Page 1

009 – nº 08

04. ORAÇÃO E PODER (Hercílio Arandas Orar, orar, orar, até Deus responder. Buscar, buscar, buscar até certeza ter. Se a Cristo eu consagrar meus bens, meu próprio ser, Em mim se hão operar sinais do seu poder. Eu sei, Senhor, que Tu me ouvirás, Eu sei, Senhor, que Tu me atenderás. Eu sei, Senhor, que bênçãos me darás, Eu sei, Senhor, que me sustentarás. Se eu testemunhar da fé que afirmo ter, Se eu glorificar a Cristo em meu viver, Vidas hei de salvar, pois todos podem crer Se em mim virem reinar do Espírito o poder.

05. ELE ME ENSINOU (Tarsis Wallace) Ele me ensinou a brilhar na escuridão Ele me ensinou a estender a minha mão Ele me ensinou a ter amor e compaixão Ele me ensinou a enfrentar a multidão. Sou aluno dEle e de mais ninguém (bis) Ele me ensinou a nunca marginalizar Ele me ensinou que aos inimigos devo amar Ele me ensinou que as tradições devem passar Ele me ensinou que as lições devem ficar Ele me ensinou a jamais me acomodar.

Ele me ensinou as estruturas renovar Ele me ensinou aos desafíos enfrentar Ele me ensinou que a coragem é pra se usar Ele me ensinou a contestar o fariseu Ele me ensinou que o mau cristão é um ateu. Ele me ensinou que o que é meu não é só meu, Ele me ensinou que o que é meu também é seu. Pensamento da semana: “Não há caridade sem amor, e quando no ato de ajudar o necessitado a vaidade cresce, não há amor, é fingimento” – Papa Francisco. SEJAM TODOS BEM-VINDOS! “...o nome da cidade será: O SENHOR ESTÁ ALI” – Ez. 48:35 Nosso site: www.igrejacristadebrasilia.com.br

Equipe Pastoral: Julio Borges de Macedo Filho (presidente), Noé Stanley Gonçalves (emérito), Nilson Pereira de Moura (1º vice-presidente) e José Carlos de Souza Santos (2º vice-presidente)

Ano XXIV – 26 de maio de 2013 – nº 30 Pastoral

Rubem Amorese

O colo de Deus Qual deve ser a atitude cristã no momento da própria dor? Já ouvi dizer que “cabrito bom não berra”, “baseado” em Isaías 53.7, que diz que o Cordeiro “não abriu a sua boca”. Mas já ouvi também que “quem não chora não mama”, com “suporte” em Mateus 5.4, que diz serem bemaventurados os que choram. Tem gente que, por índole ou formação, logo pede socorro. Gosta de ter muita gente em volta e fala dos problemas sem embaraço. Mas tem gente que prefere calar-se, “encaramujar-se”. As duas atitudes me parecem humanas. Aquele que logo procura ajuda não quer ficar sozinho com os problemas. Já o outro se isola, absorto pela dor, que lhe rouba toda a energia e diz: “Não se distraia, estou aqui”. Em um extremo, o extrovertido pode não aprender muito com o sofrimento, pois não se detém para aprofundá-lo; quer logo se livrar dele, falar sobre ele, pedir oração. Corre também o risco de ser machucado, pois essa abertura o torna vulnerável à rapina fraterna. Pode se transformar até mesmo em tema de sermão dominical. No outro extremo, o introvertido perde muito do conforto que poderia ter com o conselho sensato, com as orações, com a ajuda objetiva. Ao se isolar, preserva a imagem, a privacidade, mas terá de resolver tudo sozinho. Eventualmente, um fardo excessivo e desnecessário, pois a solução, ironicamente, poderia estar com o irmão não consultado. Penso que, para além desses dois modelos naturais, a atitude cristã deve considerar a Igreja. Crer na Igreja significa crer no pertencimento a um corpo, nas juntas que nos vinculam a ele. Crer na Igreja é crer na comunhão dos


santos; em andar na luz, sem medo de se achegar a ela; é crer na submissão de uns para com os outros, em verdade e em amor. Outro dia, ouvi um irmão dizer: “Hoje não vou à igreja, estou com muitos problemas”. Ele se referia ao culto. Parecia ter perdido de vista que aquele era um bom lugar para buscar a graça de Deus, intervenção divina direta ou por meio dos irmãos. Em seu desânimo, abria mão da possibilidade de uma ação misericordiosa de Cristo por meio do seu corpo, momento inefável em que experimentamos o “colo de Deus”. Não sou muito de compartilhar minhas dores. Tenho medo de me tornar um fardo ou de parecer fraco. Estou mais para o segundo grupo, portanto. Mas tenho aprendido que, para além de índole, formação ou temores, um gesto de fé me é requerido, especialmente no sofrimento: o gesto da confissão (Tg 5.16). Talvez um exercício permanente de confissão, com todos os riscos que envolve. É necessário, então, crer na Igreja e na comunhão dos santos. Entendo essa confissão de Tiago como parte do “andar na luz” de João. É mais do que pedir perdão; é dizer quem sou. Dar-se a conhecer foi o gesto de Emanuel. Por fé sou chamado a fazer o mesmo na Igreja, mesmo que muitos reajam com o insensato “crucifica-o!”. Assim, mesmo temeroso, vou e falo de mim; em especial, dos meus problemas e limitações. Sim, confesso também meu pecado. E busco forças para não “dourar a pílula”. É o momento em que, por obediência, revelo toda a minha fragilidade e confusão. É quando abro mão da minha imagem, preferindo a obediência à aparência.

INFORMES ICB *Aniversariantes de maio – Dia 11, Sulamitha; Dia 14, Nataly; Dia 18, Chico; Dia 19, Pedro Arruda; Dia 22, Pr. Nilvaldo; e Dia 31, Jusiel (em memória) e Ana Célia. Nossos parabéns a tão amados irmãos!... *A reforma do Vanâncio III está indo rápida. Já colocaram os canos do esgota e de água. Depois vêm as ligações em cada sala. Neste mês teremos as despesas com IPTU, condomínio, ligação de água e, se der, reforma na sala de banho de nossa sala. *Agenda de oração 1) O processo final de aposentadoria do Pastor Julio foi perdido na agência da Previdência do Plano Piloto (uma funcionária crente, Márcia, o está procurando. 2) Cláudia Galdino dos Santos e seus quatro filhos: Maurício (22 anos), Vitor (18 anos), Cristian (14 anos) e Maria Aparecido (12 anos). Ela foi assaltada e roubada; 3) Dr. Cláudio Almeida e Estelita Midão de Almeida – problemas de saude; 4) Rita, com hidrofefalia, amiga do Pr Nilson; Kelbia (amiga de Wilson) com cisto no ovário;

5) Maria Zeni, irmã do Pr. Nilson, desenganada pelos médicos em Goiânia; 6) Pr. Rinaldo de Mattos está bem melhor, mas ainda em tratamento de úlcera de estase na perna, agora com um angiologista; 7) Vera (virus da cegueira) e Junior depressão), colega e primo de Reijane, respectivamente; 8) Pela saude do nosso querido Pastor Noé Stanley, e pela saude de Gil que está com uma forte grastrite e uma úlcera estomacal. 9) Pela aposentadoria de Adalgisa, empregada doméstica do casal Nilson e Reijane (já encaminhada no INSS). 9) Gratidão pelo aluguel do ap. de Chico e Raquel na 216 Norte (já mudaram)... 10) Noivo de uma sobrinha de Gil (Deninha), Alexandre, com ameaça médica de amputação de um perna e uma lesão no pulmão; 11) Gratidão pela descoberta da alergia de Tânia, esposa do irmão Wilson, ao gluten. Hoje também o irmão Wilson fez o concurso da ANVISA. CULTO DE HOJE: 18:30 HORAS Local: Res. De Melqui, Rose e Sofia – Sudoeste, Brasília SQSW 105 Bloco B Ap. 412 Pregador: Pr. Julio Borges Filho – Dirigente: Pr. José Carlos Santos CÂNTICOS 01. DESLUMBRANTE – 96 CC Se nos cega o sol ardente quando visto em seu fulgor, Quem contemplará Aquele que do sol é criador? Patriarcas e profetas O chegam a avistar, Nem Adão chegou a vê-lo antes mesmo de pecar. Luz pra qual o sol é trevas, quem te pode contemplar Nossos olhos nus, humanos, não Te podem encarar. Fogo em cima da Arca Santa, sarça ardente no Sinai, São figuras só da glória do Senhor do Senhor, de Eterno Pai. Para termos nós com Ele franca e doce comunhão, Cristo, o Filho, fez-se carne, fez-se nossa redenção. Para que na glória eterna nós miremo-lo sem véu, Cristo padeceu a morte nova entrada abrindo ao céu. 02. A TUA GRAÇA é melhor que a vida A Tua graça é melhor que a vida. Meus lábios Te louvam e assim bendirei E em Teu nome minhas mãos levantarei. As minhas mãos levantarei, as minhas mãos levantarei. Meus lábios Te louvam e assim bendirei E em Teu nome minhas mãos levantarei.

Boletim da ICB, Ano 24, número 30  

Boletim da ICB, Ano 24, número 30