Page 1


Índice Vigiai e Orai _____________________________________________________________ 06 Ellen G. White

A Chave do Reavivamento ________________________________________________ 10 Mark Finley

A Promessa do Espírito Santo _____________________________________________ 16 Ibson Roosevelt

É Hora de Orar __________________________________________________________ 22 Randy Maxwell

O Poder da Intercessão __________________________________________________ 28 Tim Crosby

A Oração Faz a Diferença_________________________________________________ 34 Emílio Abdala

Ministério da Oração em Sua Igreja ________________________________________ 38 Emílio Abdala e Ibson Roosevelt

A Igreja Precisa de Reavivamento _________________________________________ 42

Expediente:

Charles Spurgeon

Editor: Ibson Roosevelt Jornalista Responsável Caroline Carnieto

Revisão de textos Rute Crivilatti Diretor de Arte Marcos Petrucio

Projeto Gráfico e Diagramação Criart Publicidade Fotografia Shutterstock


Editorial

Reavivamento Agora

Existem algumas coisas na vida que não podemos adiar. Reavivamento é uma delas. Agora é o momento de clamar para que o Espírito Santo realize esta obra em nossa vida, família e igreja. Há duas declarações de E. G. White no livro Reavivamento Verdadeiro, que tocam no coração da igreja de uma forma especial: • •

“Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor...” “Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração.”

Por isto, à semelhança do profeta Habacuque, precisamos clamar ao Senhor como nunca antes: “Aviva a Tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida” – Hc 3:2. Sendo assim, por meio dos temas desta revista, estamos apelando para que sua igreja invista e priorize a oração em busca do verdadeiro reavivamento. Como adventistas do sétimo dia, cremos que fomos transformados pelo poder do Espírito Santo e que pela graça de Deus podemos ser a “GERAÇÃO DO REAVIVAMENTO”, que estará preparada para a Segunda Vinda de Cristo. A questão é se estamos, AGORA, dispostos a buscar o reavivamento em primeiro lugar. Ellen G. White afirmou: “Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação.” Contudo, ao priorizar o reavivamento, lembremos que mais do que uma experiência ou uma coisa, estamos buscando agora a Pessoa de Jesus em nós. Ele é o verdadeiro Reavivamento Espiritual. O apóstolo Paulo afirmou: “Cristo em vós, é a esperança da glória” – Cl 1:27.

Ibson Roosevelt

IASD do Iguatemi - ACRS


“Tenho ouvido, ó Senhor, as Tuas declarações, e me sinto alarmada; AVIVA a Tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos...” (Habacuque 3:2).


6

Vigiai e Orai Ellen G. White

É

tempo de sermos mais dedicados em nossa devoção.


“‘Estai de sobreaviso, vigai e orai’ foram as palavras de nosso Salvador referindo-se ao tempo do fim e a Sua segunda vinda para levar os filhos

“A dispensação em que vivemos deve ser, para os que pedem, a dispensação do Espírito Santo. Pedi-lhe a benção. É tempo de sermos mais dedicados em nossa devoção. É-nos confiado o trabalho árduo mas feliz e glorioso, de revelar Cristo aos que se acham em trevas. Somos chamados para proclamar as verdades especiais para este tempo. Para tudo isto, é essencial o derramamento do Espírito Santo. Devemos orar para esse fim. O Senhor espera que Lho peçamos. Ainda não empreendemos essa tarefa com todo o coração.”1

“Estai de sobreaviso, vigai e orai” foram as palavras de nosso Salvador referindo-se ao tempo do fim e a Sua segunda vinda para levar os filhos fiéis para o lar.

indiferença e negligência não se apodere de você, tornando-o leviano e frívolo, ao ponto de sua influência ser para morte e não para a vida.

Pelo que vigiar? Primeiro você deve vigiar. Vigie para que o seu falar não seja áspero, grosseiro e impaciente. Vigie para que o orgulho não encontre lugar no seu coração. Vigie para que as paixões pecaminosas não o vençam, ao contrário, que sejam subjugadas. Vigie para que o espírito da

A ordem de Jesus Segundo, ore. Jesus não teria dado essa ordem caso não fosse uma necessidade real. Ele sabe muito bem que por si mesmo, você não será capaz de vencer as muitas tentações e armadilhas do inimigo, que fazem você tropeçar. Ele não o abandonou para enfrentar isso sozinho, mas providenciou um

7

fiéis para o lar.”


8

meio para ajudá-lo. No entanto, Ele ordena que você ore. “Quem usa a completa armadura de Deus e separa algum tempo cada dia para meditar e orar e também para estudar as Escrituras, estará ligado ao Céu e terá uma influência transformadora e salvadora sobre os que o rodeiam. Terá importantes pensamentos, nobres aspirações e claras percepções da verdade e da obra de Deus. Anelará pela pureza, pela luz, pelo amor e por todas as graças celestes.”2 Orar corretamente é orar a Deus com fé pelas coisas que você precisa. Entre em seu quarto, ou em qualquer lugar à parte, e peça ao Pai, pelos méritos de Jesus, que o ajude. Há poder na oração que sai de um coração convicto de suas fraquezas, mas sincero e desejoso da força que vem de Deus. A oração fervorosa e sincera será ouvida e respondida. Busque a Deus que é forte e que ama ouvir a oração de Seus filhos. E, embora por vezes se sinta fraco e vencido pelo inimigo, por ter negligenciado a primeira ordem do Salvador de vigiar, não desista de lutar. Esforço, perseverança e fé Esforce-se mais que antes. Não desfaleça. Coloque-se aos pés de Jesus, que já foi tentado e sabe ajudar quem está sob tentação. Confesse suas faltas, fraquezas e o que precisa vencer, para que não pereça. Ao pedir, creia que Deus lhe ouve. Coloque seu caso diante de Deus por meio de Jesus e, confiante, busque a Sua força, seguro de que não foi deixado para vencer sozinho. Deus vai ajudá-lo. Os anjos vão cuidar de você. Antes, porém, de esperar por essa ajuda, você deve fazer a sua parte. Vigiar e orar. Que suas orações sejam fervorosas. Que a linguagem do seu coração seja: “não Te deixarei ir se não me abençoares.”

Tenha um horário específico, separe um tempo para orar, pelo menos três vezes ao dia. De manhã, ao meio dia e à noite Daniel orava ao seu Deus, a despeito do decreto real e da temida cova dos leões. Ele não tinha vergonha ou medo de orar, mas orava três vezes ao dia com as janelas abertas. Será que Deus Se esqueceu desse servo fiel quando ele foi jogado na cova dos leões? Não. Deus esteve a noite inteira com Daniel. Ele fechou a boca daqueles leões famintos, de modo que não puderam machucar aquele homem de oração. Alimento espiritual Você não pode viver sem alimento. Porque logo fica desesperado de fome e seu corpo definha e morre. Você precisa do alimento espiritual na mesma quantidade e frequência que seu corpo precisa do alimento temporal. Três vezes ao dia não é frequente demais para tirar força do céu, ou para receber a seiva e nutrição de Cristo, a videira verdadeira. Leia as palavras de Jesus em Mateus 5:6:

“Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.”. “Leve a Bíblia consigo. Quando tiver oportunidade, leve-a; decore as passagens. Mesmo enquanto anda pela rua, você pode ler uma passagem e meditar sobre ela, memorizando-a.”3 Conclusão: “Que posso dizer a meus irmãos em nome do Senhor?... O que precisamos é da vivificadora influência do Espírito Santo de Deus... Orai sem cessar, e vigiai, trabalhando de conformidade com vossas orações. Ao orardes, crede, confiai em Deus. Estamos no tempo da chuva serôdia, tempo em que o Senhor outorgará liberalmente o seu Espírito. Sede fervorosos em oração, e vigiai no Espírito.”4 1 Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, p. 511 e 512. - 2 Idem, Testemonies, v. 5, p. 112. 8 - 3 Idem, Caminho a Cristo, p. 90. - 4 Idem, Testemunhos Para a Igreja, p. 512. Nota: Este artigo foi publicado pela primeira vez no Youth’s Instructor, de 1º de março de 1856. O mesmo foi extraído da revista Adventist World, abril/2001, p. 22 e 23. Todas as referências acima são acréscimos desta edição.


ES T U D O E M GR U P O

1.O que é essencial para este tempo? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

2.Pelo que devemos vigiar? “Primeiro você deve vigiar. Vigie para que o seu __________ não seja áspero, grosseiro e impaciente. Vigie para que o __________ não encontre lugar no seu coração. Vigie para que as _________________________ não o vençam, ao contrário, que sejam subjugadas. Vigie para que o espírito da ___________ ____________________ não se apodere de você, tornando-o leviano e frívolo, ao ponto de sua _______________ ser para morte e não para a vida”.

3.Cite algumas verdades que Ellen G. White menciona sobre como orar corretamente? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

4.Qual deve ser a linguagem do nosso coração ao orar? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

5.Como deve ser nosso programa diário de oração e meditação na Palavra de Deus? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

9

______________________________________________________________________________________________


10

A Chave do Reavivamento. Mark Finley

O

Por que não agora?

s maiores reavivamentos da história são resultado de oração diligente e sincera.


“Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração.” Ellen G. White

buscassem a Deus, receberiam “poder” ao descer sobre eles o Espírito Santo (Atos 1:8). A narrativa de Atos é simples e refere-se àqueles primeiros discípulos: “Todos estes perseveravam unânimes em oração” (Atos 1:14). Em resposta a essas orações cheias de fé, o Espírito Santo foi derramado poderosamente no Pentecostes, e três mil foram batizados em um dia. E o relato continua: “E perseveraram unânimes em oração” (Atos 2:42). Esses primeiros cristãos se uniram em oração para mudar o mundo,

e suas orações fizeram a diferença. “Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos” (Atos 4:31). “Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus” (Atos 4:33). Os discípulos se consagravam à oração continuamente (Atos 6:4). Através da oração, Pedro foi levado para a casa de Cornélio, um gentio, e novos caminhos foram abertos para a proclamação do evangelho (Atos 10:1-33). Quando a igreja primitiva se uniu em oração, Deus enviou um anjo

11

As centelhas do reavivamento são acesas no altar da oração. Reavivamento e oração estão indissoluvelmente ligados. Sem oração insistente e perseverante não há poder correspondente. Ellen White não poderia ter sido mais clara ao relatar essa verdade divina: “Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração.”1 A igreja do Novo Testamento estava imersa na oração. Os cristãos atenderam à admoestação de Jesus para “esperar” a promessa do Pai (Atos 1:4). Acreditavam que, à medida que juntos


12

do Céu para tirar Pedro da prisão. A oração era o cerne do poder da igreja do Novo Testamento. Os cristãos primitivos sabiam que o segredo do poder estava na comunhão com Deus. Reavivamento entre os pioneiros adventistas A oração era também o coração do movimento adventista em seu início. Os pioneiros do movimento adventista eram grandes homens e mulheres de oração que, às vezes, gastavam boa porção da noite orando. Descrevendo suas experiências nessas sessões de oração, Ellen White escreve: “Em nossos encontros importantes, esses homens [líderes adventistas pioneiros] se juntavam e buscavam a verdade como tesouros escondidos. Eu me encontrava com eles e estudávamos e orávamos diligentemente, pois sentíamos a necessidade de aprender a verdade de Deus. Frequentemente permanecíamos juntos até tarde da noite e, às vezes, a noite toda, orando por luz e estudando a Palavra. Quando jejuávamos e orávamos, grande poder vinha sobre nós.”2 Ellen White constantemente apelava aos primeiros adventistas para que buscassem a Deus em oração: “As maiores vitórias obtidas em favor da causa de Deus não são o resultado de elaborados argumentos, amplos recursos, vasta influência, ou abundância de meios; elas são alcançadas na câmara de audiência com Deus, quando, com sincera e agonizante fé, as pessoas se apegam ao forte braço do poder.”3 Acreditando que a segunda vinda de Cristo era iminente, esses primeiros adventistas humilhavam o coração, confessavam seus pecados e intercediam por seus familiares, amigos e comu-

nidade. Em março de 1840, Guilherme Miller conduziu uma série de palestras na Igreja Cristã de Casco, em Portland, Maine. Centenas de pessoas se aglomeravam na igreja e algumas ficavam ali desde cedo pela manhã, até tarde da noite. O Espírito Santo moveu poderosamente aquela congregação. Em seu livro Vida e Ensinos, Ellen White descreve o impacto desses encontros: “Terror e convicção espalharam-se por toda a cidade. Realizavam-se reuniões de oração, e havia um despertamento geral entre as várias denominações; pois quase todos sentiam a influência do ensino da próxima vinda de Cristo.”4 Falando sobre esse reavivamento em Portland, Francis Nichol acrescenta: “Pequenos encontros de oração se instalaram em quase toda parte da cidade.”5 Aqui está a certeza quanto ao genuíno reavivamento: a oração inicia o reavivamento. A oração sustenta o reavivamento. Ela nutre o reavivamento e o acompanha. O reavivalista Leonard Ravenhill apresenta o assunto dessa forma: “Sem exceção, todos os verdadeiros reavivamentos do passado começaram após anos de intercessão agonizante, após lutas contra os poderes do inferno, com tribulação e intervenção divina. O segredo do verdadeiro reavivamento em nossos dias ainda é o mesmo. Mas onde estão os intercessores?”. Práticas devocionais do reavivamento Se você incorporar os quatro princípios básicos como parte regular de sua vida devocional, Deus derramará abundantemente Seu Espírito sobre você. Sua vida espiritual será reavivada e Deus o usará como um catalisador para reavivar sua casa, escola, local de trabalho, vizinhança e igreja.

1.Separe um tempo cada dia para estar a sós com Deus. Tenha como prioridade separar um tempo de devoção para que você passe um momento tranquilo e ininterrupto com Deus. Muitos consideram o modelo “ACAS” de grande ajuda para manter a mente concentrada durante os momentos devocionais. Você também pode utilizá-lo como ajuda para se manter focado nos períodos de oração. A – Adoração C – Confissão A – Agradecimento S – Súplica Adoração Comece seu momento de oração com um período de adoração e louvor. Louve a Deus por quem Ele é e pelo que significa para você. O louvor tira a atenção de nós mesmos e direciona a Deus e a quem Ele é. O louvor eleva nossa mente a Sua grandeza e não a nossa pequenez, à Sua sabedoria e não nossa ignorância, ao Seu poder e não nossa fraqueza. Confissão Nesse momento, peça a Deus que o ajude a humilhar seu coração e revele qualquer coisa em sua vida que não esteja em harmonia com Sua vontade. Abertamente, confesse atitudes, hábitos e práticas contrários a Sua vontade. A confissão ilumina o caminho para que o Espírito Santo possa trabalhar poderosamente em nossa vida. Agradecimento Pense em coisas específicas que Deus fez por você recentemente e agradeça. Liste as razões pelas quais você está grato. Súplica Deus Se alegra quando vamos à Sua presença como crianças dependentes de nosso Pai celestial


2.Leia a Bíblia fervorosamente. Leia a Palavra de Deus fervorosamente, permitindo que o Espírito Santo impressione sua mente. Deixe que ela se torne o assunto de suas orações. Se a oração é a respiração do reavivamento, o estudo da Bíblia é seu coração. Oração e estudo da Bíblia são os gêmeos siameses do reavivamento. Eles estão interligados. Quanto mais você ora, mais faminto estará da Palavra de Deus, e, quanto mais estudar a Palavra, mais desejará orar. Sugestões práticas: • Encontre um salmo e leia alguns versos. Pergunte o que Deus está dizendo para você nesses versos. Fale com Ele em oração sobre o que o Espírito Santo quer impressionar sua mente. Enquanto você ora e lê o salmo, ouça a voz de Deus falando ao seu coração assim como Ele falou ao salmista. • Você pode concentrar sua vida devocional nas últimas cenas da vida de Cristo. A Bíblia contém seis capítulos básicos sobre a morte de Cristo: Salmo 22, Isaías 53, Mateus 27, Marcos 15, Lucas 23 e João 19. Leia um capítulo por

vez e poucos versos. Visualize o sofrimento de Cristo por você, deixe o Espírito Santo impressionar sua mente com o grande sacrifício de amor. Você perceberá o coração partido pelos seus pecados, pois eles levaram Jesus à cruz. Você será confortado pelo Seu amor de forma incomum, será atraído a Ele pela Sua graça e envolvido pelo Seu sacrifício. Estude cuidadosamente as grandes passagens da Bíblia e isso fará uma diferença significativa em sua vida devocional. Deixe Deus falar com você através de Sua Palavra. Ore como o salmista: “Vivifica-me, segundo a Tua promessa” (Salmo 119:154). Se seguirmos esse conselho da mensageira de Deus para os últimos dias, veremos grandes resultados em nossa vida: “Tome a Bíblia e, de joelhos, suplique a Deus iluminação para a mente. Se estudássemos a Bíblia a cada dia diligentemente e com oração, veríamos diariamente alguma bela verdade em nova luz, clara e penetrante.”6 Terceiro princípio para uma vida de oração reavivada: 3.Aprenda a orar em voz audível. Oração secreta não significa necessariamente oração silenciosa.

Frequentemente, durante nossas atividades diárias, é apropriado elevar a Deus petições silenciosas. Mas, durante nossos momentos devocionais, a oração audível mantém a mente concentrada em Deus. Jesus orava audivelmente. Os discípulos ficaram tão impressionados quando ouviram o Salvador orando audivelmente que Lhe pediram que os ensinassem a orar como Ele fazia (Lucas 11:1). No Getsêmani, Jesus se comprometeu a fazer a vontade do Pai a qualquer custo. O evangelho de Mateus relata que Jesus implorou três vezes, dizendo: “Não seja como Eu quero, e sim como Tu queres.” Obviamente, Jesus estava orando em voz alta (ver Mateus 26:36-44). O livro de Hebreus nos diz que Jesus oferecia, “com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem O podia livrar da morte” (Hebreus 5:7). Mais uma vez, Ellen White nos instrui a “aprender a orar em voz alta onde apenas Deus pode ouvir.”7 Não precisamos temer que Satanás ouça nossa orações, saiba sobre o que estamos orando e que ele esteja preparando alguma estratégia para nos derrotar. “Ao som da fervorosa oração, todo o exército de Satanás treme”8 e Deus responde nossas petições

13

com nossos pedidos. Jesus nos assegura: “Pedi e dar-se-vos-á” (Mateus 7:7). Tiago nos admoesta: “Peça-a [a sabedoria], porém, com fé, em nada duvidando” (Tiago 1:6). Paulo era confiante: “Deus, segundo a Sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades” (Filipenses 4:19). Quanto mais tempo passarmos com Deus, mais desejaremos permanecer em Sua presença. A vida cristã se resume em conhecer a Deus. Quanto mais O conhecemos, mais O amamos. Esse modelo de oração nos ajudará. Eis o segundo princípio para revitalizar sua vida devocional:


14

enviando legiões de anjos, causando a retirada das hostes de Satanás. Siga o exemplo de Jesus orando em voz audível durante seus momentos de devoção. Inicialmente pode ser um pouco difícil, mas, à medida que você continuar, o Espírito Santo o levará a uma rica experiência com o Mestre. Assim, chegamos ao quarto princípio para uma vida de oração predominante e reavivada: 4.Participe de um pequeno grupo de oração. Organize um pequeno grupo de oração, de três a cinco pessoas, e combinem de se encontrarem pelo menos uma vez por semana para orar. A igreja do Novo Testamento se uniu em oração pelo poder do Espírito Santo (Atos 1:14; 4:31). Jesus instruiu Seus discípulos a orarem juntos: “Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a Terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por Meu Pai, que está nos Céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles” (Mateus 18:19-20). Comentando essa passagem, Ellen White acrescenta: “O poder dado será proporcional a unidade dos membros e ao seu amor por Deus e pelos outros.”9 Essa é uma afirmação incrível, e cheia de encorajamento para o povo de Deus hoje. Há um poder especial e incomum quando oramos juntos. Quando reservamos espaço em nossa agenda pessoal para nos unirmos em oração e derramarmos nosso coração a Deus, Ele responde muito além de nossas expectativas. A história de um reavivamento é a rica história de um povo que ora, a história de uma igreja unida que busca a Deus. A igreja é

reavivada quando os membros estabelecem inúmeros grupos de oração e derramam seu coração diante Deus. Por que não começar um grupo de oração em sua casa? Por que não convidar alguns amigos para se juntar a você na busca de uma experiência espiritual mais profunda? Por que não interceder, com algumas pessoas, pela sua família, amigos ou vizinhos que não conhecem a Jesus e Sua mensagem para este tempo? Um pai ou uma mãe de oração podem fazer uma diferença incrível na vida de seus filhos. Um marido ou uma esposa de oração pode fazer uma diferença incrível no seu casamento. Cristãos de oração podem fazer uma grande diferença em sua igreja, grupos de oração podem fazer a diferença na comuni-

dade e estudantes de oração podem mudar a atmosfera da escola. O legado de gigantes de oração como Moisés, José e Daniel demonstra que pessoas que oram chegam a mudar o curso da história. Você quer usar a chave do reavivamento? Inunde sua vida de oração... Erga suas petições ao Deus que tudo ouve. Quando você fizer isso, descobrirá a chave essencial para o reavivamento de sua própria vida e da igreja de Deus dos últimos tempos.

Extraído do livro “O Reavivamento Prometido”. 1• Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 121. 2• Idem, Manuscript Releases, v. 3, p. 413. 3• Idem, Obreiros Evangélicos, p. 259. 4• Idem, Vida e Ensinos, p. 137. 5• Francis D . Nichol, The Midnight Cry (Washington, DC: Review and Herald, 1944), p. 29. 6• Ellen G. White, Review and Herald, 4 de março de 1884. 7• Idem, Nossa Alta Vocação, p. 130. 8• Idem, Testemunhos para a Igreja, v.1, p. 346. 9• Idem, The Central Advance, 25 de fevereiro de 1903.


ES T U D O E M GR U P O

1.Qual é a chave do Reavivamento? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

2.O que acontecia quando os pioneiros adventistas oravam e jejuavam? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

3.Cite algumas sementes devocionais que devem ser plantadas no coração de quem deseja ser reavivado? a.Separar _____________________________________________________________________________________ b.Ler _________________________________________________________________________________________ c.Aprender ___________________________________________________________________________________ d.Participar ___________________________________________________________________________________

4.Quais são os quatro elementos do modelo (ACAS) de oração sugerida por Mark Finley? A ____________________________________________ C ___________________________________________ A ____________________________________________ S ___________________________________________

5.Você deseja participar de um grupo de oração? ( ) Sim ( ) Não. Se a resposta foi “sim” dê os seguintes passos: 1.Ore. 2.Convide. Nomes: _______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ 3.Combine:

15 4

Dia: ___________________________________Hora: _________ Local:___________________________________


16

A Promessa do Espírito Santo Ibson Roosevelt

O

pastor J. N. Loughborough foi um dos pioneiros adventistas. Ele leu o Velho

Testamento 69 vezes e o Novo Testamento 71 vezes. Sua velha Bíblia está guardada no Departamento de Jovens Adventistas da Associação Geral nos Estados Unidos. Se você algum dia for visitar esse lugar, peça para vê-la, e em uma das folhas em branco você verá uma lista de promessas bíblicas.


“Jesus os animou com a promessa do Espírito Santo. Essa promessa pertence tanto a nós como pertenceu a eles...”

adas as Suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis coparticipantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo.”2 Estamos vivendo em mundo cada vez mais distante de Deus, cuja sociedade é abertamente pluralista e permissiva. A corrupção gerada no coração do ser humano por meio das paixões que há no mundo só pode ser vencida pelo poder maior do Espírito de Deus.

“É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda a tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar o Seu próprio caráter em Sua igreja.”3 Quero destacar duas das “preciosas e mui grandes promessas” da Bíblia: 1º: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te

17

Apresentam-se naturalmente da maneira como ele as enumerou e dizem o seguinte: promessas do Velho Testamento para o presente, 2.253; para o futuro, 791. Total de promessas do Velho Testamento, 3.044. Promessas do Novo Testamento para o presente, 274; para o futuro, 253. Total de promessas do Novo Testamento, 529. Total de promessas em toda a Bíblia, 3.573.1 O apóstolo Pedro afirma: “pelas quais nos têm sido do-


18

ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”4 Esta é a primeira promessa da Bíblia. Refere-se à vitória de Cristo sobre Satanás no contexto do Grande Conflito. Em Cristo você pode vencer Satanás e suas tentações, as quais produzem em sua natureza a “corrupção das paixões que há no mundo”. Esta vitória é obtida pela cruz por meio da atuação do Espírito em você. “Cristo declarou: onde estiver o trono de Satanás, ali se erguerá a Minha cruz, o instrumento de humilhação e de sofrimento. Revestindo Minha divindade com a humanidade, enfrentarei cada tentação através da qual o homem é afligido. Chamarei os poderes do Céu para Me auxiliarem, a fim de que homens e mulheres, imbuídos com Meu Espírito, possam vencer assim como Eu venci.”5 “O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele podia solicitar do Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e pasmosa era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira Pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito Santo que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo.”6 Trata-se de uma promessa de vitória. O apóstolo João em sua primeira carta afirma por

duas vezes: “Tendes vencido o Maligno” (I João 2:13, 14). E ainda revela: “Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo” (I João 3:8). 2º: “Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco.”7 “A promessa da descida do Espírito Santo é mais amplamente desenvolvida no evangelho de João, nas declarações do Senhor Jesus sobre o divino paracleto (João 14:15-17, 25, 26; 15:26, 27 e 16:5-11-15).”8 Esta promessa foi feita no “momento mais crítico da vida deles, Jesus falou-lhes sobre a vinda do Espírito Santo como o clímax e a continuação de Sua obra na Terra em favor deles”.9 Somente Deus poderia fazer tamanha promessa por meio dos Seus profetas e principalmente do próprio Filho. Por esta razão, em Atos 1:4, Jesus a chamou de “a promessa do Pai”. Só Jesus Nem mesmo um anjo ou homem poderia fazer tal promessa e cumpri-la. Impossível! Por isto, ninguém fez esta promessa em toda história da religião ou da filosofia. Conta-se que ao se despedir de seus discípulos Buda afirmou: “Vocês têm de ser sua própria luz!” Por outro lado, quando Sócrates estava para ingerir o conteúdo do copo da morte, um de seus discípulos, em profunda tristeza, afirmou: “estamos órfãos”. Cristo disse: “Não vos deixarei órfãos... Mas Eu vos digo a verdade: convém-vos que

Eu vá, porque, se Eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, Eu for, Eu vo-Lo enviarei.”10 Interessante saber que a palavra grega traduzida por “órfãos”, usada pelo discípulo de Sócrates é a mesma que Jesus usou para fazer a Seus discípulos a consoladora promessa. Fritz Rienecker e Cleon Rogers afirmam que trata-se de uma palavra usada para “crianças deixadas sem pai e também de discípulos deixados sem mestre (Barrett).”11 A promessa feita à sombra da cruz E. G. White afirma: “Quando Cristo fez a Seus discípulos a promessa do Espírito... Estava à sombra da cruz... Antes de Se oferecer como a vítima sacrifical, instruiu Seus discípulos com respeito a um muito essencial e completo dom que ia conceder a Seus seguidores – o dom que haveria de pôr-lhes ao alcance os ilimitados recursos de Sua graça.”12 Por ocasião de Sua ascensão, Cristo repetiu a promessa: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas...”13 Uma vez que antes da cruz e também antes da ascensão, Jesus apresentou a promessa do Espírito Santo, evidencia a proeminência do assunto em Sua mensagem para o ser humano. “Justamente antes de deixar os discípulos e partir para as cortes celestiais, Jesus os animou com a promessa do Espírito Santo. Essa promessa pertence tanto a nós como pertenceu a eles...”14


3. Atuação de Satanás. “Pelas astutas ciladas do inimigo parece a mente do povo de Deus ser incapaz de compreender e apropriar-se das promessas de Deus.” Jerome Hines afirmou: “Tão logo Deus faz uma promessa, o diabo tenta, imediatamente, lançar o descrédito sobre a mesma.”17 4. Autoconfiança. “Tem-se o povo de Deus acostumado a pensar que deve confiar em seus próprios esforços, que pouco auxílio deve ser recebido do Céu...” 5. Não sente necessidade. “A igreja por muito tempo se tem contentado com um pouco de bênçãos de Deus. Não tem sentido necessidade de alcançar os exaltados privilégios para ela comprados a um custo infinito.” II – Consequências “Sua força espiritual tem sido fraca, sua experiência de caráter definhada e defeituosa, e estão desqualificados para a obra que o Senhor gostaria que fizessem. Não estão habilitados a apresentar as grandes e gloriosas verdades da santa Palavra de Deus, que convenceriam e converteriam almas por intermédio do Espírito Santo.”18 “A promessa do Espírito é assunto em que pouco se pensa; e o resultado é o que é de se esperar – aridez, trevas, decadência e morte espirituais.”19 Por isto, LeRoy Edwin Froom afirmou: “Estou persuadido de que existe uma única solução para o problema que enfrentamos, individual e denominacionalmente; apenas

uma provisão para nossa necessidade: e esta é o poder do Espírito Santo, o derramamento da chuva serôdia em nossa vida e serviço. Esta prometida provisão, derramada sobre os arautos da última mensagem do Céu para a Terra, é a nossa suprema necessidade. Somente isto nos capacitará para enfrentar esta estupenda situação e terminar a obra que nos foi entregue.”20 III - A promessa é para todos “E acontecerá, depois, que derramarei o Meu Espírito sobre toda a carne; filhos... filhas... velhos... jovens... até sobre os servos e sobre as servas derramarei o Meu Espírito naqueles dias.”21 O que significa a expressão

19

I – A atitude da igreja “Assuntos de menor importância ocupam a atenção, e o poder divino que é necessário ao desenvolvimento e prosperidade da igreja e que traria após si todas as outras bênçãos, esse falta, conquanto oferecido em sua infinita plenitude.”15 “Em consequência desse silêncio sobre este tema da maior importância, a respeito de que promessa menos conhecemos em seu cumprimento prático do que dessa rica promessa do dom do Espírito Santo... A promessa do Espírito Santo é ocasionalmente apresentada em nossas palestras, incidentalmente nelas se toca, e isso é tudo. Temos demorado sobre as profecias, doutrinas têm sido expostas; mas o que é essencial à igreja a fim de que possa crescer em força e eficiência espirituais... tem sido grandemente deixado fora...”16 Por que isto acontece? Encontramos cinco razões em apenas uma declaração de E. G. White no livro “Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos”, páginas 174 e 175: 1. Crença errada em relação ao tempo. “A impressão quanto ao Espírito Santo tem sido de que esse dom não é para a igreja agora, mas que em algum tempo no futuro...” 2. Falta de clamor e fé. “Essa bênção prometida, se reclamada pela fé, traria todas as outras bênçãos em sua esteira, e deve ser dada liberalmente ao povo de Deus... O poder de Deus espera seu pedido e recepção.”


20

“toda a carne”? John Stott explica que o derramamento do Espírito Santo “independe de idade, sexo, raça e classe social. O dom inclui todos os que se arrependem e creem.”22 A Bíblia afirma que por ocasião do Pentecostes cumpriu-se a profecia de Joel, pois: “Todos ficaram cheios do Espírito Santo”23. Nesse contexto, o apóstolo Pedro aplicou a profecia de Joel ao Pentecostes24 e confirmou sua natureza universal quando disse: “... e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.”25 Então, todos que aceitam o chamado divino herdam, por meio do arrependimento e da fé, a promessa com seu cumprimento divino. White diz: “A promessa do Espírito Santo não é limitada a algum século ou raça. Cristo declarou que a divina influência de Seu Espírito estaria com Seus seguidores até o fim. Desde o dia de Pentecostes até ao presente, o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendem inteiramente ao Senhor e a Seu serviço.”26 IV – Bênçãos espirituais da promessa No momento em que a promessa cumpriu-se no Pentecoste, a igreja composta por seus líderes e membros, tornou-se única, poderosa e totalmente diferente de qualquer outro movimento religioso. Por intermédio desta bênção a igreja experimentou:

a) Fruto do Espírito (Gálatas 5:22, 23).

b) Dons do Espírito

(1 Coríntios 12:1-11).

c) Crescimento Integral (Atos 2:41-47; 4:32-35).

V – Condições para o cumprimento da promessa Relata a história, que um dos antigos reis da Saxônia, Alemanha, marchou com resolução a frente de seus exércitos com o propósito de combater as tropas rebeldes que se levantaram contra ele em determinada província de seu reino. Após uma sangrenta batalha, apesar da bravura dos rebeldes, eles foram encurralados e derrotados. O rei então ao reconquistar seu território prometeu perdão coletivo a todos aqueles criminosos políticos e militares, desde que se rendessem incondicionalmente e jurassem completa lealdade diante do seu trono. Para tanto, ele estabeleceu um período de tempo por meio de uma enorme tocha, cujas chamas podiam ser vistas de muito longe. Enquanto a tocha estivesse acesa os rebeldes poderiam aproximar-se para receber a anistia, ou seja, o cumprimento da promessa. O feixe luminoso estava na parte central e mais alta do castelo. E em uma larga torre do edifício, o porta-voz do rei proclamava para todos a urgência com a qual deveriam aceitar tão grande convite de misericórdia. Enquanto a grande tocha não se apagasse, a promessa seria cumprida na vida de todos que se arrependessem e cressem.

No ponto mais alto da Palavra de Deus tremula a promessa do Espírito Santo, que será concedido a todo aquele que entregar sua vida a Cristo. Enquanto o fogo de Deus não se apagar a promessa é para você! Referências 1• Eric B. Hare, Começando com Deus, p. 8. - 2• II Pedro 1:4. 3• E. G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 646. 4• Gênesis 3:15. 5• Woodrow W. Whidden, Ellen White e a Humanidade de Cristo, p. 190. 6• E. G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 646. 7• João 14:16. 8• R. N. Champlin e J. M. Bentes, Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, vol. 1, p. 464. 9• LeRoy Edwin Froom, A Vinda do Consolador, p. 25. 10• João 14:18 e 16:7. 11• Fritz Rienecker e Cleon Rogers, Chave Linguística do Novo Testamento Grego, p. 185. 12• E. G. White, Atos dos Apóstolos, p. 47. 13• Atos 1:8. 14• E. G. White, Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 174. 15• E. G. White, Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 212. 16• E. G. White, Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 174. 17• Moisés Marinho de Oliveira, 7 Mil Ilustrações e pensamentos, p. 250. 18• E. G. White, Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 175. 19• E. G. White, Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 211. 20• LeRoy Edwin Froom, A Vinda do Consolador, p. 13 e 14. 21• Joel 2:28,29. 22• John Stott, Batismo e Plenitude do Espírito Santo, p. 29. 23• Atos 2:4. 24• Atos 2:17 e 18. 25• Atos 2:38 e 39. 26• E. G. White, E Recebereis Poder, p. 9.


ES T U D O E M GR U P O

1.Quantas promessas existem em toda a Bíblia? Presente: ______________ Futuro: ______________ Total: ______________.

2.O que acontece em nossa vida por meio do cumprimento das promessas de Deus? 2 Pe 1:4. a.Os cristãos se tornam ________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ b.São libertos da ______________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

3.Qual é a promessa que traz consigo todas as bênçãos de Deus? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

4.Cite as cinco razões pelas quais a igreja negligencia a promessa do Espírito Santo: a.____________________________________________________________________________________________ b.____________________________________________________________________________________________ c.____________________________________________________________________________________________ d.____________________________________________________________________________________________ e.____________________________________________________________________________________________

5.Para quem é a promessa do Espírito Santo? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

21

______________________________________________________________________________________________


22

É Hora de Orar Randy Maxwell

”J

á é hora de vos despertardes do sono, porque a nossa salvação está, agora,

mais perto do que quando no princípio cremos” (Romanos 13:11).


“Se o Meu povo, que se chama pelo Meu nome, se humilhar, e orar e buscar a Minha face e se converter dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei dos Céus, e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (II Crônicas 7:14)

Foi exatamente durante essa comissão que eu O ouvi: “Enquanto Meu povo não se unir em oração e se arrepender das ofensas que tem praticado contra Mim e uns aos outros, nada dessas outras coisas fará alguma diferença.” Meu pulso acelerou com a intensidade da mensagem. “Vocês podem ter todos os seminários e livros e estudos e comissões e estratégias e planos que quiserem, mas enquanto não Me buscarem primeiro, e de todo o coração, tudo mais será em vão.” Meu coração batia freneticamente e meu peito chegou a doer.

Senti como se uma represa dentro de mim estivesse para explodir. Isso foi tudo que eu consegui fazer para não deixar escapar estas palavras: “Parem, Deus quer que nós oremos!” Talvez eu devesse ter dito isso. Não o fiz, mas o faço agora. É hora de orar! A verdade, porém, é que estamos morrendo de sede por um contato com o Deus vivo! E, embora muitos de nós continuemos nos arrastando semana após semana até a igreja, o deserto que se formou por baixo de nossas bem ensaiadas e

23

Não é comum eu afirmar que ouvi Deus falar comigo. Mas, desta vez a voz dEle foi clara e insistente. Eu estava sentado diante de uma das imensas mesas organizadas em forma de quadrado no salão social de nossa igreja. A comissão estava reunida para discutir o futuro da igreja diante de seu fracasso. Houve menção de estudos que estavam sendo realizados, de pesquisas sendo feitas, de vários modelos de igreja que mereciam a nossa atenção, e de livros e seminários já escritos sobre o problema.


24

flexíveis aparências, continua crescendo. Na superfície, nossa aparência é boa, mas, por baixo, estamos queimados e secos. É semelhante à infecção fúngica que tentávamos curar em Danielle, nossa filha caçula. Depois de algumas semanas de antibióticos para combater as infecções recorrentes dos ouvidos e dos seios da face, ela apareceu com a “mãe” de todas as assaduras das fraldas. Quando a sua fralda ficava cheia, ela choramingava e puxava a fralda de sua pele, e caminhava como se estivesse andando a cavalo. Na tentativa de sermos bons pais e não deixar que nossa filha sofresse, nós esbanjávamos pomada, na esperança de que a assadura clareasse. Não clareou. Na realidade, começou a ficar com a aparência de queimadura. Nós a levamos ao pediatra, e ele prontamente diagnosticou a “dermatite das fraldas” como infecção fúngica. Recebemos a prescrição de um creme medicinal, que deveria ser aplicado três vezes ao dia. Não demorou muito e percebemos uma real melhora do problema. A assadura foi clareando, e começaram a desaparecer aquelas erupções vermelhas rebeldes. Então, justo quando pensamos que estávamos começando a dominar a infecção, as erupções voltaram. Dani começou outra vez a puxar a fralda, e sua pele começou a apresentar o mesmo aspecto anterior à aplicação do creme. Fomos em busca do médico novamente, e foi esta segunda viagem que revelou a fonte do problema de nossa filha. O creme havia sido dado apenas como tratamento tópico. Ele podia clarear as erupções na superfície, mas não continha princípio medicamentoso para matar o fungo. Não sei por que isso não nos foi dito desde o início, mas o que nós realmente fizemos foi prolongar o sofrimento de nossa filha. Nós tínhamos nos ocupado com

os sintomas sem tratar a causa. E, para muitos de nós, nossa religião tem assumido a forma de tratamento tópico que alisa as asperezas da superfície, mas não pode aliviar a ardência de nossa alma infectada. Quero ser honesto com você e comigo mesmo. Já conversei com muitas pessoas que sentem que os nossos serviços religiosos tornaram-se um incômodo - um cansativo círculo de formalidades, cuja relevância sobre os problemas que eles enfrentam durante a semana não é maior do que uma fita métrica na moderna superestrada das informações. Os efeitos de nossa sede espiritual são inequívocos e dolorosos. Corações duros; línguas afiadas; rostos compridos e famintos daqueles que se dizem redimidos. As congregações que continuam em suas longas histórias de devorar pastores e reprimir mudanças de qualquer tipo. A ausência de nossos jovens. Um doentio isolamento que corta nossa conexão com as pessoas que deveríamos salvar. Um amor acima do amor às pessoas que solapam nossa habilidade de sermos compassivos e nos tornam tão destituídos do Espírito de Deus como as colinas de Gilboa o estorvam do orvalho e da chuva. São estes os sintomas de uma condição que só Jesus pode curar. Sintonizados na oração Por favor, continuem sintonizados. Eu sei que vocês oram. Esta é uma prática que nos foi ensinada quase desde o berço. Antes de aprendermos a ler, nós já sabemos como orar. Mas a oração pode ser vista como uma exagerada ocupação religiosa. Para alguns, ela parece uma desculpa para pular fora do compromisso de arregaçar as mangas e fazer o “verdadeiro trabalho” do cristianismo. A promessa: “estou orando por você” é interpretada por muitos cristãos

como uma máscara que projeta piedade e, ao mesmo tempo, esconde uma atitude preguiçosa e indiferente por parte da pessoa que ora. Não é, entretanto, sobre esse tipo de oração que eu estou falando. Refiro-me à oração que busca reavivamento: o tipo de oração que nós, como um povo, precisamos iniciar e colocar em prática para que possamos ver mudanças reais e duradouras em nossa igreja e em nossa vida. É sobre honestidade, sobre reconhecer onde estamos espiritualmente e admitir o quanto precisamos de Jesus. Se você está como eu, ansioso por experimentar um tipo de comunhão com Deus que há de libertar você do cristianismo “status quo”, brando e impotente, que há de colocar você onde está a ação - face a face e coração a coração com Jehovah-ropheka (o Deus que cura) - então vamos conversar. Ou melhor ainda, vamos orar! Nenhuma outra coisa que venhamos a fazer ou dizer, debater ou teorizar, pode realizar o reavivamento da verdadeira piedade de que necessitamos como o poderá fazer a oração. E eu creio que Deus está chamando Sua igreja a orar como nunca antes. Quero convidá-lo a explorar comigo uma das maiores promessas da Bíblia, um dos maiores chamados à oração. É um texto que já foi colocado em composições musicais, inserido em discursos e sermões, e tornou-se quase tão familiar aos cristãos como o Salmo 23. Contudo, nossa familiaridade com o texto pode nos levar a deixar escapar o poder daquilo que é dito ali. “Se o Meu povo, que se chama pelo Meu nome, se humilhar, e orar e buscar a Minha face e se converter dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei dos Céus, e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (II Crônicas 7:14).


Creio que exatamente aqui, nas quarenta e uma palavras desta promessa, Deus esboça o método pelo qual os membros de uma igreja morna podem comprar “ouro refinado pelo fogo para [se] enriquecer [em], vestiduras brancas para [se] vestir [em], a fim de que não seja manifesta a vergonha da [sua] nudez, e colírio para ungir [em] os olhos, a fim de que veja [m]” (Apocalipse 3:18). Aqui se descreve a moeda que precisamos usar para “comprar” de Jesus o antídoto para a nossa enfermidade espiritual. Você vê as semelhanças nas prescrições? “Se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta entrarei em sua casa!” “Se o Meu povo se humilhar, orar, e buscar a Minha face ... Eu ouvirei, perdoarei e sararei!” A porta para um novo relacionamento com Cristo se abre através da oração. É um relacionamento sem o qual não podemos viver - e recusar a oferta é impensável. Vamos clamar pelo cumprimento dessa incrível promessa, frase por frase, em nossa vida. Ao fazer isso, creio que ouviremos, talvez como nunca antes, o apelo do Espírito Santo para que os filhos de Deus se tornem para Ele em busca do perdão, da libertação e da cura interior que só Ele pode fazer por meio do verdadeiro reavivamento. Assim, descobriremos que Ele “é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos” (Efésios 3:20).

dúvida. Estou exausto de palavras devotas, textos comprovadores, debates teológicos triviais, e forma de piedade sem o poder. Eu quero a coisa real. Eu Te quero Senhor. Eu ouso fazer o mesmo pedido que Moisés fez - que mostrasses a ele a Tua glória. Eu quero ver-Te pelo que Tu realmente és. Por que deveria eu contentar-me com sombras quando Tu prometeste compartilhar comigo o Teu próprio Ser? Muito obrigado porque me chamaste à oração. Confesso que não sei como orar, como realmente tocar o Teu coração e entrar na alegria da Tua comunhão, mas é isso que eu quero. Como chamaste Pedro naquela noite no lago, chama-me para vir a Ti, e eu hei de vir. Ensina-me tão somente a fixar os meus olhos em Ti enquanto eu dou os meus vacilantes e trêmulos primeiros passos. Preciso me segurar em Ti, Senhor. E se eu devo viver, ou ter a esperança de conhecer, a vida abundante que Tu vieste para compartilhar comigo, Tu tens que me segurar. Aqui estou. Eu venho a Ti com todas as minhas incertezas e temores, mas eu venho. E enquanto eu venho Senhor, faz de minha vida um milagre do Teu amor e da Tua graça pelo poder do Teu Espírito em nome de Jesus. Amém.

25

Clame agora! Exatamente agora, enquanto você está lendo estas palavras, não anela tocá-Lo? Ouvir Sua voz? Não está o seu espírito clamando pela água viva que Ele prometeu que fluiria em nós como uma fonte eterna? Então, junte-se a mim nesta oração: Senhor, estou cansado de brincar de igreja - de pretender crer enquanto estou sendo consumido pela


ES T U D O E M GR U P O

26

1. Complete: “Enquanto ____________ não se unir em __________ e se __________ _____________ das ofensas que tem praticado _______________ e _____ aos ____________, nada dessas outras coisas fará alguma diferença.” “Vocês podem ter todos os seminários e livros e estudos e comissões e estratégias e planos que quiserem, mas enquanto não ______________________________________________________________, e de todo o coração, tudo mais será em vão.” “Parem, Deus quer que nós ________________________________________!”

2. Que aplicação espiritual o autor faz ao mencionar o caso de infecção fúngica de sua filha? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

3. Que tipo de oração precisamos colocar em prática para que possamos ver mudanças reais e duradouras em nossa igreja e em nossa vida? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

4. O Espírito Santo apela, como nunca, para que os filhos de Deus se tornem para Ele em busca de quê? a.

_____________________________________________________________________________________

b.

_____________________________________________________________________________________

c. _____________________________________________________________________________________ “... que só Ele pode fazer por meio do verdadeiro reavivamento”.

5. Escreva e memorize o que diz um dos maiores chamados à oração de toda a Bíblia: “Se o Meu ____________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________” – 2 Crônicas 7:14.


28

O Poder da Intercessão Tim Crosby

I

magine alguém que levou um barco à vela para alto-mar com as velas en-

roladas e guardadas. Tal pescador estaria fazendo um trabalho desnecessário, certo? Pergunto-me se às vezes não estamos gastando muita energia remando em círculos quando tudo o que precisamos fazer é alinhar as velas para receber o vento.


“O que fará com que o verdadeiro cristão aspire ao avivamento? Quando refletir sobre o que Cristo fez por ele, aspirará por um avivamento pessoal.”

fé fica inerte na água – o Espírito Santo não está se movendo. Então uma brisa inesperada é enviada e o move por sobre as ondas. Deus tem Sua maneira de agir. O Espírito Santo é soberano e move-se inesperadamente. Mas Ele Se move em resposta à oração. Os grandiosos atos de Deus não são planejados, organizados ou anunciados, eles são desencadeados quando alguém ora. A história está repleta de orações que fizeram a diferença. Permita-me contar uma que está fora da esfera Adventista do Sé-

timo Dia. Hudson Taylor foi um jovem voluntarioso que tinha uma mãe e uma irmã de oração. Certo dia sua mãe prometeu orar continuamente pela conversão dele. Após um mês, Hudson estava concentrado na leitura de um livro quando seus olhos foram atraídos para a frase “o fim do trabalho de Deus.” Isto chamou sua atenção e tocou seu coração. Naquele momento o Espírito Santo deu a notícia a sua mãe de que suas preces haviam sido respondidas. Hudson Taylor tornou-se conhecido como um dos pioneiros das missões

29

Há vários anos, o capitão Dennis Conner recuperou o título da corrida de iates da Copa das Américas. Foi histórico. Aqueles que assistiram pela televisão vão lembrar-se dos marinheiros esforçando-se ao máximo. Mas eles estavam remando o barco e fornecendo força? É claro que não. O poder estava circulando livremente ao redor deles. A tarefa era alinhar a vela com toda a força para o melhor aproveitamento do vento. Como o vento, o Espírito de Deus move-se de maneiras misteriosas. Algumas vezes o barco da


30

modernas. Ele dedicou sua vida à China e fez da oração a base de seu ministério. Mais tarde, quando o ministério que tinha estabelecido precisava de novos trabalhadores, ele mandou um telegrama a todos os cristãos de Londres que dizia: “Orando por novos trabalhadores em 1887.” Quatro anos antes ele havia orado por 70 novos funcionários durante um período de três anos, e Deus atendeu à oração enviando 100 em apenas um ano, algo sem precedentes. Hudson também orou por 50 dólares de renda extra sem solicitação. E mais, ele também orou para que as doações viessem em largas quantias de dinheiro. E o que realmente aconteceu em 1887? Seiscentos homens e mulheres dedicaram suas vidas a servir como missionários, dos quais 102 foram selecionados para a obra na China. Além disso, 55 dólares de renda extra vieram sem qualquer espécie de apelo de onze pontos de origem. Não digo que tudo foi como um vento suave para Taylor. Oração nem sempre previne a dor ou perdas temporais. Durante a revolução Boxer, muitos dos convertidos de Taylor, que tinham se tornado obreiros na causa, foram massacrados e missões foram queimadas – apesar das orações. Depois da morte de Hudson Taylor, um homem com o nome de D. E. Host o substituiu. Ele escreveu um livro intitulado Behind The Ranges (...). Ele estava tentando analisar um problema que percebeu enquanto trabalhava em duas vilas na China. As pessoas, com quem trabalhava e orava não estavam bem espiritualmente. Mas na outra vila, os cristãos estavam indo bem! Então, ele começou a perguntar a Deus o que estava acontecendo. Como aquelas pessoas que estavam à distância poderiam estar melhor espiritualmente do que aquelas com quem ele vivia e trabalhava? O Senhor o impressionou a ver

que embora ele gastasse muito tempo aconselhando, pregando e ensinando com aqueles com quem vivia, ele gastava muito mais tempo em oração por aqueles à distância. Ele concluiu que havia quatro elementos básicos em fazer discípulos: 1º: oração, 2 º: oração, 3º: oração, 4º: Bíblia. Nessa ordem e proporção. A oração também funcionou na América, como está ilustrada na história do reavivamento de 1858, contada pelo Dr. J. Edwin Orr. Um homem de oração chamado Jeremias Lamphier decidiu começar um grupo de oração na sala de cima no edifício da Igreja Holandesa Reformada do norte em Manhattan. Ele distribuiu folhetos convidando pessoas a juntarem-se a este grupo de oração. Da população de um milhão de habitantes compareceram apenas seis pessoas. Na semana seguinte 14, depois 23, e então, o grupo resolveu reunir-se todos os dias para orar. Logo, o salão ficou cheio, depois a igreja Metodista na John Street, e então a Episcopal da Trindade na esquina da Wall Street com a Broadway. Em fevereiro de 1858, a igreja estava completamente cheia. Morace Greeley, o famoso editor, enviou um repórter com um cavalo e um microfone escondido para ver quantos estavam pregando. Em uma hora ele detectou apenas 12 encontros, mas contou 6.100 pessoas. Então o movimento de oração começou a explodir, dez mil pessoas foram convertidas em Nova Iorque. O movimento espalhou-se pela Nova Inglaterra, onde os sinos da igreja traziam pessoas para orar às 8h da manhã, ao meio dia e às 18h. Cerca de um a dois milhões de pessoas numa população de 30 milhões foram convertidas naquele país. Quando o reavivamento alcançou Chicago, um jovem sapateiro veio à igreja e perguntou se podia ensinar em uma classe de estudo semanal da Bíblia. O diretor disse:

“Desculpe-me, eu já tenho 16 professores, mas vou colocá-lo na lista de espera.” O jovem disse: – “Eu quero fazer algo agora!” – “Bem, inicie uma classe.” – “Como posso iniciar uma?” – “Trabalhe com alguns garotos. Traga-os aqui e essa será a sua classe.” O jovem reuniu um grupo de meninos em uma praia no lago Michigan e os ensinou versos da Bíblia e jogos bíblicos. Então os levou para a igreja. Seu nome era Dwight L. Moody. Esse foi o começo de seu ministério, que durou 40 anos. Anos depois, Moody, agora como evangelista renomado, estava em Londres, enquanto uma nova igreja estava sendo construída em Chicago. Estava determinado a não pregar, mas um pastor insistiu com ele. Depois de pregar no domingo de manhã, gentilmente disse que voltaria à noite. Mencionou que nunca havia tido uma experiência tão difícil em toda a vida ao pregar. A igreja estava absolutamente fria e morta, sem um traço da mudança do Espírito de Deus. Contudo, naquela noite houve uma mudança extraordinária. A igreja estava abarrotada e o lugar estava quente e alegre com o Espírito Santo. Moody disse: “Os poderes de um mundo invisível desceram sobre o auditório”. Ele ficou impressionado ao fazer um chamado, contrário aos seus planos, e ver 500 pessoas irem à frente. Ele as mandou sentar de volta, pensando que elas haviam entendido errado, e então fez o apelo novamente. O mesmo grupo avançou outra vez. Um reavivamento maior começou naquela igreja e vizinhança. Centenas de vidas foram transformadas. O que fez a diferença naquela noite? Um dos membros da igreja tinha vindo do culto matutino para o lugar onde ela e sua irmã, que não podia andar, moravam. Quando ela contou a sua irmã que um visitante de nome Dwight L. Moody havia pregado, sua irmã empalideceu


homem tomou a decisão, foi batizado e se tornou o novo ancião daquela igreja. E quanto aos 85 nomes da lista? O trabalho fervoroso resultou no batismo de 86 pessoas em três anos! Dr. David Y. Cho descobriu o poder da oração como um jovem pastor de uma congregação carismática. Ele estava pastoreando uma igreja na Coréia de 3.000 cristãos, quando ele anunciou que Deus o estava chamando para investir mais tempo com Ele em oração. Alguns membros o apoiaram para gastar quatro ou cinco horas em oração. Outros membros da liderança não concordaram com suas prioridades e o abandonaram. Logo a igreja começou a crescer e alcançou aproximadamente 800 mil membros – tornou-se a maior igreja local do mundo. Ele foi interrogado acerca do segredo de tão grande sucesso. Aqui estão os três elementos do crescimento de acordo com o pastor da maior igreja do planeta: 1º: oração, 2º: oração, 3º: oração. Há uma grande diferença da igreja na América e da igreja da Coréia diz Dr. Cho: “A igreja da América possui muitos projetos, mas pouca oração, a igreja na Coréia possui muita oração e poucos projetos.” Mais de 800 mil membros; um jornal cristão com uma circulação de mais de um milhão de cópias; 800 missionários ao redor no mundo e uma grande universidade. Como ele encontra tempo para orar por várias horas durante o dia? A resposta, claro, é que seria impossível fazer todas estas coisas sem orar por várias horas todos os dias. Aqui está uma das mais empolgantes descobertas: ninguém perde tempo por orar; ao contrá-

rio, só ganha. Por quê? Porque em um momento Deus pode resolver problemas que levariam meses para serem resolvidos por nós. Ele descobriu que as ideias mais criativas vêm quando investimos tempo com Deus em oração. Aqueles que tagarelam uma oração de três minutos de manhã, estão perdendo algumas das melhores ideias em sua carreira. Orações feitas de coração funcionam”, garante Cho. Ele diz que quando sua igreja alcançou 300 mil membros, um pastor de uma igreja de 3.000 membros o visitou. Ele disse: “Dr. Cho, preciso entender algo. Sou um pastor coreano como o senhor o é, mas você tem 300 mil e eu tenho três mil membros, então algo não está claro para mim.” Então o pastor, sem nenhuma arrogância, começou a comparar a sua formação com a do Dr. Cho. – “Eu me preparei na América, enquanto você estudou em uma escola bíblica aqui na Coréia. Além disso, tenho comparado as gravações dos seus sermões com os meus sermões. Penso que prego melhores sermões. Agora o que eu não entendo é por que eu prego melhor, tive melhor preparo acadêmico, e só tenho três mil membros, enquanto você tem 300 mil.” O Dr. Cho respondeu: - “Você ora?” - “Oh sim”, disse o ministro. - “Quanto?”

31

e disse: “Eu li sobre ele há algum tempo em um jornal americano, e eu tenho orado a Deus para enviá-lo a Londres para nossa igreja. Se eu soubesse que ele pregaria esta manhã, teria deixado de tomar o desjejum e oraria por ele enquanto pregasse. Agora irmã, deixe-me sozinha e feche a porta, ficarei sem jantar, não importa quem me procure, não poderei atender. Vou orar por toda a tarde e noite.” Esse foi o segredo do poder de Moody em Londres. Alguém intercedeu pelo derramamento do Espírito. A oração também provou ser extremamente importante para a missão dos Adventistas do Sétimo Dia. Maxwell, enquanto estava pastoreando no sudeste da Califórnia, descobriu o plano de dar a cada um de seus membros um pequeno livro de bolso para manter uma ativa lista de cinco nomes. Estes livrinhos tinham uma página para cada pessoa, com espaço para vários fatos sobre sua vida pessoal. O pastor Maxwell pediu a esses membros para guardar este livrinho e orar por estes nomes todos os dias. Ele descobriu que a cada 18 meses, em média, poderia batizar uma pessoa entre cinco. Loren Nelson foi chamado para ser pastor em Cottage Grove, Oregon, em 1973. Ele acreditou no poder da oração, e então pediu a seus membros para listar todos seus amigos que gostariam de ver batizados, para que os colocassem na sua lista de oração pessoal. A única condição solicitada era que os membros fossem nas casas destas pessoas, e se aproximassem delas em amizade. Loren fez uma lista com 86 nomes e começou a visitar e orar. Três anos depois Loren foi chamado para um novo distrito. Antes de ir embora, ele centralizou sua atenção no primeiro nome da lista. Este homem nunca havia sido batizado. Loren discutiu a questão com seu primeiro ancião, que se propôs a orar por toda a noite. No dia seguinte este


32

Ele respondeu: - “Eu oro 30 minutos diariamente.” Após uma pausa, esse ministro perguntou ao Dr. Cho: - “E quanto tempo você ora?” A resposta foi: - “Algo em torno de uma a três horas por dia.” Então, com um sorriso completou: - “A diferença entre 30 minutos e 3 horas é a diferença entre 3 mil e 300 mil.” A igreja de Cho não é a única que prioriza a oração naquele país. Toda Coréia do Sul está inflamada pela oração. É claro que existem fatores sociológicos. Por décadas, tem-se enfrentado a perspectiva de invasão pela Coréia do Norte. Paz e abundância geralmente levam à satisfação, mas o perigo dirige homens e mulheres para Deus. Por isso os cristãos na Coréia são os campeões da oração. Dr. Peter Wagner visitou uma igreja na Coréia. Ele foi convidado para visitar a reunião de oração de manhã bem cedo. A igreja se dispôs a se encontrar às 5h da manhã para uma hora de oração. Nesta manhã em particular havia uma tempestade terrível, e o Dr. Wagner suspeitou que poucos estariam presentes. Imagine sua surpresa ao encontrar 4.000 pessoas preenchendo cada cadeira daquele auditório na pior manhã do ano. Como resultado de toda oração, coisas notáveis aconteceram na Coréia. Um capelão que foi transferido da Alemanha para a Coréia, descobriu que os mesmos sermões que atraíram poucas respostas na Alemanha, atraíram multidões e mudou vidas na Coréia. Acredito que os adventistas não têm ainda enfatizado a oração no cumprimento da missão. Estamos no Grande Conflito. Em tempo de guerra é importante conhecer bem nossas armas. Frequentemente pensamos que a oração é uma arma defensiva. Alguma coisa para nos proteger do mal. Mas oração é mais que uma mera arma defensiva. É uma arma

ofensiva, para ser usada contra o império das trevas. Nossas armas, disse Paulo, não são as armas do mundo. Ao contrário, ele insiste que elas possuem divino poder para destruir fortalezas (II Coríntios 10:4). Nenhuma bomba de mil megatons pode atingir as fortalezas que buscamos destruir. Nós temos algo mais forte, tão forte que Cristo assegurou que as portas do inferno não prevalecerão (Mateus 16:18). Suspeito que muitas pessoas tomam este fato para explicar que os portões do inferno estão atacando a igreja. Mas portões não atacam. O que o verso diz é que os portões do inferno não são capazes de resistir. É a igreja que ataca – ou supõe-se que seja. Então com uma promessa como esta, por que não lutamos de joelhos para resgatar aqueles que estão

sequestrados no reino da escuridão e trazê-los ao reino da luz? As orações de Daniel persistiram durante três semanas de combate entre o Príncipe de luz e o príncipe da escuridão, que controlava a Pérsia (Daniel 10). Como resultado, Gabriel venceu porque Daniel jejuou e orou por três semanas. A persistente intercessão de Daniel com Deus ajudou a determinar o destino de sua nação. O ponto final destas histórias é que o poder de Deus é derramado sobre uma nação ou em uma igreja quando um pequeno grupo de pessoas se junta para fazer da oração uma prioridade em suas vidas. Por que não receber esse PODER agora mesmo? Nota: Extraído do site www.missaourbana.net Traduzido por Emílio Abdala


ES T U D O E M GR U P O

1.De acordo com sua compreensão do texto o que significa “alinhar a vela com toda a força para o melhor aproveitamento do vento”? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

2.Que lição você extrai para sua igreja da experiência de Hudson Taylor na evangelização da China? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

3.Quais são os quatro elementos que D. E. Host descobriu ao substituir Hudson Taylor na China? a.____________________________________________________________________________________________ b.____________________________________________________________________________________________ c.____________________________________________________________________________________________ d.____________________________________________________________________________________________ “Nessa ordem e proporção.”

4.Qual é o segredo da maior igreja local do mundo? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

5.O que a Bíblia nos ensina por intermédio da experiência do profeta Daniel (Dn 10) no contexto do Grande Conflito? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

33

______________________________________________________________________________________________


34

A oração faz a diferença Emílio Abdala

C

inco recém-graduados em teologia visitavam Londres. Estavam emocionados

com a oportunidade de ouvir algum destacado pregador antes de entrarem no ministério pastoral. O forte sol do verão os castigava enquanto aguardavam que as portas do tabernáculo de Spurgeon, a igreja do mais famoso pregador daquele tempo, fossem abertas. Alguém se aproximou deles e sugeriu: “enquanto estão esperando, não gostariam de ver o sistema de aquecimento da igreja?”.


“Quando Deus deseja fazer uma grande obra, Ele primeiro coloca Seu povo para orar.” Charles Spurgeon

como o próprio Charles Spurgeon. De fato, o segredo do poderoso ministério de Spurgeon foi o movimento permanente de oração de sua igreja. Certa ocasião ele afirmou: “quando Deus deseja fazer uma grande obra, Ele primeiro coloca Seu povo para orar.” Por sua vez, Max Lucado disse: “quando nós trabalhamos, apenas trabalhamos. Mas quando nós oramos, Deus trabalha!”. A oração faz toda a diferença na obra de Deus. Há muitos exemplos que demonstram esta verdade. Cito alguns:

Pedro: proclamou a mensagem do evangelho em Jerusalém por volta do ano 30 A.D. Resultado: quase três mil pessoas foram convertidas naquele dia. Segredo: os apóstolos e discípulos perseveraram unânimes em oração por 10 dias. John Maxwell disse: “hoje nós oramos por 10 minutos, pregamos por 10 dias e apenas três são convertidos”. William Carey: considerado o “Pai das Missões Modernas”, pregou na Índia a partir de 1792. Resultado: por 42 anos ele viajou e pregou. Traduziu partes da

35

Ver o sistema de aquecimento em um dia abrasador de julho era a última coisa que eles tinham em mente, mas consentiram. Foram conduzidos por alguns degraus abaixo para uma porta no subsolo. O guia abriu a porta e sussurrou em tom baixo: “este é o sistema de aquecimento de nossa igreja”. Os jovens pastores viram diante deles 700 pessoas ajoelhadas em oração suplicando a unção do Espírito Santo para a reunião evangelística que seria conduzida no salão superior. O guia desconhecido se apresentou


36

Bíblia para 25 dialetos indianos. No final da vida havia traduzido a Bíblia para a terça parte dos habitantes do mundo. Segredo: William Carey tinha uma irmã aleijada que era sua companheira de oração. Ele lhe escrevia semanalmente seus pedidos de oração. Ela orava todos os dias por ele. Charles Finney: o grande avivalista, pregou em Rochester e Nova Iorque em 1850. Resultado: 10% de toda a cidade foi convertida (1.000 pessoas em um só lugar em apenas um ano). Em Boston, 50 mil tomaram a decisão de se dedicarem a Deus. De cada 100 que se convertiam 85 permaneciam fiéis a Deus. Uma estimativa diz que ele foi responsável por meio milhão de conversões durante sua vida. Segredo: ele tinha um companheiro de oração, Abel Clarey, que viajava com ele, e dedicava tempo integral a orar por seu ministério. Ele nunca partia, e enquanto Finney pregava, ele continuava prostrado em oração. Finney admitiu posteriormente que sua pregação teria sido ineficaz sem Abel Clarey e outros companheiros de oração. Dwight L. Moody: grande evangelista que ministrou a palavra nos Estados Unidos e na Inglaterra, em 1870. Resultado: foram ganhas 900 mil almas para Cristo. Este é o cálculo da colheita que Deus realizou por intermédio de seu servo. Segredo: Maryann Adelard leu um recorte sobre o ministério de Moody e começou a interceder por ele regularmente e convidou outros a se unirem com ela na intercessão. Além disto, Moody costumava convocar 490 estudantes do seminário de Northfield para reuniões de oração e jejum em favor de suas cruzadas evangelísticas. Billy Graham: o evangelista do século XX, pregou em quase 200

países, para aproximadamente 200 milhões de pessoas. Resultado: milhares de pessoas aceitaram a Cristo como Salvador. Segredo: O principal critério de análise na escolha desta ou daquela cidade para realizar uma cruzada evangelística era a quantidade dos grupos de oração em seu favor. Ruth Goodge orou por um quarto de século pelas campanhas de Billy Graham. Afirma-se que ela organizava grupos de oração nas cidades aonde ele conduziria o evangelismo público. Dwight Nelson: é pastor da Igreja Adventista “Pioneer Memorial” na Universidade Andrews há mais de 20 anos. Resultado: jovens, adolescentes e pessoas de todas as gerações têm respondido ao seu ministério. Ele publicou mais de 10 livros que têm alcançado milhões. Foi orador da Net 98, (programa evangelístico de televisão) que cobriu o mundo. Foi o primeiro na história da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD). Segredo: a congregação de Dwight, no campus da universidade, tem sido convocada à oração. Nos últimos anos, e no início de cada ano eles dedicam 10 dias para a oração (a exemplo dos 10 dias do Pentecostes). Cada sábado, enquanto Dwight está pregando, um grupo ora por aqueles que atenderão aos apelos. Na liturgia, alguns minutos são dedicados ao “jardim da oração” – muitas pessoas vêm à frente para oração intercessora. O slogan da igreja, gravado em letras douradas num estandarte diz: “Avançar de joelhos”. O que a igreja local pode fazer para crescer em sua vida de oração?

A oração, estudo da Bíblia e o serviço voluntário devem ser conservados fundamentalmente juntos na dinâmica da missão. Ministério sem oração torna o trabalho improdutivo e cansativo. Por outro lado, oração e estudo da Bíblia sem ministério produzem um cristianismo contemplativo e egocêntrico. Toda igreja poderosa tem líderes que dão prioridade à oração. A maior deficiência de uma igreja não está em programas, planos estratégicos, materiais ou ideias, mas na oração. A maior força não está no dinheiro dos seus membros, nos talentos e conhecimentos dos seus líderes, mas na oração. O que a torna relevante para sua membresia e comunidade é a manifestação do poder de Deus por meio do ministério da oração. De fato a oração motiva a igreja a crescer espiritualmente e a cumprir sua missão. Por isto, deve-se ter em cada igreja um forte ministério de oração.


ES T U D O E M GR U P O

1. Qual era o sistema de aquecimento espiritual da igreja de Charles Spurgeon em Londres? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

2. Faça seu comentário sobre os seguintes pensamentos: “Quando Deus deseja fazer uma grande obra, Ele primeiro coloca Seu povo para orar.” – Charles Spurgeon. “Quando nós trabalhamos, apenas trabalhamos. Mas quando nós oramos, Deus trabalha!” – Max Lucado. “Hoje nós oramos por 10 minutos, pregamos por 10 dias e apenas três são convertidos.” – John Maxwell.

3. O que sua igreja pode fazer para “avançar de joelhos” pelo poder do Espírito Santo? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

4. Quais são os três elementos espirituais que devem ser conservados juntos? a.____________________________________________________________________________________________ b.____________________________________________________________________________________________ c.____________________________________________________________________________________________

5. Responda e explique por quê: a.O que toda igreja poderosa possui? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ b.O que deve ter em cada igreja? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

37

______________________________________________________________________________________________


38

Ministério da Oração em Sua Igreja Emílio Abdala e Ibson Roosevelt

” D

ediquem-se à oração, estejam alertas e sejam agradecidos.

Ao mesmo tempo, orem também por nós, para que Deus abra uma porta para a nossa mensagem, a fim de que possamos proclamar o mistério de Cristo... Orem para que eu possa manifestá-lo abertamente, como me cumpre fazê-lo.” (Colossenses 4:2-4).


“Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por Meu Pai que está nos céus.” (Mateus 18:19)

Como iniciar? A liderança é a chave para promover, dinamizar e inserir a oração em toda agenda de cultos e programas da igreja. O pastor, a comissão e o Ministério da Mulher devem analisar a viabilidade de ter uma equipe que coordene a oração de forma exclusiva e prioritária (ver Atos 6:4). A lider escolhida para atuar nesta área deve possuir as seguintes características: • Vida dedicada à oração, estudo da Bíblia e testemunho;

• Fidelidade aos princípios da Mordomia Cristã; • Capacidade de mobilização; • Trabalhar em parceria com os departamentos da igreja; • Participar dos treinamentos da Associação. O que fazer? 1-Promover o programa da Associação Geral: Oração 777. Trata-se do movimento mundial de oração pelo derramamento do Espírito Santo. Consiste em uma

39

“Ouvi as palavras de Cristo: ‘Se dois de vós concordarem na Terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por Meu Pai, que está nos Céus.’ Mat. 18:19. Preciosa promessa! Cremos nós nela? Que maravilhosos resultados apareceriam caso as orações unidas deste grupo ascendessem a Deus com fé viva! Jesus está pronto a tomar essas petições e apresentá-las ao Pai, dizendo: “Conheço essas pessoas por nome. Atende-lhes às petições; pois tenho seus nomes gravados nas palmas de Minhas mãos.”1


40 corrente de intercessão em que a igreja ora às 7 horas da manhã e às 7 horas da noite durante os 7 dias da semana. 2-Realizar um culto semanal de reavivamento. Pode acontecer aos domingos 7 horas da manhã ou às 19 horas de acordo com a preferência da sua igreja. No site: www.reavivamentoagora.com encontran-se músicas, sermões e palestras em Power point, que podem ser usados para enriquecer esse culto. A equipe poderá adquirir também os livros “Orações que Sustentam” preparados pelo Ministério da Mulher da Divisão Sul Americana. 3-Separar um espaço na igreja para funcionar o Cenáculo da Oração (Atos 1:13-14).

4-Coordenar momentos oração em todos os cultos.

de

Ver no site orientações sobre como realizar esses programas.

5-Formar grupos específicos de oração intercessória: a. Reavivamento; b. Conversão de almas; c. Família; d. Saúde; e. Empregos. f. Outros

7- Assumir ou cooperar com a realização dos cultos de oração das quartas-feiras.

6-Promover programas e eventos: a.Amigos de oração (dois ou três - Mateus 18:20); b.Grupos de oração; c.Programa diário de oração individual (três vezes ao dia); d.Vigílias e jejum; e.Caminhadas de oração; f. Retiros de oração; g.Seminários e testemunhos de oração.

Uma vez que este projeto seja colocado em prática à igreja será motivada a orar mais. E assim, ela estará cumprindo um requisito fundamental para o Reavivamento. Pois, Ellen G. White afirma: “Só podemos esperar um reavivamento em resposta a oração.” Referência 1• Ellen G. White, Evangelismo, p.414.


• Comunhão • Relacionamento • Missão

www.iasdiguatemi.com


42

A Igreja Precisa de Reavivamento Charles Spurgeon

”A

viva a tua obra, ó Senhor” - Habacuque 3:2.

Toda verdadeira religião é obra de Deus. Ele é, de fato, o autor da salvação no mundo, e a religião é obra da graça. Se houver alguma coisa boa e extraordinária na igreja, isso também é obra de Deus, do início ao fim.


“Quando refletir sobre o que Cristo fez por ele, aspirará por um aviva-

adoração -

5

mento pessoal.”

Avivamento da devoção Portanto, confiando no Espírito

de Deus que me ajuda, vou aplicar esse princípio primeiramente a nossa alma de modo pessoal, depois à igreja em geral. Falemos primeiro de nós mesmos. Muitas vezes chicoteamos a igreja quando o açoite deveria flagelar nossos ombros. Devemos sempre lembrar que fazemos parte da igreja e que nossa falta de avivamento está diretamente relacionada à falta de avivamento da igreja em geral. Faço a seguinte insinuação: nós, cristãos, precisamos em nossa vida de um avivamento de

devoção. Tenho razões abundantes para provar isso. Não há garantia Em primeiro lugar, observe a conduta de muitos de nós que professamos ser filhos de Deus. Hoje em dia é comum alguém tornar-se membro da igreja. Recentemente, em nosso país, muitos se filiaram à igreja, mas isso significa que hoje há menos enganadores que antes? Menos fraudes são cometidas? A moralidade tem aumentado? Vemos os vícios diminuir? Não, não vemos

43

É Deus quem aviva a alma que estava morta e preserva a vida dessa alma. Ele nutre e aperfeiçoa essa vida na igreja. Não atribuímos nada a nós mesmos, mas tudo a Deus. Não ousemos sequer um instante pensar que nossa conversão ou nossa santificação é efetuada por esforço nosso ou de outros. De fato, há meios pelos quais somos convertidos e santificados, mas todos são obras de Deus.


44

nada disso. Nossa geração é tão imoral quanto qualquer outra que nos precedeu. Existe a mesma quantidade de pecado, embora talvez ele seja mais disfarçado. É do conhecimento de todos que ser membro de uma igreja não garante honestidade. A vida de muitos membros oferece ao mundo motivos para indagar se existe alguma devoção em nós. Ambicionamos dinheiro, cobiçamos, seguimos a perversidade do mundo, oprimimos o pobre e negamos os direitos da classe trabalhadora. Contudo, professamos ser povo de Deus! A igreja precisa de avivamento na vida de seus membros. A conversa dos cristãos Em segundo lugar, observemos a conversa. Preste atenção à conversa do cristão mediano. Você pode passar o ano inteiro, desde o primeiro dia de janeiro até o último dia de dezembro, sem ouvi-lo falar de sua fé. Ele raramente menciona o nome de Jesus Cristo. Sobre o que conversa na hora do almoço? Sem dúvida, não será sobre a mensagem do pastor, a não ser para criticar as falhas. Alguma vez conversará sobre o que Jesus disse ou fez? Sobre o quanto sofreu? Quando vamos visitar alguém, de que falamos? Concluo o seguinte: você nunca saberá como chegar ao céu se ficar apenas escutando a conversa de certos membros de igreja! Falamos muito pouco sobre o Senhor, não é verdade? Muitos cristãos estão precisando orar assim: “Ó Senhor, aviva tua obra em minha alma, para que minha conversa possa ser mais semelhante a Cristo, temperada com sal, preservada pelo Espírito Santo!”. Comunhão com Jesus Todavia, mesmo que nossa conduta e conversas fossem mais consistentes com nossa fé, eu ainda faria esta terceira reflexão

contra nós: há pouca comunhão verdadeira com Jesus Cristo. Se, pela graça de Deus, nossa conduta e conversas fossem consistentes e nossa vida fosse impecável, muitos de nós estaríamos em falta diante do que chamamos “santa comunhão com Jesus”. Permita-me perguntar: quando foi a última vez que você teve uma conversa íntima com Jesus Cristo? Alguns poderão dizer: “falei com Ele hoje mesmo pela manhã. Contemplei Sua face com alegria”. Contudo, temo que a maioria diga: “há meses que não falo com o Senhor”. O que você está fazendo com sua vida? Cristo está vivendo em sua casa, e mesmo assim você não conversa com Ele há meses? Não me deixe condenar ou julgar você, mas permita à sua consciência falar: não estamos, de fato, vivendo sem Jesus? Não temos estado mais contentes com o mundo, enquanto negligenciamos a Cristo? Aspirando ao avivamento De certo modo, apresentei a base para minha convicção de que precisamos de um avivamento, mas agora preciso voltar à solução desse grande problema que enfrentamos. Habacuque orou: “aviva a tua obra, ó Senhor!” Você ouve esse clamor por avivamento? Este é o nosso problema: há muitos que afirmam desejar o avivamento, mas não clamam por ele. O verdadeiro cristão, quando confrontado com a necessidade de avivamento pessoal, terá aspiração. Insatisfeito, imediatamente se esforçará para alcançá-lo. O verdadeiro cristão orará dia e noite: “aviva a tua obra, ó Senhor!”. O que fará com que o verdadeiro cristão aspire ao avivamento? Quando refletir sobre o que Cristo fez por ele, aspirará por um avivamento pessoal. Quando ouvir alguém contar uma história sobre outro cristão que está experimen-

tando grande alegria no Senhor, ele aspirará ao mesmo. Quando participar de uma comunhão edificante sem sentir nenhuma emoção, ele aspirará pelo avivamento. Eu perguntaria apenas isto aos que sentem a necessidade de um avivamento pessoal: você pode aspirar por avivamento? Se puder, então, aspire! Que Deus se agrade de lhe conceder a graça de continuar clamando. Então, transforme sua aspiração em oração. Não tome nenhuma decisão sozinho Transforme sua aspiração em oração. Não diga: “Senhor, sinto necessidade de avivamento. Pretendo cuidar disso hoje à tarde então começarei a avivar minha alma”. Não tome nenhuma decisão sobre o que você fará: suas decisões certamente serão frustradas. Em vez de tentar avivar a si mesmo, ore. Não diga: “vou me avivar”, mas clame: “Ó Senhor, aviva tua obra em mim”. Dizer: “vou me avivar” mostra que você não conhece sua verdadeira condição. Se a conhecesse, não tentaria fazê-lo sem a ajuda de Deus, assim como ninguém espera que um soldado ferido em batalha cure a si mesmo sem remédio ou que procure o hospital sozinho, tendo as pernas e os braços feridos. Insisto: não faça nada sem antes orar a Deus e clamar: “aviva a tua obra, ó Senhor!”. Comece por se humilhar, abandonando toda esperança de conseguir sozinho, mas comece a orar com convicção e a suplicar sinceramente a Deus: “Ó Senhor, faça em mim o que não consigo fazer por mim mesmo”. Falta de sinceridade Precisamos orar incessantemente na própria igreja esta urgente oração. Na presente época, há um


Uma “ologia” que descartou Deus A ausência da sã doutrina é outra prova de que a igreja precisa de avivamento. Em certo sentido, ela desapareceu. Aconteceu quando os pregadores deixaram de pregar a sã doutrina com receio de ser mal recebida. Pararam de falar... Porque achavam que o povo se desinteressaria dessa mensagem. Então, decidiram que, se não era algo apropriado para pregar, decerto não era verdadeiro. Logo, apresentaram uma

“nova teologia”, que podia ser qualquer coisa menos teologia. Era uma “ologia” que descartou Deus completamente e entronizou o homem. Semelhantemente, os membros de igreja se enfraqueceram na doutrina. Os membros de igreja hoje mudam de doutrina com tanta frequência quanto trocam de amizades. Dificilmente constituem o tipo de pessoa que morrerá por suas convicções. Observe sua frouxidão! Eles têm o que chamam “reuniões de oração”. Deveriam ser chamadas “reuniões dos remanescentes”, pois são frequentadas por uns poucos. Tudo isso mostra que a igreja se desviou do caminho. Como sei disso? Porque ela começa a ser respeitada aos olhos do mundo. A igreja precisa ser desprezada e marginalizada até a vinda do Senhor, diante de quem encontramos verdadeira honra.

tos da igreja, você clame: “aviva a tua obra, ó Senhor”. Alguém dirá: “Ah, se tivéssemos outro pastor!” Ou então: “Ah, se tivéssemos outro estilo de culto!” “Ah, se tivéssemos outro tipo de pregação!” Você não precisa de novos estilos ou de gente nova: você precisa de vida naquilo que tem. Se você quiser mover um trem, não precisa de uma locomotiva nova ou mesmo de dez locomotivas: você precisa acender o fogo e fazer o vapor mover a locomotiva que você tem! A igreja não precisa de nova pessoa ou novo plano, mas precisa da vida de Deus nela. Peça isso a Deus! Talvez Ele esteja pronto para chacoalhar o mundo desde os fundamentos. Talvez mesmo agora Ele esteja pronto para derramar uma grande influência sobre Seu povo, que tornará a igreja desta geração viva como nunca antes.

Acenda o fogo Alguns concordarão comigo em que a igreja precisa de avivamento, mas peço que, em vez de reclamar de seu pastor, em vez de achar defeitos em alguns aspec-

ção. FOSTER, Richard e SMITH, James Bryan.

Nota: Este artigo foi extraído com autorizaCharles Spurgeon: sermão sobre avivamento. Clássicos devocionais: seleção de 52 leituras dos principais autores devocionais sobre renovação espiritual. Trad. William Lane. São Paulo: Vida, 2009, p. 415-421.

45

triste declínio da vitalidade da devoção. Os tempos atuais se tornarão a era da forma que a era da vida. Vemos pregadores lendo sermões manuscritos... Pode parecer elegante e eloquente, mas onde estão as pregações fervorosas, como a de George Whitefield? Os sermões de Whitefield não eram eloquentes... Todavia, não eram as palavras, mas o modo em que ele as expunha, sua seriedade, o derramamento de sua alma quando pregava. Quando você o ouvia pregar, sentia-se ouvindo um homem disposto a morrer por sua pregação. Onde encontramos essa seriedade hoje? Uma das tristes provas de que a igreja precisa de avivamento é a ausência de seriedade que antes se via nos púlpitos cristãos.


ES T U D O E M GR U P O

1. Que pedido o profeta Habacuque faz a Deus? Hc 3:2. ______________________________________________________________________________________________

46

______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

2. Como são as conversas de um membro da igreja que ainda não está reavivado? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

3. Como uma pessoa não reavivada se relaciona com Jesus? ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________

4. Quais são as provas, segundo Spurgeon, que evidenciam que a igreja precisa de reavivamento? a.____________________________________________________________________________________________ b.____________________________________________________________________________________________ c.___________________________________________________________________________________________ d.____________________________________________________________________________________________ e.____________________________________________________________________________________________

5. O que tornará a igreja viva como nunca antes? ( ) Novo estilo de culto ( ) Novo pastor ( ) Novas pessoas e novos planos ( ) A vida de Deus


Preciso me segurar em Ti, Senhor. E se eu devo viver, ou ter a esperanรงa de conhecer, a vida abundante que Tu vieste para compartilhar comigo, Tu tens que me segurar.


Revista Reavivamento Agora - IASD Iguatemi  

Revista Reavivamento Agora da Igreja Adventista do Sétimo Dia do Iguatemi - 2013

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you