Page 1


Introdução de novas ideias, produtos, serviços, e práticas as quais se pretende sejam úteis e que possam ser introduzidas com sucesso comercial; Introdução de uma nova ideia no mercado na forma de um novo produto ou serviço ou numa melhoria organizacional ou de processo;


Uma nova ideia, método ou dispositivo. O acto de criar um novo produto ou processo. O acto inclui invenção mas também o trabalho necessário para dar uma forma final à ideia ou conceito; Criar valor a partir de novas ideias, novos produtos, novos serviços ou novas formas de fazer as coisas;


Algo novo ou melhorado, incluindo a investigação para o desenvolvimento de novas tecnologias, melhoria de tecnologias existentes, ou o desenvolvimento de novas aplicações para as tecnologias existentes; Criação ou introdução de algo novo, especialmente um novo produto ou uma nova forma de produzir algo;


O processo de converter conhecimento e ideias em melhores formas de fazer negócios. O processo de inovação incorpora investigação e desenvolvimento, comercialização e difusão tecnológica. É um processo de resolução de problemas. (...)


A UE define inovação: Renovação ou alargamento da gama de produtos ou serviços e seus mercados associados; O estabelecimento de novos métodos de produção, abastecimento e distribuição; A introdução de alterações na gestão, na organização do trabalho e nas condições de trabalho e competências dos colaboradores.


“...primeira transacção comercial envolvendo um novo produto, processo ou sistema” vs “...ideia, esquema, modelo, dispositivo de um novo produto, processo ou sistema” Freeman [1982]


Incremental - melhorias (adaptação, refinamento, melhoria da eficiência) contínuas dos produtos e processos já existentes através do “learning by doing” e “learning by using”. Ocorrem com regulariadade no seio das indústrias.


Radical - introdução de produtos e processos completamente novos. Ocorrem de forma descontínua, sendo normalmente consequência de actividades de I&D em laboratórios de empresas ou outras instituições


Tipos de Inovação


Tecnológicas Produtos Componentes/sub-sistemas Apresentação/administração Materiais Procedimentos/equipamentos Sistemas complexos


Organizacionais Sistemas de produção Gestão de RH Avaliação de desempenho Sistemas de organização


Comerciais Apresentação Modo de Distribuição Formas de Publicidade Sistemas


Paradigma Mudanças nos modelos mentais que suportam o que a organização faz ou desenvolve.


As dimensões da inovação...


As dimensões da inovação...


As cinco gerações dos modelos de inovação segundo Rothwell ... 1ª/2ª

Modelos Lineares – Technology-push; Market-Pull

Modelo Interactivo (chain-link model) – interacção entre diferentes elementos e feedback entre eles

Modelo Integrado – integração das actividades da empresa, estabelecer ligações e alianças estratégicas

Integração de Sistemas e Redes Extensas - respostas flexíveis e parametrizadas, inovação contínua.


O que é a Gestão da Inovação ?


O que é a Gestão da Inovação ?

É o desenho inteligente de processos orientados para o desenvolvimento e a utilização de conceitos promissores. Um processo de inovação compreende por isso, tanto a invenção como a sua exploração.


O que é a Gestão da Inovação ? A gestão da inovação corresponde ao desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços, incluindo a geração de ideias, desenvolvimento de conceitos, estudos de viabilidade, desenvolvimento de produto, testes de mercado e lançamento; A grande procura/necessidade de inovação motivada pela globalização (concorrência acumulada), tecnologias e produtos com ciclos de vida mais curtos e uma maior sofisticação dos clientes – aumentou a procura de novas ideias no seio das organizações.


Isto significa duas coisas: 1º

A inovação tem de ser empurrada até à fronteira onde reside o conhecimento do cliente e onde a quantidade de ideias geradas é maior;

A gestão de topo tem de adoptar estratégias de inovação apropriadas, por forma a liderar o surgimento da actividade inovadora.

Em resultado disto a inovação deve ser sistematizada, tal qual um processo de negócio, de acordo com o modelo de negócio que é seguido pela organização (a forma como a empresa faz negócio)… … resultando de tudo isto a necessidade da gestão da inovação.


Em que medida é que a inovação é uma questão de gestão ?


Recursos (técnicos, pessoais, de conhecimento, financeiros...) Capacidades (para fazer uma gestão eficaz desses recursos) Rotinas (“the way we do things around here”) Na medida em que implica decisões, numa base continuada, sobre a distribuição e coordenação de recursos e capacidades, devendo tratar-se como uma problemática de gestão.


Existem duas faces da Gestão da Inovação:

Gestão de um repositório de informação, conhecimento, ideias, sugestões, invenções

Implementar inovações com sucesso


A Gestão da Inovação é um conjunto de ferramentas e de técnicas usadas pelas organizações, por forma a tornar a inovação: - Previsível - Lucrativa - Disponível a pedido


A inovação é um processo e não um evento único, tendo, por isso, de ser gerida em conformidade. O processo pode ser trabalhado por forma a influenciar o resultado final, ou seja, pode ser gerido.


A Gestão da Inovação consiste em 4 actividades principais: 1ª Integração Tecnológica – integração entre as tecnologias e os mercados-produto da empresa (ênfase na satisfação do cliente) 2ª O processo de inovação – processos de negócio e actividades multi-funcionais que criem inovação. A alocação de recursos a projectos de inovação é necessária, para permitir que as ideias e a inovação cresçam 3ª Planeamento estratégico de inovação – planeamento da tecnologia e/ou competências, com o objectivo de manter um portfolio de tecnologias e competências no seio da organização 4ª Cultura organizacional e mudança – a inovação está estreitamente relacionada com a mudança organizacional


A Gestão da Inovação é uma disciplina; Envolve o focus na missão da organização, procurando por oportunidades únicas e determinando se estas se encaixam na direcção estratégica da organização, definindo as respectivas métricas do sucesso , continuamente reavaliando oportunidades.

A inovação não requer um génio, mas exige uma dedicação total, na perseguição de uma oportunidade única.


Capacidades básicas na Gestão da Inovação: Reconhecimento – sondar o ambiente (mercado) por sinais técnicos e económicos que possam iniciar o processo de mudança Alinhamento – garantir um bom ajuste entre a estratégia do negócio e as mudanças propostas – não inovar apenas porque é “moda” ou como vingança para com um concorrente Aquisição – Reconhecimento das da tecnologia base da organização, sendo capaz de se ligar a fontes externas de conhecimento, informação, equipamento, etc. Transferir tecnologia de várias fontes externas e ligá-la internamente a pontos importantes no seio da organização.


Capacidades básicas na Gestão da Inovação: Geração – possuir a capacidade de desenvolver alguma tecnologia in-house – através de I&D, grupos internos de engenharia, etc. Escolha – Explorar e seleccionar a resposta mais capaz aos estímulos ambientais, os quais encaixem na estratégia e na base de recursos internos e na rede externa de tecnologia Execução – gerir projectos de desenvolvimento para novos produtos ou processos desde a ideia inicial até ao lançamento final – monitorizar e controlar esses projectos


Capacidades básicas na Gestão da Inovação: Implementação – gerir a introdução da mudança – técnica e não só – na organização por forma a assegurar a aceitação e o efectivo uso da inovação Aprendizagem – possuir a capacidade para avaliar e reflectir sobre o processo de inovação, identificando aspectos de melhoria nas rotinas de gestão Desenvolver a organização – embeber rotinas efectivas na organização – nas estruturas, processos, comportamentos, etc.


Gestão eficiente da inovação ...


Ter (muitas) ideias: metodologias propícias à obtenção, gestação e desenvolvimento de ideias (orientadas para a criação de valor);

Gestão eficiente da inovação ...


Base de conhecimento sobre os produtos e processos e informação sobre avanços científico-tecnológicos (formas de concretizar ideias);

Gestão eficiente da inovação ...


Maximizar o value-for-money para o cliente. Toda a inovação envolve uma relação custo-risco-benefício;

Gestão eficiente da inovação ...


Minimizar riscos de insucesso (previsão de problemas, obstáculos e domínio de ferramentas de controlo da implementação);

Gestão eficiente da inovação ...


Minimizar custos (processos sistemáticos de gerir projectos de inovação e distinguir competências nucleares de competências complementares)

Gestão eficiente da inovação ...


Gerir a Inovação ==> Gerir Conhecimento


Mercados; Soluções científico-tecnológicas; Processos produtivos; Metodologias eficazes de: – Gerar ideias – Identificar tendências – Analisar e seleccionar (avaliar) opções – Organizar trabalhos de desenvolvimento (planos de inovação) – Implementar – Monitorizar


“A Inovação não pode continuar apenas ao alcance do departamento de I&D, de uma equipa de inovação ou de um pequeno grupo de planeamento estratégico. A Inovação precisa de estar embebida no DNA das operações e cultura da organização, ser uma parte normal das operações diárias. (Tidd, et al, 2005)


Pela vossa presença e atenção ...


Bibliografia: BESSANT, J., TIDD, J. (2009), Managing Innovation, John Wiley and Sons Ltd, Londres SILVEIRA, R. (2007), Gestão da Inovação – materiais de apoio ao estudo, ESCE-IPS

2011 – Fernando Angelino


Seminario FEA - 2 de Abril de 2011  

Seminario na FEA em 2 de Abril

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you