Issuu on Google+

www.iCNE WS.com.br

Indústria&Comércio Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | Ano XXXVi | Edição nº 8832 | R$ 1,50

DIÁRIO. Mais que notícias. inteligência. conhecimento.

Aroldo Murá PAPA FRANCISCO NÃO AJUDOU DITADURA, DIZ TEXTO EXCLUSIVO O atento leitor Frederico Fulgraff traduziu especialmente para a coluna declaração dada quarta, 20, à página web do Canal N-TV, da Alemanha, pelo padre Jalycs. Nela o padre isenta o Papa Francisco de qualquer responsabilidade por sua prisão, nos anos 70s, pela ditadura argentina.

Bancos reduzem para R$ 1 mil o mínimo para realização da TED

Com a Transferência Eletrônica Disponível, o dinheiro é depositado no mesmo dia da solicitação página a5

Vendas de materiais de construção crescem 2,8%

página a3

Pedro Washington Gigantismo eleitoreiro

Quem acompanha a política brasileira percebe claramente que os atuais períodos governamentais, na Federação (!) e nos estados, já terminaram. Página | A2

Brasil renegocia dívida senegalesa O ministro de Negócios Estrangeiros do Senegal, Mankeur Ndiaye, agradeceu ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, a renegociação da dívida senegalesa de R$ 6,5 milhões com o Brasil.

INDICADORES FINANCEIROS

O faturamento da indústria de materiais de construção apresentou queda de 4,8% em fevereiro na comparação com janeiro. página a5

MERCADO À VISTA Maiores altas

COTAÇÃO

RJCP EQUITY ON J B DUARTE ON TECTOY PN * DTCOM-DIRECT ON RECRUSUL PN

Maiores QUEDAS BANRISUL ON N1 REDE ENERGIA ON LAEP DR3 TECNOSOLO ON ENERGISA DM 12,00

0,02 0,02 0,03 0,72 0,06

COTAÇÃO 15,18 1,89 0,53 0,07 0,09

IBOVESPA Maiores altas*

COTAÇÃO

PDG REALT ON NM BROOKFIELD ON NM CEMIG PN N1 TIM PART S/A ON NM VALE ON N1

Maiores QUEDAS MMX MINER ON NM OGX PETROLEO ON NM BRASKEM PNA N1 SID NACIONAL ON ELETROBRAS ON N1

2,85 2,68 22,50 8,38 34,64

Beto Richa anuncia concurso para 1.246 vagas na Emater e Adapar

geral/curitiba | a2

Jucepar lança sistema on-line de reserva de nome empresarial por até 30 dias

Antonio Costa/ANPr

inovação Boticário inaugura Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Com mais de 8 mil metros quadrados de área construída, o empreendimento, que recebeu investimentos de R$ 37 milhões, comporta, inicialmente, uma equipe de 230 pessoas exclusivamente dedicadas ao trabalho de inovação em produtos.

COTAÇÃO 2,65 2,50 13,70 9,12 6,33

CÂMBIO Moeda

Pág. b1

Compra

Venda

Dólar turismo 1,9300

2,0700

Dólar comercial 2,0095

2,0110

Dólar paralelo 2,0900

2,2000

Euro

2,5888

2,5873

gestão Acordo integra gastos públicos em educação e meio ambiente

Ouro (Grama/R$): 103,20

II Encontro Anual de Operadores, realizado na Junta Comercial do Paraná (Jucepar), onde é apresentado aos participantes um novo sistema que permite a reserva do nome empresarial por até 30 dias.

O Tribunal de Contas da União (TCU) firmou ontem um acordo de cooperação com a União e os estados para integrar a gestão dos gastos públicos em educação e meio ambiente.

página a2

Editorial Editais na página A7

Verbas para gestão de águas: um reforço para o meio ambiente

E

stados brasileiros receberão, até 2018, parcelas anuais de R$ 750 mil para melhorar a gestão de recursos hídricos em cada região. Um reforço para o meio ambiente que, se for bem administrado, será um avanço em regiões que não têm uma boa gestão das suas águas. O repasse vai depender da adesão dos estados ao programa lançado pelo governo.

É

bom que os governos estaduais façam a adesão ao programa, uma vez que a decisão tomada por determinado governo em uma região pode refletir em territórios vizinhos. As administrações precisam ter o bom senso e a responsabilidade quando se trata do meio ambiente. O recurso também será utilizado para treinamento de pessoas e construção ou melhoria de estruturas.

N

o final de 2018, quando o prazo do programa encerrar, o valor total de desembolsos deve chegar a R$ 100 milhões. Para cada cenário, foram recomendadas metas que vão desde sugestões mais simples até uma estratégia de fiscalização de usos diversos, capacitação do comitê gestor e a inclusão de planos de bacias ou criação de agências reguladoras de uso das águas.

Pág. b4

mostra Fomento Paraná leva linhas de microcrédito a mutirão

As pessoas que participarem do programa Mutirão da Cidadania neste final de semana (22 e 23) poderão conhecer e ter acesso às linhas de microcrédito da Fomento Paraná. Pág. a2

CMYK

Central de Atendimento: 41 3333.9800

e-mail: pauta@induscom.com.br


Geral/Curitiba Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A2 | Indústria&Comércio

Previsão do tempo

Mín.: 13° | Máx.: 24°

Na sexta-feira uma massa de ar seco e menos aquecido continua presente sobre o estado do Paraná. Não há previsão de chuvas em nenhum setor do estado. As temperaturas ficam mais baixas ao amanhecer. fonte: www.simepar.br

Empresas

Jucepar apresenta sistema on-line de reserva de nome O novo empreendedor pode consultar na internet um nome viável para sua empresa

PanoramaPolítico Gigantismo eleitoreiro

Quem acompanha a política brasileira percebe claramente que os atuais períodos governamentais, na Federação (!) e nos estados, já terminaram. Agora tudo gira em torno de 2014. Consequência de um dos grandes equívocos da legislação brasileira que determina eleições a cada dois anos. Mal um governante, municipal estadual ou federal se instalou, sem tempo ainda de se adonar da situação que nunca é como foi pintada, apesar das tais “comissões de transição” que pretensamente obteriam informações sobre a realidade, e já se vê a braços com a próxima eleição cujo resultado lhe é fundamental. Começam as pressões de toda ordem que inviabilizam tomada de decisões sérias e necessárias. Haja concessões! Não se faz o que é necessário e sim o que a realidade eleitoral obriga. Para só ficar no plano nacional, já que os problemas aqui vividos estão patentes, abordemos a “nova reforma” ministerial que de reformadora nada tem. Apenas uma adaptação grotesca para garantir cada vez mais o apoio do PMDB e uns ajustes aqui e ali com interesses de outros “aliados”. Criando inclusive mais uma Secretaria para tentar abrigar o recém formado PSD, refúgio de todos os que se sentiam mal em suas siglas de origem. Um partido que é o retrato do oportunismo político. Essa nova “repartição pública” que se soma às outras 38 já existentes, não vai aparentemente alcançar seu objetivo: espertamente seu “líder” Gilberto Kassab não aparenta interesse em entrar no governo oficialmente. Até porque, visualiza a oportunidade de se render aos encantos do governador pernambucano. Em contrapartida, essa criação de mais uma pasta provocou críticas de um importante homem de negócios, até ontem afinadíssimo com o governo. É de Jorge Gerdau, presidente da Câmara de Políticas de Gestão da Presidência da República a frase: “o Brasil chega ao limite da burrice, da loucura ou da irresponsabilidade” ao render-se à lógica do gigantismo (administrativo). Precisa dizer mais!

Amarração

Ao amarrar o PMDB como o faz agora, convencida de que a tentativa do ex-presidente Lula de cooptar o governador Eduardo Campos, potencial adversário de Dilma em 2014, afastando Michel Temer da chapa de 2014, quase põe tudo a perder, a presidente tenta amarrar igualmente as coligações estaduais. Sabendo porém que no Rio, PT e PMDB devem se digladiar, o mesmo podendo acontecer no Paraná, se Requião insistir na candidatura própria. Nos dois sentidos. A do partido, que é a dele.

Desgaste ...

Um assunto que já começa a trazer desgaste para o prefeito Gustavo Fruet, numa região nobre de Curitiba: a 7 de Setembro, no Batel. A infeliz tentativa da administração anterior de estender a linha do “azulão” para o roteiro Santa Cândida-Praça do Japão, com início poucos meses antes da eleição, ficou frustrada com a sua derrota. Infeliz pois o roteiro deveria contemplar o que hoje existe: Santa Cândida-Capão Raso. Ou isso, ou nada!

... desnecessário

A inesperada reação dos moradores das imediações da já tradicional Praça do Japão que seria transformada num mini-terminal, não estava nas previsões do IPPUC. É o que dá planejar em gabinetes, sem consulta à realidade. Hoje o trecho da 7, entre Pasteur e Ângelo Sampaio (entre outros), paralisado, cria inúmeros problemas com os “vermelhões” andando nas laterais da canaleta e voltando a ela em manobras perigosíssimas. Com uma solução facílima no caso da 7, não fora a obtusidade de quem não a vê! A informação de que a obra será retomada em 2014 é assustadora.

Em choque

A coluna continua a insistir na tese de que, este é o momento para tentar reverter um parágrafo da Constituição de 88, altamente prejudicial ao Paraná: a cobrança do ICMS da energia no consumo. A união conseguida para a aprovação da TRF no Paraná, precisa permanecer. Só assim, unindo todas as forças e somando a outros estados que virão a ser prejudicados quando suas hidrelétricas entrarem em operação, mais os estados produtores de petróleo, igualmente prejudicados, obterá o Paraná, êxito em sua demanda.

EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

II Encontro Anual de Operadores, realizado na Junta Comercial do Paraná (Jucepar), onde é apresentado aos participantes um novo sistema que permite a reserva do nome empresarial por até 30 dias

dor. Nós queremos implantar logo os produtos para desburocratizar os serviços, utilizando a tecnologia da informação, instrumentos modernos de controle de registros e treinamento dos relatores”, ressaltou Akel. O Paraná é o segundo Estado a aderir os moldes do programa, que já tem um piloto no Distrito Federal. Esta é a primeira etapa do projeto a ser implantado no Paraná, cujo objetivo é reduzir o prazo de abertura de uma empresa para cerca de 8 dias, de acordo com Alex Francisco de Oliveira Barbosa, diretor de Tecnologia da Junta Comercial de Minas Gerais. A Junta Comercial do Paraná não teve custo para o desenvolvimento do novo sistema, que foi feito

em parceria a Junta Comercial de Minas Gerais, o Sebrae Nacional e o Departamento Nacional de Registro do Comércio (DNRC). “É um trabalho de integração para simplificar a vida do cidadão empreendedor”, afirma Barbosa. Numa segunda etapa, será feita a implantação de um sistema de geração de documentos pré-padronizados, para facilitar a comunicação com a Receita Federal e a Secretaria da Fazenda. O encontro anual de Operadores da Jucepar serve para reciclagem do conhecimento dos funcionários com relação ao registro mercantil. Sueli Linares, da Associação Comercial de Arapongas, no Norte do Estado, considera uma oportunidade de conhecer e se atualizar,

reciclar as mudanças para uniformizar os serviços e atender melhor o novo empreendedor. “Quanto mais agilidade e menos burocracia, melhor”, disse ela. Também participaram do encontro o vice-presidente da Jucepar, Antônio Romão Montes; o secretário geral, Sebastião Motta; o procurador geral, Eduardo Barbosa, e o subprocurador do órgão, Marcos Vinícius Tadeu Pereira; o presidente do Sindicato dos Contadores do Paraná, Mauro Kalinke; além de representantes da Associação Comercial do Paraná, Henrique Domakoski; do Conselho Regional de Economia, Antônio Rubim; do Conselho Regional de Contabilidade, Armando Lira.

Richa anuncia concurso para 1.246 vagas na Emater e Adapar

Fomento Paraná leva linhas de microcrédito ao Mutirão da Cidadania

EMPREENDEDOR

Segundo Akel, o sistema permite uma consulta rápida, feita pela internet, e gratuita. “Está dentro da linha do governo Beto Richa, que é um governo amigo do empreende-

O governador Beto Richa autorizou ontem, em Curitiba, a realização de concurso público para a contratação de 700 profissionais técnicos para o Instituto Paranaense de Assistência Técnica (Emater) e outros 546 para a Agência de Defesa Agropecuária (Adapar). Ao todo serão 1.246 novos servidores. O edital do concurso será lançado nos próximos 15 dias. “Herdamos um Estado com estruturas para atendimento e apoio à agricultura e pecuária completamente desmanteladas. Com planejamento e austeridade na aplicação dos recursos foi possível lançar este concurso”, disse Beto Richa, aos dirigentes de entidades patronais e sindicatos rurais e servidores do Estado que participaram de um café da manhã para lançamento do concurso, na sede do Instituto Emater. Richa também destacou que o Instituto Emater lançou um Programa de Demissão Voluntária (PDV) que deverá resultar em uma economia de R$ 15 milhões na folha de pagamento do Estado. A medida vai possibilitar a realização de concurso para a contratação de novos servidores. “A expectativa é aumentar a receita até a realização do concurso porque a população,

Jonas Oliveira/AENPr

prpress@terra.com.br

Antonio Costa/ANPr

A

Junta Comercial do Paraná (Jucepar) realizou ontem o III Encontro Anual de Operadores, que reuniu cerca de 130 relatores de 58 escritórios regionais do órgão no Estado. São funcionários das prefeituras e associações comerciais, que atuam em parceria com a Jucepar para atender o empreendedor na criação da sua empresa. No encontro foi apresentado aos participantes um novo sistema que permite a reserva do nome empresarial por até 30 dias. O serviço faz parte do programa Empresa Fácil, lançado na atual gestão pela Jucepar-PR e inspirado em programa de Minas Gerais e referência para o país. “O programa Empresa Fácil cumpre a meta de governo de facilitar o empreendedorismo, estimular o crescimento da economia e a geração de emprego”, afirma o presidente da Jucepar do Paraná, Ardisson Naim Akel. O primeiro produto desenvolvido no Empresa Fácil, lançado na quinta-feira, é a reserva de nome. O novo empreendedor pode consultar na internet, através do site www.jucepar.pr.gov.br, um nome viável para sua empresa e deixá-lo reservado por um prazo de 30 dias, até viabilizar toda a documentação para a abertura da empresa.

Governador Beto Richa, anuncia realização de concurso público para recomposição dos quadros de servidores do Instituto Emater e da Adapar

e principalmente os produtores rurais, não podem esperar”, destacou Richa. Segundo o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o PDV do Instituto Emater deverá ter a adesão de cerca 300 funcionários já aposentados e que ainda prestam serviço na empresa. “Há anos a empresa não passa por renovação em seus quadros”, disse Ortigara. Ele ressaltou que o PDV terá a duração de aproximadamente um ano, até que os técnicos antigos

que irão se desligar repassem seus conhecimentos aos técnicos que estão chegando. A idade média dos funcionários da Emater é de 55 anos, com 31 anos de casa. O último grande concurso público realizado para o Instituto Emater foi em 1991. Para a Adapar, este é o primeiro processo seletivo desde que a empresa foi criada em 20 de dezembro de 2011. “Estamos promovendo condições de trabalho aos produtores rurais e o desenvolvimento do agronegócio em todo o Estado”, disse Richa.

As pessoas que participarem do programa Mutirão da Cidadania – Paraná em Ação 2013, promovido neste final de semana (22 e 23) pelo Governo do Estado, em parceria com os municípios, poderão conhecer e ter acesso às linhas de microcrédito da Fomento Paraná. O Mutirão será realizado em Borda do Campo, no município de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O objetivo do microcrédito é apoiar o desenvolvimento de pequenos negócios e iniciativas empreendedoras que necessitam de apoio financeiro para melhorar ou ampliar suas atividades. As linhas de microcrédito oferecem taxas de juros mais baixas, subsidiadas pelo governo estadual, com o propósito de estimular o desenvolvimento regional. A Fomento Paraná estará presente no Mutirão da Cidadania em São José dos Pinhais com a Fomento Móvel, onde um agente de crédito da Agência do Trabalhador poderá dar todas as informações sobre as linhas de microcrédito.

Urbs e Estado discutem transporte coletivo O presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Junior, levou na quarta-feira (20) ao secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, a proposta para que a pesquisa de Origem e Destino (OD) do transporte coletivo, que já está em formatação em Curitiba, seja feita também na Região Metropolitana.  A realização da pesquisa é uma diretriz da Prefeitura que faz parte do plano de governo do prefeito Gustavo Fruet. A reunião foi solicitada na semana passada pelo presidente da Urbs, depois que o secretário manifestou, pela mídia, interesse na pesquisa. No encontro, o secretário demons-

trou interesse numa atuação em parceria para que a pesquisa seja feita não só em Curitiba, mas também na  RMC. A pesquisa de Origem e Destino permitirá conhecer de onde vêm e para onde vão os passageiros do transporte coletivo. Será uma ferramenta valiosa na área da mobilidade e no planejamento do transporte coletivo. Ao fornecer dados sobre dimensionamento de frota, linhas e horários, ela garantirá maior eficiência operacional, o que pode significar redução de custos. A pesquisa também será útil para diversas áreas do planejamento urbano e metropolitano.

Tanto Gregório quanto o secretário consideraram a reunião bastante positiva. “As soluções precisam ser construídas em conjunto com os diferentes atores sociais, o que naturalmente inclui o governo estadual”, afirmou Gregório ao final da reunião. O presidente da Urbs também convidou oficialmente o secretário para participar da comissão de avaliação da tarifa do transporte coletivo, criada pelo prefeito Gustavo Fruet para elaborar uma nova modelagem tarifária no transporte coletivo. O modelo atual dos cálculos da tarifa (disponíveis no site da Urbs) foi definido por edital de licitação do transporte,

lançado no final de 2009, com a contratação dos consórcios operadores em 2010. O secretário, disse Gregório, manifestou interesse na participação do governo. Da comissão já participam Ministério Público, Dieese, Sindicato dos Engenheiros do Paraná e Câmara Municipal. Além destas instituições, também representantes de movimentos populares na área de transporte coletivo terão representação na comissão. As reuni~ies são abertas à comunidade e a próxima deverá acontecer na segunda-feira, a partir das 8h30 no auditório da Urbs, que fica na Rodoviária.


Geral/Estadual Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A3

Aroldo MuráG.Haygert

Moraes, que foi atriz de grande valor nos palcos e depois consolidou-se com doutorado em Letras e no magistério universitário. Ela coordena o Núcleo Cultural da PUCPR. aroldo@cienciaefe.org.br

CAI POR TERRA ACUSAÇÃO AO PAPA FRANCISCO Do atento leitor, jornalista e cineasta Frederico Fullgraf chega o material que segue, com declarações do padre Jalics, isentando o novo papa, Francisco (cardeal Jorge Mário Bergolio), de qualquer culpa em sua prisão e de outro padre, torturados pelo regime militar argentino nos anos 70s. A declaração foi publicada na quarta, 20, na página web do Canal N-TV, da Alemanha. A tradução é do próprio Fullgraff, que adiciona suas observações e comentários sobre o assunto tão explorado prela mídia internacional. A propósito: Perez de Esquivel, Prêmio Nobel da Paz (1980) foi recebido ontem pelo papa Francisco, no Vaticano. Ele também fez declarações favoráveis a Bergoglio, igualmente isentando-o de participação na prisão de dois padres jesuítas, um deles, Jalics.

Igreja, documentados em vários livros, na Argentina – “Todo que a si mesmo se exaltar será humilhado, aquele porém que se humilhar será exaltado”. Chama atenção, em segundo lugar, a diferença entre a primeira e a segunda declaração do Padre Francisco Jalics. O que não se entende é, se já no final da década de 1990, como afirma claramente, ele percebera que sua suspeita do Padre Bergoglio não tinha fundamento, por que, ainda agora, após o Conclave em Roma, saiu-se com a frase “não Frederico Fulgraff. me sinto em condições de julgar a atuação do P. Bergoglio naqueles eventos”. Tudo bem, o Padre Jalics está com 86 anos de vida, tem direito a esquecer-se de muita coisa, mas sua guinada em defesa do Papa é algo curiosa – uma articulação iniciada pelo Vaticano, ou dor de consciência do próprio Jalics? Novos mistérios nos assaltam. Finalmente, se Jalics já na década de 1990 mudara de percepção e opinião a respeito do então Arcebispo Jorge Bergoglio, configurava notícia que não poderia ser ignorada durante as pesquisas de Verbitzky para seu livro “El Silencio”, publicado apenas em 2005. Com o novo depoimento do Padre Jalics cai por terra um dos fortes argumentos contra o Papa e, apesar de ter conseguido provar com documentos da Cancilleria (o Itamaraty argentino) o comprometimento da Igreja com a ditadura, no caso do Papa, Verbitzky fica mal parado. Abraços, Frederico”.

Eis a notícia, e observações de Fullgraff: “Aroldo, segue um furo de reportagem, publicado na página web do canal n-tv da Alemanha, nesta quarta-feira, dia 20 de março, que anexo, traduzido, para você e seus leitores. Por que essa notícia sai na Alemanha? Porque o Padre Francisco Jalics, apontado pelo jornalista argentino Horácio Verbitzky como um dos dois padres (o outro era o já falecido padre Orlando Yorio) “denunciados” à junta militar argentina pelo então Bispo Jorge Bergoglio, agora Papa Francisco I, há mais de 20 anos vive numa casa de exercícios por ele mesmo fundada, na localidade de Wilhelmsthal, Distrito de Kronach, norte da Baviera. A respeito, permito-me fazer algumas observações. A primeira é que não há dúvidas sobre o papel obscuro, omisso, da instituição Igreja durante a ditadura militar argentina, que assassinou 30 mil seres humanos, e sequestrou aproximadamente 800 bebês de militantes grávidas, presas, configurando um dos mais macabros e abjetos atos de lesa-humanidade dos tempos modernos. Pessoalmente, torço para que, em momento propício, o Papa peça perdão sincero às vítimas e seus familiares por aqueles graves desvios de conduta da A Reportagem da web do Canal N-TV, da Alemanha, em 20-3-13:

Não houve traição durante a ditadura Tradução F.Fulgraff.

Vincenzo Pinto/AFP

“Qual era o grau de intimidade entre o [então Padre Jorge Bergoglio] e o antigo regime militar em sua terra natal? É a pergunta que insiste em acompanhar o recém-eleito Papa desde a sua nomeação. Subitamente, contudo, ninguém menos e melhor credenciado do que um dos padres supostamente “denunciados” pelo agora Papa, rompe brevemente o silêncio, e defende Francisco I de toda e qualquer suspeita. O padre jesuíta, Franz “Francisco” Jalics, antigo preso político da junta militar argentina, esclareceu que o recém-entronizado Papa não o denunciou: “Estes são, pois, os fatos: Orlando Yorio e eu não fomos denunciados pelo Padre Bergoglio”, declarou Jalics. À época da detenção de Jalics e Yorio, Bergoglio era o Secretário Provincial dos Jesuítas na Argentina. Poucas horas após a eleição do Papa, nos meios de comunicação circularam conjeturas sobre a suposta conduta equivocada de Bergoglio durante a ditadura argentina. De acordo com as suposições, o agora Papa não se teria empenhado suficientemente para defender seus irmãos de Ordem, que tinham passado meses em cativeiro, onde foram torturados. “Anos atrás, eu mesmo tendia à suposição de que tínhamos sido vítimas de uma denúncia”. [Nota do tradutor: Jalics e Yorio faziam trabalho pastoral numa favela na periferia de Buenos Aires, o que lhes custou a acusação de colaborar com a guerrilha de esquerda dos

Reuters TV

Padre defende Papa Francisco

Papa Francisco

Montoneros]. “No final da década de 1990, porém, depois de muitas conversas que mantive, ficou claro para mim que minha suposição não tinha fundamento”, afirma Jalics, agora. Na semana após o Conclave no Vaticano, o jesuíta havia publicado uma declaração, que soava e foi interpretada de forma diferente: “Não me sinto em condições de me posicionar sobre o papel do Padre Bergoglio naqueles eventos”, Jalics dissera entre outras coisas. O Vaticano, por sua vez, rebatera energicamente as ilações estabelecidas entre o atual Papa Francisco I com a ditadura militar (1976-1983), taxando-as de campanha de difamação. Entrementes, [o padre] Yorio faleceu, e Jalics vive numa casa de exercícios [espirituais], na localidade de Wilhelmsthal (Distrito Kronach), da Francônia Superior [Estado da Baviera], por ele fundada. De acordo com informações da ordem dos Jesuítas [na Alemanha], Jalics encontra-se em visita à Hungria, sua terra natal.

Beatificação de vítimas da ditadura

[Novos] argumentos para o desagravo do Papa chegaram também da Argentina. Em maio de 2011, como Presidente da Conferência Nacional dos Bispos da Argentina, Bergoglio teria sugerido a Beatificação de três vítimas da ditadura militar, afirmou o vigário franciscano, Frei Horacio Zabala. As vítimas a que se referia o então Arcebispo de Buenos Aires, eram os sacerdotes católicos Carlos de Dios Murias e Gabriel Longueville, além do leigo, Wenceslao Pedernera, assassinados em 1976.”

Perez de Esquivel

O LIVRO DE MÁRCIO PROMOVE ENCONTRO DE GERAÇÕES

Foto de Daniel Snege

Foto de Daniel Snege

Nem as baixas temperaturas impediram que 150 pessoas saíssem de suas casas na noite da última terça-feira, 19 de março, para prestigiar o lançamento de Golegolegolegolegah!, livro Encontro marcado: Marcio Renato dos Santos e os de contos de escritores-editores Roberto Gomes e Fábio Campana Marcio Renato dos Santos, publicado pela Travessa dos Editores. Foi um encontro de gerações. O casal Leila Pugnaloni e Jaime Lechinski transitava no mesmo espaço no qual roqueiros como Fábio Elias e Oneide Diedrich trocavam ideias com os designers Robson Vilalba e Osvalter Urbinati. Até o filósofo e escritor Roberto Gomes apareceu. O Museu Guido Viaro anuncia: foi o evento que mais movimentou dinheiro com venda de livro. Um marco. O escritor Fábio Campana acompanhou o evento até o encerramenMestre Hélio Puglieli prestigiou o lançamento de to, por volta Golegolegolegolegah! das 22 horas.

Escritores-jornalistas, como Luis Henrique Pellanda, Luiz Rebinski Jr, Guilherme Magalhães, Renan Machado, Guilherme Sobota e Lucas Rufino também marcaram presença, além da diretora do MON, Estela Sandrini, do diretor do MIS-PR, Fernando Severo e do proprietário do Torto Bar, Arlindo Ventura, conhecido como Magrão. Chamou atenção a presença do jornalista Guilherme Voitch, que provocou polêmica nas páginas da Gazeta do Povo recentemente ao criticar a cena cultural de Curitiba. Enfim, um lançamento plural, que atraiu personagens de variadas gerações e pontos de vista.

Empreendedor do Ano

A Ernst & Young Terco anuncia os finalistas do Empreendedor do Ano 2013, prêmio que há 15 anos reconhece os empreendedores que mais se destacam no Brasil. A cerimônia de entrega da premiação está marcada para o dia 11 de abril, em São Paulo, quando serão anunciados os vencedores das categorias Emerging e Master. A pergunta que não cala: em ambas as categorias, no entanto, não há presença de nenhuma empresa do Paraná. Estaríamos com falta de empreendedores ou os paranaenses são tímidos e avessos ao reconhecimento?!

MARIA COMNINOS

Maria Comninos é educadora tempo integral. Sua contribuição à formação de gerações, a partir do Colégio Estadual do Paraná, na UFPR e depois na PUCPR, é enorme, quase impossível mensurar. Os frutos do trabalho de Maria (esposa de Constantino Comninos) estão espalhados pelo Brasil, em homens e mulheres que vivem as mais diversas atividades profissionais. E os parabéns foram ontem para ela, que, com outras paranaense, foi homenageada pela Associação Comercial (em parceria com a BPW) no Teatro Fernanda Montenegro. Recebeu título de Destaque Mulher 2012. Justíssimo.

MARIA COMNINOS (2)

Os que têm boa memória da vida cultural do Paraná sabem que Maria abriu a cabeça de muita gente, homens e mulheres que com ela foram introduzidas à cultura grega, a partir de encenações de antológicas tragédias, no auditório do Estadual. Desse trabalho revelaram-se nomes como Martha

SOLTEIRO NA PRAÇA

Não estão mais namorando o arquiteto Jaime Lerner e Maylin Ling, que preferiram ficar, apenas, como ‘bons amigos’. Livre e desimpedido, o urbanista ampliaou seus périploes internacionais.

O ATENTO PESSOA E A PROPGANDA DO HSBC

Outro atentíssimo amigo da coluna é Carlos Alberto Pessoa, o Nego Pessoa. Ontem ele me telefonou, estava em plena Boca Maldita. Para protestar contra o que classificou de ‘erro crasso’, em cartazes, banners e outras peças publicitárias do HSBC expostas na Av. João Pessoa. Ele contabilizou “14 erros”, com textos, todos, começando assim: “No futuCarlos Alberto Pessoa ro, não haverá a cadeia alimentar...” Todos insistindo numa vírgula que, aponta Pessoa, não cabe, de jeito nenhum, nessas situações. Sempre um uma vírgula em excesso depois de “No futuro,”.

OPINIÃO DE VALOR

“FRANCISCO MUDARÁ A LINGUAGEM DA IGREJA”,GARANTE O SOCIÓLOGO FERRAROTTI

Um pastor corajoso e comunicativo, capaz de se expressar de forma simples, descarregando, porém, nessa linguagem a sua grande cultura. “Este papa tem um estilo inédito. Batizou um novo sistema de comunicação que mudará a linguagem da Igreja”, entusiasma-se Franco Ferrarotti. , o sociólogo italiano derrepercussão mundial: A reportagem é de Marida Lombardo Pijola, publicada no jornal Il Messaggero, 18-03-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto (IHU). A simplicidade verbal de João XXIII, capaz de usar palavras que vinham do coração. A cultura profunda de Ratzinger, capaz de analisar com densidade teológica os desafios da Igreja e de reuni-los em três encíclicas magistrais. O carisma de Wojtyla, capaz de se comunicar também através de grandes gestos proféticos. De acordo com o retrato traçado por um grande sociólogo como Franco Ferrarotti, o papado de Bergoglio marcará uma reviravolta. Eis a entrevista. O senhor conhece muito bem o mundo sul-americano. O que o Papa Francisco traz, desse mundo, no seu modo de se comunicar? Ele vem dos países em cujas ruas vagam os meninos de rua. É um papa da estrada. Quer caminhar pelas periferias, quer o contato com as pessoas, pede para diminuir a sua escolta. Ele não tem medo de se misturar com a multidão, nem de eventuais atentados, apesar dos perigos objetivos, apesar do que aconteceu com o seu antecessor, João Paulo II. Ele saúda dizendo “bom dia”, “boa noite”, “bom almoço”. Ele diz: “Quero-lhes bem” aos jornalistas”. O que o senhor acha? Acho extraordinário. Ele rompeu uma tradição de retórica ciceroniana, no estilo comunicativo da Igreja. Ele evita a busca da frase bonita, do estilo áulico, que sempre se coloca como uma diafragma entre quem fala e quem ouve, e que não permite ir ao encontro da multidão. É um papa culto, assim como todos os jesuítas, mas não é professoral. Sabe usar a linguagem popular, mas sabe trazer para dentro dela toda a sua cultura teológica e filosófica. O senhor acredita que é uma estratégia comunicativa ou é a sua forma espontânea de entrar em contato com os fiéis? Eu acho que ele consegue ir ao encontro do sentimento popular, mesmo deixando intactas as imperfeições desse tipo de comunicação. Mas a sua simplicidade não é afetação, não é exibida, nem ostentada. Ele é tão bem preparado que pode se permitir uma linguagem simples, sem simplificações, popular sem populismos. Como reage, segundo o senhor, quem o ouve? Sente-se à vontade. O seu comportamento é o oposto em comparação com o do papa professor, que se ergue em cima de uma cátedra, de uma altura superior ao do povo da Igreja. Ele desce ao nível dos fiéis e, de fato, é capaz de cair até abaixo. De se ajoelhar e se curvar diante deles. Por que, segundo o senhor, ele nunca se autodefine como papa, mas como bispo de Roma? Isso, para mim, é outro talento. Significa que ele entende a Igreja como realidade de base. Ele tem a autoridade e a preparação para falar com todo o mundo, mas tem vínculos muito sólidos com o território. É um “G-local”, como se diz hoje. Global e local ao mesmo tempo.

CARTAS (correspondências para a coluna: aroldo@cienciaefe.org.br)

VILANOVA ARTIGAS Haygert: nossas elogiosas referências ao gesto preservacionista do arq. Marcos Bertoldi ao salvar a casa modernista do Vilanova Artigas, e também a competente escritora e advogada Claudia Bório com sua Oficina de Escrita Criativa naquele espaço cultural. Henrique Paulo Schmidlin, Viamina, Curitiba.

PROFESSOR BALDIN Expresso meus sentimentos pelo falecimento do dedicado professor e homem de Fé, Agostinho Baldin. Minha solidariedade e orações á família e amigos, Meu Fraterno Abraço, na força do Ressuscitado, Ir. Jorge Tarachuque, C.Ss.R, Paramaribo SURINAME

PROFESSOR BALDIN (2) Caros familiares do Professor Agostinho, Só tomei conhecimento do e-mail abaixo pouco antes das 16 horas de hoje, motivo que impediu-me de prestar-lhe uma última homenagem. Como meus irmãos Diomário, Enéas e Lafaiete, fui aluno e pupilo do “Professor Nicanor” no Ginásio Frei Rogério, de

Joaçaba, na década de 1960. Dele guardo um profundo respeito e admiração, pois foi um Mestre inesquecível, que desempenhou papel fundamental em minha formação. Apesar da tristeza do momento, alegro-me por com ele ter convivido (não obstante o temor que dele tínhamos quando era o Diretor do ginásio) e por saber que, além do conhecimento, semeou bons frutos entre nós, deixando generosa família. Com meus melhores sentimentos, Luiz Fernando de Queiroz, advogado, Curitiba.

PROFESSOR BALDIN (3) Se o professor Agostinho Baldin tivesse sido um jogador de futebol, um ator de televisão ou cantor de rock ou MPB, estaria sendo pranteado neste país, de Norte a Sul. Mas graças a Deus ele foi um educador exemplar. Por isso, sua morte é registrada – e sentida – apenas por pessoas que têm compromisso com o futuro do ser humano, tema em torno do qual girou a vida do educador Baldin. Márcio Meira Brasil Jr., Curitiba, empresário.


MundoEMPRESARIAL

ESPAÇO CORPORATIVO

www.icnews.com.br Emelin Leszczynski emelin@induscom.com.br

Indústria&Comércio

Curitiba, sexta-feira, 22a24 de março de 2013 | A4

Country Festival 2013 supera expectativas O ritmo sertanejo, sucesso absoluto hoje em dia, reuniu milhares de pessoas no último sábado (16), na sétima edição do Country Festival, realizada na Arena Expotrade Pinhais. O maior evento sertanejo de um só dia do Paraná, organizado pela CWB Brasil e World Show, não foi abalado pela chuva que caiu durante a tarde, e muito menos pela baixa temperatura, típica da capital paranaense. Pelo contrário, o público lotou o espaço a cada minuto, chegando a 50 mil pessoas. E, quero deixar aqui, meu respeito e admiração pelos organizadores do evento que esse ano se superaram e surpreenderam muita gente. Fiz questão de andar não só pelo backstage, mas pelos camarotes, espaço vip, e pela pista, para sentir o que o público achou da festa.  E claro não podia deixar de falar do jornalista competente que é o Pierpaolo que fez um belo trabalho. Parabéns. Sucesso para 2014. Confiram alguns cliques de Emelin Leszczynski, e Divulgação.

Os ex-bbb Domini e Anamara com o cantor Gustavo Lima.

Jorge e Mateus

Emelin Leszczynski e seu noivo Valter Branzin II.

Rafaela Quintana e seu namorado

O evento contou com mais de 50 mil pessoas.

Maria Cecilia e Rodolfo.

Munhoz & Mariano e Dicésar

Gusttavo Lima e João Guilherme Leprevost

ESPAÇO CORPORATIVO

Inspirado no requinte e na simbologia do vinho, os irmãos Igor e Winnetou Lissa inauguram na última quarta-feira (18), o Tudor Wine & CO, um wine bar com estilo renascentista, especializado na arte da degustação de queijos e vinhos, ideal para reunir aqueles que sabem que bom gosto é essencial. A carta de vinhos terá cerca de 70 rótulos. Outra opção é levar o rótulo de sua preferência, desde que este não conste na carta de vinhos da casa. O valor de rolha custa R$ 50,00. Na gastronomia, combinados de tábuas de queijos estão disponíveis para harmonização. A casa têm capacidade para 85 pessoas. O Tudor Wine & Co. fica na Av. Nossa Senhora Aparecida, nº 10, no Batel.

Emelin Leszczynski

Apreciadores de vinho ganha novo espaço na capital paranaense

Os irmãos e proprietários do o Tudor Wine & CO, Igor e Winnetou Lissa.

Os jornalistas Luiz Xavier e Jussara Voss ladeiam a sommelier Tháis Ferrão.

O ator Leonel Pizani com a advogada Lorena Schwartz.

A jornalista e assessora de imprensa da casa Elis Cabanilhas Glaser recebe, Beatriz Carneiro e Vanessa Sanches.

Dani Fedrigo e Eunice Rocha.

O empresário Percy Glaser com o engenheiro automotivo Valter Branzin II.


Economia Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A5

Guido Mantega defende reforma tributária para aumentar competitividade

transferências bancárias

Valor mínimo da TED é reduzida para R$ 1 mil Com a Transferência Eletrônica Disponível, valor é depositado no mesmo dia A partir desta sexta-feira (22/03), o valor mínimo para a realização de uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) cai de R$ 2 mil para R$ 1 mil, informou na quinta-feira (21/03) a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). De acordo com Febraban, os “clientes pessoas físicas e jurídicas terão acesso ampliado a um meio prático, ágil e seguro de realizar transferências de recursos entre bancos diferentes”.

A TED faz com que o crédito entre na conta do destinatário no mesmo dia em que a transferência é solicitada. Em outras formas de movimentação financeira, como o Documento de Crédito (DOC), é preciso aguardar pelo menos um dia para a conclusão da operação. Segundo a Febraban, os bancos estabelecem um valor mínimo para esse tipo de transferência para evitar que a TED gere uma

demanda em excesso e sobrecarregue os sistemas de pagamento e de compensação das transações financeiras. De acordo com a federação, investimentos em tecnologia na rede de comunicações entre os bancos permitiram a redução sucessiva desses limites nos últimos anos: de R$ 5 mil para R$ 3 mil em 2010, para R$ 2 mil em novembro de 2012 e, agora, para R$ 1 mil. Para transferências interban-

cárias abaixo de R$ 1 mil, os clientes podem recorrer aos DOCs, que têm valor limitado a R$ 5 mil por transação. A Febraban informou ainda que as tarifas cobradas para a realização de TED variam de banco para banco, conforme a política comercial de cada um. Os preços das tarifas podem ser consultados no Sistema de Divulgação de Tarifas de Serviços Financeiros da Febraban.

Desonerações de imposto devem chegar a R$ 55 bilhões em 2014, calcula ministro As desonerações para estimular a economia devem chegar a R$ 55,45 bilhões em 2014. Os números foram apresentados na quinta-feira (21/03) pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante audiência na Comissão de Assunto Econômicos do Senado (CAE) que debate a reforma do ICMS interestadual. Em 2013, o valor é estimado em R$ 50,70 bilhões, ante R$ 46 bilhões no ano passado. O ministro defendeu durante a audiência as mudanças na cobrança dos tributos e também apresentou dados que mostram o esforço do governo federal para enfrentar a crise econômica com solidez fiscal. Ele ainda tratou do combate à inflação, entre outros temas. “Nos últimos anos, a meta nunca foi descumprida e assim continuaremos, de modo que não venha (a inflação) atrapalhar o consumo, o crescimento e traga intranquilidade”, disse. A equipe econômica acha crucial a aprovação de uma reforma

Antonio Cruz/ABr

O ministro da Fazenda defendeu a manutenção das desonerações e a reforma dos principais tributos

nos impostos para incrementar o crescimento, com aumento da competitividade. Neste momento, está sendo discutida a reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para que seja votado o projeto de resolução do Senado que unifica as alíquotas desse imposto. Até o início desta semana, a

votação estava prevista para a próxima terça-feira (26/03) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE). Mas o relatório, segundo o presidente da comissão, Lindbergh Farias (PT-RJ), deverá ser apresentado no dia 16 de abril. A expectativa é que vá ao plenário até maio, já que a resolução

precisar ser aprovada antes de junho, quanto termina o prazo de vigência da Medida Provisória 599, que dispõe sobre a prestação de auxílio financeiro da União aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios, com o objetivo de compensar perdas de arrecadação decorrentes da redução das alíquotas.

FOSFOREIRA BRASILEIRA S. A.

N.I.R.E. 41.300.050.902

C.N.P.J.: 78.141.926/0001-94

RELATÓRIO DA DIRETORIA Senhores Acionistas: Em cumprimento às determinações legais, apresentamos para apreciação de V. Sas. o Balanço Patrimonial e correspondentes Demonstrações de Resultado, das Mutações do Patrimônio Líquido e do Fluxo de Caixa relativos aos exercícios financeiros findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, acompanhadas das respectivas notas explicativas. Colocamo-nos à disposição dos senhores para quaisquer esclarecimentos adicionais julgados necessários. A Administração Irati, 11 de março de 2013

BALANÇO PATRIMONIAL

(valores em reais) ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades e Aplicações Financeiras Contas a receber Estoques Impostos a recuperar Outras contas a receber Despesas do exercício seguinte

2012

2011

179.580 0.090.107 3.235.632 139.323 110.757 68.122 13.823.522

409.166 8.901.037 2.695.529 174.969 95.852 -----------------------------------12.276.553

21.345 21.345

47.451 47.451

NÃO CIRCULANTE REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Depósitos judiciais ATIVO PERMANENTE Imobilizado Intangível TOTAL DO ATIVO

11.250.795 34.104 11.284.899

11.543.995 14.471 11.558.466

25.129.766 -----------------------------

23.882.470 -----------------------------

PASSIVO CIRCULANTE Empréstimos e Financiamentos Fornecedores Impostos, contribuições e encargos sociais Outras contas a pagar Provisões a pagar Provisão para contingências Dividendos a pagar NÃO CIRCULANTE EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Provisão para contingências PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social realizado Reservas Reservas de Lucros TOTAL DO PASSIVO

2011

Receita Bruta de Vendas de Produtos

36.804.587

35.065.131

(-) Deduções da Receita Bruta

(5.408.454)

(5.280.774)

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

31.396.134

29.784.357

Custo dos Produtos Vendidos LUCRO BRUTO

(21.902.598) (20.086.796) 9.493.535

9.697.561

RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS: Despesas comerciais e administrativas (4.510.602) Resultado financeiro líquido 104.384 Outras receitas e despesas operacionais (381.001)

(3.890.354) 262.056 (3.215)

4.706.316

6.066.047

(1.654.285)

(1.463.295)

3.052.031

4.602.752

9,68

14,60

LUCRO OPERACIONAL Imposto de renda e contribuição social Lucro líquido do exercício Lucro por lote de mil ações - R$ Quantidade de ações ao final do exercício

2011

3.082.745 1.135.399 1.333.151 4.675 851.645 1.387.874 1.359.988 9.155.476

931.525 1.159.063 1.107.325 48.350 320.203 1.387.874 1.393.332 6.347.672

-

-

10.306.043 545.200 5.123.047 15.974.290 25.129.766 -----------------------------

10.306.043 555.007 6.673.748 17.534.798 23.882.470 -----------------------------

DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 2012

2012

315.282.442 315.282.442 ------------------------------ ------------------------------

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro líquido do exercício Depreciações e amortizações Redução (aumento) dos ativos operacionais Contas a receber de clientes Estoques Impostos a recuperar Outras contas a receber Despesas do exercício seguinte Depósitos Judiciais Aumento (redução) dos passivos operacionais Fornecedores Obrigações sociais, trabalhistas e tributária Dividendos a pagar Provisões e outras contas a pagar Outras contas a pagar Disponibilidade líquida geradas pelas atividades operacionais FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Lucros distribuidos/pagos Empréstimos e Financiamentos Disponibilidades líquidas das atividades financeiras FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Imobilizado Disponibilidades líquidas das atividades de investimentos REDUÇÃO NO SALDO DE CAIXA E EQUIVALENTES No início do exercício No final do exercício

2012

2011

3.052.031 1.321.917

4.602.752 1.174.239

(1.189.070) (540.103) 35.646 (14.905) (68.122) 26.106

411.324 (28.304) 36.794 1.650.837

(23.664) 225.826 (33.344) 531.441 (43.675) ------------------------3.280.084

117.946 (135.736) (1.278.011) (871.605)

349.504

------------------------6.029.740

(4.612.540) (4.926.337) 2.151.219 (254.371) (2.461.320) (5.180.708) (1.048.350) (681.469) ---------------------------------- ---------------------------------(1.048.350) (681.469) (229.587) 167.563 --------------------------------- --------------------------------409.166 241.603 179.580 409.166 --------------------------------- ---------------------------------

DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 Realização da reserva de reavaliação Lucro do Exercício Destinações: Dividendos distribuídos Constituição de reserva de retenção SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 Realização da reserva de reavaliação Lucro do Exercício Destinações: Dividendos distribuídos Constituição de reserva de retenção SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012

10.306.043 ----------------------------

Reserva de capital Incentivos fiscais 372.148 ----------------------------

Reserva de reavaliação

Reserva Legal

192.646 ---------------------------(9.787)

2.061.209 ----------------------------

Reserva de lucros Reserva de Retenção

372.148

182.859

2.061.209

---------------------------372.148

---------------------------173.052

(4.612.539)

4.612.539

(9.807)

---------------------------10.306.043

Total

4.926.337 --------------------------------------------------------------- ------------------------------9.787 4.602.752 (4.926.337) 4.612.539

10.306.043

Lucros acumulados

9.807 3.052.031

---------------------------2.061.209

(4.612.540) 3.061.838 (3.061.838) ---------------------------- ------------------------------3.061.837 (0)

17.858.383 ---------------------------4.602.752 (4.926.337) 17.534.798 ---------------------------3.052.031 (4.612.540) ---------------------------15.974.290 ----------------------------

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Empresa tem como objetivo principal a fabricação de fósforos de segurança e seus subprodutos associados e derivados. A Empresa também pode participar em outras sociedades. 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações contábeis estão sendo apresentadas em conformidade com as leis 6.404/76, 11.638/07 e 11.941/09 e foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil 2.1 Apuração do resultado - o resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência de exercício. 3. ESTOQUES Os estoques foram valorizados ao custo médio de aquisição ou produção, líquido de impostos recupéraveis e não superam o seu valor provável de realização 4 IMOBILIZADO Demonstrado ao custo de aquisição, formação ou construção. A depreciação é calculada pelo método linear a taxas que levam em conta o tempo de vida útil dos bens. O Imobilizado não supera o seu provável valor de recuperação. 5. PROVISÃO PARA CONTINGÊNCIAS A sociedade tem provisionado valores relativos a contingências fiscais e trabalhistas que na sua avaliação poderão vir a apresentar perdas futuras. 6. CAPITAL SOCIAL O capital social em dezembro de 2012 e 2011 está representado por 315.282.442

cmyk

ações ordinárias nominativas com valor nominal de R$ 0,032688 cada. 7. COBERTURA DE SEGUROS Os valores segurados são determinados e contratados com base técnicas e são considerados suficientes para cobertura de eventuais perdas decorrentes de sinistros com bens do ativo permanente e estoques. 8. INSTRUMENTOS FINANCEIROS Os valores contábeis, como por exemplo: aplicações financeiras, empréstimos, etc., referentes aos instrumentos financeiros constantes no balanço patrimonial, quando comparados com os valores que poderiam ser obtidos na sua negociação em um mercado ativo ou, na ausência destes, com o valor presente líquido ajustado com base na taxa vigente de juros no mercado, se aproximam, substancialmente, de seus correspondentes valores de mercado. Durante este exercício a Empresa não realizou operações com derivativos.

DIRETORIA

José Antonio Sarria Larco Rudy Artur Schnepper Robson Jose Gusso Guras Contador - CRC 054597/O-8

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, defendeu na quinta-feira (21/03) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) a manutenção das desonerações e a reforma dos principais tributos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e de PIS/Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), para aumentar a competitividade e manter a economia em crescimento. A sessão foi convocada para debater as mudanças no ICMS em uma tentativa de acabar com a guerra fiscal. “Temos tributos arcaicos que já cumpriram o seu papel. Eram adequados para o passado, mas não são mais”, disse Mantega. Mantega disse que mudanças no ICMS devem abrir portas para que os estados tenham mais arrecadação e modernizem suas economias. “A União não irá ganhar nada. Pelo contrário. Nós iremos entrar com os recursos (por meio de fundos para estudar os estados mais afetados com a reforma). Mas nós teremos a recompensa com mais crescimento e mais arrecadação (no futuro).” Antes, o ministro fez uma análise da atual situação da economia brasileira e mundial

para defender as mudanças que incluem a reforma nos impostos. O ministro destacou ainda o fraco desempenho do comércio internacional que, segundo ele, termina “irradiando” os efeitos negativos por toda a economia. Para o ministro, 2013 poderá ser um ano melhor para o Brasil com os sinais positivos vindos dos Estados Unidos e a melhora da situação da União Europeia. “Em 2013, esperamos um quadro um pouco melhor. As medidas adotadas pelo governo tem surtido efeito. A economia está caminhando ainda melhor no primeiro trimestre (deste ano) do que no quarto trimestre de 2012. Estamos em uma trajetória de gradual crescimento ante a crise que ainda não foi debelada. Mas essa crise exige uma série de medidas”, destacou para justificar as mudanças que incluem a reforma do ICMS. A votação do projeto de resolução do Senado que unifica as alíquotas do ICMS entre os estados ficou para abril, pois existem pontos que precisam ser negociados com os governadores. Até o início desta semana, a votação estava prevista para a próxima terça-feira (26/03) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE).

BNDES: alta de 39% nos desembolsos este ano indica retomada da economia Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos meses de janeiro e fevereiro deste ano somaram R$ 21,2 bilhões, de acordo com anúncio feito na quinta-feira (21/03) pela instituição. O aumento apurado na comparação com o primeiro bimestre do ano passado alcançou 39%. Na avaliação do BNDES, os resultados positivos “refletem o conjunto de medidas de estímulo ao investimento adotado pelo governo”, indicando retomada da atividade econômica. Segundo informou o banco, a indústria puxou a expansão dos desembolsos no período, com alta de 112%. O setor respondeu por 32% das liberações, que totalizaram R$ 6,9 bilhões. Os segmentos de máquinas e equipamentos, que tiveram incremento de 78%, e implementos agrícolas lideraram as liberações da linha de financiamento BNDES Finame, que atingiram R$ 10,2 bilhões, revelando elevação de 60% na comparação com os dois primei-

ros meses de 2012. Entre as medidas destacadas pelo banco como responsáveis pela retomada da atividade econômica, estão ampliação da oferta de crédito, taxas de juros competitivas do Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI) e além de desoneração tributária. Somente os desembolsos do BNDES PSI atingiram R$ 11 bilhões nos dois primeiros meses do ano, informou o banco. Outro fator que contribuiu para o desempenho do banco no período analisado foi o segmento de micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), que responderam por 47% das liberações totais da instituição no período, superando a participação das grandes empresas (45% do total). O BNDES avaliou que o valor desembolsado para esse segmento econômico (R$ 10 bilhões) foi recorde na análise bimestral para empresas de menor porte. O crescimento das liberações para as MPMEs alcançou 45,7%.

Vendas de materiais de construção crescem 2,8% no primeiro bimestre O faturamento da indústria de materiais de construção apresentou queda de 4,8% em fevereiro na comparação com janeiro. Com relação a fevereiro de 2012, houve ligeiro declínio: 0,7%. No acumulado do ano, no entanto, o faturamento aumentou 2,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados, divulgados na quinta-feira (21/03), são da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). “O resultado de fevereiro foi prejudicado pelo menor número de dias úteis. Por isso, nota-se que o resultado acumulado nos dois primeiros meses de 2013, comparado ao mesmo período do ano passado, foi inferior ao crescimento previsto para o ano”, comenta presidente da Abramat, Walter Cover. Em fevereiro, o faturamento dos materiais básicos - tijolos, telhas e canos, entre outros - apresentou queda de 7,8% em relação ao mês anterior. Na comparação com fevereiro de 2012, apresentou declínio de 2,6%. No acumulado dos dois primeiros meses, houve

crescimento de 1,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Já o faturamento dos materiais de acabamento apresentou crescimento de 2,6% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês de janeiro ficou estável. No acumulado do primeiro bimestre, houve crescimento de 4,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A estimativa de crescimento do setor em 2013 é 4,5%, segundo a Abramat. No entanto, a previsão é baseada na manutenção da política de estímulo ao consumo das famílias e da manutenção dos níveis de emprego e renda. A entidade ressalta que, além disso, a estimativa só será efetivada se houver medidas de estímulos como a desoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pelos estados e o aumento dos investimentos em infraestrutura, como as previstas nas concessões de rodovias, portos e aeroportos.


Publicidade Legal Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A6 | Indústria&Comércio

TVA SUL PARANÁ S.A. CNPJ 84.938.786/0001-82 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Cumprindo às disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras e o Parecer dos Auditores Independentes, relativos aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011. Finalmente, a administração da TVA SUL PARANÁ, S.A. agradece aos acionistas, clientes e instituições financeiras pelo apoio e confiança depositados, em especial aos funcionários, pela dedicação e esforços empreendidos. A Diretoria BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) ATIVO ATIVO CIRCULANTE Caixas e equivalentes de caixa Contas a receber, líquidas Estoques Tributos a recuperar Créditos com partes relacionadas Outros ativos ATIVO NÃO CIRCULANTE Depósitos e bloqueios judiciais Imobilizado, líquido Intangível, líquido

Nota 31.12.12 31.12.11 _____ _______ _______ 2.178 _______ 8.861 _______ 4 892 3.713 5 713 446 6 228 3.982 7 200 213 23 8 8 137 507 41.327 _______ 37.909 _______ 9 32.274 30.086 10 8.927 7.584 11 _______ 126 _______ 239

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO PASSIVO CIRCULANTE Pessoal, encargos e benefícios sociais Fornecedores Impostos, taxas e obrigações Empréstimos e financiamentos Receitas diferidas Obrigações com partes relacionadas Outras obrigações PASSIVO NÃO CIRCULANTE Empréstimos e financiamentos Provisões para demandas judiciais Outras obrigações PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Reservas de lucro Prejuízos acumulados Total do passivo e patrimônio líquido

_______ _______ 43.505 _______ 46.770 _______ _______ _______ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Total do ativo

Nota 31.12.12 _____ _______ 9.522 _______ 12 803 2.979 13 278 14 449 535 23 34 16 4.444 28.798 _______ 14 861 15 27.804 16 133 17 _______ 5.185 10.551 (5.366) _______ 43.505 _______

31.12.11 _______ 11.183 _______ 623 3.816 423 86 671 862 4.702 26.622 _______ 302 26.287 33 8.965 _______ 8.551 636 (222) _______ 46.770 _______

Em 31 de dezembro de 2010 Lucro líquido do exercício Em 31 de dezembro de 2011 Aumento de capital Prejuízo do exercício Absorção de prejuízos acumulados Em 31 de dezembro de 2012

Total do patrimônio líquido _______________________ 8.762 203 _______________________ 8.965 2.000 (5.780) _______________________5.185 _______________________

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 1. A COMPANHIA E SUAS OPERAÇÕES A TVA Sul Paraná S.A. (TVA Sul ou Companhia), constituída em 28 de novembro de 1991, é uma companhia de capital fechado, com sede na Rua Martha Kateiva de Oliveira, 319 na capital do Estado do Paraná. Em 31 de dezembro de 2012, a GTR-T Participações S.A. (GTR-T) possuía participação de 20,7%, (sendo 41,42% nas ações ordinárias) e a Telefônica Brasil S.A. (Telefônica Brasil) possuía 79,3% (sendo 58,58% nas ações ordinárias e 100% nas ações preferenciais) de participação no capital da Companhia. Em 31 de dezembro de 2011, a GTR-T possuía participação de 25,5%, (sendo 51% nas ações ordinárias) e a Telefônica Brasil possuía 74,5% (sendo 49% nas ações ordinárias e 100% nas ações preferenciais) de participação no capital da Companhia. A Companhia tem o objetivo principal (i) a prestação de serviços de televisão por assinatura por cabo; (ii) a prestação de serviços de telecomunicações em geral; (iii) a produção, aquisição, licenciamento, importação, exportação e distribuição de programas de televisão próprios ou de terceiros; (iv) a importação de equipamentos, de peças de reposição, de software e demais produtos ou serviços necessários para a construção, instalação, manutenção, ampliação, atualização, gerenciamento e operação de plataformas para a prestação de serviços de televisão por assinatura e de telecomunicações em geral; (v) a exploração industrial de infraestrutura e plataformas de telecomunicações; (vi) a exploração de propaganda e publicidade em todas as suas modalidades; (vii) a prestação de serviços de provimento de acesso à internet, bem como de transmissão de dados, áudio e vídeo; (viii) a criação, gestão e comercialização de bancos de dados; (ix) a edição de periódicos; (x) a participação em outras sociedades; (xi) a prestação de serviço de cobrança; (xii) assistência técnica; e (xiii) instalação e manutenção de equipamentos para prestação de serviços de telecomunicações. 2. BASE DE ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras da Companhia para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 são apresentadas em milhares de reais (exceto quando mencionado de outra forma) e foram preparadas no pressuposto da continuidade normal dos negócios da Companhia. As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com os pronunciamentos, interpretações e orientações do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), observando as diretrizes contábeis emanadas da legislação societária (Lei nº 6.404/76) que incluem os novos dispositivos introduzidos, alterados e revogados pelas Leis nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007 e nº 11.941, de 27 de maio de 2009. A Companhia adotou todas as normas, revisões de normas e interpretações emitidas pelo CPC que estavam em vigor em 31 de dezembro de 2012. A autorização para conclusão da preparação destas demonstrações financeiras ocorreu na reunião de diretoria realizada em 21 de fevereiro de 2013. 3. RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a) Caixa e equivalentes de caixa: incluem caixa, saldos positivos em conta movimento, aplicações financeiras resgatáveis no prazo de 90 dias das datas da contratação, correspondendo basicamente a Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) baseados na variação da taxa dos Certificados de Depósitos Interbancários (CDI) com liquidez imediata e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado (nota 4). b) Contas a receber, líquidas: estão avaliadas pelo valor dos serviços prestados, de acordo com as condições contratadas e ajustadas pelo montante estimado de eventuais perdas pela falta de pagamento. A provisão para redução ao valor recuperável é constituída com base em montante suficiente para cobrir eventuais perdas e considera principalmente o tempo médio de inadimplência (nota 5). c) Saldo e transações em moeda estrangeira: a moeda funcional da Companhia é o Real. As transações em moeda estrangeira foram convertidas para reais com base nas taxas de câmbio em vigor nas datas das transações. Os ativos e passivos em moeda estrangeira foram convertidos pela taxa de câmbio na data do balanço. As variações cambiais decorrentes das operações em moeda estrangeira foram reconhecidas no resultado como receita ou despesa financeira. d) Estoques: os estoques são demonstrados pelo custo médio de aquisição ou pelo valor realizável, líquido, dos dois o menor. Compreende os materiais destinados a consumo, manutenção ou revenda (nota 6). e) Imobilizado líquido: é demonstrado pelo custo de aquisição, formação e/ou construção, deduzidos da depreciação acumulada e de perdas por desvalorizações acumuladas, se aplicáveis. Os custos do ativo são capitalizados até o momento em que esteja nas condições previstas para sua entrada em operação. A depreciação é calculada pelo método linear. As taxas de depreciação utilizadas estão de acordo com a expectativa de vida útil dos bens. As principais taxas aplicadas estão demonstradas na nota 10. f) Intangível líquido: é demonstrado pelo custo de aquisição e/ou formação, deduzido da amortização acumulada e de perdas por desvalorizações acumuladas, se aplicáveis. A amortização é realizada pelo método linear para ativos intangíveis de vida útil definida com base no prazo de vida útil estimada. Ativos intangíveis de vida útil indefinida não são amortizados, sendo realizado teste de recuperabilidade anualmente ou quando existam indícios de que o valor contábil possa não ser recuperável. A taxa aplicada está demonstrada na nota 11. g) Análise de recuperabilidade de ativos: a Administração revisa pelo menos anualmente o valor contábil líquido dos ativos (incluindo entre outros, imobilizado, ágios e intangível) com o objetivo de avaliar eventos ou mudanças nas circunstâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas, que possam indicar deterioração ou perda de seu valor recuperável. Quando tais evidências são identificadas, ou anualmente para os ágios conforme requerido é estimado o valor recuperável, como o maior valor entre o valor justo menos custos de venda e o valor de uso. Para determinar o valor de uso, são considerados os fluxos de caixa futuros gerados através do uso do ativo ou de sua unidade geradora de caixa, conforme o caso corresponda, os quais são descontados a valor presente utilizando uma taxa de desconto antes de impostos que reflita as condições de mercado atuais para o valor do dinheiro ao longo do tempo e os riscos associados ao ativo específico. Quando o valor contábil líquido excede o valor recuperável, é constituída provisão para deterioração ajustando o valor contábil líquido ao valor recuperável. h) Imposto de renda e contribuição social: o imposto de renda pessoa jurídica e a contribuição social sobre o lucro são registrados pelo regime de competência e estão apresentados no balanço patrimonial, líquidos dos valores recolhidos por antecipação ao longo do exercício. Créditos tributários decorrentes de diferenças temporárias e prejuízos fiscais somente são reconhecidos com base na expectativa de lucros tributáveis futuros, suportada por estudos e projeções. No encerramento das demonstrações financeiras, estes créditos não foram reconhecidos por não haver expectativa de realização. i) Provisões para demandas judiciais: são determinadas com base na avaliação da Administração e contemplam diversos processos administrativos e judiciais. As provisões são reconhecidas no balanço patrimonial para aquelas situações classificadas, à data das demonstrações financeiras, como grau de risco provável de desembolso futuro. j) Reconhecimento das receitas: as receitas pertinentes aos serviços prestados são contabilizadas pelo regime de competência com base nos valores contratados. As receitas diferidas compreendem a parcela do faturamento para a qual ainda não ocorreu a prestação efetiva dos serviços. À medida que tais serviços são prestados, a parcela correspondente é transferida para a rubrica “Receita de prestação de serviços”. As receitas de serviços estão sujeitas à tributação pelo Imposto sobre Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), Imposto sobre Serviços (ISS) às alíquotas vigentes em cada região de sua atuação e diretrizes à tributação pelo Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS). k) Receitas e despesas financeiras: incluem juros, variações monetárias e cambiais decorrentes de aplicações financeiras, impostos a recuperar, depósitos judiciais, e impostos a recolher. l) Planos de benefícios pós-emprego: a Companhia patrocina plano individual de aposentadoria aos seus empregados. Esses planos são de contribuição definida. A obrigação é limitada ao pagamento das contribuições, as quais são reconhecidas no resultado nos respectivos períodos de competência. m) Outros ativos e passivos: um ativo é reconhecido no balanço quando for provável que seus benefícios econômicos futuros serão gerados em favor da Companhia se seu custo ou valor puder ser mensurado com segurança.

CMYK

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA Custos dos serviços prestados

Nota _____ 18 19

2012 ______ 18.563 (12.198) ______

2011 ______ 20.660 (11.045) ______

19 19 20

6.365 (12.112) ______ (4.021) (7.101) (990) ______

9.615 (9.156) ______ (3.678) (5.550) 72 ______

(5.747) (33) ______ (5.780) ______-

459 249 ______ 708 (505) ______

LUCRO BRUTO RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas com comercialização Despesas gerais e administrativas Outras receitas (despesas) operacionais, líquidas LUCRO (PREJUÍZO) OPERACIONAL ANTES DO RESULTADO FINANCEIRO Resultado financeiro líquido

21

LUCRO (PREJUÍZO) ANTES DOS TRIBUTOS Imposto de renda e contribuição social

22

LUCRO LÍQUIDO (PREJUÍZO) DO EXERCÍCIO

(5.780) ______ 203 ______ ______ ______ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO ABRANGENTE EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais)

DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) Reservas de lucro _______________________________ Capital social ____________ Reserva legal _________________ Retenção de lucros ___________________ Prejuízos acumulados ____________ 8.551 102 534 (425) 203 ____________- ____________- _________________- ___________________ 8.551 102 534 (222) 2.000 (5.780) (102) _________________ (534) ___________________ 636 ____________- ____________ 10.551 ____________- _________________- ___________________ (5.366) ____________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais)

Um passivo é reconhecido no balanço quando a Companhia possui uma obrigação legal ou constituída como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. Os ativos e passivos são classificados como circulantes quando é provável que sua realização ou liquidação ocorra nos próximos doze meses. Caso contrário, são demonstrados como não circulantes. n) Instrumentos financeiros: a Companhia utiliza com base no CPC 38, 39 e 40 Instrumentos Financeiros, as seguintes categorias para classificação e valoração de seus ativos e passivos financeiros: Método de valoração ___________________ Ativos financeiros Ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado Valor justo Passivos financeiros Passivos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado Valor justo Passivos financeiros não mensurados ao valor justo Custo amortizado Os ativos e passivos financeiros devem inicialmente ser valorados pelo seu valor justo. O critério para determinar o valor justo dos ativos e passivos financeiros segue (i) o preço cotado em um mercado ativo ou, na ausência deste, (ii) a utilização de técnicas de avaliação que permitam estimar o valor justo na data da transação, levando-se em consideração o valor que seria negociado entre partes independentes, conhecedoras da transação e com interesse em realizá-la. A mensuração posterior de ativos e passivos financeiros segue o método do valor justo ou do custo amortizado. O custo amortizado corresponde (i) ao valor reconhecido inicialmente para o ativo ou passivo financeiro; (ii) menos as amortizações de principal e (iii) mais ou menos juros acumulados pelo método da taxa de juros efetiva. Os efeitos da mensuração posterior dos ativos e passivos financeiros são alocados diretamente ao resultado do exercício. o) Estimativas contábeis: a preparação das demonstrações financeiras da Companhia requer que a administração faça julgamentos e estimativas e adote premissas que afetam os valores apresentados de receitas, despesas, ativos e passivos, bem como as divulgações de passivos contingentes, na data base das demonstrações financeiras. Contudo, a incerteza relativa a essas premissas e estimativas poderia levar a resultados que requeiram um ajuste significativo ao valor contábil do ativo ou passivo afetado em períodos futuros. As principais premissas relativas a fontes de incerteza nas estimativas futuras e outras importantes fontes de incerteza em estimativas na data do balanço, envolvendo risco significativo de causar um ajuste significativo no valor contábil dos ativos e passivos no próximo exercício financeiro, são discutidas a seguir: Perda por redução ao valor recuperável de ativos não financeiros Uma perda por redução ao valor recuperável existe quando o valor contábil de um ativo ou unidade geradora de caixa excede o seu valor recuperável, o qual é o maior entre o valor justo menos custos de venda e o valor em uso. O cálculo do valor justo menos custos de vendas é baseado em informações disponíveis de transações de venda de ativos similares ou preços de mercado menos custos adicionais para descartar o ativo. O cálculo do valor em uso é baseado no modelo de fluxo de caixa descontado. Os fluxos de caixa derivam do orçamento para os próximos dez anos e não incluem atividades de reorganização com as quais a Companhia ainda não tenha se comprometido ou investimentos futuros significativos que melhorarão a base de ativos da unidade geradora de caixa objeto de teste. O valor recuperável é sensível à taxa de desconto utilizada no método de fluxo de caixa descontado, bem como aos recebimentos de caixa futuros esperados e à taxa de crescimento utilizada para fins de extrapolação. Tributos Existem incertezas com relação à interpretação de regulamentos tributários complexos e ao valor e época de resultados tributáveis futuros. A Companhia constitui provisões, com base em estimativas cabíveis, para eventuais conseqüências de auditorias por parte das autoridades fiscais das respectivas jurisdições em que opera. O valor dessas provisões baseia-se em vários fatores, como experiência de auditorias fiscais anteriores e interpretações divergentes dos regulamentos tributários pela entidade tributável e pela autoridade fiscal responsável. Essas diferenças de interpretação podem surgir numa ampla variedade de assuntos, dependendo das condições vigentes no respectivo domicílio da Companhia. Valor justo de instrumentos financeiros Quando o valor justo de ativos e passivos financeiros apresentados no balanço patrimonial não puder ser obtido de mercados ativos, é determinado utilizando técnicas de avaliação, incluindo o método de fluxo de caixa descontado. Os dados para esses métodos se baseiam naqueles praticados no mercado, quando possível. Contudo, quando isso não for viável, um determinado nível de julgamento é requerido para estabelecer o valor justo. O julgamento inclui considerações sobre os dados utilizados como, por exemplo, risco de liquidez, risco de crédito e volatilidade. Mudanças nas premissas sobre esses fatores poderiam afetar o valor justo apresentado dos instrumentos financeiros. Provisões para riscos tributários, cíveis e trabalhistas A Companhia reconhece provisão para demandas cíveis, trabalhistas e tributárias. A avaliação da probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências disponíveis, a hierarquia das leis, as jurisprudências disponíveis, as decisões mais recentes nos tribunais e sua relevância no ordenamento jurídico, bem como a avaliação dos advogados externos. As provisões são revisadas e ajustadas para levar em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo de prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas com base em novos assuntos ou decisões de tribunais. p) Demonstração dos fluxos de caixa: As demonstrações de fluxos de caixa foram elaboradas conforme o CPC 3 Demonstrações dos Fluxos de Caixa e refletem as modificações no caixa que ocorreram nos exercícios apresentados utilizando o método indireto. 4. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Caixa e contas bancárias 201 86 Aplicações Financeiras 691 ________ 3.627 ________ Total 892 ________ 3.713 ________ ________ ________ As aplicações financeiras estão representadas por CDBs são remuneradas com base no CDI, designado ao valor justo contra o resultado, com prazos de vencimento variáveis, porém resgatáveis a qualquer momento. 5. CONTAS A RECEBER, LÍQUIDAS 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Assinaturas 560 159 Permuta 126 117 Publicidade 1.286 ________ 583 ________ Contas a receber de serviços brutas 1.972 859 (-) Provisão para redução ao valor recuperável (1.259) ________ (413) ________ Total 713 ________ 446 ________ ________ ________ A seguir apresentamos análise dos valores a receber brutos da provisão para redução ao valor recuperável, por idade de vencimento (aging list): 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ A Vencer 10 110 Vencidas - 01 a 30 dias 803 282 Vencidas - 31 a 60 dias 179 125 Vencidas - 61 a 90 dias 73 43 Vencidas - 91 a 120 dias 55 28 Vencidas - mais de 120 dias 852 ________ 271 ________ Total 1.972 ________ 859 ________ ________ ________ As movimentações da provisão para redução ao valor recuperável, são como segue: 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Saldo inicial (413) (380) Ingressos (Nota 19) (1.051) (214) Baixas 205 ________ 181 ________ Saldo final (1.259) ________ (413) ________ ________ ________

2012 ________ 2011 ________ Lucro líquido (prejuízo) do exercício (5.780) ________ 203 ________ Total do resultado abrangente (5.780) ________ 203 ________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 2012 ________ 2011 ________ Caixa gerado pelas atividades operacionais Lucro líquido (prejuízo) do exercício (5.780) 203 Despesas que não representam movimentação no caixa 6.003 ________ 3.612 ________ Depreciação e amortização 2.342 1.879 Provisão (reversão) para obsolecência dos estoques e ajustes de inventário 1.093 32 Provisão para redução ao valor recuperável das contas a receber 1.051 214 Provisões para demandas judiciais 1.517 1.487 Aumento (redução) no ativo operacional (463) ________ (4.126) ________ Contas a receber de serviços, líquidas (1.318) (377) Estoques 2.661 (1.451) Tributos a recuperar 13 41 Depósitos e bloqueios judiciais (2.188) (2.131) Outros ativos 369 (208) Redução (aumento) no passivo operacional (1.009) ________ 2.055 ________ Fornecedores (837) (817) Juros pagos sobre empréstimos e financiamentos 923 421 Receitas diferidas (138) (42) Outras obrigações 23 1.855 Dívidas com partes relacionadas (835) 840 Imposto a recolher e parcelados (145) ________ (202) ________ Total do caixa gerado pelas (utilizado nas) atividades operacionais (1.249) ________ 1.744 ________ Caixa utilizado nas atividades de investimentos Aquisições de bens do ativo imobilizado (3.572) (1.979) Aumento de capital 2.000 ________________ Total do caixa líquido aplicado nas atividades de investimentos (1.572) ________ (1.979) ________ Redução líquida de caixa e equivalentes de caixa (2.821) ________ (235) ________ Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício 3.713 3.948 Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício 892 ________ 3.713 ________ Variação do caixa e equivalentes de caixa no exercício (2.821) ________ (235) ________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 6. ESTOQUES 31.12.12 ________ Materiais para produção 1.526 Outros 22 (-) Provisão para redução ao valor realizável e obsolescência (*) (1.320) ________ Total 228 ________ ________

31.12.11 ________ 4.192 17 (227) ________ 3.982 ________ ________

(*) A provisão sobre itens de estoques leva em consideração análises tempestivas realizadas pela Companhia. A movimentação da provisão para redução ao valor realizável e para obsolescência é como segue: 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Saldo inicial (227) (195) Adições (1.093) (32) Total (1.320) ________ (227) ________ ________ ________ 7. TRIBUTOS A RECUPERAR 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Imposto de renda e contribuição social 71 ICMS 77 94 IRRF sobre aplicação financeira 38 90 Outros 14 ________ 29 ________ Total 200 ________ 213 ________ ________ ________ 8. OUTROS ATIVOS Adiantamento a fornecedores Adiantamento a empregados Total

31.12.12 ________ 33 104 ________ 137 ________ ________

31.12.11 ________ 445 62 ________ 507 ________ ________

31.12.12 ________ 32.168 ________ 2.354 2.436 27.378 106 ________ 32.274 ________ ________

31.12.11 ________ 29.758 ________ 1.359 2.376 26.023 328 ________ 30.086 ________ ________

9. DEPÓSITOS E BLOQUEIOS JUDICIAIS Depósitos judiciais Cíveis (i) Trabalhistas Tributárias (ii) Bloqueio judicial Total

(I) Referem-se basicamente a valores de alugueis de postes questionados pela Companhia e pagos em juízo. (II) Referem-se substancialmente ao questionamento quanto a incidência de ICMS sobre a prestação de serviços de televisão, bem como a exclusão da taxa de adesão da base de cálculo do referido imposto. O montante envolvido no processo está sendo depositado judicialmente pela Companhia (nota 15). 10. IMOBILIZADO LÍQUIDO a) Composição 2012 ________________________________________ Saldo em Saldo em 31/12/2011 Adições ___________ Depreciação 31/12/2012 _________ _______ _________ Materiais de televisão (i) 6.967 3.555 (2.169) 8.353 Equipamentos de informática (ii) 3 9 (2) 10 Edifícios 201 (24) 177 Equipamentos e instalações 9 (5) 4 Outras imobilizações 149 (18) 131 Terrenos 104 104 Móveis e utensílios 21 (4) 17 Obras em andamento 130 _______ 1 ___________- _________ 131 _________ Total 7.584 _______ 3.565 ___________ (2.222) _________ 8.927 _________ _________ _______ ___________ _________ Custo total Depreciação acumulada Imobilizado líquido

64.276 (56.692) _________ 7.584 _________ _________

67.841 (58.914) _________ 8.927 _________ _________ 2011 _________________________________________________ Saldo em TransfeSaldo em 31/12/2010 _______ Adições _______ rências ___________ Depreciação 31/12/2011 _________ _________ Materiais de televisão (i) 5.132 3.244 169 (1.578) 6.967 Equipamentos de informática (ii) 3 3 (1) (2) 3 Edifícios 225 (24) 201 Equipamentos e instalações 160 (151) 9 Outras imobilizações 121 41 (13) 149 Terrenos 104 104 Móveis e utensílios 24 1 (4) 21 Obras em andamento _________ 283 _______- _______ (153) ___________- _________ 130 Total 6.052 _______ 3.289 _______ 15 ___________ (1.772) _________ 7.584 _________ _______ _______ ___________ _________ _________ Custo total 60.972 Depreciação acumulada _________ (54.920) Imobilizado liquido 6.052 _________ _________

64.276 (56.692) ___________ 7.584 ___________ ___________

(i) Refere-se a decodificadores , redes de cabo, instalações e direito de uso de satélite (ii) Refere-se a hardware. b) Taxas de depreciação Nos exercícios de 2012 e 2011, os ativos imobilizados foram depreciados de forma linear a taxa anual, como segue: Método de valoração ___________________ Materiais de televisão 8 - 20 % Equipamentos de informática 10 - 20 % Edifícios 20 - 44% Equipamentos e instalações 10% Outras imobilizações 20% Móveis e utensílios 20% continua


Publicidade Legal Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A7 continuação

TVA SUL PARANÁ S.A. CNPJ 84.938.786/0001-82 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 11. INTANGÍVEL LÍQUIDO

2012 ________________________________________ Saldo em Saldo em 31/12/2011 _______ Adições ___________ Amortização _________ 31/12/2012 _________ Softwares 117 7 (29) 95 Desenvolvimento de novos produtos_________ 122 _______- ___________ (91) _________ 31 Total 239 _______ 7 ___________ (120) _________ 126 _________ Custo total Amortização acumulada Intangível líquido

Softwares Desenvolvimento de novos produtos Total

847 (608) _________ 239 _________

854 (728) _________ 126 _________

2011 _________________________________________________ Saldo em Transfe- Depreciação Saldo em 31/12/2010 _______ Adições _______ rências ___________ acumulada _________ 31/12/2011 _________ 70 63 (16) 117

228 _______- _______ (15) ___________ (91) _________ 298 _______ 63 _______ (15) ___________ (107) _________ Custo total 799 Amortização acumulada _________ (501) Intangível líquido 298 _________

122 _________ 239 _________ 847 (608) _________ 239 _________

Nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, os ativos intangíveis foram amortizados de forma linear a taxa anual de 20%. 12. PESSOAL, ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Salários e honorários 332 320 Encargos e benefícios sociais 310 159 Participação de empregados no resultado 161 ________ 144 ________ Total 803 ________ 623 ________ 13. IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES

Tributos diretos Imposto de renda e contribuição social Tributos indiretos ICMS PIS e COFINS Outros TOTAL 14. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Moeda _______ Financiamento - BNDES URTJLP Financiamento - BNDES PSI BRL Financiamento - Leasing BRL Total

31.12.12 ________ ________278 ________ 100 96 82 ________ 278 ________

31.12.11 ________ 147 ________ 147 276 ________ 119 80 77 ________ 423 ________

Taxa de juros anual Vencimento __________ __________ 31.12.12 _______ 31.12.11 _______ TJLP+5,7% 15/04/16 285 78 5,5% e 8,7% 15/04/16 1.008 277 14,7% 09/11/13 _______ 17 _______ 33 1.310 _______ 388 _______

Circulante 449 86 Não circulante 861 302 A partir de novembro de 2011, foi aprovada uma linha de crédito de financiamento no valor de R$1.760 junto ao Banco Itaú no Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI). Os recursos são utilizados em projetos de manutenção e ampliação da base de assinantes através da aquisição de equipamentos nacionais (decodificadores) previamente cadastrados (“finamizáveis”). Tais recursos estão sendo liberados diretamente aos fornecedores através da comprovação de entrega dos equipamentos na Companhia (previstos em cronograma de entrega previamente contratado com fornecedores). Foram liberados R$1.705 ao longo de 2012 e o saldo de R$55 não poderá mais ser tomado, pois o prazo expirou. O saldo contábil em 31 de dezembro de 2012 era R$1.293. O BDNES PSI é um financiamento com taxa de juros inferiores as taxas praticadas no mercado (5,5% a.a. pré-fixados) e enquadra-se no escopo do CPC 7. Desta forma, utilizando o método de juros efetivos definido pela CPC 38, foram efetuadas as seguintes considerações: foi realizado um comparativo entre i) o valor total da dívida calculada com base nas taxas fixadas em contrato; e ii) o valor total da dívida calculada com base nas taxas praticadas pelo mercado (valor justo). A subvenção concedida pelo BNDES, ajustada a valor presente é diferida de acordo com a vida útil do ativo financiado e resultou em um saldo de 31 de dezembro de 2012 de R$133 (R$33 em 31 de dezembro de 2011), apresentado em outras obrigações (nota 16). Os montantes registrados no passivo não circulante em 31 de dezembro de 2012 apresentam o seguinte cronograma de vencimentos: Ano 2012 ________ 2014 369 2015 369 2016 123 ________ Total 861 ________

15. PROVISÕES PARA DEMANDAS JUDICIAIS Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 a Companhia tem demandas judiciais de natureza trabalhista e tributária envolvendo riscos de perdas classificados pelos assessores judiricos da Companhia como probabilidade de perda “provável”, os quais estão registrados, sendo: 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Trabalhista 102 Tributária 27.702 ________ 26.287 ________ Total 27.804 ________ 26.287 ________

a) Cíveis A Companhia também é parte em demandas judiciais que foram avaliadas pelos seus assessores juridicos como perda “possível”, que totaliza R$213 (R$211 em 31 de dezembro de 2011), para os quais não há provisão constituída. b) Tributárias Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha discussões tanto na esfera administrativa como na esfera judicial, relativas à (i) ICMS sobre a prestação de serviços de televisão, bem como a exclusão da taxa de adesão da base de cálculo do referido imposto; e (ii) Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) - Questionando a inconstitucionalidade e ilegalidade da cobrança, uma vez que a contribuição interventiva deve ser exigida somente das empresas prestadoras de serviço de telefonia móvel. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes provisionados totalizavam R$27.702 (R$26.287 em 31 de dezembro de 2011). Processos significativos cuja probabilidade de perda foram avaliados como “possível” pelos assessores juridicos da Companhia. b.1) Tributária federal Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha ações judiciais em âmbito federal, as quais aguardam julgamentos nas mais variadas instâncias. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$248. Dentre as ações, destacam-se: (a) INSS (contribuição previdenciária) sobre remuneração decorrente sobre os valores pagos a título de hora extra e respectivo adicional, aviso prévio indenizado; (b) IRPJ e CSLL - Exclusão de crédito de PIS/ COFINS não cumulativo da base de cálculo. No entendimento dos assessores juridicos da Companhia, são possíveis as chances de êxito nesse processo. b.2) Tributos Estaduais Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha ações administrativas e judiciais em âmbito estadual, relacionadas ao ICMS sobre a prestação de serviços de televisão, bem como a exclusão da taxa de adesão da base de cálculo do referido imposto. Em 30 de setembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$1.712. No entendimento dos assessores juridicos da Companhia, são possíveis as chances de êxito nesse processo.

23. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS Balanços Patrimoniais:

b.3) FUNTTEL - Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha ação administrativa referente a cobrança da contribuição de Intervenção no Domínio Econômico destinado ao FUNTTEL. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$20. No entendimento dos assessores juridicos da Companhia, são possíveis as chances de êxito nesse processo. c) Trabalhistas A Companhia é parte em demandas judiciais que foram avaliadas pelos seus assessores juridicos como perda “possível”, que totaliza R$2.063 (R$748 em 31 de dezembro de 2011), para os quais não há provisão constituída. 16. OUTRAS OBRIGAÇÕES 31.12.12 ________ 31.12.11 ________ Direitos Autorais (i) 2.553 1.541 Devolução de clientes (ii) 396 744 Aluguel de postes 1.438 1.343 Empréstimo de materiais 32 1.068 Outros(iii) 158 ________ 39 ________ Total 4.577 ________ 4.735 ________

2012 ________ 2011 ________ Ativo circulante Telefonica Sistema de Televisão S.A. 8 ________________ Total 8 ________________ Passivo circulante Telefônica Brasil S.A. 2 Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Ltda. 18 16 Vivo S.A. 13 14 Telefônica Data S.A. 2 Telefônica Sistema de Televisão S.A. 86 Ajato Telecomunicação Ltda. 28 Comercial Cabo TV São Paulo S.A. 716 Telefônica Transportes e Logística Ltda. 1 ________________ Total 34 ________ 862 ________ Demonstrações do Resultado: Em 2012 Repasses Custo de custos Serviços Repasses de Empresa administrativos _________ Prestados ___________ Publicidade ______ Total _________________________ ______________ Comercial Cabo TV São Paulo S. A. (1.956) 146 (1.810) Telefônica Sistema de Televisão S.A. 97 97 Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Ltda. (103) (103) Telefônica Transportes e Logística Ltda. (4) (4) Vivo S.A. (52) (52) Telefônica Brasil S.A. (12) ___________- ______ (12) ______________- _________ Total (1.859) _________ (171) ___________ 146 ______ (1.884) ______________ Em 2011 Receita: Empresa Publicidade _______________________________ Comercial Cabo TV São Paulo S. A. 219 _______________________________ 219 _______________________________ Custo: Empresa Repasses de custos administrativos _______________________________ Comercial Cabo TV São Paulo S. A. (2.328) Telefônica Sistema de Televisão S.A. 968 Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Ltda. (126) _______________________________ Total (1.486) _______________________________ Nas transações com partes relacionadas foram praticados os preços e demais condições comerciais acordados em contratos entre as partes. Ativo circulante: referem-se a repasses de serviços prestados, despesas com salários e outros gastos pagos pela Companhia a serem reembolsados pelas respectivas empresas. Passivo circulante: referem-se a repasses de serviços prestados, honorários e consultoria, despesas com salários e outros gastos pagos pela Companhia a serem reembolsados pelas respectivas empresas. Receitas e custos: referem-se a repasses de serviços prestados, despesas com salários e outros gastos pagos pela Companhia a serem reembolsados pelas respectivas empresas. 24. SEGUROS Até 31 de dezembro de 2012, os bens da Companhia estavam segurados em apólices de seguros. A Companhia tem como política, manter cobertura de seguros em montantes considerados suficientes pela Administração em face dos riscos que envolvem, entre outros, incêndios, alagamentos, quebras de máquinas, bens e mercadorias próprias e de terceiros. Modalidade Importância segurada ____________________ Riscos operacionais (com lucros cessantes) 33.852 Riscos gerais/cíveis (*) (*) A Companhia possui um plano de riscos cíveis para o grupo TVA que totaliza R$21.000. 25. PLANOS DE BENEFÍCIOS PÓS EMPREGO A Companhia é co-patrocinadora da Abrilprev Sociedade de Previdência Privada, sociedade civil, sem fins lucrativos, cujo principal objetivo é conceder benefícios complementares aos da Previdência Social a todos os colaboradores das patrocinadoras. As contribuições da patrocinadora e do participante são opcionais. Muito embora o plano esteja estruturado na modalidade de contribuição definida, o regulamento determina o aporte de contribuições especiais, por se tratarem de aportes à vista em caso de invalidez, falecimento ou por aposentadoria, as quais estão cobertas pelos ativos do plano em 31 de dezembro de 2012. Os participantes do plano, funcionários da Companhia, participam apenas do plano de contribuição definida e não tem direito aos aportes à vista em caso de invalidez, falecimento ou por aposentadoria. 26. INSTRUMENTOS FINANCEIROS A Companhia possui como ativos financeiros em 31 de dezembro de 2012, valores de caixa e contas bancárias de R$201 e aplicações financeiras em R$691 e estes valores foram contabilizados pelo custo amortizado. Os valores contábeis desses instrumentos aproximam-se dos valores de mercado, em razão de serem resgatáveis no curto prazo. A Companhia não possui instrumentos financeiros que não estejam registrados contabilmente em 31 de dezembro de 2012. A Companhia opera com instrumentos financeiros, com destaque para disponibilidades, incluindo aplicações financeiras, empréstimos e financiamentos. Considerando a natureza dos instrumentos, o valor justo é basicamente determinado pela aplicação do método do fluxo de caixa descontado. Os valores registrados no ativo e no passivo circulante têm liquidez imediata ou vencimento, em sua maioria, em prazos inferiores a três meses das datas das transações. Considerando o prazo e as características desses instrumentos, que são sistematicamente renegociados, os valores contábeis aproximam-se dos valores justos. Os principais fatores de risco de mercado que afetaram o negócio da Companhia em 2012 podem ser assim enumerados: (i) Risco com taxa de juros O risco associado é oriundo da possibilidade de a Companhia incorrer em perdas por causa de flutuações nas taxas de juros que aumentem as despesas financeiras relativas a empréstimos e financiamentos captados no mercado. (ii) Risco com taxa de câmbio O risco associado decorre da possibilidade de a Companhia vir a incorrer em perdas por causa de flutuações nas taxas de câmbio, que reduzam valores nominais faturados ou aumentem valores captados no mercado. Em 31 de dezembro de 2012 e 2011, a Companhia possuía passivos denominados em moeda estrangeira nos montantes descritos a seguir, não existindo nenhum instrumento para proteger essa exposição nessa data. (iii) Risco de crédito O risco surge da possibilidade de a Companhia vir a incorrer em perdas resultantes da dificuldade de recebimento de valores faturados a seus clientes. O risco de crédito com as contas a receber é diversificado. A Companhia monitora constantemente o nível de contas a receber e limita o risco de contas indébitas cortando o acesso à televisão paga se a fatura está vencida há mais de catorze dias. (iv) Risco de liquidez O risco de liquidez consiste na eventualidade da Companhia não dispor de recursos suficientes para cumprir com seus compromissos em função das diferentes moedas e prazos de realização/liquidação de seus direitos e obrigações. O gerenciamento da liquidez e do fluxo de caixa da Companhia é efetuado diariamente pelas áreas de gestão da Companhia, de modo a garantir que a geração operacional de caixa e a captação prévia de recursos, quando necessária, sejam suficientes para manter a manutenção de seu cronograma de compromissos, não gerando riscos de liquidez.

Circulante 4.444 4.702 Não Circulante 133 33 (i) Referem-se a valores em discussão exigidos pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD), órgão que atua como representante legal de artistas e autores, na cobrança e distribuição de pagamentos de direitos autorais a eles devidos pela divulgação pública de composições musicais no Brasil. A Administração da Companhia registra o montante que entende ser devido ao ECAD, e por esse motivo mantém registrado o contas a pagar. Adicionalmente a administração entende que o diferencial exigido não é devido, para o qual a avaliação de risco dos assessores é considerada como sendo possível. (ii) Referem-se a valores faturados a clientes sobre serviços prestados. Tal montante é substancialmente composto de valores antecipadamente de assinantes que cancelaram assinatura no período inferior a doze meses. (iii) Referem-se substancialmente a subvenção concedida pelo BNDES, ajustada a valor presente é diferida de acordo com a vida útil do ativo financiado e resultou em um saldo de 31 de dezembro de 2012 de R$ 133 (R$ 33 em dezembro de 2011). 17. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Em Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 10 de dezembro de 2012, foi aprovado o aumento de capital no montante de R$2.000, com a emissão de 6.451.614 ações nominativas, sem valor nominal, divididas em 3.225.807 de ações ordinárias e 3.225.807 de ações preferenciais sendo estas últimas conversíveis. Em 31 de dezembro de 2012, o capital social era de R$10.551 (R$8.551 em 31 de dezembro de 2011), composto por 34.343.966 ações (27.892.352 ações em 31 de dezembro de 2011), sem valor nominal, divididas em 17.171.983 ações ordinárias e 17.171.983 ações preferenciais (13.946.176 ações ordinárias e 13.946.176 ações preferenciais em 31 de dezembro de 2011). As ações preferenciais da Companhia poderão ser convertidas no todo ou em parte em ações ordinárias com direito a voto, sendo tal conversão condicionada à vigência ou inaplicabilidade de restrições legais ao titular dessa espécie de ações. A conversão total ou parcial será exercida mediante envio, pelo titular das ações preferenciais objeto de conversão, de comunicação escrita à Diretoria da Companhia que deverá registrar a conversão no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas do recebimento da comunicação, independentemente de qualquer outra formalidade. 18. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 2012 ________ 2011 ________ Televisão paga 21.754 24.160 Descontos (349) ________ (218) ________ Receita operacional bruta 21.405 23.942 ICMS (1.985) (2.298) PIS e COFINS (848) (977) ISS (9) ________ (7) ________ Impostos sobre a receita bruta (2.842) ________ (3.282) ________ Receita operacional líquida 18.563 ________ 20.660 ________ 19. COMPOSIÇÃO DOS GASTOS OPERACIONAIS Depreciação e amortização Gastos com marketing Provisão para redução ao valor recuperável Serviços de terceiros Pessoal Tributos Total

2012 ________ (2.342) (1.211) (1.051) (16.232) (2.190) (294) ________ (23.320) ________

2011 ________ (1.879) (1.407) (214) (14.382) (2.078) (313) ________ (20.273) ________

Custos dos serviços prestados Despesas com comercialização Despesas gerais e administrativas Total

(12.198) (4.021) (7.101) ________ (23.320) ________

(11.045) (3.678) (5.550) ________ (20.273) ________

20. OUTRAS RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS LÍQUIDAS 2012 ________ Receitas 103 ________ Outras receitas 103 Despesas (1.093) ________ Provisão para a redução ao valor realizável e obsolescência ________ (1.093) Total (990) ________ 21. RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO

Receitas Receitas de aplicações financeiras Despesas Despesas com operações financeiras Descontos financeiros Outros Variações monetárias e cambiais Variações monetárias e cambiais ativas Variações monetárias e cambiais passivas Total 22. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

2012 ________ 229 ________ 229 (266) ________ (258) (8) 4 ________ 4 ________(33) ________

2012 ________ Lucro (prejuízo) antes do imposto de renda e da contribuição social (5.780) Alíquotas oficiais - % 34% ________ Imposto de renda e contribuição social às alíquotas oficiais 1.965 Prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social (575) Adição temporária - provisão para crédito de liquidação duvidosa, contingência e outros (9.250) Exclusão temporária - reversão de provisão para demandas judiciais, provisão para créditos de liquidação duvidosa e outros 7.880 Outras adições/exclusões - temporárias (20) Incentivos (culturais, alimentação ) ________Imposto de renda e contribuição social no resultado ________-

2011 ________ 104 ________ 104 (32) ________ (32) ________ 72 ________ 2011 ________ 479 ________ 479 (223) ________ (120) (97) (6) (7) ________ (7) ________ 249 ________ 2011 ________ 708 34% ________ (241) 235 (533) 14 20 ________ (505) ________

Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia possuía prejuízos fiscais e base negativa da contribuição social passíveis de compensação com lucros tributáveis futuros nas condições estabelecidas pela legislação vigente, sem prazo de prescrição, no montante de R$9.725 (R$9.150 em 31 de dezembro de 2011). O correspondente crédito tributário não registrado por ainda não serem atendidas todas as premissas necessárias para reconhecimento. DIRETORIA

ANTÔNIO CARLOS VALENTE DA SILVA PAULO CÉSAR PEREIRA TEIXEIRA Diretor Presidente Diretor Geral Executivo

GILMAR ROBERTO PEREIRA CAMURRA Diretor Financeiro

CRISTIANE BARRETTO SALES Diretora de Controladoria

BRENO RODRIGO PACHECO DE OLIVEIRA Secretário Geral e Diretor Jurídico

SANDRA AKEMI NISHIYAMA Contadora: CRC-1SP242066/O-5

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Acionistas, Conselheiros e Diretores da TVA Sul Paraná S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações financeiras da TVA Sul Paraná S.A. (“Companhia”), que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa, para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração dessas demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro.

Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da TVA Sul Paraná S.A. em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 21 de fevereiro de 2013.

ERNST & YOUNG TERCO Auditores Independentes S.S CRC-2SP015199/O-6

Alexandre Hoeppers Contador CRC- SC021011/O-3-T-PR-S-SP Anderson Pascoal Constantino Contador CRC-1SP190451/O-5

Governo e portuários fecham acordo e categoria suspende greve Os trabalhadores do setor portuário saíram satisfeitos da reunião com o líder do governo no Senado e relator da Medida Provisória 595/2012, a MP dos Portos, Eduardo Braga (PMDB-AM), e ao anunciarem o acordo com o governo, disseram que a greve prevista para o próximo dia 25 foi suspensa. “Houve avanço significativo nas negociações. Entramos em acordo

porque o documento apresentado pelo senador Braga contempla grande parte do que pedimos. Com isso, suspendemos a greve do dia 25”, disse o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas. O único ponto pendente é a definição de como serão feitos cadastro e registro de trabalhadores portuários. “Abrimos mão do Ogmo como

órgão gestor, mas ficou acertado que os trabalhadores relacionados no órgão sejam os contratados. As demais reivindicações foram atendidas”, disse o presidente da Força Sindical, deputado Paulinho da Força (PDT-SP). Ficou então acertado que, a presidência e a relatoria da MP na comissão mista, preparem uma redação detalhando como funcionará

esse novo cadastro e registro de trabalhadores portuários. Ainda não há data definida para a conclusão deste trabalho. Para convencer os trabalhadores a abrirem mão das contratações por meio do Ogmo, Braga argumentou que o órgão representa um custo de 6,5% sobre o salário do trabalhador e que muitos deles, os Ogmos, são mal administrados e inadimplentes

com o governo, por não pagarem encargos trabalhistas. “Além disso, tem um custo operacional que impacta na eficiência dos portos e deixam de cumprir com obrigações trabalhistas”, completou o relator da MP. Entre os pontos acordados com os trabalhadores está o reconhecimento diferenciado de categorias, o que implica em negociações

coletivas feitas apenas com sindicatos e a composição paritária dos conselhos de autoridade portuária, com metade dos membros sendo do governo e a outra metade da sociedade civil, igualmente distribuída entre empresários e trabalhadores. O governo reiterou ainda sua disposição em garantir renda mínima e aposentadoria diferenciada para os trabalhadores avulsos.


Publicidade Legal Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | A8 | Indústria&Comércio Leão Engenharia S/A, torna público que recebeu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a renovação da Licença de Operação, com validade até 31/10/2013, para Preparação de Massa de Concreto e Argamassa para Construção, Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças intermunicipal, interestadual e internacional, situada á Rua Sylvano da Rocha Loures, , nº 373, Cidade Industrial, Curitiba, PR.

Leão Engenharia S/A, torna público que requereu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba a renovação da Licença de Operação, para Preparação de Massa de Concreto e Argamassa para Construção, Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças intermunicipal, interestadual e internacional, situada á Rua Sylvano da Rocha Loures, , nº 373, Cidade Industrial, Curitiba, PR.

AÇÃO MONITÓRIA Nº 5009527-05.2011.404.7000/PR AUTOR : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF RÉU : ALEXSANDER DE CARLO GIACHELLO : MARIA DIAMANTE GIACHELLO : POSTO SOLUCAO JS LTDA.

DIRETRIZ EMPREENDIMENTOS S/A. CNPJ/ 76.599.919/0001-05 EDITAL DE CONVOCAÇÃO São convidados os senhores acionistas desta empresa a se reunirem, em Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária, no dia 30 de abril de 2013, às 10h00, em sua sede, nesta Capital, na Rua Grã Nicco, 113 bloco 4 - 4º andar, Edifício Eco business Center, Mossungue, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: a) Relatório da Diretoria sobre o Balanço Patrimonial e as Demonstrações Financeiras da Companhia, relativamente ao exercício encerrado em 31/12/12; b) Demonstrações de Origens e Aplicações de Recursos, Resultado do Exercício e Mutações Patrimoniais havidas; c) Eleição de nova Diretoria d)Outros assuntos de interesse da Companhia. Curitiba, 18 de Março de 2013.

EDITAL N.º 7047559 CHAVE Nº 944116864811 EDITAL DE CITAÇÃO - PRAZO 60(SESSENTA) DIAS A Doutora Gisele Lemke, Juíza Federal da Segunda Vara Federal Cível da seção Judiciária do Paraná - Subseção Judiciária de Curitiba, na forma da lei, F A Z S A B E R, aos que o presente Edital virem ou conhecimento dele tiverem, que tramitam perante este Juízo Federal da Segunda Vara Cível, os autos da Ação Monitória nº 5009527-05.2011.404.7000, em que figura como autora a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, inscrita no CNPJ/MF sob nº 00.360.305/0001-04 e réus ALEXSANDER DE CARLO GIACHELLO, inscrito no CPF/MF sob nº 14.153.51828, MARIA DIAMANTE GIACHELLO, inscrita no CPF/MF sob nº 691.036.901-72 e POSTO SOLUÇÃO JS LTDA, inscrito no CNPJ/MF sob nº 05.205.517/0001-30. E, constando dos autos encontrarem-se os réus em LUGAR INCERTO E NÃO SABIDO, conforme o disposto nos artigos 231, inciso II e 232, inciso IV, do Código de Processo Civil, em cumprimento ao despacho proferido no evento 57 dos autos, ficam os mesmos devidamente CITADOS, para, no prazo de 15(quinze) dias, efetuarem o pagamento da importância de R$ 25.987,55(vinte e cinco mil, novecentos e oitenta e sete reais e cinqüenta e cinco centavos), devida à Caixa Econômica Federal, devidamente atualizada até a data do efetivo pagamento, tendo, inclusive, na forma dos artigos 1.102b e 1.102c, § 1º, do Código de Processo Civil, o benefício da isenção do pagamento das custas processuais e honorários advocatícios, ou, no mesmo prazo, oferecerem embargos à execução, advertindo-os de que não havendo pagamento e nem oposição de embargos à execução, o presente será convertido em título executivo, prosseguindo-se na forma do processo de execução do Código de Processo Civil. O prazo de 15(quinze) dias começará a fluir após o término do prazo do presente edital. DESPACHO DA FL.57: ‘1. Tendo em vista a impossibilidade de localização da parte executada (ALEXSANDER DE CARLO GIACHELLO - CPF 146.153.51828, MARIA DIAMANTE GIACHELLO - CPF 691.036.901-72 e POSTO SOLUÇÃO JS LTDA - CNPJ 05.205.517/0001-30 defiro a citação por edital, conforme requerido no evento 57. 2. Expeça-se o edital com prazo de 60 dias (artigo 232, IV, do Código de Processo Civil) a fim de que os réus efetuem o pagamento do débito no prazo de 15(quinze) dias, ficando isentos de custas processuais e honorários advocatícios, ou ofereçam embargos no prazo supracitado. Deverá constar do edital a advertência de que não havendo pagamento oi oposição de embargos, fica constituído o título executivo judicial, convertendo-se o feito em execução, na forma do Livro I, Título VIII, Capítulo X, do CPC. 3. Após, intime-se a CEF para que promova sua publicação no prazo de 30(trinta) dias. Curitiba, 06 de fevereiro de 2013 - (a) Gisele Lemke - Juíza Federal.’ Obs: O acesso aos autos é por meio do sítio eletrônico https://eproc.jfpr.jus.br, consulta pública, com o lançamento do número do processo e do número da chave acima indicados. E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, determinou a MM. Juíza Federal que se expedisse o presente edital, o qual será afixado no lugar de costume e publicado na forma da lei. Expedido nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos oito dias do mês de março do ano de dois mil e treze por Eliana C.P.Machado, Supervisora de Processamento, conferido por MARLUZ AUGUSTO MAGIERSKI, Diretor de Secretaria da 2ª Vara Federal Cível. Gisele Lemke Juíza Federal

YBACOBY PARTICIPAÇÕES E ADMINISTRAÇÃO S.A CNPJ MF Nº 03.571.558/0001-15 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO São convidados os Senhores Acionistas, para em Assembleia Geral Ordinária, a qual realizar-se-á, na sala de reunião da empresa Muralha Participações S/A, sito à Rua Holanda, 719 – Holanda Center BL 01 Lojas ED, Unidade 11-A, 02º Andar – Bairro Boa Vista, em Curitiba - PR., às 09:00 horas do dia 24 de abril de 2.013, para tomarem conhecimento e deliberarem sobre a seguinte: ORDEM DO DIA: a) Apreciação, discussão e votação do Relatório da Diretoria e Balanço Geral, referente ao exercício encerrado em 31.12.2012; b) Destinação, aprovação e ratificação dos valores distribuídos ou a distribuir que deverão ser levados à debito da conta lucros acumulados. AVISO:- Comunicamos, outrossim, que os documentos a que se refere o Artigo 133, da Lei 6.404/76, de 15 de Dezembro de 1.976, e alterações subsequentes, encontramse à disposição dos Senhores Acionistas, na Sede Social. Curitiba, 18 de fevereiro de 2013. LUIZ NORBERTO GULIN Diretor Presidente

ANCORA EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÃO S.A. CNPJ/MF 81.071.243/0001-12 ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Com o presente, são convidados os Senhores Acionistas da ANCORA EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÃO S.A., a se reunirem em 27ª Assembléia Ordinária, na forma do parágrafo único do artigo 131 da Lei 6.404/76, a ser realizada no dia 30.04.2013, às 10:00 horas, na sede social, na rua XV de Novembro, nº 2.357, 1ª andar, em Curitiba, Estado do Paraná, para tratarem da seguinte Ordem do Dia : Em Assembléia Geral Ordinária : a) Leitura, discussão, votação e aprovação do Relatório da Diretoria, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2012; b) Fixação dos honorários da Diretoria; c) Outros assuntos de interesse social. AVISO: Encontram-se a disposição dos Senhores Acionistas, na sede social, situada na rua XV de Novembro, nº 2.357, 1º andar, em Curitiba, Estado do Paraná, os documentos a que se refere o artigo 133 da Lei 6.404/76, relativo ao exercício social encerrado em 31.12.2012 Curitiba, 20 de março de 2.013 Dalton Zeni Rispoli Diretor

C&D – DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S/A

CIRCULANTE DISPONIBILIDADES TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS Carteira Própria

2011 2.671 963

2012 CIRCULANTE OUTRAS OBRIGAÇÕES

OUTROS CRÉDITOS

1.180 1.180

1.456 1.456

160

252

75 0 85

43 39 170

24

34

24 129 (105)

34 143 (109)

1.446

2.705

Rendas a Receber Negociaçao e Intermediação de Valores Diversos PERMANENTE IMOBILIZADO DE USO Outras Imobilizações (-) Depreciações Acumuladas TOTAL DO ATIVO

PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital: De Domiciliados no País Reservas de Lucros TOTAL DO PASSIVO

SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO 1 - AJUSTES DE EXERCÍCIOS ANTERIORES 2 - LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 3 - DESTINAÇÕES - Reversão da Reserva Legal - Reserva Especial de Lucros p/Dividendos - Juros sobre Capital Próprio - Efeito dos Juros sobre o Capital Próprio - Distribuição de Dividendos - Dividendos não Distribuídos - Absorção prejuizos acumulados SALDOS NO FINAL DO PERÍODO MUTAÇÕES DO PERÍODO

LEGAL

E S TAT U T Á R I A

LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS

1.240 0 0

63 0 0

249 0 0

(27) 0 (94)

0 0 0 0 0 0 0 1.240 0

(2) 0 0 0 0 0 0 61 (2)

0 0 0 0 (130) 0 (119) 0 (249)

2 0 0 0 0 0 119 (0) 27

R$ mil

2011 1.153

145

1.153

22 0 123

41 38 1.074

Fiscais e Previdenciárias Negociação e Intermediação de Valores Diversas

RESERVAS DE LUCROS

CAPITAL REALIZADO

1.301

1.552

1.240 61

1.240 312

1.446

2.705 R$ mil

2º Semestre 2012 1.525 0 (94) 0 0 0 0 (130) 0 0 1.301 (224)

TOTAIS

Exercício 2012 1.552 0 (85) 0 0 (23) 6 (149) 0 0 1.301 (251)

Exercício 2011 1.529 (27) 108 0 0 (53) 16 (27) 6 0 1.552 23

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 (Valores em R$ Mil) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A instituição está habilitada à prática das atividades que lhe são atribuídas pela regulamentação aplicável, conforme autorização do Banco Central do Brasil. NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis foram elaboradas, e estão sendo apresentadas de acordo com as normas e instruções do BACEN, bem como em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e com observância as disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações e incorporam as alterações trazidas pelas Leis nos 11.638/07 e 11.941/09. NOTA 3. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS Dentre os principais procedimentos adotados para a elaboração das demonstrações contábeis, ressaltamos: A) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência. B) CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA São classificados como caixa e equivalentes de caixa, numerário em espécie e depósitos bancários disponíveis. C) ATIVO CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Demonstrados pelo valor de aplicação ou de aquisição, acrescido de rendimentos incorridos até a data do balanço. Os valores desses ativos, quando aplicável, foram deduzidos de provisão para ajuste ao valor de mercado. D) TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS Os valores estão registrados pelo valor de aplicação ou de aquisição, acrescidos de rendimentos incorridos até a data do balanço. Os valores destes ativos, quando aplicável, foram deduzidos de provisão para ajustes ao valor de mercado. Atendendo a Circular BACEN nº 3.068/01, os Títulos e Valores Mobiliários, de propriedade da instituição, de acordo com a intenção da administração e por critérios transitórios, foram registrados em “Títulos Disponíveis para Venda”, com reconhecimento dos rendimentos auferidos no resultado do período e ajustados a valor de mercado, quando aplicável. E) ATIVO PERMANENTE - I MOBILIZADO Está demonstrado ao custo de aquisição, acrescido de correção monetária até 31/dez./ 95, ajustado por depreciações acumuladas, calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas em função do tempo de vida útil, fixado por espécie de bens, como segue: Instalações 10% Equipamentos e Instalações de Escritório 10% Equipamentos de Comunicação 10% Equipamentos de Processamento de Dados 20% F) PASSIVO CIRCULANTE E EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos e as variações e correções monetárias incorridos. Estão calculados levando-se em consideração a legislação fiscal em vigor. A provisão para o imposto de renda foi calculada à alíquota de 15% sobre os lucros tributáveis, acrescidos de adicional de 10% acima de limites específicos. A provisão para a contribuição social foi calculada à alíquota de 15% do lucro tributável antes do imposto de renda, ajustado conforme legislação específica. G) LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO Calculado com base no número de ações, conforme boletim de subscrição. H) REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DOS ATIVOS Em 31 de dezembro de 2012, com base no CPC 01 - Redução ao Valor Recuperável de Ativos, a administração da sociedade avaliou, através de fontes internas ou externas, a existência de alguma indicação de que os ativos possam ter sofrido desvalorizações e julgou, dessa forma, não ser necessária a realização do teste de recuperabilidade. NOTA 4. TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS TÍTULOS DISPONÍVEIS CARTEIRA PRÓPRIA Títulos de Renda Fixa Certificado de Depósito Bancário

1A 30 dias

31 A 180 dias

0 0

0 0

181 A a 360 dias

540 540

ACIMA DE 360 dias

640 640

R$ MIL TOTAL EM TOTAL EM 30/DEZ./12 30/DEZ./11

1.180 1.180

1.456 1.456

NOTA 5. COMPOSIÇÃO DE SALDOS DO BALANÇO PATRIMONIAL A) ATIVO CIRCULANTE OUTROS CRÉDITOS Diversos - Impostos e Contribuições a Compensar B) PASSIVO CIRCULANTE OUTRAS OBRIGAÇÕES Diversas - Provisão p/Pagamento a Efetuar - Credores Diversos - País

2012

2011

85 85

170 170

123 64 59

1.074 116 958

PRESENÇA: Totalidade dos membros do Conselho de Administração. MESA: Renan Bergmann, Presidente; Gabriela Las Casas, Secretária. ORDEM DO DIA: 1) Apreciar as renúncias apresentadas pelos conselheiros Guido Padovano, Elemér André Surányi e Ricardo Constantino; 2) Apreciar as renúncias apresentadas pelos membros do Comitê de Auditoria Eduardo Pfiszter e Elemér André Surányi; 3) Aprovar a indicação dos senhores Gustavo Miotti Ubrig, John Leone e Alberto Ribeiro Guth ao Conselho de Administração; 4) Aprovar a indicação dos senhores Gustavo Miotti Ubrig e Fabio Takiy Sekiguchi ao Comitê de Auditoria. DELIBERAÇÕES: O Conselho de Administração deliberou, por unanimidade e sem reservas: 1) Acatar as renúncias apresentadas pelos conselheiros Guido Padovano, Elemér André Surányi e Ricardo Constantino; 2) Acatar as renúncias apresentadas pelos membros do Comitê de Auditoria Eduardo Pfiszter e Elemér André Surányi; 3) Aprovar, conforme disposto no artigo 12, parágrafo 6º, do Estatuto Social da Companhia, as indicações para os cargos de membros do Conselho de Administração, com término de mandato unificado na Assembleia Geral Ordinária de 2014, dos senhores (i) Gustavo Miotti Ubrig, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da cédula de identidade RG n.º 32.748.785-9 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n.º 279.419.418-64, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo; (ii) John Leone, norte-americano, casado, advogado, portador do passaporte n.º 437216196, visto brasileiro n.º 85 0047MB, residente e domiciliado na Cidade de New York, Estado de New York, Estados Unidos da América; e (iii) Alberto Ribeiro Guth, brasileiro, casado, engenheiro, portador da cédula de identidade RG n.º 4047152 IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o n.º 759.014.807-59, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro; 4) Aprovar, conforme disposto no artigo 16 do Estatuto Social da Companhia, as indicações para os cargos de membros do Comitê de Auditoria dos senhores: (i) Gustavo Miotti Ubrig, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da cédula de identidade RG n.º 32.748.785-9 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n.º 279.419.418-64, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo; e (ii) Fabio Takyi Sekiguchi, brasileiro, casado, engenheiro, portador da cédula de identidade RG n.º 25.622.702-0 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n.º 272.818.148-95, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Os membros do Conselho de Administração e do Comitê de Auditoria eleitos são empossados em seus cargos mediante assinatura dos termos de posse lavrados no livro próprio e dos “Termos de Anuência dos Administradores” previsto no Regulamento do Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA, e declaram não estar impedidos de exercer a administração da Companhia por lei especial, nem em virtude de condenação por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fé pública ou a propriedade, ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; e 5) Autorizar os Diretores da Companhia a adotar todas as medidas necessárias à consecução das deliberações acima. ENCERRAMENTO: Esgotada a ordem do dia, os trabalhos foram suspensos para a lavratura desta ata, a qual, reaberta a sessão, foi lida, considerada conforme e aprovada pelos conselheiros, que em seguida a assinam. São José dos Pinhais, 8 de fevereiro de 2013. (a.a.) Renan Bergmann – Presidente. Gabriela Las Casas – Secretária. Conselheiros: Joaquim Constantino Neto, Antonio Kandir, Marcelo Araújo, Manuel Maria Pulido Garcia Ferrão de Sousa, Ricardo Dória Durazzo e Renan Bergmann. Confere com a original. São José dos Pinhais, 8 de fevereiro de 2013. Gabriela Las Casas Secretária Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20130589225 em 14/03/2013.

2º Semestre 2012

Exercício 2012

Exercício 2011

64

174

270

64

174

270

RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

145

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EVENTOS

CONVOCAÇÃO: Dispensada, em virtude da presença da totalidade dos membros do conselho de administração.

Resultado de Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros Derivativos PASSIVO

R$ mil

LOCAL E HORA: Teleconferência realizada às 11:00h.

RECEITAS DE INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO 2012 1.422 82

ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 8 DE FEVEREIRO DE 2013

DEMOSTRAÇÃO DO RESULTADO

CNPJ 82.016.270/0001-55 / Curitiba – PR

ATIVO

COMPANHIA PROVIDÊNCIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ n.° 76.500.180/0001-32 NIRE 41.3.000.5081-3

NOTA 6. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Apuração do imposto de renda e contribuição social em 31 de dezembro: 2012 2011 Lucro antes do imposto de renda e contribuição social (75) 215 Alíquota aplicável 30% 30% Imposto de renda e contribuição social às alíquotas da legislação (22) (64) Efeito de juros sobre o capital próprio 6 16 Efeito de diferenças permanentes líquidas 6 (59) Imposto de renda e contribuição social devidos sobre o resultado do período (10) (107) Os juros s/capital próprio pagos durante o exercício, mencionados na Nota “7”, ocasionaram os seguintes efeitos na carga tributária: 2012 2011 Juros s/capital próprio pagos 23 52 - Efeito tributário - créditos: IRPJ, Adicional IR e CSLL 6 16 Subtotal 6 16 Total do Efeito Tributário 6 16 O efeito tributário mencionado anteriormente foi ajustado da conta de Lucros ou Prejuízos Acumulados para a conta de IR e CS Corrente de forma a não produzir efeitos no Resultado do Exercício. NOTA 7. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Pertencente inteiramente a acionistas domiciliados no país, está composto de 4.133.334 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Reserva de Lucros - Reserva Legal Calculada à alíquota de 5% do Lucro Líquido do exercício, nos termos do artigo 193 da Lei nº 6.404/76. - Reservas Estatutárias Refere-se a constituição de reserva especial de lucros a ser destinado em Assembleia Geral de Acionistas, conforme determinado na letra “c” , artigo n° 27 do Estatuto da Companhia. - Dividendos No presente exercício os dividendos foram ajustados e colocados à disposição dos acionistas, apurado após a destinação das reservas. Juros sobre o Capital Próprio De acordo com a faculdade prevista na Lei nº 9.249/95, a instituição calculou juros sobre o capital próprio com base na taxa de juros de longo prazo (TJLP) vigente no exercício, no montante de R$ 23 mil (R$ 52 mil em 2011), os quais foram contabilizados em outras despesas operacionais, conforme determinado pelo plano contábil das instituições do sistema financeiro nacional. Para efeito dessas informações financeiras, conforme circular nº 2.739/97, do Banco Central do Brasil, esses juros foram eliminados do resultado do exercício, e estão apresentados na conta de Lucros acumulados. NOTA 8. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS As transações e saldos com partes relacionadas, realizadas no contexto das atividades operacionais da instituição, inerente à transferência de recursos, serviços ou obrigações entre partes relacionadas são representadas por pagamento de consultoria e da manutenção de saldos de aplicações em depósitos. Os saldos entre partes relacionadas das contas patrimoniais e das contas de resultado, está demonstrado a seguir: 2012 2011 Passivo 141 43 Credores Diversos - País 141 43 - Inovação Consultoria, Administração e Participações Ltda. 2 1 - VD Consultoria e Participações Ltda. 3 2 - Pessoas Físicas 136 40 Contas de Resultado 40 192 Despesas 40 192 - Inovação Consultoria, Administração e Participações Ltda. 40 168 - VD Consultoria e Participações Ltda. 0 24 As transações ocorridas entre a instituição e suas partes relacionadas são efetuadas com valores e em circunstâncias usuais de mercado. NOTA 9. GERENCIAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS Quanto ao cumprimento das obrigações previstas na Resolução CMN nos 3.380/06, 3.464/ 07, 3.721/09 e 3.988/11, a Distribuidora implementou estrutura organizacional para gerenciamento dos seus riscos operacionais, de mercado, de crédito e de capital, dos processos e dos sistemas necessários à sua efetiva implementação. A descrição da estrutura do gerenciamento de riscos está disponível ao público, na sede da instituição. NOTA 10. COBERTURA DE SEGUROS Em 31 de dezembro 2012 a companhia possuía apólice de seguro contratado junto a seguradora do país para a cobertura de riscos diversos, incêndio, recomposição de documentos, vendaval e roubo para edifícios por valores considerados suficientes para cobrir eventuais perdas.

64

174

270

(158)

(249)

(55)

693 (325) (409) (74) (43)

1.459 (666) (840) (162) (40)

2.436 (714) (1.597) (267) 87

RESULTADO OPERACIONAL

(94)

(75)

215

RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO S/LUCRO E PARTICIPAÇÕES

(94)

(75)

215

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

0

(10)

(107)

0 0

(4) (6)

(62) (45)

OUTRAS RECEITAS/DESPESAS OPERACIONAIS Receitas de Prestação de Serviços Despesas de Pessoal Outras Despesas Administrativas Despesas Tributárias Outras Receitas/(Despesas) Operacionais

Provisão para Imposto de Renda Provisão para Contribuição Social LUCRO LÍQUIDO DO SEMESTRE/EXERCÍCIO Lucro Líquido por Ações

(94)

(85)

108

(0,0227)

(0,0206)

0,0262

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA - MÉTODO INDIRETO 2º Semestre Exercício Exercício 2012 2012 2011 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro antes do IR e CS (94) (75) 215 Ajustes ao Lucro Líquido Depreciações e Amortizações 6 12 12 (88) (63) 227 IR e CS Pagos 0 (10) (107) (AUMENTO)/REDUÇÃO DOS ATIVOS Titulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros Derivativos 254 Rendas a Receber (40) Negociação e Intermediação de Valores 136 Diversos 74 Outros valores e Bens 1 AUMENTO/(REDUÇÃO) DOS PASSIVOS Fiscais e Previdenciárias (18) Negociação e Intermediação de Valores (134) Diversas (849) Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais (664) FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Aquisição de Imobilizado 0 Caixa Líquido Utilizado nas Atividades de Investimentos 0 FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Dividendos Distribuidos (130) Dividendos não Distribuídos 0 Juros s/ Capital Próprio 0 Efeito tributários dos Juros s/ Capital Próprio 0 Caixa Líquido Utilizado nas Atividades de Financiamentos (130) AUMENTO/(REDUÇÃO) LIQUIDO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (794) CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA NO INÍCIO DO PERÍODO 876 CAIXA E EQUIVALENTE DE CAIXA NO FINAL DO PERÍODO 82

277 (32) 39 85 (0)

(1) (7) (1) 171 1

(19) (38) (951) (712)

(133) 1 (752) (601)

(2) (2)

(3) (3)

(150) 0 (23) 6 (167)

(27) 6 (52) 16 (57)

(881) 963 82

(661) 1.624 963

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmos. Srs. DIRETORES e ACIONISTAS da C&D - DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. Curitiba - PR Examinamos as demonstrações contábeis individuais da C&D – DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012, e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS A Administração da C&D – DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil - BACEN e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. RESPONSABILIDADE DOS AUDITORES INDEPENDENTES Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e a adequada apresentação das demonstrações financeira da Instituição para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia dos controles internos da Instituição. Uma auditoria inclui também a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. OPINIÃO SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Em nossa opinião, as demonstrações contábeis referidas acima apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da C&D – DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Curitiba, 06 de fevereiro de 2013. MÜLLER & PREI AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC-PR Nº 6.472/O-1 R EGINALDO B ESCOROVAINE CONTADOR CRC-PR 45.212/O-5

DIRETORIA ANTONIO PEIXOTO CHEREM - DIRETOR ANDERSON JOSE LAURENTINO - CONTADOR CRC 058342/O-7 PR

McDonald’s celebra o Dia Internacional da Síndrome de Down Buscar o equilíbrio perante a diversidade na nossa condição de iguais. Esta é diretriz internacional do McDonald’s, que mantém um programa de incentivo à contratação de pessoas com deficiência e celebra o dia 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down. “Hoje, no Brasil, o McDonald’s conta com mais de 500 profissionais com algum tipo de deficiência. E este quadro será ampliado, já que estão abertas mais 500 vagas para essas pessoas”, comenta Leylah Macluf, gerente de RH da Arcos Dorados, a maior franquia McDonald’s do mundo. O atendente Victor Andreucci trabalha há 14 anos no McDonald’s de Barão Geraldo, em Campinas (SP), tem a síndrome, e é um exemplo de dedicação e talento, reconhecidos por seus gestores. “Nossos profissionais com Síndrome de Down são extremamente comprometidos e integrados no ambiente de trabalho. No McDonald’s, eles fazem todos os treinamentos da empresa, participam de reciclagens e têm tratamento diferenciado se necessário. É muito bom tê-los em nossa equipe”, afirma a gerente de RH. “A pluralidade é condição da nossa existência: somos todos iguais – humanos, sem que ninguém seja exatamente igual a qualquer outra pessoa. Por isso, consideramos que o caminho não é simplesmente a busca pela igualdade, e sim o respeito pela diferença”, conclui Leylah. O McDonald’s está recrutando candidatos para as 500 vagas em aberto, destinadas às pessoas com deficiência no Brasil. Hoje a rede tem em seu quadro de colaboradores mais de 500 profissionais com algum tipo de deficiência, a maior parte delas com deficiência intelectual. Os interessados devem ser maiores de 16 anos. Não é exigida experiência anterior e o início é imediato.


Negócios Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | B1

NOVIDADE

PREF. MUN. DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ Comissão Permanente de Licitações

Boticário inaugura Centro de Pesquisa e Desenvolvimento

O PREFEITO MUNICIPAL DE FAZENDA RIO GRANDE, no uso de suas atribuições legais, RESOLVE: Revogar o Processo Administrativo nº 4.500/2012 de licitação modalidade Concorrência Pública nº 001/2012 com objeto a Concessão de uso a título oneroso das salas comerciais edificadas no Terminal Rodoviário de Fazenda Rio Grande, por interesse da Administração Pública de acordo com a decisão da Comissão Permanente de Licitações. A Presente revogação procede-se com fulcro nas disposições pertinentes estabelecidas no Art. 49 da Lei nº 8666/93.

Empreendimento de mais de 8 mil metros quadrados custou R$ 37 milhões

Fazenda Rio Grande/PR, 15 de Março de 2013. Francisco Luiz do Santos Prefeito Municipal

O

Grupo Boticário, que controla as unidades de negócio O Boticário, Eudora, quem disse, berenice?, The Beauty Box e Skingen Inteligência Genética, inaugurou ontem (21) seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Com mais de 8 mil metros quadrados de área construída, o empreendimento, que recebeu investimentos de R$ 37 milhões, comporta, inicialmente, uma equipe de 230 pessoas exclusivamente dedicadas ao trabalho de inovação em produtos. “Com equipamentos de alta tecnologia, espaços idealizados e projetados com a colaboração da equipe, e um time multidisciplinar de profissionais altamente qualificados, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento reafir-

ma a excelência do Grupo Boticário na criação de produtos de beleza. O empreendimento que temos aqui hoje é compatível com o que há de mais avançado no mundo, dentro do segmento de perfumaria e cosméticos”, afirma o presidente do Grupo Boticário, Artur Grynbaum. Aproximadamente metade do faturamento do Grupo Boticário é resultante dos lançamentos que a organização coloca no mercado por meio de suas unidades de negócio. “A inovação sempre esteve no DNA do Grupo Boticário. Somente em 2012, foram cerca de 1,6 mil produtos novos. Só o lançamento da unidade quem disse, berenice?, inaugurada em setembro, envolveu o desenvolvimento de mais de 500 produtos em cerca de um ano”, complementa

AAAAAAAAAAAAAAAA Central de Serviços Ltda, torna publico que recebeu do IAP, a renovação da Licença de Operação, nº 9556 com validade até 23/07/2013, para Transportadora de Resíduos Industrial e Limpeza Técnica, situada à Rua Cônego Januário da Cunha Barbosa, nº 468 – Curitiba – Pr. AAAAAAAAAAAAAAAA Central de Serviços Ltda, torna público que requereu ao IAP – Instituto Ambiental do Paraná, a Licença de Operação para atividade de Transportadora de Resíduos Industriais e Limpeza Técnica, situada à Rua Cônego Januário da Cunha Barbosa, n° 468 – Curitiba – Pr.

Grynbaum. Nos últimos dois anos, a equipe de pesquisa e desenvolvimento aumentou 40%, estruturando-se por categoria (perfumaria, maquiagem e cuidados pessoais). O Centro foi planejado para comportar, de forma eficiente e inovadora, este novo momento da organização e suportar o crescimento dos negócios. “Além de um aumento considerável de espaço e equipamentos, os ambientes foram concebidos para estimular a criatividade e integração de todas as áreas e pessoas envolvidas nos processos de pesquisa e desenvolvimento de produtos, incluindo as áreas de marketing das unidades de negócio do grupo”, diz o diretor executivo de Operações do Grupo Boticário, Giuseppe Musella. “Trabalhamos com uma média de 2 mil produtos em desenvolvimento simultaneamente. Por isso, cada detalhe que pudesse garantir a eficiência operacional foi fundamental para

chegarmos ao nível de excelência deste novo espaço”, afirma o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Boticário, Richard Schwarzer. Nesse sentido, a ampliação dos recursos para pesquisa é um exemplo dessa eficiência operacional. Para garantir que o consumidor tenha a melhor experiência sensorial com os produtos, houve expansão significativa dos espaços dedicados à sua experimentação. Foram construídas novas cabines automatizadas para testes, com controle de temperatura, fluxo de água, exaustão e iluminação. Nestas cabines, são feitas avaliações relacionadas à fragrância, textura, facilidade de aplicação e resultado visual na pele. Equipamentos de alta tecnologia, tais como câmaras com controle de temperatura e umidade, permitem a comprovação científica da conformidade dos produtos, no que tange à sua eficácia, segurança e estabilidade, tanto em relação à fórmula, quanto às embalagens.

PODER JUDICIARIO Juízo de Direito da 5ª Vara Civel do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba – Paraná Av. Cândido de Abreu, 535 – 3º Andar ED. MONTEPAR – CEP 80.530-906 Telefone: 3016 3279 ESTADO DO PARANÁ UBIRAJARA BINHARA Escrivão Titular Portaria Nº 001/2012 EDITAL DE PRIMEIRO E SEGUNDO LEILÃO E INTIMAÇÃO DA EXECUTADA MARLOA DE FATIMA BOSI FERRARI

SÚMULA DE PEDIDO DE LICENÇA PRÉVIA A SAF - METALÚRGICA LTDA., torna público que requereu à Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curitiba, o pedido de Licença Prévia, para as atividades de: Fabricação máquinas e aparelhos de refrigeração e ventilação para uso industrial e comercial, peças e acessórios; fabricação de outras máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente, peças e acessórios; manutenção e reparação de outras máquinas e equipamentos para usos industriais não especificados anteriormente; localizada na Rua Frederico Meurer, nº 174, Bairro Hauer, Município de Curitiba.

1º Ofício do registro Civil 13º Tabelionato Leão Bel. Ricardo Augusto de Leão - Oficial Trav. Nestor de Castro, 271 - CEP 80.020-120 Centro - Curitiba - PR EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem casar-se: 1 - HELIO MIGUEL SILVEIRA FILHO e CAROLINA REINE DE PAIVA CLEMENTE. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 21 DE MARÇO de 2013

BRASILSAT HARALD S/A CNPJ 78.404.860/0001-88 – NIRE 41300004536 Capital Social Autorizado R$ 130.000.000,00 Ata da 49ª ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DATA E LOCAL: Realizada às 11:00 horas do dia 07 de fevereiro de 2013, na sede da sociedade à Rua Guilherme Weigert, 1955, em Curitiba – PR. PRESENÇA: Foi constatada a presença de acionistas representando 100% (cem por cento) das ações com direito a voto, conforme o Livro de Presença de Acionistas. CONVOCAÇÃO: Dispensada a comprovação devido a presença de 100% dos acionistas conforme o art. 124, parágrafo 4º, da Lei 6.404/76. COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidente – João do Espírito Santo Abreu, Secretária – Gelza Regina de Abreu. ORDEM DO DIA DA 49ª ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA: a) Apreciação da Proposta da Diretoria para abertura de nova filial e alteração dos objetivos sociais com a conseqüente alteração dos artigos 2º e 3º do Estatuto Social. b) Outros assuntos de interesse geral. DELIBERAÇÕES APROVADAS NA 49ª ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA: a) Foi aprovada por unanimidade a proposta da Diretoria para abertura de 01 (uma) filial no Estado do Amazonas. A filial ora criada, será localizada na Rua Rio Içá, Nº 480, 1º andar, sala 105, Edifício Celebration Smart Offices, Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, CEP 69.053-100, na Cidade de Manaus, Estado do Amazonas, e terá o capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Então fica acrescentado ao artigo 2º, do Estatuto Social, o Parágrafo 6º, que passa a ter a seguinte redação: “Artigo 2º (...) Parágrafo 6º - A sociedade possui 01 (uma) filial, em Manaus-AM, na Rua Rio Içá, Nº 480, 1º andar, sala 105, Edifício Celebration Smart Offices, Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, CEP 69.053-100 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Com a alteração, o artigo 2º passa a ter a seguinte redação: “Artigo 2º - A sociedade tem foro e sede em Curitiba, PR, na Rua Guilherme Weigert, 1955, no Bairro Santa Cândida, CEP 82.720-000. Parágrafo 1º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Curitiba, PR, na Rua Pedro Gusso, 2486, no Bairro Cidade Industrial de Curitiba – CIC, CEP 81.310-300 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 20% do total do capital social da empresa. Parágrafo 2º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Colombo, PR, na Rodovia da Uva, 1669, Roça Grande, CEP 83.402-000 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Parágrafo 3º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Curitiba, PR, na Rua Theodoro Makiolka, 4100, no Bairro Barreirinha, CEP 82.710-000 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Parágrafo 4º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Piraquara, PR, na Rua Espírito Santo, S/N, Jd Estados 2, CEP 83.308-100 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Parágrafo 5º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Almirante Tamandaré, PR, na Rodovia dos Minérios, Nº 75, Colônia Lamenha Grande, CEP 83.507-000 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Parágrafo 6º - A sociedade possui 01 (uma) filial em Manaus, AM, Rua Rio Içá, Nº 480, 1º andar, sala 105, Edifício Celebration Smart Offices, Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, CEP 69.053-100 e, para efeitos contábeis e fiscais, capital social destacado de 10% do total do capital social da empresa. Ainda no item, a) foi aprovada, também, a alteração do artigo 3º bem como a inclusão, alteração e re-numeração de parágrafos. Com a alteração, o artigo 3º, passa a ter a seguinte redação: “Artigo 3º - A sociedade tem como objetivos sociais: Comercialização, importação, exportação e fabricação de aparelhos de recepção, reprodução, gravação e amplificação de áudio e vídeo, incluindo a fabricação de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos, receptores e decoderes de TV via satélite, antenas micro parabólicas e demais equipamentos e dispositivos para telecomunicações, estruturas e demais itens voltados para captação de energia eólica, artefatos de concreto pré-moldado para abrigo de equipamentos de informática e telecomunicação, galvanização, embalagens, tampografia, armazenagens de equipamentos e dispositivos para telecomunicações, antenas, refletores, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria, serviço de abastecimento de veículos próprios, locação de bens móveis, participação em outras empresas controladas, coligadas e outros empreendimentos e importação de materiais de segurança. Parágrafo 1º. A matriz, ou sede, executará os seguintes objetivos sociais: Comercialização, importação, exportação e fabricação de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos e demais equipamentos e dispositivos

F / A / Z S / A / B / E / R a todos quanto o presente edital virem ou conhecimento dele tiverem, que será(ao) levado(s) a LEILÃO , bem(s) penhorado de propriedade dos requeridos MARLOA DE FATIMA BOSI FERRARI, na forma a seguir transcrita: VENDA EM PRIMEIRO LEILÃO: no dia 04 de Abril de 2013, a partir das 14.00 horas. VENDA EM SEGUNDO LEILÃO: no dia 08 de Abril de 2013, a partir das 14.00 horas, pelo melhor lance, desde que não configure preço vil, e a ser aferido no caso concreto (observando-se o valor do débito, o valor do bem, e a dificuldade de comercialização). OBSERVAÇÃO: Fica o Sr. Leiloeiro autorizado a receber lances por meio eletrônico, a partir do primeiro dia útil subsequente à publicação do edital de leilão, a ser oferecido em tempo real e em igualdade de condições com o pregão físico, mediante acesso ao sítio da internet http://www. leiloesecia.com.br, e, ainda, da autorização para venda direta; além do pagamento relativo ao valor da arrematação, o arrematante pagará: o valor das custas de expedição de Carta de Arrematação (escritura) a ser verificado no ato; 5% (cinco por cento) sobre o valor da venda, relativo a Comissão do Leiloeiro Oficial. Se não houver expediente forense nas datas designadas, o Leilão realizar-se-á no primeiro dia útil subsequente. LOCAL: Rua Carmelina Cavassin, 1525 – Sob 01, bairro Abranches na cidade de CuritibaPr. PROCESSO: Autos nº 1183/2009, em que o CONDOMINIO EDIFICIO VALENTE XXII, move em face de MARLOA DE FATIMA BOSI FERRARI – CPF 432.566.780-68. DESCRIÇÃO DO(S) BEM(NS): Apartamento nº 2001 no 20º pavimento do Edificio Valente XXII, situado na Travessa Capitão Clementino Paraná, nº 46, com área construída privativa de 202,40m2, área comum de 51,9629m2, área construída global de 254,3629m2, com as demais características constantes na Matricula nº 43.719 da 5ª CRI de Curitiba-Pr., IF 43.025.068.019-6. AVALIAÇÃO: R$ 687.000,00 (Seiscentos e Oitenta e Sete Mil Reais) VALOR DA DÍVIDA: R$ 434.437,19 (Quatrocentos e Trinta e Quatro Mil, Quatrocentos e Trinta e Sete Reais e Dezenove Centavos) atualizada até o Mês de Fevereiro de 2013, que deverá ser reatualizada pela requerente até a data do primeiro Leilão. LEILOEIRO PÚBLICO OFICIAL: JOAO LUIZ DE OLIVEIRA, devidamente registrado na Junta Comercial do Paraná sob o nº 11/041-L. COMISSÃO DO LEILOEIRO: em caso de arrematação, a comissão devida será de 5% sobre o valor dos bens móveis e imóveis, a ser pago pelo arrematante; em caso de adjudicação ou havendo acordo, a comissão devida será de 2% sobre o valor da avaliação, a ser pago pelo executado; em caso de remição, 2% sobre o valor da avaliação, a ser paga pelo exequente; em havendo extinção por pagamento, a comissão será de 2% sobre o valor da avaliação, a ser pago pelo executado. DEPOSITO: Depositário Publico ÔNUS: 1ª Hipoteca em favor de BANCO BRADESCO S/A conforme R 4-43.719; Penhora nos Autos de Execução Fiscal nº 11.763/2011 da 2ª Vara da fazenda publica desta Comarca conforme R 5-43.719, débito junto a Prefeitura Municipal de Curitiba no valor de R$ 41.346,38 (Quarenta e Hum Mil, Trezentos e Quarenta e Seis Reais e Trinta e Oito Centavos) mais custas processuais; e eventuais débitos constantes na matricula imobiliária. INTIMAÇÃO: Fica(m) desde logo intimado(s) o(s) REQUERIDO(S) MARLOA DE FATIMA BOSI FERRARI – CPF 432.566.780-68, na pessoa de seu representante legal, da data acima, se porventura não for(em) encontrado(s) para intimação pessoal no endereço constante dos autos desde já ficam intimados através do presente Edital, bem como para o efeito do artigo 687, parágrafo 5ºdo CPC de que, antes da arrematação e da adjudicação do(s) bem(ns), poderá(ão) remir a execução, consoante o disposto no artigo 651 do CPC, bem como poderá(ão) oferecer embargos a arrematação ou à adjudicação, dentro do prazo de 05 (cinco) dias. E, para que chegue ao conhecimento dos interessados e especialmente da executada MARLOA DE FATIMA BOSI FERRARI – CPF 432.566.780-68, e no futuro não possam alegar ignorância ou desconhecimento, mandou expedir o presente edital que será afixado em local de costume e publicado na forma da lei, DADO e PASSADO nesta cidade e Comarca de Curitiba, Estado do Paraná, aos Sete Dias do Mês de Março de Dois Mil e Treze. Eu, UBIRAJARA BINHARA, Escrivão Titular, que o digitei e subscrevi Curitiba, 07 de Março de 2013. UBIRAJARA BINHARA ESCRIVÃO TITULAR POR ORDEM DO MM. JUIZ DE DIREITO PORTARIA Nº 001/2012

para telecomunicações, estruturas e demais itens voltados para captação de energia eólica, artefatos de concreto pré-moldado para abrigo de equipamentos de informática e telecomunicação, galvanização, embalagens, tampografia, armazenagens de equipamentos e dispositivos para telecomunicações, antenas, refletores, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria, serviço de abastecimento de veículos próprios, locação de bens móveis, participação em outras empresas controladas, coligadas e outros empreendimentos e importação de materiais de segurança. Parágrafo 2º- A filial localizada em Curitiba, PR, na Rua Pedro Gusso, 2486 executará os seguintes objetivos sociais: Comercialização, importação, exportação e fabricação de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos e demais equipamentos e dispositivos para telecomunicações, estruturas e demais itens voltados para captação de energia eólica, artefatos de concreto pré-moldado para abrigo de equipamentos de informática e telecomunicação, galvanização, embalagens, tampografia, armazenagens de equipamentos e dispositivos para telecomunicações, antenas, refletores, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria, serviço de abastecimento de veículos próprios, locação de bens móveis e importação de materiais de segurança. Parágrafo 3º- A filial localizada em Colombo, PR, na Rodovia da Uva, 1669, executará os seguintes objetos sociais: Comercialização, importação, exportação e fabricação de estruturas e artefatos de concreto pré-moldado para abrigo de equipamentos de informática e telecomunicação, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria, locação de bens móveis e importação de materiais de segurança. Parágrafo 4º- A filial localizada em Curitiba, PR, na Rua Theodoro Makiolka, 4100, executará os seguintes objetivos sociais: Comercialização, importação, exportação, embalagens e armazenagem de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos e demais equipamentos e dispositivos para telecomunicações, tampografia, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria. Parágrafo 5º- A filial localizada em Piraquara, PR, na Rua Espírito Santo, s/n, Jd Estados 2, CEP 83.308-100 executará os seguintes objetos sociais: Comercialização, importação, exportação, embalagens e armazenagem de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos e demais equipamentos e dispositivos para telecomunicações, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria. Parágrafo 6º- A filial localizada em Almirante Tamandaré, PR, na Rodovia dos Minérios, nº 75, Colônia Lamenha Grande, CEP 83.507-000 executará os seguintes objetivos sociais: Comercialização, importação, exportação, embalagens e armazenagem de antenas de telecomunicações, bem como conectores, cabos e demais equipamentos e dispositivos para telecomunicações, tampografia, transporte rodoviário urbano e interurbano de carga própria. Parágrafo 7º - A filial localizada em Manaus, AM, na Rua Rio Içá, Nº 480, 1º andar, sala 105, Edifício Celebration Smart Offices, Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, CEP 69.053-100 executará os seguintes objetivos sociais: Fabricação, comercialização, importação e exportação de aparelhos de recepção, reprodução, gravação e amplificação de áudio e vídeo, incluindo a fabricação de receptores e decoderes de TV via satélite e antenas micro parabólicas. QUORUM DELIBERATIVO – Todas as deliberações foram aprovadas pela unanimidade dos acionistas presentes. ENCERRAMENTO – Nada mais havendo a tratar, os trabalhos foram suspensos para lavratura da presente Ata que foi em seguida, lida, aprovada e assinada por todos os presentes. CERTIDÃO - A presente é cópia fiel da Ata lavrada à folha 19-V a 20-V do Livro Registro de Atas das Assembléias Gerais n. º 002 registrado na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o n. º 08/217539-0 em 10/10/2008. Registro na JUCEPAR sob n. º 20130907677 em 21/02/2013. João do Espírito Santo Abreu Gelza Regina de Abreu Presidente Secretária ACIONISTAS Brasilsat Ltda. João do Espírito Santo Abreu p. João do Espírito Santo Abreu p. Gelza Regina de Abreu Gelza Teixeira de Abreu João Alexandre de Abreu Gelza Regina de Abreu Afrânio Ricardo de Abreu

REVOGAÇÃO DE LICITAÇÃO

PREF. MUN. DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ Comissão Permanente de Licitações Aviso de Retificação Retifica-se o Aviso de Licitação publicado no Jornal indústria e Comércio No dia 04 de março de 2013 – Edição 8819 Pág A7. ONDE SE LÊ: Processo Administrativo nº. 17668/2013 PREGÃO PRESENCIAL Nº. 009/2013 Tipo: Menor Preço – Item LEIA-SE: Pregão Presencial Nº. 010/2013 Processo Administrativo nº. 2478/2013 Tipo: Menor Preço – Global Fazenda Rio Grande/PR, 21 de Março de 2013. Luiz Rafael Lopes Presidente da CPL

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO PARANÁ Comarca da Região Metropolitana de Curitiba Foro Regional de Colombo – Paraná 2ª Secretaria Cível e Anexos Edital de Citação: Réus ausentes, incertos, desconhecidos e eventuais interessados. Usucapião Extraordinário Prazo: 30 dias Autos nº 0002647-43.2012.8.16.0028 Espécie: Usucapião Parte Requerente: Carla Munique de Lima Parte Requerida: Isac Pinheiro de Lima Data da Distribuição da Ação: 12/04/2012. Valor da Causa: R$ 10.000,00 (dez mil reais) Finalidade: Citação dos Réus ausentes, incertos, desconhecidos e eventuais interessados, na forma do art. 942 do CPC, nos termos da presente ação de usucapião do imóvel adiante descrito e caracterizado, consoante consta na petição inicial a seguir resumida, para, no prazo de 15 (quinze) dias, contados da expiração do prazo deste edital, apresentem resposta, sob pena de serem considerados como verdadeiros os fatos articulados pela parte autora na peça vestibular. Resumo da Inicial: Resenha da inicial a seguir transcrita “1) Há mais de 10 anos, os ora requerentes, mantém a posse mansa e pacífica, contínua e ininterrupta, sem oposição de terceiros, de uma pequena área de terra urbana. É nesta que edificaram pequena casa onde residem com o (a/s) filho (s/as) do casal. A área encontra-se perfeitamente delimitada pelo Memorial Descritivo juntado em anexo: MEMORIAL DESCRITIVO. Memorial descritivo do lote Urbano nº 9 da Quadra “L”, da Planta São Gabriel, com área de 428,70 m2, com número predial 303, lado ímpar da Rua João pessoa, estando a 32,33 metros da rua coronel Oliveira Cabral, imóvel contendo uma casa de alvenaria, pertencente a Isac Pinheiro de Lima, cadastrado na prefeitura de Colombo com a indicação fiscal 02.01.055.0074.001, localizado no Bairro São Gabriel, no município de Colombo PR; com as seguintes medidas e confrontação: Medindo 13,24 metros de frente para a rua João Pessoa,confrontando com a mesma rua ao Sul; medindo 33,90 metros do lado direito para quem de frente olha o terreno, confrontando com os lotes 10 e 12C a Leste; medindo 31,68 metros do lado esquerdo de quem de frente olha o terreno pela rua João Pessoa, confrontando com o Lote 8 a Oeste; e, finalmente, medindo 13,00 metros na linha de fundos, onde confronta-se com o lote 14. Colombo, 17 de janeiro de 2012. Resp. técnico: Marcos Garcia do Amaral Agrimensor CREA 2,125 TD/ PR. 2) O imóvel ocupado pelos requerentes, devidamente limitado, é também descrito no Levantamento/Planimétrico, cujos documentos seguem em anexo. 3) Segundo consta no registro imobiliário o referido Lote é de propriedade de Romário Tanner e Palmira Gigeri Tanner, cuja qualificação é desconhecida, assim como paradeiro, localização e endereço (incerto). 4) Os confinantes são os seguintes : 3.1) Sr. Cleiton Rodrigues da Neves, casado com a Sra. Ilda Forte Garcia das Neves, brasileiros, residentes e domiciliados na rua Otávio Martins, 49, Bairro São Gabriel, CEP; 83.407-120, na Cidade de Colombo-PR. 3.2) Sr. Antônio Roberto Bernardino, casado com a sra. Dalair Jory Bernardino, brasileiro, residentes e domiciliados na rua João Pessoa, 289, Bairro São Gabriel, CEP: 83.407-120, na cidade de Colombo-PR. 3.3) Sra. Maria Adelaide Veng Francisco, brasileira, viúva, residente e domiciliada na rua João Pessoa, 317, bairro São Gabriel, CEP: 83.407-120, na cidade de Colombo-PR. 3.4) Jorge Luiz Pontes e Terezinha de Jesus dos Santos, residentes e domiciliados na rua Coronel Oliveira Cabral, 166, bairro São Gabriel, cidade de Colombo-PR. 4) Assim que os Autores emitiram-se na posse do imóvel, passaram a possuí-lo com “animus domini” , ou seja, possuindo-o como seu, nele domiciliados até a presente ata, caracterizando-se neste ato continuado a intenção de ter a coisa como própria, exteriorizada, inclusive, pelo fato relevante de ter edificado uma casa no referido lote. O referido imóvel serve de moradia dos Autores. Juntam-se declarações em anexo. 5) Estando satisfeitos os requisitos essenciais e necessários a obtenção do domínio do referido imóvel, por usucapião urbano, nos termos do prescrito no art. 183 da Carta Magna vigente, acham-se os autores em condições de ajuizar a presente Ação de Usucapião Urbano, visando a obtenção de reconhecimento dos seus direitos e para que possa estar devidamente legalizada a propriedade que, de fato, já lhes pertence. 6) Os ora requerentes não são proprietários de imóvel rural ou urbano, como faz prova com as inclusas certidões. DIANTE DO EXPOSTO, REQUEREM: 1) Seja designada audiência de oitiva de testemunha, cujo rol será apresentado no prazo legal, as quais comparecerão em Juízo, independentemente de intimação, para comprovar o alegado acerca da posse do imóvel descrito, inclusive seu período; 2) A citação, por edital e por carta AR dos confrontantes/conflitantes já nominados com respectivos endereços, para que, querendo, manifestem interesse na presente ação, no prazo legal, sob pena de confissão e revelia, valendo referida citação para todos os atos processuais; 3) A citação por edital, no Diário da Justiça, de terceiros incertos e desconhecidos, bem como de quaisquer interessado no presente feito processual, com residência e domicílio incerto e não sabido, valendo referida citação para todos os atos processuais; 4) A intimação, por AR, dos doutos representantes da Procuradoria da República, da Procuradoria Geral do Estado e da Procuradoria Geral do Município de Colombo para manifestarem eventual interesse destas instituições neste feito processual; 5) A intimação pessoal do representante do Ministério Público, para todos os atos deste processo, inclusive para a audiência; 6) Seja, ao final, a ação julgada procedente, por sentença judicial, declarando em favor dos autores o domínio do imóvel descrito nesta inicial, determinando Vossa Excelência, a expedição do correspondente mandado de procedimento de registro da sentença, ao registro de imóvel competente, o Cartório de Registro de Imóveis da Circunscrição de Registro de Imóveis da Comarca de Colombo, determinando a abertura de matrícula nova ao lote então usucapido, bem como a expedição de mandado à Prefeitura Municipal de Colombo para que proceda a abertura de matrícula, ao imóvel usucapido, no Cadastro Final de Contribuintes ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), para fins de contribuição ao Município. Protesta por todos os meios de prova admitidos em Direito. Dá-se à causa o valor de R$ 10.000,00 (dez mil).” DESPACHO: “1. Citem-se os confrontantes do imóvel objeto da presente ação e, por edita, com o prazo de 30 (trinta) dias, os réus em lugar incerto e os eventuais interessados, para contestar a ação, no prazo de 15 (quinze) dias. 2. Considerando que a parte autora desconhece o paradeiro dos requeridos, diligencie-se a secretaria junto ao sistema da COPEL a fim de obter o endereço dos mesmos. 3. Em sendo localizado o endereço dos requeridos, citem-se os mesmos para, querendo, apresentar contestação no prazo de 15 (quinze) dias. 4. Constem no mandado as advertências de praxe (art. 285 e 319 CPC). 5. Sendo apresentada defesa, diga o autor. 6. Intime-se via postal, para que manifestem interesse na causa os representantes das Fazendas Públicas da união, do Estado e do Município. 7. Ciente o Ministério Público. 8. Intimemse. Colombo, 28 de maio de 2012. LETÍCIA ZÉTOLA PORTES – Juíza de Direito” Eu, (a) (Guilherme Gehein), Analista Judiciário, digitei e subscrevi a presente. Colombo, 8 de fevereiro de 2013-03-07 TATHIANA YUMI ARAI JUNKES Juíza de Direito Substituta


3

a

margem arte&atitude

Especial Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | B3

moda&cia

Nem te Conto Mês do Teatro

Adélia Maria Lopes adeliamarialopes@yahoo.com.br

Croods, a comédia pré-histórica S

em superar o medo, não temer o novo ou estimular ideias, a humanidade ainda estaria nas cavernas, temendo o escuro. É o que Croods, filme da DreamWorks que estreia nesta sexta dia 22, quer demonstrar. E faz isso de maneira divertida, através de uma família em que a rebelde é uma adolescente, em choque com a figura paterna, o que faz lembrar Valente, desenho animado que ganhou o Oscar neste ano. Mas um dia a família Croods, mesmo a

contragosto do patriarca-protetor, tem que sair de seu mundinho. E lá vão eles: o pai, a mãe, a sogra, um casal de filhos, um futuro pretendente da mocinha rebelde e um mico pré-histórico bem divertido. O cenário que se segue é repleto de fauna e flora exuberantes, dignas de uma visão em 3D. Os melhores momentos de humor acontecem nos instantes em que o Croods-pai espera que a sogra sucumba no fim do mundo. Ao fim, pre-

valece a união familiar e uma trégua no conflito de gerações. O filme é uma animação escrita por Chris Sanders (Lilo & Stitch, O Rei Leão) e dirigida por Kirk DeMicco. Conta entre os dubladores originais com Nicolas Cage e Emma Stone. Mas se tiver que ir com a criançada, relaxe: a versão brasileira não compromete. (Nas salas da Rede Cinesystem em Curitiba,na compra de um ingresso ganha uma tag de porta).

Neste mês em que se realiza do Festival de Curitiba, época eleita devido ao aniversário da cidade (28) é também o das efemérides cênicas: nessa quinta 21 comemora-se o Dia Mundial do Teatro e no dia 27 próximo é o Dia do Ator. Enquanto isso, o show não pode parar. No Teatro Regina Vogue, está em cartaz a peça infantil Algum Pontinho no Caminho entre o Céu e a Terra, dirigida por Maurício Vogue, filho da veterana e combativa atriz que dá nome à casa de espetáculo localizada no Shopping Estação.(Aos sábados ou domingos, às 16h, até 31 de março, a 20 e 10 reais). P.S: O Teatro Regina Vogue possui três amplos camarins, um elevador de carga capaz de transportar até um piano de cauda e o mais alto urdimento dos teatros da cidade, com 16 metros de altura. E tem 326 lugares.

Mish Mash

Andrea Bocelli está no cinema Amor em Portofino, com o tenor italiano Andrea Bocelli, será exibido apenas neste fim de semana, de sexta a domingo 24, em quinze salas da rede UCI (em Curitiba, nos shoppings Estação e Palladium). Com locação em um dos locais mais românticos do mundo, a apresentação reúne famosas canções românticas, orquestra de 40 músicos e também a brasileira Sandy emo dueto com a música Corcovado, de Tom e Vinícius.

O show foi gravado na cidade italiana, cujo porto é muito bonito, com produção de David Foster, vencedor de 16 estatuetas do Grammy. A transmissão compreende ainda uma entrevista com Bocelli, concedida exclusivamente para os cinemas. Durante cem minutos, ele canta em italiano, além de espanhol, francês e português. Exibição nesta sexta e sábado às 19h e no domingo, 15h. Ingressos a 60 e 30 reais.

Mr. Chuck

Cinema e teatro no Palácio Iguaçu O governador Beto Richa e o secretário da Cultura, Paulino Viapiana, transformaram em palco, na tarde dessa quinta dia 21, o gabinete do terceiro andar do Palácio Iguaçu. Elenco principal: a atriz, diretora e dramaturga Denise Stoklos, condecorada com a Ordem do Pinheiro, e os vencedores do Prêmio Estadual de Cinema e Vídeo do Paraná. A Ordem do Pinheiro, instituída em 1972, é a mais alta comenda

do Estado. A iratiense Denise Stoklos esteve entre as personalidades que foram agraciadas com a comenda no ano passado, mas na ocasião não pode comparecer ao evento. Os vencedores da edição 2012 do prêmio que apoia o cinema paranaense são Antônio Roberto Gonçalves Junior, da categoria longa-metragem com o filme O Homem que Matou a Minha Amada

Morta, e os da categoria telefilme, Gilberto Baroni Filho (O Amor de Catarina e a Caixa de Sapatos), Luciano Schmidt Coelho (Blindagem - Não Quero Morrer de Frio, Eu Quero Morrer de Rock), e Claudia Dybas da Natividade (Vladson). Os realizadores, que assinaram o contrato no Palácio Iguaçu, receberão 1,540 milhão de reais para a produção dos quatro filmes, sendo um milhão para o longa-metragem

e 180 mil para cada telefilme. Nessa quarta edição do Prêmio Estadual de Cinema e Vídeo, que não era realizado desde 2008, foram inscritos 23 projetos. Bons filmes nasceram das edições passadas: Corpos Celestes (2004), de Fernando Severo e Marcos Jorge, Mistéryos (2005), dirigido por Beto Carminatti e Pedro Merege Filho, e Curitiba Zero Grau (2008), de Eloi Pires Ferreira (2012).

O último Elvis tem pré-estreia O Cineplex do Shopping Novo Batel terá, nesta sexta-feira 22) a pré-estreia do filme "O último Elvis", com sessão às 20h15. A produção argentina, que vem percorrendo o circuito de festivais, marca a estreia de Armando Bo na direção e conta a história do cantor cover de Elvis Presley, que vive entre a realidade e a fantasia. Também no Cineplex Batel estreia o filme "Disparos", primeiro longa-metragem dirigido por Juliana Reis, vencedor na mostra competitiva Première Brasil do Festival do Rio 2012, nas categorias Melhor Ator Coadjuvante (Caco Ciocler), Melhor Fotografia e Melhor Montagem. O suspense conta a história do fotógrafo Henrique (Gustavo Machado), que se envolve em um caso de violência pela cidade ao ser assaltado por motoqueiros, que são atropelados por um carro não identificado.

Camerata abre temporada com Bach Em homenagem aos 320 anos da cidade, a Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência do maestro mineiro Luís Otávio Santo, apresenta a Missa em Si Menor BWV 232, de Johann Sebastian Bach (1685-1750), abrindo, neste fim de semana, a temporada 2013 de concertos patrocinada pelo Ministério da Cultura/Volvo. “A Missa em Si Menor BWV 232, concebida numa escala monumental, é um dos picos mais altos do gênio humano. Numa entrevista que tive com Villa-Lobos, ele disse emocionado que realizou a execução dessa obra com seus professores no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, mas o fez de joelhos!”, revela no programa o maestro emérito da Camerata, Roberto de Regina. O concerto terá ainda as vozes das sopranos paranaenses Marilia Vargas e

Luciana Melamed, contratenor mineiro Pedro Couri Neto, o tenor catarinense Marcos Liesenberg e do barítono austríaco Norbert Steidl. Neste ano, a Camerata acrescenta às suas performances breves palestras de especialistas. O convidado desta primeira edição é o maestro Osvaldo Colarusso, que regeu por muitos anos a Orquestra Sinfônica do Paraná. “A excelência do trabalho da Camerata Antiqua é referenciada com a série de palestras, que até o final do ano reunirá comentaristas para abordar obras de autores consagrados, abrindo ao público novas janelas para a apreciação musical”, destaca o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, adiantando que em novembro ela fará concerto com o grupo mineiro Uakti, que compôs especialmente para orquestra de cordas.

Imperdível: A palestra antecede as apresentações e, nesta sexta 22, começa às 19h15, e no sábado às 17h45. Na Capela Santa Maria (Rua Conselheiro Laurindo, 273). Ingressos a 30 e 15 reais.

Show de variedades do Festival de Curitiba, o Mish Mash ganha lançamento neste sábado 23, das 17 às 19h, na bilheteria do Palladium, com presença do diretor do evento, Leandro Knopfholz. Em sua quinta edição, o MM terá como palco o ParkCultural, nos dias 6 e 7 de abril, às 20h. Mágica, malabarismo, dança, música e outras artes entram nesse mix. Além do Palladium e do ParkShoppingBarigui, os ingressos para todas as mostras do festival estão à venda também no Shopping Mueller.

Para a única apresentação do Chuck Berry no Brasil, que acontece no próximo dia 12 em Curitiba, os ingressos já estão novos preços, de 135 a 335 reais, conforme os melhores lugares do Teatro Positivo. Com realização da Prime, o ícone do rock mundial se despede dos palcos aos 86 anos. Imperdível. Ingressos à venda nos shoppings Palladium, Mueller e Estação. Fone (41) 33150808.

Mark Ronson

O Dj e produtor musical Mark Ronson, embaixador do perfume masculino Fan di Fendi Pour Homme, vem ao Brasil. Estará em 28 de março na casa noturna Posh Club, localizada em Jurerê Internacional, uma das praias mais badaladas de Floriapa. Ronson é produtor musical de Adele, Lily Allen, Duran Duran e Robbie Williams. Levou o Grammy como produtor do ano em 2008 pelo álbum de Amy Winehouse “Back to Black”. Escolhido por Silvia Fendi para representar a elegância da marca, Ronson irá agitar a noite de pré-feriado na badalada Posh Club com presença de clientes vipados.

Nossos sons

1- Nesta sexta 22, às 19h30, no Sesc Centro, tem apresentação do Grupo Fato, que realizou um belo trabalho no DVD Da Tamancalha ao Sampler. 2- Estrela Leminski e o Téo Ruiz agendam lançamento de seu primeiro DVD, São Sons, na cidade: será nesta sexta dia 22, na Livraria Cultura, no Shopping Curitiba.

Festa à parte

Um dos momentos especiais da festa de dez anos do ParkShopping Barigui foi reservada pela Recco, que lançou sua linha de cosméticos (aromatizante de ambiente, hidratante bifásico, sabonete líquido, batom, gloss e caneta delineadora para olhos). Os aromas lembram requinte e sofisticação, com notas de champagne airada e mica dourada. A novidade surge após pesquisas e testes por três anos em São Paulo e Milão. Entretanto, a marca de lingeries “não pretende se especializar em cosméticos, mas sim agregar elementos do estilo de vida Recco à vida dos consumidores”, ressalta o diretor da empresa paranaense, Antonio Recco

Luminosa idade

Adriana e Marcelo Sypniewski, donos da Grey House Iluminação, comemoram os 25 anos da casa com profissionais de arquitetura e decoração curitibanos. A festa será nesta segunda 25 no Buffet Du Batel, quando será apresentado o selo de aniversário, que fará parte de toda a comunicação visual longo de 2013.


Nacional Curitiba, sexta-feira a domingo, 22 a 24 de março de 2013 | B4 | Indústria&Comércio

Design &Comunicação

Renato Olivetti

rennato@rennato.com.br

Arruelas de Roma Quando em 1975, junto com a primeira geração que iria adentrar com menos de dezoito anos de idade nas universidades, fazendo a transição da ditadura militar e a “pseudodemocracia”, lá estava o autor deste artigo. A orientação para os fedelhos da época era ler muito para saber escrever razoavelmente bem. A regra continua valendo, mas é claro que por mais leitura que façamos o talento da escrita é quase divino e ficamos a observar os “poucos que são os escolhidos”. Mas no final da adolescência e o início da vida adulta, pensamos que sabemos. Lembro que, por sermos uma camada de estudantes mais politizada, liamos por “entre linhas” nos jornais, fossem alternativos ou os “da grande imprensa”, o que os militares da época faziam no poder apoiados por parte da sociedade mais conservadora. É bem possível que teremos sempre a dúvida se caso a vida fosse uma linha contínua, segundo as nossas escolhas, se conseguiríamos as realizações com perfeição absoluta, sem erros. Mas para todos nós as bifurcações dos caminhos da vida, tornam sempre difíceis as tomadas de decisões. Da camisa numero um do Coritiba Foot Ball Club ficou somente as lembranças de ganharmos várias vezes daquele rival lá da baixada, e de quantas “fechei” o gol para alguns títulos que tenho como infanto-juvenil, o que hoje seria a categoria pré-sub-20. O “Ego” de ser visto, por mais de cinquenta mil espectadores, na preliminar de um clássico que o Time do “Coxa” tivesse jogado, se aproximaria ao de um designer recebendo alguma premiação. Mas o Design Gráfico sempre esteve presente no futebol, como nos escudos quando da criação dos times, e se evidenciou com o Flamengo na década de oitenta pela inovação das camisas e a marca LUBRAX antecipando o “merchandising”. Atualmente este tipo de publicidade é tão agressiva, que descaracteriza a história dos clubes. A politização exagerada e a leitura de jornais levou parte de uma geração para o jornalismo, editoras ou áreas relacionadas. E para quem se identificava com o jornalismo, ler um jornal era absorvê-lo de ponta a ponta. Devo ter companheiros de indignação para com os erros nos textos, principalmente nos jornais ditos “os grandes jornais”. Mas para entender e aceitar as “erratas”, só compreendendo como se faz um jornal. E apesar de não ter seguido o caminho jornalístico, novamente vejo uma atividade que me encantava se aproximar do Design, o qual modificaria mais intensamente a apresentação “estética” dos “Periódicos” a partir da década de noventa. Quando ficamos um pouco mais experientes na vida entendemos que tudo é muito parecido em todas as atividades. Buscamos a perfeição evidente, mas isto não quer dizer que tenhamos um percentual absoluto, os “cem por cento” em tudo que venhamos a fazer. Finalizando o artigo, e justificando o mesmo, além do título, segue esta narrativa. Houve um fato na PUC-PR, no curso de Design, com um docente que havia entrado na sala com alguns vasos de cerâmica nos braços. Quando o tal professor foi coloca-los sobre a mesa pois seria material para observação e reprodução dos mesmos em desenho, lá se foram todos pelo chão, todos quebrados. Foi uma gargalhada geral dos alunos que sabiam da fama de “exigente” do fulano e quase uma desforra por notas sempre “mínimas” Mas que nada, o caríssimo mestre, espirituoso diz à turma ainda satisfeita pelo ocorrido: - Observem bem os pedaços e estilhaços dos potes cerâmicos e podem reproduzi-los, exatamente tal qual, a avaliação será a nota do semestre. Mesmo experiências de outros, é possível se apropriar e aproveitar. Confesso que no meu último artigo não havia revisado o texto antes de enviar para a redação do I&C. Fiquei muito irritado, pois ao invés de escrever “as ruelas de Roma”(pequenas ruas), escrevi as “arruelas de Roma”. E até entendi porque houve o erro. É que, nos os dois últimos anos estava em atividade em uma indústria italiana aqui em Curitiba, falando muito em italiano. Ainda erro frases e emendo palavras, ou falando, ou escrevendo, pela junção das línguas em alguns momentos. Mas aproveitei a “espiritualidade” do citado docente acima, e me inspirei no erro para me auxiliar no artigo e no título, que as vezes demora para ser criado. *Renato Olivetti é Designer Industrial –PUC-PR -rennato@ rennato.com.br - http://facebook.com/rennatomobili

Tribunal de Contas da União

Acordo integra gastos públicos em educação e meio ambiente O objetivo é aperfeiçoar os sistemas de auditória e equiparar as atividades

Para o presidente da Atricon, António Joaquim Morais, o grande problema do país é a qualidade dos gastos públicos, alguns prefeitos gastam mais na educação enquanto outros não depositam o suficiente

O

Tribunal de Contas da União (TCU) firmou ontem um acordo de cooperação com a União e os estados para integrar a gestão dos gastos públicos em educação e meio ambiente. É a primeira vez que o TCU estabelece parceria nessas áreas com o objetivo de aperfeiçoar os sistemas de auditoria nos estados e equiparar as atividades de controle externo nos níveis federal, estadual e municipal. Pelo acordo, as auditorias não deverão ser punitivas, mas servir para orientar os gestores públicos na mitigação dos principais problemas identificados. Constitucionalmente, os tribunais federal, estaduais e municipais têm as mesmas atribuições, ainda que, até então, não tenham sido integrados. “O grande problema no país é a questão da qualidade do gasto

público. Temos exemplos claros de prefeitos que gastam mais do que os 25% em educação exigidos pela Constituição e, comparados a outros que gastam menos, têm educação pior. Ou seja, ter mais recursos não significa ter melhor resultado”, disse o presidente da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Antônio Joaquim Morais Rodrigues Neto. Para ele, é preciso melhorar a qualidade dos gastos públicos por meio de melhorias de gestão. De acordo com a parceria, os tribunais de contas estaduais deverão executar auditorias em coordenação com o TCU, junto com a Atricon e o Instituto Rui Barbosa - Associação Civil de Estudos e Pesquisas dos Tribunais de Contas. Em meio ambiente, deverão ser avaliadas as metas e os resultados

das políticas adotadas no Brasil, como as decorrentes dos compromissos firmados no âmbito da Rio+20, com foco na Amazônia, segundo informou o presidente do TCU, Augusto Nardes. O convênio foi firmado com nove tribunais de contas de estados amazônicos. Nessa área, ainda está prevista a contribuição do Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Serviço Florestal, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Em educação, o intuito é identificar os gargalos na área de forma a melhorar a qualidade das escolas de ensino médio no país, para evitar a repetência, a evasão escolar

e os maus resultados em exames nacionais de avaliação. O convênio é relativo a todos os tribunais de contas estaduais e municipais. “Intensificamos e massificamos a educação no Brasil, mas temos dificuldades em qualidade. Cerca de 50,2% dos jovens até 19 anos concluem o ensino médio. No Norte, o percentual chega a 36%. Em um mundo extremamente competitivo, a maior riqueza da nação não são os recursos naturais, mas a base de educação da população”, disse Augusto Nardes. Segundo o presidente do Instituto Rui Barbosa, Severiano Costandrade, dos jovens que concluem o ensino médio, 57% não sabem fazer satisfatoriamente operações matemáticas básicas. Para ele, isso é “preocupante” e deve ser combatido.

CFM anuncia apoio ao direito de aborto até a 12ª semana de gestação O Conselho Federal de Medicina (CFM) vai enviar à comissão do Senado que analisa a reforma do Código Penal um documento em que defende o direito da mulher de abortar até a 12ª semana de gestação. O posicionamento é compartilhado por todos os 27 conselhos regionais de Medicina, representando, ao todo, 400 mil médicos no país. A decisão foi tomada durante o 1º Encontro Nacional de Conselhos de Medicina 2013, realizado entre 6 e 8 de março, em Belém. Atualmente, o aborto no Brasil só é permitido em casos onde há risco para a saúde

da gestante ou quando a gravidez é resultado de estupro. “Com base em aspectos éticos, epidemiológicos, sociais e jurídicos, as entidades defendem a manutenção do aborto como crime, mas acham que a lei deve rever o rol de situações em que há exclusão de ilicitude”, informou o CFM, por meio de nota. No direito penal, as causas que excluem a ilicitude são situações excepcionais definidos pelo Código Penal que retiram o caráter antijurídico de uma conduta tipificada como criminosa. Ainda de acordo com o órgão, a aprovação dos pontos propostos

pela reforma do Código Penal não caracteriza a chamada descriminalização do aborto. “O que serão criadas são ‘causas excludentes de ilicitude’, ou seja, somente nas situações previstas no projeto em tramitação no Congresso, a interrupção da gestação não configurará crime. Atos praticados fora desse escopo deverão ser penalizados”, reforçou o comunicado. A proposta que tramita no Senado prevê a interrupção da gestação nas seguintes situações: quando houver risco à vida ou à saúde da gestante; se a gravidez resultar de violação da dignidade sexual ou do emprego

não consentido de técnica de reprodução assistida; se for comprovada anencefalia ou anomalias graves e incuráveis no feto que inviabilizem a vida independente (quadro a ser atestado por dois médicos); ou por vontade da gestante, até a 12ª semana de gravidez. “A conclusão dos conselhos de medicina é que, com a aprovação desse projeto, o crime de aborto continuará a existir. Apenas serão criadas outras causas excludentes de ilicitude. Portanto, somente nas situações previstas no projeto em tramitação no Congresso a interrupção da gestação não configurará crime”.

Estados vão receber R$ 750 mil ao ano para melhorar gestão de águas

Jovens fazem protesto contra pastor Marco Feliciano

Os governos estaduais vão receber, até 2018, parcelas anuais de R$ 750 mil para melhorar a gestão de recursos hídricos em cada região. O repasse vai depender da adesão dessas administrações ao Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão), que foi lançado ontem, pela Agência Nacional de Águas (ANA) em Brasília. Com esse apoio financeiro, os estados terão condições de melhorar a gestão das águas. Pela Constituição Federal, a responsabilidade sobre as águas subterrâneas e as que têm nascentes e foz em determinado território é do estado que sedia essa área. A União responde pelos rios que fazem divisa entre estados ou fronteira com outros países. O problema é que, apesar da legislação, nem todos os locais têm estruturas preparadas para administrar o uso dessas águas ou pessoal suficiente. “O recurso vai para estruturar ou reforçar a estruturação dos sistemas estaduais de recursos hídricos. É inaceitável ter

estados, hoje, com três funcionários destacados para cuidar dessa gestão. Temos que mudar essa realidade. Vamos criar os meios e novos caminhos para estados entrarem no novo patamar que a ANA definiu como padrão mínimo de gestão no país”, disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. A adesão ao programa é voluntária, mas, no caso de águas, a decisão tomada por determinado governo em uma região pode refletir em territórios vizinhos. A expectativa, com o novo programa, é que estados mais atrasados consigam se aproximar das estruturas encontradas em Minas Gerais, São Paulo, no Ceará e Rio de Janeiro, apontadas como as mais avançadas do país, atualmente. “O sistema nacional foi criado há 16 anos e está passando por repaginação de resultados e objetivos. Na época, o Banco Mundial concedeu empréstimo. Estamos colocando o dobro para mudar o patamar da gestão, em cinco anos. Estamos não só alocando mais dinheiro, mas reduzindo o prazo”, disse a ministra, destacando que o recurso também

será utilizado para treinamento de pessoas e construção ou melhoria de estruturas. No final de 2018, quando o prazo do Progestão encerrar, o valor total de desembolsos deve chegar a R$ 100 milhões. O presidente da ANA, Vicente Andreu, destacou que a proposta é criar um sistema nacional para a governança que garanta a manutenção da oferta de água em quantidade e qualidade necessária para abastecer todo o território nacional e estancar um processo que Andreu define como “cheque branco para o futuro”. Segundo ele, foram definidos quatro níveis de situação, com diferentes características, sobre o grau de complexidades das bacias. “O estado é quem vai dizer sobre quais compromissos, em função de cada complexidade, irá se enquadrar. A partir daí, estabelecemos metas concretas para cada estado. Isso será feito a partir da realidade de cada estado e não como um programa que vai tratar de forma igual as realidades diferentes que existem no país”, completou.

Um grupo de jovens ligados à Assembleia Nacional dos Estudantes Livres aproveitou o evento comemorativo dos dez anos da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) para protestar contra a eleição do deputado federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Eles levantaram cartazes pedindo a saída do deputado e foram aplaudidos por autoridades e pelo público que lotou a Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional. Feliciano é acusado de postar nas redes sociais mensagens consideradas homofóbicas e racistas. Diante das manifestações contrárias à permanência de Feliciano, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que vai tomar uma medida definitiva sobre o impasse até a próxima terça-feira.


Jornal Indústria&Comércio