Page 1

Curitiba, segunda-feira, 11 DE novembro de 2013 | Ano XXXViI | Edição nº 8994 | R$ 2,50

Indústria&Comércio DIÁRIO

INFORMAÇÃO. conhecimento. inteligência. DESDE 1976.

Aroldo Murá AGORA É OFICIAL: HOMENAGEM A LERNER SERÁ DIA 2

A mais importante distinção da Associação Comercial do Paraná, comenda com que a ACP reconhece os méritos de notáveis homens e mulheres, será entregue a Jaime Lerner, dia 2, em jantar no Clube Curitibano. página

Produção industrial registra crescimento de 11,3% no Paraná Indústria paranaense tem segundo melhor desempenho do País, segundo pesquisa do IBGE

| b1

Pedro Washington Questão de família

A rápida passagem do ex-ministro da conturbada pasta do Trabalho, Carlos Lupi, que na qualidade de presidente do PDT esteve em Curitiba na semana passada para discutir com lideranças locais o futuro do partido, deixou plantada uma dúvida. o futuro do hoje vicepresidente de agronegócios no Banco do Brasil, Osmar Dias. página

| a2

Roseli Abrão

O crescimento de 11,3%, no confronto com setembro de 2012, decorre dos resultados positivos alcançados por 10 das 14 atividades investigadas geral a2

Gleisi em Londrina

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que é pré-candidata do PT à sucessão do governador Beto Richa, estará neste sábado em Londrina. página

| a3

INDICADORES FINANCEIROS MERCADO À VISTA Maiores altas

COTAÇÃO

PET MANGUINH DO 0,25 FINAM CI * CHIARELLI PN LIX DA CUNHA PN M G POLIEST ON

Maiores QUEDAS

0,06 0,07 0,08 3,02 0,10

COTAÇÃO

LUPATECH ON NM RECRUSUL ON FII S F LIMA CI SANTANDER BR PN N2 OGX PETROLEO ON NM

IBGE prevê que safra agrícola de 2014 será menor que a deste ano Atividade do comércio cresce 1,7% em outubro, diz Serasa

0,76 0,09 1,91 0,14 0,14

IBOVESPA Maiores altas*

Maiores QUEDAS BROOKFIELD ON NM GOL PN N2 TIM PART S/A ON NM MRV ON NM BRADESCO PN EJ N1

finanças & NEGÓCIOS Gastronomia molecular faz chef virar empresário Com 20 anos de experiência adquirida nos Estados Unidos, o chef paranaense Fábio Mattos, especialista em gastronomia molecular, divide-se entre a cozinha e a função de empresário. Ele é proprietário do restaurante Poco Tapas,

COTAÇÃO

USIMINAS PNA N1 SID NACIONAL ON USIMINAS ON N1 AMBEV PN FIBRIA ON NM

12,67 12,87 11,54 87,40 29,49

COTAÇÃO 1,13 10,36 10,71 8,53 31,00

Economia B2

com uma casa em Curitiba e outra em Joinville (SC). A empresa espera que, em seu segundo ano de funcionamento em Curitiba, alcance crescimento de 30% na frequência. página a5

CÂMBIO Moeda

Compra

Venda

Dólar turismo 2,2900

2,4000

Dólar comercial 2,3170

2,3185

Dólar paralelo 2,2973

2,2979

Euro

3,0982

3,0957

DER recomenda a compra antecipada de passagens

Ouro (Grama/R$): 95,60

Acesse a edição digital

www.icnews.com.br

A alta da atividade varejista no mês passado foi consequência do aumento de 8% no movimento dos consumidores nas lojas especializadas de veículos, motos e peças economia b2

Haverá grande movimento em função do feriado da Proclamação da República e das festas de fim de ano.

Joaquim Severino GLEISI E A ORELHA DA FAEP A melancia tão conhecida por suas inúmeras qualidades alimentares e medicinais, todas muito pobres, se faz mais notória por sua coloração, verde por fora e vermelha por dentro. Assim também é o Boletim Informativo da FAEP. página a6

geral a2

Editorial

Invasão chinesa nos mercados globais

A

Editais na página b3

CMYK

demanda maior nas economias dos Estados Unidos e da Europa promoveu em outubro um crescimento acima do esperado nas exportações da China. Como de costume, os produtos chineses “invadem” os mercados globais, provocando positivas e, também, negativas reações onde chegam. Se por um lado é benéfico estreitar relações comerciais com a segunda maior economia do mundo, da mesma forma pode haver uma entrada excessiva de produtos de fora, os quais podem entrar numa perigosa concorrência com as mercadorias nacionais.

O

fato de que as exportações do país asiático subiram mais do que o normal indica que houve alguma melhora na situação financeira ao redor do mundo, ou seja, os países estão em condições de adquirir produtos importados. Isso, no final das contas, é algo extremamente positivo. Ao que tudo indica, as nações, incluindo o Brasil, obviamente, precisam aproveitar esse momento, já que a China entrará logo num momento diferente, no qual se voltará, em virtude de reformas, à demanda doméstica em vez das exportações e investimento.

Central de Atendimento: 41 3333.9800

EXCLUSIVO Confira a síntese dos principais editais de leilões no suplemento semanal

e-mail: pauta@induscom.com.br

Caderno C


Geral/Curitiba

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A2

Previsão do tempo

Mín.: 17° | Máx.: 25°

O sistema frio perde força, mas o ar continua seco e a segunda-feira será de tempo estável, com previsão de chuvas e com temperaturas em elevação gradativa nas diversas regiões do Estado. No setor leste ainda há uma maior cobertura de nuvens em função dos ventos que se deslocam do quadrante leste. fonte: www.simepar.br

Setembro

Produção industrial cresce 11,3% no Paraná IBGE - Indústria paranaense tem segundo melhor desempenho do País

A

prpress@terra.com.br

PanoramaPolítico Questão de família

A rápida passagem do ex-ministro da conturbada pasta do Trabalho, Carlos Lupi, que na qualidade de presidente do PDT esteve em Curitiba na semana passada para discutir com lideranças locais o futuro do partido, deixou plantada uma dúvida: o futuro do hoje vice-presidente de agronegócios no Banco do Brasil, Osmar Dias. De certo a informação de que Osmar será candidato em 2014, em prevalecendo a disposição do partido, ao Senado. Desejo da presidente Dilma Rousseff e da ministra Gleisi Hoffmann, na versão de Lupi. Há um porém: todos conhecem um compromisso familiar dos irmãos Dias de não terçarem armas. Compromisso assumido com o falecido sêo Sílvio, pai de ambos. Também já está colocado o desejo de Álvaro Dias, manifestado meses atrás e costurado com as lideranças do tucanato paranaense, especialmente o governador Beto Richa, candidato declarado à reeleição e o presidente do PSDB, Valdir Rossoni, que inclusive abriu mão a sua pretensão de disputar o cargo: concorrer novamente ao Senado. Pelo andar da carruagem, especialmente pela anunciada presença do PDT na campanha de Gleisi Hoffmann, a alternativa para que se cumpra o acerto entre os irmãos, será Osmar disputar a vicegovernança. Ou até mesmo o governo, caso a candidatura de Gleisi não se viabilize em função de exigência de sua continuidade na Casa Civil da Presidência, muito embora sua posição política no Planalto tenha sofrido algum desgaste pela ascensão de Fernando Pimentel e Aloísio Mercadante no rol dos conselheiros da presidente. Carlos Lupi porém reafirma que a depender do desejo manifestado por Osmar, seu caminho será mesmo a disputa ao Senado. “Disputei duas vezes o governo e não fui eleito; o povo me conduziu ao Senado. É lá que ele quer me ver”, Osmar afirmou recentemente.

Casas populares

Os números divulgados pela Cohapar colocam a discussão sobre a construção de moradias populares no Paraná em seus devidos termos. Embora se saiba que a maior parte dos recursos vem do governo federal (36%) e do FGTS (45%) o estado participa com 15% e aos municípios beneficiados cabe a participação de 4%. A matéria sobre o assunto é um pouco confusa, na medida em que não esclarece se esses percentuais prevalecem no programa Minha Casa Minha Vida, propriedade do governo federal.

Ato inusitado

O fim de semana foi agitado pelas especulações políticas. Uma delas em função da reunião de Gleisi Hoffmann com companheiros do PT, Eduardo Sciarra, presidente do PSD regional, Marcelo Almeida (PMDB) e Alex Canziani (presidente paranaense do PTB). Além do assunto Porto de Paranaguá, pretensamente o assunto principal, as dificuldades criadas pela STN em relação aos avais negados ao Paraná e co toda certeza, “os novos rumos do Paraná” como classifica André Vargas.

Em campanha

Aviões cortaram os ares neste final de semana, com personagens ilustres em campanha. Requião, que insiste na sua possibilidade de disputara mais uma vez o governo do estado, insistência que os deputados do partido atrelados ao governo Beto não vêem com boa vontade, fez longo roteiro pelo oeste. Álvaro Dias, voou para Maringá para participar do Encontro Empresarial da Construção Civil.

Destaque na TV

A passagem do governador Beto Richa pela ONU foi marcada por entrevista concedida à Rádio ONU, em Nova Iorque. Com direito a foto de primeira página em jornal da capital paranaense. Anunciou parceria entre a ONU, Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o governo do estado, para disponibilizar o modelo de gestão prisional adotado no Paraná ao resto do mundo. Antes de viajar aos “states” Beto concedeu entrevista ao apresentador Ratinho.

Em choque

Especialista em inflar o ego dos militantes do partido, o expresidente Lula gravou vídeo para estimular a participação dos “companheiros e companheiras” nas eleições internas do PT , ocorridas no domingo. “Você sabe que o nosso partido não tem medo de cara feia, porque ele tem você”, convocou. EXPEDIENTE

Diário

produção industrial paranaense obteve o segundo melhor resultado em setembro, comparado com o mesmo mês do ano passado. O setor cresceu 11,3%, sexta taxa positiva consecutiva nesse tipo de comparação, atrás apenas de Goiás, com 12,8%, e bem à frente da média nacional de 2%. A Pesquisa Industrial Mensal Regional - Produção Física (PIMPF), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi divulgada na sexta-feira (08). Mesmo com o recuo de 2,4% na produção industrial em setembro com relação a agosto, na comparação entre os terceiros trimestres de 2013 e 2012, o Paraná teve o melhor desempenho entre as regiões pesquisadas. O Estado avançou 10,9% nessa comparação, enquanto a média brasileira subiu apenas 0,8%. “A indústria do Paraná intensificou o ritmo de expansão de sua produção, frente ao resultado apresentado no segundo trimestre (abril-junho), que foi de 6,4%”, disse Ana Silvia Martins Franco, economista do Núcleo de Macroeconomia e Conjuntura, do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES). O ganho de dinamismo no trimestre foi observado em nove dos 14 setores investigados, com destaque para edição e impressão (de -3,3% para 39,8%), máquinas e equipamentos (de 14,8% para 25,3%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (de -12,3%% para 17,5%). Em relação ao segundo trimestre de 2013, a produção física da indústria estadual mostrou acréscimos de 1,9%, versus retração de

O crescimento de 11,3%, no confronto com setembro de 2012, decorre dos resultados positivos alcançados por 10 das 14 atividades investigadas

1,4% da nacional, o que representou a terceira maior variação entre as 14 localidades pesquisadas, perdendo somente para o Pará (5,7%) e Goiás (3,2%). Foi o terceiro trimestre consecutivo de expansão no Paraná, com ganhos acumulados de 13,2% no período.

MENSAL

A queda de 2,4% em setembro, com relação a agosto, ocorreu após dois meses consecutivos com resultados positivos, eliminando, assim, parte do ganho de 5,4% acumulado em julho e agosto, contra variação de 0,7% para o País, sendo que oito dos quatorze locais investigados registraram queda.

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) recomenda aos curitibanos que antecipem a compra de passagens para os próximos feriados. A Coordenação de Transporte Comercial do DER lembra que haverá grande movimento em função do feriado da Proclamação da República e das festas de fim de ano. É possível acontecerem filas e contratempos em função das obras na rodoferroviária de Curitiba. “O DER e a Urbanização de Curitiba (Urbs) estão trabalhando em conjunto para evitar transtornos aos passageiros. O melhor é se programar e evitar a compra de última hora, pois a demanda será grande, já que são os últimos feriados prolongados do ano”, afirmou o coordenador de Transporte Comercial, Sérgio Cardozo, responsável por fiscalizar as linhas de ônibus interestaduais. A estimativa é que o volume de passageiros triplique nos próximos feriados. Uma das preocupações é

que com tantas pessoas circulando, os passageiros demorem mais para chegar à área de embarque. Por isso, a orientação é que as pessoas comprem suas passagens antecipadamente e cheguem cerca de 30 minutos antes do horário do embarque para evitar problemas. Os passageiros devem prestar atenção nas placas de sinalização instaladas pela Urbs. Os guichês das empresas que operam linhas interestaduais já estão instalados de forma definitiva na ala entregue há quase um mês. O espaço passou por obras de revitalização e concentra, no piso térreo, sanitários masculinos, femininos e para pessoas com deficiência, além da área de embarque e desembarque com catracas automáticas. No primeiro andar está funcionando a lotérica, serviço Malex de guarda volume e os postos da Polícia Militar do Paraná, Agência Nacional de Transportes Terrestes e do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná.

Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.

Everson Bressan/SMCS

O DER-PR recomenda aos curitibanos que antecipem a compra de passagens para os próximos feriados

A ala estadual foi desativada para reformas. A compra de passagens pode ser feita nos contêineres na ala estadual. Na próxima semana eles serão remanejados provisoriamente para perto das barracas da feira de alimentação,

próximo à caixa d’água. As barracas vão funcionar até que a licitação em curso seja efetivada e os novos permissionários ocupem as lojas do terminal. Todos os embarques e desembarques no período das obras serão feitos na ala interestadual.

Governo lança editais para obras em três municípios

Fundado em 2 de setembro de 1976

Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

mas também pela baixa base de comparação, uma vez que esta atividade recuou 18,6% em setembro de 2012. Também contribuíram para o resultado os setores de produtos químicos (28,1%), com elevação na produção de amoníaco, ureia e adubos ou fertilizantes fosfatados; máquinas, aparelhos e materiais elétricos (23,4%); e máquinas e equipamentos (16,2%), especialmente pela maior produção de tratores agrícolas, máquinas para colheita, elevadores para o transporte de pessoas, refrigeradores e máquinas para trabalhar matéria-prima para fabricar pasta de celulose.

DER recomenda a compra antecipada de passagens para evitar filas em Curitiba

Indústria&Comércio

Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br

As perdas mais acentuadas que influenciaram no resultado regional foram dos setores de edição e impressão, refino de petróleo e álcool, alimentos, máquinas e equipamentos, metal, mobiliário e veículos automotores, sendo que apenas a atividade de celulose e papel apontou resultado positivo. O crescimento de 11,3%, no confronto com setembro de 2012, decorre dos resultados positivos alcançados por 10 das 14 atividades investigadas. A principal contribuição veio de veículos automotores (39,2%), impulsionado não só pela maior fabricação de caminhões e caminhão-trator para reboques e semirreboques,

Uma atitude de todos para o bem-estar da vida urbana.

A Paraná Edificações lança hoje três editais para reforma e adequação da sede do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), nos municípios de Londrina, Paranaguá e Ponta Grossa. O investimento das obras soma mais de R$ 181 mil e os serviços começam em 2014. O edital é para contratação da empresa que fará a reforma e adaptação do Nucria, localizado na Rua Rodrigues Alves. O preço máximo é de R$ 47 mil e o prazo de execução da obra é 60 dias corridos. Abertura dos envelopes está marcada para1o dia 19 de novembro. Em Paranaguá a licitação é para contratação da empresa para fazer a reforma e adaptação na

sede do Núcleo, na Rua Manoel Bonifácio, 483. O preço máximo para execução da obra é R$ 98 mil e a empresa vencedora terá 90 dias corridos para execução da obra. A abertura dos envelopes será dia 20 de novembro. Em Londrina a licitação é para contratar a empresa para fazer reforma e adaptação na sede do Nucria, na Rua Gago Coutinho, 833. O preço máximo da obra é R$ 36 mil, o prazo para execução é de 60 dias corridos. A abertura dos envelopes será dia 18 de novembro. Os editais estão sendo emitidos pela Paraná Edificações, autarquia da Secretaria estadual de Infraestrutura, e podem ser acessados no site www.compraspr.pr.gov.br.


Contexto Político Gleisi em Londrina

Roseli Abrão

Cautela

É preciso ter cuidado na criação de municípios pois não há aumento de receitas, e sim a divisão delas. O alerta foi feito nesta sexta-feira, em entrevista a emissoras de rádio do Rio Grande do Sul, pela presidente Dilma Rousseff , que destacou que “quanto mais municípios forem criados, menor a fatia do bolo que fica para outros municípios”. O projeto que permite a criação de novos municípios, aprovado pelo Congresso Nacional, já está em mãos da presidente para sanção, segundo informa o jornal “O Estado de S. Paulo”. A proposta abre a possibilidade de criação de 180 novos municípios em todo Brasil.

Com cheques A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que é pré-candidata do PT à sucessão do governador Beto Richa, estará neste sábado em Londrina. Junto com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, Gleisi máquinas motoniveladoras a 40 municípios do Norte Pioneiro, Sudoeste, Vale do Ribeira e Vale do Iguaçu, pelo PAC2. O evento será às 10h, no Parque de Exposições Ney Braga. No dia 7 de dezembro serão entregues novas máquinas, desta vez para os municípios das regiões Oeste e Sudoeste.

Diário Indústria&Comércio

roseli@roseliabrao.com.br

Quem conta é o jornalista Josias de Souza, em seu blog: um vereador de Marília, no interior de São Paulo, que foi reeleito no ano passado, vereador Yoshio Sergio Takaoka, do PSB, foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por comprar votos. “Por mal dos pecados, pagou com cheque”. Takaoka foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, que confirmou sentença da primeira instância.

“Serviço”

Segundo o jornalista, ficou provado que o vereador gastou pelo menos R$ 10 mil em pagamentos de R$ 100 a cem eleitores. Para dar aparência legal à transação, conta Josias de Souza, ele firmou com os beneficiários um “contrato de prestação de serviços

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A3

em campanha eleitoral.” Uma investigação demonstrou que o “serviço” era a entrega do voto.

Lamento

O deputado Enio Verri, do PT, lamentou a decisão do Governo do Paraná em reduzir o orçamento para habitação. O Projeto de Lei Orçamentária de 2014 prevê apenas R$ 140,1 milhões para o setor, um valor 73% menor do que o destinado em 2013. O projeto ainda será apreciado pela Assembleia Legislativa.

Critica

Para Verri, esta é “mais uma prova que o Governo Beto Richa só faz obras com recursos do Governo Federal”. O programa de habitação “Minha Casa, Minha Vida”, segundo o Ministério das Cidades, já investiu mais de R$ 12 bilhões em mais de 180 mil moradias no Paraná.

Do próprio bolso

Parte do dinheiro destinado ao pagamento de emendas a serem apresentadas pelos vereadores ao Orçamento de Curitiba sairá do próprio orçamento da Casa que, no ano que vem, será reduzido em 0,2%. A Câmara, que tinha direito a 4,3% do orçamento do município terá, em 2.014, 4,1%. Reunidos na manhã desta sexta-feira com o prefeito Gustavo Fruet, ficou definido que cada um dos 38 vereadores terá direito de apresentar emendas até o valor de 700 mil reais, 100 mil a mais do que no ano passado.

meio ambiente

Agricultores que preservam serão recompensados Parceria vai possibilitar o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) no PR Produtor de Água de remunerar os produtores rurais que preservam nascentes e florestas segue uma tendência mundial. "É transformar os agricultores em agentes de preservação ambiental", disse. Santos explicou que os custos da implantação de práticas e manejos sustentáveis não podem ficar restritos ao agricultor, uma vez que os benefícios dessas ações ultrapassam as fronteiras das propriedades. "Os ganhos não são somente dos produtores e, portanto, é justo a distribuição de custos entre eles e toda a sociedade", completou.

Dênis Ferreira Netto

U

ma parceria inédita no Brasil será firmada nos próximos dias entre o Governo do Paraná e a Agência Nacional de Águas (ANA) para implementar no Estado o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) em propriedades rurais localizadas em áreas de mananciais de abastecimento público. Com isso, o Programa Bioclima - desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos com o objetivo de promover a conservação da biodiversidade e conter os efeitos das mudanças climáticas - passará a replicar no Paraná as ações do Programa Produtor de Águas, da ANA. Esta será a primeira vez em 12 anos que a Agência Nacional de Águas irá descentralizar para um estado recursos financeiros e capacitação técnica com o intuito de estimular a política de Pagamento por Serviços Ambientais voltados à proteção hídrica no Brasil. O anúncio da parceria aconteceu na última semana, em Curitiba, durante o I Encontro Técnico de Programas Estaduais de PSA, realizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. "Assim como o Programa Bioclima Paraná, o programa Produtor de Águas tem como principal ferramenta de incentivo à conservação da qualidade e quantidade da água dos rios, a compensação financeira para agricultores que prestam serviços ambientais para a sociedade. O Paraná começará a pagar os agricultores em breve e estamos trazendo uma proposta que irá incrementar ainda mais esta iniciativa", afirmou o gerente de Uso Sustentável da Água e do Solo da Agência Nacional de Águas, Devanir dos Santos. Segundo ele, a iniciativa do Programa Bioclima e do Programa

ACORDO

Nos próximos dias, o governador Beto Richa e o presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu, devem assinar um acordo de cooperação técnica em que a Agência Nacional de Águas transfere a titularidade da execução do Programa Produtor de Águas, no Paraná, para a Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Programa Bioclima. O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, explica que a parceria só poderá ser concretizada devido ao andamento do Programa Bioclima. "O Paraná possui uma política de conservação com capacidade de receber e absorver este programa da ANA, que já é referência internacional", avalia Cheida. O secretário acrescenta que com o acordo de cooperação o Paraná receberá recursos da ANA para fazer o diagnóstico das sub-bacias hidrográficas onde o Pagamento por Serviços Ambientais hídrico será implementado, bem como capacitação técnica para funcionários e arranjos institucionais locais nos municípios. O local para o projeto piloto de

Parceria entre o Governo do Paraná e a Agência Nacional de Águas (ANA) irá implementar o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) em propriedades rurais localizadas em áreas de mananciais de abastecimento publico

Pagamento por Serviços Ambientais da Água já foi escolhido. Será na microbacia do rio Miringuava, localizada na área rural de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, onde a Sanepar vai construir um novo reservatório. "Nada mais justo do que compensar os proprietários que ajudam a conservar a água que beneficiará toda a população", destaca Cheida.

Ele explica que o Governo do Paraná está invertendo a lógica da preservação. Em vez de apenas punir quem degrada o meio ambiente, vai bonificar quem age corretamente. O trabalho na microbacia do Miringuava já começou como parte do Programa Bioclima e somará ações do Programa Produtor de Águas. Lá existem 500 propriedades rurais que estão sendo avaliadas.

Doação do IR para projetos sociais pode ser feita até 27 de dezembro As empresas e pessoas físicas podem doar parte do Imposto de Renda devido para o Fundo Estadual da Infância e da Adolescência (FIA). O prazo para doação vai até 27 de dezembro. Os recursos serão aplicadas em projetos voltados à promoção e desenvolvimento de crianças e adolescentes em todo o Estado. No ano passado o FIA arrecadou mais de R$ 10,2 milhões. Os cidadãos podem destinar até 6% do IR devido. As empresas podem destinar 1% do IR devido.

Além disso, o contribuinte pode decidir onde aplicar o recurso. Por meio do Banco de Projetos, cada cidadão pode ajudar a concretizar programas consultando a sua destinação e até acompanhando de perto a sua execução. “A doação pode ser feita diretamente ao FIA, quando os recursos são voltados ao atendimento de todas as crianças e adolescentes do Estado, ou para entidades inscritas no banco de projetos” explica a assessora financeira da Secretaria da

Família, Marcela Evangelista.

COMO DOAR

Para fazer a doação, basta acessar a página www.familia. pr.gov.br buscar o menu lateral e clicar em Fundo da Infância e Adolescência, Doe Fia, e seguir as instruções. Depois de cadastrado o número do CPF ou CNPJ, aparecerá a tela com as modalidades de repasses que poderão ser feitos. Selecionando a opção “Fia Estadual”, a doação irá para o Fundo

da Infância e da Adolescência e deliberado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), em parceria com a Seds. Na opção “Banco de Projetos” o contribuinte pode escolher para qual proposta irá o seu repasse, entre os projetos e ações de organizações não governamentais e instituições aprovados pelo Cedca do Paraná. No link “Resumo do Projeto” há informações adicionais sobre as propostas.

Copa

Presidente da Subcomissão de Acompanhamento das Obras da Copa e Olimpíadas do Senado Federal, o senador Sérgio Souza, do PMDB, estará em Curitiba na segunda-feira para visitar a Arena do Clube Atlético Paranaense, que sediará os jogos do Mundial de 2014. Segundo o senador, a visita, que faz parte de um cronograma para acompanhar as obras de infraestrutura e mobilidade urbana nas cidades-sedes da Copa do Mundo, também fará diligências no Aeroporto Internacional Afonso Pena, no Viaduto Estaiado, no Sistema Curitiba de Controle Operacional e na rodoferroviária.

Entre aspas

“A candidatura de Aécio é uma questão resolvida”. Do ex-presidente nacional do PSDB, o deputado pernambucano Sérgio Guerra.

Bolo

Segundo a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), o Governo do Estado contribui com apenas 15% do total de investimentos em moradia popular no Paraná, enquanto a União entra com 36%. Os municípios ficam com a menor parte, 4% e o 45% restantes advém do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Linha Universidades começa a operar nesta segunda-feira A partir de hoje, estudantes universitários que residem ou estejam na região do Setor Histórico ou nas imediações da Praça Tiradentes, no Centro da cidade, contarão com alternativa de transporte que permitirá acesso fácil e rápido à Universidade Curitiba (Unicuritiba) e às unidades da Universidade Federal do Paraná na região do Jardim Botânico e Jardim das Américas. A linha convencional Raquel Prado/PUC, que já atende os estudantes da Pontifícia Universi-

dade Católica do Paraná, no Prado Velho, terá seu trajeto estendido pela Urbs, e passará a se chamar Linha Universidades. Após a PUC, a linha continuará seu trajeto até os campus Jardim Botânico, Centro Politécnico e Setor de Educação Profissional e Tecnológica da UFPR. No sentido bairro, os alunos da Unicuritiba também serão atendidos, com o ponto que fica na Rua Desembargador Westphalen, enquanto no sentido Centro, há um ponto na rua Chile, em frente ao acesso principal da universidade


Especial

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A4

Ida&Volta BQB EM CURITIBA

Dentro de pouco mais de um mês, em 16/12, o aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, ganha novo status internacional, pois passa a contar com um voo diário da uruguaia BQB para Montevidéu com extensão para Buenos Aires, na Argentina. A empresa aérea, que no Paraná já opera em Foz do Iguaçu, deverá iniciar na mesma data pousos em São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro, já de olho na grande demanda que deve ser proporcionada pela Copa do Mundo da Fifa em 2014. O avião será o ATR-72, turboélice de asas altas, configurado para transportar cerca de 70 passageiros em suas fileiras de duas poltronas. Os detalhes do voo devem ser anunciados oficialmente nos primeiros dias de dezembro. A chegada da BQB – que também opera grandes barcos de passageiros (Buquebus) entre o Uruguai e a Argentina – preenche o vazio deixado pela extinta Pluna, também uruguaia e, anteriormente, pela UAir. Ainda neste novembro, dia 22, começam os voos diários da American Airlines de Curitiba para Miami, com escala em Porto Alegre. Já em março/abril, será a vez da Austral (do grupo Aerolíneas Argentinas) passar a cumprir a rota Curitiba-Buenos Aires, com jatos Embraer.

BAHIA DE MUITAS ATRAÇÕES

As 13 zonas turísticas da Bahia, com seus 28 destinos, foram apresentadas aos agentes de viagens de Curitiba na noite da segundafeira 4/11, em evento no hotel Bourbon, organizado pela Secretaria de Turismo daquele estado e pela operadora Nascimento Turismo, com a participação de representantes de 28 empresas hoteleiras. O diretor de relações nacionais da Bahiatursa (órgão encarregado da execução da política de turismo baiana), Fernando Ferrero, destacou que a expectativa é qualificar cerca de 700 agentes de viagens na região Sul do Brasil, de maneira que os profissionais conheçam mais sobre o destino. Depois de Curitiba, o Road Show prosseguiu para Florianópolis, Porto Alegre e Gramado, com a participação no Festival de Turismo daquela cidade da Serra Gaúcha, encerrando a terceira e última etapa da promoção, anteriormente realizada em São Paulo (ABC Paulista, Campinas, Bauru, Ribeirão Preto e Capital), Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

META JÁ SUPERADA

Este é o segundo ano consecutivo que a Bahia realiza ações em conjunto com a Nascimento Turismo, como destacou o diretor comercial da operadora, Cleiton Feijó, para quem, com as ações realizadas em todo o País, a meta de vendas do ano para a Bahia já foi superada. “O objetivo era aumentar em 50% as vendas em relação a 2012 e já alcançamos 55% até o momento, faltando mais de um mês para fechar o ano”. Já em sua apresentação, Fernando Ferrero alinhou as 13 regiões turísticas da Boa Terra: Salvador, Bahia de Todos os Santos e Recôncavo, as Costas dos Coqueiros, do Dendê, do Cacau, do Descobrimento e das Baleias, Lagos e Cânions e Vale do São Francisco, Chapada Diamantina e os Caminhos do Oeste, do Sertão, do Jiquiriçá e do Sudoeste. Destacou que, além dos destinos de sol e mar, que começam pela capital Salvador com seus 50 quilômetros de praias, a Bahia tem se dedicado na promoção do turismo náutico, LGTB, religioso, étnico-afro, ecoturismo, rural, de golfe e em eventos como a corrida de Stock Cars, as festas de São João e as comemorações do Dois de Julho, data da Bahia.

OS HOTÉIS DO ROAD SHOW

Participaram do workshop no hotel Bourbon as empresas hoteleiras: Baía Cabrália Hotel, Best Western Shalimar Praia Hotel, Cana Brava Resort, Catussaba Hotéis & Resorts, Costa do Sauípe, Ecoporan Hotel, Hotel La Cleiton Feijó (esq) e Fernando Ferrero, Dolce Vita, Indaiá Eco com a gerente de mercado da Bahiatursa, Village, Back Door Village, Jardim Atlantico Beach ReSilvana Lins sort, Hotel Aldeia da Praia, Grand Palladium Imbassaí Resort & Spa, Hotel Solar do Imperador, Itacaré Ecoresort, La Torre Resort, Mabu Costa Brasilis, Náutico Praia Hotel, Portobello Hotéis, Pousada Terra Boa, Pousada Pedra Torta, Rede Sol Express Hotéis, Sotero Hotel By Nobile, Sunshine Praia Hotel, Transoceanico Praia Hotel, Vila Galé, Patachocas, La Isla Ecoresort e Zank Boutique Hotel.

PASSEIO NA VINÍCOLA

A Vinícola Araucária, situada na Colônia Muricy, em São José dos Pinhais, a 40 quilômetros de Curitiba, promove visitas guiadas em seus vinhedos, oferecendo muitas atrações aos visitantes, entre elas a degustação do espumante Poty brut e do tinto Araucária Angustifolia, seus dois primeiros produtos. As visitas devem ser agendadas pelo site vinicolaaraucaria.com.br ou pelo telefone (41) 3254-5259. Para chegar, basta seguir pela BR 376, que liga Curitiba a Joinville, até a entrada da Volkswagen-Audi, logo após o hotel Paraná Golf, fazer o retorno sob a rodovia, virar à direita e seguir pela rua Antonio Grebogi, conferindo as indicações no percurso. Da rodovia até a vinícola, são 11 quilômetros, dos quais sete asfaltados.

EMBARQUE

*** A coluna registra com pesar o falecimento do jornalista José Machado Cordeiro, dia 1/11. Cordeiro foi um dos pioneiros da imprensa dedicada ao turismo em Curitiba e contribuiu significativamente para a promoção dos destinos do Paraná e de Santa Catarina, onde atuava nos últimos anos. *** Pelo segundo ano consecutivo, a rede de hotéis Blue Tree, presidida pela empresária Chieko Aoki – com um exemplar em Curitiba -, foi classificada em primeiro lugar no ranking das empresas mais admiradas no segmento de hotelaria e turismo conforme levantamento do grupo de mídia DCI. *** Para quem gosta de correr e viajar, eis o calendário 2014 das competições “Meia Maratona Boutique” da Argentina, todas realizadas em áreas naturais protegidas: 2ª Meia Maratona pelos Caminhos do Vinho – 15 de março, Valle de Uco (Mendoza); 3ª Meia Maratona do Glacial – 12 de abril, Parque Nacional dos Glaciares, El Calafate (Santa Cruz); 3ª Meia Maratona de Iguazu – 20 de setembro, Parque Nacional Iguazú (Missiones); 1ª Ultra Maratona Aconcágua – 22 de novembro, Parque Provincial Aconcágua (Mendoza); 5ª Llao Llao 21k e Meia Maratona de Bariloche – 13 de dezembro, Bariloche (Rio Negro). *** Próxima edição do Luau das Cataratas, no Parque Nacional do Iguaçu, em Foz, será no sábado 16/11, a partir das 20h. Os ingressos podem ser adquiridos no dia, na bilheteria. Em dezembro, encerrando a programação do ano, serão duas edições: dias 16 e 17. O evento é uma realização da Cataratas do Iguaçu S.A. e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. *** O Aerovale, aeroporto privado e condomínio aeronáuticoindustrial, que está sendo construído em Caçapava (SP), a 123 km da capital paulista, será apresentado à imprensa nesta quarta-feira 13/11. A visita técnica será orientada pelo CEO do empreendimento e da Construtora Penido, Rogério Penido. O aeroporto deverá funcionar já em meados de 2014 para atender a aviação executiva durante a Copa do Mundo. *** Situado no município de Colombo, a 30 km de Curitiba, o Hotel Estância Betânia tem pacote para o feriadão da Proclamação da República, de 14 a 17/11. A diária por pessoa, em apartamento duplo, custa a partir de R$ 237,50, com pensão completa. O pagamento pode ser parcelado em até quatro vezes no cartão de crédito. *** Até 31/12, nos finais de semana, o hóspede do Pestana Curitiba Hotel que comprovar ter adquirido ingresso para shows, peças de teatro e exposições na cidade, com data dentro da promoção, ganha desconto de 25% na tarifa publicada. Mas a reserva do hotel deve ser feita pela internet.

Turismo

Júlio Zaruch juliozaruch@gmail.com

Aromas do café embalam passeios de bicicleta Além de uma ampla gama de propriedades medicinais – como estimulante, antioxidante, antiinflamatório, digestivo, diurético – o café é dono de uma sucessão de aromas desde a florada até pousar na xícara na forma do líquido escuro e quente, nos mais diferentes momentos. Na florada, nos meses de Primavera, entre setembro e novembro – geralmente uma por ano, embora em algumas regiões já se consiga uma segunda -, os delicados e atraentes buquês de flores brancas, de vida efêmera (dois a três dias), exalam o perfume adocicado do jasmim. Depois da florada, o fruto se revela, passa por um período de maturação, é colhido, separado, despolpado (polpa e a casca vão compor adubos orgânicos), e o grão, secado, torrado e moído, cada etapa com seu cheiro peculiar. Finalmente, na cafeterias ou nas cozinhas, no preparo, o perfume

final tão atraente e característico se espalha pelo ambiente num convite irrecusável para degustá-lo. O café foi sempre um personagem importante na vida das cidades, mas as cafeterias brasileiras eram, num passado não muito distante, reduto exclusivamente masculino. Mulher, só do outro lado do balcão, servindo – bebia-se em pé. Mas, felizmente, os tempos mudaram - para melhor. Mirando-se principalmente nos exemplos das famosas cafeterias de Buenos Aires – onde um dos ícones é o Café Tortoni, na avenida de Mayo -, Curitiba evoluiu bastante, nos últimos anos, nesse quesito. As boas casas do ramo se multiplicaram, cada vez mais sofisticadas, verdadeiros pontos de encontro e de momentos de descontração. E cinco delas passaram a compor, este ano, o Coffee Bike Tour, um roteiro inédito no Brasil de degustação de cafés especiais, aonde os participantes chegam de bici-

Brooklin Café, uma das pausas entre as pedaladas

cleta, num programa criado pela empresa Kuritbike, uma das seis integrantes do Núcleo de Turismo Receptivo de Curitiba. As saídas são diárias, em dois horários – 9h e 14h – e o passeio dura de três a quatro horas. No itinerário, Lucca Cafés Especiais (Presidente Taunay, 40, Batel), Rause Café + Vinho (Carlos de Carvalho, 696), Brooklin Coffee Shop (Trajano Reis, 389), Arcadia

Livraria e Café (13 de Maio, 601), às quais se integra, aos domingos, o Café do Paço, na praça Generoso Marques, que a Federação do Comércio, dona do pedaço, mudou para Café Escola Senac, subtraindo o charme do nome original. Custa R$ 60 por pessoa e inclui bicicleta, capacete, seguro atividade, acompanhamento do condutor, água e, naturalmente, o cafezinho. Informações em kuritbike.com.

Rota do Café leva a fazendas centenárias Para quem desejar ir mais longe e conhecer em detalhes todo esse espetáculo da natureza proporcionado pelo café, o Núcleo de Turismo Receptivo tem um pacote especial que leva grupos de seis a 10 pessoas à Rota do Café, no Norte do Paraná, com visita a museus e fazendas históricas, centenárias, participação no processo da colheita dos grãos, degustação comentada de cafés gourmets, gastronomia a base do café e várias outras atrações. O pacote é operado pela Serra Verde Express com vans e a primeira saída está prevista para 15/11, com duas noites de hospedagem em Londrina e acompanhamento de guia especializado. Outras saídas estão marcadas para 6/12 e 1/3/2014. O roteiro inicia com visita ao Museu Histórico de Londrina e degustação de cafés especiais e gourmets no Armazém do Café; jantar no restaurante Brasiliano; o segundo dia tem visita ao Museu do Café e Circuito Cultural de Ibiporã; almoço no restaurante Kisaki, em Uraí; e ida à Fazenda Palmeira, em Santa Mariana, com retorno a Londrina e jantar no restaurante O Casarão; no terceiro, visita à Fazenda Monte Bello, em Ribeirão Claro, seguida de almoço e retorno a Curitiba.

As fazendas situam-se em áreas rurais com acesso por estradas de terra. Se chover, poderá haver alteração no roteiro. Oe preços por pessoa são: em apartamento triplo, R$ 1.505; em duplo, R$ 1.556; individual, R$ 1.703, em até três parcelas. Inclui também todas as refeições, sem bebidas. Informações: receptivocuritiba.com.br ou serraverdeexpress.com.br.

Museu Histórico de Londrina: café como personagem

Conceito de gourmet é conquista recente No entender de um francês que foi diplomata, bispo e ministro ao tempo de Napoleão I, Charles-Maurice de Talleyrand-Périgord, ou simplesmente Talleyrand (1754-1838), o café deve ser “quente como o inferno, negro como o diabo, puro como um anjo e doce como o amor”. A frase teria outros donos, como um italiano de Veneza, e pode até haver quem discorde desses predicados, com certeza quanto à doçura, pois o bom café é bom ao natural, sem nada que interfira em seu sabor. Pois essa bebida de todo o dia, e de todos os momentos, cuja origem remonta as áridas montanhas da Abissínia, atual Etiópia, um pouco de sua história, plantio, tipos, segredos do preparo e vários outros aspectos, foi tema de uma interessante palestra da nutricionista e especialista no assunto Monica Pinto, da Abic (Associação Brasileira da Indústria do Café), num evento para jornalistas promovido pela Melitta, dia 29/10 no Radisson Hotel Curitiba. Ao longo da manhã, entre degustação de diferentes tipos de café – das regiões da Mogiana (paulista), Sul de Minas e do Cerrado -, Mônica informou que o café é o alimento mais consumido no Brasil – 79% dos brasileiros consomem café, de acordo com pesquisa do IBGE com 34.500 pessoas; 78,5 litros/ano per capita, o que faz do País o segundo maior consumidor mundial, a par

de ser o maior produtor e o maior exportador de grãos. Monica discorreu sobre o plantio, a florada, a colheita, secagem, pontos de torra, moagem, as espécies Arábica e Conilon (Robusta), as características sensoriais da bebida, as conquistas do selo de pureza, em 1985, do conceito de café gourmet a partir do ano 2000, e da certificação por marcas, que passou a vigorar em 2004 (no Brasil são cerca de três mil marcas diferentes, 1.133 certificadas). “Café não é tudo igual”, disse e destacou que o selo de pureza não significa garantia de qualidade, mas que, no pacote, há apenas café, sem qualquer mistura. De zero a 10, a nota mínima de qualidade é 4,5; abaixo disso, o produto não é recomendável. O café tradicional, aquele que a maioria dos brasileiros consome no dia-a-dia, vai de 4,5 a 5,9; entre 6 e 7,2 é qualificado de superior, com maior valor agregado e sabor mais acentuado; acima, está o café gourmet, de sabor refinado, aroma intenso e envolvente e que deixa na boca um gosto agradável e prolongado. Normalmente, são produzidos com grãos 100% Arábica. E há os cafés especiais, como os descafeinados e orgânicos. A indicação está na embalagem. O preparo do café, segundo a palestrante, exige cuidados especiais a começar pela água, que deve ser mineral ou filtrada e tirada do fogo

Mônica Pinto: o preparo do café exige cuidados especiais

logo após a primeira ebulição. E as variadas formas de preparo exigem diferentes tipos de pó: no filtro de papel, no coador de pano e na cafeteira tipo globinho, a moagem deve ser média; na cafeteira turca, muito fina; na francesa, de média para grossa, como a exigida pelo expresso; na italiana, grossa. O pó, de preferência, deve ser mantido na própria embalagem original, guardada em recipiente bem fechado.

O filtro de dona Melitta Bentz No começo do século 20, insatisfeita com a maneira com que o café era passado - despejava-se água quente sobre pó colocado num recipiente de metal ou de cerâmica com furos, o que deixava resíduos na xícara e sabor muito amargo na bebida e depois com os coadores de pano, que considerava anti-higiênicos -, a dona de casa alemã Melitta Bentz, de 34 anos, fez pequenos furos no fundo de uma lata, sobre os quais colocou um pedaço de mata-borrão.

Com auxílio do marido Hugo, foi aperfeiçoando o invento, experimentando outros tipos de papel para que o líquido escorresse mais rápido, além de bolar outros porta-filtros. Em julho de 1908 obteve a patente do revolucionário coador descartável utilizado até hoje, iniciando os negócios da família Bentz, que continua administrando a empresa mais de um século depois. No Brasil, a Melitta iniciou atividades em

1968 com a produção dos seus filtros pioneiros. Em 1980, a empresa lançou no mercado o primeiro café embalado a vácuo no Brasil, segmento que lidera, além de ser a segunda marca no Brasil. Hoje, seu portfólio inclui as linhas de cafés Melitta Regiões Brasileiras, Sabor da Fazenda, Bom Jesus, a linha Wake pronta para beber, café solúvel, cappuccino em pó e também acessórios para o preparo manual do café, como porta-filtros, jarras e garrafa térmica.


Diário Indústria&Comércio

finanças & NEGÓCIOS

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A5

ENTREVISTA: FÁBIO MATTOS

Empreendedor, chef divide-se entre a cozinha e os negócios A gastronomia molecular tem uma explicação química: é a transformação de alimentos; é a transformação, por exemplo, de suco de tomate em ravioli Walter Schmidt

O chef paranaense Fábio Mattos, especialista em gastronomia molecular, é um empreendedor. Depois de estudar e trabalhar nos Estados Unidos, ele resolveu apostar no mercado brasileiro. Idealizou e montou em Joinville (SC), em agosto de 2010, o restaurante o Poco Tapas, que virou marca de sucesso. Em 2012 não teve dúvidas: trouxe a iniciativa para Curitiba, abrindo o seu segundo Poco Tapas no final da Vicente Machado. Especializado em tapas internacionais, com mais de 50 opções de pequenas porções provenientes de mais de 25 países, o Poco Tapas é uma proposta inédita no

Paraná e em Santa Catarina. E a empresa espera que, em seu segundo ano de funcionamento em Curitiba, alcance crescimento de 30% na frequência. A mistura de aromas, sabores e texturas, aliadas às novidades da gastronomia molecular em estilo de tapas, foi a fórmula descoberta por Fábio para abrir os seus dois restaurantes. Na semana passada, Fábio Mattos, que pensa em abrir outros restaurantes, de estilos diferentes, contou ao Diário Indústria & Comércio como surgiu o Poco Tapas, falou do duplo papel que exerce – chef e empresário – e explicou o que é gastronomia molecular, além de revelar porque optou por tapas. A seguir, trechos da conversa.

Fábio Mattos: criatividade na transformação e reconstrução de alimentos Como surgiu o Restaurante Poco Tapas? O investimento foi alto? Fábio – Não, o investimento não foi alto. O risco foi alto. Comecei em Joinville (SC) e o espaço em que abri o restaurante é do meu pai. Já não tive o valor de aluguel e tudo o que pude fazer dentro do restaurante eu fiz, inclusive no restaurante de Curitiba: cortei e montei as mesas, quebrei as paredes, construí o deck de madeira do restaurante de Joinville, pintei. E tudo isso reduziu o valor do investimento inicial lá, mas em Curitiba já foi mais alto. Por que Joinville? Por que Curitiba? Fábio – Vim de férias de Nova Iorque, morei nos Estados Unidos durante 18 anos. Estava trabalhando em Nova Iorque e em processo de querer mudar-me para a Califórnia. Então, vim passar um mês de férias em Bombinhas (SC). E como meu pai tem casa em Joinville, perguntou-me: “por que não fica?” Emendou em seguida: “Tenta abrir um restaurante, aqui não tem nenhum tipo de restaurante assim”. Pensei bem: não custa tentar. E já que o custo inicial foi baixo para abrir o restaurante, vamos ver o que vai dar. Tenho casa nos EUA, tenho tudo lá, mas resolvi tentar. Isso foi em 2010 e fez três anos em agosto. Aqui em Curitiba a casa completou um ano. A propósito: em Joinville a gente tinha tanto cliente de Curitiba, que ia para lá para comer a gastronomia molecular, que fez sentido vir para cá – por ser uma cidade maior, de uma cultura maior, uma cidade que tem a cultura também de sair para comer, mais do que o joinvillense tem. O investimento aqui foi mais alto, obviamente. Mas tanto em Jonville como em Curitiba, escolhi casas em locais de poucos ou nenhum restaurante, fora de áreas movimentadas, embora de fácil acesso. Assim, em Curitiba o custo do aluguel é mais baixo. Quem é o cliente do Poco Tapas? É possível traçar um perfil dos frequentadores? Fábio – Acho que é complicado fazer um perfil do cliente. Temos clientes jovens, clientes velhos, mas todos têm uma coisa em comum: a curiosidade. É um curioso aquele cliente viajado que já conhece, já foi em alguns restaurantes moleculares e restaurantes de tapas. E há os que não conhecem, mas que já ouviram falar, que viram no programa Fantástico (Rede Globo), que viram no Ferran Adriá e gostariam de conhecer. Todos têm em comum a curiosidade. O estilo de comida que se faz aqui ninguém faz. Aqui no Brasil ninguém faz. No Brasil tem ou tapas, que é de estilo espanhol, o nosso é internacional, ou gastronomia molecular. No Brasil tem, portanto, ou tapas ou gastronomia molecular, ou restaurante normal. Quem foca na gastronomia popular tem até aquele preconceito de achar que vai comer bolinha, vai comer arzinho, vai comer coisinha que flutua, vai comer três gotinhas num prato. A gente está fora disso. A gente usa gastronomia molecular para adicionar textura, para adicionar aroma, para adicionar apresentação nos pratos. A gente foca no sabor e na consistência dos pratos. Aqui, vai comer um carré de cordeiro, como em qualquer outro lugar,

só que aqui vai ter pequenas pérolas, esferificações de menta que quando coloca na boca estoura. Então, não vai comer um carré de cordeiro molecular; a gente usa o molecular para adicionar. Quem cuida dos negócios da empresa? O chef divide o seu tempo entre a cozinha e a administração? Fábio – Eu mesmo. Primeiramente, no de Joinville, eu fazia tudo sozinho. Depois, minha noiva, que é advogada, passou a tomar conta da papelada. Hoje em dia, as decisões administrativas são nossas. Dá para conciliar a arte de ser chef e o trabalho como empresário? Fábio – É impossível não conciliar. Não adianta o chef de cozinha ser só um chef de cozinha e fazer um prato e o pessoal da frente servi-lo. O chef tem que ter o contato com o cliente, tem que saber se o prato está sendo bem servido. E tem o lado financeiro: o prato é barato, o custo está valendo a pena na venda? Estou com 30% do custo do prato? Tudo bem. Estou com 80% do custo do prato? Tem alguma coisa errada e mesmo que o cliente goste, não estou ganhando dinheiro. E também tem o lado do cliente, da aceitação do cliente: ele está gostando? Não adianta só fazer comida. Tem que fazer a comida e seguir os passos – tanto antes quanto depois – para ver a aceitação do cliente, ver se está vendendo. Sobra tempo para criar novos pratos, novos sabores, novos aromas? Fábio – O cardápio é fixo. Tirando o cardápio, há um menu de degustação. Aliás, 99% das vendas provém do menu de degustação. E o que é que é esse menu? Eu crio pratos a cada dois ou três dias. Nesse menu são dez pratos e uma tábua com cinco sobremesas variadas. Bem, pela manhã vou ao mercado ver o que há de melhor, de mais fresco e de mais diferente. Sempre acho alguma coisa para servir à noite. Sempre há pratos novos, a criação nunca para. Além disso, durante uma hora e meia por dia faço pesquisas na internet, vejo fotos, pesquiso restaurantes para ver se consigo criar. Quando eu trabalhava em Nova Iorque, com um grupo de restaurantes, eu só fazia criação de cardápios. E como fico entediado bem rapidinho na cozinha, quero criar coisas novas. Impressionar as pessoas é muito legal, é muito divertido. E o cliente também gosta de ver coisas novas. Qual é a expectativa de crescimento em 2013? Está sendo um bom ano? Fábio – Em Joinville está estável. Alíás, a cidade é interessante: quando abre um restaurante, não importa o estilo, ele fica bombando por seis meses e depois desse tempo é preciso cativar o cliente-chave para manter o restaurante aberto. Na casa de Curitiba é mais difícil de dizer, uma vez que não há o ano passado inteiro para comparar. Mas, em todo caso, a nossa espera agora é de um aumento de 30% no movimento para o ano de 2014. Com esse aumento, a gente está quase

na lotação total do restaurante. Hoje, o movimento é bom, o retorno é grande.

sem saber. E lá também o chef de cozinha coordena o salão, coordena os garçons.

A empresa tem planos de expansão? Pensa em abrir franquias? Fábio – Por mim, eu já teria aberto uns três ou quatro restaurantes, de estilos diferentes. Só que é muita coisa para administrar e é muito difícil encontrar profissionais de confiança. Em Joinville, consegui um gerente e um chef de cozinha, que veio do exterior e é fantástico. Lá não tenho problemas. Atualmente eu fico mais no restaurante de Curitiba, mas um dia da semana, pelo menos, estou lá também. E franquia por enquanto não. Na verdade, eu gostaria de abrir outro restaurante, mas não estilo tapas – um restaurante modernista. Por outro lado, é preciso pé no chão… Já vi muito restaurante abrir e fechar. Empresários e empreendedores às vezes cometem erros ao ampliar seus negócios, pois nem sempre a qualidade da comida e do serviço continua a mesma. Então, ainda prefiro um restaurante pequeno, mas sempre lotado, do que expandir e ter que mudar a qualidade do atendimento. Claro, se continuar sempre lotado durante três ou quatro anos aí, sim, vai ser o caso de pensar em abrir em outra área, vai ser o caso de pensar em ampliação. Mercado tem.

O que é gastronomia molecular? Fábio – Ela foi criada por um químico francês – Hervé This. Ele começou a pesquisar a química dos alimentos e como eles de comportam. Hervé começou com um ovo: por que a gema cozinha numa temperatura e num tempo diferente da clara? Por que as enzimas da clara são diferentes? E quem pegou todas as ideias dele foi o chef espanhol Ferran Adrià, que abriu um restaurante de gastronomia molecular (El Bulli). A gastronomia molecular tem uma explicação química. São técnicas diferentes, são produtos inovadores e é basicamente a transformação de alimentos. A gente reconstrói os alimentos. A gente pega azeite de oliva e transforma em pó, pega cachaça e cria uma esfera que, quando a morde, ela é cachaça por dentro. A gente transforma linguado em espaguete sem uso de farinha, ovos ou batata. A gente transforma suco de tomate em ravioli. E aí tem os produtos que a gente usa, que normalmente não eram usados em restaurantes: transglutaminose, cola-proteína. Consigo colar carne com peixe – pode jogar na parede que não desmancham, não quebram. Usa-se também hidrogênio líquido para congelar ingredientes a menos 195 graus. Usam-se defumadores frios, desidratadores – são equipamentos inovadores que antes não eram utilizados na cozinha.

Há em vista novas ideias de negócios? Fábio – Na área de restaurantes, claro. Está na veia. Sou daqueles que gostam do que fazem. Gosto do que faço, sinto prazer com o que faço, sinto-me confortável na cozinha. E isso tudo não atrapalha o papel de empresário. O empresário ajuda o chef e o chef ajuda o empresário. Não tem como separar os dois. E isso também vem de uma cultura americana. Nos EUA, o empresário e o chef de cozinha são duas pessoas diferentes. Mas a pressão em cima do chef de cozinha é muito maior do que aqui. Lá, o empresário está em cima, pressiona, quer saber das coisas. Então, lá a gente aprende desde o começo a ser empresário

Por que a opção por tapas? Fábio – É o meu estilo favorito de comer. Sempre foi, desde que comecei a ser chef. No meu primeiro emprego, o dono do restaurante falou para mim: ‘para ser um bom chef tem que gastar 50% do teu salário em comida’. Nunca me esqueci. E sempre saí para comer, para ver o que as pessoas estavam produzindo, sentindo gostos diferentes, vendo restaurantes diferentes, estilos diferentes. Até hoje faço assim. E as tapas são perfeitas. São pequenas porções servidas no centro da mesa para serem compartilhadas.

Restaurante Poco Tapas de Curitiba: uma casa para clientes curiosos.

Quem é?

Fábio Mattos, 37 anos, começou a trabalhar aos 16 anos numa pizzaria, na Califórnia, nos Estados Unidos, para onde foi morar quando tinha 15 anos. Aos 20, buscou sua formação em Culinary Arts na Orange Coast College . Fez pós-graduação no Instituto Internacional de Arte Culinária de Massachusetts. Atuou ao lado de nomes de peso, como o master chef George Karausos. Fábio também morou em Nova York, onde se tornou chefe executivo e responsável por cinco restaurantes de uma rede.


Finanças&Negócios

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A6

joca.sev@hotmail.com

JoaquimSeverino GLEISI E A ORELHA DA FAEP A melancia tão conhecida por suas inúmeras qualidades alimentares e medicinais, todas muito pobres, se faz mais notória por sua coloração, verde por fora e vermelha por dentro. Assim também é o Boletim Informativo da FAEP-Federação da Agricultura do Estado do Paraná, cuja capa é verde e o conteúdo é vermelho, não porque seja de tendência esquerdista, mas porque a vermelhidão é pela vergonha do conteúdo que o mesmo é obrigado a estampar. Por acreditar que o ataque é a melhor defesa, a Faep está sempre atacando, imaginando que com isso forma-se uma cortina de fumaça sobre a sua caixa preta. Tempos atrás beirou a histeria, a longa campanha que a mesma empreendeu contra os transgênicos e está tudo publicado no seu boletim-melancia que, aliás, aparece atualmente com um pomposo sobrenome, qual seja, “A revista do Sistema”. Sindicalistas adoram demonstrar que são poderosos, tanto quanto fazem de tudo para esconder a origem vergonhosa dos seus recursos compulsórios. Presentemente a Faep voltou suas baterias, tão fortes quanto bombinhas de salão, para as concessionárias do pedágio e para o porto de Paranaguá. Quanto ao tema do pedágio faz um estardalhaço danado, embasado apenas na superficialidade do “diz que diz”, repetindo à exaustão o que se publica em jornais, especialmente as abordagens que se ajustam ao seu modelo de metralhadora giratória e jogar para a torcida. Diz a Faep que é preciso abrir a caixa preta das concessionárias/pedágio. Seria o roto falando do rasgado, ou então do falar de corda em casa de enforcado. Logo quem vem falar em caixa preta, logo os sindicalistas cujas caixas são trancadas a sete chaves para impedir que cobras e lagartos deem as caras. Quanto ao porto de Paranaguá, uma das ultimas manchetes do boletim-melancia diz que “Faep defende o Porto e irrita a ministra Gleisi Hoffmann”. Dia 8 de outubro passado, representantes categorizados do Paraná mantiveram, em Brasilia, reunião com a ministra Gleisi, tratando da complexa questão do porto de Paranaguá. O destaque fica por conta de que ao final da reunião, o técnico Nilson Camargo, representante da Faep, foi alvo de severas críticas da ministra. Quem conhece o técnico Camargo sabe que o mesmo não é dado a rompantes, é um homem educado, respeitador e de fino trato, assim como a ministra, portanto, refletir é preciso. A leitura que pode ser feita desse episódio, é que o técnico Camargo tenha sido apenas o canal para fazer chegar um recado a dirigentes da FAEP que jogam com duas moedas, na frente falam uma coisa e nas costas falam outra. Se a ministrar puxar a orelha da Faep, é por saber que é tão verdadeira como uma nota de três reais, a legitimidade de sindicalistas que buscam perpetuar-se no cargo, através de viciadas re-eleições, suportadas com recursos que fazem a vermelhidão do boletim-melancia. *Joaquim Severino – Diretor Presidente da empresa Agrária Engenharia e Consultoria S/A e Professor de Política Agrícola da Universidade Federal do Paraná (1973/2010) escreve esta coluna desde 1992. abnoticias@abcom.com.br

AB Notícias COMÉRCIO NO NATAL

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Francisco Beltrão, no Sudoeste, prevê aumento de dez por cento nas vendas de Natal em relação ao ano passado. A entidade verifica crescimento animador das vendas já em outubro e a expectativa é de melhora em novembro e dezembro. Além disso, o mercado deve ficar aquecido com o 13º salário dos trabalhadores. Os beltronenses irão usar o dinheiro para pagar as contas, viajar, fazer compras e investir.

INCLUSÃO SOCIAL

Tibagi, nos Campos Gerais, concorre ao Prêmio Cidade Pró-Catador, que reconhecerá boas práticas de inclusão social e econômica de catadores de materiais recicláveis. O município receberá a visita de uma comitiva do Governo Federal no dia 13 de novembro para avaliação do Programa Recicla Tibagi. A iniciativa é da SecretariaGeral da Presidência da República e é voltado às cidades cujas práticas se espelhem na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

BOA ESTRATÉGIA

O produtor paranaense de hortaliças modifica o processo de produção, adquirindo mudas prontas, com genética aprimorada e qualidade garantida. O objetivo é reduzir o ciclo de produção e baratear o processo. Segundo a regional Norte de Olericultura do Emater, os custos iniciais são menores também pela facilidade do controle de pragas. Alguns produtores compram mudas com até 30 cm de altura, e garantia de produção.

CULTURA EM DESTAQUE

O Centro Cultural Lupércio Luppi, em Londrina, registrou aumento no número de visitas este ano. Em setembro, o espaço contabilizou o recorde de atendimentos ao mês da sua história, com 9.300 usuários recebidos. A expectativa é que o número cresça ainda mais, já que o centro cultural teve atividades da Virada Cultural Paraná no mês de outubro. O espaço é aberto à comunidade e conta com palestras, espetáculos, e atividades de formação.

HISTÓRIA GUARDADA

Foi aprovado o projeto de lei que prevê a criação do Museu Histórico do Sudoeste do Paraná. A ideia, de acordo com o projeto, é que o museu seja instalado no município de Francisco Beltrão. O espaço servirá para guardar a história desta região e de fatos importantes, como a colonização, para que gerações futuras possam conhecer. O acervo será constituído de objetos, documentos e fotos que serão reunidos.

FENATA 2013

O 41º Festival Nacional de Teatro de Ponta Grossa segue até quarta-feira, 13. O evento reúne companhias de todo o país incluindo peças infantis, de bonecos e animação. O festival tem como objetivo estimular e difundir o teatro nacional promovendo intercâmbio entre artistas e público. As peças acontecem em diversos pontos da cidade e integram a Mostra Competitiva de Teatro Adulto e a mostra Não Competitiva, com entrada franca.

SAÚDE ANIMAL

Produtores do Paraná devem estar atentos ao calendário de vacinação animal. Até o dia 30 de novembro, o rebanho deve ser vacinado conta a febre aftosa em todo o território estadual. Conforme dados da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, deverão ser imunizados bovinos e bubalinos de todas as idades. A expectativa é vacinar 9,4 milhões de cabeças - 100% do rebanho do Estado. No Oeste, são mais de um milhão de animais.

CUIDANDO DA NATUREZA

Foi coletado sêmen do macho Tonhão, uma das onças-pintadas do Refúgio Biológico Bela Vista, da Itaipu. O material genético foi congelado em nitrogênio e encaminhado para o banco de dados para projetos futuros de reprodução. O objetivo é realizar um trabalho de proteção e manutenção da espécie, bem como envolver estudantes e mobilizar a comunidade.

MERCADO IMOBILIÁRIO

Empreendimentos de luxo em Curitiba superam os econômicos Apartamentos residenciais de alto padrão apresentam a maior variação do preço de venda, com elevação de 4,8% em setembro em relação a agosto

C

onstrutoras e incorporadoras estão direcionando seus lançamentos para o segmento de luxo, depois do boom de empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida. O atual cenário do mercado de novos na c apital paranaense pode ser verificado em números. Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em 2009, foram lançados 13 edifícios para a habitação popular em Curitiba, contra quatro de luxo. Em 2013, até o momento, estão em comercialização 11 empreendimentos populares, contra 32 de luxo. A entidade classifica como luxo os imóveis com preço acima de R$ 1 milhão. Em setembro, na comparação com o mês anterior, os apartamentos residenciais de luxo apresentaram a maior variação do preço de venda, alta de 4,8%, que chegou a uma média de R$ 2,15 milhões na capital. Ainda na comparação entre os meses de setembro e agosto, ao mesmo tempo em que registrou incremento de 2,8% na oferta de imóveis (num total de 1.551 unidades), o segmento de luxo apresentou baixa do estoque, com redução de 3,5% do montante de unidades disponíveis para a venda. O desempenho foi o segundo melhor entre os padrões, atrás apenas do especial (imóveis de um dormitório), que contabilizou uma redução de unidades em estoque de 8%.

Ucrânia Champagnat Residence, empreendimento de luxo da Swell Construções e Incorporações em Curitiba

De acordo com a gerente da Senzala Imóveis, Augusta Coutinho Loch, os imóveis de luxo sempre tiveram venda garantida em Curitiba, mesmo para o segmento de usados, ainda que em velocidade diferente das unidades econômicas. Na imobiliária, as edificações de luxo representam 20% da carteira de imóveis. “O setor ganhou mais evidência porque o preço de venda dessas habitações aumentou, chamando ainda mais a atenção dos compradores”, explica. A tecnologia usada nos empreendimentos é apontada como a

principal evolução dos imóveis e luxo nas últimas décadas. Augusta cita ainda outros fatores que conferem esse status ao imóvel. “O padrão de construção deve ser elevado, não apenas quanto ao imóvel em si, mas também na área comum, portaria e garagens”, ressalta. A gerente diz que ainda que, normalmente, o edifício tem um apartamento por andar, este com quatro dormitórios, área privativa média de 300 metros quadrados e de três a quatro vagas de garagem. Em Curitiba, esses empreendimentos estão concentrados nas regiões

Executiva de finanças da Jteket recebe o Prêmio Equilibrista 2013 A diretora executiva de Finanças da Jtekt Automotiva Brasil, Edineia Martins, recebeu na semana passada, em cerimônia realizada no Castelo do Batel, o prêmio Equilibrista 2013. Considerado o “Oscar” do mundo financeiro, o prêmio é outorgado todos os anos pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças no Paraná (Ibef-PR). Edineia é a quarta mulher a receber a premiação. Também foram homenageados como destaque finanças na 28ª edição do Prêmio Equilibrista, Joelson Lopes, diretor administrativofinanceiro da Brafer Construções Metálicas, e Mauricio Nascimento, CFO da Aker Solutions. De acordo com o presidente do Ibef-PR, Clecio Luiz Chiamulera, o objetivo do evento foi promover a integração dos candidatos Edineia Martins, Joelson Lopes e Maurício Nascimento com os associados. “A idéia é termos a oportunidade de conhecer melhor, de forma descontraída, cada um dos três. Quem foi indicado não chegou aqui por acaso, mas, sim, por fruto da competência e dedicação. Por isso, todos já são vencedores”, destacou Chiamulera.

A Equilibrista

Edineia Martins, diretora financeira e gestora de pessoas e compras de Mercosul da multinacional japonesa Jtekt, é natural de Ribeirão Claro, interior do Paraná. Ela atua diretamente no estudo de panoramas de mercado da empresa

Henrique Gaede, vice-presidente do IBEF Nacional, e Edineia Martins, a Equilibrista 2013

do ramo automotivo, que pertence ao Grupo Toyota. É graduada em Ciências Contábeis e pós-graduada em Controladoria e Finanças pela FAE, tem MBA executivo em Finanças Empresarial pela EBS e outras especializações e cursos decCurta duração na área de Gestão de Pessoas. Atuou na Editel e ingressou na Jtekt Automotiva Brasil (antiga Koyo) em 2002. Em 2012 e 2013 destacou-se na implementação do projeto de Inovação Tecnológica de localização do Sistema de Direção Elétrica junto à Finep. A obtenção desse financiamento foi um item fundamental para a aprovação do investimento no Brasil pela matriz no Japão. Um dos destaques de seu trabalho na Jtekt foi o processo de pesquisa, desenvolvimento e apre-

sentação do sistema EPS, sistema desenvolvido para as montadoras e que facilita a manobra dos veículos ao consumidor final. Joelson Lopes, diretor administrativo-financeiro da Brafer Construções Metálicas, iniciou sua carreira como auxiliar de almoxarifado. Atualmente, é responsável pela gestão de pessoas e finanças da empresa. “Fico muito feliz em estar entre os indicados e de compartilhar tantas ideias com os demais executivos”, diz Lopes. Maurício Nascimento, CFO da Aker Solutions, nasceu em Salvador (BA) é graduado em administração de empresas, trabalhouem empresas de São Paulo, Rio de Janeiro, e tem MBA em Finanças pela Purdue University.

do Batel, Champagnat, Cabral e Ecoville. Segurança, comodidade e bemestar são os motivos que levam o comprador a optar por um imóvel de luxo. Geralmente, o público é formado por casais com idade acima de 40 anos, com dois filhos ou mais, e renda familiar acima de R$ 40 mil, com intenção de compra para moradia. Segundo Augusta, esse público opta por dar no mínimo 50% do valor do bem como entrada e financiar o saldo restante em curto prazo. “Muitas vezes o pagamento é à vista”, destaca.

Deo Colônia Overdose ganha troféu de melhor criação perfumística A 21ª edição do Prêmio Atualidade Cosmética, promovido anualmente pela Cusman Editora, entregou o Troféu Aparício Basilio da Silva – Criação Perfumística Latino-Americana Feminina, ao perfumista francês Olivier Paget, da Mane, pela criação da deo colônia Overdose Woman para a Racco Cosméticos. A premiação, que é referência nacional e internacional do mercado de perfumaria e cosméticos, foi realizada em duas fases. Na primeira, participaram cerca de 30 fragrâncias – apresentadas aos avaliadores em frascos iguais tendo como identificação apenas um código. As 10 que obtiveram as notas mais altas foram selecionadas para a segunda fase, na qual foram avaliadas no formato em que são comercializadas (embalagem e nome do fabricante). A fragrância Overdose Woman, da Racco, possui um toque exótico do Musk, que ganha sensualidade com notas de flor de baunilha e pera com flores. A entrega do Prêmio Atualidade Cosmética foi realizada na última terça-feira (5), no Teatro Bradesco, em São Paulo, e reuniu cerca de 900 pessoas – dirigentes e executivos da indústria e do varejo de beleza do Brasil e da América Latina.

Novo sistema modifica envio de informações ao governo federal A partir de 2014, entra em vigor mais um capítulo do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) do governo federal, o eSocial. Tratase da unificação de informações enviadas ao governo com o propósito de otimizar esse processo. De acordo com o governo, a iniciativa objetiva racionalizar e uniformizar as obrigações dos empregadores, com uma transmissão de informações única para diferentes órgãos da administração federal, como Receita Federal, Ministério do Trabalho, INSS e Caixa Econômica Federal.

O calendário de implementação da norma ainda depende da publicação de um ato normativo. Contudo, a nova regra deve vigorar de forma progressiva. Estima-se que, a partir do início do ano que vem, as grandes empresas, tributadas em regime de lucro real, entrem no eSocial. No segundo semestre, será a vez dos Microempreendendores Individuais (MEIs), pequenos produtores rurais e empresas de lucro presumido. Dessa forma, acredita-se que todos os trabalhadores integrem o sistema a partir de janeiro de 2015.

De certa forma, a adoção do eSocial se assemelha ao uso da Nota Fiscal Eletrônica (NF-F). A ideia é que, cada evento trabalhista, tenha um arquivo digital, assinado e transmitido às autoridades. Nesse sistema, todos os órgãos envolvidos no processo podem consultar informações pertinentes e de interesse, reduzindo o tempo gasto com esses processos. Estudo organizado pelo Banco Mundial colocou o Brasil no topo do ranking de gasto de horas com a produção de informações para o governo. Ao todo, são 2,6 mil horas por ano.

Embora haja dúvidas sobre o uso do novo sistema, a maior parte das empresas está preocupada com a mudança. Prova disso é o fato de um evento sobre o tema, organizado pela TOTVS, agendado para os dias 7 e 8 de novembro, estar com três turmas completas e até mesmo com lista de espera para interessados. Sabe-se que a parte mais afetada das empresas será a de Recursos Humanos, porém o eSocial envolverá outras áreas das companhias, pois englobará todos os serviços prestados e tomados pelas empresas.


Mais-Valia

Walter Schmidt

Diário Indústria&Comércio

walter@induscom.com.br

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A7

Mapa de leitura

Serra na ACP

O ex-governador de São Paulo, José Serra, e um dos précandidatos à Presidência da República, faz palestra hoje na Associação Comercial do Paraná. Vai traçar um panorama da economia brasileira

Ilana Lerner no blog da Lide

A jornalista Ilana Lerner é a nova colaboradora do Blog da Lide Multimídia, assessoria de comunicação empresarial. A coluna ‘Pensamentos Imperfeitos’, é publicada às quartas-feiras, com a proposta de levar aos leitores uma reflexão sobre o cotidiano e a cidade. Filha do arquiteto, ex-prefeito e ex-governador, Jaime Lerner, Ilana mostra uma visão diferenciada da evolução de Curitiba. O endereço para acesso é: http://www.lidemultimidia.com.br/blog.html

O livro de Adolpho A W.A. Editores recebe hoje os exemplares do livro “Adolpho de Oliveira Franco – Advogado do Paraná” impressos pela Gráfica e Editora Lastro. O livro, de Walter Schmidt e Adolpho de Oliveira Franco Junior, relata a trajetória política e profissional de Adolpho de Oliveira Franco (1915-2008), que governou o Paraná em 1955, foi senador, de 1963 a 1971, presidiu o antigo Banco Comercial do Paraná (Bancial) e a seccional paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil. Adolpho também presidiu a Liquigás Paraná-Santa Catarina e dirigiu a Carteira Agrícola e Industrial do Banco do Brasil. O livro será distribuído para biblioteca públicas e de escolas.

Já está circulando a revista Mapa, lançada na sexta-feira pela Editora Arte & Letra e pelo programa Conversa entre Amigos. A publicação é um guia de leitura para pessoas que gostam de ler. Com tiragem inicial de três mil exemplares, distribuição gratuita e dirigida, a revista pretende atingir todos os públicos e não apenas os intelectuais, escritores e editores. O foco do conteúdo é a literatura, incluindo matérias do New York Times e da The New York Review Of Books.

Compagas na Ieme

A Ieme Comunicação é a nova assessoria de imprensa da Companhia Paranaense de Gás (Compagas), concessionária responsável pela distribuição de gás natural no Paraná. A Compagas tem mais de 630 quilômetros de rede de distribuição e atende 14 municípios, com cerca de 20 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, veicular e industrial.

Caminhada da Natureza

O empreendimento Caminhos da Colônia, em São José dos Pinhais, lançado há poucas semanas, faz seu primeiro evento no domingo, 17. É a 1.ª Caminhada da Natureza. No trajeto de 10 quilômetros, entre estradas rurais e trilhas, os18 empresários ligados ao empreendimento vão expor e vender o que produzem, como vinhos, doces, artesanato, e produtos coloniais e orgânicos.

Métricas na internet

A Sofhar Gestão & Tecnologia S/A, empresa paranaense focada na construção de soluções de tecnologia da informação e comunicação,está ultimando preparativos para lançar, ainda neste ano, um produto voltado para a sustentabilidade. O objetivo é ajudar as organizações a controlar seus indicadores de sustentabilidade e assim alinhar suas atuações com as exigências de mercado.

Baggio Campo Comprido

Depois de amanhã, a Baggio Imóveis inaugura sede nova. Vai ser na Rua Eduardo Sprada, 3.936, no Campo Comprido. A Baggio é hoje uma das dez mais lembradas imobiliárias de Curitiba, segundo pesquisas.

Boca a boca Para quem botou o restaurante para funcionar completamente no estilo soft opening, o Corrientes 348 Curitiba, no Batel, colhe o sucesso da melhor publicidade: o boca a boca. Desde o momento em que os dois sócios proprietários, Bruno Villela (á esquerda) e Luciano De Pauli Jorge, abriram as postas, no final de março último, o restaurante registra um ticket médio 30% acima do valor esperado para o primeiro ano de operação na cidade. O Corrientes serve 1,5 tonelada por mês de carne 100% importada. Destque para a parrilla porteña.

Casas Bahia é Impar

A organização Casas Bahia recebeu o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional), em Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel e Toledo. A marca que venceu na categoria loja de eletrodomésticos em todas as regiões da pesquisa, chegou a conquistar 60,59% da preferência dos moradores de Cascavel e no resultado estadual ficou com 49,99%, com diferença de mais de 32 pontos percentuais

Marca curitibana é destaque no ramo da confecção brasileira A Ponto Design, com lojas em Curitiba, Londrina e Campinas, vem crescendo no fornecimento de peças para grandes marcas

Peças da coleção Primavera/ Verão da Ponto. (modelo Raissa Zanini)

Novo produto Sofhar

O espaço "Redirect suas Ideias" promove palestra dia 19 próximo, às 19 horas, com Juliano Pontes, diretor da Aunica, especializada na implementação de identificação e mensuração de resultados em marketing digital. A empresa é reconhecida no mercado como Tagnology Company, conceito desenvolvido com tecnologias inovadoras para decodificar as inúmeras informações do universo digital para a estratégia das empresas.

MERCADO DA MODA

Há 30 anos, a empresária do ramo da moda, Marilise Slaviero, iniciava uma carreira de vitórias. Depois de produzir roupas em tricot para o público infantil, conseguiu transformar uma pequena loja em uma marca forte com peças quase exclusivas e destinadas para mulheres executivas. A empresária começou produzindo peças para Zoomp, Le Lis Blanc, Guaraná Brasil, Carmim, Lita Mortari, Gregory, M. Officer, Thelure e Spezzato, entre outras. Hoje, a confecção curitibana é referência nacional em termos de qualidade e caimento. Tricots e alfaiataria são os destaques da grife, que cria inclusive as estampas dos tecidos usados em suas roupas. Para a empresária, que não só administra, mas também cria todas as peças que vão para as araras e vitrines, toda a produção feita pela Ponto facilita o trabalho e é um diferencial. “Tecido plano, que é para a alfaiataria, é o mais trabalhoso, mas eu prefiro que seja feito tudo na Ponto, porque fica com a minha

em relação à segunda colocada. O Ímpar é realizado pelo Grupo RIC Paraná em parceria com o Ibope Inteligência.

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5019158-36.2012.404.7000/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : CESAR DOS SANTOS FERREIRA EDITAL N.º 7706224 EDITAL DE CITAÇÃO PRAZO: 30 (TRINTA) DIAS FINALIDADE: CITAÇÃO de CESAR DOS SANTOS FERREIRA, inscrito no CPF nº 049.950.459-37, para que, no prazo de 03 (três) dias, efetue o pagamento da dívida no valor de R$ 32.206,90 (trinta e dois mil duzentos e seis reais e noventa centavos), acrescido de 10 % de honorários advocatícios, válido até 10/04/2012, e das custas processuais, com demais acréscimos, a ser devidamente atualizado monetariamente à época do efetivo pagamento, sob pena de penhora em tantos bens quantos bastem para satisfazer o crédito, nos termos do art. 652, §1º, do CPC, observando que, efetuado o pagamento integral no prazo supra, a verba honorária será reduzida pela metade (art. 652-A, par. único do CPC). Fica, ainda, ciente de que poderá oferecer embargos à execução, no prazo de 15 (quinze) dias, contados do decurso de prazo do presente edital, nos termos do art. 738, caput do CPC, independentemente de penhora, depósito ou caução, e que no mesmo prazo, reconhecendo o crédito do exeqüente e comprovando o depósito de 30% do valor em execução, inclusive custas e honorários de advogado, poderá o executado requerer ao juiz seja admitido a pagar o restante em até 6 parcelas mensais, acrescidas de correção monetária e juros de 1% ao mês (art. 745-A do CPC). EXPEDIDO nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, aos 16 de outubro de 2013. Eu, Laura Ribas, Analista Judiciário, digitei e eu, Wagner Caetano Bruginski, Diretor de Secretaria, conferi este edital, que vai assinado pelo MM. Juiz Federal Substituto desta Vara. Flavio Antonio da Cruz Juiz Federal Substituto na Titularidade Plena

ATA DE REUNIÃO DOS SÓCIOS QUOTISTAS JRV ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS LTDA CNPJ N° 97.534.429/0001-09 NIRE N° 4120710563-8 Aos 01/11/2013, às 16:00 horas, se reunirão a Rua Abraham Stier, nº 301 CEP 81260-010 Curitiba/PR , sede da em presa JRV ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS LTDA, nos termos da Lei 10.406/2002, com seus atos devidamente registrados a Junta Comercial Do Estado Do Paraná SOB NIRE 4120710563-8 e CNPJ 97.534.429/0001-09 ; os sócios representando a totalidade do capital social; compareceram e declararam cientes do local, data, hora e ordem do dia, dispensando as formalidades da convocação; escolheram para presidir os trabalhos o sócio MARIA APARECIDA GASPAR VIEIRA , ora Presidente, e a mim, JOÃO ROBERTO VIEIRA JUNIOR, ora Secretário sócio para secretariar e RAPAHAEL GASPARI VIEIRA, ora segundo Secretário, membros da mesa diretora. Iniciados os trabalhos, os sócios deliberaram sobre a redução do valor do capital social de R$ 3.829.530,00 para R$ 1.370.000,00; posto a ordem do dia em discussão e votação, aprovaram sem reservas e restrições. Terminados os trabalhos, inexistindo qualquer outra manifestação, lavrei a presente ata que foi lida, aprovada, e assinada pelo Presidente e por mim, Secretário, para apresentação e arquivamento na JUCEPAR. Curitiba/PR 01 de Novembro De 2013. MARIA APARECIDA GASPAR VIEIRA Presidente Sócia cotista JOÃO ROBERTO VIEIRA JUNIOR Secretário Sócio Cotista

Marilise Slaviero, proprietária da Ponto Design e lojas Ponto: “inspirações nos grandes nomes da moda”

cara e mais acessível. Já que não tem que passar por outras pessoas e empresas, antes de chegar no meu cliente, só faço peças nas quais eu acredito”, explica. Para conquistar êxito no ramo da moda não basta ter talento empresarial e grande conhecimento de design e tendências. De acordo com Marilise Slaviero, é preciso estudo e conhecer bem as clientes que vão vestir as suas criações. “Tem que estudar, ler, pesquisar e principalmente conhecer as suas clientes. Procuro criar peças que caiam bem no corpo delas. Busco inspirações nos grandes nomes da moda, acompanho os seus trabalhos, mas a minha maior inspiração são as clientes. Estudo cada uma delas no seu dia-a-dia e antes de produzir, crio peças para que elas possam usar em suas ocasiões e compromissos diários. Acredito que isso é que nos dá a capacitação suficiente necessária para manter o nosso negócio”, justifica o sucesso. No começo, a fábrica, localizada no bairro Água Verde em Curitiba, fazia em média 100 peças semanalmente. Atualmente, a Ponto Design fabrica mais de 50 mil peças por ano, graças ao empenho e o trabalho de seus 50 empregados. E os destaques

da marca estavam nas peças em tricot, mas hoje o acervo de peças passa pela alfaiataria e, também, acessórios. “Gosto de trabalhar com o tricot porque eu posso fabricar a estampa do pano. Eu mesma participo de todas as etapas da produção e adoro poder brincar com as possibilidades do tricot. Hoje na alfaiataria produzimos também tudo na nossa fábrica”, explica Marilise. Toda a produção própria também ajuda no desenvolvimento dos funcionários e a economia local. “Hoje as pessoas visam muito o lucro financeiro e se esquecem do esforço para manter a sua equipe. Esquecem-se dos empregos que estão gerando e do que vem por trás disso. Não adianta terceirizar, trazer de fora e acabar com a produção nacional. Não é um impacto imediato, mas o Brasil ainda vai sentir o peso de simplificar a produção e cortar etapas”, completa.

inspiração

Para conquistar o público feminino cada vez mais exigente e, que também é influenciado por uma grande concorrência, a Ponto Design usufruiu do toque feminino e do bom caimento de suas peças. “A moda da Ponto é isso. Criamos

com cuidados especiais, paciência, delicadeza e carinho em cada peça que é fabricada”, explica. Com o destaque nacional da empresa várias pessoas são beneficiadas. Segundo Evandro Marcial, chefe de tecelagem da Ponto Design, as suas conquistas são graças à empresa criada pela empresária Marilise Slaviero. “Eu tive muitas conquistas aqui. Comecei a trabalhar como estagiário com 14 anos e com o crescimento da empresa me desenvolvi profissionalmente. Hoje, tenho 35 anos, constitui uma família, e, por meio da empresa, tenho uma casa. Aqui na Ponto Design, percebi que o sucesso só vem quando fazemos as coisas com o amor e a dedicação”, diz. A Ponto conta com três lojas em Curitiba, o Show Room no Água Verde, uma loja no Batel e outra no Cabral. Conta também com uma loja no Centro de Londrina e uma no estado de São Paulo, na cidade de Campinas. A marca já estuda possibilidades de abrir outras lojas no Paraná e ampliar o fornecimento de multimarcas. Já a Ponto Design, fábrica e confecção da marca, já amplia suas negociações no fornecimento de outras grandes marcas nacionais.

RAPAHAEL GASPARI VIEIRA Segundo Secretario Sócio Cotista CARTÓRIO DE SANTA FELICIDADE IRIO DAS CHAGAS LIMA – OFICIAL Av. Manoel Ribas, 6031 - Fone (41) 3372-1671 – CEP 82020-000 – CURITIBA – PARANÁ EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem se casar: 1- REINEL TUPINAMBÁ MACHADO com MARGARETE DA SILVA 2- MARCO ANTONIO ALZAMORA GONÇALVES com SANDRA WAHRHAFTIG 3- CHARLES ELIAS DE OLIVEIRA com ERICKA LUANA FERREIRA RAMOS 4- ADILSON RODRIGUES DA PAZ com VANILZA FOSSE DE ARAUJO 5- GILTON RIBEIRO com TÁBITA CRISTINA ALVES PINTO 6- JOÃO CARLOS BITTENCOURT com GISELA BRAUNE 7- ANTONIO PIRES DE LIMA com JANIA MARIA DO PRADO Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 (quinze) dias. Curitiba, 08 de novembro de 2013 IRIO DA CHAGAS LIMA Oficial 2º Serviço de Registro Civil e 14º Tabelionato de Notas Otávio Augusto de Albuquerque Rauen Oficial Rua Presidente Faria, 421, loja 02, Centro - Curitiba/PR TEL/FAX: 41-3222-0933/3233-5451- cartoriorauen@terra.com.br EDITAL DE PROCLAMAS ===================== Cartório do 2º Serviço de Registro Civil e 14º Tabelionato da Comarca de Curitiba - PR Faz saber que pretendem casar-se neste Cartório os contraentes: 1 - MARCOS DE SOUZA MORAES com ADRIANE FILA - autos n° 499/2013; 2 - LUIGI BOEIRA LOCATELLI com SILVIA ASSUNÇÃO DAVET ALVES - autos nº 500/2013; 3 - ALESSANDRO CABRAL RIBEIRO com KARINE WITIUK - autos nº 501/2013; 4 - GUSTAVO BUTSCHKAU VIDAL com HEIDY POLIANA BORGES DA SILVA autos nº 503/2013; 5 - GUILHERME LUCAS KROM PACCOLA com PAULA MARIANA COUTINHO DA SIVA - autos nº 504/2013; 6 - EDSON JOSÉ PRIZON com FABIO SILVA - autos nº 505/2013; 7 - MATEUS HENRIQUE VIEIRA REZENDE com ALINE TAQUES VIEIRA DE MORAES - autos nº 506/2013; 8 - LEANDRO GESIEL ALBANSKI com GISELE SOARES DE SANTANA - autos n° 507/2013; 9 - FELIPE FERREIRA LUZZI com LIGIA BARBOSA DE ALMEIDA - auts n° 17881 (4º Subdistrito Trindade, Forianópolis -SC) Caso alguém saiba de algum impedimento, oponha-o, na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias a contar deste Edital. Curitiba, 08 de Novembro de 2013 Otávio Augusto de Albuquerque Rauen Oficial


MÍDIA&MARKETING

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. A8

COMUNICAÇÃO DIGITAL

CAMPANHAS

Superexposição de marca de luxo é preocupação nas mídias digitais Especialista diz que o digital não deve ser visto como algo que despersonaliza a compra

IMAM cria para o Isae “Valorize suas experiências e construa seu futuro” é a chamada da nova campanha do Programa de Aprendizagem 2014 do Instituto Superior de Administração e Economia (Isae), criada pela Agência IMAM. O mote reforça o posicionamento da Instituição no mercado educacional, de construir mais que uma grande carreira profissional, construir o seu legado. “Para quem busca uma grande trajetória profissional, não basta ter as respostas certas, afinal, oque move o mundo são novos questionamentos”. A campanha está sendo divulgada em mídia externa, jornais, rádio e elemídia. Na internet, além de banners, foram criados anúncios especialmente para as redes sociais.

Milton Nascimento na Danette

O cantor Milton Nascimento estrela o novo comercial da Danette. O filme, elaborado pela Y&R, usa linguagem bem-humorada e a famosa música “Canção da América” para mostrar que o produto é tão irresistível que consegue separar até melhores amigos. Com o conceito “Amigos, amigos. Danette

à parte”, a peça gira em torno da amizade de dois rapazes e mostra situações cotidianas para reforçar o sentimento que os une. Em uma das cenas, o craque de futebol, de frente para o gol e sem goleiro, dá o passe de presente ao amigo apenas para que ele complete para as redes.

Gisele Bündchen e a Vivara Gisele Bündchen mais uma vez empresta sua imagem para Vivara. A modelo é a protagonista da nova campanha da marca, que divulga a coleção 2014. Com criação da Epigram e fotos de Bob Wolfenson, a comunicação conta com anúncios, peças para vitrine e catálogo e será usada nos 135 pontos de venda da rede em todo o Brasil.

Petrobras com raspadinha

A Borghi/Lowe criou para Lubrax, a linha de lubirificantes da Petrobras, um anúncio que conta com uma raspadinha para simular o atrito do motor e exaltar as qualidades do Lubrax Indicc, especial para motos, produto divulgado pela campanha. Quando a área especial do anúncio é raspada, o motor desaparece e revela a mensagem “Viu como o atrito acaba com o seu motor? Chegou Lubrax Indicc. O único com Titanium Technology que reduz o atrito em 14%, quando o motor mais precisa”. O anúncio está sendo veiculado na edição de novembro das revistas Duas Rodas e Motociclismo.

Philips Walita: banho de loja A Philips Walita lançou recentemente uma nova linha de vaporizadores para roupas e conta com uma promoção criada pela Simple para divulgar a novidade. A mecânica da ação, intitulada “Não passe sem esse banho de loja”, prevê que os consumidores que adquirirem um

dos vaporizadores QuickTouch e ActiveTouch concorrerão a um “banho de loja” no valor de R$ 10 mil. A divulgação da ação será feita com base em displays de loja, folders, ganchos para cabides e outras peças de comunicação. A promoção é válida até 21 de dezembro.

Democratizar o luxo sem perder a ideia de exclusividade é um verdadeiro desafio para o trabalho em mídias digitais voltado para este segmento. A comunicação para o público de luxo deve ser mais misteriosa, uma vez que a experiência sensorial que estas marcas oferecem no offline precisa ser transportada para o online, sem a perda da identidade. É o que acredita a professora Adriana Baggio, do Centro Universitário Uninter e especialista em comunicação digital. “O digital não deve ser visto como algo que afasta ou despersonaliza a compra de luxo, mas como algo que pode incrementar e personalizar a interação com o consumidor. Sem falar na função de conselheiro, de especialista, no potencial didático que não ofende o consumidor”, explica. Adriana se lembra do caso da Louis Vuitton que, neste ano, teve 12% de queda no valor da marca. Para a especialista, este não foi o único fator, mas, certamente a queda representativa foi também

provocada pela interação nas redes sociais. “A Louis Vuitton depende muito do apelo de exclusividade. Porém, passa por uma overexposição, saturação do consumidor e expansão global do varejo. A marca continua a ser a mais valiosa fabricante de artigos de luxo, entretanto um estudo da Millward Brown Optimor, intitulado de BrandZ, garante que os rivais estão melhores no que diz respeito à gestão entre exclusividade e acessibilidade”, exemplifica.

Potencial

O serviço de luxo faz parte de um mercado que faturou, nos últimos três anos, mais de R$ 45 bilhões no Brasil, segundo levantamento da consultoria Bain & Company. O estudo estima que o crescimento desse mercado seja de 12% na América Latina em 2013. Grande parte do avanço deve ser impulsionado pelo Brasil, que tem ainda previsão de incremento nos negócios de 25% até 2017. “As marcas de luxo viram um enorme potencial na exploração

Adriana Baggio: a comunicação para o público de luxo deve ser misteriosa

de mercados emergentes. Mas precisam aprender a lidar com a tensão entre a popularização (necessária para gerar vendas que sustentam

DMSBOX vive anos dourados e tem crescimento de 36% em 2013

A DMSBOX, com 19 anos de atuação no mercado, foi eleita a Agência de Design do Ano no Prêmio Colunistas PR 2013. Fundamentada no conceito Design Thinking como metodologia de criação, a agência experimentou expressivo crescimento no último ano, com a conquista de novos clientes como Prata Fina, FIEP, Volvo Caminhões, Volvo Construction Equipment e Best Defense. Algumas outras marcas retornaram à casa com força total, como é o caso da Editora Positivo, Posigraf e LATCO, que confiou à DMSBOX o filme de lançamento do seu novo leite, da marca Crioulo. Além da GVT, Construtora DAPO, Construtora Vale Verde, BR FOODS, RPC TV, Spaipa, que também trabalham com a agência.

O relacionamento de anos com algumas contas, como é o caso da Renault, que há mais de 15 anos tem contrato com a agência, também contribuíram para a consolidação da empresa. A agência cuida de toda a comunicação nos pontos de venda da marca, com resultados expressivos. A última edição da promoção Portas Abertas, por exemplo, atingiu 106% do seu objetivo comercial. A DMSBOX desenvolveu todas as peças da promoção para as mais de 230 concessionárias da Renault espalhadas pelo Brasil. Outro cliente tradicional da agência é O Boticário para o qual a DMSBOX cria nas áreas de visual merchandising, desenvolvimento de canais e publicações impressas e digitais para franqueados. O estratégico Projeto Prisma, desen-

volvido oela agência ara a marca, contribuiu significativamente para que a nova loja de o Boticário fosse indicada para concorrer ao mais importante prêmio de design de varejo mundial, o Euroshop Retail Design Award. Os vencedores serão apresentados em fevereiro de 2014. No início do ano, a DMSBOX ampliou seu escritório em Curitiba. Totalmente adaptado às necessidades da agência, o ambiente foi pensado para ser inspirador aos atuais 46 colaboradores. Aprimorou também seu escritório na capital paulista responsável por novas oportunidades de negócio que contribuiu para que a agência tivesse um expressivo crescimento de 36% no faturamento em relação ao último ano.

Agência de promo do ano, Beast festeja premiações no Colunistas A equipe da Beats está comemorando as premiações no Prêmio Colunistas PR 2013. Além de conquistar três medalhas de ouro e um Grande Prêmio, a empresa foi escolhida como Agência de Promo do Ano. “Isso veio coroar a nossa persistência e dedicação”, diz Sulivan Cruz que, junto com a sócia Monica Gelbecke, assumiu o controle total da empresa em 2010. Durante esse período, outras conquistas também vieram como os prêmios de Empresários do Ano para Monica em 2010 e para Sulivan Cruz em 2012, além de medalhas de ouro, prata e bronze em festivais nacionais. “Construímos uma marca respeitada pelo mercado e por nossos clientes. Sempre somos chamados para realizar idéias ousadas e que saiam do comum. É um orgulho sermos reconhecidos por isso”, comemora Monica Gelbecke, diretora de atendimento e planejamento. “A maior prova que os nossos clientes gostam de apostar é o resultado que eles alcançaram. Dois deles cliente conquistaram Grandes

Sulivan Cruz e Monica Gelbecke: prêmios e conquistas.

Prêmios. A RICTV é o Veículo Eletrônico do Ano e a Cervejaria Klein, o Cliente de Promo do Ano. Isso só é possível quanto o cliente acredita

nas idéias da agência, porque sabe que ela pode realmente fazer a diferença em sua comunicação”, afirma Sulivan Cruz, diretor de criação.

o negócio) e o prestígio, para não perder espaço e conseguir manter a essência que tanto é valorizada por este público”, finaliza Adriana.

Crônicas de propaganda são reunidas em livro

Humberto Mendes, vicepresidente executivo da Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda), lançou nessa terça-feira (29) o livro “Crônicas de Propaganda”. Editada pela nVersos, a obra reúne artigos do autor publicados durante os últimos 20 anos em alguns dos maiores veículos de comunicação do país. Entre os temas recorrentes, estão a liberdade de expressão comercial e a ética na publicidade. “Sou conhecido no mercado como um publicitário quixotesco, principalmente porque acredito que é possível trabalhar com ética, honestidade e respeito no mundo publicitário. A propaganda é a atividade mais séria que existe no Brasil e fundamental para o seu desenvolvimento. Defendo enfaticamente a minha profissão há 50 anos, seja escrevendo crônicas, seja fazendo palestras ao redor do país”, afirma. Mendes iniciou sua carreira nos anos 1950, trabalhando com artes gráficas. Atuou por mais de 20 anos em agências e grandes grupos editoriais, como Abril, Manchete e Visão. “Crônicas de Propaganda” é o segundo livro do executivo. Em 2012, publicou “Propaganda: o caminho das pedras”, com dicas para recém-formados e universitários. “O primeiro livro é para jovens que estavam chegando ao mercado. Desta vez, quero falar com os profissionais da área, para que eles entendam a importância de dar o bom exemplo. Precisamos de mais profissionais que disseminem os princípios éticos e os valores da atividade”, explica. Segundo Mendes, não há mais grandes publicitários como Ítalo Bianchi, Caio Domingues, Emil Farhat, Renato Castello Branco, Dora Pollack, David Ogilvy e Claude Hopkins. “Os grandes profissionais estão acabando. De vez em quando surgem novos, mas é uma luta danada para que eles cresçam. Por isso, digo: sejam éticos e se dediquem para fazer história na profissão”.


Aroldo Murá G. Haygert

Diário Indústria&Comércio

Contato com o jornalista: aroldo@cienciaefe.org.br

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B1

DIA 2, LERNER RECEBERÁ, EM NOITE FESTIVA, A COMENDA DO BARÃO Agora é oficial: Jaime Lerner receberá, dia 2 de dezembro, no Clube Curitibano, em grande noite, como bem o merece, a Comenda Barão do Serro Azul, a mais importante distinção da Associação Comercial do Paraná, como prova de reconhecimento do empresariado da cidade ao homem público que revolucionou o desenvolvimento urbano de Curitiba, tornando-a exemplo e modelo mundial. O evento está cuidadosamente sendo preparado por Edson Ramon e seus diretores. A peça de resistência será Jaime Lerner em si, seu carisma, sua presença, sua experiência de vida. Mas não está esquecido o menu, também escolhido a dedo, até por-

que o ex-prefeito e ex-governador é um conhecido gastrônomo. Os discursos são em número “suficientes e necessários”, garante uma fonte da ACP, estando previstas falas do homenageado – Lerner – do prefeito Gustavo Fruet e do governador Beto Richa. São esperados políticos de diversas siglas, notáveis, como FHC, e artistas, como Caetano Veloso, além de um sem número de amigos que esse urbanista já quase lendário foi formando na universidade, na vida pública, no empresariado. Um dos amigos mais próximos de Lerner será só lembrança: Karlos Rischbieter, que foi incentivador e apoiador dos primeiros

A NEVE NA HISTÓRIA E NA TELA Nada fascina tanto os curitibanos quanto o episódio da neve, em 1976. Foi quando nevou para valer na cidade, fato amplamente documentado, especialmente por fotografias de profissionais e amadores. O assunto recorrente está sob a mira do diretor Eloi Pires Ferreira (“O Sal da

Terra” e “Curitiba Zero Grau”) que começa a montar o quebra-cabeça, rememorando o dia da neve. Tudo com vistas a um futuro filme.

Jaime Lerner

passos do arquiteto JL. No Departamento Comercial da

ACP estão à venda os tickets de adesão ao jantar, a preço de R$ 100,00. Eloi Pires Ferreira

OS DONOS DA RUA E A INAÇÃO DA SETRAN

Edson Ramon, Gustavo Fruet e Beto Richa.

45 ANOS DO ESCRITÓRIO DE MANOEL COELHO

DANTE NA BIBLIOTECA. OUTROS SÃO ESPERADOS

Boa parte da Curitiba que conta no mundo das realizações culturais tem encontro marcado, às 19h30 min do dia 13, quarta, no Museu Oscar Niemeyer, para a abertura da exposição e lançamento do livro com a produção dos 45 anos do Escritório de Manoel Coelho Arquitetura & Design. Na mostra estarão os principais projetos desenvolvidos para o espaço urbano, edificações, mobiliário urbano e identidade visual. Manoel Coelho é nome indissociável da grande revolução urbana começada no começo de 1970 por Lerner, a cuja equipe pertenceu desde os primeiros dias. O livro será vendido, na noite, e a renda irá para o Centro Educacional João Paulo II, mantido em Laranjei-

A equipe de Rogério Mainardes, encarregada de implantar – ao lado do setor de Projetos Especiais da Gazeta do Povo – a coleção Biblioteca Paranaense, já está formalizando convites a autores da terra para que participem da coleção. Um deles é Dante Mendonça. Espero que outros nomes igualmente valiosos sejam lembrados, como Adélia Woellner, Fábio Campana, e o modesto (mas importantíssimo) Otto Leopoldo Winck. Ele é autor de um romance muito reconhecido, premiado pela Academia de Letras da Bahia, o “Jaboc”. Os já garantidos seriam Dalton Trevisan, Helena Kolody, Paulo Leminski, Jamil Snege, Cristóvão Tezza.

Aquiteto Manoel Coelho.

ra, Piraquara, cujo projeto arquitetônico foi do arquiteto Coelho. Manoel Coelho foi personagem do volume 1 da coleção Vozes do Paraná, de minha autoria.

compensado quando, no sexto andar fui atendido com impressionante boa vontade e atenção pela médica Suellen Stallbaum”. A jovem faz residência em Clínica Médica, e depois fará mais dois em Oncologia. “Ela restaura a confiança no ser humano que eu havia perdido minutos antes, na portaria do Hospital”, registra o leitor. Garanto ao leitor que o Evangélico vive um período de restauração, melhorando em todos os sentidos. E as anomalias, como as relatadas, devem ser denunciadas à direção do Hospital e são exceções lamentáveis.

EXPERIÊNCIA DE “QUASE MORTE”, UMA GRANDE MESA REDONDA Não são poucos os médicos, no mundo inteiro, que observam e estudam as chamadas experiências de “quase morte” (EQM) vividas por pacientes seus. Uns deles dizem que elas, simplesmente, são ilusões do cérebro. No momento, um ‘best seller’, nos Estados Unidos, e também no Brasil, é o livro “Uma prova do céu”, relato de “quase morte” do professor de Medicina e neurocirurgião norte-americano Eben Alexander. O livro é editado pela Sextante. O tema será objeto de uma mesa redonda que o Instituto Ciência e Fé de Curitiba fará no primeiro trimestre de 2014. Já estão definidos para exporem seus conhecimentos em “quase morte” a professora de Comunicação da UFPr, Eliane Fontoura e os médicos Laércio Furlan e Raul Anselmi Junior. A chamada EQM foca nos re-

latos de pessoas que, tendo sido dadas como mortas pela Medicina, relatam terem mergulhado em experiências em túneis iluminados e visões espirituais com seres superiores. O relato do neurocirurgião Eben Alexander é dos que mais reforçam essa crença da EQM.

Dante Mendonça

Cristovão Tezza

Eben Alexander

PRESÉPIOS COM APOIO JUDAICO

PRESÉPIOS (2) Ester fez de tudo para expor o rico acervo na época natalina.

Salomão Soifer e Ester Proveller

OPINIÃO DE VALOR

Em correspondência à coluna, o desembargador do TJ-PR, Antenor Demeterco Jr exercita mais um vez seu talento privilegiado de conhecedor da História contemporânea. Desta vez, assinala, com a competência de sempre, erros clamorosos num livro interessante e oportuno. A seguir:

Jamil Snege e Otto Leopoldo Winck

Um impressionante acervo de presépios, usando diversos materiais e representando a visão do nascimento de Jesus sob a ótica de muitos povos, é propriedade da Universidade do Artesanato (Uniarte), de Curitiba. Eu fui conselheiro da Uniarte, coordenada por Ester Proveller. Sei da importância da instituição na promoção do artesanato do Paraná.

exemplo, o ônibus da Rimatur de placa AUV (Curitiba) 9241, repetia a infração no endereço. Estava esperando os hóspedes do hotel. E não iria sair logo. E os ciclistas e pedestres que “se virem”, pois há donos das ruas e calçadas impondo suas vontades em Curitiba. Isso sem falar que cadeirantes sempre contam com a ciclovia para seus passeios.

DEMETERCO APONTA GRAVE ERRO EM LIVRO SOBRE O NAZISMO

SUELLEN STALLBAUM, BOA DIFERENÇA NO HOSPITAL EVANGÉLICO Um leitor escreve à coluna e relata a “grande surpresa” que teve, às 15h10 de quinta-feira, 7 quando foi visitar um familiar internado no Hospital Evangélico de Curitiba: diz que na portaria de triagem dos visitantes, “só por pouco não fui agredido por uma autointitulada recepcionista, empregada de empresa terceirizada que atua no Hospital”. Assegura que a moça, gratuitamente, destratou-o porque ele pediu que “ela não atirasse, como quem se livra de um traste”, a sua carteira de identidade. “Passei um sufoco, plenamente

Se a Secretaria Municipal dos Transportes quiser mesmo mostrar serviço ao cidadão, que fique de olho em irregularidades recorrentes em ruas da cidade. É o caso da Av. Sete de Setembro, na frente Praça do Japão, por exemplo, defronte a um hotel de luxo. Ali a ordem dos ônibus de turismo é estacionar, de preferência, na entrada da ciclovia. Na sexta-feira, 8, às 9h05, por

Neste ano, houve interessados diversos. Como setores da Itaipu, pensando no Natal sob o signo das Cataratas. Nada prosperou, até, finalmente, a ideia de um ampla exposição dos 400 presépios ser acatada por Salomão Soifer, do Patio Batel. Assim, “nada mais natural: o Menino Jesus será acolhido, em seus presépios, por alguém de seu povo, o judeu”, dizia sexta-feira à coluna o padre Archimedes Molina Sanchez, que atua na Argentina, que estava de passagem por Curitiba.

Caro Aroldo: A leitura do livro “O Império de Hitler – A Europa sob o Domínio Nazista”, de Mark Mazower, professor de história da Universidade Columbia, Nova Iorque, é extremamente interessante, pois narra a brutalidade nazista em cada país sob ocupação durante a Segunda Guerra Mundial. O extermínio judaico teve o primeiro estágio e início, na realidade, em 1933, com a assunção de Adolf Hitler ao poder, e afastamento de judeus (inclusive dos nacionais alemães) de empregos públicos, de certas profissões, de casamentos inter-raciais, privações de nacionalidade, proibição de frequência a certos lugares, boicotes, imigrações impostas, destruição de sinagogas com morticínios, etc. A eliminação física do Povo Judeu foi a culminância do monstruoso processo operado durante a guerra. Adolf Hitler e seus partidários atraíram para o Povo Alemão o ódio universal, devido aos atentados à Civilização que praticaram. O secretário do Tesouro do Presidente Roosevelt, de nome Henry Morgenthau Jr. (1891-1967), propôs um plano que levava seu nome, para a Alemanha do pós-guerra. De tal plano gotejava, em abundância, a vingança. A Alemanha seria transformada num país agropastoril, em uma comunidade pastoral, com o desmantelamento de seu parque industrial e rebaixamento de seu nível de vida.

Europa devastada pela aventura alemã, visando que as economias recuperassem seu ritmo de produção industrial. O mundo não poderia dispensar a economia de uma pujante Alemanha democrática. O autor do livro sobre o império de Hitler, equivocou-se ao mencionar o plano vingativo, pois deu-lhe como proponente o alemão Hans Joachim Morgenthau (1904-1980), e não o americano Henry Morgenthau Jr. (1891-1967), cf. fls. 608 e 784 da obra. Hans, em verdade, foi um ilustre professor pioneiro no campo de estudos da teoria das Relações Internacionais, nascido em Coburgo, Alemanha, com atuação em diversas universidades europeias, inclusive, posteriormente, em Chicago, Estados Unidos (1943-1971). Henry Morgenthau Jr. e seu “plano meio doido”, impressionaram por certo tempo Roosevelt e Churchill (in “Churchill”, de Lord Roy Jenkins, reitor de Oxford, p. 693-694). A confusão entre os dois personagens é imperdoável e merece correção. Estou encaminhando cópia desta à Editora Schwarcz S/A, que acredito lhe fará uso.

O PLANO MARSHALL Felizmente prevaleceu a razão, e tal plano foi desprezado. Foi introduzido, na sequência, o Plano Marshall (1947), para a

Mark Mazower e Winston Churchill.

Antenor Demeterco Jr.


ECONOMIA

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B2 coronelcosta181@gmail.com

Segurança em Debate

Cel. R.R Jorge Costa Filho

SEGURANÇA NO COMÉRCIO Bom dia. Hoje falarei sobre Segurança no Comércio. É comum os comerciantes instalarem câmeras de segurança para monitorar a área interna de seu comércio, porém, muitos por falta de orientação de um especialista em segurança acabam cometendo alguns erros, que podem acabar resultando em um grande prejuízo se forem vitimas de um assalto, roubo ou furto em seu estabelecimento comercial. Entre as falhas mais constatadas ao se verificar os sistemas de segurança encontramos: - câmeras instaladas apenas para monitoramento e sem nenhum sistema para gravar as imagens; - instalação de “falsas câmeras”, que servem na pratica somente como “enfeite” e que aqueles que assim agem, acreditam que a simples visão da câmera poderá evitar assaltos; - instalação de câmeras de baixa qualidade, onde as imagens gravadas tornam praticamente irreconhecíveis as pessoas que tiveram suas imagens gravadas, imagens essas que em caso de necessidade de se identificar um assaltante não poderão ser utilizadas porque as imagens são baixissima resolução e qualidade; - instalação do sistema de gravação das imagens no mesmo computador que geralmente fica junto ao caixa do estabelecimento, localização essa que não proporciona nenhuma segurança ou garantia de que em caso de um assalto, o computador com as imagens gravadas não será levado pelos assaltantes; - instalação das câmeras em locais inapropriados, sem nenhuma objetividade, onde pelo local instalado não conseguem identificar com qualidade as pessoas que circulam pela área monitorada.

campo

IBGE: safra agrícola de 2014 será menor que a deste ano Segundo o instituto, o arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra

Câmera mal colocada

Por isso é fundamental que o comerciante que se propuser a instalar um equipamento de segurança, quer sejam sensores de movimento, detectores de fumaça ou câmeras de segurança, que tanto a escolha dos equipamentos como os locais onde os mesmos serão instalados sejam feitas por profissionais, que irão identificar quais são os equipamentos mais apropriados e os melhores locais para instalação de cada tipo de equipamento, para que o investimento realizado não se transforme num gasto que não venha a trazer nenhuma melhoria na segurança nem em uma maior sensaçao de segurança para o proprietário, para os funcionários bem como para os clientes que frequentam aquele estabelecimento. Um equipamento de segurança que seja instalado com um bom acompanhamento técnico, com certeza trará muito mais benefícios e consequentemente uma melhora na Câmera em uma posição razoável segurança do estabelecimento, além de, em caso de um infortunio tal como um assalto ou furto, haver condições de se poder identificar o assaltante e dessa forma auxiliar a policia na prisão dos mesmos, pois as imagens irão servir de prova material contra o marginal. Câmera bem colocada Se tiverem alguma dúvida ou alguma pergunta, as encaminhem para o meu e-mail coronelcosta181@gmail.com E até a próxima semana. Abraços

Índice que reajusta aluguéis recua na 1ª prévia de novembro O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado como referência para o reajuste dos contratos de aluguel, registrou alta de 0,30% na primeira prévia de novembro. A variação ficou bem abaixo da registrada no mesmo período de outubro, de 0,85%, conforme divulgou na sexta-feira (08/11) a Fundação Getulio Vargas (FGV). No ano, o indicador acumula alta de 4,89% e no período de 12 meses, de 5,36%. A queda na prévia de novembro foi influenciada pelo recuo nos preços dos produtos vendidos no atacado. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), responsável por 60% da formação do IGP-M, registrou variação de 0,29%, contra 1,14% registrado no mesmo período de outubro. De acordo com a FGV, a principal contribuição para este movimento veio

do subgrupo de alimentos processados, cuja taxa passou de 2,93% para 0,08%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% do total do IGP-M, apresentou alta de 0,39% na primeira prévia de novembro, contra taxa de 0,25% no mesmo período de outubro. O destaque foi para o grupo alimentação, cuja taxa passou de 0,14% para 0,55%. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que contribuiu com 10% na formação do IGP-M, apresentou variação de 0,15% na primeira prévia de novembro, taxa inferior ao resultado do mês anterior, de 0,35%. A influência para o resultado veio da parcela relativa a materiais, equipamentos e serviços, com variação de 0,32%, contra a taxa de 0,73% registrada na primeira prévia de outubro.

Brasil deve produzir no próximo ano 184,2 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, prevê prognóstico realizado pelo IBGE

O Brasil deve produzir no próximo ano 184,2 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. O montante é 1,4% menor do que o obtido na safra de 2013 até o mês de outubro. Já a área a ser colhida em 2014 deverá alcançar 53,6 milhões de hectares, 1,8% maior do que a colhida neste ano. Os dados fazem parte do primeiro prognóstico de área e produção para a safra agrícola

de 2014, divulgado na sexta-feira (08/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A décima estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas – referente aos dez primeiros meses do ano e também divulgada nesta sexta – aponta uma produção de 186,8 milhões de toneladas, 15,4% maior do que a obtida em 2012 no mesmo período, quando foram produzidas 161,9

milhões de toneladas. A estimativa da área colhida até outubro teve aumento em relação ao ano passado. O IBGE prevê que o acumulado do ano feche em 52,7 milhões de hectares, 8% maior do que os 48,8 milhões de hectares dos dez primeiros meses de 2012. De acordo com o IBGE, o arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra. Somados,

eles representam 93% da estimativa de produção e 86,2% da área a ser colhida. “Em relação ao ano anterior, houve acréscimo na área de 7,6% para o milho, 11,2% para a soja e decréscimo de 0,6% na área colhida de arroz. No que se refere à produção, os acréscimos foram de 2,7% para o arroz, de 12,9% para o milho e de 23,8% para a soja, quando comparados a 2012”, diz o instituto.

Safra de grãos pode chegar a 196,6 milhões de toneladas, avalia Conab A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou na sexta-feira (08/11) a estimativa para a safra de 2013/2014. A safra brasileira de grãos para o próximo período deve variar entre 192,4 milhões de toneladas e 196,6 milhões de toneladas, o que simboliza uma variedade percentual de 3% a 5,3% acima da última safra quando foram colhidas 186,8 milhões de toneladas. Os dados são do segundo levantamento feito

pela Conab. O estudo feito mostra a soja como o produto de maior destaque tanto em crescimento de produção quanto de área devido aos bons preços do grão no mercado. A produção está estimada entre 87,9 milhões de toneladas e 90,2 milhões de toneladas em uma área plantada que varia entre 28,8 milhões de hectares e 29,5 milhões de hectares. Também houve um cresci-

mento na área do feijão, primeira safra. O cultivo, segundo o estudo, deve passar de 1,13 milhão de hectares para até 1,21 milhão de hectares, com um crescimento que pode variar de 3,9% a 8%. Outro fator importante, destacado pela Conab, é a área plantada de algodão que deve apresentar um crescimento percentual entre 16,5% e 22%. O trigo, pelo estudo da empresa, deve ter um aumento de 15,1%.

Atividade do comércio sobe 1,7% em outubro, aponta Serasa

A alta da atividade varejista no mês passado foi consequência do aumento de 8% no movimento dos consumidores nas lojas especializadas de veículos, motos e peças

O movimento dos consumidores nas lojas em outubro avançou 1,7% se comparado a setembro. De acordo com levantamento divulgado na sexta-feira (08/11) pela empresa de consultoria Serasa Experian, foi o melhor resultado mensal do ano ao lado de janeiro, quando registrou o mesmo percentual. Na comparação com outubro do ano passado, houve expansão de 2,8% da atividade varejista. Segundo os economistas da Serasa, a retomada da trajetória de expansão da massa real de rendimentos, a estabilização da cotação do dólar e as promoções feitas

pelas concessionárias de veículos impulsionaram o movimento dos consumidores nas lojas durante o mês de outubro. A alta da atividade varejista no mês passado foi consequência do aumento de 8% no movimento dos consumidores nas lojas especializadas de veículos, motos e peças como também pelo avanço de 2,9% no segmento de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas. O segmento de material de construção exibiu crescimento de 2,7% e os de móveis, eletroeletrônicos e informática tiveram altas de 1,4% no fluxo de consumidores.

No acumulado entre janeiro a outubro, a atividade do comércio fechou com alta de 5,1%, alavancada pelos segmentos de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (6,1%) e de combustíveis e lubrificantes (5,8%). Os segmentos de móveis, eletroeletrônicos e informática acumularam alta de 3,2% neste mesmo período, variação idêntica à registrada pelo segmento de veículos, motos e peças. Já o setor de tecidos, vestuário, calçados e acessórios vem logo atrás com alta de 3,1% no acumulado do ano, mesmo desempenho registrado pelo setor de material de construção.

O total da área destinada ao plantio da safra deve passar de 53,3% milhões de hectares, podendo chegar a 55,5 milhões de hectares, o que mostra uma alteração entre 2% e 4,2% em relação à área plantada em 2012/2013, quando chegou a 53,27 milhões de hectares. A pesquisa foi feita pelos técnicos da companhia no período de 28 de outubro à 1º de novembro, nas principais regiões produtoras de grãos no país.

IPC-S avança na primeira semana de novembro, diz FGV

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) calculado entre os dias 8 de outubro e 7 de novembro apresentou variação de 0,63%, o que representa uma alta 0,08 ponto percentual em relação ao período anterior (8 de setembro a 7 de outubro). Segundo o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV-Ibre), seis das oito classes de despesa que compõem o índice apresentaram alta. A maior foi registrada pelo grupo alimentação (0,93% para 1,14%), com destaque para o comportamento do preço das hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 0,91% para 5,75%. Também registraram acréscimo os grupos: habitação, 0,58% para 0,61% ; transportes, -0,01% para 0,06%; comunicação, 0,47% para 0,64%; despesas diversas, 0,25% para 0,52%; e saúde e cuidados pessoais, 0,57% para 0,61%. Em contrapartida, apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: vestuário, 0,72% para 0,43%; e educação, leitura e recreação, 0,50% para 0,46%.


Diário Indústria&Comércio

Publicidade Legal Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B3

SÚMULA DE CONCESSÃO DA LICENÇA DE OPERAÇÃO Cidade Azul Transportes Ltda, torna público que recebeu da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba - SMMA a Concessão da Licença de Operação, válida até 30/11/2013 para Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional, situada à Rua Manoel Valdomiro de Macedo, nº 3093 - CIC. Município de Curitiba/PR. SÚMULA DO PEDIDO DE RENOVAÇÃO DA LICENÇA DE OPERAÇÃO Cidade Azul Transportes Ltda, torna público que requereu à Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba - SMMA a Renovação da Licença de Operação, para Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional, situada à Rua Manoel Valdomiro de Macedo, nº 3093 - CIC. Município de Curitiba/PR. SÚMULA DE RECEBIMENTO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO RADIADORES MARECHAL LTDA, CNPJ 76.585.546/0001-13, torna público que recebeu do IAP, a Licença de Operação para Fabricação de peças e acessórios para o sistema motor de veículos automotores, instalada na Avenida Rui Barbosa, 7535, São José dos Pinhais, Paraná. SÚMULA DE REQUERIMENTO DE RENOVAÇÃO DA LICENÇA DE OPERAÇÃO RADIADORES MARECHAL LTDA, CNPJ 76.585.546/0001-13, torna público que irá requerer ao IAP, a Renovação da Licença de Operação para Fabricação de peças e acessórios para o sistema motor de veículos automotores, instalada na Avenida Rui Barbosa, 7535, São José dos Pinhais, Paraná.

3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ Bel. Mônica Maria Guimarães de Macedo Dalla Vecchia Registradora Designada

  Faço saber que pretendem se casar:   01- MARTINS DA FONSECA e APARECIDA LUIZ DA SILVA.   Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias. CURITIba, 08 DE NOVEMBRO de 2013 1º Ofício do registro Civil 13º Tabelionato Leão Bel. Ricardo Augusto de Leão - Oficial Trav. Nestor de Castro, 271 - CEP 80.020-120 Centro - Curitiba - PR EDITAL DE PROCLAMAS Faço saber que pretendem casar-se: 1 - JARDEEL DE CARVALHO PINTO e SONIA INES SZYMANEK; 2 - FRANCIS TRAUER e BRUNA FERREIRA MARTINS. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 08 DE NOVEMBRO de 2013

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ PREGÃO PRESENCIAL Nº. 099/2013 Processo Administrativo nº. 15253/2013 Tipo: Menor Preço GLOBAL OBJETO: Contratação de empresa para prestação de serviços relacionados à Medicina do Trabalho, conforme solicitação da Secretaria Municipal de Administração Pública. LEGISLAÇÃO: Lei Federal nº 8.666/1993 e nº 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006 Lei Municipal nº. 260/2005 e Decreto Municipal nº. 1254/2006. Horário/Data da Abertura: às 14h00min do dia 27 de Novembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações – Sala de Licitações da Prefeitura. O edital completo estará à disposição dos interessados entre os dias 11 a 27 de Novembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ PREGÃO PRESENCIAL Nº. 100/2013 Processo Administrativo nº. 13541/2013 Tipo: Menor Preço – Global

COMPANHIA PROVIDÊNCIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ n.° 76.500.180/0001-32 NIRE 41.3.000.5081-3 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 24 DE OUTUBRO DE 2013 LOCAL E HORA: Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1.455 – 16º andar, realizada na Cidade de São Paulo, às 9:30h. CONVOCAÇÃO: Os Conselheiros foram previamente convocados na forma do parágrafo 1º do artigo 15 do Estatuto Social. PRESENÇA: Renan Bergmann, Joaquim Constantino Neto, Manuel Maria Pulido Garcia Ferrão de Sousa, Marcelo Araújo, John Leone, Antonio Kandir, Ricardo Doria Durazzo e Alberto Ribeiro Guth e, a convite do Conselho de Administração, o Diretor Presidente e o Diretor Comercial. MESA: Renan Bergmann, Presidente; Gabriela Las Casas, Secretária. ORDEM DO DIA: 1) Apreciar os dados de mercado, setoriais, operacionais e informações financeiras da Companhia referentes ao mês de setembro/2013 e acumulado de janeiro a setembro/2013; e 2) Apreciar investimentos adicionais em atualização das normas de segurança do trabalho. DELIBERAÇÕES: O Conselho de Administração deliberou, por unanimidade e sem reservas: 1) Apreciaram os dados de mercado, setoriais, operacionais e informações financeiras da Companhia referentes ao mês de setembro/2013 e acumulado de janeiro a setembro/2013; 2) Aprovaram o investimento adicional no valor total de R$ 492 mil em atualização das normas de segurança do trabalho, a serem realizados até dezembro de 2013; e 3) Autorizar os Diretores da Companhia a adotar todas as medidas necessárias à consecução da deliberação acima. ENCERRAMENTO: Esgotada a ordem do dia, os trabalhos foram suspensos para a lavratura desta ata, a qual, reaberta a sessão, foi lida, considerada conforme e aprovada pelos conselheiros, que em seguida a assinam. São Paulo, 24 de outubro de 2013. (a.a.) Renan Bergmann – Presidente. Gabriela Las Casas – Secretária. Conselheiros: Joaquim Constantino Neto, John Leone, Antonio Kandir, Alberto Ribeiro Guth, Manuel Maria Pulido Garcia Ferrão de Sousa, Ricardo Dória Durazzo, Marcelo Araújo e Renan Bergmann. Confere com a original. São José dos Pinhais, 24 de outubro de 2013.

OBJETO: Registro de preço de manutenção/conservação predial sobre a tabela SEOP – Secretaria Estadual de Obras Publicas, conforme solicitação da Secretária Municipal de Obras. LEGISLAÇÃO: Lei Federal nº 8.666/1993 e nº 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006 Lei Municipal nº. 260/2005 e Decreto Municipal nº. 1254/2006. Horário/Data da Abertura: às 09h00min do dia 28 de Novembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações – Sala de Licitações da Prefeitura. O edital completo estará à disposição dos interessados entre os dias 11 a 28 de Novembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ PREGÃO PRESENCIAL Nº. 095/2013 Processo Administrativo nº. 17461/2013 Tipo: Menor Preço Global OBJETO: Registro de preço para o fornecimento de calcário, conforme solicitação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. LEGISLAÇÃO: Lei Federal nº 8.666/1993 e nº 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006 Lei Municipal nº. 260/2005 e Decreto Municipal nº. 1254/2006. Horário/Data da Abertura: às 14h00min do dia 25 de Novembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações – Sala de Licitações da Prefeitura. O edital completo estará à disposição dos interessados entre os dias 11 a 25 de Novembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro

Gabriela Las Casas Secretária Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20136042074 em 31/10/2013.

ESTADO DO PARANÁ - 1ª Secretaria de Falências e Recuperação Judicial de Curitiba - Juíza de Direito: Dra. Mariana Gluszcynski Fowler Gusso - Serventuário: Klaus Metzler de Carvalho - Administrador Judicial: Ademar Nitschke Júnior - Autos de Falência n.° 000025508.2012.8.16.0004 – PROJUDI. MASSA FALIDA DE SONAEX S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE AÇO EDITAL DE INTIMAÇÃO – COM PRAZO DE 10 DIAS. AVISO AOS CREDORES E INTERESSADOS – EDITAL DE RELAÇÃO DE CREDORES DO ART. 7°, § 2°DA LEI 11.101/2005. Objetivo: Intimação – Aviso aos credores e interessados. Por intermédio do presente, fica(m) ciente(m) de que nos autos do processo epigrafado foi apresentado pelo Administrador Judicial Ademar Nitschke Júnior a relação de credores de que trata o art. 7°, § 2° da Lei 11.101/2005. Além disso, indicam-se as dependências do escritório localizado na Alameda Augusto Stellfeld, 1157, Bigorrilho, CEP: 80540-340, telefone: 41 – 3232-8862, no horário comercial, como local para que os interessados indicados no art. 8° da Lei 11.101/2005 possam ter acesso aos documentos que fundamentaram a elaboração da relação de credores, para que, se necessário for, no prazo de 10 dias contado da publicação do presente Edital de Relação de Credores, possam apresentar impugnação contra tal relação perante o juízo. CREDORES TRABALHISTAS: VERNALHA GUIMARÃES & PEREIRA ADVOGADOS ASSOCIADOS - R$ 35.000,00 / AÇÃO ACESSORIA PLANEJAMENTO CONTÁBIL LTDA – R$ 1.800,00 / M. STEEL ASSESSORIA E REPRESENTAÇÕES LTDA –EPP – R$ 3.196,42 / NEMO VIDAL & ADVOGADOS ASSOCIADOS – R$ 28.000,00 / POLISERVICE SISTEMA DE HIGIENIZAÇÃO E SERVIÇOS - R$ 6.232,86 / ROSALINA BIELUCZYK CONTABILIDADE – R$ 2.700,00 / SINDICATO DOS EMPREGADOS DO COMÉRCIO DE CURITIBA – R$ 7.846,77 TOTAL: R$ 84.776,05. CREDORES COM GARANTIA REAL: BANCO DO BRASIL S/A R$ 4.228.895,37 / BANCO FIBRA S/A - - R$2.486.310,48 / BANCO INDUSTRIAL S/A - R$ 403.368,73 / BANCO INDUSVAL & PARTNERS - R$ 343.459,98 / BANCO SAFRA S/A - R$ 496.756,50 / BANCO DAYCOVAL S/A R$ 478.145,61 / BICBANCO - BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S/A R$ 162.047,94 TOTAL: R$ 8.599.984,61. CREDORES TRIBUTÁRIOS: FAZENDA NACIONAL - R$ 585.760,53 / ESTADO DO PARANÁ - R$ 472.350,87 / PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA - R$ 38.424,25 / PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTAL DO PARANÁ - R$ 531,61 / SINDIMETAL PARANÁ (Contribuição Sindical Patronal) – R$ 6.973,44 TOTAL: R$ 1.104.040,70. CREDORES COM PRIVILÉGIO ESPECIAL: BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - BANRISUL - R$ 2.141.770,61 TOTAL R$ 2.141.770,61. CREDORES QUIROGRAFÁRIOS: AB ADMINISTRADORA DE SERVIÇOS - R$ 1.342,26 / ACOKORTE IND METALÚRGICA E COMÉRCIO LTDA - R$ 7.065,12 / ARCELORMITTAL BRASIL S.A - R$293.405,64 / AUTO MECÂNICA ROBERCAR LTDA-ME - R$ 17.542,28 / AVN TRANSPORTES LTDA-ME - R$ 38.407,22 / AXIS S/A - R$ 112.812,97 / BANCO BRADESCO S/A - R$ 68.773,56 / BANCO DO BRASIL S/A - R$ 2.076.011,66 / BANCO ITAÚ UNIBANCO S/A - R$ 4.044.113,69 / BANCO MERCANTIL DO BRASIL S/A - R$ 1.361.175,00 / BANCO SAFRA S/A - R$ 458.504,55 / BANCO SANTANDER S/A - R$ 444.041,58 / BENAFER S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA - R$ 181.413,52 / BETEL EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕS - R$ 18.000,00 / BRASIL TELECOM - R$ 1.217,34 / CEMITÉRIO JARDIM DA SAUDADE - R$ 1.425,00 / COMPANHIA METALÚRGICA PRADA - R$37.237,77 / COPEL DISTRIBUIÇÃO S/A - R$ 9.607,13 / CONTABILISTA - PAPELARIA E INFORMÁTICA LTDA - R$ 315,00 / COPEL TELECOMUNICAÇÕES S/A - R$ 2.802,09 / COSMETAL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE PROCUTOS SIDERURGICOS LTDA - R$ 3.479,30 / DE CASTRO LOUREIRO ENGENHARIA, INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA - R$ 134.208,71/ DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO PARANÁ (DETRAN/PR) - R$ 2.306,58 / DIGIRATI INFORMAÇÕES E SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÃO - R$ 161,08 / DISTRIBUIDORA DE COMODITTIESS BRASIL LTDA - R$ 1.221.013,92 / DOLBES DO BRASIL COMÉRCIO DE MÁQUINAS E FERRAMENTAS - R$ 5.000,00 / EMBRATEL - R$ 3.266,52 / ESAB S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO - R$ 1.510,72 / FMC - FEREZIN MARTINS COMERCIAL LTDA - R$308.375,24 / FREFER METAL P2LUS S.A - R$ 552.016,00 / GERDAU COMERCIAL DE AÇOS S/A - R$2.738.799,47 / GLOBRAL COMÉRCIO INTERNACIONAL LTDA - R$303.627,92 / GLOBAL VILLAGE TELECOM (GVT) - R$ 117,56 / GRÁFICA VPA LTDA - R$ 4.840,38 / INCO EDITORA DIÁRIO OFICIAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO - R$ 576,00/ INMETRO SUR PARANÁ - R$ 486,00 / JANISKI SERVIÇOS E PEÇAS LTDA - R$ 1.263,31 / JEFER PRODUTOS SIDERÚRGICOS LTDA - R$ 880.871,55 / JOMAQ ASSISTÊNCIA TÉCNICA E MANUTENÇÃO LTDA - R$ 1.008,90 / J R ACESSÓRIOS PARA SERRALHERIA LTDA - R$ 802,85 / JURESA INDUSTRIAL DE FERRO LTDA- R$ 248.420,61 / KINGSON STEEL INTERNACIONAL LTDA - R$ 769.410,00 / LUIZ CESAR BEGHE-ME - R$ 51.691,10 / LUXZED INFORMÁTICA LTDA - R$ 102,67 / MANETONI DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS SIDERÚRGICOS IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA - R$ 819.574,16 / MARCEGAGLIA DO BRASIL LTDA - R$ 82.478,01 / MKJ EQUIPAMENTOS PARA ESCRITÓRIO - R$ 98,74 / MKRAFT COMÉRCIO DE METAIS LTDA - R$ 6.114,52 / NAC SUL COMÉRCIO DE LUBRIFICANTES LTDA - R$ 523,20 / NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA - R$ 4.183,34 / ORSEGUPS MONITORAMENTO ELETRÔNICO - R$ 1.999,80 / PARANÁ BANCO S/A – R$654.409,14 / PARANÁ CLÍNICAS PLANO DE SAÚDE S/A - R$ 42.848,30 / PERFIPAR S/A MANUFATURADOS DE AÇO - R$ 66.403,74 / PRENSAL INDUSTRIA METALÚRGICA LTDA -R$ 315,00 / POSTO 2 IRMÃOS CHESCIN - R$ 4.394,50 / PROSYST DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS LTDA - R$ 143,24 / REGIONAL EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA - R$ 9.332,77 / RELOVOUX COMÉRCIO DE RELÓGIO PONTO - R$ 112,00 / RENTAL TEX SERVIÇOS LTDA - R$ 438,83 / SANEPAR - R$ 247,32 / SESI SERVIÇO SOCIAL E INDUSTRIAL - R$ 1.241,72 / SÓ ROLDANAS INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA - R$ 892,26 / SULCOLOR INDÚSTRIA DE TINTAS E SOLVENTES 637,83 / TARGET TRADING S/A - R$ 246.406,38 / TIM SUL S/A - R$ 1.227,85 / TOTVS S/A - R$ 31.289,32 / TUBERFIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TUBOS LTDA - R$ 87.075,89 / UNISCO COMÉRCIO ATACADISTA DE AÇO LTDA - R$ 174.498,19. TOTAL: R$ 19.270.778,66. MULTAS TRIBUTÁRIAS E CONTRATUAIS: ESTADO DO PARANÁ - R$ 47.234,82 / COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA (COPEL) - R$ 5.929,20. TOTAL: R$ 53.164,02. E, para que chegue ao conhecimento de todos, partes e terceiros, foi expedido o presente edital, na forma do art. 7°, § 2° da Lei 11.101/2005 (Lei de Falências e Recuperações) o qual foi publicado na forma da lei.

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ PREGÃO PRESENCIAL Nº. 096/2013 Processo Administrativo nº. 16616/2013 Tipo: Menor Preço por Item OBJETO: Registro de preço para aquisição de Eletrodomésticos, Utensílios Domésticos, Fogão e Liquidificador Industrial, conforme Termo de Compromisso PAR Nº 8906/2013 E solicitação da Secretaria Municipal de Educação. LEGISLAÇÃO: Lei Federal nº 8.666/1993 e nº 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006 Lei Municipal nº. 260/2005 e Decreto Municipal nº. 1254/2006. Horário/Data da Abertura: às 09h00min do dia 26 de Novembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações – Sala de Licitações da Prefeitura. O edital completo estará à disposição dos interessados entre os dias 11 a 26 de Novembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro AÇÃO MONITÓRIA Nº 5009000-82.2013.404.7000/PR AUTOR : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF RÉU : TALEL HABIB HUSSEINI EDITAL N.º 7709635 EDITAL DE CITAÇÃO - PRAZO 60(SESSENTA) DIAS A Doutora Gisele Lemke, Juíza Federal da Segunda Vara Federal da Seção Judiciária do Paraná - Subseção Judiciária de Curitiba, na forma da lei, F A Z S A B E R, aos que o presente Edital virem ou conhecimento dele tiverem, que tramitam perante este Juízo Federal da Segunda Vara, os autos da Ação Monitória nº 5009000-82.2013.404.7000, em que figura como autora a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, inscrita no CNPJ/MF sob nº 00.360.305/0001-04 e réu TALEL HABIB HUSSEINI, inscrito no CPF/MF sob nº 921.578.079-34. E, constando dos autos encontrar-se o réu em LUGAR INCERTO E NÃO SABIDO, na forma do disposto nos artigos 231, inciso II e 232, inciso IV, do Código de Processo Civil, em cumprimento ao despacho proferido no evento 36, pelo presente fica o requerido devidamente CITADO, para, no prazo de 15(quinze) dias, efetuar o pagamento da importância de R$ 133.848,13(cento e trinta e três mil, oitocentos e quarenta e oito reais e treze centavos), devida à Caixa Econômica Federal, devidamente atualizada até a data do efetivo pagamento, tendo, inclusive, na forma dos artigos 1.102b e 1.102c, § 1º, do Código de Processo Civil, o benefício da isenção do pagamento das custas processuais e honorários advocatícios, ou, no mesmo prazo, oferecerem embargos à execução, advertindo-os de que não havendo pagamento e nem oposição de embargos à execução, o presente será convertido em título executivo, prosseguindo-se na forma do processo de execução do Código de Processo Civil. O prazo de 15(quinze) dias começará a fluir após o término do prazo do presente edital. DESPACHO DO EVENTO 36: '1. Tendo em vista a impossibilidade de localização da parte executada (TALEL HABIB HUSSEINI - CPF 921.578.079-34), defiro a citação por edital, conforme requerido no evento 34.2. Expeça-se o edital com prazo de 60 dias (artigo 232, IV, do Código de Processo Civil) a fim de que o réu efetue o pagamento do débito no prazo de 15 (quinze) dias, ficando isento de custas processuais e honorários advocatícios, ou ofereça embargos no prazo supra-citado. Deverá constar do edital a advertência de que não havendo pagamento ou oposição de embargos, fica constituído o título executivo judicial, convertendo-se o feito em execução, na forma do Livro I, Titulo VIII, Capítulo X, do CPC. 3. Após, intime-se a CEF para que promova sua publicação no prazo de 30 (trinta) dias. Curitiba, 03 de outubro de 2013 (a) Gisele Lemke Juíza Federal.' E para que chegue ao conhecimento de todos e ninguém possa alegar ignorância, determinou a MM. Juíza Federal que se expedisse o presente edital, o qual será afixado no lugar de costume e publicado na forma da lei. Expedido nesta cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos dezessete dias do mês de outubro do ano de dois mil e treze, por Eliana C.P.Machado, Supervisora de Processamento, conferido por MARLUZ AUGUSTO MAGIERSKI, Diretor de Secretaria da 2ª Vara Federal. Gisele Lemke Juíza Federal

4º Serviço de Registro Civil de Pessoas Naturais e 16º Serviço Notarial da Comarca de Curitiba/PR. ADILSON TABORDA - Titular Rua Voluntários da Pátria, 233, loja 06, Centro – Curitiba-PR fone: 3233-2444 Faço saber que pretendem casar-se: 01 – GLAUCIO FRANÇA GIESEN E ROSILAINE FURTADO DE MELO 02 – HENRIQUE MESSEDER DE OLIVEIRA E TIZZIANA FAUST SCOTTI 03 – CLAUDINEI CHAGAS DE CAMPOS E IVETE REZENDE BARROSO 04 – FERNANDO SAMPAIO AVELAR E RUTE CAVALHEIRO VELASCO 05 – ELIAS VAGNER MACIEL LEMOS E ELIZABETH ROSANE DE SOUZA GEVEZIER 06 – CARLOS HENRIQUE OLIVA E MONICA PATRICIA LOPES KOZMINSKI 07 – IRINEO MARQUES NETO E MARLENE MOREIRA RODRIGUES 08 – LUCAS ENTRINGER SIMÕES E CAROLINA ALVES FERREIRA 09 – LUIS ALBERTO SCARAMUSSA E MONIQUE RAFAELA MAIA DA SILVA 10 – FABIO GRANEMANN E SILVA E VANESSA APARECIDA MARQUES PRESTES 11 – RAFAEL DA FONSECA SOBREIRO E MARINA BYCZKOVSKI 12 – ERNANI KULLER BELLO E FERNANDA HIROMI ISHIRUJI 13 – FABRICIO VILLANUEVA E MARIANE DE JESUS MERCER 14 – RAFAEL DE ALMEIDA FIDELIS E JULIANA ASSUMPÇÃO MOREIRA 15 – GUSTAVO KLOSS FRANÇA E NICOLLE FAYAD GROTTA Se alguém souber de algum impedimento oponha-o na forma da lei, no prazo de quinze (15) dias. Este será afixado no lugar de costume e publicado na imprensa local. Curitiba, 07 de novembro de 2013. Adilson Taborda Agente Delegado

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ Processo Administrativo nº. 19002/2013 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 009/2013 Tipo: Menor Preço por Item OBJETO: Contratação de empresa de para reforma e ampliação do Ginásio e Escola Municipal Santa Maria, Ginásio da Escola Municipal Generosos Salustiano, Escola Municipal Professora Maryle Aparecida S. Ferri e CAIC (Escola Municipal 26 de janeiro, CMEI Tia Fani e CEMA). LEGISLAÇÃO: Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1.993, com as alterações introduzidas pela Lei nº. 8.883, de 08 de junho de 1.994, Lei Complementar nº123, de 14 de dezembro de 2006 e pela Lei nº. 9.648, de 28 de abril de 1.998. Horário/Data da Visita Técnica: 10hs00min do dia 13 de Dezembro de 2013, partindo da Secretaria Municipal de Obras Públicas. Horário/Data Recebimento dos Envelopes: até as 17h00min do dia 16 de Dezembro de 2013. Horário/Data da Abertura: às 10h00min do dia 17 de Dezembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações - Sala de Licitações da Prefeitura. O Edital completo e o Projeto Básico estarão à disposição dos interessados entre os dias 11 de Novembro a 17 de Dezembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Comissão Permanente de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Presidente da CPL

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ Processo Administrativo nº. 17694/2013 PREGÃO PRESENCIAL Nº. 097/2013 TIPO: MENOR PREÇO POR LOTE OBJETO: Registro de Preço para aquisição de Recarga de botijão de gás, Kit Alimento, Kit Roupa de Cama e Banho e kit Higiene conforme solicitação da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação, especificações e quantidades estimadas constantes no anexo I do Edital. LEGISLAÇÃO: Leis Federais nº. 8.666/1993 e 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006, Lei Municipal nº. 260/2005 e Decretos Municipais nº. 1095/2005 e 1254/2006. DATA PARA ENTREGA DOS DOCUMENTOS PARA CREDENCIAMENTO, DA DECLARAÇÃO DE QUE A PROPONENTE CUMPRE OS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E DOS ENVELOPES DE PROPOSTA DE PREÇOS E DE HABILITAÇÃO: 26 de Novembro de 2013, até às 14h00min. LOCAL DA REALIZAÇÃO DA SESSÃO PÚBLICA DO PREGÃO: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações. O edital completo estará à disposição dos interessados dos dias 11 a 26 de Novembro 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro

PREF MUN DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ PREGÃO PRESENCIAL Nº. 098/2013 Processo Administrativo nº. 17555/2013 Tipo: Menor Preço por Item OBJETO: Registro de Preço para aquisição de equipamentos operacionais, conforme solicitação do Corpo de Bombeiros. LEGISLAÇÃO: Lei Federal nº 8.666/1993 e nº 10.520/2002, Lei Complementar n° 123/2006 Lei Municipal nº. 260/2005 e Decreto Municipal nº. 1254/2006. Horário/Data da Abertura: às 09h00min do dia 27 de Novembro de 2013. Local: Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, situada à Rua Jacarandá, 300 – Nações – Sala de Licitações da Prefeitura. O edital completo estará à disposição dos interessados entre os dias 11 a 27 de Novembro de 2013, na Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças – Setor de Licitações. Fazenda Rio Grande/PR, 08 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Pregoeiro

PREFEITURA MUNICIPAL DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 006/2013 Processo Administrativo nº. 16078/2013 JULGAMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DA HABILITAÇÃO Em cumprimento ao Art. 109 § 1º da Lei Federal nº 8.666/1993, a Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, Estado do Paraná, torna público o resultado da licitação de modalidade Concorrência Pública nº 006/2013 com objeto a Contratação de empresa para execução de obras de pavimentação e drenagem no Bairro Iguaçu, tendo como vencedor a empresa CDC CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA., pessoa jurídica regularmente inscrita no CNPJ sob nº 03.914.531/0001-88, com o valor global de R$ 584.000,00 (quinhentos e oitenta e quatro mil reais), utilizando os benefícios de Microempresa, de acordo com a Lei Complementar nº 123/2006. Fazenda Rio Grande, 07 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Comissão Permanente de Licitações Presidente sob Portaria nº 209/2013

PREFEITURA MUNICIPAL DE FAZENDA RIO GRANDE ESTADO DO PARANÁ CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 005/2013 Processo Administrativo nº. 15761/2013 JULGAMENTO DE CLASSIFICAÇÃO Em cumprimento ao Art. 109 § 1º da Lei Federal nº 8.666/1993, a Prefeitura Municipal de Fazenda Rio Grande, Estado do Paraná, torna público o resultado da licitação de modalidade Concorrência Pública nº 005/2013 com objeto a Contratação de empresa execução de obras de pavimentação e drenagem no Bairro Gralha Azul, conforme edital da licitação e seus anexos, constante no Processo Administrativo 10785/2013, sob regime de empreitada por preço global, tipo menor preço, por lote, tendo como vencedores as empresas SANEAMENTO E TERRAPLENAGEM SUL LTDA. pessoa jurídica inscrita no CNPJ sob nº 76.647.700/0001-34, vencedor do Lote 01 com o valor total de R$ 779.729,34 (setecentos e setenta e nove mil setecentos e vinte e nove reais e trinta e quatro centavos); Lote 02 com o valor total de R$ 833.741,06 (oitocentos e trinta e três mil setecentos e quarenta e um reais e seis centavos); Lote 03 com o valor total de R$ 863.921,17 (oitocentos e sessenta e três mil novecentos e vinte e um reais e dezessete centavos); Lote 04 com o valor total de R$ 738.377,77 (setecentos e trinta e oito mil trezentos e setenta e sete reais e setenta e sete centavos); Lote 05 com o valor total de R$ 736.950,02 (setecentos e trinta e seis mil novecentos e cinquenta reais e dois centavos); e Lote 07 com o valor total de R$ 1.308.276,10 (um milhão trezentos e oito mil duzentos e setenta e seis reais e dez centavos) e TEPAV CONSTRUTORA LTDA - ME, pessoa jurídica inscrita no CNPJ sob nº 03.732.994/0001-29, vencedor do Lote nº 06 com o valor total de R$ 662.139,00 (seiscentos e sessenta e dois mil cento e trinta e nove reais), tendo utilizado os benefícios de Microempresa, de acordo com a Lei Complementar nº 123/2006. Fazenda Rio Grande, 07 de Novembro de 2013. Luiz Rafael Lopes Comissão Permanente de Licitações Presidente sob Portaria nº 209/2013


3

Diário Indústria&Comércio Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B4

Nem te Conto Comes&Bebes

Adélia Maria Lopes

a

margem arte&atitude

moda&cia

adeliamarialopes@yahoo.com.br

Carrancas Brasileiras, um som de contrabaixos

1-Há um espetáculo nos bastidores do Cirque du Soleil: a cozinha de Morena Leite, dona do Buffet Capim Santo, de São Paulo. Ela e sua equipe de oito pessoas lideradas pelo chef Jande Moraes, assinam os quitutes bem servidos no Tapis Rouge, espaço que recebe os espectadores privilegiados para ver Corteo, em Curitiba até 8 de dezembro. Os pratos são servidos na temperatura certa, de forma bonita e até nas caras panelinhas Creseut, todas de tampas verdes, como a cor dos lenços e aventais da equipe. Pastéis que carne seca servidos dentro da abóbora são o convite para saber essa história: o Capim Santo ganhou a concorrência entre 50 candidatos para atender o Tape Ruge durante a tunê brasileira. Até agora, um cálculo rápido indica que a baiana Morena Leite serviu 200 mil picadinhos com farofa. Curitiba é a penúltima cidade da temporada de Corteo.

A

Orquestra de Contrabaixos Tropical, com canções que remetem ao folclore nacional, estará em Curitiba neste final de semana. Em cena o show Carrancas Brasileiras, repleto não só de musicalidade, mas também de batucadas, gestos e posturas ousadas. As composições são baseadas no baião, choro, samba, maracatu e maculelê, escritas e arranjadas para a inédita formação de cinco contrabaixos, única na América Latina.

Além do show, haverá aula com o contrabaixista Tibô Delor, neste sábado 16, às 14h, abordando técnicas de estudo do contrabaixo, bem como peças do repertório desse instrumento. A aula será na Caixa Cultura para estudantes de música e para ouvintes interessados, com entrada franca. O quinteto(Tibô Delor, Ivan Gomes, Tiago Pallone, Fil Caporalli e Leonard) aborda diversas vertentes da música brasileira. Além de maracatu, congada e coco, o repertório traz a melodiosa

Beatriz (Edu Lobo e Chico Buarque), e a erudita Chôros nº 3 (Villa-Lobos), escrita originalmente para orquestra de sopros e coro masculino, e aqui com os contrabaixistas cantando e tocando. O espetáculo é enriquecido com elementos cênicos e lúdicos. Confira: sexta-feira 15 e sábado às 20h, domingo às 19h, no Teatro Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280). Ingressos a 10 e 5 reais. Fone 2118-5111. Classificação livre.

João Carlos Martin em prosa e piano O Capim Santo atende apenas espectadores. A trupe tem outro bufê. O cardápio tem ainda bombom de camarão servido com calda de manga, cuzcuz marroquino, sanduíches, sobremesa. Tudo feitinho na hora. Três vezes por semana, a chef Morena vai para São Paulo, onde ela e a sócia comandam equipe de 60 pessoas.E lá faz o pré-preparo do cardárpio. Tem pratos também com capim santo e quem quiser saber das receitas, 2-Até dia 24 deste mês, acontece em Curitiba o Festival Bar em Bar, que neste ano tem como slogan Tá na Boca do Povo – Peça um petisco e ganhe outro igual”, realizado pela Abrasel-PR com objetivo de eleger o melhor petisco da cidade. Participam 15 estabelecimentos. A opção do CanaBenta é o sanduíche de linguiça Blumenau, com queijo prato, provolone e mussarela, vinagrete e cheiro verde. 3-No dia 23, na Praça 29 de Março, vai ter festa gastronômica. No palco, bandas que tocaram na Corrente Cultural e na noite curitibana.Nas barracas, petiscos do Festival Bar em Bar.

Simone Mazzer

Patrocinada pelo Programa Petrobras Cultural, está em turnê a cantora Simone Mazzer, de Londrina. O show Cabaré Batom estreou em Curitiba no final de semana e está com agenda em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. Simone, que prepara CD para ser lançado em março, integrou o Chaminé Batom, primeiro grupo de Londrina a lançar um disco, no início da década de 90.

Alto verão

Luisa Moraes é a atriz da vez da Arezzo, fazendo pose para a campanha de alto verão 2014, com direção de arte de Giovanni Bianco. Luisa quem? Na verdade, ela é modelo, 26 anos, mas está no inédito Solace, longa dirigido pelo brasileiro Afonso Poyart (Dois Coelhos) e que tem no elenco simplesmente Anthony Hopkins e Colin Farrell. E, como deve ser também a morena-musa do verão, está escalada para a novela global Em Família, de Manoel Carlos, que estreia em 2014. Antes disso, figurou na comédia Se Eu Fosse Você. Bem, para a Arezzo, ela foi fotografada pelo anglo-italiano Maurizio Bavutti, em Paris, ilustrando clima de balneário chique.

Exemplo raro de superação, após inúmeras cirurgias para recuperação dos nervos das mãos, João Carlos Martins, de 73 anos, estará em Curitiba para tocar algumas peças ao piano e receber o público para um bate-papo através do projeto Na Roda com o Maestro. O evento, que terá única apresentação no dia 24 próximo, às 19h no Guiarão, contará ainda com a participação do tenor Jean William. Jean William, Barrinha-SP, desde 2012 frequenta temporadas de concertos e recitais dentro e fora do Brasil, tendo estreado inclusive uma ópera moderna pelo teatro Comunale de Vicenza. Já cantou sob a batuta de diversos maestros como Carlos Spierer, Claudio Cruz, Olivier Toni, Diogo Pacheco,

Martinho Lutero Gallati e Guido Rimonda. Na Roda com o Maestro, que já passou por diversas cidades, tem o objetivo de ressaltar a importância da música como instrumento de

inclusão social. Além do espetáculo, o projeto conta com um livro infanto-juvenil, que aborda questões ligadas à introdução musical, a superação e companheirismo. Para a apresentação em Curitiba, serão

distribuídos dois mil exemplares do livro, que acompanha o CD duplo, Páginas de uma História, narrado pelo próprio maestro. O livro traz a seguinte história: uma turma de crianças, estimulada por um encontro com o maestro João Carlos Martins, vive uma divertida aventura ao descobrir e conhecer de perto o universo da música erudita. Atenção: entrada grátis, mas deve-se retirar vale-ingresso pelo site www.dcolor.art.br/ingressos, a partir desta quinta dia 14. No dia 24, deverão ser trocados na bilheteria do Guairão, a partir das 17h30. A patrocinadora Panco, por meio da Lei Rouanet, vai recepcionar o público com um coquetel antes do início do espetáculo.Realização: D’Color Produções Culturais.

Manoel Coelho – Arquiteturadesign Uma quarta-feira nobre no Museu Oscar Niemeyer: vernissage da exposição 45 Manoel Coelho – Arquiteturadesign. A dezena refere-se ao tempo de carreira do premiado arquiteto e designer que imprime sua marca por quase toda Curitiba. Com curadoria do historiador Irã José Taborda Dudeque, a mostra registra esse panorama através de painéis fotográficos, desenhos, maquetes e vídeos. Na noite da abertura da exposição também acontece o lançamento do livro com mais de 300 páginas Manoel Coelho – Arquiteturadesign, noqual perfilam 300 p´paginas sobre seus feitos, relatados por curitibano Irã Dudeque Taborda, pela professora e pesquisadora Ethel Leon, e pelo historiador e crítico Hugo Segawa. Sobre o espaço expositivo, Manoel Coelho explica a sala foi repaginada para receber os painéis e comportar a ideia do projeto concebido pela Ideally Iluminação. O ambiente ficou escuro: do tapete às paredes pintadas de preto. Apenas o teto permaneceu branco, para ajudar a refletir a iluminação, comenta.

Agende-se: abertura nesta quarta 13, às 19h, com entrada gratuita. Visitação até 6 de abril na sala 10 do MON (Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico).

“É um detalhe importantíssimo, pois é ela quem comanda todo o cenário, além de destacar e valorizar as obras e ajustar qualquer interferência”, diz o arquiteto. Spots, fitas de led e projetores com focos dirigidos destacam 22 enormes painéis, de 3x2 metros, acompanhados de 22 maquetes localizadas dentro de uma redoma de acrílico, com foco partindo de cima para baixo. A iluminação visa também não atrapar a projeção de vídeos. Manoel Coelho lecionou no curso de Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Paraná, onde formou-se em 1967. Participou do processo de Planejamento Urbano de Curitiba com projetos como o (premiado) Mobiliário Urbano e a revitalização da Praça Osório. É o responsável pela arquitetura do Centro de Design do Paraná e do Tecnocentro. Os edifícios assinados por Manoel Coelho, repara Irã Yaborda, são quase sempre baseados em formas ortogonais e ângulos de 90º. O espetacular dá lugar à simplicidade estrutural e funcional, como o edifício administrativo da PUC-PR e os prédios didáticos da Universidade Positivo. (Já o grande auditório do teatro Positivo, reparam os assíduos frequentadores, peca por sua imensidão e disposição da plateia diante do palco).


FINANças

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B5

Inflação/taxas/índices/comportamento de mercado Base de Cálculo de juros e reajustes | Informações de 08 de novembro de 2013

2003 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,3235 1,3299 1,3354 1,3404 1,3460 1,3523 1,3579 1,3653 1,3708 1,3755 1,3799 1,3823 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,97 1,83 1,77 1,87 1,96 1,85 2,08 1,76 1,67 1,63 1,34 1,37 23,2600 —

ICV DIEESE Mensal (%) 2,92 1,35 1,06 1,39 0,24 -0,27 0,35 -0,15 1,26 0,47 0,26 0,32 9,5500 9,5500

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 172,3 172,3 172,3 180,4 180,4 180,4 186,9 186,9 186,9 193,2 193,2 193,2 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 2,17 1,59 1,66 0,41 -0,67 -0,70 -0,20 0,62 1,05 0,44 0,48 0,60 7,6700 7,6700

IGP-M FGV Mensal (%) 2,33 2,28 1,53 0,92 -0,26 -1,00 -0,42 0,38 1,18 0,38 0,49 0,61 8,6900 8,6900

INCC-DI FGV Mensal (%) 1,51 1,39 1,38 0,90 2,84 1,05 0,99 1,44 0,22 0,65 1,04 0,16 14,4100 14,4100

INCC-M FGV Mensal (%) 1,45 1,60 1,38 0,81 2,98 0,74 0,59 2,20 0,24 0,47 0,42 0,99 14,7600 14,7600

INPC IBGE Mensal (%) 2,47 1,46 1,37 1,38 0,99 -0,06 0,04 0,18 0,82 0,39 0,37 0,54 10,3839 10,3839

IPA-DI FGV Mensal (%) 2,21 1,71 1,93 0,07 -1,68 -1,16 -0,59 0,70 1,29 0,50 0,46 0,74 6,2735 6,2735

IPA-M FGV Mensal (%) 2,55 2,64 1,72 0,80 -1,11 -1,67 -0,75 0,20 1,54 0,36 0,57 0,64 7,6447 7,6447

IPC-DI FGV Mensal (%) 2,32 1,37 1,06 1,12 0,69 -0,16 0,34 0,13 0,76 0,21 0,33 0,43 8,9200 8,9200

IPC FIPE/USP Mensal (%) 2,19 1,61 0,67 0,57 0,31 -0,16 -0,08 0,63 0,84 0,63 0,27 0,42 8,1700 8,1700

IPCA IBGE Mensal (%) 2,25 1,57 1,23 0,97 0,61 -0,15 0,20 0,34 0,78 0,29 0,34 0,52 9,3000 9,3000

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 1,98 2,19 1,14 1,14 0,85 0,22 -0,18 0,27 0,57 0,66 0,17 0,46 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 1,98 2,19 1,14 1,14 0,85 0,22 -0,18 0,27 0,57 0,66 0,17 0,46 9,8600 9,8600

SELIC B.Central Mensal (%) 1,9233 1,7776 2,0166 1,9509 2,0166 1,9376 1,9555 1,8163 1,5880 1,5396 1,4013 1,3459 23,4700 23,4700

TJLP COPOM Mensal (%) 0,9167 0,9167 0,9167 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 1,0000 0,9167 0,9167 0,9167 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,4878 0,4116 0,3782 0,4184 0,4650 0,4166 0,5465 0,4038 0,3364 0,3213 0,1776 0,1899 4,6485 4,6485

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 1,67 0,78 0,56 0,46 0,34 0,26 8,95 0,15 0,40 0,31 0,40 0,35 15,3000 15,3000

PIB Gov. Trimest. (%) -1,18 -1,18 -1,18 -0,13 -0,13 -0,13 0,96 0,96 0,96 1,25 1,25 1,25 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 11,20 11,60 12,10 12,40 12,80 13,00 12,80 13,00 12,90 12,90 12,20 10,90 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,8627 0,9902 0,9137 0,8801 0,9205 0,9673 0,9187 1,0492 0,9058 0,8381 0,8229 0,67,85 11,2826 11,2826

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,3849 1,3867 1,3874 1,3898 1,3910 1,3932 1,3956 1,3984 1,4012 1,4036 1,4051 1,4068 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,26 1,08 1,37 1,17 1,22 1,22 1,28 1,29 1,24 1,21 1,25 1,48 16,1500 —

ICV DIEESE Mensal (%) 1,46 -0,18 0,47 0,06 0,43 1,12 1,21 0,69 0,29 0,53 0,83 0,54 7,6965 7,6965

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 201,3 201,3 201,3 208,5 208,5 208,5 213,5 213,5 213,5 218,6 218,6 218,6 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,80 1,08 0,93 1,15 1,46 1,29 1,14 1,31 0,48 0,53 0,82 0,52 12,1303 12,1303

IGP-M FGV Mensal (%) 0,88 0,69 1,13 1,21 1,31 1,38 1,31 1,22 0,69 0,39 0,82 0,74 12,4200 12,4200

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,33 1,00 1,16 0,59 1,83 0,70 1,12 0,81 0,58 1,19 0,71 0,51 11,0434 11,0434

INCC-M FGV Mensal (%) 0,28 0,48 1,59 0,60 1,74 0,56 1,12 0,90 0,67 0,95 0,94 0,61 10,9428 10,9428

INPC IBGE Mensal (%) 0,83 0,39 0,57 0,41 0,40 0,50 0,73 0,50 0,17 0,17 0,44 0,86 6,1332 6,1332

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,75 1,42 1,09 1,57 1,71 1,57 1,35 1,59 0,65 0,61 1,00 0,48 14,6838 14,6838

IPA-M FGV Mensal (%) 0,98 0,79 1,33 1,65 1,52 1,73 1,58 1,42 0,90 0,44 0,99 0,81 15,0828 15,0828

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,08 0,28 0,46 0,31 0,71 0,78 0,59 0,79 0,01 0,10 0,37 0,63 6,2784 6,2784

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,65 0,19 0,12 0,29 0,57 0,92 0,59 0,99 0,21 0,62 0,56 0,67 6,5654 6,5654

IPCA IBGE Mensal (%) 0,76 0,61 0,47 0,37 0,51 0,71 0,91 0,69 0,33 0,44 0,69 0,86 7,6006 7,6006

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,68 0,90 0,40 0,21 0,54 0,56 0,93 0,79 0,49 0,32 0,63 0,84 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,68 0,90 0,40 0,21 0,54 0,56 0,93 0,79 0,49 0,32 0,63 0,84 7,5300 7,5300

SELIC B.Central Mensal (%) 1,3044 1,2174 1,2936 1,2323 1,2650 1,2240 1,2650 1,2650 1,2329 1,2966 1,2928 1,3759 16,3800 16,3800

TJLP COPOM Mensal (%) 0,8333 0,8333 0,8333 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,1280 0,0458 0,1778 0,0874 0,1546 0,1761 0,1952 0,2005 0,1728 0,1108 0,1146 0,2400 1,8184 1,8184

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,51 0,52 0,67 0,47 0,74 0,63 3,12 0,28 0,40 0,67 0,30 0,49 9,1000 9,1000

PIB Gov. Trimest. (%) 1,94 1,94 1,94 1,94 1,94 1,94 1,13 1,13 1,13 1,00 1,00 1,00 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 11,70 12,00 12,80 13,10 12,20 11,70 11,20 11,40 10,90 10,50 10,70 9,60 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,6908 0,6286 0,5460 0,6787 0,5878 0,6554 0,6770 0,6962 0,7015 0,6737 0,6114 0,6114 8,0443 8,0443

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,4101 1,4128 1,4141 1,4179 1,4207 1,4243 1,4286 1,4322 1,4372 1,4410 1,4440 1,4468 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,38 1,22 1,52 1,41 1,50 1,58 1,51 1,65 1,50 1,40 1,38 1,47 18,9900 —

ICV DIEESE Mensal (%) 0,91 0,32 0,81 0,50 0,39 -0,17 -0,17 0,00 0,72 0,57 0,38 0,19 4,5345 4,5345

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 223,5 223,5 223,5 231,2 231,2 231,2 239,2 239,2 239,2 245,1 245,1 245,1 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,33 0,40 0,99 0,51 -0,25 -0,45 -0,40 -0,79 -0,13 0,63 0,33 0,07 1,2321 1,2321

IGP-M FGV Mensal (%) 0,39 0,30 0,85 0,86 -0,22 -0,44 -0,34 -0,65 -0,53 0,60 0,40 -0,01 1,2008 1,2008

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,75 0,44 0,67 0,72 2,09 0,76 0,11 0,02 0,24 0,19 0,28 0,37 6,8284 6,8284

INCC-M FGV Mensal (%) 0,70 0,42 0,71 0,38 0,54 2,20 0,65 0,05 0,06 0,28 0,29 0,38 6,8488 6,8488

INPC IBGE Mensal (%) 0,57 0,44 0,73 0,91 0,70 -0,11 0,03 0,00 0,15 0,58 0,54 0,40 5,0474 5,0474

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,08 0,39 1,14 0,33 -0,98 -0,78 -0,69 -1,04 -0,28 0,79 0,24 -0,14 -0,9627 -0,9627

IPA-M FGV Mensal (%) 0,20 0,20 0,94 0,96 -0,77 -1,00 -0,65 -0,88 -0,76 0,72 0,40 -0,27 -0,9356 -0,9356

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,85 0,43 0,70 0,88 0,79 -0,05 0,13 -0,44 0,09 0,42 0,57 0,46 4,9291 4,9291

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,56 0,36 0,79 0,83 0,35 -0,20 0,30 -0,20 0,44 0,63 0,29 0,29 4,5254 4,5254

IPCA IBGE Mensal (%) 0,58 0,59 0,61 0,87 0,49 -0,02 0,25 0,17 0,35 0,75 0,55 0,36 5,6897 5,6897

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,68 0,74 0,35 0,74 0,83 0,12 0,11 0,28 0,16 0,56 0,78 0,38 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,68 0,74 0,35 0,74 0,83 0,12 0,11 0,28 0,16 0,56 0,78 0,38 5,8700 5,8700

SELIC B.Central Mensal (%) 1,4076 1,3047 1,4837 1,4633 1,5321 1,4924 1,5425 1,5425 1,4831 1,5105 1,4318 1,4321 19,1300 19,1300

TJLP COPOM Mensal (%) 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 0,8125 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,1880 0,0962 0,2635 0,2003 0,2527 0,2993 0,2575 0,3466 0,2637 0,2100 0,1929 0,2269 2,8335 2,8335

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,38 0,33 0,44 0,21 0,29 3,93 0,24 0,05 0,11 0,35 0,17 0,10 6,7300 6,7300

PIB Gov. Trimest. (%) -0,12 -0,12 -0,12 2,32 2,32 2,32 -1,06 -1,06 -1,06 1,06 1,06 1,06 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 10,2 10,7 10,9 10,8 10,2 9,4 9,5 9,4 9,7 9,6 9,6 8,4 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,7412 0,6889 0,5967 0,7648 0,7013 0,7540 0,8008 0,7588 0,8483 0,7650 0,7110 0,6939 9,1902 9,1902

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,4501 1,4535 1,4545 1,4575 1,4588 1,4615 1,4644 1,4669 1,4705 1,4727 1,4755 1,4774 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,43 1,14 1,42 1,08 1,28 1,18 1,17 1,25 1,05 1,09 1,02 0,98 15,0300 —

ICV DIEESE Mensal (%) 0,72 0,12 0,52 -0,06 -0,37 -0,21 -0,14 0,32 0,39 0,27 0,33 0,65 2,5630 2,5630

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 254,7 254,7 254,7 266,9 266,9 266,9 275,8 275,8 275,8 285,6 285,6 285,6 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,72 -0,06 -0,45 0,02 0,38 0,67 0,17 0,41 0,24 0,81 0,57 0,26 3,7973 3,7973

IGP-M FGV Mensal (%) 0,92 0,01 -0,23 -0,42 0,38 0,75 0,18 0,37 0,29 0,47 0,75 0,32 3,8476 3,8476

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,34 0,19 0,20 0,36 1,32 0,90 0,47 0,24 0,11 0,21 0,23 0,36 5,0359 5,0359

INCC-M FGV Mensal (%) 0,24 0,28 0,23 0,21 0,81 1,45 0,57 0,35 0,09 0,18 0,23 0,30 5,0452 5,0452

INPC IBGE Mensal (%) 0,38 0,23 0,27 0,12 0,13 -0,07 0,11 -0,02 0,16 0,43 0,42 0,62 2,8134 2,8134

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,81 -0,12 -0,82 -0,15 0,46 1,06 0,17 0,53 0,28 1,16 0,75 0,11 4,3052 4,3052

IPA-M FGV Mensal (%) 1,10 -0,06 -0,48 -0,77 0,43 1,11 0,21 0,46 0,36 0,65 1,02 0,29 4,3867 4,3867

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,65 0,01 0,22 0,34 -0,19 -0,40 0,06 0,16 0,19 0,14 0,24 0,63 2,0644 2,0644

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,50 -0,03 0,14 0,01 -0,22 -0,31 0,21 0,12 0,25 0,39 0,42 1,04 2,5421 2,5421

IPCA IBGE Mensal (%) 0,59 0,41 0,43 0,21 0,10 -0,21 0,19 0,05 0,21 0,33 0,31 0,48 3,1418 3,1418

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,51 0,52 0,37 0,17 0,27 -0,15 -0,02 0,19 0,05 0,29 0,37 0,35 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,51 0,52 0,37 0,17 0,27 -0,15 -0,02 0,19 0,05 0,29 0,37 0,35 2,9500 2,9500

SELIC B.Central Mensal (%) 1,3926 1,2283 1,3198 1,2434 1,2500 1,0117 1,0120 1,1742 1,1010 1,1221 1,0633 1,0624 14,9100 14,9100

TJLP COPOM Mensal (%) 0,7500 0,7500 0,7500 0,6792 0,6792 0,6792 0,6250 0,6250 0,6250 0,5708 0,5708 0,5708 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,2326 0,0725 0,2073 0,0855 0,1888 0,1937 0,1751 0,2436 0,1521 0,1875 0,1282 0,1522 2,0377 2,0377

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,23 0,15 0,12 0,08 0,25 0,15 2,89 0,11 0,21 0,12 0,05 0,10 4,5200 4,5200

PIB Gov. Trimest. (%) 1,82 1,82 1,82 0,22 0,22 0,22 1,54 1,54 1,54 1,18 1,18 1,18 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 9,3 10,1 10,4 10,4 10,2 10,4 10,8 10,6 10,0 9,8 9,6 8,4 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,7280 0,7338 0,5729 0,7083 0,5859 0,6897 0,6947 0,6760 0,7448 0,6529 0,6884 0,6288 8,4118 8,4118

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,4796 1,4829 1,4839 1,4867 1,4886 1,4911 1,4926 1,4947 1,4969 1,4975 1,4992 1,5000 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,08 0,87 1,05 0,94 1,02 0,90 0,97 0,99 0,80 0,92 0,84 0,84 11,8100 —

ICV DIEESE Mensal (%) 0,95 0,21 0,25 0,41 0,63 0,15 -0,30 0,40 0,30 0,33 0,28 1,09 4,7949 4,7949

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 297,9 297,9 297,9 311,5 311,5 311,5 326,5 326,5 326,5 343,6 343,6 343,6 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,43 0,23 0,22 0,14 0,16 0,26 0,37 1,39 1,17 0,75 1,05 1,47 7,8984 7,8984

IGP-M FGV Mensal (%) 0,50 0,27 0,34 0,04 0,04 0,26 0,28 0,98 1,29 1,05 0,69 1,76 7,7463 7,7463

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,45 0,21 0,27 0,46 1,15 0,92 0,31 0,26 0,51 0,51 0,36 0,59 6,1633 6,1633

INCC-M FGV Mensal (%) 0,45 0,26 0,17 0,43 0,55 1,67 0,21 0,35 0,39 0,49 0,48 0,43 6,0324 6,0324

INPC IBGE Mensal (%) 0,49 0,42 0,44 0,26 0,26 0,31 0,32 0,59 0,25 0,30 0,43 0,97 5,1556 5,1556

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,32 0,19 0,11 0,02 -0,04 0,09 0,42 1,96 1,64 1,02 1,45 1,90 9,4313 9,4313

IPA-M FGV Mensal (%) 0,40 0,21 0,33 -0,14 -0,09 0,01 0,26 1,31 1,83 1,42 0,97 2,36 9,1997 9,1997

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,69 0,34 0,48 0,31 0,25 0,42 0,28 0,42 0,23 0,13 0,27 0,70 4,6131 4,6131

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,66 0,33 0,11 0,33 0,36 0,55 0,27 0,07 0,24 0,08 0,47 0,82 4,3723 4,3723

IPCA IBGE Mensal (%) 0,44 0,44 0,37 0,25 0,28 0,28 0,24 0,47 0,18 0,30 0,38 0,74 4,4572 4,4572

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,52 0,46 0,41 0,22 0,26 0,29 0,24 0,42 0,29 0,24 0,23 0,70 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,52 0,46 0,41 0,22 0,26 0,29 0,24 0,42 0,29 0,24 0,23 0,70 4,3600 —

SELIC B.Central Mensal (%) 1,0581 0,9420 1,0287 0,9838 1,0054 0,9432 0,9511 0,9288 0,8832 0,9096 0,8801 0,9096 12,0400 12,0400

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5417 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,2189 0,0721 0,1876 0,1272 0,1689 0,0954 0,1469 0,1466 0,0352 0,1142 0,0590 0,0640 1,4452 —

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,13 0,10 0,21 0,16 0,19 0,26 3,04 0,34 0,32 0,42 0,40 0,35 — —

PIB Gov. Trimest. (%) 5,15 5,15 5,15 6,41 6,41 6,41 6,06 6,06 6,06 6,70 6,70 6,70 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 9,30 9,90 10,10 10,10 10,10 9,70 9,50 9,50 9,00 8,70 8,20 7,40 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,6530 0,7200 0,5725 0,6885 0,6278 0,6697 0,5959 0,6476 0,6473 0,5354 0,6148 0,5593 7,7971 7,7971

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5010 1,5025 1,5029 1,5035 1,5050 1,5061 1,5078 1,5107 1,5130 1,5160 1,5198 1,5223 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 0,9216 0,7948 0,8383 0,8980 0,8710 0,9482 1,0640 1,0128 1,0983 1,1739 0,9960 1,1110 12,3784 —

ICV DIEESE Mensal (%) 0,88 -0,03 0,45 0,42 0,87 0,97 0,87 0,32 0,14 0,43 0,53 0,10 6,1084 6,1084

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 371,7 371,7 371,7 394,7 394,7 394,7 416,6 416,6 416,6 443,6 443,6 443,6 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,99 0,38 0,70 1,12 1,88 1,89 1,12 -0,38 0,36 1,09 0,07 -0,44 9,1073 9,1073

IGP-M FGV Mensal (%) 1,09 0,53 0,74 0,69 1,61 1,98 1,76 -0,32 0,11 0,98 0,38 -0,13 9,8054 9,8054

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,38 0,40 0,66 0,87 2,02 1,92 1,46 1,18 0,95 0,77 0,50 0,17 11,8602 11,8602

INCC-M FGV Mensal (%) 0,41 0,43 0,59 0,82 1,10 2,67 1,42 1,27 0,95 0,85 0,60 0,22 11,9674 11,9674

INPC IBGE Mensal (%) 0,69 0,48 0,51 0,64 0,96 0,91 0,58 0,21 0,15 0,50 0,38 0,29 6,4814 6,4814

IPA-DI FGV Mensal (%) 1,08 0,52 0,80 1,30 2,22 2,29 1,28 -0,80 0,44 1,36 -0,17 -0,88 9,7963 9,7963

IPA-M FGV Mensal (%) 1,24 0,64 0,96 0,65 2,01 2,27 2,20 -0,74 0,04 1,24 0,30 -0,42 10,8411 10,8411

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,97 0,00 0,45 0,72 0,87 0,77 0,53 0,14 -0,09 0,47 0,56 0,52 6,0664 6,0664

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,52 0,19 0,31 0,54 1,23 0,96 0,45 0,38 0,38 0,50 0,39 0,16 6,1729 6,1729

IPCA IBGE Mensal (%) 0,54 0,49 0,48 0,55 0,79 0,74 0,53 0,28 0,26 0,45 0,36 0,28 5,9023 5,9023

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,70 0,64 0,23 0,59 0,56 0,90 0,63 0,35 0,26 0,30 0,49 0,29 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,70 0,64 0,23 0,59 0,56 0,90 0,63 0,35 0,26 0,30 0,49 0,29 6,1000 —

SELIC B.Central Mensal (%) 0,9071 0,8483 0,9071 0,8950 0,9454 0,9468 0,9983 1,0406 1,0433 1,0972 1,0616 1,0972 12,4500 12,4500

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,1010 0,0243 0,0409 0,0955 0,0736 0,1146 0,1914 0,1574 0,1970 0,2506 0,1618 0,2149 1,6348 —

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,34 6,00 0,42 0,39 0,75 6,05 0,64 0,87 0,75 0,87 0,44 0,34 12,6800 12,6800

PIB Gov. Trimest. (%) 6,40 6,40 6,40 6,50 6,50 6,50 7,10 7,10 7,10 0,80 0,80 0,80 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 8,00 8,70 8,60 8,50 7,90 7,80 8,10 7,60 7,60 7,50 7,60 6,80 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,5643 0,6015 0,5244 0,5411 0,5960 0,5740 0,6152 0,6924 0,6582 0,6980 0,7519 0,6626 7,7410 7,7410

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5251 1,5284 1,5291 1,5313 1,5320 1,5326 1,5336 1,5353 1,5356 1,5356 1,5356 1,5356 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 1,0427 0,8527 0,9665 0,8356 0,7664 0,7514 0,7840 0,6914 0,6915 0,6912 0,6590 0,7238 9,8761 —

ICV DIEESE Mensal (%) 0,69 0,02 0,40 0,31 0,23 0,05 0,49 0,30 0,27 0,53 0,60 0,08 4,0403 4,0403

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 481,1 481,1 481,1 513,3 513,3 513,3 538,2 538,2 538,2 568,5 568,5 568,5 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,01 -0,13 -0,84 0,04 0,18 -0,32 -0,64 0,09 0,25 -0,04 0,07 -0,11 -1,4364 -1,4364

IGP-M FGV Mensal (%) -0,44 0,26 -0,74 -0,15 -0,07 -0,10 -0,43 -0,36 0,42 0,05 0,10 -0,26 -1,7123 -1,7123

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,33 0,27 -0,25 -0,04 1,39 0,70 0,26 -0,05 0,15 0,06 0,29 0,10 3,2474 3,2474

INCC-M FGV Mensal (%) 0,26 0,35 -0,17 -0,01 0,25 1,53 0,37 0,01 0,07 0,13 0,18 0,20 3,2062 3,2062

INPC IBGE Mensal (%) 0,64 0,31 0,20 0,55 0,60 0,42 0,23 0,08 0,16 0,24 0,37 0,24 4,1137 4,1137

IPA-DI FGV Mensal (%) -0,33 -0,31 -1,46 -0,10 -0,10 -0,64 -1,16 0,07 0,29 -0,08 -0,04 -0,29 -4,0858 -4,0858

IPA-M FGV Mensal (%) -0,95 0,20 -1,24 -0,44 -0,30 -0,45 -0,85 -0,61 0,53 0,04 0,08 -0,50 -4,4128 -4,4128

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,83 0,21 0,61 0,47 0,39 0,12 0,34 0,20 0,18 0,01 0,26 0,24 3,9261 3,9261

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,46 0,27 0,40 0,31 0,33 0,13 0,33 0,48 0,16 0,25 0,29 0,18 3,6490 3,6490

IPCA IBGE Mensal (%) 0,48 0,55 0,20 0,48 0,47 0,36 0,24 0,15 0,24 0,28 0,41 0,37 4,3120 4,3120

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,40 0,63 0,11 0,36 0,59 0,38 0,22 0,23 0,19 0,18 0,44 0,38 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,40 0,63 0,11 0,36 0,59 0,38 0,22 0,23 0,19 0,18 0,44 0,38 4,1800 —

SELIC B.Central Mensal (%) 1,0758 0,9248 0,9503 0,8776 0,8322 0,7549 0,7428 0,7150 0,6918 0,7150 0,6918 0,7150 10,1300 10,1300

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5208 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,1840 0,0451 0,1438 0,0454 0,0449 0,0656 0,1051 0,0197 0,0000 0,0000 0,0000 0,0533 0,7090 —

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,37 0,37 -0,19 -0,09 0,02 0,03 4,06 0,06 0,35 0,17 0,29 0,13 5,6400 5,6400

PIB Gov. Trimest. (%) -2,97 -2,97 -2,97 -2,75 -2,75 -2,75 -1,81 -1,81 -1,81 5,02 5,02 5,02 — —

Desempr. IBGE Mensal (%) 8,20 8,50 9,00 8,90 8,80 8,10 8,00 8,10 7,70 7,50 7,40 6,80 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,7160 0,6849 0,5453 0,6445 0,5456 0,5451 0,5659 0,6056 0,5198 0,5000 0,5000 0,5000 7,0930 7,0930

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5364 1,5364 1,5364 1,5376 1,5376 1,5384 1,5393 1,5411 1,5425 1,5435 1,5443 1,5448 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 0,6582 0,5925 0,7569 0,6639 0,7500 0,7908 0,8592 0,8863 0,8445 0,8056 0,8056 0,9271 9,7503 —

ICV DIEESE Mensal (%) 1,72 0,59 0,47 0,22 0,15 0,02 0,14 0,25 0,53 0,93 1,04 0,65 6,9067 6,9067

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 605,4 605,4 605,4 640,4 640,4 640,4 675,0 675,0 675,0 713,4 713,4 713,4 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 1,01 1,09 0,63 0,72 1,57 0,34 0,22 1,10 1,10 1,03 1,58 0,38 11,3058 11,3058

IGP-M FGV Mensal (%) 0,63 1,18 0,94 0,77 1,19 0,85 0,15   0,77 1,15 1,01 1,45 0,69 11,3220 11,3220

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,64 0,36 0,75 0,84 1,81 1,09 0,44 0,14 0,21 0,20 0,37 0,67 7,7717 7,7717

INCC-M FGV Mensal (%) 0,52 0,35 0,45 1,17 0,93 1,77 0,62 0,22 0,20 0,15 0,36 0,59 7,5683 7,5683

INPC IBGE Mensal (%) 0,24 0,70 0,71 0,73 0,43 -0,11 -0,07 -0,07 0,54 0,92 1,03 0,60 6,4652 6,4652

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,96 1,38 0,52 0,68 2,06 0,43 0,34 1,70 1,47 1,32 1,98 0,21 13,8336 13,8336

IPA-M FGV Mensal (%) 0,51 1,42 1,07 0,72 1,49 1,09 0,20 1,24 1,60 1,30 1,84 0,63 13,9124 13,9124

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,29 0,68 0,86 0,76 0,21 -0,21 -0,21 -0,08 0,46 0,59 1,00 0,72 6,2281 6,2281

IPC FIPE/USP Mensal (%) 1,34 0,74 0,34 0,39 0,22 0,04 0,17 0,17 0,53 1,04 0,72 0,54 6,4129 6,4129

IPCA IBGE Mensal (%) 0,75 0,78 0,52 0,57 0,43 0,00 0,01 0,04 0,45 0,75 0,83 0,63 5,9090 5,9090

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,52 0,94 0,55 0,48 0,63 0,19 -0,09 -0,05 0,31 0,62 0,86 0,69 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,52 0,94 0,55 0,48 0,63 0,19 -0,09 -0,05 0,31 0,62 0,86 0,69 5,7900 —

SELIC B.Central Mensal (%) 0,7150 0,6455 0,7150 0,6956 0,7738 0,7883 0,8447 0,8710 0,8579 0,8169 0,8169 0,8710 9,9000 9,9000

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,0000 0,0000 0,0792 0,0000 0,0510 0,0589 0,1151 0,0909 0,0702 0,0472 0,0336 0,1406 0,6887 0,6887

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,20 0,18 0,24 0,17 0,38 0,51 5,75 0,20 0,27 0,12 0,16 0,05 8,4100 8,4100

PIB Gov. Trimest. (%) 9,27 9,27 9,27 9,16 9,16 9,16 6,74 6,74 6,74 5,04 5,04 5,04 7,4897 7,4897

Desempr. IBGE Mensal (%) 7,20 7,40 7,60 7,30 7,30 7,00 6,90 6,70 6,20 6,10 5,70 5,30 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,5536 0,5000 0,5000 0,5796 0,5000 0,5513 0,5592 0,6157 0,5914 0,5706 0,5474 0,5338 6,8060 6,8060

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5470 1,5481 1,5489 1,5508 1,5513 1,5538 1,5555 1,5574 1,5606 1,5622 1,5632 1,5642 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 0,8606 0,8424 0,9188 0,8388 0,9852 0,9526 0,9665 1,0723 0,9397 0,8807 0,8586 0,9046 11,5945 —

ICV DIEESE Mensal (%) 1,28 0,41 0,91 0,80 0,04 -0,34 0,44 0,39 0,69 0,31 0,52 0,50 6,1051 6,1051

IGMI-C FGV Trimest. Retorno 748,7 748,7 748,7 780,8 780,8 780,8 810,0 810,0 810,0 842,1 842,1 842,1 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,98 0,96 0,61 0,50 0,01 -0,13 -0,05 0,61 0,75 0,40 0,43 -0,16 5,0125 5,0125

IGP-M FGV Mensal (%) 0,79 1,00 0,62 0,45 0,43 -0,18 -0,12 0,44 0,65 0,53 0,50 -0,12 5,0977 5,0977

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,41 0,28 0,43 1,06 2,94 0,37 0,45 0,13 0,14 0,23 0,72 0,11 7,4818 7,4818

INCC-M FGV Mensal (%) 0,37 0,39 0,44 0,75 2,03 1,43 0,59 0,16 0,14 0,20 0,50 0,35 7,5842 7,5842

INPC IBGE Mensal (%) 0,94 0,54 0,66 0,72 0,57 0,22 0,00 0,42 0,45 0,32 0,57 0,51 6,0799 6,0799

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,96 1,23 0,60 0,24 -0,63 -0,19 -0,13 0,77 0,94 0,48 0,34 -0,55 4,1154 4,1154

IPA-M FGV Mensal (%) 0,76 1,20 0,65 0,29 0,03 -0,45 -0,22 0,57 0,74 0,68 0,52 -0,48 4,3594 4,3594

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,27 0,49 0,71 0,95 0,51 -0,18 -0,04 0,40 0,50 0,26 0,53 0,79 6,3595 6,3595

IPC FIPE/USP Mensal (%) 1,15 0,60 0,35 0,70 0,31 0,01 0,30 0,39 0,25 0,39 0,60 0,61 5,8044 5,8044

IPCA IBGE Mensal (%) 0,83 0,80 0,79 0,77 0,47 0,15 0,16 0,37 0,53 0,43 0,52 0,50 6,5031 6,5031

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,76 0,97 0,60 0,77 0,70 0,23 0,10 0,27 0,53 0,42 0,46 0,56 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,76 0,97 0,60 0,77 0,70 0,23 0,10 0,27 0,53 0,42 0,46 0,56 6,5500 6,5500

SELIC B.Central Mensal (%) 0,8859 0,8212 0,9455 0,9235 0,9659 0,9481 0,9931 1,0054 0,9358 0,9523 0,8987 0,8903 11,7600 11,7600

TJLP COPOM Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 — —

TR B.Central Mensal (%) 0,0715 0,0524 0,1212 0,0369 0,1570 0,1114 0,1229 0,2076 0,1003 0,0620 0,0645 0,0937 1,2079 1,2079

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,08 0,11 0,16 0,20 0,28 0,30 5,35 0,63 0,44 0,33 0,34 0,18 8,5900 8,5900

PIB Gov. Trimest. (%) 0,80 0,80 0,80 0,60 0,60 0,60 -0,20 -0,20 -0,20 0,10 0,10 0,10 2,7000 2,7000

Desempr. IBGE Mensal (%) 6,10 6,40 6,50 6,40 6,40 6,20 6,00 6,00 6,00 5,80 5,20 4,70 — —

Poupança BC Mensal (%) 0,6413 0,5719 0,5527 0,6218 0,5371 0,6578 0,6120 0,6235 0,7086 0,6008 0,5623 0,5648 7,5005 7,5005

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5656 1,5670 1,5670 1,5687 1,5690 1,5698 1,5698 1,5700 1,5702 1,5702 1,5702 1,5702 — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 0,8853 0,7415 0,8083 0,6999 0,7324 0,6385 0,6754 0,6865 0,5371 0,6072 0,5444 0,5342 8,3969 8,3969

ICV DIEESE Mensal (%) 1,32 0,13 0,59 0,68 0,43 0,23 0,42 0,20 0,42 0,81 0,57 0,43 6,4051 6,4051

IGMI-C FGV/BOV Trimest. Retorno 878,8 878,8 878,8 911,0 911,0 911,0 946,6 946,6 946,6 991,0 991,0 991,0 — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,30 0,07 0,56 1,02 0,91 0,69 1,52 1,29 0,88 -0,31 0,25 0,66 8,1121 8,1121

IGP-M FGV Mensal (%) 0,25 -0,06 0,43 0,85 1,02 0,66 1,34 1,43 0,97 0,02 -0,03 0,68 7,8119 7,8119

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,89 0,30 0,51 0,75 1,88 0,73 0,67 0,26 0,22 0,21 0,33 0,16 7,1197 7,1197

INCC-M FGV Mensal (%) 0,67 0,42 0,37 0,83 1,30 1,31 0,85 0,32 0,21 0,24 0,23 0,29 7,2622 7,2622

INPC IBGE Mensal (%) 0,51 0,39 0,18 0,64 0,55 0,26 0,43 0,45 0,63 0,71 0,54 0,74 6,1978 6,1978

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,01 -0,03 0,55 1,25 0,91 0,89 2,13 1,77 1,11 -0,68 0,16 0,74 9,1372 9,1372

IPA-M FGV Mensal (%) -0,07 -0,26 0,42 0,97 1,17 0,74 1,81 1,99 1,25 -0,20 -0,19 0,73 8,6521 8,6521

IPC-DI FGV Mensal (%) 0,81 0,24 0,60 0,52 0,52 0,11 0,22 0,44 0,54 0,48 0,45 0,66 5,7332 5,7332

IPC FIPE/USP Mensal (%) 0,66 -0,07 0,15 0,47 0,35 0,23 0,13 0,27 0,55 0,80 0,68 0,78 5,1116 5,1116

IPCA IBGE Mensal (%) 0,56 0,45 0,21 0,64 0,36 0,08 0,43 0,41 0,57 0,59 0,60 0,79 5,8386 5,8386

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,65 0,53 0,25 0,43 0,51 0,18 0,33 0,39 0,48 0,65 0,54 0,69 — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,65 0,53 0,25 0,43 0,51 0,18 0,33 0,39 0,48 0,65 0,54 0,69 5,7700 5,7700

SELIC Bacen Mensal (%) 0,8717 0,7943 0,8042 0,7436 0,7333 0,6709 0,6680 0,6514 0,5946 0,6010 0,5754 0,5946 8,6200 8,6200

TJLP Bacen/CNM Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,4583 0,4583 0,4583 0,4583 0,4583 0,4583 — —

TR Bacen Mensal (%) 0,0864 0,0000 0,1068 0,0227 0,0468 0,0000 0,0144 0,0123 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,2897 0,2897

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,24 0,06 0,13 0,21 0,36 0,32 5,32 0,31 0,38 0,16 0,12 0,23 8,0000 8,0000

PIB Gov. Trimest. (%) 0,10 0,10 0,10 0,30 0,30 0,30 0,40 0,40 0,40 0,60 0,60 0,60 0,9000 0,9000

Desempr. IBGE Mensal (%) 5,50 5,70 6,20 6,00 5,80 5,90 5,40 5,30 5,40 5,30 4,90 4,60 4,6000 4,6000

Bacen Mensal (%) 0,5942 0,5868 0,5000 0,6073 0,5228 0,5470 0,5000 0,5145 0,5124 0,5000 0,5000 0,5000 6,5750 6,5750

Poupança MP 567/12 Mensal (%) — — — — — — 0,4828 0,4973 0,4675 0,4273 0,4273 0,4134 2,7464 —

BTNF Bacen/SIS Mensal Valor 1,5702 1,5702 1,5702 1,5702 1,5702 1,5702 1,5702 1,5705 1,5705 1,5706 1,5721 — — —

CDI CETIP Mensal Média(%) 0,5598 0,4546 0,5377 0,6008 0,5848 0,5919 0,7087 0,6957 0,6991 0,8033 — — 6,4707 —

ICV DIEESE Mensal (%) 1,77 0,12 0,78 0,31 0,61 0,34 0,09 0,09 0,24 — — — 4,4232 6,3243

IGMI-C FGV/BOV Trimest. Retorno 305,40 305,40 305,40 311,70 311,70 311,70 — — — — — — — —

IGP-DI FGV Mensal (%) 0,31 0,20 0,31 -0,06 0,32 0,76 0,14 0,46 1,36 — — — 3,8577 4,4796

IGP-M FGV Mensal (%) 0,34 0,29 0,21 0,15 0,00 0,75 0,26 0,15 1,50 0,86 — — 4,5930 5,2726

INCC-DI FGV Mensal (%) 0,65 0,60 0,50 0,74 2,25 1,15 0,48 0,31 0,43 — — — 7,3239 8,0768

INCC-M FGV Mensal (%) 0,39 0,80 0,28 0,84 1,24 1,96 0,73 0,31 0,43 0,33 — — 7,5418 8,1018

INPC IBGE Mensal (%) 0,92 0,52 0,60 0,59 0,35 0,28 -0,13 0,16 0,27 0,61 — — 4,2451 5,5836

IPA-DI FGV Mensal (%) 0,00 0,09 0,12 -0,39 0,01 0,85 0,20 0,58 1,90 — — — 3,3921 3,6144

IPA-M FGV Mensal (%) 0,11 0,21 0,01 -0,12 -0,30 0,68 0,30 0,14 2,11 1,09 — — 4,2879 4,8496

IPC-DI FGV Mensal (%) 1,01 0,33 0,72 0,52 0,32 0,35 -0,17 0,20 0,30 — — — 3,6330 5,2894

IPC FIPE/USP Mensal (%) 1,15 0,22 -0,17 0,28 0,10 0,32 -0,13 0,22 0,25 — — — 2,2565 4,5850

IPCA IBGE Mensal (%) 0,86 0,60 0,47 0,55 0,37 0,26 0,03 0,24 0,35 0,57 — — 4,3817 5,8375

IPCA-15 IBGE Mensal (%) 0,88 0,68 0,49 0,51 0,46 0,38 0,07 0,16 0,27 0,48 — — — —

IPCA-E IBGE Mensal (%) 0,88 0,68 0,49 0,51 0,46 0,38 0,07 0,16 0,27 0,48 — — 4,4600 —

SELIC Bacen/RF Mensal (%) 0,5962 0,5384 0,5962 0,5769 0,6187 0,6346 0,6825 0,6991 0,7108 0,7624 — — 6,6100 7,8600

TJLP Bacen/CNM Mensal (%) 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 0,4167 — —

TR Bacen Mensal (%) 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0000 0,0209 0,0000 0,0079 0,0920 0,0207 — 0,1416 —

CUB-PR Sinduscon/PR Mensal (%) 0,18 0,26 0,37 0,21 0,11 0,22 4,10 0,13 0,23 0,24 — — 6,1500 6,5200

PIB Gov. Trimest. (%) 0,60 0,60 0,60 1,50 1,50 1,50 — — — — — — 0,6000 1,2000

Desempr. IBGE Mensal (%) 5,40 5,60 5,70 5,80 5,80 6,00 5,60 5,30 5,40 — — — 5,4000 —

Bacen Mensal (%) 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5000 0,5210 0,5000 0,5079 0,5925 0,5208 6,3181 —

Poupança MP 567/12 Mensal (%) 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4134 0,4273 0,4551 0,4761 0,4828 0,5079 0,5925 0,5208 5,6716 —

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2004 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2005 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2006 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2007 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2008 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2009 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2010 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2011 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2012 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

2013 Fonte Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez No ano 12 meses

Fontes: DIEESE; FGV; FIPE/USP; SINDUSCON/PR; IBGE; CMN; COPOM; Banco Central; Receita Federal


FINANÇAS

Diário Indústria&Comércio

TAXAS DE

Pessoa jurídica Desconto de duplicatas Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO J.P. MORGAN S.A. 0,93 11,76 2 BCO CITIBANK S.A. 0,94 11,92 3 BCO SAFRA S.A. 1,04 13,23 4 BCO FIBRA S.A. 1,57 20,56 5 BCO GUANABARA S.A. 1,62 21,21 6 BCO SOFISA S.A. 1,62 21,28 7 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,67 22,03 8 BCO BANESTES S.A. 1,78 23,51 9 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,81 23,97 10 BCO DA AMAZONIA S.A. 1,92 25,69 11 BCO DO BRASIL S.A. 1,99 26,62 12 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 2 26,77 13 BCO PAULISTA S.A. 2 26,82 14 GAZINCRED S.A. SCFI 2,02 27,13 15 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,04 27,46 16 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 2,1 28,26 17 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,12 28,62 18 BANCO MONEO S.A. 2,13 28,8 19 MÚLTIPLA CFI S/A 2,16 29,22 20 BANCO RANDON S.A. 2,21 29,98 21 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 2,21 30,02 22 BCO MODAL S.A. 2,22 30,13 23 SANTINVEST S.A. - CFI 2,4 32,88 24 BIORC FINANCEIRA - CFI S.A. 2,46 33,87 25 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 2,47 34,05 26 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,49 34,28 27 BCO INDUSVAL S.A. 2,5 34,5 28 BANCO VIPAL 2,59 35,88 29 BCO DAYCOVAL S.A 2,61 36,22 30 BCO BRADESCO S.A. 2,7 37,75 31 BCO CAPITAL S.A. 3,05 43,45 32 FINAMAX S.A. CFI 3,07 43,71 33 BCO TRIANGULO S.A. 3,08 43,95 34 BANCO TOPÁZIO S.A. 3,23 46,51 35 HS FINANCEIRA 3,48 50,67

Desconto de cheques Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO SAFRA S.A. 1,59 20,8 2 TODESCREDI S/A - CFI 1,73 22,84 3 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,78 23,64 4 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,8 23,89 5 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,84 24,44 6 BCO BANESTES S.A. 2,08 27,95 7 BCO DAYCOVAL S.A 2,12 28,63 8 BCO TRIANGULO S.A. 2,15 29 9 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 2,2 29,81 10 NBC BANK BRASIL S.A. - BM 2,24 30,51 11 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,3 31,3 12 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 2,32 31,6 13 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,36 32,37 14 BIORC FINANCEIRA - CFI S.A. 2,4 32,94 15 BANCO VIPAL 2,41 33,11 16 BCO DO BRASIL S.A. 2,45 33,74 17 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 2,52 34,79 18 SOCINAL S.A. CFI 2,6 36,01 19 SANTINVEST S.A. - CFI 2,62 36,4 20 BCO BRADESCO S.A. 2,84 39,93

Capital de giro até 365 dias Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO POTTENCIAL S.A. 1,14 14,51 2 BCO TOKYO-MITSUBISHI BM S.A. 1,19 15,32 3 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,3 16,81 4 BCO CITIBANK S.A. 1,34 17,35 5 BCO FIBRA S.A. 1,35 17,51 6 BCO DO BRASIL S.A. 1,36 17,58 7 BCO VOTORANTIM S.A. 1,4 18,14 8 BANCO JOHN DEERE S.A. 1,42 18,38 9 BCO VOLKSWAGEN S.A 1,43 18,57 10 BCO ITAÚ BBA S.A. 1,44 18,7 11 BCO ABC BRASIL S.A. 1,45 18,82 12 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 1,47 19,2 13 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,54 20,17 14 BANCO FIDIS 1,61 21,15 15 BCO BANESTES S.A. 1,64 21,52 16 BCO SAFRA S.A. 1,66 21,84 17 BCO INDUSVAL S.A. 1,68 22,07 18 BANCO VIPAL 1,69 22,22 19 SANTINVEST S.A. - CFI 1,82 24,2 20 BANCO MONEO S.A. 1,82 24,22 21 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,84 24,38 22 BCO BRADESCO S.A. 1,84 24,5 23 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,89 25,12 24 BCO CEDULA S.A. 1,91 25,45 25 BCO ARBI S.A. 1,94 25,93 26 BCO PAULISTA S.A. 1,98 26,56 27 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 2,06 27,67 28 CARUANA SCFI 2,06 27,74 29 BCO DAYCOVAL S.A 2,14 28,9 30 BCO RODOBENS S.A. 2,15 29,06 31 BCO TRICURY S.A. 2,16 29,2 32 BANCO TOPÁZIO S.A. 2,19 29,74 33 BANCO RANDON S.A. 2,27 30,86 34 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,44 33,48 35 BCO SOFISA S.A. 2,58 35,75 36 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 2,58 35,78 37 ATRIA S.A. - CFI 2,64 36,69 38 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,67 37,21 39 SOCINAL S.A. CFI 2,7 37,67 40 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,74 38,27 41 MÚLTIPLA CFI S/A 2,89 40,71 42 CREDITÁ S.A. CFI 2,91 41,02 43 BCO DO EST. DO PA S.A. 2,91 41,12

44 BCO ORIGINAL DO AGRO S/A 45 FINANSINOS S.A. CFI 46 BCO TRIANGULO S.A.

3,23 3,45 3,49

46,43 50,27 50,85

Capital de giro prazo superior a 365 dias Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO VOLKSWAGEN S.A 0,36 4,39 2 BCO A.J. RENNER S.A. 0,8 10,03 3 BCO DES. DO ES S.A. 0,94 11,91 4 BCO CATERPILLAR S.A. 1,12 14,25 5 BCO ITAÚ BBA S.A. 1,12 14,29 6 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,2 15,38 7 BCO CITIBANK S.A. 1,24 15,99 8 BCO RODOBENS S.A. 1,32 17,02 9 BCO DO BRASIL S.A. 1,36 17,61 10 BCO VOTORANTIM S.A. 1,46 18,99 11 BCO PAULISTA S.A. 1,5 19,63 12 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 1,54 20,1 13 BCO FIBRA S.A. 1,55 20,24 14 BANCO VIPAL 1,55 20,33 15 BCO DAYCOVAL S.A 1,56 20,35 16 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,56 20,42 17 BCO ABC BRASIL S.A. 1,56 20,42 18 BCO SAFRA S.A. 1,57 20,6 19 BANCO FIDIS 1,59 20,81 20 BCO BANESTES S.A. 1,69 22,23 21 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,74 22,94 22 NBC BANK BRASIL S.A. - BM 1,79 23,71 23 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 1,8 23,87 24 BCO BRADESCO S.A. 1,89 25,19 25 SANTINVEST S.A. - CFI 1,93 25,76 26 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 1,95 26,05 27 BCO BMG S.A. 2,04 27,39 28 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,07 27,91 29 BCO DO EST. DO PA S.A. 2,17 29,36 30 BANCO TOPÁZIO S.A. 2,27 30,97 31 SOROCRED CFI S.A. 2,31 31,54 32 BCO TRIANGULO S.A. 2,37 32,46 33 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,51 34,63

Conta garantida Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 1,34 17,26 2 FINANC ALFA S.A. CFI 1,52 19,8 3 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,67 21,93 4 BCO INDUSVAL S.A. 1,84 24,49 5 BCO DO BRASIL S.A. 1,89 25,14 6 BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. 1,95 26,06 7 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,98 26,5 8 BCO LUSO BRASILEIRO S.A. 2,09 28,14 9 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 2,09 28,22 10 BCO BANESTES S.A. 2,17 29,43 11 BANCO JOHN DEERE S.A. 2,22 30,07 12 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,23 30,35 13 BCO DA AMAZONIA S.A. 2,42 33,23 14 BCO ALFA S.A. 2,44 33,49 15 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,48 34,11 16 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,58 35,7 17 BANCOOB 2,61 36,17 18 BCO CAPITAL S.A. 2,62 36,31 19 NBC BANK BRASIL S.A. - BM 2,83 39,83 20 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 2,91 41,1 21 BCO ORIGINAL DO AGRO S/A 2,96 41,87 22 BANCO BONSUCESSO S.A. 3,28 47,33 23 BCO TRIANGULO S.A. 3,31 47,87 24 BCO CITIBANK S.A. 3,37 48,85 25 BCO DAYCOVAL S.A 3,53 51,58 26 BCO RENDIMENTO S.A. 3,79 56,19 27 BANCO SEMEAR 4,16 63,05 28 BCO BRADESCO S.A. 4,27 65,09 29 BCO SOFISA S.A. 4,37 67,03 30 BCO CEDULA S.A. 5,06 80,72 31 PARANA BCO S.A. 5,3 85,85 32 BCO SAFRA S.A. 6,61 115,61

Antecipação de faturas de Cartão de Crédito Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO SAFRA S.A. 0,98 12,45 2 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,51 19,71 3 BCO DO BRASIL S.A. 1,84 24,47 4 BCO BANESTES S.A. 1,95 26,09 5 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,96 26,29 6 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 2,36 32,26 7 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,44 33,52 8 BCO BRADESCO S.A. 2,66 37,05 9 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 3,02 42,99 10 PARANA BCO S.A. 5,09 81,52

Capital de giro até 365 Dias flutuante Tipo: Pós fixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO DO EST. DO RS S.A. 0,94 11,87 2 BCO CREDIT SUISSE (BRL) S.A. 1,04 13,26 3 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 1,08 13,76 4 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,1 14,01 5 BCO ITAÚ BBA S.A. 1,17 14,91 6 BCO DO BRASIL S.A. 1,19 15,29 7 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,2 15,42

8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37

BCO CITIBANK S.A. BCO INDUSVAL S.A. BCO ABC BRASIL S.A. BCO BNP PARIBAS BRASIL S A BCO BBM S.A. BCO DA AMAZONIA S.A. BCO BRADESCO S.A. BCO GUANABARA S.A. BCO BANESTES S.A. BCO SAFRA S.A. BCO PINE S.A. BCO FIBRA S.A. MÚLTIPLA CFI S/A BRICKELL S.A. CFI BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. BCO RENDIMENTO S.A. BANCO BONSUCESSO S.A. BCO SOFISA S.A. PARANA BCO S.A. ITAÚ UNIBANCO BM S.A. BCO DAYCOVAL S.A BCV BCO TRICURY S.A. BCO BMG S.A. BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. BCO MODAL S.A. BCO VOTORANTIM S.A. BCO PAULISTA S.A. BANCO SEMEAR BCO SUMITOMO MITSUI BRASIL S.A.

JUROS

1,21 1,23 1,24 1,29 1,37 1,42 1,42 1,42 1,43 1,43 1,45 1,47 1,57 1,65 1,73 1,73 1,77 1,8 1,82 1,84 1,85 1,88 1,92 1,94 1,95 1,96 2,02 2,21 2,25 2,28

15,53 15,81 15,94 16,58 17,76 18,38 18,4 18,46 18,57 18,59 18,84 19,15 20,58 21,65 22,79 22,89 23,36 23,8 24,09 24,42 24,56 25,1 25,61 25,95 26,07 26,22 27,15 30,06 30,58 31,13

Conta garantida com juros flutuantes Tipo: Pós fixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO CRÉDIT AGRICOLE BR S.A. 0,88 11,09 2 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,06 13,5 3 BCO CEDULA S.A. 1,12 14,29 4 BCO ABC BRASIL S.A. 1,28 16,43 5 MERRILL LYNCH - BM S.A. 1,31 16,91 6 BCO SUMITOMO MITSUI BRASIL S.A. 1,33 17,13 7 BCO TOKYO-MITSUBISHI BM S.A. 1,34 17,32 8 BCO J.P. MORGAN S.A. 1,41 18,32 9 BCO BNP PARIBAS BRASIL S A 1,43 18,63 10 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 1,47 19,18 11 BCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. 1,47 19,19 12 FINANC ALFA S.A. CFI 1,48 19,23 13 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,49 19,47 14 DEUTSCHE BANK S.A.BCO ALEMAO 1,51 19,66 15 NBC BANK BRASIL S.A. - BM 1,53 19,97 16 BCO DO BRASIL S.A. 1,53 20,01 17 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 1,62 21,25 18 BCO BRADESCO S.A. 1,67 22 19 BCO CITIBANK S.A. 1,68 22,19 20 BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. 1,69 22,31 21 PARANA BCO S.A. 1,71 22,55 22 BCO TRIANGULO S.A. 1,73 22,82 23 BCO VOTORANTIM S.A. 1,74 23,02 24 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,77 23,39 25 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,8 23,93 26 BCO FIBRA S.A. 1,81 23,96 27 BCO PAULISTA S.A. 1,81 24,06 28 BCO LUSO BRASILEIRO S.A. 1,9 25,27 29 BCO INTERCAP S.A. 1,97 26,32 30 BCO BANESTES S.A. 1,99 26,68 31 BCO SAFRA S.A. 2,04 27,36 32 BCO SOFISA S.A. 2,05 27,61 33 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,09 28,19

Pessoa física Cheque especial Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO SOFISA S.A. 1,79 23,67 2 BCO INDUSVAL S.A. 1,97 26,3 3 BCO CEDULA S.A. 2,32 31,65 4 BCO ALFA S.A. 2,4 32,85 5 BANIF BRASIL BM S.A. 2,9 40,93 6 BANCOOB 3,06 43,65 7 BANCO BONSUCESSO S.A. 3,13 44,75 8 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 3,89 58,04 9 BCO PAULISTA S.A. 3,92 58,67 10 BCO CAPITAL S.A. 4,09 61,78 11 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 4,09 61,82 12 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 4,18 63,43 13 BCO DAYCOVAL S.A 5,09 81,41 14 BCO DO EST. DO PA S.A. 5,29 85,61 15 BCO DA AMAZONIA S.A. 5,55 91,2 16 BCO DO BRASIL S.A. 5,59 92,04 17 BCO DO EST. DO RS S.A. 5,75 95,53 18 BCO BANESTES S.A. 5,8 96,6 19 BCO LUSO BRASILEIRO S.A. 6,02 101,78 20 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 6,14 104,49 21 BCO DO EST. DE SE S.A. 8,06 153,43 22 BCO BRADESCO S.A. 8,11 154,98 23 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 8,28 159,9 24 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 8,31 160,57 25 BCO SAFRA S.A. 8,31 160,68 26 BCO RENDIMENTO S.A. 9,46 195,78 27 BCO CITIBANK S.A. 9,57 199,29 28 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 10 213,77 29 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 10,34 225,59

Crédito pessoal consignado INSS Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B7

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO BANESTES S.A. 1,67 21,92 2 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,7 22,42

3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36

BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BANCOOB BRB - BCO DE BRASILIA S.A. BCO DO BRASIL S.A. BCO SAFRA S.A. LECCA CFI S.A. BCO ARBI S.A. BARIGUI S.A. CFI CREDIARE CFI S.A. BCO DO EST. DO RS S.A. BANCO BRADESCARD BCO CITICARD S.A. PARANA BCO S.A. SUL FINANCEIRA S.A.-CFI GAZINCRED S.A. SCFI BCO BRADESCO S.A. BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. BANCO INTERMEDIUM S/A BCO VOTORANTIM S.A. BCO BGN S.A. HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. BCO BRADESCO FINANC. S.A. BANCO CIFRA BANCO BONSUCESSO S.A. BCO DAYCOVAL S.A ITAÚ BMG CONSIGNADO BCO CACIQUE S.A. ITAÚ UNIBANCO BM S.A. BCO BMG S.A. MERCANTIL BRASIL FIN S.A. CFI BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. PARATI - CFI S.A. BCO GERADOR S.A.

1,72 1,74 1,8 1,83 1,87 1,88 1,9 1,91 1,92 1,95 1,97 1,99 1,99 2,02 2,02 2,03 2,03 2,04 2,04 2,05 2,06 2,08 2,09 2,09 2,1 2,1 2,12 2,12 2,12 2,12 2,16 2,2 2,22 2,23

22,7 22,99 23,85 24,29 24,95 24,98 25,37 25,5 25,63 26,02 26,31 26,61 26,74 27,05 27,1 27,26 27,3 27,38 27,48 27,57 27,65 28 28,11 28,2 28,34 28,38 28,56 28,56 28,6 28,65 29,24 29,87 30,13 30,32

Crédito pessoal consignado privado Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO DO EST. DO PA S.A. 0 0 2 BCO BMG S.A. 0,09 1,03 3 BCO ARBI S.A. 1,41 18,22 4 BCO CITICARD S.A. 1,55 20,33 5 TODESCREDI S/A - CFI 1,57 20,49 6 BCO LUSO BRASILEIRO S.A. 1,73 22,91 7 BANCOOB 1,75 23,12 8 BCO DA AMAZONIA S.A. 1,77 23,36 9 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,8 23,83 10 FINANC ALFA S.A. CFI 1,86 24,76 11 BANCO INTERMEDIUM S/A 1,92 25,69 12 BCO RODOBENS S.A. 1,93 25,82 13 GAZINCRED S.A. SCFI 2 26,82 14 BCO SAFRA S.A. 2,03 27,22 15 BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. 2,09 28,1 16 BCO VOLKSWAGEN S.A 2,11 28,45 17 HS FINANCEIRA 2,11 28,46 18 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 2,15 29,04 19 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 2,18 29,46 20 BCO DO BRASIL S.A. 2,18 29,49 21 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,19 29,7 22 BANCO VIPAL 2,19 29,75 23 BCO BRADESCO S.A. 2,21 29,92 24 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 2,25 30,58 25 MIDWAY S.A. - SCFI 2,27 30,98 26 BARIGUI S.A. CFI 2,3 31,44 27 SAX S.A. CFI 2,31 31,58 28 SANTINVEST S.A. - CFI 2,37 32,49 29 AGIPLAN FINANCEIRA S.A. - CFI 2,38 32,59 30 BCO DAYCOVAL S.A 2,4 32,88 31 BCO BRADESCO FINANC. S.A. 2,42 33,19 32 PORTOSEG S.A. CFI 2,47 33,97 33 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 2,52 34,84 34 CREDITÁ S.A. CFI 2,56 35,4 35 BCO BANESTES S.A. 2,56 35,45 36 BCO CITIBANK S.A. 2,56 35,46 37 BCO A.J. RENNER S.A. 2,7 37,66 38 PERNAMBUCANAS FINANC S.A. CFI 2,72 37,99 39 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 2,74 38,31 40 BRB - CFI S/A 2,74 38,37 41 BANCO SEMEAR 2,81 39,42 42 BANCO BRADESCARD 2,84 39,92 43 GOLCRED S/A - CFI 2,93 41,44 44 FINAMAX S.A. CFI 2,97 42,02 45 CREDIARE CFI S.A. 2,98 42,24 46 KREDILIG S.A. - CFI 3,01 42,75

Crédito pessoal consignado público Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO ALFA S.A. 1,45 18,82 2 BRB - CFI S/A 1,52 19,84 3 FINANC ALFA S.A. CFI 1,52 19,9 4 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,53 20,03 5 BCO BANESTES S.A. 1,54 20,06 6 MERCANTIL BRASIL FIN S.A. CFI 1,61 21,15 7 BCO DO BRASIL S.A. 1,64 21,62 8 BCO BRADESCO S.A. 1,65 21,65 9 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,65 21,7 10 BANCOOB 1,67 21,93 11 BCO ARBI S.A. 1,67 21,96 12 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 1,67 21,96 13 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 1,7 22,4 14 SANTINVEST S.A. - CFI 1,71 22,52 15 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,72 22,68 16 BCO SAFRA S.A. 1,73 22,88 17 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 1,75 23,17 18 BARIGUI S.A. CFI 1,77 23,45 19 PARANA BCO S.A. 1,78 23,53 20 BCO DO EST. DO PA S.A. 1,79 23,79 21 BIORC FINANCEIRA - CFI S.A. 1,85 24,66 22 BANCO INTERMEDIUM S/A 1,86 24,75 23 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 1,86 24,79 24 BCO BGN S.A. 1,87 24,93 25 BCO BRADESCO FINANC. S.A. 1,93 25,78 26 BCO VOTORANTIM S.A. 1,97 26,3 27 BV FINANCEIRA S.A. CFI 2 26,83

28 29 30 31 32 33 34 35

BCO LUSO BRASILEIRO S.A. BCO DAYCOVAL S.A BCO DO EST. DE SE S.A. BCO BMG S.A. ITAÚ BMG CONSIGNADO BCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. BANCO CIFRA BANCO BONSUCESSO S.A.

2,02 2,02 2,05 2,08 2,11 2,13 2,28 2,29

27,1 27,14 27,53 28,08 28,52 28,79 31 31,16

Crédito pessoal não consignado Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO CEDULA S.A. 1,59 20,83 2 BCO INTERCAP S.A. 1,6 21,03 3 BCO RODOBENS S.A. 1,69 22,24 4 BCO DA AMAZONIA S.A. 1,79 23,69 5 BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A 1,95 26 6 PORTOSEG S.A. CFI 2,05 27,58 7 SENFF S.A. - CFI 2,2 29,84 8 BCO ITAUCARD S.A. 2,24 30,51 9 BCO DO EST. DE SE S.A. 2,26 30,8 10 BANCOOB 2,33 31,82 11 ATRIA S.A. - CFI 2,45 33,67 12 BCO MODAL S.A. 2,48 34,24 13 MÚLTIPLA CFI S/A 2,53 34,93 14 BANCO AZTECA DO BRASIL S.A. 2,59 35,96 15 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 2,92 41,21 16 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 2,93 41,47 17 BCO RENDIMENTO S.A. 3,02 42,98 18 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 3,06 43,61 19 SOCINAL S.A. CFI 3,26 46,97 20 SANTANA S.A. - CFI 3,33 48,14 21 BCO DO EST. DO RS S.A. 3,38 49,05 22 BCO DO BRASIL S.A. 3,39 49,11 23 BCO BANESTES S.A. 3,39 49,14 24 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 3,41 49,52 25 BCO CITIBANK S.A. 3,49 50,85 26 PARATI - CFI S.A. 3,84 57,19 27 BCO SAFRA S.A. 3,94 59,08 28 OMNI SA CFI 3,97 59,56 29 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 4,21 64,04 30 BANCO BONSUCESSO S.A. 4,33 66,21 31 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 4,43 68,25 32 CREDITÁ S.A. CFI 4,65 72,49 33 BCO BRADESCO S.A. 4,68 73,08 34 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 4,68 73,17 35 DIRECAO S.A. CFI 4,82 75,91 36 BCO DO EST. DO PA S.A. 5,25 84,87 37 BCO CITICARD S.A. 5,27 85,13 38 BCO A.J. RENNER S.A. 5,88 98,52 39 CREDIARE CFI S.A. 6,44 111,38 40 BV FINANCEIRA S.A. CFI 6,63 116,07 41 CETELEM BRASIL S.A. CFI 7,04 126,28 42 FACTA S.A. CFI 7,71 143,69 43 FINAMAX S.A. CFI 7,82 146,89 44 KREDILIG S.A. - CFI 8,15 156,04 45 HS FINANCEIRA 8,22 158,15 46 BCO GERADOR S.A. 8,35 161,77 47 GOLCRED S/A - CFI 8,81 175,37 48 BCO CACIQUE S.A. 9,09 183,95 49 BANCO INTERMEDIUM S/A 9,46 195,71 50 GRAZZIOTIN FINANCIADORA SA CFI 9,9 210,44 51 BANCO SEMEAR 10,2 220,67 52 FINANC ALFA S.A. CFI 10,42 228,46 53 SOROCRED CFI S.A. 10,6 235,18 54 VIA CERTA FINANCIADORA S.A. - CFI 11,12 254,37 55 PERNAMBUCANAS FINANC S.A. CFI 11,76 279,63 56 PARANA BCO S.A. 11,86 283,78 57 MIDWAY S.A. - SCFI 11,87 284,14 58 LECCA CFI S.A. 12,1 293,7 59 DACASA FINANCEIRA S/A - SCFI 12,23 299,23 60 PORTOCRED S.A. - CFI 12,36 304,7 61 SAX S.A. CFI 12,63 316,65 62 NEGRESCO S.A. - CFI 12,64 317,19 63 BANCO BRADESCARD 13,9 376,69 64 CREFISA S.A. CFI 19,8 774,15 65 AGIPLAN FINANCEIRA S.A. - CFI 20,5 836,91 66 BCO DAYCOVAL S.A 22,01 988,18

Aquisição de veículos Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BMW FINANCEIRA S.A. - CFI 0,71 8,89 2 BCO GMAC S.A. 0,75 9,42 3 CIA CFI RCI BRASIL S.A. 0,81 10,21 4 BCO HONDA S.A. 0,94 11,91 5 BCO MERCEDES-BENZ S.A. 1,09 13,85 6 BCO PSA FINANCE BRASIL S.A. 1,09 13,92 7 BCO VOLKSWAGEN S.A 1,2 15,33 8 GOLCRED S/A - CFI 1,31 16,91 9 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,37 17,79 10 BCO TOYOTA DO BRASIL S.A. 1,4 18,21 11 BCO CITICARD S.A. 1,41 18,29 12 BCO DO BRASIL S.A. 1,42 18,4 13 FINANC ALFA S.A. CFI 1,45 18,8 14 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 1,45 18,87 15 BCO. J.SAFRA S.A. 1,46 19,04 16 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 1,48 19,31 17 BCO RODOBENS S.A. 1,51 19,71 18 BCO BRADESCO FINANC. S.A. 1,54 20,15 19 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 1,58 20,74 20 BCO BANESTES S.A. 1,61 21,11 21 BRB - CFI S/A 1,61 21,17 22 BCO BRADESCO S.A. 1,62 21,3 23 BCO MAXINVEST S.A. 1,64 21,55 24 PORTOSEG S.A. CFI 1,66 21,87 25 BCO ITAUCARD S.A. 1,66 21,88 26 BCO DO EST. DO RS S.A. 1,72 22,67 27 AYMORÉ CFI S.A. 1,78 23,61 28 BANCO BONSUCESSO S.A. 1,83 24,35 29 BANCO AZTECA DO BRASIL S.A. 1,83 24,36 30 BCO LUSO BRASILEIRO S.A. 1,92 25,7 31 BV FINANCEIRA S.A. CFI 1,97 26,34 32 MERCANTIL BRASIL FIN S.A. CFI 1,99 26,74 33 GAZINCRED S.A. SCFI 2,01 26,95 34 BANCO FIDIS 2,04 27,35 35 BCO DA AMAZONIA S.A. 2,15 29,11

36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48

SOROCRED CFI S.A. SUL FINANCEIRA S.A.-CFI BCO A.J. RENNER S.A. FINANSINOS S.A. CFI BCO PECUNIA S.A. BCO YAMAHA MOTOR S.A. FINAMAX S.A. CFI BCO DAYCOVAL S.A DACASA FINANCEIRA S/A - SCFI CIFRA S.A. CFI OMNI SA CFI PORTOCRED S.A. - CFI SANTANA S.A. - CFI

2,25 2,25 2,29 2,39 2,49 2,65 2,71 2,91 3,2 3,3 3,56 3,67 3,68

30,55 30,58 31,21 32,8 34,35 36,79 37,76 41,13 45,99 47,68 52,08 54,07 54,27

Aquisição de bens Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BANCO JOHN DEERE S.A. 0,32 3,89 2 BCO VOLKSWAGEN S.A 0,36 4,38 3 BANCO VIPAL 0,56 6,9 4 BCO CNH CAPITAL S.A. 0,57 7,08 5 BCO VOLVO BRASIL S.A. 0,83 10,46 6 BCO CATERPILLAR S.A. 1,04 13,26 7 GRAZZIOTIN FINANCIADORA SA CFI 1,31 16,91 8 FINANC ALFA S.A. CFI 1,46 18,93 9 AYMORÉ CFI S.A. 1,64 21,54 10 BCO DO EST. DE SE S.A. 1,8 23,91 11 BANCO AZTECA DO BRASIL S.A. 2,06 27,73 12 BCO BANESTES S.A. 2,07 27,93 13 TODESCREDI S/A - CFI 2,1 28,38 14 BCO DO BRASIL S.A. 2,17 29,33 15 HS FINANCEIRA 2,18 29,53 16 CETELEM BRASIL S.A. CFI 2,27 30,92 17 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 2,33 31,81 18 FIN. ITAÚ CBD CFI 2,43 33,35 19 SOROCRED CFI S.A. 2,48 34,24 20 BCO RODOBENS S.A. 2,63 36,49 21 BCO DO EST. DO RS S.A. 2,81 39,44 22 BARIGUI S.A. CFI 2,88 40,56 23 BCO DAYCOVAL S.A 3,09 44,11 24 BCO BRADESCO S.A. 3,6 52,9 25 PARANA BCO S.A. 3,77 55,9 26 DREBES FINANCEIRA S.A. - CFI 3,89 58,05 27 KREDILIG S.A. - CFI 4,21 64,1 28 CREDIARE CFI S.A. 4,24 64,55 29 BANCO SEMEAR 4,32 66,14 30 LUIZACRED S.A. SOC CFI 4,54 70,44 31 VIA CERTA FINANCIADORA S.A. - CFI 4,65 72,46 32 PORTOCRED S.A. - CFI 5,17 83,1 33 BCO FIBRA S.A. 5,22 84,16 34 PERNAMBUCANAS FINANC S.A. CFI 5,26 85,03 35 DACASA FINANCEIRA S/A - SCFI 5,63 93,05 36 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 5,64 93,11 37 LECCA CFI S.A. 5,74 95,45 38 SENFF S.A. - CFI 5,93 99,7

Desconto de Cheques Tipo: Prefixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 1,89 25,22 2 BCO BANESTES S.A. 2,63 36,58 3 BCO DO BRASIL S.A. 2,72 38,05 4 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 2,82 39,63 5 BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. 3,24 46,57 6 FINAMAX S.A. CFI 3,34 48,41 7 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 3,77 55,84 8 BCO BRADESCO S.A. 3,93 58,78 9 BCO REP ORIENTAL URUGUAY BCE 4,7 73,59 10 BCO DAYCOVAL S.A 5,57 91,62

Financiamento imobilliário com taxas reguladas Tipo: Pós fixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 0,47 5,78 2 BCO DO EST. DO RS S.A. 0,51 6,32 3 BCO DO BRASIL S.A. 0,55 6,81 4 BCO BANESTES S.A. 0,62 7,76 5 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 0,64 7,96 6 BCO DO EST. DE SE S.A. 0,66 8,15 7 HSBC BANK BRASIL SA BCO MULTIP 0,68 8,45 8 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 0,68 8,48 9 BCO BRADESCO S.A. 0,68 8,5 10 APE POUPEX 0,72 9,02 11 ITAÚ UNIBANCO BM S.A. 0,84 10,56

Financiamento imobilliário com taxas de mercado Tipo: Pós fixado Período: de 18/10/2013 a 24/10/2013 Publicado em: 08/11/2013

Taxas de juros Instituição % a.m. % a.a. 1 ECONOMIA CI S.A.-ECONOMISA 0,51 6,27 2 BCO BANESTES S.A. 0,64 8 3 BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. 0,69 8,62 4 BCO BRADESCO S.A. 0,7 8,74 5 BRAZILIAN MORTGAGES CH S.A. 0,71 8,92 6 CAIXA ECONOMICA FEDERAL 1,07 13,57 7 BRB - BCO DE BRASILIA S.A. 1,11 14,11 8 DOMUS CH 1,16 14,83 9 BCO BMG S.A. 1,35 17,45 10 BARIGUI CH 1,43 18,62 11 RODOBENS CH 1,94 26 Fonte: Banco Central

Edição: Odailson Elmar Spada


FINANÇAS

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. B8

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO/2013 Agenda 13 - QUARTA-FEIRA IRRF

IRRF relativo aos fatos geradores ocorridos no período de 01 a 10/11/2013, incidente sobre rendimentos de juros sobre o capital próprio e aplicações financeiras, inclusive os atribuídos a residentes ou domiciliados no exterior, e títulos de capitalização; prêmios, inclusive os distribuídos sob a forma de bens e serviços, obtidos em concursos e sorteios de qualquer espécie e lucros decorrentes desses prêmios; e multa ou qualquer vantagem, de que trata o art. 70 da Lei nº 11.196/05 (multas e indenizações contratuais, exceto trabalhistas). Tabela de códigos de recolhimento

14 - QUINTA-FEIRA

CSLL/COFINS/PIS/PASEP Retidos na Fonte

Contribuições relativas aos fatos geradores ocorridos no período de 16 a 31/10/2013, incidentes sobre serviços prestados às pessoas jurídicas por outras pessoas jurídicas (art. 74 da Lei nº 11.196/05).

PIS/PASEP e COFINS Autopeças

PIS/PASEP e COFINS incidentes no período de 16 a

31/10/2013 sobre os pagamentos referentes à aquisição de autopeças, exceto pneumáticos, quando efetuados por pessoa jurídica fabricante (arts. 1º e 3º, § 3º, I e II, da Lei nº 10.485/02, com nova redação dada pelo art. 42 da Lei nº 11.196/05). COFINS 3746 PIS/PASEP 3770

CIDE Combustíveis

Contribuição incidente na comercialização de petróleo e derivados, gás natural e derivados e álcool etílico combustível apurado no mês anterior (art. 6º, parágrafo único, da Lei nº 10.336/01). 9331 (Mercado interno)

CIDE Remessas ao Exterior

Contribuição incidente sobre valores pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos, a cada mês, a residentes ou domiciliados no exterior, pelo pagamento de remunerações relativas aos contratos alcançados pelo disposto no art. 2º da Lei nº 10.168/00, alterado pelo art. 6º da Lei nº 10.332/01 e pelo art. 2º da Lei nº 12.402/11.- 8741 - CIDE

Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/PASEP, COFINS e da Contribuição Previdenciária sobre a Receita (EFDContribuições) EFD-Contribuições para o PIS/PASEP, COFINS e Contribuição Previdenciária sobre a receita relativa aos

fatos geradores ocorridos no mês de setembro/2013, pelas pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real, lucro presumido e arbitrado (art. 7º da IN RFB nº 1.252/12). Programa Validador e Assinador (PVA) disponibilizado no sítio da Receita Federal do Brasil

18 - SEGUNDA-FEIRA

Previdência Social (INSS)

Contribuições previdenciárias relativas à competência outubro/2013, devidas pelos contribuintes individuais, facultativos e empregados domésticos. GPS (2 vias)

Previdência Social (INSS)

Contribuições Previdenciárias relativas à competência outubro/2013 descontadas dos trabalhadores a serviço do segurado especial (art. 10, § 15, da Instrução Normativa RFB nº 971/09). GPS (2 vias)

Notas

1ª) Tendo em vista que o Calendário foi elaborado com base na legislação vigente em 09/09/2013, o assinante deverá manter-se alerta quanto a eventuais alterações posteriores, que serão informadas no Cenofisco BD On-line. 2ª) Além das obrigações relacionadas neste Calendário,

o assinante poderá, em razão de sua atividade econômica, ficar sujeito a outras obrigações, específicas para sua atividade, que não estejam mencionadas no Calendário. 3ª) É facultado ao contribuinte pessoa física que auferir, no ano-calendário, de mais de uma fonte pagadora (mais de uma pessoa jurídica ou uma pessoa jurídica e uma ou mais pessoas físicas), rendimentos tributáveis na Declaração de Ajuste Anual, a complementação do imposto devido sobre os rendimentos recebidos (exMensalão). Esse imposto poderá ser recolhido em qualquer dia e mês do ano-calendário, tendo em vista tratar-se de uma antecipação do imposto que será devido na declaração de ajuste (art. 113 do Decreto nº 3.000/99). 4ª) Nos termos do art. 79-D da Lei Complementar nº 123/07, excepcionalmente, para os fatos geradores ocorridos entre 01/07/2007 e 31/12/2008 as pessoas jurídicas que exerçam atividades sujeitas simultaneamente à incidência do IPI e do ISS deverão recolher o ISS diretamente ao Município em que este imposto é devido até o último dia útil de fevereiro/2009, aplicando-se, até esta data, o disposto no parágrafo único do art. 100 da Lei nº 5.172, de 25/10/1966 – Código Tributário Nacional (CTN), (incluído pela Lei Complementar nº 128/08).

AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAIS DO PARANÁ PARA NOVEMBRO/2013 aGENDA 11 - SEGUNDA-FEIRA ICMS

Álcool Etílico Anidro Combustível (AEAC) Recolher em GNRE o ICMS suspenso, na forma do inciso XII do art. 93, quando se tratar de contribuinte estabelecido em outros Estados, referente às operações do mês de outubro/13 (art. 75, XV, “b”, do RICMS).

GIA-ICMS

GIA-ICMS – Apuração Centralizada Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes detentores de autorização para apuração centralizada do ICMS, nos termos dos arts. 28 a 34 do RICMS-PR (art. 270, § 1º, “a”, do RICMS). Até o dia 10 do mês subsequente ao das operações e prestações.

ICMS - GIA-ST

Guia Nacional de Informação e Apuração do ICMS Substituição Tributária (GIA-ST) Apresentação da GIA-ST do mês de outubro/13 pelo contribuinte substituto tributário e pelo transportador estabelecido em outra Unidade Federada, relativamente à inscrição especial no CAD/ICMS (art. 275 do RICMS). Até o dia 10 do mês subsequente.

ICMS

Apuração Centralizada Recolher em GR-PR o saldo devedor referente ao mês de outubro/13 (art. 75, III, do RICMS). Substituição Tributária Distribuidor e Importador de Combustíveis ou Produtos Aditivos Recolher em GR-PR o ICMS referente às entradas realizadas no mês de outubro/13, quando se tratar de contribuinte estabelecido no território paranaense, nas hipóteses do § 5º do art. 29 do Anexo X (Responsabilidade pela retenção ao destinatário contribuinte do ICMS, quando este não for ou tenha deixado de ser eleito substituto tributário) (art. 75, X, “b”, do RICMS). Substituição Tributária Combustíveis – Contribuinte do Estado Recolher em GR-PR o ICMS referente às operações realizadas no mês de outubro/13, quando se tratar de contribuinte estabelecido no território paranaense (art. 75, X, “d.1”, do RICMS). Substituição Tributária Lubrificantes – Contribuinte de Outros Estados Recolher em GR-PR ou GNRE, conforme o caso, o ICMS referente às operações realizadas por contribuintes de outros Estados nas vendas às empresas estabelecidas no Paraná durante o mês de outubro/13 (art. 75, X, “d.3”, do RICMS). Substituição Tributária Lubrificantes, Aditivos, Agentes de Limpeza, Anticorrosivos, Desengraxantes, etc. Recolher em GR-PR ou GNRE, conforme o caso, o ICMS referente às operações realizadas no mês de outubro/13 (art. 75, X, “g”, do RICMS). Transporte Aéreo (Exceto Táxi Aéreo e Congêneres) – Contribuintes Domiciliados no Estado ou de Outros Estados Recolher em GR-PR ou GNRE, conforme o caso, o ICMS das prestações realizadas no mês de outubro/13. Obs.: Esta parcela não pode ser inferior a 70% do valor devido no mês anterior (art. 75, VIII, “a”, do RICMS).

Prestação de Serviços de Comunicação Referente à Recepção de Som e Imagem por meio de Satélite Recolher em GNRE o ICMS referente à recepção de som e imagem por meio de satélite, quando o tomador estiver localizado neste Estado e o prestador do serviço em outra Unidade Federada, realizada no mês de outubro/13 (art. 75, XIII, do RICMS). Serviços de Telecomunicações não Medidos Recolher em GNRE o ICMS referente às prestações do mês de outubro/13, em relação a serviços de telecomunicações não medidos, com cobrança por períodos definidos, na hipótese de o prestador de serviço estar localizado em outro Estado e o tomador do serviço localizado no Paraná, no montante de 50% do valor do serviço prestado (art. 75, XV, do RICMS). Prestação de Serviços de Comunicação de Acesso à Internet Recolher em GR-PR o ICMS referente às prestações de serviço de comunicação de acesso à internet, quando o usuário estiver localizado neste Estado e o prestador do serviço em outra Unidade Federada (Convênio ICMS nº 79/03 e art. 75, XVI, do RICMS). Fumo em Folha e seu Serviço de Transporte Recolher em GR-PR o ICMS na condição de responsável, resultante de operações e prestações interestaduais e recolhimento do ICMS pela prestação de serviços de transporte do mesmo produto realizadas durante o mês de outubro/13 (art. 550 do RICMS).

GIA-ICMS

GIA-ICMS – Normal Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes do Regime Normal. Inscrição no CAD-ICMS finais 1 e 2 (art. 270 do RICMS). Até o dia 11 do mês subsequente

ICMS

Regime Normal Recolher o ICMS, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13. Inscrição Estadual com algarismos finais 1 e 2 (art. 75, XXII, do RICMS).

12 - TERÇA-FEIRA GIA-ICMS

GIA-ICMS – Normal Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes do Regime Normal. Inscrição no CAD-ICMS fi nais 3 e 4 (art. 270 do RICMS). Até o dia 12 do mês subsequente.

ICMS

Regime Normal Recolher o ICMS, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13. Inscrição Estadual com algarismos fi nais 3 e 4 (art. 75, XXII, do RICMS).

13 - QUARTA-FEIRA

Arquivo Magnético (SCANC)

Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo, com álcool etílico anidro combustível ou Biodiesel B100 por meio do Sistema de Captação e Auditoria dos Anexos de Combustíveis (SCANC) pela refi naria de petróleo ou suas bases (imposto retido por refinaria ou suas bases), nos termos da alínea “a” do inciso III do art. 48 do Anexo X do RICMS (Anexo X, art. 52, V, “a”, do RICMS).

Nota As informações somente serão consideradas entregues após a validação pelo programa, com a emissão do respectivo protocolo. Até o dia 13 do mês subsequente ao das operações.

Arquivo Magnético

GIA-ICMS

Arquivo Magnético Data-limite para entrega, às Secretarias de Fazenda, Finanças ou Tributação das Unidades Federadas, de arquivo com registro fiscal das operações e prestações efetuadas no mês anterior (Convênio ICMS nº 69/02 e art. 449, Anexo X, art. 2º, IV, do RICMS).

ICMS

Substituição Tributária Cimento Recolher o ICMS em GR-PR ou GNRE, conforme o caso, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13 (art. 75, X, “h”, do RICMS).

GIA-ICMS – Normal Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes do Regime Normal. Inscrição no CAD-ICMS fi nais 5 e 6 (art. 270 do RICMS). Até o dia 13 do mês subsequente. Regime Normal Recolher o ICMS, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13. Inscrição Estadual com algarismos fi nais 5 e 6 (art. 75, XXII, do RICMS).

14 - QUINTA-FEIRA GIA-ICMS

GIA-ICMS – Normal Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes do Regime Normal. Inscrição no CAD-ICMS fi nais 7 e 8 (art. 270 do RICMS). Até o dia 14 do mês subsequente.

ICMS

Regime Normal Recolher o ICMS, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13. Inscrição Estadual com algarismos fi nais 7 e 8 (art. 75, XXII, do RICMS).

18 - SEGUNDA-FEIRA GIA-ICMS

GIA-ICMS – Normal Apresentação da GIA-ICMS do mês de outubro/13 pelos contribuintes do Regime Normal. Inscrição no CAD-ICMS fi nais 9 e 0 (art. 270 do RICMS). Até o dia 15 do mês subsequente.

ICMS

Regime Normal Recolher o ICMS, referente às operações realizadas durante o mês de outubro/13. Inscrição Estadual com algarismos fi nais 9 e 0 (art. 75, XXII, do RICMS). Serviço de Comunicação Recolher o ICMS em GR-PR, referente ao saldo remanescente quando se tratar de contribuinte enquadrado nos códigos CNAE-Fiscal 6420-3/11, 64203/12, 6420-3/19, 6420-3/21, 6420-3/22, 6420-3/29 ou 6420-3/30, referente ao mês de outubro/13 (art. 75, VII, “b”, do RICMS). Até o dia 15 do mês subsequente ao das saídas. Novembro/13 Café Cru em Grão Recolher em GR-PR ou GNRE, conforme o caso, o ICMS referente às operações efetuadas em Bolsa de Mercadorias e Cereais, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com a intermediação do Banco do Brasil, correspondente às notas fiscais emitidas entre os dias 01 a 10 de novembro/13 (art. 75, XII, “a”, do RICMS). Até o dia 15 do próprio mês. Outubro/13 Outros Recolhimentos – FUNCOR Retenção de valores sobre combustíveis destinados ao FUNCOR. Recolhimento em guia própria dos valores retidos em favor do FUNCOR, por contribuinte substituto, sobre operação com gasolina automotiva ou óleo diesel, referente ao mês de outubro/13 (art. 8º do Decreto nº 3.483/01). Até o dia 15 do mês subsequente.

ICMS

Substituição Tributária Combustíveis e Lubrificantes – Contribuinte do Estado Recolher em GR-PR o ICMS referente às operações realizadas no mês de outubro/13, quando se tratar de refinaria de petróleo e suas bases estabelecidas no território paranaense (art. 75, X, “d.2”, do RICMS).

iMPORTANTE

A relação dos prazos de recolhimento e as obrigações acessórias do ICMS, a serem cumpridas no mês de setembro/13, são aplicáveis aos fatos geradores ocorridos nos meses de agosto/13 e setembro/13. As atividades econômicas cujas operações estão sujeitas a obrigações específicas não estão relacionadas nesta agenda.

Nota

1. Os prazos só se iniciam ou vencem em dia de expediente normal (art. 36, § 3º, da Lei nº 11.580/96 e art. 210 do CTN). 2. O Decreto nº 48.034, de 19/8/03 – DOE de 20/8/03, entre outras alterações na legislação do ICMS, altera o grupo de CNAE-Fiscal dos CPRs: 1031, 1100, 1200 e 1250, já constante desta tabela. Poderá, ainda, o contribuinte formular consulta pelo site do Posto Fiscal Eletrônico (http://pfe.fazenda. sp.gov.br), pelo número de sua inscrição estadual, para constatação de possível alteração no prazo de recolhimento do imposto, de acordo com a nova classificação automática do CNAE-Fiscal, promovida pela Secretaria da Fazenda. 3. O Regime de Estimativa do ICMS foi extinto, desde 1º/1/01, nos termos do Comunicado CAT nº 116, de 16/11/00 – DOE de 17/11/00. 4. Relativamente ao estabelecimento refinador de petróleo e suas bases, para efeito de pagamento do ICMS, será observado o disposto no § 3º do art. 3º do Anexo IV do RICMS/00, a seguir reproduzido: “§ 3º – Em relação ao estabelecimento refinador de petróleo e suas bases, observar-se-á o que segue: 1. no que se refere ao imposto retido, na qualidade de sujeito passivo por substituição tributária, 80% do seu montante será recolhido até o 3º dia útil do mês subseqüente ao da ocorrência do fato gerador – CPR 1031 e o restante, até o dia 10 do correspondente mês – CPR 1100; 2. no que se refere ao imposto decorrente das operações próprias, 95% será recolhido até o 3º dia útil do mês subseqüente ao da ocorrência do fato gerador – CPR 1031 e o restante, até o dia 10 do correspondente mês – CPR 1100”. 5. Os prazos para apresentação da GIA estão previstos no Anexo IV da Portaria CAT nº 92/98, alterado pela Portaria CAT nº 49/01.

AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPAIS DE CURITIBA PARA NOVEMBRO/2013 aGENDA 11 - SEGUNDA-FEIRA ISS

Novembro/13 ISS-Fixo – 9ª cota Recolhimento da 9ª cota para o contribuinte (autônomos e sociedade de profissionais) que optar por efetuar o pagamento de forma parcelada (Decreto nº 1.973/12). Até o dia 10 do próprio mês.

IPTU

IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Dígitos 1 e 2 Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que

optar por efetuar o pagamento de forma parcelada com os dígitos verificadores 1 e 2 (Decreto nº 1.972/12). Até o dia 11 do próprio mês.

optar por efetuar o pagamento de forma parcelada com os dígitos verificadores 5 e 6 (Decreto nº 1.972/12). Até o dia 13 do próprio mês.

12 - TERÇA-FEIRA

IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Dígitos 7 e 8 Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que optar por efetuar o pagamento de forma parcelada com os dígitos verificadores 7 e 8 (Decreto nº 1.972/12). Até o dia 14 do próprio mês.

IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Dígitos 3 e 4 Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que optar por efetuar o pagamento de forma parcelada com os dígitos verificadores 3 e 4 (Decreto nº 1.972/12). Até o dia 12 do próprio mês.

13 - QUARTA-FEIRA

IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Dígitos 5 e 6 Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que

14 - QUINTA-FEIRA

18 - SEGUNDA-FEIRA

IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Dígitos 9 e 0 Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que optar por efetuar o pagamento de forma parcelada com

os dígitos verificadores 9 e 0 (Decreto nº 1.972/12). Até o dia 15 do próprio mês. IPTU – Recolhimento da 10ª Parcela – Débito Automático Recolhimento da 10ª parcela para o contribuinte que optar por efetuar o pagamento de forma parcelada por meio de débito automático independente do dígito verificador (Decreto nº 1.972/12).

Nota

As atividades econômicas especiais cujas operações estão sujeitas a obrigações específicas não estão relacionadas nesta agenda. Fonte: Portal do Empresário/Cenofisco


Leilões & LICITAÇÕES PARANÁ www.justicaedireito.com

Diário Indústria&Comércio

SUPLEMENTO SEMANAL | 10 | Curitiba, SEGUNDA-feira, 11 de NOVEMBRO de 2013

NEGÓCIO BILIONÁRIO

Mercado de cavalos se aquece com competições e leilões online No Brasil, o setor reúne 5 milhões de animais e movimenta cerca de R$ 12 bilhões por ano O crescimento do circuito de competições, aliado aos leilões pela internet e pela televisão, tem puxado os números do mercado de cavalos no país. Hoje, o setor no Brasil reúne 5 milhões de animais e movimenta mais de R$ 12 bilhões por ano. A avaliação é do pesquisador Roberto Arruda Souza e Lima, da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), da USP (Universidade de São Paulo). Na conta, estão incluídos a comercialização de animais e gastos que vão de alimentação a remédios. Apesar de 80% dos cavalos no país serem voltados para o trabalho no campo, afirma Lima, são os 20% dedicados a esporte e lazer que têm impulsionado o mercado. Segundo a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha, R$ 163,2 milhões foram faturados no ano passado somente com leilões de animais da raça, uma das mais difundidas no Brasil --são cerca de 370 mil cavalos. Com o mercado aquecido, animais chegam a ser arrematados por preços que beiram a casa dos milhões. “Neste ano, o maior preço pago por um cavalo [da raça quarto de milha] foi de R$ 930 mil”, afirma Wilson Dosso Jr., proprietário da WV Leilões, com sede na cidade de Lucélia, a 570 km de São Paulo. A WV responde por 60% dos leilões de cavalos da raça quarto de milha no país.

Concursos

As competições variam de região para região, e vão de corridas até disputas de

com as crias, já são mais de 30 animais, cuidados por três funcionários, numa área de 50 hectares. A expectativa é que, em cerca de três anos, o investimento comece a dar retorno.

Lucro

Com o mercado aquecido, animais chegam a ser arrematados por preços que beiram a casa dos milhões

beleza. Em provas chamadas de tambor, por exemplo, o cavalo montado tem que fazer um percurso em que dá a volta em três tonéis de um circuito em cerca de 18 segundos. Já em provas de baliza, o cavalo montado precisa ziguezaguear entre uma sequência de varetas fincadas no chão. Somente em prêmios para essas duas modalidades foram distribuídos R$ 5 milhões no Brasil em 2012, calcula a WV Leilões.

Criadores

O comprador e competidor hoje tem um perfil urbano; fez riqueza em setores como comércio e indústria, mas mantém um haras --como são chamadas as propriedades no campo destinadas à criação de cavalos-- e tem na criação

dos animais um hobby, afirma Dosso Jr., da WV Leilões. “O agricultor compra geralmente o cavalo para o trabalho, não para competir”, afirma. Fabíola Fagundes é uma das criadoras que ingressaram recentemente no setor. Sua família, dona da Fagundes Construção e Mineração, que aluga máquinas pesadas em seis Estados, começou a transformar o hobby de criação de cavalos num negócio há dois anos e meio. “O interesse comercial veio de carona com a paixão. Achamos o cavalo quarto de milha bonito, dócil, vimos ele valorizando e resolvemos investir”, diz ela. Cada um dos 14 cavalos que a família comprou para começar a criação custou cerca de R$ 200 mil. Hoje, contando

A média do valor da raça quarto de milha em leilões teve, neste ano, um crescimento de 12% sobre o mesmo período de 2012, em que o cavalo era arrematado por cerca de R$ 25 mil, segundo Dosso Jr., da WV Leilões. Em 2009, o preço médio do quarto de milha era de apenas R$ 16 mil --ou seja, de lá para cá, houve um aumento de 56%. As vendas também têm aumentado: em 2008, foram 2.520 animais comercializados pela WV e, em 2012, foram 3.000. A expectativa é que o crescimento em 2013 seja de 3% a 5% sobre os resultados do ano passado. Uma das raças mais importantes do país, o mangalarga marchador, com 575 mil animais registrados, também teve boa evolução em leilões nos últimos anos. Se em 2008 foram vendidos 2.000 cavalos, com faturamento de R$ 43 milhões, em 2012 o número saltou para 3.900 animais, e negócios de R$ 94 milhões. Com 312 mil animais no país, a raça de cavalos crioulos, muito popular na região Sul, também tem crescido. Segundo José Luiz Laitano, vicepresidente da associação brasileira de criadores dos cavalos crioulos, a raça tem mantido aumento de cerca de 15% ao ano nos últimos cinco anos.


Leilões&LICITAÇÕES

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C2

oportunidade

Leilão de bens de apartamentos decorados acontece em Curitiba Os leilões de bens de apartamentos decorados são uma opção econômica para quem precisa mobiliar, decorar ou equipar a casa. Os objetos são de ótima qualidade e os descontos podem ser de até 90%. Quem mora em Curitiba e região pode aproveitar um grande leilão que está aberto até 12 de novembro. Estão disponíveis eletrodomésticos, eletrônicos, móveis, itens de decoração e até mesmo peças de acabamento para quem está reformando ou construindo. Neste leilão de Curitiba dá para encontrar pechinchas como um guarda roupas com 4 portas de correr, sendo 2 espelhadas, que está com lance inicial de R$ 300; um home theater DVD Sony, R$ 80; um frigobar Consul, R$ 100; uma lava louças, R$ 150; uma cama box de solteiro, R$40; um jogo de 5 sousplat, 3 pratos e 3 tigelas, R$ 20. Para quem está reformando, por exemplo, é possível encontrar uma pedra com cuba e torneira Deca com lance inicial de R$ 60. Os leilões de bens de apartamentos decorados são um meio que as incorporadoras encontram para repassar ao consumidor objetos que foram utilizados para decorar o empreendimento que serve de modelo na hora de vender imóveis na planta. No início das obras, o apartamento decorado é desmontado e todos os itens vão para leilão e podem ser arrematados por valores bem abaixo dos praticados pelas lojas convencionais. Para a arquiteta design de interiores Ana Virginia Italiani, os objetos de apartamento decorado são de ótima qualidade, além de serem de fácil adaptação em qualquer ambiente. “Os apartamentos decorados são um cartão de visita para o empreendimento e para o arquiteto, por isso, é utilizado o que há de mais moderno, tanto em tecnologia e qualidade, quanto em conceito de decoração”, diz

Imagem Ilustrativa

Arremates são uma ótima opção para quem quer decorar, mobiliar ou equipar um imóvel

Estão disponíveis eletrodomésticos, eletrônicos, móveis, itens de decoração e até mesmo peças de acabamento

Ana Virginia. “Além disso, os profissionais optam por decorações neutras, o que facilita bastante para quem participa dos leilões, já que os itens se adaptam facilmente à casa de quem os arrematou”, analisa a arquiteta. A modalidade de leilões pela internet, como é o caso dos leilões de objetos de apartamentos decorados, tem caído no gosto dos brasileiros. Em 2012, os arremates em leilões cresceram 180% em comparação com o ano anterior. “O alto índice de crescimento reflete uma mudança no comportamento do consu-

midor”, comenta Carla Umino, leiloeira oficial da empresa. Antes, os consumidores realizavam verdadeiras sagas de loja em loja para fazer pesquisa de preços. “Mas esse hábito muda cada dia mais”, diz Carla. “As pessoas estão descobrindo que em leilões online os objetos são de qualidade e a economia, em muitos casos, é realmente impressionante”. Serviço: Data de fechamento do Leilão: 12 de novembro Visitação: os itens deste leilão estão

divididos em dois apartamentos decorados diferente. Sem necessidade de agendamento prévio, a visitação poderá ser realizada de 8 a 11 de novembro, das 10h às 15h, nos endereço: 1 – dos lotes 1 ao 190 e de 431 ao 487 estão disponíveis na Rua Amintas de Barros, 240 – Centro – Curitiba/ PR. 2 – dos lotes 191 ao 430 e de 491 ao 496 estão disponíveis na Rua Dr. Pedrosa, 151 – Centro –Curitiba/ PR. Para conhecer todos os itens disponíveis no leilão, acesse: http://lancetotal.com.br


Diário Indústria&Comércio

Leilões&LICITAÇÕES Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C3

Garagem 53m², Ed. Itatiba, Curitiba/PR. R$ 53.400,00 (Faça sua contraoferta) M. Benz C 200 K, ano 09/10, gas., aut., ar, bancos em couro, teto solar e air bag, prata. R$ 74.000,00 (Faça sua contraoferta) Fit LXL 1.4, ano 05, 04 portas, ar e vidros elétricos, preto, perfeito estado. R$ 21.800,00 (Faça sua contraoferta) Stilo 1.8, ano 08/09, flex, ar, vidros elétricos e rodas de liga leve, prata. R$ 20.000,00 (Faça sua contraoferta) Clio PRI 10 16VS, ano 03/04, gas., c/ vidros elétricos. R$ 16.000,00 (Faça sua contraoferta) Palio Weekend Stile, ano 97, gas., c/ ar e vidros elétricos, preto. R$ 10.700,00 (Faça sua contraoferta) Escort GL 16V F, ano 99/00, c/ ar e vidros elétricos. R$ 8.000,00 (Faça sua contraoferta)

www.leiloesjudiciais.com.br 0800-707-9272

EDITAL DE LEILÃO PARA ALIENAÇÃO EXTRAJUDICIAL DE BEM IMÓVEL Data, Horário e Local do primeiro leilão (art. 27 Lei 9.514/97): 18/11/2013 às 15:00h – Av. Marechal Floriano Peixoto, 886/896, Centro, Curitiba/PR Data, Horário e Local do segundo leilão (caso o bem não seja arrematado no primeiro leilão – art. 27, §1º Lei 9.514/97): 19/11/2013 às 15:00h – rua Emiliano Perneta, 736, Centro, Curitiba/PR Valor do Imóvel: R$ **** (***) – atualizado de acordo com a cláusula 21ª, item “a” da Escritura Pública de Compra e Venda com Alienação Fiduciária, avençada entre ASSET EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA., e FERNANDO SARAN SOLON, em 17/02/2011 e lavrada perante o 7º Tabelionato de Notas de Curitiba/PR, no livro 1848-n, fls. 152 a 158,, constante na matrícula nº 61.365 do Cartório de Registro de Imóveis da 2ª Circunscrição Imobiliária de Curitiba/PR. Valor do débito: R$ ********, incluído o valor da dívida, despesas e custas com intimação do devedor fiduciante, tributos, honorários advocatícios e contribuições condominiais, publicações de editais de leilão e comissão de leiloeiro (conforme demonstrativo, à disposição dos interessados, em posse do leiloeiro público). Condições de Pagamento: Em uma única parcela, à vista e em moeda nacional, devendo o valor integral do lance vencedor ser quitado em até 24h (vinte e quatro horas), contadas do dia e horário da arrematação do bem, ficando a quitação condicionada a compensação de eventual cheque emitido para pagamento. HELCIO KRONBERG, Leiloeiro Público Oficial devidamente matriculado perante a JUCEPAR sob o nº 653, e ADALBERTO SCHERER FILHO, leiloeiro público devidamente matriculado perante a JUCEPAR sob o nº 592, em cumprimento ao artigo nº 27 e demais dispositivos legais da Lei Federal nº 9.514/97, tornam pública a venda extrajudicial do seguinte imóvel: “Residência nº 2, integrante do CONDOMÍNIO VILLE LUMIERE, localizado na Av. Nossa Senhora da Luz, nº 1081, Bairro Hugo Lange, na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, com descrição e especificações constantes na matrícula nº 61.365, da 2ª Circunscrição Imobiliária de Curitiba/PR, livre e desembaraçado de quaisquer ônus. Taxa de Comissão de Leilão de 5% (cinco por cento) sobre o valor da arrematação, a ser paga, à vista, pelo arrematante/comprador, no ato do leilão. [Outras informações poderão ser obtidas através do telefone (41) 3233-1077

Oportunidades Confira abaixo alguns tipos de leilões e onde comprar: Leilão da Receita Federal Itens: videogames, notebooks, bebidas alcoólicas, aparelhos de telefone fixo e celular, automóveis novos, veículos antigos, caminhões, utensílios domésticos e até joias. Participantes: pessoa física ou jurídica Onde participar: endereços no site da Receita Federal. Como participar: é preciso um documento com foto e CPF. O pagamento é feito à vista e até o dia do vencimento do Darf (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) que será entregue ao consumidor no ato da arrematação. Leilão de Carros do Detran Itens: veículos em todos os estados de conservação. Participantes: pessoa física ou jurídica. Onde participar: Pátios de leilões e Detran Como participar: alguns leiloeiros não costumam exigir pré-cadastro. O pagamento deve ser à vista, em alguns casos com cheque administrativo ou depósito bancário. Imóveis da Caixa Econômica Federal Itens: casas, apartamentos e outros imóveis de diversos valores, vazios ou ocupados. Participantes: pessoa física ou jurídica que não estiver movendo ação judicial contra a Caixa, não tenha restrições cadastrais, não esteja inadimplente com a CEF, tenha renda compatível com o valor do imóvel em caso de financiamento e estar enquadrados nas regras do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) no caso de precisar dos recursos. Onde participar: é preciso ter um cadastro de interesse para que a CEF realize o contato. Na concorrência pública os lances são feitos em envelope lacrado. Como participar: concorrência pública - quando o imóvel é vendido para o interessado que apresentar em sua proposta a melhor oferta - ou venda direta - quando o imóvel é vendido ao primeiro interessado que apresentar proposta. Depósito caução de 5% do valor do imóvel para validar a proposta. Nos leilões os imóveis podem ser financiados. Joias penhoradas da Caixa Econômica Federal Itens: colares, anéis, brincos e outras joias. Participantes: pessoas físicas e jurídicas, que não precisam ser clientes do banco, desde que estejam em situação regular na Receita Federal. Onde participar: é preciso se cadastrar nas agências da CEF indicadas, obter uma senha que permitirá efetuar os lances em qualquer terminal de autoatendimento. Como participar: entrar em contato com um agente de penhor da CEF, apresentando original e cópia do documento de identidade, CPF e comprovante de residência. Você pode optar por fazer o pagamento integral ou o pagamento de sinal, correspondente ao valor mínimo de 20% (vinte por cento) do valor total dos lotes vencedores, acrescido dos 5% referentes à Tarifa de Licitação.


Leilões&LICITAÇÕES

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C4 EDITAL DE PRAÇA E LEILÃO

EDITAL DE PRAÇA E LEILÃO

O Doutor IRINEU STIN JUNIOR, Juiz de Direito da 3º Vara Cível do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, Estado Do Paraná, FAZ SABER a todos quantos virem o presente, ou dele conhecimento tiverem que nos autos abaixo descritos foram designados dia e hora para praça / leilão do bem penhorado, a ser realizado pelo Sr. Paulo Setsuo Nakakogue, Leiloeiro Oficial matriculado perante a Junta Comercial do Paraná sob o nº 625, como segue:

PAULO SETSUO NAKAKOGUE, Leiloeiro Público Oficial devidamente inscrito na JUCEPAR sob o nº 625, FAZ SABER a todos quantos virem o presente, ou dele conhecimento tiverem que, por ordem da Doutora ADRIANA AYRES FERREIRA, Juiza de Direito do 10º Juizado Especial Cível, Criminal e da Fazenda Pública do Foro Central, da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, Estado Do Paraná, nos autos abaixo descritos foram designados dia e hora para praça / leilão do bem penhorado, como segue:

1º Leilão: dia 26/11/2013 às 09h15min, ocasião em que será vendido por valor igual ou superior ao da avaliação. 2º Leilão: dia 06/12/2013 às 09h15min, no caso de não haver interessados na hasta anterior e será vendido pela melhor oferta, ressalvado os casos de preço vil, nos termos do artigo 692 do Código de Processo Civil. Local: Rua Senador Accioly Filho, 1625, bairro CIC, na cidade de Curitiba - Pr. Autos nº

0000885-59-2001.8.16.0001 (000394/2001-003ºC) AUTOS DE INSOLVÊNCIA

Autos nº 0000885-59-2001.8.16.0001 -03ª VARA CÍVEL Autor (CPF/CNPJ) MARCUS VINICIUS GOBBO – CPF 410.662.439-72 Adv. Autor Bernardo Procópio (OAB/PR 12.471) Fls 31/1840/1841; Administrador Judicial Emerson Raksa – CRC/PR 040.678/0-6 Depositário Fiel Depositário Público Fls 2020/2026/2027 Endereço da Guarda Av. Cândido de Abreu, 535 –Terreo-Ed. Montepar Curitiba-PR- fls 2026/2027 Auto Arrecadação – data/fls 28/04/2010 fls 2019/2020 Débito Primitivo - data/fls R$ 2.311.618,41 28/03/2001 fls 13 a 17 Avaliação Realizada - data/fls R$ 35.300,00 - 07/03/2012 fls 2051/2052 Qualificação do(s) Bem(ns) 01 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Claudia Guimarães, 40x40... R$ 1.500,00 02 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Boner, 40x50........................R$ 1.600,00 03 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Ricardo Krieger, 70x70........ R$ 2.000,00 04 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, João O. Brizinski, 50x70.......R$ 1.700,00 05 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, pintor não identificado, 50x70. R$ 1.700,00 06 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, James Christian, 50x70........R$ 1.700,00 07 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Dárcio Lima, 50x70..............R$ 1.700,00 08 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Márcio A. Karistina, 54x65...R$ 1.600,00 09 – Quadro com moldura tinta sobre tela de, Osmar Cromiec, 65x81.........R$ 1.900,00 10 – 3 quadros (1 sem moldura) tinta sobre tela de,Waleska Appel, 70x50...R$ 1.700,00 11 – 3 quadros sem moldura tinta sobre tela de,Douglas Krieger, 50x70 ...R$ 1.700,00 12 – 4 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Douglas Krieger, 50x70...R$ 1.700,00 13 – Quadro sem moldura tinta sobre tela de, Ricardo Carneiro, 40x50.......R$ 1.600,00 14– Quadro sem moldura tinta sobre tela de, Loris Foggiatto , 46x52.........R$ 1.600,00 15 – 7 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Regina Sorbello, 50x50....R$ 1.600,00 16 – Quadro sem moldura tinta sobre tela de, Waleska Appel, 50x70 ......R$ 600,00 17 – 8 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Douglas Krieger, 50x70....R$ 3.400,00 18 – 8 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Regina Sorbello, 50x50 .R$.1.900,00 19 – 5 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Douglas Krieger, 50x70 R$ 1.700,00 20 – 4 quadros sem moldura tinta sobre tela de, Rodolir Krambeck, 100x15 .R$ 800,00 21 – Escultura com 0,30m em metal, de bronze ou cobre, base em granito...R$ 800,00 22 – Escultura com 25 cm de bronze ou metal, Européia, pedestal solto........R$ 800,00 TOTAL....................................................................................................R$ 35.300,00 Através deste edital ficam intimados as partes (C.P.C. Art. 687 e Art 3º da Lei de Introdução do Código Civil Brasileiro) (Art. 1501 do Código Cível Brasileiro), os arrematantes e terceiros interessados.. Os bens móveis e imóveis serão leiloados no estado de conservação em que se encontram, não cabendo reclamações, desistências, cancelamento ou devoluções. Nos imóveis a venda é “ad-corpus”; As IMAGENS no SITE e INFORMES PUBLICITÁRIO são de caráter secundário e efeito estritamente ilustrativo; A título de Honorários do Leiloeiro, serão devidos os seguintes valores: a) no caso de arrematação o percentual de 5% sobre o valor do arremate, a ser arcado pelo arrematante; b) no caso de Adjudicação, o percentual de 2% sobre o valor da avaliação, a ser pago pelo exequente; c) no caso de remição ou acordo o percentual de 2% sobre o valor da avaliação, a ser pago pelo executado, quais são devidos pelo simples ATO PRATICADO (Decreto Federal nº 21.981/32), assumindo o arrematante, o adjudicante, o remitente, as partes e terceiros interessados o ônus desta despesa; Ainda, é de total responsabilidade dos Arrematantes o pagamento de TODOS os ônus e impostos, tais como ICMS, ITBI e outros que incidam sobre a venda; Poderá ser registrado na Certidão de Praça e Leilão, o último e o penúltimo Lançador do Leilão; se o último não cumprir as formalidades legais, o penúltimo poderá ser chamado, a critério do Juízo, desde que o mesmo cumpra as condições do último lançador; Erratas, ônus, Despesas informadas e anunciadas antes da Hasta Pública integram o Edital de Leilão, Os participantes do Leilão estarão sujeitos ao Artigo 335 do CPC, contra aqueles que impedirem, perturbarem, fraudarem,afastarem ou procurarem afastar licitantes por meios ilícitos, com os agravantes dos crimes praticados contra a ordem pública e violência; Ficam intimada(os) as(os) executada(os) de que o prazo para apresentação de quaisquer medidas processuais contra os atos de expropriação como embargos ou recursos começará a fluir após a realização da Hasta Pública, Independentemente de nova Intimação e de que poderá remir a execução pagando o principal e acessórios, até antes da arrematação e/ou adjudicação (art. 651 do CPC), e que as hastas públicas somente serão suspensas com a comprovação tempestiva do pagamento de todos os valores devidos, inclusive despesas do Sr. Leiloeiro para a realização dos atos. Caso os Exequentes, Executados, Sócios/Equiparados (art. 687, § 5º do CPC) e Cônjuges, bem assim os credores hipotecários não sejam encontrados ou cientificados, por qualquer razão, da data de Praça e Leilão, valerá o presente Edital de Intimação de Praça e Leilão. Se, por justo motivo, o ato não se realizar nas datas aprazadas, terá lugar no primeiro dia útil seguinte, nos mesmos horários. E para que chegue ao conhecimento dos interessados e não possam, de futuro, alegar ignorância, mandou expedir o presente que será afixado no local de costume, na forma da lei. Eu, (a) PAULO SETSUO NAKAKOGUE, Leiloeiro Oficial o fiz digitar e subscrevi. Curitiba, 29 de NOVEMBRO de 2013 PAULO SETSUO NAKAKOGUE Leiloeiro Publico Oficial Matr. 625 – JUCEPAR - CPF nº 041.278.549-87 (41) 8417-6000 – (41) 3323-3030

1º Leilão: dia 26/11/2013 às 09h15min, por valor igual ou superior ao da avaliação, sendo que caso não hajam interessados, será realizado novo leilão em ato contínuo, podendo ser vendido pela melhor oferta, ressalvado os casos de preço vil, nos termos do artigo 692 do Código de Processo Civil.. 2º Leilão: dia 06/12/2013 às 09h15min, por valor igual ou superior ao da avaliação, sendo que caso não hajam interessados, será realizado novo leilão em ato contínuo, podendo ser vendido pela melhor oferta, ressalvado os casos de preço vil, nos termos do artigo 692 do Código de Processo Civil Local: Rua Senador Accioly Filho, 1625 - Ctba, Pr. Autos nº 0000710-33.2012.8.16.0178 Indenização por Dano Material Autos nº 0710-33.2012.8.16.0178 -10ªJUIZADO ESPECIAL CÍVEL Exequente/Autor Maria Antonia de Oliveira Hoenig (CPF 014.433.319-88) fls. 06 Executado(a)/ré Aliança Distribuidora de Produtos Eletrodoméstico Ltda (CNPJ 82.481.607/0003-67) Adv. Executada Nívia Aparecida Hanthorne Silva Nita (OAB/PR 28.917) e Adam William Raphael Martins (OAB/PR 59.064); fls 31 e 120 Endereçoda Executada Av. República Argentina, 4125 – Sobre Loja , Novo Mundo - Curitiba-PR Depositário Fiel Adam William Raphael Martins–(Advogado da empresa OAB/PR 59.064) Endereço da Guarda Av. República Argentina, 4125-Sobre Loja , Novo Mundo Curitiba-PR Penhora realizada–data/fls 03/07/2013 – fls. 210 Débito Atualizado - data/fls R$ 5.781,75 até 13/02/2013 – fls 139 Qualificação do(s) Bem(ns) 01: ................................................................ R$ 4.900,00 Estofado de dois lugares Chess esquerdo Marca Araflex/Vitalli com 3,40m de comprimento referência Linha 7/4059; Qualificação do(s) Bem(ns) 02: ................................................................... R$ 2.181,74 01 (um) Balcão modelo Pelinson, Marca Lugano em madeira cor castanha, medindo 1,80m de comprimento, referência 4003; Total ..............................................................................................................R$ 7.081,74 Avaliação Realizada - data/fls R$ 7.081,74 – em 03/07/2013– fls 209/210 Através deste edital ficam intimados as partes (C.P.C. Art. 687 e Art 3º da Lei de Introdução do Código Civil Brasileiro) (Art. 1501 do Código Cível Brasileiro), os arrematantes e terceiros interessados.. Os bens móveis e imóveis serão leiloados no estado de conservação em que se encontram, não cabendo reclamações, desistências, cancelamento ou devoluções. Nos imóveis a venda é “ad-corpus”; As IMAGENS no SITE e INFORMES PUBLICITÁRIO são de caráter secundário e efeito estritamente ilustrativo; Sobre o Valor da arrematação incidirá o percentual de 5% a ser arcado pelo arrematante, à titulo de pagamento dos honorários do leiloeiro, quais são devidos pelo simples ATO PRATICADO (Decreto Federal nº 21.981/32), assumindo o arrematante, o adjudicante, o remitente, as partes e terceiros interessados o ônus desta despesa; No caso de adjuducação, remição ou transação das partes será devido ao Leiloeiro o valor de 1% (um por cento) sobre o laudo da avaliação para cobrir despesas na preparação da praça e remunerar os serviços prestados, devidos pelo executado. Ainda, é de total responsabilidade dos Arrematantes o pagamento de TODOS os ônus e impostos, tais como ICMS, ITBI e outros que incidam sobre a venda; Poderá ser registrado na Certidão de Praça e Leilão, o último e o penúltimo Lançador do Leilão; se o último não cumprir as formalidades legais, o penúltimo poderá ser chamado, a critério do Juízo, desde que o mesmo cumpra as condições do último lançador; Erratas, ônus, Despesas informadas e anunciadas antes da Hasta Pública integram o Edital de Leilão, Os participantes do Leilão estarão sujeitos ao Artigo 335 do CPC, contra aqueles que impedirem, perturbarem, fraudarem,afastarem ou procurarem afastar licitantes por meios ilícitos, com os agravantes dos crimes praticados contra a ordem pública e violência; Ficam intimada(os) as(os) executada(os) de que o prazo para apresentação de quaisquer medidas processuais contra os atos de expropriação como embargos ou recursos começará a fluir após a realização da Hasta Pública, Independentemente de nova Intimação e de que poderá remir a execução pagando o principal e acessórios, até antes da arrematação e/ou adjudicação (art. 651 do CPC), e que as hastas públicas somente serão suspensas com a comprovação tempestiva do pagamento de todos os valores devidos. Caso os Exequentes, Executados, Sócios/Equiparados (art. 687, § 5º do CPC) e Cônjuges, bem assim credores hipotecarios não sejam encontrados ou cientificados, por qualquer razão, da data de Praça e Leilão, valerá o presente Edital de Intimação de Praça e Leilão. Será possível a arrematação em prestações (máximo de 6 prestações mensais do remanescente), desde que apresentada a proposta por escrito, não inferior ao laudo de avaliação e, ainda, com oferta já na proposta de pelo menos 30% à vista com devido comprovante de depósito judicial. E para que chegue ao conhecimento dos interessados e não possam, de futuro, alegar ignorância, mandou expedir o presente que será afixado no local de costume, na forma da lei. Eu, (a) PAULO SETSUO NAKAKOGUE, Leiloeiro Público Oficial o fiz digitar e subscrevi. Curitiba, 24 de maio de 2013. PAULO SETSUO NAKAKOGUE Leiloeiro Publico Oficial Matr. 625– JUCEPAR - CPF nº 041.278.549-87 (41) 8417-6000 – (41) 3323-3030


DiĂĄrio IndĂşstria&ComĂŠrcio

Leilþes&LICITAÇÕES Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Påg. C5

       

                     !" #               !   $

            ! " #    $ %  

 !  & '(    ( ($  


Leilões&LICITAÇÕES

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C6

Dívida paga

Sem arremate, leiloeiro não recebe por prestação de serviços Quando um leilão termina sem a arrematação do bem e não há previsão expressa em contrato, o leiloeiro responsável deve receber apenas valor equivalente aos anúncios, à guarda e conservação do que lhe for entregue. Assim, se o devedor quita o débito e o procedimento não é concluído, o leiloeiro não deve receber qualquer valor a título de prestação de serviços. Este foi o entendimento da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, que rejeitou Recurso Especial de um profissional do Rio de Janeiro. Como o REsp foi ajuizado pelo leiloeiro e seu julgamento não pode prejudicar o recorrente, os ministros mantiveram

decisão que fixou o pagamento do leiloeiro em 2,5% sobre o valor do débito. Relator do caso, o ministro Luis Felipe Salomão afirmou que a regra é o valor da arrematação ser utilizado como base de cálculo, cabendo ao arrematante fazer o pagamento, como prevê o artigo 705 do Código de Processo Civil. Ele citou também o Decreto 21.981/1932, que regula a profissão de leiloeiro e prevê que a remuneração seja fixada com base no que consta do contrato. Se não há qualquer disposição sobre isso no acordo, é adotada taxa de 5% sobre móveis, semoventes, mercadorias, joias e outros, e de 3% sobre bens imóveis, segundo Salomão. De acordo

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO VARA DO TRABALHO DE JACAREZINHO RUA DOM FERNANDO TADDEI, 1636, 86400-000, (043)527-1548 e-mail: vdt01jzo@trt9.gov.br EDITAL DE LEILÃO Nº 04/2013 (RESUMO) A Dra. SANDRA CRISTINA ZANONI CEMBRANELI CORREIA, Juíza Titular de Vara do Trabalho, em exercício na Vara do Trabalho de Jacarezinho-PR, FAZ SABER que na data, local e horário abaixo, serão levados à PRAÇA/LEILÃO os bens relacionados no presente edital. PRAÇA/LEILÃO : 26 DE NOVEMBRO DE 2013, ÀS 09:30 HORAS LOCAL : ACIJA (Associação Comercial e Industrial de Jacarezinho) ENDEREÇO : Rua Dr. Heráclio Gomes, 732, centro Jacarezinho/ PR LEILOEIRO : PAULO SETSUO NAKAKOGUE 1) PROCESSO: 00465/2013-017-09-00-6 exequente : ELIAS DOS SANTOS DE CARVALHO EXECUTADO :ACIR MAGOS SALDANHA Bem: Dois alqueires paulistas de terra nua, equivalente a 4,44% do imóvel agrícola denominado Fazenda São João, no Bairro Ouro Grande, no Município e Comarca de Jacarezinho, com área total de 45 alqueires paulistas, com as medidas e confrontações constantes na matrícula 158 do Cartório de Registro de Imóveis de Jacarezinho” Ônus: A cota parte penhora se refere a parte pertencente ao executado ACIR MAGOS SALDANHA e já está penhorada também no autos 1441/2012. Depositário: Acir Magos Saldanha Avaliação: R$ 60.000,00 (sessenta mil reais). As partes ficam cientes de que o prazo para quaisquer medidas processuais contra os atos de expropriação, como embargos ou recursos, começará a fluir cinco dias após a realização do leilão, independentemente de nova intimação, bem como de que, sendo negativo o leilão, desde já fica autorizado o Leiloeiro Oficial a proceder à venda direta dos bens, nas mesmas condições estabelecidas para o leilão, pelo prazo de 90 (Noventa) dias. PROCESSO: 00602-2012-017-09-00-1 exequente: FRANCIELE DA SILVA EXECUTADOS:PRENORTE – PRE MOLDADOS NORTE DO PARANÁ LTDA. - ME Bens: 1) Quatro pilares de concreto com capitel trapezoidal reforçado, seção 21 x 21 cm, avaliados em R$1.000,00 cada, totalizando R$4.000,00; 2) Quatro vigas de pórtico, seção T, inércia variável para vão livre de quinze metros, beiral 0,50 cm, avaliadas em R$1.750,00 cada, totalizando R$7.000,00; 3) Trinta terças de concreto, alma vazada em concreto, avaliadas em R$100,00 cada, totalizando R$3.000,00; 4) Quatro ligações metálicas e tirantes de pórtico, avaliadas em R$250,00 cada, totalizando R$1.000,00. Ônus: Nada consta. Depositário: Andréia Cristina Mendes Avaliação: R$ 15.000,00 (quinze mil reais). 2) PROCESSO: 00996-2011-017-09-00-7 exequente: maria aparecida mazzo cason EXECUTADOS: lanchonete ucha ltda. E OUTROS (3) Bens: 1) Uma geladeira Dako Duo, turbo frio, 455 litros, avaliada em R$ 1.000,00; 2) Um refrigerador CCE Duplo, 360 litros, avaliado em R$ 1.000,00; 3) Uma geladeira de balcão, avaliada em R$ 1.500,00; 4) Um forno microondas, marca Panasonic, family Plus, avaliado em R$ 300,00; 5) Um forno elétrico Ginscher, avaliado em R$400,00; 6) Um fogão de quatro bocas, marca continental, 2001, avaliado em R$ 500,00; 7) Dois espremedores de laranjas, industrial, avaliados em R$ 920,00, os dois; 8) Dois liquidificadores industriais, com capacidade para

com o ministro, o decreto também delega a quitação do valor ao comprador e prevê o cálculo com base no valor do bem arrematado. No caso em questão, continua ele, a dívida foi remida logo após a primeira praça — antes da conclusão do pregão — e o leilão foi condicional, consequência do devedor ter pedido o cancelamento do leilão de forma prévia. Como aponta a decisão, o juízo responsável pela causa autorizou o leilão “de forma condicional, dando ciência aos eventuais interessados da expedição de guia para pagamento do débito nesta data”. O edital não continha nenhuma previsão sobre a comissão devida caso o leilão fosse suspenso ou

cinco litros cada um, avaliados em R$ 1.400,00, os dois; 9) Um fogão industrial de seis bocas-chapa-forno, avaliado em R$ 1.500,00; 10) Duas fritadeiras elétricas industrias Tedesco, avaliadas em R$ 2.000,00, as duas; 11) Um freezer horizontal pequeno marca Eletrolux, avaliado em R$500,00; 12) Dois freezer horizontais médios marca Eletrolux, avaliados em R$ 2.000,00, os dois; 13) Uma refresqueira, marca Universal, duas cubas, avaliada em R$2.000,00; 14) Duas refresqueiras, marca IBBL, duas cubas, avaliadas em R$ 4.000,00, as duas; 15) Uma geladeira, vertical, vitrine para refrigerante, avaliada em R$ 4.000,00; 16) Uma lava louças grande, marca Brastemp, super automática, três ciclos, avaliada em R$ 1.000,00; 17) Uma estufa, com dez assadeiras para salgados, inóx, curvada, avaliada em R$ 1.000,00; 18) Uma estufa, com cinco assadeiras, inox, avaliada em R$ 400,00; 19) Uma estufa com dez assadeira para salgados, inóx, quadrada, avaliada em R$ 1.500,00; 20) Um expositor geladeira, pequeno, marca Marinox, avaliado em R$ 4.000,00; 21) Um aparador para expor alimentos, quente e frio, marca Incomar, inox, chapa grossa, avaliado em R$ 20.000,00; 22) Duas chapas industriais de quatro bicos, avaliadas em R$3.000,00, as duas; 23) Uma chapa industrial de dois bicos, avaliada em R$ 800,00; 24) Uma chapa industrial de um bico, avaliada em R$ 400,00; 25) Um armário compensado de duas portas de 78 cm de largura por 1,60 metros comprimento, avaliada em R$ 400,00; 26) Um espremedor de batatas, industrial, avaliado em R$400,00; 27) Uma prateleira de ferro, com cinco prateleiras, avaliada em R$300,00; 28) Vinte e três mesas de plástico, avaliadas em R$ 1.035,00, as vinte e três; 29) Noventa e duas cadeiras de plástico, avaliadas em R$ 4.140,00, as noventa e duas; 30) Uma cozinha planejada com cinco peças, avaliadas em R$ 5.000,00; 31) Uma chocolateira, marca IBBL, Avaliada em R$ 1.800,00; 32) Um forno industrial para pizza, com dois compartimentos, avaliado em 5.000,00; 33) Uma máquina para misturar massa cozida, com capacidade para quinze litros, avaliada em R$ 1.800,00; 34) Uma fatiadeira de frios, avaliada em R$ 1.500,00; 35) Uma televisão, marca Semp Toshiba, 14 polegadas, avaliadas em R$ 400,00; 36) Uma televisão, marca Sony, 14 polegadas, avaliadas em R$ 400,00; 37) Seis saladeiras, grandes, inox, avaliadas em R$ 900,00, as seis; 38) Seis richaud a seco, avaliados em R$ 1.200,00, os seis; 39) Cinco richaud, grande, inóx, banho maria, avaliados em R$ 5.000,00, os cinco; 40) Quatrocentos e setenta e oito taças para coquetel, avaliados em R$ 1.912,00, as quatrocentos e setenta e oito; 41) Cento e cinquenta copos de whisk, avaliados em R$ 1.200,00, os cento e cinquenta; 42) Oitenta e quatro taças de licor, avaliadas em R$ 336,00, as oitenta e quatro; 43) Noventa e cinco taças para refrigerantes, avaliadas em R$ 570,00, as noventa e cinco; 44) Cento e cinquenta e três taças de champagne, avaliadas em R$1.071,00, as cento e cinquenta; 45) Duzentas e dez facas simples, avaliadas em R$ 1.470,00, as duzentas e dez; 46) Duzentas e quarenta e uma facas maciças de inox, avaliadas em R$2.892,00, as duzentas e quarenta e uma; 47) Duzentos e onze garfos simples, avaliados em R$ 1.477,00, os duzentos e onze; 48) Trezentos e vinte e sete garfos maciços, inox, avaliados em R$ 3.924,00, os trezentos e vinte e quatro, 49) Duzentos e trinta e sete colheres de sobremesa, avaliados em R$ 1.185,00, as duzentos e trinta e sete; 50) Oitenta e quatro colheres de sopa, avaliadas em 840,00, as oitenta e quatro; 51) Quatrocentos e sessenta e quatro garfos de sobremesa, avaliados em 2.320,00, os quatrocentos e sessenta e quatro; 52) Oito botijões de gás, branco, logotipo supergasbrás, avaliados em 360,00, os oito; 53) Quatro assadeiras de bolo, grandes, redondas, avaliadas em R$ 40,00, as quatro; 54) Dezenove assadeiras de bolo, médias, redondas, avaliadas em R$190,00, as dezenove; 55) Onze assadeiras de bolo, pequenas, redondas, avaliadas em R$ 88,00, as onze; 56) Vinte e seis assadeiras de bolo, mini, redondas, avaliadas em R$ 208,00, as vinte e seis; 57) Dezessete assadeiras de pizza, média, redondas, avaliadas em R$ 170,00, as dezessete; 58) Dezenove assadeiras de pizza, médias, redondas, avaliadas em R$ 190,00, as dezenove; 59) Onze assadeiras e pizza, pequenas redondas, avaliadas em R$ 77,00, as onze; 60) Nove assadeiras de pizza, mini, redondas, avaliadas em R4 54,00, as nove; 61) Vinte assadeiras de pudim, avaliadas em R$ 360,00, as vinte; 62) Quatro assadeiras de bolo em formato de coração, avaliadas em R$ 40,00, as quatro; 63) Trezentos e trinta e dois cobre manchas, de seda, avaliados em R$ 4.980,00 os trezentos e trinta e dois; 64) Trezentos e setenta e duas capas de encosto de cadeira simples, avaliados em R$ 2.976,00, as trezentos e setenta e duas; 65) Quatrocentos e sessenta capas de encosto de cadeira, com babado, avaliados em R$ 1.840,00, as quatrocentos e sessenta; 66) Dez laços de banco de seda, avaliados em R$ 150,00, os dez; 67) Quatorze cortinas pé de mesa, avaliados emR$210,00, as quatorze; 68) Duas toalhas de mesa, de seda, avaliadas em R$ 120,00, as duas; 69) Trezentos e quarenta e um pratos brancos, avaliados em R$ 3.751.00, os trezentos e quarenta e um; 70) Quatro-

anulado e, assim, não seria devido qualquer pagamento por conta da prestação de serviços, disse o ministro. O leiloeiro questionava decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que decidiu pelo pagamento ao leiloeiro mesmo com a remição da dívida, mas limitou o montante a 2,5% sobre o valor do débito, e não sobre as avaliações, como pedia ele. Segundo o TJ-RJ, o valor do débito permitiria o cálculo de um pagamento razoável ao profissional, mas o cálculo com base nas avaliações garantiria a ele um valor desproporcional ao trabalho, visto que as análises chegaram a R$ 19 milhões. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

centos e sete pratos, brancos, para sobremesa, avaliados em R$ 2.442,00, os quatrocentos e sete; 71) Vinte toalhas de mesa, de seda rosa, avaliados em R$ 500,00, as vinte; 72) Oitenta toalhas brancas, para mesas redondas, avaliadas em R$1.600,00, as oitenta. Ônus: Nada consta. Depositário: Carlos Magno Moraes Freire Avaliação: R$ 123.900,00 (cento e vinte e três mil e novecentos reais). 3) PROCESSOS: 00980-2001-017-09-00-2 exequente: NOEL DANIEL LOPES EXECUTADO: LOURIVAL FIATES E OUTROS Bem: Um prédio de tijolos, coberto de telhas, contendo 248,17 metros quadrados de área construída (AV.4/797), sob número 930, situado na Avenida Manoel Ribas, na cidade de Jacarezinho, Estado do Paraná e seu respectivo terreno próprio, que mede 700,00 metros quadrados, ou seja, 20 metros de frente por 35 metros da frente aos fundos, com as medidas e confrontações constantes da matrícula 797 do CRI de Jacarezinho, Estado do Paraná. Ônus: PENHORA nos autos 526/2001, em trâmite nesta Vara do Trabalho. Depositário: Lourival Fiates Avaliação: R$470.000,00 (quatrocentos e setenta mil reais). 4) PROCESSO:01887-2010-017-09-00-6 exequente: RICARDO BARBOSA BATISTA EXECUTADO: USINA CAMBARÁ S.A. – BIOENERGÉTICA E OUTROS Bem: Um imóvel agrícola situado no bairro Fazenda São Judas Tadeu, localizado em Cambará/PR, com a área de cinco alqueires e trinta e seis milésimos de alqueire (5,036), denominado Sítio Alves, sem benfeitorias, confrontando pela cabeceira com propriedade de Manoel Medeiros de Araújo, de um lado com Anísio Ugucioni, de outro lado com Antonio Casquel, e finalmente nos fundos com Antonio Iamamoto. Ônus: HIPOTECA CEDULAR DE 1º GRAU em favor de Banco do Brasil S/A conforme R.07; HIPOTECA CEDULAR DE 2º GRAU em favor de Banco do Brasil S/A conforme R.08; HIPOTECA CEDULAR DE 3º GRAU em favor de Banco do Brasil S/A conforme R.09; PENHORA nos autos da Ação de Execução Fiscal nº 63/1998, movida pela Fazenda Nacional, em trâmite na Justiça Estadual da cidade de Cambará/PR conforme R.10; PENHORA nos autos da Ação Civil Pública nº 1976/96, em trâmite na Vara do Trabalho de Jacarezinho, movida por Ministério Público do Trabalho da 9ª Região, conforme R.11; TERMO DE ARROLAMENTO DE BENS E DIREITOS -TAB conforme Ofício nº 491 expedido pela Delegacia da Receita Federal do Brasil – Previdência de Londrina/ PR conforme Av.12; TERMO DE ARROLAMENTO DE BENS E DIREITOS -TAB conforme Ofício nº 0225/2000 expedido pelo INSS – Gerência Executiva em Londrina/PR conforme Av.13; TERMO DE ARROLAMENTO DE BENS E DIREITOS -TAB conforme Ofício nº 1774/06/DRF/LON/GAB/CR expedido pela Delegacia da Receita Federal em Londrina/PR, extraído do Processo Administrativo Fiscal (PAF) nº 11.634.000637/2006-60 conforme Av.14; PENHORA nos autos da EPA nº 0135/2008, em trâmite nesta Vara do Trabalho conforme R.15; PENHORA nos autos da Ação de Execução Fiscal nº 063/1998, movida pela Fazenda Nacional, em trâmite na Justiça Estadual da cidade de Cambará/PR, conforme R.16; PENHORA nos Autos de Execução Fiscal nº 038/2007 movida pela Fazenda Nacional, em trâmite na Justiça Estadual da cidade de Cambará/PR, conforme R. 17; PENHORA de cota parte ideal de 70% nos autos da Execução Fiscal nº 005/1998, movida por Fazenda Nacional em trâmite na Vara do Trabalho de Jacarezinho/PR conforme R.18; PENHORA nos autos da Reclamação Trabalhista nº 303/2008, em trâmite na Vara do Trabalho de Jacarezinho/PR conforme R.19; PENHORA nos autos de Embargos à Execução nº 127/1999 movida pela União Federal, em trâmite na Justiça Estadual de Cambará/PR, conforme R.20; TERMO DE ARROLAMENTO DE BENS E DIREITOS (TAB) de conformidade com o Ofício Gab nº 298, expedido pela Receita Federal do Brasil em Londrina/ PR, datado de 25/06/2013, extraído do Processo Administrativo Fiscal (PAF) nº 11634.720.374/2013-38 conforme Av.21. OBSERVAÇÃO: o bem acima garante, também, as execuções nos autos das Reclamações Trabalhistas nºs 1973/2010, 1974/2010, 1977/2010 e 1978/2010 todas em trâmite na Vara do Trabalho de Jacarezinho/PR. Depositário: Adalgiso Antonio Silva Casquel Avaliação: 302.160,00 (trezentos e dois mil cento e sessenta reais).


Diário Indústria&Comércio

Leilões&LICITAÇÕES Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C7

CARTA PRECATÓRIA Nº 5001694-91.2011.404.7013/PR AUTOR : UNIÃO - ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO RÉU : JOEL DE SOUZA AZEVEDO RÉU : SIDNEI LAMIM DE ANDRADE ADVOGADO : RODRIGO GUIMARÃES EDITAL N.º 7658754 Afixado em: ___/___/_____ O DOUTOR ROGÉRIO CANGUSSU DANTAS CACHICHI, Juiz Federal da 1ª Vara Federal desta Subseção Judiciária de Jacarezinho, Seção Judiciária do Estado do Paraná, na forma da lei, FAZ SABER a todos quantos virem o presente edital ou dele tiverem conhecimento, que será(ão) leiloado(s) o(s) bem(ns) de propriedade do(s) executado(s) penhorado(s) nos autos supracitados, na forma seguinte: 1º Leilão: dia 12 (doze) de novembro de 2013, às 9:15 horas, por lanço igual ou superior ao da (re)avaliação. 2º Leilão: dia 26 (vinte e seis) de novembro de 2013, às 9:30 horas, pelo maior lanço, desde que não inferior a 50% do valor da (re) avaliação. Leiloeiros: PAULO ROBERTO NAKAKOGUE e PAULO SETSUO NAKAKOGUE (Fones: 43-4052-9625 e 41-33233030) Local do leilão: ACIJA - Associação Comercial e Empresarial de Jacarezinho, localizada na Rua Heráclito Gomes, 732, Centro, em Jacarezinho/PR. Endereço do Juízo: Rua Paraná, nº 833, Centro, Jacarezinho/PR. Valor do débito: R$ 2.186,13 (dois mil, cento e oitenta e seis reais e treze centavos), atualizado até dezembro/2010. Descrição do(s) bem(ns): 01 (um) veículo GM/CELTA 4P LIFE, placa AQB-0428, ano fabricação/modelo 2008/2009, Renavam 96.514045-8, movido a alcool/gasolina. Valor da (re)avaliação: R$ 18.000,00 (dezoito mil reais)-(evento 65). Depositário(a): Sidnei Lamin de Andrade, CPF nº 539.899.539-15 Endereço de localização do bem: Chácara Boa Esperança, Bairro Belo Horizonte, depois da Vila Rosa, Jacarezinho-PR e/ou Uningá - Maringá/PR. Ônus: Débitos junto ao DETRAN/PR: IPVA/2013 no valor de R$ 301,44; IPVA anteriores, parcelamento em 22/10/2013, R$ 515,20; Multas obrigatórias no valor de R$ 383,08. Ações/Recursos pendentes: não há. INFORMAÇÕES GERAIS E INTIMAÇÕES: (1) Fica pelo presente devidamente intimada a parte executada, bem como os terceiros interessados, da designação supra e para, querendo, acompanhá-la, se não tiverem sido encontrados quando da realização da intimação pessoal. (2) Serão admitidos lances virtuais por intermédio do portal eletrônico www.brleilões.com.br, ficando os lançadores cientes de que estarão vinculados às mesmas normas processuais e procedimentais destinadas aos lançadores presenciais, inclusive quanto à responsabilidade cível e criminal. (3) Os licitantes ficam cientes de que serão observadas as seguintes condições: a) todas as pessoas físicas que estiverem na livre administração de seus bens e todas as pessoas jurídicas regularmente constituídas poderão participar do leilão, excetuando-se: (i) os incapazes; (ii) os tutores, curadores, testamenteiros, administradores, síndicos/administradores judiciais ou liquidantes, quanto aos bens confiados a sua guarda e responsabilidade; (iii) os mandatários, quanto aos bens de cuja administração ou alienação estejam encarregados; e (iv) Juiz atuante no feito, membro do Ministério Público e da Defensoria Pública, escrivão e demais servidores e auxiliares da Justiça (artigo 690-A do CPC); b) a venda será à vista, ou a prazo de 15 (quinze) dias mediante caução idônea, conforme disposições abaixo, não sendo aceito lanço por preço vil; c) na hipótese de pagamentos não efetuados no ato do leilão ou no prazo estabelecido, o(s) arrematante(s) faltoso(s) incorrerá(ão) nas penalidades da lei, que prevê, no caso de inadimplência, a denúncia criminal e a execução judicial contra o mesmo, além de perda da comissão do leiloeiro (Art. 39 do Decreto 21.981/32 e art. 23, § 2º da Lei de Execução Fiscal - LEF) e da caução em favor do exequente, voltando os bens a novo leilão, do qual não poderá participar o arrematante e o fiador remisso (art. 695 do CPC); d) sobre o valor arrematado fica arbitrada a comissão de leiloeiro no percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor da arrematação; e) os arrematantes recolherão, ainda, as custas de arrematação no percentual de 0,5% (meio por cento) sobre o valor da arrematação, sendo o mínimo de R$ 10,64 (dez reais e sessenta e quatro centavos) e o máximo de R$ 1.915,38 (um mil, novecentos e quinze reais e trinta e oito centavos); f) em caso de adjudicação, pagamento ou parcelamento do débito após a designação do leilão, a parte executada deverá pagar 1,5% sobre o valor atribuído ao(s) bem(ns) na (re)avaliação, a título de ressarcimento das despesas do leiloeiro; g) caso o valor do(s) bem(ns) penhorado(s) não exceda 60 vezes o valor do salário mínimo vigente na data da avaliação, o preço da arrematação não será inferior ao da (re)avaliação. Nos demais casos, quando do segundo leilão, não serão deferidos lances inferiores a 50% (cinquenta por cento) do valor atribuído ao bem na avaliação/reavaliação; h) fica assegurado o direito de visitação dos bens pelos interessados nos locais em que se encontrarem antes dos dias marcados para os leilões; i) é atribuição dos licitantes verificar o estado de conservação, situação de posse e especificações do(s) bem(ns) oferecido(s) no leilão, haja vista que serão objeto de alienação no exato estado de conservação em que efetivamente se encontrem; j) quaisquer ônus que recaiam sobre o bem arrematado ficam a cargo do arrematante; k) em caso de arrematação de bem imóvel, para expedição da respectiva carta, deverá o arrematante comprovar o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis - ITBI, a teor do inciso II do artigo 703 do Código de Processo Civil; l) o arrematante de imóvel deverá, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data da entrega da Carta de Arrematação, comprovar nos autos o registro da venda judicial na matrícula do bem e, se for o caso, apresentar o comprovante de formalização do parcelamento junto ao credor; m) o arrematante de veículo deverá, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data da entrega da carta de arrematação, efetuar junto ao órgão competente de trânsito a devida transferência do bem e, se for o caso, apresentar o comprovante de formalização do parcelamento junto ao credor; n) a retirada de bens móveis arrematados dos locais em que se encontrem será de total responsabilidade dos arrematantes, correndo por conta destes todas as despesas decorrentes da adoção dos procedimentos necessários à sua concretização; o) os bens móveis arrematados que se encontrarem em depósito judicial deverão ser retirados do local, impreterivelmente, nos 30 (trinta) dias subsequentes à entrega da Carta de Arrematação. Findo este prazo, passará a correr por conta dos arrematantes as despesas de guarda e armazenagem dos bens; p) em caso de desistência da arrematação em virtude do oferecimento de embargos à arrematação, o leiloeiro não será obrigado a devolver o valor da comissão paga pelo arrematante, tendo em vista o efetivo cumprimento de suas atribuições. (4) O prazo para a oposição de embargos à arrematação é de 5 (cinco) dias, contados da arrematação ou adjudicação do bem penhorado. (5) Em caso de arrematação, a taxa judicial e o preço pago pelo arrematante pelo bem adquirido no leilão deverão ser recolhidos pelo comprador em guias distintas e vinculadas aos presentes autos. (6) Decorrido o prazo de 24 horas da realização do leilão, será dada à Ata de leilão o efeito de Auto de Arrematação. (7) No caso de compra por preço não inferior ao da (re)avaliação, fica permitido o parcelamento do pagamento em no máximo 12 (doze) prestações mensais, iguais e sucessivas, com parcelas mínimas de R$ 1.000,00 (um mil reais) para bens imóveis, e 06 (seis) prestações mensais, iguais e sucessivas, com parcelas mínimas de R$ 500,00 (quinhentos reais) para bens móveis. Tal benefício não alcança as alienações de bens relativamente aos quais a parte exequente expressamente se opôs, bem como a parcela da receita da arrecadação que não se destine à parte exequente, como, por exemplo, a que é destinada à Justiça do Trabalho para atender a reclamações trabalhistas. E para que chegue o presente EDITAL ao conhecimento dos executados e de terceiros interessados e não possam, no futuro, alegar ignorância, expediram-se editais de igual teor, que serão publicados na forma da lei e afixados no local de costume. Jacarezinho, 22 de outubro de 2013. Digitado por Nilsa Bernadete Grande, Técnica Judiciária. Conferido por Dirceu Stresser, Diretor de Secretaria. Dirceu Stresser Diretor de Secretaria Documento eletrônico assinado por Dirceu Stresser, Diretor de Secretaria, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de 2010. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico http://www.jfpr. jus.br/gedpro/verifica/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 7658754v4 e, se solicitado, do código CRC 94212D4F. Informações adicionais da assinatura: Signatário (a): Dirceu Stresser Data e Hora: 22/10/2013 15:37

CUMPRIMENTO DE SENTENÇA Nº 5000346-72.2010.404.7013/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF EXECUTADO : ROSIANI CANDIDO EDITAL N.º 7641669 Afixado em: ___/___/_____ O DOUTOR GILSON LUIZ INÁCIO, Juiz Federal na Titularidade Plena da Vara Federal e JEF desta Subseção Judiciária de Jacarezinho, Seção Judiciária do Estado do Paraná, na forma da lei, FAZ SABER a todos quantos virem o presente edital ou dele tiverem conhecimento, que será(ão) leiloado(s) o(s) bem(ns) de propriedade do(s) executado(s) penhorado(s) nos autos supracitados, na forma seguinte: 1º Leilão: dia 12 (doze) de novembro de 2013, às 9:15 horas, por lanço igual ou superior ao da (re)avaliação. 2º Leilão: dia 26 (vinte e seis) de novembro de 2013, às 9:30 horas, pelo maior lanço, desde que não inferior a 50% do valor da (re) avaliação. Leiloeiros: PAULO ROBERTO NAKAKOGUE e PAULO SETSUO NAKAKOGUE (Fones: 43-4052-9625 e 41-33233030) Local do leilão: ACIJA - Associação Comercial e Empresarial de Jacarezinho, localizada na Rua Heráclito Gomes, 732, Centro, em Jacarezinho/PR. Endereço do Juízo: Rua Paraná, nº 833, Centro, Jacarezinho/PR. Valor do débito: R$ 26.409,89 (vinte e seis mil, quatrocentos e nove reais e oitenta e nove centavos), atualizado até julho/2013. Descrição do(s) bem(ns): 01 (um) veículo FIAT/UNO ELETRONIC, placa AEK-8298, ano fabricação/modelo 1994, Renavam 61.801435-7, movido a gasolina. Situação do bem, conforme certidão do Sr. Oficial de Justiça: ‘Regular estado de conservação’. Valor da (re)avaliação: R$ 5.500,00 (cinco e quinhentos mil reais) Depositário(a): Rosiani Candido Martins, CPF nº 634.810.499-00 Endereço de localização do bem: Rua Edmundo Buzato (antiga rua B), 86, em Bandeirantes/PR Ônus: Débitos junto ao DETRAN/PR: Taxa de Licenciamento e Seguro Obrigatório DPVAT 2013 no valor de R$ 166,36, com vencimento em 28/10/2013; IPVA/2013 no valor de R$ 170,43; Autuações notificadas e em processo de notificação no valor de R$ 212,80. Ações/Recursos pendentes: não há. INFORMAÇÕES GERAIS E INTIMAÇÕES: (1) Fica pelo presente devidamente intimada a parte executada, bem como os terceiros interessados, da designação supra e para, querendo, acompanhá-la, se não tiverem sido encontrados quando da realização da intimação pessoal. (2) Serão admitidos lances virtuais por intermédio do portal eletrônico www.brleilões.com.br, ficando os lançadores cientes de que estarão vinculados às mesmas normas processuais e procedimentais destinadas aos lançadores presenciais, inclusive quanto à responsabilidade cível e criminal. (3) Os licitantes ficam cientes de que serão observadas as seguintes condições: a) todas as pessoas físicas que estiverem na livre administração de seus bens e todas as pessoas jurídicas regularmente constituídas poderão participar do leilão, excetuando-se: (i) os incapazes;(ii)os tutores,curadores, testamenteiros, administradores, síndicos / administradores judiciais ou liquidantes, quanto aos bens confiados a sua guarda e responsabilidade; (iii) os mandatários, quanto aos bens de cuja administração ou alienação estejam encarregados; e (iv) Juiz atuante no feito, membro do Ministério Público e da Defensoria Pública, escrivão e demais servidores e auxiliares da Justiça (artigo 690-A do CPC); b) a venda será à vista, ou a prazo de 15 (quinze) dias mediante caução idônea, conforme disposições abaixo, não sendo aceito lanço por preço vil; c) na hipótese de pagamentos não efetuados no ato do leilão ou no prazo estabelecido, o(s) arrematante(s) faltoso(s) incorrerá(ão) nas penalidades da lei, que prevê, no caso de inadimplência, a denúncia criminal e a execução judicial contra o mesmo, além de perda da comissão do leiloeiro (Art. 39 do Decreto 21.981/32 e art. 23, § 2º da Lei de Execução Fiscal - LEF) e da caução em favor do exequente, voltando os bens a novo leilão, do qual não poderá participar o arrematante e o fiador remisso (art. 695 do CPC); d) sobre o valor arrematado fica arbitrada a comissão de leiloeiro no percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor da arrematação; e) os arrematantes recolherão,ainda, as custas de arrematação no percentual de 0,5% (meio por cento) sobre o valor da arrematação, sendo o mínimo de R$ 10,64 (dez reais e sessenta e quatro centavos) e o máximo de R$ 1.915,38 (um mil, novecentos e quinze reais e trinta e oito centavos); f) em caso de adjudicação, pagamento ou parcelamento do débito após a designação do leilão, a parte executada deverá pagar 1,5% sobre o valor atribuído ao(s) bem(ns) na (re)avaliação, a título de ressarcimento das despesas do leiloeiro; g) caso o valor do(s) bem(ns) penhorado(s) não exceda 60 vezes o valor do salário mínimo vigente na data da avaliação, o preço da arrematação não será inferior ao da (re)avaliação. Nos demais casos, quando do segundo leilão, não serão deferidos lances inferiores a 50% (cinquenta por cento) do valor atribuído ao bem na avaliação/ reavaliação; h) fica assegurado o direito de visitação dos bens pelos interessados nos locais em que se encontrarem antes dos dias marcados para os leilões; i) é atribuição dos licitantes verificar o estado de conservação, situação de posse e especificações do(s) bem(ns) oferecido(s) no leilão, haja vista que serão objeto de alienação no exato estado de conservação em que efetivamente se encontrem; j) quaisquer ônus que recaiam sobre o bem arrematado ficam a cargo do arrematante; k) em caso de arrematação de bem imóvel, para expedição da respectiva carta, deverá o arrematante comprovar o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis ITBI, a teor do inciso II do artigo 703 do Código de Processo Civil; l) o arrematante de imóvel deverá, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data da entrega da Carta de Arrematação, comprovar nos autos o registro da venda judicial na matrícula do bem e, se for o caso, apresentar o comprovante de formalização do parcelamento junto ao credor; m) o arrematante de veículo deverá, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data da entrega da carta de arrematação, efetuar junto ao órgão competente de trânsito a devida transferência do bem e, se for o caso, apresentar o comprovante de formalização do parcelamento junto ao credor; n) a retirada de bens móveis arrematados dos locais em que se encontrem será de total responsabilidade dos arrematantes, correndo por conta destes todas as despesas decorrentes da adoção dos procedimentos necessários à sua concretização; o) os bens móveis arrematados que se encontrarem em depósito judicial deverão ser retirados do local, impreterivelmente, nos 30 (trinta) dias subsequentes à entrega da Carta de Arrematação. Findo este prazo, passará a correr por conta dos arrematantes as despesas de guarda e armazenagem dos bens; p) em caso de desistência da arrematação em virtude do oferecimento de embargos à arrematação, o leiloeiro não será obrigado a devolver o valor da comissão paga pelo arrematante, tendo em vista o efetivo cumprimento de suas atribuições. (4) O prazo para a oposição de embargos à arrematação é de 5 (cinco) dias, contados da arrematação ou adjudicação do bem penhorado. (5) Em caso de arrematação, a taxa judicial e o preço pago pelo arrematante pelo bem adquirido no leilão deverão ser recolhidos pelo comprador em guias distintas e vinculadas aos presentes autos. (6) Decorrido o prazo de 24 horas da realização do leilão, será dada à Ata de leilão o efeito de Auto de Arrematação. (7) No caso de compra por preço não inferior ao da (re)avaliação, fica permitido o parcelamento do pagamento em no máximo 12 (doze) prestações mensais, iguais e sucessivas, com parcelas mínimas de R$ 1.000,00 (um mil reais) para bens imóveis, e 06 (seis) prestações mensais, iguais e sucessivas, com parcelas mínimas de R$ 500,00 (quinhentos reais) para bens móveis. Tal benefício não alcança as alienações de bens relativamente aos quais a parte exequente expressamente se opôs, bem como a parcela da receita da arrecadação que não se destine à parte exequente, como, por exemplo, a que é destinada à Justiça do Trabalho para atender a reclamações trabalhistas. E para que chegue o presente EDITAL ao conhecimento dos executados e de terceiros interessados e não possam, no futuro, alegar ignorância, expediram-se editais de igual teor, que serão publicados na forma da lei e afixados no local de costume. Jacarezinho, 25 de setembro de 2013. Digitado por Nilsa Bernadete Grande, Técnica Judiciária. Conferido por Dirceu Stresser, Diretor de Secretaria. Dirceu Stresser Diretor de Secretaria Documento eletrônico assinado por Dirceu Stresser, Diretor de Secretaria, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de 2010. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico http://www.jfpr.jus.br/gedpro/verifica/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 7641669v2 e, se solicitado, do código CRC C9DA9ED0. Informações adicionais da assinatura: Signatário (a): Dirceu Stresser Data e Hora: 30/09/2013 17:03


Leilões&LICITAÇÕES

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. C8

CONFIRA A RELAÇÃO DE LEILOEIROS HABILITADOS PELA JUCEPAR ADRIANO MELNISKI – MATRÍCULA: 07/010-L Rua Amazonas, 677 – Apto. 52 – Bairro: Água Verde - CEP: 80.610-030 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3524-2216 – (41) 9601-3495 - e-mail: adriano@leiloesjudiciais.com.br AFONSO MARANGONI – MATRÍCULA: 12/046-L Avenida Sete de Setembro, 4753 – Apto. 1402 - Batel. - CEP: 80.240-000 – Curitiba – Pr. Fone: (41) 9602-1632 - e-mail: afonso.marangoni@gmail.com ALEXANDRE AUGUSTO DOS SANTOS SABBAG – MATRÍCULA: 628 Rua Herculano Carlos Franco de Souza, 550 - Apto.403-A – Água Verde - CEP: 80.240-290 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 2105-0813 - (41) 9973-1549 - e-mail: asabbag@ibest.com.br AIRTON QUEIROZ SILVA – MATRÍCULA: 590 Rua Capistrano de Abreu, 38 – Casa - Boa Vista - CEP: 82.540-320 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3354-5608 – (41) 9991-9477 - e-mail: airton@leilopar.com.br ANDERSON QUEIROZ SILVA – MATRÍCULA: 657 Rua Capistrano de Abreu, 38 – casa – Bairro: Boa Vista - CEP: 82.540-320 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3354-5608 – (41) 9694-5416 - e-mail: leilopar@leilopar.com.br ANDRE DE OLIVEIRA KUSS – MATRÍCULA: 08/014-L Rua João Lunardelli, Nº 2095 - Cidade Industrial - CEP: 81.460-100 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3012-4800 - (41) 9911-0770 - e-mail: andre@paranaleiloes.com.br ANTONIO CARLOS DA SILVA PEREIRA – MATRÍCULA: 08/016-L Rodovia 476, KM 107 - nº 18.684 - Linha Verde, Bairro: Xaxim - CEP: 81.690-300 - Curitiba – Pr. Fone 1: (41) 3227.7000 - Fone 2: (41) 3268.0418 – Cel: (41) 9679-2344 - e-mail: sac.pereira@yahoo.com.br ANTONIO COSTA – MATRÍCULA 491 Rua Pará, nº 1531, Conj. 703 – Bairro: Centro - CEP: 86020-400 - Londrina – Pr. Fones1: (43) 3323-0015 Fone 2: (43) 3323-0674 – Cel: (43) 9155-0015 - e-mail: costa@acleiloes.com.br ANTONIO MAGNO JACOB DA ROCHA – MATRÍCULA: 08/020-L Rua Alferes Poli, 311 Compl. Cj. 4-B – Bairro: Centro - CEP: 80.230-090 - Curitiba – Pr. Fone/Fax: (41) 3077-8880 - e-mail: magno@rochaleiloes.com.br Preposto: FERNANDO KLUPPEL BATISTA – MATRÍCULA: 13/244-P CARLO MARUCCO NETO – MATRICULA: 677 Rua Alfredo Bufren, 86 – Apto.16 - Centro - CEP: 80.020-240 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3296-2926 – (41) 9962-6639 - e-mail: cacomarucco@gmail.com CELIA MARIA MAZZO – MATRÍCULA: 594 Rua XV De Novembro, nº 2535 – Bairro: Centro - CEP: 83.601-030 – Campo Largo – Paraná. Fone: (41) 3292-2482 – Cel. (41) 9991-9139 - e-mail: célia-mazzo@uol.com.br CELSO LEPKA SCHOBER – MATRÍCULA: 620 Rua Engenheiro Niépce da Silva, 510 – Apto. 102 – Bloco A. - CEP: 80.610-280 – Portão - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3345-6386 – Cel. (41) 8433-0232 e 9988-6001 - e-mail: celso_leiloes@yahoo.com.br CLAUDIO CESAR KUSS – MATRÍCULA: 507 Rua João Lunardeli, 2095 - Cidade Industrial - CEP: 81.460-100 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3012-4800 - (41) 8472-5316 - e-mail: leiloeiro@claudioleilao.com.br DANIEL OLIVEIRA JUNIOR – MATRÍCULA: 12/243-L Avenida Antonio Henrique Phillip, nº 75 – Sobre Loja – Bairro: Centro. - CEP: 87.670-000 – Inajá – Pr. Fone: (44) 3440-1390 – Cel: (44) 9148-5888 - e-mail: daniel@libraswifi.com.br DANIEL VICENTE MENON – MATRÍCULA: 10/032-L Rua Minas Gerais, nº 803 Compl. DVM Leilões - Bairro: Nossa Sra. Aparecida CEP 85.601-060 - Francisco Beltrão – Pr. - Fone: (46)3524-3444 – Cel: (46) 9680-7000 e-mail: daniel@dvmleiloes.com.br DIRCE MANDUCA SILVA – MATRÍCULA: 659 Rua Capistrano de Abreu, 38 – casa – Bairro: Boa Vista - CEP: 82.540-320 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3354-5608 – Cel: (41) 9977-1941 - e-mail: leilopar@leilopar.com.br DIVALDO NATALICIO DA SILVA – MATRÍCULA: 12/236-L Avenida República Argentina, 211 – Bairro Centro - CEP: 87.270-000 – Engenheiro Beltrão – Pr. Fone: (44) 3537-2685 – Cel: (44) 9995-0358 e 9958-8505 - e-mail: contato@divelli.com.br ou divelli@hotmail.com EDUARDO EUGENIO SCREMIN – MATRÍCULA: 10/034-L Rua Ipê Roxo, 102 - Quadra G Lote 6 - Alfhaville Graciosa - CEP: 83.327-210 - Pinhais – Pr. Fone: (41) 3551-1584 - (41) 8412-3787 - e-mail: eduardoleiloeiro@gmail.com ELTON LUIZ SIMON – MATRÍCULA: 09/023-L Rua Osvaldo Aranha, 659 - Centro - CEP: 85.504-350 - Pato Branco – Pr. Fone: (46) 3225-2268 – (46) 8419-2166 - e-mail: simonleiloes@simonleiloes.com.br FÁBIO GONÇALVES BARBOSA – MATRÍCULA: 12/042-L Praça Francisco Kanô, nº 178 – Bairro Zona 02. - CEP. 87.200-000 – Cianorte – Pr. Fone: (44) 2101-9272 – Cel: (44) 9988-5041 - e-mail: leiloes@leiloesjudiciais.com.br FERNANDO DE OLIVEIRA KUSS – MATRÍCULA: 671 Rua João Lunardeli, 2095 - Cidade Industrial - CEP: 81.460-100 - Curitiba – Pr. Fone (41) 3012-4800 - (41) 9911-0770 - e-mail: fernando@paranaleiloes.com.br GABRIEL BARON JUNIOR – MATRÍCULA: 585 Rua Pedro Zanetti, nº 142 – Jardim Canguiri - CEP: 83.412-585 - Colombo – Pr. Fone: (41) 2109-1300 - (41) 9946-8877 - e-mail: baron@colomboleiloes.com.br GUILHERME DE ARAUJO DOMINGOS – MATRÍCULA: 13/245-L Rua Jesuíno Lopes, nº 215 – casa – Bairro: Seminário. - CEP: 80.310-610 – Curitiba – Pr. Fone: (42) 3228-2867 – Cel: (41) 9111-1119 - e-mail: guidomingos@hotmail.com GUILHERME EDUARDO STUTZ TOPOROSKI – MATRÍCULA: 12/049-L Travessa da Lapa, 96 – sala 174 – Centro. - CEP: 80.010-190 – Curitiba – Pr. Fones: (41) 3015-3544 e 3019-3544 – Cel: 9622-0177 - e-mail – topolance@topolance.com.br HAMILCAR PIZZATTO NETO – MATRÍCULA: 07/008-L Rua Francisco Zanicotti Sobrinho, nº 234 – Apto. 202, Bloco B - CEP: 82.640-220 – Santa Cândida - Curitiba - Pr. Fones: (41) 7813-6363 - (41) 8402-2757 - e-mail: hamilcarpizzatto@hotmail.com HELCIO KRONBERG – MATRÍCULA: 653 Rua Emiliano Perneta, 736 – Compl. Casa - Centro - CEP: 80.420-080 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3233-1077 - Cel: 9886-1400 - e-mail: helcio@kronberg.com.br Preposto: PAULO MARIO LOPES MACHADO JAIR VICENTE MARTINS – MATRÍCULA: 609 Rua Joinville, nº 3555 – Térreo - Bairro São Pedro - CEP: 83.020-000 - São José dos Pinhais - Pr. Fone: (41) 3385-4656 – Cel: (41) 9969-9934 - e-mail: atendimento@vmleiloes.com.br JAQUELINE CHRISTIANNI STRYK VARDANA – MATRÍCULA: 684 Rua Cyro Correia Pereira, 1.223 – Cidade Industrial - CEP: 81.460-050 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3347-0770 - e-mail: vardanaleiloes@vardanaleiloes.com.br JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA – MATRICULA: 11/041-L Rua Carmelina Cavassin 1525 – Sob. 01 - Abranches - CEP: 82.220-170 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3255-5011 (41) 8442-1297 - e-mail: joaoluiz@leiloesecia.com.br Preposto: SOELI ZANELLA DE OLIVEIRA – MATR. 12/045-P JORGE FERLIN DALE NOGARI DOS SANTOS – MATRÍCULA: 606 Rua Chanceler Lauro Muller, 35 – Bairro: Parolin - CEP: 80.220-330 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3333-1515 – Cel: (41) 9911-4591 - e-mail: jorge@nogari.com.br JORGE VITORIO ESPOLADOR – MATRÍCULA: 13/246-L Alameda Angelin, nº 123 – Bairro: Alphaville II. - CEP: 86.055-778 – Londrina – Pr. Fone: (43) 3376-0676 – (43) 9101-2288 - e-mail: jorgeespolador@hotmail.com JULIO CESAR ALVES RIBEIRO – MATRÍCULA: 635. Rua Vanderlei Moreno, 9750 - São Sebastião - CEP: 83.070-245 - São José dos Pinhais – Pr. Fone/Fax: (41) 3302-4642 (41)7811-4642 - e-mail: juliocleilao@onda.com.br Preposto: MARIA CONCEIÇÃO G. ALVES RIBEIRO - MATR. 05/002-P

LELIA MARIA DE PAULA LENZ CESAR – MATRÍCULA: 630 Av. Vicente Machado, 1187 - Apto – 31 - Batel - CEP: 80.420-011 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3232-6577 - (41) 3209-7259 – (41) 9972-8211 - e-mail: leliacesar@yahoo.com.br LIGIA SEIXAS MAURO – MATRÍCULA: 652 Rodovia PR 218, km 01 – Distrito Industrial - CEP: 86.730-000 – Astorga – Pr. Fone: (44) 3234-3434 - e-mail: ligia@mauroleiloes.com.br Preposto: ROBERTO MAURO – MATR. 12/044-P LUIZ BARBOSA DE LIMA JUNIOR – MATRÍCULA: 10/030-L Av. Garibaldi Deliberador, 99 – ap. 28 – Bl. D.Duarte – Jardim Claudia - CEP: 86.050-280 – Londrina – Pr. Fone: (43) 3351-6263 – Cel: (43) 9984-3739 e 9897-0127 - e-mail: luizb.lima@ymail.com LUIZ CARLOS DALE NOGARI DOS SANTOS – MATRÍCULA: 508 End: Rua Chanceler Lauro Muller, 35 – Bairro: Parolin - CEP: 80.220-330 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3333-1515 – Cel: (41) 9911-4591 - e-mail: jorge@nogari.com.br LUIZ CARLOS DALL’GNOL – MATRÍCULA 639 Rua Rafael Picolly, nº 2675 – Apto.14 - Bloco II – Bairro: Country - CEP: 85.813-220 - Cascavel – Pr. Fone: (45) 3037-3374 – Cel: (45) 8414-5555 - (45) 9982-0971 - e-mail: lucadallagnol@hotmail.com LUIZ EGIDIO CRUZ MEDEIROS – MATRÍCULA: 13/249-L Rua Marechal Candido Rondon, nº 690 - Edifício Barão do Rio Branco, 6º Andar, Sala 603 - CEP: 87.704-900 – Centro – Paranavaí – Pr. Fones: (44) 3045-7810 / 3422-7810 – Cel: (44) 9929-9382 - e-mail: luizegidioadvogado@hotmail.com LUIZ FERNANDO FAVARETO - MATRÍCULA: 05/002-L Rua Eduardo Pinto da Rocha, nº 4545 - Térreo - CEP: 81.935-000 – Bairro: Sítio Cercado - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3111-9100/ 3111-9111 – Cel: 41) 9968-5264 - e-mail: banseg@banseg.com.br LUIZ HENRIQUE VIEIRA – MATRÍCULA: 11/040-L Rua Mato Grosso, nº 1493 – casa – Bairro: Centro - CEP: 86.010-180 - Londrina – Pr. Fone: (43) 3345-0903 – Cel: (43) 9929-0515 - e-mail: vieiraleiloes@sercomtel.com.br LUIZ ODAIR FAVARETO - MATRÍCULA: 624 Rua Eduardo Pinto da Rocha, 4545 – Térreo - Bairro: Sítio Cercado. - CEP: 81.935-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3111-9111 - (41) 3111-9100 – (41) 9973-7908 - e-mail: favareto@banseg.com.br MARCELO SOARES DE OLIVEIRA – MATRÍCULA: 08/011-L Rua Marechal Deodoro, nº 235 – Sala 102 - Centro - CEP: 80020-320 - Curitiba – Paraná. Fone: 0800-0524520 – Cel: (41) 9984-0825 - e-mail: marcelo@leilocon.com.br MARCOS TULESKI – MATRÍCULA:596 Rua João Bettega, 31 - Apto. 01 - Portão - CEP: 81.070-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3345-1046 – Cel: (41)9977-0879 - e-mail: marcostuleski@mtleiloes.com.br MARCUS AURELIO MALINOSKI – MATRÍCULA: 666 Av. Cândido de Abreu, 469, Conj. 801 - Centro Cívico - CEP: 80.530-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3027-7715 (41) 8407-8510 - e-mail: smleiloes@gmail.com MARIA CLARICE DE OLIVEIRA – MATRÍCULA: 680 Rua Fortaleza, nº 2622 – Bairro: Recanto Tropical - CEP: 85.807-090 - Cascavel – Pr. Fone: (45) 3037-7555 – Cel: (45) 9953-7218 - e-mail: leiloesecia@leiloesecia.com.br Preposto: MARCO ANTONIO DOMINGUES CID MARIANA LANG – MATRÍCULA: 12/047-L Rua Fortaleza, 2622 – Bairro: Recanto Tropical. - CEP: 85.807-090 – Cascavel – Pr. Fone: (45) 3037-7555 - Cel (45) 9988-4978 - e-mail – marianalang@leiloesecia.com.br MARIA REGINA DE OLIVEIRA KUSS – MATRÍCULA: 626 Rua João Lunardelli, 2095 - Cidade Industrial - CEP: 81.460-100 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3012-4800 - (41) 9911-0770 - e-mail leiloeiro@paranaleiloes.com.br MARILDA DA SILVA FERREIRA – MATRÍCULA; 513 Rua Mamore, nº 373 – Bairro: São Francisco - CEP: 80.510-160 - Curitiba – Pr. Fones: (41) 2102-0058 – (41) 3338-0058 - e-mail: marilda@marildaferreira.com.br NIVALDO BOLONHEZ – MATRÍCULA: 616 Avenida Munhoz da Rocha, 159 - Apto. 201 –Bairro: Cabral - CEP: 80.035-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3352-2826 - (41) 9976-2895 - e-mail: nbolonhez@hotmail.com Preposto : GISELE BOLONHEZ KUCEK PATRICIA OSTERNACK DE CASTRO PETRYK – MATRÍCULA: 08/021-L Rua Jacarezinho, nº 1257 - CJ – 104 - 1º Andar – Bairro: Mercês - CEP: 80.810-130 - Curitiba – Pr. Fone/Fax: (41) 3029-8555 - (41) 8405-9394 - e-mail: patriciaosternack@hotmail.com PAULO ROBERTO LEAL VARDANA – MATRÍCULA: 522 Rua Cyro Correia Pereira, 1.223 – Bairro: Cidade Industrial - CEP: 80240-190 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3347-0770 - e-mail: vardanaleiloes@vardanaleiloes.com.br PAULO ROBERTO NAKAKOGUE – MATRÍCULA: 12/048-L Rua Nunes Machado, 611 - Centro - CEP: 80.250-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3323-3030 - (41) 8417-9400 - e-mail: brleiloes@brleiloes.com.br PAULO SETSUO NAKAKOGUE – MATRÍCULA: 625 Rua Nunes Machado, 611 - Centro - CEP: 80250-000 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3323-3030 – Cel: (41) 8417-6000 - e-mail: brleiloes@brleiloes.com.br PLINIO BARROSO DE CASTRO – MATRÍCULA: 668 Rua Jacarezinho, nº 1257 – CJ. 104 – Bairro: Mercês - CEP: 80.810-130 - Curitiba – Pr. Fone/Fax: (41) 3029-8555 - (41) 8402-6565 - e-mail: leiloes@pbcastro.com.br RAIMUNDO MAGALHAES DE MORAES – MATRÍCULA: 678 Rua Desembargador Otávio do Amaral – 1890 – Bairro: Mercês - CEP: 80.710-620 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3027-5252 – Cel: 8415-6982 - e-mail: leiloeiro@netpar.com.br RICARDO HIDEKI GONDO – MATRÍCULA: 09/024-L Av. Vereador Dr. João Batista Sanches, 1174 - Sala 25 - Parque Industrial Bandeirante 2 - CEP: 87.065-130 - Maringá – Pr. Fone: (44) 3026-8008 – Cel: (44) 9906-8008 - e-mail: ricardo@kleiloes.com.br RODRIGO ZABULIONIS DO NASCIMENTO – MATRÍCULA: 12/050-L Rodovia Br 476, nº 18.684 – km 107 – Bairro: Xaxim - CEP. 81.690-300 – Curitiba – Pr Fones: (41) 3227-7000 e 3268-0418 – Cel: (41) 9941-0309 - e-mail: digaum_01@hotmail.com RUBENS HENRIQUE DE CASTRO – MATRÍCULA: 10/035-L Rua Engenheiro Alberto Monteiro de Carvalho, nº 886 – 04-Térreo - CEP: 82810-280 – Bairro: Capão da Imbuia - Curitiba – Pr. Fone/Fax: (41) 3044-3368 – Cel: (41) 9912-1773 - e-mail: rhc.leiloes@gmail.com SADI LUIZ SIMON – MATRÍCULA: 514 Rua Osvaldo Aranha, 659 - Centro - CEP: 85.504-350 - Pato Branco – Pr. Fone: (46) 3225-2268 – Cel: (41) 9972-2243 - e-mail: simonleiloes@simonleiloes.com.br SERGIO KIRCHNER BRAGA – MATRÍCULA: 11/038-L Rua São Bartolomeu, nº 386 – Bairro: Cajuru - CEP: 82900-330 - Curitiba – Pr. Fone: (41) 3224-3695 Cel: (41) 9973-4823 - E-mail: sergiobragaouvidor@yahoo.com.br SERGIO LEMOS TORRES – MATRÍCULA: 527 Estrada Da Graciosa, nº 4000 – Bairro: Jardim Boa Vista - CEP: 83.327-000 - Pinhais – Pr. Fones: (41) 3665-6061/3551-1414 Cel: (41) 9859-2222 - e-mail: sergio@casadosleiloes.com SPENCER D’AVILA FOGAGNOLI – MATRÍCULA: 12/235-L Praça Pedro Álvares Cabral, nº 94 – Sobreloja, Sala 01. - CEP: 87010-310 – Zona 02 - Maringá – Pr. Fone: (44) 3026-4950 – Cel: (44) 9711-4950 - e-mail: Spencer@spencerleiloes.com.br UELTON MARCELO ZITEI – MATRÍCULA: 12/043-L Rua Padre Boleslau Lucas Bayer, 111 – Bairro: Orleans - CEP – 81.280-050 – Curitiba – Pr. Fone - Cel: (41) 8844-7736 - e-mail: ueltonmazitei@gmail.com WERNO KLOCKNER JÚNIOR – MATRÍCULA: 660 Av. Vereador Dr. João Batista Sanches, nº 1174 – Sala 25 - Parque Industrial II - CEP: 87.065-130 - Maringá – Pr. Fone/Fax: (44) 3026-8008 – Cel: (44) 9973-8008 - e-mail: werno@kleiloes.com.br Preposto: JULIO CESAR KLOCKNER – Matricula: 10/031-P


Justiça&Direito

www.justicaedireito.com

Diário Indústria&Comércio

SUPLEMENTO SEMANAL | 10 | Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013

MJ quer explicações de rede hoteleira sobre preços de diárias para a Copa Marcello Casal Jr/ABr

Toledo inaugura unidade da Justiça do Trabalho Pág. 06

TJPR instala Comitê de Gestão Estratégica Pág. 05

TRE-PR cassa Prefeito e Vice-Prefeito de Turbo A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça, notificou as principais associações e redes hoteleiras para que esclareçam os valores abusivos das diárias dos hotéis no período da Copa do Mundo de 2014. Leia na página 03

Pág. 07

Portaria antecipa a 180ª sessão do Conselho Nacional de Justiça Pág. 08

Curitiba recebe o II Encontro Nacional de Execução Penal O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou, em Curitiba, na última quionta-feira (7/11) o II Encontro Nacional de Execução Penal. O objetivo é discutir a reforma da Lei de Execução Penal (Lei n. 7.210/1984) e as alternativas ao sistema prisional brasileiro. O evento é realizado em parceria com o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR). A abertura do encontro, que aconteceu às 9h, no Hotel Mabu, foi realizada pelo conselheiro do CNJ, Guilherme Calmon, que agradeceu a presença dos membros do

judiciário paranaense e de todos os participantes que têm suas funções relacionadas ao sistema de execução penal. O conselheiro fez menção especial aos trabalhos do juiz auxiliar da presidência do CNJ, responsável pelo evento, Douglas de Melo Martins, assim como à desembargadora do TJPR, Denise Krüger Pereira, a quem coube a organização do Encontro. Confira na página 04


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Colaboração: Zucolotto sociedade de advogados consultoria@zucolotto.adv.br / ww.zucolotto.adv.br

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D2

Opinião

Carlos Alberto Reis de Paula

O TOMADOR DE MÃO DE OBRA

“Regulamentação da terceirização precisa garantir direitos do trabalhador” O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Carlos Alberto Reis de Paula, durante palestra no 11º Encontro dos Advogados no Sistema Indústria, realizado na Confederação Nacional da Indústria (CNI), disse que a regulamentação da terceirização não pode suprimir as necessidades básicas do trabalhador. "O primeiro passo é dar garantia de direitos, principalmente aos ligados à área de saúde, segurança e das condições de trabalho", afirmou. Para ele, a terceirização é um dos grandes desafios para a legislação trabalhista. O ministro voltou a defender a sua regulamentação para que sejam definidas algumas questões importantes, como os conceitos de áreas meio e fim e o tipo de responsabilidade da empresa quanto aos direitos dos trabalhadores terceirizados. Carlos Aberto defende que a atividade fim não seja terceirizada. Somente poderia ocorrer

terceirização nas atividades meio ou, por exemplo, em trabalhos temporários. "Hoje as hipóteses de terceirização estão previstas na Súmula 331 do TST", lembrou ."Podemos ampliar as hipóteses, inclusive tratar de definir o que seja atividade meio. Ouso dizer que a atividade meio é a que não está ligada, direta ou indiretamente, ao conjunto de atividades que constituem o objeto social da empresa". Ele afirmou ainda que não vê problema na proposta de responsabilidade subsidiária das empresas nos direitos trabalhistas dos terceirados, proposta defendida pelos empresários. Neste caso, a empresa só é responsabilizada se não fiscalizar o cumprimento das obrigações pela prestadora de serviço. "Temos que estabelecer que a terceirização lícita gera a responsabilidade subsidiária, ao passo eu a ilícita dá origem à responsabilidade solidária". (Fonte: TST)

Ministro recorre ao Supremo para garantir prerrogativa de foro em investigações de improbidade

andamento do inquérito policial instaurado a pedido da Procuradoria da República no Rio Grande do Norte para investigar as circunstâncias da requisição de Francisco Pereira dos Santos Júnior, da Câmara Municipal de Macaíba (RN), para trabalhar em seu gabinete em Brasília (DF), exercendo função exclusiva de servidor público concursado (FC-1). O Ministério Público Federal (MPF) requereu a instauração do inquérito policial sob o argumento de que Francisco Pereira dos Santos Júnior teria se passado por servidor público municipal para viabilizar a sua requisição pela Justiça do Trabalho e, com isso, receber vencimentos às custas do TST de forma ilegítima. As investigações policiais apontaram que o ministro Emmanoel Pereira teria laços de amizade com o

O ministro Emmanoel Pereira, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), impetrou Mandado de Segurança (MS 28607) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra ato do procurador-geral República, Roberto Gurgel, para suspender o

O conceito é simples: a empresa A contrata a empresa B para lhe prestar determinado tipo de serviço utilizando seu preposto, C, para a consecução dos trabalhos objetos do contrato. A empresa A, portanto, é a tomadora da mão de obra de C, que não é seu empregado mas trabalha em seu proveito por intermédio do contrato celebrado com B, esta, verdadeira empregadora de C. Para a Justiça do Trabalho, tal relação encontra-se delineada pelos limites da Súmula 331 do TST, que expõe os casos de licitude (ou não) da terceirização de uma determinada atividade. Assim, a seara juslaboral entende por lícita a contratação de toda a atividade que seja configurada como atividade meio da empresa contratante, ou seja, as atividades as quais não são seu objetivo final por excelência. Exemplos clássicos de atividade meio são os serviços de limpeza, segurança interna, manutenção de maquinário, dentre outros. De forma diversa, a terceirização de atividade fim é considerada ilícita e punida com o reconhecimento de vínculo direto com a empresa tomadora de mão de obra. Assim se pronuncia o Tribunal Superior do Trabalho acerca do tema: RECURSO DE REVISTA. RITO SUMARÍSSIMO. TERCEIRIZAÇÃO. ATIVIDADE FIM. VÍNCULO COM A TOMADORA DOS SERVIÇOS. O vínculo de emprego do empregado que trabalha em serviço de -central de atendimento-, junto à empresa de telefonia, faz-se diretamente com a concessionária, por representar fraude na relação de trabalho, já que se trata de atividade-fim, sendo ilícita a terceirização. Ressalva do Relator. Recurso de revista conhecido e provido.(TST - RR: 240395201250300062403-95.2012.5.03.0006, Relator: Aloysio Corrêa da Veiga, Data de Julgamento: 18/09/2013, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 20/09/2013). Por fim, é de se ressaltar que o tomador de mão de obra, mesmo que esteja configurada a terceirização lícita de atividade meio, responderá subsidiariamente pelo contrato de emprego firmado entre o trabalhador e a empresa interposta com a qual haja celebração de contrato de prestação de serviço. Tal situação se configura na hipótese de o empregador de fato inadimplir com suas obrigações, o que se mostra, aos olhos da justiça, como situação na qual quem tirou proveito do poder de trabalho do empregado deva sub-rogar-se na situação de devedor. É o que se expressa no seguinte julgado do TST: RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR DOS SERVIÇOS PELO INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS PELO FORNECEDOR DE MÃO-DE-OBRA. INCISO IV DO ENUNCIADO Nº 331 DESTA CORTE. A conclusão restritiva da decisão regional, quanto à incidência do verbete nº 331, inciso IV da Súmula desta Corte apenas à hipótese de conluio entre tomadores e fornecedores de mão-de-obra em detrimento dos direitos dos trabalhadores, conflita diretamente com o inciso IV do mencionado Enunciado nº 331, -incasu-, descumprimento das obrigações trabalhistas pelo fornecedor da mão-de-obra, além de outras situações também previstas em seu texto nos incisos I e III. Recurso de revista conhecido e provido. (TST - RR: 55978619990559786/1999.0, Relator: Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, Data de Julgamento: 18/02/2004, 4ª Turma, Data de Publicação: DJ 12/03/2004). Portanto, cabe ao empresário a prudência de, na hipótese de terceirização de mão de obra, averiguar a solidez, legalidade e cumprimento dos direitos e garantias trabalhistas por parte da empresa que pretende contratar para a prestação de serviços, sob pena de correr o risco de ter que arcar com os descumprimentos da lei trabalhista praticados por terceiro. * Leonardo Reichmann M. Pinto é Advogado - Zucolotto Advogados Associados – consultoria@zucolotto.adv.br

pai do suposto servidor público municipal requisitado. Foi constatado que a relaçãode Francisco Júnior com a Câmara Municipal de Macaíba era celetista e não de servidor público municipal. Para os advogados do ministro do TST, ao encaminhar os autos aos procuradores da República no Rio Grande do Norte para que a conduta de improbidade atribuída a Emmanoel Pereira seja apurada sob o controle de juiz federal ou mesmo de tribunal regional federal. O ministro pede liminar para suspender a tramitação das investigações que se desenvolvem no Rio Grande do Norte e, no mérito, solicita que seja definida a competência do STF, com o consequente retorno dos autos às mãos do procurador-geral da República. (Fonte: STF)

Operador do Carrefour não consegue rescisão indireta por alegada perseguição Um empregado que dizia estar sendo perseguido por seus superiores, mas não conseguiu fazer prova do que alegava, teve seu pedido de rescisão indireta indeferido pela Justiça do Trabalho. A decisão foi mantida depois que a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou provimento a agravo interposto por um operador de loja do Carrefour Comércio e Indústria Ltda. A Segunda Turma negou provimento ao pedido com base no entendimento de que o Regional não encontrou prova de perseguição ao trabalhador, não cabendo o reexame de fatos e provas, conforme a Súmula 126 do TST, em instância de recurso de revista. O julgamento tomou por base o voto do relator na Turma, o ministro Renato de Lacerda Paiva. (Fonte: TST)


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D3

Copa do Mundo

MJ quer explicações de rede hoteleira sobre preços de diárias para a Copa Foram solicitados pela Secretaria Nacional do Consumidor os valores médios das diárias cobradas nas 12 cidades-sedes Marcello Casal Jr/ABr

A

Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça, notificou as principais associações e redes hoteleiras para que esclareçam os valores abusivos das diárias dos hotéis no período da Copa do Mundo de 2014. Além disso, foram solicitados pela secretaria os valores médios das diárias cobradas nas 12 cidades-sedes durante outros eventos comemorativos. A conduta do Ministério da Justiça ocorreu por causa de uma série de denúncias órgãos de Proteção e Defesa do Consumidor, em que foram abordados indícios de aumento abusivo de preços e violação das normas de proteção ao consumidor. As empresas que deverão prestar esclarecimentos nas próximas 48 horas são as redes Accor, Choice, Louvre, Blue Tree, Nacional Inn, Wyndham, IHG e Bourbon, presentes em mais de um estado, além do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil e da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, nos estados-sede. O diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Senacon, Amaury Oliva, disse que “o turista é um consumidor que precisa de uma proteção especial porque está fora da sua cidade ou país”. O combate ao aumento abusivo de preços faz parte das ações do Plano Nacional de Consumo e Cidadania (Plandec) destinado à proteção ao consumidor turista. Além disso, o Plandec faz parte das ati-

vidades do comitê interministerial que discute preços, tarifas e qualidade dos serviços durante a realização da Copa do Mundo.

As 12 cidades-sede estão sendo visitadas pela Secretaria Nacional do Consumidor e por membros do comitê, com o objetivo de mapear

os preços e qualidades dos serviços oferecidos aos turistas, como os serviços dos hotéis, restaurantes e aeroportos.

Novas funcionalidades do PJe-JT trazem melhorias aos usuários O Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) entra em uma nova fase e passa a contar com funcionalidades que agregam valores de uso, tornando as rotinas de trabalho mais simples e práticas, com significativas melhorias para os usuários do sistema. Essas novidades serão disponibilizadas para todos os Tribunais Regionais do Trabalho na versão 1.4.8, que segue para homologação nos próximos dias. As alterações envolvem a simplificação de rotinas, a automatização de tarefas, a inclusão de novas funcionalidades e o aperfeiçoamento do sistema, tornando a utilização mais intuitiva. De acordo com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, ministro Carlos Alberto Reis de Paula, o grande valor da versão 1.4.8 está centrado em melhorias de uso. "O Processo

Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho está em contínua evolução, sendo que há a necessidade de constantes investimentos na qualidade do sistema, tornando-o ainda mais funcional e atraente", salientou. Além disso, novas funcionalidades foram incorporadas ao PJe-JT, com destaque especial ao Banco de Penhoras e a integração com o Banco do Brasil e com a Caixa Econômica Federal, funcionalidades que trarão maior eficiência e agilidade aos processos de execução que tramitam no sistema PJe-JT. O presidente também destacou que a nova versão do PJe-JT traz melhorias substanciais no desempenho e na estabilidade do Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho. A nova versão do PJe-JT seguirá para homologação pelos 24 Tribunais Regionais do Trabalho. (Fonte: TST)

A nova versão do PJe-JT seguirá para homologação pelos 24 Tribunais Regionais do Trabalho


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D4

Tribunal de justiça do paraná

Curitiba recebe o II Encontro Nacional de Execução Penal

Compuseram a mesa o conselheiro do CNJ, Guilherme Calmon; o presidente do TJPR, desembargador Guilherme Luiz Gomes; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Lauro Augusto Fabrício de Melo; representando o Conselho Nacional do Ministério Público, Daniel de Resende Salgado; o coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF), juiz Douglas de Melo Martins; a subprocuradora-geral da República, Raquel Elias Ferreira Dodge, e representantes do governador Beto Richa

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou, em Curitiba, na última quionta-feira (7/11) o II Encontro Nacional de Execução Penal. O objetivo é discutir a reforma da Lei de Execução Penal (Lei n. 7.210/1984) e as alternativas ao sistema prisional brasileiro. O evento é realizado em parceria com o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR). A abertura do encontro, que aconteceu às 9h, no Hotel Mabu, foi realizada pelo conselheiro do CNJ, Guilherme Calmon, que agradeceu a presença dos membros do judiciário paranaense e de todos os participantes que têm suas funções relacionadas ao sistema de execução penal. O

conselheiro fez menção especial aos trabalhos do juiz auxiliar da presidência do CNJ, responsável pelo evento, Douglas de Melo Martins, assim como à desembargadora do TJPR, Denise Krüger Pereira, a quem coube a organização do Encontro. Guilherme Calmon disse que sua vinda ao Paraná não é apenas para realizar o encontro, mas também trazer a este evento as polêmicas, as perplexidades e as questões que envolvem todo o sistema judicial, o Ministério Público do Paraná, a Defensoria Pública, Advogados Privados, e o Poder Legislativo. Todos aqueles que se preocupam e de fato tem suas missões no

sistema de execução penal. “Temos verificado problemas cada vez mais sérios no que tange à execução das penas. Hoje não é uma questão só jurídica, é uma questão política e social. Toda a sociedade está sofrendo efeitos, passando por uma série de obstáculos por causa do atual funcionamento do sistema penal”. E enfatizou: “É preciso uma efetiva atuação daqueles que têm atribuições nessa área. É preciso uma mudança de 180 graus”. O presidente do TJPR, desembargador Guilherme Luiz Gomes disse sentir-se extremamente honrado, juntamente com os demais desembargadores, em colaborar com o CNJ para

Fábio Haick Dalla Vecchia toma posse como desembargador do Tribunal O novo desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná, Fábio Haick Dalla Vecchia tomou posse nesta terça-feira (5/11), na sala desembargador Clotário Portugal, 12º andar do edifício anexo do Palácio da Justiça. A solenidade foi conduzida pelo Presidente do TJPR, desembargador Guilherme Luiz Gomes, que saudou o novo desembargador dizendo ter certeza que irá continuar a honrar a magistratura paranaense, "e que nesta caminhada continuará a prestar relevância ao poder judiciário do Estado do Paraná". O desembargador Fábio Dalla Vecchia iniciou seu discurso invocando a proteção de Deus na continuidade de sua carreira. Lembrou a época em que ingressou na magistratura paranaense em 1992 e sua trajetória até chegar ao cargo de

desembargador. "Durante todos esses anos de atividade judicante, nunca me senti cativo da solidão que habita a consciência do magistrado no momento de julgamento. O apego aos livros e o amor aos estudos foram um norte para mim", afirmou. O magistrado, que ocupará a vaga aberta pelo falecimento do desembargador Augusto Lopes Côrtes, fez questão de citá-lo como exemplo. "Augusto Lopes Côrtes sempre foi, para mim, exemplo de homem íntegro, um magistrado sempre voltado para a prática de atos a elevar o nome do Poder Judiciário. Daí porque sua ausência é por demais sentida." Em nome dos advogados do Paraná, o advogado Carlyle Popp lembrou a época dos bancos universitários onde conheceu o empossado e

destacou sua dedicação ao estudo, à seriedade e correção com que encarava as vicissitudes do dia a dia.

debater relevantes temas. “Para o Paraná é uma honra receber o Conselho Nacional de Justiça. Agradeço a parceria com o CNJ e, juntos, vamos buscar soluções para todas as questões de interesse da sociedade, no caso específico, o da execução das penas. Estamos sempre dispostos e abertos ao diálogo. Temos um compromisso de uma gestão transparente e ética”, finalizou o desembargador. Na sexta-feira (8/11), magistrados e outros integrantes do sistema de Justiça debateram aspectos específicos da execução penal, como Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), Justiça Restaurativa e Medidas de Segurança.

Juiz Fábio Haick Dalla Vecchia toma posse como desembargador O juiz substituto em Segundo Grau Fábio Haick Dalla Vecchia tomará posse como desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná nesta terça-feira ( 5/11), às 17 horas, na sala desembargador Clotário Portugal, 12º andar do edifício anexo do Palácio da Justiça. O novo desembargador foi escolhido pelo critério de merecimento, na sessão administrativa do Pleno do dia 21 de outubro. O magistrado ocupará a vaga do desembargador Augusto Lopes Côrtes, falecido no mês de setembro. Natural de Guarapuava, Fábio Vecchia ingressou na magistratura do Paraná, como juiz de Direito substituto, em dezembro de 1992 na Seção Judiciária de Bela Vista do Paraíso.


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D5

TJPR instala Comitê de Gestão Estratégica Em reunião realizada na manhã da última quarta-feira (6/11) no gabinete da Presidência, foi instalado oficialmente, pelo presidente do TJPR, desembargador Guilherme Luiz Gomes, o Comitê de Gestão Estratégica, em atendimento à Resolução 70/2009 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O Órgão Especial desta Corte já havia aprovado a Resolução 17/2009, que dispõe sobre o Comitê, sua composição e competência, que trata da deliberação sobre questões relativas à formulação, execução, controle e revisão da estratégia institucional, especialmente por meio do acompanhamento de indicadores, metas e projetos estratégicos. Na reunião foram apresentadas as propostas, a equipe que compõe o Comitê, além da definição das próximas reuniões ordinárias de análise da estratégia, que ocorrerão trimestral-

Membros do Núcleo de Recursos Repetitivos do STJ realizam visita técnica no TJPR

Dentre as principais deliberações do Comitê, está a determinação para a revisão e atualização do Planejamento Estratégico Institucional para o período 2015-2019, a revisão e atualização da Metodologia de Gerenciamento de Projetos do TJPR e a priorização de ações estratégicas com foco na estruturação do 1º. grau de jurisdição

mente, nos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro, por convocação do presidente do Tribunal. Na oportunidade, o Núcleo de Estatística e Gestão Estratégica (NEGE) apresentou a metodologia BSC (Balanced Scorecard) de gestão da estratégia – adotada pelo CNJ e pelo TJPR -, o Escritório de Projetos Estratégicos Institucionais que se encontra em implantação e, ainda, sobre as Reuniões de Análise da Estratégia – O 1º vice-presidente do TJPR, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, recebeu na tarde de quinta-feira (7/11) em seu gabinete, os membros do Núcleo de Recursos Repetitivos (NURER) do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que vieram realizar visitas técnicas em alguns departamentos do Tribunal. Os visitantes estiveram no Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação do TJPR, no Núcleo de Recursos Repetitivos (NURER) e na Assessoria de Recursos do Tribunal.

Opinião Quanto vale a vida de um juiz? A Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) promove, em 8 de novembro, a cerimônia de entrega do Prêmio Patrícia Accioli de Direitos Humanos, em sua segunda edição, que homenageia essa grande juíza fluminense, assassinada há dois anos. Pagou com a vida a coragem e ética no exercício de seu trabalho em defesa da sociedade, da Justiça, do Direito e da democracia. Quanto vale a vida de um magistrado? Esta é uma pergunta que deveria ser sempre respondida antes de se veicularem informações incorretas sobre os vencimentos dos juízes, cujos salários respeitam o teto constitucional, e de se especular com relação a proventos como verbas indenizatórias e auxílio-alimentação. É preciso considerar que a Magistratura é uma carreira que impõe limitações à conduta cotidiana dos profissionais, inclusive pertinentes à segurança. Trata-se de uma profissão que deve ter remuneração compatível com os riscos a ela inerentes e com suas responsabilidades como guardiã dos direitos e deveres e garantidora das prerrogativas democráticas. Os magistrados são submetidos a formação especial e deles se espera, além de profundo conhecimento jurídico e das leis, um especial comprometimento com a realização dos objetivos fundamentais da República. Afinal, são membros de Poder Judiciário, uma das instituições basilares do Estado, selecionados e nomeados por meio de rigoroso concurso público, acessível a

RAEs, as instâncias de deliberação do Comitê de Gestão Estratégica. Dentre as principais deliberações do Comitê tomadas na reunião de instalação, está a determinação para a revisão e atualização do Planejamento Estratégico Institucional para o período 2015-2019 - contemplada a participação de magistrados e servidores, das áreas administrativa e judicial nas análises e na elaboração do Plano -, a revisão e atualização da

Comarca de Arapoti completa 25 anos de instalação A comarca de Arapoti, localizada no norte pioneiro do Paraná, comemora 25 anos de instalação nesta terça-feira, dia 5 de novembro. Criada pela Lei nº 8.623 de 8 de dezembro de 1987 registrou sua instalação oficial em 5 de

Metodologia de Gerenciamento de Projetos do TJPR, sua disseminação e implantação e, ainda, a priorização de ações estratégicas com foco na estruturação do 1º. grau de jurisdição, como a contratação de servidores remanescentes de concursos em vigência. Ainda esse mês, em Belém/PA, será apresentado o Mapa Estratégico nacional, no VII Encontro Nacional do Judiciário e contará com a presença dos integrantes do Comitê do TJPR. novembro de 1988. O desembargador Salvatore Antoni Astuti foi o primeiro juiz titular da comarca e é com boas lembranças que a ela se refere. "Foi extremamente gratificante trabalhar onde tive a oportunidade de iniciar a comarca do ponto zero. De entrância inicial e com vara única, a comarca é composta apenas pelo município sede que tem uma população de 25.856 habitantes (IBGE-Censo 2010). Mais de sete mil processos estão em andamento no Fórum.

qualquer brasileiro que se disponha a cumprir as várias etapas de preparação, que duram vários anos, incluindo a difícil formação acadêmica em Direito. Os juízes não podem desempenhar outra atividade econômica paralela, exceto um cargo de professor. Isso exige que o seu sistema remuneratório seja um instrumento capaz de assegurar nível de vida compatível com as responsabilidades atribuídas pela sociedade nos milhões de processos que diariamente precisam ser decididos para que todos os brasileiros possam ter uma vida mais justa, reduzindo-se as desigualdades sociais. Uma remuneração adequada certamente permite que os cidadãos disponham de um Judiciário melhor, porque os profissionais mais competentes não serão estimulados a migrar para outras áreas do Direito nas quais os salários e vantagens financeiras sejam mais atraentes. Os estudantes de Direito, sabendo que a Magistratura é bem remunerada, terão mais um estímulo para se dedicar ao estudo aprofundado das leis e dos conteúdos acadêmicos dessa ciência. Os magistrados que já acumulam experiência no serviço jurisdicional trabalharão com a certeza de que suas famílias terão uma vida compatível com a responsabilidade e o risco das atividades que exercem. Seria mais justo com a categoria e com a sociedade que se perguntasse, antes de se especular quanto aos vencimentos dos magistrados, quanto vale a sua vida, este bem irreparável. Há cerca de 500 juízes ameaçados no Brasil atualmente. Alguns, assim como suas famílias, pagam alto preço pelo exercício digno da profissão, como nos lembra dolorosamente a memória de Patrícia Accioli. * Desembargador Cláudio dell´Orto é o presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (AMAERJ).


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D6

Opinião As biografias e o direito à honra, à imagem, à privacidade e à intimidade Questão altamente indagada nesse último trimestre de 2013 é a do chamado projeto de lei “das biografias”, que libera de forma expressa a publicação de biografias não autorizadas de “pessoa cuja trajetória pessoal, artística ou profissional tenha dimensão pública ou esteja inserida em acontecimentos de interesse da coletividade.” Inobstante a importância do tema, é possível desde já detectar que a discussão sobre essa proposta legislativa tem sido feita sob constante erro conceitual de alguns institutos jurídicos. Comumente a discussão travada está na possibilidade de ofensa ou não aos direitos personalíssimos. Citam-se, normalmente e indiscriminadamente, como possíveis direitos a serem violados a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, todos protegidos pelo inciso X do art. 5º da Constituição Federal. Pois bem, com o pretexto de auxiliar essa discussão, ousamos trazer alguns conceitos que demonstram que intimidade, vida privada, honra e a imagem não se tratam da mesma coisa. Obviamente a distinção é necessária para a correta aplicação do Direito. Nesse sentido, temos que o traço característico da “intimidade” é a sua perspectiva estritamente pessoal. Vidal Serrano entende que a intimidade é o núcleo mais restrito da vida privada, uma privacidade qualificada, na qual se resguarda a vida individual de intromissões da própria vida privada, tanto do poder público como da sociedade. Até mesmo a própria vida em família, por vezes, pode vir a violar um espaço que o titular deseja manter impenetrável. Já a “privacidade” diz mais com os interesses individuais e particulares da pessoa. Luciana Fregadolli refere que “vida privada é o direito de excluir razoavelmente da informação alheia ideias, fatos e dados pertinentes ao sujeito. Este poder jurídico atribuído à pessoa consiste, em síntese, em opor-se à divulgação de sua vida privada e uma investigação nesta.” A “honra” equivale à reputação, à consideração que cada um merece. A honra envolve o meio social, o grupo de pessoas onde se vive. Nelson Rosenvald e Cristiano Farias explicam ser ela a soma dos conceitos positivos que cada pessoa goza na vida em sociedade. Uadi Lammêgo Bulos define-a como um bem imaterial de pessoas físicas e jurídicas. A tutela da honra tem como pressuposto a reputação, o comportamento zeloso e o cumprimento de deveres socialmente úteis pelas pessoas físicas e jurídicas decentes. Trata-se, portanto, de um sentimento de dignidade própria (honra interna ou subjetiva), de apreço social, reputação e boa fama (honra exterior ou objetiva). Por fim, a “imagem” é aquilo que evoca uma determinada coisa, por ter com ela relação simbólica. Walter Moraes definiu imagem como qualquer elemento representativo de uma pessoa. Compreende-se imagem, além do semblante de uma pessoa, as partes distintas de seu corpo. Hoje em dia há uma ampliação e especificação da ideia de imagem, de forma que também as exteriorizações da personalidade de um indivíduo em seu conceito social fazem parte de sua imagem. É sob esse entendimento que Hermano Duval ensina que o direito à imagem é a projeção da personalidade física (traços fisionómicos, corpo, atitudes, gestos, sorrisos, indumentárias, etc.) ou moral (aura, fama, reputação, etc.) do indivíduo (homens, mulheres, crianças ou bebês) no mundo exterior. Como se pode ver, parece-nos que apenas com a exata análise conceitual desses institutos poderemos delimitar exatamente quais aspectos do patrimônio moral de uma pessoa pública devem ser protegidos contra a exposição coletiva, pois certamente seus direitos personalíssimos, em alguma extensão, merecem proteção. * Arnaldo Rizzardo Filho é Advogado / contato@rizzardoadvogados.com.br ; www.rizzardoadvogados.com.br

Lançamentos

A Proteção Constitucional da Própria Imagem O trabalho apresenta a imagem sob um duplo significado. Enquanto a doutrina se coloca conservadora na questão do entendimento da imagem, partindo de modelos estrangeiros. Uma imagem-retrato, como a capitulada no inciso X, do art. 5°, e uma imagem-atributo, com característicos totalmente diferentes da primeira, capitulada no inciso V, do mesmo artigo.

STF julga inconstitucional voto impresso nas eleições O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou na última quarta-feira (6) inconstitucional o Artigo 5º da minirreforma eleitoral de 2009, que criou voto impresso nas eleições. A norma estava suspensa provisoriamente desde 2011 por uma decisão do plenário. Por unanimidade, os ministros entenderam que a norma viola o segredo do voto do eleitor. De acordo com a regra, a partir das eleições de 2014, após a confirmação final do voto pelo eleitor, a urna eletrônica imprimiria um número único de identificação do voto associado à sua própria assinatura digital. A ideia era que os votos impressos ajudassem nas auditorias sobre o funcionamento das urnas eletrônicas, uma vez que seriam um parâmetro de conferência para os boletins de urna. Ao julgar o mérito da ação, a relatora do processo ministra Cármen Lúcia, que também é presidenta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse que a regra coloca em risco o processo eleitoral ao quebrar o sigilo do voto, além de permitir a coação do eleitor. “Nas eleições do ano passado, nós tivemos muitos problemas porque havia quem denunciasse que se exigia de alguns eleitores que levassem o telefone celular para fotografar a urna. Se com os mecanismos que nós temos a luta é contínua para garantir a liberdade e o segredo do voto, imagina se nós tivermos um papel que também pode ser fotografado”, disse a ministra. O voto da ministra foi seguido pelos ministros Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Ricardo Lewandoski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Joaquim Barbosa.

Toledo

Região inaugura unidade da Justiça do Trabalho O presidente eleito do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, Altino Pedrozo dos Santos, inaugurou na última quinta-feira, (07/11), às 17 horas, a 2ª Vara do Trabalho de Toledo. A nova vara irá reforçar a presença da justiça trabalhista em sete municípios da região Oeste, onde vivem hoje 170 mil pessoas. A inauguração representa a ampliação da estrutura de atendimento à população, com a agregação de um juiz titular e 11 servidores quando da sua lotação definitiva. A 1ª Vara de Toledo está em funcionamento desde fevereiro de 1990 e recebeu durante todo o ano de 2012 um total de 2.153 processos. Neste ano, até setembro, já foram recebidos 1.837 processos. Sua jurisdição abrange os municípios de Ouro Verde do Oeste, Santa Helena, São José das Palmeiras, São Pedro do Iguaçu, Tupãssi e Vera Cruz do Oeste. Em um processo constante de investimento na interiorização dos serviços, o TRTPR instalou, no ano de 2013, o TRT já instalou a 5ª Vara do Trabalho de São José dos Pinhais, a 8ª Vara do Trabalho de Londrina, a 2ª Vara do Trabalho de Pato Branco e agora instala a 2ª Vara do Trabalho de Toledo.

Cláusulas de Exoneração e de Limitação de Responsabilidade Para compreender a complexidade do fenômeno jurídico em nossos dias, que tem exigido do profissional do Direito conhecimentos em diversos remos do saber, a Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas criou a coleção Direito em Contexto. Seus volumes dedicam-se à análise de questões intrincadas, pretendendo dar conta dos aspectos técnicos e também dos significados político, econômico e social do Direito


JUSTIÇA&DIREITO

Diário Indústria&Comércio

Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D7

Turvo

STF

TRE-PR cassa Prefeito e Vice-Prefeito

Suspenso bloqueio de R$ 125 milhões que pagariam dívidas trabalhistas da Vasp

A Corte do TRE-PR, na última terça-feira, 5, por maioria, deu parcial provimento para determinar a cassação dos diplomas, a inelegibilidade e a aplicação de multa de cinco mil UFIR a Antonio Marcos Seguro e Carlos Schneider, prefeito e vice-prefeito do município de Turvo, com fundamento nos artigos 22, XIV, da LC º 64/90, 41-A e 73, § 5º, da Lei nº 9.504/97. Para o relator, Desembargador Edson Vidal, restou configurado a captação ilícita de sufrágio pelo fato de que o prefeito, às vésperas da eleição, teria distribuído cestas básicas aos eleitores com o fim de obter-lhes o voto nas eleições municipais de 2012, acarretando a aplicação da pena de multa e cassação do diploma. Acrescenta, ainda que o prefeito e viceprefeito promoveram a distribuição gratuita de bens através de cestas básicas para a comunidade indígena com recursos da Administração Pública, configurando abuso do poder.

Tribunal promove capacitação de servidores para cadastros do CNJ Com o objetivo de capacitar servidores dos Juizados da Infância e da Juventude para trabalharem com os cadastros do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul promoveu um curso abordando a sistemática utilizada pelo órgão do Judiciário. O curso foi realizado na última segunda-feira (4/11) e contou com representantes de 10 comarcas e dos projetos Justiça Juvenil e Justiça Instantânea de Porto Alegre.

STF nega revisão de aposentadoria de ministro do TST Ao prosseguir o julgamento iniciado no dia 30 de outubro, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria de votos, negou a ordem no Mandado de Segurança (MS) 25079, em que o ministro aposentado do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Francisco Fausto Paula de Medeiros requeria a concessão de sua aposentadoria com base no artigo 184, inciso II, do antigo Estatuto dos Funcionários Públicos Civis da União (Lei 1.711/1952). O servidor que atingisse 35 anos de serviço no topo da carreira teria direito a aumento de 20%.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (6) o desbloqueio de R$ 125 milhões depositados no Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que seriam usados para pagar dívidas trabalhistas da extinta companhia aérea Vasp. O ministro entendeu que o bloqueio foi irregular, pois deveria ser feito pela Justiça Comum. O bloqueio do valor foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região após ação do Ministério Público do Trabalho. A quantia do fundo pertence aos investidores do Banco Rural, que foi liquidado pelo Banco Central, em agosto. Como o Rural tem dividas com a Vasp, o juiz decidiu bloquear o dinheiro para garantir o pagamento aos ex-funcionários da empresa aérea. O FGC é uma entidade privada, sem fins lucrativos e tem o objetivo de proteger correntistas, poupadores e investidores, em caso de intervenção, liquidação ou falência de instituições financeiras.

Falta de citação anula condenação do senador Lindbergh Farias por improbidade O tribunal não pode julgar diretamente o mérito de ação de improbidade sem a devida citação da defesa. A falha é insanável e impõe a anulação do processo. Por esse motivo, a Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afastou a condenação aplicada ao senador Lindbergh Farias por contratação de empresa de manutenção quando era prefeito de Nova Iguaçu (RJ). O processo por improbidade administrativa tem duas fases. Na primeira, o acusado apresenta apenas uma manifestação preliminar. Se o juiz entender que o ato de improbidade não existe, extingue a ação. Se entende que há indícios de improbidade, recebe a inicial e manda citar o réu. O MPRJ recorreu ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), que reformou a sentença para condenar apenas o ex-prefeito por improbidade administrativa. Lindbergh teria de pagar multa equivalente a dez vezes seu salário de prefeito. O MPRJ e o atual senador recorreram ao STJ contra o procedimento adotado.

Em menos de uma semana, 16,8% respondem ao Censo Em quatro dias, o Censo dos Magistrados, lançado na última segunda-feira (4/11) pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), já foi respondido por 2.966 magistrados. O número representa 16,8% do total de 17.644 magistrados, entre juízes, desembargadores, conselheiros e ministros. A pesquisa pretende levantar, sistematizar e analisar informações pessoais e funcionais desses servidores, assim como conhecer suas opiniões e avaliações sobre temas relacionados à carreira; administração do tribunal; grau de satisfação; metas de produtividade e sistema de promoção, entre outros.

Novas reclamações sobre cobrança de tarifas bancárias são admitidas O STJ admitiu o processamento de 19 reclamações propostas por instituições financeiras que apontam divergências entre decisões de juizados especiais e a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a respeito da legalidade da cobrança de tarifas bancárias. Nesse novo lote, dez reclamações são do Banco Bradesco S/A, quatro da BV Financeira S/A, três do banco Gmac S/A, uma do HSBC Bank Brasil S/A Banco Múltiplo e uma da Companhia de Crédito, Financiamento e Investimento Renault do Brasil. As reclamações são contra decisões do Conselho Recursal do Rio de Janeiro, Colégio Recursal Cível e Criminal de Santos (SP) e Colégio Recursal da 31ª Circunscrição Judiciária de Marilia (SP).

TRF4 empossa juiz federal substituto Tomou posse na última quarta-feira (6/11) como juiz federal substituto da 4ª Região Timoteo Rafael Piangers. A cerimônia ocorreu na sala de reuniões do Gabinete da Presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) e contou com a presença de magistrados, servidores e familiares. Piangers foi aprovado no XV Concurso para provimento do cargo realizado neste ano. O novo magistrado, que atuou como servidor do tribunal durante três anos, disse que a carreira é um desafio e que a missão de julgar é árdua. “Levei daqui bons exemplos, que me dão motivação para atuar como magistrado”, afirmou. O presidente da corte, desembargador federal Tadaaqui Hirose, coordenou a solenidade.

Opinião Veículo não entregue: responsabilidade da montadora. Em recente caso, a montadora Fiat foi responsabilizada solidariamente pela inadimplência da concessionária que deixou de entregar veículo vendido ao consumidor. A decisão, da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no exame ao Recurso Especial 1309981, envolve caso de uma consumidora que aderiu a consórcio junto a uma concessionária para entrega futura de um Palio e que, mesmo após pagar integralmente o valor, não recebeu o carro. A decisão reconheceu a responsabilidade solidária entre a concessionária e a montadora. De acordo com o relator do processo no STJ, ministro Luis Felipe Salomão, a jurisprudência, dependendo das circunstâncias, tem admitido a responsabilização da montadora, sendo que, no caso, o uso do nome Fiat no consórcio foi admitido pela fabricante. A responsabilidade atribuída à montadora, segundo o ministro, é objetiva, amparada fundamentalmente no Código de Defesa do Consumidor (CDC). Na responsabilidade objetiva, a obrigação de indenizar independe de culpa do responsável. Para o ministro Salomão, o caso atrairia o artigo 34 do CDC, que dispõe que “O fornecedor do produto ou serviço é solidariamente responsável pelos atos de seus prepostos ou representantes autônomos.” A norma estabelece, assim, que a responsabilidade pelo descumprimento dos deveres de boa-fé, transparência, informação e confiança recai sobre qualquer dos integrantes da cadeia de fornecimento que dela se beneficiou. O entendimento do tribunal foi que a utilização da marca pela concessionária seria inerente ao próprio contrato de concessão: “Com a assinatura do contrato de concessão, a fabricante assume o bônus e o ônus da utilização de sua marca, e é exatamente por esta que o consumidor sente-se atraído, sendo desimportante, na generalidade das vezes, dirigir-se a esta ou àquela concessionária”, afirmou Salomão. Ou seja, ao comprar o veículo atraído pela ampla publicidade, o consumidor acreditava estar fazendo negócio com a montadora, e apenas de forma intermediária com a concessionária. E como a montadora teve conhecimento desta publicidade e nenhuma oposição fez, pois lhe era economicamente proveitosa, não pode, futuramente, insurjir-se contra esta mesma prática quando interpelada a ressarcir danos causados a terceiros. * Doutor Francisco Cunha


JUSTIÇA&DIREITO Curitiba, segunda-feira, 11 de novembro de 2013 | Pág. D8

Luiz Silveira/Agência CNJ

Portaria antecipa a 180ª sessão do CNJ

Joaquim Barbosa fará abertura do VII Encontro Nacional do Judiciário O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, fará a abertura do VII Encontro Nacional do Judiciário, que ocorrerá nos dias 18 e 19 de novembro, em Belém/PA. O evento deve reunir presidentes, corregedores, gestores e responsáveis pela área de gestão estratégica de todos os tribunais do País. A abertura do encontro será às 19h30 do dia 18, no Hangar do Centro de Convenções de Belém. Participará também da abertura a presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, além de outras autoridades. Em seguida, os participantes posam para a foto oficial do evento e tomam parte em um coquetel de boas-vindas.

O evento continuará na manhã do dia seguinte, a partir de 9h30, com palestras temáticas e reuniões setoriais entre os membros de cada ramo da Justiça e também corregedores de tribunais. Às 17 horas haverá o anúncio das Metas Nacionais para 2014 e dos Macrodesafios do Poder Judiciário para o período de 2015 a 2020. Às 18 horas, o ministro Joaquim Barbosa participará também do encerramento do evento. Profissionais de imprensa que pretendam cobrir o VII Encontro Nacional do Judiciário precisam se inscrever com antecedência. O cadastramento deve ser feito aqui. No formulário, são informados o nome, o veículo de comunicação para o qual o jornalista fará a cobertura, o número de seu registro profissional, o telefone e o e-mail de contato.

Opinião

AÇÕES DE EMPRESA CONTRA EMPREGADO NA JUSTIÇA DO TRABALHO

A princípio é de sonoridade excêntrica aos ouvidos a ideia de que a empresa, ou empregador, possam entrar com ação na Justiça do Trabalho contra o empregado. Fato é que, na prática, esta possibilidade não somente existe como é de extrema naturalidade. De forma genérica, até mesmo em razão do princípio da proteção ao trabalhador inerente à natureza da seara juslaboral, a crença geral é de que apenas o empregado possa se valer desta Justiça Especializada para buscar seus direitos, porém, em nenhum momento há a exclusão da empresa como possível polo ativo de um litígio trabalhista nos ditames da Constituição ou da Consolidação das Leis do Trabalho. Isto se deve ao fato de que a Constituição Federal é simples ao definir a competência da Justiça Trabalhista, em seu artigo 114, que define em seu inciso primeiro a delineação da referida competência como sendo “as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios”, o que evidencia de forma inequívoca ser o objeto toda e qualquer relação de trabalho, indiferente seja o empregador reclamante ou reclamado. São exemplos clássicos deste disposição de polos na demanda as ações de inquérito para apuração de falta grave, quando a lei assim privilegia determinada classe de empregado, assim como as ações em que a empresa busca ressarcimento de danos causados por seus prepostos, seja de forma culposa ou dolosa, e até mesmo nos casos de desvio de bens e valores, para a devida restituição, dentre outros. Assim se posiciona a jurisprudência de nosso douto Regional acerca do tema: INQUÉRITO PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE. MAU PROCEDIMENTO INSUBORDINAÇÃO E INDISCIPLINA. O conjunto probatório revela a prática obreira de conduta agressiva não condizente com o respeito e a civilidade que devem marcar o ambiente de trabalho. O mau procedimento, bem como a indisciplina do Requerido, desrespeitou o princípio da boa-fé objetiva, consubstanciado

Valter Campanato/ABr

Foi antecipada para o dia 2 de dezembro a data da 180ª Sessão Ordinária do Conselho Nacional de Justiça. As sessões do Conselho são realizadas quinzenalmente, às terças-feiras, mas no início de dezembro ela será antecipada por um dia, por motivo de agenda do presidente do órgão, ministro Joaquim Barbosa. A Portaria n. 198, que define a nova data da sessão, foi publicada nesta quarta-feita (6/11) no Diário de Justiça Eletrônico. A data da 179ª sessão também foi antecipada para a próxima terça-feira (12/11). O motivo é a realização do VII Encontro Nacional do Judiciário, nos dias 18 e 19 de novembro, em Belém/ PA. O evento reunirá presidentes, corregedores, gestores de metas e responsáveis pela área de gestão estratégica de todos os tribunais do País para definir as metas do Poder Judiciário para 2014.

Justiça bloqueia bens de suspeitos de prática de cartel em licitações de trens de São Paulo A Justiça Federal em São Paulo determinou o bloqueio de cerca de R$ 60 milhões em bens de suspeitos de participar de esquema de fraudes em licitações no sistema de trens e metrô de São Paulo. Foram afetadas pela decisão três pessoas jurídicas e cinco pessoas físicas, incluindo três ex-diretores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O bloqueio atendeu a pedido da Polícia Federal (PF), que abriu inquérito para apurar a prática dos crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

no art. 422 do Código Civil (Art. 422. Os contratantes são obrigados a guardar, assim na conclusão do contrato, como em sua execução, os princípios da probidade e boa-fé), novo paradigma para as relações contratuais. Referido princípio impõe uma visão dinâmica aos contratos, inclusive ao contrato de trabalho, permitindo neles observar não só a obrigação (principal) de prestar, mas também a obrigação (acessória ou anexa) de conduta. Recurso da Requerente a que se dá provimento.(TRT-9 4602010666900 PR 460-2010-666-9-0-0, Relator: UBIRAJARA CARLOS MENDES, 1A. TURMA, Data de Publicação: 26/07/2011). AÇÃO REPARATÓRIA. ACTIO NATA. A teoria da “actio nata”, do direito romano, encampada pela doutrina e jurisprudência pátrias, estabelece que o prazo prescricional começa a fluir a partir da violação do direito material, tornando a ação exercitável, ou seja, nos preceitos de tal teoria, a prescrição só começa a ser contada quando o titular do direito violado toma conhecimento do fato e da extensão de suas consequências, já que não se pode reclamar de um fato desconhecido ou do qual não se tem ciência do efeito danoso que causou. Na situação “sub judice” tem-se que no momento da resilição contratual obreira por justa causa a empresa Autora tinha conhecimento apenas da improbidade praticada por seu ex-colaborador, enquanto seu empregado, da qual resultou prejuízos materiais a um cliente, mas até então não havia lesão a qualquer bem jurídico seu, pois não foi ela, naquele momento, quem arcou com o prejuízo ocasionado pela má-fé do Réu (ex-empregado), mas a empresa que era sua cliente. Apenas a partir do ajuste judicial decorrente de ação ajuizada por este, através da qual foi obrigada ao pagamento de indenização, é que se passou a conhecer a exata extensão das consequências do ato ilícito praticado pelo Reclamado, nascendo, a partir daí, a possibilidade jurídica de obter o ressarcimento dos danos que efetivamente teve de suportar em razão do ato reprovável de seu ex-empregado. Recurso ordinário da empresa empregadora a que se dá provimento, afastandose a prescrição.(TRT-9 49782010662907 PR 4978-2010-662-9-0-7, Relator: UBIRAJARA CARLOS MENDES, 1A. TURMA, Data de Publicação: 30/08/2011). * Carlos Zucolotto Junior é Advogado - Zucolotto Advogados Associados – consultoria@zucolotto. adv.br

Diário Indústria&Comércio  

jornal, economia, curitiba, parana, brasil, negocios, bovespa, financas, aroldo mura, pedro washington, ayrton baptista, eliseu tisato, rol...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you