Page 6

Publicidade Legal Curitiba, quarta-feira, 10 de abril de 2013 | A6 | Indústria&Comércio GRÁFICA E EDITORA POSIGRAF S.A. CNPJ/MF nº 75.104.422/0001-06 NIRE nº 4130000645-8 ATA DA 25ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 1. Data, Hora e Local: Dia 30 de abril de 2012, às 10h00, na sede social, localizada na Rua Senador Accioly Filho, 500, CIC, Curitiba, Paraná. 2. Convocação e Presença: A convocação foi dispensada, em razão da presença da totalidade dos sócios representantes do Capital Social, conforme assinaturas apostas no Livro de Presença de Acionistas. 3. Mesa: Hélio Bruck Rotenberg, como Presidente; e Lucas Raduy Guimarães, como Secretário. 4. Ordem do Dia: (a) Tomar as contas dos Administradores, examinar, discutir e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Demonstrações Contábeis, acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; (b) Aprovar a destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 e eventual distribuição de dividendos; (c) fixar a remuneração dos membros da diretoria para o exercício social de 2012; (d) outros assuntos de interesse social. 5. Deliberações: Por unanimidade de votos: (a) Foram aprovadas as contas da Administração, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Demonstrações Contábeis, acompanhadas do parecer dos Auditores Independentes, referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, devidamente publicados no Diário Oficial do Estado do Paraná, edição de 09/04/2012, páginas 50 a 54 e no Jornal Indústria e Comércio, edição de 09/04/2012, páginas A6 e A7; (b) Foi aprovada a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2011, no valor total de R$ 2.989.715,52 (dois milhões, novecentos e oitenta e nove mil, setecentos e quinze reais e cinquenta e dois centavos), sendo destinado para reserva legal o montante de R$ 149.485,78 (cento e quarenta e nove mil, quatrocentos e oitenta e cinco reais e setenta e oito centavos), e o saldo de R$ 2.840.229,74 (dois milhões, oitocentos e quarenta mil, duzentos e vinte e nove reais e setenta e quatro centavos) ficará disponível para futuras deliberações; (c) Foi aprovado que os membros da diretoria não receberão nenhum valor a título de remuneração ou pró-labore; (d) Foi aprovada a retificação da ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 29/02/2012, registrada na Junta Comercial do Paraná sob o nº 22121173542, em sessão de 12/04/2012 para alterar sua numeração de 48ª para 52ª Assembleia Geral Ordinária. 6. Lavratura e publicação: A presente ata será lavrada na forma de sumária e publicada com omissão das assinaturas dos acionistas conforme facultam os §§ 1º e 2º do art. 130 da Lei 6404/1976. 7. Encerramento: Finalizados os trabalhos, o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e como ninguém se manifestou, a sessão foi suspensa pelo tempo necessário à lavratura da presente ata. Após lida e aprovada, a ata foi assinada por todos os acionistas presentes. HÉLIO BRUCK ROTENBERG LUCAS RADUY GUIMARÃES Presidente Secretário Ata arquivada na M.M. Junta Comercial do Paraná sob nº 20126755116, em sessão de 30/10/2012. Secretário – Sebastião Motta.

CMF SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF 12.883.105/0001-00 NIRE 413.000.807-12 ATA DA 4ª (QUARTA) ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DATA, HORA E LOCAL: Aos 18 dias do mês de março do ano de 2013, às 14:00 horas, na sede social localizada à Avenida República Argentina, n.º 210, sala 306, CEP: 80.240-210, na Cidade de Curitiba, Estado do Paraná. CONVOCAÇÃO: sendo dispensada a convocação, nos termos do Parágrafo 4º, do Artigo 124, da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, face a presença confirmada de todos os acionistas. PRESENÇA: reuniram-se os acionistas da sociedade, representando a totalidade do capital social da CMF SECURITIZADORA S.A., ANTONIO JORGE CASTANHA MOREIRA FAZENDA, BRASILINA CAMPANER FAZENDA. Para presidir a Assembléia foi eleito por unanimidade o Sr. Antonio Jorge Castanha Moreira Fazenda, que aceitando a incumbência convidou a mim, Brasilina Campaner Fazenda para secretariá-lo, no que aceitei, assim se constituindo a mesa e dando-se início aos trabalhos. ORDEM DO DIA: I – Análise da proposta da Diretoria da Sociedade para emissão de debêntures privada e Fixação das características das debêntures a serem emitidas e autorização para a Diretoria da Sociedade e celebrar a respectiva Escritura de Emissão; e II – Outros assuntos de interesse da sociedade. DELIBERAÇÕES: I - O Sr. Presidente pôs em votação a análise da proposta da diretoria para emissão de 8.000 debêntures simples, no montante de R$ 8.000.000,00, ao valor unitário de R$ 1.000,00 cada uma, sendo aprovada por unanimidade a referida emissão tendo as seguintes características: 1)  QUANTIDADE DE DEBÊNTURES A SEREM EMITIDAS:  Será emitido um total de 8.000 debêntures simples. 2) NÚMERO DE SÉRIES: A emissão será realizada em 04 séries. 3) MODO E PRAZO PARA SUBSCRIÇÃO E INTEGRALIZAÇÃO: 3.1) As debêntures serão integralizadas no prazo de 60 meses, em moeda corrente ou em créditos possuídos pelos subscritores contra a emissora, no ato da subscrição, nos termos do Contrato de Promessa de Cessão e Aquisição de Direitos Creditórios e outras Avenças. 3.2) As debêntures deverão ser subscritas no prazo máximo de 60 meses, contados a partir de 10 de abril de 2013. 4) DATA DE INÍCIO DA EMISSÃO: Para todos os efeitos legais, a data de início da emissão das debêntures será 10 de abril de 2013. 5) VALOR NOMINAL UNITÁRIO E VALOR TOTAL DA EMISSÃO: Na data de início da emissão prevista no item 4, as debêntures representativas desta emissão terão o valor nominal unitário de R$ 1.000,00, perfazendo o montante de R$ 8.000.000,00. A emissão será realizada em 04 séries, sendo que o número de Debêntures a ser alocado a cada série será definido de acordo com a demanda pelas debêntures. 6) FORMA: As debêntures terão a forma nominativa, não endossável. 7)  MODALIDADE:  Simples, não conversíveis em ações. 8)  ESPÉCIE:  As debêntures serão da espécie subordinada. 9)  VENCIMENTO DAS DEBÊNTURES:  As debêntures desta emissão vencerão no prazo de 120 (cento e vinte) meses, contado a partir da data de emissão estabelecida no item 4, ou seja, vencerão em 10 de abril de 2023 data em que a EMISSORA deverá pagar ao(s) debenturista(s) o respectivo valor nominal, devidamente atualizado de acordo com o estabelecido no item 12. 10) COLOCAÇÃO: O lançamento das debêntures será privado, sem a intermediação de Instituição Financeira. 11) PREÇO DE INTEGRALIZAÇÃO: O preço unitário para integralização das debêntures desta emissão deverá ter o seu valor nominal fixado em R$ 1.000,00 , atualizado na forma prevista no item 12, calculados a partir de 10 de abril de 2013 até as datas das respectivas integralizações. 12) BASE DE REMUNERAÇÃO: a) A base de remuneração do valor unitário das Debêntures da 1ª será de 1% , expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. b) A base de remuneração da 2ª série será de 1,10%, expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. c) A base de remuneração da 3ª série será de 1,20%, expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. d) A base de remuneração da 4ª série será de 1,30%, expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. Os pagamentos a que fizerem jus os debenturistas serão efetuados pela EMISSORA preferencialmente através de depósito em conta(s) corrente(s) bancária(s) em nome do(s) debenturista(s), a ser indicada(s) pelo(s) mesmo(s).13) DOS PAGAMENTOS: Os pagamentos a que fizerem jus os debenturistas serão efetuados pela EMISSORA preferencialmente através de depósito em conta(s) corrente(s) bancária(s) em nome do(s) debenturista(s), a ser indicada(s) pelo(s) mesmo(s). 14)  JUROS MORATÓRIOS:  Ocorrendo impontualidade no pagamento de qualquer quantia devida aos debenturistas, os débitos em atraso ficarão sujeitos a juros de mora de 1,0% (um por cento) ao mês e multa não compensatória de 2% sobre o valor do débito, além da remuneração tal como estabelecido no item 12, calculados desde a data de inadimplência até a data do efetivo pagamento, independente de aviso, notificação ou interpelação judicial ou extrajudicial. 15) AQUISIÇÃO FACULTATIVA: A EMISSORA poderá a qualquer tempo adquirir debêntures desta emissão que estejam em circulação, por preço não superior ao de seu valor nominal atualizado na forma prevista no item 12, observado o disposto no parágrafo 2º, do art. 55 da Lei nº 6.404 de 15 de dezembro de 1976, as debêntures objeto deste procedimento poderão ser novamente colocadas em circulação. 16) VENCIMENTO ANTECIPADO: Declarar-se-á antecipadamente vencidas todas as obrigações objeto da emissão de que trata o presente instrumento e exigir o imediato pagamento pela EMISSORA do valor nominal atualizado, acrescido de juros remuneratórios até a data do efetivo pagamento, na ocorrência dos seguintes fatos: 16.1) protesto legítimo e reiterado de títulos contra a EMISSORA, cujo valor global ultrapasse R$  500.000,00, salvo se o protesto tiver sido efetuado por erro ou má fé de terceiro, desde que validamente comprovado pela EMISSORA, se for cancelado ou ainda se forem prestadas garantias, em qualquer hipótese, no prazo máximo de 3  dias de sua ocorrência; 16.2)  pedido recuperação judicial ou extrajudicial formulado pela EMISSORA; 16.3)  decretação de falência da EMISSORA; 16.4)  falta de cumprimento, pela EMISSORA de qualquer obrigação prevista na Escritura de Emissão, desde que não sanada em 30 (trinta) dias, contados a partir da data do recebimento do aviso escrito que lhe for enviado; ou 16.5)  vencimento antecipado de qualquer dívida da EMISSORA, previstas na Escritura de Emissão. 17)  PUBLICIDADE:  Todos os atos societários e decisões decorrentes desta emissão que de qualquer forma vierem a envolver interesses dos debenturistas deverão ser veiculados na forma de avisos, em jornais de grande circulação. 18)  DECADÊNCIA DOS DIREITOS AOS DEBENTURISTAS:  Os direitos a juros moratórios decaem na hipótese de não comparecimento para recebimento pelos debenturistas desta emissão, dos valores correspondentes a quaisquer das obrigações pecuniárias da EMISSORA, nas datas previstas na Escritura de Emissão ou em comunicado previamente publicado. Em cumprimento ao item II da Ordem do Dia o Sr. Presidente ofereceu a palavra aos presentes para tratarem de assuntos de interesse social e, como ninguém se manifestou, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente Ata. Reabertos os trabalhos, esta Ata foi lida e, de forma unânime, aprovada e assinada pelos presentes, que autorizaram sua publicação sem as suas assinaturas, conforme Artigo 130, Parágrafo Segundo, da Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Na qualidade de Presidente e Secretária da Assembléia, declaramos que a presente é cópia fiel da Ata original lavrada no livro próprio, Curitiba, 18 de março de 2013. (a.a.) ANTONIO JORGE CASTANHA MOREIRA FAZENDA - Presidente, BRASILINA CAMPANER FAZENDA – Secretária. Registro certificado pela Junta Comercial do Paraná em 03/04/2013, sob nº 20131725319, Secretário Geral – Sebastião Motta.

GRÁFICA E EDITORA POSIGRAF S.A. CNPJ/MF nº 75.104.422/0001-06 NIRE nº 4130000645-8 ATA DA 23ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 1. Data, Hora e Local: Dia 09 de maio de 2011, às 09:00 horas, na sede social da Companhia, na Rua Senador Accioly Filho, 500, CIC, Curitiba, Paraná. 2. Convocação e Presença: A convocação foi dispensada, considerando que compareceram os acionistas que representam a totalidade do Capital Social, conforme se verifica no Livro de Presença de Acionistas. 3. Mesa: Oriovisto Guimarães, como Presidente; e Lucas Raduy Guimarães, como Secretário. 4. Ordem do Dia: (a) tomar as contas dos Administradores, examinar, discutir e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010; (b) aprovar a destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010 e eventual distribuição de dividendos; (c) fixar a remuneração dos membros da Diretoria para o exercício social de 2011; (d) outros assuntos de interesse social. 5. Deliberações: Por unanimidade de votos: (a) foram aprovadas as contas da Administração, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010, devidamente publicados no Diário Oficial do Estado do Paraná, edição de 02/05/2011, páginas 42 a 44, e no Jornal Indústria e Comércio, edição de 01º/05/2011, páginas B2 e B3; (b) foi aprovada a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2010, no valor total de R$ 4.732.400,00 (quatro milhões, setecentos e trinta e dois mil e quatrocentos reais), sendo: R$ 236.620,00 (duzentos e trinta e seis mil e seiscentos e vinte reais) destinados para reserva legal, conforme artigo 193 da Lei nº 6.404/1976; e o saldo, no valor de R$ 4.495.780,00 (quatro milhões, quatrocentos e noventa e cinco mil setecentos e oitenta reais), ficará disponível para futura deliberação, não havendo distribuição de dividendos; (c) foi aprovado que os membros da Diretoria não receberão nenhum valor a título de remuneração ou pró-labore. 6. Lavratura e Publicação da Ata: A presente ata será lavrada na forma de sumário e publicada com a omissão das assinaturas dos acionistas, conforme facultam os parágrafos primeiro e segundo do artigo 130 da Lei nº 6.404/1976. 7. Encerramento: Finalizado os trabalhos, o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e como ninguém se manifestou, a sessão foi suspensa pelo tempo necessário à lavratura da presente ata, na forma prevista no artigo 130 da Lei 6.404/1976. Após lida e aprovada, a ata foi assinada por todos os acionistas presentes. 8. Certidão: A presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio.

ORIOVISTO GUIMARÃES Presidente

LUCAS RADUY GUIMARÃES Secretário

Ata arquivada na M.M. Junta Comercial do Paraná sob nº 20111236851, em sessão de 14/06/2011. Secretário – Sebastião Motta.

Passos importantes para a evolução profissional Mais do que inteligência, toda a evolução sempre estará ligada à forma pratica de se obter meios facilitadores, ou seja, a competência está na capacidade conjunta entre negócios e pessoas para que tenham potencial de separar o que é perda de tempo do que acrescenta e estreita vínculos. Bons projetos são aqueles que conseguem fazer com que os outros percebam vantagens e desejos para a substituição, todo o resto é bobagem. O mundo, pelo excesso de oferta e natural evolução competitiva, estará sempre desenvolvendo filtros seletivos para optar pelos modelos que mais suportem as formas que cada um tem para construir seus gostos e negócios. Trabalhamos para ter o melhor produto de escala, mas com diferencial de oferta para atender os estilos das diversas tribos, desta forma é inevitável que um mesmo produto atenda a diferentes finalidades. Assim os negócios não são feitos pelo que aparentemente oferecem, mas pela forma com que são moldados para atender diversidades de situações e valores. Na pratica mesmo um veiculo popular, pode satisfazer a todo tipo de consumidor, de todas as faixas aquisitivas, podendo ser o primeiro carro de um jovem, vestindo seus ideais e valores ou ao mesmo tempo atender a um respeitado executivo de uma empresa para monitorar a sua segurança. Nestes casos será a linguagem e o conhecimento da necessidade versus o domínio do processo que fará a diferença para garantir a própria escala. Penso que toda profissão nasce da nossa capacidade no lidar com pessoas, na experiência do campo e sua evolução como abridor de portas, na missão de dominar e superar as metas, no amadurecimento necessário para a própria evolução e seleção dos produtos.

COMPANHIA MAPA S.A.

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM: 31 DEZEMBRO 2012

Londrina - PR CNPJ 14.897.190/0001-04

R$ mil

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM: 31 DEZEMBRO 2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

ATIVO

R$ mil

R$ mil

CIRCULANTE Caixas e Equivalentes de Caixa Direitos Creditórios

1.613 Nota 5

22 1.591

NÃO CIRCULANTE Imobilizado

5 5

TOTAL DO ATIVO

1.618

CIRCULANTE Impostos, Taxas e Contribuições Obrigações Sociais e Estatutárias Salários e Contribuições Sociais Outros Valores Realizáveis NÃO CIRCULANTE Debêntures Captadas PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Reserva Legal Reserva de Lucros TOTAL DO PASSIVO

373 16 113 2 242 994 994 251 100 24 127 1.618

Nota 6

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO 2012 - R$ mil EVENTOS SALDOS NO INÍCIO DO PERÍODO

CAPITAL SUBSCRITO

RESERVA LEGAL

RESERVA DE LUCROS

LUCRO/PREJUÍZO ACUMULADO

TOTAL DO PERIODO

100

100

1 - LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

-

477

477

2 - DESTINAÇÕES - Dividendos Distribuidos - Obrigações Sociais Estatutárias - Reserva Legal - Reserva de Lucros SALDOS NO FINAL DO PERÍODO

-

-

-

24 -

127

(213) (113) (24) (127)

(213) (113) -

100

24

127

-

251

-

24

127

-

151

MUTAÇÕES DO PERÍODO

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 - (Valores em R$ mil) NOTA 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia tem por objeto social: a) a aquisição e securitização de direitos creditórios não padronizados, vencidos e/ou a vencer, performados ou a performar, originados de operações realizadas por pessoas físicas ou jurídicas nos segmentos comercial, industrial, prestação de serviços e que sejam passíveis de securitização, conforme Política de Crédito devidamente aprovada pela Diretoria; b) a emissão e colocação, junto ao mercado financeiro e de capitais, de Debêntures, ou de qualquer outro título de crédito ou valor mobiliário compatível com suas atividades. NOTA 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão apresentadas em conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e em observância as disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações Lei nº 6.404/76 alterada pelas Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09, nos pronunciamentos, nas orientações e nas interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis ("CPC"). NOTA 3. BASE DE PREPARAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRA-ÇÕES FINANCEIRAS

NOTA 6. DEBÊNTURES PRIMEIRA EMISSÃO Foram emitidas 3.000 debêntures conforme demonstrado abaixo: Data de emissão : 01/fev./12; Modalidade : Simples não conversível em ações; Garantia : Direitos creditórios da carteira de ativos da emissora; Valor nominal : R$3.000.000,00 Séries : (04) Quatro séries. Base remuneratória : 1ª série tem como base de remuneração do valor uni-tário 150% da vairação acumulada das taxas médias diárias dos depósitos interfinanceiros (DI) de um dia, "over Extra-Grupo" expressa na forma de percen-tual ao ano, base 252 dias úteis, calculadas e divulgadas pela CETIP. 2ª série tem como base de remuneração do valor uni-tário 170% da vairação acumulada das taxas médias diárias dos depósitos interfinanceiros (DI) de um dia, "over Extra-Grupo" expressa na forma de percentual ao ano, base 252 dias úteis, calculadas e divulgadas pela CETIP.

Declaração de conformidade com relação às normas IFRS e às normas do (CPC). As presentes demonstrações financeiras incluem: As demonstrações financeiras preparadas conforme as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB) e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que seguem os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Padronização Contábil (CPCs). Essas demonstrações financeiras individuais são apresentadas em Real, que é a moeda funcional da Companhia. As políticas contábeis estabelecidas na nota explicativa 4 foram aplicadas na preparação das demonstrações financeiras para o trimestre encerrado em 31 de dezembro de 2012. Não houve ajustes significativos na adoção inicial das IFRS e dos CPCs. A Companhia considerou as normas do CPC descritas abaixo no decorrer do exercício findo em 31 de dezembro de 2012. CPC 24 - Evento Subseqüente CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis CPC 30 - Receitas CPC 37 - Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade

Em 31/dezembro/12, o saldo é de R$ 993.581,44 representado por 916 debêntures.

NOTA 4. PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTÁBEIS

NOTA 7. CAPITAL SOCIAL

Dentre os principais procedimentos adotados para a elaboração das demonstrações financeiras, ressaltamos: A) APURAÇÃO DO RESULTADO O resultado é apurado pelo regime de competência. B) ATIVO E PASSIVO CIRCULANTE E NÃO CIRCULANTE Os ativos são reconhecidos pelos valores de realização, incluindo os rendimentos, as variações monetárias auferidas e os passivos demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos, as variações monetárias incorridas.demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, incluindo, quando aplicável, os encargos, as variações monetárias incorridas. C) PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO A provisão do Imposto de Renda sobre o Lucro Líquido foi constituído à alíquota de 15% (quinze por cento), com adicional federal de 10% (dez por cento), sobre a parcela excedente a R$ 60 mil trimestrais e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido foi constituída à alíquota de 9% (nove por cento), do lucro líquido ajustado, na forma que dispõe a legislação vigente com base na tributação pelo lucro presumido.

O capital social da companhia é de R$100.000,00 (cem mil reais), representado por 100.000 (cem mil ) ações ordinárias com direito a voto de forma nominativa e com valor nominal de R$1,00 (um real) cada.

NOTA 5. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA DESCRIÇÃO Depósitos Bancários

2012 22

3ª série tem como base de remuneração do valor uni-tário 200% da vairação acumulada das taxas médias diárias dos depósitos interfinanceiros (DI) de um dia, "over Extra-Grupo" expressa na forma de percentual ao ano, base 252 dias úteis, calculadas e divulgadas pela CETIP. 4ª série tem como base de remuneração do valor uni-tário 250% da vairação acumulada das taxas médias diárias dos depósitos interfinanceiros (DI) de um dia, "over Extra-Grupo" expressa na forma de percentual ao ano, base 252 dias úteis, calculadas e divulgadas pela CETIP. Os pagamentos a que se fizerem jus os debenturistas serão efetuados pela EMISSORA preferencialmente através de depósito em conta corrente bancária em nome do(s) debenturisa(s).

NOTA 8. LEGISLAÇÃO SOCIETÁRIA BRASILEIRA A Lei Nº 11.638/07, alterou, revogou e introduziu novos dispositivos à Lei das Sociedades por Ações, (Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976), notadamente em relação ao capítulo XV, sobre matéria contábil, com vigência a partir de janeiro de 2008 e alterada pela Medida Provisória nº 449, de 03 de dezembro de 2008, convertida na Lei nº 11.941/ 2009. Essa Lei teve, principalmente, o objetivo de atualizar a lei societária brasileira para possibilitar o processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil com aquelas constantes das normas internacionais de contabilidade (IFRS) e permitir que novas normas e procedimentos contábeis sejam expedidos em consonância com os padrões internacionais de contabilidade. Em 31 de dezembro de 2012, a Instituição fez uma avaliação dessas alterações destacando o que segue: A administração entende que não há nas demonstrações contábeis, ajustes a serem feitos referentes ao valor presente das operações ativas e passivas de longo prazo ou relevantes de curto prazo.

RECEITA OPERACIONAL BRUTA Receita com Deságio (-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Impostos e Contribuições LUCRO OPERACIONAL BRUTO RECEITA (DESPESAS) OPERACIONAIS Financeiras Gerais e Administrativas RESULTADO OPERACIONAL IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO Lucro por Ação

762 762 (27) (27) 735 (233) (106) (127) 502 (25) 477 4,77

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DO EXERCÍCIO FINDO EM: 31 DEZEMBRO 2012 R$ mil ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro Líquido do Exercício (AUMENTO) DIMINUIÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS Direitos Creditórios a Receber Outros Créditos AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE PASSIVOS OPERACIONAIS Debentures Captadas Impostos, Taxas e Contribuições Salários e Contribuições Sociais Outras Contas a Pagar Obrigações Sociais Estatutárias FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Integralização de Capital Dividendos Distribuidos CAIXA APLICADO NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Compra de Ativo Imobilizado CAIXA (APLICADO) ORIUNDO DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA NO PERÍODO Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período

477 477 (1.591) (1.591) 994 16 2 242 ---------------------1.254 100 (213) (113) 27 (5) (5) 22 22 22

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Diretores e Acionistas da COMPANHIA MAPA SECURITIZADORA S.A. Londrina - PR Examinamos as demonstrações contábeis da Companhia Mapa Securitizadora S.A., que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e do fluxo de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, normas expedidas pela CVM - Comissão de Valores Mobiliários e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Empresa. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Companhia Mapa Securitizadora S.A., em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seu fluxo de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e normas expedidas pela CVM Comissão de Valores Mobiliários. dotadas no Brasil e normas expedidas pela CVM Comissão de Valores Mobiliários. Curitiba (PR), 10 de Março de 2013. CWB AUDITORES INDEPENDENTES S/S CRC-PR nº006933/O-0 JACIRA JOSVIAK SEMINOTTI Contador CRC-PR-061330/O-8

Diário Indústria&Comércio  

jornal, economia, curitiba, parana, brasil, negocios, bovespa, financas, aroldo mura, pedro washington, ayrton baptista, eliseu tisato, bet...

Advertisement