Page 1

WWW.ICNE WS.COM.BR

Indústria&Comércio CURITIBA, SEXTA-FEIRA A DOMINGO, 1º A 03 DE JUNHO DE 2012 | ANO XXXV | EDIÇÃO Nº 8638 | R$ 1,50

DIÁRIO. MAIS QUE NOTÍCIAS. INTELIGÊNCIA. CONHECIMENTO.

Cesar Brustolin/SMCS

Aroldo Murá NAZISTAS NA AMAZÔNIA, O “FURO” DE FULLGRAF Frederico Fullgraf é um escritor, cineasta e jornalista teuto-brasileiro. Veio criança para o Brasil mas fez anos de estudos na Alemanha, onde trabalhou. Um dos bons exemplos de seu espírito de repórter é o ter levantado e publicado, em revista nacional, o episódio dos nazistas na Amazonia. Matéria, aliás, muito plagiada por gente de todos os calibres.

A Prefeitura de Curitiba e a Associação Comercial do Paraná (ACP) têm um pacto pela sustentabilidade urbana, ambiental e social que será levado à Rio + 20

PÁGINA A3

INDICADORES FINANCEIROS MERCADO À VISTA MAIORES ALTAS

COTAÇÃO

SPRINGS CETIP FII TORRE AL JOSAPAR REDE ENERGIA

0,02 2,50 3.100,00 14,99 3,70

MAIORES QUEDAS

COTAÇÃO

KROTON CRUZEIRO SUL AMERICEL CCX CARVAO USIMINAS

2,31 9,01 5,00 5,90 9,26

Prefeitura e ACP têm pacto pela sustentabilidade para a Rio + 20 Município e empresariado debatem ações comuns para o crescimento ordenado da capital A Prefeitura de Curitiba e a Associação Comercial do Paraná (ACP) têm um pacto pela sustentabilidade urbana, ambiental e social que será levado à Rio + 20, a Conferência da ONU sobre Desen-

IBOVESPA MAIORES ALTAS*

COTAÇÃO

ITAUSA CYRELA REALT LOCALIZA HYPERMARCAS KLABIN S/A

MAIORES QUEDAS

8,79 15,15 32,20 11,00 8,46

9,26 5,46 6,40 8,53 8,06

CÂMBIO Moeda

Compra

Venda

1,9200

2,0600

Dólar comercial 2,0164

2,0175

Dólar turismo

Dólar paralelo

Euro

1,5900

1,7300

2,4995

2,5018

tidas na noite de quarta-feira (30) na ACP com a presença do prefeito Luciano Ducci. PÁGINA A4

Bebidas pagarão mais impostos a partir de outubro

Emprego e renda dos trabalhadores melhoram no primeiro trimestre

CNI aponta aumento da confiança do consumidor brasileiro

PARANÁ | A5

PARANÁ | A5

PÁGINA A5

COTAÇÃO

USIMINAS JBS MMX MINER USIMINAS GOL

volvimento Sustentável, de 13 a 22 de junho no Rio de Janeiro. As ações comuns do município, do empresariado e da sociedade organizada para o crescimento ordenado da cidade foram deba-

Resultado da indústria é marcado pelo fraco desempenho da indústria automobilística

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, considera que a nova redução da taxa de juros, somada às recentes medidas de estímulo à economia, abre caminho para que o governo federal avance na realização das reformas estruturantes necessárias. “A redução dos juros ao patamar mais baixo da história é mais um sinal de que vivemos um bom ambiente para que sejam atendidos os clamores da sociedade”, afirma.

Ouro (Grama/R$): 198,63

Previdência divulga orientação para cálculo de aposentadoria por invalidez Os benefícios da aposentadoria por invalidez do servidor que ingressou no serviço público antes de 31 de dezembro de 2003 serão calculados com base na remuneração do cargo efetivo e não mais com base na média das remunerações mais altas. O Ministério da Previdência publicou na quinta-feira (31/05), no Diário Oficial da União, as orientações a estados e municípios sobre a revisão dos valores dos benefícios concedidos a partir de 2004. Decisão judicial põe fim à greve no Porto de Santos Após dois dias de paralisação, os 7 mil trabalhadores avulsos do Porto de Santos voltaram às atividades na quinta-feira (31/05). Decisão do Tribunal Regional do Trabalho, proferida na quarta (30), determinou que as operações fossem mantidas com, no mínimo, 70% do efetivo convocado pelo Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), entidade responsável por controlar a escala de trabalho no porto.

PÁGINA B4

A produção de veículos automotores (o que inclui carros, caminhões, motos e peças) teve uma redução de 17,9% nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2011. Apenas os automóveis tiveram uma queda acumulada de 14,9% entre janeiro e abril deste ano. PÁGINA A5

xxxxxxx

Editorial I&C

O mundo a caminho da economia verde

E

m um planeta cada vez mais devastado pela ação humana - com queimadas, desmatamento, liberação de gases nocivos em níveis prejudiciais e tantas outras práticas típicas do universo industrial e urbano -, é admirável a ação de setores da sociedade no sentido de fomentar a economia verde.

R

elatório divulgado por um grupo de especialistas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Internacional de Empregadores (OIE) e da Confederação Sindical

Internacional (CSI), mostra que em 20 anos seriam criados entre 15 e 60 milhões de novos empregos no mundo se todos os países adotassem uma economia mais verde como modelo de desenvolvimento.

A

oportunidade está aí. São serviços e produtos que podem ser desenvolvidos no sentido de proteger a natureza e, consequentemente, a vida da população. Os recursos naturais e o crescimento econômico são perfeitamente ajustáveis entre si, basta apenas o desenvolvimento de uma cultura mais respeitosa com a vida - dever de cada um.

EDITAIS NA PÁGINA A7

Pedro Washington

Momento sério O cenário político brasiliense talvez só tenha, em termos de tumulto, tido fase igual em 1964, quando as famosas forças ocultas que Jânio identificara como responsáveis pela sua renúncia, mobilizaram-se para derrubar Jango Goulart.

Casa Cor Paraná 2012 abre hoje com 45 ambientes A partir de hoje (1º), a Casa Cor Paraná 2012 estará aberta ao público. A 19ª edição do evento no estado acontece na Casa Cultural União Juventus, em Curitiba, até o dia 11 de julho. Ao todo, 45 ambientes e mais de 70 profissionais de arquitetura, decoração e paisagismo participam da mostra, que contempla áreas residenciais, corporativas, infantis e espaços de gastronomia e lazer.

PÁGINA | A2

CENTRAL DE ATENDIMENTO: 41 3333.9800 CMYK

Fiep: Queda de juros abre espaço para ações ousadas

E-MAIL: PAUTA@INDUSCOM.COM.BR

PÁGINA B4


Geral/Curitiba

“Nascemos de um só modo, morremos de muitos.” Sêneca

Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A2 | Indústria&Comércio

Previsão do tempo

Mín.: 12° Máx.: 17°

fonte: www.simepar.br

No decorrer da sexta-feira a estabilidade atmosférica se estabelece nos setores do sul, oeste e norte do estado, com nebulosidade variável e sem chuvas. No centro-leste e nos Campos Gerais os ventos do quadrante leste mantêm a grande cobertura de nuvens, e a disponibilidade de umidade favorece para a ocorrência de chuvas fracas e isoladas ao longo do dia. As temperaturas permanecem amenas inclusive no período diurno na maior parte do estado.

Porto de Paranaguá

Appa readequa normas relativas aos fertilizantes Administração dos Portos quer dar mais transparência ás operações

A prpress@terra.com.br

PanoramaPolítico Pedro Washington

Momento sério

O cenário político brasiliense talvez só tenha, em termos de tumulto, tido fase igual em 1964, quando as famosas forças ocultas que Jânio identificara como responsáveis pela sua renúncia, mobilizaramse para derrubar Jango Goulart. Mobilizações como hoje não se consegue mais em virtude talvez da descrença do povo em seu poder de fazer com que “o poder seja realmente exercido em seu nome” como prevê o capítulo primeiro da nossa Constituição. Constituição que vê sua principal salvaguarda, o STF, envolvido em discussões que envolvem seus ministros e um ex-presidente. O tumulto que já era grande pela expectativa de julgamento de uma das grandes malfeitorias já praticadas neste país, o mensalão, viu-se ampliado pela descoberta do envolvimento de contraventor (jogo no país é contravenção não é crime) com os meandros da administração pública e agora, com supostas tentativas de cooptação de ministros do STF em favor da prorrogação do julgamento do dito cujo mensalão. Situação complexa que pode levar a dificuldades imensas pelo desestruturado cenário político brasileiro, eivado de partidos sem filosofia. Campo ideal para que os mal intencionados – e eles dominam - exercitem seus interesses. Uma única certeza: se o momento não for aproveitado para dar novos rumos à política brasileira, dias difíceis virão pela frente. A responsabilidade da mulher que hoje comanda o país aumenta de importância. É fundamental que ela não se deixe manipular por visão eleitoreira do momento. A gravidade dos problemas postos exige uma atuação de estadista que infelizmente não tem sido a postura dos dirigentes mais recentes.

Versões e desmentidos

Há uma versão correndo os corredores palacianos em Brasília e dois desmentidos. A versão, mesmo que tardia dada pelo ministro Gilmar Mendes e as afirmações de Lula e Nelson Jobim, desmentindo-o mas não dando suas próprias visões do tenebroso encontro entre eles. Uma verdade foi restabelecida: Jobim, depois de informar que o encontro fora casual, admitiu ter convidado Mendes. A pedido de Lula.

Maiores explicações

Acossada pelas denúncias divulgadas pela Gazeta do Povo, a cúpula da Segurança compareceu à Assembleia. Pelo atraso com que chegaram pouco tempo tiveram para um diálogo mais aprofundado com os parlamentares. Limitaram-se a afirmar que os desvios já eram de conhecimento do Secretário e seus auxiliares diretos e que os desvios eram rotina numa estrutura desordenada. Nada convincente porém! O assunto, pela sua gravidade, merece maiores esclarecimentos.

Dinheiro público na parada

Passou na AL o pedido de empréstimo do governo junto ao BNDES para reemprestar ao Atletico, tendo em vista a conclusão do seu estádio para a Copa. Ainda assim uma situação mal explicada na medida em que se sabe agora, o potencial construtivo do clube aumenta, reduzindo o que lhe cabe pagar no empréstimo. Trocado em miúdos: Prefeitura e Estado pagarão mais do que ele.

Ficha suja, fora!

Passou também na Câmara de Curitiba o projeto que proíbe a contratação para cargo comissionado de pessoas envolvidas em situações ilegais. Com a emenda do professor Galdino que estende a proibição ao Legislativo municipal. Como em campanha política “ficha limpa” não é exigida no apoio a candidaturas, quem estiver estigmatizado que receba antes.

Em choque

Com a chegada de junho, mês das convenções municipais, os prazos para definições de candidaturas e seus respectivos vices, afunilam-se. Em Curitiba, ainda nenhuma definição. As candidaturas anunciadas ainda não completaram suas chapas. Luciano Ducci, Gustavo Fruet, Ratinho Jr., Rafael Greca e outro menos votados ainda não sinalizaram em que companhia irão para as urnas.

Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) está readequando as normas do segmento de fertilizantes com propósito de dar maior clareza e transparência às operações portuárias no Porto de Paranaguá. Para isso, a Appa está promovendo audiências com todos os operadores portuários do segmento de fertilizantes, com o Sindicato da Indústria de Fertilizantes, com representantes da Secretaria da Agricultura do Paraná, Secretaria de Infraestrutura e Logística, Federação da Agricultura do Estado do Paraná, Organização das Cooperativas do Estado do Paraná, entre outras autoridades. “Nosso objetivo é ouvir a sociedade, em especial todas as empresas envolvidas no segmento de fertilizantes de forma a garantir o interesse público e principalmente a isonomia na prestação dos serviços portuários. Temos que oferecer condições de igualdade para todos os operadores. Somente assim vamos garantir a competitividade nos Portos e atender o compromisso de reduzir os custos finais de insumos e fertilizantes ao segmento agrícola”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino. A iniciativa de promover a revisão das normas relativas ao segmento de

Estão sendo feitos levantamentos quanto às operações de fertilizantes nos últimos anos em Paranaguá.

fertilizantes se deu após a constatação de algumas não-conformidades no sistema como a falta de clareza nos procedimentos de uso das instalações públicas, preferências de atracação para determinadas empresas em detrimento de todas as demais, índices de produtividade questionáveis e principalmente a

O Paraná é o estado com maior número de pedidos de financiamento aprovados na atual safra pelo Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), que o governo federal lançou em 2010 para incentivar a adoção de técnicas agrícolas sustentáveis. No atual ano agrícola (julho 2011/ julho 2012), foram financiados 457 contratos no Estado, no valor total de R$ 122 milhões. Depois do Paraná, o estado com maior número de contratos é Minas Gerais, com 424.

O valor total previsto para o programa na atual safra é de R$ 3,5 bilhões. De acordo com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, embora o Paraná não seja líder em valor liberado – posição que, segundo o Banco do Brasil, cabe a São Paulo –, o expressivo número de propostas aprovadas mostra que a ideia de promover uma agricultura sustentável começa a se disseminar no Estado. A maior parte dos financiamen-

tos no Paraná foi direcionada para recuperação e reforma de pastagens, plantio direto na palha, plantio de florestas comerciais, que são práticas previstas em programas de agricultura sustentável. Também foram financiados projetos de tratamento de dejetos animais. A elevada adesão de produtores paranaenses ao Programa ABC é atribuída à tradição do Estado como tomador de crédito rural e à qualificação dos profissionais de ciências

agrárias e florestais que orientam os produtores. Além disso, a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento promoveu a articulação com 13 instituições dos setores público e privado, que passaram a integrar um grupo gestor do Programa ABC. O programa tem como diretriz a implementação de uma agricultura com balanço positivo de carbono, proporcionando estabilidade e incremento na produção de alimentos.

Comerciantes aprovam a renovação Revitalização da Rodoviária urbana da rua Augusto Stresser começa neste mês Comerciantes da rua Augusto Stresser estiveram ontem no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) acertando os últimos detalhes antes do início das obras de renovação urbana da rua, previsto para o próximo mês. A rua terá calçadas novas, iluminação diferenciada para pedestres, reformulação viária para aumentar a segurança no trânsito e paisagismo especial. As obras revitalizarão a vocação comercial da rua, atraindo mais pessoas para a região. As obras da Augusto Stresser fazem parte de plano de renovação urbana que envolve ainda outras cinco ruas da cidade e que já conta com financiamento aprovado pelo governo estadual dentro Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU). “Não podemos deixar essa oportunidade passar. Melhorias estão acontecendo em várias outras ruas

comerciais da cidade como a Teffé, a Júlia da Costa entre outras, e agora chegou nossa vez de fazer com que a Augusto Stresser seja uma das ruas mais bonitas e atrativas da cidade”, destacou a presidente da Associação de Lojistas da Rua Augusto Stresser, Márcia Carazzai Sorgenfrei. A preocupação dos comerciantes da Augusto Stresser é de assegurar que as obras causem o mínimo de transtornos durante o período do fim de ano, já que a previsão, depois de assinada a ordem de serviço, é de 10 a 12 meses para conclusão. Faixas de estacionamentos na rua foi outro assunto bastante discutido na reunião que contou a presença de cerca de 50 lojistas e moradores da região. O presidente da Associação Comercial do Paraná, Edson Ramón, a vereadora Julieta Reis também estiveram presentes.

Comissão de Revisão do Regimento analisa sugestões

CMYK

Além da readequação das normas, a Appa iniciou uma auditoria completa nos registros da obra do terminal de fertilizantes, inoperantes desde a sua construção, em 2009. Estão sendo feitos levantamentos quanto às operações de fertilizantes nos últimos anos em Paranaguá.

Paraná lidera operações do Programa de Agricultura de Baixo Carbono

Informe da Câmara Municipal de Curitiba A Comissão de Revisão do Regimento Interno da Câmara Municipal teve, na tarde de quarta-feira (30), sua terceira reunião. Com nova composição, os vereadores deliberaram sobre sugestões apresentadas do artigo 1º ao 38. Outros temas, como licença, deveres, perda do mandato e justificativas dos parlamentares a faltas (este com projeto de lei em tramitação na Casa) tiveram o debate adiado. As sugestões de alteração acatadas abrangem questões compreendidas pela

utilização de instalações pública com isenção de tarifas. “O Porto de Paranaguá é público e nos cabe selar pela igualdade de condições a todos os agentes que queiram utilizar as nossas instalações. Ou seja, garantir a isonomia e igualdade de condições a todos”, afirma Dividino.

nova Lei Orgânica do Município (LOM), promulgada em dezembro do ano passado após revisão dos vereadores, como a vedação da reeleição para os cargos da Mesa Executiva. Outra proposta defendida foi a regulamentação dos blocos partidários para contemplar siglas que elejam apenas um vereador, e a consequente adequação de itens do Regimento Interno quanto à sua atuação. Os parlamentares deliberaram pela criação de blocos partidários com, no mínimo, três integrantes. Algaci Tulio (PMDB),

Caíque Ferrante (PRP), Paulo Salamuni (PV) e Professora Josete (PT) apoiaram a regulamentação dos grupos de parlamentares de diferentes legendas, para garantir a representatividade em atividades como a eleição da Mesa Executiva e a composição de comissões. O vereador Paulo Frote (PSDB), presidente da Comissão de Revisão do Regimento Interno, agradeceu a participação dos parlamentares e diferentes áreas técnicas do Legislativo para o bom andamento das atividades.

A Prefeitura de Curitiba vai começar neste mês de junho a revitalização da Rodoferroviária. A obra faz parte da preparação para a Copa do Mundo da FIFA 2014 e ficará pronta em setembro de 2013. “Antes do Mundial a população já terá os benefícios desta importante obra”, diz o prefeito Luciano Ducci. Entre as mudanças está prevista a contrução de 16 conjuntos sanitários, fraldário, 560 assentos

na área de embarque, praça de alimentação climatizada com 142 metros quadrados, restaurante para 56 lugares e novos estacionamentos. Também serão implantadas salas de espera climatizadas, restaurantes e o setor de serviços institucionais (Urbs, Dnit e Juizado). Haverá painéis indicativos com informações de chegada e saída dos ônibus, similares aos existentes em aeroportos.

EXPEDIENTE

Diário

Indústria&Comércio Fundado em 2 de setembro de 1976

Circulação segundas, terças, quartas, quintas, sextas e sábados.

Fundador e Presidente Odone Fortes Martins Reg.Prof. DRT/PR: 6993 (ofm@induscom.com.br) Administração Irene Morva Martins (diretoria@induscom.com.br) Diretor de Redação Eliseu Tisato Reg.Prof. DRT/PR: 7568 (editor@induscom.com.br) Redação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fone: (41) 3333.9800 E-mail: pauta@induscom.com.br Publicidade Legal e Assinaturas: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3334.4665 e-mail: publegal@induscom.com.br

Parque Gráfico e Circulação: Rua Imaculada Conceição, 205 - Curitiba - PR Fones: (41) 3333.9800 | 3322.1012 Direção e Comercial: Rua Presidente Faria, 533 Centro - Curitiba - CEP: 80020-290 Fone: (41) 3322.1012 e-mail: diretoria@induscom.com.br comercial@induscom.com.br

NEW CAST PUBLICIDADE & MARKETING BRASÍLIA E RIO DE JANEIRO Atendimento : Flávio Trombieri Moreira – Cel.: (61) 8155 2020 Endereço: SRTVS Quadra 701 Bloco K Sala 624 – Edifício Embassy Tower – Brasília DF - Cep.: 70.340 – 908 Fone/Fax: (61) 3223 4081 E-mail: new.cast@uol.com.br / new.cast@hotmail.com

Os artigos assinados que publicamos não representam necessariamente a opinião do jornal.


Geral/Estadual Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A3

Aroldo MuráG.Haygert

REPERCUTINDO – 3 aroldo@cienciaefe.org.br

PLAGIÁRIOS EM EXPEDIÇÃO NAZISTA À AMAZÔNIA Frederico Fullgraf, cineasta, escritor, jornalista “freelancer”, correspondente no Brasil da revista “Mare”, editada em Hamburgo, está indignado com as publicações não autorizadas de seus textos jornalísticos. Sem consulta prévia e, obviamente, sem o devido pagamento, reportagens de Fullgraf, verdadeiros “furos” no jargão jornalístico, estão sendo reproduzidas mundo afora. Fullgraf, alemão de nascença, mas vindo em tenra idade para o Brasil, tornou-se curitibano por formação. Frederico Fullgraf: inquieto, criativo “Globetrotter”, conhece quase o e vítima de plágios. mundo inteiro, viveu anos na Alemanha, estudando e trabalhando, mas tem raízes em Curitiba, onde passou a infância e adolescência, e aqui vive atualmente. Sem muito estímulo no ambiente local, enfrenta ainda o dissabor de ver suas reportagens e outros textos usados sem a sua permissão. A mais recente lesão aos direitos autorais sofrida pelo jornalista teuto-brasileiro é a publicação não-autorizada de “Nazistas na Amazônia”, um “furo” de reportagem sobre a história de alemães que desembarcaram no Jari em 1935 para uma confusa e misteriosa expedição científica.

ATÉ SPIELBERG

Ele conta que seu envolvimento com o assunto começou em 2003, por meio de uma página encontrada por acaso na Internet, intitulada “A rota do nazismo na Amazônia”, em referência ao livro sobre uma misteriosa expedição alemã. “Minha primeira reação foi a lembrança da teoria da conspiração tramada no livro A crônica de Akakor (Editora Bertrand, 1977) do correspondente da rádio alemã no Brasil, Karl Brugger – assaltado e assassinado no final de 1983 à saída de um restaurante no Leblon, Rio de Janeiro. Nele Brugger propagava a invencionice contada Spielberg: no rol dos plagiários. nos anos 1970 por um falso índio, de uma “expedição nazista à Amazônia”, ocorrida no final da 2ª. Guerra Mundial – crônica esdrúxula reciclada em 2007 por Steven Spielberg. Plágio bilionário, o cenário apoteótico de Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal é a “cidade perdida” de Akator, supostamente uma “base subterrânea de nazistas na Amazônia”.

TEMA CINEMATOGRÁFICO

O cineasta americano, tratando dos fatos à sua maneira, de certa forma adiantou-se a Fullgraf, que estava “guardando” o assunto também para aproveitamento cinematográfico. Este é o seu depoimento:”No curso destes anos resisti à publicação do que sabia sobre o Jari para

não comprometer um projeto cinematográfico há muito acalentado. Contudo, o episódio atraiu o interesse da revista alemã Der Spiegel, cujo correspondente no Brasil resolveu adiantar-se, publicando o livro Das Guyana-Projekt (O Projeto Guiana). Resisti em lê-lo para não me deixar influenciar, mas a publicidade dada ao assunto na Alemanha justificou a abertura de uma modesta janela no Brasil”. A primeira narrativa sobre a expedição encontra-se em livro “publicado pela Deutscher Verlag em 1938, em plena ditadura nazista, Rätsel der Urwaldhölle” – “Mistérios do inferno da selva”.com dezenas de fotos, inclusive um flagrante em que que a bandeira com a suástica tremula alegremente na popa de uma canoa, sobre o Jari”.

Conta a versão oficial da aventura que em outubro de 1935 desembarcam em Belém do Pará três jovens aviadores alemães, acompanhados de 11 toneladas de bagagem. Além do inexplicável “arsenal” trazido, os alemães não abriram mão do conforto, em plena selva amazônica, de cobertores de pelo de camelo e roupa de cama. Eram eles Gerd Kahle, Gerhard Krause e o líder da expedição, Otto Schulz-Kampfhenkel. Ao contrário da informação, falsa, veiculada pela imprensa internacional, Joseph Greiner, sepultado sob a cruz do Jari, não foi integrante do Esquadrão de Pesquisas Schulz-Kampfhenkel, vindo da Alemanha, mas, provavelmente, contratado no Rio de Janeiro. Explica o líder da expedição: “ já que eu estou no Rio de Janeiro, tento encontrar algum landsmann (patrício), criado no País e versado em Português. Depois de muito procurar, eis que encontro o sujeito certo: Joseph Greiner, auslandsdeutscher (alemão criado no exterior), jovem marinheiro, empreendedor e confiável, que se soma como quarto integrante ao nosso grupo expedicionário, onde terá a função de mestre-bagageiro, capataz e encarregado das provisões. Antes de receber a permissão para subir o Jari, Schulz-Kampfhenkel gastou mais de dois meses com extenuantes despachos aduaneiros e expedientes burocráticos no Rio de Janeiro. Credenciado pelos mais prestigiados institutos de pesquisa e museus de história natural da Alemanha, Schulz-Kampfhenkel conseguiu facilmente a adesão do Instituto Emilio Goeldi, em Belém, e do Museu Nacional, no Rio de Janeiro” .

FORÇAS ARMADAS TAMBÉM

O mais surpreendente é o apoio dado à expedição pelas próprias forças armadas brasileiras, que – comenta Fullgraf – “ ainda não estavam divididas em facções pró-Alemanha e pró-EUA. Por isso, em Belém, o governador José Carneiro da Gama Malcher e o general Manuel de Cerqueira Daltro Filho prestigiaram o comando alemão com sua visita. Os alemães retribuíram a gentileza com um teste do hidroavião modelo “Seekadett”, de “Águia Marinha” e especialmente equipado com flutuadores de compensado e instrumentos de navegação, tudo inédito para os embasbacados dignatários brasileiros. Talvez o entusiasmo brasileiro se devesse à expectativa de lucrar com o componente mais importante da missão: o levantamento topográfico da bacia do Jari até suas cabeceiras, mapeamento até então inédito, mas previsto nos mínimos detalhes pelo geógrafo Schulz-Kampfhenkel”. Não era esse, na verdade, o propósito real dos alemães. Para não incidirmos também no mesmo delito do qual Fullgraf se queixa, remetemos os leitores mais interessados ao site da revista “Brasileiros” na Internet, onde está disponível, na íntegra, o texto sobre a misteriosa expedição. No ano passado, quando organizava CD que acompanharia o livro “Infinita Sinfonia”, antologia de Helena Kolody, mantive contato com a Denise, para inclusão de composições do maestro Henrique de Curitiba, inspiradas em poemas na nossa Poeta Maior e com interpretação da - como você bem caracteriza - “nova diva da ópera”, ela demonstrou amabilidade, gentileza e generosidade. Abraços, Adélia”, Curitiba

“UM TEXTO FLUENTE, ELEGANTE”

OS SARAUS DE STEFANNI MARION

“Prezado Aroldo, tomei conhecimento de sua matéria no site através da poeta Greta Benitez. Achei primorosa e fico muito grato pela divulgação da obra dessa moça tão talentosa e do ciclo de saraus que organizo aqui em São Paulo. Lendo a entrevista verifiquei que meu nome citado foi grafado completamente errado. É possível fazer a correção pelo menos no site? Esse projeto “saraus de todos os céus” é de muito apreço para mim e toda a divulgação e retorno positivo que recebemos é por demais importante. Ainda pretendo homenagear muitos outros. Os saraus estão crescendo e o da Greta foi por demais emocionante. Possuo várias fotos desse evento, caso precise. Aguardo um posicionamento referente à correção do meu nome. Mais uma vez, muito obrigado pela matéria. Forte abraço. Stefanni Marion,” São Paulo, SP RESPOSTA: correção feita. Desculpas pelo equívoco.

ONDE ENCONTRAR O LIVRO

“Senhor jornalista, como bibliotecário, tenho interesse em conhecer o livro Vozes do Paraná 4 e os anteriores. Como adquirí-los? Atenciosamente, Antonio Faustino Becker Filho,” Porto Alegre RESPOSTA: poderá ser solicitado a aroldo@cienciaefe.org.br, ou telefone 041 8809-4144.

ADÉLIA WOELLNER AGRADECE

Da poeta Adélia Woellner, em quem muitos identificam a grande sucessora da inesquecível Helena Kolody, registro: “Prezado Murá: Muitíssimo agradecida por divulgar o convite para o lançamento do livro “Vida Livre - a história do papagaio-de-cara-roxa”. A renda reverterá em favor do trabalho de preservação da espécie. Feliz fiquei, também, ao saber do lançamento do CD da admirável Denise Sartori.

REPERCUTINDO -4

Do médico, cirurgião gersal, e também especializado em stresse, Edmilson Fabbri – que foi personagem de Vozes 3 -, registro a curta e expressiva mensagem desse amigo de anos: “Parabéns mestre, noite maravilhosa. Merecido reconhecimento ao belo trabalho desenvolvido.”

CONTESTADO

VERSÃO OFICIAL

CARTAS Do publicitário José Dionísio Rodrigues, comandante maior do Grupo OM de Comunicação (entre as suas empresas está a OpusMúltipla, uma das maiores agências de publicidade do Paraná), personagem de meu livro Vozes do Paraná 4: “Aroldo, bom dia. Formidável, de novo! É isso que penso sobre o que você e a Claúdia escreveram sobre a minha vida de 65 anos. Vocês foram muito fiéis a tudo o que eu disse, inclusive que não vou à missa todos os domindos. Vou regularmente, mas às vezes - é verdade - falho com essa obrigação José Dionísio Rodrigues de bom católico. O seu texto é fluente, elegante,contagiante. Você procura, realmente, buscar traços únicos na descrição da personalidade. Parabéns.Abração,Rodrigues”, Curitiba.

“Caro Aroldo, me desculpo pela ausência ao lançamento, motivada por um pequeno e ridículo problema de saúde que prejudicou minha mobilidade... na semana passada, fui ferida no dedão do pé esquerdo pela pedicure do Lady&Lord Mueller... apesar de eu ter passado Andolba e Nebacetin e tomado anti-inflamatório, inflamou... fui à médica na segunda-feira passada (14) que fez um doloridíssimo procedimento sem anestesia, estou tomando antibióticos e com dificuldade para andar,dirigir, etc. me desculpe pelos detalhes, só quis explicar o motivo de eu não ter ido! abç, Valéria Prochmann”, Curitiba

História” deste final de semana. Transmitido no sábado, às 7 da noite, e reapresentado no domingo às 8 da manhã, pela rádio E-Paraná Hans 630, o programa coloca em questão os episódios heróicos do conflito ao som de músicas especialmente compostas sobre o tema. “Nossa história”, “a história contada por quem sabe” tem produção e apresentação de Zélia Sell e Guilherme Nascimento e também pode ser ouvido ao vivo pela internet acessando: www.e-parana.pr.gov.br.

Cidadania Italiana

Obter a cidadania italiana não é um processo simples. O candidato ter que juntar uma vasta documentação que comprove a sua origem italiana e o enquadramento a legislação. Há também que esperar numa longa fila que pode demorar anos. Mas este não é o único problema. Além da via sacra que percorre o pretendente, deve, também, suportar as grosserias dos funcionários do Consulado Geral da Itália em Curitiba. Conta-me um leitor e cidadão italiano que sua cunhada, nascida e criada em terras vênetas, em passagem pelo Paraná, teve o infortúnio de necessitar dos serviços do Consulado. Poveretta! Ficou horrorizada com a indelicadeza dos que lá atendem. Quem quiser comprovar, basta telefonar para 3883-1750.

Mau trato e demora não é para todos

Conta-se que um determinado componente em exercício de um tribunal superior de Brasília ( poderia ser o STJ?) usou do “jeitinho brasileiro” para obter favores junto ao Consulado que atende também o Estado de Santa Catarina. Em papel oficial do STJ, com timbre e selo pago pelo Estado, solicitou o titulo de cidadania para seus familiares. Seis ao todo. Comentam os familiarizados com funcionamento e práticas da casa consular que em 60 dias o senhor B, poderá usufruir dos direitos dos cidadãos italianos.

Triste fusão

Conforme a coluna já vinha publicando há meses, foi consumada dias atrás, a fusão entre o Clube Concórdia e o Clube Curitibano, para tristeza dos teuto-brasileiros de curitiba, especialmente os mais tradicionais.

Adélia Woellner: preservando vida selvagem.

AS “BEM BOLADAS”

“Aroldo, a história do Operário e das ‘Bem Boladas’ dá um belíssimo livro ou documentário. É um dos paradoxos curitibanos – num tempo em que, como você mesmo diz, o pessoal era estigmatizado- a comportada Curitiba fazia o baile do Operário. Eloi Zanetti”, Curitiba

A MORTE DE JAIR DE BRITO

“Senhor jornalista: ou estou enganado ou foi, de fato, apenas a sua coluna que noticiou a morte de uma das presenças mais importantes da radiofonia paranaense, o Jair de Britto?”, Melquíades Boeing, São Paulo, SP. RESPOSTA: fizemos o nosso papel, informando. Mas a obra de Jair de Britto merece muito mais, que alguém a levante, mostrando o quanto ele ajudou a modernizar o rádio do Paraná.

REPERCUTINDO

Da jornalista Simone Meirelles, com quem tive a honra de trabalhar neste I&C: “Caro professor, Infelizmente não pude ir ao lançamento do livro (até me programei, mas na última hora houve um imprevisto familiar), mas fico muito feliz em acompanhar em sua coluna o imenso sucesso – merecido – do seu lançamento. Muito bom ver ali pessoas que sabem e reconhecem a imensa colaboração que o senhor dá ao jornalismo paranaense há tantos anos. Não faltarei ao próximo, um grande e carinhoso abraço de sua eterna aluna, Simone Meirelles”, Curitiba

REPERCUTINDO - 2

“Prezado Aroldo, Lamentamos muito pela impossibilidade de estarmos com você em mais uma láurea dessa sua lavra riquíssima. Eu Sandra e Bina não pudemos ir. Sandra fazendo curso em Vitória, Bina com dificuldades de locomoção e eu com os sintomas desagradáveis causados pelas intempéries climáticas. De toda forma, parabenizamos sua glória e temos certeza que já está gravada no livro da vida. Abraço fraterno. Marco Alzamora Sandra e Sabine Wahrhaftig”, Curitiba.

O neto do coronel João Gualberto (João Gualberto de Sá Scheffer), médico e professor, e o jornalista e escritor Milton Ivan Heller, que prepara livro sobre o tema, fazem grandes revelações sobre o Conflito do Contestado durante o programa “Nossa

Disponível na Livraria do Chain, rua General Carneiro, 441 Centro Também no Solar do Rosário, Rua Duque de Caxias, 4 - Centro Ou ainda pelo telefone 041 8809-4144, falar com Hélio.


Geral/Curitiba Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A4 | Indústria&Comércio

Rio + 20

Taxa Selic

Cesar Brustolin/SMCS

Fiep: Queda de juros abre espaço para ações ousadas

Presidente da Fiep considera que ambiente é propício para que o governo atenda ao clamor da sociedade e inicie processo de reformas estruturantes

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, considera que a nova redução da taxa de juros, somada às recentes medidas de estímulo à economia, abre caminho para que o governo federal avance na realização das reformas estruturantes necessárias para o crescimento sustentado do país. “A redução dos juros ao patamar mais baixo da história é mais um sinal de que vivemos um bom ambiente para que sejam atendidos os clamores da sociedade. O momento é propício para que o governo adote ações mais ousadas e inicie o processo de reformas de que o Brasil tanto precisa, como a tributária e fiscal”, afirma. Na noite de quarta-feira (30), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou a redução de meio ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, que passou a ser de 8,5%. O índice é o mais baixo da série histórica, iniciada em 1986. “Essa decisão é muito bem recebida pelo setor produtivo e está de acordo com a preocupação que a presidenta Dilma e sua equipe econômica já vinham demonstrando ao anunciarem as recentes medidas de estímulo à indústria”, diz Campagnolo. “Apesar disso, continuamos com taxas de juros reais entre as mais altas do mundo e há espaço para novas reduções”. O presidente da Fiep ressalta ainda que o fato de a Selic ter chegado a 8,5% , disparando o gatilho que reduzirá o rendimento da poupança, não deve afetar a economia nacional e nem a credibilidade do governo. “A decisão do Copom de forma alguma despreza a poupança interna, mas valoriza o setor produtivo. O governo fez um jogo aberto e foi transparente ao alterar as regras de rendimento da poupança”, conclui Campagnolo.

Curitiba adianta obras do PAC da Copa, diz Caixa Econômica

Brunno Covello/SMCS

O gerente regional da Caixa Econômica Federal, Wilton Cabral, disse que as obras de Curitiba, que integram o PAC da Copa, estão no devido cumprimento de prazo

O gerente regional da Caixa Econômica Federal, Wilton Cabral, disse na quarta-feira, 30, que as obras de Curitiba, que integram o PAC da Copa, estão no “devido cumprimento de prazo” e que a cidade, entre as capitais, “se sobressai” na execução dos projetos previstos no programa do governo federal.     “Curitiba é referência para as demais cidades e a Caixa é a maior parceira da prefeitura em obras e projetos. Hoje, começa a quinta obra, das sete previstas no PAC da Copa. No total, são R$ 211 milhões em investimentos”, disse Cabral na assinatura da ordem de serviço para a construção do Viaduto Estaiado e da trincheira Guabirotuba. “A prefeitura é uma parceira que cumpre rigorosamente com os prazos em todos os programas que têm recursos geridos pela Caixa Econômica Federal”, reforçou. Cabral ainda destacou as parcerias nos projetos do PAC da Mobilidade – o Metrô Curitibano que tem R$ 1 bilhão em recursos à fundo perdido -, do Programa Minha Casa, Minha Vida e de obras de saneamento básico, drenagem entre outras. No programa habitacional, em 2012, são 5.210 moradias, a maioria construída através de convênio com a Cohab. Os investimentos na habitação chegam a R$ 347,7 milhões.  “Todas os projetos e obras são acompanhados pela Caixa.Mesmo com os ajustes que um ou outro projeto tenha, o que é comum, prefeitura e Caixa cumprem com a missão de levar qualidade de vida à população, através dos projetos firmados nos convênios com o governo federal”, disse Cabral.

A Prefeitura e a Associação Comercial do Paraná (ACP) têm um pacto pela sustentabilidade urbana, ambiental e social que será levado à Rio + 20

Prefeitura e ACP fazem pacto pela sustentabilidade Crescimento ordenado – Município e empresariado debatem ações comuns A Prefeitura de Curitiba e a Associação Comercial do Paraná (ACP) têm um pacto pela sustentabilidade urbana, ambiental e social que será levado à Rio + 20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontecerá de 13 a 22 de junho, no Rio de Janeiro. As ações comuns do município, do empresariado e da sociedade organizada para o crescimento ordenado da cidade foram debatidas na noite desta quarta-feira (30), na sede da entidade, com a presença do prefeito Luciano Ducci no encontro “ACP / Rio + 20: Curitiba economicamente viável, ecologicamente correta e socialmente justa”. “Uma cidade só é sustentável quando o habitante é respeitado e atendido em suas necessidades. O conceito de sustentabilidade que defendemos em Curitiba tem por base a erradicação da pobreza e da miséria”, afirmou Luciano Ducci. No evento, promovido pela associação por meio do Conselho de Ação para a Sustentabilidade Empresarial (Casem), o presidente da ACP, Edson Ramon, entregou ao prefeito uma carta pela adesão de Curitiba ao Pacto Global da ONU. Esta iniciativa estabelece princípios de sustentabilidade e conta com a participação de agências das Nações Unidas, empresas, sindicatos, ONGS e demais parceiros necessários para a construção de um mercado global mais inclusivo e igualitário. Hoje, são mais de 5.200 organizações signatárias articuladas por 150 redes ao redor do mundo. “O ato do qual participamos

significa uma resposta concreta de Curitiba e da sociedade organizada aos desafios da sustentabilidade, do combate à pobreza e do respeito ao meio ambiente e ao ser humano. O prefeito Luciano Ducci é parceiro neste processo e sua gestão continua nesta direção”, frisou o presidente da Associação Comercial do Paraná, Edson Ramon. O presidente da ACP disse que Curitiba levará à Rio + 20 a experiência da cidade em educação, saúde, preservação de áreas verdes e mobilidade urbana. O prefeito lembrou que Curitiba foi a que mais reduziu a pobreza no Brasil, com taxa de 65%, superior ao índice nacional de 42%. “Temos ainda a menor taxa de mortalidade infantil, baixo desemprego e o melhor Ideb, entre outros índices favoráveis de desenvolvimento. São um conjunto de indicadores que resultam da integração de ações públicas de inclusão, geração de oportunidades que retiram pessoas de situações vulneráveis e de risco social. É um trabalho alicerçado no trabalho da Saúde, da Educação, dos CRAS, Armazéns da Família e de toda rede de atendimento da Prefeitura.” O Pacto Global é uma iniciativa desenvolvida pelo ex-secretário geral da ONU, Kofi Annan, com o objetivo de mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores fundamentais e internacionais aceitos nas áreas de Direitos Humanos, Relações de Trabalho, Meio Ambiente e Combate à Corrupção, refletidos em 10 princípios. O Brasil participa

Paraná vai sediar encontro sobre agrotóxicos

Doe Calor realiza entrega de 4 mil cobertores

O Paraná vai sediar, pela primeira vez, o 10º Encontro de Fiscalização e Seminário sobre Agrotóxicos (Enfisa), que vai reunir representantes de 27 estados brasileiros das áreas de Agricultura, Saúde, Meio Ambiente e Crea. O encontro vai acontecer entre os dias 18 e 21 de junho. Os representantes da comissão organizadora ontem na Adapar em reunião com Inácio Kroetz, diretor-presidente da empresa vinculada à Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, para acertar os preparativos do evento. O Enfisa é realizado uma vez por ano com o objetivo de harmonizar as legislações e os procedimentos referentes à fiscalização de agrotóxicos de todos os estados do Brasil.

A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Marry Ducci, acompanhou na quarta-feira (30) a entrega de 4 mil cobertores a dois mil moradores da região do Parolin. O evento marcou o lançamento da campanha Doe Calor na Regional Portão. “Essa campanha é uma forma de levar um pouquinho mais de carinho e calor às famílias curitibanas que tanto precisam de nossa atenção”, disse Marry. A campanha do agasalho, feita pela Prefeitura Municipal de Curitiba (PMC) em parceria com o Instituto Pró-Cidadania de Curitiba (IPCC) e a FAS, distribuiu até agora 22.500 cobertores, beneficiando por volta de 17.500 pessoas.

desde 2000, com a adesão de várias empresas e instituições do Paraná, como Copel Itaipu e Fiep.

Desafio Empresarial

O evento, realizado na Associação Comercial do Paraná, tratou dos desafios que as empresas, o comércio curitibano e a sociedade têm pela frente no caminho para o desenvolvimento sustentável. Na visão do Casem da ACP, esses desafios são acelerar o combate à pobreza e aumentar a ecoeficiência, por meio da ampliação da gestão socialmente responsável de todos os atores dos três setores da sociedade curitibana (público, privado e sociedade civil organizada). Foram apresentados quatro painéis com os temas do Pacto Global. Niasy Ramos Filho, coordenador do Conselho de Ação para a Sustentabilidade Empresarial , da ACP, falou sobre Meio Ambiente; na área de Direitos Humanos, Marilda Précoma,  apresentou as ações da Campanha “Perdeu”, de prevenção ao uso de drogas desenvolvida pela ACP;  Maria Sandra Gonçalves, do grupo GRPCOM falou de ações anticorrupção e Fernando Ganem, da Associação dos Magistrados do Paraná, falou das boas práticas adotadas por juízes estaduais. Participaram do evento, entre outras autoridades, o coordenador do Pacto Global no Paraná, Eduardo Araújo;  Norman Arruda, presidente do ISAE/FGV,e Sidney Pinto, Grão-Mestre da Grande Loja da Maçonaria do Paraná e Juracy Barbosa Sobrinho, presidente da Fomento Paraná.

Princípios do Pacto Global Direitos Humanos

1) As empresas devem apoiar e respeitar a proteção de direitos humanos reconhecidos internacionalmente; e 2) Assegurar-se de sua não participação em violações destes direitos.

Trabalho

3) As empresas devem apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efetivo do direito à negociação coletiva; 4) A eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório; 5) A abolição efetiva do trabalho infantil; e 6) Eliminar a discriminação no emprego.

Meio Ambiente

7) As empresas devem apoiar uma abordagem preventiva aos desafios ambientais; 8) Desenvolver iniciativas para promover maior responsabilidade ambiental; e 9) Incentivar o desenvolvimento e difusão de tecnologias ambientalmente amigáveis.

Anticorrupção

10) As empresas devem combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive extorsão e propina.

Estado vai restaurar e preservar patrimônio de escolas públicas O governo do Estado lançou um programa para preservar e restaurar o patrimônio histórico e cultural de escolas da rede pública estadual. O programa vai atender inicialmente 13 estabelecimentos, nos municípios de Curitiba, Paranaguá, Antonina, Lapa e Ponta Grossa. Ontem, o governador em exercício Flávio Arns assinou o decreto que instituiu um grupo de trabalho responsável por estruturar o Programa de Proteção, Valorização, Preservação e Restauração das Escolas da Rede Pública Estadual. O grupo é formado por representantes da Vice-Governadoria, das secretarias de Estado da Educação, Cultura, Administração e

Previdência, Ciência e Tecnologia e da Agência de Fomento Paraná. Eles vão propor e desenvolver ações relacionadas a toda a estrutura material e imaterial dos estabelecimentos classificados como de interesse histórico e cultural. Os 13 estabelecimentos classificados como prioritários são tombados pelo patrimônio cultural ou estão inseridos em áreas de tombamento. A estimativa é investir R$ 7.003.769,36 em projetos de restauração para essas escolas. Também serão atendidos pelas ações do grupo estabelecimentos de ensino que tenham importância histórica e cultural para os municípios em que estão inseridos.


Economia Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A5

balanço

Emprego e renda melhoram no 1º trimestre deste ano Perspectiva é de continuidade deste quadro nos próximos meses, mostra Ipea O mercado de trabalho brasileiro teve desempenho positivo no primeiro trimestre deste ano com aumento dos rendimentos reais dos trabalhadores e do emprego com carteira assinada. O desemprego e a informalidade recuaram e a perspectiva é de continuidade deste quadro nos próximos meses, segundo os dados do boletim Mercado de Trabalho Conjuntura e Análise, divulgado na quinta-feira (31/05), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A população ocupada cresceu 1,8%, em média, no primeiro trimestre deste ano, em comparação a igual período de 2011, enquanto

os empregos com carteira assinada evoluíram 4,4%, o que equivale a cerca de 482 mil novos contratos formais. Os empregados sem carteira apresentaram retração de 5,4%. Já os ocupados por conta própria cresceram 1,1% . O nível de informalidade no trabalho foi 34,1%, revelando queda de 1,5 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano passado. “Na média, a taxa de informalidade de 2012 ficou abaixo da de 2011”, comparou a economista Ana Luiza Barbosa, pesquisadora da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Ipea. A taxa de desemprego média do

primeiro trimestre ficou em 5,8%, 0,5 ponto percentual abaixo da taxa no mesmo período de 2011, que foi 6,3%. “Mesmo havendo aumento da população, a taxa de desemprego foi baixa. Esse aumento do desemprego se deu em função do aumento da população. Gente que estava fora do mercado de trabalho, migrou para o mercado, tornando-o mais dinâmico”. Segundo a economista, esse indicador mostra sazonalidade, uma vez que em todo começo de ano, verifica-se um leve aumento da taxa de desemprego. Em relação ao rendimento médio do trabalhador, o boletim

registrou ganho de 4,2% no período pesquisado, alcançando R$ 1.703,60. Em março, foi apurado o maior valor desde o início da pesquisa, em 2002, atingindo R$ 1.728,40. O prognóstico para os próximos meses, disse a economista do Ipea, “é uma continuidade desses resultados favoráveis. As políticas macroeconômicas que vêm sendo adotadas têm como objetivo estimular a atividade econômica. Isso contribui para estimular a demanda, o aquecimento do consumo. Isso tudo tende a favorecer o mercado de trabalho como um todo”.

Produção da indústria cai 0,2% em abril Resultado em 2012 é marcado pelo fraco desempenho da indústria automobilística

A produção industrial brasileira caiu 0,2% em abril deste ano, em relação ao mês anterior. O dado é da Pesquisa Industrial Mensal, divulgada na quinta-feira (31/05) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o segundo resultado negativo consecutivo na comparação mensal. Em março, houve redução de 0,5%. Em relação a abril do ano passado, houve uma queda de 2,9%, a oitava consecutiva nesse tipo de comparação. Todas as categorias industriais registraram decréscimo: bens de consumo duráveis (-6,1%), bens de capital (-4,1%), bens intermediários (-2,0%) e bens de consumo semi e não duráveis (-1,1%). No ano, a indústria acumula uma redução de 2,8% na produção. Nos últimos 12 meses, a queda acumulada chega a 1,1%. As quedas de 1,4% na produção

de bens de consumo semi e não duráveis e de 0,5% na de bens de consumo duráveis foram os principais responsáveis pela queda de 0,2% da indústria em abril em relação ao mês anterior. Entre as atividades industriais, as maiores quedas ficaram com os setores de alimentos (-3,7%), indústria farmacêutica (-8,5%), equipamentos médicos e hospitalares (-11,5%) e bebidas (-1,6%). Por outro lado, a queda da indústria foi freada com o crescimento de 1,9% na produção de bens de capital. Os bens intermediários mantiveram a mesma produção do mês anterior. Entre as 14 atividades industriais com alta, os principais impactos positivos ficaram com edição e impressão (6,7%), veículos automotores (2,4%) e máquinas para escritório e equipamentos de informática (5,9%).

Com alta do dólar, dívida líquida é a menor da série

A produção de veículos automotores (o que inclui carros, caminhões, motos e peças) teve uma redução de 17,9% nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2011

A indústria brasileira fechou o primeiro quadrimestre de 2012 com uma queda de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o comportamento da indústria foi fortemente influenciado pela queda da produção de automóveis no país no período. A produção de veículos automotores (o que inclui carros, caminhões, motos e peças) teve uma redução de 17,9% nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2011. Apenas os automóveis tiveram uma queda acumulada de 14,9% entre janeiro e abril deste ano, resultado que se somou à redução de 17,4% na produção do último quadrimestre do ano passado. Segundo o gerente da pesquisa industrial do IBGE, André Macedo, a indústria como um todo tem mostrado um comportamento mais negativo desde o segundo trimestre do ano passado. “A maior presença de produtos importados, os níveis de inadimplência maiores, a menor demanda no mer-

cado interno, as dificuldades de colocação de produtos no mercado externo com o agravamento da crise são fatores a serem considerados. Além de setores importantes dentro da atividade industrial como a indústria automobilística atingirem, para esse mês de abril, níveis de estoque bastante elevados”, disse. Macedo disse que medidas de estímulo ao consumo, como as anunciadas na semana passada pelo governo federal, costumam ter impactos positivos na produção industrial. Mas, segundo ele, ainda não é possível dizer que efeito as últimas medidas, de redução de impostos e estímulo ao crédito, terão na indústria brasileira. O pesquisador diz que as medidas de estímulo para o consumo de eletrodomésticos da linha branca, anunciadas no final do ano passado, tiveram um impacto positivo. Enquanto no último quadrimestre de 2011, o setor teve queda de 0,3%, no primeiro quadrimestre deste ano, foi registrado um aumento de 9%.

A dívida líquida do setor público chegou a R$ 1,514 trilhão, em abril, segundo dados do Banco Central (BC), divulgados na quinta-feira (31/05). Esse saldo corresponde a 35,7% de tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB). Em relação ao mês anterior, houve redução de 0,9 ponto percentual. O BC já esperava por redução na dívida líquida em relação ao PIB. Para abril, a projeção era que essa relação ficasse em 36%, previsão levemente acima do que foi efetivamente registrado (35,7%). Esse é o menor resultado da série histórica do BC, iniciada em 2001. A redução da dívida líquida ocorre por influência da alta do dólar. Isso acontece porque o país é

Dívida pública deve continuar em queda A dívida líquida do setor público vai permanecer em queda neste mês, segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Em abril, essa dívida atingiu o menor nível da série do BC iniciada em 2001 ao representar 35,7% de tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB). Em maio, a previsão do BC é que o resultado fique em 34,8%. Essa queda na dívida líquida decorre, principalmente, da alta do dólar. Isso ocorre porque o país é credor em dólar, ou seja, as reservas internacionais e outros ativos são maiores do que a dívida externa. “Uma desvalorização cambial, com a situação credora em moeda estrangeira, implica redução da dívida líquida do setor público”, lembrou Maciel. No caso da dívida bruta, em que não são considerados esses ativos em moeda estrangeira, mas apenas os passivos, a previsão é que a relação com o PIB fique em 56,7%. Em abril, era 56,8%.

credor em dólar, ou seja, as reservas internacionais e outros ativos são maiores do que a dívida externa. A dívida líquida do setor público é um balanço de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais e das empresas estatais. Outro indicador fiscal divulgado pelo BC é a dívida bruta do Governo Geral (governos federal, estaduais e municipais), muito utilizada para fazer comparações com outros países. Em abril, a dívida bruta do Governo Geral chegou a R$ 2,406 trilhões (56,8% do PIB), 0,4 ponto percentual acima da registrada em março. A previsão do BC para abril era que a dívida bruta em relação ao PIB ficasse em 56,2%.

CNI aponta aumento da confiança do consumidor brasileiro em maio A confiança do consumidor brasileiro melhorou na passagem de abril para maio, ao crescer 1,4%, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) passou de 113 para 114,6 no período. O resultado também é melhor do que o registrado em maio de 2011, quando o indicador ficou em 112,1. O aumento da expectativa em maio também ocorre, segundo a CNI, após seis meses de estabilidade. A melhoria do Inec este mês, segundo a CNI, deve-se ao crescimento acima da média de dois fatores: expectativas de inflação e de desemprego. Na pesquisa, os entrevistados mostraram que estão mais otimistas com a redução da inflação nos próximos meses. O indicador referente a esse ponto subiu 7% de abril para maio, ao passar de 106,7 para 114,2. Para a CNI, quanto maior o número, melhor a expectativa. Sobre o desemprego, a expectativa é que a situação

melhore com o indicador. Nesse caso, o índice teve alta de 5,1% na mesma comparação (aumentou de de 128,7 para 135,2). Outros fatores que ajudaram a melhorar o Inec são a expectativa da renda pessoal e da situação financeira dos consumidores. O indicador de renda pessoal aumentou 1,1% em maio ante abril e o de situação financeira, 1,4%. Os índices passaram de 112,1 para 113,3 e de 112,8 para 114,4, respectivamente. Por outro lado, o endividamento dos entrevistados piorou em maio. Na pesquisa da CNI, o indicador apresentou queda de 1,3%, passando de 106,5 para 105. O indicador para intenção de comprar bens de maior valor também caiu 1,3% em maio em relação a abril. Isso mostra, informou a CNI, que o consumidor “diminuiu o ímpeto de novas compras de bens de maior valor”. A pesquisa foi feita com 2.002 pessoas, de 16 anos ou mais, entre os dias 17 e 21 deste mês.

Bebidas pagarão mais impostos a partir de outubro A partir de outubro, as bebidas frias – água, cerveja, refrigerante, energéticos e isotônicos – passarão a pagar mais impostos. Decreto publicado na quinta-feira (31/05), no Diário Oficial da União, estabeleceu os novos preços que servirão de referência para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), PIS/Pasep e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). De acordo com a Receita Federal, caso o aumento de impostos seja repassado integralmente aos preços finais, os consumidores pagarão 2,85% a mais, em média, pelos quatro tipos de bebidas. O órgão estima ainda que a medida provocará impacto de 0,02% na inflação oficial medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em outubro. O decreto também estabeleceu um cronograma gradual de diminuição dos redutores aplicados na base de cálculo desses tributos. Até 2015, as alíquotas que, para alguns tipos de bebidas incidem apenas sobre 30% do preço no varejo, passarão a incidir sobre 52,5% do preço final. Segundo o subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal, Sandro Serpa, o governo arrecadará R$ 408 milhões a mais em 2012 com a atualização da tabela de preços. A diminuição dos redutores renderá mais R$ 86,7 milhões. Em 2013, o caixa do governo será reforçado em R$ 2,970 bilhões.

O decreto também estabeleceu que as tabelas de preços das bebidas passarão a ser atualizadas todos os anos, sempre em outubro. Em vigor desde 2008, a lei que instituiu o novo regime tributário para as bebidas não definia um período em que atualização deve ser feita. Até agora, a tabela de preços havia sido atualizada em apenas duas oportunidades: no início de 2009 e em março do ano passado. Serpa negou que as medidas tenham como objetivo punir os consumidores, apesar de terem reflexos sobre os preços. “Não se trata de aumento, mas do reflexo do próprio comportamento dos preços das bebidas. As trajetórias são percebidas pelas nossas pesquisas. Se o fabricante tiver reduzido os preços do ano passado para cá, o imposto será menor.” Em relação à diminuição dos redutores da base de cálculo, o subsecretário disse que o objetivo foi aumentar a carga tributária da indústria de bebidas, que estava abaixo da de outros setores da economia. “Em 2008, o Ministério da Fazenda tinha chegado a um acordo com os fabricantes para que o novo regime não provocasse aumento excessivo da carga tributária. Só que o tempo passou, e o setor hoje paga menos impostos que outros segmentos da indústria”, disse. Pelo modelo antigo de tributação das bebidas, as alíquotas eram expressas por meio de valores fixos cobrados por litro.


Publicidade Legal Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A6 | Indústria&Comércio

CONGREGAÇÃO DOS OBLA TOS DE SÃO JOSÉ OBLAT CNPJ 53.416.921/0001-04 - Curitiba - PR BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 e 2010 - (Em Reais) ATIVO Nota

Educação Básica

PASSIVO E PATRIMÔNIO LIQUIDO

Exercício de 2011 por Área de Atuação Ensino Assistencia Mantenedora Superior Social eOutras Atividades Associativas 2.471.658 600.644 34.138 1.123.955 728.089 48.015 24.660 1.015.650 126.394 45.922 82 77.655 601.695 2.093 24.578 937.995

4.285.860 5.689.922 1.867.997 1.429.235 276.839 689.768 1.591.158 739.467 2.417.863 3.922.217 3.135.892 3.789.807 94.024 43.998 301.289 88.412

ATIVO CIRCULANTE 2.527.123 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 4. 779.672 Caixa e bancos 153.180 Aplicações financeiras de liquidez imediata 626.492 CONTAS A RECEBER DE CLIENTES E 1.747.451 OUTROS RECEBÍVEIS Anuidades e/ou mensalidades escolares 5. 2.199.543 Impostos e contribuições a recuperar 10.226 Outros valores a receber 6. 227.279 ( - ) Provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa 7. (689.597) ESTOQUES 0 Materiais didáticos e pedagógicos e de consumo 0 20.386.604 ATIVO NÃO CIRCULANTE OUTROS RECEBÍVEIS A LONGO PRAZO 138.197 Investimentos temporários 138.162 Impostos e contribuições a recuperar 0 Depósitos judiciais 35 Outros valores a receber em longo prazo 0

1.743.569 2.199.543 7.457 226.166

552.629 936.349 0 40.025

9.478 0 232 9.246

0 (689.597) 0 0 0 0 2.076.158 18.310.446 0 138.197 0 138.162 0 0 0 35 0 0

(423.745) 0 0 9.815.368 0 0 0 0 0

0 0 0 33.807 24.205 0 0 24.205 0

IMOBILIZADO

8. 20.219.711

2.076.158

9.794.422

9.602

Imóveis Veículos Máquinas, aparelhos e equipamentos Móveis e utensílios Outras imobilizações Construções em andamento ( - ) Depreciações e amortizações acumuladas INTANGÍVEIS

23.719.503 4.107.128 19.612.375 8.419.172 301.605 0 301.605 32.000 2.035.381 89.022 1.946.359 542.233 1.923.919 156.412 1.767.507 490.973 535.712 30.102 505.610 348.264 2.235.255 26.398 2.208.857 1.971.017 (10.531.664) (2.332.904) (8.198.760) (2.009.237) 9. 28.696 0 28.696 20.946

0 0 38.898 149.281 7.911 0 (186.488) 0

Direito de uso ( - ) Depreciações e amortizações acumuladas TOTAL DO ATIVO

200.052 (171.356) 22.913.727

55.465 51.583 26.786 24.797 3.882 0 2.769 1.113

18.143.553

0 200.052 68.432 0 (171.356) (47.486) 2.131.623 20.782.104 10.416.012

108.305 0 83.566 24.739

Consolidado 2.011 2.010

0 (1.113.342) 0 0 0 338.470 0 0 338.470 5.267.622 35.503.401 36.012.615 4.053 166.455 334.363 0 138.162 78.423 0 0 3.156 0 24.240 33.693 4.053 4.053 219.091 4.958.706

34.982.441 35.510.500

6.546.885 38.685.560 38.666.815 446.738 780.343 570.856 132.305 2.748.817 2.674.409 60.238 2.624.411 2.513.112 (106) 891.781 688.788 1.860 4.208.132 3.940.713 (2.229.214) (14.956.603) (13.544.193) 304.863 354.505 167.752

0 0 67.945

304.863 573.347 372.200 0 (218.842) (204.448) 6.391.577 39.789.261 41.702.537

Nota

PASSIVO CIRCULANTE

Exercício de 2011 por Área de Atuação Ensino Assistencia Mantenedora Superior Social eOutras Atividades Associativas

Educação Básica

3.652.555

24.220

1.078.669 327.830 411.155 159.698 431.593 997.528 246.082

PASSIVO NÃO CIRCULANTE

12.740.949

Empréstimos e financiamentos Provisões para contingências Outras contas a pagar

10. 359.043 14. 12.381.906 0

Empréstimos e financiamentos Fornecedores Salários e ordenados a pagar Impostos, taxas e contribuições diversas Adiantamentos de clientes Provisão para férias e encargos Outras contas a pagar

10. 11. 12. 13.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

3.628.335 1.336.314

52.165

1.540.802

6.581.836 4.650.198

0 7.757 5.554 1.489 0 9.379 41

1.078.669 320.073 405.601 158.209 431.593 988.149 246.041

551.297 97.825 132.478 88.799 188.806 209.111 67.998

0 1.210 12.560 2.590 0 29.751 6.054

489.418 24.353 14.071 41.169 0 43.128 928.663

2.119.384 1.348.548 451.218 636.202 570.264 577.181 292.256 325.826 620.399 682.315 1.279.518 885.351 1.248.797 194.775

140.626

12.600.323

3.218.636

476.629

1.908.238

18.344.452 15.883.780

0 359.043 140.626 12.241.280 0 0

22.174 3.196.462 0

0 476.629 0

837.428 805.816 264.994

1.218.645 1.485.769 16.860.813 14.201.417 264.994 196.594

4.553.446 5.861.062

(460.849)

2.942.537

14.862.973 21.168.559

16.883.918 (1.024.898) (4.462.158)

(3.248.030)

2.129.588 8.435.174

6.520.223 1.966.777 15. 10.864.674 (6.019.244)

Patrimônio social Superávits e déficits acumulados Déficit / Superávit do exercício

12.875.223 (5.424.011) 18.299.234 (1.062.706) (4.109.208) (2.010.549) (595.233) (1.415.316) 37.808 (352.950)

Transferências entre mantenedoras e mantidas

16. (14.451.587)

Consolidado 2.011 2.010

6.276.310 (20.727.897) 6.885.960

4.001.309

(1.657.735) 6.045.574 10.100.569 (1.590.295) (3.915.986) (1.665.395) 3.564.318

0

0

0

0

0

0

0

0

Ajuste por avaliação patrimonial

10.107.136

1.709.711

8.397.425

0

0

2.626.249

12.733.385

TOTAL DO PASSIVO

22.913.727

2.131.623

20.782.104 10.416.012

67.945

6.391.577

39.789.261 41.702.537

Reserva de reavaliação

0 12.733.385 0

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA METODO INDIRETO - (Em Reais)

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (Em Reais) Nota Explicativa

RECEITA COM VENDAS DE MERCADORIAS E SERVIÇOS Atividades Educacionais Anuidades e mensalidades escolares Outras receitas com serviços educacionais Atividades Assistenciais Doações e contribuições de terceiros

17.

DEDUÇÕES DAS RECEITAS Descontos e abatimentos em Atividades Educacionais Bolsas de Estudos Parciais e Integrais Lei 12.101/09 Bolsas de Estudos Parciais e Integrais Lei 11.096/05 Bolsas de Estudos Parciais conforme Artigo 31 do Decreto 7,237/10 Bolsas de Estudos a Filhos de Funcionários

18.1 18.1 18.1

RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA RECEITAS E DESPESAS OPERACIONAIS Despesas com Serviços em Atividades Administrativas e Educacionais Pessoal e encargos Serviços técnicos especializados de pessoas físicas e jurídicas Despesas gerais e materiais de uso, consumo Outras despesas gerais e administrativas Depreciações e amortizações Outras receitas operacionais Despesas com Serviços em Atividades Assistenciais Gratuitas

18.1

Pessoal e encargos Serviços técnicos especializados de pessoas físicas e jurídicas Despesas gerais e materiais de uso, consumo Outras despesas gerais com projetos sociais Depreciações e amortizações DÉFICIT DO EXERCÍCIO ANTES DAS DESPESAS E RECEITAS FINANCEIRAS Despesas e Receitas Financeiras Despesas Financeiras Receitas Financeiras DEFICIT DO EXERCÍCIO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES Beneficio Tributário Auferido Isenções e Imunidades Cota Patronal INSS COFINS Contribuição Social s/ Lucro Liquido Imposto de Renda Pessoa Jurídica DEFICIT DO EXERCÍCIO

19.

Período de 01/JAN/2011 a 31/DEZ/2011 por Area de Atuação Educação Ensino Assistencia Mantenedora e Outras Basica Superior Social Atividades Associativas

Consolidado Período de Período de 01/JAN/2011 01/JAN/2010 a 31/DEZ/2011 a 31/DEZ/2010

PERÍODO DE 01/dez/2011 A 31/dez/2011

01/jan/2010 A 31/dez/2010

838.577 -----------------------(1.051.707)

1.639.215 -----------------------1.447.706

(3.915.986)

(1.665.395)

1.475.814 1.113.342 5.327 2.659.396 (2.389.600)

1.446.702 0 48.129 2.596.301 (978.031)

20.560.012

9.720.970

29

148.637

30.429.648

26.807.295

20.533.707 -----------------------------

9.720.970 -----------------------------

0 -----------------------------

0 -----------------------------

30.254.677 -----------------------------

26.152.063 -----------------------------

18.057.879 2.475.828

9.532.614 188.356

0 0

0 0

27.590.493 2.664.184

23.585.655 2.566.408

26.305 -----------------------------

0 -----------------------------

29 -----------------------------

148.637 -----------------------------

174.971 -----------------------------

655.232 -----------------------------

26.305

0

29

148.637

174.971

655.232

(5.676.471) -----------------------------

(2.492.915) -----------------------------

0 -----------------------------

0 -----------------------------

(8.169.386) -----------------------------

(6.278.143) -----------------------------

Acréscimos / Decréscimos do ativo circulante

729.482

(1.181.874)

Anuidades e/ou mensalidades escolares Impostos e contribuições a recuperar Outros valores a receber Estoques

653.915 (50.026) (212.877) 338.470

(1.002.580) (15.062) (23.755) (140.477)

1.160.802

1.373.383

(184.984) (6.917) (33.570) (61.916) 394.167 1.054.022

(315.821) 108.844 66.140 460.154 885.351 168.715

(1.199.573) -----------------------(59.739) (938.687) (201.147)

(1.323.315) -----------------------33.972 (1.423.900) 66.613

799.759 -----------------------3.156 9.453 215.038 68.400 503.712

73.884 -----------------------86.452 5.472 (96.608) 0 78.568

1 - FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Resultado líquido ajustado Déficit do exercício Ajustes Depreciações e amortizações Provisão/Reversão da provisão para devedores duvidosos Baixa de bens do ativo imobilizado Provisão/Reversão da provisão paa contingências Transferências para o patrimônio social

(1.421.844) (1.909.277) 0

(1.506.936) (221.804) (756.242)

0 0 0

0 0 0

(2.928.780) (2.131.081) (756.242)

(2.273.515) (3.154.324) (713.147)

(2.187.446) (157.904)

0 (7.933)

0 0

0 0

(2.187.446) (165.837)

0 (137.157)

14.883.541

7.228.055

29

148.637

22.260.262

20.529.152

(17.141.363) -----------------------------

(7.152.297) -----------------------------

(353.058) -----------------------------

(1.128.230) -----------------------------

(25.774.948) -----------------------------

(22.198.688) -----------------------------

(15.868.817)

(7.152.297)

79.841

(1.128.230)

(24.069.503)

(20.591.774)

(11.569.318)

(4.570.532)

0

(590.378)

(16.730.228)

(14.949.676)

(740.868) (2.762.618) (765.415) (631.654) 601.056

(877.254) (880.236) (457.851) (444.565) 78.141

0 0 0 0 79.841

(552.456) (334.245) (124.798) (221.098) 694.745

(2.170.578) (3.977.099) (1.348.064) (1.297.317) 1.453.783

(1.859.623) (3.431.091) (84.625) (1.269.975) 1.003.216

(1.272.546)

0

(432.899)

0

(1.705.445)

(1.606.914)

(620.093)

0

(385.082)

0

(1.005.175)

(899.029)

4 - VARIAÇÃO DAS DISPONIBILIDADES NO PERÍODO

438.763 ------------------------

389.784 ------------------------

(34.715) (409.611) (32.795) (175.332)

0 0 0 0

(17.290) (27.282) (80) (3.165)

0 0 0 0

(52.005) (436.893) (32.875) (178.497)

(56.319) (447.148) (27.691) (176.727)

5 - RESUMO Caixa e equivalentes de caixa no inicio do exercício Variação das disponibilidades no período Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício

----------------------------------------------1.429.235 438.762 1.867.997

----------------------------------------------1.039.451 389.784 1.429.235

(2.257.822)

75.758

(353.029)

(979.593)

(3.514.686)

(1.669.536)

247.273

(37.950)

79

(610.702)

(401.300)

4.141

(158.340) 405.613

(132.397) 94.447

(147) 226

(552.100) (58.602)

(842.984) 441.684

(418.875) 423.016

(2.010.549)

37.808

(352.950)

(1.590.295)

(3.915.986)

(1.665.395)

0

0

0

0

3.624.723

3.235.919

0

0

0

0

(3.624.723)

(3.235.919)

0 0 0 0 ----------------------------(2.010.549)

0 0 0 0 ----------------------------37.808

0 0 0 0 ----------------------------(352.950)

0 0 0 0 ----------------------------(1.590.295)

(2.910.509) (714.214) 0 0 ----------------------------(3.915.986)

(2.594.480) (641.439) 0 0 ----------------------------(1.665.395)

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

Acréscimos / Decréscimos do passivo circulante Fornecedores Salários e ordenados a pagar Impostos, taxas e contribuições diversas Adiantamentos de clientes Provisão para férias e encargos Outras contas a pagar 2 - FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS Pagamentos / Recebimentos de investimentos temporários Pagamentos de aquisições do imobilizado Pagamentos de aquisições do intangíveis 3 - FLUXO DE CAIXA DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS Recebimentos de Créditos de Impostos e Contribuições a Recuperar Pagamentos de Depósitos e Cauções Pagamentos/Recebimentos de outros valores a receber Pagamentos/Recebimentos de outros valores a pagar Recebimentos de Empréstimos e Financiamentos

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PERÍODO DE 01 DE JANEIRO DE 2010 A 31 DE DEZEMBRO DE 2011 - (Em Reais) CONTA

PATRIMÔNIO SOCIAL Superávits e Déficits Acumulados

DESCRIÇÃO SALDOS EM 01 DE JANEIRO DE 2010 Ajustes de Exercícios Anteriores Transferência para Patrimônio Social Realização de Reservas Déficit do Exercício SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 Ajustes de Exercícios Anteriores Transferência para Patrimônio Social Ajustes por avaliação patrimonial Déficit do Exercício SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010

11.147.550 (978.031) (293.544) 224.594 0 10.100.569 (2.389.600) (1.665.395) 0 0 6.045.574

RESERVAS DE AJUSTES REAVALIAÇÃO POR Déficit Imóveis AVALIAÇÃO do PATRIMONIAL Exercício

(293.544) 0 293.544 0 (1.665.395) (1.665.395) 0 1.665.395 0 (3.915.986) (3.915.986)

12.957.979 0 0 (224.594) 0 12.733.385 0 0 (12.733.385) 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 12.733.385 0 12.733.385

TOTAL

23.811.985 (978.031) 0 0 (1.665.395) 21.168.559 (2.389.600) 0 0 (3.915.986) 14.862.973

(As notas explicativas integram o conjunto das demonstrações contábeis)

POLITICAS CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 1. Informações Gerais A Congregação dos Oblatos de São José é uma sociedade civil de direito privado, sem fins econômicos, filantrópica, e tem por objeto criar, congregar, dirigir e manter obras que visem à beneficência, a promoção humana, a educação, a cultura, a evangelização, o ensino e assistência social. A associação não distribui resultados, dividendos, bonificações ou parcelas de seu patrimônio sob nenhum pretexto, bem como não remunera nem concede vantagens por qualquer forma a seus diretores, associados, conselheiros, instituidores, beneméritos, benfeitores e equivalentes.Os resultados operacionais são aplicados integralmente na manutenção e desenvolvimento de seus objetivos institucionais. 2. Base de Elaboração e Apresentação das Demonstrações Financeiras As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com os Princípios Fundamentais de Contabilidade, Legislação Societária, e a Resolução 877/00 do Conselho Federal de Contabilidade, que aprovou a Norma Brasileira de Contabilidade Técnica – NBCT 10.19, a qual trata em específico dos aspectos contábeis das entidades sem finalidade de lucro, bem como, para a convergência da contabilidade aos padrões internacionais foram observados os Pronunciamentos, Orientações, Interpretações Técnicas e Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade em especial a Resolução 1.255/09 que aprovou a NBC T 19.41 – Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas, os atos homologados pelos órgãos reguladores, e as práticas adotadas pelas entidades em assuntos não regulados, desde que atendam a NBC T 19.27 – Apresentação das Demonstrações Contábeis aprovada pela Resolução CFC nº 1.185/09 e Resolução 1.374/11 que alterou a NBC TG – Estrutura Conceitual que trata da Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação das Demonstrações Contábeis. Estas demonstrações financeiras estão apresentadas em Reais ( 1 ) - unidades de moeda brasileira – e elaboradas de acordo com a NormaInternacional de Relatório Financeiro para Pequenas e Médias Empresas emitida peloConselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB), exceto quanto ao ajuste a valor presente e redução ao valor recuperável dos ativos classificados no grupo não circulante nas contas imobilizado e intangíveis. A administração da entidade concluiu que as demonstrações contábeis apresentam,de forma apropriada, a posição financeira e patrimonial, o desempenho e osfluxos de caixa. A seguir descrevemos as práticas contábeis adotadas pela entidade: 2.1Caixa e equivalentes de caixa Compreendem os saldos de caixa, depósitosbancários à vista e aplicações financeiras.Essas aplicações financeiras possuem liquidez imediata e estão demonstradas ao custo, acrescido dosrendimentos auferidos até a data de encerramento do exercício. 2.2Contas a receber de clientes e outros recebíveis Referem-se a valores de curto e longo prazo referentes a mensalidades escolares a receber dos responsáveis financeiros pelos alunos matriculados, contratadas na forma de anuidade, porém a essência do processo é receber ao longo do exercício, em parcelas mensais - dentro do mês em curso –o valor correspondente aos serviços educacionais prestados naquele mês, e a outros valores recebíveis decorrentes de antecipações, cauções, impostos a recuperar, etc.Sobre estes valores não incidem juros e ao final de cada período, os valores contábeis de contas areceber de clientes e outros recebíveis são revistos para determinar se há qualquer evidência objetiva deque os valores não são recuperáveis. Os valores considerados incobráveis são reconhecidos como perda no resultado do exercício, e sobre os valores considerados duvidosos constitui-se provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa conforme o caso.As Anuidades e/ou mensalidades escolares se encontram registrados pelo valor de venda. 2.3Estoques Estoques são apresentados pelo menor entre o custo e o preço de venda. O custo é calculado pelo método Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair (PEPS). 2.4Imobilizado Itens do imobilizado são mensurados pelo custo de aquisição/construção, acrescido de correção monetária calculada até 31 de dezembro de 1995, e por reavaliação realizada em 1998, e estão ajustados por depreciações e amortizações acumuladas calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas de acordo com a legislação tributária.A entidade não avaliou seus bens do ativo imobilizado a valor presente em função do custo deste procedimento ser superior ao benefício esperado. 2.5Intangíveis Ativos intangíveis consistem em softwaresde computador adquiridos e reconhecidos pelocusto, menos a amortização acumulada calculada com base na vida útil estimada, utilizando-seo método linear.A entidade não avaliou seus bens do ativo intangível a valor presente em função do custo deste procedimento ser superior ao benefício esperado 2.6Contas a pagar a fornecedores e outras obrigações As contas a pagar a fornecedores e outras obrigações, são obrigações assumidas em prazos normais de crédito e nãoestão sujeitas a juros. As contas a pagar a fornecedores quando valorizadas em moeda estrangeira sãoconvertidas para Reais – unidade monetária brasileira - utilizando-se a taxa de câmbio vigente na data do encerramento. 2.7Outros ativos epassivos circulantes e não circulantes São demonstrados pelos valores de realização (ativos) e pelosvalores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos evariações monetárias incorridos (passivos).

2.8Provisões Asprovisões são reconhecidas quando um evento passado gerou uma obrigação presente legal ou implícita –e existe a probabilidade da não realização de valores a receber ou de uma saída de recursos. Os valores constituídos como provisõesforam calculados e registrados tomando por base a melhor estimativa do valor de liquidação na data deencerramento das demonstrações financeiras, levando em consideração os riscos e incertezas. 2.9Redução ao valor recuperável de ativos – Impairment A Administração não efetuou o teste de impairment nos valores contábeis dos ativos de vida longa, principalmente oimobilizado a sermantido e utilizado nas operações, para identificar o valor recuperável, em função do custo do procedimento superar os benefícios esperados. 2.10Ajuste ao valor presente As atualizações e/ou descontos para ajuste ao valor presente dos elementos do ativo e passivo financeiros – aplicações financeiras de curto e longo prazo, títulos e valores mobiliários, empréstimos e financiamentos conforme o caso - foram calculadas com base nas taxas de rendimentos ou encargos pactuada nas operações, de forma proporcional até a data do encerramento do exercício. Em relação aos ativos e passivos não financeiros - valores a receber de mensalidades, adiantamentos, outras contas a receber, fornecedores, e outras contas a pagar – não foram identificadas situações relevantes que indicassem a necessidade do referido ajuste. 2.11Receitas, Custos e Despesas As receitas, custos e despesas são reconhecidos na demonstração do resultado com base na associação direta entre os custos e despesas e os correspondentes itens de receita. Esse processo, usualmente chamado de confrontação entre despesas e receitas (Regime de Competência), envolve o reconhecimento simultâneo ou combinado das receitas, custos e despesas que resultem diretamente das mesmas transações ou outros eventos. 3. Instrumentos Financeiros e Gerenciamento de Riscos Associados Os instrumentos financeiros da Entidade encontram-se registrados em contas patrimoniais e estão compreendidos principalmente pelas conta-correntes bancárias, pelos saldo de aplicação financeiras, contas a receber e pelos empréstimos e financiamentos, classificados como instrumentos financeiros para negociação (caixa e equivalentes de caixa). Estão demonstrados por valores próximos aos seus valores de mercado, e estão expostos, principalmente, a riscos de mercado e de crédito, porém, nenhum indicativo de imparidade é conhecido pela Administração. A Entidade não opera com instrumentos financeiros derivativos. A Entidade apresenta exposição aos seguintes riscos advindos do uso de instrumentos financeiros: a. Risco de crédito: representa o risco de prejuízo financeiro da Entidade caso um cliente ou contraparte em um instrumento financeiro não cumpra com suas obrigações contratuais, que surgem principalmente dos recebíveis da Entidade representados, principalmente por caixa e equivalentes de caixa, valores a receber de atendimentos hospitalares e outros créditos. b. Risco de liquidez: representa o risco de a Entidade encontrar dificuldades em cumprir com as obrigações associadas com seus passivos financeiros que são liquidados compagamentos a vista ou com outro ativo financeiro. Os principais passivos financeiros estão representados pelos empréstimos e financiamentos, fornecedores e obrigações sociais, fiscais e trabalhistas. c. Risco operacional: representa o risco de prejuízos diretos ou indiretos decorrentes de uma variedade de causas associadas a processos, pessoal, tecnologia e infraestrutura da Entidade e de fatores externos, exceto os relacionados ao risco de créditos, de liquidez e de taxa de juros, bem como aqueles decorrentes de exigências legais e reguladoras. O objetivo da Entidade é administrar o risco operacional para evitar a ocorrência de prejuízos que inviabilizem a continuidade de suas operações. 4. Caixa e Equivalentes de Caixa 2011 Em Reais (1) Caixa e bancos 276.839 1.591.158 Aplicações financeiras de liquidez imediata 1.867.997 5. Anuidades e Mensalidades a Receber 2011 Em Reais (1) Anuidades e mensalidades escolares 2.376.108 759.783 Outros valores de serviços educacionais a receber 3.135.892 6. Outros Valores a Receber 2011 Em Reais (1) Adiantamentos a funcionários 249.519 51.770 Outros valores a receber 301.289 7. Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 2011 Em Reais (1) PCLD calculada sobre anuidades e mensalidades a receber 1.113.342

8.

Imobilizado

Grupo de bens

Imóveis Veículos Máquinas, aparelhos e equipamentos Móveis e utensílios Outras imobilizações Construções em andamento

2011 - Em Reais 1 Custo Depreciação Taxa de Valor Atribuído Acumulada Depreciação Residual Pelo Valor Ao Ano Justo 38.685.560 (10.474.399) 4% 28.211.161 780.343 (458.140) 20% 322.203 2.748.817 (1.875.205) 2.624.411 (1.951.155) 891.781 (197.704) 4.208.132 0 49.939.044 (14.956.603)

10% a 25% 10% 10% a 25%

873.612 673.256 694.077 4.208.132 34.982.441

9. Intangíveis

2011 em Reais (1) Custo Atribuído Amortização Taxa de Valor pelo Valor Acumulada Amortização Residual Contábil Ao Ano Direito de uso 373.347 (218.842) 33 % 354.505 10. Empréstimos e Financiamentos Referem-se a recursos captados de terceiros através de empréstimos e financiamentos ou saques a descoberto em conta corrente para reforço de capital de giro e estão registrados pelovalor presente com encargos financeiros registrados “pró-rata tempore” até data do encerramento do exercício social. Foram dados em garantis aval dos diretores e recebíveis. Composição dos prazos Curto Prazo 2011 Em Reais (1) Banco Itaú S/A(BRDE – FINAME – Capital de Giro) 2.098.144 Outros bancos 21.240 2.119.384 Longo Prazo 2011 Em Reais (1) Banco Itaú S/A(BRDE – FINAME – Capital de Giro) 837.428 381.217 Outros bancos 1.218.645 11. Impostos, Taxas e Contribuições Diversas 2011 Em Reais (1) Tributos retidos a recolher 85.845 206.411 Encargos sociais e previdenciários 292.256 12. Adiantamento de Clientes Refere-se à antecipação de mensalidades escolares referentes ao próximo exercício. Estão demonstradas pelo valor original. 13. Outras Contas a Pagar 2011 Em Reais (1) Aquisição de imóveis 907.800 Indenizações judiciais 258.950 Outras contas a pagar 82.047 1.248.797 14 . Provisões para Contingências Referem-se à provisão para cobertura de contingências em processosjudiciais trabalhistas e dos valores da quota patronal devida a Previdência Social suspensa por decisão do Supremo Tribunal Federal até o julgamento final das Ações Diretas de Inconstitucionalidade ADIN nº 2.028-5 e ADIN nº 2.036-6. 15. Patrimônio Social É composto pelos valores dos superávits e déficits acumulados ao longo dos exercícios, cujos valores foram reinvestidos na ampliação e manutenção de suas instalações e na manutenção dos serviços prestados. 16. Transferências Entre Mantenedora e Mantidas As transferências de recursos - enviados e/ou recebidos - entre as unidades matriz e filiais são remessas de valores para fazer frente às obrigações, ou para centralizar a gestão dos recursos na mantenedora ou administrações regionais conforme o caso. Estão registradas a valores originais. 17. Receitas com Doações, Contribuições, Convênios e Subvenções Governamentais As doações e contribuições estão registradas em contas de outras receitas operacionais, a valores originais. As doações e contribuições são valores recebidos de terceiros,

Continua...


Publicidade Legal Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A7

Continuação

POLITICAS CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

a título de colaboração por espontaneidade dos benfeitores. Os valores referentes a convênios e subvenções governamentais e outros convênios não governamentais (receitas e despesas)foram registrados em contas do passivo pelo regime de competência e aplicados na manutenção dos objetivos sociais da entidade e nos fins específicos de cada convênio conforme o caso. Os registros nas contas de resultado (receitas e despesas) serão efetivados quando da aprovação da respectiva prestação de contas pelos órgãos competentes. 18. Aplicação em Gratuidades A instituição mantém critérios de avaliação social para a concessão e manutenção das gratuidades. Os benefícios são concedidos das seguintes formas: a ) Gratuidade direta - consiste na cobertura total dos gastos com a manutenção do assistido, sob o regime de internato ou tempo integral, prestando assistência social, educacional, religiosa, à saúde, moradia, vestuário e alimentação, com integração social extensiva a familiares; e b ) Gratuidade total ou parcial - promovida através de bolsas de estudos, as quais, são concedidas após avaliação de situações especiais e excepcionais dadas em função da renda familiar, da necessidade imperiosa de auxílio para a família, quando de situação emergencial, tais como calamidades, doenças, perda de emprego, ou outras que possam comprometer a manutenção da criança na escola, de deficiência física ou mental e para incentivo ao estudo e pesquisa. 18.1Demonstração da Aplicação em Gratuidades nas Unidades de Ensino Superior e Educação Básica APLICAÇÃO MINIMA EM GRATUIDADES (§ 6º DO Artigo 13 da Lei 12,101/09) VALOR ( + ) Receitas com atividades educacionais 30.254.677 ( + ) Receitas com atividades assistenciais 174.971 ( - ) Deduções da receita (8.169.386) ( + ) Outras receitas operacionais 1.453.783 ( + ) Receitas financeiras 441.684 ( - ) Vendas do ativo imobilizado (29.000) ( - ) Recuperação de despesas (319.597) ( = ) Base de calculo para aplicação em gratuidades no ensino superior 23.807.132 ( x ) % mínimo para aplicação em gratuidades no ensino superior 20% ( = ) Aplicação mínima em gratuidades no ensino superior ( 20 % da Base de Calculo) 4.761.426

VALOR APLICADO EM GRATUIDADES EM EDUCAÇÃO ( + ) Bolsas de estudos parciais de 50 % e integrais Lei 12.101/09 - Educação Básica ( + ) Bolsas de estudos parciais de 50 % e integrais Lei 11.096/05 - Ensino Superior ( + ) Descontos concedidos conforme Artigo 31 do Decreto 7.237/10 ( + ) Aplicações em unidades de educação básica gratuita e de assistência social ( = ) TOTAL APLICADO EM GRATUIDADES EM EDUCAÇÃO ( = ) % APLICADO EM GRATUIDADES EM EDUCAÇÃO 18.2Demonstração das Quantidades de Bolsas de Estudos Concedidas QUANTIDADE DE BOLSAS DE ESTUDOS A OFERECER ( + ) Total de alunos matriculados nas unidades de educação básica ( + ) Total de alunos matriculados nas unidades de educação básica gratuita ( + ) Total de alunos matriculados na unidade de ensino superior ( - ) Alunos com bolsas integrais na educação básica (Todos os tipos de bolsa) ( - ) Alunos com bolsas integrais no ensino superior (Todos os tipos de bolsa) ( = ) Total de alunos pagantes ( = ) Divisor de proporcionalidade = 9 ( = ) Quantidade de bolsas a oferecer ( Base de Calculo / 9 ) QUANTIDADE DE BOLSAS DE ESTUDOS OFERECIDAS ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais integrais Lei 12.101/09 na educação básica ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais integrais Lei 12.101/09 na educação básica gratuita ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais de 50 % Lei 12.101/09 na educação básica ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais integrais Lei 12.101/09 no ensino superior ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais de 50 % Lei 12.101/09 no ensino superior ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais integrais Lei 11.096/05 no ensino superior ( + ) Quantidade de alunos com bolsas de estudos sociais de 50 % Lei 11.096/05 no ensino superior ( = ) TOTAL DE BOLSAS DE ESTUDOS CONCEDIDAS

2.131.081 756.242 2.187.446 1.705.445 6.780.214 28,48% 4.918 275 1.209 (338) (175) 5.889 9 655

19. Isenções e Imunidades Os benefícios recebidos no exercício na forma de isenção parcial ou total da contribuição da empresa para o INSS foram calculados como se devido fossem por unidade, a COFINS, o imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro foram calculados como se devido fossem porém, sobre o resultado da entidade, cujos valores demonstramos a seguir. TRIBUTO / CONTRIBUIÇÃO

-

2011 Em Reais (1)

Contribuição Previdenciária Patronal COFINS Contribuição Social sobre o Lucro Imposto de Renda Pessoa Jurídica

2.910.509 714.214 0 0

20. Seguros 221 275 329 14

A entidade mantém seus bens móveis e imóveis segurados a valores julgados suficientes para cobertura de eventuais perdas e/ou danos 20. Aprovação das Demonstrações Financeiras Estas demonstrações financeiras foram aprovadas pela direção geral da entidade e autorizadas para emissão em 20 de abril de 2012.

63

Pe. ANTÔNIO RAMOS DE MOURA NETO DIRETOR-PRESIDENTE

161

ROBINSON SILVA RODRIGUES CONTADOR CRC PE-012199/O-1-S-PR

38 1.101

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmos. Srs. Diretores e Associadosda CONGREGAÇÃO DOS OBLATOS DE SÃO JOSÉ Curitiba - PR Examinamos as demonstrações contábeis daCONGREGAÇÃO DOS OBLATOS DE SÃO JOSÉ, que compreendem o balanço patrimonial levantado em 31 de dezembro de 2011, e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido, e dos fluxos de caixa correspondentes ao período findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis A administração da empresa é responsável pela elaboração e pela adequada apresentação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorções relevantes, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorções relevantes. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidências a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação de riscos de distorções relevantes nas demonstrações contábeis independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da empresa para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar sua opinião sobre a eficácia desses controles internos. Uma

auditoriainclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e as razões das estimativas contábeis feitas pela administração da empresa, bem como a avaliação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência obtida pela auditoria é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Base para opinião com ressalva Conforme mencionado nas Notas Explicativas "2.4" e "2.9", os valores do imobilizado estão demonstrados pelo custo de aquisição, acrescido de correção monetária calculada até 31 de dezembro de 1995, e por reavaliação realizada em 1998, e estão ajustados por depreciações e amortizações acumuladas calculadas pelo método linear, a taxas estabelecidas de acordo com a legislação tributária. Os referidos valores não contemplam o ajuste ao custo atribuído pelo valor justo, bem como não foi reavaliada a vida útil dos bens para fins de ajuste nas taxas de depreciação dos itens do imobilizado de que trata a NBC TG 27 - Ativo Imobilizado aprovada pela Resolução CFC nº 1.177/09. Opinião com ressalva Em nossa opinião exceto quanto aos possíveis efeitos do assunto descrito no parágrafo "Base para opinião com ressalva" as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da CONGREGAÇÃO DOS OBLATOS DE SÃO JOSÉ em 31 de dezembro de 2011, o desempenho de suas operações para o exercício findo naquela data, de acordo com as praticas contábeis adotadas no Brasil. Outros Assuntos Elaboração das demonstrações contábeis Conforme mencionado na nota explicativa " 2 ", As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com a Legislação Societária, e com as Normas editadas pelo Conselho Federal de Contabilidade, bem como, para a convergência da contabilidade aos padrões internacionais foram observados os Pronunciamentos, Orientações, Interpretações Técnicas e Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade, em especial a NBC T 19.41 - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas, os atos homologados pelos órgãos reguladores, e as práticas adotadas pelas entidades em

assuntos não regulados, de forma a atender a NBC T 19.27 - Apresentação das Demonstrações Contábeis e a NBC TG - Estrutura Conceitual. Aplicação em gratuidades Conforme demonstrado na nota explicativa 18.a entidade atendeu as exigências da Lei 12.101/09 e Decreto 7.237/10 - em relação à concessão de bolsas de estudos e aplicação de recursos em gratuidades, necessárias para a manutenção da certificação de entidade beneficente de assistência social. Os recursos foram aplicados na forma de bolsas de estudos nas unidades de educação básica e de ensino superior, ensino gratuito da educação básica em unidades específicas, ações assistenciais e em programas de apoio a alunos bolsistas. Auditoria relativa ao exercício anterior As demonstrações contábeis do exercício findo em 31 de dezembro de 2010, apresentadas para fins de comparabilidade com as demonstrações contábeis do período findo em 31 de dezembro de 2011, foram examinadas por nós, cujo parecer, datado de 25 de abril de 2011 contém ressalvas quanto a: (a) não realização do procedimento de confirmação externa dos saldos; b) não constituição da provisão para perdas com créditos de liquidação duvidosa; e (c) não realização do teste de impairment, e parágrafos de ênfase quanto à: a)Observação da Legislação Societária, Normas Técnicas de Contabilidade, dos Pronunciamentos, Orientações, Interpretações Técnicas e Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade para a elaboração das demonstrações contábeis e convergência para os padrões internacionais; e b) Atendimento às exigências da Lei 12.101/09 e Decreto 7.237/10 em relação à aplicação de recursos em gratuidades em bolsas de estudos e ações assistenciais gratuitas, bem como a quantidade de bolsas de estudos concedidas, necessários para a manutenção da certificação de entidade beneficente de assistência social. Brasilia, 30 de Abril de 2012. MEGA AUDITORES ASSOCIADOS SS CRC-PR 005722/O-1 T DF JACÓB JOSÉ MÁSCHIO JUNIOR CONTADORCRC-PR 033208/O-0T DF CNAI CFC 652

Sistema Único de Saúde

Brasil gastou R$ 21 bi com doenças relacionadas ao tabaco no ano passado País gasta mais com tratamento de doenças do que o montante que é recolhido pela indústria do tabaco na forma de impostos

P

esquisa divulgada pela Aliança de Controle do Tabagismo indica que R$ 21 bilhões foram gastos no ano passado em saúde pública e privada com doenças relacionadas ao fumo. De acordo com a entidade, o montante representa quase 30% do valor destinado ao Sistema Único de Saúde (SUS). O estudo revela ainda que o tabagismo é responsável por 130 mil óbitos ao ano no Brasil, o equivalente a 13% do total de mortes registradas no país. Para a diretora da Aliança de Controle do Tabagismo, Paula Johns, é preciso desfazer o mito de que o tabaco é ruim para saúde, mas bom para a economia do país, “A realidade é outra. Os custos são enormes”, ressaltou. O estudo, segundo Paula, demonstra, que o país gasta mais com o tratamento de doenças consideradas evitáveis do que o montante que é recolhido pela indústria do tabaco na forma de impostos. Ela alertou ainda que o estudo considerou apenas os custos diretos gerados pelo consumo de produtos derivados do tabaco para a saúde

Estudo revela ainda que o tabagismo é responsável por 130 mil óbitos ao ano no Brasil, o equivalente a 13% do total de mortes registradas no país

no país e não contabilizou, por exemplo, os casos registrados entre fumantes passivos. “Os valores seriam ainda maiores”, disse. Entre as recomendações listadas pela Aliança de Controle do Tabagismo para o combate ao fumo no Brasil está a necessidade de novas

pesquisas que incluam doenças como a tuberculose na lista de enfermidades relacionadas ao fumo, além de levantamentos sobre os custos ambientais provocados pela produção do tabaco no Brasil. O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio

Magalhães, avaliou que o governo se sente “confortável e, ao mesmo tempo, preocupado” com o enfrentamento ao tabaco no país. Ele lembrou que foram registrados avanços como a queda no número de fumantes - o percentual passou de 16,2% em 2006 para 14,8% no ano passa-

do. Ele lembrou, entretanto, que o país ainda contabiliza 25 milhões de pessoas que fumam. “Precisamos aperfeiçoar o aspecto legal que trata do banimento do fumo em ambientes fechados, da taxação inibidora e do avanço no combate à pirataria”, destacou.

Relatório mostra que economia verde pode gerar em 20 anos até 60 milhões de novos empregos Se todos os países adotarem uma economia mais verde como modelo de desenvolvimento, em 20 anos seriam criados entre 15 e 60 milhões de novos empregos no mundo. A conclusão está no relatório Rumo ao Desenvolvimento Sustentável: Oportunidades de Trabalho Decente e Inclusão Social em uma Economia Verde, divulgado pela Iniciativa Empregos Verdes. O grupo, que reúne especialistas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Internacional de Empregadores (OIE) e da Confederação Sindical Internacional (CSI), mostra que o atual modelo de desenvolvimento não é mais capaz de gerar emprego produtivo e trabalho decente. “Se a situação continuar como hoje, os níveis de produtividade dos países em 2030 serão 2,4%

menores do que os atuais. Em 2050, esses níveis cairiam 7,2%. Os índices coincidem com estimativas de estudos sobre danos econômicos produzidos pela degradação do meio ambiente e a redução dos ecossistemas básicos”, sugere o relatório. Em contrapartida, considerando apenas os empregos relacionados a produtos e serviços ambientais nos Estados Unidos, 3 milhões de pessoas já se beneficiam do novo padrão. Na União Europeia, existem 14,6 milhões de empregos diretos e indiretos na proteção da biodiversidade e recuperação dos recursos naturais e florestas, sendo mais de meio milhão só na Espanha. Na Colômbia e no Brasil, os organismos internacionais destacaram a formalização e organização de quase 20 milhões de catadores informais. Ampliando as possibi-

lidades de ocupação, o relatório aponta que o Brasil já criou cerca de 3 milhões de empregos com iniciativas sustentáveis, o que representa aproximadamente 7% do emprego formal. De acordo com o estudo, é possível obter ganhos líquidos na taxa de emprego entre 0,5% e 2% do emprego total existente hoje. Mas os especialistas alertam que, para que o novo modelo funcione, é preciso combinar políticas. As orientações indicadas no relatório elencam incentivos financeiros para estimular a mudança de padrões nas empresas, a adoção de um diálogo permanente com os diversos setores da sociedade e a garantia de políticas de mercado de trabalho que complementem políticas econômicas e socioambientais. “A Lei Nacional de Garantia de Emprego Rural na Índia e na

Brasil já criou cerca de 3 milhões de empregos com iniciativas sustentáveis, o que representa aproximadamente 7% do emprego formal

habitação social e os programas de bolsas verdes no Brasil são bons exemplos de políticas de prote-

ção social que contribuem para o desenvolvimento sustentável”, destaca o documento.

Bolívia nega que promova perseguições políticas Em meio às negociações do senador boliviano Roger Pinto Molina (de oposição) para obter asilo político no Brasil, o vice-presidente da Bolívia, Alvaro Garcia Linera, negou ontem (30) que o governo do presidente Evo Morales promova perseguições políticas. Segundo ele, Molina é acusado de corrupção e não alvo de perseguição política. “Não há presos políticos ou perseguição política [na Bolívia], mas sim acusados ​​de atos de corrupção e infrações penais”, disse. Para o governo Morales, Molina deve ser investigado por sua atuação política no período em que governou a província de Pando, em 2000. De acordo com dados oficiais, ele acumulou patrimônio econômico acima das suas condições financeiras. Há denúncias de desvios de fundos da Zona Franca de Cobija (Zofraco) para a Universidade Amazônica de Pando, entre outras suspeitas. Molina diz que é perseguido por sua defesa dos direitos humanos na Bolívia. “Não se persegue pessoas por suas ideias. Há pessoas suspeitas por suas ações contra as leis”, disse Linera, que reiterou que Molina é denunciado em vários processos criminais por suspeitas de corrupção. “Se ele acredita que está certo, que não cometeu esses crimes, pode ficar feliz, se defender e até se vitimizar.” O vice-presidente indicou que, para o governo Morales, o senador pede asilo político ao Brasil para fugir da Justiça. “Estamos acostumados a muitos infratores que preferem fugir”, ressaltou Linera, referindo-se ao senador. O governo brasileiro informou que ainda analisa o pedido do senador, que está abrigado na Embaixada do Brasil em La Paz desde segunda-feira (28). Segundo informações do Ministério das Relações Exteriores, não há prazo para o governo responder ao pedido. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse ter conversado com chanceler da Bolívia, David Choquehuanca, sobre a questão, com base na Convenção de Caracas sobre Direito de Asilo. Existem duas convenções que tratam de asilo a refugiados no âmbito da Organização dos Estados Americanos (OEA), ambas firmadas em Caracas, em 1954. A Convenção sobre Asilo Diplomático foi ratificada pelo Brasil em 1957 e trata do asilo outorgado em sede de missão diplomática, refúgio que tem caráter provisório.


Judiciário Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | A8 | Indústria&Comércio

Informativo Judiciário Palestras O presidente do TJPR, desembargador Miguel Kfouri Neto, e o corregedor-geral da Justiça, desembargador Noeval de Quadros, ministraram palestras na VI Jornada de Estudos Jurídicos em Londrina. O evento, que teve início na segunda-feira (28) e prossegue até o dia 1º de junho, é promovido pela Escola da Magistratura do Paraná (EMAP) em parceria com a Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) com o objetivo de homenagear os 25 anos do Núcleo Londrina da EMAP.

Estatização Foi realizada, nesta segunda-feira (28), às 14 horas, a solenidade alusiva à estatização da serventia da Vara Cível da comarca de Jacarezinho, sob a presidência do desembargador José Cichocki Neto. A comarca, de entrância intermediária, que integra a 35ª Seção Judiciária, possui uma Vara da Infância e da Juventude e Anexos, uma Vara Criminal e Anexos, uma Vara Cível e Anexos e um Juizado Especial Cível e Criminal.

Estatização 2 Também nesta semana, na terça-feira (29), às 17 horas, ocorreu a solenidade alusiva à estatização da serventia da 1ª Vara Cível da comarca de Umuarama. A cerimônia foi presidida pelo desembargador Fernando Wolff Bodziak, que atuou como juiz na comarca. A comarca de Umuarama, atualmente sob a direção da juíza Maira Junqueira Moretto Garcia, foi recentemente elevada à entrância final e possui duas Varas Cíveis, duas Criminais, uma da Infância e Juventude e um Juizado Especial Cível e Criminal.

Quinto O Conselho Pleno da OAB-PR definiu a lista sêxtupla para o cargo de desembargador pelo quinto da advocacia. Pela ordem de votação foram escolhidos para integrar a lista os advogados: José Hipólito Xavier da Silva, Dely Dias das Neves, Munir Abbage, Marcione Pereira dos Santos, Márcia Carla Pereira Ribeiro e Márcio Antônio Sasso. Em junho o Pleno do Tribunal de Justiça, em votação aberta, definirá a lista tríplice que será encaminhada ao governador Beto Richa. Incumbirá ao chefe do Executivo escolher o novo desembargador a integrar a Corte, pelo quinto constitucional da advocacia.

Projeto Foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Assembleia Legislativa, o projeto do Tribunal de Justiça nº 207/12, que cria a 2ª Vara Cível na comarca de entrância intermediária de Cornélio Procópio. O projeto visa à expansão da prestação jurisdicional no Estado do Paraná, de forma a racionalizar e redistribuir o volume de serviços naquele Foro.

Projeto 2 Nesta quarta-feira (30), foi aprovado, em sessão Plenária na Assembleia Legislativa, o projeto de Lei nº 161/12, do Tribunal de Justiça, que cria cargos na estrutura do quadro de servidores do Poder Judiciário. São 30 cargos de Analista de Sistemas, três de Designer Gráfico e 50 de Técnico em Computação, que passarão a compor o quadro do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) do TJ. A finalidade da proposta é o atendimento da grande demanda de atividades desenvolvidas atualmente no âmbito do Judiciário, quer pela absorção de serviços e sistemas prestados por terceiros, quer para o atendimento do elevado número de processos. A prioridade neste momento é a área de informática, já que nos últimos anos o Judiciário tem investido maciçamente na informatização dos processos que são distribuídos em todas as comarcas do estado.

Concurso O presidente do TJ, desembargador Miguel Kfouri Neto, transferiu a data das inscrições do concurso para provimento de cargos de assessor jurídico do Tribunal, para o período compreendido entre os dias 04 e 25 de junho do corrente ano. Serão 20 vagas e  as inscrições poderão ser efetuadas mediante o preenchimento do formulário que estará disponível no site do TJ e do pagamento da taxa de R$ 130,00.

Plantão Judiciário Os juízes de Direito Thais Macorin Carramaschi de Martin (1º grau) e Rogerio Etzel (2º grau) respondem pelo Plantão Judiciário referente ao período de 30 de maio a 6 de junho. O serviço de plantão funciona entre o término do expediente forense do dia corrente (18h) e o início do expediente do dia seguinte (12h) e, também, durante as 24 horas do dia em que não houver expediente forense. O Plantão Judiciário de 1º e 2º graus de jurisdição atende no andar térreo do edifício do Palácio da Justiça, situado na Praça Nossa Senhora da Salete, s/nº, Centro Cívico, Curitiba. O telefone é (41) 3323 6767. imp@tjpr.jus.br

www.justicaedireito.com

Justiça&Direito Operação Consorciada

Procuradores de todo o país debatem legislação municipal Modelo vai permitir que Curitiba emita títulos de potencial construtivo na Bolsa de Valores

P

rocuradores das maiores cidades do país abriram ontem, em Curitiba, o 43º Fórum Nacional de Procuradores Gerais das Capitais Brasileiras para tratar de inovações na legislação e projetos de êxito nos municípios. O evento foi aberto pela procuradora-geral de Curitiba, Claudine Camargo Bettes. “Nossa cidade é considerada referência porque sempre inovou na sua legislação urbana. Aqui todos apresentam suas práticas para unir forças em torno de discussões judiciais que tenham repercussão nos municípios.” O procurador-geral adjunto de Campo Grande, Marcelino Pereira dos Santos, frisou que o fórum é fundamental para conhecer as medidas que tiveram sucesso dentro da administração pública, tanto na melhoria como na qualidade do atendimento. “A capital paranaense é vista como exemplo para as demais capitais por ser bem organizada, desenvolvida além de ser a única que conseguiu ser premiada na área de recuperação de crédito. Tudo isso é, com certeza, resultado da sua boa administração”, disse Santos. O evento reunirá até sábado 21

Procuradores das maiores cidades do país abriram em Curitiba, o 43º Fórum Nacional de Procuradores Gerais das Capitais Brasileiras para tratar de inovações na legislação e projetos de êxito nos municípios

profissionais de vários estados. A legislação criada para promover o desenvolvimento urbano da Linha Verde está entre um dos principais temas de discussão no fórum.

O modelo da Operação Consorciada, que vai permitir que Curitiba emita títulos de potencial construtivo na Bolsa de Valores, vai mostrar a nova visão de gestão urbana de

Curitiba. Também estão na pauta de discussão a gestão urbana, a formação de fundação estatal na área de saúde, legislação eleitoral, código florestal e previdência.

Lei de Improbidade é revolucionária, diz Ayres Britto

PF investigará tentativa de golpe sobre precatórios

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Ayres Britto, destacou, o caráter “revolucionário” da Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429 de 1992), afirmando que ela promoveu transformações na cultura brasileira ao punir com severidade os desvios de conduta dos agentes públicos. O ministro abordou o tema durante a abertura do Seminário de Probidade Administrativa, promovido pelo CNJ. O evento ocorre no auditório do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, e está sendo transmitido ao vivo pelo site do CNJ. “A Lei de Improbidade administrativa é uma lei revolucionária,

porque ela modifica para melhor a nossa cultura. Afinal, é preciso rimar erário com sacrário, o que é o propósito dessa lei”, afirmou o ministro, referindo-se à retidão que deve balizar a administração pública. “Nós estamos combatendo com muito mais eficácia os desvios de conduta e o enriquecimento ilícito às custas do poder público, a partir da priorização da pauta de julgamentos de ações de combate a esse tipo de assalto ao erário”, acrescentou. O ministro destacou ainda que os 20 anos de vigência da lei devem ser comemorados. “A Lei de Improbidade Administrativa está fazendo 20 anos, e nós devemos celebrar esses 20 anos como uma revolução

no Direito brasileiro. Trata-se do mais denso e importante conteúdo do princípio da moralidade, do decoro e da lealdade”, declarou o presidente do STF e do CNJ. Na abertura do evento, Ayres Britto proferiu palestra intitulada “A defesa do patrimônio público na Constituição de 1988”, quando destacou que a Lei de Improbidade Administrativa vem na esteira do Artigo 37 da Constituição Federal, que diz: “A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”.

Empregador não pode mudar contrato trabalhista original Uma eletricitária do Rio Grande do Sul que teve sua jornada semanal reduzida de 44 para 40 horas conseguiu ter reconhecidas suas horas trabalhadas, além da oitava diária e da quadragésima semanal, como extraordinárias pela 4ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho. A decisão foi fundamentada no princípio da primazia da realidade, que vigora no Direito do Trabalho, como ressaltou o ministro Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, relator do

recurso de revista. A 4ª Turma reformou acórdão do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), que havia desconsiderado a jornada efetivamente feita e sim a que fora acertada na época da contratação. Segundo o ministro Vieira de Mello, o novo horário, estabelecido tácita ou expressamente, adere ao contrato de trabalho, por ser condição mais benéfica ao empregado. O TRT da 4ª Região registrou,

com base em provas documentais como contrato, fichas financeiras e folhas de ponto, que a funcionária foi contratada para trabalhar 220 horas mensais, com carga horária semanal de 44 horas, mas depois foi dispensada das quatro horas referentes ao sábado por ato do empregador, sem prejuízo salarial. Para o Regional, a jornada de trabalho era de 44 horas semanais, e só deveriam ser pagas como horas extras as que excedessem esse limite.

Governo muda limites para análise de compras pelo Cade Como prometido, as regras para análise de atos de concentração econômica de empresas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica mudaram. De acordo com a Portaria Interministerial 994/2012, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (31/5), o conselho agora está obrigado a avaliar compras e fusões que envolvam, de um lado, empresas que faturam R$ 750 milhões por ano e, do outro, R$ 75 milhões. A portaria, assinada pelos minis-

tros da Fazenda e da Justiça, Guido Mantega e José Eduardo Cardozo, respectivamente, foi editada para alterar o artigo 88, incisos I e II, da nova Lei do Cade (Lei 12.529/12). Pelo texto original, o Cade estava obrigado a avaliar operações entre empresas que faturem, no mínimo, R$ 400 milhões por ano e R$ 30 milhões por ano. O próprio parágrafo 1º do artigo 88 da lei já diz que o Cade pode, administrativamente, mudar essas regras. Quando passou pela saba-

tina do Senado, antes de assumir o cargo, o presidente do Cade, Vinícius Marques de Carvalho, afirmou que pretendia fazer justamente essa alteração. A nova portaria faz parte de uma série de regulamentações aprovadas nos útimos dias. Conforme o advogado Adenir Antonio Pereira Jr., da banca Advocacia José Del Chiaro, já havia explicado à reportagem da revista Consultor Jurídico, a mudança de regra marca um ajuste de foco do Cade.

A pedido da corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, a Polícia Federal (PF) deve investigar denúncia de suposta tentativa de golpe praticado por empresa de tecnologia envolvendo o nome do CNJ. Segundo consta no ofício encaminhado à PF, a empresa estaria oferecendo a tribunais brasileiros um sistema informatizado para a gestão de precatórios, sob o argumento de que a aquisição dos produtos e serviços ofertados seria recomendação da Corregedoria Nacional de Justiça. A denúncia foi feita ao CNJ por representantes de alguns Tribunais que receberam a oferta de comercialização do sistema. Além de pedir à Polícia Federal para apurar o caso, a ministra encaminhou ofício a todos os tribunais do país alertando para a tentativa de golpe e informando que “a Corregedoria não recomenda a adoção de quaisquer sistemas informatizados, consultorias ou metodologias fornecidas por empresas para a tramitação ou execução de precatórios”. Eliana Calmon esclarece ainda que a Corregedoria Nacional possui um programa de auxílio aos tribunais na reestruturação do setor de precatórios, exigindo das Cortes a adoção de medidas jurisdicionais e administrativas de forma a garantir a transparência, eficácia e legalidade na gestão do pagamento dessas dívidas do Poder Público. Todas as recomendações e sugestões, no entanto, são feitas pela equipe do órgão durante o trabalho nos tribunais e não envolvem indicações de produtos e serviços. “A adoção de sistemas informatizados por este Conselho aguarda, prudentemente, as iniciativas a serem tomadas quanto à gestão de precatórios no âmbito do Processo Judicial Eletrônico (PJe), em desenvolvimento pelo CNJ em parceria com diversos tribunais, e, que no tempo certo, será disponibilizado sem ônus para todos os órgãos do Poder Judiciário”, esclarece Calmon.


Publicidade Legal Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | B1 EDIFÍCIO JPJ CNPJ: 05.457.431/0001-03 EDITAL DE CONVOCAÇÃO Prezados(as) Senhores(as): Ficam os(as) Senhores(as) Condôminos(as) do Edifício JPJ, na forma do artigo 12º e seguintes da Convenção de Condomínio, convocados para comparecer à ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA do condomínio, a realizar-se no dia 11 de Junho de 2012, na Alameda Dom Pedro II, nº 740, às 18:00 horas, em primeira convocação, e às 18:30 horas, em segunda convocação, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: Em Assembléia Geral Ordinária: a).Eleição do Síndico; b).Outros assuntos de interesse do Condomínio. Em Assembléia Geral Extraordinária: a)Reforma dos apartamentos do Edifício JPJ; b)Utilização dos valores existentes no Fundo de Reserva ou Reposição para a reforma dos apartamentos do Edifício JPJ; c)Alteração temporária do valor destinado ao Fundo de Reserva ou Reposição para 5% (cinco por cento), até a reposição integral dos valores despendidos com a reforma dos apartamentos; d)Outros assuntos de interesse do Condomínio. Curitiba, 31 de Maio de 2012. HOTEL CURITIBA CAPITAL S.A. Arrendatária NO(S) PROCESSO(S) ABAIXO FOI EXPEDIDO O EDITAL A SEGUIR TRANSCRITO: “EDITAL DE CITAÇÃO COM PRAZO DE 60 (SESSENTA) DIAS. A DOUTORA ANA CAROLINA MOROZOWSKI, JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DA 3ª VARA, SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ, NA FORMA DA LEI, ETC. FAZ SABER, a todos os que o presente edital virem, ou dele conhecimento tiverem, que perante este Juízo e Secretaria se processam os Autos de AÇÃO MONITÓRIA Nº 2009.70.00.017415-9/PR, em que figura como requerente CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF e requerido VALDEREZ ANTUNES DA SILVA ME, pessoa jurídica de direito privado, CNPJ nº 75.671867/0001-78, com último endereço conhecido na Rua Bley Zorning, 3455, Curitiba/PR, e VALDEREZ ANTUNES DA SILVA, brasileira, inscrita no CPF/MF sob o nº 392.098.819-15 e no RG sob o nº 3.042.693SSP/PR, com último endereço conhecido na Rua Bley Zorning, 3455, Curitiba/PR. Como os requeridos encontram-se em lugar incerto e não sabido, não sendo por isso citados pessoalmente, CITA-OS por meio do presente, para que, em até 15 (quinze) dias, apresentem embargos à monitória ou paguem o débito apontado na inicial (R$ 65.878,59, em 07/2009), ficando cientes de que a realização imediata do pagamento dispensa a exigência de custas processuais e honorários advocatícios. Caso não haja o pagamento ou caso não sejam opostos embargos, ficará constituído título judicial em favor da requerente e em desfavor dos requeridos para que paguem o valor exigido acrescido das custas e dos honorários advocatícios de 10%. Para que chegue ao conhecimento de todos e principalmente do interessado, mandou a MM. Juíza passar o presente edital, que será fixado em lugar de costume desta Vara e publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região. O prazo deste, que começará a fluir da data da publicação, terá transcorrido assim que decorram os 60 (sessenta) dias, fixados em epígrafe, e assim, perfeita estará a CITAÇÃO. Eu, Marcio A. G. Barbosa, Técnico / Analista Judiciário, digitei, e vai conferido pela Diretora de Secretaria, Marina Constantino Max. Dado e passado nesta cidade de Curitiba, em 16 de maio de 2012.” AUTOR : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : ANESIO ROSSI JUNIOR RÉU : VALDEREZ ANTUNES DA SILVA

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO PARANÁ CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 09/2012 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE DIAGNÓSTICO E ORÇAMENTO PARA REFORMA E ADEQUAÇÃO DE UNIDADES DO DETRAN/ PR. AUTORIZAÇÃO: Sr. Marcos Elias Traad da Silva – Diretor Geral, em 28/05/2012 - Protocolo nº 11.464.042-5 RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS: Até o dia 05 de julho de 2012, 09:00 horas. VALOR MÁXIMO: R$ 174.522,08 (cento e setenta e quatro mil, quinhentos e vinte e dois reais e oito centavos). INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES: Os interessados poderão efetuar o “download” do Edital acessando o portal da Internet denominado compraspr (www.pr.gov.br/compraspr/). EXECUÇÃO DE TÍTULO EXTRAJUDICIAL Nº 2006.70.00.020106-0/PR EXEQUENTE : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : ANESIO ROSSI JUNIOR EXECUTADO : LUIS IDORILDO NETTO DA CUNHA EDITAL N.º 6181819 CITAÇÃO de LUIS IDORILDO NETTO DA CUNHA, inscrito no CPF/MF sob o nº 679.190.900-59 e no RG sob o nº 1058090687 - SSP/RS, para que, nos termos do art. 652 do CPC - Lei 11.382/2006, pague, no prazo de 03 (três) dias, a quantia de R$ 16.824,68 (dezesseis mil oitocentos e vinte e quatro reais e sessenta e oito centavos), valor fornecido pelo credor, atualizado até março/2006, a ser devidamente atualizado monetariamente à época do efetivo pagamento, acrescida das custas processuais e honorários advocatícios fixados em 10% sobre o valor principal, ficando ciente de que, em havendo pagamento integral no prazo acima estipulado, a verba honorária será reduzida pela metade (art. 652-A do CPC - Lei 11.382/2006), ou, no mesmo prazo, nomeie bens à penhora, sob pena de serem penhorados tantos bens quantos bastem para satisfazer o crédito, nos termos do art. 652, §1º, do CPC (redação dada pela Lei nº 11.383/2006). INTIMAÇÃO do devedor de que tem o prazo de 15 (quinze) dias, para opor embargos à execução, independente de penhora, depósito ou caução (art. 736 e 738 do CPC - Lei 11.382/06), bem como de que, no mesmo prazo, se o devedor reconhecer o crédito do credor e comprovar o recolhimento de 30% (trinta por cento) do valor em execução, inclusive custas e honorários de advogado, poderá requerer o pagamento do restante em até 06 (seis) parcelas mensais, devidamente corrigidas e acrescidas de juros de mora de 1% (um por cento) ao mês, nos termos do art. 745-A, do CPC (Lei 11.382/06). E para que chegue ao conhecimento do interessado, por este estar em lugar incerto e não sabido, é expedido o presente Edital de Citação e Intimação, com prazo de 30 (trinta) dias. DADO E PASSADO, nesta cidade de Curitiba - PR, 10 de maio de 2012. VERA LUCIA FEIL PONCIANO Juíza Federal

BATTISTELLA ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A.

Companhia Aberta - CVM nº 01545-8 - CNPJ/MF nº 42.331.462/0001-31 - NIRE 4130001526-1 Ata da 17ª Assembleia Geral Ordinária 1. Data, Hora e Local: Dia 20 de abril de 2012, às 9hs, na sede social da Battistella Administração e Carteira de Identidade RG nº 29.356.501-6/SSP-SP. Os Conselheiros são eleitos ou reeleitos para um Participações S.A. (“Companhia”), situada em Curitiba, Estado do Paraná, na Alameda Dr. Carlos de mandato de 1 (um) ano, devendo permanecer em seus cargos até a realização da Assembleia Geral Carvalho, nº 555. 2. Mesa: Presidente: Sr. Marcos Andreetto Perillo. Secretária: Juliana Cristina Martinelli Ordinária da Companhia a realizar-se até abril de 2013. Os Conselheiros ora eleitos ou reeleitos são Raimundi. 3. Presença: Presentes acionistas representando mais de 70% (setenta por cento) do capital investidos em seus cargos mediante assinatura dos respectivos Termos de Posse no livro nº 2 de Atas de social e mais de 70% (setenta por cento) do capital com direito a voto, conforme assinaturas constantes Reunião de Diretoria, os quais declaram, na forma do art. 147 da Lei 6.404/76 e da Instrução CVM nº do Livro de Presença de Acionistas. Presentes também: (i) os Srs. Marcos Andreetto Perillo e Ricardo 367/2002, que não estão impedidos, por lei especial, de exercer a administração da empresa e nem Lopes de Moraes, Diretores da Companhia e (ii) os Srs. Cosme dos Santos e Adriano Cesar Passenko, condenados ou sob efeitos de condenação, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a representantes da Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes, auditores independentes da cargos públicos. Em razão disso, o Conselho de Administração fica assim composto: Ernesto Companhia. 4. Convocação: Os acionistas foram regularmente convocados por meio do Edital de Heinzelmann, Melissa Rizzo Battistella, Luciano Ribas Battisella, Emilio Battistella, Mauricio Valente Convocação publicado no Diário Oficial do Estado do Paraná, e Jornal Indústria & Comércio, edições de Battistella, Rafael Ramos Battistella e José Mario Marim, todos acima qualificados. 7.4. Conforme 03, 04 e 05 de abril de 2012. Os documentos referidos no Art. 133, parágrafo 3º, da Lei nº 6.404/76, foram proposta da acionista Aliança Battistella Agro Pastoril e Administradora de Bens Ltda., foi deliberada por publicados no Jornal Indústria & Comércio de Curitiba, no Diário Oficial do Estado do Paraná, edição de unanimidade de votos proferidos, com abstenção de voto dos acionistas Fama Futurevalue Master Fundo 29 de março 2012. O Aviso aos Acionistas referido no art. 133, caput, da Lei nº 6.404/76 foi publicado nos de Investimento e CARNEGGIE LLC, a fixação da remuneração global anual dos Conselheiros e da mesmos jornais, edições de 20, 21 e 22 de março de 2012. 5. Ordem do Dia: 5.1. Tomar as contas dos Diretoria no montante de até R$ 6.300.000,00 (seis milhões e trezentos mil reais). 7.5. Nos termos do Art. Administradores, examinar, discutir e votar as Demonstrações Financeiras e o Relatório da Administração 14 do Estatuto Social e do artigo 161 da Lei 6.404/76, por solicitação dos acionistas Fama Futurevalue referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; 5.2. Deliberar sobre a destinação Master Fundo de Investimento e CARNEGGIE LLC detentores de 2% de ações com direito a voto, foi do resultado do exercício e distribuição de dividendos; 5.3. Eleição dos membros do Conselho de instalado o Conselho Fiscal da Companhia. Sendo composto o Conselho Fiscal nos seguintes termos: (a) Administração; 5.4. Fixação da remuneração global dos membros do Conselho de Administração e da Os titulares de ações preferenciais sem direito a voto elegeram 1 (um) membro e respectivo suplente da Diretoria. 6. Leitura de Documentos, Recebimento de Votos e Lavratura da Ata: 6.1. Dispensada, por seguinte forma: Os acionistas E.M. Marim Administração e Participações Ltda, José Mario Marim, Maria unanimidade, a leitura dos documentos relacionados às matérias a serem deliberadas nesta Assembleia Cristina Marim de Moraes, Maria Elizabeth Marim Vieira, Maria Inês Marin e Maria Isabel Marim Pisani, Geral Ordinária, uma vez que são do inteiro conhecimento dos acionistas. 6.2. As declarações de votos, detentores de 10,31% de ações preferenciais sem direito a voto, indicaram em voto em separado como protestos e dissidências porventura apresentados serão numerados, recebidos e autenticados pela Mesa Conselheiro, o Sr. Luiz Carlos Benner, brasileiro, casado, auditor, portador do RG nº 1.846.619-2 SSP/ e ficarão arquivados na sede da Companhia, nos termos do artigo 130, parágrafo 1º, da Lei nº 6.404/76. SC e inscrito no CPF/MF sob nº 559.101.909-97, bem como seu suplente, o Sr. Márcio Alberto Noronha 6.3. Autorizada a lavratura da presente ata na forma de sumário e a sua publicação com a omissão das Costa, brasileiro, solteiro, auditor, portador do RG nº 7.564.253-9 SSP/PR e inscrito no CPF/MF sob nº assinaturas da totalidade dos acionistas, nos termos do artigo 130, parágrafos 1º e 2º, da Lei nº 6.404/76, 025.868.239-66; (b) A acionista Aliança Battistella Agro Pastoril e Administradora de Bens Ltda., detentora respectivamente. 7. Deliberações: Após análise e discussão das matérias constantes da Ordem do Dia, de 58,62% das ações com direito a voto, indicou o Sr. João Inácio Correia, português, casado, advogado, os acionistas deliberaram o seguinte: 7.1. Aprovar, por unanimidade dos votos proferidos, com a portador do RNE W416593Y, inscrito no CPF/MF sob nº 406.487.028-04, residente e domiciliado na abstenção dos legalmente impedidos, as contas dos administradores, o relatório da administração e as Alameda dos Girassóis, 829, Alphaville 6, Santana de Parnaíba - SP, CEP 06.539-130, bem como seu Demonstrações Financeiras da Companhia referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro suplente Sr. João Guilherme Mazargão Barbuto, brasileiro, casado, sócio, RG nº 3.357.169 SSP/SP, de 2011, as quais foram auditadas por Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes; 7.2. Aprovar, CPF nº 032.755.318-91, residente e domiciliado na Rua Dr. Manuel Maria Tourinho, 667, Pacaembu, CEP por unanimidade dos votos proferidos, a destinação do resultado do exercício à conta de Prejuízos 01.236-000, e o Sr. Rogério Borges Castro, brasileiro, divorciado, advogado, portador do RG 2.839.520 Acumulados e a consequente não distribuição de dividendos, uma vez que o exercício de 2011 apresentou SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº 063.733.998-34, residente e domiciliado na Alameda Jaú, 1754, 12º um prejuízo de R$ 47.926.661,74 (quarenta e sete milhões, novecentos e vinte e seis mil, seiscentos e andar, Jardim Paulista, São Paulo - SP, bem como seu suplente Sr. Carlos Fernando Nunes Matta, sessenta e um reais e setenta e quatro centavos). 7.3. Nos termos do Art. 12 do Estatuto Social, os brasileiro, casado, sócio, RG nº 4.353.492-0 SSP/PR, CPF nº 676.606.909-06, residente e domiciliado na acionistas deliberam que para este mandato serão eleitos 7 (sete) membros integrantes do Conselho de Praça Edward Menezes Caldas, 50, Jardim Social, em Curitiba-PR, CEP 85.520-810. Por unanimidade Administração. Em seguida, por meio do procedimento de votação em separado previsto no Art. 141, §5°, dos acionistas presentes, aprovou-se a instalação do Conselho Fiscal com 3 (três) membros eleitos para da Lei 6.404/76, os acionistas E. M. Marim Adm. E Participações Ltda; José Mario Marim; Maria Cristina integrar o Conselho Fiscal da Sociedade, o qual passa a ter a seguinte composição: conselheiros Luiz Marim de Moraes; Maria Elizabeth Marim Vieira; Maria Inês Marin e Maria Isabel Marim Pisani, titulares Carlos Benner, João Inácio Correia e Rogério Borges Castro e respectivos suplentes, todos de 5.045.299 ações ordinárias e 10.282.854 ações preferenciais de emissão da Companhia, anteriormente qualificados. 7.6. A remuneração dos membros do Conselho Fiscal será de 10% da média correspondentes, em conjunto, a 15.328.153 totalizando 10,24% do capital social da Companhia, atribuída a cada diretor da Companhia, conforme dispõe o artigo 162 §3º da Lei 6.404/76. 8. informaram ao Sr. Presidente que, de acordo com o previsto no Parágrafo 5º do artigo 141 da Lei nº Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o Sr. Presidente suspendeu os trabalhos pelo tempo 6.404/76, pretendem realizar eleição em separado para a eleição de 1 (um) membro para integrar o necessário à lavratura desta ata. Reaberta a sessão, a ata foi lida e aprovada pelos presentes, assinada Conselho de Administração, tendo indicado para esse fim a reeleição do Sr. José Mario Marim, brasileiro, pelo Presidente e pelo Secretário da Mesa, e pelos acionistas presentes. 9. Assinaturas: Presidente: casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nº 158.198.259.34, portador da Carteira de Marcos Andreetto Perillo. Secretária: Juliana Cristina Martinelli Raimundi. Acionistas: Aliança Battistella Identidade RG nº 940.340/SSP-PR. A acionista controladora, Aliança Battistella Agro Pastoril e Agro Pastoril e Administradora de Bens Ltda. p/p Luciano Ribas Battistella e Melissa Rizzo Battistella, E. Administradora de Bens Ltda., titular de 29.261.565 ações ordinárias de emissão da Companhia e M. Marim Administração e Participações Ltda., Maria Isabel Marim Pisani p/p José Mario Marim, Maria 59.662.173 ações preferenciais de emissão da Companhia, totalizando 59,41% do capital social da Cristina Marim de Moraes p/p José Mario Marim, Maria Elizabete Marim Vieira p/p José Mario Marim, Companhia, por sua vez, elegeu, como membros do Conselho de Administração da Companhia, o Sr.: Maia Inês Marin p/p José Mario Marin, José Mario Marin, Fama Futurevalue Master Fundo de Investimento Ernesto Heinzelmann, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nº e CARNEGGIE LLC p/p Bruno Oliveira Vargens, Emilio Battistella, Denise Cristina Marin Battistella, 246.228.699-34, portador da Carteira de Identidade RG nº 184.814/SSP-SC e Melissa Rizzo Battistella, Luciano Ribas Battistella, Melissa Rizzo Battistella, Bruno Oliveira Vargens, Marcos Andreetto Perillo. brasileira, divorciada, internacionalista, inscrito no CPF/MF sob o nº 279.-96.078-06, portadora da Diretores: Marcos Andreetto Perillo e Ricardo Lopes de Moraes. Auditores Independentes: Deloitte Carteira de Identidade RG nº 19.593.164/SSP-SP e reelegeu os Srs.: Emilio Battistella, brasileiro, Touche Tohmatsu Auditores Independentes. Srs. Cosme dos Santos e Adriano Cesar Passenko. Certifico casado, economista, inscrito no CPF/MF sob nº 643.057.248-04 e portador da Carteira de Identidade RG. que o presente Sumário de Ata é cópia fiel da transcrição da página nº 40 a 45 do Livro de “Atas de nº 5.913.670/SSP-SC; Luciano Ribas Battistella, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/ Assembleias Gerais”, nº 04 escriturado na forma facultada pelo Artigo 12º, Inciso I da Instrução Normativa MF sob nº 699.384.909-72 portador da Carteira de Identidade RG nº 4.713.799-3/SSP-PR; Mauricio nº 107, de 23.05.2008, do Departamento Nacional de Registro do Comércio - DNRC. Curitiba, 20 de abril Valente Battistella, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nº de 2012. Juliana Martinelli - Secretária da Mesa. Junta Comercial do Estado do Paraná - Certifico o 215.387.668-09 portador da Carteira de Identidade RG nº 5.030.568-6/SSP-PR; Rafael Ramos registro em: 02/05/2012 - Sob o número: 20123181852 - Protocolo: 12/3118185-2 - Empresa: Battistella, brasileiro, casado, empresário, inscrito no CPF/MF sob nº 273.844.668-06, portador da 41 3 00015261 - Battistella Administração e Participações S.A.. Sebastião Motta - Secretário Geral.

TM PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS S.A . CNPJ 03.309.609/0001-35

RELATÓRIO DA DIRETORIA Srs. Acionistas: De acordo com as disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.sas., as demonstrações contábeis do período findo em 31 de dezembro de 2011. Colocamo-nos à disposição dos senhores acionistas para quaisquer esclarecimentos adicionais que se fizerem necessários.

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 31 DE DEZEMBRO DE 2011 ATIVO

R$ 2011

R$ 2010

PASSIVO

R$ 2011

R$ 2010

739 739

961 961

141.847 141.847

142.295 142.295

CIRCULANTE Caixa e Bancos Impostos a Recuperar NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Outros Créditos Imoveis e Comercializar Deposito Judicial Investimentos Imobilizado

178.911 178.886 25 1.788.014

5.055 5.055 0 1.803.636

CIRCULANTE Obrigações Tributárias e Trabalhistas

7.765 1.314.871 1.063 458.458 5.857

33.387 1.304.871 1.063 458.458 5.857

PATRIMONIO LIQUIDO Capital Social Reserva de Lucros Prejuizos acumulados

1.824.339 1.665.435 2.589.885 2.589.885 136.270 136.270 (901.816) (1.060.720) -

TOTAL DO ATIVO

1.966.925

1.808.691

TOTAL DO PASSIVO

1.966.925

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO 2011 115

0

DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA Deduções

(4)

0

111

0

0

0

158.820 (130.099) 0 288.919

82.430 (99.068) 0 181.498

LUCRO LIQUIDO ANTES DAS PROVISÕES 158.931

82.430

CUSTO OPERACIONAL BRUTO RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS Despesas Administrativas Equivalencia patrimionial dividendos recebidos

Contribuição Social e Imposto de Renda LUCRO LIQUIDO DO EXERCICIO

1.808.691

DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA 2010

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

NÃO CIRCULANTE Contas Correntes

(27)

0

158.904

82.430

Fluxo de Caixa proveniente A. Das atividades operacionais a1. Lucro ajustado pelas receitas/despesas que não representaram ingressos/desembolsos - lucro liquido do período a2. Decréscimos nos impostos a pagar a3. Decréscimo nos outros créditos a4. Decréscimos nas contas a pagar B. Das atividades financeiras b1. Aplicação financeira b2. Dividendos C. De Investimentos c1. Aquisição de imóveis a comercializar D. Variação das Disponibilidades (A+B+C) E. Demonstração da Variação das disponibilidades e1. Saldo final das disponibilidades em 31/12/2011 e2. Saldo das disponibilidades em 01/01/2011 e3. Variação ocorrida no periodo

2011 183.856 158.904 158.904 (222) 25.622 (448) (10.000) (10.000) 173.856 178.911 5.055 173.856

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Histórico EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 Lucro do Exercicio Destinação do Lucro Dividendos Reserva para Investimentos Reserva Legal EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011

CAPITAL SOCIAL

RESERVA LEGAL

RESERVA PARA INVESTIMENTOS

PREJUIZOS ACUMULADOS

TOTAL

2.589.885

136.270

-

-1.060.720 158.904

1.665.435 158.904

0

1.824.339

2.589.885

136.270

0

-901.816

NOTAS EXPLICATIVAS DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 01- Principais Diretrizes Contábeis As demonstrações contábeis estão sendo apresentadas em consonância a Lei 6.404/76 e alterações promovidas pela Lei 11.638/07. A referida lei estabelece diversas alterações sobre a elaboração das demonstrações contábeis, visando o alinhamento com as normas internacionais de contabilidade. Estão sendo observados de forma consistentes os pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 02 - Contexto Operacional A Sociedade tem por objeto social a participação no capital social de

outras sociedades quotista ou acionistas 03 - Capital Social O capital social subscrito e integralizado está representado por 1.364.955 ações ordinárias e 1.224.930 ações preferenciais sem valor nominal. Aos acionistas é assegurado em cada exercício um dividendo minímo, não inferior a 25% do lucro líquido calculado nos termos do Estatuto Social. Thell Nalini Adur Diretor Presidente

Maria Rita Marchesini de Brito CRC-PR 17425/O-2 Técnico Contábil

Industrias J. Bettega S.A. CNPJ MF 76.490.614/0001-60 ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Convidamos os senhores acionistas a reunirem-se em Assembléia Geral Ordinária, a se realizar na Sede Social da Empresa, sito à Avenida República Argentina, 3.021 1 º andar, salas 101 a 106 em Curitiba, Estado do Paraná, às 15:30 horas como primeira chamada e 16:30 horas como segunda chamada no dia 14 de Junho de 2.012, a fim de deliberarem sobre as seguintes ordens do dia; a) Leitura, discussão e aprovação do Balanço Patrimonial e Demonstrações Financeiras do Exercício de 2.011. b) Deliberação sobre a destinação a ser dada ao resultado do exercício; c) Fixação de honorários da Diretoria para o presente exercício. d) Outros assuntos de interesse social Curitiba, 30 de Maio de 2.012. Rubens Arles Bettega-Diretor Presidente                                

3º OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL E 15º TABELIONATO DE PESSOAS NATURAIS Município e Comarca de CURITIBA, Estado PARANÁ Bel. Mônica Maria Guimarães de Macedo Dalla Vecchia Registradora Designada  Faço saber que pretendem se casar: 01- FLAVIO BITTENCOURT SILVA ROSA e JULIANA MARTINI CELLA; 02- CELSO LUIZ CARAZZAI DE MATOS e RENATA VIEIRA. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da lei no prazo de 15 (quinze) dias. CURITIba, 31 DE MAIO de 2012 EDITAL DE PROCLAMAS Cartório Distrital da Barreirinha JOAQUIM VIEIRA MACIEL - Titular Av. Anita Garibaldi ,1250 – Ahú – Fone (41) 3352-3002/3254-8424/3252-3605 Faço saber que pretendem casar-se e apresentarem documentos exigidos pelo artigo 1525, incisos I, III e IV; I, III,IV e V do Código Civil Brasileiro em vigência, os contraentes: 01- MAXIMINO MOREIRA NETO E DINÁ BELLI DA SILVA; 02 – CELSO LUIZ PONTARA JUNIOR E DEBORA TATIANE FERREIRA GREGÓRIO; 03– WELLINGTON MARQUES AIRES E SÔNIA MÁRCIA OLIVEIRA SILVA. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o na forma da Lei, no prazo de 15 dias. Lavro o presente Edital de Proclamas para ser publicado e afixado em lugar de costume. CURITIba, 31 DE MAIO de 2012 AÇÃO MONITÓRIA Nº 2006.70.00.031723-1/PR AUTOR : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : VIRIATO XAVIER DE MELO FILHO RÉU : KELLY YUKIKO SUGUIY SOARES : VANESSA CRISTINI FERREIRA DOS SANTOS EDITAL N.º 6213115

EDITAL DE CITAÇÃO COM PRAZO DE 60 (SESSENTA) DIAS.

A DOUTORA ANA CAROLINA MOROZOSKW, JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DA 3ª VARA, SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ, NA FORMA DA LEI, ETC. FAZ SABER, a todos os que o presente edital virem, ou dele conhecimento tiverem, que perante este Juízo e Secretaria se processam os Autos em epígrafe, em que figura como requerente CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF e requeridos KELLY YUKIKO SUGUIY SOARES e VANESSA CRISTINI FERREIRA DOS SANTOS, com último endereço conhecido na Av. Frederico Lambertucci, 1164, Curitiba/PR. Como os requeridos encontram-se em lugar incerto e não sabido, não sendo por isso citados pessoalmente, CITA-OS por meio do presente, para que, no prazo de 15 (quinze) dias, paguem a quantia indicada na inicial (R$ 15.750,34, em 11/2006), devidamente atualizada à época do pagamento e demais acréscimos legais, conforme art. 1.102, letra b, do Código de Processo Civil, devendo constar no mandado que, se não forem oferecidos embargos no prazo legal, o mandado de citação converter-se-á em mandado executivo para pagamento de quantia certa, e, ainda, que se os requeridos cumprirem o comando emergente (pagamento) ficarão isentos das custas processuais e dos honorários advocatícios (art. 1.102c §1º do CPC. Para que chegue ao conhecimento de todos e principalmente do interessado, mandou a MM. Juíza passar o presente edital, que será fixado em lugar de costume desta Vara e publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região. O prazo deste, que começará a fluir da data da publicação, terá transcorrido assim que decorram os 60 (sessenta) dias, fixados em epígrafe, e assim, perfeita estará a CITAÇÃO. Eu, Marcio A. G. Barbosa, Técnico / Analista Judiciário, digitei, e vai conferido pela Diretora de Secretaria, Marina Constantino Max.

Dado e passado nesta cidade de Curitiba, em 18 de maio de 2012. Ana Carolina Morozowski Juíza Federal Substituta

GOLD SEA PARTICIPAÇÕES S/A CNPJ/MF 10.697.095/0001-06 / NIRE 41300077118 ATA DA TERCEIRA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E DA TERCEIRA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DATA, HORA, LOCAL, FORMA: Aos 10 (dez) dias do mês de abril do ano de dois mil e doze (10/04/2012), às 10 horas, na sede da companhia, situada na Avenida Sete de Setembro, 4476, conjunto 503, Bairro Batel, CEP 80.250-210, em Curitiba, Estado do Paraná, reuniram-se os acionistas representando 100% do capital social de Gold Sea Participações S/A, inscrita no CNPJ/MF sob nº 10.697.095/0001-06, com atos constitutivos arquivados na Junta Comercial do Paraná sob NIRE nº 41300077118, conforme consta do Livro de Presenças. Ata lavrada nos termos do artigo 130, §1º, da Lei nº 6.404/1976. CONVOCAÇÃO: Dispensada, nos termos do artigo 124, §4º, da Lei nº 6.404/1976. PUBLICAÇÃO DOS DOCUMENTOS ANALISADOS: Dispensada, tendo em vista o enquadramento da companhia na norma do artigo 294 da Lei nº 6.404/1976. MESA: Presidente: Sr. ALEXANDRE HENRIQUE CAIADO. Secretário: Sr. JORIO DAUSTER MAGALHÃES E SILVA. ORDEM DO DIA: (a) analisar e aprovar as contas da Companhia referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; (b) eleição de membros do Conselho de Administração; e (c) aprovar dar publicidade ao INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS assinado em 30 de julho de 2011, ocasião em que GODEL CONSULTORIA LTDA. cedeu e transferiu, a título gratuito, para GOLDEN GATE CONSULTORIA E PARTICIPAÇÕES LTDA. todos os direitos e obrigações decorrentes do CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS firmado em 30 de abril de 2010 originalmente com GODEL CONSULTORIA LTDA. e a Companhia. DELIBERAÇÕES UNÂNIMES: (a) aprovadas as contas da companhia referentes ao exercício social encerrado no dia 31 de dezembro de 2011; (b) eleitos para compor o Conselho de Administração da Companhia, na qualidade de Conselheiros Independentes, os senhores MAURICIO SCHULMAN, brasileiro, casado pelo regime de comunhão universal de bens, engenheiro civil, portador da cédula de identidade RG nº 127.510/SSP-PR, inscrito no CPF/MF sob o nº 000.447.419-87, residente e domiciliado na Alameda Dom Pedro II, 71, apartamento 10, Batel, CEP 80420-060, em Curitiba, Paraná; JOSÉ EDUARDO ALVES FERREIRA, brasileiro, solteiro, nascido em 09 de janeiro de 1946, empresário, portador da cédula de identidade RG nº 582.038 SSP/PR, inscrito no CPF/MF sob o nº 010.177.999-20, residente e domiciliado na Avenida Presidente Getúlio Vargas, 2800, apartamento 51, Água Verde, CEP 80240-040, em Curitiba, Paraná, e ROBERTO ALOÍSIO PARANHOS DO RIO BRANCO, brasileiro, casado pelo regime de comunhão universal de bens, administrador de empresas, portador da cédula de identidade RG nº 163.601-2 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 026.126.828-72, residente e domiciliado na Avenida Paulista, 807, 12º andar, Cerqueira César, CEP 01311100, na capital do Estado de São Paulo. O mandato dos conselheiros durará do dia 10/04/2012 a 10/04/2014, podendo haver recondução. Para atender ao disposto no artigo 146 da Lei 6.404/1976, os Conselheiros independentes JOSÉ EDUARDO ALVES FERREIRA e ROBERTO ALOÍSIO PARANHOS DO RIO BRANCO adquirem dos acionistas ALEXANDRE HENRIQUE CAIADO e JORIO DAUSTER MAGALHÃES E SILVA, por instrumento lateral, 01 (uma) ação cada um, respectivamente. O Conselheiro MAURÍCIO SCHULMAN já possui 01 (uma) ação da companhia; (c) aprovada a publicidade do INSTRUMENTO PARTICULAR DE CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS assinado em 30 de julho de 2011, por meio do qual GODEL CONSULTORIA LTDA. pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 11.523.208/0001-01, com sede na cidade de Recife, Pernambuco, na Rua Castro Alves, 236, conjunto 02, CEP 52.030-060, cedeu e transferiu, a título gratuito, para GOLDEN GATE CONSULTORIA E PARTICIPAÇÕES LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 11.756.030/0001-49, com sede em Curitiba, Paraná, na Avenida Sete de Setembro, 4476, conjunto 503, CEP 80.250-210, todos os direitos e obrigações decorrentes do Contrato de Prestação de Serviços firmado em 30 de abril de 2010 originalmente pela companhia com a empresa GODEL CONSULTORIA LTDA. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e, como ninguém a solicitou, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura desta ata. Reaberta a sessão, procedeu-se à leitura em voz alta desta ata e, em seguida, uma vez aprovada por unanimidade, foi assinada pelos presentes. ALEXANDRE HENRIQUE CAIADO JORIO DAUSTER MAGALHÃES E SILVA JOSÉ EDUARDO ALVES FERREIRA ROBERTO PARANHOS DO RIO BRANCO MAURÍCIO SCHULMAN Registrada na Junta Comercial do Estado do Paraná sob o nº 20123180058 em 18/05/2012.

Empresas do PR participam de feira de decoração natalina Nove empresas – das cidades de Campo Largo, Cascavel, Guarapuava, Jacarezinho, Pinhais e Curitiba – representam o estado na Expo Parques e Festas 2012 – 6ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para Parques Temáticos, Buffets e Festas Infantis e na Natal Show 2012 – Feira Internacional de Artigos e Decoração de Natal. Numa área de 19 mil m², os eventos apresentam as novidades de um total de 225 empresas das quais 110 trabalham com um amplo mix de itens para decoração natalina, formado por fitas e tecidos, peças artesanais, árvores, bolas e velas, iluminação, caixas e papéis de presente, guirlandas e presépios. Os outros 115 expositores, por sua vez, apresentam em primeira mão as novidades do segmento de parques, bufês e festas, com lançamentos em utensílios especiais, bonecos, entretenimento, brinquedos, jogos e equipamentos, cenografia, infláveis, playgrounds, artigos de festa e decoração, balões e acessórios, lembrancinhas e presentes, fantasias, utensílios, confeitos e outros itens para um público altamente qualificado.


3

a

margem arte&atitude

Especial Indústria&Comércio | Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | B3

moda&cia

Nem te Conto Cabaret

Adélia Maria Lopes adeliamarialopes@yahoo.com.br

O Pequeno Príncipe, da letra para o corpo N

uma livre adaptação do clássico O Pequeno Príncipe, de Saint-Exupéry, o espetáculo de dança Baobá, da Cisne Negro Cia. de Dança, ganha apresentações em Curitiba neste fim de semana, assinalando a comemoração dos 35 anos da companhia paulistana fundada por sua diretora artística, Hulda Bittencourt, ao juntar as alunas do Estúdio de Ballet Cisne Negro com alguns atletas da Faculdade de Educação Física da USP. Nascia assim um grupo dotado de dança energética e viril, entre outras qualidades dentro do panorama da dança contemporânea. Esses atributos estão em Baobá, que tem direção geral de José Possi Neto, direção artística de Hulda Bittencourt, coreografia de Dany Bittencourt e direção musical de

Miguel Briamonte. O enredo, com diálogos e letras das músicas de Eduardo Ruiz, conduz o Pequeno Príncipe de volta a Terra em busca de um amigo e encontra um príncipe afro-brasileiro. E os diálogos metafóricos do livro

servem para temas atuais, como sustentabilidade, uso racional dos recursos naturais e a diferença entre seus mundos. Numa linguagem de teatro-dança, os príncipes cantam e transmitem mensagens através de frases célebres da obra,

como quando cita “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”, ou no encontro do príncipe com a rosa, que acredita ser a única no planeta e pela qual ele é totalmente responsável. A coreografia dura 56 minutos e é dançada por Morvan Teixeira, Naiane Avelino, Diogo de Carvalho, Carolina Grizante, Guilherme Lobo, Felipe Silva e Letícia Mamede. A companhia promove ainda um workshop sobre expressão corporal neste sábado , às 17h. São 25 vagas para interessados a partir de 15 anos. As inscrições são gratuitas e devem ser encaminhadas para caixacultural08.pr@caixa.gov.br. Imperdível: no Teatro da Caixa (Rua Conselheiro Laurindo, 280), nesta sexta dia 1° e sábado às 20h e domingo às 19h. Ingressos a dez e cinco reais.

Está agendado em Curitiba o musical Cabaret, estrelado por Claudia Raia, para os dias 15,16 e 17 deste mês, no Teatro Positivo, numa realização local da Prime. A versão brasileira do grande sucesso da Broadway e do cinema é de Miguel Falabella, com direção de José Possi Neto e produção de Sandro Chaim. O elenco tem 21 atores e uma orquestra de 14 músicos, regida em cena por Beatriz de Luca. Os ingressos custam de 185 a 70 reais, à venda no Palladium, Mueller e Estação, ou pelo Disk Ingressos, fone 3315-0808.

Pense Bicho

A ong Pense Bicho leva ao Parque Barigui (ao lado do Salão de Atos do Parque e do Restaurante Maggiore), às 11h deste sábado 2, uma peça teatral que dá dicas de como cuidar melhor dos animais de estimação, a guarda responsável. “Adotar um bichinho é uma atitude humana, mas essa atitude precisa continuar durante toda a vida do animal, para que ele não sofra e não seja abandonado”, ensina Karin Birckholz, autora do texto Bicho não é Lixo. É uma releitura da fábula do cachorro abandonado pelos seus donos, que sai em busca da vida livre nos campos. Na sua caminhada encontra outros animais que se unem a ele em busca de liberdade e afeto.

Comediantes

Escola de Mulheres volta ao palco Sempre merecendo atenção das companhias teatrais em todo o mundo, Molière volta a cena, agora com o texto Escola de Mulheres (L’école dês Femmes), escrito há 350 anos e encenado pela primeira vez no Brasil em 1984, com direção de Roberto Lage. O mesmo diretor remontou a peça no ano passado. Agora, com outro elenco, viaja pelo país, chegando nesta sexta dia 1° em Ponta Grossa e depois em Curitiba. O personagem principal, Arnolfo, é vivido por Carlos Machado, notabilizado na novela Fina Estampa, como o sexy-segurança-vilão do condomínio. Arnolfo é descrito como um quarentão machista, mulherengo

Nesta sexta dia 1º, às 22h, Marcos Castro leva seu humor ao palco do Curitiba Comedy Club (Mateus Leme, 2467, fone 3018 0474). E no sábado, a casa apresenta o espetáculo Stand-up Mix. Os ingressos custam 20 reais, sem distinção de sexo.

Medo de Sangue

e que quer tirar vantagem em tudo, se dar bem, enfim. Mas querendo se casar, ele cria Inês (Carol Macedo), desde os quatros anos de idade, em uma redoma. Mas ela se apaixona por Horácio (Bruno Barros), filho de um amigo. Com essa trama, Molière faz a plateia dar boas gargalhadas, divertida com sua engenhosidade. E com a atualidade assustadora do texto. Agende-se: sábado 2, às 21h e domingo, às 20h, no Teatro Regina Vogue/Shopping Estação. Ingressos a 60 e 30 reais. Pontos de venda: www.ingressorapido.com.br e bilheteria do teatro. Fone 21018292. Produção Quatro Cabeças e (local) Air Promo.

Curtametragem do curitibano Luciano Coelho, Medo de Sangue, com a atriz Rejane Arruda e roteiro de Juliana Sanson, será apresentado no II Festival Lume de Cinema, que acontece em São Luiz do Maranhão, entre 14 e 20 deste mês. Mas antes, ele comemora o feito de representar o Brasil no festival Brooklyn Short Film, de Nova York, na próxima semana. A comemoração procede: a seleção deuse entre dois mil filmes inscritos, de mais de cem países.

Moda Brasil

Face to Face no embalo de sábado à noite Em sua segunda turnê na América do Sul (a primeira foi há quatro anos) , o Face to Face, um dos maiores expoentes do punk, agenda três apresentações no Brasil, sendo uma delas no Curitiba Master Hall, às 23h deste sábado 2. Numa realização da Futura Produções e Oxigênio Eventos, o quarteto norte-americano faz show em São Paulo nesta sexta dia 1° e no domingo em Florianópolis.

Trever Keith (voz e guitarra), Chad Yaro (vocal e guitarra), Scott Shiflett (baixo) e Danny Thompson (bateria) vão tocar músicas do recente álbum Laugh Now, Laugh Later, além dos clássicos de vinte anos de carreira, que teve um período sabático de 2003 a 2008. Os ingressos custam 145 e 75 reais, à venda nos shoppings Mueller, Estação e Palladium. Fone 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br.

Elza Kososki e Tereza Bernal, sócias da Muito Íntima, representam Curitiba no Salão Moda Brasil, que acontece em São Paulo de domingo 3 a terça-feira. O evento reúne, no Expo Center Norte, 420 expositores e 500 grifes de moda feminina, masculina, fitness, praia e lingerie, com criações de primavera-verão. Ainda do Paraná, uma presença tradicional, a Recco Praia. A Rhodia, patrocinadora master do evento, mostrará um pouco do jeito brasileiro de criar moda, aliando qualidade e inovação através dos fios inteligentes. A Uline, empresa pioneira em proteção solar têxtil, apresentará roupas e acessórios que garantem proteção solar máxima de FPU 50+, bloqueando 98% dos raios UV. Já a Malwee, com mais de 40 anos de marca, apresentará em primeira mão seu lançamento homewear Malwee Liberta.

Bazar na Aldeia

Branca de Neve em dia da caça Depois do cômico Espelho, Espelho Meu, com Julia Roberts no papel da rainha má, outro filme sobre o conto infantil ganha versão para adultos e também destaca a mesma personagem, pois em Branca de Neve e o Caçador a bela Charlize Theron ofusca a jovem donzela vivida por Kristen Stewart (Crepúsculo). Charlize Theron é a vingativa madrasta de Branca de Neve que, por sua vez, é capaz de liderar uma batalha, como Joana D’Arc. Diferente da versão adocicada de Disney, o filme dirigido pelo estreante Rupert Sanders é um épico de ação, sombrio e bem conduzido. O elenco traz Sam Clafim (o príncipe) e Kristen Stewart (o caçador) nos principais papéis masculinos, porém os atores ingleses que interpretam os anões estão excepcionais. No roteiro de Hossein Amini (Drive), a rainha é má por uma causa: ao envelhecer, o marido a trocou por uma jovem. Por força da magia do espelho, ela ganha eterna juventude a custas da vida de belas meninas do reino. Mas

precisa do sangue da enteada e espera a cooperação do caçador para capturá-la na Floresta Negra, onde o filme reserva momentos de assustadores e, depois, cativantes efeitos especiais. Os anões estão longe da imagem de um Soneca ou Feliz. São valentes (razão de tornarem-se sete), mas assim como o caçador, irão ajudar a princesa, que acaba comendo a fatídica maçã a partir de um estratagema bem convincente pois é sensual. Não é uma bruxa caquética envolta em capuz preto que a leva o fruto proibido e sim um envolvente herói. Branca de Neve é linda porque é generosa, piedosa, pura, já que a atriz em nada ajuda e, fisicamente, bela é a rainha, muito bem interpretada e maravilhosamente vestida. A Walt Disney Pictures também pretendia dar uma versão épica para a história dos irmãos Grimm, tornando os sete anões versados em artes marciais. Mas o projeto do filme ficou em banho-maria devido a esse gótico Branca de Neve e o Caçador, que aponta para uma continuação. Mas sem a rainha Ravenna, nem pensar!

Um coletivo artístico realiza bazar cultural neste sábado, a partir do meio-dia, na Aldeia do Beto (Rua Prof. Brandão, 678). O evento, batizado de BaSorte reúne vinte artistas que vão comercializar pinturas, esculturas, desenhos, roupas, cartonagem, brigadeiro gourmet, fotos, recortes, objetos e adereços. Quem sabe surge aí uma boa opção de comprar um presente original para o Dia dos Namorados.

Festa junina

A tradicional Festa Junina do Clube Curitibano acontece neste sábado 2, na Sede de Golfe, em Quatro Barras, a partir das 12h. A decoração temática será composta por lustres em formato de chapéu. Já o Círculo Militar do Paraná promove seu arraiá no dia 30 próximo, das 10 às 21h,com barraquinhas de comidas típicas, apresentação de quadrilhas, muita dança, brincadeiras e concursos de fantasias.

Hands Up

Retorna a Curitiba, comemorando quarto aniversário, o Hands Up, projeto da emusic com o Dj Ber Bush e o percussionista Gutto Serta. Apresentação festiva, às 22h30 deste sábado 2, na Liqüe (Vicente Machado, 866), com novo set que passeia pelas vertentes do house music combinadas com as batidas da percussão ao vivo. Ao preço de 20 (elas) e 40 (eles) reais masculino. Informações e reservas de camarotes: 3322-0900.


Negócios Curitiba, sexta-feira a domingo , 1º a 03 de junho de 2012 | B4 | Indústria&Comércio

DECORAÇÃO

ESTRÁTEGIAS PARA O ÊXITO EMPRESARIAL

SOMBRAS (Conto)

Eduarda levanta a espada e as sombras retrocedem. Ela desce um pouco a espada até ficar horizontal em relação a seu próprio ombro. Só isso e as sombras pulam do mostrador dispostas a atacá-la. Encaram-na. Eduarda, outra vez, aponta a espada para o lugar do coração da sombra maior (a sombra rainha). A sombra rapidamente pula e se esconde no chapéu de feltro do homem de bigode, que está sozinho, sentado à mesa do canto direito diante de uma garrafa de cerveja olhando ao redor em busca de um amigo. O homem mexe um pouco a cabeça, o chapéu fica de lado e a sombra aproveita para entrar. Eduarda a persegue. O homem e o chapéu mudam de mesa. O homem cumprimenta um senhor obeso da mesa junto à janela. As sombras barrigudas rodeiam o gordo, mas ele não se importa, nem nota. Eduarda avança. Lutar contra sombras é sempre uma tarefa perigosa e desgastante. Sombras são fortes, escondem-se na luz e fortalecem-se na escuridão. Sombras são seres sem dimensão, podem esconder-se em qualquer lugar. Atrás do chapéu, na etiqueta de uma garrafa, na asa da xícara de café, na borda da mesa. Sombras são poderosas e sapecas, como crianças mimadas, dispostas sempre a fazer seus gostos. O tempo passou e Eduarda continua na tarefa de lutar. As sombras se multiplicam, mas Eduarda resiste firme. Os homens continuam a beber. Os dias sucedem as noites e vice-versa. O mundo rodopia numa máquina de ilusões guiada por uma grande bola dourada chamada Sol. Eduarda tenta dar uma estocada mortal em uma sombra que procurava esconder-se na borda do copo de cachaça e consegue. A cachaça é amiga das sombras, esconde-as para que os homens não as vejam. Eduarda persegue a sombra barriguda. Amigos invisíveis a ajudam, alguns atacam as sombras curvas, outros, as sombras retas e outros ainda, as sombras magras. Nessa noite, Eduarda decidiu perseguir a sombra barriguda quando o dono do bar aproximou-se com um copo dizendo: Olhe, velha louca, é para você. Descanse e beba. Nesse momento Eduarda abriu os olhos, já havia rugas nos cantos dos olhos, nas bochechas, perto dos lábios. Rugas e mais rugas... E não havia conseguido nada, absolutamente nada. As sombras continuavam sendo sombras, brincavam nas paredes, riam do pranto dos bêbados, escondiam-se em botões, chapéus e cadarços de sapatos. Os homens bebiam no bar por diversão ou para esquecer os problemas. Alguns falavam. Outros estavam silenciosos. Alguns jogavam sinuca. Outros observavam, mas ninguém percebia o poder das sombras. Eduarda pegou o copo de vinho e bebeu lentamente. *Isabel Furini é escritora e poeta premiada. Contato: isabelfurini@ hotmail.com

A 19ª edição paranaense do evento será realizada até o dia 11 de julho

A

partir de hoje (1º), a Casa Cor Paraná 2012 estará aberta ao público. A 19ª edição do evento no estado acontece na Casa Cultural União Juventus, localizada na Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 389 (Eixo CentroBatel), em Curitiba, até o dia 11 de julho. Ao todo, 45 ambientes e mais de 70 profissionais de arquitetura, decoração e paisagismo participam da mostra, que contempla áreas residenciais, corporativas, infantis e espaços de gastronomia e lazer. Em 2012, o mote de todas as franquias da Casa Cor é “Moda. Estilo. Tecnologia”, retratando o universo fashion que se faz cada vez mais presente nos projetos de decoração. Além da moda, a 19ª Casa Cor Paraná aborda localmente o tema “Retrofit” - expressão que significa “colocar o antigo em forma”. No universo da arquitetura é o processo de modernização de algum equipamento ultrapassado, reconversão ou reutilização de edifícios para novos usos, mas mantendo suas características originais.

Foto: Daniel Sorrentino

Estratégia boa, Estratégia ruim: Descubra suas Diferenças e Importâncias, de Richard P. Rumelt (Campus, 2011, 320 p.), é um livro prático que apresenta exemplos importantes de empresas, entidades sem fins lucrativos e organizações militares para mostrar de maneira objetiva acertos e erros. Os exemplos são variados, podemos ler sobre a General Motors, a guerra no Iraque, da Cisco Systems à Apple, e sobre a crise financeira. Refletindo sobre economia, finanças, tecnologia e história, Rumelt argumenta que uma boa estratégia se origina do insight sobre uma situação determinada. Uma estratégia boa para um momento pode não ser boa se as circunstâncias mudam. Ele sustenta que o insight pode ser cultivado. Estratégias são criadas por pessoas. Muitas estratégias ruins são originadas nas fraquezas humanas, por isso é preciso direcionar o pensamento para enxergar de maneira realista, pois os planos precisam ser coerentes. Richard Rumelt comenta em um dos capítulos sobre um executivo que queria dirigir sua empresa copiando um grande executivo, mas sem fazer o mapeamento de sua empresa. A visão simplista de que se algo é bom para a empresa X é também bom para a empresa Y raramente funciona, porque cada empresa e cada gestão enfrentam desafios diferentes. Para Rumelt, essas ideias motivacionais influenciaram a gestão em temas como liderança e visão empresarial e sobrevalorizavam a visão compartilhada e o papel do líder, deixando de lado assuntos práticos. Segundo Rumelt, a motivação pode ser importante, mas uma empresa não pode avançar só com o combustível da motivação. É preciso observação, planejamento. Se o estrategista é incapaz de definir os desafios do cenário em que se encontra, a empresa de maneira simples, concisa e realista não conseguirá estabelecer uma estratégia correta. Outro grave erro é confundir objetivos com estratégias. O autor propõe uma abordagem crítica. Na sua opinião, muitas empresas falham porque sustentam visões que estão fora da realidade, confundem metas com estratégia e adotam políticas e ações que criam conflitos. A boa estratégia é iniciada com a observação e com um diagnóstico da situação e dos desafios da empresa. Estratégia boa, Estratégia ruim é um livro que induz o leitor a refletir sobre as causas que provocam o êxito e o fracasso.

Casa Cor Paraná 2012 abre hoje com 45 ambientes

Ambiente “Living”, assinado por Luiz Maganhoto e Daniel Casagrande

“A cidade apresenta imenso potencial arquitetônico. Construções urbanas, em diversos estilos e retrato de diferentes épocas, espa-

ços nitidamente empresariais, um potencial extraordinariamente apto a ser aproveitado para as demandas atuais do mercado. Curitiba não

pode ficar fora dessa onda imobiliária que se espalha pelo mundo”, destaca a diretora da Casa Cor Paraná, Marina Nessi.

Fesp se aproxima dos contabilistas

Um detalhe interessante tem revolucionado o perfil dos contadores no País. O crescimento da presença das empresas brasileiras no mercado financeiro internacional tem sido um dos responsáveis pela mudança do cenário. Além de aumentar a demanda, o novo cenário acaba exigindo profissionais cada vez mais estratégicos e voltados para o mundo dos negócios. Referência na formação de

profissionais do setor, o curso de Ciências Contábeis da FESP registra 50 anos de comprometimento com o mercado. Durante estas cinco décadas o curso formou quase 4.500 contadores estabelecidos com sucesso no mercado. Com o objetivo de fortalecer os profissionais do setor, a Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP) assinou o convênio com o Sindicato dos Contabilistas de Curi-

tiba (Sicontiba). A proposta garante benefícios para os profissionais sindicalizados e seus familiares. Para o diretor assistencial do Sicontiba, Juarez Tadeu Morona Filho, que recebeu o presidente da FESP, professor Antonio Carlos Morozowski, a parceria viabiliza conquistas importantes para as duas instituições. “Um dos nossos objetivos é garantir que os nossos profissionais tenham sempre contato com oportunidades

que ofereçam mais conhecimento. Ter a FESP como parceira é uma conquista importante”, disse o diretor Juarez Morona Filho. O convênio entre a FESP e o Sicontiba vai beneficiar cerca de 12 mil contabilistas de Curitiba e Região Metropolitana. São descontos de 10% no valor das mensalidades com a possibilidade de receberem mais 10% pela pontualidade do pagamento.

Elemidia Curitiba chega ao Pão de Açúcar Um novo canal acaba de ser incorporado na Rede Elemidia Curitiba: os Supermercados. Com características como persuasão, aproximação e convergência, o

novo canal chega na capital paranaense com a instalação de 29 monitores nas lojas da rede Pão de Açúcar. As telas ficam presentes em locais estratégicos, que possuem

grande circulação ou espera forçada, como caixas, açougue, padaria, entre outros. Com a entrada do canal Supermercados na Elemidia Curitiba,

FAE e Fecomércio fecham parceria inédita Na última quarta-feira (30), a FAE Centro Universitário e o Instituto Fecomércio assinaram uma parceria inédita no país. A partir de agora, as mais de 400 mil empresas do Estado do Paraná, representadas pela Federação, poderão buscar na FAE Centro Universitário os estagiários para fazerem parte do seu quadro profissional. “Nós conseguimos identificar e desenvolver os talentos aqui dentro e encaminhá-los para as empresas, favorecendo o primeiro

contato profissional desses jovens”, explica o Coordenador de Núcleo de Empregabilidade e Empreendedorismo, professor Samir Bazzi. Com a missão de oferecer a melhor Educação e formar bons cidadãos, a FAE é a primeira instituição de Ensino a ter esse acordo com a Fecomércio. E completando 55 anos, a FAE abre mais uma porta para o universitário. “Nós formamos pessoas qualificadas, fazemos a diferença em relação à qualidade de ensino. Queremos motivar ainda mais os

alunos com essa parceria”, afirma o reitor da FAE Centro Universitário, Frei Nelson Hillesheim “Já são quatro anos trabalhando juntos e, agora, conseguimos fechar mais esse contrato inédito com a FAE. Estamos indo no rumo certo. Queremos oferecer a chance desses alunos terem uma renda própria, uma oportunidade de estágio e, desta forma ajudar na formação deles”, defende o Primeiro VicePresidente do Sistema Fecomércio, Ari Faria Bittencourt.

Creci-PR realiza investimentos em fiscalização O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Paraná, CreciPR, obteve o 1º lugar no Ranking Nacional de Fiscalização do Cofeci, nos meses de fevereiro e março. A média de produtividade diária por agente fiscal chegou ao índice de 18,41 autuações, o que representa o dobro da meta estipulada. Os dados foram divulgados pela Diretoria Nacional de Fiscalização – DINAF. O objetivo do Creci-PR é terminar o ano de 2012 na liderança deste Ranking. Para atingir esta meta o Conselho criou o auto de constatação regular on-line, adquiriu

novos veículos para a fiscalização e contratou novos agentes fiscais. Com o sistema de auto de constatação regular on-line, criado pelo presidente Junior Pucci, os agentes fiscais emitem certidões instantâneas para aqueles corretores de imóveis que estão regulares perante o Conselho. Este projeto traz maior agilidade no processo de fiscalização, o que consequentemente facilita o trabalho. O aumento do número de colaboradores no departamento de fiscalização possibilita ações mais eficazes e garante maior abrangência e ri gor no trabalho dos agentes

fiscais. Já a aquisição de novos veículos traz maior eficiência nos deslocamentos pelo estado. Pucci relata que a fiscalização é um pilar fundamental do Conselho e que por isto está em primeiro lugar na sua plataforma de trabalho. “Já fui agente fiscal e coordenador de fiscalização, desta forma conheço os problemas e obstáculos que o departamento enfrentava, portanto para melhorar a qualidade e eficiência do trabalho do conselho investir em neste departamento será a melhor forma de combater o exercício ilegal da profissão que é uma das minhas prioridades”.

Laboratório patrocina evento sobre diabetes O Laboratório Frischmann Aisengart é o patrocinador da reunião científica que a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional do Paraná (SBEM) promove neste sábado (02), das 9h às 12h, com o tema Diabetes, Alzheimer e Depressão. As palestras serão proferidas pelos médicos Gisah Amaral Carvalho, Paulo L. M. Leite e Silmara A. de Oliveira Leite, renomados espe-

cialistas paranaenses. Destaque para a conferência do médico paulista João Eduardo Nunes Salles, com o tema “O papel da resistência insulínica na doença de Alzheimer: implicações no tratamento”. Salles é atualmente professor instrutor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, tem graduação em Medicina pela Universidade Severino Sombra, es-

pecialização em Endocrinologia pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, doutorado em Medicina (Endocrinologia Clínica) pela Universidade Federal de São Paulo-USP e residência médica pela Universidade de Taubaté. O evento tem como públicoalvo médicos e estudantes de Medicina. A reunião acontece na Associação Médica do Paraná.

agora são 64 estabelecimentos com 266 monitores em operação na cidade, atingindo um público aproximado de 400 mil pessoas por semana.

Randon Veículos apresenta novidades na M&T Expo Além do seu mais novo produto, a Retroescavadeira RD 406 Advanced, nas versões com tração 4x2 ou 4x4, motor aspirado 84 Hp ou turbo de 110 Hp e cabine aberta ou fechada com ar condicionado e equipada com motores MWM, transmissão e eixos Carraro, a Randon Veículos, de Caxias do Sul (RS), apresenta também na M&T Expo (29 de maio a 02 de junho), em São Paulo, os caminhões fora-de-estrada modelo RDP 470 com capacidade de carga de 65.000 Kg, que atendem às demandas do setor de mineração e demonstram ganhos de produtividade e custos operacionais. Este equipamento é um dos modelos de uma linha de caminhões fora-de-estrada de 30t a 100t de carga. Igualmente está presente no evento o RK 430M com nova caçamba projetado para aplicações severas, especialmente utilizado para o transporte de material com maior granulometria. O produto permite o acoplamento da tampa traseira, auxiliando o transporte de materiais em situações de aclives, e apresenta fundo tipo “sanduíche” - chapa superior de alta resistência com 10mm, chapa de madeira de 50mm e chapa inferior de 9,5mm.

01-06-12 Indústria&Comércio  

jornal, economia, curitiba, parana, brasil

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you