

(52.803,18)

SUPERÁVIT (DÉFICIT) DO EXERCÍCIO

1.026.956,00

(52.803,18)

2012 FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Superávit (Déficit) do exercício 1.026.956,00 Ajustes por: Depreciações e amortizações 35.823,33 Ajustes exercícios anteriores 70.392,67 Superávit (Déficit) ajustado 1.133.172,00 (Aumento) diminuição de ativos Contas e receber e outras Despesas do exercício seguinte Estoques

R$

2011

(52.803,18) 27.955,99 (24.847,19)

(416.019,03) (536.654,11) (875,71) (77,03) (9.071,05) 8.641,71 (425.965,79) (528.089,43)

Aumento (diminuição) de passivos Fornecedores Contas pagar e outros

23.065,93 (50.299,57) (27.233,64)

Caixa líquido proveniente das atividades operacionais

71.346,81 222.845,62 294.192,43

679.972,57 (258.744,19)

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Acréscimo dos investimentos Acréscimo do imobilizado Caixa líquido usado nas atividades de investimento FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Integralização de Joia Patrimonial Caixa líquido usado nas atividades de financimanto Aumento(diminuição) no caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalete de caixa no início do período Caixa e equivalete de caixa no fim do período Aumento(diminuição) no caixa e equivalentes de caixa

(1.215,57) (44.435,90)

(86.531,15)

(45.651,47)

(86.531,15)

-

-

-

-

634.321,10 (345.275,34) 356.587,82 701.863,16 990.908,92 356.587,82 634.321,10 (345.275,34)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ESPECIFICAÇÕES SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010

PATRIMÔNIO SOCIAL 1.187.593,72

INCORPORAÇÃO DO DÉFICIT

(164.411,63)

SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

AJUSTES EXERCÍCIOS ANTERIORES

-

(52.803,18)

(52.803,18)

1.023.182,09

(52.803,18)

970.378,91

(52.803,18)

52.803,18

-

70.392,67

-

70.392,67

-

1.026.956,00

1.040.771,58

1.026.956,00

1.026.956,00 2.067.727,58

SUPERÁVIT DO EXERCÍCIO SALDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012

TOTAL GERAL 1.023.182,09

164.411,63

DÉFICIT DO EXERCÍCIO

INCORPORAÇÃO DO DÉFICIT

SUPERÁVIT DÉFICIT EXERCÍCIO (164.411,63)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 - (Valores em R$) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A ASSOCIAÇÃO SAN JULIAN, AMIGOS E COLABORADORES, fundada em 06/out./04, é uma sociedade civil, de direito privado, de natureza associativa, de caráter assistencial social, que tem a finalidade de promover o desenvolvimento social, da coletividade brasileira, em especial dos jovens, por meio de atividades organizadas nos setores da saúde e promoção humana. 1.1 - A entidade é sem fins lucrativos com título de Utilidade Pública, e vem cumprindo com as disposições do artigo 169 do Decreto nº 3.000/ 99, (CF. art. 150, inciso VI alínea C) e art. 1º da Lei Complementar nº 104/2001. 1.2 - A entidade aplica integralmente suas rendas, recursos e eventuais resultados operacionais na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais no território nacional. 1.3 - A entidade por ser instituição sem fins lucrativos, não distribui resultado, dividendos, bonificações, participação ou parcela de seu patrimônio, sob nenhuma forma ou pretexto. NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas em conformidade com a Lei nº 6.404/76 e Resolução CFC nº 1409/2012, que aprovou a ITG 2002 - “Entidades sem finalidade de lucros”. Estão sendo divulgas de forma comparativa as do exercício anterior. Os relatórios ora publicados estão adequados a Lei 11.638/07 e Lei 11.941/09 NOTA 3. DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADA AS NORMAS DO CPC As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis a entidades sem fins lucrativos, as quais abrangem a legislação societária, as normas do Conselho Federal de Contabilidade, os Pronunciamentos, as Orientações e as Interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs). NOTA 4. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS São as seguintes as práticas adotadas para elaboração destas demonstrações financeiras: A) APURAÇAO DO RESULTADO As receitas e despesas são escrituradas pelo regime de competência. B) CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa, depósitos bancários, investimentos de curto prazo de alta liquidez e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor. C) CONTAS A RECEBER – CONVÊNIO SUS/SESA Referem-se aos direitos a receber por conta da prestação de serviços exclusivamente ao Sistema Único de Saúde – SUS. D) ADIANTAMENTOS A EMPREGADOS Nesta conta registrados os adiantamentos de salário e férias a empregados. E) DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE As despesas de seguros antecipados estão registradas no ativo circulante, sendo apropriados mensalmente ao resultado, pelo regime de competência.

da Administração e liberar o uso do nome comercial para outros interessados”, resume. Uma das principais preocupações dos juristas nesses casos reside no fato de que, caso a empresa seja considerada inativa, ela perde a proteção ao nome empresarial e tem o seu registro cancelado. A responsabilidade pelos débitos sociais é transferida para os seus sócios, que passam a responder por qualquer irregularidade. Para reativar uma empresa basta fazer uma alteração contratual em que conste uma cláusula de reativação. Também é necessário demonstrar que o nome empresarial não está em uso por outra sociedade. Mais informações: www.agkn.com.br.

C ONTAS C ONTÁBEIS ————————————————————— ISS a Recolher PIS a Recolher PIS/COFINS/CSLL a Recolher IRRF a Recolher Pessoas Jurídicas IRRF a Recolher sobre Salários

2012 2011 ——————— ——————— 28,75 5,26 4.647,67 4.056,68 1.539,43 200,91 2.328,21 2.075,56 3.246,92 2.201,72 ——————— ——————— TOTAL 11.790,98 8.540,13 NOTA 8. SALÁRIOS E OBRIGAÇÕES SOCIAIS CONTAS C ONTÁBEIS 2012 2011 ————————————————————— ———————— ———————— Salários a pagar 189.258,00 160.139,00 INSS a pagar 22.269,64 164.949,33 FGTS a pagar 28.509,25 24.301,80 Contribuição sindical a pagar 2.068,02 1.982,33 Indenizações trabalhistas a pagar 3.000,00 ———————— ———————— T OTAL 242.104,91 354.372,46 NOTA 9. PROVISÃO PARA FÉRIAS E ENCARGOS 2012 2011 C ONTAS C ONTÁBEIS ——————————————— ———————— ———————— Provisão de Férias 287.115,52 237.671,08 INSS s/férias 68.781,10 FGTS s/férias 22.870,92 18.934,23 ———————— ———————— T OTAL 309.986,44 325.386,41 NOTA 10. PATRIMÔNIO LÍQUIDO O Patrimônio Líquido é constituído pelas contribuições totalmente integralizadas, acrescido ou diminuído, respectivamente, do superávit ou déficit inerente às atividades da entidade, apurado ao término de cada exercício social. NOTA 11. DOAÇÕES RECEBIDAS Eventualmente a entidade recebe doações de pessoas físicas, jurídicas e governamentais, conforme demonstramos a seguir os valores recebidos: D OADORES 2012 2011 ———————————— ———————— ——————— Pessoas Físicas 16.841,50 7.398,10 Pessoas Jurídicas 10.585,14 62.901,70 Governamentais 244.595,50 Doações diversas 10.456,65 ———————— ——————— TOTAL 282.478,79 70.299,80 NOTA 12. RECEITAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS As receitas são provenientes de serviços prestados exclusivamente ao Sistema Único de Saúde - SUS e encontram-se registradas a valores originais e de acordo com o regime de competência, conforme demonstramos a seguir: R ECEITAS 2012 2011 ————————————————————————— ————————— ————————— Receitas de Serviços ao SUS – 100% 8.949.153,72 8.259.478,36 Conforme demonstrado no quadro acima, a Associação superou o percentual mínimo de 60% (sessenta por cento) a que se refere o inciso II do art. 4o da Lei no 12.101 de 2009. NOTA 13. BENEFÍCIOS FISCAIS A Associação San Julian, Amigos e Colaboradores é uma entidade sem fins de lucro e, portanto, usufrui de benefícios fiscais, cujas isenções obtidas estão contabilizadas consoantes disposições emanadas das Normas Brasileiras de Contabilidade como seguem: 2012 2011 D ESCRIÇÃO ————————————————— ————————— ———————— Cota Patronal do INSS 884.334,78 COFINS 268.474,62 247.784,34 ————————— ———————— T OTAL 1.152.809,40 247.784,34 NOTA 14. APLICAÇÃO DOS RECURSOS Todos os recursos de convênios recebidos pela Associação foram aplicados em suas finalidades institucionais, de conformidade com seu Estatuto Social. NOTA 15. COBERTURA DE SEGUROS A Associação adota a política de contratar cobertura de seguros para os bens sujeitos a riscos por montante considerados suficientes para cobrir eventuais sinistros, considerando a natureza de sua atividade. AFFONSO ANTUNIUK SAUL BRUNETTA Presidente T.Contábil CRC/PR 033660/O-1

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. DIRETORES da ASSOCIAÇÃO SAN JULIAN, AMIGOS E COLABORADORES Piraquara - PR

Examinamos as demonstrações financeiras da ASSOCIAÇÃO SAN JULIAN, AMIGOS E COLABORADORES, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de F) IMOBILIZADO Está demonstrado pelo custo de aquisição, ajustado por depreciações caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das acumuladas, calculadas pelo método linear. A depreciação é calculada principais práticas contábeis e demais notas explicativas. pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, Responsabilidade da administração sobre as demonstrações fifixado por espécie de bens, como segue: nanceiras Móveis e utensílios 10% a.a. A administração da Entidade é responsável pela elaboração e adequaMáquinas e equipamentos 10% a.a. da apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as Ferramentas 10% a.a. práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que Computadores e Impressoras 20% a.a. ela determinou como necessários para permitir a elaboração de deAparelhos telefônicos 10% a.a. monstrações contábeis livres de distorção relevante, indepenInstalações 10% a.a. dentemente se causada por fraude ou erro. Equipamentos refeitório 10% a.a. Equipamentos de recreação 10% a.a. Responsabilidade dos auditores independentes Equipamentos hospitalares 10% a.a. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de G) FORNECEDORES acordo com as normas brasi-leiras e internacionais de auditoria. Essas São obrigações a pagar de curto prazo por bens ou serviços que foram normas requerem o cumprimento de exi-gências éticas pelos auditores adquiridos de terceiros no curso normal dos negócios, sendo e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter classificadas como passivos circulantes. segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. H) PROVISÃO PARA FÉRIAS E ENCARGOS Foram constituídas provisões para férias para cobertura prevista das obrigações Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para relativas a férias vencidas e proporcionais com os respectivos encargos. obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações fi-nanceiras. Os procedimentos selecionados I) DEMAIS ATIVOS E PASSIVOS Apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando dependem do julgamento do auditor, inclu-indo a avaliação dos riscos aplicável, as variações monetárias ou cambiais. Os ativos e passivos são de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independenteclassificados como circulantes quando sua realização ou liquidação é mente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o audiprovável que ocorra nos próximos doze meses. Caso contrário, são tor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresen-tação das demonstrações financeiras da entidade demonstrados como não circulantes. para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas NOTA 5. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a C ONTAS C ONTÁBEIS 2012 2011 eficácia desses controles internos da entidade. Uma auditoria inclui, ————————————————— ———————— ———————— também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e Caixa 2.516,53 671,44 a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, Bancos 410.870,60 652,04 bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras Aplicações financeiras 577.521,79 355.264,34 tomadas em conjunto. ———————— ———————— T OTAL 990.908,92 356.587,82 Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fun-damentar nossa opinião. NOTA 6. IMOBILIZADO DEPR/AMORT. 2012 2011 Opinião CONTAS CONTÁBEIS CUSTO ACUMULADA LÍQUIDO LIQUIDO Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apre———————————————— — -—————————— ————————— ——————— —————— — -— sentam ade-quadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição Móveis e utensílios 46.238,91 11.949,31 34.289,60 33.197,88 patrimonial e financeira da ASSOCIAÇÃO SAN JULIAN, AMIGOS E Máquinas e COLABORADORES em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de equipamentos 31.429,19 7.075,61 24.353,58 24.368,53 suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela Ferramentas 2.764,98 1.047,66 1.717,32 1.993,80 data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Computadores e impressoras 69.506,87 38.957,12 30.549,75 29.192,52 Outros assuntos Aparelhos telefônicos 5.893,04 1.092,35 4.800,69 2.960,19 Os valores correspondentes ao exercício findo em 31 de dezembro de Instalações 73.574,36 15.963,16 57.611,20 45.398,04 2011, apresen-tado para fins de comparação, foram anteriormente auditado pela Bazzaneze Auditores Independentes, que emitiu relatório Móveis e Utensílios refeitório 45.254,67 11.542,02 33.712,65 35.742,71 datado em 09 de março de 2012, com uma opinião sem modificação. Curitiba, 22 de fevereiro de 2013. Materiais de recreação 2.792,50 1.047,81 1.744,69 2.022,34 Equipamentos Executive Auditores Independentes Hospitalares 39.366,57 10.050,92 29.315,65 34.606,55 CRC-PR-005657/O-1 Benfeitoria em Nelson Bazzaneze Imóveis terceiros 257.128,14 257.128,14 ————-——— ——————-— ———-———— ————-———— Contador CRC-PR-045350/O-1 TOTAL 573.949,23 355.854,10 218.095,13 209.482,56 CNAI Nº 2742

JoaquimSeverino O CULPADO É O CONVENIO A burocracia não é para ser considerada limitante de ações, mas sim para assegurar que as ações se pautem pela legalidade. Os  convênios, acordos e ajustes se converteram ao longo  dos tempos, em expedientes alienantes da livre concorrência. Só agora, com as exigências legais de que prefeituras, associações, ongs e outras entidades similares cumpram a ritualística formal de provar sua legalidade no cotidiano, é que o poder público se dá conta de que não pode ficar refém dessas entidades para “mostrar serviço”. Por exemplo, o governo federal destina recursos para um determinado estado, os quais serão repassados mediante celebração de um termo de cooperação, geralmente na modalidade de convênio. Entre a identificação de recursos a serem repassados e a efetiva assinatura do dito convênio lá se vão de 10 a 12 meses, isso quando o mesmo não é abortado no meio do longo caminho burocrático. A quantidade de certidões, pareceres e encaminhamentos parecem interminável. A única coisa que caminha célere nesse processo é o alarde midiático em ambos os níveis de governo no ato da assinatura do dito convênio. Entre a festa da assinatura e a entrada dos recursos na conta do Estado, não é tão simples assim como parece. Mas como não são muitos os convênios entre União e Estado, a coisa passa meio batido. Agora quando o convênio é entre o Governo do Estado e as prefeituras municipais, aí então sai de baixo. O resumo da ópera parece ser o da estória de que “papagaio come milho e periquito leva a fama”. A coisa funciona mais ou menos assim. O recurso anunciado pelo governo do Estado carece de convênio, só que as prefeituras precisam estar com todas as certidões em dia que, aliás, não são poucas, e que as mesmas são exigidas por alguma razão, não estão aí por acaso. Não é de duvidar que se conte nos dedos as prefeituras que têm e mantém ficha limpa, ou seja, as certidões estão em dia. Até que a prefeitura não saia do emaranhado de inadimplências o convênio não pode ser assinado. A duras penas e depois de muitas idas e vindas consegue se assinar o convênio. A falta de empenho do governo por achar que já fez sua parte, pois já colocou o dinheiro à disposição e, também da prefeitura, por achar que agora é só gastar, conduzem à paralisação do processo pelo simples fato de que as certidões tiveram seus prazos de validade vencidos e a prefeitura voltou à situação de inadimplente. Mais uma “via crucis” e o dinheiro chega finalmente à prefeitura, mas para usá-lo tem que se obedecer aos ditames da lei, claros e precisos para alguns e dúbios e irrelevantes para outros. Se o Estado que tem estrutura para licitar não o faz, preferindo passar o encargo para a despreparada prefeitura, pode se imaginar que dificilmente o final não será feliz. O resultado invariavelmente é o cometimento de erros primários na licitação, na contratação, na execução, na fiscalização e na prestação de contas. Ao final, a população pretensamente beneficiária fica a ver navios, os servidores municipais indiciados e os estaduais com cara de paisagem, com cara de quem acha que se falhas houve o problema foi “dos outros”, não obstante a solene omissão. É bom não esquecer que se a coisa fede, dele só escapa quem não mais respira. * Joaquim Severino – Diretor Presidente da empresa Agrária e Engenharia e Consultoria S/A e ex Professor de Política Agrícola da Universidade Federal do Paraná (1973/2010), escreve nesta coluna desde 1992.

Facop promove I encontro de RH do asseio e conservação Com objetivo de aumentar a participação das empresas terceirizadoras de mão de obra operacional na capacitação dos trabalhadores, a Fundação do Asseio e Conservação do Estado do Paraná (Facop) reuniu profissionais de Recursos Humanos durante café da manhã, em Almirante Tamandaré (PR), na última segunda-feira (17). O 1º Encontro de RH foi a tática usada pela Facop para estreitar laços com os departamentos, que são o elo entre empresas e trabalhadores. As ações desenvolvidas pelo RH Coletivo da Fundação, que capta e encaminha candidatos às vagas no mercado foi um dos pontos que nortearam o encontro que reuniu representantes de aproximadamente 20 empresas paranaenses. “É muito importante apresentar o trabalho que já desenvolvemos e, principalmente, o potencial que temos para aumentá-lo”, afirmou Daniele Bidinoto, supervisora do RH Coletivo da Facop. Além de conhecerem o trabalho do RH Coletivo, os profissionais que participaram encontro na Facop conhece-

ram toda estrutura do prédio, que tem capacidade para receber mais de 300 alunos simultaneamente. O sistema pedagógico desenvolvido exclusivamente para atender às demandas do setor e garantir a qualidade da mão de obra terceirizada pelas empresas foi o ponto abordado pela Coordenadora Pedagógica da Facop, Letizia Marchese, que convocou os profissionais a incentivarem seus colaboradores a frequentarem as aulas no centro de formação da Facop. O trabalho pioneiro da FACOP e o impacto gerado por isso no setor e nos trabalhadores foram apresentados pelo presidente da Fundação, Adonai Arruda. “Queremos inocular o ‘vírus’ da Facop, nos unir às empresas para conhecer suas necessidades e fazer com que o Paraná continue à frente de ações inovadoras que impulsionem este setor”, afirmou. Ainda houve apresentação do sistema pedagógico usado nos cursos e uma palestra sobre comunicação, ministrada pela psicóloga Jurândi Serra Freitas.


Região Metropolitana

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 24 de junho de 2013 | Pág. B8

São José dos Pinhais

Informe Identificar e assumir os talentos evolutivos Talento segundo o dicionário significa “conjunto de aptidões, naturais ou adquiridas, que condicionam o êxito em determinada atividade”. O vocábulo talento tem origem em uma medida de peso e moeda greco-romana, associada à riqueza e valor. Somente no Século XIV o termo passa a designar capacidade, competência, habilidade e genialidade. Identificar talentos em nós mesmos não é tarefa fácil, principalmente quando somos influenciados por ideologias abafam capacidades visando à manipulação em massa. Cabe ao indivíduo a tarefa de aprofundar no autoconhecimento para superar o senso comum e identificar os talentos pessoais capazes de otimizar sua evolução. A Conscienciologia, ciência aplicada ao estudo do ser em perspectiva ampla, entende o indivíduo como portador de bagagens de múltiplas vidas e atuante em várias dimensões e propõe o aprofundamento no conhecimento de si com a prática da autopesquisa. Autopesquisa é o ato de o indivíduo pesquisar, investigar, analisar e refletir com o máximo de detalhismo, discernimento e isenção possível acerca do próprio microuniverso, a partir de um modelo adequado para este estudo. Através da aplicação de técnicas de autopesquisa é possível identificar traços fortes (trafores) e traços fardos (trafares). Trafores são talentos, conquistas evolutivas resultantes das experiências milenares em inúmeras vidas. Trafares são aqueles traços que representam as imaturidades ou os “defeitos” do indivíduo. Tão importante quanto a identificação dos talentos é a aplicação prática e evolutiva desses traços. Para isso, precisamos utilizar um módulo de inteligência chamado Inteligência Evolutiva. A Inteligência Evolutiva é aquela que define o autodiscernimento do indivíduo (o qual chamados de consciência) quanto à evolução racional. É também conhecida como atributo da exatidão evolutiva ou do autodiscernimento das prioridades evolutivas. A utilização dos talentos com foco na evolução consciencial ajuda na autossuperação de trafares que atravancam nosso progresso e nos levam a repetir experiências imaturas por várias vidas. O que explica então a dificuldade em identificar e assumir talentos? Uma hipótese é de que ao identificar os talentos com lucidez e discernimento o indivíduo assume também a responsabilidade de aplicá-los em prol da própria evolução e das pessoas que compõem seu grupo evolutivo. Isso implica em uma postura mais proativa, que tira da zona de conforto e leva a abrir mão de ganhos secundários os quais são obtidos com a manutenção de traços falhos. Para ilustrar cito meu exemplo pessoal: na aplicação da técnica da autopesquisa identifiquei que apresento como traço a vontade de ajudar as pessoas. A aplicação e vivência na prática deste trafor ajudam a superar o trafar da preguiça, ou seja, para colocar em prática este talento preenchi minha agenda com atividades voltadas para a assistência aos outros, sobrando pouco tempo para me permitir o exercício da preguiça. Vale ressaltar que a autossuperação vem com a aplicação dos talentos na prática. Simplesmente identificá-los, sem a aplicação da inteligência evolutiva, não ajuda muito na dinâmica da evolução consciencial. Evoluir implica em abrir mão das imaturidades e assumir os talentos com foco na evolução pessoal e grupal. Abrir mão das imaturidades é abrir mão do “egão” que ainda pensa e exige muito para si em detrimento dos outros. Quem identifica e assume seus talentos evolutivos, assume também a responsabilidade maior de aplica-los em prol dos outros e da evolução do planeta. *Geyssimar Dias é assistente social, empresária e professora do Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), que é uma instituição de educação e pesquisa científica, pacifista, laica, universalista, sem fins de lucro, não doutrinária e independente, que se destaca pela excelência em cursos e publicações técnico-científicas sobre as ciências Projeciologia e Conscienciologia. Telefone para contato: (41) 3233-5736. Maiores informações no website www.iipc.org.

Colombo

Prefeita é empossada como presidente da Junta Militar A Prefeita de Colombo, Beti Pavin e os prefeitos de Cerro Azul, Claudinei Braz e de Piraquara, Marcus Maurício de Souza Tesserolli, tomaram posse na última semana, como presidentes das Juntas de Serviço Militar, nos seus respectivos municípios. A cerimônia aconteceu no auditório da Regional Maracanã, em Colombo, e foi presidida pelo chefe da 15° Circunscrição do Serviço Militar, coronel Monteiro. Na ocasião foram entregues diplomas de honra ao mérito ao prefeito de Quatro Barras, e presidente da Junta de Serviço Militar 043, Loreno Bernardo Tolardo e para o ex-auxiliar da 5º Delegacia de Serviço Militar de Rio Branco do Sul, Samuel Alexandre Raimundo de Souza por cooperarem com o Exército Brasileiro, em especial com o Estado do Paraná. Durante a solenidade, o coronel explicou que, de acordo com a lei Federal do Serviço Militar

www.justicaedireito.com

-4375, de setembro/ 64, é função do prefeito estar à frente das atividades da Junta de Serviço Militar, com a responsabilidade de instalação e manutenção dos órgãos no município administrado. A Prefeita Beti Pavin destacou que é com orgulho que assume pela terceira vez esse compromisso e mencionou a importância do serviço militar para a formação do caráter e para o exercício da cidadania dos jovens. “É uma honra colaborar com o Serviço Militar brasileiro e cooperar com o desenvolvimento dos conceitos de patriotismo no nosso município“, pronunciou. Estiveram presentes também na solenidade as seguintes autoridades: os prefeitos do município de Tunas do Paraná, Joel do Rocio, da cidade de Campo Magro, Louvanir Menegusso, o vice-prefeito do município de Colombo, Ademir Goulart, vereadores de Colombo e da região metropolitana.

Prefeitura realiza mais uma Consulta Pública nos bairros Ao todo serão realizados 12 encontros, em diversos bairros e áreas rurais da cidade

A

Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais, através da sua secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, com o objetivo de promover a integração do poder público com os bairros e estabelecer a Gestão Compartilhada, realizou na última semana mais uma Consulta Pública para a preparação do Plano Plurianual, que será levado à audiência pública para ser executado a partir de 2014. Desta vez, a reunião aconteceu na Capela Divino Espírito Santo, no Jardim Aviação. Durante a Consulta, que contou com a participação de representantes de diversas secretarias municipais, foi feita uma dinâmica com os presentes e além da coleta de dados e reivindicações da comunidade para a construção de políticas de localidade. Rafael Muhlmann, Secretário Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, explicou o que será feito com os dados coletados nestas reuniões. “Com base no que nós estamos ouvindo, diagnósticos estão sendo formados pela Secretaria, para que ao final destes encontros possamos estabelecer metas locais de desen-

Desta vez o encontro ouviu as reivindicações de moradores do Jardim Aviação e Região

volvimento a serem executadas nos próximos anos”. O prefeito Luiz Carlos Setim, também estava presente na audiência. Falando aos participantes ele explicou a importância da cooperação das pessoas nestas ações. “Nós, hoje, devido à legislação, estamos

administrando a Prefeitura de acordo com as metas estabelecidas pela gestão anterior. E é por isso, que estamos realizando estas consultas públicas. A partir delas vamos definir, as nossas metas e estabelecer quais são as nossas prioridades a curto, médio e longo prazo”.

Também estavam presentes no evento, o vice-prefeito de São José dos Pinhais, Toninho da Farmácia, o secretário de Urbanismo Marcelo Ferraz Cesar, a secretária de Agricultura e Abastecimento Daniella Setim e o secretário de Meio Ambiente, Gastão Vosgerau.

Araucária I

Araucária II

Tarifa de ônibus em Araucária também cai para R$ 2,70

Prefeitura cria Fundo Rotativo para reparos em unidades de ensino

O prefeito Olizandro Ferreira confirmou na sexta-feira (21) que, por contrato, o sistema de transporte de Araucária segue a redução da tarifa (de R$ 2,85 para R$ 2,70) a partir de 1º de julho. “Mesmo com as dificuldades financeiras que estamos enfrentando no município, estamos fazendo um grande esforço para não perder a integração do transporte por entender que ela é importante para a população. Esses 15 centavos a menos na tarifa representam um custo de mais de R$ 300 mil ao mês para os cofres de Araucária”, explicou o prefeito. O valor reduzido é válido para os 14 municípios que compõem a Rede Integrada de Transporte (RIT). A tarifa aos domingos permanece em R$ 1,50. Araucária tem seu sistema 100% integrado. É um dos municípios que mais investe na manutenção da rede integrada. De acordo com o diretor-presi-

Carlos Poly/ACS

O prefeito Olizandro Ferreira confirmou a redução da tarifa (de R$ 2,85 para R$ 2,70) a partir de 1º de julho

dente da Companhia Municipal de Transporte Coletivo de Araucária  (CMTC), Sandro José Martins, além do que é arrecadado, Araucária tem que custear cerca de R$ 45 milhões ao ano para manter a integração; um déficit expressivo. O valor é, proporcionalmente, muito alto se levar em

conta que o Governo do Estado banca R$ 70 milhões. A Rede Integrada de Transporte (RIT) agora está sob responsabilidade da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedu).

Pinhais

Pronatec inicia nova turma Começaram na última semana, as aulas do curso de Recepcionista promovido pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério da Educação (MEC), em Pinhais. A iniciativa é fruto da parceria entre o município e o Instituto Federal do Paraná (IFPR), e está em andamento nas dependências da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Semde), na região central da cidade. Ao todo, aproximadamente 35 alunos integram a turma que estará qualificada em aproximadamente dois meses, já que a capacitação inclui 160 horas de aprendizado. Os encontros do curso ocorrem à tarde, entre as 14h e 18h, de segunda a sexta-feira. O objetivo da iniciativa é preparar os alunos para as atividades próprias da profissão, entre as quais estão o atendimento ao público e a triagem de informações, por exemplo. O curso precede a formação da próxima turma, que já está com inscrições abertas, na área de Comprador, com início das aulas previsto para a metade do mês de julho. Segundo o diretor do Departamento de Geração de Emprego e Renda da Semde, Luís de Souza, entre as vantagens dos cursos do Pronatec Pinhais está o

A iniciativa é fruto da parceria entre o município e o Instituto Federal do Paraná (IFPR)

horário das aulas. “É um diferencial porque, ao contrário de outras iniciativas, muitas delas pagas, aqui temos aulas gratuitas e em períodos que facilitam a vida dos interessados”, explica. “Procuramos não formar as turmas em apenas um turno, mas em tempos variados do dia, de modo a ampliar o acesso de quem quer e precisa aprender ou se preparar para uma profissão”. Junto dele, o diretor geral do campus Pinhais do IFPR, Paulo Yamamoto, e o coordenador adjunto do Pronatec Pinhais, Renato Nascimento, destacam as novidades que estão sendo preparadas para atender às futuras turmas do programa na cidade.

“Estamos montando um laboratório de informática que terá, inicialmente, 15 computadores”, conta Yamamoto. “Esse espaço será útil porque permitirá a realização de cursos ligados especificamente à informática e que exigem esse tipo de equipamento”, completa Nascimento. O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) é uma iniciativa do governo federal que amplia as vagas das redes estaduais de educação profissional. Além do curso de Recepcionista, também está em andamento a qualificação para Auxiliar de Faturamento, que teve início em três de junho.

A Prefeitura de Araucária pretende disponibilizar recursos para que cada unidade escolar do município (escolas e CMEIs) possa realizar pequenas compras de materiais de consumo e reformas, em regime de urgência. A ação faz parte do Fundo Rotativo nas Unidades de Ensino da Rede Municipal de Araucária, um programa da SMED para agilizar questões de manutenção e outras despesas.  O projeto de lei foi recentemente aprovado em primeira votação na Câmara Municipal. “O Fundo Rotativo dá mais autonomia para os diretores administrarem os pequenos problemas do dia a dia. São recursos para trocar uma fechadura ou resolver o problema de uma torneira pingando, por exemplo. É importante dizer que isso não exime a Prefeitura de realizar manutenção”, afirmou o secretário de Educação Ronaldo Martins. Segundo o projeto, os valores variam de acordo com a quantidade de alunos na unidade escolar com base no Censo Escolar. Mas há um valor mínimo de R$ 300/mês (quando a unidade possui até 80 alunos) e um teto de R$ 5.600. O projeto prevê ainda que o recurso será depositado em duas parcelas anuais e que metade deve ser gasto com consumo e metade com serviços. A aplicação dos recursos contará com a aprovação e fiscalização das APPFs e Conselho Escolar devidamente regularizados. Os gestores das escolas, com orientação do Núcleo Administrativo Financeiro da SMED, serão os responsáveis por prestar contas da aplicação dos recursos. O projeto enviado à Câmara Municipal atende a uma reivindicação de diretores para resolver pequenas demandas. “ Henrique explica que os recursos serão aplicados em diversas ações de pequeno porte como:  comprar lâmpadas, materiais de expediente e de uso em sala de aula, contratar serviços como consertos de fotocopiadoras, projetores multimídia e adquirir material esportivo e cultural.


Diário Indústria&Comércio