Page 1

MISSÃO Contribuir para o crescimento e valorização da função de relações com Investidores. Criar valor para os associados, através de ações voltadas à formação de profissionais e fortalecimento da função.

RELATÓRIO ANUAL 2001


O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI) é uma entidade civil, sem fins lucrativos, constituído por pessoas físicas vinculadas às atividades da área de Relações com Investidores. Apoiado no binômio FORMAÇÃO e VALORIZAÇÃO DA FUNÇÃO, fomenta o desenvolvimento e promove a função de Relações com Investidores junto a profissionais ligados ao mercado de capitais e às companhias abertas, no Brasil e no exterior. O IBRI proporciona o intercâmbio voluntário de experiências, idéias e metodologias, aperfeiçoando técnicas e ferramentas de trabalho, com o objetivo de disseminar informações úteis e qualificadas nesta área, integralmente comprometida com a estratégia das Corporações. Criado em 05 de junho de 1997, com a necessidade de internacionalização da economia brasileira, promove cursos e eventos, no País e no exterior, com vistas a qualificar os profissionais de R.I. conforme as exigências do mercado. O Instituto também estabelece padrões éticos e de conduta profissional entre todos os envolvidos com as atividades de Relações com Investidores.

RELATÓRIO ANUAL 2001

01 - MENSAGEM DO CONSELHO 02 - MENSAGEM DA DIRETORIA 03 - HIGHLIGHTS 07 - PRINCIPAIS ATIVIDADES 18 - PERFIL DOS ASSOCIADOS 20 - PLANEJAMENTO 21 - COMUNICAÇÃO 24 - PARCERIAS 25 - PATROCINADORES DO MÊS 26 - DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 33 - MBA DE R.I. 34 - CONSELHO, DIRETORIAS E COMITÊ

APRESENTAÇÃO


RELATÓRIO ANUAL 2001

MENSAGEM DO CONSELHO Trabalhar no aperfeiçoamento do mercado deixou de ser uma meta de médio e longo prazos, para se transformar em prática cotidiana do IBRI. As diversas ações do Instituto, de caráter próprio, e os apoios firmados com entidades afins pontuaram o ano 2001. A atividade de Relações com Investidores hoje é parte do vocabulário de todos quantos se preocupam com o desenvolvimento do País. E desenvolvimento, todos sabemos, passa obrigatoriamente pelo mercado de capitais. O IBRI não economizou esforços em reforçar sua presença em território nacional e se projetar no internacional. Privilegiando o conceito e, acima de tudo, as boas práticas de governança corporativa, estivemos envolvidos em diversas ações ao longo deste ano, como a promoção de eventos nacionais e um internacional, o Brazil Day, em Nova Iorque, que reuniu os melhores analistas internacionais. No plano interno consolidamos as nossas estruturas. Temos hoje um Estatuto Social reformado, Regulamento Interno e Código de Ética definidos. Criamos instrumentos para que o novo Conselho e a nova Diretoria sejam ainda mais representativos, ágeis e participativos. Estamos elegendo um Conselho Fiscal com membros fora de nossos quadros associativos. Transparente, moderno e atuante. Este é o IBRI caminhando para seu quinto ano de vida com a certeza de que, juntos, todos conseguiremos fazer um mercado de capitais melhor.

Alfredo Egydio Setubal Presidente do Conselho de Administração

1

MENSAGEM DO CONSELHO


RELATÓRIO ANUAL 2001

MENSAGEM DA DIRETORIA A apresentação deste Relatório Anual é o início de mais um ciclo na história do IBRI. Lançado no ano anterior, o RAO - Relatório Anual Online sintetiza nossas ações ao longo de 2001. Encerramos 2001 melhor estruturados, com um quadro de 227 associados, contra 187 do ano passado. Inovamos em cursos e eventos. Crescemos em quantidade e qualidade. Em março lançamos a 1a. Turma do MBA - Finanças, Comunicaçãoe Relações com Investidores, em parceria com a Fipecafi que terminará em junho de 2002 e no final de 2001 lançamos a 2º turma de MBA que iniciará as aulas em março de 2002, além do I Curso de Relações com Investidores e Mercado Financeiro para Jornalistas, conjuntamente com a Bovespa. Neste ano de parcerias, com 13 eventos por nós promovidos e outros cinco apoiados, protagonizamos um dos maiores acontecimentos do mercado de capitais: o Brazil Day, em Nova Iorque, -- com a presença de mais de 400 investidores e de dois ministros de Estado (Fazenda e Energia) -- conjuntamente com Abrasca, Abamec e AMCHAM-RJ. O planejamento e a contínua colaboração da equipe envolvida com o IBRI consolida a perspectiva da construção de uma entidade com estrutura sólida. Apesar de todas as dificuldades deste ano, antes e após os acontecimentosde 11 de setembro, conseguimos fechar o ano com equilíbrio financeiro, para que a nova diretoria tenha a tranqüilidade necessária para implementar o novo trabalho. A institucionalização da figura do Patrocinador do Mês foi relevante para este equilíbrio orçamentário. Patrocinadores dos Eventos, ao lado dos parceiros e apoiadores foram igualmente fundamentais. O esforço somado é que resulta em solidez e maior visibilidade do Instituto, que somente neste ano foi notícia em 364 ocasiões. Os compromissos assumidos estão cumpridos. O desafio que fica é a continuidade do processo de crescimento e valorização da função de relações com investidores, através do fomento e promoção permanente de atividades. Agradecemos a todos os colaboradores e manifestamos a convicção de que o Instituto continuará avançando na próxima gestão.

Arleu Aloísio Anhalt Presidente da Diretoria Executiva

2

MENSAGEM DA DIRETORIA


RELATÓRIO ANUAL 2001

HIGHLIGHTS Nº de Associados: 227 227 187 151

154

1998

1999

115

1997

2000

2001

Eventos Promovidos pelo IBRI O Processo de Divulgação de Informações e o Relacionamento da Companhia com os Investidores Realizado em 22/03 no hotel Sheraton Mofarrej Curso de Relações com Investidores e Mercado Financeiro para Jornalistas Realizado no Auditório da Bolsa de Valores de São Paulo - Bovespa, entre os dias 20/03 a 12/04 Técnicas de Apresentação - Seminário realizado em São Paulo, dia 24 de abril, no Auditório da Bovespa - Seminário realizado no Rio de Janeiro, dia 25 de abril, no Auditório da Abamec-Rio - Seminário realizado em Porto Alegre, dia 15 de maio, no Auditório da Bolsa de Valores do Extremo Sul. - Seminário realizado em Belo Horizonte, dia 17 de maio, no Auditório da Acesita. Novo Mercado e Governança Corporativa Realizado em 10 de maio, na sede da Abamec-Rio, em parceria com a Abamec-Rio e Amcham-RJ. Visão e Expectativas dos Agentes do Mercado Debates realizados no dia 28 de maio, no Auditório da Bovespa III Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais Realizado em parceria com a Abrasca, nos dias 20 e 21 de junho, no Hotel Sheraton Mofarrej, em São Paulo Painéis: - Cenários e Critérios para a Captação de Recursos - Renda Fixa e Variável - nos Mercados Nacional e Internacional; - Como Estruturar e Distribuir Operações Dentro e Fora do Brasil; - Governança Corporativa: Comparativo das Empresas Americanas, Européias e Brasileiras; - Comparação das Legislações - no aspecto Divulgação de Resultados - USA X Brasil e Impactos das Alterações; - Novas Tecnologias na Área de Relações com Investidores e no Mercado de Capitais; - Painel de Debates: CVM, Bolsas, Imprensa e Companhias Abertas - Avaliação do Relacionamento e Oportunidades de Melhorias

3

HIGHLIGHTS


RELATÓRIO ANUAL 2001

HIGHLIGHTS Brazil Day Realizado em parceria com a Abrasca, Abamec e Amcham no dia 07 de Setembro, na Bolsa de Nova York. Abertura: Ministro Pedro Malan, da Fazenda. Painéis Bancos - Unibanco, Bradesco e Itaú. Aço - CSN, CST, Gerdau e Usiminas. Exportadores - Votorantim, Aracruz, Embraer e Klabin. Petroquímica - Petrobras Telecomunicações - Embratel, Tele Celular Sul, Telemar, Telefonica, Brasil Telecom, Tele Norte Celular e Telemig Alimentação - Sadia Curso Básico de Relações com Investidores Realizado em parceria com a Andima, entre os dias 15 a 17 de outubro, no Auditório da Cetip, em São Paulo. Eleições para Diretoria Executiva, Conselho Administrativo e Fiscal Jantar de Confraternização

Eventos Promovidos 13 10

2000

2001

Apoio / Participação em 5 Eventos Jornalismo Empresarial O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI) participou, no dia 05, do 4º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. “Fluxos e Refluxos no Relacionamento com a Mídia - Por que Fazer Comunicação numa Companhia Aberta Exige Tantos Cuidados”, foi o tema apresentado por Arleu Anhalt. Unicamp - Economia O presidente executivo do IBRI apresentou palestra para alunos de quarto ano de economia da Unicamp, no dia 20 de abril. Evento teve duração de hora e meia, com apresentação do mercado de capitais brasileiro, sua equivalência com o norteamericano, fluxos de investimentos estrangeiros, internacionalização da economia e funções e atividades do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores. Unicamp - Semana de Engenharia O presidente executivo do IBRI participou da 20ª Semana de Engenharia de Alimentos promovida pelo Instituto de Engenharia de Alimentos da Universidade de Campinas (Unicamp). Evento, ocorrido entre os dias 23 e 28 de julho, no campus, teve o dia 24 dedicado à Economia. Entre os painéis foi apresentado “A Evolução do Mercado de Capitais Brasileiro”, por Arleu Anhalt. Evento reuniu 50 estudantes, com debates após a apresentação.

4

HIGHLIGHTS


RELATÓRIO ANUAL 2001

HIGHLIGHTS Fórum Anual da Indústria de Fundos Mútuos O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores participou, no dia 24 de setembro, do 4º Fórum Anual da Indústria de Fundos Mútuos, em São Paulo, promovido pelo International Business Communications (IBC). Evento abordou, entre outros, o painel “Práticas Avançadas e Eficientes de Relacionamento com o Mercado que Avaliam como a Gestão Transparente da Relação com Investidores Impacta na Valorização da Empresa” , com Arleu Anhalt. Comunicação Corporativa 4º Seminário “A Comunicação Social e Corporativa nas Grandes Organizações do Brasil”, realizado nos dias 21 e 22 de novembro, na Bovespa. Evento contou com o apoio institucional do IBRI.

Eventos Apoiados 5 3

2000

2001

Nível de presenças nos eventos Tivemos a totalização de 1.600 pessoas no ano.

1.500

1.600

2000

2001

Avaliação Esta é média da avaliação geral, segundo os participantes.

35%

8%

Ótimo Bom Regular 57%

5

HIGHLIGHTS


RELATÓRIO ANUAL 2001

HIGHLIGHTS Notícias veiculadas: 364 Situação Financeira Os recursos para custeio das atividades do IBRI tiveram origem na anuidade dos Associados, nos Patrocinadores do Mês e nos Patrocínios dos Eventos. Ao final do período foi possível encerrar com superávit.

Lançamento da 2ª Turma do MBA de R.I. Em parceria com a Fipecafi, está lançada a 2a. Turma do Curso MBA - Finanças, Comunicação e Relações com Investidores. Início em março de 2002, no campus da USP.

6

HIGHLIGHTS


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES JANEIRO 02/01 - Discussão sobre o texto-base do Relatório Anual /2000.

MARÇO O Processo de Divulgação de Informações e o Relacionamento da Companhia com os Investidores Realizado em 22/03 no hotel Sheraton Mofarrej Abertura: Alfredo Setubal, presidente do Conselho de Administração do IBRI; Arleu Anhalt, presidente executivo do IBRI; Marco Aurélio Palhas de Carvalho, diretor da Eletrobrás; e Marcelo Trindade, diretor da Comissão de Valores Mobiliários. Painéis: - Quando e Como Divulgar Informações - regulares: tratamento das informações no pré período; extraordinárias: operações em andamento e fato relevante; acompanhamento das avaliações feitas sobre as cias. e negociação nas bolsas; e suspensão de negócios; - Relacionamento com a Imprensa - administração de boatos e o dia-a-dia da cia.; como e quando acionar a imprensa; e acesso à cia.; - Diagnóstico Atual da Atividade de R.I.; - Disclosure Seletivo - novas regras da SEC; comparativo do mercado americano com o mercado brasileiro; e Debates e Conclusões para o aperfeiçoamento das práticas de R.I. Presentes: 113 Palestrantes: Roger Agnelli, presidente da Bradespar; Marcelo Trindade, diretor da CVM; Gilberto Mifano, superintendente geral da Bovespa; Francisco Petros, presidente da Abamec-SP; Luiz Fernando Levy, presidente da Gazeta Mercantil; Paulo Renato Bastos Marques, diretor de Desenvolvimento Profissional do IBRI; Magda Davi, jornalista, editora da Agência Estado; Arleu Anhalt, presidente executivo do IBRI; Marina Yamamoto, coordenadora de Curso da Fipecafi; Arthur Laby, representante da Securities and Exchange Commission (SEC); Luiz Antônio Sampaio Campos, diretor da CVM; Valter Faria, diretor da Thomson Financial Investor Relations; Luiz Leonardo Cantidiano, sócio do Motta, Rocha, Fernandes Advogados; Milton Luiz Milioni, da Abamec-SP; Rinaldo Dettino, da Abrasca; e Nelson Ortega, da Bovespa; Avaliação: Ótimo - 47% Bom - 53%

7

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Síntese - Arthur Laby, representante da Securities and Exchange Commission (SEC), abordou conceitos do Fair Disclosure (a chamada divulgação justa), declarando que a implementação do sistema é recente (apenas cinco meses) e, portanto, ainda é cedo para se mensurar resultados. Laby apresentou pesquisa realizada pelo NIRI (o IBRI norte-americano), em que 28% dos entrevistados informaram que as empresas passaram a divulgar mais informações com as novas regras; 48% não sentiram diferença nenhuma e 24% opinaram que a quantidade de informações diminuiu. As regras do Fair Disclosure entraram em vigor dia 23 de outubro último, com o propósito de evitar a divulgação seletiva de informações (selective disclosure). As afirmações foram feitas durante o seminário O Processo de Divulgação de Informações e o Relacionamento da Companhia com os Investidores, promovido pelo IBRI e patrocinado pela Eletrobrás. Na avaliação de Valter Faria, conselheiro do IBRI e diretor da Thomson Financial Investor Relations, “as informações ao mercado estão sendo preparadas e divulgadas de maneira mais profissional com a nova regulamentação”. TIME - “A divulgação de informações seletivas no Brasil é tratada de forma diferente dos Estados Unidos “, afirmou o diretor da CVM, Luiz Antônio Sampaio Campos. “A SEC defende que a divulgação da informação deva ser feita até 24 horas depois da abertura do pregão, já a CVM entende que a informação deve ser divulgada imediatamente”, explicou. Paulo Renato Bastos Marques, diretor de Desenvolvimento Profissional do IBRI, debateu com os jornalistas Luiz Fernando Levy (Gazeta Mercantil) e Magda Davi (Agência Estado) sobre a relação da empresa com a imprensa, destacando afinidades e dificuldades no processo de comunicação. O presidente executivo Arleu Anhalt fez o diagnóstico da situação do R.I., apresentando e comentando a pesquisa conjunta IBRI/Fipecafi. Ainda presentes ao evento o superintendente da Bovespa, Gilberto Mifano, comentando sobre suspensão de negociações; o diretor da CVM, Marcelo Trindade, que debateu em mais de um painel; Roger Agnelli, da Bradespar e CVRD; Humberto Casagrande e Milton Milioni, da Abamec e Rinaldo Dettino, representando a Abrasca.

Curso de Relações com Investidores e Mercado Financeiro para Jornalistas Realizado no Auditório da Bolsa de Valores de São Paulo - Bovespa, entre os dias 20/03 a 12/04 Abertura: Arleu Anhalt, presidente do IBRI; Norma Parente, diretora da CVM; Alcides Ferreira, ex-editor da Broadcast/AE e atual Deutsche Bank; e Mariza Louven, Assessora de Imprensa da CSN. Painéis: - O que é o Mercado de Capitais e qual o papel de um Departamento de Relações com Investidores; - O Papel do Órgão Normatizador; - O Relacionamento entre a Mídia e a Empresa; - Que estragos que a Imprensa pode provocar ?; - O que é uma Bolsa de Valores? Viva voz x Pregão Eletrônico - O que são Ações / Debêntures / Conversão de Papéis; - Globalização de Mercados / Fusão das Bolsas de Valores. Novo Mercado; - Minoritários: O que são? Quais seus direitos?; - Análise de Balanço - aula teórica e prática com análise de balanço recentemente divulgado; - Matemática: dicas para o dia-a-dia do jornalista; - Fundos - Comparativos e Perspectivas O que são? Como funcionam? Como são cobradas as taxas de gestão?; - Entendendo os Fundos de Pensão - Como funcionam e influenciam no dia-a-dia na economia. Visão crítica; - Meio Ambiente - Como agregar valor à Indústria; - O que a Internet Muda no Mercado ? Home broker - Expectativas futuras; Palestrantes: Rogério Marques, supervisor de assistência ao Mercado da Bovespa; Cristiana Pereira, gerente de projetos especiais da Bovespa; Fábio Fonseca, diretor da CVM; Profa. Marina Yamamoto, da FIPECAFI; José Nicolau Pompeo, professor da PUC-SP; Renato Raglione da UAM (Unibanco Asset Management); José Roberto Ferreira Savoia - Secretário Adjunto de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social; Paulo Roberto Pasian, Conselheiro do IBRI; Luiz Cláudio Ferreira Castro, da CSN; Jayme de Seta Filho da Petrobras; Gregório Mancebo Rodriguez, gerente de Corporate da Socopa; Marcos Luiz Zanardo, da Bovespa; Margarita Palatnik, da Patagon; e Carlos Isoldi, consultor de mercado financeiro, especializado em Internet.

8

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Participantes: 46 Avaliação: Em uma escala proposta de zero a 5, a média foi de 4,2

Síntese - O Curso de R.I e Mercado Financeiro para Jornalistas, realizado em parceria com a Bovespa, teve 90 inscritos. Durante as 24 horas, distribuídas em oito dias-aula, a média de presença foi de exatos 30 alunos. Do total de participantes, 37 responderam a questionário de avaliação, inclusive atribuindo notas aos expositores. Na avaliação dos alunos, as melhores apresentações foram realizadas por José Nicolau Pompeo (professor da FAAP, sobre matemática financeira), Luiz Cláudio Castro (da CSN, abordando questões sobre passivo ambiental, programas de reciclagem e relatório ambiental), Fábio Fonseca (diretor da CVM, tratando dos direitos dos minoritários), Alcides Ferreira (jornalista, tratando do dia-a-dia do profissional de imprensa no mercado financeiro) e Marina Yamamoto (professora da Fipecafi, ministrando aula sobre análise de demonstrações financeiras). No item pontos fortes foram ressaltados o didatismo e a objetividade de alguns dos 17 palestrantes, oportunidade de discutir questões ligadas ao Meio Ambiente e elogiaram a postura e apresentações dos jornalistas convidados Alcides Ferreira e Margarita Palatnik (da Patagon, que abordou Internet). Como avaliação geral mostraram-se satisfeitos, elogiando a iniciativa do IBRI.

ABRIL Jornalismo Empresarial O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI) participou, no dia 05, do 4º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. “Fluxos e Refluxos no Relacionamento com a Mídia - Por que Fazer Comunicação numa Companhia Aberta Exige Tantos Cuidados”, foi o tema apresentado por Arleu Anhalt.

Unicamp O presidente executivo do IBRI apresentou palestra para alunos de quarto ano de economia da Unicamp, no dia 20. Evento teve duração de hora e meia, com apresentação do mercado de capitais brasileiro, sua equivalência com o norte-americano, fluxos de investimentos estrangeiros, internacionalização da economia e funções e atividades do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores.

9

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Técnicas de Apresentação Seminário realizado no dia 24 de abril no Auditório da Bovespa Palestrante: Nicola Popovic Participantes: 36 Seminário realizado no dia 25 de abril no Auditório da Abamec-Rio Palestrante: Nicola Popovic Participantes: 65 Seminário realizado no dia 15 de maio no Auditório da Bolsa de Valores do Extremo Sul - Porto Alegre Palestrante: Nicola Popovic Participantes: 64 Seminário realizado no dia 17 de maio no Auditório da Acesita - BH Palestrante: Nicola Popovic Participantes: 46 Avaliação Geral do Curso, considerando alunos de SP, RJ, BH e Porto Alegre: 91% entre ÓTIMO e BOM.

9% 36%

Ótimo Bom Regular

55%

Síntese - Sempre que você for convidado a fazer uma apresentação, ou uma reunião, aceite. Este é o conselho de Nicola Popovic, comunicador especializado no assunto, que ministrou o curso Técnicas de Apresentação, em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte. Hoje apenas 2% dos funcionários de uma empresa conduzem as reuniões, afirmou Popovic, acrescentando que “poucos enxergam na apresentação a oportunidade de mostrar como se pensa, quem é, e como se age dentro da organização”, além da formação do marketing profissional. “O importante é aceitar os desafios para se adquirir conhecimento e experiência, pois o aperfeiçoamento só vem depois de várias apresentações realizadas”, ponderou. Em uma exposição o que está em jogo é a imagem profissional do apresentador. Ele não está projetando só transparências, mas a sua imagem profissional para um público interno ou a imagem institucional se esse público for externo. Segundo Popovic, somos constantemente avaliados no dia-a-dia e o melhor local para isso é a sala de reunião ou a sala de apresentação, porque nesse momento ficamos em evidência. “Portanto, se necessário, invista de dois a três dias na preparação da apresentação”, ensinou. Reuniões ineficientes geram perda de tempo e dinheiro não só para os participantes mas, principalmente, para a organização - uma vez que todas elas têm um custo --, além de provocar desmotivação e queda na produtividade. Ao contrário, uma reunião bem planejada, estruturada e organizada, representa uma redução sensível nos custos e o aumento significativo na produtividade. “A utilização de bons recursos visuais - como as cores associadas a uma boa idéia - contribuirá bastante neste processo”, finalizou .

10

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES MAIO Reunião do III Encontro Na sede da Abrasca, dia 09/05. Preparação final do III Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais. Novo Mercado e Governança Corporativa Evento realizado em 10 de maio na sede da Abamec-Rio. Parceria com a Abamec-Rio e Amcham-RJ. Palestrantes: Pedro Espíndola, presidente da Abamec-Rio; José Marcos Treiger, presidente da Seção Rio do IBRI; Maria Helena Santana, superintendente da Bovespa; Francisco Gros, presidente do BNDES; e José Luiz Osório, presidente da CVM. Painéis: - Normas e Regulamentação do Novo Mercado, - Fontes de Financiamento para o Novo Mercado, - Governança Corporativa. Participantes: 71

Visão e Expectativas dos Agentes do Mercado Painel de debates realizado no dia 28 de maio no auditório da Bovespa Palestrantes: Roger Oey, gerente de análise financeira do Banco Bilbao Viscaya do Brasil; Márcia Zugaib, diretora de Renda Variável da Latinvest; Sérgio Rosa, diretor de participações da Previ; Sérgio Porto, gerente de Novos Negócios da InvestShop; e José Otávio Melo Saraiva, diretor da Parecer-Consultoria de Mercado de Capitais Participantes: 31

Síntese - O mercado de capitais espera dos profissionais de R.I. a divulgação de informações completas, claras e objetivas; divulgação ágil, rápida e com regularidade; conhecimento do próprio trabalho; rapidez no atendimento quando solicitado; autonomia e rapidez para resolução de dúvidas; além de receber e fazer visitas periódicas. Esta é a opinião da analista Márcia Zugaib, diretora de Renda Variável da Latinvest, durante o painel de debates promovido pelo IBRI. Roger Oey, gerente de Análise Financeira do Banco Bilbao Viscaya do Brasil, mostrou a visão do analista sell side. Segundo ele, é preciso saber quais as necessidades do analista sell side para melhorar o relacionamento com o R.I. E as dividiu em três fases: exploração da companhia, como histórico, números, detalhes operacionais e contato com o R.I. (nomes, telefones, e-mails e cadastro em mailing list); manutenção do contato para se obter estimativas e estratégias e, na terceira fase, o analista sell side “tem o dever de tentar diferenciar-se, seja discutindo tendências do setor no país e no mundo; conhecendo o processo produtivo com mais detalhes (visitas a plantas produtivas, centro tecnológico, reuniões com pessoal técnico e até fornecedores); criando valor para o cliente através de conferências, café da manhã, eventos, etc.; ou através da visita com clientes e reuniões com outros diretores - não somente o R.I.”, enfatizou Oey. Há 23 anos no mercado, José Otávio Melo Saraiva, diretor da Parecer-Consultoria, lembra que o analista quer sempre “a melhor informação”. Outro palestrante, o gerente de Novos Negócios da InvestShop, Sérgio Porto, apontou algumas expectativas como a necessidade de estreitar o relacionamento com a área de R.I.; entender todo potencial de utilização da Internet na prestação de serviços de R.I.; e consolidação de iniciativas como Novo Mercado e atração de novas empresas.

11

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES JUNHO

III Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais Realizado em parceria com a Abrasca nos dias 20 e 21, no Hotel Sheraton Mofarrej, em São Paulo Abertura: Alfredo Setubal, presidente do Conselho do IBRI; Alfried Plöger, presidente da Abrasca; Arleu Anhalt, presidente executivo do IBRI; Raymundo Magliano, presidente da Bovespa; e Luiz Antonio de Sampaio Campos, diretor da CVM. Palestrantes: Paulo Rabello de Castro, economista; Mauro Schneider, estrategista do ING Barings; Roberto Serwaczak, managing director do JP Morgan CCVM; Luiz Antonio N. de França, diretor gerente do Itaú; Mauro Molchansky, diretor geral da Globopar; Ronnie Vaz Moreira, CFO da Petrobras; Paulo Villares, presidente do IBGC; Bengt Hallqvist, membro do Conselho de Administração do IBGC; Maria Helena Santana, superintendente de Relações com Empresas da Bovespa; Luiz Fernando Furlan, presidente do Conselho de Administração da Sadia; Pedro Oliva Marcilio de Souza, sócio do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Ópice Advogados; Luiz Antonio de Sampaio Campos, diretor da CVM; Haroldo Levy, superintendente do Itaú; Ross Kaufman, sócio da Greenberg, Traurig; Michelle Savage, vice-presidente de Relações com Investidores para a América Latina da PR Newswire; Meg Black, manager da Bowne; Andrew Zelter, vice-presidente para a América Latina do Bank of New York; Leonardo Pereira, CFO da Globo Cabo; Edson Vaz Musa, empresário; Marcelo Trindade, diretor da CVM; Gilberto Lourenço da Aparecida, analista sênior do Banco do Brasil; David Scalam, jornalista chefe da Bloomberg Brasil; Ian Richman, diretor da Investor Relations Magazine; Mário Andrada e Silva, diretor editorial da Reuters Brasil; e Emerson Kapaz, deputado federal. Painéis: - Cenários e Critérios para a Captação de Recursos - renda fixa e variável - nos Mercados Nacional e Internacional, - Como Estruturar e Distribuir Operações Dentro e Fora do Brasil, - Governança Corporativa: comparativo das empresas americanas, européias e brasileiras, - Comparação das Legislações - no aspecto divulgação de resultados - USA X Brasil e Impactos das Alterações, - Novas Tecnologias nas Áreas de Relações com Investidores e Mercado de Capitais, e Painel de Debates: CVM, Bolsas, - Imprensa e Companhias Abertas - Avaliação do Relacionamento e Oportunidades de Melhorias. Participantes: 372

12

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Avaliação 8% 27% Ótimo Bom Regular 65%

Síntese - “Eu tenho a convicção de que o mercado de capitais brasileiro evoluirá, porque já faz parte da agenda do governo e das empresas”, disse Alfredo Setubal, na abertura do III Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais. O presidente do Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI) defendeu a transparência do mercado e considerou o Novo Mercado “um passo importante no aprimoramento do mercado de capitais brasileiro”. O evento, que reuniu mais de 400 pessoas, foi promovido conjuntamente pelo IBRI e pela Abrasca (Associação Brasileira das Cias Abertas), cujo presidente, Alfred Plöger, propugnou por reformas para reduzir o chamado “custo Brasil”. Plöger entende que o mercado precisa ganhar mais força para ser um mecanismo adequado de alavancagem para empresas emergentes e de capital intensivo. Já o presidente da Bolsa de Valores de São Paulo, Raymundo Magliano, voltou a defender o Novo Mercado como instrumento legítimo para dar o up grade necessário ao mercado de capitais brasileiro. Magliano lembrou que o mercado brasileiro precisa mudar sua cultura, como fez o espanhol. “Há seis anos – citou o dirigente da Bolsa brasileira – a Bovespa e a Bolsa de Madri tinham o mesmo nível de movimentação. Hoje eles estão muito à nossa frente, porque 20% dos 40 milhões de espanhóis aplicam em Bolsa”. Governança - Ainda no dia 20 foram apresentados os painéis Cenários e Critérios para a Captação de Recursos; Como Estruturar e Distribuir Operações Dentro e Fora do Brasil; Comparação das Legislações no Aspecto Divulgação de Resultados; Governança Corporativa: Comparativo das Empresas Americanas, Européias e Brasileiras. E no dia 21 foi a vez dos painéis Novas Tecnologias nas Áreas de Relações com Investidores e Mercado de Capitais; e CVM, Bolsas, Imprensa e Companhias Abertas. O deputado federal Emerson Kapaz (PPS-SP) relator do projeto da nova Lei das S.A. na comissão de economia da Câmara, encerrou o Congresso. Exposição - Paralelamente às exposições e debates, 18 expositores (Citibank, Greenberg, Itaú, Unibanco, Bloomberg, Bovespa, Soma, CBLC, JP Morgan, NYSE, Bowne, Banco do Brasil, PRNewswire, Thomson, Petrobras, Estadão, The Media Group, e Banco Off New York) realizaram a feira de serviços. Jornal - Neste ano, uma novidade: tivemos um informativo em tempo real, produzido pela Personal Press, nos dois dias de evento.

JULHO Unicamp - Semana de Engenharia O presidente executivo do IBRI participou da 20ª Semana de Engenharia de Alimentos promovida pelo Instituto de Engenharia de Alimentos da Universidade de Campinas (Unicamp). Evento, ocorrido entre os dias 23 e 28, no campus, teve o dia 24 dedicado à Economia. Entre os painéis foi apresentado “A Evolução do Mercado de Capitais Brasileiro”, por Arleu Anhalt. Evento reuniu 50 estudantes, com debates após a apresentação.

13

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES AGOSTO Reuniões preparatórias ao Brazil Day ,em São Paulo e Rio de Janeiro.

SETEMBRO Evento Brazil Day Realizado em parceria com a Abrasca, Abamec e Amcham-RJ no dia 07 de Setembro, na Bolsa de Nova York. Abertura: Pedro Malan, ministro da Fazenda. Palestrantes: Fernando Sotelino, presidente do Unibanco; Luís Carlos Trabuco Cappi, vice presidente Executivo e diretor de Relações com Investidores do Bradesco; Alfredo Setúbal, vice presidente Executivo e diretor de Relações com Investidores do Banco Itaú; Maria Silvia Bastos Marques, diretora presidente da CSN; José Armando de Figueiredo Campos, presidente da CST; Osvaldo Schirmer, CFO e diretor de Relações com Investidores da Gerdau; Paulo Penido, diretor de Relações com Investidores da Usiminas; Raul Calfat, CEO da Votorantim; José Maurício Werneck, gerente de Relações com Investidores da Aracruz; Maurício Botelho, diretor presidente da Embraer; Ronald Seckelmann, CFO da Klabin; Luís Fernando Nogueira, gerente de Relações com Investidores da Petrobras; Jorge Rodríguez, presidente da Embratel; Álvaro Moraes Filho, presidente da Tele Celular Sul; Álvaro Santos, vice presidente de Finanças da Telemar; Fernando Xavier, presidente da Telefonica; Henrique Sutton Souza Neves, presidente e diretor de Relações com Investidores da Brasil Telecom; João Cox presidente da Tele Norte Celular e Telemig; Luiz Murat, CFO da Sadia; Luiz Furlan, presidente do Conselho de Administração da Sadia; George Ugeux, vice-presidente da NYSE; e Francisco Gros presidente do BNDES. Painéis: Bancos - Unibanco, Bradesco e Itaú. Aço - CSN, CST, Gerdau e Usiminas. Exportadores - Votorantim, Aracruz, Embraer e Klabin. Petroquímica - Petrobras Telecomunicações - Embratel, Tele Celular Sul, Telemar, Telefonica, Brasil Telecom, Tele Norte Celular e Telemig Alimentação - Sadia Participantes: 400

Síntese - IBRI, Abamec, Abrasca e Amcham realizaram um dos maiores eventos na área do mercado de capitais envolvendo companhias abertas brasileiras, no último dia 7. As instituições organizadoras do evento foram representadas por Arleu Anhalt, José Marcos Treiger e Ronaldo Nogueira - IBRI, Humberto Casagrande e Álvaro Bandeira - Abamec, Alfried Plöger - Abrasca, Gabriela Icaza e Sérgio Raposo - Amcham. O Brazil Day reuniu 20 das principais empresas na Bolsa de Nova York, com apresentações durante todo o dia, através de sete painéis setoriais, para 400 analistas internacionais. Na abertura do evento o ministro Pedro Malan, da Fazenda, fez pronunciamento destacando o estágio atual da economia brasileira, bem como suas perspectivas. O Brasil tem empresas sólidas, uma das maiores economias do mundo e uma grande perspectiva de crescimento e de liderança. Com todos os problemas internos, o país é um dos mais atrativos para o capital estrangeiro, uma vez que o mercado interno tem potencial extraordinário e plataformas de exportação dentro de um parque industrial razoavelmente competitivo. Foi sob esta ótica que se realizou o evento, com as 20 companhias promovendo o país, discutindo suas perspectivas de negócios e capacidades de superação das adversidades pelas quais passam os mercados internacionais. “Nunca é demais recordar que as 27 empresas brasileiras listadas na Bolsa de Nova York representam uma grande parcela do PIB nacional e do número de empregos no país. É, portanto, essencial que estas tenham acesso aos mercados de capitais globais, a exemplo do que fazem todas as grandes corporações mundiais”, destacou o presidente executivo do IBRI, Arleu Anhalt, acrescentando que a capitalização adequada das empresas brasileiras reflete-se de maneira decisiva em seus resultados, com impactos positivos no seu valor de mercado.

14

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Essa internacionalização de companhias repercute diretamente na performance do próprio país, que passa a ser visto de forma diferente aos olhos do investidor - e do formador de opinião - internacional. Entretanto, o Brasil precisa, definitivamente, criar condições de igualdade para nossas empresas e para o mercado de capitais, razão pela qual a reforma tributária foi defendida por todos os promotores do evento, como condição sine qua non para aumentar a competitividade das companhias brasileiras. O Brazil Day foi antecedido por um encontro com 20 jornalistas, na véspera, para que seus objetivos fossem detalhados. No dia do evento todos tiveram livre acesso aos empresários na Bolsa de Nova York, quando as apresentações foram dirigidas aos analistas internacionais. No próprio dia 7, durante almoço, o vice-presidente da NYSE, George Ugeux e o presidente do BNDES, Francisco Gros, fizeram palestras sobre o mercado.

Fórum Anual da Indústria de Fundos Mútuos O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores participou, no dia 24 de setembro, do 4º Fórum Anual da Indústria de Fundos Mútuos, em São Paulo, promovido pelo International Business Communications (IBC). Evento abordou, entre outros, o painel “Práticas Avançadas e Eficientes de Relacionamento com o Mercado que Avaliam como a Gestão Transparente da Relação com Investidores Impacta na Valorização da Empresa” .

OUTUBRO II Curso Básico de Relações com Investidores Realizado em parceria com a Andima, entre os dias 15 a 17 de outubro, no auditório da Cetip. Painéis: - Desenvolvimento da Cultura de RI nas companhias abertas; - Estruturação de uma Área de RI; - Órgãos Reguladores e Informações Obrigatórias; - Informações Voluntárias ao Mercado; - Acompanhamento; - Estudo de Caso: A política de RI do Banco Itaú. Instrutores: Lucy Souza, consultora da Inter-Link Consultoria; Geraldo Soares, superintendente de Relações com Investidores do Itaú e diretor da Seção São Paulo - IBRI; Lélio Lauretti, economista. Participantes: 21 Síntese - “Apesar da evolução ocorrida desde os anos 80, a atividade de Relações com Investidores ainda tem muito para desenvolver”, afirmou Lucy Sousa, professora e economista, durante o II Curso de Relações com Investidores, promovido pelo IBRI e pela Andima, no último dia 15. A economista falou sobre o conceito e a história de RI no Brasil.Economista e especialista em Relatório Anual, Lélio Lauretti discorreu sobre o tema e também abordou a questão da Governança Corporativa, cujo um dos princípios é a transparência - um fenômeno dos nossos dias, ressaltou o economista. Segundo Lauretti, a empresa vale pela quantidade de informações que ela disponibiliza para o mercado. Geraldo Soares, diretor do IBRI e superintendente de RI do Itaú, apresentou o Estudo de caso: A política de RI do Banco Itaú. Soares destacou a importância da política de RI, que tem por objetivo agregar valor ao acionista e consolidar a imagem da companhia.

NOVEMBRO Reuniões, do Conselho e da Diretoria, preparatórias às atividades de final de ano, inclusas as eleições em dezembro.

Comunicação Corporativa O 4º Seminário “A Comunicação Social e Corporativa nas Grandes Organizações do Brasil “, realizado nos dias 21 e 22 de novembro, na Bovespa. Evento contou com o apoio institucional do IBRI.

15

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Síntese - Comunicação corporativa é ferramenta fundamental na gestão empresarial. O tema, atual, foi discutido no evento, que contou com o apoio institucional do IBRI. “Na empresa a comunicação é tratada como um assunto interno que deve gerar valor. Um exemplo é o Prêmio Fiat de Educação, criado para os filhos dos funcionários da companhia e que valoriza o empregado”, destacou o gerente de comunicação da FIAT, Marco Piquini. Milton Longobardi, diretor de marketing da Nextel, ressaltou que a formação da imagem está associada à estratégia da empresa. Segundo o vice-presidente de Assuntos Corporativas da Algar, Dilson Dalpiaz Dias, a companhia deve ter imagem corporativa. Os cases “Coca-Cola na Copa do Mundo” e “Coca-Cola e Pelé”, apresentados pelo gerente de comunicação Maurício Bacellar, reforçam essa tese. A empresa não vincula sua imagem aos resultados da equipe patrocinada. Seu objetivo é levar a marca Coca-Cola ao público consumidor de refrigerantes, fortalecendo sua imagem. O seminário contou com 80 participantes, entre os quais uma delegação de Angola, com oito jornalistas, nos dois dias.

DEZEMBRO 05/12 - Eleições para Diretoria Executiva, Conselho Administrativo e Fiscal 05/12 - Jantar de Confraternização

16

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PRINCIPAIS ATIVIDADES Brazil Day O encontro de 400 analistas internacionais com 23 das principais companhias abertas do Brasil é um marco na história de todo o mercado financeiro nacional. Por iniciativa do IBRI, em conjunto com AMCHAM-RJ, Abrasca e Abamec, aconteceu o BRAZIL DAY, dia 7 de Setembro, na Bolsa de Nova York. Trabalho mobilizou 23 companhias, que se apresentaram em painéis setoriais, com seus principais dirigentes. Destaques ainda para as presenças de Francisco Gros, presidente do BNDES, e do ministro da Fazenda, Pedro Malan, que fez a abertura do pregão da NYSE, explicando o estágio atual e as perspectivas da economia brasileira. Alargamos horizontes para a captação de recursos das companhias abertas nacionais, que necessitam de condições de igualdade para competir no mercado global. Daí a razão das entidades parceiras como IBRI, Abrasca, Abamec e a Câmara Americana de Comércio se unirem buscando um up grade financeiro.

17

PRINCIPAIS ATIVIDADES


RELATÓRIO ANUAL 2001

PERFIL DOS ASSOCIADOS O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores possui 227 associados. Comparando dezembro de 2001 com dezembro de 1997, registra-se expansão da base em 97 %.

227 187 151

154

1998

1999

115

1997

2000

2001

Distribuição Geográfica Os Associados estão divididos em cinco blocos: Regional São Paulo, Rio de Janeiro, Minas/Espírito Santo, onde há seções constituídas, mais a Região Sul (PR, SC e RS) e Outros. Neste último bloco, outros, temos 2 associados baseados em Nova York (EUA) e 13 distribuídos entre os estados da Bahia, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

7% São Paulo

9%

Rio de Janeiro

11% 51%

Minas Gerais / Espírito Santo Sul

22%

Outros

Pesquisa Em 2000 o IBRI assinou convênio com a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuarias e Financeiras-FIPECAFI (entidade de apoio ao Departamento de Contabilidade da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo- FEA/USP), possibilitando a primeira pesquisa, em nível nacional, sobre o profissional de Relações com Investidores. Com base nesses dados, obtidos junto a 116 profissionais das 90 maiores companhias abertas do País, pode-afirmar, hoje que: ¾ dos profissionais da área são homens;

25% Homens Mulheres 75%

18

PERFIL DOS ASSOCIADOS


RELATÓRIO ANUAL 2001

PERFIL DOS ASSOCIADOS Dos associados que responderam à pesquisa 89% possuem pós-graduação e 50% ocupam cargos de Diretoria de R.I.

11% Pós-graduação Graduação / especialização 89%

Quanto ao nível de satisfação profissional, 87% se disseram satisfeitos com a área de atuação e o restante não respondeu ou mostrou propensão à mudança de área. Outro dado da pesquisa mostra que 87% dos profissionais da área têm mais de 30 anos de idade.

13% Satisfeitos na área Admitem mudanças 87%

Relativamente à autonomia, a pesquisa apontou que 81% do universo das grandes companhias abertas atualmente têm área de R.I. exclusiva.

19% Áreas exclusivas de R.I. Atreladas ao Depto. Financeiro / Presidência 81%

Por se tratar de função nova no País, as áreas de R.I. têm demandas. A pesquisa apontou que 39% dos entrevistados atuam há menos de 2 anos na área e que 34% estão entre 2 e 5 anos nesta atividade.

27% Atuam há menos de 5 anos Há mais tempo 73%

19

PERFIL DOS ASSOCIADOS


RELATÓRIO ANUAL 2001

PLANEJAMENTO O Conselho de Administração realizou quatro reuniões ordinárias, nos meses de Março, Maio e Novembro, em São Paulo, e em Agosto, no Rio de Janeiro. A Diretoria fez seis reuniões, nos meses de Janeiro, Março, Maio, Julho e Novembro em São Paulo e, no mês de Agosto, no Rio de Janeiro. Promoção e co-participação em Eventos O Instituto promoveu 13 eventos e apoiou outros 5 durante o ano, com público somado de 1.600 pessoas. Comparativamente ao ano anterior, crescemos 6% em público e 30% no número de eventos promovidos.

Eventos Promovidos

Participantes

13

1.500

1.600

2001

2000

2001

10

2000

Em 2001 tivemos média ligeiramente superior a um evento /mês e público médio de 123 pessoas. Somados os dois últimos anos, temos 23 eventos realizados com participação média de 135 pessoas. Evolução / Formação Da pesquisa à 2ª Turma do Curso MBA há uma evolução na atividade de Relações com Investidores. Realizada em 2000, esta consulta às companhias abertas brasileiras detectou necessidades da área de R.I. Após a sistematização do trabalho, o IBRI e a Fipecafi chegaram à conclusão que o mercado demandava um Curso de Especialização para os profissionais de uma área nova no País. Daí nasceu o programa do Curso MBA, formatado conjuntamente e ministrado pela Fipecafi. Com o objetivo de reciclar os profissionais atuais e de abrir a possibilidade para novos ingressos, foi lançada a 1ª.Turma em março de 2001, com 18 alunos. Devido ao sucesso da iniciativa, a 2ª. Turma está lançada, com início em março de 2002.

20

Lançamento da Pesquisa

Apuração da Pesquisa

Junho de 2000

Setembro de 2000

Lançamento 1ª. Turma MBA - Finanças, Comunicação e Relações com Investidores

Lançamento 2ª. Turma MBA - Finanças, Comunicação e Relações com Investidores

Março de 2001

Março de 2002

PLANEJAMENTO


RELATÓRIO ANUAL 2001

COMUNICAÇÃO Curso para Jornalistas Neste ano realizamos o I Curso de Relações com Investidores e Mercado Financeiro para Jornalistas. Em parceria com a Bovespa, evento reuniu perto de uma centena de jornalistas em dias específicos. Realizado entre os dias 20 de março e 02 de abril, teve 17 painéis apresentados e discutidos e, ao final, 46 dos inscritos completaram o mínimo de 75% de presença para obtenção de certificado. De acordo com a avaliação dos alunos, em uma escala de 0 a 5, o curso obteve média de 4,2.

IBRI News Instituído no ano 2000, o IBRI NEWS, Boletim Eletrônico do IBRI criou agilidade na comunicação entre Conselho, Diretoria e Associados. No ano de 2001 veiculamos 14 edições, contra 12 edições do ano anterior.

Edições 14 12

2000

21

COMUNICAÇÃO

2001


RELATÓRIO ANUAL 2001

COMUNICAÇÃO Imprensa Conseguimos a veiculação e geração de 364 matérias espontâneas na mídia, agrupadas nas seguintes modalidades: rádio, TV, jornal, revista, boletins informativos e sites/agências on line. As 364 notícias proporcionam média de 30,3 notícias/mês, sobre o IBRI. Desse total, 68% estão relacionadas ao evento Brazil Day do dia 7 de Setembro.

Notícias veiculadas 364

189

2000

2001

Em 2001 tivemos aumento substancial no volume, com ênfase para o evento Brazil Day. Com isto, apuramos geração média de 30,3 notícias/mês. Nos dois últimos anos temos uma geração acumulada de 553 notícias, gerando média, no período, de 23 notícias/mês.

Distribuição por veículo Jornais 21,1% TV 5,0% Agências / Sites 65,1%

Rádio 4,5% Boletins 2,1%

Revistas 2,2%

Internet O IBRI na internet foi uma necessidade imperiosa. Por esta razão o site foi totalmente reformulado no segundo semestre de 2000 e a equipe tem a preocupação de atualizá-lo permanentemente. O www.ibri.com.br tem se mostrado veículo da maior importância para o Instituto, para divulgação de notícias (algumas vezes em tempo real) do próprio IBRI, das parcerias, cursos, eventos, assim como mostra em páginas específicas (Mercado de Capitais e Relase.com) os principais movimentos do mercado financeiro, envolvendo deiberaçòes da CVM, do BC, ações da Bovespa e das próprias companhias abertas.

22

COMUNICAÇÃO


RELATÓRIO ANUAL 2001

COMUNICAÇÃO Hoje o site do IBRI é uma interface plenamente adequada entre os profissionais da área de R.I. e o mercado de capitais de uma forma geral.

23

COMUNICAÇÃO


RELATÓRIO ANUAL 2001

PARCERIAS Parcerias Desde o ano 2000 temos a figura do Patrocinador do Mês. Trata-se de empresa convidada a participar de forma direta das atividades do IBRI, através de veiculação de seu logotipo em todos os materiais, vinculados diretamente a eventos ou não, bem como do site e do IBRI NEWS, no período convencionado.

Revista RI A Revista R.I. é outra parceria bem sucedida, com a IMF Editora. De conteúdo independente, a publicação tem apoiado as atividades do Instituto, inclusive com cessão de espaço permanente em todas edições para a divulgação.

Entidades Parceiras O Instituto tem parcerias consolidadas com diversas instituições do mercado, como ABRASCA, ABAMEC, ANDIMA, BOVESPA, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), FIPECAFI e NYSE , mantendo alianças para eventos, cursos e pesquisas.

Empresas Além da IMF Editora, também são parceiros do Instituto a The Media Group, PR Newswire, O Estado de S. Paulo e a Megabrasil.

24

PARCERIAS


RELATÓRIO ANUAL 2001

PATROCINADORES DO MÊS EM 2001

JANEIRO / BANCO ITAÚ

FEVEREIRO / BANCO ITAÚ

MARÇO / ELETROBRÁS

ABRIL / BRASIL TELECOM

JUNHO / UNIBANCO

JULHO / UNIBANCO

AGOSTO / BANCO DO BRASIL

SETEMBRO / CIA. VALE DO RIO DOCE

OUTUBRO / PETROBRAS

NOVEMBRO / ITAÚSA

DEZEMBRO / ITAÚSA

25

PATROCINADORES DO MÊS EM 2001


RELATÓRIO ANUAL 2001

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Instituto Brasileiro de Relações com Investidores - IBRI Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e parecer dos auditores independentes

Balanço Patrimonial em 31 de dezembro - em reais ATIVO

2001

2000

Circulante Caixa e bancos

360

211

Aplicações financeiras

13.377

53.430

Contas a receber

30.000

Adiantamentos a funcionários - férias Adiantamento a prestador de serviços

435 280

2.625

44.017

56.701

8.750

9.928

52.767

66.629

2001

2000

Permanente Imobilizado

TOTAL DO ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO SOCIAL Circulante Obrigações fiscais

286

654

Contas a pagar

7.960

11.313

Provisão de férias

5.930

8.571

Salários a pagar

2.244

Encargos sociais a recolher

1.546

778

17.966

21.316

Patrimônio Social Superávit acumulado No início do exercício Superávit (déficit) do exercício

No fim do exercício Reserva social - bens recebidos em doação

TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO SOCIAL As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.

26

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

43.181

32.860

(10.512)

10.321

32.669

43.181

2.132

2.132

34.801

45.313

52.767

66.629


RELATÓRIO ANUAL 2001

Demonstração do superávit (déficit) Exercícios findos em 31 de dezembro - em reais 2001

2000

Receitas das atividades Contribuições - anuidade de sócios

54.961

47.729

Receitas de eventos

345.116

74.973

Doações recebidas de pessoas jurídicas

137.062

70.000

7.309

2.929

Receitas financeiras Receitas de bilheteria de eventos

1.340

16.837

545.788

212.468

(129.980)

(70.413)

(75.936)

(96.285)

(9.776)

(6.634)

Correios e telégrafos

(7.594)

(3.782)

Impostos e taxas

(1.711)

(815)

Despesas das atividades Gerais de funcionamento Com pessoal Telefones, fax e telex

Depreciação

(2.212)

(2.658)

Despesas bancárias

(2.718)

(1.179)

Anúncios e publicidade

(22.967)

(250)

Despesas com eventos

(303.406)

(13.939)

(556.300)

(195.955)

(10.512)

16.513

Superávit (déficit) operacional

Despesas não operacionais Prejuízo na venda de bens do ativo imobilizado

(3.092)

Provisão para ajuste ao valor de realização de bens do ativo imobilizado

(3.100) (6.192)

Superávit (déficit) do exercício As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.

27

(10.512)

10.321


RELATÓRIO ANUAL 2001

Demonstração das origens e aplicações de recursos Exercícios findos em 31 de dezembro - em reais 2001

2000

(10.512)

10.321

2.212

2.658

Origens dos recursos Das operações sociais Superávit (déficit) do exercício Despesas que não afetam o capital circulante Depreciação Valor residual do ativo imobilizado baixado

3.092

Provisão para ajuste ao valor de realização de bens do ativo imobilizado

3.100 (8.300)

Recursos aplicados nas operações sociais

8.300

Total das origens de recursos

19.171

Aplicações de recursos Nas operações sociais

8.300

No ativo imobilizado

1.034

4.045

9.334

4.045

(9.334)

15.126

44.017

56.701

Total das aplicações de recursos Aumento (diminuição) no capital circulante Variação no capital circulante Ativo circulante No fim do exercício No início do exercício

(56.701)

(29.511)

(12.684)

27.190

17.966

21.316

(21.316)

(9.252)

(3.350)

12.064

(9.334)

15.126

Passivo circulante No fim do exercício No início do exercício

Aumento (diminuição) no capital circulante As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.

28


RELATÓRIO ANUAL 2001

Notas explicativas da administração e demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 - em reais 1 - Contexto operacional O Instituto Brasileiro de Relações com Investidores - IBRI é uma entidade sem fins lucrativos, desprovida de vínculo ou cunho político e/ou religioso, constituída em 5 de junho de 1997, cujos principais objetivos são de congregar pessoas físicas e jurídicas que exerçam direta ou indiretamente atividades ligadas à área de relações com investidores e proporcionar e estimular o intercâmbio voluntário de experiências, idéias e informações sobre métodos e técnicas de relações com investidores. 2 - Principais práticas contábeis (a) Apuração do superávit ou déficit As receitas de doações para custeio e de eventos são registradas por ocasião do seu efetivo recebimento. As receitas de contribuições - anuidade de sócios e as despesas decorrentes das atividades são contabilizadas pelo regime de competência. Os bens recebidos em doação são contabilizados diretamente no patrimônio social, em reserva específica, pelo valor informado pelos doadores e que corresponde aproximadamente ao seu valor de mercado. (b) Ativos e passivos circulantes Os ativos são demonstrados aos valores de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos auferidos. (c) Ativo imobilizado Demonstrado ao custo de aquisição ou ao seu valor de doação. A depreciação dos bens do imobilizado é calculada pelo método linear, às taxas anuais mencionadas na Nota 3, que levam em consideração a vida útil-econômica dos bens. (d) Patrimônio social Está representado pelos montantes históricos dos superávits e déficits apurados anualmente, assim como pelo montante dos bens recebidos em doação. (e) Tributos incidentes sobre as operações O IBRI é uma entidade sem fins lucrativos, isento de recolhimento do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro líquido. Com relação aos demais tributos incidentes sobre as operações próprias da atividade, destacamos os seguintes: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS - isenta a partir de fevereiro de 1999, Programa de Integração Social - PIS - contribuição de 1% incidente sobre o montante da folha de pagamentos e Contribuição para o Instituto Nacional da Seguridade Social - INSS - pagamento integral da contribuição patronal e de empregados, que totalizou R$ 12.999 (2000 - R$ 17.128) 3 - Contas a receber Está representada por doação recebida, cujo depósito em conta-corrente ocorreu em janeiro de 2002.

29


RELATÓRIO ANUAL 2001

4 - Imobilizado

2001

2000

Taxa anual de depreciação - %

Equipamentos de processamento de dados

8.029

8.029

20

Direito de uso de linhas telefônicas

4.300

4.300

927

927

10

Softwares

2.032

1.482

20

Sistemas de comunicação

1.153

669

10

Móveis e utensílios

16.441

15.407

Depreciação acumulada

(4.591)

(2.379)

Provisão para perdas - linhas telefônicas

(3.100)

(3.100)

(7.691)

(5.479)

8.750

9.928

5 - Contas a Pagar

2001 Assessoria administrativa

4.500

IPTU

850

Despesas com telefonia

829

Despesas com hotéis Demais despesas a pagar

2000

9.537 1.781

Cheques a compensar

1.455 321

7.960

11.313

6 - Receitas das atividades As receitas de contribuições referem-se às anuidades dos associados - pessoas físicas - cuja taxa anual, por pessoa, é de R$ 360 (2000 - R$ 300). As doações recebidas de pessoas jurídicas são contribuições voluntárias, cujo principal benefício para essas empresas é a publicação em matérias ou artigos em revistas específicas e a inclusão de seus logotipos no “website” do IBRI. As receitas financeiras referem-se aos rendimentos auferidos com aplicações financeiras. As receitas de eventos e outras decorrem da cobrança de ingressos em eventos, jantares ou coquetéis e pelos patrocínios com destinação a determinados eventos ligados às atividades do Instituto.

30


RELATÓRIO ANUAL 2001

7 - Despesas gerais de funcionamento

2001

2000

Materiais de escritório

2.426

2.567

Serviços gráficos

5.306

6.883

516

1.006

Manutenção de equipamentos Despesas de viagens

1.647

4.435

Serviços prestados - pessoa jurídica

2.689

19.772

Serviços prestados - pessoa física Relações públicas e assessoria de imprensa Condução Assessoria administrativa Outras

525

2.557

35.500

18.833

1.981

3.778

56.460 22.930

10.582

129.980

70.413

2001

2000

39.299

54.195

4.660

6.569

8 - Despesas com Pessoal

Salários Férias 13º salário Instituto Nacional da Seguridade Social - INSS

3.151

4.771

12.999

17.128

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

4.874

5.242

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT

5.120

7.093

Outras

5.833

1.287

75.936

96.285

9 - Instrumentos Financeiros Os valores constantes do ativo e passivo definidos como instrumentos financeiros, entre os quais o indicado como aplicações financeiras, encontram-se atualizados na forma contratada até 31 de dezembro de 2001 e correspondem, aproximadamente, ao seu valor de mercado.

31


RELATÓRIO ANUAL 2001

Parecer dos auditores independentes 5 de abril de 2002 Aos Administradores Instituto Brasileiro de Relações com Investidores - IBRI

1 - Examinamos os balanços patrimoniais do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores - IBRI em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e as correspondentes demonstrações do superávit (déficit) das operações e das origens e aplicações de recursos dos exercícios findos nessas datas, elaborados sob a responsabilidade de sua administração. Nossa responsabilidade é a de emitir parecer sobre essas demonstrações financeiras. 2 - Exceto pelo assunto mencionado no parágrafo seguinte, nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas de auditoria aplicáveis no Brasil, que requerem que os exames sejam realizados com o objetivo de comprovar a adequada apresentação das demonstrações financeiras em todos os seus aspectos relevantes. Portanto, nossos exames compreenderam, entre outros procedimentos: (a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos, o volume de transações e os sistemas contábil e de controles internos da entidade, (b) a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis divulgados e (c) a avaliação das práticas e estimativas contábeis mais representativas adotadas pela administração da entidade, bem como da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto . 3 - A entidade, por não ter fins lucrativos, obtém de terceiros parte substancial de suas receitas de doações e contribuições. Em face dessas doações e contribuições serem espontâneas, só podem ser identificadas quando recebidas e registradas contabilmente; por essa razão, nossas verificações dessas receitas ficaram restritas, exclusivamente, aos valores constantes dos registros contábeis. 4 - Somos de parecer que, exceto pelos eventuais efeitos decorrentes do assunto mencionado no parágrafo 3, as demonstrações financeiras referidas no primeiro parágrafo apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores em 31 de dezembro de 2001 e de 2000 e o superávit ou déficit das operações e as origens e aplicações de recursos dos exercícios findos nessas datas, de acordo com os princípios contábeis previstos na legislação societária brasileira.

PricewaterhouseCoopers International S/C Ltda. CRC 2SP009963/O-1

Mauro Sérgio Alves Teixeira Sócio Contador CRC 1SP149262/O-6 Lopes & Garcia Cons. Cont. Trib. S/C Ltda. CRC nº 2 SP 014.349/O-0

32


RELATÓRIO ANUAL 2001

MBA DE R.I. Já está lançada a 2ª Turma do curso MBA de Finanças, Comunicação e Relações com Investidores, para início em março de 2002. A 1a. Turma, lançada em março deste ano, estará formando 18 alunos em junho próximo.

Objetivo O curso tem por objetivo possibilitar aos profissionais uma formação global em business e o entendimento conceitual e operacional das diversas atividades relacionadas ao mercado financeiro, além do amplo treinamento na área de comunicação, utilizando as mais modernas técnicas existentes.

Disciplinas Mercado Financeiro; Legislação Societária; Marketing; Comunicação I; Comunicação II; Matemática Financeira; Contabilidade e Análise de Balanços; Macroeconomia; Microeconomia - Aspectos de Competitividade; Finanças - Valuation; Governança Corporativa; Ética na Profissão. Alternativamente há o treinamento no exterior, com visitas a instituições ligadas ao mercado de capitais.

Corpo Docente O corpo docente é formado principalmente por professores da FEA-USP que possuem comprovada vivência prática no meio empresarial, larga experiência no ensino superior e na pesquisa científica e por profissionais atuantes no mercado.

Carga Horária O curso é composto de 360 horas-aulas, no Brasil, mais 24 horas no exterior. As aulas serão ministradas às sextas e sábados alternadamente, em período integral, 8 horas/aulas por semana Início da 2a. Turma: Março de 2002 Duração: 3 Semestres FIPECAFI - Fone: (11) 3818-5820 ramais 120,121 e 198 ou através do e-mail: luizazan@usp.br ou pelo site www.eac.fea.usp.br/fipecafi/efi10.htm IBRI - Fone (11) 3106-1836 - Maria Fernandes ou e-mail ibri@ibri.com.br

33

MBA DE R.I.


RELATÓRIO ANUAL 2001

CONSELHO, DIRETORIAS E COMITÊ CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Alfredo Egydio Setubal (Presidente)

01/jan/1999 a 31/dez/2001

Cody Leivas Simões Pires

01/jan/1999 a 31/dez/2001

João Cox Neto

01/jan/1999 a 31/dez/2001

Orlando Galvão Filho

01/jan/1999 a 31/dez/2001

Sérgio Ricardo Freitas de Souza

01/jan/1999 a 31/dez/2001

Vitor Faria Ramos

01/jan/1999 a 31/dez/2001

Doris Maria Santos Pompeu Brasil

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Gilson Rodrigues Bentes

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Gustavo Poppe

01/jan/2000 a 31/dez/2002

José Fernando Monteiro Alves

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Jose Geraldo Valadares Lembi

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Julia Holland Reid

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Leonardo Dutra de Moraes Horta

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Luis Paulo Soares

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Roberto da Cunha Castello Branco

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Valter Faria

01/jan/2000 a 31/dez/2002

Adhemar Magon

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Almir da Silva Mota

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Carlos Gilberto Gonçalves Caetano

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Carmen Lúcia Claussen Kanter

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Dóris Beatriz França Wilhelm

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Edina Aparecida G. Biava

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Mozart de Figueiredo Galvão

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Paulo Roberto Pasian

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Ricardo Florence dos Santos

01/jan/2001 a 31/dez/2003

Rinaldo Dettino

01/jan/2001 a 31/dez/2003

DIRETORIA NACIONAL EXECUTIVA (1º de Janeiro de 2000 a 31 de Dezembro de 2001) Arleu Aloísio Anhalt - Presidente Marco Antonio de Almeida Panza - Diretor Financeiro Paulo Renato Bastos R. Marques - Diretor de Desenv. Profissional Luiz Fernando Rolla - Diretor de Comunicação Eliana Soares Rodrigues - Diretora Secretária José Marcos Treiger - Vice-presidente Antonio Maria de Castro Pereira - Diretor Carlos Rocha Velloso - Diretor Maurício Werneck - Diretor Ronaldo A. da Frota Nogueira - Diretor

34

CONSELHO, DIRETORIAS E COMITÊ


RELATÓRIO ANUAL 2001

CONSELHO, DIRETORIAS E COMITÊ SEÇÃO REGIONAL SÃO PAULO Jean Philippe Leroy - Vice-presidente Ana Paula Santoro Coria - Diretor Claudio Wenzel Lagos - Diretor Geraldo Soares Leite Filho - Diretor Rodolfo Maluf Zabisky - Diretor

SEÇÃO REGIONAL MG/ES Gustavo Bezerra Leite Arger Breno Júlio de Melo Milton Diamantino Alberto de Carvalho Maria Regina Rodrigues Rios Neto

DIRETORIA NACIONAL EXECUTIVA (1º de Janeiro de 2002 a 31 de Dezembro de 2003) Roberto Castello Branco - Presidente José Marcos Treiger - Vice-presidente Geraldo Soares - Vice-presidente da Regional São Paulo Vasco de Freitas Barcellos Neto - Vice-presidente da Regional Rio de Janeiro Breno Júlio de Mello Milton - Vice-presidente da Regional Minas Gerais/Espírito Santo Marco Antonio de Almeida Panza - Diretor Financeiro Carlos Antonio Leal Cruz - Diretor Secretário Marco Geovanne Tobias da Silva - Diretor de Comunicação Rômulo de Mello Dias - Diretor de Desenvolvimento Profissional

CONSELHO FISCAL Iran Siqueira Lima (Fipecafi) Cláudio Vilar Furtado (FGV) Ronaldo Raymundo Saunier Martins (Contmaster)

COMITÊ DE ÉTICA João Alberto Gomes Bernacchio Paulo Cezar Aragão Paulo Roberto Pasian Roberto Teixeira da Costa Roberto Terziani

Sede Nacional R. XV de Novembro, 233, 4o. Andar, Centro - São Paulo / SP CEP 01013-001 Fones (11) 3106-1836 / 3106-6205 Fax (11) 3106-1127 e-mail: ibri@ibri.com.br

35

www.ibri.com.br

CONSELHO, DIRETORIAS E COMITÊ

Relatório Anual 2001  

RELATÓRIO ANUAL 2001 Contribuir para o crescimento e valorização da função de relações com Investidores. Criar valor para os associados, atr...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you