Issuu on Google+

Curitiba, sexta-feirA, 23 de maio de 2014 | Ano XXXViI | Edição nº 9118 | R$ 1,50

Indústria& Comércio DIÁRIO

LÍDER EM INFORMAÇÕES DE NEGÓCIOS E MERCADOS NO PARANÁ. DESDE 1976.

OPINIÃO

Aroldo Murá EM 55 MIL M² DE cONSTRUÇÃO, nASCE UM GRANDE HOSPITAL Não só pela área construída, de 55 mil m2, mas sobretudo por outras tantas dimensões da obra, o novo Hospitall N.S.do Rocio, de Campo Largo, será impressionante e único. Terá cerca de 1.100 leitos, um heliponto, 27 salas cirúrgicas e audioório com 300 poltronas. Página A6 Na avaliação da confederação, o resultado é consequência da inflação, pressionada principalmente por serviços e alimentos

Pedro Washington Prova definitiva Se ainda restavam dúvidas, o mais recente obstáculo colocado ao Paraná para ter acesso ao mais liberado de todos os empréstimos obtidos em agências financeiras nacionais e internacionais, prova que há mãos fortes no caminho dos recursos destinados ao estado. Página B3

Intenção de consumo das famílias é a menor desde 2011 O levantamento mantém a tendência de queda que vem sendo registrada desde o início do ano, com recuo de 2,3% (para 122,4 pontos) em relação a abril. Economia A4

Presidente da Apolar visita o Pequeno Príncipe

Café das Nações presta homenagem a Data Nacional da Argentina

Parceiro do Hospital Pequeno Príncipe e do Instituto Pelé Pequeno Príncipe, o empresário Joseph Galiano ficou impressionado com a estrutura das instituições, que conheceu durante visita programada. “Colaboramos com a convicção de que é um investimento muito bem feito pela causa pediátrica, mas os resultados e a estrutura são muito melhores do que o imaginado”, disse Galiano, que é presidente da Apolar Imóveis.

Barbosa revoga trabalho de mais quatro condenados no mensalão

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, revogou ontem o benefício de trabalho externo de mais quatro condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. O presidente cassou o benefício dos ex-deputados Valdemar Costa Neto, Bispo Rodrigues e Pedro Corrêa e do ex-tesoureiro do extinto PL Jacinto Lamas.

Negócios A6

Editais na página a7 Ricardo Brugada Loizaga, cônsul do Paraguai; Nazareno Ayala, cônsul adjunto da Argentina; Hector Gustavo Vivaqua, cônsul da Argentina; Ardisson Naim Akel, cônsul do Marrocos e presidente da Junta Comercial do Paraná; Odone Fortes Martins, presidente do Diário Indústria & Comércio; Oseil Moura dos Santos, cônsul do Senegal; e Saturnino Hermando Gordo, cônsul da Espanha. Página A8

Acesse a edição digital

www.icnews.com.br

Transparência dos estados que sediarão a Copa aumentou A transparência dos estados que sediarão os jogos da Copa do Mundo 2014 sobre os investimentos de infraestrutura aumentou neste ano, em comparação com o ano passado, de acordo com a segunda edição

da pesquisa do projeto Jogos Limpos, elaborada pelo Instituto Ethos, organização que atua na área da responsabilidade social empresarial. O estudo, lançado ontem, mostra que os maiores avanços ocorreram no

Nordeste, sobretudo no Ceará e em Pernambuco. Em uma escala que vai até cem, os estados alcançaram 65,22 e 63,37, respectivamente. Brasil A2

Missão de empresários japoneses vem ao Paraná discutir o meio ambiente A Câmara do Comércio e Indústria Brasil – Japão do Paraná, promove nesta sexta, um seminário sobre reciclagem, tratamento de resíduos e prevenção contra desastres naturais. No evento, o Paraná recebe a JICA (Japan International Cooperation Agency), que vem ao Brasil pela terceira

vez. Antes de chegar ao Paraná a missão visita o estado de São Paulo. A agência é responsável por investimentos, transferência de tecnologia e esforços internacionais para fomentar o desenvolvimento das regiões onde atua. Negócios A6

Demanda doméstica por transporte aéreo tem crescimento de 8,2% A demanda doméstica por transporte aéreo cresceu 8,2% em abril em relação ao mesmo mês de 2013. A informação é da Associação Brasileira das Em-

Central de Atendimento: 41 3333.9800 / e-mail: pauta@induscom.com.br

presas Aéreas (Abear), que computou dados das companhias TAM, Gol, Azul e Avianca. Economia A3


Nós mudamos e conseguimos criar uma outra forma jurídica aceita que é o prêmio, que é muito mais simples para a prestação de contas.” Marta Suplicy, ministra da Cultura, sobre Pontos de Cultura

Acho que a gente tem que se arrepender de algo que não fez. Eu sou um atleta profissional, o cara também é, nós dois somos homens, é uma coisa que pode acontecer com qualquer um...” Wanderlei Silva, lutador de MMA

a2 | BRASIL

A maratona vai ser grande durante o Mundial. Quero ir a todas as festas, fazer turnê pelas cidades que sediarão os jogos e ainda estar gostosa.” Mulher Melão , funkeira

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

EDITORIAL coluna@induscom.com.br

O preço dos impostos O bolso do brasileiro não tem sossego. Se já não bastassem as altas taxas da inflação, elevando o preço dos alimentos e de outros produtos básicos – e os não tão básicos – para a sobrevivência, o salário do trabalhador também é corroído pela elevada carga tributária. Realmente, pagar imposto no Brasil não é tarefa fácil. Apesar das inúmeras tentativas do governo de aliviar o peso dos encargos, o país continua sendo um dos líderes mundiais nesse assunto. Uma mudança radical nessa área se faz necessária para que a vida do cidadão possa melhorar. Seria ótimo se os próximos governantes, a serem eleitos nas eleições de outubro, pudessem tomar medidas realmente eficazes para diminuir o valor dos impostos. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), em 2014, os brasileiros trabalharão até o dia 31 de maio somente para pagar impostos, taxas e contribuições aos cofres públicos. No ano passado, foram necessários 150 dias, um a menos do que em 2014. De todo o rendimento bruto recebido pelos brasileiros, 41,37% são destinado a pagar tributos, percentual um pouco acima do verificado em 2013, de 41,10%. Com números tão alarmantes, um mudança profunda é urgente!

Previsão do tempo Fonte: www.simepar.br..

10° Máx.: 18°

Mín.:

A frente fria avança para o Oceano, mas a instabilidade se mantém extremamente elevada no Paraná. Uma área de baixa pressão percorre áreas vizinhas ao Estado, e garante a presença de um ambiente umido, com predomínio de nuvens e chuva na maior parte do Paraná. Pontualmente o volume de precipitação deve ser bastante significativo, principalmente na metade de leste, inclusive na região metropolitana de Curitiba. As temperaturas ficam bem mais baixas

Arte: Roque Sponholz..

STF absolve Feliciano da acusação de estelionato

Jovens entram no Senado e protestam contra a PEC

O STF absolveu o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) da acusação de estelionato. Por unanimidade, os ministros concordaram com o entendimento da PGR chegaram a consenso de que o parlamentar não cometeu o crime. Feliciano foi acusado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul de ter enganado uma produtora de eventos em São Gabriel (RS) em 2008.

Com poucos senadores na Casa e a maior parte das atenções voltadas para a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, um grupo de jovens conseguiu entrar no Senado para protestar na entrada do corredor, conhecido como túnel do tempo – local que dá acesso às salas das comissões – contra a redução da maioridade penal.

Continua longe do ideal

Transparência dos estados que sediarão a Copa aumentou Cinco estados apresentaram nível de transparência médio: Paraná (59,10), Bahia (54,83), Minas Gerais (47,14), São Paulo (51,94) e Mato Grosso (50,26)

A

transparência dos estados que sediarão os jogos da Copa do Mundo 2014 sobre os investimentos de infraestrutura aumentou neste ano, em comparação com o ano passado, de acordo com a segunda edição da pesquisa do projeto Jogos Limpos, elaborada pelo Instituto Ethos, organização que atua na área da responsabilidade social empresarial. O estudo, lançado ontem, mostra que os maiores avanços ocorreram no Nordeste, sobretudo no Ceará e em Pernambuco. Em uma escala que vai até cem, os estados alcançaram 65,22 e 63,37, respectivamente. O diretor-presidente do Instituto Ethos, Jorge Abrahão, explicou que a pesquisa utilizou 90 indicadores sobre o grau de acessibilidade à informação, ferramentas de participação do cidadão, entre outras questões. Segundo ele, os dados mostram que o Brasil está, aos poucos, criando uma cultura de transparência.

A Arena da Baixada em Curitiba sediará quatro jogos da Copa do Mundo 2014 “Esse olhar para a transparência é algo novo no Brasil. E as pessoas e os políticos não estão dando a devida atenção para a importância dessa agenda, embora tenha um retorno fenomenal para o cidadão e para

Fundado em 2 de setembro de 1976

Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

lizados para a população. Nível médio Cinco estados apresentaram nível de transparência médio: Paraná (59,10), Bahia (54,83), Minas Gerais (47,14), São Paulo (51,94) e Mato Grosso (50,26).

Investigação

CPI da Petrobras é continuidade de comissão criada em 2009, diz relator O relator da CPI da Petrobras no Senado, José Pimentel (PT-CE), admitiu ontem que a comissão “não traz nenhum fato novo sobre Pasadena”, uma vez que a refinaria que é alvo de investigação por órgãos federais e pelo próprio Senado

desde 2009. Na época, uma CPI foi criada a pedido do PSDB para investigar supostas fraudes em licitações para reforma de plataformas e indícios de superfaturamento na Refinaria de Abreu e Lima, em Pernamuco.

“Essa CPI é continuidade da CPI de 2009. Eu era deputado e acompanhei todo o processo e um conjunto de investigações feitas pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público Federal, pela Polícia Federal e Controladoria-

Geral da União”, disse o relator, após tomar o depoimento do exdiretor da Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, autor do relatório que, em 2006, embasou a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA),

Ponto de Vista O vendedor e o gargalo

EXPEDIENTE

Diário Indústria&Comércio

as cidades”, disse. Todos os estados melhoraram, com exceção de Minas Gerais (47,14), que perdeu pontos após fechar a Secretaria Extraordinária para a Copa 2014 e o site com documentos disponibi-

Qualquer pessoa, em uma caminhada pelo comércio, observa o anúncio nas vitrines: “Precisase de vendedor”. Isso ocorre sempre que a demanda se torna maior do que a estrutura necessária para atendê-la. Naquelas lojas estão empresários interessados em expandir seus negócios, mas que nem sempre conseguem compreender porque os vendedores são difíceis de encontrar. A questão é complexa, esbarra em inúmeras variáveis e circunstâncias. Sem dúvida, entre as razões principais, está a ausência de planejamento, resultado da ineficiência do setor público em todas as suas instâncias. As previsões de crescimento econômico têm se mostrado peças de ficção, com a realidade teimando em ficar abaixo do otimismo oficial. O endividamento público é assustador, tirando dos governos a capacidade de investir. Controla-se a inflação aumentando juros, prejudicando o setor produtivo. E os investimentos estrangeiros diretos caíram quase 4% em relação a 2012, embora ainda estejam em

níveis superiores aos da década passada. A absoluta falta de comprometimento com os desafios do futuro faz com que sejamos escravos permanentes do gargalo, nos mais diversos setores da nossa economia. Vejamos a área de logística. O gargalo passa a ter tal preponderância que toma quase o recipiente inteiro. Ele só não aparece nas fases iniciais do agronegócio, o plantio e a colheita dos grãos. Mas o setor já começa a padecer na fase seguinte, a do transporte. A infraestrutura ferroviária está um século atrás do exigido, tanto em relação à malha quanto à tecnologia. O transporte rodoviário sofre e faz as estradas sofrerem. O custo é alto, com as rodovias subdimensionadas e tráfego intenso. Nossos portos de maior capacidade são incapazes de escoar a produção na velocidade exigida. Dezenas de navios graneleiros aguardam até semanas ao largo antes da permissão para carregar. Mas, o que existe em comum entre aquele empresário que

está precisando de vendedor e o navio parado no mar? Tudo. Sabemos que o agronegócio impulsiona outros setores, especialmente o comércio. Quanto mais ele encarece, menos impacto nas vendas do varejo. Como os lojistas já têm dificuldade em encontrar profissionais para promover suas vendas, o efeito é minorado. Porém, se a nossa economia crescer de forma sólida e efetiva nos próximos dois ou três anos, o problema pode aumentar de forma exponencial. Em uma sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), na qual foram ouvidos empresários de diversos ramos em todo o Estado, os vendedores foram mencionados por 33,6% dos entrevistados. As regiões Oeste e Centro-Oeste são as que mais carecem de mão de obra na área de vendas, com 41% das respostas. Na sequência, estão o Sul (36%), Norte e Noroeste (34%), Sudoeste (30%), Litoral (28%), e Curitiba e Ponta Grossa (25%).

Darci Piana, Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR


economia | a3

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014 Elza Fiúza/ABr

AVIAÇÃO

Demanda doméstica por transporte aéreo tem alta de 8,2% Em 2014, cerca de 27,3 milhões de passageiros embarcaram em voos domésticos e internacionais nas companhias que integram a Abear Segundo a associação, a taxa média de ocupação alcançou 79,5%, com 6,4 milhões de passageiros embarcados em abril, o que representou aumento de 2,2% em relação ao ano passado A demanda doméstica por transporte aéreo cresceu 8,2% em abril em comparação ao mesmo período do ano passado. A informação foi divulgada ontem pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que computou dados das companhias TAM, Gol, Azul e Avianca. Segundo a associação, a taxa média de ocupação alcançou 79,5%, com 6,4 milhões de passageiros embarcados em abril, o que representou aumento de

2,2% em relação ao ano passado. Em 2014, cerca de 27,3 milhões de passageiros embarcaram em voos domésticos e internacionais nas companhias que integram a Abear. Já a oferta doméstica apresentou redução de 1,6% na mesma comparação. De acordo com a associação, entre os motivos que explicam o crescimento da demanda está a antecipação de datas de feiras, congressos e convenções devido à Copa do Mundo. “Esses consumidores representam cerca

de 3/4 dos passageiros no dia a dia da atividade. Acreditamos que haverá uma forte retração desse público durante a Copa do Mundo. E que eles serão substituídos parcialmente pelos torcedores e profissionais que estarão envolvidos com o evento”, disse Eduardo Sanovicz, presidente da Abear. No mercado internacional, a demanda cresceu 5,7% em abril, enquanto a oferta apresentou queda de 4%. O número de passageiros embarcados nos voos

internacionais chegou a 376 mil em abril, valor 3,1% superior ao mesmo mês do ano passado. O presidente da Abear disse que as companhias aéreas nacionais estão preparadas para a Copa do Mundo. Nos dias de jogos, segundo Sanovicz, haverá 67 mil voos para as cidades-sede, um aumento de 31% no volume de operações em comparação com a malha aérea regular. A oferta alcançará 7,2 milhões de assentos. Ao todo serão 500 aeronaves voando pelo país.

Brasil cai três posições em ranking de competitividade mundial A menor eficiência das empresas fez o Brasil cair no ranking mundial de competitividade pelo quarto ano seguido. De acordo com Índice de Competitividade Mundial, o país ficou em 54º lugar entre 60 países analisados em 2014. Em relação ao ano passado, o Brasil recuou três lugares.

Nos últimos quatro anos, o Brasil foi o país que mais perdeu posições, caindo 16 colocações. Em 2010, o Brasil estava em 38º lugar. Estados Unidos, Suíça e Cingapura lideram o ranking. O Brasil ficou à frente apenas da Eslovênia, Bulgária, Grécia, Argentina, Croácia e Venezuela.

A pesquisa foi elaborada pelo International Institute for Management Development (IMD), escola de negócios com sede da Suíça. No Brasil, a coleta e a análise de dados ficou a cargo da Fundação Dom Cabral, instituição privada de ensino dedicada à área de negócios.

De acordo com os autores da pesquisa, os resultados mostraram uma mudança em relação aos anos anteriores. Até 2013, o Brasil perdia posições no ranking por causa da evolução de outros países. Neste ano, no entanto, a queda está diretamente relacionada a fatores ligados à economia brasileira.

Ponto de Vista Resultados educacionais: ENEM e seus desafios O Ministério da Educação anuncia a criação de gratificação de 200 reais mensais para professores que participarem de programa de requalificação, para obter melhorias na atuação dos alunos em exames como o ENEM. É uma pequena quantia de grande simbolismo: a consciência do poder público de que a evolução das condições educacionais está atrelada ao desempenho docente. E que isso de algum modo deve ser comunicado aos professores. Atualizar conhecimento é importante em qualquer atividade, porém nas escolas é fundamental, o mestre que não acompanha as últimas tecnologias, metodologias e pesquisas em sua área, perderá contato com seus alunos, renunciará à possibilidade de encantá-los e despertar neles a capacidade de construir o embasamento de uma vida produtiva. Novas concepções de ensino e aprendizagem ampliam o espaço da sala de aula, estimulam a criatividade, a aceitação da diversidade e as habilidades de convivência. No entanto, ao lado desta providência, é também importante o estabelecimento de mais e melhores políticas públicas abrangendo a educação em todos os níveis, desde aquelas que possam privilegiar a gestão

escolar, profissionalizando-a, até as que possam diminuir o analfabetismo, bem como revalorizar o magistério. É premente o olhar carinhoso para a situação dos professores, a oferta da possibilidade de formação continuada, melhoria na infraestrutura escolar, construção ou ampliação de laboratórios didáticos, expansão de acervo e espaço físico em bibliotecas, equipamentos desportivos, valorização profissional. Todos estes quesitos precisarão ser reavaliados no Paraná. Mesmo quando consideramos que, dentre as três facetas possíveis, distintas entre si, do Enem: processo avaliativo da qualidade do sistema educacional; política pública de acesso ao ensino superior através de programas exitosos como o PROUNI (Programa Universidade para Todos) ou o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil, destinado a financiar a graduação em instituições não gratuitas); e a de constituir-se num vestibular, possamos perceber que foi, infelizmente, esta última que prevaleceu em sua mais recente versão. É inegável que a presença de aspectos combatidos no início, como formulas e acontecimentos previamente decorados, representaram uma opção clara pela prova de acesso, em detrimento da avaliação

do ensino brasileiro como um todo. Ainda assim, é indispensável uma análise aprofundada dos motivos pelos quais, no estado, nenhuma escola, pública ou privada, conseguiu se colocar entre as cem primeiras brasileiras. Sendo verdade que exames de massa como o ENEM não são perfeitos, pois muito poderia ser alterado em sua concepção e quesitos, não é menos correto que a aplicação ocorre em situação semelhante para todas as instituições de ensino, e aquelas com resultados mais significativos são sobejamente conhecidas pela comunidade brasileira como ótimas, ou seja, os testes não surpreendem, apenas ratificam a percepção popular da boa instrução. Embora distantes das primeiras colocadas, também as escolas paranaenses melhor posicionadas são distinguidas com o respeito popular desde muitos anos, sabe-se de seus resultados pela inserção de seus egressos no mundo do trabalho, pelo orgulho de seus professores em pertencer ao quadro funcional, e pelas suas boas estruturas. Recuperar nossas melhores escolas, permitir que todas as demais as nivelem em qualidade de ensino, essa é a questão que se apresenta aos nossos governantes.

SEUS ATIVOS spada@induscom.com.br ..

Em Compasso de Espera O último mês trouxe poucas novidades sobre o desempenho e, consequentemente, sobre as perspectivas da economia brasileira para o curto prazo. Com isso, nosso cenário básico continua apresentando perspectivas mornas, com alterações marginais em relação às projeções. Resumidamente, estas indicam para o ano um PIB de 1,8% e uma inflação um pouco acima do teto da meta. Entre as mudanças marginais, a mais importante, que tem mais a ver com o passado do que com o presente (e futuro), foi a divulgação dos resultados da nova Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física do IBGE (PIM-PF), que agora incorpora novos produtos, novas ponderações e novos locais de coleta. A nova PIM reviu para cima o crescimento industrial em 2013: a taxa de crescimento da Indústria de Transformação simplesmente dobrou (de 1,5% para 3,0%) e a da Extrativa, embora continuasse negativa, ficou ligeiramente melhor: – 3,6%, ante – 4,1%. O desempenho de todas as categorias de uso melhorou na versão revista, exceto a de bens de capital, que piorou. Evidentemente, isso indica que a formação bruta de capital fixo no ano passado cresceu menos do que se estimava em 2013. De quanto, só se saberá no final deste mês, quando da divulgação das Contas Nacionais referentes ao primeiro trimestre deste ano e à revisão de 2013. No entanto, apesar da revisão para cima de 2013, o desempenho industrial no primeiro trimestre deste ano não foi animador, haja vista a queda de 0,4% na produção da Indústria Geral. O pior é que as perspectivas para o nível de atividade nos meses à frente também não animam. A confiança empresarial adentrou o segundo trimestre em ritmo lento e, talvez pior do que isso, as perspectivas de investimento para este ano também pioraram. Não será surpresa se a Formação Bruta de Capital Fixo recuar em 2014, cancelando parte da recuperação de 2013. Por outro lado, também não há sinal de piora do quadro vigente. Os resultados da PNAD Contínua, por exemplo, mostram que fora das Regiões Metropolitanas (RMs) o mercado de trabalho é mais estável, ainda que a taxa de desemprego seja mais alta que nas RMs. A renda continua em alta desde o final do ano passado. Até quando? Essa é uma questão em aberto, para a qual não se arrisca resposta. Apesar da desaceleração esperada dos preços dos alimentos no futuro próximo, a inflação segue pressionada e não se descarta que ela exceda o teto da banda de tolerância ainda neste trimestre. O comportamento dos preços dos serviços “livres” está por trás na forte resistência à baixa das taxas anuais do IPCA. E o dos “administrados” por trás da resistência à alta. Isso, apesar das elevações recentes da Selic. Para a próxima reunião do Copom, aliás, as dúvidas abundam. Nosso analista avalia, reafirmando análise do Boletim anterior, que, se na próxima reunião o BC optar por interromper o processo de alta do juro, o ciclo de alta precisará ser retomado mais tarde, quiçá com mais força. (FGV/IBRE)

ÍNDICES E INDICADORES ECONÔMICOS MOVIMENTAÇÃO DIÁRIA Informações de 21 de maio de 2014

MAIORES ALTAS DO ÍNDICE BOVESPA Ação GOL PN N2 SUZANO PAPEL PNA N1 LIGHT S/A ON NM ANHANGUERA ON NM KROTON ON ED NM

Osc. (%) 4,08 3,84 2,37 2,34 2,24

MAIORES BAIXAS DO ÍNDICE BOVESPA Ação BRASIL ON ED NM BRADESCO PN N1 ITAUSA PN N1 BRADESCO ON N1 ITAUUNIBANCO PN N1

Osc. (%) -5,82 -4,07 -3,89 -3,66 -3,63

Preço (R$) 13,53 7,84 19,86 16,21 56,10

Hora 17:59 17:59 17:32 17:56 17:56

Preço (R$) 22,35 32,50 8,64 33,72 35,35

Hora 17:59 17:59 17:59 17:58 17:59

AÇÕES MAIS NEGOCIADAS DO ÍNDICE BOVESPA Ação PETROBRAS PN ITAUUNIBANCO PN N1 BRADESCO PN N1 VALE PNA N1 BRASIL ON ED NM

Vol. (R$ Mil) 713.069,68 454.537,33 355.338,33 311.963,64 262.329,06

ÍNDICES BRASIL Índice Osc. (%) Ibovespa -0,31 IBrX 50 -0,29 IBrX -0,24 IBRA -0,25 MLCX -0,28 SMLL 0,02 ISE -0,18 ICO2 -0,66 IEE -0,15 INDX 0,28 ICON 0,43 IMOB -0,28 IFNC -1,71 IMAT 0,27 UTIL 0,05

DÓLAR DIA 16/mai 19/mai 20/mai 21/mai

DÓLAR DIA 16/mai 19/mai 20/mai 21/mai

EURO DIA 16/mai 19/mai 20/mai 21/mai

Último 52.203 8.811 21.541 2.002 980 1.227 2.421 1.179 26.337 11.306 2.444 653 4.666 1.501 2.764

Abertura 52.366 8.837 21.593 2.007 983 1.226 2.425 1.187 26.514 11.275 2.433 655 4.747 1.497 2.763

COMERCIAL

Compra R$ 2,211 R$ 2,207 R$ 2,215 R$ 2,209

Part.(%) 11,69 7,45 5,82 5,11 4,30

Mínimo 52.203 8.811 21.541 2.002 980 1.225 2.421 1.179 26.223 11.275 2.433 653 4.666 1.492 2.754

Venda R$ 2,213 R$ 2,209 R$ 2,217 R$ 2,211

COMERCIAL

Compra R$ 3,030 R$ 3,032 R$ 3,034 R$ 3,020

Hora 17:03 17:03 17:03 17:01

Venda R$ 2,400 R$ 2,400 R$ 2,370 R$ 2,390

Compra 2,560 % 0,000 % -1,250 % 0,840 %

Venda 16:00 16:00 16:00 16:04

Venda. R$ 3,031 R$ 3,033 R$ 3,036 R$ 3,021

Var.% -0,270 % 0,080 % 0,070 % -0,470 %

Hora 18:00 18:30 17:30 17:30

INDICADORES / MÊS Poupança antiga (1) Poupança (2) TR* TJLP FGTS (3) SELIC - Déb Fed (4) DI Over (5) UPC *** UFESP FCA / SP UFM Salário Mínimo Salário Mínimo SP (6)

(%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (R$) (R$) (R$) (R$) (R$) (R$)

Data/Hora 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 21/05 - 17:22 Fonte: Bovespa

Var.% -0,360 % -0,180 % 0,360 % -0,270 %

PARALELO

Compra R$ 2,090 R$ 2,100 R$ 2,110 R$ 2,010

Máximo 52.875 8.926 21.789 2.025 992 1.232 2.444 1.197 26.640 11.364 2.452 657 4.791 1.510 2.781

Hora 17:59 17:59 17:59 17:59 17:59

fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 0,5540 0,5267 0,5461 0,5607 0,5540 0,5267 0,5461 0,5607 0,0537 0,0266 0,0459 0,0604 0,3800 0,4200 0,4100 0,4200 0,3005 0,2733 0,2926 0,3072 0,7900 0,7700 0,8200 0,8700 0,8300 0,7600 0,8200 22,3600 22,3600 22,4000 22,4000 20,1400 20,1400 20,1400 20,1400 1,9619 1,9619 1,9619 1,9619 121,8000 121,8000 121,8000 121,8000 724,0000 724,0000 724,0000 724,0000 810,0000 810,0000 810,0000 810,0000

Ano 2,8300 2,8300 0,3000 2,0700 1,5400 4,1600 ----0,3600

6,7800 ----

12 meses 6,6900 6,5800 0,4900 5,0700 3,5100 9,5600 ----0,4000 18,4400 1,6994 108,6600 6,7800 ----

INFLAÇÃO

REFERÊNCIA ATUALIZADA: MAIO/2014 ÍNDICES INPC / IBGE (%) IPCA / IBGE (%) IPCA Esp / IBGE (%) ICV / DIEESE (%) IPC / FIPE (%) ClasMéd/Ordem (%) IGP-DI / FGV (%) IPA -DI / FGV (%) IPC-DI / FGV (%) INCC-DI / FGV (%) IGP-M / FGV (%) IPA-M / FGV (%) IPC-M / FGV (%) INCC-M / FGV (%) CUB-Sinduscon (%)

Wanda Camargo – educadora e assessora da presidência das Faculdades Integradas do Brasil – UniBrasil

INPC / IBGE (%) IPCA / IBGE (%) IPCA Esp / IBGE (%) ICV / DIEESE (%) IPC / FIPE (%) ClasMéd/Ordem (%) IGP-DI / FGV (%) IPA -DI / FGV (%) IPC-DI / FGV (%) INCC-DI / FGV (%) IGP-M / FGV (%) IPA-M / FGV (%) IPC-M / FGV (%) INCC-M / FGV (%) CUB-Sinduscon (%)

(%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%)

(%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%) (%)

ago/13 0,16 0,24 0,16 0,09 0,22 0,38 0,46 0,58 0,20 0,31 0,15 0,14 0,09 0,31 0,16 jan/14 0,63 0,55 0,67 1,95 0,94 1,18 0,40 0,12 0,99 0,88 0,48 0,31 0,87 0,70 0,05

Edição: Odailson Elmar Spada

set/13 out/13 nov/13 dez/13 0,27 0,61 0,54 0,72 0,35 0,57 0,54 0,92 0,27 0,48 0,57 0,75 0,24 0,64 0,45 0,44 0,25 0,48 0,46 0,65 0,36 0,50 0,50 0,77 1,36 0,63 0,28 0,69 1,90 0,71 0,12 0,78 0,30 0,55 0,68 0,69 0,43 0,26 0,35 0,10 1,50 0,86 0,29 0,60 2,11 1,09 0,17 0,63 0,27 0,43 0,65 0,69 0,43 0,33 0,27 0,22 0,12 0,17 0,09 0,06 fev/14 mar/14 abr/14 12meses 0,64 0,82 0,78 5,82 0,69 0,92 0,67 6,28 0,70 0,73 0,78 6,19 0,61 0,81 0,57 7,05 0,52 0,74 0,53 5,20 0,73 0,71 0,59 5,56 0,85 1,48 0,45 8,10 1,00 1,91 0,27 8,76 0,66 0,85 0,77 6,36 0,33 0,28 0,88 7,96 0,38 1,67 0,78 7,98 0,27 2,20 0,79 8,68 0,70 0,82 0,82 6,14 0,44 0,22 0,67 7,75 0,23 0,08 0,15 7,42 Fontes: Folha Online/Valor Econômico/CMA/Empresário Online


a4 | economia

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

famílias

Painel

Intenção de consumo tem o menor nível desde 2011 É o pior índice da série histórica, iniciada em 2011. Até então, a pior pontuação havia ocorrido em julho de 2013, quando atingiu 124,9 pontos

O NÚMERO DE TRABALHADORES COM CARTEIRA ASSINADA no setor privado fechou abril em 11,7 milhões. O resultado é 2,2% maior que o registrado em abril do ano passado, mas sem variação na comparação com março deste ano. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa, que envolve seis das principais regiões metropolitanas do país, a taxa de desemprego em abril ficou em 4,9% da população economicamente ativa, não apresentando “variação significativa” em relação a março, quando a taxa de desocupação estava em 5%. O resultado variou 0,9 ponto percentual em relação aos 5,8% da taxa de desemprego de abril do ano passado. Os números indicam ainda que o total de pessoas desocupadas fechou abril em 1,2 milhão, assim como março. O resultado é 17% menor do que o observado em abril de 2013. Na avaliação da confederação, o resultado é consequência da inflação, pressionada principalmente por serviços e alimentos

Taxa de desemprego é a menor da série histórica para os meses de abril A taxa de desemprego de 4,9% apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para abril deste ano nas seis principais regiões metropolitanas do país é a menor para o mês desde o início da série histórica, em março de 2002. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Emprego (PME). A taxa de desemprego de abril é 0,9 ponto percentual inferior aos 5,8% registrados em abril de 2013. Em relação a março deste ano, quando o índice ficou em 5%, não houve variação significativa. Os números do IBGE indicam que a queda do desemprego em abril tem relação com o fato de menos pessoas estarem no mercado à procura de trabalho, ao mesmo tempo em

que há estabilidade no número de brasileiros na população economicamente ativa (PEA). O levantamento do IBGE mostra também o crescimento de 2,2% no número de trabalhadores com carteira assinada em relação a abril do ano passado, embora não haja variação significativa em relação a março deste ano. O total de pessoas desocupadas fechou abril em 1,2 milhão, o que também não apresentou variação em relação a março deste ano. O resultado, no entanto, é 17% menor do que em abril de 2013. Os dados do IBGE indicam que, em abril, a população ocupada ficou estável em 22,9 milhões de trabalhadores nas seis regiões pesquisadas, o que mostra estabilidade em relação a março deste ano e abril de 2013.

Campanha contra carga tributária vende automóvel sem impostos no DF O Clube de Dirigentes Lojistas (CDL) Jovem do Distrito Federal promoveu na quinta-feira o Dia da Liberdade de Impostos. A campanha este ano tem como atração a venda de um automóvel que custa mais de R$ 41 mil nas concessionárias por aproximadamente R$ 29 mil, valor sem impostos, para a pessoa mais idosa que se cadastrar em um posto de gasolina, em Brasília. Os participantes devem, necessariamente, ter mais de 65 anos, e precisam ficar atentos, pois o carro deve ser pago à vista até as 14h do dia 23 de maio. Em Brasília, os organizadores da campanha também venderam gasolina no mesmo posto, localizado na Asa Norte, bairro da capital federal, por R$ 1,98 o litro. O valor representa, aproximadamente, 40% a menos do que o atual (R$ 3,12). Cada participante pode abastecer até 20 litros por carro. “Resolvemos patrocinar este protesto pra mostrar ao consumidor brasileiro o real motivo do alto preço do combustível, porque a população sempre reclama que está caro. Então, esta data é importante para mostrar quem é o real vilão, quem leva mais nesse comércio”, disse Wonder Jarjour, proprietário do posto. A enfermeira Edna Bezerra, na fila durante quatro horas, garante que vale a pena esperar para abastecer o carro por um preço mais em conta.

A intenção de consumo das famílias brasileiras atingiu em maio deste ano o pior índice da série histórica iniciada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em 2011. A constatação está na pesquisa sobre a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), de maio, divulgada ontem pela CNC. O levantamento mantém a tendência de queda que vem sendo registrada desde

o início do ano, com recuo de 2,3% (para 122,4 pontos) em relação a abril, passando a uma queda de 4,2% sobre maio do ano passado. Segundo a CNC, esse é o pior índice da série histórica, iniciada em 2011. Até então, a pior pontuação havia sido verificada em julho de 2013, quando o percentual havia atingido 124,9 pontos. Na avaliação da confederação, o resultado é consequ-

ência da inflação, pressionada principalmente por serviços e alimentos, dos juros altos e das incertezas sobre o futuro próximo. Esses itens mantiveram o ritmo da intenção de consumo em queda. “O cenário de pessimismo, causado pelas inseguranças até o final do ano, e o elevado nível de endividamento, combinado com a tendência de alta da taxa básica de juros, vêm desaquecendo

o consumo”, observou Juliana Serapio, economista da CNC. A CNC enfatiza porém que, apesar do resultado, o índice ainda se mantém acima da zona de indiferença (100 pontos), indicando um nível favorável. A pesquisa destaca, ainda, o fato de que 36,6% das famílias entrevistadas (a maior parte) declarou estar com o nível de consumo igual ao do ano passado.

comércio

Porto de Paranaguá registra recorde na importação de fertilizantes no cais público A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) registrou a maior movimentação de fertilizantes em um único dia no cais comercial do Porto de Paranaguá. Foram 34 mil toneladas de produtos desembarcados em 24 horas, a melhor marca registrada nos últimos anos. “A possibilidade de atingir estas marcas tem se dado por uma série de melhorias logísticas estabelecidas ao longo dos últimos dois anos e que estão permitindo a melhora constante da movimentação de cargas”, explica o superintendente dos portos paranaenses, Luiz Henrique Dividino. A informatização do sistema de descarga de fertilizantes, a instalação do sistema de monitoramento de cargas por rádio (RFID) e também a ativação do Terminal Público de Fertilizantes – com a ativação da descarga direta de fertilizantes por correia transportadora – contribuíram para atingir a marca. De janeiro a abril de 2014, os portos paranaenses importaram 3,1 milhões de toneladas de fertilizantes, um aumento de 11% em relação ao mesmo período de 2013. A maior agilidade na importação dos produtos fez também diminuir o valor pago pelas multas de sobrestadia no porto, a chamada “demurrage”. Apenas no mês de abril, o Porto de Para-

APPA

Foram 34 mil toneladas de produtos desembarcados em 24 horas, a melhor marca registrada nos últimos anos naguá registrou queda de 39% nas multas pagas no comparativo com o mesmo período de 2013. Foram US$ 2,8 milhões de multas pagas pelos importadores em abril deste

ano. Em 2013, foram pagas US$ 4,6 milhões em demurrage. No acumulado de janeiro a abril de 2014, foi registrado o pagamento de US$ 32,5 milhões em

demurrage, uma queda de 8% em relação a 2013. Os dados são do Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas no Estado do Paraná (Sindiadubos).


automóveis

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014 | Pág. a5

BGMC PARTICIPAÇÕES S/A

NOTAS EXPLICATIVAS ÁS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 ( VALORES EM R$)

CNPJ 07.995.429/0001-05

Nota 1. Contexto Operacional - A BGMC Participações S.A, é uma pessoa sociedade anônima de Capital Fechado, constituída em 31 de janeiro de 2006, e tem por objeto social a participações em outras sociedades como sócia ou acionista e locação de Imoveis Próprios. Nota 2. Base de Preparação das Demonstrações Contábeis - As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, NBC TG 1000 contabilidade para pequenas e médias empresas, expedida pelo Conselho Federal de Contabilidade através da Resolução 1.255/09. A data da última demonstração elaborada com as praticas contábeis anteriores é de 31/12/2010, ajustadas para atender a comparabilidade exigida pela mesma legislação, tendo como base de transição 01/01/2011. Nota 3. Principais Práticas Contábeis - São as seguintes as práticas adotadas para elaboração destas demonstrações financeiras: A) Apuração do Resultado - O resultado é apurado pelo regime de competência. B) Caixa e Equivalente de Caixa - Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa, depósitos bancários, aplicações financeiras, cuja liquidez é imediata. C) Contas a Receber - Referem-se aos direitos a receber por conta corrente com a coligada e alugueis. D) Investimentos - Os investimentos foram avaliados por equivalência patrimonial. E) Imobilizado - A administração optou por reconhecer o terreno e a construção e benfeitorias pelo valor justo por ocasião do Balanço de transição, registrado no imobilizado pelo valor histórico de R$ 599.554,00, o laudo de avaliação do terreno, determinou seu valor justo em R$ 2.781.610,00, um aumento de R$ 2.182.056,00, e pelo valor histórico de R$ 2.968.223,00, o laudo de avaliação da Construção e Benfeitorias, determinou seu valor justo em R$ 18.000.000,00, um aumento de R$ 15.031.777,00, os efeitos do custo atribuído aumento o imobilizado e tendo como contrapartida a conta de Ajuste de Avaliação patrimonial. Os demais bens estão demonstrados pelo custo de aquisição, ajustado por depreciações acumuladas, calculadas pelo método linear, A depreciação é calculada pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, fixado por espécie de bens, como segue: Construções e benfeitorias 4% a.a. F) Contas a Pagar - Geral - São obrigações a pagar, decorrentes dos Impostos e Contribuições vencíveis em Janeiro de 2014, são demonstrados como não circulantes; G) Demais Ativos - Apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo quando aplicável as variações monetárias ou cambiais. Os ativos são classificados como circulantes quando sua realização ou liquidação é provável que ocorra nos próximos doze meses. Caso contrário, são demonstrados como não circulantes. Nota 4. Caixa e equivalentes de caixa Descrição 2013 2012 Caixa R$ 2.811,32 R$ 1.000,80 Bancos R$ 1.363,56 R$ 4.758,08 Total R$ 4.174,88 R$ 5.758,88 Nota 5. Contas a Receber Descrição 2013 2012 Contas a Receber R$ 76.950,00 R$ 76.950,00 C/C Hospital Nossa Senhora do Pilar Ltda R$ 839.936,23 R$ 51.881,29 Total R$ 916.886,23 R$ 128.831,29 Nota 6. Investimentos Investimentos Hospital Nossa Senhora do Pilar Ltda 2013 2012 Numero de Quotas de Capital 1.360.000 1.360.000 Valor do Patrimônio Líquido R$ 12.590.453,11 R$ 11.624.208,61 Informações Sobre o Investimento na Empresa Numero de Quotas Possídas 1.359.872 1.359.872 Percentual de Participação 99,98 99,98 Valores Contábeis do Investimento Saldo Inicial = R$ 11.002.830,45 R$ 8.094.363,43 Resultado da Equivalência Patrimonial + R$ 2.465.997,87 R$ 2.908.467,02 Lucros Distribuídos (R$ 1.499.858,82) R$ 0,00 Saldo Final = R$ 11.968.969,50 R$ 11.002.830,45 Nota 7. Imobilizado 2013 2012 Descrição Custo Depreciação Líquido Líquido Terreno R$ 4.659.410,00 R$ 0,00 R$ 4.659.410,00 R$ 4.659.410,00 Construções e Benfeitorias R$ 19.544.874,27 R$ 1.150.774,16 R$ 18.394.100,11 R$ 18.777.310,51 Total R$ 24.204.284,27 R$ 1.150.774,16 R$ 23.053.510,11 R$ 23.436.720,51 Nota 8. Impostos e Contribuições a Pagar Descrição 2013 2012 Pis a Pagar R$ 500,18 R$ 519,29 Cofins a Pagar R$ 2.308,50 R$ 2.396,71 Inss a Pagar R$ 120,00 R$ 120,00 Iss a retido na Fonte R$ 30,00 R$ 30,00 CSLL s/Lucros PJ R$ 6.479,11 R$ 6.890,69 IR s/Lucros PJ R$ 11.997,54 R$ 13.140,80 Total R$ 21.435,33 R$ 23.097,49 Nota 9. Capítal Social - O capital Social, inteiramente subscrito e integralizado no valor de R$ 12.876.173,16 ( Doze milhões, oitocentos e setenta e seis mil Cento e Setenta e Três reais e Dezesseis Centavos) dividido em 4.656.675 ações preferênciais,todas sem valor nominal. Nota 12. Ajuste de Avaliação Patrimonial - Constituída em decorrência do reconhecimento do terreno de propriedade da empresa pelo valor justo na data da transição 01/01/2011, conforme laudo de avaliação. Valor Histórico R$ 3.567.777,00 Valor justo atribuído R$ 20.781.610,00 Ajuste de Avaliação Patrimonial R$ 17.213.833,00

BALANCO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 ATIVO CIRCULANTE

Notas

31/12/2013 921.061,11

31/12/2012 134.590,17

4 5

4.174,88 916.886,23

5.758,88 128.831,29

35.022.479,61

34.439.550,96

11.968.969,50 23.053.510,11

11.002.830,45 23.436.720,51

35.943.540,72

34.574.141,13

Caixa e Equivalentes de Caixa Contas a Receber NÃO CIRCULANTE

6 7

Investimentos Imobilizado TOTAL DO ATIVO

PASSIVO CIRCULANTE Impostos e Contribuições a pagar NÃO CIRCULANTE

Receitas de Aluguel

926.340,40

842.422,65

DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Impostos

(33.811,48)

(30.748,43)

RECEITA LÍQUIDA

892.528,92

811.674,22

DESPESAS OPERACIONAIS Outras Despesas Administrativa Ganhos por Equivalência Patrimonial Juros Recebidos

(413.600,63) 2.465.997,87 16,96

(464.076,49) 2.908.467,02

RESULTADO OPERACIONAL

2.944.943,12

3.256.064,75

(26.678,60) (50.107,23)

(24.261,77) (43.393,82)

2.868.157,29

3.188.409,16

Lucro do Exercício

385.206,41

882.301,95

PATRIMÔNIO LIQUIDO Capital Social Reserva Legal Reserva de Capital Lucros do Exercício Ajuste de Avaliação Patrimonial TOTAL DO PASSIVO

9

10

385.206,41

882.301,95

35.536.898,98 12.876.173,16 475.239,17 2.103.496,36 2.868.157,29 17.213.833,00 35.943.540,72

33.668.741,69 10.687.764,00 475.239,17 2.103.496,36 3.188.409,16 17.213.833,00 34.574.141,13

DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA - Método Indireto

01/01 a 31/12/12

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

CSLL IR

31/12/2012 23.097,49 23.097,49

Contas Correntes - acionistas

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 01/01 a 31/12/2013

Notas 8

31/12/2013 21.435,33 21.435,33

Fluxo de Caixa das Atividades 31/12/2013 Operacionais Lucro Líquido do Exercício 2.868.157,29 Depreciação 383.210,40 Redução (aumento) dos Ativos Operacionais Contas a receber (788.054,94) Aumento (redução) dos Passivos Operacionais Impostos,Contrib.Sociais (1.662,16) Contas a Pagar 0,00 Dividendos à pagar (497.095,54) Disponibidades Liquida Geradas pelas atividades Operacionais 1.964.555,05 Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento Lucros distrib/pagos (1.000.000,00) Disponibidades Liquida Geradas pelas atividades financeiras (1.000.000,00) Fluxo de Caixa das Atividades de Investimento Investimento (966.139,05) Aquisição de Bens Imobilizado 0,00 Intangível 0,00 Disponibidades Liquida Geradas pelas atividades Investimento (966.139,05) Aumento (redução) no saldo de Caixa e equivalentes (1.584,00) No inicio do Exercício 5.758,88 Final do Exercício 4.174,88

31/12/2012 3.188.409,16 383.210,40 637.313,69 5.209,89 0,00 (301.933,98) 3.912.209,16 (1.000.000,00) (1.000.000,00) (2.908.467,02) 0,00 0,00 (2.908.467,02) 3.742,14 2.016,74 5.758,88

DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LIQUIDO ESPECIFICAÇÕES

CAPITAL SOCIAL

RESERVA LEGAL

RESERVA CAPITAL AJUSTE PATRIMONIAL

LUCRO ACUM

SALDO EM 31/12/2011

R$

R$

R$

R$ 2.667.354,00

9.020.410,00

475.239,17

2.103.496,36

R$

17.213.833,00

Distribuição de Dividendos

TOTAIS R$

31.480.332,53

R$

33.668.741,69

R$

35.536.898,98

R$ (1.000.000,00)

Lucro Liquido do Periodo

R$ 3.188.409,16

Aumento de Capital

R$

1.667.354,00

SALDO EM 31/12/2012

R$ 10.687.764,00

R$ (1.667.354,00) R$

475.239,17

R$

2.103.496,36

R$

17.213.833,00

Distribuição de Dividendos

R$ 3.188.409,16 R$ (1.000.000,00)

Lucro Liquido do Periodo

R$ 2.868.157,29

Aumento de Capital

R$

2.188.409,16

SALDO EM 31/12/2013

R$ 12.876.173,16

MILVA SCHRUBER MILANO DIRETORA

R$ (2.188.409,16) R$

475.239,17

R$

2.103.496,36

R$

17.213.833,00

EVARISTO KOWALESKI CONTADOR CRC PR 15138/O-PR

R$ 2.868.157,29

ODETE SCHRUBER DIRETORA

CMF SECURITIZADORA S/A

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO

Curitiba - PR

CNPJ - 12.833.105/0001-00 BALANÇOS PATRIMONIAIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO

PASSIVO R$ mil

R$ mil

CIRCULANTE Caixas e Equivalentes de Caixa Direitos Creditórios a Receber Outras Contas a Receber

nota 5 nota 6

2013

2012

37.538

25.591

4.064 33.437 37

3.034 22.553 4

374

0

374

0

37.912

25.591

NÃO CIRCULANTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO

nota 7

CIRCULANTE Empréstimos e Financiamentos Obrigações Tributárias Obrigações Trabalhistas/Previdenciaria Obrigações Sociais e Estatutárias Outras Contas a Pagar NÃO CIRCULANTE Empréstimos e Financiamentos Debêntures Captadas PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Reserva Legal Reserva de Lucros TOTAL DO PASSIVO

nota 8

nota 8 nota 9

2013 16.713 14.244 200 15 2.177 77 7.775 89 7.686 13.424 3.000 600 9.824 37.912

2012 15.121 13.268 170 14 1.669 0 2.923 0 2.923 7.547 3.000 383 4.164 25.591

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - R$ mil EVENTOS

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO

CAPITAL SOCIAL

RESERVA LEGAL

RESERVA DE LUCROS

TOTAIS

LUCROS E/OU PREJUÍZOS ACUMULADOS

2013

2012

3.000

383

4.164

-

7.547

2.327

1 - CAPITAL SOCIAL INTEGRALIZADO

-

-

-

-

-

1.692

2 - LUCRO LIQUIDO DO EXERCICIO

-

-

-

8.926

8.926

6.325

3 - DESTINAÇÕES - Dividendos - Reserva Legal - Reserva de Lucros

-

217 -

(872) 6.532

(2.177) (217) (6.532)

(3.049) -

(2.797) -

3.000

600

9.824

-

13.424

7.547

-

217

5.660

-

5.877

5.220

SALDOS NO FINAL DO PERÍODO MUTAÇÕES DO PERÍODO

RECEITA OPERACIONAL BRUTA Receita com Deságio (-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Impostos e Contribuições LUCRO OPERACIONAL BRUTO RECEITA(DESPESAS) OPERACIONAIS Financeiras Gerais e Administrativas RESULTADO OPERACIONAL Imposto de Renda e Contribuição Social LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Lucro por Ação

2013 13.332 13.332 (487) (487) 12.845 (3.261) (2.266) (995) 9.584 (658) 8.926 2,98

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro Líquido do Exercício (AUMENTO) DIMINUIÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS Direitos Creditórios a Receber Outras Contas a Receber AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE PASSIVOS OPERACIONAIS Debentures Captadas Emprestimos e Financiamentos Obrigações Tributárias Obrigações Trabalhistas/Previdenciaria Obrigações Sociais e Estatutarias Outras Contas a Pagar FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Integralização de Capital Dividendos Distribuidos CAIXA APLICADO NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Compra de Ativo Imobilizado CAIXA (APLICADO) ORIUNDO DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS AUMENTO(DIMINUIÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período

R$ mil

2012 8.790 8.790 (321) (321) 8.469 (1.581) (1.045) (536) 6.888 (563) 6.325 2,11

R$ mil 2013 2012 8.926 8.926

6.325 6.325

(10.884) (33) (10.917)

(9.364) 4 (9.360)

4.763 1.065 30 1 508 77 6.444

681 4.119 64 3 1.352 6.219

(3.049) (3.049) 1.404

1.692 (2.797) (1.105) 2.079

(374) (374) 1.030 3.034 4.064 1.030

2.079 955 3.034 2.079

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 - (Valores em R$ mil) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia tem por objeto social a) a aquisição e securitização de direitos creditórios não padronizados, vencidos e/ou a vencer, performados ou a performar, originados de operações realizadas por pessoas físicas ou jurídicas nos segmentos comercial, industrial e de prestação de serviços, que sejam passíveis de securitização, conforme politica de credito devidamente aprovada pela diretoria; b) a emissão e colocação, junto ao mercado financeiro e de capitais, de Debêntures, ou de qualquer outro título de crédito ou valor mobiliário compatível com suas atividades. NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão apresentadas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e em observância as disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações Lei nº 6.404/76 alterada pelas Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09, nos pronunciamentos, nas orientações e nas interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis ("CPC") e normas da Comissão de Valores Mobiliários. NOTA 3. BASE DE PREPARAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Declaração de conformidade com relação às normas IFRS e às normas do (CPC).As presentes demonstrações financeiras incluem: As demonstrações financeiras preparadas conforme as NormasInternacionais de Relatório Financeiro (IFRS) emitidas pelo InternationalAccounting Standards Board (IASB) e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que seguem os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Padronização Contábil (CPCs). Essas são as primeiras demonstrações preparadas conforme as normas IFRS nas quais o CPC nº 37 foiaplicado. Essas demonstrações financeiras individuais são apresentadas em Real, que é a moedafuncional da Companhia. Transição para as IFRS/CPCs As políticas contábeis estabelecidas na nota explicativa 4 foram aplicadas na preparação das demonstraçõesfinanceiras para o ano encerrado em 31 de dezembro de 2013. Não houve ajustes significativos na adoção inicial das IFRS e dos CPCs. A Companhia considerou as normas do CPC descritas abaixo no decorrer do exercício findo em 31 de dezembro de 2013. CPC 24 - Evento Subseqüente CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 27 - Imobilizado CPC 30 - Receitas CPC 37 - Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade NOTA 4. PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTÁBEIS Dentre os principais procedimentos adotados para a elaboração das demonstrações financeiras, ressaltamos: A) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência. B) ATIVO CIRCULANTE Demonstrado pelo valor de aplicação ou de aquisição, acrescido de rendimentos incorridos

até a data do balanço. Os valores desses ativos, quando aplicável, foram deduzidos de provisão para ajuste ao valor de mercado. As operações com taxas pós-fixadas ou indexadas a moedas estrangeiras são atualizadas até a data do balanço. C) ATIVO NÃO CIRCULANTE IMOBILIZADO Registrado pelo custo de aquisição, deduzido de depreciação acumulada e perdas de redução ao valor recuperável (impairment), caso aplicável. A depreciação dos ativos é calculada pelo método linear com base nas taxas mencionadas na Nota Explicativa nº 7 e leva em consideração o tempo de vida útil estimado dos bens. A Companhia não fez opção em utilizar o custo atribuído para valorização do seu ativo imobilizado em função do seu imobilizado, tal como apresentado, atender de forma material os principais requisitos de reconhecimento, valorização e apresentação do pronunciamento CPC 27 (Ativo Imobilizado). Além disso, a Administração da Companhia entende que a prática contábil de valorizar o ativo imobilizado pelo custo histórico deduzido da melhor estimativa de depreciação e de provisão para redução ao valor recuperável, quando requerido, é a prática contábil que melhor representa o seu ativo imobilizado. Está demonstrado ao custo de aquisição, ajustado por depreciações acumuladas calculadas sobre os bens adquiridos com taxas estabelecidas em função da vida útil do bem, como segue: Veículos 20% a.a. D) PASSIVO CIRCULANTE Demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações monetárias incorridas. E)PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO A provisão do Imposto de Renda sobre o Lucro Líquido foi constituído à alíquota de 15% (quinze por cento), com adicional federal de 10% (dez por cento), sobre a parcela excedente a R$ 60 mil no trimestre e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido foi constituída à alíquota de 9% (nove por cento), na forma que dispõe a legislação vigente com base na tributação pelo lucro presumido. NOTA 5. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA DESCRIÇÃO 2013 2012 Banco Conta Movimento 3.205 2.288 Aplicações Financeiras 859 746 TOTAL 4.064 3.034 NOTA 6. DIREITOS CREDITÓRIOS A RECEBER Representado por duplicatas, cheques, notas promissórias e documentação suporte e acessórias adquiridas de originadores cedentes: DESCRIÇÃO A Vencer Vencidos TOTAL

2013 28.621 4.816 33.437

2012 22.532 21 22.553

2013 374 374

2012 -0-0-

NOTA 7. IMOBILIZADO DESCRIÇÃO Veículos TOTAL

NOTA 8. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DESCRIÇÃO Banco Safra Banco ABC Brasil Banco Bradesco TOTAL

2013 8.086 5.500 747 14.333

2012 7.655 5.000 613 13.268

Estão apresentados pelo valor do principal, acrescidos dos encargos financeiros incorridos "pro ratatemporis" até a data base das demonstrações financeiras, conforme os termos definidos contratualmente. NOTA 9. DEBÊNTURES PRIMEIRA EMISSÃO Foram emitidas 4.000 debêntures conforme demonstrado abaixo: Data de emissão : 10 de fevereiro de 2011; Modalidade : Simples não conversível em ações. Garantia : Direitos creditórios da carteira de ativos. Valor nominal : R$ 4.000.000,00 Base Remuneratória : As debêntures da 1ª série têm como base à variação mensal da Taxa de Juros a Longo Prazo - TJLP, fixada pelo Conselho MonetárioNacional expressa na forma de percentual ao ano, base 30 (trinta) dias. b) A base da remuneração do valor unitário das debêntures da 2ª sérieserá a partir da data de emissão 120% (cento e vinte por cento) do C.D.I.(Certificados de Depositos Interfinanceiros), base 30 (trinta) dias. c)A base da remuneração da 3ª sérieserá de 130% (cento e trinta por cento) do C.D.I.(CertificadosdeDepositos Interfinanceiros), expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. Em 31 de dezembro de 2013, o saldo é de R$ 7.685.870,46representadopor 6.650 debêntures. NOTA 10. LEGISLAÇÃO SOCIETÁRIA BRASILEIRA A Lei Nº 11.638/07, alterou, revogou e introduziu novos dispositivos à Lei das Sociedades por Ações, (Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976), notadamente em relação ao capítulo XV, sobre matéria contábil, com vigência a partir de janeiro de 2008 e alterada pela Medida Provisória nº449, de 03 de dezembro de 2008, convertida na Lei nº 11.941/2009. Essa Lei teve, principalmente, o objetivo de atualizar a lei societária brasileira para possibilitar o processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil com aquelas constantes das normas internacionais de contabilidade (IFRS) e permitir que novas normas e procedimentos contábeis sejam expedidos em consonância com os padrões internacionais de contabilidade. Em 31 de Dezembro de 2013, a Instituição fez uma avaliação dessas alterações destacando o que segue: A administração entende que não há nas demonstrações contábeis, ajustes a serem feitos referentes ao valor presente das operações ativas e passivas de longo prazo ou relevantes de curto prazo. NOTA 11. CAPITAL SOCIAL O capital social da Companhia é de R$ 3.000.000,00 (treis milhões de reais), representado por 3.000.000 (treis milhões) de ações ordinárias com direito a voto de forma nominativa e com valor nominal de R$1,00 (um real) cada. Leandro José Seminotti - CRC-PR nº 035882/O-9 Contabilista Diretores: ANTONIO JORGE CASTANHA MOREIRA FAZENDA e BRASILINA CAMPANER FAZENDA

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Diretores e Acionistas da CMF SECURITIZADORA S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações financeiras individuaisda CMF Securitizadora S.A., que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2013 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, normas expedidas pela CVM - Comissão de Valores Mobiliários e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas

demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Empresa para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto.

Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da CMF Securitizadora S.A., em 31 de dezembro de 2013, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e normas expedidas pela CVM Comissão de Valores Mobiliários. Curitiba (PR), 14 de maio de 2014. VETOR AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC n° 5.529 CVM n° 10.979 CARLOS RIVADAVIA FERREIRA DINIZ Contador CRC n° 039239/O-3

CAMINHÕES

Savana Veículos apresenta novidades Atego e Axor Na quarta-feira, a Savana Veículos apresentou os novos caminhões das linhas Atego (semipesado) e Axor (extrapesado) que já estão em Curitiba. Os veículos atingem um padrão ainda mais elevado no transporte rodoviário de cargas, tendo por base o conceito ECONFORT (Economia Conforto Força/Desempenho), filosofia de desenvolvimento que resulta num maior valor agregado ao produto. Com a introdução do ECONFORT, a Mercedes-Benz amplia ainda mais sua competitividade nos dois maiores segmentos do mercado de caminhões no País. O objetivo é alavancar significativamente a participação da marca, tanto nos extrapesados, que representam cerca de 40% do volume total de caminhões comercializados no País, como no de semipesados, com aproximadamente 30%. “Queremos a liderança geral nas vendas de caminhões no Brasil, buscando ser também o número um na preferência do cliente, visando sempre a sua satisfação crescente com nossos produtos e serviços”, diz Philipp Schiemer.

MOTOS

Ducati Curitiba mostra a 1199 Panigale S Senna A Ducati Curitiba traz para a cidade um dos modelos mais especiais e cobiçados da marca, a 1199 Panigale S Senna. A motocicleta foi desenvolvida especialmente para o mercado brasileiro, para marcar o 20° aniversário de morte do piloto Ayrton Senna. Para a ocasião, a marca italiana produziu 161 unidades desta edição especial, número de grandes prêmios realizados pelo piloto brasileiro na Fórmula 1. A 1199 Panigale S Senna ficará em exposição até o dia 28 de maio, na concessionária. As 161 edições da motocicleta são numeradas e destinadas a um seleto grupo de colecionadores ducatistas brasileiros. Os interessados na 1199 Panigale S Senna podem manifestar o interesse aos consultores de venda da Ducati Curitiba. Parte da renda obtida com a venda será revertida aos programas educacionais do Instituto Ayrton Senna. A edição especial custa R$ 100.000,00. Fora do cockpit, Ayrton Senna alimentava seu entusiasmo também por motocicletas e era um Ducatista, dono de uma Monster 900 e uma Desmo 851. Em 1994, Senna esteve na fábrica da Ducati em Borgo Panigale, na região de Bologna (Itália), e contribuiu para que a Ducati desenvolvesse uma série especial, que mais tarde levaria o seu nome, 916 Senna. A nova 1199 Panigale S Senna é uma releitura exclusiva da 916 Senna, desenvolvida com o toque pessoal de Ayrton e que se tornou uma das motocicletas mais famosas da marca.


a6 | negócios

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

Aroldo Murá G. Haygert Contato com o jornalista: aroldo@cienciaefe.org.br

COM HELIPONTO, 1130 LEITOS E 55 MIL M2 DE ÁREA COBERTA, NASCE UM NOVO HOSPITAL O nome é antigo e tradicional em Campo Largo: Hospital Nossa Senhora do Rocio, fortemente ligado à história da cidade e Região Metropolitana. Hoje ainda funciona no Centro da cidade, mas a partir de 6 de agosto deverá ser inaugurada a nova sede (na Estrada do Lago), obra arquitetônica do mais importante arquiteto do Paraná dentre os que materializam grandes obras, Manoel Coelho. Sobre Manoel Coelho é bom lembrar que ele é o autor de obras simbólicas de Curitiba, como a arquitetura dos campi da Universidade Positivo (Campo Comprido) e da PUCPR (Rebouças).

Hospital N.S.do Rocio, Campo Largo, atual

compreenderá 55 mil m2.

3 – TERÁ 27 SALAS CIRÚRGICAS

Manoel Coelho

2 – ASSOCIAÇÃO DE MÉDICOS O novo Hospital Nossa Senhora do Rocio, empreendimento arrojadíssimo e que denotada grande fé no futuro da cidade, é resultado de uma associação de médicos que atuam na cidade. Os número são impressionantes, para dizer o mínimo, quando apresentados para decompor essa nova realidade hospitalar- empresarial: a área em que a obra se localiza é de mais ou menos 98 mil m2, e a área construída (coberta)

O novo hospital continuará atendendo a pacientes do SUS, o que é um bom indicativo de que o empreendimento vem também marcado por preocupação social e comunitária. Dentre as inovações surpreendentes haverá um heliponto, pensando nas dificuldades de locomoção cada vez maiores nas cidades, e que irá facilitar o atendimento de emergências, especialmente. E mais: terá um auditório para 320 espectadores e 27 salas cirúrgicas. A coluna não obteve informações sobre o capital investido e eventuais fontes de financiamento.

PUCPR;

POSSE DA ‘IMORTAL’

Maria José Justino

“Está destinado a ficar na história desta Academia”, disse ontem à coluna um intelectual, privilegiado observador, que esteve presente à solenidade de posse de Maria José Justino como ‘imortal’ da Academia Paranaense de Letras (APL). Ele se referia particularmente ao discurso de Ernani Buchmann, saudando a empossada, “uma obra de literatura em si”, completou o observador, depois de lembrar que “não poucos dos presentes choraram com a fala”... Li o discurso de Ernani. Por duas vezes.

2 – SÓ UM LEITOR EXIGENTE Na segunda vez, desfiz-me da qualidade de amigo e admirador de Buchmann para colocar-me

apenas na posição de leitor exigente, sempre fascinado por trabalhos que abordem tipos humanos com sabedoria e graça. Caso do “speech” de Ernani, que nem de perto passou pelos panegíricos. Conclui que, à parte ser amigo dele, estou diante de um precioso retrato da nova ‘imortal’, especialmente pela inteligência e a forma aguda com que Buchmann traçou a trajetória dessa mulher muitas vista como, “apenas”, uma grande expert em artes plásticas e história das artes. Ernani mostrou-a em suas raízes, registradas num Brasil profundo, de comerciantes e fazendeiros nordestinos, de resistentes senhores do Nordeste, marcada por tonalidades telúricas únicas. Gente que é um pouco portuguesa, índia, e também com sangue judeu sefaradita. E mais que isso: a fala nos desvela a história de uma mulher libertária, muitas vezes encoberta pela fisionomia de uma acadêmica consolidada.

3- DE VITALINO À ARTE MODERNA Um trecho do discurso de Ernani: “Maria José fez nas artes a trajetória de seus pais em vida. Saiu das esculturas do Mestre Vitalino, em Cachoeirinha do Una para chegar à Semana de Arte Moderna

Missão japonesa vem ao PR discutir o meio ambiente Objetivo é fomentar negócios e trazer tecnologia na área de reciclagem e tratamento de resíduos Eliseu Tisato

A

Câmara do Comércio e Indústria Brasil – Japão do Paraná, promove nesta sexta, um seminário sobre reciclagem, tratamento de resíduos e prevenção contra desastres naturais. No evento, o Paraná recebe a JICA (Japan International Cooperation Agency), que vem ao Brasil pela terceira vez. Antes de chegar ao Paraná a missão visita o estado de São Paulo. A agência é responsável por investimentos, transferência de tecnologia e esforços internacionais para fomentar o desenvolvimento das regiões onde atua. No Paraná, o foco desta vez são as pequenas e médias empresas que atuam na área de reciclagem, ambiental, tratamento de solo, de resíduos, entre outros. Fazem parte da comitiva que compõem a missão as indústrias THK Co., que fabrica mesa de

isolamento sísmico e aparlho contra vibração de trilho; Excelsior, fabrica banheiro portáveis, produtos sanitários emergenciais e no tratamento de terras contaminadas; Hakusan Kogyo, sistema de observação do tempo, sísmico e erupção, além de comunicação por satélite; Yokohama Nursery, atua na criação e produção de sementes vegetais; Earth Corporation, atua no processamento e reciclagem de resíduos orgânicos; Komatsu Eletronics, fabrica circuitos eletrônicos, sistemas de purificação de água, aparelhos hospitalares; Matsumoto Real Estate Plannin, desenvolve programa educacional sobre prevenção contra desastres naturais; Brastel, trabalha com telecomunicação, informática e consultoria sobre energia solar e eólica; Tokai Bio, atua na reciclagem de resíduos orgânicos, com bactérias desenvolvidas em laboratório

que elimina odores desagradáveis dos resíduos; Package Kochi, fabrica embalagens de papelão, polietileno, entre outros; Water KK, desenvolve planta de tratamento que não gera CO2 e dioxin, que fabrica visualizador de água subterrânea e destilação por nano-fiber, novo tipo de batata sustentável; Okitako, desenvolve aparelhos de inspeção do solo; Meisei Metais, fabrica incinerador de resíduos hospitalares com zero poluição; Gushiken Architectrual Enginne, atua na área de concreto armado e tecnologia de projeto sísmico; e Trim Co., desenvolve planta de reciclagem de vidro e produz o ecoproduto Supersol. O encontro contará ainda com palestra da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba, palestra da Sanepar, Simepar e Defesa Civil. O início é as 14h, na Av. Comendador Franco, 871 no Jardim Botânico.

Responsabilidade social

Presidente da Apolar visita o Pequeno Príncipe Ernani Buchmann

em São Paulo. Seu livro O Banquete Canibal é uma delícia para os olhos e para a mente. Uma pequena obra-prima sobre Tarsila do Amaral. A pintora, com Anita Malfatti, Oswald, Mário de Andrade e outros da vanguarda paulista, acendeu a chama da modernidade nas artes brasileiras, aproximando nossos artistas dos movimentos europeus. Foi o impulso necessário para que nos aproximássemos do que se fazia por lá, procurando fugir do academicismo que nos torturava a pintura e as letras. Em Tradição/Contradição, Maria José Justino coloca seu olhar sobre o modernismo entre nós, paranaenses.”

Parceiro do Hospital Pequeno Príncipe e do Instituto Pelé Pequeno Príncipe há 4 anos, o empresário Joseph Galiano ficou impressionado com a estrutura das duas instituições, que conheceu durante visita programada na quarta-feira. “Colaboramos com a convicção de que é um investimento muito bem feito pela causa pediátrica, mas os resultados e a estrutura são muito melhores do que o imaginado”, disse Galiano, que é presidente da Apolar Imóveis. Durante a incursão pelo hospital e pelo instituto, de que participaram outros apoiadores, Galiano ficou especialmente impressionado com os projetos para educação e cultura. O grupo conheceu também as

ações de voluntariado, Família Participante, Sons do Coração e o novo setor de Transplante de Medula Óssea. O trabalho do Instituto foi apresentado pela médica e pesquisadora Mara Lúcia Cordeiro. A Apolar apóia o Instituto por meio das ações Gols pela

Vida e Rede do Bem. Além disso, durante a convenção anual da empresa, promove campanhas de arrecadação de alimentos para o hospital. A mais recente, em abril, resultou na entrega de 1,8 tonelada de não-perecíveis, entregue à equipe de voluntariado.

JUVEVÊ

OPINIÃO DE VALOR

FIFA REGISTRA USO DA MARCA PAGODE E GERA POLÊMICA A reportagem é de Alana Gandra, publicada pela Agência Brasil, 21-05-2014. (IHU Unisinos)

O registro realizado no instituto trata de Pagode como a fonte tipográfica, mas a legislação referente ao campeonato ampliou a restrição. “O que gerou a grande polêmica é que a Lei Geral da Copa tem uma disposição que diz que a FIFA vai enviar ao INPI listas de registros que a entidade quer que sejam reconhecidos como marcas de alto renome, que têm proteção para tudo”, disse hoje (21) à Agência Brasil a diretora substituta de Marcas do instituto, Silvia Rodrigues de Freitas. Isso faz com que a marca Pagode, por exemplo, tenha proteção automática. Como a palavra tem muitos sentidos no Brasil, a diretora acredita que não haverá proibição da FIFA para que o nome seja usado por grupos de pagode. “Não faz sentido”, opinou. Em geral, existe um procedimento complexo para reconhecimento de uma marca de alto renome no INPI. Mas a lei isentou a FIFA dos procedimentos. “A Fifa nos diz quais são as marcas de alto renome e a gente simplesmente publica”, explica. Pela Lei Geral da Copa, o reconhecimento das marcas de alto renome da FIFA tem um prazo de validade. “O alto renome só vale até o fim deste ano. Isso da marca Pa-

PARANÁ

gode poder proteger tudo só vale até o dia 31 de dezembro deste ano. A partir de 1º de janeiro de 2015, as marcas que a FIFA quis que fossem de alto renome voltam a ser marcas normais”, disse a diretora do INPI. No momento, a FIFA tem 100 marcas de alto renome reconhecidas no Brasil. Há marcas para vestuário, equipamentos, competições esportivas, publicações, por exemplo. “Elas voltam a proteger apenas aquele escopo inicial”, salientou. A lei também dá prioridade aos pedidos da FIFA nos trabalhos do INPI. Apesar do

Repórter Alana Gandra

Nova Yellowart em junho No mercado há 23 anos, a Yellowart planeja a mudança da matriz, localizada no Juvevê, para uma nova loja, no mesmo bairro. A vontade de atender melhor os clientes, com maior segurança

e comodidade, é a grande motivação da alteração de endereço. A nova loja contará com um espaço maior para exposição de produtos e atendimento aos clientes e uma grande área para

TRAINEE

privilégio, Silvia aponta que todas as disposições da lei sobre marcas continuam sendo aplicadas aos pedidos da entidade internacional esportiva. “Não é pediu, levou, não. Ele [pedido] só é examinado mais rápido”. Cerca de 1.406 pedidos da FIFA entraram no INPI desde os anos de 1970. Desses, 236 foram após a vigência da Lei Geral da Copa, em 5 de junho de 2012. A iniciativa da Fifa não é novidade para o INPI. Silvia recordou que o Brasil já sediou uma Copa do Mundo, em 1950, quando perdeu para o Uruguai. E toda vez que o Brasil se candidatava para abrigar uma nova Copa do Mundo ou Copa das Confederações, a FIFA depositava pedidos de registro de marcas no país.

estacionamento. Segundo Tatiana Murta de Toledo, administradora da Yellowart Juvevê, a mudança também trará novidades no conceito da loja, que passará a se chamar Yellowart Casa.

BELEZA

Kinross seleciona talentos L`oficiel Beauty para percorrer o mundo em busca de conhecimento Lounge em A K i n r o s s , u m a d a s volvimento de atividades nas Curitiba

maiores produtoras de ouro do Brasil, abriu inscrições para um de seus principais programas de recrutamento profissional, o Generation Gold. Nele, o participante passa por uma experiência de quatro anos nas unidades da empresa no Brasil, Canadá, Estados Unidos, Chile, Rússia, Gana e Mauritânia. “A experiência única de viver e trabalhar em outro país, assim como o desen-

diferentes áreas da mesma empresa, impulsiona nosso objetivo de construir um grupo de líderes globais e especialistas técnicos potenciais dentro da organização. Nós mantemos nossos esforços orientados por uma filosofia que chamamos de o Jeito Kinross e isso define quem somos e o que queremos passar para os selecionados”, afirma Marcos Cangussú, diretor de Recursos Humanos.

Hoje , dia 23 de maio, o L`Oficiel Eudes - Cabeleireiro e Estética, recebe um grupo VIP de clientes e imprensa para o primeiro L`Oficiel Beauty Lounge, que ocorre durante o Salão Noiva Sul 2014, no Centro de Eventos da Fiep, às 19 horas no estande do L’Oficiel. Os convidados serão recebidos com drinks, DJ e produção especial de cabelo e maquiagem.


publicidade legal | a7

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014 O INSTITUTO MADALENA SOFIA, CNPJ 08.295.371/0001-50, torna público que requereu à Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a Renovação da Licença Ambiental de Operação, para o seguimento hospitalar, situado na Rua Fúlvio José Alice, nº 381, Bairro Alto, CEP: 82.820450, Curitiba-PR. SÚMULA DE RECEBIMENTO DE RENOVAÇÃO DA LICENÇA DE OPERAÇÃO Logus Indústria e Transportes de Produtos Químicos Ltda., CNPJ 08.717.657/0001-86, torna público que recebeu do IAP, a Renovação da Licença de Operação para Reciclagem de Resíduos Industriais como fonte de matéria- prima, instalada na Rua José Neves, 131, Campina Grande do Sul, Paraná. SÚMULA DE RECEBIMENTO DE RENOVAÇÃO DA LICENÇA DE OPERAÇÃO Logus Indústria e Transportes de Produtos Químicos Ltda., CNPJ 08.717.657/0001-86, torna público que recebeu do IAP, a Renovação da Licença de Operação para Fabricação de Pigmentos para a Industria de Plásticos e Tintas, instalada na Rua José Neves 131, Campina Grande do Sul, Paraná. 1º Ofício do registro Civil 13º Tabelionato Leão Bel. Ricardo Augusto de Leão - Oficial Trav. Nestor de Castro, 271 - CEP 80.020-120 Centro - Curitiba - PR EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem casar-se:

F.V. DE ARAUJO S.A. MADEIRAS, AGRICULTURA, INDÚSTRIA E COMÉRCIO C.N.P.J. – 78.144.300/0001-31

CARTÓRIO DE SANTA FELICIDADE IRIO DAS CHAGAS LIMA – OFICIAL Av. Manoel Ribas, 6031 - Fone (41) 3372-1671 – CEP 82020-000 – CURITIBA – PARANÁ

EDITAL DE CONVOCAÇÃO 55ª ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA Ficam os senhores acionistas convocados para se reunirem na sede social, na Rua Amazonas de Souza Azevedo, 47, Bacacheri, nesta Capital, no dia 02 de junho de 2014, 2ª feira, às 11:00 horas, para deliberarem sobre: 1. Relatório da administração e demonstrações financeiras relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2013; 2. Destinação do resultado do exercício; 3. Eleição da Diretoria; 4. Fixação da verba global para remuneração dos administradores; 5. Outros assuntos de interesse social. Curitiba, 21 de maio de 2014 A DIRETORIA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Ficam convocados os senhores acionistas da empresa Madeireira Sulparaná S/A. inscrita no CNPJ. Sob nº 76.491.547/0001-07 estabelecida à Rua Itajubá nº 673 Bairro do Portão em Curitiba-Paraná, a se reunirem em Assembléia Geral Ordinária no dia 30 de Abril de 2014, as 15 horas, para deliberarem sobre a seguinte “Ordem do Dia”. 1) - Alteração no quadro de acionistas da sociedade; 2) - Alteração parcial do Estatuto da sociedade; 3) - Outros assuntos de interesse da sociedade. Curitiba, 14 de Abril de 2014 ARTAGÃO DE MATTOS LEÃO Madeireira Sulparaná S/A Diretor -Presidente

Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 23 DE MAIO de 2014

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ 3ª VARA FEDERAL DE CURITIBA Rua Anita Garibaldi, 888, Bairro Ahú, Curitiba/PR, CEP 80.540-180. Atendimento ao público das 13h às 18h.

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 2009.70.00.001323-1/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF ADVOGADOS : SANDRA REGINA RODRIGUES (OAB/PR 27.497) : ALBERTO RODRIGUES ALVES (OAB/PR 25.317) EXECUTADOS : F. GABRIEL CAMARGO & CIA LTDA. ME (CNPJ 05.521.627/0001-01) : FERMINO GABRIEL CAMARGO (CPF 708.524.219-15) : MARIA SIRLENE PINHEIRO CAMARGO (CPF 051.757.759-36) EDITAL DE LEILÃO E INTIMAÇÃO A Dr.ª Ana Carolina Morozowski, Juíza Federal Substituta da 3ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba, Seção Judiciária do Paraná, na forma da lei, faz saber, aos que virem o presente edital ou dele conhecimento tiverem, que nos autos em epígrafe, será leiloado o bem abaixo descrito, nas seguintes condições:

ANCORA EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÃO S.A. CNPJ/MF 81.071.243/0001-12 ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Com o presente, são convidados os Senhores Acionistas da ANCORA EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÃO S.A., a se reunirem em 28ª Assembléia Geral Ordinária e 20ª ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, na forma do parágrafo único, do artigo 131 da Lei 6.404/76, a ser realizada no dia 30.05.2014, às 10:00 horas, na sede social, situada na rua XV de Novembro, nº 2.357, 1ª andar, em Curitiba, Estado do Paraná, para tratarem da seguinte Ordem do dia : Em Assembléia Geral Ordinária: a) Leitura, discussão, votação e aprovação do Relatório da Diretoria, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2013; b) Eleição da Diretoria; c) Fixação dos honorários da Diretoria; Em Assembléia Geral Extraordinária: a) Reforma do Estatuto Social relativo ao capítulo IV da Administração da Sociedade – artigo 15 – com a alteração do parágrafo terceiro;. b) Outros assuntos de interesse Social. Outrossim, comunicamos que encontram-se a disposição dos Senhores Acionistas, na sede social, situada na rua XV de Novembro, nº 2.357, 1º andar, em Curitiba, Estado do Paraná, os documentos a que se refere o artigo 133 da Lei 6.404/76, relativo ao exercício social encerrado em 31.12.2013. Curitiba, 16 de maio de 2.014. Dalton Zeni Rispoli Diretor

1º LEILÃO: 11/06/2014, às 13h30min, por preço igual ou superior ao da avaliação. Caso seja necessário, fica desde já designado: 2º LEILÃO: 25/06/2014, às 13h30min, pelo maior lance, igual ou superior à 60% da avaliação. Leiloeiro Oficial: GUILHERME TOPOROSKI, fones (41)3599-0110 e (41)9622-0177, email: topolance@topolance.com.br, www.topolance.com.br Local do leilão: 3ª Vara Federal de Curitiba, sito a Rua Anita Garibaldi, nº 888, Bairro Ahú, Curitiba/PR, CEP 80.540-180, fones (41)3210-1751/1752. Descrição do bem: Um lote de terreno urbano com a área total de 348,00m² (trezentos e quarenta e oito metros quadrados), lote nº 08 da quadra "E" situado na Rua Projetada 03 no loteamento São Luiz na Cidade de Curiúva/PR, com divisas e confrontações: 12,00 metros de frente para a Rua Projetada 03; a direita com 29,00 metros divide com o lote 06, a esquerda com 29,00 metros divide com o lote 10 e aos fundos medindo 12,00 metros dividindo com o lote 07. Registrado sob a Matrícula nº 8.008 do Ofício de Registro de Imóveis de Curiúva/PR. Depositário do bem: Sr. Nelson Fernando Salles Bittar. Valor da avaliação: R$90.000,00 (noventa mil reais), em 12/12/2013. Ônus sobre o bem: Nada consta na matrícula do imóvel (conf. certidão atualizada até 07/02/2014). Valor executado neste processo: R$106.441,13, em 04/02/2014 (conf. fls. 128/134 dos autos). Recurso pendente de julgamento: Não consta dos autos. Comissão do Leiloeiro: a) em caso de arrematação: 5% sobre o valor da arrematação; b) em caso de PODER JUDICIÁRIO adjudicação: 2% sobre o valor da avaliação; c) em caso de remissão ou acordo protocolado após a JUSTIÇA FEDERAL publicação deste edital: 2% sobreSEÇÃO o valorJUDICIÁRIA da avaliação,DO do PARANÁ débito atualizado ou do acordo, o qual for 3ª VARA menor, pago pelo Executado. Sendo nula,FEDERAL anulada DE ou CURITIBA em caso de desistência do arrematante em Rua Anita Garibaldi, 888, Bairro Ahú, Curitiba/PR, CEP 80.540-180. ao público das 13h às 18h. virtude de oposição de embargos à arrematação, será devolvidoAtendimento o valor recebido a título de comissão pelo Leiloeiro. Ônus do arrematante: 0,5% sobre o valor da arrematação relativo às custas de arrematação, que deverá ser recolhida mediante guia DARF no código de receita 5762. Condições de venda: 1) Pagamento à vista. 2) Fica autorizado ao leiloeiro que proceda a venda direta do bem penhorado, mesmo antes da realização do leilão, nos termos dos artigos 685-C do CPC e 366 do Provimento nº 17/2013 da Corregedoria Geral da Justiça Federal da 4ª Região (Artigo 366. A venda dos bens penhorados por iniciativa particular é admissível mesmo antes da realização de praça ou leilão, não dependendo de consentimento do executado). 3) A venda direta antes do leilão deverá respeitar o disposto no artigo 367, § 1º, do Provimento nº 17/2013 da Corregedoria Geral da Justiça Federal da 4ª Região (§ 1º O preço da venda por iniciativa particular de bem ainda não levado a hasta pública deverá respeitar o valor mínimo da avaliação), devendo o adquirente arcar com a comissão do leiloeiro de 5% calculado sobre o valor de eventual venda. 4) Caso o leilão resulte infrutífero, fica autorizado ao leiloeiro que faça a venda direta do bem pelo prazo 04 (quatro) meses que se sucederem à segunda hasta, ao primeiro ofertante de lance igual ou superior a 60% ao valor da avaliação, nas mesmas condições oferecidas em hasta pública. A proposta deverá ser apresentada por escrito, pela parte interessada, no escritório do leiloeiro, sito à Travessa da Lapa, nº 96, 17º andar, sala 174, em Curitiba/PR, fones (41)3599-0110 e (41)9622-0177.



   

    

                                                                                                                                                               Página 1 de 1

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5010771-66.2011.404.7000/PR



EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF    EXECUTADO : ANCORA LATINA METALURGICA E MECANICA LTDA.-ME  ADVOGADO : RAFAEL ELIAS DA COSTA  EXECUTADO : IVO ZATYCKO  EXECUTADO : UBIRATAN JOSE VITHOFT ADVOGADO : RAFAEL ELIAS DA COSTA  EXECUTADO : VALTER JOSE PEREIRA   : WILSON TRAIN

  

 

EDITAL N.º 8307741

CITAÇÃO - PRAZO DE 30 (TRINTA) DIAS A DRA. GIOVANNA MAYER - MM. JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DA 5ª VARA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, NOS AUTOS ACIMA DISCRIMINADOS:

Advertências: 1) A venda será efetuada no estado em que o imóvel se encontra e em caráter ad corpus. A responsabilidade pela desocupação/imissão na posse será do arrematante/adquirente.

4) Caso não haja expediente forense em algum dos dias designados, o ato fica automaticamente transferido para o primeiro dia útil subsequente, no mesmo horário e local.

FAZ SABER, aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial VALTER JOSÉ PEREIRA - CPF/MF nº 569.754.149-04, ficando por este meio CITADO que por este Juízo e Secretaria da 5ª Vara Federal, se processa a Execução de Título Extrajudicial em epígrafe, e para, conforme dispõe o Artigo 652 do CPC, no prazo de 3 (três) dias, efetuar o pagamento do valor corrigido da dívida de R$ 278.259,16(duzentos e setenta e oito mil duzentos e cinquenta e nove reais  e dezesseis  centavos), cálculo de abril/2012, acrescido das custas processuais e dos honorários advocatícios, fixado em R$ 14.000,00(quatorze mil reais), sob pena de PENHORA E AVALIAÇÃO de tantos bens quantos bastem para a garantia do débito, cientificando-os que a verba honorária será devida pela metade, se o pagamento da dívida for efetivado dentro do prazo acima assinalado (art. 652-A § único do CPC), bem como do prazo de 15 (quinze) dias, independentemente de penhora, depósito ou caução (arts. 736 a 738 do CPC), para oposição de embargos à execução ou para depositar 30% do valor da execução, inclusive custas e honorários advocatícios e requerer o parcelamento do restante do débito em até 6 (seis) parcelas mensais, acrescidas de correção monetária (INPC) e juros de 1% (um por cento) ao mês (art. 745-A do CPC). E, para que chegue ao conhecimento de todos, o presente Edital será publicado e afixado na forma da lei.

O presente edital será afixado no quadro de avisos da Secretaria desta Vara, na sede do Juízo, e publicado na forma da lei. Curitiba/PR, 05 de maio de 2014. Eu, Leiloeiro Público Oficial, o digitei e assino.

DADO E PASSADO nesta Cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos treze (13) dias do mês de maio do ano de dois mil e quatorze (2014). Eu, ___________(Siro Sato), Supervisor de Processamentos Diversos, que o digitei e; eu, _____________(Kely Cristina Laurentino), Diretora de Secretaria da 5ª Vara Federal, Subseção Judiciária de Curitiba, que o conferi e subscrevi.

Guilherme Eduardo Stutz Toporoski Leiloeiro Público Oficial

Giovanna Mayer Juíza Federal Substituta

2) Eventuais débitos de IPTU e demais taxas decorrentes da prestação de serviços serão sub-rogados no valor da arrematação (art. 130, “caput” e § único, do CTN). Após a data da venda, correrão por conta do adquirente as despesas que incidirem sobre o bem. 3) Caso o(s) executado(s) não seja(m) encontrado(s), ou por qualquer outro motivo não for(em) intimado(s) pessoalmente, fica(m) desde já intimado(s) do conteúdo do presente edital. Ficam igualmente intimados o senhorio direto, o usufrutuário, o credor com garantia real ou com penhora anteriormente averbada, que não seja de qualquer modo parte nesta execução (art. 698 do CPC).

1- GIULIAN MAGNO DA SILVA com FRANCIÉLE NEVES DA VEIGA; 2- JAKSON MOREIRA BARBOSA com FERNANDA CHICHON BISCAIA; 3- HELTON JOSÉ DE SOUZA com LUCIANE LONDERO; 4- DOUGLAS DA SILVA com FABIOLA RODRIGUES ASSUNÇÃO. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. Curitiba, 22 de maio de 2014 IRIO DA CHAGAS LIMA Oficial

SOFTWARE

MADEIREIRA SULPARANA S/A CNPJ 76.491.547/0001-07

1 - EDUARDO PADRÃO MARTINS e MANUELA RODRIGUES ORTIZ.

EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar:

Documento eletrônico assinado por Giovanna Mayer, Juíza Federal Substituta, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de 2010. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico http://www.jfpr.jus.br/gedpro/verifica/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 8307741v3 e, se

Sispro anuncia novo sistema de gestão para comércio exterior A Sispro, fornecedora de software de ERP, investe na ampliação de seu portfólio de soluções com o lançamento de uma nova ferramenta desenhada especialmente para atender as empresas de comércio exterior: Sispro Comex. Com capacidade de gerenciar todas as etapas dos processos de negócios, o Sispro Comex emite desde a fatura proforma até o memorando de exportação e oferece opção para aplicação de BI, que pode ser adicionada para apoiar a tomada de decisões. Para otimizar o processo de importação o Sispro Comex trabalha de forma integrada com o SISCOMEX da Receita Federal, obtendo informações diretamente da Declaração de Importação (DI), e também gera a NF-e para nacionalização, gerencia todas as etapas envolvidas até o recebimento da mercadoria.

A nova ferramenta torna possível administrar os cronogramas e custos previstos e efetivos relacionados às operações de importação e exportação e obter informações completas sobre os despachantes aduaneiros, transportadores e entregadores. “A nova solução amplia a capacidade do ERP da Sispro, criado para que as empresas tenham toda a Gestão de Negócios em um ambiente único”, comenta Lourival Vieira, diretor de Marketing da Sispro, que possui mais de quatro décadas de atuação na oferta de soluções de gestão de negócios e fiscal. “Nosso objetivo com este lançamento é oferecer às empresas do setor uma solução abrangente e com total capacidade de integração com as ferramentas de gestão, análise de negócios e de atendimento à legislação do setor”, acrescenta o executivo.

CARREIRA

Proposito realiza gestão de carreira e talentos com avaliações diferenciadas Especializada em gestão de carreira e talentos para empresas de grande e médio porte, a Proposito trabalha para integrar pessoas e organizações, equilibrar a relação entre carreira e vida pessoal, e desenvolver profissionais. Encontrar o gestor adequado para o novo momento da organização, gerar sintonia entre gestores e suas equipes, e promover ambientes e culturas organizacionais pautados pela produtividade no trabalho e pela qualidade de vida são alguns dos serviços oferecidos pela empresa. Todo o trabalho é realizado com base em três pilares de atuação: Atração, Engajamento e Gestão da Sucessão. Atração de Talentos compreende serviços de executive search (busca de profissionais) para posições de média e alta gestão; mapeamentos de mercado voltados para avaliar o grau de competitividade

das empresas em relação à senioridade de seus talentos e pacotes de remuneração; e serviços de assessment (avaliação de potencial) de perfis executivos. Na área de Engajamento de Talentos, a Proposito oferece a metodologia MT,PS-Muito Trabalho, Pouco Stress, com foco no diagnóstico dos níveis de stress profissional, resiliência e produtividade; e a metodologia T:EQ-Trabalho em Equipe para o desenvolvimento da competência de trabalho em equipe nas organizações. A Gestão da Sucessão tem foco na avaliação de potencial de acionistas e executivos atuantes nas empresas, bem como herdeiros de organizações familiares; programas de desenvolvimento e planos de sucessão; e busca/seleção estratégica de Conselheiros Independentes para integrarem Conselhos de Administração.

TRANSPORTE

Plimor investe em tecnologia para controle da malha logística A Transportadora Plimor, de Farroupilha (RS), iniciou um projeto com o objetivo de aperfeiçoar a gestão dos veículos responsáveis pela operação de transferência da transportadora, utilizando o software desenvolvido exclusivamente para este fim. A ferramenta já permite o melhor controle da malha logística, alocação mais adequada da

mão de obra e integração de informações e gestão entre as unidades da empresa. “Hoje o software é utilizado na matriz da empresa. Em breve o sistema passará a ser monitorado e utilizado diretamente pelas filiais da transportadora, otimizando ainda mais os resultados”, explica o gerente de logística, Metrioni de Borba.


A8 | especial

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

Café das Nações faz homenagem a Data Nacional da Argentina Evento reforça laços de amizade entre países

O

Café das Nações desta quintafeira (22) homenageou a Argentina, pela passagem do seu dia nacional (25/05). A realização foi do Diário Indústria & Comércio, com apoio da Sociedade do Corpo Consular do Paraná e da Câmara de Comércio Brasil/Japão. Quem representou a Argentina no evento foi o cônsulda Argentina no Paraná, Hector Gustavo Vivaqua, que, em rápidas pinceladas, recordou como foi instituído esse dia. Ele destacou a participação do Brasil nesse ato memorável para os argentinos. Foi Dona Carlota Joaquina, filha de Carlos V, da

Espanha e esposa de D. João VI, de Portugal, que propôs a criação de um protetorado de províncias do Rio da Prata, incluído o Brasil, sob a tutela de Portugal. A Espanha, dominada nesta época pelas tropas de Napoleão, perderia suas colônias. O negócio não deu certo, pois a interferência das nações mais ricas, como a Inglaterra, levou o plano a nada. Mas deu base para a Argentina lutar por sua independência. Em 25 de maio de 1810 começou a luta que se estendeu por vários anos. Só em 1918 o país se emancipou efetivamente. O cônsul também recordou a

relação econômica entre os dois países, lembrando por exemplo, que a Renault, que hoje está instalada no Paraná, começou a negociar a vinda para o Brasil a partir de sua filial na Argentina. E isso aconteceu com muitas outras empresas, num entrelaçamento de negócios que resultaram na criação do Mercosul e no seu fortalecimento. “Existem divergências, às vezes, mas continuamos amigos e parceiros”, diz ele. Odone Fortes Martins, presidente do Diário Indústria & Comércio, lembrou uma viagem que fez à Argentina, em missão

empresarial, e Antoninho Caron, que também participou dessa missão, completou que essa missão foi importante para a criação do Mercosul. A reunião teve como representante da Sociedade do Corpo Consular do Paraná, o cônsul Ricardo Brugada Loizaga, Paraguai, que é vice-presidente da entidade, na ausência do presidente Mariano Czaikowski, e cônsul da Ucrânia em Paranaguá. No fim da reunião o cônsul Mariano chegou e agradeceu a Argentina e Chile por terem defendido a Ucrânia, na ONU, contra a invasão russa na Criméia.

Luiz Celso Branco, cônsul do Chile, cumprimentou a Argentina pelo seu dia.

Yoshiaki Oshiro, presidente da Câmara de Comércio Brasil/Japão, ofereceu a entidade e o próprio Japão para intermediar estreitamento de relações e negócios entre os países da América Latina.

Ardisson Naim Akel, cônsul do Marrocos e presidente da Junta Comercial do Paraná, prestou homenagem à Argentina e apresentou seu país como porta de entrada para negócios no mundo africano e mulçumano.

Enrico Mora, novo cônsul da Itália em Curitiba, lembrou a existência de relações especiais entre a Itália e Argentina. Também reiterou essa amizade.

O cônsul Ricardo Brugada Loizaga, do Paraguai, vice-presidente da Sociedade do Corpo Consular do Paraná, cumprimentou e saudou o cônsul da Argentina, pela sua data nacional, em nome do presidente da entidade, Mariano Czaikowski, que estava ausente no momento.

Ozeil Moura dos Santos, cônsul do Senegal, relatou que neste ano haverá uma aumento significativo de embarque de carnes paraguaias para a África. É uma aproximação da África com o Mercosul.

O Café das Nações teve a presença também do médico urologista Rodrigo K. Krebs, que veio a convite do presidente do Diário Indústria & Comércio, Odone Fortes Martins.

Eduardo Lopes Pereira Guimarães, empresário, arquiteto e urbanista, consultor em negócios internacionais, ex-secretário de Estado, também esteve presente ao evento.

Mariano Czaikowski, cônsul da Ucrânia em Paranaguá e presidente da Sociedade do Corpo Consular do Paraná, parabenizou a Argentina e o Chile por terem apoiado da Ucrânia contra a invasão russa na Criméia.

Kiyoshi Ishitani, cônsul das Filipinas, salientou o apoio das entidades japonesas no desenvolvimento das relações internacionais, inclusive com a Argentina.

Antoninho Caron, professor de economia e diretor de Pós Graduação da FAE, ex-secretário estadual, recordou missão de empresários paranaenses que visitaram a Argentina. Foi uma missão que influenciou muito na criação do Mercosul.

Rafael de Lala, jornalista presidente da Associação Paranaense de Imprensa, lembrou o General José de San Martin como “o libertador”, por ter promovido a independência de vários países. Entre eles, a Argentina.

Saturnino Hermando Gordo, cônsul da Espanha, voltou a mencionar que está se aposentando, por ter atingido a idade limite. Só espera a nomeação do novo cônsul. Enquanto isso fomenta a criação da Associação dos Empresários Espanhóis de Curitiba. Ele torce pela nomeação de sua filha, Blanca Hernando Barco, hoje cônsul adjunta.

Nazareno Ayala, cônsul adjunto da Argentina no Paraná, acompanhou a solenidade de comemoração a sua data nacional.

Franciele Lima, jornalista, empresária, dirige a Vulgata – Comunicação & Marketing, especializada em assessoria de imprensa, colocou-se à disposição dos empresários e empreendedores presentes.

O coronel Jorge Costa Filho, reformado da Polícia Militar, é uma das presenças constantes nos cafés das Nações. Ele é consultor de segurança e colunista no Diário Indústria & Comércio.

O cônsul da Argentina, Hector Gustavo Vivaqua, recordou a relação histórica entre Brasil e Argentina, que data da própria independência.


DIVERSÃO&ARTE

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014 | b1

Adélia Maria Lopes adeliamarialopes@yahoo.com.br

Uriah Heep, atração dominical C

om 45 anos de vida, em sua quarta passagem pelo Brasil, a banda inglesa Uriah Heep, que ao lado de Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple, fizeram história nos anos 70, faz show em Curitiba neste domingo. E se prepara para, em junho, lançar Outsider, seu 24º álbum de estúdio. A banda nasceu misturando hard rock e rock progressivo. Gravou discos como Look at Yourself (1971) e Demons and Wizards (1972), cujas letras enveredavam pelo universo místico. Atualmente, reúne o guitarrista Mick Box (único da formação original), Bernie Shaw (vocalista), Phil Lanzon (tecladista), Russell Gilbrook (baterista) e Davey Rimmer (baixista). Com realização da Damar Productions, o quinteto estará no Music Hall (Rua Eng. Rebouças, 1645), às 21h. Ingressos a 220 e 110 reais. Censura 18 anos. Fone 3319.0672 .

Victor & Leo em Viva por Mim

Paralamas, o retorno do sucesso

A vitoriosa dupla Victor & Leo, com um show que mescla folk, pop, romantismo e sertanejo de raiz, através da Seven, estará no Guairão, nesta sexta dia 23, às 21h, com o repertório de Viva Por Mim. O novo disco é o primeiro dos irmãos mineiros composto só por músicas inéditas.Gravado em Uberlândia, o CD tem participações de Jorge & Mateus, Bruno & Marrone e Almir Sater. (Ingressos a 106 a 506 reais).

Para apresentar seu show que faz parte da turnê comemorativa aos 30 anos de vida, Paralamas do Sucesso, contemplando todas as fases da banda e ainda músicas de artistas que os influenciaram (Led Zeppelin, The Clash, The Police, Jorge Ben, Gilberto Gil e Lulu Santos), está de volta a Curitiba. “Em vez de celebrar esses primeiros 30 anos estamos é festejando a abertura do segundo ciclo de 30 anos”, proclamou Herbert Vianna. O show, com realização daPrime, será neste sábado 24, no Teatro Positivo, às 21h15. Ingressos de 81 a 176 reais, já com os seis reais da tiquetagem.

Karla da Silva com Leo Fresssato

Festa para ir fantasiado

Com entrada franca, o Natura Musical apresenta, pela primeira vez em Curitiba, a cantora carioca Karla da Silva, em show de lançamento do CD Quintal. Será neste sábado 24, Teatro Paiol, às 20h, comparticipação do músico/compositor Léo Fressato (A Banda Mais Bonita da Cidade). Semifinalistas da primeira edição do The Voice Brasil, Karla, sambista de voz peculiar, realiza essa turnê que resultará em DVD patrocinado pelo programa Natura Musical, que valoriza novos talentos da música brasileira. (Os ingressos devem retirados na bilheteria do teatro uma hora antes do espetáculo. Classificação 12 anos: Fone 3213- 1340).

Há 17 anos o empresário Tite Clausi faz de seu aniversário um acontecimento em Curitiba, com uma Festa à Fantasia que este ano será neste sábado 24, no Spazio Van, às 23h. Como sempre, o tema é secreto e os convivas devem ir fantasiados. O Dj português Diego Miranda é uma das atrações. Ingressos à venda, de 86 a 606 reais (!). E quem quiser completar o visual, uma dica: Dulce Lutke faz maquiagem temática no Expert Beauty Center. E as opções vão desde máscaras de Veneza aos animais, como (ui!) uma cobra. Dulce fez, em Paris, especialização em maquiagem para cinema.

Nem te Conto! Mia Cara Curitiba A programação do Mia Cara Curitiba 2014 traz diversas exposições. Neste domingo, às 11h, abre a mostra com gravuras de Poty e desenhos de Leila Pugnaloni, no Solar do Rosário/Largo da Ordem. No Palladium, na segunda dia 26, às 19h30, vernissage de Una Locandina (cartaz) Per Curitiba, da Associação para o Design do Paraná. As fotos de Itália Mon Amour, com obras dos italianos Claudio Di Francesco, Gabriele Menconi, Mongobi e a dupla Simoncini.Tangi ficam no Sesc Água Verde deste sábado 24 a 30 de junho. O espaço Alberto Massuda (Trajano Reis, 443) recebe pinturas do artista Marcelo Cristal, deste sábado a 1º de junho. E a Feira Gastronômica do Mia Cara acontece no Museu Oscar Niemeyer, neste sábado, das 11 às 18h, com treze barraquinhas mais três aulas-show com professores do Centro Europeu. Ingresso a 5 reais e pratos com preço máximo de 20 reais. Participam Altman Gastronomia, Empório Rosmarino, MarcoliniAlimentari, Ristorante Salumeria, Gepetto Pizzaria e Armazèm La Grappa, Terra Madre, Cantina do Délio e Alfredo´s. O Mia Cara celebra a cultura italiana na cidade, através da Embaixada e do Consulado Geral e integra o projeto cultural Itália na Copa.

Cine e bar futebol

Atlético de Madrid x Real Madrid,final da Liga dos Campões da Europa, vai estar em 16 cinemas da rede UCI, às 15h15 deste sábado. Em Curitiba, nas salas do Estação e Palladium. Ingressos a 50 e 25 reais. E entre os bares que mostrarão a partida está até um irlandês, oSheridan’s Irish, que vai abrir às 15h, com recepção do Balaclava Duo.

Zinco de inverno

A loja KiaroScuro, no Pátio Batel, e a Zinco promovem bate papo sobre moda, nesta sexta-feira 23, às 18h. O evento é aberto ao

público e também apresenta o inverno 2014 da marca paranaense, que investe na modelagem flare (releitura da boca de sino dos anos 70), nos tons sóbrios harmonizados com cores mais vibrantes e se inspira na globalização cultural. A década de 70 é pontuada também por elementos de tribos indígenas, hippies e ciganos, além de saias midi e longa, incorporando fendas que proporcionam uma sutil sensualidade. Jacquard, couro e malhas imperam entre os tecidos da estação. Ainda entre os destaques, as peças inspiradas nos uniformes colegge. E o rei jeans vem com a sarja resinada, com a sarja estampada e com o confortável moletom denim.

Comes&Bebes

Planeta Kids no palco

O curitibano Senhor Garibaldi, que neste ano ganha filiais em Campo Largo e Balneário Camboriú, festejando a Copa da Fifa em nosso quintal, põe em campo o Time de Campeões. São oito novos hot dogs referentes às seleções campeã do mundo: Alemanha, Argentina (para quem aprecia condimentos, o mais saboroso), Brasil, Inglaterra (o mais pedido), Itália, Espanha, França e Uruguai. Outro lance da casa é o sanduíche de pão estilo francês com hambúrguer artesanal, maionese, cebola caramelada, alface e tomate, por 13,90 reais. Até 31 de julho, o Sr Garibaldi abre no almoço de segunda a sexta e todo o cardápio terá 10% de desconto. O dono da casa, Horácio Coutinho Jr, estuda a sugestão de um rodízio. (Rua Itupava, 1377. Fone 3029-8006).

Os Smurfs, Pernalonga, Frajola, Piu-piu, Patolino, Taz e a turma do Lazy Town estarão no palco no Teatro Positivo, em três sessões neste domingo dia 25: 11h, 15h e 18h. O espetáculo reúne dois pequenos shows da turma do The Looney Tunes e dos Smurfs e a apresentação na íntegra do musical Lazy Town - A Aventura dos Piratas. Ingressos de 49 a 102 reais. Na compra de duas entradas no valor da inteira, o cliente ganha mais duas.


geral | b3

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

Panorama Político

Escolas estaduais

Nova embalagem facilita a entrega da merenda A novidade garante segurança e rapidez na hora de entregar dos alimentos

Nesta atual remessa estão sendo separadas 3,4 mil toneladas de alimentos. São mais de 9 mil metros quadrados de produtos enviados às escolas estaduais dos 399 municípios

U

m único bloco, embalado em fita plástica de alta resistência e personalizado. É assim que os lotes de alimentos para a merenda escolar passaram a ser enviados pela Secretaria de Estado da Educação para as escolas da rede pública em todo o Paraná. A novidade garante mais segurança e rapidez na hora de entregar dos alimentos. “Quando o caminhão chega à escola, o entregador não precisa mais separar produto por produto como era feito antes. Agora ele chega, deixa a embalagem única e vai mais rápido para outra escola. A vantagem também é que o novo sistema evita avarias nos produtos”, disse o gerente da Companhia de Desenvolvimento

Agropecuário do Paraná (Codapar), Josemar Amora. A Codapar é contratada pela secretaria para armazenamento e distribuição dos lotes de alimentos industrializados não perecíveis. As carnes congeladas são entregues quinzenalmente pelos fornecedores diretamente nas escolas. Outra metade dos alimentos vem da agricultura familiar e os produtores locais fazem as entregas quase que diariamente nas escolas de suas regiões. CODAPAR Nesta atual remessa estão sendo separadas 3,4 mil toneladas de alimentos. São mais de 9 mil metros quadrados de produtos enviados às escolas estaduais dos

399 municípios. O trabalho com a merenda nos armazéns da Codapar envolve diretamente 50 funcionários que separam os alimentos e embalam os lotes com as quantidades certas para as 2,5 mil escolas, incluindo também as de educação especial e conveniadas como as Apaes (Associação de Pais e Amigos do Excepcionais). O que define a quantidade de alimentos que a escola recebe é o número de alunos e os turnos de aula. Para a diretora de Infraestrutura e Logística da secretaria estadual da Educação, Marcia Stolarski, a nova forma de entrega garante que a escola não vai receber alimentos a menos ou a mais. “Além de reduzir o prazo de distribuição das

remessas e preservar a integridade das embalagens dos alimentos entregues, as escolas recebem a remessa pronta com todos os itens já certos”, destacou Márcia. INVESTIMENTO Durante o ano letivo são enviadas de quatro remessas de alimentos convencionais não perecíveis: cereais, leite em pó, biscoitos, temperos, macarrão, óleo, açúcar e outros. Os congelados são entregues quinzenalmente, os sucos seis vezes ao ano, e os gêneros da agricultura familiar a cada semana, diretamente nas escolas pelos fornecedores. A qualidade da alimentação escolar é assegurada por testes laboratoriais.

QUALIDADE

Com novos equipamentos, Sanepar é autossuficiente em análises de água

João Henrique Stahlke/Sanepar

Com a entrada em operação dos cromatógrafos instalados nos laboratórios de Londrina e Cascavel, a Sanepar tornou-se uma das primeiras companhias estaduais de saneamento do Brasil autossuficientes na análise de todos os parâmetros da qualidade da água distribuída para a população. Os parâmetros são determinados pelo Ministério da Saúde (Portaria 2914). Os modernos equipamentos utilizados nas análises de agrotóxicos já estão em pleno funcionamento também em Curitiba e em Maringá. Entre as análises rotineiras da água estão as que verificam se há presença de pesticidas, herbicidas e de materiais organovoláteis, entre os quais os hidrocarbonetos e os trihalometanos. “A implantação destes equipamentos agiliza a realização das análises e oferece ferramentas para tomada de decisão mais rápida quando necessário”, destaca a coordena-

dora do laboratório de Cascavel, Denise Binder. No laboratório de Londrina são feitas as análises da água de 127 sistemas atendidos pela Sanepar, nas regionais de Apucarana, Arapongas, Cornélio Procópio, Santo Antonio da Platina e Londrina. Já o laboratório de Cascavel analisa a água bruta e tratada das unidades regionais de Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Toledo, Guarapuava e Cascavel, totalizando 176 sistemas. Em Maringá, são analisadas amostras das unidades regionais de Maringá, Paranavaí, Umuarama e Campo Mourão abrangendo 164 sistemas. Das demais cidades, as análises são feitas em Curitiba. Os três cromatógrafos para os laboratórios centrais de Maringá, Londrina e Cascavel exigiram investimentos de R$ 1,7 milhão. Para o laboratório central de Curi-

Sanepar instala cromatógrafos e conquista autossuficiência em análises de água tiba os recursos necessários são da ordem de R$ 2,6 milhões. Para garantir a qualidade da água que entrega aos clientes, a Sanepar realiza 1,325 milhão análises por mês. A maioria (1,2 milhão) é feita nos laboratórios operacionais durante o processo de tratamento da água. Nestes

laboratórios, as análises são feitas de hora em hora, 24 horas por dia. Os outros 125 mil parâmetros são mensalmente analisados nos quatros laboratórios centrais de Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel e em outros 77 laboratórios descentralizados.

Professores estaduais contam com rede social exclusiva convidados por alguém que já está no Conecta. A ferramenta será apresentada para o público durante a Curitiba Social Media (#CSM14), evento que reunirá alguns dos principais nomes da internet no Brasil, nos dias 24 e 25 de maio no Canal da Música, em Curitiba.

prpress@terra.com.br

Prova definitiva

Se ainda restavam dúvidas, o mais recente obstáculo colocado ao Paraná para ter acesso ao mais liberado de todos os empréstimos obtidos em agências financeiras nacionais e internacionais, prova que há mãos fortes no caminho dos recursos destinados ao estado. De todos, o mais simples pelo fato de ter sido recebido por todos os demais entes federativos, o Proinveste, que destinaria R$ 817 milhões ao governo paranaense, não é liberado aparentemente “nem com reza brava”. Não bastaram a intervenção da presidente Dilma determinando o pagamento, isso depois do governador Beto Richa, esgotados outros recursos ter uma reunião com ela. Também não foram suficientes duas liminares emitidas por ministros do STF, determinando o pagamento. Outras exigências da Secretaria do Tesouro Nacional, cujo Secretário Arno Augustin, em outras circunstâncias receberia no mínimo um puxão de orelhas pelo não cumprimento da decisão presidencial, foram feitas e atendidas. Passou-se aí ao Ministério da Fazenda para a protocolar assinatura do ministro Mantega e encaminhamento ao Banco do Brasil, com o necessário “pague-se”. Eis que aí o BNDES cria mais um empecilho. A liquidação do Badep, em 1991, deixara ao Paraná uma dívida junto ao Banco oficial. Motivo impeditivo ao repasse do Proinveste, embora como lembra o secretário Luiz Eduardo Sebastiani, “não haja nenhuma conexão entre ambas”. De outro modo, os demais Estado brasileiros (o Paraná entre eles), com dívidas multibilionárias junto ao Tesouro, agora em tentativa de negociação, não teriam se habilitado a nenhum empréstimo. A prova definitiva: quando foi para emprestar pelo próprio BNDES através da Fomento do Paraná, R$ 131 milhões para a reforma da Arena da Baixada, estádio que sediará quatro jogos da Copa negociada em 2007 com a Fifa, pelo então presidente Lula, a dívida do Badep não foi impedimento. Por ter sido de 1991 essa pendência, a coluna não sabe se a senadora Gleisi, ardente defensora das restrições, já morava no Paraná!

Ressentimento sulino Essas e outras situações que causaram prejuízo a este estado, assim como a Santa Catarina e Rio Grande do Sul, grandes contribuintes ao desenvolvimento nacional, sempre geraram ressentimentos por aqui.

A ponto de nas décadas de 1970/80, adesivos com o “slogan” “O Sul É Meu País”, desfilarem em milhares de carros nos três estados. Pregação explícita de separatismo. Pelo jeito as motivações continuam a existir!

Olimpíada rentável Evento esportivo como a Olimpíada, que se seguir os superfaturamentos da Copa muito incômodo ainda vai gerar por aqui até 2016, e em outros países também deram prejuízo, na Austrália foi bem aproveitado em 2000. Caravanas de empresários percorreram os paísessede desde então, para propor intercâmbio comercial. Nestes 14 anos, 320 eventos movimentaram 40 mil empresários, que obtiveram exportações de US$ 1,7 billhão. O Paraná já recebeu três visitas. Agronegócio, energia e gás, educação e tecnologia estão entre os interesses dos australianos.

Caixa dois Crimes eleitorais deslavados como os cometidos pelo governador Sinval Barbosa, de Mato Grosso, em 2010 e pelo prefeito cuiabano Mauro Mendes, em 2012, que simplesmente tomaram dinheiro emprestado para a campanha, pagando juros de 1,5% a um empresário e com nota promissória de valor maior como garantia, agora correm em segredo. Claro que tais valores, investigados pelo Ministério Público Federal na operação Ararath, não constam nas prestações de contas. O segredo de Justiça pedido pelo procuradorgeral Rodrigo Janot, aceito pelo ministro Dias Tofolli.

Rendido à evidência

CONECTA

Os professores estaduais do Paraná contam com uma rede social exclusiva para trocarem informações e ideias sobre Educação na internet. Desde fevereiro deste ano, cerca de 420 professores usam a rede social Conecta, desenvolvida pela Secretaria Estadual da Estado da Educação. Só podem participar da rede os professores que forem

Pedro Washington

Além do Conecta, o diretor de Políticas e Tecnologias Educacionais da Secretaria da Educação, Eziquiel Menta, vai apresentar como funciona o curso de formação do Grupo de Trabalho em Rede para os professores da rede estadual do Paraná. O curso é todo feito dentro de um ambiente virtual acessado

pela internet. Os professores escolhem o horário e o dia que querem fazer as aulas, mas precisam terminar o curso dentro do prazo. A rede social Conecta foi desenvolvida para os professores compartilharem informações de assuntos ligados à educação e tecnologia.

Os deputados peemedebistas paranaenses, defensores do apoio à reeleição de Beto Richa, terão aplicado um “ippon” (golpe fulminante) nos companheiros que defendem candidatura própria. Usaram para isso um dos grandes defensores da candidatura Requião: Caíto Quintana, com seu nome na chapa de Richa, ocupando a vice-governança. Caíto parece ter-se rendido à evidência: “Se indicarem meu nome, vamos em frente”!


b4 | publicidade legal

Diário Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira, 23 de maio de 2014

3

milhões de Page Views*

no portal www.icnews.com.br

É um número marcante!

K‚gd]algj]k]eZmk[Y\]af^gjeY„’]kkgZj]ÇfYf„Yk$ f]_Ž[agk$e]j[Y\g$][gfgeaY$hgd‰la[Y]Y_jgZmkaf]kk& Meh“Zda[gemdlahda[Y\gj$YdlYe]fl]imYdaÇ[Y\g$ [ge^gjl]hg\]j\]\][ak‚g& G<a~jagAf\“kljaY;ge…j[ag$[gfÇjeYYkkae$Yda\]jYf„Y ]eaf^gjeY„’]k\]f]_Ž[agk]e]j[Y\gk\gHYjYf~&

Diário Indústria&Comércio Ótimo para ler. Excelente para anunciar. Impresso ou na plataforma digital.

HYjYYfmf[aYjda_m]2

,)++++%10(('++**%)()* \a_alYd8af\mk[ge&[ge&Zj * Total mensal de páginas visualizadas no site ICNews, no período de julho, agosto e setembro de 2013. Conforme dados do Google Analytics.


Diário Indústria&Comércio