Page 1

Denúncia

Incentivo

Internet

Movimentos acusam governo de violação a direitos humanos

Ministra defende aprovação do projeto que institui o ProCultura

NACIONAL | A2

ParkShoppingBarigüi nas redes sociais

NACIONAL | A2

NEGÓCIOS | B4

CURITIBA, QUINTA-FEIRA, 07 DE ABRIL DE 2011 Ano XXXIV | Edição nº 8351 | R$ 1,50 | WWW.ICNEWS.COM.BR

Indústria &Comércio DIÁRIO. MAIS QUE NOTÍCIAS. INTELIGÊNCIA. CONHECIMENTO.

Jonas Oliveira

Fábio Campana Doático detona Pessuti Doático não poupou críticas ao ex-governador Orlando Pessuti. Tudo porque Pessuti foi procurá-lo para falar sobre a dissolução do diretório peemedebista.

Pedro W ashing ashingtt o n Voz que se levanta A oposição ao governo federal continua sem rumo. Facilitando assim o projeto do PT de completar 20 anos no poder. Projeto que todos os partidos que vencem uma eleição, municipal, estadual ou federal, alimentam, embora raros consigam, a não ser pela força.

O Paraná mantém a liderança nacional na produção de grãos, devendo colher 31,5 milhões de toneladas na safra de verão e de inverno

Paraná é o maior produtor de grãos do Brasil, avalia IBGE

Aroldo Murá

Estado deve colher 31,5 milhões de toneladas na safra de verão e de inverno

PEDRO PACIORNIK VAI GERENCIAR MARKETING NA CHINA E ASIA

O

Paraná mantém a liderança nacional na produção de grãos, devendo colher 31,5 milhões de toneladas na safra de verão e de inverno, o que corresponde a uma participação de 20,2% da produção brasileira. A avaliação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que está prevendo uma nova safra recorde de grãos para o País,

O curitibano Pedro Ferraz Paciornik vai gerenciar a área internacional de Marketing Estratégico da Volvo Internacional, em Beijing, com jurisdição sobre toda a Ásia. Ao contrário das OSCIPs apanhadas rapinando dinheiro público no Paraná, a Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas da UFPR é exemplo de "bem eficiente". Um pouco de sua história está na coluna, que prossegue enumerando o fechamento de jornais nas últimas cinco décadas.

da ordem de 155,6 milhões de toneladas. O número corresponde a um aumento de 4% em relação à safra anterior (2010), também recorde, que alcançou uma produção de 149,7 milhões de toneladas. GERAL | A5

CNI aponta que 69% das empresas têm dificuldade com falta de qualificação

PÁGINA A3

3ª margem Inverno da Luz Vermelha ganha uma sessão extra O Festival de Curitiba promove sessão extra de Inverno da Luz Vermelha, com a atriz curitibana Marjorie Estiano, e doará integralmente a renda da venda dos ingressos para a Escola Israelita Brasileira Salomão Guelmann.

De acordo com a Sondagem Especial – Trabalhador Qualificado, elaborada pela CNI, 78% das empresas para as quais falta trabalhador qualificado têm programas de capacitação como uma das formas de lidar com o problema.

PÁGINA B2

ECONOMIA | B1

EDITORIAL

PERIGO À VISTA Os nossos apetitosos altos juros atraem dinheiro do Exterior, além de seduzir as empresas a buscar empréstimos lá fora, onde os juros são bem mais palatáveis, não raro negativos. Este fato gera pelo menos dois efeitos: um o governo aplaude; ao outro o governo torce o nariz. O governo aplaude o barateamento das importações, que o ajuda na luta contra a inflação; o governo torce o nariz para o encarecimento das nossas exportações, que ficam menos competitivas na selva selvagem global. - O que fazer? - Depende do que queiramos, depende da nossa escolha. Se quisermos cobrir a cabeça os pés ficarão descobertos e vice versa. Nesta altura convém lembrar: o Brasil continua a liderar a corrida global da maior taxa de juro real (descontada a inflação): perto de 6% ao ano. A taxa básica do Banco Central, SELIC, está em 11,75%; a inflação estimada é em torno de 5% aa (mas já atingiu os fatais 6% no acumulado de 12 meses). - Por que os fatais 6%? - Porque segundo Armindo Fraga, ex-presidente do BC, com esta taxa nós certamente provocaremos uma volta à indexação ampla, geral e irrestrita. Os atores econômicos-financeiros tentarão se proteger da inflação via correção, correção que a estimulará! Já vimos este dramático filme. Repeti-lo, revivê-lo, não é propriamente nostálgico, é estúpido.

Municípios receberão R$ 25 mi para recuperação emergencial O Governo Federal vai repassar R$ 25 milhões para reconstrução das áreas atingidas pelas chuvas em municípios do Paraná. PÁGINA | B4

Os bancos e as empresas que pegarem dinheiro emprestado no exterior por menos de dois anos pagarão Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6%, anunciou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. É a terceira tentativa do governo para contar a queda da cotação do dólar em um semana. Mantega disse que a medida também afetará a oferta de crédito e punirá quem pega dinheiro emprestado no exterior para fazer especulação. “Hoje, as empresas costumam tomar empréstimos para prazo mais longo. Quem quer fazer arbitragem (aproveitar-se da diferença de juros entre o Brasil e os países desenvolvidos para trazer dólares) toma para prazos mais curtos. Além de reduzir fluxo de capital de dólares, estamos procurando diminuir oferta de crédito para a economia brasileira”.

Indicadores CÂMBIO MAIORES ALTAS

COTAÇÃO

MUNDIAL PFIZER MENDES JR COBRASMA PRO METALURG

1,79 33,25 54,00 0,17 0,34

SERGEN FAB C RENAUX TEX RENAUX TEKA B2W VAREJO

CENTRAL DE ATENDIMENTO: 41 3333.9800 CMYK

Governo aumenta IOF para conter cotação do dólar

5,00 0,55 0,51 1,13 1,15

MAIORES ALTAS TIM PART S/A CCR SA TIM PART S/A ULTRAPAR BRASIL

CIELO REDECARD COSAN LLX LOG P.ACUCAR-CBD

COTAÇÃO 8,55 49,00 7,23 28,09 29,80

13,58 23,40 25,80 5,04 66,72

E-MAIL: PAUTA@INDUSCOM.COM.BR

Moeda

Compra

Venda

Dólar turismo 1,5300

1,6700

Dólar comercial 1,6120

1,6140

Dólar paralelo 1,5900

1,7300

Euro

2,3124

2,3119

Ouro (Grama/R$): 186,90


Nacional

“O ódio tem melhor memória do que o amor." Honoré de Balzac

Indústria&Comércio | Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | A2

Previsão do tempo

AB Notícias

fonte: www.simepar.br

Mín.: 10° Máx.: 22°

abnoticias@abcom.com.br

A massa de ar frio mantém o tempo estável em todas as regiões paranaenses nesta quinta-feira. Na faixa leste, os ventos que sopram de sudeste transportam umidade do Oceano para o continente e como consequência ocorre o aumento da nebulosidade na Região Metropolitana de Curitiba, Serra do Mar, Litoral e Campos Gerais. Durante a noite, chuviscos intermitentes podem ser registrados entre a Serra do Mar e as praias.

Investimento no rebanho O município de Virmond, Centro-Sul do Estado, recebe apoio da Secretaria de Agricultura para desenvolver a produção de ovinos e caprinos. A Associação de Produtores Caprivir recebe 15 matrizes e seis reprodutores para multiplicar o rebanho e depois distribuir para os criadores. Com apoio da Emater e Iapar, os caprinocultores vão ter ainda acesso ao programa de melhoramento genético, garantindo a saúde do rebanho. A iniciativa vai beneficiar ainda cooperativas de Cascavel, Pato Branco e Londrina.

AGRICULTURA FAMILIAR

CRÍTICA

Para movimentos, governo viola direitos humanos Grupo vai denunciar o Estado e empresas ao Congresso Nacional Chávez fará em maio 1ª visita oficial ao Brasil no governo Dilma Renata Giraldi

Depois de quatro meses no governo, a presidenta Dilma Rousseff e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, terão reunião de trabalho em Brasília. Chávez confirmou sua visita ao Brasil para 10 de maio – uma terça-feira. Inicialmente, ele havia marcado para o último dia 28, mas os desencontros de agendas levaram ao adiamento da viagem. O objetivo é reforçar as parcerias e investimentos comuns, além da integração fronteiriça. No começo de fevereiro, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, esteve em Caracas quando conversou com o chanceler venezuelano, Nicolas Maduro. Patriota e Maduro definiram que o Brasil e a Venezuela deverão intensificar as parcerias nos setores de mineração e petróleo. Empresas dos dois países mantêm ligações, principalmente nos setores de mineração e construção civil. No ano passado, o comércio entre o Brasil e a Venezuela atingiu US$ 4,68 bilhões, com saldo positivo para o Brasil de mais de US$ 3 bilhões. Atualmente, o Brasil é o terceiro parceiro comercial da Venezuela. Durante a campanha presidencial brasileira, Chávez disse ser um admirador de Dilma. Após os resultados das eleições, o presidente venezuelano foi um dos primeiros a enviar mensagem à presidenta e postar recados na rede social Twitter.

Daniella Jinkings

U

m estudo divulgado nesta quartafeira (06/04) pelo Processo de Articulação e Diálogo (PAD) aponta que a criminalização dos movimentos sociais tem se acentuado nas duas últimas décadas. Além de assassinatos e ameaças, os defensores de direitos humanos também se tornaram alvos de ações criminais e policiais ilegais. Durante esta semana, uma delegação composta por líderes de movimentos sociais denunciarão ao Congresso Nacional e às embaixadas estrangeiras abusos praticados pelo Estado e pelas empresas transnacionais. Na Europa, outra delegação vai expor a parlamentares, organizações humanitárias e religiosas mundiais os problemas que enfrentam. A repressão brasileira aos movimentos sociais também será denunciada ao Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

“A atuação do Judiciário, de setores do Ministério Público, seja federal ou estadual, e de segmentos do Poder Legislativo representa uma face do Poder Público que desrespeita os direitos humanos e não coloca em prática a Constituição Brasileira”, diz o relatório. O estudo reúne as principais denúncias de violação dos direitos humanos contra os movimentos sociais, como a repressão às manifestações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a criminalização das atividades do Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) e o drama das pessoas atingidas pela construção de grandes hidrelétricas. O relatório também revela que o Estado brasileiro cria mecanismos para criminalizar essas organizações em favorecimento de interesses privados. De acordo com o coordenador do setor de movimentos sociais do PAD, Leonardo Maggi, grandes projetos dos setores mineral, energético e do agronegócio violam os direitos das populações atingi-

das e o meio ambiente, por estarem protegidas por um aparato legal que criminaliza quem ousa enfrentar esses projeto de desenvolvimento. “A ideia é discutir os impactos do atual modelo de desenvolvimento por meio de alguns casos emblemáticos relacionados a grandes projetos”. Maggi citou como exemplos os casos da monocultura de eucalipto para a fabricação de celulose e da repressão às organizações de luta pela terra no desafio da reforma agrária, “que é o oposto do projeto do agronegócio”, afirmou. Segundo ele, um dos maiores obstáculos é fazer com que os órgãos públicos entendam que a criminalização representa uma violação aos direitos humanos e uma ameaça à democracia. “Há muitos casos emblemáticos de violação e repressão tanto pelo Estado quanto por grandes companhias, principalmente transnacionais, contra movimentos sociais em geral. Esta semana, vamos conversar com embaixadores, parlamentares e ministros.”

INCENTIVO

Ministra defende aprovação do projeto que institui o ProCultura

Produtos da agroindústria familiar do Paraná vão estar expostos Mercosuper 2011 que acontece na Expotrade Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, nos dias 13 e 14. A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) fez uma parceria com a Secretaria da Agricultura para participar. Além disso, a intenção é ampliar a presença desses itens nas gôndolas dos supermercados, para aumentar a renda dos agricultores.

DESCOBERTA DA URBS Os vereadores da capital descobriram a URBS – Urbanização de Curitiba S/A. toda poderosa desde sua instalação, servindo a diversos prefeitos, querem, agora, criar uma comissão de inquérito. Vai ser difícil, pois a oposição há décadas é minoria na Casa. O estranho é que somente agora descobriu-se que ela é uma sociedade anônima e que, como tal, tem que ter acionistas, mesmo alguns com pouco capital. De qualquer maneira, que venha a CPI. E que o episódio dessa descoberta sirva para que os vereadores procurem saber como é constituída, de fato e em toda sua extensão, o poder da Prefeitura e seus penduricalhos.

TRADIÇÃO EM PÁGINAS A Folia de Reis é uma festa muito celebrada no interior do Brasil. O morador de Londrina Francisco Garbosi escreveu um livro sobre a tradicional festa. A obra “Histórias, Mensagens e Embaixadas de Folia de Reis: quem são os Magos?” será lançada amanhã, 7, no Shopping Catuaí. Garbosi trabalha com as atividades da Folia de Reis há 20 anos, revivendo a tradição que herdou dos pais.

MAIS CONHECIMENTO O município de Campo Mourão, Noroeste do Estado, está em fase final de construção da Biblioteca Cidadã. O local terá computadores de acesso a internet e diversas obras da literatura infantil, brasileira e clássica. O local contará com 183 metros quadrados destinados à cultura, contando com espaço para salão comunitário e de recreação, além das salas para os livros e computadores. A iniciativa beneficia também os artistas locais, que pintam o painel da entrada principal.

PRÊMIO EM CAFÉ O curitibano Felipe de Oliveira conquistou o título de Embaixador Brasileiro do Café, vencendo o Campeonato Brasileiro de Baristas, realizado em São Paulo. Recebeu também o bicampeonato do 4º Campeonato Brasileiro de Latte Art, uma das competições paralelas. Agora ele participa do campeonato mundial, o World Barista Championship, concorrendo ao título de Embaixador Mundial do Café. A etapa acontece no mês de junho em Bogotá, na Colômbia.

ATENÇÃO NO OESTE O município de Marechal Cândido Rondon investe no Programa de Interiorização Distrital, que vai atender a diversas reivindicações da comunidade. Os trabalhos serão realizados especialmente para a recuperação de estradas, podas e limpeza de áreas. As atividades serão intensas e iniciam pelos distritos de Novo Horizonte e Novo Três Passos. O objetivo é facilitar o acesso nesses locais.

Antonio Cruz/ABr

Ivan Richard

A ministra da Cultura, Ana de Hollanda (foto ao lado), defendeu nesta quarta-feira (06/04), na Comissão de Educação do Senado, a aprovação do projeto de lei que institui o Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (ProCultura). Em sua primeira visita ao Senado para falar sobre as diretrizes da pasta, a ministra afirmou que pretende manter os avanços da gestão anterior, mas também promover inovações em parceria com a sociedade. O ProCultura, de acordo com o ministério, visa a atu-

alizar a Lei Rouanet, desburocratizar o Fundo Nacional da Cultura (FNC), democratizar o acesso à produção do área e estimular o setor privado a investir na cadeia produtiva da cultura. Ana de Hollanda disse que a pasta está trabalhando para consolidar o Sistema Nacional de Cultura. “Estamos trabalhando em várias frentes para superar as dificuldades encontradas por esta gestão e a primeira delas tem a ver com a quitação dos convênios e editais dos anos anteriores. Decidimos que essa seria a prioridade número um do ministério”, disse a ministra. “Nosso compromisso é com a continuidade dos

EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976

avanços, mas também com as inovações pactuadas”, acrescentou. Segundo a ministra, entre outras prioridades da pasta, em tramitação no Congresso Nacional, estão a Lei do Circo e mudanças na política para o audiovisual.

Informe da Câmara Municipal de Curitiba Vereador destaca projetos que fortalecem o turismo “Promoção nacional e fortalecimento da imagem do Brasil, qualificação profissional, articulação de linhas de crédito para reforma e ampliação da capacidade do parque hoteleiro e investimentos em infraestrutura são algumas das ações desenvolvidas pelo governo federal para estruturar o turismo no Brasil.” O assunto é destacado pelo vereador Pedro Paulo (PT), presidente da Comissão Especial da Copa na Câmara de Curitiba. "O Brasil deve receber oito milhões de turistas estrangeiros no ano da Copa, o turismo interno também vai crescer e a qualificação da mão de obra hoteleira e a infraes-

trutura adequada são vitais para que tudo se realize com sucesso. Todo o investimento nesta área, em especial da qualificação dos trabalhadores do setor e a expansão hoteleira, deixará importante legado ao país e nossa cidade", comentou o vereador. De acordo com informações do Ministério do Turismo, foram aprovados até o momento projetos que somam U$ 1,48 bilhão em financiamentos e outros U$ 1,42 bilhão estão em análise pela Comissão de Financiamentos Externos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Cofiex/MPOG).

"Enquanto Deus nos dê um resto de alento, não há que desesperar-se da sorte do bem. A injustiça pode irritar-se porque é precária. A verdade não se impacienta porque é eterna. Quando praticamos uma ação boa, não sabemos se é para hoje ou para quando. O caso é que seus frutos podem ser tardios, mas são certos. Uns plantam a semente da couve para o prato de amanhã. Outros a semente do carvalho para o abrigo do futuro. Aqueles cavam para si mesmos. Estes lavram para seu país, para a felicidade dos seus descendentes e para o benefício do gênero humano." Ruy Barbosa Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Administração Irene Morva Martins (diretoria@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.


GeralEstadual Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | A3 | Indústria&Comércio

prpress@terra.com.br

aroldo@cienciaefe.org.br

Aroldo Murá G.Haygert

Panorama Político Pedro Washington

Voz que se levanta DE QUANDO O BEM É EFICIENTE, COMO NA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO HC

Samek: apoio seguro à Associação

‘O bem eficiente’ é expressão que tem sido usada para designar obras sociais de altos resultados. Incontestáveis. Tais como os que apresenta a Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas da UFPR, fundada há 24 anos, e que já foi presidida por alguns expressivos nomes do patriciado paranaense, como Euclides Scalco, Fernando Miranda, Jorge Samek e Maria Elisa Ferraz Paciornik. Ao contrário das OSCIPs como aquelas objeto de ações da Polícia Federal na terça-feira em Curitiba, profundamente comprometidas com a rapinagem do dinheiro público, a Associação do HC “tem só boas obras a expor”, diz Maria Elisa, que agora opera como superintendente da Associação, uma sociedade civil sem fins lucrativos.

fano e Heloisa Ulandowski foi além dos que se esperava de sua dedicação: conseguiu que o Estado doasse uma casa para abrigar o Centro de Endocrinologia Infantil, em que atuam Rômulo Sandrini e Luiz Lacerda Filho, duas autoridades na área. Esses são alguns dos muitos frutos da Associação, que não se queixa da falta de apoio de governos e iniciativa privada. Os recursos arrecadados, em doações e campanhas, assim como em emendas parlamentares, são geridos com “mão fechada”, à mineira, como Maria Elisa gosta. Ela hoje se alegra de ter a Associação o apoio amplo do reitor Zake Akel, o que nem sempre aconteceu com outros reitores.

NO HC, EXEMOPLO – 4 Pedro, um dos filhos de Maria Elisa, preside a Comissão do Berçário da UTI de Prematuros, que hoje leva o nome de seu irmão, “Felipe Ferraz Paciornik”. No momento ele é a grande boa preocupação de Maria Elisa: foi escolhido pela Volvo Internacional para Gerente de Estratégia de Marketing da Volvo na China, em Beijing, com jurisdição sobre toda a Ásia.

NO HC, EXEMPLO – 2

clientela ouvir:"Estes ricaços do Sudoeste Norte do Paraná compram quadro por metro quadrado..." Eu interferir na conversa que não era comigo: "Eles, de qualquer forma, estão sendo mecenas..."

JORNAIS FECHADOS - 3 Marcou época, por dezenas de anos,o Paraná Esportivo, comandado pelo comodoro Mugiatti. Tinha sede na André de Barros. E dentre os jornalistas especializados em futebol, e com grande acatamento no Paraná, por lá passaram João Silveira Filho (depois assessor de Comunicação de Saul Raiz) e Alaôr Ribeiro. O Jornal de Curitiba circulou de 1965 a 1967, propriedade de Roberto Barroso Filho. O secretário de Redação foi Ennio Malheiros, filho de outro jornalista paradigmático da história da imprensa do Paraná, Colbert Malheiros. Ennio chegou a ser secretário de Imprensa do Governo José Richa. O Diário Popular circulou de 1964 início do movimento ditatorial - até 2010. Propriedade de Abdo Aref Khudri, o jornal corresponde a um amplo ciclo de aliança às claras entre os jornais e os governos. Período de régias recompensas governamentais ao jornal foram garantido sua existência, de pouca expressão de conteúdo, ausência quase total em bancas mas forte em promoções tipo "os melhores" do ano. Abdo foi o comandante em chefe do Sindicato da Empresa de Jornais e Revistas do Paraná, entidade que ficou conhecida pelo beijão de políticos a Abdo, em busca de proteção. Muitas vezes garantida, é certo.

Dinorah Nogara: ex-presidente

Maria Elisa Ferraz Paciornik: alma da grande obra

Maria Elisa está na Associação desde o seu começo. Foram a dor e o sofrimento gerados pelo seu filhinho Felipe, nascido prematuro e com constantes paradas respiratórias – e magistralmente atendido na unidade da UTI de Prematuros do HC – que a levaram a envolver-se no projeto. Na verdade, ela e o marido (Jaime Pacionik, falecido), em gratidão pela dedicação do pessoal do HC começaram a fazer campanhas de doações de materiais essenciais para a instituição. “De uma vez, levamos três camionetes Belinda cheias de dádivas, incluindo equipos médicos”, lembra. E o casal fez em seguida uma corrente de amigos em torno do HC, sempre com muitas carências. Essa ação comunitária desembocaria em 1986 na Associação dos Amigos do HC.

NO HC, EXEMPLO – 3 São Tomás D’Aquino diz que na vida tudo é mensurável. O bem e o mal são mensuráveis. Mas no caso da Associação, o que ela gerou de resultados para o maior hospital do Paraná, centro de referência em especialidades no país, e hospital-escola, essa verdade é difícil de mensurar. A ação da comunidade organizada, fazendo trabalho suplementar ao do poder público, pode ser exemplificado em dois “cases” próximos: Lúcia Durães bancou o Centro de Neurologia Pediátrica do HC, provendolhe espaço digno e equipamento essencial; o casal de advogados Este-

A outra é a sucessão na presidência da Associação, posição vaga quando Dinorah Nogara assumiu uma Secretaria da Prefeitura. Um nome forte é José Toaldo Filho, da FIEP. Esse um rápido perfil de gente e obras que são construtores do Paraná, formando alianças comunitárias, ao contr[ário das tradicionais rapinagens de dinheiro público.

AMPLIANDO A LISTA DOS JORNAIS FECHADOS Os colaboradores da coluna são muitos, fontes que se envolvem com as realidades aqui enfocadas. Walter Schmidt, escritor, professor universitário e jornalista , envia uma relação de jornais que foram fechando nos últimos trinta anos em Curitiba. A ela acrescento meus comentários. Começa pelo A Tarde, que teve com diretor Protásio da Carvalho. No final dos 1950, por lá passaram Emílio Zola Florenzano e Dino Almeida, este lançando-se como colunista social, depois fazendo-se o jornalista como maior trânsito no chamado "velho Paraná" e os emergentes que chegavam à Capital movidos pelo dinheiro do café e o despertar do Sudoeste.

JORNAIS FECHADOS - 2 A Tarde funciona na Rua XV. Já em meados de 1960, Dino estava consolidado no Diário do Paraná. Parte do público preferencial de Dino, queixavase - como alguns fizeram a mim -, que o jornalista estaria "abrindo espaço demais para os meramente endinheirados". Da era assunto em qualquer roda: um dia, numa galeria de arte que funcionava na Senador Alencar Guimarães, uma madame protestava para a

JORNAIS FECHADOS - 4 Folha de Curitiba, com redação e oficinas na Rua João Negrão, funcionou de 1983 a 85, sob a direção de seu dono, Bento Benelli, político muito controvertido de Rio Branco do Sul e com muitos contenciosos judiciais. Na verdade, o jornal pretendia suceder o Diário do Paraná, da cadeia Associada, de Assis Chateaubriand. Havia uma grande expectativa em torno do valioso arquivo fotográfico herdado do DP, cujo destino é um mistério até hoje. Mesmo assim, o jornal teve jornalistas de ótimo nível a dirigi-lo, como Walter Schmidt, Renato Lima Torres e Mussa José Assis. A edição paranaense de Última Hora, jornal nacional de Samuel Wainer, durou de 1961 a 1964. A importância dessa escola UH na formação da moderna imprensa do Paraná merecerá um capítulo à parte, oportunamente; Primeira Hora foi vespertino da Gazeta do Povo, tendo circulado nos anos 2000 a 2001; na linha dos mensários, houve a Folha do Comércio, da Associação Comercial. Um dos secretários de Redação foi Walter Schmidt. Faço questão de registrar a existência até o final dos 1970s de Lud, jornal em polonês, editado pelos padres da Congregação da Missão (província polonesa), na Gráfica Vicentina. Com a diminuição dos leitores em polonês, o jornal encerrou um capítulo da imprensa de etnias em que também registro a presença de O Lavrador, da comunidade ucraniana, todo em alfabeto ciríliaco. Voltarei ao assunto, abordando, além de jornais desaparecidos, também as revistas que marcaram na vida paranaense das últimas cinco décadas.

A oposição ao governo federal continua sem rumo. Facilitando assim o projeto do PT de completar 20 anos no poder. Projeto que todos os partidos que vencem uma eleição, municipal, estadual ou federal, alimentam, embora raros consigam, a não ser pela força. A vida do ex-presidente Lula, como dito ontem aqui foi facilitada pelos partidos que lhe fizeram oposição. Por conta dessa condescendência dos adversários e de R$ 8 bi em verbas publicitárias, calando a boca das principais redes de comunicação do país (parte desse dinheiro entregue às empresas de Marcus Valério - valerioduto do mensalão – quantos outros dutos terão existido?), o ex-presidente escapou de uma pressão como a que o PT conduziu contra Collor de Melo, culminando com sua cassação. O mesmo acontece agora. A reunião dos líderes do PSDB culminou com a preocupação dos governadores do partido em não bater de frente com Dilma. O do Paraná, Beto Richa, por exemplo, inaugurou uma nova fase de relacionamento produtivo com a presidente (ela gosta de ser chamada de Presidenta). No mesmo nível do que manteve com Lula quando (Beto) prefeito curitibano. Situações típicas de um país que não é uma Confederação, em que os estados têm muita autonomia, como nas melhores democracias do mundo. Aqui, com as verbas centralizadas em Brasília, “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Não estranha que as maiores críticas da reunião do PSDB tenham partido do senador mineiro Aécio Neves, hoje no Senado, muito mais independente do que quando governador, dependente da boa vontade de Lula. Fica mais uma vez escancarada a debilidade da democracia praticada neste canto chuvoso do Universo. Cabendo o apelo para pessoas que se preocupam com a política: aproveitem a oportunidade para mandar sugestões, via Associação Comercial de sua região, para a reforma política que se encaminha.

Nova fase As declarações de Beto, pós reunião com a presidente Dilma, sinalizam para o que faltou nos períodos anteriores: diálogo. Entusiasmado com a receptividade da presidente às reivindicações do Paraná, inclusive as relativas ao Porto de Paranaguá, que tantas confusões viveu no período em que foi administrado por um psicólogo.

Obras desejadas A depender do entusiasmo do governador Beto Richa, saem com apoio federal não apenas a dragagem do Canal da Galheta e a construção do novo cais que de há muito teria sido feita não fora a intransigência de Requião, mas também outras reivindicações, entre as quais a importante extensão ferroviária CascavelMato Grosso do Sul.

Caminho das pedras Igualmente a ligação Ferroeste com as linhas que demandam o Porto de Paranaguá, outro foco de desentendimento entre o governador anterior e o então poderoso ministro do Planejamento (hoje da Comunicação) Paulo Bernardo, pode ter andamento. Como dito acima, o bom senso ensina que, “se não se pode com o diabo (no caso quem detém as verbas e as distribui como quer), faz-se dele compadre”. É o caminho das pedras!

Slogan oportuno O slogan é de 1962. Prefeito curitibano Ivo Arzua: “Mais ação e menos conversa”. Vem aí mais um representante do Ministério dos Esportes, Joel Benin, para discutir com o secretário regional, Mário Celso Cunha, e o municipal, vereador Pedro Paulo, o andamento das obras para a Copa das Confederações (2013) e do Mundo (2014). A preocupação com atrasos, denunciada pelo presidente da Fifa, batendo de frente com Ricardo Teixeira da CBF (eleições da Fifa em junho), tem razão de ser. Atraso em obras é sinônimo de corrupção no Brasil.

Em choque Do senador Aécio Neves na reunião do PSDB, criticando a formação de uma Secretaria das Micro e Pequenas Empresas (com status de Ministério) a ser ocupada por um pessebista (PSB) da base, derrotado eleitoralmente: “Essas empresas precisam de apoio não de mais uma estrutura burocrática”.

Orçamento Curitibano começa a ser discutido com a população

Richa e Dilma discutem investimentos no PR O governador Beto Richa teve uma reunião reservada nesta ontem com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, em Brasília. De acordo com Richa, boa parte da conversa se concentrou no tema de combate ao crime organizado e à violência, principalmente na fronteira. A presidente se comprometeu a implantar um projeto piloto na região de Foz do Iguaçu, que vai envolver as forças de segurança pública do Paraná e do Mato Grosso do Sul e as Forças Armadas e o uso do Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant) para patrulhamento da região.

A presidente disse que nos próximos dias o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, estará de volta ao Paraná para dar sequência à implantação do primeiro GGI do Estado, que funcionará em Foz do Iguaçu para coordenar operações nas fronteiras com o Paraguai e Argentina. Richa também pediu apoio da União

para acabar com a superpopulação nas delegacias e cadeias do Estado. A presidente garantiu que o governo federal também pode ajudar o Estado a desenvolver os projetos de dragagem e ampliação do cais do terminal de Paranaguá. O governador agradeceu a atenção da presidente no rá-

pido encaminhamento para a contratação do estudo de viabilidade técnica e econônomica para a extensão da Ferroeste de Cascavel a Maracaju (MS) e no apoio para recuperação do Litoral do Estado. "Já temos R$ 25 milhões garantidos", disse Richa. Outro tema debatido na reunião entre Richa e Dilma foi habitação.

O orçamento de Curitiba para 2012 começa a ser discutido e planejado na próxima semana. Nos dias 12, 13 e 14 de abril serão feitas consultas públicas para a elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012. As reuniões serão feitas nas nove Regionais da cidade. Moradores, comerciantes e líderes comunitários poderão sugerir obras que consideram importantes para a região onde vivem. A LDO definirá as prioridades de investimentos da Prefeitura

para o próximo ano. "Ninguém conhece mais a cidade que o próprio cidadão. A população aponta as necessidades e a Prefeitura inclui no orçamento para fazer as ações", diz o prefeito Luciano Ducci. As consultas públicas serão sempre das 19h às 21h.Audiências - Na terçafeira (12), as discussões serão feitas nas regionais do Boqueirão, Matriz e Boa Vista. Na quarta-feira (13) será a vez dos moradores do Pinheirinho, CIC e Bairro Novo fazerem sugestões para o Orçamento 2012.


PublicidadeLegal Indústria&Comércio | Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | B2

ANACONDA INDUSTRIAL E AGRÍCOLA DE CEREAIS S.A. CNPJ/MF nº 60.728.029/0001-16 – Companhia Fechada

RELATÓRIO DA DIRETORIA Aos Senhores acionistas e demais interessados Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, temos o prazer de submeter à apreciação de V.S.as, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício findadas em 31 de dezembro de 2010, acompanhadas das respectivas Notas Explicativas e Parecer dos Auditores Independentes.

• Aquisição de novo software de gestão ERP(SAP); Mensagem da Administração A Anaconda apresentou resultado expressivo em 2010, com a combinação de crescimento das vendas e aumento de margens. Como resultado houve crescimento de 7,7 % da receita líquida consolidada, alcançando a marca de R$ 380,3 milhões. Devido às melhorias operacionais, houve também o ganho de margem EBITDA, que atingiu um valor de R$ 95,5 milhões, valor 29,9 % superior ao mesmo período de 2009. O lucro líquido no valor de R$ 60,9 milhões foi 37,9 % maior que o resultado do mesmo período de 2009.

Destaques no ano de 2010 • Crescimento de 7,7 % na Receita líquida de vendas; • Lucro operacional bruto 38,2 % superior; • Crescimento de 29,9 % no EBITDA;

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em Milhares de Reais) Ativo Circulante Disponibilidades Contas a receber – Clientes Estoques Impostos a recuperar Despesas antecipadas Ativo disponível para venda Outras contas a receber Não Circulante Realizável a Longo Prazo Créditos com empresas ligadas Depósitos judiciais Títulos a receber Incentivos fiscais Impostos a recuperar Permanente Investimentos Imobilizado Intangível Total do Ativo

2010

2009

64.086 31.528 62.918 14.338 497 1.060 299 174.726

51.586 25.540 53.886 12.289 374 – 299 143.973

– 850 376 92 808

14 379 400 39 713

4.075 56.168 296 62.665 237.392

1.232 49.607 241 52.625 196.598

Passivo Circulante Fornecedores Obrigações sociais e trabalhistas Obrigações tributárias Obrigações c/ acionista Outras obrigações

2010

2009

2.644 2.705 15.453 10.000 2.204 33.007

4.104 2.849 4.459 1.887 740 14.040

Não Circulante Obrigações tributárias Provisão para contingências (-) Depósitos judiciais

112 1.279 (1.279) 112

Patrimônio Líquido Capital social Reserva legal Reserva de retenção de lucros Lucros acumulados Total do Passivo

206 1.279 (1.279) 207

50.626 10.125 93.248 50.274 204.273

40.000 8.000 93.248 41.104 182.351

237.392

196.598

EBITDA 2010 2009 Receita Líquida 380.354 352.966 Lucro Líquido = 60.958 44.185 Receita (despesa) financeira líquida 1.861 6.359 Depreciações 6.215 5.160 Imposto de Renda e Contribuição 26.534 17.821 Total EBITDA 95.568 73.525 % EBTIDA s/ Receita Líquida 25,1% 20,8% Agradecimento: Agradecemos o apoio e a participação dos Srs. acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores, órgãos governamentais e da comunidade financeira nos resultados até então alcançados. A Diretoria

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em Milhares de Reais, exceto o lucro líquido por ação) Receita Líquida de vendas Custo dos Produtos Vendidos Lucro Bruto Receitas (Despesas) Operacionais Vendas Administrativas Outras despesas operacionais líquidas Resultado Operac. antes dos Efeitos Financeiros Resultado financeiro líquido Lucro antes do imposto de renda e contribuição social Imposto de renda da pessoa jurídica Contribuição social sobre o lucro Lucro Líquido do Exercício Lucro Líquido do exercício por Ação

Saldos em 31 de dezembro de 2008 Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Distribuição de dividendos Juros s/ Capital Próprio Saldos em 31 de dezembro de 2009 Aumento de capital por incorporação conf. AGE de 03 de maio de 2010 Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Reserva Legal Distribuição de dividendos Juros s/ Capital Próprio Saldos em 31 de dezembro de 2010

Reservas de lucros Retenção de Lucros 94.572 –

– – 40.000

– – 8.000

10.626 –

– –

– –

– – – 50.626

2.125 – – 10.125

– – – 93.248

Lucros Acumulados 40.284 44.185

(1.324) – 93.248

Total 182.856 44.185

(33.515) (9.850) 41.104

(34.839) (9.850) 182.351

– 60.958

10.626 60.958

(2.125) (39.332) (10.330) 50.274

– (39.332) (10.330) 204.273

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 1. Contexto Operacional – A Sociedade tem por objeto a cultura de trigo, sua industrialização e comercialização, bem assim dos demais cereais e seus derivados, tais como farinhas em geral, gérmen de trigo, farelo de trigo, misturas prontas, a fabricação e comercialização de produtos alimentícios em geral para consumo humano, bem como, podendo, ademais, dedicar-se à importação e exportação dos produtos que se relacionem com seu objeto. Em Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária realizada em 7 de abril de 2010, foi aprovada a alteração do objeto social da Sociedade, com a retirada das operações de industrialização de massas alimentícias, bem como as atividades de agropecuária e indústria extrativa de madeira. Essas atividades não vinham sendo praticadas pela Companhia desde o exercício de 2001, motivo pelo qual a demonstração do resultado do exercício de 2010 não apresenta resultado com operações descontinuadas, conforme determina o Pronunciamento Técnico CPC 31. 2. Apresentação das Demonstrações Contábeis – As Demonstrações Contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que incluem a observância das disposições da Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/76) – considerando as alterações introduzidas pela Lei nº11.638/07 e Lei 11.941/09 e dos pronunciamentos técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. A elaboração da DVA – Demonstração do Valor Adicionado, não é exigida à empresa pela legislação vigente. A Companhia não elaborou essa demonstração. 3. Principais Práticas Contábeis – As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia são: a) Apuração do resultado: O resultado é apurado pelo regime de competência, sendo observado o princípio da realização da receita e de confrontação das despesas. b) Aplicações financeiras: As aplicações financeiras estão demonstradas ao custo, acrescidos dos rendimentos auferidos até a data das demonstrações contábeis, não excedendo os seus respectivos valores de mercado. c) Provisão para créditos de liquidação duvidosa: Constituída em montante considerado suficiente pela Administração para cobrir perdas estimadas na realização de créditos a receber. d) Estoques: Os estoques foram avaliados pelo custo médio de aquisição ou produção, ao qual não excede ao valor de mercado. e) Ativo não circulante – investimentos – imobilizado – intangível: Investimentos (Propriedade para investimentos): Referem-se a terrenos registrados pelo custo de aquisição. Imobilizado: Registrado pelo custo de aquisição e instalação deduzida da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear, às taxas que levam em consideração a vida útil econômica dos bens (Nota 9). Intangível: Refere-se aos bens e direitos incorpóreos destinados à manutenção da sociedade. f) Ativo circulante e não circulante: Os demais ativos são apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos, as variações monetárias auferidas e a provisão para perdas. g) Imposto de renda e contribuição social: Apurados com base no lucro real, determinados de acordo com a legislação em vigor. h) Passivo circulante: São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e variações monetárias incorridos. i) Uso de estimativas: Ativos e passivos significativos sujeitos a essa estimativa e premissas incluem a análise de recuperação dos valores dos ativos imobilizados e intangíveis, a provisão para contingências. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. A Companhia revisa as estimativas e premissas pelo menos anualmente. 4. Disponibilidades 2010 2009 Caixa 38 32 Bancos conta movimento 514 463 553 495 Aplicações Financeiras 63.533 51.091 64.086 51.586 5. Clientes 2010 2009 Duplicatas a receber 37.011 30.111 Cheques em cobrança 728 738 Outros títulos a receber 23 681 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (6.234) (5.990) 25.540 31.528 6. Estoques 2010 2009 Produto acabado 1.395 2.268 Matéria Prima 51.712 45.079 Produtos em elaboração 1.176 1.304 Almoxarifado 4.363 4.321 Adiantamentos a fornecedores 4.272 913 53.886 62.918 7. Impostos a Recuperar

ICMS a compensar ICMS sobre ativo fixo IRPJ/CSLL PIS a compensar COFINS a compensar

2010 Ativo Realizável a circulante longo prazo 78 – 294 651 – – 2.495 (a) 28 11.471 (a) 129 808 14.338

Ativo circulante – 958 2.033 1.658 7.639 12.289

2009 Realizável a longo prazo – 432 – 50 231 713

(a) Em 31 de dezembro de 2010 a empresa possuia créditos de impostos a compensar relativos ao sistema de apuração não cumulativo do PIS e da COFINS. Esses créditos vem se acumulando conforme estabelece principalmente a Lei 10.925 de 2004. A Lei garante a tributação à alíquota zero até 31/12/2011. Em janeiro de 2012 se iniciará a compensação dos referidos créditos, desde que, a alíquota zero para Pis e Cofins em farinhas e derivados não continuem a vigorar atráves de uma nova Lei. 8. Investimentos – O saldos se referem a imóveis transferidos da conta do ativo imobilizado por não estarem sendo utilizados nas atividades operacionais da Companhia. Não há por parte da administração a intenção de vendê-los. 9. Imobilizado Taxa anual depreciação 2010 2009 Terrenos – 7.298 9.612 Edificios e construções 4% 27.157 13.208 Instalações 10% 1.523 1.439 Máquinas e equipamentos 10% 73.241 71.260 Móveis e utensilios 10% 1.300 1.195 Veículos 20% 1.790 1.886 Ferramental 10% 319 340 Equipamentos de informática 20% 1.900 1.520 Benfeitorias 4% 213 1.981 Obras em andamento – 5.471 3.838 – 120.212 106.280 (-) Depreciação acumulada – (64.044) (56.673) – 56.168 49.607 10. Intangível Taxa anual depreciação 2010 2009 Softwares 20% 490 372 Marcas e Patentes – 53 53 Direitos de uso – 63 63 – 607 489 (-) Depreciação acumulada – (310) (247) 296 241 – 11. Fornecedores 2010 2009 Fornecedores de trigo 526 859 Fornecedores de embalagens e componentes 579 1.485 Fornecedores de materiais e serviços 1.539 1.761 2.644 4.104 12. Obrigações Sociais e Trabalhistas 2010 2009 INSS a recolher 306 418 FGTS a recolher 171 144 Provisão de férias e encargos sociais 2.227 2.269 Outras obrigações 1 18 2.705 2.849 13. Obrigações Tributárias 2010 2009 Passivo Exigível Passivo Exigível circua longo circu- a longo lante prazo lante prazo ICMS a recolher 1.034 112 434 207 Imposto de renda retido a recolher 1.979 – 579 – Imposto de renda pessoa jurídica 10.311 – 3.273 – Contribuição social sobre o lucro 1.990 – – – PIS a recolher 4 – – – COFINS a recolher 17 – – – Outros impostos a recolher 119 – 173 – 112 4.459 207 15.453 14. Patrimônio Líquido – a) Capital Social: O Capital Social totalmente integralizado, por sócios domiciliados no país é de R$ 50.625.520 dividido em 50.625.520 ações nominativas no valor de R$ 1,00 cada uma, sendo 25.312.760 ações ordinárias e 25.312.760 ações preferenciais. Em 03 de maio de 2010, foi procedida a incorporação da empresa Grumar S/A – Participações e Administração que resultou em um aumento de capital no valor de R$ 10.625.520 conforme determinado em AGE. b) Dividendos: Aos acionistas é garantido dividendo mínimo de 25% (vinte e cinco) do lucro líquido apurado na forma da lei vigente. c) Reserva Legal: Constituída conforme previsto no artigo 193 da Lei das S.A.. d) Reserva de Retenção de Lucros: Reserva constituída com base nos lucros auferidos em exercícios anteriores e não distribuídos aos acionistas, cuja destinação será decidida pelos próprios acionistas em Assembléia Geral. 15. Seguros – A Companhia mantém cobertura de seguros, considerando a natureza da sua atividade e os riscos envolvidos nas suas operações. As premissas de riscos adotadas, pelos consultores de seguros, dada a sua natureza, não foram examinadas pelos nossos auditores independentes por não fazerem parte do escopo de auditoria das demonstrações contábeis. 16. Instrumentos Financeiros – A Companhia não executou transações envolvendo instrumentos financeiros complexos (derivativos). 17. Contingências 2010 2009 Processos trabalhistas 1.163 1.163 Processos fiscais 116 116 1.279 1.279 (-) Depósitos judiciais (1.279) (1.279)

Luiz Martins – Presidente Maria dos Anjos Martins Dias – Vice-Presidente Maria Lúcia Martins Calheiros Ferreira – Conselheira

Fundos Gerados das Operações Lucro do exercício Ajustes para conciliar o lucro do exercício com os fundos gerados ou aplicados às operações: Depreciações Variações de Ativos e Passivos Operacionais Redução (aumento) de clientes Redução (aumento) dos estoques Redução (aumento) de impostos a recuperar Redução (aumento) de despesas antecipadas Redução (aumento) de outras contas a receber Redução (aumento) de ativo disponível para venda Redução (aumento) das contas do realizável a longo prazo Aumento (redução) de fornecedores Aumento (redução) de obrig. sociais e trabalhistas Aumento (redução) de obrigações tributárias Aumento (redução) de obrigações c/ acionista Aumento (redução) de outras obrigações Aumento (redução) das contas do exig. a longo prazo Recursos líquidos provenientes das atividades operacionais Atividades de Investimento Adições ao ativo imobilizado Baixa do ativo imobilizado Incorporação ativo imobilizado Grumar Recursos líquidos aplicados nas atividades de investimentos Atividades de Financiamento Aumento de capital com incorporação Grumar Distribuição de dividendos Pagamento de Juros s/ Capital Próprio Recursos líquidos aplicados nas atividades de financiamentos Aumento (redução) do caixa e equivalente de caixa Caixa e equivalente de caixa no início do exercício Caixa e equivalente de caixa no final do exercício Aumento (redução) do caixa e equivalente de caixa

Membros Suplentes: Angela Martins Guido Rios – Suplente Maria Paula Martins Dias França Pinto – Suplente Luis Alexandre Martins Calheiros Ferreira – Suplente

(30.327) (13.680) 3.422 (40.585) 55.647 6.359 62.006 (12.995) (4.826) 44.185 1,10462

2010 60.958

2009 44.185

6.215

5.160

(5.988) (9.032) (2.049) (123) – (1.060) (581) (1.460) (144) 10.994 8.113 1.464 (95) 67.212

1.696 11.330 (8.009) (247) 139 – (876) (6.825) 376 (6.586) (6.789) 17 207 33.777

(9.444) 2.014 (8.246) (15.676)

(9.608) – – (9.608)

10.626 (39.332) (10.330) (39.036) 12.500 51.586 64.086 12.500

– (34.839) (9.850) (44.689) (20.520) 72.105 51.586 (20.520)

A Companhia vem discutindo determinados processos, tanto na esfera administrativa como na esfera judicial, os quais, quando aplicável, estão amparados por depósitos judiciais. Nesse exercício, a Administração, com base na opinião de seus assessores jurídicos, constituiu provisão para contingências, e entende que é suficiente para cobrir eventuais desembolsos financeiros decorrentes dessas questões judiciais. Parte dos processos foi avaliada pelos assessores jurídicos como sendo de risco possível, não provisionado tendo em vista que as práticas contábeis adotados no Brasil não requerem sua contabilização (se relevantes precisam constar em nota explicativa). Os depósitos judiciais foram reclassificados em 2010 e estão sendo apresentados deduzindo o valor do passivo conforme estabelecido pela norma contábil que trata das Provisões, Passivos, Contingências Passivas e Ativas. 18. Eventos Subsequentes – Em Assembléia Geral Extraordinária realizada em 27 de janeiro de 2011, foi deliberado e aprovado “Protocolo e Instrumento de Justificação de Cisão Parcial da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. com incorporação da Parcela Cindida do seu Patrimônio Líquido pela Caravelas Negócios Imobiliários S.A.” Em razão da cisão parcial da Sociedade e da incorporação do acervo líquido cindido da Sociedade na Caravelas, foi aprovado a redução do capital social da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. no valor de R$ 4.383 mil, passando o capital de R$ 50.626 mil para R$ 46.243 mil, sem cancelamento de ações e com redução do valor patrimonial das ações, alterando-se, por conseqüência, o Art. 5º do Estatuto Social, que passou a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 5º – O capital social é de R$ 46.243 mil, dividido em 50.625.520 ações, na forma nominativa, sem valor nominal, sendo 25.312.760 ordinárias e 25.312.760 preferenciais. O acervo líquido cindido está composto da seguinte forma: Data Base: 28/12/2010 Valor Reais (Mil) Parte Acervo RemaAtivo Contábil Cindido nescente Circulante 204.120 – 204.120 Não Circulante 64.034 4.383 59.651 Realizável a Longo Prazo 1.865 – 1.865 Permanente 62.169 4.383 57.786 Investimentos 5.135 1.060 4.075 Investimento Remanescente 4.075 – 4.075 Investimento Cindido: 1.060 1.060 – Imobilizado 56.732 3.323 53.409 Imobilizado Remanescente 53.409 – 53.409 Imobilizado Cindido: 3.323 3.323 – Um terreno e benfeit., DP, matrícula 3933 623 623 – Um terreno de campo e mato, PR, matrícula 58221 1.616 1.616 – Uma área de terras, PR, matrícula 58813 484 484 – Uma àrea de Posse, PR 60 60 – Uma àrea de terras rurais, PR, matríc. 34561 340 340 – Um terreno de campo, PRm matríc. 38686 200 200 – Intangível 302 – 302 4.383 263.771 Total do Ativo 268.154 Passivo 268.154 – 263.771 Circulante 38.789 – 38.789 Não Circulante 207 – 207 Patrimônio Líquido 229.158 4.383 224.775 4.383 263.771 Total do Passivo 268.154 Em função da cisão ocorrida em 27 de janeiro de 2011, o saldo de investimento cindido de R$ 1.060 mil, referente à imóvel recebido em processo de incorporação da empresa Grumar em 03 de maio de 2010, foi reclassificado no balanço em 31 de dezembro de 2010, da conta de propriedade para investimentos, para o grupo do ativo circulante, como “ativo disponível para venda”.

DIRETORIA EXECUTIVA

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Membros Efetivos:

(33.551) (15.642) 1.853 (47.340) 85.631 1.861 87.492 (19.542) (6.992) 60.958 1,20409

(Em Milhares de Reais)

(Em Milhares de Reais) Legal 8.000 –

2009 352.966 (256.734) 96.232

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO 2010

Capital social 40.000 –

2010 380.354 (247.383) 132.971

José Honório Gonçalves de Tófoli – Diretor Presidente Alvarino dos Santos Gouveia – Diretor Comercial e de Marketing José Valentin Mininel – Diretor Finanças e Controles Valnei Vargas Origuela – Diretor Técnico Industrial

CONTADOR Eduardo Ferreira Santos CRC 1SP 241.906/O-1

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Administradores e Acionistas da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. São Paulo-SP Examinamos as demonstrações financeiras da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A., que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2010 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras: A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelo auditor e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos

selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgação apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria incluí, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Base para opinião com ressalva sobre as demonstrações financeiras: Em 31 de dezembro de 2010, o saldo das reservas de lucros no montante de R$ 93.248 Mil (R$ 93.248 Mil em 2009) apresentado no patrimônio líquido do balanço patrimonial, excede o valor do capital social da sociedade em 42.622 mil (R$ 53.248 mil em 2009). Até a data deste parecer, a Administração da Sociedade não havia deliberado sobre a destinação do valor do excesso dessas reservas em relação ao capital social, “ad-referendum” da Assembléia Geral Ordinária dos Acionistas, conforme estabelece a legislação societária brasileira. Até a

data deste parecer, a Administração da Sociedade não havia deliberado sobre a destinação da conta lucros acumulados, no montante de R$ 50.274 mil (R$ 41.104 em 2009), “ad-referendum” da Assembléia Geral Ordinária dos Acionistas, conforme estabelece a legislação societária brasileira. Opinião com ressalva sobre as demonstrações financeiras: Em nossa opinião, exceto quanto aos possíveis ajustes que possam advir dos assuntos mencionados no parágrafo Base para opinião com ressalva, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. em 31 de dezembro de 2010, o desempenho de suas operações e os fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Outros Assuntos: Auditoria dos valores correspondentes ao exercício anterior. Os valores correspondentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, apresentados para fins de comparação, foram por nós auditados de acordo com as normas de auditoria vigentes por ocasião da emissão do relatório em 26 de fevereiro de 2010, que conteve ressalva quanto aos assuntos mencionados no parágrafo Base para ressalva. São Paulo, 04 de abril de 2011. Boucinhas, Campos & Conti Luís Carlos Gruenfeld Auditores Independentes S/S Contador CRC.SP 5.528 CRC 1SP 215.726/O-0

Publicado aviso de habilitação do Plano de Outorgas de Radcom O Ministério das Comunicações (MiniCom) publicou nesta quarta-feira (6), no Diário Oficial da União (DOU), o primeiro aviso de habilitação de rádios comunitárias do Plano Nacional de Outorgas, lançado em março. O aviso está na Seção 3 do DOU, página 92.

Nos próximos 45 dias, associações comunitárias sediadas nos 51 municípios da lista que tenham interesse em montar uma rádio comunitária podem enviar a documentação necessária para a Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica. A taxa de inscrição é de R$ 20.

Das 51 cidades nesta primeira lista 10 são do Paraná. São elas: Barbosa Ferraz, Bela Vista do Paraíso, Centenário do Sul, Engenheiro Beltrão, Guamiranga, Jussara, Porecatu, Santa Isabel do Ivaí, São José da Boa Vista e Teixeira Soares. Nos próximos meses serão con-

templadas mais 30 cidades paranaenses. Em junho, será divulgado o terceiro aviso, com uma lista que inclui as seguintes cidades paranaenses: Conselheiro Mairinck, Doutor Camargo, Nova Esperança do Sudoeste e São Jorge do Patrocínio. Em agosto sai o aviso sete, com as

seguintes cidades do Paraná: Alto Paraíso, Rancho Alegre D’Oeste, Campo Mourão e Coronel Vivida. Em outubro será divulgado o aviso nove, com as cidades paranaenses de Adrianópolis, Barracão, Bocaiúva do Sul, Bom Sucesso, Chopinzinho, Fernandes Pinheiro, Floresta,

Guaraqueçaba, Itambé, Jesuítas, Nova Cantu, Nova Fátima, Pinhalão, Rondon, Santa Maria do Oeste, Santa Tereza do Oeste, Tunas do Paraná, Vitorino, Wenceslau Braz e Xambrê. E, no aviso 11, a ser publicado em novembro, serão contempladas, do Paraná, Maripá, Perobal,


Geral Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | A5 | Indústria&Comércio

Fábio Campana

Contexto Político Doático detona Pessuti Doático não poupou críticas ao ex-governador Orlando Pessuti. Tudo porque Pessuti foi procurá-lo para falar sobre a dissolução do diretório peemedebista. O ex-governador já teria até um lema pronto: “Diretório peemedebista, mais peemedebista dos nossos rincões”. Em nota, Doático afirma que Pessuti deveria estar empenhado em “dissolver a vergonha a que submeteu nosso partido ao trair o companheiro Requião e a seriedade do PMDB”. E lamentou que “infelizmente essa vergonha ele não dissolverá jamais. Essa vergonha ficará para a história como uma mancha suja em nossa legenda”. Ao final da nota, Doático ainda chama Pessuti de dissimulado, traidor e cara de pau. E manda um recado: “Vá se reunir Pessuti, no comitê da traição que você montou para apoiar o outrora traidor de nossa legenda, Gustavo tucano Fruet. Comitê da traição para obstaculizar a eleição do senador do PMDB, companheiro Roberto Requião. Fora Pessuti! Xô trairagem!”.

Absolvição De acordo com vários colunistas políticos de Brasília, mesmo com todos os ventos contra, Zé Dirceu tem certeza que sairá ileso no processo do mensalão. Quem conversa com o ex-ministro afirma que ele acredi-

editor@fabiocampana.com.br

ta piamente em sua absolvição pelo Supremo Tribunal Federal.

Auditoria O Tribunal de Contas (TC) fará auditoria das empresas de radares no Paraná. A primeira delas será a Consilux. O TC está pedindo os contratos e a contabilidade para as prefeituras. Isso põe novo ingrediente explosivo na questão. Os serviços de radar para controle do trânsito foram denunciados em matéria do Fantástico, da rede Globo.

Vistoria A Comissão de Direitos Humanos da OAB no Paraná fez nova vistoria no IML de Curitiba nesta quarta-feira (6) para verificar quais providências foram tomadas no local desde a primeira vistoria, realizada no dia 17 de março. A comissão também se reuniu com o diretor do IML, Porcídio Vilani. “Há problemas que levam tempo para serem resolvidos, fomos informados que o governador autorizou a criação de um novo IML, que já teria sido até aprovada. Toda estrutura precisa ser revisada tanto no trabalho interno quanto externo. Vamos ficar em cima para que o órgão saia desta situação preocupante”, explicou a vice-presidente da comissão, Isabel Mendes.

Confirmado Osmar Dias assumirá a vice-presi-

dência de agronegócio do Banco do Brasil. A indicação da presidente Dilma Rousseff foi confirmada nesta quarta-feira (6) pela assessoria de imprensa de Osmar Dias.

Batalha O senador Roberto Requião e o exgovernador Orlando Pessuti travam nova batalha pelo comando do PMDB de Curitiba. Requião reúne-se com seus aliados no sábado (9), com o discurso da defesa de uma candidatura própria à prefeitura. Já Pessuti pretende defender, em reunião do Diretório Estadual, convocada para a próxima segunda-feira (11) pela Executiva, a dissolução do atual diretório municipal curitibano, comandado há dez anos por Doático Santos, aliado de Requião.

Casas O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Mounir Chaowiche, recebeu os deputados Fernando Scanavaca e Osmar Serraglio, junto com o prefeito de Umuarama, Moacir Silva, para discutir sobre as metas habitacionais para o estado do Paraná na gestão do governador Beto Richa. “Vamos atender 25 mil famílias ainda este ano e, para isso, precisamos da parceria com a Caixa Econômica, deputados, prefeitos, vereadores e lideranças. Somente assim poderemos resgatar as famílias paranaenses que vivem em condições precá-

rias”, declarou Mounir.

Sucata O ex-governador Orlando Pessuti diz que os aviões do governo exigiam manutenção cada vez mais cara. Só no ano passado, o jatinho da frota (um Cessna Citation) consumiu R$ 430 mil em oficina. Por causa desse alto custo e do laudo mostrando que os aviões não ofereciam segurança para o voo, diz Pessuti, autorizou a abertura de processo para leiloar dois aviões (o Citation e o turbo-hélice King Air). Hoje, o governo é obrigado a fretar aviões, pois os do Estado viraram sucata.

Moratória De acordo com o chefe da Casa Civil deputado Durval Amaral, o governo irá anunciar um relatório com o balanço da moratória na semana que vem. Também só durante o anúncio do balanço será divulgado quanto o governo economizou com a medida. Dentro do que foi pago até agora, estão incluídos quase R$ 170 milhões de restos a pagar – despesas empenhadas que ficaram com pagamento pendente para 2011 pelo governo Orlando Pessuti, bem como o que será deixado de pagar por problemas legais na construção dos contratos e suas respectivas despesas.

SONAEX S/A INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE AÇO CNPJ 76.508.548/0001-09 – Curitiba / Paraná SENHORES ACIONISTAS Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da Sonaex S/A Indústria e Comércio de Aço, submete à apreciação dos dos Senhores as Demonstrações Financeiras da Companhia, referente ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2010. A Administração

BALANÇOS PATRIMONIAIS Em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (em reais) ATIVO

31.12.10

31.12.09

PASSIVO CIRCULANTE Pessoal, encargos e benefícios sociais Fornecedores e contas a pagar Impostos, taxas e contribuições Empréstimos e financiamentos Outras obrigações Total do passivo circulante

31.12.10

31.12.09

598.526 8.176.306 510.431 16.085.752 148.145 25.519.160

628.928 11.562.096 655.942 15.646.791 197.183 28.690.940

1.370.059 4.626.649 5.996.708

1.230.381 5.172.465 6.402.846

CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa Crédito cobrança caucionada Contas a receber Estoques Adiantamentos a fornecedores Tributos a recuperar Despesas antecipadas Outros ativos Total do ativo circulante

383.484 772.539 928.590 550.917 10.084.405 11.072.503 12.941.755 14.679.435 190.189 1.316.995 2.613.684 2.569.427 1.269.877 1.157.763 117.866 82.889 28.529.850 32.202.469

NÃO CIRCULANTE Depósitos e empréstimos compulsórios Investimentos Imobilizado Intangível Depreciação Total do ativo não circulante

20.930 20.930 8.170 8.170 11.188.549 10.442.335 139.095 89.689 (6.254.233) (5.656.448) 5.102.511 4.904.676

PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Capital a integralizar Reservas de reavaliação Ajuste avaliação patrimonial Prejuízos acumulados Resultado do período Total do patrimônio líquido

10.000.000 248.391 (5.886.058) (2.245.841) 2.116.492

10.000.000 (2.380.848) 262.191 (862.247) (5.005.737) 2.013.359

Total do ativo

33.632.361 37.107.145

Total do passivo

33.632.361

37.107.145

NÃO CIRCULANTE Impostos, taxas e contribuições Empréstimos e financiamentos Total do passivo não circulante

(As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras)

Capital Social Realizado

Saldos em 31 de dezembro de 2008 Aumento capital social Capital a integralizar Ajuste de exercícios anteriores Realização da reserva de reavaliação Lucro (prejuízo) líquido do exercício Saldos em 31 de dezembro de 2009 Aumento capital social Capital a integralizar Ajuste de exercícios anteriores Realização da reserva de reavaliação Ajuste avaliação patrimonial Lucro (prejuízo) líquido do exercício Saldos em 31 de dezembro de 2010

6.611.021 3.388.979 (2.380.848) 7.619.152 2.380.848 10.000.000

Reserva De Reavaliação 275.990 (13.800) 262.191 (262.191) -

Ajuste Avaliação Patrimonial

Lucros(Prejuízos) Acumulados

248.391 248.391

(em reais) 2010 2009 Vendas de produtos e mercadorias 86.698.868 83.190.938 Receita operacional bruta 86.698.868 83.190.938 Deduções da receita bruta (21.431.036) (21.163.613) Receita operacional líquida 65.267.832 62.027.325 Custo dos produtos e mercadorias vendidos (58.078.581) (58.904.980) Lucro bruto 7.189.251 3.122.345 Despesas com vendas (4.226.628) (3.742.255) Depesas gerais e administrativas (1.506.663) (1.494.487) Outras receitas (despesas) operacionais (15.883) Despesas operacionais (5.733.291) (5.252.624) Lucro (prejuízo) operacional antes das despesas financeiras líquidas 1.455.961 (2.130.280) Despesas financeiras (4.561.610) (3.214.519) Receitas financeiras 846.009 322.793 Lucro (prejuízo) operacional (2.259.640) (5.022.006) Despesas/receitas não operacionais 13.800 16.268 Resultado não operacional 13.800 16.268 Lucro (prejuízo) antes do imposto de renda e contribuição social (2.245.841) (5.005.737) Imposto de renda e contribuição social Lucro (prejuízo) líquido do exercício (2.245.841) (5.005.737) Lucro (prejuízo) líquido por lote de mil ações - R$ (42,30) (123,77) (As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 (em reais) Contas

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009

(855.747) (6.500) (5.005.737) (5.867.984) (18.074) (2.245.841) (8.131.899)

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA Para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009. (em reais) Total Do Patrimônio Líquido 6.031.264 3.388.979 (2.380.848) (6.500) (13.800) (5.005.737) 2.013.359 2.380.848 (18.074) (262.191) 248.391 (2.245.841) 2.116.492

(As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem por objeto a indústria e comércio de artefatos de aço e ferro, inclusive importação e exportação; comércio de materiais de construção, de máquinas e equipamentos operatrizes; compra e venda de imóveis sob a modalidade de loteamentos, fora da faixa de fronteiras, sempre por conta própria. NOTA 2 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis emanadas da legislação societária brasileira. Apuração do resultado: O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência do exercício. NOTA 3 - ESTOQUES Os estoques são avaliados ao custo médio de aquisição ou de produção que não excede ao valor de mercado. NOTA 4 - INVESTIMENTOS Os investimentos estão registrados ao custo de aquisição, acrescidos de correção monetária até a data base de 31 de dezembro de 1997. NOTA 5 - IMOBILIZADO O imobilizado está registrado ao custo de aquisição, acrescido de correção monetária até a data base de 31 de dezembro de 1997, ajustado por reavaliação espontânea. A depreciação está calculada pelo método linear a taxas que levam em conta o tempo de vida útil dos bens.

FLUXO DE CAIXA PROVENIENTE DAS OPERAÇÕES Lucro (prejuízo) líquido do exercício

2010 (2.245.841)

2009 (5.005.737)

Ajustes para reconciliar o lucro líquido do exercício com os recursos provenientes de atividades operacionais: Depreciação 597.785 Lucro não operacional (13.800) (Aumento) redução nos ativos operacionais: Contas a receber 988.098 Perdas recebimento de crédito (10.336) Estoques 1.737.680 Tributos a recuperar (44.257) Despesas antecipadas (112.114) Outros ativos circulantes e não circulantes (34.977) Aumento (redução) nos passivos operacionais: Pessoal, encargos e benefícios sociais (30.402) Fornecedores e contas a pagar (3.385.790) Impostos, taxas e contribuições (145.511) Outros passivos circulantes e não circulantes (49.038)

(1.950.177) (658.497) (1.175.130) 53.729 (26.932)

(2.748.503)

(103.581)

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Adições ao imobilizado Adições ao intangível

(746.214) (49.406)

(386.164) (18.595)

Caixa aplicado nas atividades de investimentos

(795.620)

(404.759)

Caixa gerado pelas atividades operacionais

FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Integralização de capital em moeda corrente Captação de empréstimos, financiamentos Pagamentos de empréstimos e financiamentos Juros e correções sobre empréstimos e financiamentos Depósitos judiciais

555.548 (16.268)

94.996 7.943.058 (225.603) 307.433

2.380.848 1.008.131 20.712.401 19.598.873 (16.637.634) (17.020.484) (3.300.547) -

(2.814.735) 48.919

NOTA 6 - PROVISÃO PARA FÉRIAS E ENCARGOS Foi constituída para cobertura das obrigações relativa férias dos empregados, vencidas e proporcionais com os respectivos encargos sociais, apropriada até a data do balanço.

Caixa aplicado nas atividades de financiamento 3.155.068 AUMENTO (REDUÇÃO) DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (389.055)

312.364

NOTA 7 - COBERTURA DE SEGUROS A empresa mantém cobertura de seguros contra roubo, incêndio e riscos diversos para os bens do ativo imobilizado e para os estoques, por valores considerados suficientes para cobrir eventuais perdas.

CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA: Saldo inicial Saldo final

772.539 383.484

460.175 772.539

(389.055)

312.364

(0)

(0)

NOTA 8 - EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS A LONGO PRAZO Estão demonstrados pelos valores originais, incluindo quando aplicável correção, variação monetária e juros. Os detalhes identificados incluindo as garantias prestadas discriminam-se a seguir: • Empréstimo capital de giro • Financiamento imobilizado/ Finame

Saldo 3.723.318 903.331

Taxas De 3,66% a.a até 10,5% a.a +CDI De 4,55% a.a até 6,23% a.a +TJPL

Vencimentos Até 12/2013 Até 05/2013

Garantias Dupl+Aval +Penhor MP Máq/Equip +Aval

NOTA 9 - IMPOSTOS PARCELADOS a) Os impostos parcelados junto a Receita Federal e INSS estão em conformidade com a Lei 10.684/2003 que institui o PAES. • Reparcelamento em consolidação R$ 1.248.861 Encontra-se em fase de consolidação perante Receita Federal do Brasil processo de parcelamento com base na Lei nº 11.941/09. b) Secretaria da Fazenda do Estado do Paraná • ICMS Parcelado

Saldo Devedor em 31.12.2010 R$ 121.198

NOTA 10 - CAPITAL SOCIAL Pertencente inteiramente a acionistas domiciliados no país e está composto em 2010 de 53.097.002 ações e em 2009 era de 40.455.412 ações ordinárias sem valor nominal.

820.704

(As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras)

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Acyr José Vercesi Vianna Nelson Luiz Velloso Filho Lucia Maria Vianna

Presidente Conselheiro Conselheira

DIRETORIA Luiz Augusto Velloso Vianna Ilberto Adami

Diretor Presidente Diretor

Taciana Fiumari

Contadora CRC/PR - 042.086/O-4

Paraná é maior produtor de grãos do Brasil

O

Paraná mantém a liderança nacional na pro dução de grãos, devendo colher 31,5 milhões de toneladas na safra de verão e de inverno, o que corresponde a uma participação de 20,2% da produção brasileira. A avaliação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que está prevendo uma nova safra recorde de grãos para o País, da ordem de 155,6 milhões de toneladas. O número corresponde a um aumento de 4% em relação à safra anterior (2010), também recorde, que alcançou uma produção de 149,7 milhões de toneladas. Os números constam na pesquisa mensal do IBGE, referente ao mês de março, e que foi divulgada nesta quarta-feira (06). No Paraná, a colheita foi iniciada no final do mês de janeiro e está revelando aumento na produtividade. As condições climáticas favoreceram as principais lavouras plantadas no Estado, como a soja e milho. O milho é um dos produtos que registram aumento da produtividade, superando as expectativas iniciais. O rendimento da cultura foi reavaliado de 7.567 quilos por hectare para 7.714 quilos por hectare, gerando um ganho de produção de 6% em relação à pesquisa realizada em fevereiro. Com a reavaliação, o IBGE está projetando uma produção de 5,71 milhões de toneladas em 2011. A expectativa em relação à produção do milho da segunda safra, que está em final de plantio, também é animadora, segundo o IBGE. Os produtores paranaenses devem colher 7,09 milhões de toneladas, volume 3,4% maior do que a estimativa do mês anterior, quando se previa colher 6,86 milhões de toneladas. Esse incremento está sendo atribuído à expansão da área plantada que este ano aumentou 3,5% e deverá atingir 1,62 milhão de hectares. Com isso, o IBGE projeta uma safra total de milho da ordem de 12,8 milhões de toneladas, o que coloca o Paraná na liderança da produção do grão. A primeira e a segunda safra de milho foram reavaliadas e apresentam um aumento de 4,5% em relação à estimativa do mês anterior quando se previa colher 12,25 milhões de toneladas entre as colheitas do milho da primeira e segunda safra. A soja foi outro produto reavaliado e aponta para uma nova safra recorde no Paraná. O IBGE está prevendo uma colheita de 14,67 milhões de toneladas do grão no Estado, volume 4,1% maior em relação à safra passada (14,09 milhões de toneladas) e 5,3% maior em relação à projeção do mês anterior quando se previa uma colheita de 13,94 milhões de toneladas de soja no Estado. O aumento de produção é resultado do avanço da produtividade, revelada pela colheita, que aumentou de 3.097 quilos por hectare para 3.260 quilos de soja por hectare. O feijão, outra cultura que o Estado se destaca como primeiro produtor, deve apresentar uma produção total de 857.071 toneladas, volume 8,2% maior em relação à safra passada quando foram produzidas 792.010 toneladas.


PublicidadeLegal Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | A7 | Indústria&Comércio

T RAV . N ESTOR

1º O FÍCIO DO REGISTRO C IVIL 13º T ABELIONATO L EÃO B EL . R ICARDO A UGUSTO DE L EÃO - O FICIAL DE C ASTRO , 271 - CEP 80.020-120 C ENTRO - C URITIBA - PR

A empresa abaixo, torna público que recebeu do IAP Licença de Operação na data 25/11/2008 com validade até 25/11/2010, para o empreendimento a seguir especificado: EMPRESA: Laboratório de Cosmético Sancris Ltda; ATIVIDADE: Fabricação de cosmético; MUNICÍPIO: Colombo.

EDITAL DE PROCLAMAS F AÇO

SABER QUE PRETENDEM CASAR - SE :

1 - VICTOR RENÊ MAZÉPAS DE OLIVEIRA E LOURDES ANDRESSA ZEIZER SATO. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIBA, 06 DE ABRIL DE 2011

EDITAL DE CONVOCAÇÃO O Conselho Diretor da Associação de Cultura Franco-Brasileira de Curitiba convida os associados para a Assembléia Geral Ordinária que será realizada no dia 26 de abril de 2011 na Aliança Francesa - Maison de France/A Fábrika, à Rua Fernando Amaro, 154 - Alto da XV, com a seguinte ordem do dia: - Relatório administrativo, financeiro e contábil da ACFB referente ao exercício de 2010; - Apresentação do Planejamento 2011; - Outros assuntos de interesse da Associação. A reunião terá lugar às 16:00 horas em primeira convocação e, não havendo quorum, às 16:30 horas em segunda convocação com a mesma ordem do dia.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Presidente do SETCEPAR – Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná, nos termos do artigo 40, inciso III, combinado com o artigo 32, inciso I, alínea “a” e inciso III, alínea “b” e artigo 33 do Estatuto Social da Entidade, vem por meio deste convocar a Assembléia Geral Ordinária e a Assembléia Geral Extraordinária, a realizarem-se no dia 28 de abril de 2011 (quinta-feira). A Assembléia Geral Ordinária inicia-se às 16h30min para: • EXAMINAR AS CONTAS, DOCUMENTOS E BALANÇO REFERENTES AO EXERCÍCIO ANTERIOR. O direito a voto será exercido somente pelo sócio ou diretor da empresa, ou pelo representante-procurador através de procuração por instrumento público com poderes específicos para o ato, de acordo com o artigo 7 e seus incisos do Estatuto Social da Entidade. A assembléia será na sede do SETCEPAR, sito a Rua Almirante Gonçalves, 1966, nesta Capital. Curitiba, 07 de abril de 2011.

N.B- Só poderão tomar parte da reunião os sócios em dia com as contribuições relativas às anuidades de 2010 e 2011 até a data da reunião.

DE ALGUM IMPEDIMENTO, OPONHA -O NA FORMA DA LEI NO PRAZO DE

15

CURITIBA, 06 DE ABRIL DE 2011

O Presidente do SETCEPAR - Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná, nos termos do artigo 40, inciso III, combinado com o artigo 32, inciso III, alínea "b" e artigo 33 do Estatuto Social da Entidade, vem por meio deste convocar a Assembléia Geral Extraordinária a realizar-se no dia 12 de abril de 2010 (terça-feira). A Assembléia Geral Extraordinária inicia-se às 16h30 com a seguinte pauta: • NEGOCIAR AS CONVENÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO - CARGA E MALOTE;

Curitiba, 07 de Abril de 2011 .

2º SERVIÇO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DE CURITIBA EDITAL DE PROCLAMAS ============================= Gilberto Antonio Cantu Presidente

Cartório do 2º Serviço de Registro Civil e 14º Tabelionato da Comarca de Curitiba - PR Faz saber que pretendem casar-se neste Cartório os contraentes:

EDITAL N.º 5118812 O DR. JOÃO PEDRO GEBRAN NETO, JUIZ FEDERAL DA 7ª VARA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, NOS AUTOS ACIMA DISCRIMINADOS: FAZ SABER, aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem, em especial RUBENS BUZZI JUNIOR - CPF/MF nº 661.381.598-53, ficando por este meio CITADO que por este Juízo e Secretaria da 7ª Vara Federal, se processam os autos da Ação Monitória em epígrafe, e para pagar, no prazo de 15 (quinze) dias o valor de R$ 21.538,42 (vinte e um mil quinhentos e trinta e oito reais e quarenta e dois centavos), e demais acréscimos legais, com posição em 31/08/ 2009, onde no caso de pronto pagamento ficará isento do pagamento de custas e honorários advocatícios, fixados em R$ 1.080,00, ou neste prazo embargue, querendo, o aludido feito, sob pena de constituir-se de pleno direito, o título executivo judicial e prosseguimento da execução (art. 1.102c, do CPC). E, para que chegue ao conhecimento de todos, o presente Edital será publicado e afixado na forma da lei. DADO E PASSADO nesta Cidade de Curitiba, Capital do Estado do Paraná, aos 31 (trinta e um) dias do mês de março do ano de dois mil e onze (2011). Eu (a) (Siro Sato), Supervisor de Processamentos Diversos, que o digitei e eu, (a), Kely Cristina Laurentino, Diretora de Secretaria da 7ª Vara Federal, Subseção Judiciária de Curitiba, que o conferi e subscrevi. João Pedro Gebran Neto Juiz Federal

SOSSELLA INVESTIMENTOS S A CNPJ Nº 05.495.137/0001-88 PAT R I M O N IAL Saldo Atual

Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil no Paraná Edital de Convocação Assembléia Geral Ordinária O Presidente da Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil no Paraná – AFIPA, em conformidade com os artigos 24, 28, 29, 50 e 51, e demais disposições pertinentes dos estatutos da entidade, convoca seus filiados para a Assembléia Geral Ordinária a realizar-se em sua sede social, na Rua Riachuelo nº 31, 6º andar, Curitiba – PR, no dia 15 de junho de 2011, com inicio às 8:00h havendo quorum, e 9:00h em segunda convocação, com a seguinte ordem do dia. A. Deliberar sobre as contas e relatórios anuais do Conselho Executivo e Parecer do Conselho Fiscal; B. Eleger os membros do Conselho Executivo e Conselho Fiscal para período de julho/2011 a junho/2013. O prazo para registro de chapas, na sede da Associação, é de 20 (vinte dias) a contar da presente publicação, no horário de 9:00 h às 17:00 h. A votação poderá ser por correspondência ou diretamente na urna coletora de votos instalada no endereço supra mencionado, no horário de 9:00 h. às 17:00 h. Serão considerados apenas os votos por correspondência recebidos até o encerramento da coleta direta. Integrantes da Comissão Eleitoral Presidente: Haroldo José Tosin Secretário: Daniel de Assis Secretário: Aulete Pacheco do Amarante Suplentes 1º Joel Blaszcyk 2º Maria de Lourdes Jakobowitz 3º Francisco Luiz Erichsen Curitiba, 06 de abril de 2011. Marcio Humberto Gheller Presidente da AFIPA

779,25d 779,25d 779,25d 779,25d

BELLONI INVESTIMENTOS S/A CNPJ Nº 05.493.875/0001-96 BALANCO

449.000,00d 360.000,00d 809.000,00d 809.000,00d 809.000,00d

357.088,22d 357.088,22d 357.088,22d 290.707,48d 2.617.411,57d 2.908.119,05d 440.570,52c 440.570,52c 2.467.548,53d 2.824.636,75d 3.634.416,00d

17,55c 81,00c 98,55c 32,40c 29,16c 61,56c 160,11c 160,11c

500.000,00c 500.000,00c 500.000,00c 500.000,00c

3.358.938,04c 3.358.938,04c 244.592,97d 244.592,97d 19.910,82c 19.910,82c 3.134.255,89c 3.134.255,89c 3.634.416,00c

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010

Total 32.400,00

(1.182,60)

(10.493,39) (424,39)

PAT R I M O N IAL

Descrição ATIVO CIRCULANTE CIRCULANTE DISPONIVEL DISPONIVEL TOTAL DISPONIVEL

Saldo Atual

881,30d

TOTAL DISPONIVEL TOTAL CIRCULANTE

881,30d 881,30d

ATIVO NAO CIRCULANTE ATIVO REALIZAVEL A LONGO PRAZO OUTROS CREDITOS TOTAL OUTROS CREDITOS

993.000,00d

TOTAL ATIVO REALIZAVEL A LONGO PRAZO TOTAL ATIVO NAO CIRCULANTE

993.000,00d 993.000,00d

ATIVO NÃO CIRCULANTE INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS TOTAL INVESTIMENTOS

3.983.169,33d

TOTAL INVESTIMENTOS IMOBILIZADO TECNICO TANGIVEL TOTAL TANGIVEL

3.983.169,33d

3.527.139,82d

DEPRECIACOES ACUMULADAS TOTAL DEPRECIACOES ACUMULADAS

631.899,46c

TOTAL IMOBILIZADO TECNICO TOTAL ATIVO NÃO CIRCULANTE

2.895.240,36d 6.878.409,69d

TOTAL ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE OBRIGACOES A CURTO PRAZO OBRIGACOES TRIBUTARIAS E FISCAIS TOTAL OBRIGACOES TRIBUTARIAS E FISCAIS

7.872.290,99d

IVO ZAMONER Reg. no CRC - PR sob o No. PR009864O8 CPF: 027.173.109-59

239,81c

PROVISOES TOTAL PROVISOES

149,80c

TOTAL OBRIGACOES A CURTO PRAZO TOTAL CIRCULANTE PATRIMONIO LIQUIDO PATRIMONIO LIQUIDO CAPITAL SOCIAL TOTAL CAPITAL SOCIAL RESERVA LUCROS TOTAL RESERVA LUCROS RESULTADO DO EXERCICIO TOTAL RESULTADO DO EXERCICIO TOTAL PATRIMONIO LIQUIDO TOTAL PATRIMONIO LIQUIDO

389,61c 389,61c

7.738.596,00c 87.300,40c 46.004,98c 7.871.901,38c 7.871.901,38c

TOTAL PASSIVO CIRCULANTE

7.872.290,99c

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010

Descrição Receita Operacional ALUGUEIS DE IMOVEIS Deducoes PIS COFINS Receita Líquida Lucro Bruto Despesas Administrativas ANUNCIOS E PUBLICACOES TAXAS AGUA E LUZ SERVICOS DE TERCEIROS Despesas Tributarias CONTRIBUICAO SOCIAL TAXAS Resultado operacional líquido Resultado Antes do IR Provisões PROVISAO I RENDA LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

Saldo

Total

78.840,00

78.840,00

(902,52) (4.165,20) 73.772,28 73.772,28 (706,10) (300,00) (5.384,60) (18.180,30) (1.499,52) (30,70) 47.671,06 47.671,06 (1.666,08) 46.004,98

(388,80)

CURITIBA, 18 de Março de 2011 IRACI PISSININ SOSSELLA EMPRESARIA CPF: 017.614.719-53

SE ALGUÉM SOUBER ( QUINZE ) DIAS .

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

CITAÇÃO - PRAZO DE TRINTA (30) DIAS

Descrição Saldo Receita Operacional ALUGUEIS DE IMOVEIS 32.400,00 Deducoes PIS (210,60) COFINS (972,00) 31.217,40 Receita Líquida 31.217,40 Lucro Bruto Despesas Administrativas ANUNCIOS E PUBLICACOES (706,00) TAXAS (300,00) AGUA E LUZ (2.341,39) SERVICOS DE TERCEIROS (7.146,00) Despesas Tributarias CONTRIBUICAO SOCIAL (349,92) JUROS DE MORA SOBRE DEBITOS FISCAIS (74,47) Resultado operacional líquido 20.299,62 20.299,62 Resultado Antes do IR Provisões PROVISAO I RENDA (388,80) LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 19.910,82

SABER QUE PRETENDEM SE CASAR :

(as) SERGIO BRUEL Presidente em exercício

AÇÃO MONITÓRIA Nº 2009.70.00.025061-7/PR AUTOR : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : ANESIO ROSSI JUNIOR RÉU : CLASSIC - COMERCIO DE ESTOFAMENTOS EM COURO LTDA : RUBENS BUZZI JUNIOR : IVONI DALLA COSTA ZENI

BALANCO

F AÇO

01- JAERILSON HUYER KLIPPEL E VALERIA COBBE.

O direito a voto será exercido somente pelo sócio ou diretor da empresa, ou pelo representante-procurador através de procuração por instrumento público com poderes específicos para o ato, de acordo com o artigo 7 e seus incisos do Estatuto Social da Entidade. A assembléia será na sede do SETCEPAR, sito a Rua Almirante Gonçalves, 1966, nesta Capital.

Gilberto Antonio Cantu Presidente

Descrição ATIVO CIRCULANTE CIRCULANTE DISPONIVEL DISPONIVEL CAIXA TOTAL DISPONIVEL TOTAL DISPONIVEL TOTAL CIRCULANTE ATIVO NAO CIRCULANTE ATIVO REALIZAVEL A LONGO PRAZO OUTROS CREDITOS OUTROS CREDITOS IRACI PISSININ SOSSELLA TOTAL OUTROS CREDITOS TOTAL ATIVO REALIZAVEL A LONGO PRAZO TOTAL ATIVO NAO CIRCULANTE ATIVO NÃO CIRCULANTE INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS ACOES E PARTICIPAC EM OUTRA EMPRESA TOTAL INVESTIMENTOS TOTAL INVESTIMENTOS IMOBILIZADO TECNICO TANGIVEL TERRENOS IMOVEIS TOTAL TANGIVEL DEPRECIACOES ACUMULADAS IMOVEIS TOTAL DEPRECIACOES ACUMULADAS TOTAL IMOBILIZADO TECNICO TOTAL ATIVO NÃO CIRCULANTE TOTAL ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE OBRIGACOES A CURTO PRAZO OBRIGACOES TRIBUTARIAS E FISCAIS PIS COFINS TOTAL OBRIGACOES TRIBUTARIAS E FISCAIS PROVISOES I RENDA CONTRIBUICAO SOCIAL TOTAL PROVISOES TOTAL OBRIGACOES A CURTO PRAZO TOTAL CIRCULANTE PASSIVO NAO CIRCULANTE PASSIVO EXIGIVEL A LONG0 PRAZO EMPRESTIMO BELLONI INVESTIMENTOS TOTAL EMPRESTIMO TOTAL PASSIVO EXIGIVEL A LONG0 PRAZO TOTAL PASSIVO NAO CIRCULANTE PATRIMONIO LIQUIDO PATRIMONIO LIQUIDO CAPITAL SOCIAL CAPITAL SUBSCRITO TOTAL CAPITAL SOCIAL PREJUIZOS ACUMULADOS PREJUIZOS ACUMULADOS TOTAL PREJUIZOS ACUMULADOS RESULTADO DO EXERCICIO RESULTADO DO EXERCICIO TOTAL RESULTADO DO EXERCICIO TOTAL PATRIMONIO LIQUIDO TOTAL PATRIMONIO LIQUIDO TOTAL PASSIVO CIRCULANTE

3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ BEL. MÔNICA MARIA GUIMARÃES DE MACEDO DALLA VECCHIA Registradora Designada

CURITIBA, 18 de Março de 2010 INEZ PISSININ BELLONI CPF: 027.888.829-12 IVO ZAMONER Reg. no CRC - PR sob o No. PR009864O8 CPF: 027.173.109-59

(5.067,72)

1 - FERNANDO MURARO JUNIOR c/ KATIA CILENE THRUN - autos 060/11; 2 - OTÁVIO AUGUSTO MACIEL CAMARGO c/ AMANDA DE CARVALHO SILVA autos 061/11; 3 - FLAVIO HENRIQUE FURTADO c/ MICHELLE ANDERSON ALVES - autos 062/11; 4 - CARLOS RODRIGO BIAGGI DE OLIVEIRA c/ TATIANA RAHUAM AMARAL autos 63/11; 5 - JOÃO DE PAIVA JÚNIOR c/ DIANA ELIZABETE POPQUEVIZ - autos 64/11; 6 - GREGORIO BERTO ROÇA c/ BRUNA GODKE - autos 65/11; 7 - ALVARO CRUZ JÚNIOR c/ MERY VALDEREZ RIBEIRO DE MEDEIROS - autos 66/11 de Conversão de União Estável em Casamento. Caso alguém saiba de algum impedimento, oponha-o, na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias a contar deste Edital. Curitiba, 06 de Abril de 2011 OTAVIO AUGUSTO DE ALBUQUERQUE RAUEN OFICIAL

Empresas&Produtos Manu Buffara confirma presença no Gastronomix 2011 Nos dias 9 e 10 de abril, Curitiba irá receber a terceira edição do Gastronomix, evento gastronômico que faz parte da programação oficial do Festival de Curitiba. Comandado pelo chef Celso Freire, o Gastronomix contará com a participação de alguns dos principais chefs do país e permitirá que a população deguste iguarias saborosas com preços acessíveis, em barraquinhas montadas no Museu Oscar Niemeyer. Um dos destaques desta edição do evento será a curitibana Manu Buffara, proprietária do Restaurante Manu, em Curitiba. Tratada como um dos grandes nomes da nova geração da gastronomia brasileira, Manu Buffara, de 26 anos, sempre se sobressaiu pela inovação em sua cozinha e terá a oportunidade de comprovar, mais uma vez, esta característica. "O Gastronomix é um evento que permite um contato direto com um público extremamente diferenciado e eclético. Ele consegue unir desde o especialista em alta gastronomia até o jovem que ama o cachorro quente servido na esquina de casa. Por esse motivo, essa é uma oportunidade fantástica para o fortalecimento da gastronomia na cidade", explica Manu. Além da curitibana, o evento contará com a participação de outros grandes nomes da culinária "tupiniquim", entre eles os chefs Marcos Sodré (Restaurante Sawasdee - RJ), Carla Pernambuco (Restaurante Carlota - SP), Thomas Troisgros, Helena Rizzo (Restaurante Maní - SP) e Ivo Faria (Restaurante Vecchio Sogno - BH). Simultaneamente com as degustações, irão acontecer apresentações teatrais, shows musicais e exposições voltadas para o segmento da gastronomia. Mais informações no site www.festivaldecuritiba.com.br.

BARBARA TREVISANI e SAAD fecham parceria Bárbara Trevisani e a boutique de luxo SAAD acabam de fechar uma bela parceria como forma de presentear clientes especiais. A partir do próximo dia 8, algumas clientes vips da SAAD do Shopping Crystal serão presenteadas com uma linda caixa de chocolates de origem - 70% cacau da Bárbara Trevisani Chocolates e Doces Finos. O mimo no entanto será dado à clientes selecionadas no momento da compra e na própria loja.

F5 Networks lança solução de gerenciamento para ADCs A F5 Networks, líder em soluções de ADN (Application Delivery Networking) - tecnologia que garante a entrega de aplicações rodando em ambiente Web -, anuncia o lançamento da nova versão de sua solução F5® Enterprise Manager™ Version 2.2. Trata-se de uma plataforma que realiza o gerenciamento e o monitoramento eficazes de Controladores de Distribuição de Aplicações (ADCs) F5 BIG-IP em utilização em empresas provedoras de serviços e fornecedores de computação em nuvem. "O novo Enterprise Manager disponibiliza um dispositivo virtual, proporcionando aos clientes maior flexibilidade na criação de ambientes físico-virtuais híbridos; o objetivo é maximizar a eficiência de sua infraestrutura de TI", declara André Mello, diretor geral da F5 Networks. De acordo com Mello, o Enterprise Manager auxilia clientes a cortar custos, aumentar a agilidade e escalabilidade global da TI. "A solução proporciona flexibilidade na configuração de suas infraestruturas, permitindo qualquer combinação de dispositivos físicos e virtuais",

(24.571,00) (1.530,22)

(1.666,08)

Seal Telecom contrata Trama Comunicação A Seal Telecom, é o mais novo cliente da Trama Comunicação. O atendimento da conta será executado por Alice Sanches e Mariana Carreira sob a gerência de Letícia Cardoso, coordenação de Helen Garcia e direção executiva de Leila Gasparindo.A Seal Telecom, empresa 100% nacional fundada em 1999, apresenta amplo portfólio de soluções como resultado das parcerias com marcas líderes no mercado em que atua.


PACTO REPUBLICANO

MP discute projetos de lei com Ministério da Justiça O presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), César Mattar Junior, e o secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira, se reuniram ontem (5/4), para discutir projetos de lei de interesse do MP e do Executivo e a elaboração do 3º Pacto Republicano. Entre os assuntos discutidos, destaca-se o Projeto de Lei 6.745/2006, de autoria dos deputados João Campos (PSDB-GO) e Vi-

cente Chelotti (PMDB-DF). A proposta determina que inquérito civil público seja submetido à supervisão de um juiz cível. Atualmente, o inquérito tramita apenas no âmbito interno do MP, sem controle por parte do Poder Judiciário. Mattar Junior também tratou do Projeto de Lei 4.208/2001, em tramitação na Câmara dos Deputados. O artigo 4º da proposta estabelece mudanças nas regras para a prisão especial, previstas no Código de Processo Penal.

TJ do Rio mantém Ação Penal contra três advogados Acusados de transmitir ordens de traficantes presos para os ataques a veículos no final do ano passado no Rio de Janeiro, três advogados não conseguiram trancar a Ação Penal a que respondem. A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por maioria, entendeu que o processo deve prosseguir. Na mesma sessão de julgamento, os desembargadores entenderam que os advogados podem continuar em liberdade e também continuar trabalhando, inclusive, atendendo

clientes que estão presos, o que havia sido proibido através de liminar. A defesa entrou com Habeas Corpus para, além de revogar a prisão, trancar a Ação Penal por falta de justa causa. Os desembargadores Roberto Távora, que assumiu a relatoria do caso, e Cairo Ítalo entenderam ser necessário que os fatos fossem apurados e analisados pela primeira instância. Se estivessem no lugar dos advogados, entenderam, gostariam que o caso fosse devidamente apurado.

No TJ-SP, acaba a tolerância com atrasos nas ações O Tribunal de Justiça de São Paulo vive dias de inquietação e suspense. Uma revolução silenciosa está sendo gestada na tentativa de aprimorar o sistema judicial paulista que estava à beira do caos. A surdina agitação tem como pano de fundo a Resolução 542/2011, baixada no final de março, e que pretende controlar a produtividade de todos os desembargadores. Pela primeira vez na história do Judiciário paulista serão fixadas metas de rendimento e sanções para os que não as cumprirem. Senhores de seus reinos, alguns estão indignados com o ato que prevê intervenção no assunto mais

delicado de cada gabinete: a gestão dos recursos da segunda instância e o acompanhamento rigoroso do acervo em poder do desembargador. “Alguma coisa tinha que ser feita, não era mais possível continuar na mesma situação, pois o jurisdicionado está na outra ponta aguardando a solução de seu litígio”, afirmou um desembargador que participou da comissão que redigiu a Resolução 542. Chamado por alguns colegas de carrasco, ele revelou que há desembargadores que só conseguem redigir 20 votos por mês. Citou o exemplo de um magistrado que tem em seu poder 1,5 mil processos da Meta 2.

Justiça&Direito

Indústria&Comércio | Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | A8

CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA

Mesmo fato pode dar origem a mais de uma ação penal MPM denuncio os controladores pela prática de inobservância de lei

O

mesmo fato pode dar origem a mais de uma ação penal. O argumento foi utilizado pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal ao negar Habeas Corpus em favor dos denunciados no caso do acidente entre o Boing 737 da Gol e o Jato Legacy, da empresa americana Excel Air Service, em que a Federação Brasileira das Associações de Controladores de Tráfego Aéreo (Febracta) pedia o trancamento da ação que corre na Justiça Militar. O colegiado seguiu o relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, que afirmou que os controladores e sargentos não são processados pela prática dos mesmos delitos nas Justiças Federal e Militar, apesar das ações terem se originado do mesmo fato. O ministro afirmou que as informações prestadas pelo juiz federal de Sinop (MT) e pela 11ª Circunscrição Judiciária Militar deixam claro que as imputações que recaem sobre os denunciados “são distintas, bem delineadas e peculiares dos respectivos âmbitos de competência”. Ele também

citou decisão do Superior Tribunal de Justiça em relação ao Conflito de Competência, afirmando que “os controladores de voo estão respondendo a processos, nas Justiças Federal do Mato Grosso e Federal Militar da Circunscrição Judiciária do Distrito Federal, pelo mesmo fato da vida, mas com imputações distintas, inexistindo bis in idem”. O relator finalizou que a jurisprudência do STF já pacificou o entendimento de que “um determinado acontecimento, em regra, pode dar origem a mais de uma ação penal, sobretudo quando envolverem delitos inerentes à competência absoluta de distintos e especializados segmentos jurisdicionais, no caso, Justiça Comum e Justiça Penal Militar”.

O caso A Febracta entrou com pedido de Habeas Corpus no Supremo contra decisão do STJ que rejeitou a alegação de que as duas ações penais eram originadas do mesmo fato, portanto, deveriam ser processadas e julgadas por um único órgão competente.

O ministro Joaquim Barbosa afirmou que os controladores e sargentos não são processados pela prática dos mesmos delitos nas Justiças Federal e Militar, apesar das ações terem se originado do mesmo fato

Projeto da Nota Fiscal Paulista está na Câmara A Secretaria Municipal de Finanças de São Paulo entregou à Câmara Municipal o projeto de lei para implantar o programa da Nota Fiscal Paulistana em substituição à Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NF-e). A nova nota acaba com o limite de 50% para abatimento do IPTU, e com isso,

permite que os contribuintes abatam o valor total do imposto. Além disso, prevê o resgate e depósito dos créditos da nota em conta corrente ou poupança, como a Nota Fiscal Paulista, do estado, e também oferece um sistema de sorteio de prêmios em dinheiro para os tomadores de

serviço da capital. O projeto também prevê a reabertura do Programa de Parcelamento Incentivado — PPI, com ampliação de três exercícios: 2006, 2007 e 2009. Atualmente, o programa oferecido pela Prefeitura para promover a regularização de dívidas com o município só abrange as dí-

"Amicus curiae não se limita à entrega de memoriais", diz Celso de Mello O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, aceitou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, a União Federal e a Associação Brasileira de Supermercados atuem como amici curiae em processo que discute a proibição da construção de postos de gasolina nos estacionamentos de supermercados, hipermercados, teatros, cinemas, shopping centers, escolas e hospitais públicos no Distrito Federal. No mesmo despacho, Celso de Mello rejeitou pedido idêntico da Companhia Brasileira de Distribuição.

O processo em questão é o Recurso Extraordinário 597.165, contra decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que julgou improcedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade ajuizada pelo Ministério Público do Distrito Federal questionando o artigo 2º da Lei Complementar Distrital 294/2000. A norma veda a edificação de postos de abastecimento, lavagem e lubrificação nos estacionamentos. Para o TJ, "a livre iniciativa não é absoluta" e sofre restrições impostas pelo interesse coletivo. "

No recurso encaminhado ao STF, as quatro entidades apresentaram pedidos de intervenção processual em que postulavam seu ingresso na condição de amici curiae. O relator observou, preliminarmente, que o STF tem admitido a possibilidade mesmo em se tratando de Recurso Extraordinário contra acórdão de tribunal local, proferido em processo de controle normativo abstrato, como no caso. Ressaltou, porém, que a intervenção do amicus curiae, para legitimar-se, "deve apoiar-se em razões

Coisa julgada é cláusula pétrea e não pode ser mitigada, diz ministro Em ofício enviado à presidência do Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio manifestou preocupação em relação à chamada PEC dos Recursos. "Consigno ver empecilho em mitigar-se a coisa julgada", afirmou no documento. A manifestação do ministro reflete um sentimento que não é só dele na Suprema Corte. Alguns de seus colegas só souberam do teor da PEC quando ela já havia sido lançada. O texto ainda está em debate e, segundo o presidente do STF, ministro Cezar Peluso, a ideia é que a proposta integre o 3º Pacto Republicano.

A PEC acrescenta dois artigos à Constituição. Um deles, o mais polêmico, diz que a "admissibilidade do Recurso Extraordinário e do Recurso Especial não obsta o trânsito em julgado da decisão que os comporte". O parágrafo único do artigo determina que "a nenhum título será concedido efeito suspensivo aos recursos, podendo o relator, se for o caso, pedir preferência no julgamento". "Não pode haver tramitação de emenda constitucional que vise abolir direito individual, e os parâmetros tradicionais da coisa julga-

da consubstanciam direito individual. Em síntese, a coisa julgada, tal como se extrai da Constituição Federal, é cláusula pétrea", alerta Marco Aurélio. "Mais do que isso, no campo criminal, mitigar a coisa julgada significa mitigar o princípio da não culpabilidade." Outro óbice, diz, está relacionado à garantia de acesso ao Judiciário para afastar lesão ou ameaça de lesão a direito. "O poder de cautela é ínsito ao Judiciário, surgindo como a única forma mediante a qual se mostra possível dar concretude a essa cláusula constitucional."

vidas dos contribuintes contraídas até 31 de dezembro de 2006. Esse programa reduz 75% da multa tributária e 100% dos juros de mora, no caso de pagamento em parcela única, e 50% da multa tributária e 100% dos juros de mora, no caso de pagamento parcelado.

Carta de fiança vale como garantia de pagamento Carta de fiança vale como dinheiro e é suficiente para assegurar a garantia do pagamento no processo de execução. A decisão, da Subseção II Especializada em Dissídios Individuais do Tribunal Superior do Trabalho, foi dada no julgamento de Recurso Ordinário em que a parte não se conformava com a decisão do juiz de primeiro grau que aceitou a carta de fiança bancária oferecida como garantia da execução. Ao analisar os argumentos da parte, o ministro relator, Pedro Paulo Manus, destacou em seu voto que a carta de fiança equivale a dinheiro para efeito da gradação do artigo 655 do Código de Processo Civil. Segundo ele, a recusa da execução nesses termos constitui ato ilegal e lesivo ao direito líquido e certo da empresa. A decisão segue a jurisprudência do TST, consolidada na Orientação Jurisprudencial 59 da SDI-2.


ANACONDA INDUSTRIAL E AGRÍCOLA DE CEREAIS S.A. CNPJ/MF nº 60.728.029/0001-16 – Companhia Fechada

RELATÓRIO DA DIRETORIA Aos Senhores acionistas e demais interessados Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, temos o prazer de submeter à apreciação de V.S.as, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício findadas em 31 de dezembro de 2010, acompanhadas das respectivas Notas Explicativas e Parecer dos Auditores Independentes.

• Aquisição de novo software de gestão ERP(SAP); Mensagem da Administração A Anaconda apresentou resultado expressivo em 2010, com a combinação de crescimento das vendas e aumento de margens. Como resultado houve crescimento de 7,7 % da receita líquida consolidada, alcançando a marca de R$ 380,3 milhões. Devido às melhorias operacionais, houve também o ganho de margem EBITDA, que atingiu um valor de R$ 95,5 milhões, valor 29,9 % superior ao mesmo período de 2009. O lucro líquido no valor de R$ 60,9 milhões foi 37,9 % maior que o resultado do mesmo período de 2009.

Destaques no ano de 2010 • Crescimento de 7,7 % na Receita líquida de vendas; • Lucro operacional bruto 38,2 % superior; • Crescimento de 29,9 % no EBITDA;

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em Milhares de Reais) Ativo Circulante Disponibilidades Contas a receber – Clientes Estoques Impostos a recuperar Despesas antecipadas Ativo disponível para venda Outras contas a receber Não Circulante Realizável a Longo Prazo Créditos com empresas ligadas Depósitos judiciais Títulos a receber Incentivos fiscais Impostos a recuperar Permanente Investimentos Imobilizado Intangível Total do Ativo

2010

2009

64.086 31.528 62.918 14.338 497 1.060 299 174.726

51.586 25.540 53.886 12.289 374 – 299 143.973

– 850 376 92 808

14 379 400 39 713

4.075 56.168 296 62.665 237.392

1.232 49.607 241 52.625 196.598

Passivo Circulante Fornecedores Obrigações sociais e trabalhistas Obrigações tributárias Obrigações c/ acionista Outras obrigações

2010

2009

2.644 2.705 15.453 10.000 2.204 33.007

4.104 2.849 4.459 1.887 740 14.040

112 1.279 (1.279) 112

206 1.279 (1.279) 207

Não Circulante Obrigações tributárias Provisão para contingências (-) Depósitos judiciais Patrimônio Líquido Capital social Reserva legal Reserva de retenção de lucros Lucros acumulados Total do Passivo

50.626 10.125 93.248 50.274 204.273

40.000 8.000 93.248 41.104 182.351

237.392

196.598

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO 2010

EBITDA 2010 2009 Receita Líquida 380.354 352.966 Lucro Líquido = 60.958 44.185 Receita (despesa) financeira líquida 1.861 6.359 Depreciações 6.215 5.160 Imposto de Renda e Contribuição 26.534 17.821 Total EBITDA 95.568 73.525 % EBTIDA s/ Receita Líquida 25,1% 20,8% Agradecimento: Agradecemos o apoio e a participação dos Srs. acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores, órgãos governamentais e da comunidade financeira nos resultados até então alcançados. A Diretoria

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em Milhares de Reais, exceto o lucro líquido por ação) Receita Líquida de vendas Custo dos Produtos Vendidos Lucro Bruto Receitas (Despesas) Operacionais Vendas Administrativas Outras despesas operacionais líquidas Resultado Operac. antes dos Efeitos Financeiros Resultado financeiro líquido Lucro antes do imposto de renda e contribuição social Imposto de renda da pessoa jurídica Contribuição social sobre o lucro Lucro Líquido do Exercício Lucro Líquido do exercício por Ação

Saldos em 31 de dezembro de 2008 Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Distribuição de dividendos Juros s/ Capital Próprio Saldos em 31 de dezembro de 2009 Aumento de capital por incorporação conf. AGE de 03 de maio de 2010 Lucro líquido do exercício Destinação do lucro líquido Reserva Legal Distribuição de dividendos Juros s/ Capital Próprio Saldos em 31 de dezembro de 2010

Reservas de lucros Retenção de Lucros 94.572 –

Legal 8.000 –

– – 40.000

– – 8.000

10.626 –

– –

– –

– – – 50.626

2.125 – – 10.125

– – – 93.248

Lucros Acumulados 40.284 44.185

(1.324) – 93.248

7. Impostos a Recuperar

ICMS a compensar ICMS sobre ativo fixo IRPJ/CSLL PIS a compensar COFINS a compensar

2010 Ativo Realizável a circulante longo prazo 78 – 294 651 – – 2.495 (a) 28 11.471 (a) 129 808 14.338

Ativo circulante – 958 2.033 1.658 7.639 12.289

2009 Realizável a longo prazo – 432 – 50 231 713

Total 182.856 44.185

(33.515) (9.850) 41.104

(34.839) (9.850) 182.351

– 60.958

10.626 60.958

(2.125) (39.332) (10.330) 50.274

– (39.332) (10.330) 204.273

(a) Em 31 de dezembro de 2010 a empresa possuia créditos de impostos a compensar relativos ao sistema de apuração não cumulativo do PIS e da COFINS. Esses créditos vem se acumulando conforme estabelece principalmente a Lei 10.925 de 2004. A Lei garante a tributação à alíquota zero até 31/12/2011. Em janeiro de 2012 se iniciará a compensação dos referidos créditos, desde que, a alíquota zero para Pis e Cofins em farinhas e derivados não continuem a vigorar atráves de uma nova Lei. 8. Investimentos – O saldos se referem a imóveis transferidos da conta do ativo imobilizado por não estarem sendo utilizados nas atividades operacionais da Companhia. Não há por parte da administração a intenção de vendê-los. 9. Imobilizado Taxa anual depreciação 2010 2009 Terrenos – 7.298 9.612 Edificios e construções 4% 27.157 13.208 Instalações 10% 1.523 1.439 Máquinas e equipamentos 10% 73.241 71.260 Móveis e utensilios 10% 1.300 1.195 Veículos 20% 1.790 1.886 Ferramental 10% 319 340 Equipamentos de informática 20% 1.900 1.520 Benfeitorias 4% 213 1.981 Obras em andamento – 5.471 3.838 – 120.212 106.280 (-) Depreciação acumulada – (64.044) (56.673) – 56.168 49.607 10. Intangível Taxa anual depreciação 2010 2009 Softwares 20% 490 372 Marcas e Patentes – 53 53 Direitos de uso – 63 63 – 607 489 (-) Depreciação acumulada – (310) (247) – 296 241 11. Fornecedores 2010 2009 Fornecedores de trigo 526 859 Fornecedores de embalagens e componentes 579 1.485 Fornecedores de materiais e serviços 1.539 1.761 2.644 4.104 12. Obrigações Sociais e Trabalhistas 2010 2009 INSS a recolher 306 418 FGTS a recolher 171 144 Provisão de férias e encargos sociais 2.227 2.269 Outras obrigações 1 18 2.705 2.849 13. Obrigações Tributárias 2010 2009 Passivo Exigível Passivo Exigível circua longo circu- a longo lante prazo lante prazo ICMS a recolher 1.034 112 434 207 Imposto de renda retido a recolher 1.979 – 579 – Imposto de renda pessoa jurídica 10.311 – 3.273 – Contribuição social sobre o lucro 1.990 – – – PIS a recolher 4 – – – COFINS a recolher 17 – – – Outros impostos a recolher 119 – 173 – 112 4.459 207 15.453 14. Patrimônio Líquido – a) Capital Social: O Capital Social totalmente integralizado, por sócios domiciliados no país é de R$ 50.625.520 dividido em 50.625.520 ações nominativas no valor de R$ 1,00 cada uma, sendo 25.312.760 ações ordinárias e 25.312.760 ações preferenciais. Em 03 de maio de 2010, foi procedida a incorporação da empresa Grumar S/A – Participações e Administração que resultou em um aumento de capital no valor de R$ 10.625.520 conforme determinado em AGE. b) Dividendos: Aos acionistas é garantido dividendo mínimo de 25% (vinte e cinco) do lucro líquido apurado na forma da lei vigente. c) Reserva Legal: Constituída conforme previsto no artigo 193 da Lei das S.A.. d) Reserva de Retenção de Lucros: Reserva constituída com base nos lucros auferidos em exercícios anteriores e não distribuídos aos acionistas, cuja destinação será decidida pelos próprios acionistas em Assembléia Geral. 15. Seguros – A Companhia mantém cobertura de seguros, considerando a natureza da sua atividade e os riscos envolvidos nas suas operações. As premissas de riscos adotadas, pelos consultores de seguros, dada a sua natureza, não foram examinadas pelos nossos auditores independentes por não fazerem parte do escopo de auditoria das demonstrações contábeis. 16. Instrumentos Financeiros – A Companhia não executou transações envolvendo instrumentos financeiros complexos (derivativos). 17. Contingências 2010 2009 Processos trabalhistas 1.163 1.163 Processos fiscais 116 116 1.279 1.279 (-) Depósitos judiciais (1.279) (1.279)

Membros Efetivos: Luiz Martins – Presidente Maria dos Anjos Martins Dias – Vice-Presidente Maria Lúcia Martins Calheiros Ferreira – Conselheira

Fundos Gerados das Operações Lucro do exercício Ajustes para conciliar o lucro do exercício com os fundos gerados ou aplicados às operações: Depreciações Variações de Ativos e Passivos Operacionais Redução (aumento) de clientes Redução (aumento) dos estoques Redução (aumento) de impostos a recuperar Redução (aumento) de despesas antecipadas Redução (aumento) de outras contas a receber Redução (aumento) de ativo disponível para venda Redução (aumento) das contas do realizável a longo prazo Aumento (redução) de fornecedores Aumento (redução) de obrig. sociais e trabalhistas Aumento (redução) de obrigações tributárias Aumento (redução) de obrigações c/ acionista Aumento (redução) de outras obrigações Aumento (redução) das contas do exig. a longo prazo Recursos líquidos provenientes das atividades operacionais Atividades de Investimento Adições ao ativo imobilizado Baixa do ativo imobilizado Incorporação ativo imobilizado Grumar Recursos líquidos aplicados nas atividades de investimentos Atividades de Financiamento Aumento de capital com incorporação Grumar Distribuição de dividendos Pagamento de Juros s/ Capital Próprio Recursos líquidos aplicados nas atividades de financiamentos Aumento (redução) do caixa e equivalente de caixa Caixa e equivalente de caixa no início do exercício Caixa e equivalente de caixa no final do exercício Aumento (redução) do caixa e equivalente de caixa

Membros Suplentes: Angela Martins Guido Rios – Suplente Maria Paula Martins Dias França Pinto – Suplente Luis Alexandre Martins Calheiros Ferreira – Suplente

(30.327) (13.680) 3.422 (40.585) 55.647 6.359 62.006 (12.995) (4.826) 44.185 1,10462

2010 60.958

2009 44.185

6.215

5.160

(5.988) (9.032) (2.049) (123) – (1.060) (581) (1.460) (144) 10.994 8.113 1.464 (95) 67.212

1.696 11.330 (8.009) (247) 139 – (876) (6.825) 376 (6.586) (6.789) 17 207 33.777

(9.444) 2.014 (8.246) (15.676)

(9.608) – – (9.608)

10.626 (39.332) (10.330) (39.036) 12.500 51.586 64.086 12.500

– (34.839) (9.850) (44.689) (20.520) 72.105 51.586 (20.520)

A Companhia vem discutindo determinados processos, tanto na esfera administrativa como na esfera judicial, os quais, quando aplicável, estão amparados por depósitos judiciais. Nesse exercício, a Administração, com base na opinião de seus assessores jurídicos, constituiu provisão para contingências, e entende que é suficiente para cobrir eventuais desembolsos financeiros decorrentes dessas questões judiciais. Parte dos processos foi avaliada pelos assessores jurídicos como sendo de risco possível, não provisionado tendo em vista que as práticas contábeis adotados no Brasil não requerem sua contabilização (se relevantes precisam constar em nota explicativa). Os depósitos judiciais foram reclassificados em 2010 e estão sendo apresentados deduzindo o valor do passivo conforme estabelecido pela norma contábil que trata das Provisões, Passivos, Contingências Passivas e Ativas. 18. Eventos Subsequentes – Em Assembléia Geral Extraordinária realizada em 27 de janeiro de 2011, foi deliberado e aprovado “Protocolo e Instrumento de Justificação de Cisão Parcial da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. com incorporação da Parcela Cindida do seu Patrimônio Líquido pela Caravelas Negócios Imobiliários S.A.” Em razão da cisão parcial da Sociedade e da incorporação do acervo líquido cindido da Sociedade na Caravelas, foi aprovado a redução do capital social da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. no valor de R$ 4.383 mil, passando o capital de R$ 50.626 mil para R$ 46.243 mil, sem cancelamento de ações e com redução do valor patrimonial das ações, alterando-se, por conseqüência, o Art. 5º do Estatuto Social, que passou a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 5º – O capital social é de R$ 46.243 mil, dividido em 50.625.520 ações, na forma nominativa, sem valor nominal, sendo 25.312.760 ordinárias e 25.312.760 preferenciais. O acervo líquido cindido está composto da seguinte forma: Data Base: 28/12/2010 Valor Reais (Mil) Parte Acervo RemaAtivo Contábil Cindido nescente Circulante 204.120 – 204.120 Não Circulante 64.034 4.383 59.651 Realizável a Longo Prazo 1.865 – 1.865 Permanente 62.169 4.383 57.786 Investimentos 5.135 1.060 4.075 Investimento Remanescente 4.075 – 4.075 Investimento Cindido: 1.060 1.060 – Imobilizado 56.732 3.323 53.409 Imobilizado Remanescente 53.409 – 53.409 Imobilizado Cindido: 3.323 3.323 – Um terreno e benfeit., DP, matrícula 3933 623 623 – Um terreno de campo e mato, PR, matrícula 58221 1.616 1.616 – Uma área de terras, PR, matrícula 58813 484 484 – Uma àrea de Posse, PR 60 60 – Uma àrea de terras rurais, PR, matríc. 34561 340 340 – Um terreno de campo, PRm matríc. 38686 200 200 – Intangível 302 – 302 4.383 263.771 Total do Ativo 268.154 Passivo 268.154 – 263.771 Circulante 38.789 – 38.789 Não Circulante 207 – 207 Patrimônio Líquido 229.158 4.383 224.775 4.383 263.771 Total do Passivo 268.154 Em função da cisão ocorrida em 27 de janeiro de 2011, o saldo de investimento cindido de R$ 1.060 mil, referente à imóvel recebido em processo de incorporação da empresa Grumar em 03 de maio de 2010, foi reclassificado no balanço em 31 de dezembro de 2010, da conta de propriedade para investimentos, para o grupo do ativo circulante, como “ativo disponível para venda”.

DIRETORIA EXECUTIVA

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

(33.551) (15.642) 1.853 (47.340) 85.631 1.861 87.492 (19.542) (6.992) 60.958 1,20409

(Em Milhares de Reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 1. Contexto Operacional – A Sociedade tem por objeto a cultura de trigo, sua industrialização e comercialização, bem assim dos demais cereais e seus derivados, tais como farinhas em geral, gérmen de trigo, farelo de trigo, misturas prontas, a fabricação e comercialização de produtos alimentícios em geral para consumo humano, bem como, podendo, ademais, dedicar-se à importação e exportação dos produtos que se relacionem com seu objeto. Em Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária realizada em 7 de abril de 2010, foi aprovada a alteração do objeto social da Sociedade, com a retirada das operações de industrialização de massas alimentícias, bem como as atividades de agropecuária e indústria extrativa de madeira. Essas atividades não vinham sendo praticadas pela Companhia desde o exercício de 2001, motivo pelo qual a demonstração do resultado do exercício de 2010 não apresenta resultado com operações descontinuadas, conforme determina o Pronunciamento Técnico CPC 31. 2. Apresentação das Demonstrações Contábeis – As Demonstrações Contábeis foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que incluem a observância das disposições da Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/76) – considerando as alterações introduzidas pela Lei nº11.638/07 e Lei 11.941/09 e dos pronunciamentos técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. A elaboração da DVA – Demonstração do Valor Adicionado, não é exigida à empresa pela legislação vigente. A Companhia não elaborou essa demonstração. 3. Principais Práticas Contábeis – As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia são: a) Apuração do resultado: O resultado é apurado pelo regime de competência, sendo observado o princípio da realização da receita e de confrontação das despesas. b) Aplicações financeiras: As aplicações financeiras estão demonstradas ao custo, acrescidos dos rendimentos auferidos até a data das demonstrações contábeis, não excedendo os seus respectivos valores de mercado. c) Provisão para créditos de liquidação duvidosa: Constituída em montante considerado suficiente pela Administração para cobrir perdas estimadas na realização de créditos a receber. d) Estoques: Os estoques foram avaliados pelo custo médio de aquisição ou produção, ao qual não excede ao valor de mercado. e) Ativo não circulante – investimentos – imobilizado – intangível: Investimentos (Propriedade para investimentos): Referem-se a terrenos registrados pelo custo de aquisição. Imobilizado: Registrado pelo custo de aquisição e instalação deduzida da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear, às taxas que levam em consideração a vida útil econômica dos bens (Nota 9). Intangível: Refere-se aos bens e direitos incorpóreos destinados à manutenção da sociedade. f) Ativo circulante e não circulante: Os demais ativos são apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos, as variações monetárias auferidas e a provisão para perdas. g) Imposto de renda e contribuição social: Apurados com base no lucro real, determinados de acordo com a legislação em vigor. h) Passivo circulante: São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e variações monetárias incorridos. i) Uso de estimativas: Ativos e passivos significativos sujeitos a essa estimativa e premissas incluem a análise de recuperação dos valores dos ativos imobilizados e intangíveis, a provisão para contingências. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. A Companhia revisa as estimativas e premissas pelo menos anualmente. 4. Disponibilidades 2010 2009 Caixa 38 32 Bancos conta movimento 514 463 553 495 Aplicações Financeiras 63.533 51.091 64.086 51.586 5. Clientes 2010 2009 Duplicatas a receber 37.011 30.111 Cheques em cobrança 728 738 Outros títulos a receber 23 681 (-) Provisão para créditos de liquidação duvidosa (6.234) (5.990) 25.540 31.528 6. Estoques 2010 2009 Produto acabado 1.395 2.268 Matéria Prima 51.712 45.079 Produtos em elaboração 1.176 1.304 Almoxarifado 4.363 4.321 Adiantamentos a fornecedores 4.272 913 53.886 62.918

2009 352.966 (256.734) 96.232

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

(Em Milhares de Reais) Capital social 40.000 –

2010 380.354 (247.383) 132.971

José Honório Gonçalves de Tófoli – Diretor Presidente Alvarino dos Santos Gouveia – Diretor Comercial e de Marketing José Valentin Mininel – Diretor Finanças e Controles Valnei Vargas Origuela – Diretor Técnico Industrial

CONTADOR Eduardo Ferreira Santos CRC 1SP 241.906/O-1

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Administradores e Acionistas da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. São Paulo-SP Examinamos as demonstrações financeiras da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A., que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2010 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras: A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelo auditor e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos

selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgação apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria incluí, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Base para opinião com ressalva sobre as demonstrações financeiras: Em 31 de dezembro de 2010, o saldo das reservas de lucros no montante de R$ 93.248 Mil (R$ 93.248 Mil em 2009) apresentado no patrimônio líquido do balanço patrimonial, excede o valor do capital social da sociedade em 42.622 mil (R$ 53.248 mil em 2009). Até a data deste parecer, a Administração da Sociedade não havia deliberado sobre a destinação do valor do excesso dessas reservas em relação ao capital social, “ad-referendum” da Assembléia Geral Ordinária dos Acionistas, conforme estabelece a legislação societária brasileira. Até a

data deste parecer, a Administração da Sociedade não havia deliberado sobre a destinação da conta lucros acumulados, no montante de R$ 50.274 mil (R$ 41.104 em 2009), “ad-referendum” da Assembléia Geral Ordinária dos Acionistas, conforme estabelece a legislação societária brasileira. Opinião com ressalva sobre as demonstrações financeiras: Em nossa opinião, exceto quanto aos possíveis ajustes que possam advir dos assuntos mencionados no parágrafo Base para opinião com ressalva, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. em 31 de dezembro de 2010, o desempenho de suas operações e os fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Outros Assuntos: Auditoria dos valores correspondentes ao exercício anterior. Os valores correspondentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2009, apresentados para fins de comparação, foram por nós auditados de acordo com as normas de auditoria vigentes por ocasião da emissão do relatório em 26 de fevereiro de 2010, que conteve ressalva quanto aos assuntos mencionados no parágrafo Base para ressalva. São Paulo, 04 de abril de 2011. Boucinhas, Campos & Conti Luís Carlos Gruenfeld Auditores Independentes S/S Contador CRC.SP 5.528 CRC 1SP 215.726/O-0


Economia Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | B1 | Indústria&Comércio

MERCADO

Falta de qualificação é dificuldade para 69% das empresas, diz CNI Carência de profissional qualificado prejudica o aumento da competitividade Flávia Albuquerque

P

esquisa feita pela Con federação Nacional da Indústria (CNI), entre 1.616 empresas, constatou que 69% delas enfrentam dificuldades com a falta de trabalhador qualificado. Ainda segundo o levantamento, 94% têm problemas para encontrar operadores para a produção e 70% afirmam que a carência de profissional qualificado prejudica o aumento da competitividade. De acordo com a Sondagem

Especial – Trabalhador Qualificado, elaborada pela CNI, 78% das empresas para as quais falta trabalhador qualificado têm programas de capacitação como uma das formas de lidar com o problema. Segundo a pesquisa, 52% dizem que a má qualidade da educação básica é a principal dificuldade para qualificar os funcionários. Conforme os dados, 99% das empresas consultadas acreditam na necessidade de investir na qualificação dos funcionários, mas 99% têm di-

ficuldade para qualificá-los. Entre as entrevistadas, 931 são pequenas empresas, 464, médias e 221, grandes. Daquelas que disseram ter dificuldades, 70% são pequenas, 70% médias e 63% grandes. Entre os setores mais críticos em relação à mão de obra qualificada estão o de vestuário (84%), outros equipamentos de transportes - que inclui todos que não são da cadeia produtivas de automóveis (83%), limpeza e perfumaria (82%) e móveis (80%).

Para o gerente-executivo da CNI, Renato da Fonseca, a má qualidade da educação básica atrapalha na capacitação do trabalhador por parte da empresa em atividades específicas. “O principal efeito é a queda da produtividade, porque em todo o trabalho produtivo é necessário um trabalhador com bom raciocínio lógico, boa experiência para reduzir o custo e excessos na produção e isso está muito difícil com a baixa qualificação dos trabalhadores.”

Fonseca disse também que outro efeito da baixa qualificação é que as empresas não conseguem manter a qualidade dos produtos, o que afeta a competitividade em relação ao resto do mundo. “Neste cenário fica muito difícil o Brasil atingir níveis observados em outros países, porque as empresas não conseguem se colocar no mercado internacional e se desenvolverem. E para ter esse trabalhador qualificado é preciso resolver o problema da educação básica, que leva gerações para ser resolvido.”

BRASIL

Gastos previdenciários podem chegar a 22% do PIB em 2050 Vitor Abdala

O envelhecimento da população brasileira, cujo número de idosos deve triplicar nos próximos 40 anos, deve provocar pressão no sistema previdenciário. Segundo estudo divulgado nesta quarta-feira (06/04) pelo Banco Mundial (Bird), os gastos com previdência social, que representavam 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2005, podem chegar a 22,4% do PIB em 2050. Segundo o estudo, o Brasil, que já tem gastos altos com se-

Conab prevê safra recorde, com quase 160 milhões de toneladas Danilo Macedo

Apesar do excesso de chuva em grandes regiões produtoras no mês de março, a safra de grãos 2010/2011 deve chegar a 157,4 milhões de toneladas, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quartafeira (06/04). O número é 5,5%, ou 8,2 milhões de toneladas, maior que o recorde atingido na safra, de 149,2 milhões de toneladas de grãos. Em relação à pesquisa anterior, houve uma elevação de 2,1%, ou 3,2 milhões de toneladas. A área cultivada também se ampliou em 3,9%, ou 1,8 milhões de hectares, chegando a 49,2 milhões de hectares plantados. Os prejuízos, principalmente a produtores de Mato Grosso do Sul, causados pelo grande volume de chuva em março – que também teve consequências pontuais em algumas regiões de Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo –, foram compensados pela ampliação da área de cultivo de algodão, feijão, soja e arroz. Segundo a Conab, no entanto, o excesso de umidade atrapalhou a colheita da soja e prejudicou a qualidade do produto, causou podridão do baixeiro (parte inferior da planta) em algumas lavouras de algodão 1ª safra e atrasou a finalização do plantio do milho-safrinha. CMYK

guridade social, precisa fazer novas reformas no sistema previdenciário, como as realizadas em 1999 e 2003. De acordo com o Bird, “o baixo limite de idade e a existência da aposentadoria por tempo de trabalho sem idade mínima levam à aposentadoria precoce. Assim, um sistema que deveria assegurar a renda de indivíduos impossibilitados de trabalhar acaba fornecendo auxílios por um período maior do que o tempo de contribuição”, diz o relatório. Uma das sugestões do Bird é que o Brasil adote uma política

estrutural que relacione a idade de aposentadoria compulsória ao aumento na expectativa de vida, a exemplo de nações como a Dinamarca. Outro problema, de acordo com o Bird, é que o sistema previdenciário brasileiro estimula a informalidade e a não contribuição com a Previdência. Isso porque a legislação brasileira prevê que mesmo pessoas que não contribuem com a Previdência devem ser amparadas pelo governo federal a partir dos 65 anos, se tiverem uma renda familiar baixa.

“Uma grande proporção da população não contribui com o sistema de seguridade social durante a idade ativa, ao passo que se beneficiará dele mais tarde. À medida que a população do Brasil envelhece, cresce a necessidade de assegurar que uma parcela maior contribua para o sistema previdenciário”, diz o relatório. O relatório Envelhecendo em um Brasil Mais Velho também revela que o aumento do número de idosos no país poderá provocar problemas no mercado de trabalho, já que o salário

maior e a menor produtividade dos trabalhadores mais idosos poderão causar redução de competitividade e lucro nas empresas. Segundo o Bird, as empresas precisam se preparar para isso e investir em programas de treinamento e em projetos para atender às necessidades desses trabalhadores. Além disso, será preciso aumentar a produtividade potencial das gerações futuras, com investimentos em melhorias na educação pública, principalmente nos estágios iniciais do estudante.

PREÇOS

Custo de vida aumenta 0,91%; maior pressão veio de transporte, habitação e alimentação Arquivo/ABr

Bruno Bocchini

O Índice do Custo de Vida (ICV) registrado no mês de março foi de 0,91%, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada nesta quarta-feira (06/04). Em fevereiro, o índice que mede a inflação ficou em 0,41%. Os grupos que mais colaboraram com o aumento do índice foram: transporte (2,34%), habitação (1,10%) e alimentação (0,80%). Segundo o Dieese, esses três grupos representam 67,6% dos gastos das famílias. O aumento no transporte (2,34%) ocorreu principalmente no transporte individual (3,17%). O coletivo aumentou apenas 0,60%. No individual, a alta se deu nos combustíveis, com a elevação, em março, sendo de 5,20% (em fevereiro, a elevação foi de 1,28%). O Dieese observou alta acentuada no álcool (10,20%) e moderada, na gasolina (3,28%). No transporte coletivo, o aumento se deu na tarifa do metrô (2,69%), dos ônibus intermunicipais (3,96%) e dos trens de subúrbio (4,50%). A elevação no grupo habita-

Houve alta acentuada no álcool e moderada, na gasolina

ção foi de 1,10% em março. O maior aumento foi registrado na locação (aluguel), impostos e condomínio (1,82%), seguido da operação (0,98%) e conservação do domicílio (0,21%). A alimentação teve aumento de 0,80%. Produtos in natura e semielaborados foram os que mais colaboraram com a eleva-

ção dos preços (1,36%), seguidos de produtos da indústria alimentícia (0,15%) e alimentação fora do domicílio (0,65%). De acordo com o Dieese, os preços dos demais grupos sofreram elevação pequena: equipamentos domésticos (-0,13%), recreação (-0,08%), despesas pessoais (0,12%) e vestuário

(0,41%). A inflação geral acumulada nos últimos 12 meses foi de 6,72%. Nos três primeiros meses de 2011, o aumento nos preços já acumula alta de 2,62%. Dos dez grupos que compõem o ICV, dois apontaram taxas bem superiores ao índice geral, no acumulado de janeiro, fevereiro e março: transporte (6,30%) e educação e leitura (5,16%). Outros grupos variaram de forma semelhante à inflação geral: despesas pessoais (2,73%), alimentação (2,38%) e habitação (1,51%). Os demais apresentaram taxas inferiores a 1%. No acumulado de 2011, no grupo transporte, o aumento se deu tanto no transporte coletivo (9,40%), como no individual (4,92%). A alta nas despesas pessoais foi consequência dos reajustes do cigarro. Quanto ao grupo alimentação, houve alta acentuada na alimentação fora do domicílio (4,17%) e menores taxas para produtos in natura e semielaborados (2,21%) e indústria da alimentação (1,52%). Em relação à habitação, no acumulado de 2011, a maior taxa foi detectada na locação, impostos e condomínio (2,65%) e taxas menores para os demais subgrupos como operação (1,05%) e conservação (1,10%).

Secretário: abastecimento de álcool volta ao normal em maio Daniel Lima

O abastecimento de álcool combustível deverá estar normalizado a partir de maio, informou nesta quarta-feira (06/04) o secretário adjunto da Secretaria de Assuntos Econômicos do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt. Com isso, o preço do combustível deverá retornar aos preços do final do ano devido à quantidade de álcool que retornará ao mercado.

Ele, no entanto, admitiu que, nos próximos anos, o problema de desabastecimento de etanol pode continuar devido ao período de transição, marcado pelo final de uma safra e o início da próxima, que se dá nos meses de março e abril. Bittencourt também disse que o preço do álcool deve cair primeiro em São Paulo. “Vai voltar a ser mais competitivo (o litro do etanol) nos estados que tem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) me-

nor, como São Paulo. Como existe uma produção agora, o preço tem que cair. É a lei da oferta e da procura”, disse. Para ele, a questão da tributação precisa ser resolvida. Ele lembrou que, em São Paulo, onde o ICMS é 12% e há maior consumo, existe uma maior produção, enquanto tem estados que cobram, em média, 25%. O governo, porém, vem discutindo medidas para enfrentar o problema no setor. Uma das possibilidades é tornar

o álcool um combustível regulado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). O objetivo é criar mais um mecanismo para garantir o abastecimento de álcool nos carros brasileiros. Outra medida que vem sendo avaliada é a que cria uma linha temporária, de três a quatro anos, para financiar a renovação de canaviais com recursos de instituições do governo, como o Banco do Brasil e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Procura por crédito cresce 12,9% Flávia Albuquerque

O número de pessoas que procuraram crédito em março cresceu 5,7% na comparação com o mês anterior, de acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito. No acumulado no primeiro trimestre do ano, a demanda aumentou 12,9% ante o mesmo período de 2010. Entretanto, o crescimento observado no primeiro trimestre foi menor do que o registrado no quarto trimestre do ano passado (18,3%). “Isso demonstra que a demanda dos consumidores por crédito encontra-se em rota de desaceleração, determinada tanto pelas medidas macroprudenciais adotadas pelo Banco Central, no início de dezembro do ano passado, quanto pelo atual ciclo de elevação das taxas de juros”, analisa a Serasa, em nota. Quem liderou a busca por crédito foi o consumidor de baixa renda (rendimento até R$ 500 mensais), com aumento de 48,6% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Em segundo lugar, aqueles que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês, com alta de 24,6%.

Inflação para famílias de baixa renda aumenta Cristiane Ribeiro

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais de até 2,5 salários mínimos, subiu para 0,80% em março, ante a taxa de 0,32% registrada em fevereiro. O índice é apurado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e, segundo nota divulgada nesta quarta-feira (06/04) pela instituição, no primeiro trimestre do ano já acumula alta de 2,53% e de 6,16% nos últimos 12 meses. A variação do IPC-C1 de março ficou acima da taxa de 0,71% do Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR) no mesmo período. De acordo com a FGV, a maior contribuição para o avanço do IPC-C1 em março veio dos grupos alimentação (de 0,05% para 1,51%), com destaque para os itens hortaliças e legumes (de 3,05% para 7,78%); vestuário (de -0,20% para 0,75%); saúde e cuidados pessoais (de 0,11% para 0,48%); e educação, leitura e recreação (de 0,25% para 0,48%).


3

margem

Indústria&Comércio | Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | B2

a

arte&atitude,

Nem te Conto Aula no Mexicano

moda&cia

Adélia Maria Lopes | adelia@novacombrasil.com.br

Inverno da Luz Vermelha ganha uma sessão extra André Gardenberg

O

Festival de Curitiba promove sessão extra de Inverno da Luz Vermelha, com a atriz curitibana Marjorie Estiano, e doará integralmente a renda da venda dos ingressos para a Escola Israelita Brasileira Salomão Guelmann. A sessão beneficente será nesta quinta-feira 7, às 19h, no Guairinha. Marjorie é a sensual protagonista da montagem, dividindo a cena com Rafael Primot e André Frateschi, sob direção de Monique Gardenberg. Essa é a primeira apresentação profissional de Marjorie na cidade, tendo notabilizado-se na televisão. Mas foi no Colégio Estadual do Paraná, aos 15 anos, que ela começou seus estudos de teatro. Antes, aqui, a atriz foi ao palco, mas como cantora. “Estou bem feliz em participar do festival que sempre acompanhei e de voltar à minha cidade com um espetáculo do qual tenho muito orgulho”, diz a atriz. “Marjorie sempre foi uma possibilidade na minha cabeça, na medida que a personagem canta. Minha dúvida era se conseguiria fazer uma personagem que entra numa área que ela não tinha experimentado, a do erotismo. Mas, para o bom ator não tem isso e foi um salto o que ela deu. É bonito ver a Marjorie diariamente, porque ela é de uma firmeza em cena absurda”, diz Monique Gardenberg, que voilta à direção

Os jornalistas tiveram uma aula do colunista Ruy Barrozo de como preparar uma tortilla, sob supervisão, de Roberta Rocha Loures, gerente de marketing da Rede de Restaurantes Mexicano Bras-Mex Grill, que tem três unidades em Curitiba. A iguaria, presente no cardápio da casa, é servida com carnes grelhadas na própria mesa. O sucesso da massa da tortilla é tanto, que a rede já estuda importação de máquinas para colocar o produto à venda nos supermercados. Por enquanto, pode ser feita encomenda das tortillas para levar para casa. O fone do Mexicano Campina é 3019-5894.

Caso Solda

após quatro anos sem um texto que lhe tocasse a alma. Inverno da Luz Vermelha, de Adam Rapp, é ambientado em Amsterdã e envolve intriga sexual e explora as complexas e enganosas maneiras com que buscamos preencher a sensação de vazio no lugar do coração. Fala de solidão, poeticamente e de forma divertida. Para a diretora, “foi uma felicidade ter esses três atores. Porque é uma peça com um monte de armadilhas, se não fizer com critério absolutamente perfeito de interpretação, pode ir pra um lugar errado. E eles conseguiram marcar as nuances de cada um, o que cada um aparenta ser e é de verdade. Ao trazer as diferenças deram densidade”.

A Associação dos Cartunistas do Brasil manifesta indignação pela demissão do cartunista Solda do jornal Paraná Online, devido a uma charge veiculada quando da visita do presidente Obama ao Brasil, acusada de racista. “O cartunista é um profissional chave dentro de um veículo de comunicação, por ter uma linguagem de fácil assimilação e agrado popular. Mas é também a própria imagem do jornal. Desvalorizá-lo diante dos leitores é desvalorizar o próprio veículo”, assina José Alberto Lovetro, presidente ACB, que em carta ao jornal (ex-O Estado do Paraná), diz esperar “uma reavaliação por parte do Paraná Online evitando uma imagem negativa ao veículo diante dos profissionais da comunicação, jornalistas e cartunistas em geral. Mas principalmente aos seus leitores”.

Biografia de desejos A Livraria Arte&Letra, no do Lucca Cafés Especiais (Pres. Taunay, 40), sedia nesta quinta dia 7, às 19h, o lançamento do livro Pequena biografia de desejos, de Cezar Tridapalli ( 219 páginas, Editora 7 Letras, 39 reais). Discípulo de Paulo Venturelli e especialista em Machado de Assis, Tridapalli, em seu primeiro romance, fala das involuntárias influências de moradores de um prédio na vida de um porteiro.

Unificação italiana

Apresentações nesta quinta às 19h e às 22h, no Guairinha. Ingressos a 25 e 50 reais.

Antes da Coisa Toda Começar A Armazém Companhia de Teatro, que de Londrina foi para o Rio de Jaqneiro, tornando-se um marco no teatro, retorna ao Festival de Curitiba com a peça Antes da Coisa Toda Começar. Dirigida e escrita por Paulo de Moraes com Maurício Arruda Mendonça, o drama envolve três personagens que surgem das lembranças e memórias de um homem solitário. Em cena Patrícia Selonk, Thales Coutinho, Rosana Stavis, Ricardo Martins, Marcelo Guerra, Simone Vianna, Camila Nhary e Ricco Viana, vivendo personagens ricos em suas tentativas de não se acomodar diante das regras do mundo. São três histórias distintas, que correm paralelas e inde-

Mauro Kury

pendentes, numa narrativa cênica fragmentária. O espetáculo, uma característica do Armazém, fala de seu tempo e de seu lugar no mundo, com certa abstração. O texto envolve muita música, tanto que o elenco canta e toca, formando uma banda no palco. E a luz, de Maneco Quinderé, pontua todo o espetáculo de forma densa. Em cartaz a partir desta quinta 7 até domingo, às 21h, no Cietep. Ingressos a 25 e 50 reais. Classificação 16 anos.

Ator com estilo O estilista curitibano Edson Eddel estréia nos palcos como ator. Depois de um ano se preparando, participa de duas peças que estão no Fringe. Na peça infantil, As Férias do Lobo Mau, escrita por Alexandre Marcante Quartieri e dirigida por Marina Machado, ele é o protagonista. Eddel também está no drama Liquidificador - Pedaços da Vida, que tem texto e direção de Marina Machado. As peças estão em cartaz no Teatro Marina Machado (Rua Amintas de Barros). As Férias do Lobo Mau tem sessões nesta sexta 8, às 19h e no sábado e domingo às 17h. Liquidificador pode ser vista nesta quinta (21h) até domingo (20h). Ingressos a dez e vinte reais.

Para comemorar os 150 anos da unificação italiana, completados em 17 de março, o Centro Europeu e o Consulado Geral da Itália em Curitiba promovem nesta, quinta 7 às 19h30, a exibição de um documentário baseado em documentos originais e imagens inéditas. Será no Hotel Centro Europeu Tourist (Praça Osório, 61) e contará com a presença de Silvia Pozzati, leitora do Ministério das Relações Exteriores da Itália, e da vereadora Renata Bueno, mestre em sistema jurídico pela Università degli Studi di Roma. Entrada franca. Fone (41) 3222-6669.

Laci Baruffi A designer catarinense Laci Baruffi lança coleção de bolsas femininas para esse inverno, batizada por Vintage, na loja do Shopping Curitiba nesta quinta dia 7, a partir das 18h. O novo espaço vale-se de moderna arquitetura e diagramação com material de demolição. Ali, estão bem dispostas as peças que mesclam design clássicos com as tendências contemporâneas. Os detalhes – correntes, estampa animal print, laços, lapelas, tranças e franjas – enriquecem a sofisticação própria de Laci Baruffi, que assina assessórios em couro também para os homens.

AsBEA-PR para 2011

Humor terapêutico No sábado e domingo, às 14h, nas Livrarias Curitiba do ParkShoppingBarigui, com entrada gratuita, últimas apresentações, dentro do Fringe, de Angelino, o Anjinho Distraído, peça inédita que marca o lançamento da coleção de livros da editora Girassol Brasil com o propósito de prevenção de acidentes. O texto é de Renato Cavalher, com direção de Rafael Camargo. No elenco, André Coelho, Moa Leal, Edson

cmyk

Rocha, Daphne Bozaski, Alan Raffo e Chris Macedo. O Hospital Vita é apoiador da peça. Angelino recebe a missão de proteger uma menina, mas seu temperamento distraído acaba por provocar alguns acidentes, nos quais a vítima é ele mesmo. A mensagem: não se pode contar só com o anjo da guarda, os adultos têm que aprender a prevenir acidentes e ensinar a criançada a se proteger desde cedo.

O presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura no Paraná- AsBEA, Gustavo Pinto, recebeu para o primeiro coquetel de 2011, nesta semana, com sua diretoria, colegas associados e representantes de empresas parceiras, como Alana Miranda, André Ferreira e Eduardo Duarte da Tecnoflex Mobiliário Corporativo. O vice-presidente da AsBEA Nacional, José Eduardo Tibiriçá, na ocasião, fez apresentação sobre a implantação do Conselho de Arquitetura e Urbanismo.


Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | B3

Indústria e Comércio

LITORAL

Municípios receberão R$ 25 milhões para recuperação emergencial

O

A Secretaria da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul encaminhou ofícios a todas as prefeituras do Paraná pedindo informações sobre barracões industriais e disponibilidade de terrenos para a instalação de indústrias. Segundo o secretário Ricardo Barros, o banco de dados com as informações municipais irá orientar o governo no direcionamento de investimentos e empreendimentos. “Teremos o retrato da situação de cada uma das 399 cidades. A partir daí, saberemos quais cidades possuem locais apropriados para receber indústrias e quais necessitam do suporte do governo”, afirma. Nesta semana, o prefeito de Pitangueiras, Cristovon Ripol, entregou pessoalmente a resposta ao ofício. Segundo ele, o município da região Norte do Paraná possui áreas e instalações para receber indústrias. “Queremos diversificar a nossa produção e atrair novos empreendimentos para gerar emprego e renda”, disse. Entre as informações requisitadas, o documento pede aos prefeitos detalhes sobre a situação dos barracões e distritos industriais, se a cidade possui plano diretor definindo áreas para instalação de indústrias, se há terrenos disponíveis para cessão ou doação. “Isso nos ajudará a estabelecer ações para industrializar o interior, uma das principais metas do governador Beto Richa”, diz Barros. As ações incluem financiamentos para a construção de barracões industriais por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEDU) ou pela Agência de Fomento. O secretário propôs ao Ministério das Cidades a criação de um programa para a construção de barracões e parques industriais em pequenas e médias cidades. Na semana passada, ele esteve em Brasília para apresentar ao ministro Mario Negromonte a proposta de um projeto-piloto a ser implantado no Paraná, com estimativa de investimentos de mais de R$ 200 milhões, entre aportes federais e estaduais.

Reajuste Salarial Um reajuste de 15,87% foi estudado pela Prefeitura do município e pelo Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) sendo aprovado a partir do dia 1º de maio, para todos os professores e educadores da rede municipal de ensino em Almirante Tamandaré. Na seqüência, será elaborado um Plano de Cargos e Salários para atender todo o quadro de servidores municipais, sendo que uma audiência pública já está programada para o mês de abril, dando início ao trabalho de elaboração do Plano.

Governo Federal vai repassar R$ 25 milhões para obras emergenciais de reconstrução das áreas atingidas pelas chuvas dos dias 10 e 11 de março nos municípios de Antonina, Guaratuba, Morretes e Paranaguá, no Litoral do Estado, conforme projeto apresentado pelo Governo do Paraná. A confirmação do repasse foi dada ao governador Beto Richa pela presidente Dilma Rousseff. “O Governo do Paraná agiu prontamente, com toda sua estrutura, desde o primeiro instante, fazendo o atendimento emergencial e de prevenção. Estamos dando toda a atenção às famílias desabrigadas e apoiando os municípios para restabelecer a normalidade”, disse o governador. O reforço financeiro do governo federal vai ajudar a acelerar o trabalho que o Estado já está fazendo, sob a coordenação técnica da Defesa Civil, para recuperar a infraestrutura dos municípios, principalmente para a construção de moradias. “Nosso objetivo é devolver o mais rapidamente possível a qualidade de vida e moradias dignas para as pessoas”, disse Richa, que esteve com a presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira, em Brasília, para discutir investimentos federais no Paraná.

Divulgação

DESTAQUE

No encontro o governador agradeceu pelo envio dos recursos e pela disposição dos ministros que receberam a ele e aos secretários estaduais no momento mais crítico para o atendimento às pessoas desabrigadas pela inundação no Litoral. “A ideia é trabalhar em conjunto com o governo federal e a presidente Dilma espera fazer grandes parcerias no nosso Estado”, disse. Os R$ 25 milhões repassados por meio do Ministério da Integração Nacional e Secretaria Nacional da Defesa Civil deverão ser utilizados na reconstrução e recuperação de moradias, de estradas rurais, pontes e vias urbanas, reconstrução e recuperação de prédios públicos, recuperação da canalização

de rios e córregos e na recuperação de rodovias estaduais, entre outras obras emergenciais. O detalhamento do plano de trabalho da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística prevê o repasse em duas parcelas que somam R$ 9,341 milhões para o município de Antonina; R$ 8,883 milhões para Morretes; R$ 5,072 milhões para Paranaguá; e R$ 1,705 milhão para Guaratuba. O Governo do Estado permanece com toda a estrutura possível trabalhando na reconstrução das áreas do Litoral onde foram mais graves os estragos provocados pelas inundações e deslizamentos de encostas de morros. Técnicos da Cohapar, Codapar, Copel, Departamento de Estradas de

Rodagem, Defesa Civil, Águas do Paraná, Mineropar, Sanepar, Provopar, Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, entre outros órgãos, seguem atendendo os moradores dos municípios. “Nossa prioridade no momento é a abertura dos acessos aos locais mais isolados, para que as pessoas possam sair com segurança com seus veículos em caso de novas chuvas fortes. E também o desassoreamento, para aumentar a vazão da água de rios como o Jacareí, na localidade de Floresta, em Antonina”, explica o chefe operacional da Defesa Civil do Paraná, major Antônio Hiller. A Defesa Civil também está contratando uma consultoria técnica, que começa a trabalhar nesta quarta-feira (6), para realizar um levantamento complementar ao trabalho dos geólogos da Mineropar. O propósito é avaliar as condições de segurança para as pessoas permanecerem nas áreas que foram mais afetadas e também para avaliar as possibilidades de recuperação das áreas de produção agrícola e criação de animais. “Pode haver casos em que a relocação de famílias terá um custo menor do que a recuperação de áreas que ficaram cobertas de pedras, areia, troncos e outros materiais”, afirma Hiller.

CURITIBA

Orçamento de 2012 começa a ser discutido com a população no dia 12

Orlando Kissner

O orçamento de Curitiba para 2012 começa a ser discutido e planejado na próxima semana. Nos dias 12, 13 e 14 de abril serão feitas consultas públicas para a elaboração da Lei de Diretrizes

Orçamentárias (LDO) de 2012. As reuniões serão feitas nas nove Regionais da cidade. Moradores, comerciantes e líderes comunitários poderão sugerir obras que consideram importantes para a região onde vivem. A LDO definirá as prioridades de investimentos da Prefeitura para o próximo ano. “Ninguém conhece mais a cidade que o próprio cidadão. A população aponta as necessidades e a Prefeitura inclui no orçamento para fazer as ações”, diz o prefeito Luciano Ducci. As consultas públicas serão sempre das 19h às 21h. Na terça-feira (12), as discussões serão feitas nas regionais do Boqueirão, Matriz e Boa Vista. Na quarta-feira (13) será a vez dos moradores do Pinheirinho, CIC e Bairro Novo fazerem sugestões para o Orçamento 2012. Na

quinta-feira (14) as consultas públicas serão feitas no Cajuru, Portão e Santa Felicidade. Os cidadãos também podem fazer sugestões para a Lei de Diretrizes Orçamentárias 2012 pela internet. No portal da Prefeitura (WWW.curitiba.pr.gov. br) basta clicar na imagem das Consultas Públicas sobre o Orçamento 2012. Após completar o cadastro, cada pessoa pode fazer três sugestões. As indicações também

podem ser feitas pelo telefone 156. A elaboração anual da lei de diretrizes foi determinada pelo artigo 165 da Constituição Federal de 1988. A Lei Complementar Federal 101, de maio de 2000, estabelece que sejam realizados consultas e debates públicos, tornando mais democrático o processo de construção dos orçamentos públicos. Todas as consultas públicas serão das 19h às 21h

Jardim Hortência é 100% pavimentado

Barbosa JR

Procurando ampliar a infraestrutura do município de Fazenda Rio Grande, a prefeitura local faz um grande investimento no Jardim Hortência, no Bairro Eucaliptos. Todas as ruas daquele jardim estão sendo pavimentadas neste momento. De acordo com a Secretaria de Obras Pública, as obras estão acontecendo nas ruas Abacateiro, Ameixeira, Cerejeira, Limoeiro, Oliveira, Pessegueiro, Videira e Mamoeiro. No total, são mais de 22.000 m² de novo asfalto. A meta é, segundo a prefeitura, que até o final do ano todo o Bairro Eucaliptos esteja pavimentado. Entre os trechos que estão sendo pavimentados está à residência do carpinteiro Antônio Alves dos Santos, 57. Há 11 anos morando na Oliveira, hoje ele comemora a obra. “Esperava pelo asfalto faz tempo. Antes (do prefeito Chico Santos) disseram que não po-

CMYK

deriam pavimentar porque eu ainda pagava o terreno. Hoje ainda pago o terreno e o asfalto está sendo feito”, conta Santos, que em dezembro termina de quitar o seu lote. A valorização do imóvel nos últimos anos também é citada por ele. “Há dez anos ninguém queria morar em Fazenda Rio Grande. Tinha gente que até dava lotes. Agora valorizou muito e todo mundo quer vir para cá”, comenta ele, destacando ainda a importância dos investimentos nos bairros. “Escola, saúde, transporte e

asfalto é o que completa a cidade. Escola é para todos os dias, saúde (remédios e unidades de atendimento) eventualmente a gente precisa, mas asfalto e transporte são fundamentais para o dia-dia”, frisa Santos. Nos próximos dias o prefeito de Fazenda Rio Grande, Chico Santos, deve anunciar para a população os novos trechos da cidade que receberão pavimentação. A idéia é, segundo o prefeito, solucionar os problemas com a poeira, no período de seca, e a lama, em épocas de chuvas.


Negócios Indústria&Comércio | Curitiba, quinta-feira, 07 de abril de 2011 | B4

Destaque

COMÉRCIO EXTERIOR

Players anunciam mais de R$ 1 bilhão em investimentos Aportes vêm das empresas Brado Logística, Localfrio e Santos Brasil

T

ermina hoje a 17ª edi ção do mais importante encontro de negócios dos setores de logística, transporte de carga e de comércio internacional, a Intermodal South America 2011. A feira, que aconteceu de 05 a 07 de abril, no Transamérica Expo Center, em São Paulo-SP, foi palco para o anúncio de grandes investimentos de empresas como Brado Logística, braço da concessionária ALL, Grupo Localfrio e Santos Brasil.

Além dos valores, que foram anunciados em coletivas de imprensa exclusivas para os jornalistas que cobrirem a feira, as empresas também detalharão seus projetos de expansão, estratégias de negócios e perspectivas para 2011. Sozinha, a Brado Logística promete aplicar R$ 1 bilhão em serviços, infraestrutura e equipamentos nos próximos cinco anos e, com isso, abocanhar até 15% das operações de transporte ferroviário de contêineres do País.

Já o Grupo Localfrio investiu R$ 10 milhões na formação de uma nova empresa de logística, a Translocal Logística, com sede no Guarujá (SP). Adquiriu recentemente também quatro empresas que no Nordeste, mais precisamente no Porto de Suape. A Santos Brasil concluiu a primeira fase das obras de ampliação do cais do terminal da empresa no cais de Imbituba, entregue em novembro do ano passado, contemplando a liberação de 300

metros. A companhia já injetou R$ 283 milhões no projeto e prevê um investimento total em Imbituba da ordem de R$ 400 milhões. A Libra Terminais também esteve presente na feira e em sua coletiva falará dos novos projetos da companhia. Destaque também para as coletivas do Porto de Marselha, Seqtra, All, Porto Rio Grande, do Ministro de Transportes e Obras Públicas do Uruguai, Enrique Pintado e da Saraiva Equipamentos.

eLandia tem participação majoritária da Medidata A eLandia International concluiu a aquisição de 79,7% da Medidata Informática, a mais tradicional integradora de sistemas de informação e de redes de comunicação do Brasil, e subsidiária da Amper, com sede em Madri. A aquisição permitirá à eLandia continuar com a estratégia de expansão de seu portfólio de soluções tecnológicas e serviços na América Latina, com foco nas áreas de Finanças, Telecomunicações, grandes empresas e setores do Governo. Com sede em Miami, a eLandia oferece, na América Latina, por meio de sua filial Desca, uma gama de tecnologias de informação e serviços de comunicações para clientes em 17 mercados. A Medidata vem operando no Brasil desde 1976 e oferece soluções integradas de comunicação para atender às necessidades das

operadoras de telecomunicações, das grandes empresas, financeiras e clientes do setor público. Como resultado desta integração, os clientes brasileiros terão acesso aos serviços de um parceiro confiável, líder regional em soluções de tecnologia em outros importantes países da América Latina. Além disso, as soluções Desca serão disponibilizadas no Brasil, um mercado com investimentos em tecnologia, que conta com uma parcela considerável no volume total de negócios na região. Os sólidos portfólios de produtos e serviços complementares das duas companhias vão acelerar a sua capacidade de sincronizar as vendas e de oferecer serviços. A Medidata e a Desca serão capazes de compartilhar um conjunto unificado de conhecimentos técnicos para gerenciar de forma eficiente gran-

des projetos de integração de alta complexidade em toda a América Latina. A plataforma integrada regional incluirá também os CTT, os serviços subsidiários em treinamento e educação da eLandia, permitindo-lhe ampliar os seus serviços e programas premiados no Brasil, além de fornecer soluções completas, de ponta a ponta para os clientes. "A América Latina e o Caribe oferecem muitas oportunidades de crescimento no mercado de tecnologia e o Brasil realiza com êxito nossos planos de cobertura. Toda a região teve um incrível progresso econômico e social e continua emergindo como um parceiro de negócios líder da China, da Europa e dos Estados Unidos. Ampliar nosso alcance no Brasil, uma das dez maiores economias do mundo, é uma grande oportunidade para o

nosso grupo e nos posiciona como um participante-chave na transformação do setor de Soluções de Tecnologia da América Latina", comenta o CEO da eLandia, Pete R. Pizarro. "A combinação oferece às duas empresas uma forma eficaz de ajudar a garantir que as nossas soluções estejam circulando em todas as operações dos clientes, independentemente dos países onde estejam situadas. Isso também dá aos nossos clientes a confiança em nossa capacidade de interagir com eles em projetos de qualquer tamanho, desde aqueles de porte médio até os de missão crítica", diz o CEO da Medidata, João Lara.Como resultado da transação, a região latino-americana contará com o suporte de mil profissionais de tecnologia, que trabalharão em equipe nas 26 filiais, atendendo a uma ampla gama de clientes.

Apex-Brasil e Simulador online CECOMPI renovam fornece agilidade na convênio aerospacial aprovação de crédito A (Apex-Brasil) e CECOMPI)renovaram, nesta terça-feira (05/04), convênio do Programa Setorial Integrado (PSI) para promover o setor aeroespacial brasileiro. O primeiro convênio foi executado durante o biênio 2009/ 2010 e gerou mais de US$ 38 milhões em exportações. "A parceria da Apex-Brasil com o CECOMPI tornou-se referência para a promoção comercial do setor aeroespacial do país, confirmada pelos seus resultados", afirma o presidente da Agência, Mauricio Borges. "Já na execução do primeiro convênio, verificamos a grande atuação do CECOMPI no sentido de atrair novas empresas para o convênio e, ao mesmo tempo, de incentiválas a participarem das ações de promoção comercial". Nessa nova etapa, a reno-

vação do convênio tem como objetivo aumentar o número de empresas exportadoras participantes, a fim de estimular as demais empresas do grupo a incrementar a visibilidade do polo no mercado internacional, além de mapear as oportunidades de negócios , induzindo o dinamismo comercial das empresas e sua adequação ao nível de competitividade exigido nos mercados externos. O convênio visa, ainda, estruturar o esforço promocional de modo a capacitar as empresas em marketing internacional de acordo com seu estágio exportador e promover a formação de redes colaborativas que possibilitem a oferta de soluções completas e o posicionamento em nível superior na cadeia de fornecimento.

O financiamento imobiliário se tornou uma alternativa a tradicional poupança quando se pensa em adquirir um imóvel. Uma das vantagens do financiamento é a possibilidade de investir sem recursos próprios em um imóvel, se beneficiando com sua futura valorização. Com a maior oferta de crédito, com juros mais acessíveis e prazos maiores, muitas pessoas vem se interessando por essa modalidade e, para isso, simuladores online proporcionam sem burocracia uma consulta gratuita para análise de aprovação de crédito. Em Curitiba, a empresa Diamon Project & Finance, especializada em Projetos, Financiamento Empresarial e Financiamento Imobiliário oferece ser-

viços que visam assessorar o cliente na busca do crédito mais barato disponível no mercado, agilizando o processo burocrático com um simulador online gratuito que auxilia na aprovação do crédito em até 24h. A operação permite ainda escolher entre os diversos tipos de financiamento e instituições financeiras, para que o cliente escolha as opções que mais se adaptem à sua realidade. Para o empresário Marcos Chagas, que está à frente da Diamon em seus diferentes segmentos, a possibilidade de adquirir um imóvel residencial ou comercial com um financiamento em que o imóvel pode ser pago em até 30 anos é muito vantajosa porque possui as melhores taxas e condições do mercado.

"Trava Carro" ganha mercado em Curitiba Um sistema de segurança para veículos, sem similar nacional, esta sendo fabricado em Curitiba e vem conquistando mercado. Trata-se do "Trava Carro", que bloqueia totalmente a roda impedindo movimentação do veículo, utilizando um sistema de sensor de fácil instalação. Conforme explica o Gerente de Comercialização do sistema, o empresário João Antonio Pagliosa, "com o Trava Carro, basta carregar o sensor de presença junto consigo e o seu veículo estará com o sistema de bloqueio ativado. O

CMYK

sistema é composto de uma válvula solenóide posicionada próximo a roda de tração, a qual quando aberta, impulsiona óleo de freio; uma inteligência embarcada adaptada sob o painel que na ausência de sensor abrirá a válvula solenóide e um sensor de presença." Já Kalau Marlene, que é uma das representantes do produto para Curitiba e Região Metropolitana, o "Trava Carro" traz ao mercado um novo conceito em segurança veicular que através de seu sistema de bloqueio mecânico oferece alta segurança para veículo e

comodidade para o usuário .Segundo Kalau "a aceitação do produto está indo muito bem porque é um sistema inovador de bloqueamento veicular por afastamento. Ou seja não necessita de chave para ativar ou desativar o sistema. Basta apenas estar de posse do "sensor de presença". O bloqueio ocorre através do travamento das rodas do veículo ao ser acionado o freio na ausência do sensor" O sistema "Trava Carro", é fácil de instalar, não descarrega a bateria do veículo, tem

consumo zero de energia com o veículo desligado. Para acionar o sistema com o veículo estacionado, bastar desligá-lo e pressionar o freio moderamente. O "Trava Carro" é fabricado em Curitiba pela KMB Metais - Indústria e Comércio de Máquinas e Equipamentos que tem como proprietário o Engenheiro Mecânico Nilton Olydir da Cruz Britto, criador do sistema. Mais informações e agendamento para demonstração pelos fones (41) 3229-5581 - 8461-1201 - 9907-4721.

ParkShoppingBarigüi nas redes sociais O ParkShoppingBarigüi começou a entregar pares de ingressos a 50 seguidores do endereço @bariguishopping que foram premiados com entradas para o Risorama, espetáculos de comédia do Festival de Curitiba. Os 50 seguidores do perfil @bariguishopping que responderam de forma criativa, por meio do Twitter, a seguinte pergunta: "Por que você merece assistir ao Risorama no ParkCultural @bariguishopping?" ganharam o prêmio. Os vencedores foram avisados por mensagem direta via rede social e podem retirar os ingressos no SAC do shopping. Os espetáculos do Risorama serão apresentados no Park Cultural, o novo espaço de eventos do ParkShoppingBarigüi. Acompanhando sempre a evolução das redes sociais o shopping também lançou a promoção no Foursquare. O concurso irá premiar os 20 primeiros participantes que efetuarem 10 check-ins, como são chamadas as visitas feitas no shopping, com pares de ingressos para qualquer filme que estiver em cartaz no Cinemark Barigüi. De acordo com o regulamento, cada participante poderá efetuar um check-in por dia. Para participar, basta estar cadastrado no Foursquare e acompanhar o ParkShopppingBarigüi no endereço http://foursquare.com/venue/1393605. As participações podem ser cadastradas até 24 de abril, data do término da promoção. Os nomes dos vencedores serão divulgados no site do shopping e os mesmos deverão retirar os ingressos até o dia 2 de maio, no Serviço de Atendimento ao Cliente, piso térreo, loja 119. Consulte o regulamento no site http:// www.parkshoppingbarigui.com.br/blog/regulamento-concurso-cultural-foursquare/

Voitel prepara lançamento de loja virtual de serviços O grupo Voitel acaba de lançar seu novo site. Com o objetivo de adequar a identidade visual da empresa e ressaltar que o grupo é composto por duas unidades de negócios (Conferência e Telecom), o novo site é completamente diferenciado em relação a todas as empresas de telefonia que operam no mercado brasileiro. "Nós identificamos a necessidade de melhorar a navegabilidade do site atual e chegamos a conclusão que a simplificação seria a melhor solução", informa Pedro Suchodolski, CEO da Voitel Conference. O serviço de extranet de cada unidade poderá ser acessado através desse mesmo portal que vai oferecer os mais variados serviços online, com uma única senha que vai facilitar o gerenciamento das contas dos serviços utilizados, principalmente em conferência. Os clientes também poderão solicitar segunda via da fatura dos serviços.

Portal de brindes já atinge quase 6 mil acessos por dia Luiz Roberto Salvador, presidente da Bríndice, está comemorando o sucesso do lançamento do novo Portal Bríndice. Com apenas um mês desde sua implantação, o novo portal (www.brindice.com.br) já bateu os 6 mil acessos diários, um volume totalmente acima da expectativa inicial, que era atingir 5 mil acessos/dia até o fim do primeiro semestre. Luiz Roberto acredita que o sucesso do portal deve-se às facilidades oferecidas para os visitantes e compradores de brindes. Além de concentrar uma enorme quantidade de fornecedores em um único local, o site tem um design moderno e com uma ampla janela de navegação, que facilita a procura das empresas pelos artigos de seu interesse. Por exemplo, é possível colocar vários orçamentos no mesmo carrinho, ou procurar os itens por categoria de produtos, por datas comemorativas, cidade, preços, cor etc. No portal, que demandou investimento de R$ 250 mil, são oferecidas mais de 5 mil opções em brindes, com cerca de 400 empresas anunciantes. Tudo é organizado por ordem alfabética, com muitas fotos e informações.

IVECO tem recorde histórico de vendas no mês de março A Iveco fechou o mês de março com recorde histórico no Brasil, com 2.114 unidades vendidas no atacado. Com isso os números de vendas da fabricante no trimestre também se destacaram com 5.022 unidades vendidas, um volume 49% superior ao mesmo período do ano passado. Os números do emplacamento também foram positivos e mantém a Iveco como a marca que mais cresce entre as líderes do mercado. No total foram 4.298 unidades emplacadas no trimestre, um volume 73% superior ao mesmo período de 2010. De acordo com Marcelo Bouhid, gerente de marketing da Iveco, o principal destaque no volume total de emplacamento no trimestre foi no segmento de semipesados, onde a montadora emplacou 1.062 unidades, um volume 149% maior que o primeiro trimestre de 2010. Esse número foi puxado principalmente pelo modelo Tector, que tem sido um dos grandes trunfos da Iveco em seu plano de crescimento de vendas no país. A boa performance do Tector potencializou as vendas totais da montadora, fazendo seu market share subir para 8,9% no acumulado dos três primeiros meses do ano, 1.1 p.p. acima do fechamento de 2010.

Aplicativo para o setor de turismo é lançado em Curitiba O presidente executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel-PR), a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika, a consultora do Sebrae/PR, Patricia Albanez, e o presidente do Curitiba Convention & Visitors Bureau, Dario Paixão, lançaram o aplicativo "Curitiba Curit!ba" durante o 17° Salão Paranaense de Turismo. O aplicativo é resultado do trabalho das quatro entidades e está disponível gratuitamente na Apple Store para iPAD, iPOD e iPHONE. "Com o aplicativo, o turista terá acesso a informações sobre a cidade e sobre os serviços que oferece, como hotelaria, gastronomia e transporte", declarou Dario Paixão, presidente do Curitiba CVB. As incrições são feitas na seção Humanas do site. O custo é R$ 10. Toda a comunidade pode participar.

07-04-11 Indústria&Comércio  

jornal, economia, parana, curitiba

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you