Issuu on Google+

GeralCuritiba

NacionalPolítica

Negócios

Obras da Marechal Floriano começam hoje

Para Paulo Bernardo, político não deve ter concessões de rádio e TV

Positivo lança segunda geração da Intel

CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 10 DE JANEIRO DE 2011 Ano XXXIV | Edição nº 8290 | R$ 1,00 | WWW.ICNEWS.COM.BR

Indústria &Comércio DIÁRIO. MAIS QUE NOTÍCIAS. INTELIGÊNCIA. CONHECIMENTO.

Fábio Campana

Porto terá investimentos de R$ 154,5 milhões

Contexto Político Empresários empolgados As informações do Governo que chegam aos ouvidos do empresariado estão deixando a turma animada.

NACIONAL POLÍTICA | A5

Registro Anac pode reduzir número de voos da TAM por causa de atrasos, avisa Jobim A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) poderá reduzir o número de voos da TAM devido aos problemas operacionais apresentados pela companhia durante os feriados de fim de ano. O aviso foi dado pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, que atribuiu parte dos atrasos e cancelamentos de voos dos últimos dias a uma operação padrão dos funcionários da empresa, fruto, segundo ele, da falta “de planejamento, de competência e de gestão”.

Receita abrirá consulta aos lotes do Imposto de Renda de 2010, 2009 e 2008 Um total de 115,2 mil contribuintes que estavam na malha fina vão receber restituição do Fisco este mês. A Receita Federal libera hoje consulta ao lote residual do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2010, 2009 e 2008. A Receita desembolsará R$ 193,3 milhões com as restituições. Referente ao exercício de 2010, 79.343 contribuintes serão beneficiados. Edição Encerrada às 21h15.

Richa também autorizou o início dos estudos para a dragagem da bacia de evolução e do canal da Galheta, de entrada na baía de Paranaguá.

O

governador Beto Richa anunciou, na sexta-feira (07/ 01), em visita ao Porto de Paranaguá, ações para o terminal voltar a ser referência nacional, os investimentos, somados recursos dos governos estadual e federal somam R$ 154,5 milhões. As obras incluem dragagens de manutenção e aprofundamento, acompanhadas de estudos am-

A

Ortigara e secretaria sem mesmice Nos últimos tempos o recurso da moratória virou moda. A justificativa é a de sempre: tomar conhecimento da real situação da máquina governamental, deixando claro que a chamada equipe de transição foi coisa apenas para inglês ver. Ou melhor, fazer crer que a situação deixada pelo antecessor é a pior possível.

LIVROS DE NEGÓCIOS | B3

CONVÉM NÃO RELAXAR inflação do ano passado foi pouco inferior a 6%, seis por cento no ano. Ou 0,5% ao mês. A maior taxa em seis anos.

- Um escândalo! - Nem tanto. Ou não somos o país que há pouco mais de 20 anos brigava bravamente pelas medalhas de ouro - olímpica e mundial – na prova inflação? Ou não somos o país que abrigou taxas de inflação de 6%... ao dia? Que atingiu o estrelato da hiperinflação? Mitigado pela correção monetária, é verdade, que simultaneamente neutralizava os piores efeitos da hidra e a estimulava.

M

as convém não afrouxar as cravelhas; seis por cento ao ano, 0,5% ao mês, não é pouco ou desprezível. Especialmente para os mais pobres. Que sofrem ainda mais com as perdas do seu pouco poder de compra. Inflação boa é inflação morta. A meta deve ser zero ou a tangenciar zero.

GERAL PARANÁ | A3

Joaquim Severino | leia mais na pág. B4

Leia na coluna Livros de Negócios, a resenha do livro Gestão Eficaz de Projetos

EDITORIAL

bientais. Richa assinou a ordem de serviço para o início imediato das obras de dragagem emergenciais dos berços de atracação e anunciou as de manutenção e aprofundamento do Canal da Galheta e da bacia de evolução do porto.

Subsea 7 tem projeto que pode inserir o Paraná no pré-sal

Inflação oficial fecha 2010 na maior taxa desde 2004

A Subsea 7, uma das maiores empresas de engenharia submarina do mundo, está chegando ao Paraná com um projeto de implantação, em Pontal do Paraná, de uma unidade de soldagem automatizada e infra-estrutura para receber embarcações especiais de lançamento de tubos rígidos de aço, que serão utilizados na implantação de sistemas de produção de óleo e gás A alta nos preços dos alimentos foi o principal responsável em águas profundas e ultra- pelo aumento do IPCA em 2010. De acordo com o IBGE, os profundas. produtos alimentícios responderam por 40% do índice. NEGÓCIOS | B3

Após susto, dólar tem estabilidade Após o susto inicial com a decisão do Banco Central, o câmbio manteve certa estabilidade na sexta-feira (07/01) e fechou vendido a R$ 1,686. A agenda econômica mundial esteve no foco dos agentes financeiros, assim como o discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke. O indicador mais importante da semana, o payroll, frustrou os mais otimistas ao mostrar a criação de 103 mil postos de emprego em dezembro. O número veio mais fraco do que sugeriu o levantamento ADP (que havia apontado criação de quase 300 mil empregos no setor privado em dezembro) e também as estimativas (150 mil). A taxa de desemprego, por sua vez, recuou de 9,8% para 9,4% no mês passado – cifra mais baixa desde maio de 2009. Diferente dos últimos dias, o BC realizou apenas um leilão de compra.

Indicadores CÂMBIO MAIORES ALTAS

COTAÇÃO

VAR. %

MAIORES ALTAS

COTAÇÃO

VAR. %

4,24 0,86 225,00 5,37 750,00

11,58 % 10,26 % 9,22 % 7,40 % 7,14 %

CEMIG HYPERMARCAS PDG REALT USIMINAS USIMINAS

28,19 21,45 10,24 20,53 22,87

2,36 % 1,90 % 1,49 % 1,38 % 1,19 %

COTAÇÃO

VAR. %

MAIORES BAIXAS

COTAÇÃO

VAR. %

1,46 1,55 5,07 0,06 0,06

-19,78 % -18,42 % -15,07 % -14,29 % -14,29 %

ITAUSA ITAUUNIBANCO P.ACUCAR-CBD BRASIL GAFISA

12,85 38,58 66,86 30,94 11,54

-3,09 % -2,67 % -2,49 % -2,40 % -2,37 %

SPRINGER FISET TUR FII OURINVES COTEMINAS BIC MONARK

MAIORES BAIXAS BRADESCO UNIPAR AFLUENTE T J B DUARTE TECTOY

CENTRAL DE ATENDIMENTO: 41 3333.9800 CMYK

ECONOMIA | A8

E-MAIL: PAUTA@INDUSCOM.COM.BR

Moeda

Compra

Venda

Dólar turismo 1,6300

1,8000

Dólar comercial 1,6840

1,6860

Dólar paralelo 1,5900

1,7300

2,1769

2,1774

Euro Ouro (Grama/R$): 176,08


"Não desperdice mais nenhum tempo discutindo sobre como um homem bom deveria ser. Seja um."

GeralCuritiba

Marco Aurélio Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira 10 de janeiro de 2011 | A2

Previsão do tempo

AB Notícias

fonte: www.simepar.br

abnoticias@abcom.com.br

Mín.: 12° Máx.: 25°

Áreas de instabilidades que se desenvolvem na região de fronteira da Argentina com o Paraguai, associadas a uma frente fria que se desloca pelo oceano deixam o tempo instável, com chuvas e trovoadas principalmente no período da tarde. As tempestades avançam de oeste para leste sobre o estado do Paraná. Há condições para o registro de temporais em pontos isolados do Estado.

COLHEITA DE BATATAS O município de Guarapuava, Centro-Sul do Estado, tem ganhado destaque com a produção de batas. Os agricultores estão animados com os preços da colheita, que começou há cerca de duas semanas. Os produtores estavam recebendo cerca de 22 reais pela saca, e o aumento registrado agora é entre 20 e 50%. Com os bons resultados desta safra, os custos na lavoura estão sendo cobertos, e os produtores comemoram.

DESTAQUE DA UVA Os produtores de uva de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, comemoram a colheita de uva, com uma safra prevista de 95 toneladas. Como maduraram mais rapidamente devido ao clima, a tradicional Festa da Uva (Fesuva) acontece entre os dias 20 e 23 de janeiro no Complexo Ambiental Governador Manoel Ribas. Em sua 28ª edição, a expectativa é de comercializar entre 25 e 30 toneladas da fruta.

REVITALIZAÇÃO

SOLUÇÃO PARA OS RESÍDUOS

Obras da Marechal Floriano começam a partir de hoje

Novidades para a reciclagem de tecidos começam a funcionar em Apucarana, Norte do Estado. A Cooperativa dos Catadores da cidade (Cocap) está recolhendo o material que será recolhido por uma empresa de São Paulo, a Coplac. É uma opção para os fabricantes de bonés e camisetas de Apucarana, que precisam dar destinação correta aos resíduos, sem contar que é uma alternativa sem custos.

MÚSICA NA CAPITAL

Serão recuperados 3.846 metros das seis pistas na avenida Lucília Guimarães

A

Prefeitura de Curitiba começa nesta segun da-feira (10) as obras de revitalização da segunda etapa da avenida Marechal Floriano Peixoto, entre a Linha Verde e a avenida Waldemar Loureiro de Campos. A partir das 8h30, as equipes contratadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas estarão trabalhando em serviços de topografia e marcação da obra. Serão recuperados 3.846 metros das seis pistas e duas faixas de estacionamentos da avenida Marechal Floriano, no trecho entre a Linha Verde e a rua Waldemar Loureiro de Campos. “Esta obra antecipas as melhorias viárias que estão programadas para a Copa do Mundo de 2014, transformando a Marechal em um corredor para o aeroporto Afonso Pena”, disse Luciano Ducci. Ao todo, serão investidos R$ 5,5 milhões nas melhorias da avenida Marechal Floriano Peixoto. O maior volume de recursos será na revitalização das calçadas, asfalto e ciclofaixas, cujo investimento é de R$ 4,2 milhões. Também serão aplicados R$ 1,3

PIB DO SUDOESTE O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o Produto Interno Bruto (PIB) dos 42 municípios do Sudoeste tiveram, de 2007 para 2008, um crescimento de quase 15%. Levando-se em consideração o PIB per capita (por habitante), o destaque foi a cidade de Mangueirinha, que ficou entre os 100 municípios do Brasil com maior PIB, mais de 40 mil reais.

DELÍCIAS NO LITORAL A Feira de Sabores do Paraná começa hoje, 7, em Matinhos e segue até o dia 16. Os turistas que estão passando férias no Litoral podem aproveitar e apreciar as dalícias do campo. São produtos diversos, como queijos, vinhos, sucos, salames, entre outros. A feira tem o objetivo de incentivar a agricultura familiar no Estado, e neste ano estão programadas 30 edições do evento.

SAÚDE NO NORTE A Prefeitura de Curitiba começa nesta segunda-feira (10) as obras de revitalização da segunda etapa da avenida Marechal Floriano Peixoto, entre a Linha Verde e a avenida Waldemar Loureiro de Campos.

milhão implantação de nova iluminação pública, que seguirá as mesmas características da avenida Padre Anchieta, com luminárias especiais para as calçadas e ciclofaixas. Na reforma viária da Marechal, está previsto a construção da primeira ciclofaixa da cidade. A pista especi-

al, que vai separar ciclistas e veículos, terá cor diferenciada e 3.846 metros. Outra mudança são as novas calçadas de blocos de concretos (paver), que terão desenhos nas cores cinza e preto. As calçadas serão antiderrapantes, com guias rebaixadas, melhorando a

acessibilidade para pessoas com deficiência e idosos. A iluminação pública será diferenciada. Postes especiais vão melhorar a iluminação das calçadas e da ciclofaixa. Serão usadas luminárias de alto rendimento direcionando toda a iluminação para baixo.

Curitiba é campeã em ações do meio ambiente Curitiba é a capital que mais desenvolve ações de proteção ao meio ambiente e onde a população tem maior preocupação com as questões ambientais. A conclusão é da pesquisa “Sustentabilidade: Aqui e Agora” do Ministério do Meio Ambiente, que ouviu moradores de 11 capitais entre os dias 27 de setembro e 13 de outubro de 2010. Foram entrevistados 100 moradores em cada uma das cidades pesquisadas. O resultado, que foi divulgado no início da semana, mostra que Curitiba destacase como a “capital” de hábitos e comportamento mais “verdes”. O relatório diz que os resultados atingidos pela

A 29ª Oficina de Música de Curitiba começa no domingo, 9, e segue até o dia 29 na capital. Considerado um dos maiores da América Latina, deve receber cerca de 1,5 mil estudantes de diversas áreas musicais e professores de vários continentes. Na programação, estão Orquestras Sinfônicas de Câmara, Conjunto de Sopro, Grupos de Música de Câmara, Grupos de Chorinho, Música Instrumental Brasileira e Música Eletrônica, além das vozes do Ópera Studio.

capital paranaense “desafiam os pesquisadores no sentido de identificar que estratégias educacionais ou de outra natureza deram certo para que os curitibanos pudessem ostentar este invejável primeiro lugar”. A sondagem revela ainda que 77% dos curitibanos entrevistados acreditam que o meio ambiente deve ter prioridade sobre o crescimento econômico. O resultado da capital paranaense é muito superior a média nacional (59%). De acordo com o prefeito Luciano Ducci, os resultados da pesquisa revelam a parceria de sucesso entre a consciência dos moradores e as

ações da administração. “Os curitibanos são os grandes responsáveis pelo reconhecimento nacional e internacional de nossa cidade na preocupação com a preservação ambiental”, diz.

Preocupação Entre as cidades que mais cultivam hábitos amigáveis em relação ao meio ambiente estão São Paulo e Curitiba, que é o município mais atento ao descarte de resíduos. Tanto que 85% dos entrevistados na capital paranaense afirma ter evitado jogar no lixo comum produtos tóxicos ou que agridem o meio ambiente (tintas, solventes, pilhas, baterias e outros).

Separação Curitiba se destaca também na separação do lixo. No total, 82% dos moradores ouvidos pelo Ministério do Meio Ambiente garante separar o lixo molhado do lixo seco. Nossa cidade também campeã na coleta seletiva, com a média de 90% para todos os materiais (latas, garrafas, papel, embalagens de alimentos e outros). “Nossos esforços estão sendo reconhecidos. Os curitibanos entenderam que a qualidade de vida está diretamente ligada as questões ambientais”, afirma o secretário do Meio Ambiente, José Antônio Andreguetto.

Informe da Câmara Municipal de Curitiba

Vereador quer criar programa em defesa das águas O vereador Francisco Garcez (PSDB) anunciou que vai propor a criação do Programa Municipal de Defesa das Águas assim que reiniciarem as sessões plenárias, no mês que vem. Garcez está concluindo um documento para entrar em tramitação na Câmara de Curitiba e, depois de aprovado, encaminhar ao prefeito Luciano Ducci, mostrando a necessidade da implantação do programa. “Trata-se de um trabalho intenso de fiscalização intersetorial e até mesmo intermunicipal agregando várias secretarias municipais, inclusive as das prefeituras da região metropolitana, secretarias estaduais e a sociedade civil organizada”, afirmou.

Prevendo que os desafios ambientais de Curitiba e região metropolitana serão cada vez mais difíceis para os próximos anos, Francisco Garcez, também presidente da Comissão Especial da Água da Casa, está pautando o seu mandato para este ano em grandes temas: ar, terra, água, verde, cultura de paz e economia solidária. “Com esta iniciativa, estaremos, junto com o governo do estado, com a prefeitura de Curitiba e os municípios da RMC, propondo e estruturando ações que podem ser trabalhadas transversalmente com todas as outras secretarias e organismos governamentais e não governamentais ligados à gestão ambiental e à cidadania”, disse o vereador.

O município de Arapongas, Norte do Estado, já conta com as academias da terceira idade para atender à população. Duas estão funcionando nos Jardins Petrópolis e São Bento. A previsão é que outras seis comecem a funcionar em breve, facilitando o acesso da população às academias. O objetivo é oferecer mais qualidade de vida, por meio do incentivo da prática de exercícios físicos.

TRANSPARANÁ EM JANEIRO Competidores de todo o Brasil se preparam para o Transparaná 2011, que acontece entre os dias 23 e 29. Promovido pelo Jeep Clube de Curitiba, o raid é composto por quatro categorias: Master, Graduados, Jeep e Júnior. A prova dura seis dias, começando em Guairá, no Oeste, e terminando em Caiobá, no Litoral. Somando 1,5 mil quilômetros, é maior raid das Américas.

AVES GERANDO RENDA O município de São João, no Sudoeste, está mais movimentado com o Abatedouro de Aves Coasul funcionando já neste mês. Em plena atividade, foi necessário contratar mais profissionais para trabalhar no local, o que chamou mais gente para a cidade. Outro ramo que se beneficia com a nova unidade é o imobiliário, que registra bons resultados nas vendas. Além disso, subiu o número de alvarás concedidos para a abertura de empresas, passando de 91 em 2009 para 104 em 2010.

GRUPO EDITORIAL INDÚSTRIA & COMÉRCIO - PARANÁ

Fundado em 2 de setembro de 1976 Fundador e Diretor Responsável Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) REDAÇÃO - Fone: 3333.9800 - E-mail: pauta@induscom.com.br Assinaturas, Publicidade Legal, Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 CEP: 80215-030 PABX Fone: (41) 3333.9800 (41) 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - CEP: 80020-290 PABX Fone: (41) 3322.1012 E-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião do jornal.


GeralParaná Curitiba, segunda-feira 10 de janeiro | A3 | Indústria&Comércio prpress@terra.com.br

TRANSPORTE

Porto terá investimentos de R$ 154,5 milhões Richa anunciou também início de obras emergenciais de dranagem

O

governador Beto Richa anunciou, nesta sexta-feira (7), em visita ao Porto de Paranaguá, ações para o terminal voltar a ser referência nacional, os investimentos, somados recursos dos governos estadual e federal somam R$ 154,5 milhões. As obras incluem dragagens de manutenção e aprofundamento, acompanhadas de estudos ambientais. Richa assinou a ordem de serviço para o início imediato das obras de dragagem emergenciais dos berços de atracação e anunciou as de manutenção e aprofundamento do Canal da Galheta e da bacia de evolução do porto. Ele estava acompanhado pelo secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, e foi recebido pelo superintendente dos Portos de Paranaguá e Antonina, Airton Vidal Maron. O governador se reuniu com lideranças sindicais, trabalhadores e operadores portuários. “Infelizmente perdemos cargas para outros portos nos últimos anos, mas daremos a volta por cima. Colocaremos o Porto de Paranaguá mais uma vez como um porto de referência nacional”, afirmou Richa.

Valores A dragagem emergencial dos berços de atracação custará R$ 2,5 milhões, e será paga com recursos da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Os trabalhos devem ser iniciados entre os dias 15 e 20 deste mês, e o prazo de conclusão dos trabalhos é de 10 dias. Richa anunciou o início dos trabalhos para a dragagem de manutenção do Ca-

Panorama Político Pedro Washignton

Celeiro de votos Se a reforma política ainda não saiu, descobriu-se no país um grande instrumento eleitoral: as bolsas sociais. Se o Bolsa Família, implantado por Lula na esteira de projetos criados pelo governo de FHC através a discreta ação de dona Ruth Cardoso, divulgado ao máximo transformou-se num fantástico celeiro de votos - 12 milhões de Bolsas garantiram no mínimo 25 milhões - a grande sacada do governo federal é ampliá-lo. Aí vem pois o “PAC contra a miséria”. Pelo menos no anúncio, um programa que pretende extirpar a miséria absoluta no Brasil embora não se saiba ainda exatamente quantos são os brasileiros necessitados. Tão miseráveis que nem sequer tiveram acesso ao Bolsa Família que oferece R$ 140 per capita. A expectativa é que nessa nova ferramenta social (e eleitoral por que não!), trabalhe-se com um apoio mensal de R$ 108. O sucesso do plano na área política se mede pelas tentativas de outros governos em criarem programas semelhantes. Aqui no Paraná a área social do governo Beto Richa já trabalha com a possibilidade de implantação de uma adaptação do Família Curitibana, excelente programa criado e administrado por Fernanda Richa, quando da passagem de seu marido pela prefeitura curitibana, em nível estadual. O que ainda não se sabe é sua extensão no estado, onde recebe a denominação de Família Paranaense. Em Curitiba eram atendidas R$ 2.555 famílias que, além de outras vantagens tais como serviços de proteção. Orientação famíliar, qualificação profissional, direito a escola, entre outras, recebem, um cartão de compras de R$ 50. Em 2011 a previsão é de que 7 mil sejam atendidas. Embora não explicado é certo que tais famílias podem estar recebendo as benesses do governo federal.

Porta de saída O esforço no caso do Família Curitibana no sentido de dar apoiamento integral às famílias, deve-se à exigência de permanecerem elas por apenas dois anos no programa. Tempo de serem adaptadas. Uma porta de saída que o Bolsa Família não criou.

Preferência esperta

Richa também autorizou o início dos estudos para a dragagem da bacia de evolução e do canal da Galheta, de entrada na baía de Paranaguá.

nal da Galheta e da bacia de evolução do Porto de Paranaguá. Estima-se que o licenciamento ambiental necessário para a execução da obra leve três meses para ser obtido. Depois disso, serão necessários três meses para a realização da licitação e outros oito meses para a execução da obra, a um custo de R$ 100 milhões. A terceira etapa dos projetos de dragagem anunciados pelo governador é a dragagem de aprofundamento. Para isso, será realizado um convênio com a Secretaria Especial de Portos para repasse de verbas do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) no valor de R$ 52 milhões.

Crescimento O governador determinou que a Appa dê início imediato ao estudo de viabilidade para ampliação do cais comercial do porto que passaria dos atuais 20 berços de atracação para 32 berços. “Esta ampliação permitirá que nossa capacidade de movimentação de cargas passe das atuais 38 milhões de toneladas por ano para 60 milhões de toneladas anuais. Com isso, garantiremos renda e muito trabalho a todos”, afirmou o superintendente Airton Maron. Durante a reunião, o governador anunciou que o porto receberá investimentos de R$ 20 milhões da empresa Cotriguaçu que cons-

truirá um silo para a armazenagem de granéis. A Appa cederá o terreno onde o silo será construído e terá capacidade para armazenar 60 mil toneladas de grãos.

Diretoria Richa aproveitou a ida a Paranaguá para anunciar a nova diretoria dos portos de Paranaguá e Antonina. A diretoria técnica será ocupada por Paulinho Dalmaz. Na diretoria administrativo-financeira, foi nomeado Carlos Roberto Frisoli. Na diretoria de desenvolvimento empresarial foi indicado Lourenço Fregonese, e como diretor do Porto de Antonina assumiu Paulo Marcos Scalco.

Daí terem ocorrido episódios como o da indústria têxtil artesanal do Piauí, em que faltava mão de obra que aceitasse trabalhar com carteira assinada. Preferiam as especialistas sobreviver trabalhando informalmente, para não terem que abrir mão da ajuda oferecida pelo Bolsa Família.

Errinho de sistema Não por acaso igualmente acontecem episódios como os que a diretoria da Caixa Econômica corre atrás. Segundo levantamento da estatal, em setembro e outubro 82,5 mil famílias, por um erro do sistema do banco, receberam R$ 11, 153 milhões a mais no Bolsa Família. Descoberto o erro, não por denúncia dos interessados que certamente perceberam a diferença, a Caixa vai agora corrigi-lo. Algumas famílias devolverão a diferença em até 27 meses.

Jeitinho brasileiro e... Aí está uma prova sobre um perigo para o qual se tem que atentar, por mais bem intencionado que seja o programa; é para o fato de ser implantado no Brasil, onde o “jeitinho” prevalece desde sempre. Não por acaso até na propaganda preconizou-se a “lei de Gerson”.

...Lei de Gerson Os filhos de Lula, Cláudio, 25 anos e Marcos Cláudio (39), ambos com o sobrenome Lula adotado, receberam visto diplomático em seus passaportes. Um benefício a que não têm direito. Um novo desrespeito à legislação: o primeiro do próprio expresidente que passa férias numa base do Exército, privilégio que a condição de ex, não lhe dá.

VINO VITA EST.

Osvaldo Nascimento Júnior osvaldopinheiro@gmail.com

O VINHO POÉTICO PARA O ANO NOVO. O VINHO TRATADO COM INTELIGÊNCIA. Escrever sobre vinhos, suas uvas, o mundo que o engloba como sua história, geografia, são assuntos que nos fascinam a cada matéria que escrevemos e trazemos até vocês, caros leitores(as) para compartilharem conosco destas descobertas. Mas ele tem um outro mundo que poucos tentam desvendar, que é mais subjetivo, mais romântico, que é a sua alma.É a POESIA DO VINHO. E nada mais poético que nesta época de festas, confraternizações, emoções, fazermos um brinde diferente, um brinde, uma homenagem àquele que nos proporciona momentos tão fascinantes de vida, de alegria, de amor e como diz o grande poeta persa Omar Khayam,(1048/1131), que dedicou um livro à poesia do vinho e ao amor, Rubayat "Se os amantes do vinho e os devotos do amor vão para o inferno, então o paraíso deve estar vazio." Ou abençoado também pelas referências bíblicas nas Sagradas Observações do Eclesiastes, dos Livros Poéticos e Sapienciais do Antigo Testamento: ""Que proveito tem o homem de todo o trabalho, com que com que se afadiga debaixo do sol?."Coma, beba e viva alegremente durante a sua fugaz passagem pela terra(1.24). Afinal tudo vem de Deus. Uma das sabedorias que a cultura enológica nos traz, é uma noção de tempo que está se perdendo em nosso mundo imediatista. Os adeptos de BACO sabem que a elaboração de um bom vinho re-

quer tempo(além do esforço, conhecimento e ajuda da natureza). Desde a colheita até o envelhecimento em garrafa, a noção de causa e consequência se dilata e é colocada em perspectiva.Ao sacarmos a rolha flagramos o resultado deste demorado e laborioso processo, que pode ter começado décadas antes. O ciclo da videira determina as noções do homem. A cada estação a planta manifesta-se de maneira diferente. Ora hibernando, ora explodindo em exuberante folhagem, ora necessitando de poda, e claro, nos dando seus frutos, sempre sob a atenção e ação do homem. É grande a afinidade deste ciclo, com a trajetória de cada ser humano. Estamos no início do verão. Se no hemisfério sul as videiras entram em sua fase frutífera, no hemisfério norte, hibernam. Enquanto isso, refletimos sobre o início deste Novo Ano, às voltas com trabalho ou viagens - é hora de recarregar as baterias, as pausas são necessárias, de hibernar ou frutificar. E o que todos queremos para este Novo Ano, são mais e melhores vinhos em todas as estações, para brindarmos nossa felicidade. Àqueles que entendem ser o vinho coisa de inverno, esquecem que países e regiões de verões realmente quentes consomem vinho o ano todo. É assim em todo o Mediterrâneo, na Austrália, na África do Sul, nas regiões mais quentes dos Estados Unidos e Europa. Onde o vinho não é apreciado, NÃO É FRIO QUE FALTA, MAS A CULTURA. Esquecem também que o nobre fermentado, em

sua infinita variedade, abarca todas as estações e ocasiões da lareira à beira da piscina. Comece a mudar agora, ponha um belo vinho branco num balde de gelo e deguste-o. O vinho pode ser visto sob diversos ângulos. Um dos mais estimulantes é a sua já citada infinita variedade. É comum bebedores de uísque ou cerveja, possuírem uma marca ou tipo predileto e consumirem basicamente este. Para apreciadores de vinho, o grande charme é a variedade. Repete-se pouco, experimenta-se muito. Pela diversidade de uvas, de terrenos, de origens, de aromas e de sabores. O enófilo (que somos todos nós que estudamos e apreciamos vinhos) é naturalmente levado a ser uma pessoa mais meticulosa. Sem ser atento a detalhes é impossível se aprofundar no estudo do vinho. Adote o paradoxo revolucionário tradicionalista. Viaje nessa diversidade, investigue, prove e eleja os produtores e as variedades que vão merecer a preferência e a confiança.Vai ver que há um mundo exuberante, variado e instigante a desvendar. O vinho por suas características, também nos transforma em colecionadores. Mas enquanto colecionadores de objetos como obras de arte, por exemplo, podem apreciar os itens de sua coleção por tempo indefinido, sempre que quiserem, com o vinho é diferente. Admirar a garrafa fechada não é desfrutá-la, mas apenas desejá-la. Colecionamos aromas, sabores, momentos e amizades em nossas vidas. É o vinho poético, embora a poesia não esteja nele e

sim em quem o bebe e faz a sua apologia. Portanto ao colocar esse líquido dionisíaco em sua taça, reflita que ao apreciar um bom vinho e unir os sentidos do paladar, visão e olfato à uma cultura milenar, repleta de lendas, mitologias e conceitos e preconceitos, cada nova taça de vinho bebida com responsabilidade, nos faz esquecer e aprender a interpretar novas sensações e às vezes nossos sentimentos. Há raros momentos em que conseguimos transceder nossas emoções e absorver séculos de história, cultura, qualidade , perseverança e realizações contidas em um bom vinho. O vinho é sedutor e divino. Seduz porque é vinho. É divino porque é mistério. Remete-nos à ardorosas convicções espirituais, nenhuma tão passional quanto à convicção islâmica de que o vinho é uma dádiva grande demais para este mundo. O vinho é a expressão do amor possível entre o homem e a terra. É um deposito cultural de cada lugar, provando que a história foi feita pelo Vinho. Em nossa primeira matéria de 2011, desejamos à você caro leitor(a) toda a poesia do vinho, com grandes tilintares de taças em momentos inesquecíveis de sua vida. Que neste novo ano, continue a celebrar a vida com um brinde à arte de viver com saúde e felicidade, e com uma nova descoberta a cada garrafa. VINHO. VOCE MERECE ESTE MOMENTO. AVOE. BRADO DE SAUDAÇÃO Á BACO POR SEUS SÚDITOS.


3

margem

Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira 10 de janeiro de 2011 | A4

a

arte&atitude,

Nem te Conto MON tem diretor O secretário de Cultura, Paulino Viapiana, assume também a direção do Museu Oscar Niemeyer, após Maristela Requião ter declinado do convite para permanecer. Ele vai, inclusive, despachar do museu, ao invés do prédio central da secretaria. Sinal que a mesma atenção do governo de Roberto Requião dado ao MON vai continuar?

moda&cia

Adélia Maria Lopes | adelia@novacombrasil.com.br

Jeans universitário é tema de nova marca

A

carioca Lode, criada no ano passado, com peças assinadas por Daniela Oliveira, participa do show room do Senac Rio Fashion Business, que abre na Marina da Glória nesta terça dia 11. Com lojas em Niterói e em Vitória (ES) e cerca de 150 pontos de venda no Brasil, a marca surgiu da experiência em produção de jeans para grandes grifes nacionais. As fotos do catálogo de inverno foram feitas por Alex Santana e Markos Fortes, com produção de beleza de Rafael Senna. O tema da coleção de inverno é Messy Frat, uma época que reúne vários estilos dos campi universitários americanos, onde o jeans é um importante elemento, tanto

masculino quanto feminino. Os vestidos têm formas que valorizam o corpo como os das meninas dos anos 60. Nos tecidos, destaque para os aca-

Colônia de Férias A terceira Colônia de Férias do Museu Oscar Niemeyer, por meio da Ação Educativa, será entre os dias 18 e 28, dirigida a crianças entre 6 e 12 anos. A atividade inclui visita monitorada, oficina artística, lanche e encerramento com uma atividade lúdica interativa. O lanche e os materiais para o desenvolvimento das atividades serão fornecidos pelo MON. A taxa diária é de 30 reais ou de 100 reais para a participação de terça a sexta-feira. As inscrições deverão ser efetuadas de 11 a 17, na Bilheteria do Museu. Fones (41) 3350-4412 e 3350-4469.

Mallorca Beach

bamentos tecnológicos, como a resina. Os emblemas militares e ícones, que remetem ao

college, surgem em estampas e acessórios. No masculino, camisetas ora básicas, ora estampadas por listras ou temas universitários. As camisas de

alfaiataria podem ser de xadrez ou lisa. As bermudas utilitárias são peças funda-

mentais, aliadas ao bom e velho jeans. Cartela de cores, dos tons militares (caramelo, caqui e verde) às cores emblemáticas americanas.

Para os compradores, o estande da Lode promete ser ágil, pois vai contar um programa, da empresa de tecnologia Klan, que torna o business mais rápido e eficiente. “A maioria de programas voltados para vendas exibe o balanço do antes ou o depois. A grande diferença do Cesto é que ele permite o comprador vizualizar melhor o que está levando”, explica Renato Nobre, adiantando que cada vendedora terá um iPad e um aparelho de leitura ótica e ao mesmo tempo que ela for mostrando as peças, o cliente pode fazer o pedido. Durante toda a compra, ele terá em mãos toda a vizualização das roupas.”É a primeira vez que é usado esse tipo de tecnologia na venda de atacado no Brasil. Já estou planejando um software para o varejo, mas esse vou manter em segredo até a hora certa”, adianta o programador.

Barbie inspira profissões Chegou a vez de Curitiba receber o evento itinerante, de grande sucesso em outras cidades brasileiras como Belo Horizonte e São Paulo, Barbie Quero Ser e Circuito Hot Wheels. Vai estar de 14 a 31 deste mês no Shopping Mueller. A Mattel criou esse programa baseado nas mais de 120 profissões que a boneca já teve, sendo as mais recentes âncora de telejornal e engenheira de computação. Para os meninos, foi programado um universo repleto de aventuras com games e pistas de corrida no Circuito Hot Wheels, onde eles vivenciarão o lado radical da alta velocidade de Hot Wheels. Os eventos são gratuitos e para toda a família. O espaço Barbie Quero Ser, que em São Paulo recebeu a visita da atriz mirim Carla Calado, é inspirado em algumas das principais carreiras de Barbie – bailarina, veterinária, fashionista, cantora de rock- e composto por cinco estações, nas quais as meninas poderão estimular a ima-

ginação e conhecer diferentes profissões. As que sonham em ser bailarina poderão se caracterizar com saias tutus e acessórios e dançar com a ajuda de desenhos de movimentos do balé estampados no chão. No cantinho Fashionista, as meninas receberão bandanas para customizarem com glittler e apliques. Uma passarela ambientada com música estará à espera da criação das garotas, que poderão desfilar as novas peças para os pais e amigos. Enquanto isso, quem gostar

de música e sonhar em ser uma estrela do rock vai poder soltar a voz e dar um verdadeiro show no espaço Rock Star com as guitarras do game Rock Band. E como não poderia faltar, um espaço Veterinária com aulas práticas de anatomia para que elas aprendam todos os cuidados necessários com a alimentação e saúde de seus bichinhos de estimação. Para deixar a brincadeira mais real, as futuras “doutoras” vestirão jalecos rosas e cuidarão

da gatinha Miette da Barbie. Para o evento ficar ainda mais completo, muitas Barbies da linha Quero Ser na colorida Brinquedoteca para as meninas soltarem a imaginação pensando nas carreiras que desejam seguir, deixando seus sonhos registrados em bilhetinhos em um painel de Barbie Quero Ser. A área dos meninos também terá uma brinquedoteca com a linha de carrinhos Hot Wheels, pistas e laptops Oregon. E terão ainda games exclusivos da série de TV Battle Force 5, com exibição diária nos canais Cartoon Network e SBT. A equipe de Battle Force 5 é formada pelo melhor time de pilotos de elite, seus carros descolados e ultra-rápidos que defendem a Terra das forças do mal com muita adrenalina e emoção. Serão cinco estações de games Wii onde os garotos poderão disputar entre eles e entrar no clima do seriado. Anote: das 14h às 20h e aos sábados das 10 às 21h. Entrada gratuita

Crianças ganham loja temática O Shopping Novo Batel começla o ano com uma novidade, a Animal Kingdom for Kids, a primeira loja temática de vestuário infantil de Curitiba. É direcionada ao público de zero a 12 anos e traz peças produzidas de forma ecologicamente correta e estampas que remetem ao mundo animal. Os empresários Isabela e Alain Mendes Hamade contam que o objetivo é mostrar às crianças a importância de preservar a nature-

cmyk

za, amar os animais e proteger o meio ambiente. A decoração, divertida e minuciosa, traz macacos, elefantes, cobras e um jipe que parece ter saído de um safári. A cada compra o cliente recebe um etiqueta colecionável, com a ilustração de um bicho, com explicações sobre sua espécie e seu habitat.

O empresário Joselito Zoreck abriu, no sábado, o deck externo do Mallorca Beach Club, nova casa do litoral paranaense, em Brejatuba. A festa começa contpou com Shawnee Taylor e Erick Morillo. A próxima atração internacional do beach club é o Dj argentino Ricky Ryan, agendando para sábado 15, dia da festa da Cool Magazine. Assinado pelo arquiteto Fernando Yoshikawa, o clube tem formas simples e artisticamente traçadas, num terreno de 2.500m², sendo 1.000 m² de deck. Capacidade para 800 pessoas e estacionamento para 250 carros. Até março, a casa abre todas as sextas com hip hop e aos sábados com house music. Entrada 30 reais (eles) e 20 reais (elas).

Duo reabre

O restaurante Duo Cuisine, depois da temporada de festas, reabre nesta terça-feira, a partir das 19h30. O chef Rodrigo Cavichiolo e seus sócios Vicente Malucelli e Marco Carneiro prepararam novidades para o ano. O cardápio terá pratos diferentes e a carta de vinhos vai ganhar novos rótulos. Fone 3244-2574.

Promoção democrática Quem consome acima de 15 reais não paga entrada. É a promoção, válida aos domingos, segundas, quartas e quintasfeiras, do Aos Democratas Pub, ou Democratinha para os íntimos, nova casa na Dom Pedro II. Ela segue o mesmo estilo do Aos Democratas da Dr. Pedrosa, bar tipicamente brasileiro, que mistura o perfil e a descontração dos botequins cariocas com a qualidade dos serviços dos estabelecimentos paulistas e a exigência do consumidor paranaense. (No pub, a música, ao vivo, não vem ferir nossos ouvidos). Fone 3024-4496.

Enrolados Nos cinemas UCI Estação e Palladium, uma promoção exclusiva: o combo do filme Enrolados vem com um copo 3D personalizado com os personagens do divertido filme da Walt Disney. São dois modelos exclusivos para colecionar.

Antonella Thá Neste mês, a jovem curitibana Antonella Thá embarca para a Grécia, em mais uma temporada de trabalho no exterior. Descoberta em 2008 pelo booker internacional e diretor da Premier Models, Fabiano Biazon, a modelo de apenas 16 anos já trabalhou na China (Guangzhou, Xangai e Pequim) e Chile. Ela já fez a campanha da Mile, fotografada em Pequim, e os editoriais feitos para as revistas L’Officiel, em Pequim, e Cosmopolitan, em Santiago. E divide seu tempo entre a carreira e os estudos. “Ela optou por realizar temporadas no exterior somente em períodos de férias da escola até concluir o ensino médio. E isso será respeitado”, diz Biazon.

DFB, lembrete O prazo de inscrições do Concurso dos Novos 2011 termina no próximo dia 22, numa realização do Dragão Fashion Brasil, que acontece em Fortaleza de 12 a 16 de abril, propondo às instituições de ensino de moda e design do Brasil uma parceria através de suas oficinas de criação e prêmio de seis mil reais à turma vencedora. Tema da edição: Artesanias. O edital está disponível no portal www.dfhouse.com.br. O Concurso dos Novos e o Dragão Fashion Brasil são eventos de trânsito nacional e internacional, idealizados pela Equipe, com Helena e Cláudio Silveira na direção.


NacionalPolítica Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | A5 | Indústria&Comércio

Desgaste de parte da frota deve apressar decisão sobre caças Alex Rodrigues

Com o vencimento do prazo de vida útil de parte dos caças de combate da Força Aérea Brasileira (FAB) a partir de 2016, o ideal é que o Brasil decida sobre a renovação da frota ainda este ano, a fim de que haja tempo hábil para a substituição das aeronaves. A informação foi dada na sextafeira (07/01) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, logo após participar do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC Serviços. “Não sou eu quem vai determinar a pauta da presidenta (Dilma Rousseff). Na hora em que achar conveniente, ela vai me chamar, mas ela sabe que esse é um assunto que terá que ser resolvido neste semestre. Por causa dessa situação, temos que decidir a questão este ano”, disse o ministro. Segundo Jobim, como o simples anúncio da melhor proposta não vai pôr fim à concorrência, a decisão tem que sair, no limite, até o fim deste ano, sob o risco de comprometimento de parte da frota aérea militar nacional. De acordo ele, o ciclo de vida útil dos atuais caças Mirage 2000 começa a vencer em 2016, e o dos modelos F-5, em 2020.

Jobim vê resistência “minoritária” contra apuração de crimes Alex Rodrigues

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, admitiu na sexta-feira (07/01) que “setores minoritários” das Forças Armadas ainda resistem às iniciativas para esclarecer as mortes e os desaparecimentos políticos ocorridos durante o regime militar (19641985). Segundo Jobim, os militares que se opõem a projetos como a criação da Comissão da Verdade estão na reserva e integram o mesmo grupo que discorda das recentes mudanças no âmbito da Defesa, mas são em número menor do que aqueles favoráveis à apuração dos fatos. “Não há nenhuma dificuldade em relação às Forças Armadas (quanto à apuração dos crimes contra os direitos humanos). Eventuais bolsões de resistência sobre a memória podem se encontrar em algum setores muito minoritários”, disse Jobim.

ROYALTIES

Governo reenviará projeto sobre pré-sal ao Congresso no 1º semestre Proposta poderá ser encaminhada com pedido de urgência constitucional, afirma ministro Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Sabrina Craide

O

governo federal deve rá encaminhar nova mente ao Congresso Nacional no primeiro semestre deste ano o projeto de lei que define a divisão dos royalties do petróleo da camada pré-sal. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse na sexta-feira (07/01) que a proposta poderá ser encaminhada com pedido de urgência constitucional. “Estamos insistindo na aprovação do mesmo projeto. Temos a convicção de que essa é a melhor solução para o Brasil, e os parlamentares poderão rever seu pensamento inicial e temos esperança de que poderão concordar com a proposta do governo”, disse. No final de dezembro, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que define as novas regras para a exploração de petróleo na camada do pré-sal, mas vetou o artigo que determinava a divisão dos royalties do petróleo entre todos os estados e mu-

nicípios brasileiros. A proposta do governo prevê uma distribuição maior para os estados produtores de petróleo. Lobão garantiu que novas licitações para a exploração de petróleo só serão feitas depois da definição das regras pelo Congresso Nacional. “Não faremos nenhuma licitação na área do pré-sal e em áreas estratégicas sem que a legislação tenha sido concluída”. Outra matéria que deverá ser encaminhada no primeiro semestre ao Congresso é a proposta para o marco regulatório do setor de mineração. Além de definir as regras de exploração do minério, o projeto prevê a extinção do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e criação de uma agência reguladora para o setor, nos mesmos moldes da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo Lobão, os gastos públicos não vão aumentar, pois os funcionários do DNPM serão reaproveitados.

“Estamos insistindo na aprovação do mesmo projeto. Temos a convicção de que essa é a melhor solução para o Brasil, e os parlamentares poderão rever seu pensamento inicial e temos esperança de que poderão concordar com a proposta do governo”, disse o ministro de Minas e Energia

OPINIÃO

Para Paulo Bernardo, político não deve ter concessões de rádio e TV Wilson Dias/ABr

Yara Aquino

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou na sexta-feira (07/01) que é contra a concessão de emissoras de rádio e televisão para políticos. Bernardo, no entanto, reconheceu que esse é um tema sensível e que ainda precisa de regulamentação. “Tem uma restrição colocada na Constituição, mas não está regulamentada. Todos sabem que tem um monte de políticos que tem rádio e televisão e acho que não deveria ser permitido”, afirmou ele, após reunião com a presidenta Dilma Rousseff para tratar do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). Paulo Bernardo lembrou de uma entrevista que deu esta semana sobre o assunto. “Fiz uma avaliação realista, pragmática, de que acho um tema difícil, sensível, por que tem que ser aprovado no Congresso. Até brinquei que é mais fácil votar o impeachment de um presidente do que a revogação de uma concessão de rádio e

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, concede entrevista coletiva à imprensa

TV”, disse.

BANDA LARGA Paulo Bernardo afirmou que o Plano Nacional de Banda Larga é uma prioridade para a presidenta Dilma Rousseff. Bernardo afirmou que até abril pretende encerrar uma rodada de reuniões com setores econômicos e sociais como empresas privadas, federais, sindicatos e asso-

ciações de provedores para chegar a um termo de acordo e ter uma orientação clara do governo sobre como conduzir o plano. “A presidenta reafirmou a determinação que tinha me dado em dezembro de que temos de dar prioridade total para essa questão da banda larga. Ela está muito empenhada nisso”, disse o ministro.

JUSTIÇA

STF recebe ação popular a favor da extradição de Cesare Battisti Da Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu ação popular em que o deputado eleito Fernando Destito Francischini (PSDBPR) pede a anulação de ato da Presidência da República que negou extradição ao italiano Cesare Battisti. O deputado pede que seja seguida a determinação judicial de sua extradição. O deputado alega que, ao afastar a extradição, o governo brasileiro estaria iniciando uma “grave crise diplomática com o governo da Itália”, diante da possibilidade de levar o caso à Corte Internacional de Haia.

O deputado eleito lembra que o STF decidiu pela extradição e que sua rejeição violaria a moralidade administrativa. O presidente do STF, Cezar Peluso, encaminhou a ação ao relator do caso na Suprema Corte, ministro Gilmar Mendes.

ENTENDA Nos anos 70, na Itália - Integrante do grupo guerrilheiro Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Cesare Battisti é acusado de participar de quatro assassinatos – de um joalheiro, um policial, um carcereiro e um militante; Em 1979, Battisti segue para a França - O ex-ativista foge da

Itália, escapando da prisão, e segue para a França onde o governo francês decide extraditálo; Em 1988, a Justiça de Milão condena o ex-ativista – À revelia, Battisti é condenado à prisão perpétua na Itália. O ex-ativista nega todas as acusações; Em 2004, a chegada ao Brasil – Battisti sai da Itália e foge para o Brasil, depois de viver por mais de dez anos na França; Em 2007, a prisão preventiva - O ex-ativista é preso no Rio de Janeiro e transferido para a Penitenciária da Papuda, em Brasília, onde está detido preventivamente.

Revisão de reajuste do mínimo é praticamente consenso no Congresso Marcos Chagas

Independentemente da postura do PMDB de debater melhor a proposta do governo de aumentar o salário mínimo para R$ 540, a revisão do reajuste é praticamente um consenso entre os parlamentares a começar pelo próprio líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP). Segundo ele, o ideal é que os partidos deixem de lado “disputas políticas” e discutam o assunto tecnicamente, com base no princípio que o salário mínimo é parte de uma política de desenvolvimento para o país. Vaccarezza disse à Agência Brasil que, por força dessas discussões, é praticamente impossível aprovar a medida provisória em fevereiro. Para ele, a votação da matéria deve ocorrer em meados de março. O também petista Paulo Paim (RS), que construiu sua história parlamentar – na Câmara e no Senado – com a bandeira de defesa de aumento real do salário mínimo e das aposentadorias, tem conversado informalmente com a bancada do partido no Senado. “A visão que tenho sentido nessas conversas é a de que somente o entendimento e o diálogo (com os partidos) é que vai definir o valor do salário mínimo.” Paim considera possível aumentar o reajuste e alcançar os R$ 550. “Os R$ 540 nós sabemos que não vai ficar, uma vez que é inconstitucional porque não corrige o salário nem pela inflação do período (no caso em questão, o ano de 2010).” O senador quer inserir nos debates que serão travados no Congresso a partir de fevereiro, a troca do fator previdenciário pela revisão da idade mínima de aposentadoria. O senador considera injusto que o servidor público da administração federal

se aposente com 55 anos, no caso de mulheres, e 60 para os homens, enquanto, para os trabalhadores do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), essas idades são de 60 e 65, respectivamente. A cúpula do PMDB, que a poucos dias antecipou o debate de revisão do salário mínimo proposto pelo Executivo, evita, agora, discutir o assunto antes de fevereiro. O receio é que a mídia continue vinculando a decisão à disputa do partido com o PT por cargos no segundo escalão do governo. Entretanto, é comum entre os parlamentares que comandam as decisões do partido que será muito difícil para o Congresso aprovar um salário mínimo apenas com a correção da inflação. Os peemedebistas ressaltam que a política em vigor de recuperação do poder de compra do salário mínimo foi construída no Congresso a partir de conversas entre as lideranças e centrais sindicais. O líder do PDT na Câmara, Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, porém ressaltou que o partido insistirá na emenda apresentada à medida provisória, fixando o valor do salário mínimo, em 2011, em R$ 580. Ele considerou, no entanto, “um sinal positivo” a possível revisão do valor estabelecido em medida provisória. “Vamos ver se resolve com o diálogo. Vou para Brasília na semana que vem”, disse o parlamentar que pretende conversar com representantes do governo para analisar a questão. O presidente nacional do PP, Francisco Dornelles (RJ), por sua vez, disse que o partido reunirá sua bancada para analisar a medida provisória e um possível aumento além do proposto. “O salário mínimo causa um maior impacto nas folhas (de pagamentos) da Previdência Social e nos municípios”, explicou o senador.


PublicidadeLegal Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | A7 | Indústria&Comércio

Empresas&Produtos Grupo Roda Viva Após alguns dias de descanso, o Matriz & Filial retorna às atividades nesta sexta-feira, 7 de janeiro. O grupo Roda Viva abre a programação musical da casa de 2011. Formado por Ângelo Roman (pai) e pelos filhos (Aline, Isabella e Ângelo Neto), o grupo que está presente desde a inauguração do bar, em setembro de 2008. Ao som de clássicos da música brasileira, compostos por Dorival Caymmi, Tom Jobim, Toquinho, Vinícius de Moraes, o quarteto anima as noites de sexta-feira e sábado da capital paranaense. A abertura das duas noites fica por conta do som do Nobre Arte Duo.A noite de domingo segue com a animação do grupo Os Milagrosos Decompositores. Os músicos, Ariel Mujica (vocal, percussão e harmônica), Luciano Gatto (vocal e violão), Fábio Abu (baixo, violão e vocal) e Samir Saman (bateria), apresentam sucessos de Tim Maia, Jorge Ben Jor e Zeca Baleiro.

BATEL GRILL

EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5000548-88.2010.404.7000/ EXEQUENTE : EXECUTADO :

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF NELSON LIMA SILVA

EDITAL N.º 4907395 EDITAL DE CITAÇÃO COM PRAZO DE 30 (TRINTA) DIAS. O DOUTOR MARCELO MALUCELLI, JUIZ FEDERAL DA 3ª VARA, CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ, NA FORMA DA LEI, ETC. FAZ SABER, a todos os que o presente edital virem, ou dele conhecimento tiverem, que perante este Juízo e Secretaria se processam os Autos de EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 5000548-88.2010.404.7000/PR, em que figura como requerente CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF e requerido NELSON LIMA SILVA, brasileiro, portador do RG n.º 67416848-SSP/PR, inscrito no CPF/MF n.º027.357.40943, com último endereço conhecido na Rua Brasílio Ribas, n.º 285, apto 24, Novo Mundo, Curitiba, Paraná. . Como o requerido NELSON LIMA SILVA encontra-se em lugar incerto e não sabido, não sendo por isso citado pessoalmente, CITA-O por meio do presente, para, em até 3 (três) dias, pagar o valor principal (R$18.876,20), acrescido dos honorários advocatícios fixados em 10% do valor principal. Fica o executado, desde já, intimado de que disporá de 15 (quinze) dias, a partir desta citação, para apresentar embargos (CPC, art. 736 e ss.), que não têm efeito suspensivo (CPC, art. 739-A), ou parcelar o débito em até 6 partes iguais e mensais, com depósito inicial de pelo menos 30% do total da execução. Havendo pagamento integral do principal e das custas no prazo acima assinalado, fica a verba honorária reduzida em 50% (CPC, art. 652-A, parágrafo único). Para que chegue ao conhecimento de todos e principalmente do interessado, mandou o MM. Juiz passar o presente edital, que será fixado em lugar de costume desta Vara e publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região. O prazo deste, que começará a fluir da data da publicação, terá transcorrido assim que decorram os 30 (TRINTA) dias, fixados em epígrafe, e assim, perfeita estará a CITAÇÃO. Dado e passado nesta cidade de Curitiba, em 09 de 12 de 2010. Marcelo Malucelli Juiz Federal

CIA DE CIMENTO ITAMBÉ, torna público que requereu ao Instituto Ambiental do Paraná – IAP a Renovação de Licença de Operação para preparação de massa de concreto e argamassa para construção, situada à Estrada das Praias, km 07 – Jardim Esperança – Paranaguá - PR

TOTAL ENGENHARIA LTDA, torna público que recebeu do Instituto Ambiental do Paraná – IAP, Licença Ambiental Prévia nº 25732, validade 28/12/2011, para implantação de um Conjunto Habitacional, situada à Rua Hamilton de Lima Suss S/N, bairro Osasco – Colombo – PR.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA ELEITORAL O Presidente do SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE PAPEL, PAPELÃO, CELULOSE, PASTA DE MADEIRA PARA PAPEL, ARTEFATOS DE PAPEL E PAPELÃO, PAPEL HIGIÊNICO, CORTIÇA E TRANSFORMAÇÃO DE PAPEL DE CURITIBA E ESTADO DO PARANÁ, no uso das prerrogativas que lhe são conferidas pelo artigo 32, 33, 34, 35 e 36 dos estatutos sociais e em conformidade com as disposições contidas nos Estatutos da Entidade Sindical, vem através do presente Edital, convocar Assembléia Geral Ordinária eleitoral, visando à escolha dos membros que comporão a Diretoria Executiva, Conselho Fiscal e Conselho de Delegados Representantes e respectivos suplentes para todos os cargos, tendo em vista o encerramento do mandato da atual Diretoria, que ocorrerá no próximo dia quinze de junho de dois mil e onze. As eleições ora convocadas irão transcorrer, em primeira convocação, nos dias 15, 16 e 17 do mês de fevereiro de 2011, através de urna fixa na sede da entidade e de urnas itinerantes, todas com funcionamento no horário das 08h00min às 18h00min, sendo que algumas urnas serão destacadas para colher os votos nas empresas que utilizem de turnos de trabalho noturno, sendo que quais serão designadas pelos responsáveis pelo possesso eleitoral na forma dos estatutos, quando da realização das eleições. Caso não se atinja, na primeira convocação o quorum previsto no artigo 59 do estatuto social, ou seja, com comparecimento de, pelo menos, metade dos associados em condições de exercer o direito de voto, fica desde já prevista a segunda convocação, que deverá ocorrer nos dias 01, 02 e 03 do mês de março de 2011, nas mesmas condições previstas para a primeira, sendo eleito à chapa somar a maioria simples dos votos em relação ao número de sócios que participarem da votação, tal como dispõe o artigo 61 dos Estatutos da Entidade. No caso de empate entre as duas das chapas inscritas, será realizado um novo escrutínio, podendo ser o segundo ou terceiro, respeitados o quorum já previsto, nos dias 15, 16 e 17 do mês março de 2011, restrito apenas às chapas empatadas, na forma e condições dos escrutínios anteriores. Em qualquer dos escrutínios, segundo dispõe o artigo 60 dos Estatutos Sociais, será eleita a chapa que conquistar a maioria simples dos votos. As chapas que quiserem concorrer às eleições deverão registrar-se no prazo de 05 (cinco) dias, contado do dia da data desta publicação, observando-se as exigências previstas no artigo 37 dos Estatutos Sociais da Entidade, e apresentando os documentos exigidos pelo artigo 39 do mesmo Estatuto, sob pena de indeferimento. Fica desde já informado que a secretaria da entidade estará funcionando diariamente, nos dias 10 (dez), 11 (onze), 12 (doze), 13 (treze) e 14 (quatorze) estes exclusivamente para atendimento inerente o registro de chapas duvidas e etc. Inerente às eleições ora convocada. Eventuais dúvidas de associados interessados deverão ser dirimidas junto à secretaria da Entidade, que funciona das 08h00min às 11h00min e das 13h00min às 18h00min, de segundas a sextas feiras. As chapas registradas serão indicadas na forma dos Estatutos da Entidade, em publicação específica, a se efetuar logo após o término dos registros, e análise da comissão eleitoral, com o nome de cada um dos candidatos de cada chapa inscrita, ficando os respectivos nomes dos componentes sujeitos a impugnação, que deverá ocorrer no prazo de 05 (cinco) dias, contados daquela nova publicação. Curitiba, 07 de Janeiro de 2011.

Faço saber que pretendem casar-se: ELIEZER ALVES PEREIRA E MARGALI LOPES, LUIS ADRIANO STALL E FERNANDA BICALHO DE BARCELOS, LAURO FERNANDES LUIZ NETTO E PRISCILLA RODRIGUES FERREIRA, RODRIGO MAZUCHOWSKI E FABIANA THIELE ESCUDERO, DOUGLAS MARQUES DA SILVA ZANGRANDE E TATIANA MATTOS, ANDRÉ RICARDO POPINHAK E MAL HI KANG, apresentaram os documentos exigidos pelo art. do CCB e se alguém souber de algum impedimento oponha-o na forma da lei do prazo de quinze (15) dias. Este será afixado no lugar de costume e publicado na imprensa local. Curitiba, 07 de janeiro de 2011. Eloirde Salette V. de Lara Escrevente.

3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ BEL. MÔNICA MARIA GUIMARÃES DE MACEDO DALLA VECCHIA Registradora Designada F AÇO

SABER QUE PRETENDEM SE CASAR :

01- GUILHERME ORTIZ CODAZZI CUNHA E JULIANA MIERES. SE ALGUÉM SOUBER ( QUINZE ) DIAS .

DE ALGUM IMPEDIMENTO, OPONHA-O NA FORMA DA LEI NO PRAZO DE

Ford Tem Recorde Histórico Em 2010 A Ford teve, em dezembro, o seu melhor mês de vendas da história e terminou 2010 também com o recorde histórico de 363.955 unidades emplacadas, um crescimento de 12,4% em comparação com 2009. Esse volume deu à marca uma participação de mercado de 10,4%, 0,1 ponto porcentual a mais que em 2009, tornando-se a única das quatro grandes montadoras a obter crescimento no mercado.Em dezembro, a Ford emplacou 39.007 veículos, número 24,6% maior que o de dezembro de 2009, recorde mensal de vendas. Esse total foi composto por 28.347 carros, 7.755 comerciais leves e 2.898 caminhões. Em 2010, as vendas por segmento foram de: 265.071 carros, 71.245 comerciais leves e 27.639 caminhões, que também registraram recorde histórico.

Athus visa tendência de mercado Foi-se o tempo em que saber falar inglês ou outro idioma era um grande diferencial para candidatos à vagas de empregos. Devido a nova realidade do mercado, um segundo idioma virou pré-requisito para inúmeras empresas, em diversos ramos de atuação.Essa nova condição se assentua quando lembrado que é o Brasil quem sediará a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. Prevendo a explosão econômica que o país irá enfrentar, bares e restaurantes já começam a se preparar para receber clientes de diversas partes do mundo.Ao perceber que essa tendência irá durar pelo menos toda esta década, as corporações já investem em seus colaboradores. “Quem contrata já tem prestado mais atenção nos candidatos que já possui algum conhecimento de outro idioma. Há empresas, também, que inicaram políticas de incentivo para qu e seus colaboradores se interessem por outras linguas”, declarou Thiago Oliveira, diretor da escola de idiomas Athus.

PagSeguro

Agenor de Oliveira Neto Presidente

16º Tabelionato de Notas e 4º Ofício de Registro Civil Rua Voluntários da Pátria, 104, 1º Andar, Centro – Curitiba-PR Fone/Fax: 3233-2444

A Batel Grill acaba de investir na compra e instalação de um gerador de energia elétrica para o estabelecimentoA primeira preocupação dos sócios-proprietários da Batel Grill, Cristiano e Ana Mocellin, na realidade era com as constantes quedas de luz que vem afetando Curitiba e que em geral se intensificam nesta época do ano.No entanto depois de se informarem acerca do assunto, descobriram vantagens, além do conforto e segurança dos clientes e funcionários, que um equipamento de geração de energia elétrica poderia trazer.Um gerador não atua apenas na continuidade do fornecimento de energia ou como fonte de energia de emergência (standby), também proporciona significativa redução dos custos de energia elétrica nos horários de pico. A opção dos sóciosproprietários da Batel Grill foi por um gerador da consolidada e confiável marca Caterpillar. Segundo Ana Mocellin, o investimento não é baixo mas o retorno vem a longo prazo em forma de economia de energia e de satisfação do cliente Batel Grill. “Já tivemos que trabalhar com o salão lotado a luz de velas e os funcionários passando aperto na cozinha. A falta de energia inviabiliza vários de nossos serviços”, relata Ana.

15

CURITIBA, 07 DE JANEIRO DE 2011

O PagSeguro será o meio de pagamentos online oficial da quarta edição do maior evento de ciência e tecnologia do mundo, a Campus Party. A edição de 2011 acontecerá de 17 a 23 de janeiro no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, e oferecerá o total de 6.500 vagas. “Para a Campus Party 2009 e 2010, cem por cento das inscrições foram efetuadas com PagSeguro. Também fomos patrocinadores do evento e tivemos um retorno muito positivo em relação às ações de marketing realizadas”, analisa Joyce Boano, coordenadora de Marketing e Vendas do PagSeguro. Em 2011 o PagSeguro continuará responsável por todas as transações relacionadas a inscrições. A quarta edição do evento contará com as zonas temáticas Ciência, Criatividade, Entretenimento Digital e Inovação. Haverá também uma área aberta ao público chamada Expo e Lazer.

Shopping Jardim das Américas

INTERAÇÃO

Hisense estreia Hi-Touch TV no CES Interação ser humano-máquina será um marco tecnológico

N

o dia 6 de janeiro, o CES (Consumer Elec tronics Show / Show de Eletrônicos para o Consumidor) foi aberto oficialmente em Las Vegas e o vicepresidente executivo da Hisense, Lin Lan, apresentou os mais recentes produtos e tecnologias que estão sendo mostrados neste evento. A TV Hi-smart, TV HiTouch TV, TV conectada à Internet, TV OLED e uma TV do tamanho de um cinema da Hisense demonstram os grandes avanços da empresa em técnicas de pesquisas prévias e de desenvolvimento de novos produtos.

A Hisense demonstrou sua TV conectada à Internet no show através de parcerias com portais de destaque, como Yahoo!, Vudu e Opera. A nova TV Hi-Touch da Hisense libera os consumidores da tradicional operação por toque e permite a eles operar o controle remoto dentro de uma certa distância através do movimento gestual, levando você à divertida interação entre ser humano e máquina e a conveniência da tecnologia da moda. Lin Lan disse que a Hisense, com base na manutenção de suas vantagens dos produtos LED, se concentrará nos

produtos inteligentes e na interação ser humano e máquina na próxima etapa do desenvolvimento tecnológico. Para acompanhar a tendência da tecnologia, a Hisense estabeleceu seu centro norteamericano de P&D em Atlanta, em agosto de 2010. O centro não apenas está equipado com talentosos engenheiros de software e hardware como também está equipado com os mais avançados equipamentos de P&D e testes, fornecendo poderoso suporte para o desenvolvimento futuro da companhia em tecnologias de ponta de categoria mundial.

A inovação tecnológica da companhia e os esforços no desenvolvimento de produtos estão agora num caminho rápido. A Hisense apresentou um crescimento ano a ano de cerca de40 por cento em receitas obtidas em mercados externos em 2010, especialmente umsignificativo crescimento ano a ano que superou 300 por cento no mercado americano nos primeiros 11 meses do ano. A marca Hisense entrou com sucesso no mercado de eletrodomésticos para casas com a cadeia hhgregg e obteve um bom desempenho de vendas.

O Shopping Jardim das Américas vai fazer das férias da garotada uma aventura marítima divertida e cheia curiosidades sobre os rios e oceanos! De 08 a 30 de janeiro, das 14h às 20h, a Praça de Eventos se transforma em uma réplica do fundo do mar, com decoração especial, exposição de peixes e atividades artísticas. Entre as algas marinhas e o azul característico do oceano, o cenário com tema Férias no Fundo do Mar contará com uma exposição de peixes de água salgada e doce. A mostra fica em funcionamento durante todo o horário de atendimento do shopping, em aquários montados especialmente para a ocasião. A visitação é gratuita e aberta ao público, assim como o tradicional espaço onde as crianças poderão usar a criatividade para desenhar, pintar e brincar com massinhas de modelar, o Clubinho Kids. O espaço funciona diariamente, das 14h às 20h.

LE LIS BLANC Com algumas referências britânicas, a Le Lis Blanc apresenta a coleção preview Outono/Inverno 2011, sustentada na tendência College, que remete às estudantes inglesas. A marca manteve sua simplicidade atemporal de sempre, mas deixou a coleção com um toque retrô-sofisticado.O ar romântico e a ingenuidade feminina podem ser vistos nas minissaias pregueadas, meias sete-oitavos e muita camisaria. Na releitura do estilo, spencers com padrões xadrezes, cardigãs e casaquinhos. O jeans chega como opção para compor looks mais despojados.Blasers são um clássico no estilo College e chegam para contrapor com a feminilidade de outras peças. Também na coleção, as calças secas merecem destaque.As cores neutras e minimalistas como caqui, branco e off white conferem leveza aos looks, sempre em harmonia com tons mais fortes, como marinho e verde – presentes nas estampas, listras e xadrezes.

Compujob alcança recorde Em 25 anos oferecendo soluções tecnológicas, 2010 foi diferente para a Compujob, especialista em soluções tecnológicas. A marca registrou presença recorde no setor corporativo, 55% de seu faturamento. Foram mais de 50 mil computadores vendidos para pequenas, médias e grandes empresas. A empresa também ampliou a sua atuação no mercado nacional, com efetivação de vendas para corporações de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Amazônia. E para 2011 a Compujob promete novidades. Nesta primeira semana de janeiro, a Diretora de Marketing, Adriane Lengler, participou da Consumer Electronics Show em Las Vegas. A feira é um dos mais importantes eventos do setor. “Trarei os principais lançamentos em soluções tecnológicas para o Brasil”, afirma Adriane.


Economia Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | B4

IPCA

Inflação fica em 5,91%, a maior taxa desde 2004 Preços dos alimentos foram os principais responsáveis Setor de gás natural veicular espera recuperar mercado Alana Gandra

O setor de gás natural veicular (GNV) brasileiro espera modificar este ano o quadro de expansão reduzida que experimentou nos últimos dois anos e meio, de acordo com o coordenador do Comitê de GNV do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Rosalino Fernandes, em entrevista à Agência Brasil. “O crescimento do setor tem sido bastante prejudicado pela baixa competitividade do preço do gás perante combustíveis concorrentes, seja etanol, seja gasolina”, externou. Segundo ele, o preço do gás tem se mantido o mesmo em todo o país, com algumas exceções, como no estado do Rio de Janeiro, onde o governo dá incentivos para o uso do GNV. “Isso faz com que o setor como um todo tenha uma posição positiva. Só que o positivo é diferente daquilo que nós vínhamos experimentando”. O setor de gás natural veicular vinha crescendo a taxas entre 10% e 12% ao ano. Em 2009, cresceu apenas 3%, totalizando 1,6 milhão de veículos convertidos. “Até novembro de 2010, não chegou a 30 mil o número de novas conversões no ano”. A queda do ritmo de crescimento preocupa o IBP, uma vez que a média anual era de 85 mil a 90 mil veículos novos convertidos para usar gás natural veicular.

Thais Leitão

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, fechou o ano de 2010 em 5,91%. A taxa, divulgada na sexta-feira (07/ 01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é a mais elevada desde 2004, quando o índice alcançou 7,6%. O resultado também ficou acima do centro da meta de inflação do governo para o ano, de 4,5%. Em dezembro, o IPCA diminuiu em relação a novembro, e ficou em 0,63%, depois de ter registrado 0,83%. Em dezembro de 2009, o índice alcançou 0,37%. A alta nos preços dos alimentos foi o principal responsável pelo aumento do IPCA em 2010. De acordo com o IBGE, os produtos alimentícios responderam por 40% do índice, tendo contribuído com 2,34 pontos percentuais. O IPCA serve de referência para o governo na definição da meta de inflação oficial do país. A coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes, destacou que, embora os alimentos – que representam aproximadamente 23% do orçamento das famílias com rendimento até 40 salários mínimos – tenham ficado em média 10,39% mais caros ao longo do ano, alguns produtos tiveram alta ainda mais forte.

“Os alimentos foram determinantes no perfil da inflação de 2010 e é interessante observar que esse aumento de cerca de 10% é em média. Alguns produtos importantes na mesa do brasileiro subiram muito mais do que isso, como as carnes (alta de 29,64%), e os feijões (alta de 51,49%)”, afirmou. Eulina Nunes destacou, ainda, que no ano passado os preços dos alimentos subiram quase três vezes mais do que em 2009, quando ficaram 3,18% mais caros. “Isso ocorreu em função do aumento da demanda interna aliado a problemas climáticos que afetaram as lavouras, como as chuvas no início de 2010 e a seca no segundo semestre, no país e em outros importantes produtores, o que levou a uma alta de preços no mercado internacional”, explicou. A coordenadora do IBGE ressaltou que a inflação em 2010 também foi pressionada pelos principais serviços demandados pelo consumidor, que contribuíram com 1,69 ponto percentual para o IPCA. Somados aos alimentos, eles foram responsáveis por quase 70% do índice. Em 2009, esse grupo contribuiu com a inflação em 1,42 ponto percentual. Segundo Eulina Nunes, a expansão do emprego no país favoreceu o aquecimento da demanda no setor. Entre os destaques

de elevação de preços em 2010 aparecem motel (13,86%), empregado doméstico (11,82%), costureira (11,78%) e cabeleireiro (8,16%). Por outro lado, os serviços com tarifas administradas ajudaram a conter a alta da inflação, tendo reduzido sua contribuição para o IPCA de 1,07 ponto percentual para 0,76 ponto percentual na passagem de um ano para outro. “A gasolina, por exemplo, que em 2009 teve alta de 2,06%, em 2010 subiu apenas 0,60%. O mesmo aconteceu com os remédios, que chegaram a subir quase 6% em 2009, e no ano seguinte não passaram de 3%”, acrescentou. Por região metropolitana, a inflação mais baixa foi registrada em Recife, onde o IPCA variou 4,63% em 2010. Já Belém, onde o índice subiu 6,86%, registrou a taxa mais alta. A alta de 5,91% no IPCA de 2010 é a maior variação anual desde 2004, quando o índice subiu 7,6%. A taxa do ano passado ficou praticamente estável na comparação com a de 2008 (5,90%). Em 2009, o IPCA registrou alta de 4,31%. Em 2010, o índice que mede a inflação oficial ficou acima do centro da meta do governo, de 4,5%, mas dentro da margem de tolerância que é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

IBGE

Custo da construção civil tem aumento de 7,36% em 2010 Paulo Virgílio

O Índice Nacional da Construção Civil registrou em 2010 uma alta de 7,36%, de acordo com os números divulgados na sexta-feira (07/01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado representa uma alta em relação ao acumulado de 2009, que ficou em 5,85%. Em dezembro, a taxa ficou em

0,26%, o que significa uma redução de 0,43 ponto percentual em relação ao 0,69% registrado em novembro. De acordo com o índice, calculado pelo IBGE em convênio com a Caixa Econômica Federal, o custo nacional da construção por metro quadrado passou de R$ 767,03, em novembro, para R$ 769,06, em dezembro. Desse total, R$ 434,25 referem-se

Sebastião tiãoNery O SENHOR DA NOITE RECIFE - “Um dos personagens da noite do Rio que depois mais me acompanhou na noite por esse mundo afora foi o colunista João Rezende. Conheci o João nos anos de 1960. Jamais posso esquecer suas histórias. Esta involuntária é engraçadíssima. Envolve a República. Houve um problema entre o presidente João Goulart e o seu ministro do Trabalho. O cargo ficou vago. Jango chamou o Hermes Lima, seu primeiro-ministro (o Brasil vivia naquele momento seu período parlamentarista), e disse: - “Quero nomear o João Ministro do Trabalho”. Hermes Lima indagou: - ”Qual João?”. Jango respondeu: - “Aquele João jornalista que encontramos sempre no Sacha’s, amigo do Samuel Wainer”. O primeiro-ministro então pergunta: - “O João Rezende?”. E o Jango: - “Ele mesmo”.

PINHEIRO NETO “Tudo perfeito: João, jornalista, vivia no Sacha’s e era amigo do Samuel. A nomeação foi publicada no Diário Oficial. Na verdade, fizeram uma tremenda confusão, enganaram-se de João. Pensavam

às despesas com materiais e R$ 334,81, aos gastos com a mão de obra. Os resultados anuais mostram que em 2010 o custo da mão de obra na construção civil subiu 10,24%, quase o dobro dos materiais, que tiveram uma alta acumulada de 5,24%. A elevação do gasto com a mão de obra é a maior desde 2003, quando a variação foi de R$ 16,21%.

Revendas esperam vender 160 mil carros importados Marli Moreira

As revendedoras independentes de automóveis importados filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) projetam vender este ano 160 mil unidades. O número representa 4,4% do total nacional de vendas de automóveis estimado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de 3,7 milhões de unidades. Pelas projeções da Anfavea, as vendas de carros importados devem representar 22% do mercado em 2011. Este percentual leva em consideração as importações feitas pelas montadoras que tem plantas no Brasil e se beneficiam de acordos internacionais de redução de tarifas para trazer modelos do exterior. O presidente da Abeiva, José Luiz Gandini, disse que,

em 2010, das 811 mil unidades importadas, apenas 16% entraram no país via importadoras independentes. Segundo ele, as 560 revendas associadas à Abeiva venderam 105 mil veículos no ano passado, uma alta de 144,1% sobre o resultado de 2009. Isso significou uma participação de 3,18% no mercado nacional, ante 1,44% em 2009. Sobre os efeitos das medidas anunciadas na quinta-feira (06/01) pelo Banco Central para o mercado futuro de câmbio, Gandini disse que é prematuro fazer qualquer avaliação sobre as consequências para o comércio de carros importados. Mas reconhece que a valorização do dólar pode prejudicar os negócios. “Quando você tem um câmbio menor, há mais margem para promoções. Se você perder essa flexibilidade pode, até, inviabilizar a vinda de alguns modelos”.

Até 2016, lâmpadas incandescentes vão deixar mercado Christina Machado

As lâmpadas incandescentes comuns serão retiradas do mercado paulatinamente até 2016. Portaria interministerial de Minas e Energia, Ciência e Tecnologia e Indústria e Comércio regulamentando a retirada foi publicada no Diário Oficial da União. A finalidade é que elas sejam substituídas por versões mais econômicas. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a medida é fruto de um longo processo de negociação com setores da sociedade, por meio de consulta pública via internet e de audiência pública. Técnicos do ministério estimam que a medida, publicada na quinta-feira (06/01), aliada a outra portaria que trata do Programa de Metas das Lâmpadas Fluorescentes Compactas, trará ao país uma economia escalonada até 2030 de cerca de 10 terawatts-hora (TWh/ano). Equivale a mais do que o dobro conseguido com o Selo Procel, utilizado atualmente. Conforme detalhado na por-

taria, fazem parte da regulamentação as lâmpadas incandescentes de uso geral, exceto as incandescentes com potência igual ou inferior a 40 Watts (W); incandescentes específicas para estufas – de secagem e de pintura – equipamentos hospitalares e outros; incandescentes refletoras/defletoras ou espelhadas, entre outras. De 30 de junho de 2012 até 30 de junho de 2016 – a não ser que surja uma nova tecnologia que permita às lâmpadas incandescentes se tornarem mais eficientes – esse tipo de produto será banido do mercado, segundo técnicos do Ministério de Minas e Energia. No mercado brasileiro existem 147 modelos de lâmpadas incandescentes etiquetadas, de quatro fabricantes diferentes. Estima-se que a lâmpada incandescente seja responsável por aproximadamente 80% da iluminação residencial no Brasil. O mercado brasileiro consome atualmente cerca de 300 milhões de lâmpadas incandescentes e 100 milhões de lâmpadas fluorescentes compactas.

nery@sebastiaonery.com.br

no João Pinheiro Netto (meu colega de “Última Hora)”, mas o nomeado foi o Rezende. João Rezende foi ministro por um dia”. Essa historia, e tantas, tantas outras, está em um dos livros mais interessantes e verdadeiros aparecidos nos ultimos meses no Brasil, as imperdíveis memórias de Ricardo Amaral, que durante varias décadas foi o mais poderoso senhor da noite no Brasil : - “Vaudeville”.

RICARDO AMARAL Como quem não quer nada, aparentemente interessado apenas em contar a vida noturna do pais, onde comandava restaurantes, casas de musica, espetáculos e diversões diurnas e noturnas, Ricardo Amaral, bom empresario, boa gente e bom caráter, revela fatos dos porões nacionais. Um dos mais sórdidos crimes do golpe militar de 1964 foi a liquidação do grupo econômico da família Simonsen, de São Paulo: 1- “Para o império da família Simonsen, a derrocada tornou-se ainda mais inevitável depois do suicídio do patriarca Mário Wallace Simonsen, em Paris, em fevereiro de 1965. Embora o conglomerado empresarial dos Simonsen fosse enorme, o maior do país na época, reunindo mais de 30 empresas no Brasil, o negócio principal deles era o café”.

SIMONSEN 2. “A exportadora Comal era poderosa, a maior nacional. No exterior, a Wasin tinha uma

participação enorme na distribuição das exportações de café brasileiro. Esse quase monopólio incomodava os concorrentes internacionais dos Simonsen, principalmente os norteamericanos, cujos interesses eram representados no Brasil por políticos influentes, ligados aos militares que haviam tomado o poder, inclusive o então empresário e deputado federal Herbert Levy”. 3. – “Antes do golpe militar de 31 de março, uma CPI da Câmara investigava denúncias de irregularidades nas empresas de Simonsen na exportação de café. Menos de um mês depois do golpe, com base nas conclusões da CPI,foi cassada a licença daquelas empresas para exportarem o café brasileiro e decretado o seqüestro dos bens de Mário Simonsen”.

PANAIR 4. - “Em fevereiro de 1965 foi a vez da Panair, que teve suas linhas nacionais e internacionais cassadas e transferidas para a Varig e a Cruzeiro do Sul. Só sobreviveram as empresas cujo controle acionário Simonsen teve tempo de transferir para outros, como ocorreu com o Banco Noroeste”. 5. - “Houve ainda uma tentativa de salvar a TV Excelsior, que foi vendida a seus principais executivos, Edson Leite e Alberto Saad, juntamente com Octávio Frias e Carlos Caldeira,da “Folha de São Paulo”. Lamentavelmente foi tarde. Quando penso em tudo isso, surpreendo-me com a facilidade com

que a imagem do maior empresário do país naquela época foi simplesmente apagada da memória geral”.

DR. PRUDENTE Lembro-me do inesquecivel diretor do “Diário Carioca”, Prudente de Morais Neto, no fim de 1965, com a serena tranqüilidade dos sábios, chegando à redação e nos contando : - “Fui conversar com o Eduardo Gomes (brigadeiro, ministro da Aeronáutica), porque não consigo entender as razões para fechar a Panair do Brasil, uma empresa exemplar. O Brigadeiro abriu uma gaveta, pegou uma pilha de fotos de belas mulheres e me disse : - Veja aqui, Prudente. Todas contrabandistas. Todas prostitutas. Eram as aeromoças da Panair. E fecharam a Panair por contrabando”.

JOÃO GILBERTO A denuncia contra a Máfia de Nova York, feita pelo Ricardo, é um tratado de sociologia. Mas há historias que terminam em belas sacadas : - “João Gilberto é um artista excepcional, mas uma pessoa insuportavel. Consta que um gato do João se suicidou, pulando da janela”. www.sebastiaonery.com.br


Opinião TRADIÇÃO JURÍDICA E O COMÉRCIO INTERNACIONAL Frederico Eduardo Z. Glitz Quando se fala de comércio internacional são muito comuns as referências a ampla liberdade de trânsito de bens, pessoas e serviços através das fronteiras nacionais, ou seja, a consagração do chamado “livre comércio”. Esta fórmula, contudo, pode parecer mais generosa do que realmente é. Isso porque o comércio internacional não é, como aparenta ser, alheio a condicionamentos de ordem política, econômica ou jurídica específicas de cada país. Em verdade cada Estado mantém, ainda, em cada um daqueles sentidos, grande peso na definição dos limites ao acesso aos seus próprios territórios e mercados. Com isso se reafirma a tradicional fórmula da soberania nacional. Por outro lado, contudo, também é verdade que cada vez mais o país deve se adequar aos ditames de origem internacional. Quer porque com eles o Estado concordou, por meio dos mais diversos Tratados, por exemplo, quer porque, em alguma medida, está obrigado a respeitá-los, independentemente da natureza dessa obrigatoriedade (decisões de Cortes Internacionais, como o Tribunal Penal Internacional, por exemplo). Assim, em termos estritamente jurídicos, passa-se, hoje, a discutir qual é a repercussão da globalização para o espaço de liberdade que cada país tem de determinar suas próprias regras atinentes ao comércio realizado pelos seus nacionais. Em outras palavras é o desafio de se entender a globalização e as conseqüências dela para o poder relativo de o Estado ditar as regras do “jogo” comercial. O comércio internacional tem, em verdade, demonstrado que o esquema clássico totalmente lastreado na atuação legislativa estatal não é mais absoluto. Em termos contratuais, por exemplo, reconhece-se a existência, validade e efeitos de cláusulas, costumes e soluções empresariais e negociais quer elas sejam reconhecidas pela lei de cada país ou não. Os agentes de comércio internacional, os transportadores e os Tribunais nacionais já sabem disso quando, cotidianamente se deparam com cláusulas de transferências de riscos sobre a mercadoria (Incoterms) ou com os modelos de documentação de embarque ou interpretem a forma de realizar o pagamento de uma carta de crédito. Apesar disso, o padrão de pensamento jurídico, especialmente o brasileiro, continua atrelado ao formal da lei, estático e não criativo. A inserção em mercado global, contudo, passa a exigir também soluções jurídicas adaptadas globalmente. Este esforço, por certo, não é exclusivo dos empresários envolvidos com exportações e importações. Ele ultrapassa a fronteira do público e privado para alcançar todos aqueles que agem como agentes econômicos (inclusive o Estado), instituição de ensino e formadores de opinião. Por certo, portanto, não se trata apenas de adaptar apenas a infra-estrutura material de um país a uma melhor capacidade de produção e exportação, mas a mentalidade de seus operadores para atuarem transnacionalmente. Talvez este seja o maior desafio do Comércio Internacional brasileiro. *Frederico Eduardo Z. Glitz Advogado, Professor da Faculdade de Direito da UNIBRASIL e Universidade Positivo. Diretor Científico Instituto de Pesquisas em Comércio Internacional - INTER.

MP pode pedir indenização para idosos prejudicados no recadastramento de 2003 O Ministério Público Federal (MPF) é parte legítima para pedir indenização em favor dos idosos que, em 2003, foram obrigados pelo INSS a se recadastrar para continuar recebendo suas aposentadorias e pensões. Na época, a decisão do INSS foi muito criticada por ter submetido pessoas com mais de 90 anos a desconforto e humilhação em enormes filas que se formaram diante dos postos de atendimento da autarquia. Em julgamento unânime, a Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu a legitimidade do MPF para propor ação “em defesa dos direitos e interesses difusos e coletivos, individuais indisponíveis e individuais homogêneos do idoso”. Com isso, só agora, sete anos depois dos fatos, a Justiça poderá começar a analisar no mérito o pedido de reparação. Em outubro de 2003, o INSS determinou o bloqueio de pagamento dos benefícios aos aposentados e pensionistas com mais de 90 anos, exigindo que comparecessem às agências da autarquia para recadastramento. Após os tumultos que decorreram da exigência, o MPF entrou na Justiça com ação civil pública contra a União e o INSS, cobrando indenização por danos morais e patrimoniais em favor dos beneficiários atingidos pela medida. O juiz de primeira instância extinguiu a ação sem entrar no mérito, por considerar que o MPF não detinha legitimidade para representar os idosos no

caso. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede no Rio Grande do Sul, manteve a sentença do juiz. “Em se tratando de direitos ou interesses que, embora homogêneos, são individuais e disponíveis, há que se declarar a ilegitimidade ativa do Ministério Público Federal”, afirmou o TRF4.

Entendimento O entendimento judicial só foi reformado agora pela Primeira Turma do STJ, ao julgar recurso especial apresentado pelo MPF. O relator, ministro Luiz Fux, citou a Constituição e o Estatuto do Idoso (Lei n. 10.741/2003) para concluir que a ação movida contra a União e o INSS, por causa dos problemas que os aposentados tiveram que enfrentar em 2003, “revela hipótese de proteção de interesse transindividual de pessoas idosas”, o que legitima, segundo ele, a atuação do MPF. O eventual direito dos aposentados e pensionistas à indenização – matéria a ser discutida ainda nas instâncias inferiores da Justiça – não estava em questão no recurso especial, mas apenas a legitimidade do autor da ação. Segundo o relator, “a Constituição habilitou o Ministério Público à promoção de qualquer espécie de ação na defesa de direitos difusos e coletivos”. Por isso, acrescentou, o MP “legitima-se a toda e qualquer demanda que vise à defesa dos interesses difusos, coletivos e sociais sob o ângulo material ou imaterial”.

Justiça&Direito Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | B1

RECURSO REPETITIVO

Fraude em execução fiscal não exige prova de má-fé Entendimento deverá orientar as decisões da Justiça sobre os demais recursos

A

transferência de bens do devedor ocorrida após a inscrição do débito tributário em dívida ativa configura fraude contra a execução fiscal, independentemente de haver qualquer registro de penhora e de ser provada a má-fé do adquirente. Essas condições são exigíveis apenas para se caracterizar a fraude em caso de dívidas não tributárias, conforme decidiu a Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão foi tomada no julgamento de um recurso da fazenda nacional destacado como representativo de controvérsia. De acordo com o artigo 543-C do Código de Processo Civil, o entendimento deverá agora orientar as decisões da Justiça sobre os demais recur-

sos que abordam a mesma questão jurídica, e que haviam sido sobrestados à espera de uma posição do STJ. O relator do caso, ministro Luiz Fux, afirmou em seu voto que “a lei especial prevalece sobre a lei geral, por isso que a Súmula 375 do STJ não se aplica às execuções fiscais”. A súmula citada diz que “o reconhecimento da fraude à execução depende do registro da penhora do bem alienado ou da prova de má-fé do terceiro adquirente”. De acordo com o ministro, isso é válido para as demandas cíveis, reguladas pelo Código Civil e pelo Código de Processo Civil. Já a fraude à execução fiscal é tratada pelo artigo 185 do Código Tributário Nacional (CTN). “Os precedentes que levaram à edição da Súmula 375 não foram exarados em

processos tributários”, disse ele. Na origem do processo, a Fazenda Nacional ajuizou ação para executar a dívida de um contribuinte do Paraná. Três dias depois de receber a citação, em outubro de 2005, o contribuinte ven-

Prefeito eleito de cidade do Paraná recorre ao STF para garantir posse Alegando a extinção da punibilidade do crime ambiental atribuído ao prefeito eleito de Jundiaí do Sul (PR), Valter Abras (PSDB), a defesa do político entrou com pedido de Habeas Corpus no Supremo Tribunal Federal para que ele tome posse do cargo. Abras venceu o pleito, mas não assumiu o cargo porque tinha contra si uma sanção penal pendente de cumprimento. No recurso, a defesa de Abras pede que seja declarada a autoridade de decisão do Superior Tribunal de Justiça, que extinguiu a punibilidade do político em relação ao crime ambiental

que resultou na impugnação de seu registro de candidatura nas Eleições de 2008. A cidade está sendo administrada pelo presidente da Câmara Municipal. Os advogados explicaram que, no dia 5 de outubro de 2010, o STJ concedeu HC ao prefeito, mantendo a condenação, mas reformando a sentença condenatória em relação à dosimetria da pena, “fixando-a em um ano de reclusão, substituída por pena restritiva de direito, consistente em prestação pecuniária e, tendo em vista o seu cumprimento, declarar extinta a punibilidade do

paciente”. Por isso, diz a defesa, o prefeito deve ser diplomado e empossado.

Demora Para os advogados, a demora no cumprimento da decisão do STJ por parte da Justiça Eleitoral está gerando danos a Abras, ao povo, ao estado e à democracia. Os advogados do prefeito sustentam que a decisão do STJ restabeleceu a plenitude de seus direitos políticos, com efeito retroativo a 28 de maio de 2008 (data anterior ao pedido de registro), e não caberia à Justiça Eleitoral fazer juízo de valor.

STJ mantém decisão que anulou arrematação de imóvel da Sefran Mandado de segurança não pode ser usado contra decisão judicial passível de recurso, quando a autora do Mandado de Segurança é parte no processo. Com este argumento a 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça afastou a Súmula 202 do STJ, segundo a qual “a impetração de segurança por terceiro, contra ato judicial, não se condiciona à interposição de recurso”, e rejeitou o Mandado de Segurança impetrado por uma empresa para que fosse confirmado o leilão em que ela arrematou uma outra empresa falida. A decisão confirma acórdão Justiça de São Paulo que

anulou a arrematação de um imóvel integrante do parque fabril da Sefran Indústria Brasileira de Embalagens Ltda., em Franco da Rocha (SP) pela Ellenburg Participações. A Sefran teve falência decretada em 1996. De acordo com o relator, ministro Luiz Fux, a Ellenburg, que apresentou o Mandado de Segurança, “detinha evidente legitimidade” para recorrer por outros meios, chegando a ser admitida como interessada em um outro recurso. O ministro explicou que a Súmula 202 diz respeito a terceiros prejudicados que não participam do processo e por isso não têm co-

nhecimento dos atos praticados. Em 1988, a Fazenda Pública de São Paulo entrou com execução fiscal contra a Sefran na 2ª Vara Cível de Franco da Rocha. Posteriormente os sócios da empresa foram incluídos na ação. Em 1996, na mesma vara judicial, foi decretada a quebra da indústria, sendo fixado como termo da falência o 60º dia anterior ao primeiro protesto. Dentro do prazo compreendido pelo termo da falência, foi penhorado na ação de execução fiscal um dos imóveis que compunham o parque industrial da falida e que pertencia a um sócio.

deu uma motocicleta importada da marca Yamaha, ano 2000. Em 2007, a Justiça deferiu a penhora do veículo. O comprador, então, entrou com embargos de terceiro, que foram julgados procedentes na primeira instância.

MP pode ajuizar ação civil pública em matéria previdenciária A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu a legitimidade do Ministério Público para propor ação civil pública em matéria previdenciária. O entendimento, baseado em voto da ministra Laurita Vaz, se alinha à posição que vem sendo adotada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no sentido de valorizar a presença do relevante interesse social envolvido no assunto, que diz respeito, em grande parte, a pessoas desvalidas social e economicamente. Em seu voto, a ministra Laurita ressaltou que a jurisprudência recente do STJ tem sido pela tese desfavorável à legitimidade do MP. Entretanto, a ministra resgatou vasta doutrina e jurisprudência recente do STF que autorizam o órgão a ajuizar ação civil pública para tutela de direitos individuais homogêneos sem relação de consumo. No STJ, o recurso é do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

DECISÃO

Prescrição pode ser analisada em ação monitória A prescrição pode ser alegada a todo tempo, salvo na instância especial, e mesmo em ação monitória. O entendimento, unânime, é da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi manifestado no julgamento de um recurso movido contra decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). A Turma acompanhou integralmente o voto do relator, ministro Aldir Passarinho Junior. A ação monitória tem

rito sumário e serve para obter títulos executivos de débitos sem a demora do processo judicial. No caso, a devedora foi cobrada por mensalidades escolares em atraso de janeiro a dezembro de 1998. Em primeira instância, ela foi condenada ao pagamento das mensalidades e às respectivas correções. A devedora apelou, afirmando já haver prescrição da maioria das mensalidades devidas, uma vez que a ação foi proposta em 29 de

outubro de 1999. Entretanto, o TJRJ confirmou a obrigação de pagar. O Tribunal fluminense considerou que não se poderia falar em prescrição, porque se aplicaria o princípio da action non nata, ou seja, de que a ação ainda não iniciada não prescreveria. No recurso ao STJ, a devedora alegou, novamente, a prescrição, já que o prazo para a cobrança seria de um ano. Como a ação foi movida em outubro de 1999, as mensalidades anteriores a

outubro de 1998 estariam prescritas. No seu voto, o ministro Aldir Passarinho Junior considerou que, como a prescrição pode ser alegada a todo tempo, o TJRJ deveria ter analisado a questão, não havendo razão para excluir a possibilidade da prescrição em ação monitória. “Alegada a prescrição na apelação da sentença monitória, era adequado e cabível o seu enfrentamento”, observou o ministro.


Justiça&Direito Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | B2

José do Carmo Badaró

ADVOGADO ESPECIALISTA EM DIREITO IMOBILIÁRIO

badaroic@jcbadaro.com.br

A situação do comprador de imóvel na planta em face da quebra do incorporador Recentemente fui consultado em meu escritório, acerca da situação jurídica do comprador, que compra o imóvel na planta, paga-o à vista, e diante da quebra do incorporador vê-se obrigado a associar-se aos demais condôminos que pagaram apenas parcelas do preço, para ratear e custear a finalização da obra. E sob este enfoque, e de acordo com várias decisões proferidas em nossos Tribunais, há que se comentar que a aquisição à vista de imóvel na planta, em havendo abandono da obra pelo incorporador, não exime nenhum comprador em contribuir para o custeio de manutenção e recuperação do empreendimento, pois se trata de dívida comum. Em tais hipóteses, com a quebra do incorporador o condomínio é instituído de forma "sui generis", sendo instituído com dupla finalidade: concluir a construção do edifício, em decorrência da falência da incorporadora responsável

Portaria aumenta capacidade de presídios no Ceará A pedido do governo do Ceará, Cid Gomes, a Vara de Execução Penal e Corregedoria de Presídios de Fortaleza aumentou o percentual de excesso prisional, ou seja, o número de presos além da capacidade máxima. Com a determinação do juiz Luiz Bessa Neto, nenhuma unidade penitenciária poderá exceder mais de 20% da capacidade máxima, que antes era de 10%. A Portaria 007/2010 foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico desta quinta-feira (6/1). A decisão foi decorrente do excesso de população carcerária nas unidades prisionais do Ceará. De acordo o juiz, a necessidade da determinação foi identificada em inspeções realizadas nas unidades prisionais. No dia 25 de outubro de 2010, Bessa Neto determinou, por meio da Portaria 4/2010, que nenhuma unidade penitenciária admitisse excesso prisional superior a 10% da capacidade máxima. A decisão do juiz seguiu as ponderações do governador do Ceará durante reunião para tratar da superpopulação nas delegacias e do sistema carcerário, que aconteceu na última quarta-feira (5/1). No encontro, além do governador e do juiz, estiveram presentes o procurador-geral do Estado, Fernando Oliveira, e a secretária da Justiça e Cidadania, Mariana Lobo. Durante o encontro com o governador, o juiz propôs a criação de um amplo diagnóstico da atual situação das unidades prisionais do estado e de um planejamento estratégico eficiente para o sistema carcerário do Ceará.

pela obra, e administrar a coisa comum, pagando as despesas ordinárias e extraordinárias para manutenção do imóvel. A obrigação de pagar as quotas condominiais é de caráter 'propter rem', instituída para a manutenção da própria coisa, ao passo que a obrigação de pagar os valores arrecadados para o término da obra advém do comum acordo das partes interessadas, com objetivo de minimizar os prejuízos ocasionados pela quebra da incorporadora responsável pelo empreendimento. Ademais, o artigo 1.336, inciso I, do Código Civil Brasileiro expressamente dispõe que: "Art. 1.336. São deveres do condômino: I - contribuir para as despesas do condomínio na proporção das suas frações ideais, salvo disposição em contrário na convenção;". E sob este enfoque, não pode o comprador do imóvel na planta pretender eximirse desta obrigação, sob o enfoque de que teria quitado o valor do imóvel e, por isso,

não estaria obrigado ao pagamento das despesas rateadas, na medida em que as referidas obrigações possuem distintas naturezas. O comprador é quitado perante a incorporadora, mas não o é perante os demais condôminos. Tal conclusão não poderia ser diferente sob pena de ferir o princípio da equidade, não se podendo admitir que este adquirente venha a se beneficiar e usufruir dos benefícios coletivos necessários fornecidos e custeados pelos demais condôminos, sem contribuir com sua parcela, pois isto seria enriquecimento ilícito, uma vez que, se existem partes comuns, ainda que em decorrência de condomínio atípico instituído em razão da falência da incorporadora, devem todos os condôminos contribuírem da mesma forma para sua manutenção. Há que ponderar ainda, se teve o adquirente do imóvel prejuízo com o pagamento integral do preço, igualmente tiveram os demais adquirentes prejuízos com pagamento parcial, e o fato supervenien-

te da quebra da incorporadora reúne todos os adquirentes, para que concorram nas despesas para a conclusão das obras, na proporção de cada fração de terreno das respectivas unidades. Imagine-se a hipótese: acaso não houvesse união entre os adquirentes de unidades, de que valeria o pagamento integral do preço pelo comprador da unidade, se em tal hipótese, resultaria na não entrega da mesma unidade? Assim, concluindo a presente matéria, há apenas que ressaltar o fato de que, dar ao comprador que quitou o imóvel na planta o privilégio de ter sua unidade quitada e não concorrer para conclusão do prédio esbarra no enriquecimento sem causa, o que vedado pelo Ordenamento Jurídico, pois os demais adquirentes terão que pagar por uma obrigação que foi assumida pela incorporadora que inadimpliu com a sua obrigação de finalizar a obra, e não pelos demais condôminos que para tal evento em nada concorreram.

FOLHA DE PAGAMENTO

Desconto de empréstimo não deve ultrapassar 30% dos vencimentos Banco Santander Banespa S/A, que aplicava um percentual próximo dos 50% A soma mensal das prestações referentes às consignações facultativas ou voluntárias, como empréstimos e financiamentos, não pode ultrapassar o limite de 30% dos vencimentos do trabalhador. Essa foi a decisão da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao atender o recurso de uma servidora pública gaúcha contra o Banco Santander Banespa S/A, que aplicava um percentual próximo dos 50%. A servidora ajuizou ação contra a instituição financeira para limitar os descontos em folha de pagamento, de-

correntes de empréstimos consignados, a 30% da remuneração. Em primeira instância, o pedido foi negado. A Décima Quinta Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) rejeitou a apelação por unanimidade, pois entendeu que o desconto era regular e que só deve haver limitação quando a margem consignável for excedida. No recurso especial, a mulher sustentou que havia omissão e contradição no acórdão do TJRS. Alegou ainda que o entendimento do TJRS diverge da jurisprudência de outros tribunais,

que determinam a limitação dos descontos em folha em 30%, devido ao caráter alimentar e ao princípio da razoabilidade. O relator, ministro Massami Uyeda, afastou a alegação de que o acórdão do TJRS foi omisso ou contraditório por considerá-la genérica. O ministro observou que não houve indicação clara dos pontos contestados, incidindo por analogia a Súmula 284/STF. Quanto à porcentagem do desconto, o ministro apontou que a divergência jurisprudencial ocorre entre o TJRS, que admitiu o descon-

to próximo de 50% da renda da mulher, e o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), que determinou que o percentual máximo de abatimento era de 30%. O ministro argumentou que “deve-se levar em consideração a natureza alimentar do salário e o princípio da razoabilidade” para atingir o equilíbrio entre os objetivos do contrato firmado e a dignidade da pessoa. Com isso, “impõe-se a preservação de parte suficiente dos vencimentos do trabalhador, capaz de suprir as suas necessidades e de sua família, referentes à alimen-

Recolhimento da contribuição é responsabilidade do tomador de serviço e não da cooperativa O tomador de serviço é o responsável tributário pelo recolhimento da contribuição previdenciária de 15% incidente sobre a nota fiscal dos serviços prestados pelos cooperados. Com esse entendimento, a Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou recurso especial de uma clínica cirúrgica, que se opunha a decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). A clínica ingressou com mandado de segurança para

não recolher a contribuição social de 15% sobre o valor bruto da nota fiscal de prestação de serviços incidente sobre as remunerações pagas às cooperativas que lhe prestavam serviço. Na primeira instância, a clínica obteve decisão favorável. Contudo, a conclusão foi modificada pelo TRF2, que aceitou o recurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). No recurso especial, a clínica alega que possui direito líquido e certo de não recolher o tributo instituído

pelo inciso IV do artigo 22 da Lei n. 8.212/91. Diz ainda que o acórdão do TRF2 desconsiderou a natureza jurídica da sociedade cooperativa quando determinou a relação jurídica da empresa com os cooperados, em relação à contribuição social. Segundo a clínica, não existe relação entre ela e os cooperados, pois os contratos de prestação de serviços são de responsabilidade das cooperativas. De acordo com o relator do recurso, ministro Luis

Fux, a nova redação do artigo 22, inciso IV, da Lei n. 8.212/91, introduzida pela Lei n. 9.876/99, revela uma sistemática de arrecadação na qual as empresas tomadoras de serviço dos cooperados são as responsáveis tributárias pela forma de substituição tributária. Segundo o ministro, a cooperativa não tem qualquer vinculação com o fato gerador do imposto, sendo que o sujeito passivo da contribuição é a empresa contratante, tomadora do serviço.

Partilha desproporcional em separação é nula mesmo que bens bastem para subsistência A partilha de bens em separação que incorra em grave desproporção pode ser anulada, mesmo que os bens deixados ao cônjuge prejudicado não o deixem em situação de miserabilidade. A intensidade do prejuízo pode ofender a dignidade da pessoa humana e autorizar a intervenção do Poder Judiciário. A decisão é da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo a autora da ação de anulação de partilha, ela foi convencida pelo ex-marido de que suas empresas estavam em dificuldades financeiras. Mesmo alertada pelo Ministério Público (MP) da desproporcionalidade da divisão, as alegações do excônjuge e do advogado que representava o casal a convenceram a aceitar os termos. Na ação, afirmava ter sido enganada por meio de

ação dolosa e lesiva do exmarido e seu advogado. O juiz de primeiro grau negou o pedido. Para ele, ainda que a partilha como feita fosse “catastrófica” para a autora, a Justiça não poderia intervir. Teria havido apenas arrependimento posterior pelo mau negócio realizado e não vício de consentimento. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) manteve o enten-

dimento manifestado pelo juiz de primeiro grau. Segundo o tribunal, mesmo verificado o desequilíbrio, ele não bastaria para anular a partilha. A lei permitiria que o juiz interferisse apenas no caso de os bens serem insuficientes para a manutenção da dignidade humana de cônjuges ou filhos, mas o Judiciário não poderia intervir na livre manifestação de vontade das partes.

tação, habitação, vestuário, higiene, transporte, etc.”, complementou. O relator esclareceu ainda que a Lei n. 10.820/ 2003, que dispõe sobre a autorização para desconto de prestações em folha de pagamento, e o Decreto n. 6.386/2008, regulamento do artigo 45 da Lei n. 8.112/ 1990, que trata da consignação em folha de pagamento dos servidores públicos, determinam que a soma mensal das prestações destinadas a abater os empréstimos realizados não deve ultrapassar 30% dos vencimentos do trabalhador.

Vistoria pode ser condicionada ao pagamento da multa Exigir que o proprietário do automóvel pague multa de trânsito como condição para fazer a vistoria anual não é um meio de constrangê-lo a quitar a dívida. A conclusão é da 5ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que, acompanhando voto do juiz federal convocado Mauro Braga, negou um pedido de anulação de auto de infração. O autuado pediu a baixa na pontuação lançada em sua carteira e a liberação para fazer a vistoria anual no veículo. O juiz convocado ressaltou que a existência de multa é fato impeditivo para a vistoria e licenciamento anual do automóvel. Ele explicou que o artigo 22 da Lei 9.503/1997 estabelece que compete aos Detrans em cada estado vistoriar e expedir o certificado de registro e licenciamento anual.


Negócios Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | B3

livros@induscom.com.br

IMPLANTAÇÃO

LIVROS

DE NEGÓCIOS Isabel

F.

Furini

RESENHA: Gestão Eficaz de Projetos de Trevor L. Young Gestão de projetos é uma matéria que exige conhecimento de conceitos e técnicas. As empresas esperam que gerentes e subgerentes dominem o assunto. Projetos são empreendimentos que procuram atingir resultados dentro de prazos, e na sociedade atual, extremamente competitiva (quase feroz e selvagem), uma empresa para sobreviver precisa de executivos capazes de criar projetos competentes. Um projeto deve estar de acordo com as necessidades e possibilidades de cada empresa para ser realizado eficazmente. O desafio é manter um equilíbrio entre projeto, equipe e organização - e isso exige gestão do tempo, além dessa palavrinha mágica “prioridade”, pois da escolha de prioridades pode depender o êxito do projeto. Gestão Eficaz de Projetos (Clio editora, 2007, 178 páginas), de Trevor L Young, ajuda a entender e aumentar essa capacidade de equilíbrio imprescindível para que seus projetos sejam bem-sucedidos. O objetivo do livro é fornecer uma visão das ferramentas básicas. São apresentados os seguintes tópicos: concepção de início do projeto, a relação com os interessados no projeto, o controle de riscos, o planejamento do projeto, o lançamento e execução do projeto, o encerramento e avaliação e muito mais. Com listas de verificação e sugestões operacionais específicas, este é um livro essencial sobre todo o processo de gestão e projetos.

O LIVRO DO ESCRITOR de Isabel Furini Se você tem o sonho de escrever um livro precisa saber que existem diversas estradas. Alguns participam de oficinas, outros contratam um assessor literário. Uma maneira simples e econômica é consultar O Livro do Escritor (editora Instituto Memória, 2009,.... páginas), uma obra didática, com sugestões de exercícios e muitas “dicas” para os novos escritores. O Livro do Escritor tem o objetivo de orientar novos autores. Pode ser adquirido nas Livrarias Fnac, Curitiba, do Chain, J.M, Porto, e Cultura Online.

CRÔNICA DE HUMOR: A Tribo dos Poetas (Parte II) (...)Contudo, quando percebo a vaidade quebrada fico comovida. Por exemplo, se ao entrar numa livraria vejo um poeta lançando seu livro naquela solidão que dá para sentir... Imediatamente me aproximo, adquiro um exemplar e peço um autógrafo. Na realidade, eu o faço para ganhar o Céu. Quando Deus perguntar o que você fez de bom no mundo? Eu responderei: comprei dezenas de livros de poetas desesperados, só por compaixão! E Deus dirá: Pode entrar no Sétimo Céu. E uma vez... aconteceu algo inusitado!.. Caminhava pela feirinha de artesanto, quando recebi um folheto. José Luiz de Carvalho estava lançando um livro de poemas. Eu nem conhecia o cara. Adquiri um livro para animá–lo. Cheguei em casa, abri o livro e li um poema... Tive desejos de gritar, de aplaudir!.. Li outro e outro... Eureka! Eureka! Um poeta de verdade!.. Três ou quatro poemas eu aconselharia rever, pois ninguém é perfeito, mas a maioria é simplesmente excelente! E esse poeta corre o perigo de ser ignorado ou esquecido no marasmo de poemas do estilo: com carinho fiz um bolinho, um bolinho fiz com carinho... Espero que as Parcas, essas velhas malvadas que tecem o destino dos homens, deem oportunidade para Carvalho. Porque poetas pululam como nuvens em dias de chuva. Mas poetas que vivifiquem a castigada terra da poesia, tem poucos. Manda brasa, Carvalho!.. Isabel Furini é escritora, palestrante e consultora literária. No mês de março orientará a Oficina Como Escrever um Livro no Solar do Rosário, Curitiba. Em 2007, redigiu o livro: SENAC PR 60 Anos. Em 2009, publicou O Livro do Escritor, pela editora Instituto Memória, de Curitiba.

Positivo lança 2ª geração da Intel Os desktops da linha Positivo Plus Elite e o notebook Positivo Premium Essential 9000 são anunciados simultaneamente com os processadores, que garantem um novo patamar de desempenho aos produtos da maior fabricante de computadores do país. Sempre em linha com as mais avançadas tecnologias, a Positivo Informática anuncia no Brasil os primeiros computadores com a Segunda Geração da Família de Processadores Intel Core, lançamento mundial da Intel na CES, evento de tecnologia que acontece até o dia 9 de janeiro, em Las Vegas. São três equipamentos baseados na nova plataforma que chegam ao mercado neste mês: os

desktops Positivo Plus Elite 9310 e Positivo Plus Elite 10380, com a Segunda Geração de Processadores Intel 2300 e Intel Cor i7 2600, respectivamente, e o notebook Positivo Premium Essential 9000, com o novo Intel Core Segunda Geração. Os novos processadores garantem ainda mais velocidade, melhor performance de vídeo e menor consumo de energia para os lançamentos da Positivo Informática. A nova tecnologia, com microarquitetura Intel® de 32nm, proporciona ganhos de desempenho em relação aos processadores baseados na arquitetura Nehalem e integra recursos gráficos que oferecem experiências visuais superiores.

Subsea 7 tem projeto que pode inserir o PR no pré-sal “Parque de Construção Submarina” será em Pontal do Paraná

A

Subsea 7, uma das maiores empresas de engenharia submarina do mundo, está chegando ao Paraná com um projeto de implantação, em Pontal do Paraná, de uma unidade de soldagem automatizada e infra-estrutura para receber embarcações especiais de lançamento de tubos rígidos de aço, que serão utilizados na implantação de sistemas de produção de óleo e gás em águas profundas e ultra-profundas. A proximidade do empreen-

dimento com a região do Présal, na Bacia de Santos, pode colocar o Paraná numa situação privilegiada em relação à indústria do petróleo, que tem forte incremento com as novas reservas descobertas no litoral brasileiro. Para a instalação da unidade de Pontal do Paraná, a empresa adquiriu na baía de Paranaguá uma área de 2.600 hectares, dos quais apenas 3% devem ser ocupados sob a vigilância de profissionais especializados em preservação. O Parque vai operar

com tecnologia avançada, sem geração de efluentes industriais e com impacto mínimo nos recursos naturais da região. O funcionamento do Parque de Construção Submarina do Paraná também irá dinamizar a economia do município e de todo o Estado. Estudos apontam que a empresa vai gerar para Pontal do Paraná cerca de R$ 3,8 milhões/ano em receitas de ISS (Imposto sobre Serviços). Isso representa um aumento de quase 160% em relação ao que arrecada atualmen-

te. Sobre o ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços), que amplia o benefício para todo o Estado, projeta-se a geração anual de R$ 10,8 milhões. Por lei, 25% desse montante também será destinado aos cofres do município. Além disto, está prevista a criação de 600 postos de trabalho, diretos e permanentes, com intenso emprego de mão de obra qualificada local e reflexos imediatos e diversos sobre a economia de toda a região litorânea.

BluePex tem recursos e proteção na internet A BluePex, empresa nacional especializada em soluções para a segurança da informação corporativa, está aprimorando os recursos oferecidos para gerenciamento e proteção de acesso à internet. A partir de janeiro, as empresas que utilizarem os UTM – appliances para controle unificado de ameaças - da BluePex poderão contar com uma base ampliada com mais de 2 bilhões de endereços de sites e controlar, de maneira facilitada e com maior segurança, o acesso a

programas específicos por meio da camada de aplicação (Layer 7). A nova base de websites e o controle por meio de camada de aplicação serão dois dos diferenciais do UTM 2.0, nova linha de produtos de segurança da BluePex, que chega ao mercado no mês de janeiro com uma série de novidades. De acordo com Nilton de Souza, diretor de gestão da BluePex, a ampliação do cadastro de websites, além da incorporação de inúmeras outras proteções em um só pro-

duto, foram aspectos levados em consideração no desenvolvimento do novo UTM.

Redes Corporativas Já o controle do uso por meio da camada de aplicação é um recurso inovador, que chega para facilitar o trabalho dos gestores de tecnologia da informação na administração da segurança das redes corporativas. Com ele, é possível controlar o conteúdo que está passando pelas “portas de acesso” à rede da empresa, permitindo

NVIDIA anuncia entrada no mercado de processadores A NVIDIA acaba de anunciar seus planos de construir processadores de alta performance baseados na arquitetura ARM, projetados para suportar computadores pessoais, estações de trabalho, servidores e supercomputadores. Conhecido internamente como “Projeto Denver”, o produto consiste em uma CPU NVIDIA rodando instruções ARM, que será totalmente integrada no mesmo chip a uma GPU NVIDIA. “ARM é a arquitetura de CPU com a maior taxa de crescimento da história e nosso anúncio marca o começo da era da Internet em todos os lugares, onde cada dispositivo permite acesso imediato à Internet, usando CPU’s avançadas e sistemas operacionais completos”, explica Jen-Hsun Huang, presidente e CEO da NVIDIA. A combinação

entre as capacidades computacionais e o modelo de negócio aberto da ARM fazem a arquitetura perfeita para essa nova era. “Com o Projeto Denver estamos concatenando os núcleos ARM de alta performance com a nossa GPU para criar uma nova classe de processadores”, reitera o executivo. Do lado da ARM, o otimismo não é menor. “A NVIDIA é um parceiro chave para a ARM e este anúncio mostra que parcerias podem atingir resultados extraordinários. A empresa está muito a frente nos dispositivos SoC (“System on a Chip” ou Sistemas em um Chip) de próxima geração”, afirma Warren East, CEO da ARM.

Sobre a NVIDIA A NVIDIA (NASDAQ: NVDA) despertou o mundo

para o poder da computação visual quando, em 1999, criou uma unidade dedicada exclusivamente ao processamento gráfico, a GPU. Desde então, vem desenvolvendo soluções que visam a potencializar a experiência multimídia de usuários de dispositivos móveis, notebooks e PCs. Reconhecida no mercado pelo maciço investimento em inovação, que culminou no lançamento do primeiro kit 3D para PC, a NVIDIA possui soluções voltadas tanto para usuários domésticos, quanto para profissionais. Os processadores GeForce, por exemplo, são amplamente difundidos no mundo dos games, enquanto os processadores Quadro® são adotados por empresas que demandam extrema precisão gráfica em seus projetos.

Microsoft e Samsung revelam o novo Surface para LCD Na CES International 2011, em Las Vegas, a Samsung Electronics Co. Ltd e a Microsoft Corp. revelaram a próxima geração da experiência Microsoft Surface que apresenta a tecnologia PixelSense, a qual dá a painéis LCD o poder de ver sem o uso de câmeras. Aproveitando a inovação da primeira versão do Microsoft Surface e a tecnologia líder para displays da Samsung, agora é possível que as pessoas compartilhem, colaborem e explorem juntas, usando um display amplo e fino que reconhece dedos, mãos e outros objetos colocados sobre a tela. Esta experiência ganhará vida no Samsung SUR40 para Microsoft Surface, para clientes empresariais mais tarde em 2011, em 23 países. A Dassault Aviation, Fujifilm Corp., Red Bull GmbH, Royal Bank of Canada e Sheraton Hotels & Resorts Worldwide Inc. anunciaram que vão instalar o novo produto. “A Microsoft continua a inovar em interação baseada em visão e software criado para to-

que. Com a introdução da próxima geração do Surface, usando a tecnologia PixelSense, nós daremos vida a mais aparelhos desta categoria, com incríveis experiências naturais para as pessoas apreciarem juntas”, disse Panos Panay, gerente-geral, Microsoft Surface. “Nós fizemos parceria com a Samsung por causa de seu potencial em tecnologia LCD, design e produção de hardware e marketing e vendas mundiais de displays de tamanho grande. As empresas construíram uma incrivelmente bem-sucedida cooperação, que saiu da invenção para o desenvolvimento e da fabricação para as vendas de um produto comercial industrializado de alta qualidade”. “A Samsung colaborou com a Microsoft para levar a experiência Surface para um novo e delgado design com uma poderosa capacidade baseada em visão no mercado de LCD. O Samsung SUR40 para Microsoft Surface oferece uma experiência interativa não disponível em nenhum outro lugar e modifi-

cará o modo como as empresas se relacionam com seus clientes”, disse Jeong-Hwan Kim, vice-presidente sênior do grupo de Marketing & Vendas de Display da Samsung Electronics. A Microsoft e a Samsung trabalharam estreitamente em conjunto para desenvolver o painel LCD e o novo produto de hardware, que esta sendo produzido pela Samsung e será vendido a clientes empresariais por meio de sua ampla cadeia de distribuição e revendedores. “Com a tecnologia LCD interativo de ponta da Samsung e a inovação da Microsoft em sistemas baseados em visão, juntos nos fomos capazes de definir uma nova arquitetura LCD”, disse HyungGuel Kim, vice-presidente sênior da Samsung Electronics LCD Business. “Este novíssimo conceito de LCD oferece uma tecnologia sensível à imagem em conjunto com uma sólida capacidade multitoque e durabilidade horizontal reforçada, que são especializadas para a experiência Microsoft Surface”.

bloquear até mesmo protocolos e sistemas específicos que costumam burlar os Firewalls/ UTM, como: P2Ps, Skype e eMule. “Muitas empresas não contam com um profissional dedicado para a área de segurança e os gestores de TI acabavam não conseguindo dar a atenção necessária a essa questão pela complexidade que existe em tomar qualquer ação de proteção. Com o uso da tecnologia Layer 7, ficou muito mais rápido e fácil proteger a rede”, diz Nilton de Souza.

IBM anuncia nova versão do software para Informix Já está disponível a nova versão do software para banco de dados IBM Informix, desenvolvida para auxiliar as empresas a reduzirem custos e responderem com mais rapidez às tendências do mercado. O Informix permite uma implementação mais rápida de soluções essenciais aos processos de negócios, aumentando seu desempenho em até 50%. Empresas de todo o mundo já reconhecem a necessidade de utilizar as informações de maneira mais eficaz e inteligente. Um estudo mundial com mais de 2.500 diretores de tecnologia (CIOs) mostrou que 83% dos pesquisados identificaram a analítica - capacidade de enxergar padrões em grandes quantidades de dados e extrair ideias e ações práticas deste amontoado de informações como uma forma de aumentar a competitividade da empresa. Os novos recursos do IBM Informix tornam mais fácil e rápida a construção de aplicações analíticas. Com maior desempenho, as corporações precisam de menos servidores, espaço, energia elétrica e recursos de resfriamento. Para tratar do volume cada vez maior de dados, a nova versão do software inclui ainda o gerenciamento de dados temporais e compactação de informações, minimizando o espaço de armazenamento em até 66%, se comparado a outras soluções disponíveis no mercado. Segundo Marcela Vairo, Gerente de Software para Gerenciamento da Informação da IBM Brasil, dado o baixo custo de administração, o Informix é uma plataforma para as empresas de médio porte que requerem alta disponibilidade e capacidade de expansão de forma econômica.


Negócios Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | B4

joca.sev@hotmail.com

LOGÍSTICA

Deutsche Post DHL e ONU estendem parceria Acordo de cooperação foi firmado pela primeira vez em 2005

O

Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (UN OCHA) e o Deutsche Post DHL, empresa líder global em transporte e logística, renovaram sua bem sucedida parceria, firmada desde 2005, por mais três anos. O contrato de extensão foi assinado em Genebra por Rashid Khalikov, Diretor da UN OCHA Geneva e Rainer Wend, Vice Presidente de Políticas Corporativas e Sustentabilidade do Deutsche Post DHL. “Nos últimos cinco anos, fizemos um trabalho muito bem sucedido na gestão de desastres. A parceria com a UN OCHA nos permite contribuir com nosso conhecimento em logística para o auxílio de pessoas necessitadas e estamos ansiosos para continuar essa

cooperação por mais três anos”, disse Rainer Wend. Em um trabalho feito em parceria com as Nações Unidas, o Deutsche Post DHL oferece apoio às autoridades dos países afetados e à comunidade de ajuda humanitária no manuseio e armazenamento de donativos nos aeroportos dos países atingidos por desastres. A UN OCHA se beneficia da expertise em logística e armazenamento do Deutsche Post DHL, um serviço que a Organização das Nações Unidas não conseguiria manter sozinha na totalidade do ano. Por outro lado, graças a essa parceria, o trabalho das Equipes de Apoio a Desastres do Deutsche Post DHL passa a ser integrado às operações de apoio humanitário, beneficiando-se assim das fortes cone-

xões da ONU com outros elementos da comunidade internacional diante de situações de emergência. A rede global de Equipes de Apoio a Desastres (DRT) do Deutsche Post DHL é formada por três grupos, cada um designado para uma região geográfica específica, dentre Ásia do Pacífico, América Latina/ Caribe e Oriente Médio/África. Cada equipe é composta por cerca de 80 funcionários da DHL especialmente treinados, que se voluntariaram para trabalhar em esforços humanitários. Em situações de emergências, os voluntários podem se transportar para a região atingida por um desastre em menos de 72 horas. Ficando em média de duas a três semanas no local, as equipes revezam de 10 em 10 membros, para ga-

rantir uma máxima capacidade sob circunstâncias extremamente exigentes. “A expertise, o profissionalismo e a dedicação dos profissionais da DHL garantiram em diversas circunstâncias o envio dos donativos e materiais de auxílio, descongestionando aeroportos lotados ou mal coordenados e melhorando o fluxo de contribuições e doações inesperadas”, comenta Rashid Khalikov, diretor da UN OCHA de Genebra. Nos últimos anos, os DRTs foram transferidos mais de 20 vezes para aeroportos de 15 países atingidos por desastres, dentre eles Haiti, Guatemala, Chile, Filipinas, Indonésia, Mianmar e Peru. A operação mais recente foi realizada durante as graves enchentes que atingiram o Paquistão em agosto de 2010.

Kiva.org e Dermalogica Lançam Plataforma de Microfinanciamento Kiva.org, o maior website pessoal do mundo de microfinanciamento, anunciou hoje juntamente com a marca de produtos profissionais para cuidados da pele Dermalogica, a atriz e patrocinadora Geena Davis, o colunista do jornal New York Times Nicholas Kristof e a designer de roupas femininas Eileen Fisher e outros, o lançamento de uma inovadora campanha para prover microfinanciamentos para mulheres empresárias nas regiões de baixa renda nos Estados

Unidos e em 56 outros países. Independência Financeira Através de Iniciativa Empresarial, ou FITE, é uma campanha exclusivamente dedicada em beneficiar mulheres empresárias e é a primeira vez que uma plataforma aberta de microfinanciamento é criada e é acessível a consumidores online, por meios tradicionais e através de canais do varejo. É também a primeira vez que uma plataforma de microfinanciamento é criada do começo

ao fim para envolver conjuntamente o setor privado, o seu grande talento em marketing, as suas redes de funcionários e ajuda com financiamentos, para capacitar mulheres empresárias no mundo todo. A campanha FITE é uma extensão da excepcional plataforma que está se expandindo rapidamente e que foi criada pela Kiva.org em 2005. Através da sua plataforma aberta, os parceiros estratégicos da campanha FITE estão capaci-

tando não apenas instituições como também clientes do setor varejista e o público em geral para atuarem como financiadores e agentes de mudança. “Conquistando clientes, a FITE pode tornar milhares de pessoas do público em geral em microfinanciadores”, disse o diretor de Desenvolvimento da Kiva.org Bennett Grassano. “Isto cria um potencial para impactos econômicos e sociais substanciais em muitos lugares abrangendo todo o globo”.

Wine Stock e Cultinvest Asset lançam produto A importadora Wine Stock e a Cultinvest Asset Management acabam de lançar um produto inédito no Brasil que vai movimentar o mercado de vinhos raros e aguçar os paladares dos wine investors: o Bordeaux Wine Fund Multimercado, que aplicará 100% em um fundo offshore cuja carteira é composta por vinhos finos de produtores consagrados da região de Bordeaux, na França. Estes vinhos finos são mundialmente conhecidos como Investment Grade Wines (IGW) e têm apresentado de-

sempenho superior a muitos dos investimentos tradicionais nos últimos cinco anos. Trazem, ainda, alto potencial de valorização futura em função do crescimento da demanda e da oferta restrita. Os vinhos que compõem a carteira de investimentos do fundo offshore são ativos negociados na Liv-ex, a bolsa eletrônica especializada em vinhos localizada em Londres, e têm como parâmetro comparativo o Liv-ex Fine Wine Investables Index, que conta com uma carteira de vinhos de 24 produto-

DAFRA alcança 3ª lugar no ranking de emplacamentos No mês de Dezembro, a DAFRA Motos conquistou a terceira posição no ranking nacional de emplacamentos, com 2,55% de share. No período, a marca registrou 23,31% de crescimento em comparação a Novembro de 2010, com mais de 5 mil unidades vendidas. Dentre os modelos que impulsionaram as vendas em Dezembro estão a Apache RTR 150 e Speed 150, que somaram 2.848 unidades, o que corresponde a quase 60% dos emplacamentos da marca. Com relação à Apache, foram mais de 10 mil unidades comercializadas em 2010. A motocicleta, lançada em Março do ano passado em parceria com a TVS Motor Company, saltou do 21º lugar do ranking de emplacamentos em Abril (primeiro mês completo de vendas) para a 8ª colocação no acumulado até Dezembro, figurando entre as

mais vendidas do país. Somente no comparativo dos números de Novembro e Dezembro, respectivamente 1362 unidades e 1661, houve crescimento de 21,95%. “O resultado alcançado pela Apache traduz sua representatividade no mercado, já que o modelo movimentou o segmento street trazendo novidades à categoria como design arrojado e itens de série, como painel digital, freio a disco e lanternas LED, além do preço justo”, afirma Haroldo Barroso, diretor comercial da DAFRA Motos. Diferenciais que, de acordo com o diretor, foram reconhecidos pelo consumidor e pela imprensa especializada com a conquista do primeiro lugar na categoria street da 13ª edição do Prêmio Moto do Ano, realizado anualmente pela revista Duas Rodas, uma das mais importantes publicações do setor.

res top de Bordeaux, sendo um dos melhores índices de investimento no setor. Este índice aumentou 48% em 2010, acumulando alta de 36% em euros até novembro. Nos últimos cinco anos, a rentabilidade alcançou 135% em euros. A redução das taxas de juros internacionais, necessária para recuperar a economia dos países desenvolvidos após a crise de 2008, tem gerado uma forte procura por investimentos alternativos, entre os quais se destacam os chamados “Passion Investments”,

que abrangem joias, obras de arte e vinhos finos. Estes últimos, em particular, apresentam vantagens como a redução constante da oferta em decorrência do próprio consumo e a possibilidade de precificação adequada através da bolsa eletrônica Liv-ex. “O Bordeaux Wine Fund Multimercado possibilita agora ao investidor brasileiro fazer um aplicação que, além de ser uma excelente alternativa de diversificação de carteira, comenta Alexandre Zákia, CEO da Cultinvest Asset Management.

BDK fecha parceria com CooperCon-CE A BDK Solutions, empresa presente há 15 anos no setor de construção civil e incorporação, acaba de fechar parceria com a CooperCon-CE - Cooperativa da Construção Civil do Estado do Ceará -, a primeira no mercado do Brasil a organizar uma compra conjunta para seus associados do software VIABIL, ferramenta que realiza uma completa avaliação da viabilidade econômicofinanceira de empreendimentos imobiliários. Com essa parceria, as empresas envolvidas tiveram redução no valor das licenças e os custos de treinamentos ficaram mais acessíveis aos participantes. O treinamento ocorrerá no início de janeiro de 2011 na sede da CooperConCE e estão previstos mais de 20 participantes nesta primeira rodada. “A capacitação dos usuários é fundamental para melhor aproveitamento e utilização do VIABIL, assim como para alinhar os principais conceitos de análise financeira utilizados

no mercado”, afirma Eli Wolf, diretor executivo da BDK Solutions.

Meta Segundo o presidente da CooperCon-CE, Otacílio Valente, a aquisição do software faz parte de uma política de desenvolvimento contínuo da Construção Civil cearense. “Além da aquisição de insumos a preços mais vantajosos, a cooperativa também assume como um de seus principais compromissos a constante modernização das empresas associadas. Com isso, buscamos oferecer os mais atuais equipamentos e treinamentos para sua melhoria contínua. Certamente o VIABIL irá contribuir para que a Construção Civil siga ocupando posição de destaque entre as mais importantes atividades econômicas do país”, avalia. Para o diretor executivo da BDK o mercado de construção civil sente a necessidade de se aprimorar e buscar o desenvolvimento.

Joaquim Severino ORTIGARA E SECRETARIA SEM MESMICE Inicio de governo é sempre igual. Nos últimos tempos o recurso da moratória virou moda e dele tem se valido tanto governantes raivosos como foi Roberto Requião como Beto Richa considerado manso. A justificativa é a de sempre, qual seja, tomar conhecimento da real situação da máquina governamental, deixando claro que a chamada equipe de transição foi coisa apenas para inglês ver. Ou melhor, para tendenciosamente fazer crer que a situação deixada pelo antecessor é a pior possível. O curioso de tudo isso é quando ao final e ao cabo, passados os 90 ou 100 primeiros dias, dá-se conta de que as coisas seguirão como dantes, com pequenas variações para mais ou para menos. Até porque nos ensina a natureza, como exemplo de equilíbrio e harmonia, só se sustentam as mudanças sem sobressalto. E mudanças sustentáveis ocorrem muito mais por força de idéias que por conta de recursos orçamentários comprometidos, quase sempre na sua quase totalidade. Norberto Ortigara, o novo secretário de agricultura do Paraná, foi uma feliz escolha de Beto Richa. Ortigara conhece como funcionário íntegro e dedicado à pasta que agora ocupa, há aproximadamente trinta anos. Extremamente trabalhador, destaca-se pela sua capacidade de interagir, conciliar e avançar, mas, sobretudo, pela urbanidade no trato com as pessoas. É de se esperar que não seja apenas mais um secretário. È de se esperar que se destaque, pelo menos, como um Paulo Carneiro ou um Osmar Dias. Cada um no seu tempo e sob condições próprias de limitações e oportunidades, Paulo Carneiro deixou o legado de uma estrutura organizacional, que ousada e consistente à época, tanto assim que persiste em grande parte até os dias de hoje, deixa a impressão de que atualmente se assemelha a uma lagoa, cujas bordas limitam a visão do sapo. Se a lagoa foi ficando menor, igual foi ficando a visão, diferentemente da agricultura paranaense que foi ficando cada vez mais exigente em profissionalismo. O Paraná que nos anos 70 “estava ficando do jeito que o diabo gosta” segundo cartazes da extensão rural da época, devido aos desmatamentos, fogo e erosão, foi cenário de vários programas de recuperação e melhoria agroambiental. Osmar Dias, no entanto, catalizando experiências e potencializando participações, especialmente de agricultores, deixou o legado de ter feito o Paraná ser reconhecido pela FAO/ ONU, como referência positiva de manejo integrado de microbacias para toda a América Latina. Como se denota, as marcas desses secretários repousaram em estratégias, e estas como inteligência de qualquer processo, é o que precisa ser buscado. Estratégia é a palavrinha mágica requerida pela estrutura organizacional, pelo corpo funcional e, fundamentalmente pela agricultura multifuncional, da qual o Paraná pode ser vanguardista. Como bom economista o secretário sabe que com a mesma quantidade de insumos se pode obter diferentes quantidades de produtos, diferentes no sentido de maiores e melhores. Ao dirigente novo no cargo é dada a liberdade de ousar, de superar a mesmice. Mas de nada vale a liberdade se dela não se souber fazer uso. Aí será apenas mais um. Joaquim Severino – Ex Professor de Política Agrícola da Universidade Federal do Paraná e Diretor Presidente da empresa Agrária Engenharia e Consultoria S/A, escreve nesta coluna desde 1992.

CEF contratou R$ 25 bilhões com análise sócioambiental A Caixa Econômica Federal contratou R$ 25,13 bilhões com análise socioambiental em operações de crédito de 186 empresas, até 2010. O procedimento, iniciado em junho de 2008, faz parte da política de Responsabilidade Socioambiental na Concessão do Crédito do banco. A Licença Ambiental é a primeira condição para todos os financiamentos de atividades ou empreendimentos potenciais ou efetivamente poluidores ou que utilizem recursos naturais no processo produtivo. Nas operações de crédito com valores iguais ou superiores a R$ 10 milhões é realizada análise socioambiental do cliente pessoa jurídi-

ca (empresas de médio e grande porte). No caso da identificação de riscos ambientais, cláusulas contratuais são criadas prevendo a sua diminuição. Nesses casos, a CAIXA faz o acompanhamento do cumprimento dessas cláusulas. O financiamento de projetos de saneamento e infraestrutura também é precedido por uma análise e avaliação da sustentabilidade socioambiental. O objetivo é levantar os riscos e recomendar medidas mitigadoras e/ou compensatórias. A concessão de crédito para empresas instaladas no bioma Amazônia é condicionada a critérios que garantam que as atividades financiadas não contribuam para o desmatamento ilegal.


Finanças Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | F1 | Indústria&Comércio

INDICADORES FINANCEIROS E ECONÔMICOS RESUMO IBOVESPA Pregão de 07 de janeiro de 2011 (18h32) Discriminação Negócios Lote Padrão 291.779 Fracionário 7.028 Demais Ativos 3.177 Total a Vista 301.984 Ex Opções Compra 1 Termo 1.179 Opções Compra 74.183 Opções Venda 167 Opções Compra Índice 24 Opções Venda Índice 60 Total de Opções 74.434 BOVESPA Fix 8 Total Geral 377.606

Títulos/mil 4.773.876 1.948 1.777.837 6.553.663 1 831.129 287.587 5.874 1 18 293.480 (*) 7.678.274

Part.(%) 62,17 0,02 23,15 85,35 0,00 10,82 3,74 0,07 0,00 0,00 3,82 0,00 100,00

Valor em R$(mil) 4.910.061,74 4.841,88 36.895,21 4.951.798,85 26,50 77.828,08 189.732,65 14.316,27 1.991,49 13.037,69 219.078,12 231,71 5.248.963,27

OSCILAÇÕES Pregão de 07 de janeiro de 2011 MAIORES OSCILAÇÕES Mercado a Vista Maiores Altas Atualizado às PNA CI CI ER MB ON ON

DOLAR COMERCIAL (-0,11%)

Intraday: 70.578 - Max: 70.782 - Min: 69.718 - Ult: 70.057

Intraday: 1,688 - Max: 1,688 - Min: 1,678 - Ult: 1,686

BM&FBOVESPA BATE RECORDE DE NEGÓCIOS E VOLUME FINANCEIRO VIA CO-LOCATION

Part.(%) 93,54 0,09 0,70 94,33 0,00 1,48 3,61 0,27 0,03 0,24 4,17 0,00 100,00

Partic. Novo Mercado 136.505 116.644 1,51 1.754.963,31 33,43 Partic. Nível 1 141.441 228.032 2,96 2.220.462,87 42,30 Partic. Nível 2 11.309 6.833 0,08 118.950,65 2,26 Partic. Balcão Org. Tradicional82 3 0,00 814,48 0,01 Partic. Ibovespa 241.428 188.701 2,45 4.305.502,16 82,02 Partic. IBrX 50 221.113 179.083 2,33 4.094.302,96 78,00 Partic. IBrX 100 269.513 210.234 2,73 4.602.995,79 87,69 Partic. ISE 113.156 72.347 0,94 2.283.491,37 43,50 Partic. ICO2 167.177 135.061 1,75 2.966.687,94 56,51 Partic. ITEL 9.441 8.243 0,10 118.987,57 2,26 Partic. IEE 18.060 7.027 0,09 188.805,04 3,59 Partic. INDX 104.200 82.055 1,06 1.288.117,07 24,54 Partic. ICON 40.979 20.452 0,26 551.431,68 10,50 Partic. IMOB 36.270 29.851 0,38 385.489,62 7,34 Partic. IFNC 53.870 47.283 0,61 993.254,66 18,92 Partic. IVBX2 123.052 88.095 1,14 1.382.479,48 26,33 Partic. IGC 233.410 183.806 2,39 3.887.545,40 74,06 Partic. IGCT 229.449 176.049 2,29 3.736.586,22 71,18 Partic. ITAG 190.486 153.666 2,00 2.668.299,02 50,83 Partic. MLCX 233.363 169.898 2,21 4.262.073,46 81,19 Partic. SMLL 46.021 51.643 0,67 475.084,80 9,05 (*) 204 BOVESPAFIX Nota::As informações refletem o fechamento do pregão, incluindo operações do horário regular e do After-Market e possíveis correções Fonte: Bovespa

Ação SPRINGER FISET TUR FII OURINVES COTEMINAS BIC MONARK

IBOVESPA (-074%)

Preço (R$) 15:55:29 16:35:49 16:07:01 15:38:32 17:09:00

Osc.(%) 4,24 0,86 225,00 5,37 750,00

11,58 % 10,26 % 9,22 % 7,40 % 7,14 %

Preço (R$) 17:23:03 13:44:00 15:20:00 18:00:25 18:05:25

Osc.(%) 1,46 1,55 5,07 0,06 0,06

-19,78 -18,42 -15,07 -14,29 -14,29

Preço (R$) 18:07:01 17:54:58 18:08:00 17:54:58 18:05:00

Osc.(%) 28,24 21,49 10,25 20,56 22,87

2,54 % 2,09 % 1,59 % 1,53 % 1,19 %

Preço (R$) 17:54:59 18:07:00 18:07:00 18:08:11 18:07:02

Osc.(%) 12,86 20,10 11,50 12,99 38,67

-3,02 % -2,80 % -2,71 % -2,48 % -2,45 %

Fonte: Thomson Reuters - OBS: no dia CEMIG PN N1 (+2,54%)

Fonte: Thomson Reuters - OBS: no dia ITAUSA PN EJ N1 (-3,02%)

Intraday: 27,54 - Max: 28,24 - Min: 27,49 - Ult: 28,24

Intraday: 13,26 - Max: 13,29 - Min: 12,92 - Ult: 12,86

A BM&FBOVESPA atingiu ontem, (06/01), as marcas históricas de 20.908 negócios e volume financeiro de R$ 135.399.339,00 por Acesso Direto ao Mercado (DMA, na sigla em inglês) via Co-location, no segmento Bovespa (ações). Os recordes anteriores foram de 17.040 negócios e volume de R$ 111.418.416,00 registrados em 09/12/2010. Desde setembro, a BM&FBOVESPA passou a disponibilizar, para o segmento Bovespa (ações), Acesso Direto ao Mercado (DMA) via Provedor, via Conexão Direta e via Conexão Direta – Co-location modalidade investidor, respectivamente modalidades 2, 3 e 4. Os mesmos meios de acesso já eram oferecidos para o segmento BM&F (derivativos) desde 2008 (DMA 1, 2 e 3) e 2009 (DMA 4). Além do acesso tradicional (DMA1), em que o cliente opera no sistema Mega Bolsa por intermédio da estrutura tecnológica da corretora, no modelo 2, ou via Provedor, o cliente não utiliza a estrutura anterior e se conecta ao sistema por um provedor de acesso autorizado. No modelo 3 de DMA, o cliente acessa a plataforma de negociação da Bolsa via conexão direta. Finalmente, no modelo 4, ou via Co-location, o cliente instala seu próprio computador dentro da Bolsa. ACESSO DIRETO AO MERCADO (DMA)

Fonte: ADVFN Brasil - OBS: no dia

Fonte: ADVFN Brasil - OBS: no dia

VALE PNA N1 (-0,82%) Intraday: 51,32 - Max: 51,52 - Min: 50,50 - Ult: 50,90

PETROBRAS PN (-1,40%) Intraday: 27,11 - Max: 27,18 - Min: 26,73 - Ult: 26,93

Fonte: ADVFN Brasil - OBS: no dia

Fonte: ADVFN Brasil - OBS: no dia

O Acesso Direto ao Mercado (DMA - Direct Market Access) é um modelo de negociação. É ele quem permite que o cliente final tenha acesso direto ao ambiente eletrônico de negociação em Bolsa, após autorização da corretora e sob a responsabilidade dela. Desta forma, o investidor pode enviar suas próprias ofertas ao sistema de negociação e recebe, em tempo real, as informações de difusão ao mercado, incluindo o livro de ofertas. Confira as vantagens que o DMA traz aos investidores: * maior autonomia operacional * maior velocidade, aumentando a eficiência no fechamento de negócios e na captura de oportunidades de mercado * possibilidade de desenvolvimento de estratégias de negociação baseadas em programas de computador, também chamadas de automated trading systems (ATS) ou algorithmic trading, que elevam a capacidade de os investidores analisarem, simultaneamente as condições de preço de diversos mercados.

Maiores Baixas Ação BRADESCO UNIPAR AFLUENTE T J B DUARTE TECTOY

Atualizado às DO 24,06 PNA N1 ON ON ON *

% % % % %

Ações do IBOVESPA Maiores Altas Ação Atualizado às #CEMIG PN N1 #HYPERMARCAS ON NM #PDG REALT ON NM #USIMINAS PNA EJ N1 #USIMINAS ON EJ N1

ÍNDICADORES ECONÔMICOS

Maiores Baixas Ação Atualizado às #ITAUSA PN EJ N1 #BRASKEM PNA N1 #GAFISA ON NM #BMFBOVESPA ON NM #ITAUUNIBANCO PN EDJ N1

MAIS NEGOCIADAS Mercado a Vista Ação Atualizado às Volume (R$ Mil) #VALE PNA N1 18:08:11 #PETROBRAS PN 18:08:24 #ITAUUNIBANCO PN EDJ N1 18:07:02 #BMFBOVESPA ON NM 18:08:11 #USIMINAS PNA EJ N1 18:09:00

Part.(%) 709.912,90 469.865,54 269.777,72 177.528,88 164.247,33

14,76 % 9,77 % 5,61 % 3,69 % 3,42 % Fonte: Bovespa

Pregão de 07 de janeiro de 2011 COMPORTAMENTO NO DIA Abertura IBOVESPA IBrX 50 IBrX ISE ICO2 ITEL IEE INDX IVBX-2 IGC IGCT ITAG MLCX SMLL ICON IMOB IFNC

70.579 9.802 22.609 2.148 1.126 1.512 27.812 11.097 6.111 7.727 2.189 9.913 996 1.431 1.682 1.017 3.756

Mínimo 69.718 9.652 22.279 2.125 1.108 1.498 27.634 11.033 6.064 7.625 2.156 9.765 981 1.420 1.667 1.006 3.665

Máximo 70.782 9.823 22.655 2.155 1.129 1.514 27.889 11.170 6.133 7.746 2.195 9.942 998 1.435 1.688 1.023 3.762

Fechamento 70.057 9.695 22.380 2.137 1.113 1.506 27.791 11.079 6.090 7.662 2.168 9.812 986 1.421 1.671 1.010 3.680

MÁXIMO E MÍNIMO NO ANO Máximo 71.091 9.896 22.818 2.165 1.138 1.512 27.886 11.155 6.162 7.795 2.213 10.028 1.005 1.450 1.698 1.038 3.812

IBOVESPA IBrX 50 IBrX ISE ICO2 ITEL IEE INDX IVBX-2 IGC IGCT ITAG MLCX SMLL ICON IMOB IFNC

Mínimo 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 6/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 5/1/2011 3/1/2011 5/1/2011 3/1/2011 5/1/2011

69.962 9.695 22.380 2.119 1.113 1.469 27.446 11.041 6.090 7.662 2.168 9.812 986 1.421 1.671 1.010 3.680

3/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 3/1/2011 7/1/2011 3/1/2011 3/1/2011 3/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011 7/1/2011

EVOLUÇÃO DOS FECHAMENTOS Na IBOVESPA IBrX 50 IBrX ISE ICO2 ITEL IEE INDX IVBX-2 IGC IGCT ITAG MLCX SMLL ICON IMOB IFNC

semanaEm uma semana 1,09% 1,09% 0,64% 0,64% 0,63% 0,63% 2,41% 2,41% 0,63% 0,63% 4,29% 4,29% 2,02% 2,02% 1,22% 1,22% 0,83% 0,83% 0,43% 0,43% 1,25% 1,25% -0,34% -0,34% 0,71% 0,71% -1,25% -1,25% -0,75% -0,75% -2,51% -2,51% -1,72% -1,72%

No mês Em um mês 1,09% 1,04% 0,64% 2,12% 0,63% 2,09% 2,41% 3,63% 0,63% 0,36% 4,29% 6,59% 2,02% 2,50% 1,22% 2,92% 0,83% 0,15% 0,43% 0,22% 1,25% 0,78% -0,34% 0,03% 0,71% 2,19% -1,25% 0,23% -0,75% 1,72% -2,51% -1,71% -1,72% -1,48%

MOVIMENTAÇÃO DIÁRIA Informações de 07 de janeiro de 2011

BOLSAS INTERNACIONAIS Bolsas Bovespa Nasdaq Merval Londres Paris Tóquio Frankfurt DJ BT 20 Dow Jones

Último 70018 2697.82 3546.26 5984.33 3865.58 10541.04 6947.84 36543.42 11657.35

No ano Em um ano 1,09% -0,56% 0,64% -1,32% 0,63% 0,47% 2,41% 6,72% 0,63% 0,00% 4,29% -3,90% 2,02% 12,81% 1,22% 7,61% 0,83% 4,04% 0,43% 9,49% 1,25% 8,09% -0,34% 8,59% 0,71% -0,10% -1,25% 19,64% -0,75% 21,67% -2,51% 9,48% -1,72% 5,01% Fonte: Bovespa

Moedas Dólar Com. Dólar Par. Dólar Tur. Euro x Dólar Euro X Real Dólar Ptax

Compra 1.6840 1.7000 1.6300 1.2929 2.1789 1.6853 1.692

% -1,06 -0,02 -0,30 +0,20 -0,35

FÍSICO Praça Valor % SP 75,79 -0,67 SP 320,46 +3,70 RS 23,28 -0,71 MS 715,85 0,00 SP 102,32 +0,13 SP 415,61 -0,03 PR . . Camp. 28,71 +0,71 PR 49,34 +0,94 Fontes: Página Rural, BM&F e CEPEA (Cotações de 06/01/2011)

Venda 1.6860 1.8200 1.8000 1.2930 2.1801 1.6861 1.6925

% -0.11 +0.55 -0.55 -0.59 -0.57 +0.02 -0.14

Hora 17:02 12:06 16:03 18:09 18:09 17:39 17:59:59

Data 07/01 13/12 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 Fonte: CMA

INPC IPCA IGP-M IGP-DI CUB-PR INCC-DI Fonte IBGE IBGE FGV FGV SINDUSCON/PR IBGE/CEF Mês Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Jan 0,24 0,75 0,63 1,01 0,20 0,64 Fev 0,70 0,78 1,18 1,09 0,18 0,36 Mar 0,71 0,52 0,94 0,63 0,24 0,75 Abr 0,73 0,57 0,77 0,72 0,17 0,84 Mai 0,43 0,43 1,19 1,57 0,38 1,81 Jun -0,11 0,00 0,85 0,34 0,51 1,09 Jul -0,07 0,01 0,15 0,22 5,75 0,44 Ago -0,07 0,04 0,77 1,10 0,20 0,14 Set 0,54 0,45 1,15 1,10 0,27 0,21 Out 0,92 0,75 1,01 1,03 0,12 0,20 Nov 1,03 0,83 1,45 1,58 0,16 0,37 Dez 0,60 0,63 0,63 — 0,05 — No ano 6,4652 5,9090 13,9124 10,8844 8,41 7,0545 12 meses 6,4652 5,9090 13,9124 10,7625 8,41 7,1615

PAPEL Poupanca dia Taxa Referencial Taxa Referencial para o mes presente

VALOR 0.62150 0.0851 0.0715

HORA 07:52 12:22 07:52

DATA 07/01 06/01 01/01

VALOR 0.63 1.45 0.54

HORA 11:31 07:51 07:52

DATA 31/12 30/11 31/12

VALOR 1.206103 10.66 0.25 10.37 1.203950 1.206103 1.203950

HORA 17:02 17:02 16:04 15:52 17:02 16:04 16:04

DATA 06/01 06/01 29/04 11/05 06/01 06/01 06/01

Valor 77 1370.10

Hora 16:46:22 20:01

Data 07/01 07/01

INPC IPCA IGP-M IGP-DI CUB-PR INCC-DI Fonte IBGE IBGE FGV FGV SINDUSCON/PR IBGE/CEF Mês Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Mensal (%) Jan — — — — — — Fev — — — — — — Mar — — — — — — Abr — — — — — — Mai — — — — — — Jun — — — — — — Jul — — — — — — Ago — — — — — — Set — — — — — — Out — — — — — — Nov — — — — — — Dez — — — — — — No ano — — — — — — 12 meses — — — — — — Fonte: Portal Brasil-Economia; Empresário Online; SINDUSCON-PR; IBGE

PAPEL Indicador Valor Data IGPM (%mes) IPC-FIPE (%mes)

JUROS PAPEL Taxa Selic (%mes) Taxa Selic (%ano) Taxa do FED (%ano) CDB 30 dias (Prefixado) CDI - Over CDI Andima no dia CDI Dia - Cetip

OURO Ouro Spot - BMF (250g) Ouro NY (Onca Troy)

RISCO PAÍS BRASIL

Último 168

% +3.06

Hora 14:46

Data 07/01 Fonte: CMA

TR POUPANÇA TJLP B.Central Governo COPOM Mensal (%)Mensal (%)Mensal (%) 0,0000 0,5000 0,5000 0,0000 0,5000 0,5000 0,0792 0,5800 0,5000 0,0000 0,5000 0,5000 0,0510 0,5513 0,5000 0,0589 0,5592 0,5000 0,1151 0,6157 0,5000 0,0909 0,5914 0,5000 0,0702 0,5706 0,5000 0,0472 0,5474 0,5000 0,0336 0,5338 0,5000 0,1406 0,6413 0,5000 0,6887 6,8991 6,0000 0,6887 6,8991 6,0000

SELIC Rec.Fed. Mensal (%) 0,7150 0,6455 0,7150 0,6956 0,7738 0,7883 0,8447 0,8710 0,8579 0,8169 0,8169 0,8710 9,9000 9,9000

DÓLAR B.Central Mensal (%) 5,53 - 2,90 - 0,94 -1,75 5,13 - 1,90 - 2,23 0,34 - 3,14 1,30 0,35 -2,34 -4,26 -4,26

PIB DESEMPREGO Governo IBGE/CEF Trimest.(%) Mensal (%) 9,3 7,20 9,3 7,40 9,3 7,60 9,2 7,30 9,2 7,30 9,2 7,00 6,7 6,90 6,7 6,70 6,7 6,20 — 6,10 — 5,70 — — 8,4 — 7,5 —

TR POUPANÇA TJLP B.Central Governo COPOM Mensal (%)Mensal (%)Mensal (%) — 0,5719 0,5000 — — 0,5000 — — 0,5000 — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — 0,5719 — — 0,5719 —

SELIC Rec.Fed. Mensal (%) — — — — — — — — — — — — — —

DÓLAR B.Central Mensal (%) — — — — — — — — — — — — — —

PIB DESEMPREGO Governo IBGE/CEF Trimest.(%) Mensal (%) — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — —

INSS: CONTRIBUIÇÃO MENSAL

SALÁRIO MÍNIMO PARANÁ

Portaria MPS/MF nº 333/2010, de 29/06/2010

De Maio/2010 a Abril 2011

Valor mínimo Valor Máximo

Fonte de Contribuição Pró-labore Pró-labore

Valor Alíquota Contribuição Documento (R$) (%) (R$) Contribuição 510 3.467,40

11 11

56,10 381,41

GPS GPS

510 3.467,40 3.467,40

20 20 11

102,00 693,50 381,41

Carnê Carnê Carnê/GPS*

AUTÔNOMO Valor mínimo Valor Máximo Valor Máximo

Pessoa Física Pessoa Física Pessoa Jurídica

Faixa I Faixa II Faixa III Faixa IV

R$ 663,00 R$ 688,50(*) R$ 714,00 R$ 765,00 Fonte: Sebrae/PR

IRPF: TABELA PROGESSIVA MENSAL A partir de 1º de Janeiro de 2010

FACULTATIVO Valor mínimo Não definida Valor Máximo Não definida Até 1.040,22 De 1.040,23 até 1.733,70 De 1.733,71 até 3.467,40

510 3.467,40

20 20

102,00 693,50

Carnê Carnê 8,00% 9,00% 11,00% Fonte: Empresário On Line - INSS - Sebrae/PR

Este modelo de negociação consiste no roteamento de ordens via infraestrutura tecnológica da corretora, admitindo duas configurações: conexão direta do cliente à infraestrutura da corretora e, a partir desta, à Bolsa (soluções home broker) e conexão do cliente a uma empresa provedora de serviço de roteamento de ordens, desta à corretora e, por fim, da corretora à Bolsa (conexões automatizadas).

INFLAÇÃO

2011

EMPREGADOR

Índice Açúcar Algodão Arroz Bezerro Boi Gordo Café Etanol Milho Soja

Data 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 07/01 Fonte: CMA

2010

FUTURO Valor 99,36 288,05 1,155,00 24,90 31,00

Hora 18:04 15:08 17:00 11:50 11:36 01:20 12:00 15:11 15:01

2010/2011

Contribuinte

Venc. Jan Mar Jan Mai Mai

TR E POUPANÇA

BASE DE CÁLCULO DE JUROS E REAJUSTES

AGRONEGÓCIO Índice Boi Gordo Café Etanol Hid. Milho Soja

% -0.79 -0.44 -1.58 -0.58 -0.99 +0.10 -0.48 -0.59 -0.34

ÍNDICES

CÂMBIO

ÍNDICES BOVESPA

DMA MODELO 1: VIA DMA TRADICIONAL

Base de Cálculo Até R$ 1.499,15 De R$ 1.499,16 até R$ 2.246,75 De R$ 2.246,76 até R$ 2.995,70 De R$ 2.995,71 até R$ 3.743,19 Acima de R$ 3.743,19

Alíquota (%) A Deduzir do Imposto Isento — 7,50% 112,43 15,00% 280,94 22,50% 505,62 27,50% 692,78 Fonte: Receita Federal, Sebrae/PR

O que é home broker? O home broker é uma ferramenta de acesso aos mercados da Bolsa oferecida por quase todas as corretoras. É nele que os investidores negociam ações e minicontratos pela Internet, sem sair de casa ou no próprio trabalho, enviando ordens de compra e venda pelo site da corretora. Tecnicamente falando, o home broker é o modelo tradicional de Acesso Direto ao Mercado (DMA). As ofertas enviadas pelo cliente trafegam pela infra-estrutura tecnológica da corretora antes de alcançarem a plataforma de negociação GTS ou Mega Bolsa. O cliente conecta-se diretamente à infra-estrutura tecnológica da corretora, e esta, à Bolsa. DMA MODELO 2: VIA PROVEDOR Neste modelo de Acesso Direto ao Mercado (DMA) o cliente conecta-se à empresa provedora de DMA, enquanto esta se conecta à Bolsa. A provedora de DMA pode ter sua estrutura de hardware e de software instalada dentro do próprio centro de processamento de dados da Bolsa. Ou seja, este modelo consiste no roteamento de ordens via infraestrutura tecnológica fornecida por empresa provedora de serviços de roteamento de ordens (empresa provedora de DMA). Neste caso,o vínculo lógico entre o cliente e a corretora é controlado pelos sistemas da Bolsa e da empresa provedora de DMA, uma vez que as mensagens enviadas pelo cliente não trafegam pela infraestrutura tecnológica da corretora, mas sim pela infra-estrutura da empresa provedora de DMA. DMA MODELO 3: VIA CONEXÃO DIRETA No Acesso Direto ao Mercado (DMA) via conexão direta (modelo 3), as ofertas são enviadas, como o próprio nome diz, via conexão direta do cliente à Bolsa, sem a utilização da infraestrutura tecnológica da corretora ou de uma empresa provedora de DMA. Assim como nos demais modelos da DMA, é mantido o vínculo lógico do cliente com a corretora que lhe concede o acesso, estabelece limites operacionais e monitora suas operações. A conexão do cliente à Bolsa pode ser estabelecida via Rede de Comunicação da Comunidade Financeira (RCCF) ou Rede de Comunicação BM&FBOVESPA (RCB). DMA MODELO 4: VIA CO-LOCATION Na negociação via co-location, as ordens de compra e venda do cliente são geradas por programas de computador instalados em servidores hospedados no centro de processamento de dados da BM&FBOVESPA. O equipamento hospedado na Bolsa pode ser acessado remotamente pelo participante para fins de monitoração, configuração de parâmetros, manutenção e outras atividades. Quem pode utilizar o acesso via co-location? Poderão utilizar esta forma de acesso as corretoras e os clientes habilitados à negociação que contratarem essa modalidade de acesso junto à Bolsa. O que inclui o serviço? O acesso via co-location abrange: * locação do espaço fisico em local de acesso restrito, controlado e com infra-estrutura específica (inclui energia elétrica, refrigeração e dispositivos de segurança), onde o participante pode instalar equipamentos destinados à negociação eletrônica, diretamente conectados à infra-estrutura da Bolsa; * apoio técnico da equipe de TI da Bolsa para a instalação de equipamentos e operacionalização das atividades. Edição: Odailson Elmar Spada


Finanças Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | F2

COTAÇÕES DE AÇÕES NA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO Empresa/Ação

MERCADO A VISTA Período de 03 a 07 de janeiro de 2011 LOTE PADRÃO Empresa/Ação ABC BRASIL PN ACO ALTONA ON ACO ALTONA PN ACOS VILL ON AES ELPA ON AES TIETE ON AES TIETE PN AFLUENTE ON AFLUENTE T ON AGRENCO DR3 ALCOA DRN ALFA CONSORC PNE ALFA CONSORC PNF ALFA FINANC ON ALFA FINANC PN ALFA HOLDING ON ALFA HOLDING PNA ALFA HOLDING PNB ALFA INVEST ON ALFA INVEST PN ALIANSCE ON ALIPERTI PN ALL AMER LAT ON ALPARGATAS ON ALPARGATAS PN AMAZONIA ON AMBEV ON AMBEV PN AMERICEL ON AMIL ON AMPLA ENERG ON AMPLA INVEST ON ANHANGUERA ON B2W VAREJO ON BAHEMA ON BANESE ON BANESE PN BANESTES ON BANESTES PN BANK AMERICA DRN BANPARA ON BANRISUL ON BANRISUL PNA BANRISUL PNB BARDELLA ON BARDELLA PN BATTISTELLA ON BATTISTELLA PN BAUMER ON BAUMER PN BEMATECH ON BHG ON BIC MONARK ON BICBANCO ON BICBANCO PN BIOMM ON BIOMM PN BMFBOVESPA ON BOMBRIL PN BR BROKERS ON BR INSURANCE ON BR MALLS PAR ON BR PROPERT ON BRADESCO ON BRADESCO PN BRADESPAR ON BRADESPAR PN BRASIL ON BRASIL TELEC ON BRASIL TELEC PN BRASILAGRO ON BRASKEM ON BRASKEM PNA BRASKEM PNB BRASMOTOR ON BRASMOTOR PN BRB BANCO ON BRB BANCO PN BRF FOODS ON BROOKFIELD ON BUETTNER ON BUETTNER PN CACIQUE ON CACIQUE PN CAF BRASILIA ON CAF BRASILIA PN CAMBUCI PN CAPITALPART ON CASAN ON CASAN PN CC DES IMOB ON CCR RODOVIAS ON CEB ON CEB PNA CEB PNB CEDRO ON CEDRO PN CEEE-D ON CEEE-D PN CEEE-GT ON CEEE-GT PN CEG ON CELESC ON CELESC PNA CELESC PNB CELGPAR ON CELM ON CELPA PNA CELPA PNB CELPA PNC CELPE PNA CELUL IRANI ON CELUL IRANI PN CEMAR ON CEMAT ON CEMAT PN CEMEPE ON CEMEPE PN CEMIG ON CEMIG PN CESP ON CESP PNA CESP PNB CETIP ON CIA HERING ON CIELO ON CIMOB PART ON CISCO DRN CITIGROUP DRN CLARION PN COBRASMA ON COBRASMA PN COELBA ON COELBA PNA COELCE ON COELCE PNA COELCE PNB COMGAS ON COMGAS PNA CONFAB ON CONFAB PN CONST A LIND ON CONST A LIND PN CONTAX ON CONTAX PN COPASA ON COPEL ON COPEL PNA COPEL PNB COR RIBEIRO PN COSAN ON COSAN LTD DR3 COSERN ON COSERN PNA COSERN PNB COTEMINAS ON COTEMINAS PN CPFL ENERGIA ON CR2 ON CREMER ON CRUZEIRO SUL PN CSU CARDSYST ON CYRE COM-CCP ON CYRELA REALT ON D H B ON D H B PN DASA ON DAYCOVAL PN DIMED ON DIMED PN DIRECIONAL ON DIXIE TOGA PN DOC IMBITUBA ON DOC IMBITUBA PN DOCAS ON DOCAS PN DOHLER PN DROGASIL ON DTCOM-DIRECT ON DUFRY AG DR3 DURATEX ON

Código 03/01 04/01 05/01 06/01 07/01 Totais da Semana Fech. Fech. Fech. Fech. Fech. Oscil.SinalLoteNegócios [R$] ABCB4 14,87 14,90 15,04 14,75 14,60 0,14% 1 7.784.358 EALT3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 EALT4 30,40 30,50 0,00 0,00 30,79 2,63% + 1 735.400 AVIL3 0,95 0,98 0,98 1,00 1,00 6,38% + 1 3.075.430 AELP3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 GETI3 20,94 20,93 20,68 20,93 20,85 3,02% 1 14.326.654 GETI4 23,68 23,52 23,90 23,90 23,86 0,58% 1 49.054.989 AFLU3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 AFLT3 0,00 0,00 0,00 5,97 5,07 0,00% = 1 7.278 AGEN11 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 AALC11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BRGE11 0,00 6,14 6,14 0,00 0,00 0,00% = 1 9.824 BRGE12 0,00 5,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 500 CRIV3 4,34 4,40 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 13.460 CRIV4 0,00 3,81 3,80 3,80 3,81 0,00% = 1 223.462 RPAD3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 RPAD5 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 RPAD6 0,00 4,83 4,37 0,00 0,00 0,00% = 1 41.032 BRIV3 0,00 0,00 0,00 0,00 7,70 1,91% 1 53.180 BRIV4 0,00 0,00 0,00 6,50 0,00 0,00% = 1 1.950 ALSC3 13,89 13,79 13,80 13,75 13,65 0,36% 1 4.085.550 APTI4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 ALLL3 15,25 15,18 15,61 15,60 15,56 3,73% + 1 125.131.873 ALPA3 10,77 10,77 10,50 10,90 10,90 0,00% = 1 70.064 ALPA4 10,77 10,80 10,90 10,91 10,94 1,39% + 1 44.126.593 BAZA3 0,54 0,54 0,56 0,56 0,55 1,85% + 1 3.094.900 AMBV3 43,50 43,51 42,70 42,30 42,13 2,93% 1 25.846.813 AMBV4 51,21 51,09 50,35 50,29 49,75 1,52% 1 377.786.538 AMCE3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 AMIL3 17,90 18,00 18,35 18,40 18,19 2,19% + 1 63.523.668 CBEE3 0,00 1,38 1,33 0,00 0,00 0,00% = 1000 45.459 AMPI3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1000 0 AEDU3 41,20 41,31 42,13 41,70 40,90 2,25% + 1 114.020.650 BTOW3 32,59 32,80 32,30 32,39 32,00 1,59% + 1 76.143.209 BAHI3 12,06 12,01 12,25 0,00 12,20 0,81% 1 55.066 BGIP3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BGIP4 29,47 0,00 29,40 29,30 0,00 0,00% = 1 57.239 BEES3 6,03 6,02 5,92 5,92 5,98 1,97% 1 501.482 BEES4 0,00 6,00 6,09 0,00 0,00 0,00% = 1 4.218 BOAC11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BPAR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BRSR3 0,00 0,00 16,90 0,00 0,00 0,00% = 1 8.477 BRSR5 0,00 0,00 18,00 0,00 0,00 0,00% = 1 1.800 BRSR6 17,90 17,67 17,95 17,66 17,36 1,64% 1 45.116.256 BDLL3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BDLL4 147,50 0,00 0,00 148,00 148,00 4,96% + 1 440.001 BTTL3 1,15 1,16 1,15 1,25 1,30 11,11% + 1 156.573 BTTL4 1,17 1,19 1,22 1,23 1,24 5,98% + 1 1.435.147 BALM3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BALM4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BEMA3 8,63 8,75 8,75 8,85 8,76 1,27% + 1 4.080.288 BHGR3 19,95 19,95 18,97 19,11 18,69 7,43% 1 712.957 BMKS3 0,00 700,00 700,00 700,00 750,00 9,65% + 1 16.850 BICB3 0,00 12,61 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 1.261 BICB4 13,91 14,05 13,95 13,60 13,60 3,89% 1 5.146.234 BIOM3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BIOM4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BVMF3 13,40 13,43 13,12 13,32 12,99 1,07% 1 936.744.554 BOBR4 0,00 9,40 9,35 0,00 9,31 1,38% 1 13.817 BBRK3 9,49 9,30 9,16 9,15 9,05 5,24% 1 8.901.193 BRIN31.910,001.890,011.860,001.870,001.895,004,29% 1 28.394.261 BRML3 16,75 16,51 16,60 16,50 16,37 4,27% 1 144.773.012 BRPR3 18,60 18,65 18,43 18,30 18,59 2,37% + 1 67.779.187 BBDC3 26,03 26,10 26,30 25,67 25,47 0,89% 1 46.936.683 BBDC4 33,04 33,33 33,95 33,05 32,49 0,49% 1 811.922.996 BRAP3 44,90 45,00 47,00 47,00 46,00 4,57% + 1 967.748 BRAP4 44,71 45,50 47,12 46,60 46,31 6,90% + 1 215.657.457 BBAS3 31,40 31,53 31,98 31,70 30,95 1,50% 1 601.613.050 BRTO3 15,28 15,50 15,79 15,82 15,92 3,78% + 1 3.322.618 BRTO4 12,25 12,60 12,98 12,95 12,80 6,67% + 1 48.826.283 AGRO3 0,00 10,86 0,00 10,54 10,69 2,82% 1 1.147.602 BRKM3 18,17 18,13 18,49 18,10 0,00 0,00% = 1 136.056 BRKM5 20,25 20,64 20,93 20,68 20,10 1,33% 1 121.442.852 BRKM6 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BMTO3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BMTO4 0,99 0,99 0,99 0,97 0,99 0,00% = 1 83.100 BSLI3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BSLI4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BRFS3 27,14 27,41 28,00 28,15 28,48 4,17% + 1 394.944.132 BISA3 8,72 8,78 8,79 8,81 8,75 1,16% + 1 115.968.645 BUET3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 BUET4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CIQU3 7,47 7,47 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 1.494 CIQU4 7,20 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 7.200 CAFE3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1000 0 CAFE4 1,03 1,02 1,05 0,00 0,00 0,00% = 1000 1.154 CAMB4 3,80 3,75 3,70 0,00 3,69 2,89% 1 315.878 CPTP3B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CASN3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CASN4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CCIM3 8,30 8,36 8,48 8,39 8,24 3,52% + 1 3.205.459 CCRO3 46,48 46,57 46,60 45,99 45,89 2,15% 1 228.739.258 CEBR3 23,15 0,00 0,00 23,52 0,00 0,00% = 1 13.927 CEBR5 0,00 0,00 0,00 33,00 0,00 0,00% = 1 19.800 CEBR6 0,00 23,33 24,00 24,44 0,00 0,00% = 1 199.118 CEDO3 0,00 0,00 39,49 0,00 0,00 0,00% = 1 3.949 CEDO4 36,01 0,00 36,15 0,00 36,20 0,00% = 1 18.076 CEED3 3,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 300 CEED4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 EEEL3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 EEEL4 3,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 600 CEGR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1000 0 CLSC3 0,00 49,50 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 19.800 CLSC5 36,32 0,00 37,00 0,00 0,00 0,00% = 1 14.664 CLSC6 38,70 38,80 38,85 38,75 38,35 4,13% 1 3.190.548 GPAR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CELM3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CELP5 0,00 0,00 0,00 9,00 0,00 0,00% = 1 900 CELP6 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CELP7 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CEPE5 43,50 0,00 41,90 41,90 42,00 4,55% 1 1.116.562 RANI3 27,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 32.395 RANI4 27,00 0,00 0,00 25,00 0,00 0,00% = 1 28.500 ENMA3B 8,70 8,70 8,69 0,00 0,00 0,00% = 1 74.969 CMGR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CMGR4 0,00 0,00 0,00 0,00 5,51 0,00% = 1 39.672 MAPT3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 MAPT4 0,00 0,00 1,72 1,77 1,77 0,00% = 1 7.469 CMIG3 20,91 20,90 21,12 21,10 21,79 5,01% + 1 10.075.958 CMIG4 27,44 27,51 27,71 27,54 28,24 5,73% + 1 171.686.872 CESP3 21,93 22,41 22,99 0,00 22,98 4,93% + 1 1.377.688 CESP5 0,00 22,71 24,00 24,60 0,00 0,00% = 1 21.025 CESP6 26,84 28,50 29,33 29,55 29,80 10,37% + 1 236.373.910 CTIP3 23,56 23,58 23,00 23,11 23,31 1,23% 1 183.871.915 HGTX3 27,94 26,52 26,54 26,10 26,15 3,15% 1 106.295.223 CIEL3 13,60 13,28 13,20 13,10 12,99 3,42% 1 222.448.808 GAFP3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CSCO11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CTGP11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CLAN4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CBMA3 0,17 0,18 0,00 0,18 0,00 0,00% = 1 14.300 CBMA4 0,18 0,18 0,18 0,18 0,18 5,88% + 1 367.000 CEEB3 37,10 0,00 0,00 37,90 0,00 0,00% = 1 14.980 CEEB5 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 COCE3 28,39 27,99 27,91 27,70 27,50 2,83% 1 1.939.817 COCE5 28,10 28,55 28,88 28,80 28,50 0,88% + 1 10.301.597 COCE6 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CGAS3 0,00 37,10 38,00 38,50 0,00 0,00% = 1 48.460 CGAS5 40,96 41,59 41,65 41,65 41,54 2,59% + 1 35.939.547 CNFB3 40,96 41,59 41,65 0,00 41,54 0,00% = 1 0 CNFB4 6,10 5,95 5,97 5,84 5,95 2,46% 1 29.753.748 CALI3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CALI4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CTAX3 32,00 31,60 31,60 30,65 30,51 4,66% 1 480.889 CTAX4 31,98 31,50 31,50 30,65 30,19 5,63% 1 8.011.446 CSMG3 29,66 29,00 28,93 29,20 29,10 1,39% + 1 22.866.083 CPLE3 38,50 0,00 38,78 38,94 38,75 1,97% + 1 470.043 CPLE5 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CPLE6 41,65 41,60 42,45 41,99 42,00 1,20% + 1 116.284.478 CORR4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CSAN3 27,50 27,99 27,93 27,50 27,50 0,40% 1 192.043.506 CZLT11 23,00 23,90 23,60 23,60 23,48 2,09% + 1 7.931.665 CSRN3 11,54 12,40 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 20.858 CSRN5 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 CSRN6 0,00 0,00 0,00 13,30 0,00 0,00% = 1 58.520 CTNM3 0,00 0,00 0,00 5,00 5,37 0,00% = 1 2.037 CTNM4 5,45 5,65 5,65 5,60 5,59 3,52% + 1 1.931.815 CPFE3 41,73 41,85 42,04 42,08 42,40 2,91% + 1 72.177.802 CRDE3 7,34 7,40 7,25 7,36 7,50 0,67% + 1 748.742 CREM3 17,29 17,51 17,38 17,74 17,65 0,91% + 1 3.723.942 CZRS4 15,00 14,70 14,75 14,71 14,79 2,70% 1 437.171 CARD3 6,63 6,70 6,70 6,65 6,67 1,33% 1 898.170 CCPR3 14,35 0,00 14,34 14,35 14,70 1,38% + 1 656.875 CYRE3 21,60 21,37 21,50 20,78 20,39 6,68% 1 293.606.662 DHBI3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 DHBI4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 DASA3 22,23 22,81 22,98 22,60 21,97 2,36% 1 78.257.646 DAYC4 12,90 12,66 12,88 12,85 12,64 2,39% 1 1.558.338 PNVL3 95,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 19.000 PNVL4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 DIRR3 13,20 13,20 13,20 12,90 12,75 5,49% 1 644.176 DXTG4 0,00 0,00 2,53 0,00 2,54 0,40% + 1 14.731 IMBI3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 IMBI4 0,00 0,00 1,60 1,61 1,58 4,24% 1 93.240 DOCA3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 DOCA4 0,00 0,00 0,00 45,00 0,00 0,00% = 1 4.500 DOHL4 0,00 37,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 39.700 DROG3 14,07 14,10 13,98 14,10 13,76 1,93% + 1 13.619.239 DTCY3 1,10 1,09 1,18 1,15 1,20 9,09% + 1 37.844 DAGB11221,01 222,00 216,92 212,02 210,00 5,83% 1 4.054.162 DTEX3 17,46 17,47 17,48 17,35 17,10 4,20% 1 100.849.325

Quant.Tit. 524.000 0 23.900 3.120.000 0 685.200 2.065.400 0 1.400 0 0 1.600 100 3.100 59.600 0 0 9.400 7.000 300 296.500 0 8.156.800 6.500 4.061.800 5.564.000 604.500 7.453.200 0 3.498.400 33.300.000 0 2.750.800 2.350.200 4.500 0 2.000 84.800 700 0 0 500 100 2.538.800 0 3.000 131.900 1.183.200 0 0 467.400 37.400 24 100 372.500 0 0 70.819.800 1.500 958.700 15.000 8.730.200 3.662.800 1.807.700 24.443.700 21.000 4.693.700 19.052.500 214.100 3.844.000 105.900 7.500 5.890.100 0 0 85.000 0 0 14.214.300 13.260.900 0 0 200 1.000 0 1.100.000 83.800 0 0 0 385.900 4.945.500 600 600 8.500 100 500 100 0 0 200 0 400 400 82.800 0 0 100 0 0 26.600 1.200 1.100 8.800 0 7.200 0 4.300 477.100 6.238.100 60.900 900 8.314.900 7.971.900 3.971.900 16.872.500 0 0 0 0 80.000 2.040.000 400 0 69.700 362.100 0 1.300 875.100 0 4.983.900 0 0 15.300 257.600 784.900 12.200 0 2.779.100 0 6.898.100 337.000 1.800 0 4.400 400 345.900 1.719.400 102.500 214.000 29.700 135.000 45.600 13.803.400 0 0 3.468.800 120.200 200 0 48.900 6.000 0 58.000 0 100 1.100 973.600 33.700 18.600 5.821.600

Código 03/01 04/01 05/01 06/01 07/01 Totais da Semana Fech. Fech. Fech. Fech. Fech. Oscil.SinalLoteNegócios [R$] Quant.Tit. ECODIESEL ON ECOD3 1,00 0,99 1,00 1,02 1,00 0,00% = 1 97.409.977 97.063.200 ECORODOVIAS ON ECOR3 12,72 13,20 13,20 13,18 13,05 2,11% + 1 58.181.534 4.463.600 ELEKEIROZ ON ELEK3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ELEKEIROZ PN ELEK4 12,35 12,32 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 33.607 2.700 ELEKTRO ON EKTR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ELEKTRO PN EKTR4 0,00 25,00 24,00 23,01 23,00 9,80% 1 684.703 28.100 ELETROBRAS ON ELET3 22,68 23,23 23,87 23,20 23,05 3,64% + 1 172.359.939 7.411.900 ELETROBRAS PNA ELET5 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ELETROBRAS PNB ELET6 27,20 28,06 28,74 27,95 27,76 3,78% + 1 145.038.212 5.173.000 ELETROPAR ON LIPR3 47,10 47,10 0,00 47,00 0,00 0,00% = 1 61.145 1.300 ELETROPAULO ON ELPL3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ELETROPAULO PN ELPL4 32,39 32,35 32,45 32,43 32,49 1,18% + 1 95.700.629 2.959.100 EMAE PN EMAE4 7,78 7,60 7,69 7,66 7,80 0,26% + 1 61.171 8.000 EMBRAER ON EMBR3 11,90 12,13 12,19 12,25 12,14 2,88% + 1 90.472.397 7.488.600 EMBRATEL PAR ON EBTP3 9,19 9,39 9,30 9,21 9,20 6,22% - 1000 26.664 2.900.000 EMBRATEL PAR PN EBTP4 9,56 9,58 9,76 0,00 9,60 2,04% - 1000 34.719 3.600.000 ENCORPAR ON ECPR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ENCORPAR PN ECPR4 18,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 7.289 400 ENERGIAS BR ON ENBR3 39,25 39,10 38,65 38,30 37,60 2,87% 1 67.716.372 1.760.700 ENERGISA UNT ENGI11 10,09 9,90 9,80 9,70 9,85 0,00% = 1 61.920 6.300 ENERGISA ON ENGI3 0,00 1,95 1,95 1,90 0,00 0,00% = 1 14.790 7.600 ENERGISA PN ENGI4 1,89 0,00 1,82 1,82 1,84 1,10% + 1 16.693 9.100 EQUATORIAL ON EQTL3 11,49 11,50 11,44 11,55 11,44 0,35% + 1 8.410.122 732.900 ESTACIO PART ON ESTC3 26,70 26,65 26,75 26,59 26,50 1,85% 1 19.686.745 741.000 ESTRELA ON ESTR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ESTRELA PN ESTR4 1,04 1,00 0,99 0,99 0,99 2,94% 1 806.668 807.300 ETERNIT ON ETER3 11,30 11,18 11,02 11,10 11,19 6,75% 1 7.998.499 709.000 EUCATEX PN EUCA4 7,14 7,25 7,20 7,10 7,10 1,39% 1 2.296.044 321.600 EVEN ON EVEN3 8,77 8,55 8,30 8,49 8,30 3,49% 1 67.221.489 8.023.500 EXCELSIOR PN BAUH4 2,80 0,00 0,00 0,00 2,72 0,00% = 1 552 200 EXXON MOBIL DRN EXXO11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 EZTEC ON EZTC3 13,93 13,80 13,81 14,17 14,20 1,21% + 1 12.961.951 929.000 FAB C RENAUX ON FTRX3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 FAB C RENAUX PN FTRX4 0,55 0,55 0,54 0,52 0,53 3,64% 1 143.870 273.000 FER C ATLANT ON VSPT3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 FER HERINGER ON FHER3 9,25 9,38 9,17 9,20 9,18 0,97% 1 3.890.840 423.000 FERBASA ON FESA3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 FERBASA PN FESA4 13,28 13,39 13,40 13,09 12,90 4,02% 1 5.816.260 440.900 FIBAM ON FBMC3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 FIBAM PN FBMC4 73,99 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 7.399 100 FIBRIA ON FIBR3 26,62 26,95 26,90 26,88 26,78 1,09% + 1 153.459.633 5.706.300 FLEURY ON FLRY3 26,97 26,00 25,00 25,00 26,00 2,44% 1 55.053.917 2.150.200 FORJA TAURUS ON FJTA3 0,00 0,00 0,00 0,00 5,49 0,00% = 1 1.044 200 FORJA TAURUS PN FJTA4 4,12 4,16 4,19 4,19 4,14 0,98% + 1 1.360.798 326.400 FRAS-LE ON FRAS3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 FRAS-LE PN FRAS4 4,02 3,99 4,04 3,98 3,95 2,23% 1 777.691 195.100 FREEPORT DRN FCXO11B199,11196,83 0,00 0,00 197,00 0,00% = 1 256.082 1.300 GAFISA ON GFSA3 12,13 11,88 12,05 11,82 11,50 4,49% 1 266.611.331 22.450.200 GAZOLA ON GAZO3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GAZOLA PN GAZO4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GE DRN GEOO11B0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GENERALSHOPP ON GSHP3 12,50 12,59 12,50 12,58 12,55 4,13% 1 9.252.726 735.200 GER PARANAP ON GEPA3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GER PARANAP PN GEPA4 0,00 0,00 0,00 40,10 0,00 0,00% = 1 8.020 200 GERDAU ON GGBR3 17,13 17,60 17,88 18,19 18,01 7,39% + 1 31.625.154 1.787.000 GERDAU PN GGBR4 23,13 23,81 23,95 24,04 24,08 6,22% + 1 719.185.358 30.175.200 GERDAU MET ON GOAU3 24,05 24,15 24,84 24,85 24,85 5,30% + 1 517.062 21.100 GERDAU MET PN GOAU4 27,45 28,20 28,57 28,51 28,59 6,68% + 1 180.187.923 6.390.500 GLOBEX ON GLOB3 0,00 0,00 19,51 19,51 0,00 0,00% = 1 27.314 1.400 GOL PN GOLL4 25,90 26,48 26,49 25,92 25,92 3,27% + 1 186.766.883 7.129.100 GOLDMANSACHS DRN GSGI11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GOOGLE DRN GOOG11B0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 GP INVEST DR3 GPIV11 7,22 7,18 7,17 7,07 6,95 5,44% 1 6.812.414 963.500 GPC PART ON GPCP3 0,78 0,80 0,79 0,78 0,81 0,00% = 1 185.262 229.900 GRAZZIOTIN ON CGRA3 0,78 0,00 0,00 0,00 15,10100,00% 1 66.440 4.400 GRAZZIOTIN PN CGRA4 16,00 0,00 16,00 0,00 0,00 0,00% = 1 7.995 500 GRENDENE ON GRND3 9,45 9,26 9,45 9,45 9,37 0,54% + 1 1.198.908 127.600 GTD PART ON GTDP3B 0,29 0,28 0,28 0,28 0,28 0,00% = 1 700 2.600 GTD PART PN GTDP4B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,28 3,45% 1 28 100 GUARARAPES ON GUAR3 83,01 82,00 82,00 80,20 80,08 0,77% 1 8.460.338 104.000 GUARARAPES PN GUAR4 79,74 79,75 79,49 79,40 0,00 0,00% = 1 1.063.783 13.400 HABITASUL PNA HBTS5 4,60 4,62 4,62 0,00 0,00 0,00% = 1 3.230 700 HELBOR ON HBOR3 20,69 20,34 20,00 19,91 19,87 5,34% 1 5.133.969 252.000 HERCULES ON HETA3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 HERCULES PN HETA4 0,45 0,45 0,46 0,45 0,45 0,00% = 1 283.020 612.000 HOTEIS OTHON PN HOOT4 1,03 1,00 0,00 1,03 1,01 0,00% = 1 92.000 90.000 HRT PETROLEO ON HRTP31.640,001.680,001.621,001.575,001.580,000,63% 1 89.218.962 55.500 HYPERMARCAS ON HYPE3 22,20 21,40 21,65 21,05 21,40 5,02% 1 595.987.160 27.597.900 IDEIASNET ON IDNT3 3,70 3,74 3,75 3,75 3,72 2,62% 1 4.517.732 1.206.300 IENERGIA ON IENG3 0,44 0,44 0,46 0,45 0,45 2,27% + 1 138.140 307.000 IENERGIA PNA IENG5 0,32 0,32 0,32 0,32 0,32 3,03% 1 2.112.190 6.618.000 IGB S/A ON IGBR3 6,83 6,81 6,85 6,92 6,70 2,47% 1 780.383 114.600 IGUACU CAFE ON IGUA3 0,00 0,00 0,00 5,79 5,76 24,51% 1 8.040 1.400 IGUACU CAFE PNA IGUA5 0,00 0,00 0,00 4,59 0,00 0,00% = 1 1.815 400 IGUACU CAFE PNB IGUA6 0,00 0,00 0,00 4,83 0,00 0,00% = 1 483 100 IGUATEMI ON IGTA3 42,00 40,82 40,40 39,77 39,09 5,81% 1 24.704.505 610.700 INDS ROMI ON ROMI3 14,14 13,65 13,40 12,90 12,69 12,48% 1 2.787.677 211.900 INDUSVAL PN IDVL4 7,95 7,93 7,85 7,89 7,92 0,38% 1 711.848 90.600 INEPAR ON INEP3 5,83 5,60 5,54 5,63 5,44 2,86% 1 687.899 121.700 INEPAR PN INEP4 5,61 5,44 5,43 5,45 5,42 2,52% 1 6.984.037 1.275.900 INEPAR TEL ON INET3 0,31 0,33 0,36 0,35 0,35 9,38% + 1 5.954.426 16.844.000 INPAR S/A ON INPR3 3,43 3,40 3,38 3,38 3,40 1,45% 1 3.790.304 1.114.600 INTEL DRN ITLC11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 INVEST BEMGE ON FIGE3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 INVEST BEMGE PN FIGE4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 IOCHP-MAXION ON MYPK3 23,65 23,50 22,94 22,20 22,20 7,88% 1 42.490.602 1.869.100 ISHARES BOVA CI BOVA11 69,24 69,70 70,25 69,65 69,33 1,17% + 1 101.329.810 1.457.030 ISHARES BRAX CI BRAX11 44,71 44,84 45,50 45,10 44,56 0,54% + 1 3.363.316 74.710 ISHARES CSMO CI CSMO11 33,97 33,73 33,86 33,53 33,40 0,51% 1 1.449.658 42.910 ISHARES MILA CI MILA11 48,78 48,68 0,00 48,94 0,00 0,00% = 1 312.134 6.410 ISHARES MOBI CI MOBI11 20,66 20,00 20,40 20,00 20,08 2,95% 1 1.469.792 72.140 ISHARES SMAL CI SMAL11 71,47 70,94 70,92 70,13 69,81 1,57% 1 4.796.279 67.990 ITAUSA ON ITSA3 13,75 13,82 13,67 14,50 13,92 3,87% 1 1.908.151 136.900 ITAUSA PN ITSA4 13,21 13,38 13,55 13,26 12,87 2,50% 1 463.373.429 34.949.500 ITAUTEC ON ITEC3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 ITAUUNIBANCO ON ITUB3 31,24 31,45 31,90 31,50 30,65 1,13% 1 47.347.350 1.519.800 ITAUUNIBANCO PN ITUB4 39,68 40,00 40,60 39,64 38,67 2,81% 1 1.214.838.771 30.585.400 J B DUARTE ON JBDU3 0,00 0,06 0,07 0,07 0,06 0,00% = 1 145.210 2.385.000 J B DUARTE PN JBDU4 0,06 0,06 0,07 0,07 0,07 0,00% = 1 207.960 3.278.000 JBS ON JBSS3 7,14 7,08 7,13 7,08 7,02 2,09% 1 131.333.002 18.483.500 JEREISSATI ON MLFT3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 JEREISSATI PN MLFT4 1,70 1,71 1,70 1,70 1,68 1,18% 1 1.237.030 734.000 JHSF PART ON JHSF3 3,46 3,43 3,49 3,50 3,45 1,43% 1 4.504.838 1.295.900 JOAO FORTES ON JFEN3 11,95 11,95 11,80 11,35 11,49 2,54% 1 429.697 37.600 JOSAPAR ON JOPA3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 JOSAPAR PN JOPA4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 JSL ON JSLG3 11,40 11,70 11,64 11,50 11,60 4,04% + 1 34.684.498 3.015.300 KARSTEN ON CTKA3 0,00 5,99 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 599 100 KARSTEN PN CTKA4 6,14 6,09 6,05 6,15 6,31 2,44% + 1 532.188 88.000 KEPLER WEBER ON KEPL3 0,36 0,36 0,37 0,37 0,37 5,71% + 1 24.055.168 65.071.900 KLABIN S/A ON KLBN3 6,31 6,35 6,78 0,00 6,50 4,84% + 1 42.333 6.800 KLABIN S/A PN KLBN4 5,85 5,90 5,85 5,70 5,70 2,56% 1 101.979.375 17.597.700 KROTON UNT KROT11 21,80 21,95 21,99 21,80 21,62 1,05% 1 9.662.717 440.500 LA FONTE TEL ON LFFE3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LA FONTE TEL PN LFFE4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LAEP DR3 MILK11 0,68 0,68 0,66 0,64 0,62 11,43% 1 66.045.614 100.786.900 LARK MAQS PN LARK4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LE LIS BLANC ON LLIS3 17,68 17,50 17,53 17,45 17,00 0,58% 1 15.130.672 871.900 LIGHT S/A ON LIGT3 25,60 25,44 25,27 25,13 25,40 0,12% 1 138.743.314 5.470.400 LIX DA CUNHA ON LIXC3 0,00 0,00 0,00 4,79 0,00 0,00% = 1 7.185 1.500 LIX DA CUNHA PN LIXC4 2,81 2,81 2,81 2,80 2,73 0,00% = 1 91.944 33.400 LLX LOG ON LLXL3 4,75 4,68 4,63 4,61 4,53 4,23% 1 58.800.929 12.631.200 LOCALIZA ON RENT3 27,49 27,30 28,00 28,20 27,71 3,01% + 1 118.286.422 4.305.700 LOG-IN ON LOGN3 10,30 10,15 10,07 10,00 10,00 3,85% 1 2.083.656 205.700 LOJAS AMERIC ON LAME3 12,72 12,70 13,30 13,30 13,39 7,98% + 1 2.993.332 228.200 LOJAS AMERIC PN LAME4 15,40 15,30 15,80 15,56 15,66 2,29% + 1 206.038.445 13.261.700 LOJAS HERING ON LHER3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LOJAS HERING PN LHER4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LOJAS MARISA ON AMAR3 25,39 24,50 24,40 24,51 24,30 3,42% 1 28.652.090 1.161.200 LOJAS RENNER ON LREN3 57,09 56,30 55,85 54,50 54,00 4,26% 1 208.614.880 3.742.800 LONGDIS ON SPRT3B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 LOPES BRASIL ON LPSB3 41,30 40,00 38,79 37,95 38,11 2,28% 1 14.914.957 371.500 LUPATECH ON LUPA3 19,55 19,85 19,70 20,19 20,29 5,24% + 1 19.594.327 990.400 M G POLIEST ON RHDS3 0,14 0,14 0,14 0,14 0,14 0,00% = 1 236.120 1.688.000 M.DIASBRANCO ON MDIA3 40,00 39,00 39,00 38,50 38,17 3,37% 1 11.680.555 301.900 MAGNESITA SA ON MAGG3 10,12 9,98 10,07 9,96 9,95 2,45% 1 28.102.867 2.814.700 MANGELS INDL ON MGEL3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MANGELS INDL PN MGEL4 11,00 10,80 10,84 10,60 10,55 2,31% 1 925.872 86.400 MARAMBAIA ON CTPC3 0,94 0,92 0,92 0,93 0,93 2,20% + 1 181.649 197.400 MARCOPOLO ON POMO3 6,50 0,00 6,46 6,45 6,30 4,30% + 1 255.483 39.400 MARCOPOLO PN POMO4 7,09 7,15 7,29 7,06 7,05 0,86% + 1 37.554.233 5.282.700 MARFRIG ON MRFG3 15,45 15,51 15,54 15,40 15,25 1,61% 1 112.738.662 7.327.600 MARISOL PN MRSL4 2,90 2,89 2,90 2,90 2,80 5,72% 1 50.491 17.800 MCDONALDS DRN MCDC11B0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MELHOR SP ON MSPA3 0,00 0,00 0,00 34,00 0,00 0,00% = 1 3.400 100 MELHOR SP PN MSPA4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MENDES JR ON MEND3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MENDES JR PNA MEND5 0,00 37,00 0,00 0,00 37,00 0,00% = 1 14.712 400 MENDES JR PNB MEND6 0,00 34,20 35,00 35,00 36,00 5,73% + 1 34.980 1.000 MERC BRASIL ON BMEB3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MERC BRASIL PN BMEB4 12,02 12,05 12,09 12,07 11,67 3,55% 1 166.521 14.200 MERC FINANC ON MERC3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MERC FINANC PN MERC4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MERC INVEST ON BMIN3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MERC INVEST PN BMIN4 0,41 0,42 0,41 0,42 0,41 0,00% = 1 247.810 583.000 MERCK DRN MRCK11B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MET DUQUE PN DUQE4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 METAL IGUACU ON MTIG3 0,72 0,74 0,75 0,75 0,00 0,00% = 1 1.755 2.400 METAL IGUACU PN MTIG4 0,34 0,33 0,33 0,33 0,33 3,13% + 1 1.648.081 4.898.400 METAL LEVE ON LEVE3 0,34 0,33 0,33 0,33 0,00 0,00% = 1 0 0 METAL LEVE PN LEVE4 45,38 44,80 44,59 44,20 44,49 2,22% 1 685.988 15.700 METALFRIO ON FRIO3 13,80 13,79 13,75 13,70 13,69 2,14% 1 1.630.730 118.300 METISA PN MTSA4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MICROSOFT DRN MSFT11B 0,00 0,00 0,00 0,00 48,81 0,00% = 1 4.881 100 MILLENNIUM ON TIBR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MILLENNIUM PNA TIBR5 0,12 0,12 0,00 0,12 0,12 0,00% = 1 244.000 2.100.000 MILLENNIUM PNB TIBR6 0,10 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 19.000 200.000 MILLS ON MILS3 21,08 21,40 21,22 21,18 21,03 2,09% + 1 16.116.206 757.700 MINASMAQUINA PN MMAQ4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MINERVA ON BEEF3 6,78 6,80 6,98 6,96 6,96 0,29% 1 12.372.658 1.807.800 MINUPAR ON MNPR3 0,35 0,34 0,34 0,34 0,34 3,03% + 1 10.343.786 30.265.400 MMX MINER ON MMXM3 11,12 11,01 11,05 11,02 11,00 2,05% 1 156.331.550 14.131.900 MONT ARANHA ON MOAR3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MPX ENERGIA ON MPXE3 26,74 26,71 26,99 27,20 27,25 3,45% + 1 67.477.246 2.520.100 MRS LOGIST ON MRSA3B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00% = 1 0 0 MRV ON MRVE3 16,14 16,05 16,46 16,55 16,55 6,02% + 1 315.749.416 19.361.500 MULTIPLAN ON MULT3 36,34 34,89 33,84 34,00 33,15 10,16% 1 84.597.179 2.446.000 MULTIPLUS ON MPLU3 34,44 34,30 34,25 33,40 33,50 0,74% 1 27.030.911 799.000

Empresa/Ação MUNDIAL ON MUNDIAL PN NADIR FIGUEI ON NADIR FIGUEI PN NATURA ON NET ON NET PN NORD BRASIL ON NORD BRASIL PN NORDON MET ON NOVA AMERICA ON NOVA AMERICA PN NUTRIPLANT ON ODONTOPREV ON OGX PETROLEO ON OHL BRASIL ON OSX BRASIL ON P.ACUCAR-CBD ON P.ACUCAR-CBD PNA PANAMERICANO PN PANATLANTICA ON PANATLANTICA PN PAR AL BAHIA ON PAR AL BAHIA PN PARANA PN PARANAPANEMA ON PATAGONIA DR3 PDG REALT ON PETROBRAS ON PETROBRAS PN PETROPAR ON PETROPAR PN PETTENATI ON PETTENATI PN PFIZER DRN PG DRN PIBB CI PINE PN PLASCAR PART ON PORTO SEGURO ON PORTOBELLO ON PORTX ON POSITIVO INF ON PRO METALURG PNA PRO METALURG PNB PROFARMA ON PRONOR PNA PRONOR PNB PROVIDENCIA ON QGN PARTIC ON QGN PARTIC PN QUATTOR PETR PN RAIA ON RANDON PART ON RANDON PART PN RASIP AGRO ON RASIP AGRO PN RECRUSUL ON RECRUSUL PN REDE ENERGIA ON REDE ENERGIA PN REDECARD ON REDENTOR ON RENAR ON RENOVA UNT RIMET PN RIOSULENSE PN RODOBENSIMOB ON ROSSI RESID ON SABESP ON SAM INDUSTR ON SAM INDUSTR PN SANEPAR ON SANEPAR PN SANTANDER BR UNT SANTANDER BR ON SANTANDER BR PN SANTANENSE ON SANTANENSE PN SANTOS BRP UNT SAO CARLOS ON SAO MARTINHO ON SARAIVA LIVR ON SARAIVA LIVR PN SCHLOSSER ON SCHLOSSER PN SCHULZ PN SEB UNT SEG AL BAHIA ON SEG AL BAHIA PN SERGEN PN SID NACIONAL ON SLC AGRICOLA ON SMALL CAP SML SOFISA PN SONDOTECNICA ON SONDOTECNICA PNA SONDOTECNICA PNB SOUZA CRUZ ON SPRINGER ON SPRINGER PNA SPRINGER PNB SPRINGS ON SPTURIS PNA SPTURIS PNB STEEL BRASIL ON SUL AMERICA UNT SULTEPA ON SULTEPA PN SUZANO PAPEL PNA TAM S/A ON TAM S/A PN TARPON INV ON TEC BLUMENAU PNA TEC BLUMENAU PNC TECNISA ON TECNOSOLO ON TECNOSOLO PN TECTOY ON TECTOY PN TEGMA ON TEKA ON TEKA PN TEKNO PN TELE NORT CL ON TELE NORT CL PN TELEBRAS ON TELEBRAS PN TELEFONICA DR3 TELEMAR ON TELEMAR PN TELEMAR N L ON TELEMAR N L PNA TELEMAR N L PNB TELESP ON TELESP PN TEMPO PART ON TEREOS ON TERNA PART UNT TIM PART S/A ON TIM PART S/A PN TIVIT ON TOTVS ON TRACTEBEL ON TRAN PAULIST ON TRAN PAULIST PN TREVISA ON TREVISA PN TRISUL ON TRIUNFO PART ON TRORION ON TRORION PN TUPY ON TUPY PN ULTRAPAR ON ULTRAPAR PN UNIPAR ON UNIPAR PNA UNIPAR PNB UOL PN USIMINAS ON USIMINAS PNA USIMINAS PNB USIN C PINTO PN VALE ON VALE PNA VALEFERT ON VALEFERT PN VALID ON VARIG SERV PN VICUNHA TEXT ON VICUNHA TEXT PNA VICUNHA TEXT PNB VIVO ON VIVO PN VULCABRAS ON WAL MART DRN WEG ON WELLS FARGO DRN WETZEL S/A ON WETZEL S/A PN WHIRLPOOL ON WHIRLPOOL PN WILSON SONS DR3 WLM IND COM ON WLM IND COM PN YARA BRASIL ON YARA BRASIL PN

Código 03/01 Fech. MNDL3 1,47 MNDL4 1,79 NAFG3 0,00 NAFG4 0,00 NATU3 49,40 NETC3 0,00 NETC4 22,87 BNBR3 40,00 BNBR4 0,00 NORD3 0,00 NOVA3B 0,00 NOVA4B 0,00 NUTR3M 0,00 ODPV3 25,00 OGXP3 20,03 OHLB3 59,69 OSXB3 494,99 PCAR3 0,00 PCAR5 70,23 BPNM4 4,09 PATI3 23,79 PATI4 0,00 PEAB3 0,00 PEAB4 28,00 PRBC4 13,72 PMAM3 5,10 BPAT11 0,00 PDGR3 10,24 PETR3 30,30 PETR4 27,00 PTPA3 27,00 PTPA4 0,00 PTNT3 0,00 PTNT4 5,50 PFIZ11B 0,00 PGCO11B0,00 PIBB11 97,20 PINE4 14,15 PLAS3 3,55 PSSA3 28,50 PTBL3 2,00 PRTX3 3,74 POSI3 9,98 PMET5 0,00 PMET6 0,00 PFRM3 15,58 PNOR5 0,00 PNOR6 0,00 PRVI3 7,49 QGNP3B 0,00 QGNP4B 0,00 SZPQ4 0,00 RAIA3 25,40 RAPT3 9,57 RAPT4 12,01 RSIP3 0,40 RSIP4 0,39 RCSL3 0,00 RCSL4 0,88 REDE3 5,87 REDE4 6,46 RDCD3 21,45 RDTR3 7,92 RNAR3 0,66 RNEW11 22,30 REEM4 0,00 RSUL4 0,00 RDNI3 17,00 RSID3 14,84 SBSP3 43,91 FCAP3 0,00 FCAP4 0,00 SAPR3 0,00 SAPR4 2,96 SANB11 22,40 SANB3 0,24 SANB4 0,19 CTSA3 2,59 CTSA4 2,98 STBP11 23,49 SCAR3 22,50 SMTO3 25,42 SLED3 0,00 SLED4 45,49 SCLO3 0,00 SCLO4 6,10 SHUL4 9,05 SEBB11 31,20 CSAB3 0,00 CSAB4 27,05 SGEN4 1,35 CSNA3 27,30 SLCE3 21,65 SMLL11 21,65 SFSA4 5,09 SOND3 0,00 SOND5 0,00 SOND6 31,50 CRUZ3 92,20 SPRI3 5,98 SPRI5 4,30 SPRI6 3,99 SGPS3 5,38 AHEB5 0,00 AHEB6 0,00 STLB3 0,00 SULA11 20,79 SULT3 0,00 SULT4 4,40 SUZB5 14,66 TAMM3 38,82 TAMM4 39,40 TRPN3 18,00 TENE5 4,00 TENE7 2,10 TCSA3 11,35 TCNO3 0,90 TCNO4 0,64 TOYB3 0,07 TOYB4 0,07 TGMA3 24,71 TEKA3 0,00 TEKA4 1,30 TKNO4 83,00 TNCP3 0,00 TNCP4 0,00 TELB3 1,68 TELB4 1,30 TEFC11 0,00 TNLP3 32,90 TNLP4 24,85 TMAR3 0,00 TMAR5 48,18 TMAR6 0,00 TLPP3 38,05 TLPP4 40,70 TEMP3 5,15 TERI3 3,33 TRNA11 0,00 TCSL3 6,87 TCSL4 5,63 TVIT3 19,20 TOTS3 174,00 TBLE3 26,80 TRPL3 60,50 TRPL4 56,75 LUXM3 0,00 LUXM4 0,00 TRIS3 7,12 TPIS3 9,84 TROR3 0,00 TROR4 0,00 TUPY3 25,49 TUPY4 0,00 UGPA3 0,00 UGPA4 107,79 UNIP3 0,69 UNIP5 0,00 UNIP6 0,59 UOLL4 13,52 USIM3 21,60 USIM5 19,18 USIM6 0,00 UCOP4 5,99 VALE3 56,97 VALE5 49,90 FFTL3 0,00 FFTL4 19,15 VLID3 20,25 VPSC4 0,00 VINE3 0,00 VINE5 0,00 VINE6 0,00 VIVO3 108,44 VIVO4 55,34 VULC3 28,00 WALM11B0,00 WEGE3 21,98 WFCO11B0,00 MWET3 0,00 MWET4 0,00 WHRL3 0,00 WHRL4 3,76 WSON1133,00 SGAS3 0,00 SGAS4 0,00 ILMD3 0,00 ILMD4 27,65

04/01 Fech. 1,45 1,89 0,00 0,00 49,90 19,11 22,85 40,00 49,50 0,00 0,00 0,00 0,00 25,88 20,15 59,50 510,00 0,00 69,30 4,14 0,00 0,00 0,00 0,00 13,75 5,27 0,00 10,00 30,06 26,90 0,00 36,00 0,00 5,83 0,00 0,00 97,50 13,95 3,54 28,85 1,95 3,70 9,98 0,00 0,27 15,41 0,00 0,00 7,50 0,00 0,00 0,00 25,35 9,50 11,87 0,40 0,00 0,00 0,89 5,88 0,00 20,75 7,95 0,67 22,20 0,00 0,00 16,99 14,46 43,60 0,00 0,00 0,00 3,05 22,40 0,24 0,19 2,59 2,94 23,49 22,85 25,50 0,00 44,70 0,00 6,02 9,00 31,20 0,00 0,00 1,35 28,05 21,23 21,23 5,09 0,00 0,00 0,00 91,76 6,19 4,01 3,53 5,50 0,00 0,00 0,00 20,50 0,00 4,42 14,87 38,84 39,63 18,49 0,00 2,14 11,29 0,91 0,66 0,06 0,07 24,21 0,00 1,24 0,00 0,00 0,00 1,55 1,29 0,00 33,20 24,98 58,00 48,51 0,00 37,80 40,90 5,19 3,46 0,00 6,84 5,63 0,00 172,00 26,45 0,00 55,95 0,00 0,00 7,15 9,75 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 107,25 0,68 0,00 0,58 13,65 22,19 19,94 18,66 0,00 58,15 50,83 0,00 19,35 20,50 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 56,10 27,50 0,00 21,60 0,00 20,16 12,90 0,00 3,75 33,16 0,00 0,00 0,00 0,00

05/01 Fech. 1,50 1,82 0,00 0,00 49,30 0,00 22,99 39,50 52,00 0,00 0,00 0,00 0,00 25,30 20,60 59,10 510,00 0,00 69,98 4,10 0,00 23,50 0,00 0,00 13,90 5,38 0,00 10,09 30,63 27,22 0,00 39,00 8,00 6,25 0,00 0,00 98,91 13,95 3,55 28,95 2,00 3,67 9,95 0,00 0,28 15,25 0,00 1,54 7,52 0,00 0,00 6,85 25,40 0,00 12,29 0,46 0,40 0,00 0,88 0,00 6,15 20,65 7,95 0,63 22,50 0,00 0,00 16,56 14,40 44,49 0,00 0,00 0,00 3,00 22,56 0,24 0,19 2,62 2,94 24,20 22,85 24,90 0,00 44,70 0,00 6,13 9,14 31,25 0,00 0,00 0,00 28,75 21,87 0,00 5,07 0,00 30,01 0,00 92,00 5,47 3,70 3,40 5,63 0,00 0,00 5,00 20,21 0,00 4,69 14,92 38,85 39,63 18,48 3,85 0,00 11,20 0,89 0,68 0,06 0,07 24,45 0,00 1,22 0,00 0,00 0,00 1,58 1,23 0,00 34,05 25,85 60,00 49,39 0,00 38,00 41,28 5,18 3,43 0,00 6,92 5,67 19,20 170,00 26,90 0,00 57,00 0,00 30,00 7,25 9,75 0,00 0,00 25,29 0,00 0,00 108,75 0,70 0,00 0,62 13,67 22,71 20,40 0,00 0,00 59,20 51,56 0,00 19,60 20,50 0,00 0,00 0,00 0,00 112,00 56,75 28,98 0,00 21,31 0,00 0,00 12,90 3,48 3,74 32,74 0,00 0,00 0,00 0,00

06/01 Fech. 1,44 1,82 0,00 12,89 47,33 0,00 23,00 38,00 47,00 0,00 0,00 0,00 0,00 25,15 20,67 58,30 514,00 0,00 68,57 3,98 0,00 0,00 29,00 28,00 13,68 5,45 0,00 10,09 30,45 27,11 0,00 0,00 0,00 6,11 0,00 0,00 97,07 13,73 3,52 28,97 2,00 3,63 9,88 0,00 0,28 15,18 0,00 0,00 7,60 0,00 0,00 6,40 25,77 0,00 12,30 0,43 0,39 0,00 0,88 0,00 6,03 20,30 7,95 0,64 0,00 0,00 0,00 16,75 14,20 43,78 0,00 0,00 0,00 3,10 22,16 0,23 0,19 2,62 2,80 24,25 22,25 25,00 0,00 44,49 0,00 0,00 8,99 0,00 26,00 35,03 1,49 28,87 22,00 22,00 5,07 0,00 0,00 0,00 91,35 5,66 3,80 3,36 5,60 0,00 0,00 5,45 20,00 0,00 4,40 14,89 37,80 39,35 18,48 0,00 2,14 11,14 0,89 0,67 0,07 0,07 24,60 1,20 1,19 0,00 39,71 0,00 1,53 1,22 0,00 34,30 25,70 0,00 49,20 0,00 38,25 41,40 4,99 3,41 0,00 6,92 5,67 0,00 169,50 27,25 0,00 56,70 0,00 0,00 6,80 9,68 0,00 0,00 25,27 0,00 0,00 106,19 0,70 0,00 0,60 13,74 22,60 20,25 0,00 0,00 58,44 51,32 0,00 19,33 20,75 20,75 0,00 0,00 0,00 112,00 57,30 7,20 0,00 21,08 0,00 0,00 12,90 0,00 3,74 32,95 0,00 0,00 0,00 27,70

07/01 Fech. 1,49 1,80 0,00 0,00 47,00 0,00 23,00 0,00 45,00 0,00 0,00 0,00 0,00 25,00 20,75 58,44 515,00 0,00 66,66 3,86 0,00 0,00 0,00 0,00 13,69 5,52 0,00 10,25 30,00 26,73 0,00 0,00 0,00 6,37 0,00 0,00 96,91 13,58 3,51 28,61 1,93 3,61 9,82 0,00 0,29 14,97 1,64 0,00 7,58 0,00 0,00 6,57 24,93 10,05 12,70 0,42 0,39 0,00 0,92 0,00 6,03 20,00 7,92 0,65 22,53 0,00 0,00 17,00 14,17 44,00 0,00 0,00 0,00 3,10 21,87 0,23 0,19 2,60 0,00 24,25 22,20 25,39 0,00 44,14 11,00 6,05 9,05 31,29 0,00 0,00 1,46 29,05 21,89 21,89 5,07 0,00 0,00 0,00 90,10 6,00 4,24 3,50 5,55 0,00 0,00 0,00 19,70 0,00 0,00 14,68 37,80 39,45 18,49 0,00 0,00 11,30 0,87 0,67 0,06 0,07 24,50 1,25 1,19 0,00 39,71 0,00 1,51 1,18 0,00 34,39 25,71 0,00 48,40 0,00 39,50 41,50 5,00 3,40 0,00 6,88 5,66 0,00 168,50 27,35 63,70 56,63 0,00 0,00 6,77 9,61 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 106,89 0,70 1,55 0,59 13,70 22,87 20,60 0,00 0,00 58,00 50,90 0,00 19,04 20,75 20,75 0,00 0,00 0,00 112,05 56,50 7,05 0,00 21,11 0,00 0,00 13,00 0,00 3,75 32,97 0,00 0,00 0,00 27,00

Totais da Semana Oscil.SinalLoteNegócios [R$] Quant.Tit. 1,36% + 1 287.341 196.800 1,69% + 1 1.277.950 708.800 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 2.578 200 1,45% 1 249.496.264 5.123.300 0,00% = 1 1.911 100 1,72% + 1 84.956.162 3.724.400 0,00% = 1 74.458 1.900 0,00% = 1 260.120 5.500 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1 0 0 0,36% 1 41.191.102 1.625.800 3,75% + 1 1.422.419.914 69.719.500 2,58% 1 23.102.065 392.200 6,63% + 1 26.823.288 52.800 0,00% = 1 0 0 3,81% 1 224.493.206 3.267.400 4,69% 1 18.866.445 4.710.300 0,00% = 1 38.064 1.600 0,00% = 1 21.150 900 0,00% = 1 20.300 700 0,00% = 1 22.400 800 1,48% + 1 1.008.285 73.500 10,18% + 1 31.919.386 5.947.900 0,00% = 1 0 0 0,89% + 1 418.611.432 41.182.300 1,80% 1 993.744.059 32.867.100 2,05% 1 3.236.732.752 119.764.500 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 32.950 900 0,00% = 1 16.800 2.100 15,82% + 1 1.489.934 244.300 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,03% + 1 45.611.149 469.140 9,47% 1 5.032.260 357.000 3,84% 1 4.466.738 1.260.300 1,10% + 1 87.610.717 3.053.300 4,93% 1 213.128 108.400 2,70% 1 28.861.258 7.847.000 0,72% + 1 20.441.457 2.047.800 0,00% = 1000 0 0 3,57% + 1000 15.100 54.400.000 3,42% 1 3.359.974 219.200 0,00% = 1 164 100 0,00% = 1 616 400 2,43% + 1 3.789.684 500.700 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1 22.721 3.600 2,00% 1 10.799.472 427.200 5,79% + 1 95.508 9.900 3,34% + 1 65.054.149 5.290.300 5,00% + 1 1.563.906 3.482.900 0,00% = 1 1.233.908 3.047.700 0,00% = 1 0 0 4,55% + 1 1.907.857 2.149.300 0,00% = 1 2.939 500 2,43% 1 60.036 9.900 4,99% 1 199.759.338 9.707.000 0,89% + 1 16.492.528 2.082.100 1,52% 1 904.175 1.419.300 0,75% 1 1.217.493 54.600 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1 0 0 1,86% + 1 5.997.393 360.600 4,19% 1 148.659.623 10.295.100 3,31% + 1 82.865.445 1.885.500 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 6,16% + 1 2.602.424 877.100 3,02% 1 254.931.031 11.439.500 4,17% 1 819.229 3.502.500 0,00% = 1 641.080 3.538.000 1,14% 1 197.076 75.100 0,00% = 1 20.081 7.000 5,43% + 1 91.020.334 3.904.000 4,52% 1 721.844 32.400 4,19% 1 8.921.421 354.100 0,00% = 1 0 0 0,16% + 1 14.490.193 321.900 0,00% = 1 2.200 200 0,00% = 1 31.275 5.100 0,00% = 1 352.867 39.100 2,56% + 1 243.524 7.800 0,00% = 1 10.400 400 0,00% = 1 17.146 600 4,29% + 1000 64.781 43.700.000 8,92% + 1 651.027.420 22.886.400 0,50% 1 8.925.578 413.000 0,00% = 1 0 0 0,20% 1 421.449 83.600 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 3.001 100 0,00% = 1 12.600 400 0,32% 1 95.768.687 1.044.500 21,21% + 1 3.571.522 592.800 6,00% + 1 421.871 105.200 0,00% = 1 112.136 30.400 2,78% + 1 1.754.369 317.600 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 1.045 200 5,29% 1 28.655.700 1.412.800 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 97.440 22.000 0,68% 1 48.390.988 3.275.900 0,80% + 1 2.725.319 71.900 1,26% + 1 137.436.451 3.470.200 6,88% + 1 95.753 5.200 0,00% = 1 6.960 1.800 0,00% = 1 848 400 1,99% + 1 3.402.254 302.600 5,43% 1 75.626 84.700 6,35% + 1 163.362 245.200 14,29% - 1000 257.745 4.073.000.000 0,00% = 1000 156.360 2.337.600.000 3,73% 1 17.329.936 698.100 4,17% + 1 6.845 5.700 9,16% 1 486.059 391.100 0,00% = 1 16.600 200 0,00% = 1 11.913 300 0,00% = 1 0 0 12,72% - 1000 2.192.481 1.344.800.000 7,09% - 1000 40.575.013 31.763.500.000 0,00% = 1 0 0 6,47% + 1 51.981.806 1.544.000 5,85% + 1 163.510.748 6.460.500 0,00% = 1 35.597 600 1,34% + 1 25.223.122 517.600 0,00% = 1 0 0 0,51% + 1 7.476.871 195.600 1,26% 1 20.439.077 497.900 2,53% 1 3.165.947 622.000 4,94% + 1 16.693.538 4.913.300 0,00% = 1 0 0 1,03% + 1 21.564.351 3.133.800 2,72% + 1 136.172.726 24.061.000 0,00% = 1 24.730 1.300 0,30% 1 43.483.205 254.600 0,36% 1 98.236.817 3.659.300 4,26% + 1 74.370 1.200 2,78% + 1 38.916.217 685.800 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 21.000 700 3,97% 1 771.543 112.900 1,44% 1 3.888.827 397.200 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 1.213.552 46.800 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 1,70% + 1 148.031.290 1.375.700 0,00% = 1 51.027 74.300 0,00% = 1 155 100 1,72% + 1 21.089.803 35.321.900 3,24% + 1 18.198.059 1.340.400 7,12% + 1 77.254.082 3.461.500 7,52% + 1 765.452.913 38.223.800 0,00% = 1 3.732 200 0,00% = 1 179.700 30.000 4,83% + 1 1.059.294.916 18.262.500 4,95% + 1 4.069.665.106 80.035.400 0,00% = 1 0 0 0,26% + 1 41.626.197 2.151.200 2,47% + 1 8.699.049 426.700 0,00% = 1000 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 2,80% + 1 5.184.061 46.400 6,00% + 1 265.873.443 4.730.700 75,26% 1 1.995.309 176.600 0,00% = 1 0 0 3,17% 1 44.177.820 2.053.300 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 2.016 100 0,00% = 1 32.340 2.500 0,00% = 1 348 100 0,27% 1 197.789 53.000 3,03% + 1 6.835.369 207.400 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 0,00% = 1 0 0 3,85% + 1 103.659 3.800


Finanças Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | F3 | Indústria&Comércio Dados de 28/12/2010 Coletados em 30/12/2010

FUNDOS DE INVESTIMENTO

FUNDOS DE AÇÕES Posição Nome do Fundo Cota Patrimônio Dia 1 OPPORTUNITY 524 FI DE ACOES 0,0192 937.637 -0,01 2 GERACAO FUTURO FIA SUPERNOVA 7,5507 11.769.069 0,26 3 CORE I FUNDO DE INVESTIMENTO DE ACOES 3,1706 17.957.829 -1,62 4 CARTEIRA ATIVA II FI ACOES 69,4047 13.233.882.890 0,00 5 QUEST SMALL CAPS MASTER FI DE ACOES 1,5629 10.416.360 0,03 6 BNY MELLON ARX LONG TERM FI DE ACOES 2,5986 103.607.702 -0,10 7 CSHG QUETZAL FIC FI EM ACOES 5,1096 34.916.397 -1,08 8 QUEST SMALL CAPS FIC FI DE ACOES 1,4896 10.418.839 0,03 9 SKOPOS CARUE FIC DE FI ACOES 16,3022 118.632.558 -1,09 10 VICTOIRE SMALL CAPS ACOES FI 1,5448 30.508.232 0,38 11 PERFIN FORESIGHT FIC FIA 2,3546 36.113.692 0,04 12 NEST ACOES MASTER FI DE ACOES 2,1663 64.770.886 0,31 13 RK EXCLUSIVO FI ACOES 7,2175 65.649.607 2,81 14 PRISMA FUNDO DE INVESTIMENTO DE ACOES 405,6529 11.872.693 0,68 15 BC FICFI EM ACOES 3,9880 186.411.764 0,22 16 COX FIC DE FI DE ACOES 2,4414 19.992.643 0,32 17 UNIBANCO MICRO CAP FIA 1,4874 5.588.469 -0,06 18 BC II FICFIA 3,9613 8.991.547 0,22 19 CLARITAS VALOR FI EM ACOES 1,3732 48.096.678 0,38 20 AGUASCLARAS MASTER ACOES FI DE ACOES 1,7460 18.436.572 0,27 21 SQUADRA MASTER LONG ONLY FI ACOES 263,4504 378.860.870 0,78 22 TARPON CFJ FI ACOES 279,2951 20.942.518 0,59 23 FI DE ACOES CINCO CINCO 2,2849 12.732.420 0,69 24 VOTORANTIM FI VISION EM ACOES 1,6906 60.944.446 -0,23 25 UNIBANCO MICRO CAP FICFIA 1,3704 5.584.045 -0,07 26 FUNDAMENTO PLUS FI EM ACOES 3,9601 15.393.713 1,39 27 TMB FI ACOES 1,3239 20.085.430 -0,92 28 TIRADENTES VALOR FIA 1,9829 105.074.935 0,63 29 CONSTELLATION MASTER FI DE ACOES 1,3702 128.759.580 0,21 30 GUEPARDO ALLOCATION FICFIA 2,6271 53.134.297 0,48 31 STUDIO MASTER FI EM ACOES 1,4319 126.159.883 1,09 32 VICTOIRE YIELD ACOES FI 2,2509 4.306.326 0,36 33 SQUADRA AZZURRA FIC FI EM ACOES 252,3940 138.801.012 0,77 34 SQUADRA LONG ONLY FI COTAS DE FI ACOES 242,2233 241.100.404 0,77 35 ARAUCARIA SEGUNDO FI ACOES 4,3598 28.622.552 0,27 36 NEST ACOES FIC FI DE ACOES 3,7675 64.749.065 0,30 37 OPERA VALOR FIA 2,1701 114.800.039 0,31 38 ITAU FENIX ACOES FI 33,5296 59.299.686 0,03 39 CREDIT SUISSE SELECTION GLOBAL FI ACOES 2,4891 21.608.380 -0,12 40 AGUASCLARAS ACOES FIC DE FI DE ACOES 1,5873 18.406.732 0,22 41 PERFIN INFINITY EQUITY BRAZIL FI ACOES 1,5954 98.860.080 0,22 42 ITAU MOMENTO ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO 32,9127 290.411.429 -0,03 43 BOGARI VALUE FI DE ACOES 1.036,9102 65.715.529 0,29 44 UNIBANCO INSTIT SMALL CAP FI ACOES 3,7744 30.539.806 0,10 45 STUDIO FIC DE FI EM ACOES 1,3843 86.809.495 1,08 46 MAXIMA PARTICIPACOES INSTITUCIONAL FIA 2,2390 468.631.439 -0,79 47 ATMOS MASTER ACOES FI DE ACOES 146,9478 56.759.898 0,71 48 CONSTELLATION FIC FI DE ACOES 2,2229 80.352.249 0,17 49 FUNDO DE INVESTIMENTO ELO ACOES 15,4641 131.321.451 -0,30 50 SQUADRA MASTER LONG BIASED FI ACOES 235,0317 464.835.342 0,32 51 BBM SMID CAPS FIA 2,4007 52.904.480 0,18 52 SQUADRA PRIVATE FI EM COTAS DE FI ACOES 221,8946 44.521.652 0,31 53 BNP PARIBAS SMALL CAPS FI ACOES 151,3889 16.468.740 0,21 54 META SMALL CAP FI EM ACOES EXCLUSIVO 142,6532 41.649.562 -0,57 55 SLW SPR CAPITAL EXCLUSIVO FIA 1,8374 2.098.873 0,67 56 SAFRA MICRO CAP 30 FI ACOES 134,2875 22.644.991 -0,07 57 BANESPREV MAIS VALOR ACOES FI 322,0356 48.305.338 0,13 58 BRADESCO FIA CONSUMO 1,8816 78.125.400 0,22 59 IP PARTICIP INSTITUCIONAL MASTER FIA 182,8075 50.175.722 0,12 60 CS SELECTION FI EM QUOTAS FI DE ACOES 1,8328 6.918.221 -0,12

Mês -0,02 -1,34 0,57 0,00 0,35 -0,56 -1,89 0,31 -1,90 0,02 0,75 -0,11 4,85 0,40 1,10 0,23 -0,30 1,07 1,18 1,27 2,11 0,53 0,73 -0,63 -0,33 -0,26 -1,58 0,79 1,04 0,37 2,12 0,25 2,07 2,08 3,56 -0,14 0,80 0,36 -0,37 1,04 0,55 0,27 0,35 0,10 2,08 -0,37 1,25 0,86 0,31 0,72 1,02 0,70 0,47 -0,67 2,06 0,03 0,85 0,93 0,83 -0,34

Ano -0,02 -1,34 0,57 0,00 0,35 -0,56 -1,89 0,31 -1,90 0,02 0,75 -0,11 4,85 0,40 1,10 0,23 -0,30 1,07 1,18 1,27 2,11 0,53 0,73 -0,63 -0,33 -0,26 -1,58 0,79 1,04 0,37 2,12 0,25 2,07 2,08 3,56 -0,14 0,80 0,36 -0,37 1,04 0,55 0,27 0,35 0,10 2,08 -0,37 1,25 0,86 0,31 0,72 1,02 0,70 0,47 -0,67 2,06 0,03 0,85 0,93 0,83 -0,34

6 Meses 410,00 109,60 56,33 38,93 36,00 32,80 27,30 31,83 26,21 32,47 35,99 44,70 59,62 22,45 40,63 31,20 32,12 39,69 33,36 38,05 33,16 21,08 22,31 21,79 30,64 25,19 32,93 21,53 38,09 22,89 32,85 23,18 31,16 30,78 22,53 36,91 28,89 30,81 37,58 32,88 31,35 30,42 28,91 30,63 30,81 -0,81 24,56 33,40 29,68 20,51 26,83 20,25 30,49 24,63 26,78 29,01 20,67 25,67 20,20 34,54

12 Meses 404,12 193,82 73,90 57,56 52,24 51,24 45,88 45,20 45,09 43,22 42,15 40,95 40,20 39,84 38,41 37,98 37,77 37,48 37,32 36,26 36,17 35,87 34,98 34,81 34,68 34,07 33,87 33,40 32,92 32,70 32,57 32,56 32,09 31,89 31,77 31,43 31,10 30,74 30,06 30,02 29,51 29,48 28,90 28,64 28,57 27,62 27,50 27,34 27,29 27,17 26,95 26,79 26,78 26,58 26,33 26,24 26,18 26,10 26,05 26,01

FUNDOS DE AÇÕES BOVESPA ATIVO Posição Nome do Fundo 1 OPPORTUNITY LOGICA II FIA 2 RT GALAXIA ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO 3 SAMAMBAIA MASTER FIA 4 BNY MELLON ARX FI DE ACOES 5 BRAM FIA 6 BRADESCO FIC DE FIA 7 FIA MISTYQUE 8 ITAU RPI ACOES IBOVESPA FICFI 9 SANTANDER FI ACOES VIGO 10 OPPORTUNITY LOGICA II INSTITUCIONAL FIA 11 ITAU PERS TECHNIQUE ACOES FI 12 GAP FI DE ACOES 13 EVOLUTION FUNDO DE INVESTIMENTO DE ACOES 14 XP INVESTOR FI DE ACOES 15 SANTANDER FI ATIVO II ACOES 16 FIA GWI PRIVATE INVESTIMENTO NO EXTERIOR 17 SANTANDER FIC FI ATIVO ACOES 18 MS EQUITIES FI DE ACOES 19 FI ACOES LOURDES 20 BRADESCO FIA LINCE 21 BB TOP ACOES IBOVESPA ATIVO FI 22 BRAM FIA IBOVESPA ATIVO 23 BRADESCO PRIME FIC DE FIA ACTIVE 24 FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES BAHIA 25 UNIBANCO BLUE FI ACOES 26 BRAM FIA IBOVESPA ALAVANCADO 27 OPUS ACOES FI DE ACOES 28 META FIC FI DE ACOES 29 ITAU IBOVESPA SELECT ACOES FICFI 30 FUNDO DE INVESTIMENTO ELO ACOES 31 GWI LEVERAGE FI DE ACOES 32 FIJI FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES 33 SANTANDER FI ACOES 34 SANTANDER FI INST ACOES 35 FIA ARUBA 36 ARBELA FIA 37 FIA TOULOUSE 38 BRADESCO FIA SELECTION 39 BRADESCO FIC DE FIA IBOVESPA ATIVO 40 SANTANDER FIC FI IBOVESPA ATIVO ACOES 41 FI FATOR ACOES INSTITUCIONAL 42 BB ACOES IBOVESPA ATIVO FICFI 43 PERFIN INFINITY EQUITY BRAZIL FI ACOES 44 LEGG MASON PORTFOLIO ACOES FI 45 FATOR NSE HIBISCO FIA 46 ITAU CARTEIRA LIVRE ACOES FI 47 FIA GC BRASIL III 48 FI FATOR JAGUAR ACOES 49 BRADESCO FIA SUPER ACAO 50 GWI CLASSIC FIA 51 FIA MERLOT 52 HSBC FI ACOES PLUS 53 FI EM ACOES IBOVESPA VALUE 54 BTG PACTUAL ANDROMEDA FIA 55 CREDIT SUISSE FIDIAS FIA 56 SANTANDER FIC FI ONIX ACOES

Cota 42,8566 38.094,7976 13,2582 11,3093 5,3122 3,3788 19.672,8734 1,3298 68,7762 9,4975 10,4911 1,4537 4,9177 3,5937 13,9490 50.927,6825 134,0130 1.571,8044 179,6980 1,7243 1,2725 5,4623 5,9574 3,2516 86,3285 11,9802 3,2915 1,9620 4,9425 15,4641 15.425,0333 1,0255 7,0721 12,2869 1,1784 1,8424 1,1275 507,3278 9,4219 8,9553 18.363,2923 8,4093 1,5954 7.728,1095 1.364,4261 6,5424 1,3396 130,6792 9,6031 560.544,9350 5,1831 6,7536 1,8397 45,6215 7,2171 0,6976

Patrimônio Dia 2.901.300.884 1,53 1.346.820.534 1,08 851.782.759 0,69 557.610.414 1,09 540.197.726 1,08 509.661.233 1,06 461.173.791 1,28 381.524.319 0,96 370.814.489 1,27 361.694.459 1,30 309.854.374 0,99 278.041.966 0,84 277.784.823 0,61 261.490.705 0,37 253.485.517 1,05 250.328.636 3,13 246.339.951 1,05 245.250.412 -0,15 232.616.411 1,15 221.119.143 1,09 182.794.852 1,02 170.053.421 1,09 160.846.409 1,11 151.061.301 0,95 149.470.382 0,97 144.893.841 1,12 140.770.172 0,41 140.559.954 1,67 140.387.546 0,98 131.321.451 -0,30 124.569.844 2,83 124.525.594 1,13 122.860.814 1,04 122.396.927 1,05 121.533.928 1,10 120.199.348 0,36 118.916.922 1,06 115.535.212 1,06 106.730.768 1,07 105.755.570 1,04 101.129.008 0,92 100.756.253 1,01 98.860.080 0,22 98.391.105 1,07 96.024.822 0,53 89.435.329 0,97 88.087.515 1,10 86.308.456 0,88 85.335.078 1,04 85.276.517 1,12 81.311.812 1,14 73.615.979 1,00 71.658.914 1,16 67.463.720 1,26 66.519.055 0,82 66.106.403 1,01

Mês 6,16 2,60 2,24 2,45 2,71 2,64 2,09 2,13 2,85 5,55 2,31 2,73 1,97 1,37 2,40 6,28 2,39 1,98 2,71 2,68 2,34 2,71 2,74 1,86 2,37 2,77 0,47 1,59 2,29 0,31 5,86 2,64 2,37 2,41 2,73 0,33 2,32 2,77 2,66 2,36 1,56 2,30 0,55 2,63 1,30 2,31 4,04 1,39 2,64 2,43 2,68 2,40 2,78 2,57 2,00 2,32

Ano 6,16 2,60 2,24 2,45 2,71 2,64 2,09 2,13 2,85 5,55 2,31 2,73 1,97 1,37 2,40 6,28 2,39 1,98 2,71 2,68 2,34 2,71 2,74 1,86 2,37 2,77 0,47 1,59 2,29 0,31 5,86 2,64 2,37 2,41 2,73 0,33 2,32 2,77 2,66 2,36 1,56 2,30 0,55 2,63 1,30 2,31 4,04 1,39 2,64 2,43 2,68 2,40 2,78 2,57 2,00 2,32

6 Meses 22,69 16,57 22,37 23,53 17,38 14,95 19,11 21,19 19,36 26,33 15,68 29,74 19,83 18,01 18,28 22,93 17,91 33,38 18,25 16,73 11,13 16,76 16,64

12 Meses -6,49 1,68 4,71 16,91 2,50 -1,49 3,79 10,67 0,66 5,23 -3,29 22,15 5,60 8,57 2,08 -37,82 1,44 25,48 3,13 1,90 -4,96 1,97 0,41

14,48 18,14 17,95 17,76 14,51 29,68 35,97

-3,97 2,98 6,14 1,28 -5,24 27,29 -27,36

15,87 17,67 16,54 21,00 16,50 14,87 14,41 16,70 20,88 9,42 31,35 16,16 23,95 14,79 23,83 16,64 16,01 19,62 18,02 14,84 17,58 18,07 18,93 13,81

-2,16 1,11 1,56 22,19 0,12 -2,43 -2,06 -0,62 4,94 -7,83 29,51 1,76 19,99 -5,69 6,75 -0,62 -0,10 12,73 2,92 -3,09 3,05 2,14 2,99 -4,75

Dia 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04

Mês 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,12 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11

Ano 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,12 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11 0,11

6 Meses 5,26 5,25 5,25 5,24 5,25 5,24 5,24 5,24 5,24 5,23 5,23 5,23 5,22 5,22 5,22 5,21 5,19 5,18 5,18 5,16 5,16 5,15 5,15 5,14 5,15 5,14 5,13 5,14 5,15 5,13 5,12 5,11 5,11 5,06 5,02 5,02 5,01 4,98 4,97 4,97 4,96 4,95 4,97 4,96 4,95 4,95 4,95 4,95 4,95 4,91 4,79 4,77 4,74 4,77 4,72 4,71 4,71 4,70 4,70 4,68

12 Meses 9,83 9,82 9,82 9,81 9,81 9,80 9,80 9,79 9,79 9,78 9,77 9,77 9,76 9,75 9,75 9,74 9,70 9,67 9,66 9,66 9,64 9,62 9,61 9,60 9,60 9,60 9,59 9,59 9,58 9,57 9,55 9,53 9,45 9,43 9,36 9,36 9,34 9,27 9,25 9,24 9,23 9,23 9,23 9,22 9,20 9,19 9,19 9,19 9,19 9,13 8,89 8,88 8,83 8,80 8,72 8,71 8,70 8,69 8,67 8,66

Patrimônio Dia 102.118.626 5,51 80.186.050 -0,05

Mês 0,10 1,13

Ano 0,10 1,13

6 Meses 22,90 -3,79

12 Meses

FUNDOS DE CURTO PRAZO Posição Nome do Fundo 1 BB TOP CP 2 FI DE CURTO PRAZO 2 FEDERAL CURTO PRAZO FI 3 ITAU CURTO PRAZO FI 4 OPP PORTIFOLIO FI CURTO PRAZO 5 CAIXA FI CURTO PRAZO 6 TEBE CURTO PRAZO FICFI 7 RT ENTERPRISE CURTO PRAZO FI 8 BB TOP CP FI CP 9 SANTANDER FI CURTO PRAZO 10 BRAM FI CURTO PRAZO 11 CS CASH DI FI DE CURTO PRAZO 12 HSBC FI CURTO PRAZO OVER 13 LAUSANNE CURTO PRAZO FI 14 BNY MELLON IPANEMA FI CURTO PRAZO 15 ITAU INSTITUCIONAL CURTO PRAZO FI 16 SAFRA CURTO PRAZO FI CURTO PRAZO 17 SCALA CURTO PRAZO FICFI 18 BB EXCELENCIA 29 FIC FI CURTO PRAZO 19 NOR CURTO PRAZO FICFI 20 BB TESOURO CP FIC FI 21 BANDEPE FIQ DE FI CURTO PRAZO AUTOMATICO 22 ITAU CORP FEDERAL PLUS CP FICFI 23 TOP 454 FICFI CURTO PRAZO 24 CS PRIVATE DI FI DE CURTO PRAZO 25 SANTANDER FICFI NEDERLAND CONSERV CP 26 CS DI FI DE CURTO PRAZO 27 BB CP CORPORATIVO 10 MILHOES FIC FI 28 ITAU PP SUPER CP FICFI 29 CAIXA FI AERUS CURTO PRAZO 30 NOR II CURTO PRAZO FICFI 31 FG MIT FICFI CURTO PRAZO CREDITO PRIVADO 32 ITAU BBA ICARUS CURTO PRAZO FICFI 33 CREDIT SUISSE MONEY DI FI CURTO PRAZO 34 BNP PARIBAS MONEY MARKET FI CURTO PRAZO 35 LINK FIC FI CURTO PRAZO DI 36 ITAU BBA CORPORATE CURTO PRAZO FICFI 37 CAIXA FIC FUNDACOES CURTO PRAZO 38 BB CP CORPORATIVO 600 MIL FIC FI 39 ITAU PP MAXI CP FICFI 40 BB CP ADMINISTRATIVO DIF FICFI 41 HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO 42 PRIVATE CURTO PRAZO FICFI 43 BTMU CURTO PRAZO FI 44 SANTANDER FIC FI SOBERANO CURTO PRAZO 45 BNY MELLON ARX CASH FI CURTO PRAZO 46 BNY MELLON ARX CASH V FI CURTO PRAZO 47 BNY MELLON ARX CASH IV FI CURTO PRAZO 48 BNY MELLON ARX CASH II FI CURTO PRAZO 49 BNY MELLON ARX CASH III FI CURTO PRAZO 50 CAIXA FIC FUMSOFT CP 51 ITAU LAM CURTO PRAZO FICFI 52 BRADESCO EMPRESAS FIC DE FI CURTO PRAZO 53 BBM DI 1 FI CURTO PRAZO 54 SAFRA INSTIT TIT PUBL FICFI CURTO PRAZO 55 BB CP 50 MIL FICFI 56 ITAU UPJ ESPECIAL CP FICFI 57 BB CP ADMINISTRATIVO ABSOLUTO FICFI 58 ITAU PP TOP CURTO PRAZO FICFI 59 SANTANDER FIC FI LIQUIDEZ CP 60 BNB FI CURTO PRAZO SETOR PUBLICO

Cota Patrimônio 1,1231 9.547.495.081 44,2213 2.274.601.832 33,1646 3.165.929.930 3,3133 630.417.930 3,2700 3.368.126.878 37,2632 503.703.332 11,2246 1.450.136.946 6,3055 26.909.779.912 3,3165 4.216.775.373 2,3003 182.815.170 1,4764 151.684.056 8,9998 162.562.482 4,8925 70.669.958 1,2596 187.662.324 32,5531 57.892.193 115,3935 221.861.238 9,7951 741.819.876 1,2074 69.020.341 25,6029 200.793.086 1,1696 113.123.662 244,5054 11.302.776 43,4995 562.467.794 11,0179 18.242.244 2,4526 64.222.711 221,6845 75.344.907 12,6878 68.657.076 1,1011 615.132.319 33,0595 418.731.506 3,8997 40.540.732 25,5506 52.945.485 11,2990 238.306.110 663,9618 116.012.137 3,2143 4.580.224 322,7030 155.556.912 136,2669 6.486.956 1.029,9645 24.786.283 5,2662 48.367.403 1,4072 2.476.774.676 32,2455 34.774.595 1,9736 4.873.230.864 2,3518 253.561.199 31,7834 1.804.823 3,1046 46.307.975 310,7013 45.080.548 3,1310 1.147.196.276 1,3766 136.179.735 1,3768 136.273.379 1,3769 152.746.313 1,3768 137.039.299 1,1264 1.246.507 30,8002 3.187.232 1,7974 11.670.246 88,6879 3.950.965 204,9828 779.859 2,8926 4.344.753.001 30,3045 91.371.148 3,6910 3.511.008.661 43,9700 29.094.423 3,0854 49.313.727 1,5007 18.212.907

FUNDOS EXCLUSIVO FECHADOS Posição Nome do Fundo 1 DRACO FI MULT CRED PRIV INVES NO EXT 2 DORADO FI MULT CRED PRIV INVES NO EXT

Cota 123,0345 96,6097

3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

AQUARIUS FI MULT CRED PRIV INV NO EXT FPB FI MULT CREDITO PRIVADO PHOENIX FI MULT CRED PRIV INV EXT AQUILA FI MULT CRED PRIV INV NO EXT TAURUS FI MULT CRED PRIV INVES NO EXT HERCULES FI MULT CRED PRIV INV NO EXT MUSCA FI MULTIMERCADO CRED PRIV INV EXT VIRGO FI MULT CRED PRIV INV EXT ATLANTICO FI MULT CREDITO PRIVADO ARRECIFES FI MULTIMERCADO CRED PRIVADO BINTANG FI MULT CRED PRIV INVEST EXT

96,2250 1,3093 100,6675 68,9351 55,1814 56,7786 84,5385 100,5463 9,1118 1.223,1870 0,9027

77.364.890 70.362.954 67.447.199 55.423.792 45.800.545 45.650.011 42.269.249 32.979.174 22.159.838 12.231.870 7.805.673

0,04 0,04 0,00 -0,38 -0,74 -0,57 0,03 0,05 0,00 0,61 -0,99

0,13 0,17 0,04 -0,34 -0,82 -0,57 0,12 0,15 -0,01 0,82 -1,53

0,13 0,17 0,04 -0,34 -0,82 -0,57 0,12 0,15 -0,01 0,82 -1,53

Cota 99,4750 23,0796 3,3636 229,4412 2,2642 22,9529 2,2775 2,2844 2,2813 2,2869 3,4242

Patrimônio 2.208.346.093 398.843.603 309.234.391 200.808.373 127.906.345 105.461.536 63.509.766 56.852.913 51.629.235 36.627.366 11.644.391

Dia 1,22 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44 1,44

Mês 2,73 2,08 2,07 2,07 2,06 2,07 2,08 2,07 2,07 2,07 2,07

9,98

20,66

-44,88

-33,36 5,13

-27,56 14,37

Ano 2,73 2,08 2,07 2,07 2,06 2,07 2,08 2,07 2,07 2,07 2,07

6 Meses 19,32 18,51 18,21 18,27 18,27 18,24 18,27 18,21 18,15 18,26 18,15

12 Meses 1,01 0,09 -0,04 -0,16 -0,08 -0,10 -0,09 -0,20 -0,07 -0,12 -0,23

Ano 0,12 0,02 0,12 0,11

6 Meses 4,90

12 Meses

FUNDOS DE ÍNDICES Posição Nome do Fundo 1 PIBB FDO DE INDICE BRASIL 2 ITAU II FI EM PIBBS ACOES IBRX 50 3 BB ACOES PIBB 4 SANTANDER FI PIBB BR ACOES 5 CAIXA FI ACOES PIBB SEM OPCAO DE VENDA 6 SANTANDER FI PIBBS ACOES IBrX-50 7 UNIBANCO FI EM PIBBS II ACOES 8 BRADESCO FI PIBBSS II - ACOES 9 HSBC FI PIBB ACOES IBRX 50 10 CAIXA FI ACOES PIBB COM OPCAO DE VENDA 11 BRADESCO FI EM PIBBS I - ACOES

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO Posição Nome do Fundo 1 FI IMOBILIARIO VOTORANTIM SECURITIES 2 KINEA RENDA IMOBILIARIA FII 3 FI IMOBILIARIO VOTORANTIM SECURITIES II 4 FATOR VERITA FI IMOBILIARIO

Cota 1.080,4835 1.004,6500 1.022,4965 1,0391

Patrimônio 497.021.846 260.183.398 48.358.086 3.710.360

Dia 0,04 0,01 0,04 0,04

Mês 0,12 0,02 0,12 0,11

FUNDOS DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR Posição Nome do Fundo 1 BRASIL SOVEREIGN II FI DE DIVIDA EXTERNA 2 BNY MELLON FIC DE FI DE DIVIDA EXTERNA 3 SANTANDER FI AC1 MULT CRED PRIV INV EXT 4 BB TOP DIVIDA EXTERNA FI 5 BB DIVIDA EXTERNA MIL FI 6 CONSTELLATION DIVIDA EXTERNA FI 7 VOTORANTIM FIEX DIVIDA EXTERNA 8 BRADESCO FI DIVIDA EXTERNA 9 FI DA VINCI DIVIDA EXTERNA 10 CSHG YIELD FI DIVIDA EXTERNA 11 CSHG BOND FI DIVIDA EXTERNA

Cota 0,7552 0,7792 8,5922 1,2201 7,3852 9,1989 0,6576 4,4804 0,9297 1,2472 1,7389

Patrimônio 310.572.153 310.451.300 168.457.358 5.508.431 4.992.186 4.469.908 1.404.434 886.110 377.025 374.846 368.017

Dia 0,07 0,00 0,07 0,77 0,81 0,65 1,42 0,68 1,41 0,98 0,95

Mês 0,74 0,81 0,02 1,22 1,23 0,86 0,81 0,69 0,78 1,17 1,14

Ano 0,74 0,81 0,02 1,22 1,23 0,86 0,81 0,69 0,78 1,17 1,14

6 Meses -5,92 -6,40 0,62 -1,57 -2,61 -2,20 -2,37 -4,34 -3,74 -4,75 -4,76

12 Meses -6,86 -7,77 1,77 5,86 3,48 4,79 3,76 0,73 1,32 -1,88 -1,95

Posição Nome do Fundo Cota Patrimônio Dia 1 BB RF IV FI RF LP 11,6777 28.437.966.922 0,05 2 FFIE FI MULT CRED PRIV 1,3211 18.817.108.446 1,49 3 FIC FI MULTIMERCADO PETROS MASTER 5.101,6608 9.238.502.967 0,04 4 FRG PLANO BD FI MULTIMERCADO 7,3571 7.560.532.579 0,18 5 FI BACO MULTIMERCADO 132,5948 7.350.068.493 0,03 6 SAFRA GLOBAL FI MULT CRED PRIV 5.695,1522 6.482.093.939 0,04 7 CARIOCA FI MULTI LONGO PRAZO 1,7670 5.153.470.230 0,04 8 CAIXA FI JORD MULTIMERCADO LP 1,1324 4.776.350.195 0,01 9 OGX 63 MULTIMER CREDITO PRIVADO FICFI 14,0563 4.136.068.916 0,04 10 OGX 63 MULTIMERCADO CREDITO PRIVADO FI 14,0655 4.111.872.844 0,04 11 FIC FI MULTIMERCADO PETROS MODERADO 3,9778 4.030.906.665 0,04 12 SELECT 1 FIC DE FI MULTI. PREV. 3,2124 3.895.314.081 -0,09 13 FPRF2 ALBATROZ FI MULTIMERCADO PREV 6,7340 3.547.304.484 -0,09 14 BB MILENIO 37 FI MULT LONGO PRAZO 1,0274 3.053.435.332 0,04 15 BRADESCO FI MULTIMERCADO VULCANO 102,6973 2.754.631.427 0,04 16 FI EXCLUSIVO CREDIT SUISSE SET MULTI LP 1,4938 2.703.348.757 0,05 17 FI PENTAGONO MULTIMERCADO CRED PRIV 2,2241 2.698.513.864 0,04 18 FI MARACANA MULTIMERCADO 1,1935 2.613.949.176 0,04 19 BRADESCO FI MULT CRED PRIV EASYBAND 3,3059 2.567.111.600 0,04 20 SATURNO FI MULTIMERCADO 24,3794 2.450.234.443 0,60 21 FIC FI MULTIM PETROS CREDITO PRIVADO 2,0372 2.442.156.031 0,05 22 CLARION MULTIMER CREDITO PRIVADO FI 22,0588 2.312.163.399 0,04 23 ODESSA MULTIM CREDITO PRIVADO FICFI 22,1520 2.308.580.732 0,04 24 SOL FI MULTI CRED PRIV 2,4108 2.211.838.002 0,04 25 GCORP MULTIG I FIC FI MULT CRED PRIV 115,2653 2.190.225.081 0,18 26 FI MULTIMERCADO ANUBIS 1,2077 2.180.471.559 0,03 27 PORTO SEGURO CARAVELAS FI MULT CRED PRIV 1,2332 2.167.449.728 0,00 28 BNPP CHRONOS FI MULTIMERCADO LP 112,8256 2.042.557.235 0,03 29 PERFORMANCE FIX IB MULTIMERCADO FI 267,2305 2.025.281.057 0,03 30 CAPITAL PERFORMANCE FIX IB MULT FIC 256,0576 1.909.114.776 0,03 31 FIQ DE FI MULTIMERCADO CRED PRIV MMX 63 1,6039 1.797.459.634 0,04 32 JGP MAX MASTER FI MULTIMERCADO 1,1590 1.738.174.535 0,17 33 JGP MAX FI MULTIMERCADO 154,5727 1.723.909.138 0,14 34 FIQ FI MULTI CREDITO PRIVADO PLANO B 37,9717 1.666.693.618 0,05 35 FIC FI MULT CREDITO PRIVADO OSX 63 1,0810 1.631.949.412 0,04 36 OSX 63 MULTIMERCADO CREDITO PRIVADO FI 1,0813 1.630.894.321 0,04 37 K2 FDO DE INVEST. MULT 305,1849 1.609.598.790 0,07 38 FIC FI MULTIMERCADO PETROS MULTICARTEIRA 4,5860 1.600.404.290 0,05 39 FI MULTIMERCADO CRED PRIV JUPITER 0,0007 1.567.224.196 0,03 40 PLUTAO FIQ FI MULTI CRED PRIV 0,0016 1.567.222.349 0,02 41 FI MULT TRANQUILIDADE 3,8250 1.478.903.463 0,06 42 GAMA FI MULTIMERCADO CREDITO PRIVADO 1,2401 1.469.398.583 0,05 43 LI 80 MULTIMERCADO FICFI 21,0470 1.449.965.103 0,04 44 PAPERFECT FI MULT CRED PRIV 1,0181 1.440.608.862 0,04 45 NAMOR FUNDO DE INVESTIMENTO MULT 1.076,7332 1.411.567.777 0,04 46 BRADESCO FI MULTIMERCADO PLUS 11,1009 1.347.297.097 0,03 47 ZEUS FI MULTIMERCADO 1,2972 1.344.466.185 0,00 48 KINEA MACRO FI MULTIMERCADO 2,4753 1.326.555.518 0,10 49 SHARAN FICFI MULTIMERCADO PREVIDENCIARIO 3,6909 1.320.566.814 0,18 50 FI EM COTAS DE FI MULTIMERCADO SERENGETI 1,2830 1.319.270.097 0,01 51 B FI MULT CRED PRIV INV NO EXT ANDROMEDA 2,1475 1.280.342.875 0,06 52 FIC DE FI MULT SECURITY CRED PRIV 3,9535 1.267.971.123 0,05 53 FI MULT CRED PRIV ENERGY II A CONCEDER 2,4776 1.266.621.952 0,05 54 FI MULT CRED PRIV CENTRAIS SICREDI 1,9737 1.208.758.087 0,03 55 CAIXA FI GARANTIA CONSTRUCAO NAVAL MULT 0,9438 1.207.835.773 0,03 56 SAFRA CARTEIRA INSTITUCIONAL FI MULTIM 153,0003 1.203.653.469 0,09 57 ITAU K2 MULTIMERCADO FI 13.144,5304 1.197.768.642 0,05 58 PARATY FI MULTIMERCADO CREDITO PRIVADO 11,1312 1.197.646.290 0,04 59 VINCI MASTER FI MULTIMERCADO 107,3147 1.189.970.094 0,32 60 KONDOR MASTER FI MULTI 1,1251 1.182.300.976 0,19

Mês 0,15 0,28 0,14 0,34 0,13 0,12 0,12 0,11 0,13 0,13 0,13 -0,33 -0,38 0,12 0,12 0,14 0,12 0,12 0,12 0,54 0,19 0,12 0,12 0,12 0,14 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,12 0,17 0,14 0,15 0,12 0,12 0,20 0,15 1,91 1,92 0,18 0,14 0,12 0,12 0,13 0,12 0,08 0,23 0,44 0,21 0,13 0,14 0,15 0,10 0,14 0,17 0,12 0,12 0,52 0,42

Ano 0,15 0,28 0,14 0,34 0,13 0,12 0,12 0,11 0,13 0,13 0,13 -0,33 -0,38 0,12 0,12 0,14 0,12 0,12 0,12 0,54 0,19 0,12 0,12 0,12 0,14 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,12 0,17 0,14 0,15 0,12 0,12 0,20 0,15 1,91 1,92 0,18 0,14 0,12 0,12 0,13 0,12 0,08 0,23 0,44 0,21 0,13 0,14 0,15 0,10 0,14 0,17 0,12 0,12 0,52 0,42

6 Meses 6,67 8,27 5,86 11,52 6,12 5,36 5,42 5,39 5,45 5,45 5,44 9,03 9,41

12 Meses 14,44

5,05 5,34 5,21 8,48 -4,58 7,06 5,21 5,19 5,37 3,40 4,94 5,46 5,34 5,23 4,96 5,41 6,74 5,64 6,17 5,40 5,42 8,60 5,31 -0,54 -0,54 7,52 5,96 5,51

9,84 10,10 9,94 13,17 -1,16 12,63 9,89 9,79 10,02 12,91 9,76 10,05 9,88 9,92 9,37 9,92 13,58 11,16 12,64

Dia -0,04 -0,03 0,00 -0,15 -0,14 -0,01 0,07 0,07 -1,15

Mês -0,03 -0,04 0,02 -0,11 0,28 1,29 0,64 0,03 -1,28

Ano -0,03 -0,04 0,02 -0,11 0,28 1,29 0,64 0,03 -1,28

6 Meses -7,99 -5,37 -5,24 -3,05 2,00 14,31 1,87 -2,41 -2,88

12 Meses -4,88 -1,13 -2,18 2,87 2,83 1,18 6,98 1,49 -13,54

Posição Nome do Fundo Cota Patrimônio Dia 1 FI FGTS 1,1944 19.105.644.367 0,02 2 ENERGIA SAO PAULO FI EM PARTICIPACOES 3,9822 3.171.763.697 0,01 3 DIBRA FI EM PARTICIPACOES 5.273.546,4391 2.850.913.834 0,00 4 FIP ASAS 15.585,3174 2.056.725.652 0,00 5 FIC FI PART 114 257,8941 1.407.833.088 0,01 6 GENERAL ATLANTIC FI EM PARTICIPACOES 1,2665 1.188.053.993 0,22 7 FIP BRASIL ENERGIA 28.191,7085 1.135.990.042 0,02 8 FLORESTAL FIP 1,0128 1.114.103.370 0,01 9 STAR FIP 1,5971 925.149.323 0,04 10 GIF III FIC DE FI EM PARTICIPACOES 100,7455 689.312.755 0,00 11 FIC FIP JMF 229,4985 559.844.598 0,01 12 GIF III FIP 100,9121 549.970.804 0,00 13 GIF II FIP 78,6456 519.877.633 0,16 14 BRZ ALL FI EM PARTICIPACOES 1,4582 510.376.926 1,84 15 ENERGIA PCH FIP 130.585,4776 494.375.486 0,00 16 LOGISTICA BRASIL FIP 9.479,9896 437.975.517 -0,01 17 SOFI FIP 999.284,8907 421.986.857 0,00 18 ARROW FIP 909.439,7251 387.928.601 0,01 19 INFRABRASIL FIP SENIOR A 14.257,4937 381.372.834 0,35 20 INFRABRASIL FIP SENIOR B 14.257,4937 349.407.434 0,35 21 FIP BRASIL GOVERNANCA CORPORATIVA 977,6920 339.747.960 -0,08 22 AG ANGRA INFRA ESTRUTURA FIP 72.944,9615 328.997.293 0,00 23 GENOA FIP 105.023,3188 315.774.494 -2,87 24 GAMA FIP (UNICA) 1.261.965,6570 289.927.839 0,02 25 FIP MULTISETORIAL PLUS 98.393,7681 280.914.208 0,01 26 INFRABRASIL FIP SUBORDINADA 14.257,4937 259.798.522 0,35 27 WANKA FIP 823,4078 247.843.281 0,03 28 FIP AMAZONIA ENERGIA 1,2523 237.934.549 0,03 29 FIP ADVENT DE PARTICIPACOES 0,9023 208.167.724 30 GIF RUMO FI EM PARTICIPACOES 1.000,2077 200.541.637 0,00 31 FIP GG II 905,4881 190.317.478 -0,02 32 PATRIARCA PRIVATE EUITY FIP 10.040,8649 186.812.609 0,01 33 FIP CAIXA AMBIENTAL 1.190,2246 184.484.813 0,76 34 AKKA FIP 1,4052 183.392.009 0,11 35 BR EDUCACIONAL FIP 9.274,0003 181.283.521 -0,01 36 FI PARTICIPACOES BRB CORUMBA 1,9284 154.326.361 0,05 37 SAO MIGUEL FIP 1.131.929,5350 142.168.626 0,00 38 SCPL BRAZIL REAL ESTATE I FIP 0,8342 120.448.498 0,00 39 BRASOIL FIP 447.454,9644 116.419.914 0,01 40 URBIS FIP 1,4050 111.867.271 0,11 41 EMPREENDEDOR BRASIL FMIEE 68.106,1393 106.245.577 -0,01 42 SQUARESTONE BRASIL II (SB2) FIP 0,9206 97.475.059 0,02 43 RG SALAMANCA I FIP 171.495,9100 92.927.913 -0,01 44 OLEO E GAS FUNDO DE INVESTIMENTO EM PART 963,0013 92.448.121 -0,02 45 MAG FIP 0,7872 90.576.546 0,95 46 FIP MULTISETORIAL (CLASSE UNICA) 720.331,9021 87.004.519 0,04 47 FUNDO BRASCAN O&G 1.446,1000 83.581.228 0,03 48 ITAU MULTIMARCAS PERFORMANCE ACOES FI 4,3701 82.420.017 1,05 49 CENTRAL VEREDAS FDO DE INVEST EM PARTICI 4.823.980,4440 76.834.769 0,00 50 KINEA I REAL ESTATE EQUITY FIP 1,0252 74.435.869 0,00 51 INHAMBU II FIP 99,9512 72.516.591 0,00 52 AGUIA BRANCA FIP 1,0019 70.150.210 0,00 53 JD BOTANICO VC I FI EMPRESAS EMERGENTES 93.313,3999 64.386.246 0,03 54 GIF I FIP 97,0564 63.493.678 0,00 55 CV FIQ EM FI PARTICIPACOES 3.159,6455 62.611.234 0,03 56 FIP VOTORANTIM G&K 1.164.478,7223 61.717.372 0,06 57 SCARDALE FDO DE INVEST EM PARTICIPACOES 9.833,0740 60.981.393 0,00 58 FIQ DO PATRIA REAL ESTATE FIP 1,1279 58.649.279 0,00 59 MARAU FIP 99,0357 56.485.042 0,00 60 GBP I FIP 34,1612 54.629.418 0,05

Mês 0,08 0,02 -1,24 0,03 0,02 2,28 0,19 0,03 0,12 0,00 0,03 0,00 -3,12 1,63 -0,01 -0,02 0,00 0,02 -1,46 -1,46 -0,25 0,00 -3,43 0,07 0,03 -1,46 0,10 0,08

Ano 0,08 0,02 -1,24 0,03 0,02 2,28 0,19 0,03 0,12 0,00 0,03 0,00 -3,12 1,63 -0,01 -0,02 0,00 0,02 -1,46 -1,46 -0,25 0,00 -3,43 0,07 0,03 -1,46 0,10 0,08

6 Meses 3,19 0,73 -1,15 7,00 0,73 19,46 2,60

12 Meses 6,57 19,52 -5,63 21,27 19,51 3,67 7,04

5,12 -0,27

-10,23 0,88

-0,02 5,47 6,30 -0,42 0,05 0,01 -10,59 16,56 16,56 1,06 1,19 -7,40 11,38 1,20 16,56 -20,65 1,75 35,07

1,05 -30,65 -14,58 -0,82 2,25 0,01 -10,69 22,85 22,85

0,00 -0,05 0,02 -0,51 -0,01 -0,04 0,19 0,00 0,00 0,04 -0,01 -0,02 0,06 -0,04 -0,07 -1,37 0,11 -0,05 2,52 0,00 -0,01 0,00 0,00 0,03 0,00 0,09 0,17 0,00 0,00 0,00 0,51

0,00 -0,05 0,02 -0,51 -0,01 -0,04 0,19 0,00 0,00 0,04 -0,01 -0,02 0,06 -0,04 -0,07 -1,37 0,11 -0,05 2,52 0,00 -0,01 0,00 0,00 0,03 0,00 0,09 0,17 0,00 0,00 0,00 0,51

FUNDOS MULTIMERCADOS

5,08 5,59 5,36 5,89 7,14 1,96 5,20 7,10 6,27 5,05 2,38 5,21 5,55 5,30 5,49 7,76

10,83 16,48 10,48 10,01 10,14 10,09 10,24 10,25 10,31 17,21 17,93

19,26 9,77 14,89 14,89 16,18 11,35 10,06

10,68 9,76 9,78 9,22 9,68 10,28 15,00 12,82

10,02 9,32 9,87

FUNDOS OFF SHORE Posição Nome do Fundo 1 BB FUND CLASSE P 2 BB FUND CLASSE M 3 BB FUND CLASS Z 4 BB FUND CLASSE D 5 BB FUND CLASS BA 6 BB FUND CLASSE A 7 BB FUND CLASSE F 8 BB FUND CLASSE E 9 BB FUND CLASSE R

Cota 1.875,5915 3.291,0149 1.840,0373 3.361,2668 2.136,3193 6.511,5563 2.396,8863 6.021,6701 2.637,8460

Patrimônio 801.499.126 232.413.900 201.423.492 63.125.223 21.363.193 17.775.823 13.783.189 4.594.545 1.708.576

FUNDOS DE PARTICIPAÇÕES

-2,32

-9,61 -43,62 12,84 2,14 22,85 5,55 35,06 -1,80

25,94 36,49 7,63 9,49 -0,10 0,14 1,52 36,57 -0,69 2,35 -5,59 -2,68 -8,02 -15,89 -1,08 17,70 -0,02 3,56

-34,55 -12,40 -0,09 3,41 379,33 7,41

0,03 0,75 1,67

0,05 8,68 -8,61

-0,25 -0,17 11,17 0,91 -20,54

3,28 -1,11 25,96 0,83 -65,57

38,62 -0,78 16,57 3,19 2,88 38,75 12,25 9,69 -21,41

FUNDOS DE PREVIDÊNCIA Posição Nome do Fundo 1 BRADESCO FI RF MASTER PREVIDENCIA 2 ITAU FLEXPREV RENDA FIXA FI 3 REALPREV FI RENDA FIXA 4 BRADESCO FIC RF VGBL FIX 5 BRASILPREV TOP TPF FI RF 6 CAIXA FI PREVINVEST RF GESTAO 7 BRADESCO FIC RF VGBL F10 8 BRASILPREV TOP TP FI RF CREDITO PRIVADO 9 ITAU FLEXPREV XV RF FICFI 10 BRASILPREV RT FIX II FICFI RF 11 ITAU FLEXPREV XII RF FICFI 12 BRADESCO FIC RF VGBL F15 13 CAIXA FIC PREVIDENCIA RF3 14 BRADESCO FIC RF PREV FACIL PGBL FIX 15 ITAU FLEXPREV I RF FICFI 16 BRASILPREV RT FIX V FICFI RF 17 BRASILPREV RT FIX FICFI RENDA FIXA 18 ITAU FLEXPREV VI RF FICFI 19 BRASILPREV TOP ATUARIAL FI RF 20 BRASILPREV RT FIX III FICFI RF 21 REALPREV FIX EXCLUSIVO FIQ FI RENDA FIXA 22 BRADESCO FIC RF PGBL F10 23 BRADESCO FI RF MASTER II PREVIDENCIA 24 BRADESCO FIC FI RF PGBL VGBL FIX PLUS 25 REALPREV FIX EXECUTIVO FIQ RENDA FIXA 26 BRASILPREV RT FIX VI FICFI RF 27 BRASILPREV RT FIX VII FICFI RENDA FIXA 28 ITAU FLEXPREV VIII RENDA FIXA FICFI 29 BRAD PRIV FIC FI RF PGBL VGBL ATIVO 30 CAIXA FIC PREVIDENCIA PERSONAL RF 31 SAFRA PREV RENDA FIXA FI RENDA FIXA PREV 32 REALPREV FIX FIQ FI RENDA FIXA 33 UNIBANCO PREVIDENCIA CORPTE I FIQFIE RF 34 SANTANDER FIC FI RF III CRED PRIV 35 BRASILPREV RT FIX IV FICFI RF 36 CAIXA FIC PREVIDENCIA RF1 37 CAIXA FIC PREVIDENCIA RF2 38 SANTANDER FIC FI RF II CRED PRIV 39 ITAU FLEXPREV REFERENCIADO DI FI 40 BRASILPREV RT FIX C FICFI RF 41 SANTANDER FIC FI RF IV CRED PRIV 42 UNIBANCO PREVER IV FIX 100 FIQFIE RF 43 SANTANDER FIC FI RF I CRED PRIV 44 UNIBANCO PREVER I FIX FIQFIE RF 45 ICATU SEG FI RENDA FIXA PREVIDENCIA 46 ITAU FLEXPREV III RF FICFI 47 HSBC FI RF PREVIDENCIARIO FUTURE 48 BB PREV PUBLICO IGP M FI RF 49 SANTANDER FIC FI RF VI CRED PRIV 50 PORTFOLIO INST 1 FIE CONST SOBERANO RF 51 ITAU FLEXP VERTICE IMAB5 MAIS RF FI 52 FI RF PREVIDENCIA CONSERVADOR VGBL 53 ITAU FLEXPREV XX RENDA FIXA FICFI 54 BB PREV PUBLICO IGP M II FI RENDA FIXA 55 BB PREV PUBLICO IGP M III FI RENDA FIXA 56 ITAU FLEXPREV XVII RENDA FIXA FICFI 57 BRADESCO FIC RF PGBL F15 58 SAFRA PREVFIX GOLD FICFI RENDA FIXA PREV 59 SANTANDER FIC FI RF V CRED PRIV

Cota 1,8681 1,8729 185,3078 2,7272 1,8556 1,8876 2,0738 1,8742 3,4342 4,0719 4,0340 1,9716 3,3816 3,9926 3,8090 3,3940 3,4479 4,9470 1,6308 3,1272 339,0968 3,9557 1,8818 3,7926 381,1413 1,5819 1,4013 1,6049 1,1232 1,3181 126,4063 406,2000 3,7034 3,2767 3,2383 2,5523 1,3372 3,0316 14,1838 2,6674 18,8011 3,9963 1,6272 3,2594 179,9044 4,6124 991,8298 3,7395 2,8361 4,2115 12,2983 2,4015 11,9511 1,3029 1,2996 10,6908 4,3707 126,3912 22,4355

Patrimônio Dia 48.070.425.735 0,04 37.596.304.602 0,04 16.195.599.705 0,04 15.590.700.011 0,03 15.099.880.177 0,03 11.055.973.143 0,04 10.174.650.642 0,04 10.110.197.778 0,04 9.142.660.309 0,04 6.931.623.685 0,01 6.613.633.191 0,03 4.735.276.894 0,03 4.483.793.466 0,03 4.374.676.545 0,03 4.281.542.853 0,03 3.814.079.348 0,01 3.479.809.825 0,00 3.333.908.411 0,03 2.948.137.901 -0,29 2.855.663.371 0,01 2.795.173.090 0,04 2.781.009.537 0,03 2.751.659.657 0,04 2.243.610.351 0,04 2.164.679.548 0,03 2.038.914.976 0,01 1.996.381.703 0,01 1.949.722.316 0,03 1.878.067.385 0,03 1.829.620.643 0,04 1.662.146.201 0,05 1.635.159.136 0,03 1.587.720.722 0,04 1.572.687.924 0,03 1.471.717.869 0,01 1.409.987.734 0,04 1.365.629.059 0,03 1.350.878.945 0,03 1.304.000.629 0,04 1.260.422.393 0,01 1.084.160.655 0,04 1.078.980.453 0,03 1.023.772.626 0,03 1.023.209.851 0,03 996.397.368 0,04 894.848.586 0,03 887.967.740 0,04 869.514.422 0,05 843.765.933 0,03 827.932.190 0,04 805.557.078 -0,26 782.989.525 0,03 780.828.796 -0,21 753.525.076 0,05 753.499.957 0,05 727.288.949 0,04 673.085.930 0,03 650.635.042 0,04 621.488.497 0,03

Mês 0,13 0,13 0,13 0,09 0,12 0,13 0,12 0,13 0,12 0,06 0,11 0,11 0,09 0,09 0,09 0,05 0,04 0,10 -0,86 0,04 0,12 0,12 0,13 0,12 0,11 0,06 0,07 0,11 0,11 0,12 0,13 0,09 0,11 0,11 0,05 0,12 0,10 0,10 0,12 0,06 0,12 0,11 0,09 0,09 0,12 0,10 0,09 0,15 0,09 0,12 -0,81 0,07 -0,66 0,15 0,15 0,12 0,11 0,11 0,09

Ano 0,13 0,13 0,13 0,09 0,12 0,13 0,12 0,13 0,12 0,06 0,11 0,11 0,09 0,09 0,09 0,05 0,04 0,10 -0,86 0,04 0,12 0,12 0,13 0,12 0,11 0,06 0,07 0,11 0,11 0,12 0,13 0,09 0,11 0,11 0,05 0,12 0,10 0,10 0,12 0,06 0,12 0,11 0,09 0,09 0,12 0,10 0,09 0,15 0,09 0,12 -0,81 0,07 -0,66 0,15 0,15 0,12 0,11 0,11 0,09

6 Meses 5,42 5,51 5,46 3,83 5,37 5,34 4,89 5,68 4,98 4,95 4,82 4,62 3,76 3,83 3,81 4,69 3,95 4,34 11,51 4,16 4,92 5,03 5,48 5,23 4,66 5,08 5,32 4,58 5,25 4,97 5,98 3,87 4,88 4,82 4,42 4,81 4,28 4,39 5,25 5,22 4,97 4,44 3,76 3,65 5,49 4,02 4,90 7,94 3,87 5,29 11,97 3,83 10,28 8,43 8,43 5,08 4,62 5,34 3,87

12 Meses 10,32 10,34 10,32 7,07 10,18 10,12 9,22 10,91 9,25 9,21 8,92 8,68 6,88 7,07 6,88 8,67 7,17 7,95 19,60 7,59 9,22 9,50 10,45 9,93 8,68 9,49 9,97 8,43 9,97 9,36 11,30 7,07 9,04 9,00 8,13 9,03 7,95 8,14 9,81 9,76 9,33 8,08 6,85 6,48 10,49 7,30 9,16 16,87 7,07 9,89 19,90 6,98 16,98 17,85 17,85 8,67 9,96 7,07

FUNDOS REFERENCIADOS DI Posição Nome do Fundo 1 BB TOP DI FI REFERENCIADO DI LP 2 SANTANDER FI REFERENCIADO DI 3 BRAM FI REFERENCIADO DI RUBI 4 ITAU REFERENCIADO DI FI 5 SPECIAL REFERENCIADO DI FI 6 HSBC FI REFERENCIADO DI LP 7 UNIBANCO TOP DI FI REFERENCIADO 8 BB TOP PRINCIPAL REFERENCIADO DI LP FI 9 BB TOP DI C FI REFERENCIADO DI 10 ITAU PERSONNALITE MAXIME REF DI FICFI 11 CORP REFERENCIADO DI FI 12 BRADESCO FI REFERENCIADO DI UNIAO 13 REAL FI REFER DI CRED PRIVADO 14 BRADESCO FIC DE FI REF DI HIPERFUNDO 15 ITAU SOBERANO REFERENCIADO DI LP FI 16 SANTANDER FIC FI MASTER REF DI 17 SAFRA DI CREDITO PRIVADO FI REFERENCIADO 18 BB REFERENCIADO DI LP 50 MIL FICFI 19 HSBC FI REF DI CRED PRIV LP EXECUTIVO 20 BB REFERENCIADO DI ESTILO FICFI 21 SUPER PREMIUM REF DI PRS FICFI 22 BB NC REF DI LP VIP FIC FI 23 BTG PACTUAL YIELD DI FI REF CRED PRIV 24 WESTERN ASSET DI MAX REF FI 25 BB REFERENCIADO DI LP 90 MIL FIC FI 26 SAFRA INSTIT DI CRED PRIV FIC FI RF 27 BB REFERENCIADO DI LP ESTILO FIC FI 28 SANTANDER FIC FI CLASSIC REFERENCIADO DI 29 CSHG DI MASTER FI REFERENCIADO 30 PRIVATE EXCLUSIVE REFERENCIADO DI FICFI 31 BRADESCO FI REF DI FEDERAL EXTRA 32 BB REFERENCIADO DI LP 500 MIL FIC FI 33 REAL FIQ REF DI PRIORITY VAN GOGH 34 UNIBANCO VIP DI FICFI REFERENCIADO 35 SANT FI REF DI TIT. PUBLICOS 36 SANT FIC FI YIELD PREM REF DI CRED PRIV 37 LEGG MASON DI MAX EXCELLENT FIC FI REF 38 SANT FICFI CORPORATE REF DI 39 BRADESCO FIC DE FI REF DI PLATINUM 40 BRADESCO PRIME FIC DE FI REF DI PLUS 41 BRADESCO FI REFERENCIADO DI PREMIUM 42 HSBC FIC FI REFERENCIADO DI LP SPECIAL 43 CSHG DI MAX PRIVATE FIC FI REFERENCIADO 44 ITAU EMPRESA SUPER REFERENCIADO DI FICFI 45 ITAU CORP PLUS REFERENCIADO DI FICFI 46 BRADESCO FI REFERENCIADO DI UNIAO II 47 DI IB REFERENCIADO DI FI 48 HSBC FIC REF DI LONGO PRAZO PLUS PREMIER 49 MAXI DI IB REFERENCIADO DI FIC 50 BB REFERENCIADO DI 5 MIL FIC FI 51 REAL FIQ REF DI CREDITO PRIVADO VAN GOGH 52 BB REF DI LP CORP 600 MIL FICFI 53 WESTERN ASSET DI REFERENCIADO FI 54 BEM FI REFERENCIADO DI TPF 55 BRAM FI REFERENCIADO DI FEDERAL II 56 FI SEDNA REFERENCIADO DI CRED PRIV 57 HSBC FI REFERENCIADO DI CASH 58 HSBC FI REFERENCIADO DI CASH II 59 WESTERN ASSET SOVEREIGN II SELIC REF FI

Cota 8,3746 69,4963 3,9882 77,6474 101,9641 12,8189 2,0590 4,8944 8,3407 48,7148 116,3746 13,2761 84,0933 297,5988 20,7821 63,6284 116,9509 7,3353 5,5795 2,2745 24,8860 4,4744 13,6714 2.183,3076 4,0450 160,3556 1,2404 3,4558 1,3243 134,1049 5,1785 4,1699 1.411,8378 2,7443 15,4538 13,2208 2,0958 5,2771 3,6248 2,6475 5,1236 8,4494 1,2744 1.331,4327 1.331,4511 13,2708 1.338,5600 4,0815 0,4856 3,9627 46,5247 4,1704 13.972,6752 1,3151 5,1917 2,2367 3,2756 3,0120 1.254,4738

Patrimônio 22.596.243.022 18.480.809.191 15.672.605.068 14.485.876.051 9.204.114.231 8.916.797.551 8.182.548.978 7.250.196.170 6.857.528.080 6.851.130.780 5.801.241.088 5.306.029.113 5.261.518.655 5.073.532.821 4.999.916.725 4.967.341.758 4.429.231.395 4.380.774.810 4.342.871.125 4.230.576.809 4.157.375.331 3.905.182.757 3.521.295.454 3.371.570.546 3.356.318.692 3.335.183.304 3.249.862.867 3.057.006.168 2.977.476.989 2.834.561.518 2.774.162.732 2.713.502.787 2.665.923.829 2.467.943.953 2.462.125.379 2.364.200.752 2.204.517.451 2.156.789.593 2.113.494.269 1.986.903.538 1.978.325.710 1.958.626.086 1.807.737.600 1.790.894.281 1.777.372.274 1.713.149.462 1.711.334.046 1.710.805.601 1.703.358.922 1.627.219.762 1.612.708.794 1.565.689.581 1.561.423.760 1.551.084.900 1.520.184.231 1.510.127.075 1.481.645.021 1.449.983.061 1.435.496.894

Dia 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,02 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,02 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,03 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04

Mês 0,12 0,13 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,13 0,12 0,12 0,07 0,12 0,11 0,13 0,11 0,12 0,11 0,12 0,11 0,12 0,13 0,11 0,12 0,12 0,07 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,09 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12

Ano 0,12 0,13 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,13 0,12 0,12 0,07 0,12 0,11 0,13 0,11 0,12 0,11 0,12 0,11 0,12 0,13 0,11 0,12 0,12 0,07 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,09 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12 0,12

6 Meses 5,39 5,47 5,38 5,37 5,43 5,28 5,32 5,24 5,36 4,83 5,44 5,27 5,50 3,01 5,17 4,94 5,67 4,85 5,31 4,81 5,03 4,82 5,40 5,47 4,96 5,43 5,01 2,83 5,31 5,27 5,17 5,12 5,10 5,18 5,25 5,25 5,12 5,36 4,85 5,00 5,34 5,02 5,20 5,34 5,34 5,28 5,29 4,96 5,16 4,00 5,23 5,12 5,28 5,22 5,25 5,31 5,24 5,24 5,30

12 Meses 10,16 10,25 10,02 10,03 10,16 9,85 9,96 9,81 10,09 8,93 10,19 9,86 10,28 5,20 9,66 9,16 10,61 9,05 9,91 8,97 9,33 8,93 10,16 10,31 9,28 10,11 9,38 4,88 9,97 9,83 9,66 9,60 9,49 9,67 9,81 9,76 9,60 10,03 8,93 9,24 9,91 9,31 9,75 9,98 9,98 9,89 9,82 9,19 9,54 7,32 9,73 9,61 9,92 9,76 9,82 10,01 9,79 9,79 9,85

Patrimônio 24.840.880.237 20.063.121.531 19.370.008.980 13.187.397.317 10.936.771.179 10.335.664.246 8.342.720.516 8.034.030.629 8.032.769.551 7.141.225.880 7.111.985.492 6.874.150.563 6.596.801.530 5.842.899.607 5.645.302.448 5.032.286.888 4.868.784.554 4.790.711.370 4.462.260.366 4.357.356.570 4.051.942.189 3.851.308.241 3.766.164.406 3.662.805.276 3.624.020.523 3.500.745.206 3.490.434.707 3.481.709.003 3.387.763.089 3.339.691.492 3.321.199.060 3.288.630.056 3.272.367.945 3.198.776.009 3.016.789.279 2.981.069.589 2.837.970.073 2.821.884.665 2.760.191.731 2.733.735.325 2.669.908.260 2.595.664.591 2.590.500.714 2.538.460.951 2.439.909.869 2.420.080.012 2.329.446.390 2.290.514.347 2.190.397.407 2.121.376.505 2.052.762.381 1.949.044.280 1.921.667.732 1.876.850.826 1.869.420.782 1.863.075.667 1.800.241.644 1.739.174.232 1.723.596.020 1.706.884.070

Dia 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,03 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04 0,07 0,04 0,04 0,04 0,04 0,06 0,04 0,04 0,05 0,04 0,04 0,00 0,04 0,04 0,00 0,04 0,06 0,04 0,03 0,03 0,04 0,03 0,06 0,03 0,06 0,04 0,04 0,06 0,04 0,04 0,05 0,08 0,04 0,04 0,06 0,04 0,05 0,04 0,04 0,04 0,03

Mês 0,12 0,12 0,12 0,12 0,13 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,12 0,13 0,11 0,10 0,12 0,12 0,13 0,11 0,12 0,22 0,11 0,11 0,13 0,12 0,18 0,12 0,12 0,16 0,11 0,12 0,01 0,12 0,13 0,07 0,12 0,19 0,13 0,11 0,13 0,12 0,11 0,18 0,10 0,18 0,12 0,12 0,17 0,12 0,12 0,16 0,16 0,13 0,12 0,17 0,12 0,16 0,13 0,12 0,12 0,11

Ano 0,12 0,12 0,12 0,12 0,13 0,12 0,12 0,12 0,11 0,11 0,12 0,13 0,11 0,10 0,12 0,12 0,13 0,11 0,12 0,22 0,11 0,11 0,13 0,12 0,18 0,12 0,12 0,16 0,11 0,12 0,01 0,12 0,13 0,07 0,12 0,19 0,13 0,11 0,13 0,12 0,11 0,18 0,10 0,18 0,12 0,12 0,17 0,12 0,12 0,16 0,16 0,13 0,12 0,17 0,12 0,16 0,13 0,12 0,12 0,11

6 Meses 5,46 5,31 5,26 5,48 5,42 5,04 5,53 5,28 4,74 4,93 5,40 5,42 5,04 4,31 5,15 5,20 5,55 4,92 4,89 11,32 4,93 5,13

12 Meses 10,34 9,98 9,79 10,41 10,17 9,33 10,42 9,87 8,74 9,23 10,21 10,33 9,49 8,00 9,55 9,78 10,38 9,23 9,23 24,16 9,26 9,55

FUNDOS DE RENDA FIXA Posição Nome do Fundo Cota 1 BB TOP RF MODERADO FI RF LP 9,7389 2 NOSSA CAIXA TESOURO RF 7,2263 3 CAIXA FI MASTER RF LONGO PRAZO 10,0835 4 BB TOP RF ARROJADO FI RF LP 5,2001 5 BRAM FI RF 11,0136 6 CAIXA FIC PERSONAL RF LONGO PRAZO 7,5590 7 SANTANDER FI RENDA FIXA 9,8473 8 CAIXA FI MASTER PERFORMANCE RF LP 1,2618 9 CAIXA FIC EXECUTIVO RF LONGO PRAZO 8,7885 10 BB RENDA FIXA LP 50 MIL FICFI 12,5039 11 BB TOP RF C FI 9,6767 12 ITAU FRANCES RENDA FIXA FI 1.410,2288 13 BB RENDA FIXA LP 90MIL FIC FI 4,0081 14 BB RENDA FIXA 5 MIL FIC FI 10,9168 15 CAIXA FIC ESPECIAL RF LONGO PRAZO 2,5374 16 BB RENDA FIXA LP 500 MIL FIC FI 13,2340 17 HSBC FI RF CRED PRIV LP PERFORMANCE 2,1946 18 BB RENDA FIXA LP ESTILO FICFI 2,2772 19 ITAU PERS MAXIME RF FICFI 42,8768 20 FI RF SANT BAN FENIX 20,0739 21 BB RENDA FIXA LP PREMIUM 50 MIL FICFI 13,0114 22 SANTANDER FIC FI MIX VAN GOGH RENDA FIXA 1.262,7461 23 RT ENDEAVOUR RF CRED PRIV FI 10,3678 24 RT REPUBLIC RENDA FIXA FI 10,7998 25 ATUARIAL 06 FI RENDA FIXA 1,0766 26 BB RENDA FIXA LP CORP 10 MILHOES FICFI 4,3971 27 BRADESCO PRIME FIC DE FI RF PLUS 2,6636 28 FI RF SANTANDER OVIEDO 14,5167 29 CAIXA FIC INVESTIDOR RF LONGO PRAZO 4,8615 30 CAIXA FI CORPORATIVO RF LP 1,1607 31 FIC FI MULTIMERCADO MIRANTE 4,4704 32 RT NATION RENDA FIXA FI 10,3468 33 ITAU RENDA FIXA FI 13.340,7770 34 UNIBANCO BRAZIL SOVEREIGN NRI FI RF 981,1224 35 BB MILENIO 32 FI RENDA FIXA 3,6945 36 BRADESCO FI RENDA FIXA TOUCAN II 5,9559 37 FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA AROEIRA 9.348,1241 38 CAIXA FI BRASIL TITULOS PUBLICOS RF 1,7094 39 BB CAP FI RENDA FIXA 11,1024 40 CAIXA FI MASTER II RF LONGO PRAZO 1,5485 41 SANTANDER FIC FI MASTER RF 109,9828 42 MARBELLA II FI RF CREDITO PRIVADO 1,1946 43 CAIXA FIC IDEAL RF LONGO PRAZO 2,7807 44 BRADESCO FI RF TOUCAN I 5,8267 45 BRADESCO FIC DE FI RF MARTE 4,9205 46 BB RF LP CORPORATIVO 600 MIL FICFI 13,2483 47 ATHENA FI RENDA FIXA 3,0736 48 RT UNION RENDA FIXA FI 10.827,2359 49 BB TOP RF TRADICIONAL FI RENDA FIXA LP 1,8337 50 BRADESCO FIC FI RF MULTI INDICES PLANO A 3,0244 51 SAFRA RENDA FIXA FI RF 116,4790 52 UNIBANCO PRIVATE ACTIVE FI RF CRED PRIV 2,3300 53 BRADESCO FIC DE FI RF MACRO 8,8121 54 ATUARIAL 01 FI RENDA FIXA BSPS 1,0732 55 BTG PACTUAL CAPIT MARKETS FIRF CRD PRIV 3,9571 56 BNB FI RENDA FIXA PREVIDENCIARIO EXCLUS 22,9531 57 BRAM PRIVATE FI RF CREDITO PRIVADO 3,5071 58 FI TITANIUM RENDA FIXA CREDITO PRIVADO 2,3654 59 CAIXA FI FTJ RENDA FIXA 3,7058 60 BB RENDA FIXA LP PREMIUM 90 MIL FICFI 1,4167

5,25 5,44 5,04 6,78 4,91 5,23 6,16

10,29 9,40 15,29 9,05 9,82 11,15

5,40 0,12 5,20 10,11 5,28 5,26 5,60 5,21 4,96 8,35 4,45 9,72 4,88 5,20 7,82 5,22 5,43 6,24 6,04 5,55 5,04

10,17 -1,21 9,72 21,56 9,96 10,07 11,64 9,72 9,27 18,06 8,17 20,74 9,07 9,81 22,23 9,76 10,25 13,39 11,35 10,48 9,40

5,42 6,08 5,62 5,29 5,18 5,18

10,23 15,32 10,60 9,86 9,88 9,92

Obs: Valores de cota e patrimônio líquido fornecidos pela Anbid - Associação Nacional dos Bancos de Investimento. Rentabilidades passadas não são garantia de ganhos futuros. Fonte: ANBIMA/ANBID/BDS


Finanças Indústria&Comércio | Curitiba, segunda-feira, 10 de janeiro de 2011 | F4

AGRONEGÓCIO PREÇOS MÉDIOS SEMANAIS RECEBIDOS PELOS AGRICULTORES SEMANA: 012011 PERÍODO: 03/01/2011 a 07/01/2011 Produto CULTURAS DE VERAO Amendoim em casca Arroz em casca irrigado Arroz em casca sequeiro Café beneficiado produtor Cafe em coco Feijao de cor Feijao preto Milho Soja CULTURAS DE INVERNO Aveia Centeio Cevada Trigo Triticale HORTALICAS Alface Alho nacional comum Alho nacional nobre Batata comum Batata lisa Beterraba Cebola Cenoura Chuchu Couve-flor Mandioca consumo Pepino Aodai Pepino Conserva Pimentao Verde Repolho Tomate FRUTAS Ameixa Vermelha Banana nanica/caturra Laranja Pera de Mesa Moranguinho Pessego Uva fina de mesa OUTRAS CULTURAS Cana de acucar Erva-mate verde Mamona Mandioca PECUÁRIA Boi gordo Boi magro p/engorda Casulo de primeira Frango vivo Leite cota ** Ovo grande Ovo medio Suino comum Suino raca

Unidade 25 kg 60 kg 60 kg 60 kg kg/renda 60 kg 60 kg 60 kg 60 kg

APUC

kg 22 kg 20 kg kg kg kg

312,00 4,84 67,00 21,50

5,17 72,75 72,75 19,40 43,72

CPR

CUR

FBR

36,00 36,00 250,00 3,78 60,00 64,33 19,93 45,93

19,43 44,13

GUA

64,00 58,75 19,88 45,00

IVA

JAC

70,00 70,00 20,22 45,10

32,33

31,26

67,14 63,75 20,27 45,75

4,99 67,70 58,62 19,63 44,91

68,39 61,07 19,54 43,67

7,23

24,00

30,50 25,20 14,50

4,63

12,67 3,50 5,00 20,20 8,00 5,00

14,00

19,00 5,63 6,00 9,88 11,63 9,88 0,29 13,00

6,00 15,00

11,33 12,50 16,67

7,63 4,00 8,75

3,67 8,00

1,50

1,80

6,50

7,33

6,30 13,33 15,00

19,00 15,67 20,00

2,17 2,43

LON

MAR

PGA

PVI

283,40 4,06

333,33 5,23

270,00 4,88

18,24 43,28

20,00 45,30

20,00 46,00

39,60

24,92

3,91

7,00 22,00 2,93

PBR

PGR

TOL 34,00 30,00

UMU

UVI

MÉDIA

MSA

%MSA

59,88 20,78 44,33

50,00 34,25 33,15 286,48 4,53 68,34 62,04 20,02 44,93

50,00 36,97 32,01 285,59 4,46 75,75 64,13 19,62 44,01

0,00 -7,37 3,57 0,31 1,61 -9,79 -3,26 2,03 2,08

19,41 39,00 30,23 24,79 14,50

18,80 39,00 30,31 24,74 14,63

3,26 0,00 -0,27 0,20 -0,86

5,84 3,50 6,28 14,67 19,17 7,10 5,42 14,91 14,51 12,53 0,29 15,24 22,00 8,35 4,93 15,16

5,63 3,87 5,98 15,58 20,22 8,08 5,27 10,15 9,78 7,76 0,35 14,39 29,75 8,60 4,68 16,03

3,90 -9,55 5,00 -5,85 -5,22 -12,18 2,87 46,89 48,33 61,47 -18,41 5,93 -26,06 -2,96 5,46 -5,38

1,51 8,17 10,63 3,40 1,11 2,43

1,40 8,20 11,46 3,77 1,16 1,91

7,65 -0,33 -7,22 -9,85 -4,16 26,73

38,74 6,55 0,70 267,29

39,35 6,57 0,70 275,57

-1,55 -0,21 0,00 -3,01

96,50 1.033,17 7,82 1,72 0,70 0,71 36,15 34,02 2,14 2,78 2,60

95,72 1.023,79 7,86 1,91 0,72 35,92 33,79 2,34 2,60

0,82 0,91 -0,62 -10,32 -1,82 0,64 0,69 -8,36 -0,27

37,00

4,89 67,50 67,50 20,93 45,68

71,81 64,56 21,71 45,83

24,50

39,00 29,40 25,19

78,16 19,56 44,98

19,34 44,94

265,00 94,50

0,83

0,71

1,68 0,70

2,85

2,66

2,46

18,00 10,00 25,00 25,00 25,00

12,00

25,00 10,00 6,00 10,00

10,00 15,00 12,00

15,40

25,00 15,00 12,00 12,00 18,00

10,00

20,60

11,00 8,00 15,00

12,40

20,00 15,00

7,00 8,00

8,40

17,58 18,56

11,75 19,67

5,00 10,00

5,00 1,00 2,30 38,63

43,64

35,00

6,21

38,63 6,83

6,63

0,70 281,00 96,75 1.025,00

23,37

6,60

3,70 1,20

6,45

93,12 970,00 7,25

12,00

24,85

1,80

37,50

268,00

6,00

13,68

10,17

3,38 0,97

95,00

0,65 35,67 30,67

0,72

2,78

2,73

93,00

2,57

94,80 1.200,00 8,20

97,70

97,70

0,62

0,64

0,64

2,15 2,55

2,74

2,93

93,70 97,33 1.030,00 1.045,00 7,00 7,93 1,77 0,68 38,13 35,00 36,39 33,00

8,70

CEASA/PR

(R$ 1,00)

LAR

22,67 24,00

97,00 1.100,00

IRA

50,00 34,00

14,55

t arroba kg t arroba cabeca kg kg l 30 dz 30 dz kg kg

CAS

35,89

60 kg 60 kg 60 kg 60 kg 60 kg 9 kg kg kg 50 kg 50 kg 23 kg 20 kg 23 kg 22 kg duzia kg 22 kg 22 kg 13 kg 28 kg 23 kg

CMO

2,61

100,00 1.000,00 0,71

3,20

255,00

260,49

95,75

92,96

98,00 7,53 2,05

0,71

0,78

7,15 1,60 0,70

1,80 2,50

2,67

2,60

2,92

98,50

97,00

FONTE DERAL/DEB - SEAB/PR (MÉDIA)=Média da Semana; (MSA)=Média da Semana Anterior; (%MSA)=Variação percentual em relação à Semana Anterior. * O preço pago por litro de leite ao produtor no mês corrente é referente ao produto entregue no mês anterior. Obs: O preço semanal é coletado junto aos Núcleos Regionais e ponderado pela relação entre a Produção do Núcleo.

Elaboração: CELEPAR; DERAL/DEB

PREÇOS MÉDIOS SEMANAIS DE VENDA NO ATACADO SEMANA: 012011 PERÍODO: 03/01/2011 a 07/01/2011 Produto Unidade APUC CMO CAS CPR CUR FBR GUA PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL E DERIVADO Algodao em pluma 6 arroba 53,00 Arroz parboilizado tipo 2 30 kg 38,00 37,48 Arroz polido tipo 1 30 kg 38,80 37,97 41,00 39,37 Canjica amarela 50 kg 52,00 Far mandioca crua 50 kg 56,33 Far mandioca torrada 50 kg 64,50 Far milho prensada (biju) 50 kg 63,67 Farelo de milho t 380,00 Farelo soja 48% prot t 720,00 770,00 760,00 Farinha Trigo Comum 50 kg 35,85 39,00 66,00 45,00 Farinha Trigo Especial 50 kg 54,47 48,82 69,00 46,00 58,00 Fecula 25 kg 37,33 35,00 Feijao cores 30 kg 55,00 54,50 65,57 Feijao preto 30 kg 57,00 51,00 62,48 46,71 Fuba amarelo 50 kg 36,50 35,00 51,00 Milho comum 60 kg 25,00 22,50 23,50 22,57 24,00 24,88 23,10 Oleo bruto de soja t 2.400,00 2.550,00 2.460,00 Oleo refinado soja 20 lata 48,30 52,60 53,47 Trigo (grao) 60 kg 27,25 27,00 PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL E DERIVADOS Banha suina kg 2,20 Bov carcaca - diant kg 5,40 5,32 4,98 Bov carcaca - traz kg 7,90 9,36 8,23 Frango congelado kg 3,35 3,68 Frango resfriado kg 3,35 3,41 Manteiga extra kg 8,25 5,50 Ovo extra - tipo 1 30 dz 50,00 51,00 44,00 Ovo grande - tipo 2 30 dz 49,00 43,67 42,00 Ovo medio - tipo 3 30 dz 47,00 37,00 40,00 Ovo pequeno - tipo 4 30 dz Pinto de corte unidade 0,55 0,75 Pinto de postura unidade 1,40 Queijo minas frescal kg 10,55 Queijo muzzarella kg 9,38 10,90 10,38 10,30 8,50 Queijo parmezao kg 26,00 16,00 Queijo prato kg 11,20 12,37 9,40 Suino carcaca - raca kg 4,90 4,80 5,36 5,20 Suino lombo (s/osso) kg 9,15 10,05 Suino paleta (c/osso) kg 5,69 Suino pernil (c/osso) kg 6,10 6,10 FONTE DERAL/DEB - SEAB/PR Obs: O preço semanal é coletado junto aos Núcleos Regionais e ponderado pela concentração da comercialização regional.

IRA

IVA

JAC

LAR

36,00

LON

MAR

51,04

45,33

(R$ 1,00) PGA

PVI

PBR

38,00

42,00

PGR

TOL

UMU

36,55

36,50 37,10

50,00

750,00

73,00 400,00 715,00

750,00

60,00

50,00

62,00 60,00

71,32 72,34 42,17 23,00

20,27

60,62 70,98 69,00 37,33 49,75

35,00 50,00

58,33 60,00

50,00

24,17 2.400,00 49,30 45,80

UVI

49,00 49,00 50,00 24,65

58,00 700,00 52,00 55,00

663,33 40,00 45,50

55,00 55,00

72,00 62,00 42,00 23,19

23,28

48,00 36,50 55,50 47,00 42,00 29,40

52,80 27,50

3,85 5,77 8,38 3,08 37,67 37,75 33,33

12,48 10,75

9,72

12,00

10,85

4,87 8,67 3,35 3,33

3,20 3,00

38,00 37,00 35,00 31,00 0,65

32,00 30,00 27,00 22,00

2,70 4,40 8,53 3,69

43,50 0,75

7,75 11,20 21,78 12,90 5,54

8,30

9,83

9,60

10,13 4,75 5,30 8,25 8,00 5,66 4,40 4,80 5,68 5,10 5,90 (MÉDIA)=Média da Semana; (MSA)=Média da Semana Anterior;

5,30 6,90

2,42 7,45 5,70

IVA

MAR

53,00 37,50 43,24 52,00 53,68 66,66 66,24 380,00 718,40 55,74 59,63 36,26 58,46 58,49 40,78 23,33 2.461,76 49,18 27,22

53,00 37,50 44,25 40,09 53,94 62,63 60,01 345,75 726,92 55,52 62,03 35,84 65,36 55,06 37,16 22,75 2.298,91 49,04 27,19

0,00 -0,02 -2,28 29,70 -0,49 6,43 10,37 9,90 -1,18 0,39 -3,87 1,16 -10,56 6,24 9,74 2,54 7,08 0,29 0,11

2,36 2,31 2,15 4,92 5,08 -3,17 8,58 8,68 -1,22 3,60 3,60 -0,07 3,59 3,37 3,35 0,61 8,60 7,56 7,67 -1,36 42,00 39,17 43,36 -9,67 41,00 37,83 38,07 -0,64 35,00 34,65 35,42 -2,18 27,00 29,36 31,70 -7,37 0,71 0,75 -5,46 1,40 1,40 0,00 7,75 9,73 -20,37 12,82 9,40 9,94 10,80 -8,03 25,60 22,44 20,14 11,40 13,00 10,20 10,57 11,59 -8,79 5,49 4,80 5,05 5,00 5,32 -5,96 9,20 9,13 9,66 -5,53 5,40 5,51 5,63 -2,11 6,50 6,50 6,19 6,59 -6,06 (%MSA)=Variação percentual em relação à Semana Anterior. Elaboração: CELEPAR; DERAL/DEB

PVI

PBR

PGR

TOL

UMU

UVI

MÉDIA

MSA

%MSA

7,16 7,86 1,49 2,18 1,52 1,57 1,89 3,49 2,73 1,45 1,09 3,89 2,35

9,44 7,72 1,60 2,45 2,18 1,62 1,98 3,57 3,28 0,92

8,96 8,41 1,20 2,63 2,53

8,79 8,59 1,13 2,43 2,69

10,57 8,17 1,24 2,59 2,11

9,27 8,15 1,16 2,43 2,44

8,68 7,46 1,80 2,38 2,60

10,72 8,41 1,60 2,56 1,85

1,82 3,41 3,19 0,86 1,82 3,83 2,36

1,91 3,36 3,35 0,83 0,89 4,36 2,51

1,54 3,93 2,72 0,73 1,65 4,33 2,56

8,52 9,25 1,23 2,66 1,45 1,59 2,18 3,58 2,33 1,75

1,80 3,46 3,14 0,82

3,42 2,25

1,99 3,79 2,59 1,22 1,49 3,97 2,52

1,72 4,15 2,74 0,94 1,44 4,26 2,59

9,16 8,43 1,38 2,55 2,21 1,62 1,83 3,84 2,98 1,01 1,44 3,89 2,51

9,29 8,17 1,41 2,52 2,20 1,60 1,77 4,34 3,10 1,10 1,40 3,86 2,45

-1,36 3,23 -1,61 0,87 0,35 0,82 3,65 -11,39 -3,98 -8,03 3,23 0,72 2,48

1,37 1,91 1,78

1,39

1,18 1,95 1,27

1,39

1,12

0,73

1,25

1,39

1,40

2,15

2,45

1,49

1,24 0,94 0,81 0,91 0,57 1,81 1,31 2,14 0,66 0,79

0,91 1,29 1,03 1,24 1,45 2,43 1,32 1,55 1,25 1,01

1,24 1,28 1,19 1,12 0,99 2,29 1,12 2,62 0,82 1,39

1,08 1,15 1,07 1,15 1,12 2,24 1,39 1,90 0,61 1,23

1,04 1,08 0,82 1,19 1,08 1,95 1,42 1,89 0,66 1,40

1,47 0,99 0,92 1,10

1,14 0,68 0,81 0,74 1,07 2,96 1,17 2,60 0,86 1,47

0,86 1,78 1,57 1,12 1,68 0,85 1,01 1,12 0,76 1,45 1,31 2,19 0,57 1,34

0,95 1,66 1,84 0,84 1,34 1,07 0,96 1,18 1,13 1,97 1,35 2,33 0,72 1,38

0,94 1,80 1,78 1,26 1,75 1,15 1,00 1,14 1,17 2,26 1,61 2,85 0,86 1,43

1,00 -7,99 3,90 -33,05 -23,31 -7,07 -4,58 3,14 -3,14 -12,73 -16,10 -18,44 -16,55 -3,27

4,22 4,30 0,99 1,04 0,77 2,69

4,08

3,66

3,55

3,80

1,69 1,44 0,80 3,23

1,48 1,29 1,06 2,89

1,52 0,96 0,87 3,33

5,75 4,45 1,34 1,59 0,74 2,58

2,39

2,45

5,53

4,36

4,65

6,25 3,27 0,92 1,69 1,26 2,96 8,67 2,66 3,56 5,09

5,05 3,92 1,44 1,51 0,77 2,84 8,07 2,68 3,68 5,66

4,29 4,53 1,44 1,49 1,05 3,02 10,58 3,01 4,03 6,89

17,70 -13,44 0,17 1,36 -26,78 -5,94 -23,76 -10,76 -8,79 -17,78

9,54 20,12 12,15 8,47 15,69 38,04 12,31 9,23 10,34 14,01 7,65 13,65 8,59 8,84 4,99 5,43 6,20 4,78

10,26 19,62 12,82 8,59 16,81 33,80 16,20 9,80 8,96 15,53 8,06 11,90 6,36 7,26 4,50 5,18 5,56 4,53 10,08 18,17 20,53

9,63 17,30 12,62 8,22 15,54 25,96 14,17 7,26 7,95 14,55 7,22 13,00 6,72 7,80

10,18 20,77 13,88 9,18 15,56 32,75 15,03 8,84 8,93 14,50 7,87 13,01 7,37 8,00 4,40 4,91 5,52 4,70 13,98 16,95 21,49 6,79 13,11 18,93

11,56 21,13 14,53 8,99 16,61 32,27 14,04 8,91 9,41 15,11 8,13 13,04 7,05 7,61 4,01 5,04 5,50 4,35 14,25 17,49 23,63 7,43 14,57 20,13

-12,00 -1,72 -4,50 2,15 -6,29 1,48 7,05 -0,85 -5,11 -4,03 -3,12 -0,24 4,55 5,11 9,77 -2,54 0,48 8,11 -1,91 -3,09 -9,04 -8,67 -10,04 -5,96

8,36 16,72 12,10 8,37 12,98 24,10 13,35 7,42 7,96 13,35 6,55 9,35 7,23 7,69 4,43 5,12 5,55 5,50 11,90 12,90 15,90

LAR

%MSA

(R$ 1,00) LON

2,65 5,57

JAC

MSA

4,55 8,50 3,13

PREÇOS MÉDIOS SEMANAIS DE VENDA NO VAREJO SEMANA: 492010 PERÍODO: 06/12/2010 a 10/12/2010 Produto Unidade APUC CMO CAS CPR CUR FBR GUA IRA GRAOS E DERIVADOS Arroz agulhinha branco tipo 1 5 kg 10,46 8,50 9,20 9,17 11,05 8,76 8,59 Arroz parboilizado tipo 1 5 kg 7,58 7,84 8,83 8,29 7,42 7,68 Canjica amarela 0.5 kg 1,65 1,99 1,18 1,32 1,04 1,11 Far mandioca torrada kg 2,68 2,35 2,51 2,61 2,50 2,37 2,30 Far milho amarela kg 1,45 2,18 2,62 2,41 1,85 1,88 1,36 Farinha Trigo Comum kg 1,75 1,43 Farinha Trigo Especial kg 2,35 1,60 1,91 1,71 1,92 1,74 1,94 Feijao cores kg 2,99 3,95 3,02 4,23 4,04 3,40 3,70 Feijao preto kg 2,90 3,11 3,22 3,06 2,54 2,91 2,30 Fuba amarelo especial 500 g 1,25 0,76 1,03 0,92 1,43 0,94 0,60 Mandioca consumo raiz kg 1,30 1,14 1,55 0,73 0,93 Oleo refinado de milho 900 ml 4,98 4,34 5,22 3,60 4,76 4,51 3,92 Oleo refinado de soja 900 ml 2,89 2,54 2,87 2,52 2,96 2,34 2,37 HORTALICAS Alface Lisa/Crespa unidade 1,20 0,79 1,48 0,74 1,09 0,61 0,46 Alho importado 100 g 1,39 1,36 1,23 Alho nacional 100 g 1,22 1,76 2,11 2,29 1,14 1,58 Batata comum kg Batata lisa kg 1,56 1,36 0,96 1,56 1,40 0,83 0,89 Beterraba kg 0,89 0,97 0,88 1,10 1,07 0,67 0,77 Cebola kg 1,10 0,64 0,94 0,98 1,03 0,68 0,61 Cenoura kg 0,90 0,75 0,92 1,33 1,09 0,91 0,94 Chuchu kg 1,20 0,68 0,70 1,25 0,76 0,76 0,60 Couve-flor unid 1,90 2,19 2,50 1,80 2,00 1,38 1,12 Pepino kg 1,56 1,26 1,18 1,47 1,42 1,08 1,64 Pimentao kg 1,89 2,16 1,13 2,72 2,36 1,64 1,50 Repolho kg 0,15 0,77 0,51 0,69 0,59 0,28 0,35 Tomate kg 1,45 0,95 1,05 1,63 1,41 0,95 1,58 FRUTAS Abacate kg 0,85 2,98 3,65 6,23 6,51 3,86 4,95 Ameixa Nacional Vermelha kg 4,09 2,68 3,02 Banana nanica/caturra kg 0,89 1,36 1,16 1,60 1,20 0,82 0,89 Laranja pera kg 0,89 1,13 1,12 1,86 1,58 0,91 1,36 Maca importada unidade 0,98 0,95 0,86 0,66 0,75 Maca nacional kg 2,89 2,91 3,63 2,73 2,86 2,55 2,67 Moranguinho kg 12,75 13,52 7,67 Pessego kg 1,89 3,12 3,21 2,78 2,76 2,40 2,71 Tangerina kg 3,35 3,00 Uva fina de mesa kg 4,10 5,83 5,20 6,11 7,70 5,03 4,63 CARNES Car bov acem (s/osso) kg 9,90 9,16 9,81 10,60 8,54 Car bov alcatra (s/osso) kg 16,50 18,48 18,18 22,30 18,04 17,42 20,17 Car bov contra-file (c/osso) kg 15,89 16,62 14,78 13,39 12,21 12,52 12,87 Car bov costela (c/osso) kg 9,90 8,65 8,16 9,59 7,89 8,04 8,16 Car bov coxao mole kg 17,30 15,65 15,81 14,51 14,57 15,35 14,50 Car bov mignon (s/osso) kg 26,80 27,90 28,96 33,45 36,32 33,93 29,27 Car bov moida 1a. kg 16,87 13,18 13,53 16,02 13,83 15,11 14,57 Car bov moida 2a. kg 9,80 7,49 8,97 6,18 8,46 8,08 Car bov paleta (c/osso) kg 8,20 10,15 8,18 8,63 8,85 8,87 8,10 Car bov patinho (s/osso) kg 14,50 14,12 15,24 14,14 14,16 14,76 13,47 Car bov peito (c/osso) kg 8,90 6,84 8,18 8,40 5,97 7,00 6,10 Car suina lombo (s/osso) kg 9,49 8,89 15,83 13,70 10,30 13,90 9,80 Car suina paleta (c/osso) kg 7,20 6,83 6,97 7,25 8,54 7,00 6,63 Car suina pernil (c/osso) kg 7,65 7,29 8,33 7,83 8,45 7,74 7,06 Frango congelado kg 3,99 4,21 4,32 4,32 4,64 4,32 3,62 Frango coxa e sobre-coxa com osso e pele kg 4,50 6,10 4,78 4,69 4,84 4,78 Frango peito com osso e pele kg 4,60 5,31 5,72 5,33 5,76 5,72 4,16 Frango resfriado kg 3,99 4,37 4,77 4,79 4,77 Ovino costela kg 14,87 15,01 13,90 11,55 Ovino paleta com osso kg 17,30 17,49 14,90 14,28 Ovino pernil com osso kg 21,35 23,94 15,90 15,00 Peixe carpa sem vísceras kg Peixe pacú sem vísceras kg Peixe tilápia filé kg 17,00 18,57 19,92 19,95 21,82 DERIVADOS Banha kg 4,07 4,51 4,23 3,94 2,67 3,28 Leite em Pó 400 g 7,65 6,23 9,32 6,24 8,43 6,96 7,43 Leite longa vida l 1,45 1,77 1,79 1,75 1,91 1,68 1,67 Leite Pasteurizado l 1,35 1,49 1,35 1,47 1,51 1,21 1,55 Manteiga extra 200 g 3,26 3,87 2,62 3,23 2,66 2,42 Ovo tipo extra dz 2,84 2,76 Ovo tipo grande dz 2,74 2,10 2,53 2,49 2,28 2,11 1,93 Ovo tipo medio dz 2,65 1,98 2,40 1,87 Queijo minas frescal kg 15,30 16,42 15,64 15,78 16,73 17,54 16,77 Queijo minas prens kg 18,90 23,89 23,92 Queijo muzzarella kg 14,30 19,98 18,36 16,86 19,94 15,94 18,91 Queijo parmezao kg 45,60 40,34 41,35 34,53 41,18 44,03 36,50 Queijo prato kg 17,30 22,99 23,91 16,40 21,25 18,82 20,52 FONTE DERAL/DEB - SEAB/PR Obs: (MÉDIA)=Média da Semana; (MSA)=Média da Semana Anterior; (%MSA)=Variação percentual em relação à Semana Anterior. O preço semanal é coletado junto aos Núcleos Regionais e ponderado pela população da sede do Núcleo Regional em relação ao Estado.

MÉDIA

4,16 2,60

14,98 3,31 5,01 1,59 1,34 4,00 2,33 1,99 16,72 18,99 13,92 36,90 13,19

4,06 4,86 1,68 1,40 3,15 2,58 2,38 1,99 14,38 18,80 17,16 36,57 22,39

PGA

5,33 5,58 4,33 14,45 13,90

1,15

1,23 1,24

2,89 3,18 5,81 22,80 15,29 10,89 17,47 30,95 17,20 7,32 8,98 16,13 7,73 11,88 8,32 7,87 4,24 4,20 4,68 12,24 14,22 14,47

15,26 19,70

20,28

19,12

4,17 7,52 1,68 1,42 2,93

4,17 7,99 1,72 1,47 3,33

4,33 7,74 1,63 1,53 3,37

2,48 2,25 18,12 20,57 15,60 39,28 18,44

1,15 2,50

23,89 19,85 11,48 19,97 14,67 10,71 15,24 8,15 12,15 9,30 5,05 5,43 4,15 17,25 22,59 25,35

3,60 7,59 1,58 1,39 2,81

6,72 3,65 1,42 1,42 0,96 2,84

3,52 2,49 1,54 1,36 0,75 1,29 1,05 0,92 1,04 0,75 1,99 1,19 1,96 0,59 1,37

1,39 0,99 2,84

2,76 5,19 5,45

2,76

10,15 19,10 18,25 6,87 14,38 28,90 15,20 9,27 9,30 15,98 5,98 17,26 7,19 7,69 4,52 4,49 5,99 4,99 9,90 11,08 12,20 6,39 8,79 12,79

10,51 18,83 11,36 7,65 16,83 23,25 11,30 6,23 9,31 14,96 7,40 12,00 7,48 7,42 3,93 5,38 6,73 4,77 11,50 13,50 16,50

8,85 17,50 12,85 9,27 16,35 37,17 15,15 8,83 8,59 15,88 6,86 11,90 6,85 7,81 4,48 4,71 5,32 5,39 11,23 13,52 16,89 7,99

20,17

22,76

3,84 8,04 1,79 1,54 2,92 2,55

4,21 7,96 1,70 1,48 3,50 2,45

3,77 7,29 1,72 1,45 2,81

2,19

2,37

2,45

13,25

16,77

18,89

15,59

15,15 36,43 16,95

14,52 35,92 18,21

21,20 35,90 20,07

15,22 32,98 18,34

5,61

4,01 3,97 0,87 6,62 6,67 -0,83 1,70 1,67 2,18 1,44 1,46 -1,40 2,87 3,36 -14,48 2,60 2,48 5,05 2,42 2,24 8,20 2,51 2,11 1,93 9,44 14,49 16,11 16,22 -0,69 22,39 22,29 24,78 -10,07 16,27 16,12 16,95 16,81 0,83 28,12 36,55 40,03 -8,72 18,83 16,67 18,23 19,20 -5,04 Elaboração: CELEPAR; DERAL/DEB

Legenda dos Núcleos Regionais: APUC (Apucarana); CMO (Campo Mourão); CAS (Cascavel); CPR (Cornélio Procópio); CUR (Curitiba); FBR (Francisco Beltrão); GUA (Guarapuava); IRA (Irati); IVA (Ivaiporã); JAC (Jacarezinho); LAR (Laranjeiras do Sul); LON (Londrina); MAR (Maringá); PGA (Paranaguá); PVI (Paranavaí); PBR (Pato Branco); PGR (Ponta Grossa)); TOL (Toledo): UMU (Umuarama); UVI (União da Vitória); FOZ (Foz do Iguaçu).

COTAÇÃO DOS PRODUTOS COMERCIALIZADOS 07/01/2011 PRODUTO/VARIEDADE/ PREÇO MAIS COMUM(R$) CLASSIFICAÇÂO /EMBALAGEM CUR MAR LON FOZ CAR ABACATE COLISON cx 22 kg - 50 ABACATE GEADA cx 22 kg - 40 ABACATE MANTEIGA cx 22 kg - 65 ABACATE MARGARIDA cx 22 kg - 50 ABACATE QUINTAL cx 22 kg - 45 ABACAXI HAVAI GRAUDO cx 20 kg - 32 30 ABACAXI HAVAI GRAUDO kg - 1,6 1,5 1,6 ABACAXI HAVAI MEDIO cx 18 kg - 28 28 ABACAXI HAVAI MEDIO kg - 1,55 1,4 ABACAXI HAVAI PEQUENO cx 18 kg - 25 ABACAXI HAVAI PEQUENO kg - 1,38 ABACAXI PEROLA GRAUDO cx 18 kg - 32 ABACAXI PEROLA GRAUDO kg - 1,77 ABACAXI PEROLA MEDIO cx 18 kg - 30 ABACAXI PEROLA MEDIO kg - 1,66 ABACAXI PEROLA PEQUENO cx 15 kg - 23 ABACAXI PEROLA PEQUENO kg - 1,53 ABOBORA HOKAIDO/KABOTIA sc 23 kg - 18 16 ABOBORA MENINA sc 20 kg - 20 ABOBORA MORANGA sc 23 kg - 18 ABOBORA SECA/PESCOÇO kg - 1,6 ABOBORA SECA/PESCOÇO sc 20 kg - 22 ABOBRINHA BRANCA EXTRA cx 20 kg - 15 ABOBRINHA BRANCA EXTRA A cx 20 kg - 25 ABOBRINHA BRANCA EXTRA AA cx 20 kg - 30 ABOBRINHA VERDE EXTRA cx 20 kg - 10 ABOBRINHA VERDE EXTRA A cx 20 kg - 15 ABOBRINHA VERDE EXTRA AA cx 20 kg - 20 15 23 ACEROLA pt 1 kg 3 AGRIAO mç 400 g - 1,5 1,5 AIPIM-MANDIOCA COMUM cx 22 kg - 13 - 20 AIPIM-MANDIOCA EXTRA cx 22 kg - 15 15 ALCACHOFRA cx 9 kg - 40 ALECRIM mç 200 g 4 ALFACE HIDROPONICO cx 6,5 kg - 20 ALFACE AMERICANA cx 6,5 kg - 20 12 ALFACE CRESPA GRANDE eng 7 kg - 20 8 18 ALFACE CRESPA MEDIO eng 6,5 kg - 16 6 ALFACE CRESPA PEQUENO eng 6 kg - 14 ALFACE LISA GRANDE eng 7 kg - 20 8 ALFACE LISA MEDIO eng 6,5 kg - 16 ALFACE LISA PEQUENO eng 6 kg - 14 ALHO sc 10 kg - 76 ALHO IMPORTADO cx 10 kg - 80 - 95 ALMEIRAO mç 300 g - 0,83 0,5 1 AMEIXA IMPORTADA cx 6 kg - 36 AMEIXA PRETA IMPORTADA cx 9 kg - 50 AMEIXA VERMELHA cx 8 kg - 32 AMEIXA VERMELHA IMPORTADA cx 8 kg - 45 ATEMOIA cx 4 kg - 30 BANANA CATURRA PRIMEIRA cx 20 kg - 22 15 22 BANANA CATURRA SEGUNDA cx 20 kg - 18 BANANA MAÇA cx 22 kg - 55 50 BANANA OURO cx 6 kg - 18 BANANA PRATA cx 20 kg - 45 BANANA TERRA cx 20 kg - 50 BATATA COMUM ESPECIAL sc 50 kg - 35 30 25 BATATA COMUM MISTA sc 50 kg - 25 20 BATATA COMUM PRIMEIRINHA sc 50 kg - 25 BATATA LISA ESPECIAL BINTJE sc 50 kg - 50 - 45 BATATA LISA PRIMEIRA MONALISA sc 50 kg - 50 50 BATATA YAKON cx 20 kg - 80 BATATA DOCE COMUM cx 22 kg - 23 - 30 BATATA DOCE EXTRA cx 22 kg - 25 22 30 BERINJELA EXTRA cx 12 kg 8 BERINJELA EXTRA A cx 12 kg - 11 BERINJELA EXTRA AA cx 12 kg - 15 11 BETERRABA EXTRA cx 23 kg - 10 BETERRABA EXTRA A cx 23 kg - 15 BETERRABA EXTRA AA cx 23 kg - 20 15 23 CAJU cx 1,5 kg - 15 CARA cx 20 kg - 30 CARAMBOLA cx 15 kg - 68 CARAMBOLA cx 4 kg - 18 CAXI cx 20 kg - 25 CEBOLA BRANCA sc 20 kg - 13 CEBOLA PERA sc 20 kg - 14 - 12 CENOURA EXTRA cx 23 kg - 12 CENOURA EXTRA A cx 23 kg - 18 CENOURA EXTRA AA cx 23 kg - 25 22 23 CHEIRO-VERDE mç 400 g 3 4 1 CHUCHU EXTRA cx 22 kg - 12 CHUCHU EXTRA A cx 22 kg - 18 CHUCHU EXTRA AA cx 22 kg - 25 25 33 CHUCHU BABY bj 550 g - 1,5 COCO SECO sc 14 kg - 28 COCO VERDE un 1,5 kg 2 COENTRO mç 2 kg - 10 0,7 COUVE-BROCOLO dz 6 kg - 18 14 COUVE-BROCOLO mç 500 g - 1,2 1,5 COUVE-CHINESA dz 18 kg - 15 22 COUVE-FLOR GRANDE dz 24 kg - 30 19 30 COUVE-FLOR MEDIA dz 22 kg - 25 COUVE-FLOR PEQUENA dz 20 kg - 20 COUVE-MANTEIGA mç 400 g - 0,8 0,5 ERVILHA TORTA bj 200 g 2 ERVILHA TORTA cx 10 kg - 40 ESCAROLA/CHICORIA eng 7 kg - 20 8 24 ESPINAFRE mç 500 g - 1,5 0,7 FIGO cx 2 kg - 22 GENGIBRE cx 18 kg - 70 GOBO mç 1 kg 7 GOIABA VERMELHA kg - 90 GRAVIOLA cx 8 kg - 45 HORTELA mç 1 kg 5 0,7 INHAME-TAIA cx 22 kg - 60 JILO cx 16 kg - 25 KINKAN cx 2 kg - 34 KIWI IMPORTADO cx 10 kg - 43 LARANJA BAHIA GRAUDA cx 25 kg - 65 LARANJA BAHIA MEDIA cx 25 kg - 55 LARANJA LIMA GRAUDA cx 25 kg - 74 LARANJA LIMA MEDIA cx 25 kg - 65 -

PRODUTO/VARIEDADE/ PREÇO MAIS COMUM(R$) CLASSIFICAÇÂO /EMBALAGEM CUR MAR LON FOZ CAR LARANJA PERA GRAUDA cx 25 kg - 25 - 25 LARANJA PERA MEDIA cx 25 kg - 23 - 25 LARANJA PERA PEQUENA cx 25 kg - 20 LARANJA SELETA GRAUDA cx 25 kg - 18 LARANJA SELETA MEDIA cx 25 kg - 16 LICHIA cx 3 kg - 11 LIMA PERSIA cx 25 kg - 94 LIMAO ROSA cx 6 kg - 20 LIMAO TAHITI GRAUDO cx 25 kg - 25 LIMAO TAHITI MEDIO cx 25 kg - 18 LIMAO TAHITI PEQUENO cx 25 kg - 12 MAÇA COMERCIAL cx 20 kg - 30 MAÇA EVA PRIMEIRA cx 18 kg - 22 MAÇA FUJI PRIMEIRA cx 18 kg - 45 45 45 MAÇA FUJI SEGUNDA/COM cx 18 kg - 35 37 MAÇA GALA PRIMEIRA cx 18 kg - 55 - 54 MAÇA GALA SEGUNDA/COM cx 18 kg - 40 MAÇA GRANSMITH IMPORTADA cx 18 kg - 67 MAÇA RED DELICIOUS IMPORTADA cx 18 kg - 57 MAMAO COMUM/FORMOSA cx 30 kg - 35 MAMAO COMUM/FORMOSA kg - 1,3 MAMAO FORMOSA MADURO eng 15 kg - 35 MAMAO PAPAYA/HAVAI TP-14-16-18 cx 8 kg - 14 MAMAO PAPAYA/HAVAI TP-8-10-12 cx 8 kg - 16 - 24 MANDIOQUINHA/BATATA SALSA bj 300 g - 2,7 MANDIOQUINHA/BATATA SALSA PRIMEIRA cx 22 kg - 110 MANDIOQUINHA/BATATA SALSA SEGUNDA cx 22 kg - 99 MANGA ESPADA cx 22 kg - 66 MANGA ESPADA cx 8 kg - 24 MANGA PALMER cx 20 kg - 22 MANGA PALMER cx 6 kg - 15 MANGA TOMMY ATKING cx 10 kg - 18 MANGA TOMMY ATKING cx 22 kg - 20 MANGOSTIN cx 1 kg - 30 MANJERICAO mç 200 g 3 MARACUJA AZEDO cx 11 kg - 25 40 MARACUJA DOCE cx 13 kg - 45 MARACUJA DOCE cx 3 kg - 25 MAXIXI cx 18 kg - 25 MELANCIA BABY cx 6 kg - 35 MELANCIA REDONDA kg - 0,55 0,48 0,6 MELAO TP-10 cx 13 kg - 22 - 33 MELAO TP-12 cx 13 kg - 20 MELAO TP-8 cx 13 kg - 23 - 33 MELAO ORANGE cx 6 kg - 11 MILHO VERDE sc c/50 espigas - 15 18 MIMOSA/MEXERICA MONTEN/BERGAM GRAUDA cx 22 kg - 44 MIMOSA/MEXERICA MONTEN/BERGAM MEDIA cx 22 kg - 34 MORANGO cx 1,5 kg - 12 MOYASHI (BROTO DE FEIJÃO) mç 500 g 2 NABO mç 3 kg 6 NECTARINA NACIONAL cx 10 kg - 25 NECTARINA NACIONAL cx 20 kg - 43 OVO BRANCO EXTRA cx c/ 30 dz - 50 - 60 OVO BRANCO GRANDE cx c/ 30 dz - 48 48 OVO BRANCO MEDIO cx c/ 30 dz - 46 OVO BRANCO PEQUENO cx c/ 30 dz - 44 OVO VERMELHO GRANDE cx c/ 30 dz - 51 50 OVO CODORNA cx c/ 50 dz - 36 PEPINO AODAI/SALADA EXTRA cx 22 kg - 12 PEPINO AODAI/SALADA EXTRA A cx 22 kg - 18 PEPINO AODAI/SALADA EXTRA AA cx 22 kg - 23 25 24 PEPINO JAPONES bj 500 g - 1,7 PEPINO JAPONES EXTRA cx 22 kg - 15 PEPINO JAPONES EXTRA A cx 22 kg - 25 PEPINO JAPONES EXTRA AA cx 22 kg - 28 PERA PACKS IMPORTADA cx 20 kg - 55 - 59 PERA WILLIAN IMPORTADA cx 18 kg - 81 58 PESSEGO cx 10 kg - 20 25 PESSEGO cx 22 kg - 47 PESSEGO IMPORTADO cx 10 kg - 40 PIMENTA CAMBUCI cx 12 kg - 18 PIMENTAO bj 500 g - 1,5 PIMENTAO VERDE EXTRA cx 12 kg 8 PIMENTAO VERDE EXTRA A cx 12 kg - 12 9 PIMENTAO VERDE EXTRA AA cx 12 kg - 15 - 20 PIMENTAO VERMELHO AMARELO cx 12 kg - 30 45 PIMENTAO VERMELHO EXTRA AA cx 12 kg - 30 40 PIMENTAO VERMELHO ROXO cx 12 kg - 30 PINHA (FRUTA DO CONDE) cx 3 kg - 22 QUIABO bj 300 g 1 QUIABO cx 12 kg - 25 30 RABANETE dz 12 kg - 18 RABANETE mç 1 kg - 1,5 1 1,5 RADITE mç 400 g - 1,5 REPOLHO ROXO eng 28 kg - 21 REPOLHO VERDE GRANDE eng 28 kg - 18 10 11 REPOLHO VERDE MEDIO eng 28 kg - 17 REPOLHO VERDE PEQUENO eng 28 kg - 16 RUCULA mç 300 g - 1,5 0,7 1 SALSA mç 300 g 3 0,5 SALSAO (Aipo) un 2 kg 5 TANGERINA MURKOTE GRAUDA cx 26 kg - 94 TANGERINA MURKOTE MEDIA cx 26 kg - 80 TOMATE ESPECIAL cx 23 kg - 38 TOMATE EXTRA cx 21 kg - 20 TOMATE EXTRA A cx 21 kg - 30 - 18 TOMATE EXTRA AA cx 21 kg - 38 - 29 TOMATE RASTEIRO cx 23 kg - 20 20 TOMATE CEREJA cx 3 kg 9 TOMATE LONGA V EXT AA PAULISTA cx 23 kg - 38 TOMATE LONGA VIDA cx 21 kg - 38 25 UVA BENITAKE NACIONAL cx 9 kg - 41 UVA BRASIL/CENTENIA NACIONAL cx 9 kg - 41 UVA ITALIA cx 8 kg - 37 UVA NIAGARA BRANCA cx 8 kg - 21 UVA NIAGARA ROSADA cx 8 kg - 23 22 UVA REDGLO IMPORTADA cx 9 kg - 88 UVA RUBI NACIONAL cx 8 kg - 37 UVA THOMPSON IMPORTADA cx 6 kg - 59 VAGEM EXTRA cx 16 kg - 10 VAGEM EXTRA A cx 16 kg - 15 VAGEM EXTRA AA cx 16 kg - 20 - 35

SECRETÁRIO DA AGRICULTURA NOMEIA NOVOS DIRETORES DA CLASPAR E CODAPAR O secretário da Agricultura e do Abastecimento Norberto Anacleto Ortigara empossou nesta quinta-feira (6) o engenheiro agrônomo Carlos Alberto Scotti na presidência da Empresa Paranaense de Classificação e o engenheiro agrônomo Silvestre Dimas Staniszewski na presidência da Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná. Segundo Ortigara, a diretoria que assume a Claspar tem a missão de dar uma nova feição para a empresa que ajude a agroindústria paranaense a competir no mercado. “A empresa tem que estar preparada para fazer chegar ao consumidor de qualquer parte do mundo produtos de qualidade produzidos no Paraná”, orientou o secretário. O presidente da Claspar anunciou que empresa irá propor ao produtor que faça a classificação de seus produtos. Segundo Scotti, a empresa tem enorme capacidade de treinamento e poderá capacitar o produtor a melhorar a qualidade e classificar sua própria produção. Para o presidente, a empresa tem capacidade instalada para fazer as análises dos produtos e em sua gestão, pretende aproximar o produtor desses serviços. Também assumiram na Claspar Osvaldo de Castro Ohlson na diretoria de Fiscalização e Inspeção; Jairo da Silva Rocha como diretor de administração e finanças e João Neto do Prado Souza como diretor técnico de classificação. O secretário Ortigara reconhece que a empresa é frágil financeiramente e por isso é dependente do governo. Recomendou à nova diretoria que encontre caminhos para se viabilizar financeiramente e para isso pediu que ouvisse as sugestões da sociedade e dos parceiros para promover as mudanças. “O desafio é tornar o serviço público mais eficiente do que é hoje”, sintetizou.

A Claspar é responsável pelos trabalhos de classificação de produtos de origem vegetal, análises e fiscalização da qualidade da importação e exportação e dos produtos agrícolas que são colocados no mercado interno para o consumidor. NOVOS VEÍCULOS - Durante a solenidade de posse, Scotti e o secretário Ortigara foram surpreendidos pelo anuncio da doação de 10 veículos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O anúncio foi feito pelo superintendente do Mapa no Paraná, Daniel Gonçalves Filho, justificando que está contribuindo para renovar a frota de veículos da Claspar, já que o ministério é o maior cliente da empresa. São 10 caminhonetes Ranger 4 x 4 que vão reforçar o trabalho de fiscalização da Claspar nos portos e aduanas, por onde passam os produtos importados e exportados pelo País. Gonçalves Filho frisou que está identificando a base legal para concretizar a doação. Esse trabalho de análise e fiscalização teria que ser feito pelo ministério da Agricultura, mas por força de convênio firmado com o governo do Paraná, é executado pela Claspar. CODAPAR - Na presidência da Codapar assumiu o engenheiro agrônomo Silvestre Dimas Staniszewski. Também assumiram Valter Hiroshi Yokoyama como diretor de Finanças, Sinval Tadeu Amaral como diretor técnico e Jair Vendrúsculo, como diretor de Planejamento. “A diretoria da Codapar terá como desafio ajudar a gestão no porto de Paranaguá”, disse Ortigara. A Codapar vai atuar no processo de embarque de grãos na área do conhecido “silão”, antecipou o secretário. Ortigara recomendou competência e ousadia para a nova diretoria para ajudar o produtor paranaense a ser mais competitivo. Edição: Odailson Elmar Spada


10-01-11