Issuu on Google+

Agenda Abril

Destaques da Programação

CELEBRAR POR SER MU LH ER

DOM

1

10h

Celebração

CELEBRAÇÃO D E MU LHERES

DOM

1

18h30

Celebração

Você é nossa convidada especial para uma Celebração de Mulheres no dia 14 de Abril, às 10h na IBAB. Venha conhecer e caminhar com outras mulheres, expressar adoração a Jesus e ser edificada com a palavra da presbítera Lidia Kilter sobre “Identidade em Cristo”.

SEG

2

20h30

TER

3

14h

IBAB MAI: Encontros de Autopercepção

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

4

14h

QUA

4

20h30

QUI

5

15h

SÁB

7

19h30

DOM

8

10h

Celebração de Páscoa

DOM

8

18h30

Celebração de Páscoa

SEG

9

20h30

Fórum Cristão de Profissionais

TER

10

14h

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

11

14h

QUA

11

20h30

QUI

12

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

14

10h

Celebração de Mulheres

SÁB

14

19h30

SÁB

14

20h

IBAB MAI: Encontrão

DOM

15

10h

Celebração

DOM

15

18h30

Celebração

TER

17

14h

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação Reunião de Oração de Mulheres IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

18

14h

QUA

18

20h30

QUI

19

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

21

9h

Mães que Oram pelos Filhos

SÁB

21

19h30

SÁB

21

20h

IBAB MAI: Encontros Peq. Grupos

DOM

22

10h

Celebração

DOM

22

18h30

Celebração

TER

24

14h

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

25

14h

QUA

25

20h30

QUI

26

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

28

20h

IBAB Jovem

DOM

29

10h

Celebração

DOM

29

18h30

Celebração

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

No dia 23 de Março, uma sexta-feira, o IBAB MAI teve a sua primeira vigília

CASAI S J O VEN S

de oração de 2012, aberta a toda comunidade. Foram momentos especiais de

Dia 21 de Abril, às 19h30, aqui na IBAB, acontecerá mais um encontro do Ministério de Casais, aberto a todos os casais jovens (casados, noivos, namorados) da comunidade. Os preletores Pastor Ed René e Sílvia Kivitz falarão sobre o tema “Estabelecendo Referências”. Vocês são nossos convidados!

oração pessoal e de intercessão por nossa igreja.

IBAB MAI: ENCONTRO D E P E QU E N OS G R U P OS CELEBRAN D O A RECU PERAÇÃO O Ministério Celebrando a Recuperação convida toda a comunidade para participar da QuartaSuper no dia 25 de Abril, às 20h30, com a presença do Dr. Oswaldo Giometti - psiquiatra e membro da IBAB - que nos dará um panorama geral, incluindo linhas de tratamento de diversas patologias, como Síndrome do Pânico, Depressão, TOC e Epilepsia. Participe!

No dia 1º de Maio, às 20h, teremos uma Celebração de Comemoração dos 75 anos da IBAB, com a presença do Pastor Irland Azevedo e do Coro IBAB.

Informativo nº 21 - Abril 2012

Na semana da Comemoração do Dia Internacional da Mulher, mais de 140 mulheres estiveram na IBAB, no dia 10 de Março, celebrando Àquele que é o autor da nossa criação! O Encontro foi marcado por um tempo especial de louvor, compartilhar e oração, além da palavra da Silvia Kivitz

Ser um sinal histórico do Reino de Deus,

sobre a mulher que celebra a sua intimidade com Deus, a esperança e a sua

levando o evangelho todo para o homem todo,

posição em Cristo.

Avisos

priorizando relacionamentos,

RET I RO D E CASAI S O Retiro de Casais IBAB 2012 será em Águas de Lindóia nos dias 5, 6 e 7 de Outubro. Lembramos que no dia 7 de Outubro teremos Eleições Municipais. As vagas já foram preenchidas, mas estamos recebendo inscrições para a lista de espera. Informações no estande IBAB Pastoral Casais, ao final da celebração ou atravésdo e-mail casais@ibab.com.br.

No dia 24 de Março aconteceu o primeiro encontro do ano dos Pequenos

envolvendo todos os seus frequentadores,

Grupos do IBAB MAI. Com uma boa frequência, os participantes iniciaram a

além dos limites culto-clero-domingo-templo.

série de 8 encontros com o tema “Água fresca para o coração sedento”.

IBAB AD OLAS: SEXTA TE E N

ED I TAL D E CO N VO CAÇÃO

Rua Robert Bosch, 116

No exercício de suas atribuições, e de acordo com as disposições estatutárias, o Presbitério convoca todos os membros da Igreja Batista da Água Branca para a Assembléia Geral Ordinária (AGO), que será realizada no dia 29 de Abril de 2012, domingo, às 10h em primeira convocação, devendo tratar (1) da apreciação do Relatório da Comissão Fiscal referente ao exercício de 2011 e (2) da Eleição de Presbíteros.

Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

Vem aí

ibab@ibab.com.br www.ibab.com.br Um jeito cristão de ser profissional, ser empresa e fazer negócios

Próximo encontro:

09ABRIL 20h30, na IBAB

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

O GRANDE

ABISMO

No dia 2 de março aconteceu mais uma Sexta Teen - atividade que facilita e incentiva os adolescentes a convidarem seus amigos para um programa

ACAMPAD O LAS De 20 a 22 de Abril, os adolas estarão reunidos no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. O preletor será o Pastor Joabe Santos e a música é com Filipe Bregantim e banda. Se você deseja se inscrever, procure o estande IBAB Adolas. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 2 vezes, com o último cheque até o dia 19 de Abril.

alternativo e contextualizado. A música ficou por conta de Osmar Guerra.

ENCONTRÃO IBAB MAI: D IA INTERNACIONAL D A MU LH ER

Neste encontro, além do tempo de confraternização aprendemos que “ser cristão é pertencer a Cristo e aos irmãos”.

IBAB AD OLAS: ENCONTR O D E PA I S D E A D OL E S C E N TE S No dia 24 de Março, o Ministério IBAB Adolas promoveu mais um Encontro de Pais de Adolescentes com

ACAMPAKI D S C E L E BRAÇ ÃO DE ANIV E RS ÁRIO

IBAB MAI: VIGÍLIA D E OR A Ç Ã O

Uma das coisas mais importantes que você pode fazer por seus filhos é orar por eles! Bem-vinda a esta jornada de oração. Convidamos você para estar conosco no dia 21 de Abril, sábado, das 10h às 11h30, aqui na IBAB.

Reunião da 3ª Idade IBAB

Celebrando a Recuperação

CREIO NA RESSURREIÇÃO DO CORPO

MÃES Q U E O RAM

Casais Jovens

Mãos e Coração

Aconteceu

De 1 a 3 de Junho, as crianças de 9 a 12 anos estarão reunidas no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. Se você deseja inscrever seu filho, procure o estande IBAB Criança. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 3 vezes.

Boa música e uma reflexão de conteúdo em ambiente descontraído marcaram o Encontrão do dia 10 de Março do IBAB MAI. O Espaço de Convivência estava cheio, para celebrar com os nossos convidados Carol Gualberto e Pastor Andrey Mendonça.

psicóloga Fátima Fontes. O tema discutido foi “Os adolescentes e suas

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab

Os cristãos do primeiro século escandalizaram o mundo afirmando que Deus se fez carne, padeceu e morreu no corpo, e no corpo ressuscitou. O Credo Apostólico ecoou no mundo antigo e reverbera até hoje: creio na ressurreição do corpo, o que acarreta uma absoluta revolução na vida desde aqui e para a eternidade. A respeito disso, Paulo Brabo comenta a obra de Alan F. Segal, Life After Death, que discorre sobre a geografia e a história da vida após a morte na cultura ocidental, e também a respeito da radical diferença entre o pensamento grego e o pensamento judaico-cristão. Os gregos acreditavam que a essência do ser humano é a alma. O corpo é uma prisão, disse Platão. Acreditavam que o corpo era perecível e efêmero, diferente da alma, imperecível e eterna. Mas a Bíblia Sagrada ensina diferente. Os primeiros cristãos sabiam que o corpo seria preservado para a vida eterna, pois não somente a alma, mas também o corpo é parte essencial do que somos. Os gregos falavam da vida eterna em termos de imortalidade da alma, os judeus e os primeiros cristãos falavam da vida eterna em termos de ressurreição do corpo, comenta Paulo Brabo. O ser humano é indissociável do corpo. Não é correto dizer que temos um corpo, pois na verdade, somos um corpo. A morte física não é, portanto, a oportunidade de nos livrarmos da prisão do corpo, pois é na ressurreição que é redimido e encontra finalmente sua plenitude. Paulo, apóstolo, ensina que, na ressurreição do corpo, o que é mortal é revestido de imortalidade, e o que é corruptível é revestido de incorruptibilidade. A esperança cristã é claríssima: a morte não implica a reencarnação, nem tampouco a dissolução do corpo (e do espírito e da alma) no todo etéreo imaterial. A morte não é a última palavra, pois vivemos na esperança da ressurreição: Se esperamos em Cristo apenas nesta vida, somos os mais miseráveis dos homens, disse o apóstolo Paulo. Não deve causar espanto, portanto, o fato de Jesus ter dado tanta importância ao corpo. Seus milagres se concentraram na restauração do corpo. Isso pode ser entendido de duas maneiras. Primeiro como denúncia profética da condição humana que resulta da rejeição a Deus. As curas de Jesus são de fato uma dramatização exterior da restauração da identidade humana. A sabedoria judaica diz que a idolatria é um caminho de desumanização: os ídolos têm boca, mas não falam; olhos, mas não vêem; pés, mas não andam. O poeta bíblico diz que todos os que adoram ídolos acabam se tornando iguais a eles, isto é, desumanizados, coisificados, sem vida. Paulo, apóstolo, diz que o que nos confere identidade humana é o sopro divino, e que, uma vez que trocamos a glória do Criador pela glória das criaturas – ídolos, perdemos nossa identidade humana. Quando Jesus cura um cego, um homem mudo, um aleijado ou um leproso, está não apenas mostrando o que nos tornamos, como também e principalmente mostrando o que podemos e devemos nos tornar quando redimidos e reconciliados com Deus. As curas físicas operadas por Jesus apontam também para o fato de que a redenção é essencialmente o resgate da plena identidade humana, o que necessariamente implica a redenção também do corpo. Isso não significa, como entendiam os gregos, que, ao realizar curas físicas, Jesus se rebaixou aos cuidados do corpo. Muito ao contrário, ao curar o corpo, Jesus aponta exatamente a elevação do corpo como imprescindível constituinte da verdadeira, ou integral, identidade do que se pode chamar humano. Não é pouco, portanto, celebrar a Páscoa como festa da ressurreição. Os cristãos, em todos os tempos, afirmam algo singular: cremos que Deus se fez carne; cremos que padeceu, morreu e ressuscitou em carne; cremos na ressurreição do corpo. Celebrar a Páscoa como ressurreição de Jesus é afirmar a vida em sua plenitude e o ser humano em sua totalidade. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar o corpo como sagrado. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar a esperança da vida eterna!

amizades”.

Ed René Kivitz @edrenekivitz


Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

filme

BRINCANDO NOS CAMPOS DO SENHOR

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br

Hector Babenco Um casal de evangélicos e seu filho pequeno embrenham-se na selva amazônica brasileira para catequisar índios ainda arredios à noção de Deus. Martin Quarrier (Aidan Quinn) é sociólogo e termina sendo motivado pelas experiências de outro casal, os Huben. As intenções religiosas e a harmonia entre brancos e índios no local ficam instáveis devido à presença de Lewis Moon (Tom Berenger), um mercenário descendente dos índios americanos.

IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario crianca@ibab.com.br IBAB MAI Levi Araújo mai@ibab.com.br

Dica do Levi Araújo

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

exposição

G U E R R A E PA Z Cândido Portinari

IBAB Jovem ibabjovem@ibab.com.br IBAB Comunicação Thiago Crucciti comunicacao@ibab.com.br Fórum Cristão de Profissionais Mozart Fernandes fcp@ibab.com.br

Rede IBAB Solidária A Rede IBAB Solidária é um espaço de mobilização e cooperação entre a Igreja Batista de Água

O Memorial da América Latina expõe, pela primeira vez em São Paulo, os gigantescos painéis do pintor Cândido Portinari. Os painéis Guerra e Paz com 14 metros de altura e 10 de largura, foram pintados no Rio de Janeiro, pouco depois da Segunda Guerra Mundial. As obras trazem um retrato e uma crítica das tragédias sociais da época, e ainda tão atuais. A obra Guerra e Paz, e outros trabalhos de Portinari, estarão expostos até o dia 21 de Abril. A entrada é gratuita.

Branca e projetos e organizações do terceiro setor

“O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”.

Dica do Zé Mario

e agências missionárias. Conheça as organizações e projetos parceiros e saiba como participar. Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

livro

A CRUZ DE CRISTO John Stott | Editora Vida

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante em um envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

O símbolo universal da fé cristã não é a manjedoura, mas a cruz. Mesmo assim, muitos cristãos não entendem o significado da cruz nem o motivo por que Cristo precisou morrer. O teólogo John Stott apresenta respostas a questões inquietantes ao analisar: • a cruz como o próprio Senhor Jesus a entendia, à luz dos Evangelhos; • a profundidade da expressão “Cristo em nosso lugar”; • o feito realizado pela cruz; • o que significa viver submetido à cruz de Cristo.

sofrimento humano”. Embora tenhamos também que reconhecer nossos erros nos contatos missionários com os povos indígenas. Aconteceu não poucas vezes uma verdadeira canibalização cultural. O documento ainda fala de reais motivações para compartilhar a fé cristã, diferenciando catequese de evangelização, especialmente nas características primordiais como o conteúdo, a abordagem e a comunicação. “O conteúdo da catequese é a igreja, com seus símbolos, estrutura e práticas – sua eclesiologia. O conteúdo da evangelização é o Evangelho – os valores cristãos centrados em Jesus Cristo. A abordagem da catequese é impositiva e coercitiva. A abordagem da evangelização é dialógica e expositiva. A catequese comunica-se a partir dos códigos do transmissor – sua língua e seus costumes –, importando e enraizando valores. A evangelização se dá com a utilização dos códigos do receptor – sua língua, sua cultura e seu ambiente –, respeitando os valores locais e contextualizando a mensagem”. Ligado a este tema sobre iniciativas missionárias em áreas indígenas, antropólogos evangélicos questionam o posicionamento de alguns acadêmicos e políticos sobre esta questão da capacidade e livre escolha do índio atrelado a necessidade de serem tutelados pelo Estado. O livro “A Questão Indígena – uma luta desigual”, organizado por Lidório levanta esta problemática da mudança cultural como um processo inerente à dinâmica essencial das culturas humanas. Os autores destacam que até os principais teóricos da antropologia reconhecem que mudanças culturais são fenômenos naturais e previsíveis. As trocas interculturais são um processo comum e importante para os povos. Se as culturas são mutáveis, por que as mudanças provocadas a partir do conhecimento dos valores cristãos e do evangelho despertam tantas e tão violentas reações quando se trata de cultura indígena? Uma frase de Paulo Rouanet citada no texto clarifica um pouco mais: “O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”. O nosso entendimento é de que a igreja deve participar da missão de Deus em todo o mundo, em todo lugar para todas as pessoas - indo a todos os povos como Jesus ordenou, o que significa para nós: Sinalizar o Reino através da proclamação e do serviço em favor da vida e da promoção da dignidade do homem, conforme os padrões estabelecidos por Deus. Viver a mensagem do evangelho de Jesus e demonstrar o seu amor por onde passamos é sem dúvida o maior engajamento na missão. A nossa comunidade deseja permanecer atenta aos direitos constitucionais das comunidades indígenas do nosso país. Recentemente firmamos mais uma parceria missionária adotando o casal Marcelo e Elaine Okasawara, missionários da Junta de Missões Nacionais, que servem entre os Macuxís em Roraima. Não esqueça de orar por eles e pelos outros dezesseis missionários apoiados pela IBAB.

A questão indígena e o evangelho que transforma por Analzira Nascimento

Dica da Adriana Oliveira

A ação missionária entre os povos indígenas brasileiros tem provocado debates acirrados e levantado muita polêmica em diferentes mídias. A controvérsia entre políticos, antropólogos, indigenistas e missiólogos gira em torno da questão das possíveis transformações que o evangelho de Jesus Cristo pode promover na cultura indígena. Recentemente, a AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras) divulgou um documento elaborado por alguns indigenistas evangélicos e encabeçado por Ronaldo Lidório, que traz um posicionamento antenado com os sinais dos tempos, coerente e fundamentado na Palavra de Deus. O texto discorria sobre a ação missionária entre os indígenas, afirmando que esta presença “tem suscitado toda sorte de sentimentos. Em alguns, são sentimentos de rejeição, que advém de um emaranhado de impressões e fatos históricos em relação à atuação missionária indígena desde a colonização, relembrando uma igreja que estava a serviço dos interesses políticos, imperialistas e colonizadores. Em outros, o sentimento é de suspeição, debaixo do pressuposto de que qualquer atuação missionária é nociva à preservação cultural indígena. Ainda em outros, de reconhecimento de uma atuação que colabora com a valorização sociocultural e lingüística, e com a minimização do


Agenda Abril

Destaques da Programação

CELEBRAR POR SER MU LH ER

DOM

1

10h

Celebração

CELEBRAÇÃO D E MU LHERES

DOM

1

18h30

Celebração

Você é nossa convidada especial para uma Celebração de Mulheres no dia 14 de Abril, às 10h na IBAB. Venha conhecer e caminhar com outras mulheres, expressar adoração a Jesus e ser edificada com a palavra da presbítera Lidia Kilter sobre “Identidade em Cristo”.

SEG

2

20h30

TER

3

14h

IBAB MAI: Encontros de Autopercepção

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

4

14h

QUA

4

20h30

QUI

5

15h

SÁB

7

19h30

DOM

8

10h

Celebração de Páscoa

DOM

8

18h30

Celebração de Páscoa

SEG

9

20h30

Fórum Cristão de Profissionais

TER

10

14h

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

11

14h

QUA

11

20h30

QUI

12

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

14

10h

Celebração de Mulheres

SÁB

14

19h30

SÁB

14

20h

IBAB MAI: Encontrão

DOM

15

10h

Celebração

DOM

15

18h30

Celebração

TER

17

14h

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação Reunião de Oração de Mulheres IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

18

14h

QUA

18

20h30

QUI

19

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

21

9h

Mães que Oram pelos Filhos

SÁB

21

19h30

SÁB

21

20h

IBAB MAI: Encontros Peq. Grupos

DOM

22

10h

Celebração

DOM

22

18h30

Celebração

TER

24

14h

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

25

14h

QUA

25

20h30

QUI

26

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

28

20h

IBAB Jovem

DOM

29

10h

Celebração

DOM

29

18h30

Celebração

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

No dia 23 de Março, uma sexta-feira, o IBAB MAI teve a sua primeira vigília

CASAI S J O VEN S

de oração de 2012, aberta a toda comunidade. Foram momentos especiais de

Dia 21 de Abril, às 19h30, aqui na IBAB, acontecerá mais um encontro do Ministério de Casais, aberto a todos os casais jovens (casados, noivos, namorados) da comunidade. Os preletores Pastor Ed René e Sílvia Kivitz falarão sobre o tema “Estabelecendo Referências”. Vocês são nossos convidados!

oração pessoal e de intercessão por nossa igreja.

IBAB MAI: ENCONTRO D E P E QU E N OS G R U P OS CELEBRAN D O A RECU PERAÇÃO O Ministério Celebrando a Recuperação convida toda a comunidade para participar da QuartaSuper no dia 25 de Abril, às 20h30, com a presença do Dr. Oswaldo Giometti - psiquiatra e membro da IBAB - que nos dará um panorama geral, incluindo linhas de tratamento de diversas patologias, como Síndrome do Pânico, Depressão, TOC e Epilepsia. Participe!

No dia 1º de Maio, às 20h, teremos uma Celebração de Comemoração dos 75 anos da IBAB, com a presença do Pastor Irland Azevedo e do Coro IBAB.

Informativo nº 21 - Abril 2012

Na semana da Comemoração do Dia Internacional da Mulher, mais de 140 mulheres estiveram na IBAB, no dia 10 de Março, celebrando Àquele que é o autor da nossa criação! O Encontro foi marcado por um tempo especial de louvor, compartilhar e oração, além da palavra da Silvia Kivitz

Ser um sinal histórico do Reino de Deus,

sobre a mulher que celebra a sua intimidade com Deus, a esperança e a sua

levando o evangelho todo para o homem todo,

posição em Cristo.

Avisos

priorizando relacionamentos,

RET I RO D E CASAI S O Retiro de Casais IBAB 2012 será em Águas de Lindóia nos dias 5, 6 e 7 de Outubro. Lembramos que no dia 7 de Outubro teremos Eleições Municipais. As vagas já foram preenchidas, mas estamos recebendo inscrições para a lista de espera. Informações no estande IBAB Pastoral Casais, ao final da celebração ou atravésdo e-mail casais@ibab.com.br.

No dia 24 de Março aconteceu o primeiro encontro do ano dos Pequenos

envolvendo todos os seus frequentadores,

Grupos do IBAB MAI. Com uma boa frequência, os participantes iniciaram a

além dos limites culto-clero-domingo-templo.

série de 8 encontros com o tema “Água fresca para o coração sedento”.

IBAB AD OLAS: SEXTA TE E N

ED I TAL D E CO N VO CAÇÃO

Rua Robert Bosch, 116

No exercício de suas atribuições, e de acordo com as disposições estatutárias, o Presbitério convoca todos os membros da Igreja Batista da Água Branca para a Assembléia Geral Ordinária (AGO), que será realizada no dia 29 de Abril de 2012, domingo, às 10h em primeira convocação, devendo tratar (1) da apreciação do Relatório da Comissão Fiscal referente ao exercício de 2011 e (2) da Eleição de Presbíteros.

Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

Vem aí

ibab@ibab.com.br www.ibab.com.br Um jeito cristão de ser profissional, ser empresa e fazer negócios

Próximo encontro:

09ABRIL 20h30, na IBAB

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

O GRANDE

ABISMO

No dia 2 de março aconteceu mais uma Sexta Teen - atividade que facilita e incentiva os adolescentes a convidarem seus amigos para um programa

ACAMPAD O LAS De 20 a 22 de Abril, os adolas estarão reunidos no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. O preletor será o Pastor Joabe Santos e a música é com Filipe Bregantim e banda. Se você deseja se inscrever, procure o estande IBAB Adolas. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 2 vezes, com o último cheque até o dia 19 de Abril.

alternativo e contextualizado. A música ficou por conta de Osmar Guerra.

ENCONTRÃO IBAB MAI: D IA INTERNACIONAL D A MU LH ER

Neste encontro, além do tempo de confraternização aprendemos que “ser cristão é pertencer a Cristo e aos irmãos”.

IBAB AD OLAS: ENCONTR O D E PA I S D E A D OL E S C E N TE S No dia 24 de Março, o Ministério IBAB Adolas promoveu mais um Encontro de Pais de Adolescentes com

ACAMPAKI D S C E L E BRAÇ ÃO DE ANIV E RS ÁRIO

IBAB MAI: VIGÍLIA D E OR A Ç Ã O

Uma das coisas mais importantes que você pode fazer por seus filhos é orar por eles! Bem-vinda a esta jornada de oração. Convidamos você para estar conosco no dia 21 de Abril, sábado, das 10h às 11h30, aqui na IBAB.

Reunião da 3ª Idade IBAB

Celebrando a Recuperação

CREIO NA RESSURREIÇÃO DO CORPO

MÃES Q U E O RAM

Casais Jovens

Mãos e Coração

Aconteceu

De 1 a 3 de Junho, as crianças de 9 a 12 anos estarão reunidas no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. Se você deseja inscrever seu filho, procure o estande IBAB Criança. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 3 vezes.

Boa música e uma reflexão de conteúdo em ambiente descontraído marcaram o Encontrão do dia 10 de Março do IBAB MAI. O Espaço de Convivência estava cheio, para celebrar com os nossos convidados Carol Gualberto e Pastor Andrey Mendonça.

psicóloga Fátima Fontes. O tema discutido foi “Os adolescentes e suas

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab

Os cristãos do primeiro século escandalizaram o mundo afirmando que Deus se fez carne, padeceu e morreu no corpo, e no corpo ressuscitou. O Credo Apostólico ecoou no mundo antigo e reverbera até hoje: creio na ressurreição do corpo, o que acarreta uma absoluta revolução na vida desde aqui e para a eternidade. A respeito disso, Paulo Brabo comenta a obra de Alan F. Segal, Life After Death, que discorre sobre a geografia e a história da vida após a morte na cultura ocidental, e também a respeito da radical diferença entre o pensamento grego e o pensamento judaico-cristão. Os gregos acreditavam que a essência do ser humano é a alma. O corpo é uma prisão, disse Platão. Acreditavam que o corpo era perecível e efêmero, diferente da alma, imperecível e eterna. Mas a Bíblia Sagrada ensina diferente. Os primeiros cristãos sabiam que o corpo seria preservado para a vida eterna, pois não somente a alma, mas também o corpo é parte essencial do que somos. Os gregos falavam da vida eterna em termos de imortalidade da alma, os judeus e os primeiros cristãos falavam da vida eterna em termos de ressurreição do corpo, comenta Paulo Brabo. O ser humano é indissociável do corpo. Não é correto dizer que temos um corpo, pois na verdade, somos um corpo. A morte física não é, portanto, a oportunidade de nos livrarmos da prisão do corpo, pois é na ressurreição que é redimido e encontra finalmente sua plenitude. Paulo, apóstolo, ensina que, na ressurreição do corpo, o que é mortal é revestido de imortalidade, e o que é corruptível é revestido de incorruptibilidade. A esperança cristã é claríssima: a morte não implica a reencarnação, nem tampouco a dissolução do corpo (e do espírito e da alma) no todo etéreo imaterial. A morte não é a última palavra, pois vivemos na esperança da ressurreição: Se esperamos em Cristo apenas nesta vida, somos os mais miseráveis dos homens, disse o apóstolo Paulo. Não deve causar espanto, portanto, o fato de Jesus ter dado tanta importância ao corpo. Seus milagres se concentraram na restauração do corpo. Isso pode ser entendido de duas maneiras. Primeiro como denúncia profética da condição humana que resulta da rejeição a Deus. As curas de Jesus são de fato uma dramatização exterior da restauração da identidade humana. A sabedoria judaica diz que a idolatria é um caminho de desumanização: os ídolos têm boca, mas não falam; olhos, mas não vêem; pés, mas não andam. O poeta bíblico diz que todos os que adoram ídolos acabam se tornando iguais a eles, isto é, desumanizados, coisificados, sem vida. Paulo, apóstolo, diz que o que nos confere identidade humana é o sopro divino, e que, uma vez que trocamos a glória do Criador pela glória das criaturas – ídolos, perdemos nossa identidade humana. Quando Jesus cura um cego, um homem mudo, um aleijado ou um leproso, está não apenas mostrando o que nos tornamos, como também e principalmente mostrando o que podemos e devemos nos tornar quando redimidos e reconciliados com Deus. As curas físicas operadas por Jesus apontam também para o fato de que a redenção é essencialmente o resgate da plena identidade humana, o que necessariamente implica a redenção também do corpo. Isso não significa, como entendiam os gregos, que, ao realizar curas físicas, Jesus se rebaixou aos cuidados do corpo. Muito ao contrário, ao curar o corpo, Jesus aponta exatamente a elevação do corpo como imprescindível constituinte da verdadeira, ou integral, identidade do que se pode chamar humano. Não é pouco, portanto, celebrar a Páscoa como festa da ressurreição. Os cristãos, em todos os tempos, afirmam algo singular: cremos que Deus se fez carne; cremos que padeceu, morreu e ressuscitou em carne; cremos na ressurreição do corpo. Celebrar a Páscoa como ressurreição de Jesus é afirmar a vida em sua plenitude e o ser humano em sua totalidade. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar o corpo como sagrado. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar a esperança da vida eterna!

amizades”.

Ed René Kivitz @edrenekivitz


Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

filme

BRINCANDO NOS CAMPOS DO SENHOR

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br

Hector Babenco Um casal de evangélicos e seu filho pequeno embrenham-se na selva amazônica brasileira para catequisar índios ainda arredios à noção de Deus. Martin Quarrier (Aidan Quinn) é sociólogo e termina sendo motivado pelas experiências de outro casal, os Huben. As intenções religiosas e a harmonia entre brancos e índios no local ficam instáveis devido à presença de Lewis Moon (Tom Berenger), um mercenário descendente dos índios americanos.

IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario crianca@ibab.com.br IBAB MAI Levi Araújo mai@ibab.com.br

Dica do Levi Araújo

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

exposição

G U E R R A E PA Z Cândido Portinari

IBAB Jovem ibabjovem@ibab.com.br IBAB Comunicação Thiago Crucciti comunicacao@ibab.com.br Fórum Cristão de Profissionais Mozart Fernandes fcp@ibab.com.br

Rede IBAB Solidária A Rede IBAB Solidária é um espaço de mobilização e cooperação entre a Igreja Batista de Água

O Memorial da América Latina expõe, pela primeira vez em São Paulo, os gigantescos painéis do pintor Cândido Portinari. Os painéis Guerra e Paz com 14 metros de altura e 10 de largura, foram pintados no Rio de Janeiro, pouco depois da Segunda Guerra Mundial. As obras trazem um retrato e uma crítica das tragédias sociais da época, e ainda tão atuais. A obra Guerra e Paz, e outros trabalhos de Portinari, estarão expostos até o dia 21 de Abril. A entrada é gratuita.

Branca e projetos e organizações do terceiro setor

“O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”.

Dica do Zé Mario

e agências missionárias. Conheça as organizações e projetos parceiros e saiba como participar. Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

livro

A CRUZ DE CRISTO John Stott | Editora Vida

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante em um envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

O símbolo universal da fé cristã não é a manjedoura, mas a cruz. Mesmo assim, muitos cristãos não entendem o significado da cruz nem o motivo por que Cristo precisou morrer. O teólogo John Stott apresenta respostas a questões inquietantes ao analisar: • a cruz como o próprio Senhor Jesus a entendia, à luz dos Evangelhos; • a profundidade da expressão “Cristo em nosso lugar”; • o feito realizado pela cruz; • o que significa viver submetido à cruz de Cristo.

sofrimento humano”. Embora tenhamos também que reconhecer nossos erros nos contatos missionários com os povos indígenas. Aconteceu não poucas vezes uma verdadeira canibalização cultural. O documento ainda fala de reais motivações para compartilhar a fé cristã, diferenciando catequese de evangelização, especialmente nas características primordiais como o conteúdo, a abordagem e a comunicação. “O conteúdo da catequese é a igreja, com seus símbolos, estrutura e práticas – sua eclesiologia. O conteúdo da evangelização é o Evangelho – os valores cristãos centrados em Jesus Cristo. A abordagem da catequese é impositiva e coercitiva. A abordagem da evangelização é dialógica e expositiva. A catequese comunica-se a partir dos códigos do transmissor – sua língua e seus costumes –, importando e enraizando valores. A evangelização se dá com a utilização dos códigos do receptor – sua língua, sua cultura e seu ambiente –, respeitando os valores locais e contextualizando a mensagem”. Ligado a este tema sobre iniciativas missionárias em áreas indígenas, antropólogos evangélicos questionam o posicionamento de alguns acadêmicos e políticos sobre esta questão da capacidade e livre escolha do índio atrelado a necessidade de serem tutelados pelo Estado. O livro “A Questão Indígena – uma luta desigual”, organizado por Lidório levanta esta problemática da mudança cultural como um processo inerente à dinâmica essencial das culturas humanas. Os autores destacam que até os principais teóricos da antropologia reconhecem que mudanças culturais são fenômenos naturais e previsíveis. As trocas interculturais são um processo comum e importante para os povos. Se as culturas são mutáveis, por que as mudanças provocadas a partir do conhecimento dos valores cristãos e do evangelho despertam tantas e tão violentas reações quando se trata de cultura indígena? Uma frase de Paulo Rouanet citada no texto clarifica um pouco mais: “O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”. O nosso entendimento é de que a igreja deve participar da missão de Deus em todo o mundo, em todo lugar para todas as pessoas - indo a todos os povos como Jesus ordenou, o que significa para nós: Sinalizar o Reino através da proclamação e do serviço em favor da vida e da promoção da dignidade do homem, conforme os padrões estabelecidos por Deus. Viver a mensagem do evangelho de Jesus e demonstrar o seu amor por onde passamos é sem dúvida o maior engajamento na missão. A nossa comunidade deseja permanecer atenta aos direitos constitucionais das comunidades indígenas do nosso país. Recentemente firmamos mais uma parceria missionária adotando o casal Marcelo e Elaine Okasawara, missionários da Junta de Missões Nacionais, que servem entre os Macuxís em Roraima. Não esqueça de orar por eles e pelos outros dezesseis missionários apoiados pela IBAB.

A questão indígena e o evangelho que transforma por Analzira Nascimento

Dica da Adriana Oliveira

A ação missionária entre os povos indígenas brasileiros tem provocado debates acirrados e levantado muita polêmica em diferentes mídias. A controvérsia entre políticos, antropólogos, indigenistas e missiólogos gira em torno da questão das possíveis transformações que o evangelho de Jesus Cristo pode promover na cultura indígena. Recentemente, a AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras) divulgou um documento elaborado por alguns indigenistas evangélicos e encabeçado por Ronaldo Lidório, que traz um posicionamento antenado com os sinais dos tempos, coerente e fundamentado na Palavra de Deus. O texto discorria sobre a ação missionária entre os indígenas, afirmando que esta presença “tem suscitado toda sorte de sentimentos. Em alguns, são sentimentos de rejeição, que advém de um emaranhado de impressões e fatos históricos em relação à atuação missionária indígena desde a colonização, relembrando uma igreja que estava a serviço dos interesses políticos, imperialistas e colonizadores. Em outros, o sentimento é de suspeição, debaixo do pressuposto de que qualquer atuação missionária é nociva à preservação cultural indígena. Ainda em outros, de reconhecimento de uma atuação que colabora com a valorização sociocultural e lingüística, e com a minimização do


Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

filme

BRINCANDO NOS CAMPOS DO SENHOR

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br

Hector Babenco Um casal de evangélicos e seu filho pequeno embrenham-se na selva amazônica brasileira para catequisar índios ainda arredios à noção de Deus. Martin Quarrier (Aidan Quinn) é sociólogo e termina sendo motivado pelas experiências de outro casal, os Huben. As intenções religiosas e a harmonia entre brancos e índios no local ficam instáveis devido à presença de Lewis Moon (Tom Berenger), um mercenário descendente dos índios americanos.

IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario crianca@ibab.com.br IBAB MAI Levi Araújo mai@ibab.com.br

Dica do Levi Araújo

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

exposição

G U E R R A E PA Z Cândido Portinari

IBAB Jovem ibabjovem@ibab.com.br IBAB Comunicação Thiago Crucciti comunicacao@ibab.com.br Fórum Cristão de Profissionais Mozart Fernandes fcp@ibab.com.br

Rede IBAB Solidária A Rede IBAB Solidária é um espaço de mobilização e cooperação entre a Igreja Batista de Água

O Memorial da América Latina expõe, pela primeira vez em São Paulo, os gigantescos painéis do pintor Cândido Portinari. Os painéis Guerra e Paz com 14 metros de altura e 10 de largura, foram pintados no Rio de Janeiro, pouco depois da Segunda Guerra Mundial. As obras trazem um retrato e uma crítica das tragédias sociais da época, e ainda tão atuais. A obra Guerra e Paz, e outros trabalhos de Portinari, estarão expostos até o dia 21 de Abril. A entrada é gratuita.

Branca e projetos e organizações do terceiro setor

“O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”.

Dica do Zé Mario

e agências missionárias. Conheça as organizações e projetos parceiros e saiba como participar. Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

livro

A CRUZ DE CRISTO John Stott | Editora Vida

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante em um envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

O símbolo universal da fé cristã não é a manjedoura, mas a cruz. Mesmo assim, muitos cristãos não entendem o significado da cruz nem o motivo por que Cristo precisou morrer. O teólogo John Stott apresenta respostas a questões inquietantes ao analisar: • a cruz como o próprio Senhor Jesus a entendia, à luz dos Evangelhos; • a profundidade da expressão “Cristo em nosso lugar”; • o feito realizado pela cruz; • o que significa viver submetido à cruz de Cristo.

sofrimento humano”. Embora tenhamos também que reconhecer nossos erros nos contatos missionários com os povos indígenas. Aconteceu não poucas vezes uma verdadeira canibalização cultural. O documento ainda fala de reais motivações para compartilhar a fé cristã, diferenciando catequese de evangelização, especialmente nas características primordiais como o conteúdo, a abordagem e a comunicação. “O conteúdo da catequese é a igreja, com seus símbolos, estrutura e práticas – sua eclesiologia. O conteúdo da evangelização é o Evangelho – os valores cristãos centrados em Jesus Cristo. A abordagem da catequese é impositiva e coercitiva. A abordagem da evangelização é dialógica e expositiva. A catequese comunica-se a partir dos códigos do transmissor – sua língua e seus costumes –, importando e enraizando valores. A evangelização se dá com a utilização dos códigos do receptor – sua língua, sua cultura e seu ambiente –, respeitando os valores locais e contextualizando a mensagem”. Ligado a este tema sobre iniciativas missionárias em áreas indígenas, antropólogos evangélicos questionam o posicionamento de alguns acadêmicos e políticos sobre esta questão da capacidade e livre escolha do índio atrelado a necessidade de serem tutelados pelo Estado. O livro “A Questão Indígena – uma luta desigual”, organizado por Lidório levanta esta problemática da mudança cultural como um processo inerente à dinâmica essencial das culturas humanas. Os autores destacam que até os principais teóricos da antropologia reconhecem que mudanças culturais são fenômenos naturais e previsíveis. As trocas interculturais são um processo comum e importante para os povos. Se as culturas são mutáveis, por que as mudanças provocadas a partir do conhecimento dos valores cristãos e do evangelho despertam tantas e tão violentas reações quando se trata de cultura indígena? Uma frase de Paulo Rouanet citada no texto clarifica um pouco mais: “O homem não pode viver fora da cultura, mas ela não é seu destino, e sim um meio para sua liberdade”. O nosso entendimento é de que a igreja deve participar da missão de Deus em todo o mundo, em todo lugar para todas as pessoas - indo a todos os povos como Jesus ordenou, o que significa para nós: Sinalizar o Reino através da proclamação e do serviço em favor da vida e da promoção da dignidade do homem, conforme os padrões estabelecidos por Deus. Viver a mensagem do evangelho de Jesus e demonstrar o seu amor por onde passamos é sem dúvida o maior engajamento na missão. A nossa comunidade deseja permanecer atenta aos direitos constitucionais das comunidades indígenas do nosso país. Recentemente firmamos mais uma parceria missionária adotando o casal Marcelo e Elaine Okasawara, missionários da Junta de Missões Nacionais, que servem entre os Macuxís em Roraima. Não esqueça de orar por eles e pelos outros dezesseis missionários apoiados pela IBAB.

A questão indígena e o evangelho que transforma por Analzira Nascimento

Dica da Adriana Oliveira

A ação missionária entre os povos indígenas brasileiros tem provocado debates acirrados e levantado muita polêmica em diferentes mídias. A controvérsia entre políticos, antropólogos, indigenistas e missiólogos gira em torno da questão das possíveis transformações que o evangelho de Jesus Cristo pode promover na cultura indígena. Recentemente, a AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras) divulgou um documento elaborado por alguns indigenistas evangélicos e encabeçado por Ronaldo Lidório, que traz um posicionamento antenado com os sinais dos tempos, coerente e fundamentado na Palavra de Deus. O texto discorria sobre a ação missionária entre os indígenas, afirmando que esta presença “tem suscitado toda sorte de sentimentos. Em alguns, são sentimentos de rejeição, que advém de um emaranhado de impressões e fatos históricos em relação à atuação missionária indígena desde a colonização, relembrando uma igreja que estava a serviço dos interesses políticos, imperialistas e colonizadores. Em outros, o sentimento é de suspeição, debaixo do pressuposto de que qualquer atuação missionária é nociva à preservação cultural indígena. Ainda em outros, de reconhecimento de uma atuação que colabora com a valorização sociocultural e lingüística, e com a minimização do


Agenda Abril

Destaques da Programação

CELEBRAR POR SER MU LH ER

DOM

1

10h

Celebração

CELEBRAÇÃO D E MU LHERES

DOM

1

18h30

Celebração

Você é nossa convidada especial para uma Celebração de Mulheres no dia 14 de Abril, às 10h na IBAB. Venha conhecer e caminhar com outras mulheres, expressar adoração a Jesus e ser edificada com a palavra da presbítera Lidia Kilter sobre “Identidade em Cristo”.

SEG

2

20h30

TER

3

14h

IBAB MAI: Encontros de Autopercepção

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

3

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

4

14h

QUA

4

20h30

QUI

5

15h

SÁB

7

19h30

DOM

8

10h

Celebração de Páscoa

DOM

8

18h30

Celebração de Páscoa

SEG

9

20h30

Fórum Cristão de Profissionais

TER

10

14h

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

10

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

11

14h

QUA

11

20h30

QUI

12

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

14

10h

Celebração de Mulheres

SÁB

14

19h30

SÁB

14

20h

IBAB MAI: Encontrão

DOM

15

10h

Celebração

DOM

15

18h30

Celebração

TER

17

14h

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação Reunião de Oração de Mulheres IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

IBAB Jovem

Reunião da 3ª Idade IBAB

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

17

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

18

14h

QUA

18

20h30

QUI

19

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

21

9h

Mães que Oram pelos Filhos

SÁB

21

19h30

SÁB

21

20h

IBAB MAI: Encontros Peq. Grupos

DOM

22

10h

Celebração

DOM

22

18h30

Celebração

TER

24

14h

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Mulheres

TER

24

20h30

Reunião de Oração de Homens

QUA

25

14h

QUA

25

20h30

QUI

26

15h

Reunião de Oração de Mulheres

SÁB

28

20h

IBAB Jovem

DOM

29

10h

Celebração

DOM

29

18h30

Celebração

Mãos e Coração Celebrando a Recuperação

No dia 23 de Março, uma sexta-feira, o IBAB MAI teve a sua primeira vigília

CASAI S J O VEN S

de oração de 2012, aberta a toda comunidade. Foram momentos especiais de

Dia 21 de Abril, às 19h30, aqui na IBAB, acontecerá mais um encontro do Ministério de Casais, aberto a todos os casais jovens (casados, noivos, namorados) da comunidade. Os preletores Pastor Ed René e Sílvia Kivitz falarão sobre o tema “Estabelecendo Referências”. Vocês são nossos convidados!

oração pessoal e de intercessão por nossa igreja.

IBAB MAI: ENCONTRO D E P E QU E N OS G R U P OS CELEBRAN D O A RECU PERAÇÃO O Ministério Celebrando a Recuperação convida toda a comunidade para participar da QuartaSuper no dia 25 de Abril, às 20h30, com a presença do Dr. Oswaldo Giometti - psiquiatra e membro da IBAB - que nos dará um panorama geral, incluindo linhas de tratamento de diversas patologias, como Síndrome do Pânico, Depressão, TOC e Epilepsia. Participe!

No dia 1º de Maio, às 20h, teremos uma Celebração de Comemoração dos 75 anos da IBAB, com a presença do Pastor Irland Azevedo e do Coro IBAB.

Informativo nº 21 - Abril 2012

Na semana da Comemoração do Dia Internacional da Mulher, mais de 140 mulheres estiveram na IBAB, no dia 10 de Março, celebrando Àquele que é o autor da nossa criação! O Encontro foi marcado por um tempo especial de louvor, compartilhar e oração, além da palavra da Silvia Kivitz

Ser um sinal histórico do Reino de Deus,

sobre a mulher que celebra a sua intimidade com Deus, a esperança e a sua

levando o evangelho todo para o homem todo,

posição em Cristo.

Avisos

priorizando relacionamentos,

RET I RO D E CASAI S O Retiro de Casais IBAB 2012 será em Águas de Lindóia nos dias 5, 6 e 7 de Outubro. Lembramos que no dia 7 de Outubro teremos Eleições Municipais. As vagas já foram preenchidas, mas estamos recebendo inscrições para a lista de espera. Informações no estande IBAB Pastoral Casais, ao final da celebração ou atravésdo e-mail casais@ibab.com.br.

No dia 24 de Março aconteceu o primeiro encontro do ano dos Pequenos

envolvendo todos os seus frequentadores,

Grupos do IBAB MAI. Com uma boa frequência, os participantes iniciaram a

além dos limites culto-clero-domingo-templo.

série de 8 encontros com o tema “Água fresca para o coração sedento”.

IBAB AD OLAS: SEXTA TE E N

ED I TAL D E CO N VO CAÇÃO

Rua Robert Bosch, 116

No exercício de suas atribuições, e de acordo com as disposições estatutárias, o Presbitério convoca todos os membros da Igreja Batista da Água Branca para a Assembléia Geral Ordinária (AGO), que será realizada no dia 29 de Abril de 2012, domingo, às 10h em primeira convocação, devendo tratar (1) da apreciação do Relatório da Comissão Fiscal referente ao exercício de 2011 e (2) da Eleição de Presbíteros.

Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

Vem aí

ibab@ibab.com.br www.ibab.com.br Um jeito cristão de ser profissional, ser empresa e fazer negócios

Próximo encontro:

09ABRIL 20h30, na IBAB

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

O GRANDE

ABISMO

No dia 2 de março aconteceu mais uma Sexta Teen - atividade que facilita e incentiva os adolescentes a convidarem seus amigos para um programa

ACAMPAD O LAS De 20 a 22 de Abril, os adolas estarão reunidos no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. O preletor será o Pastor Joabe Santos e a música é com Filipe Bregantim e banda. Se você deseja se inscrever, procure o estande IBAB Adolas. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 2 vezes, com o último cheque até o dia 19 de Abril.

alternativo e contextualizado. A música ficou por conta de Osmar Guerra.

ENCONTRÃO IBAB MAI: D IA INTERNACIONAL D A MU LH ER

Neste encontro, além do tempo de confraternização aprendemos que “ser cristão é pertencer a Cristo e aos irmãos”.

IBAB AD OLAS: ENCONTR O D E PA I S D E A D OL E S C E N TE S No dia 24 de Março, o Ministério IBAB Adolas promoveu mais um Encontro de Pais de Adolescentes com

ACAMPAKI D S C E L E BRAÇ ÃO DE ANIV E RS ÁRIO

IBAB MAI: VIGÍLIA D E OR A Ç Ã O

Uma das coisas mais importantes que você pode fazer por seus filhos é orar por eles! Bem-vinda a esta jornada de oração. Convidamos você para estar conosco no dia 21 de Abril, sábado, das 10h às 11h30, aqui na IBAB.

Reunião da 3ª Idade IBAB

Celebrando a Recuperação

CREIO NA RESSURREIÇÃO DO CORPO

MÃES Q U E O RAM

Casais Jovens

Mãos e Coração

Aconteceu

De 1 a 3 de Junho, as crianças de 9 a 12 anos estarão reunidas no Acampamento Maralin em Ibiúna/SP. Se você deseja inscrever seu filho, procure o estande IBAB Criança. O valor da inscrição é R$ 250,00, e pode ser pago em até 3 vezes.

Boa música e uma reflexão de conteúdo em ambiente descontraído marcaram o Encontrão do dia 10 de Março do IBAB MAI. O Espaço de Convivência estava cheio, para celebrar com os nossos convidados Carol Gualberto e Pastor Andrey Mendonça.

psicóloga Fátima Fontes. O tema discutido foi “Os adolescentes e suas

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab

Os cristãos do primeiro século escandalizaram o mundo afirmando que Deus se fez carne, padeceu e morreu no corpo, e no corpo ressuscitou. O Credo Apostólico ecoou no mundo antigo e reverbera até hoje: creio na ressurreição do corpo, o que acarreta uma absoluta revolução na vida desde aqui e para a eternidade. A respeito disso, Paulo Brabo comenta a obra de Alan F. Segal, Life After Death, que discorre sobre a geografia e a história da vida após a morte na cultura ocidental, e também a respeito da radical diferença entre o pensamento grego e o pensamento judaico-cristão. Os gregos acreditavam que a essência do ser humano é a alma. O corpo é uma prisão, disse Platão. Acreditavam que o corpo era perecível e efêmero, diferente da alma, imperecível e eterna. Mas a Bíblia Sagrada ensina diferente. Os primeiros cristãos sabiam que o corpo seria preservado para a vida eterna, pois não somente a alma, mas também o corpo é parte essencial do que somos. Os gregos falavam da vida eterna em termos de imortalidade da alma, os judeus e os primeiros cristãos falavam da vida eterna em termos de ressurreição do corpo, comenta Paulo Brabo. O ser humano é indissociável do corpo. Não é correto dizer que temos um corpo, pois na verdade, somos um corpo. A morte física não é, portanto, a oportunidade de nos livrarmos da prisão do corpo, pois é na ressurreição que é redimido e encontra finalmente sua plenitude. Paulo, apóstolo, ensina que, na ressurreição do corpo, o que é mortal é revestido de imortalidade, e o que é corruptível é revestido de incorruptibilidade. A esperança cristã é claríssima: a morte não implica a reencarnação, nem tampouco a dissolução do corpo (e do espírito e da alma) no todo etéreo imaterial. A morte não é a última palavra, pois vivemos na esperança da ressurreição: Se esperamos em Cristo apenas nesta vida, somos os mais miseráveis dos homens, disse o apóstolo Paulo. Não deve causar espanto, portanto, o fato de Jesus ter dado tanta importância ao corpo. Seus milagres se concentraram na restauração do corpo. Isso pode ser entendido de duas maneiras. Primeiro como denúncia profética da condição humana que resulta da rejeição a Deus. As curas de Jesus são de fato uma dramatização exterior da restauração da identidade humana. A sabedoria judaica diz que a idolatria é um caminho de desumanização: os ídolos têm boca, mas não falam; olhos, mas não vêem; pés, mas não andam. O poeta bíblico diz que todos os que adoram ídolos acabam se tornando iguais a eles, isto é, desumanizados, coisificados, sem vida. Paulo, apóstolo, diz que o que nos confere identidade humana é o sopro divino, e que, uma vez que trocamos a glória do Criador pela glória das criaturas – ídolos, perdemos nossa identidade humana. Quando Jesus cura um cego, um homem mudo, um aleijado ou um leproso, está não apenas mostrando o que nos tornamos, como também e principalmente mostrando o que podemos e devemos nos tornar quando redimidos e reconciliados com Deus. As curas físicas operadas por Jesus apontam também para o fato de que a redenção é essencialmente o resgate da plena identidade humana, o que necessariamente implica a redenção também do corpo. Isso não significa, como entendiam os gregos, que, ao realizar curas físicas, Jesus se rebaixou aos cuidados do corpo. Muito ao contrário, ao curar o corpo, Jesus aponta exatamente a elevação do corpo como imprescindível constituinte da verdadeira, ou integral, identidade do que se pode chamar humano. Não é pouco, portanto, celebrar a Páscoa como festa da ressurreição. Os cristãos, em todos os tempos, afirmam algo singular: cremos que Deus se fez carne; cremos que padeceu, morreu e ressuscitou em carne; cremos na ressurreição do corpo. Celebrar a Páscoa como ressurreição de Jesus é afirmar a vida em sua plenitude e o ser humano em sua totalidade. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar o corpo como sagrado. Celebrar a Páscoa como ressurreição é afirmar a esperança da vida eterna!

amizades”.

Ed René Kivitz @edrenekivitz


Informativo Abril de 2012