Page 1

Diretrizes Curriculares Municipais para Educação Infantil São Gabriel – Ba 2012


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA METODOLÓGICA 2.1. UMA REFLEXÃO EPISTEMOLÓGICA 2.1.1

Concepção Racionalista

2.1.2

Concepção Ambientalista

2.1.3

Concepção Interacionista

2.2. UMA REFLEXÃO METODOLÓGICA 2.2.1. Perspectivas e organização de sequências didáticas 2.2.2. Sobre o Ensino e a Aprendizagem 3

CONSIDERAÇÕES SOBRE A AVALIAÇÃO

4

DIRETRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

5

FUNDAMENTOS LEGAIS

6

CURRÍCULO E EDUCAÇÃO INFANTIL 6.1

ARTICULAÇÃO DE PLANOS

7

EIXOS NORTEADORES

8

A CONCEPÇÃO DE CRIANÇA E INFÂNCIA NA PERSPECTIVA DE PHILIPPE ARIÈS

9

8.1

INFÂNCIA NOS DIAS ATUAIS

8.2

A CRIANÇA E A EDUCAÇÃO INFANTIL

O PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL 9.1. NASCE UM PROFISSIONAL


9.2

CONSTRUINDO AS DIRETRIZES CURRICULARES PARA O

MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL

10

OBJETIVOS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL REFERÊNCIAS ANEXOS


José Carlos Gomes Ferreira PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GABRIEL

Edilania de Paiva Silva Neiva SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA

Jurema Machado Marques COORDENAÇÃO TECNICO-PEDAGÓGICA

Ivete Nunes Ribeiro COORDENAÇÃO DE GESTÃO EDUCACIONAL

Ilka Mendes dos Santos Anjos COORDENAÇÃO DE AÇÕES INCLUSIVAS

Edivania de Paiva Silva Amorim COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA ... ... ... ...


EPÍGRAFE

Devemos ter os pés no chão, o coração na utopia, os olhos na estrada e no horizonte; a mente e as mãos na história, procurando transformá-la. (Celso Vasconcelos)


CARTA AOS PROFESSORES

Devemos ter os pés no chão, o coração na utopia, os olhos na estrada e no horizonte; a mente e as mãos na história, procurando transformá-la. (Celso Vasconcelos)

As Diretrizes Curriculares Municipais (DCMs) sistematizam o que foi estabelecido na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB, Lei nº 9394/96) e outros marcos legais que regem o sistema educacional do Brasil. Este documento é o resultado dos estudos e reflexões que os educadores do município de São Gabriel - Ba desenvolveram ao longo do ano de 2011 e resume o que acreditamos ser imprescindível fazer pela educação de nossa cidade. A DCM foi elaborada de forma democrática, num processo que contou com a participação de professores, coordenadores pedagógicos, gestores escolares, equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação com a assessoria de consultores da Empresa Mesquita Consultoria. O propósito de estruturar as Diretrizes Curriculares para a Rede Municipal de Educação do município de São Gabriel emergiu dos estudos e reflexões realizados pela coordenação pedagógica a partir do trabalho realizado junto aos professores nas escolas da rede e também, da necessidade de sistematizar As Diretrizes Curriculares, aqui apresentadas, inserem-se na problemática das relações estabelecidas entre sociedade, cultura, currículo, escola e a diversidade constante na prática pedagógica realizada nas escolas da rede.


Assim, este documento apresentará diretamente os princípios pedagógicos, fundamentos teóricos e os procedimentos relativos às áreas de conhecimento articulados aos aspectos da vida cidadã, de acordo com o Art. 26 da LDB Nº 9.394/96. Nele, estão contidas as diretrizes curriculares gerais, além de outras informações que vão auxiliar os docentes na elaboração de propostas pedagógicas para as escolas da Rede Municipal de Educação de São Gabriel. Portanto, vamos seguir com a consciência de que cumprimos uma missão, mas o trabalho continua! E a todos e a cada um de vocês, nosso agradecimento pelo empenho para a elaboração/execução deste projeto e pela participação na construção das ações que o concretizará em cada escola e o tornará realidade vivenciada nas práticas educativas do nosso município.

Edilania de Paiva Silva Neiva Secretária Municipal de Educação e Cultura


AUTORES

COORDENAÇÃO DA ELABORAÇÃO: MESQUITA Administração &Treinamento LTDA AUTORES :Participaram da construção das Diretrizes Curriculares Municipais para Educação de São Gabriel - Ba, em equipe, individualmente, em audiências e debates públicos, em reuniões de trabalho, por meio da internet os seguintes profissionais : CONSULTORES: Ana Cláudia Pacheco Andrade Antônio Roberto Seixas da Cruz Brasilena Pinto Trindade Celeste Maria Pacheco de Andrade Elizeu Pinheiro da Cruz Jacqueline Santna Nascimento dos Santos Jane Cássia Rebouças de Carvalho José Antônio de Oliveira Fonseca Maria Cristina Ribas de Souza Maria das Graças Prates Maciel Maria Elisa Pacheco de Oliveira Silva •

Marcelo Silva de Souza Ribeiro

Marlene Mesquita

Marta Madaleine Miranda dos Santos

Mávis Dill Kaipper

Ofir Quireza de Vasconcelos

Paulo Guilherme Pacheco de Oliveira Medeiros

Priscila Caldas Batista Vila Verde

Risonete Lima de Almeida


Telma Conceição da Cunha

Telma Cruz Costa

PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DA REDE •

Agacy Rosa de Miranda,

Agna Gísia Barreto Caetano,

Alvanei Pereira dos Reis,

Anielson Batista Bonfim,

Ana Célia Silva e Souza,

Ana Luíza José de Brito,

Ana Márcia Alecrim de Souza,

Ana Paula M. de Oliveira,

Ana Paula Oliveira Gama,

Anaide Olímpio dos Reis,

André Batista de Jesus,

André dos Santos Rocha,

Anderson Higo G. Ramos,

Arlete Fernandes dos Santos,

Auriana Carvalho de Andrade,

Cacilane Pereira de Souza,

Carlinda Pereira Rocha,

Celson Messias da Silva,

Cirlene Mendes dos Santos Gomes,

Cláudia Miranda Vaz,

Cláudia Novaes Rocha,

Claudijânia Benício da Cruz,

Claudinei Borges da Silva,


Cláudio Mendes dos Santos,

Clélia Antunes Paiva,

Cleodete Gomes de Souza,

Cristian Neves Machado,

Cristian Nunes Machado,

Cristiana Pereira Gomes da Costa,

Damião Santos da Silva,

Deleon Luís da Silva,

Denise Ferreira Barbosa,

Dirles da Silva Souza,

Edinéia Gama Oliveira,

Edinho Oliveira Nunes,

Edivânia Soares Silva,

Edmilson Martins de Miranda,

Ednei Alcides dos Santos,

Elci Alves da Silva Neiva,

Eleí Gomes de Seles,

Eliandro Francisco de Oliveira,

Eliete Fernandes do Nascimento,

Elizângela da Rocha,

Erlaine Frreira dos Santos,

Esmeralda da Silva Fontes,

Evilânia Pereira dos Reis,

Fagner Batista de Abreu,

Gaudiglei Alves Ferreira,

Gêsania Pereira,


Machado Lima,

Gilvaneide Maria da Silva,

Gilvania Alves da Silva,

Guicimar Rodrigues da Silva,

Gustavo Nascimento Menezes,

Hélia Barreto da Rocha,

Ildete Alves Oliveira,

Ilmara Nunes Neiva,

Iolanda Alves Pereira,

Iolanda Alves Pereira,

Ionete Batista de Carvalho,

Irving Ferreira dos Santos,

Isabel dos Reis Pereira,

Ismael Bernardo Bonfim,

Isnaria da Silva Santos,

Ivaneide Vieira dos Santos,

Izabel dos Reis Pereira,

Izânia Rosa Pereira,

Jaciene Batista Muniz,

Jacivânia Muniz Batista,

Jailson Alves Durães,

Jandira Benício Lima,

Jandira Francisco Pereira Sena,

Jeane Freire, Joana José da Silva,

Jorge Amorim de Almeida,

Lucimar Ribeiro de Miranda,


Magalene Rosa Silva,

Manacéis Manoel Bernardo,

Marcia Aparecida Magalhães,

Marcia Fonseca Silva,

Marcia Miranda Freire,

Marcio Gonçalves de Araujo,

Marcos Alves da Gama,

Maria Audeni Alves Bonfim,

Maria da Conceição Machado,

Maria da Conceição Pereira de Souza,

Maria de Fátima de Almeida,

Maria de Fátima Pereira de Andrade,

Maria de Fátima Pereira de Andrade,

Maria Edivaneide da Silva Pereira,

Maria Gorete Nascimento M. da Silva,

Maria Gorete Rocha Paixão,

Marileide Oliveira Souza,

Marineide Lourenço Silva Machado,

Maristela dos Reis Silva,

Marleide Paulina da Silva,

Marli Pereira das Neves,

Moisés Oliveira Santos Junior,

Mônica Nunes da Silva,

Mônica Nunes da Silva,

Neide Sena de Souza,

Neuracy Júlia da Silva,


Olga Pereira de Carvalho,

Ozeni Barros dos Santos,

Ozilândia Barros dos Santos,

Paliana Maria da Silva Melo,

Patrícia Oliveira da Gama,

Railda Bispo dos Santos,

Ranúzia Bispo dos Santos,

Redinéria Ferreira Machado,

Regina Pereira Rocha,

Rejane Amorim Ribeiro,

Rilma Ferreira dos Santos,

Risocleide Silva Sena,

Ronaldo Borges Pereira,

Ronivaldo André Bernardo,

Rosenilde Neves dos Reis,

Rosiânia Alves de Jesus,

Sandra Cardoso Lima,

Sandra Pereira Bastos,

Sandro dos Santos Amorim,

Sara Aparecida Machado Lima,

Selma Catarino de Miranda,

Sérgio Nascimento,

Sidiclei Cândido Cezar,

Silvana Oliveira da Silva,

Simone Julinha da Silva Sena,

Sirleide Catarina de Miranda,


Sirlene Ribeiro de Souza,

Sirlene Rodrigues Boa Sorte,

Sizenando Santos da Silva,

Solange Pereira Pinto,

Talita Neiva Paiva,

Tatiana Mendes da Rocha,

Teodorico Pereira Neto,

Vanusia Bernardo de Souza Pereira,

Viviane C. de Andrade.

Vagnólia Cristiane da Silva Dourado Rocha,

Valdineide Alves Oliveira,

Valdir Miranda Souza,

Valmira dos Santos Almeida,

Vanderléia Caetano de Souza,

Vânia Bernardo de Souza,

Vânia Cipriano da Costa Cézar,

Vânia Cipriano da Costa Cézar,

REVISÃO LINGUÍSTICA: Maria da Conceição Lopes

PROJETO GRÁFICO :


1. INTRODUÇÃO

Com a ampliação do ensino fundamental para 9 anos e todas as mudanças conceptuais e legais que ocorreram na Educação Básica do país, os ideais educacionais traduzidos na Lei Darcy Ribeiro, em 1996,

foram

revitalizados através de reformulações requeridas às secretarias de educação de todo o território nacional. Desde então, as articulações no sentido de implementar as mudanças no sistema de ensino e nas redes estaduais e municipais se fizeram presentes nos documentos oficiais que orientam e trazem referências para a organização, estruturação e o funcionamento do ensino brasileiro, desde a educação infantil até o ensino médio. A necessidade de atender as especificidades de cada região fez com que as Diretrizes Curriculares para a Educação Nacional fossem sendo complementadas por documentos estaduais e municipais dirigidos a contextos socioculturais e a públicos distintos.

Nessa direção, o Município de São

Gabriel-Bahia, através da Secretaria de Educação e Cultura, veio se articulando desde o ano de 2010 com a equipe técnica pedagógica, gestores escolares, professores da rede de ensino local e consultores educacionais de diversas áreas do conhecimento, para pensar as Diretrizes Curriculares Municipais. Precedendo essas ações, destacamos que seu lastro foi o Plano Municipal de Educação, elaborado no ano de 2010 e que se valeu dos estudos diagnósticos realizados por técnicos da Secretaria de Educação, iniciando pela caracterização do Município. Entre os levantamentos históricos destaca-se a origem de São Gabriel, derivada de uma fazenda dirigida por um casal que ali


se instalou desde o ano de 1870. E, no decurso dos seus 142 anos de existência, São Gabriel foi povoado, depois vila, e esteve incorporado aos municípios de Xique-Xique e de Irecê, emancipando-se pela Lei Estadual Nº 4.407 de 1985, após um plebiscito. Portanto, é um jovem município que requer muito investimento dos poderes públicos. Do ponto de vista geográfico, São Gabriel localiza-se ao Oeste da Bahia, a 480 km da capital. Considera-se como município integrante da Chapada Diamantina Setentrional, avizinhando-se com outras sete cidades, dentre as quais Irecê é a mais próxima e desenvolvida. Essa proximidade beneficia também o setor educacional, em razão do funcionamento de um campus universitário naquele município, e da mobilidade e interatividade de profissionais e de cursos que alavancam o processo acadêmico da Região. A área geográfica de São Gabriel é 1.157 km², o clima é semiárido tropical com baixo índice pluviométrico e altas temperaturas. Ainda assim, sua área rural ultrapassa em muito a extensão da zona urbana, computando 57 comunidades rurais e mais uma comunidade próxima à sede do município, a Vila de Gameleira do Jacaré, com razoável desenvolvimento econômico. Destacado também é o povoado de Lagoinha, uma comunidade quilombola que reconhecidamente luta por manter viva sua cultura e tradições. A extensão do município, as distâncias entre sua sede e as comunidades e as especificidades que guardam cada uma delas constituem-se em dificuldades assisti-las pedagogicamente. Isso, certamente, pode e deverá ser minimizado com ações previstas nos projetos políticos pedagógicos de cada polo e escolas e através dos currículos que contemplarão a diversidade cultural, a vocação e aspirações de cada localidade.


Quanto aos aspectos socioeconômicos em São Gabriel, a tendência do município, ao longo da sua história, tem sido a agropecuária, apesar das intempéries

climáticas.

O

Programa

das

Nações

Unidas

para

o

Desenvolvimento Humano concluiu que o Índice de Desenvolvimento Humano juntamente com o Produto Interno Bruto e a renda per capita do município lhe conferem um grau médio em relação aos seus propósitos desenvolvimentistas. Ainda assim, é preciso marcar que o êxodo rural persiste em algumas localidades, motivado pela busca de sobrevivência, indicando que a escola precisa contemplar saberes que substanciem práticas como a agricultura familiar, a piscicultura, entre outras. A

diligência

dos

aspectos

culturais

inicia-se

pelo

calendário

comemorativo oficial, onde uma sequência de festejos lembrando datas significativas e tradições religiosas definem o ano do gabrielense. A presença de três espaços, o Museu da Memória de São Gabriel, o Ponto de Cultura Viver com Arte e a Biblioteca Pública Amélia Rodrigues Batista somam-se aos eventos artísticos itinerantes e populares, e estimulam as várias expressões culturais que aparecem nitidamente nas linguagens, costumes e hábitos cotidianos do seu povo. Assim, natural que o aspecto cultural seja um forte viés deste documento, contemplado em todos os níveis de ensino e modalidades. Todos os aspectos caracterizados detalhadamente no Plano de Educação contribuíram para a composição de um retrato real do município, revelando inclusive, suas contradições. Eles foram traduzidos em metas e objetivos, e aqui coadunados com aqueles que estão postos pelas Diretrizes Curriculares que juntos elaboramos.


Sobre a Educação Infantil, a Secretaria de Educação aspira adequar as escolas em suas estruturas física e pedagógica, suprir demandas humanas e qualificar permanentemente seu quadro docente, destacando a necessidade de criação de creches. O Ensino Fundamental também desponta como foco de atenção, tanto com as condições de acesso e permanência, como com a preocupação com as aprendizagens e aprovação. Além das emergências estruturantes dos espaços físicos e com o aperfeiçoamento do pessoal, urge a criação e implementação de programas que incidam em um modelo de educação para a paz, em contrapartida a todas as formas de violência que assolam o país, a despeito da Região, raça, classe ou grupos sociais. A Educação de Jovens e Adultos – EJA - em fase de estruturação, requer desde a criação de propostas específicas aos seus dois segmentos, até a formação de classes e preparação dos professores. O entendimento é o de que oportunizar àqueles que em idade escolar não tiveram acesso ou não conseguiram concluir seus ciclos de estudos regulares, demanda disponibilizar uma educação com base em suas realidades, suas disposições, suas histórias de vida, seus talentos e capacidades, substituindo os antigos programas compensatórios por novas plataformas educacionais pautadas na construção da cidadania. Em sentido lato, a educação inclusiva, que comporta a especial, a do campo e a quilombola deverão ser alvos de propostas interdisciplinares no âmbito dos currículos escolares, como também princípios carreadores de políticas e programas oficiais que interfiram nas vidas das famílias e das comunidades.


A observância e a atuação dos profissionais da educação, desde a elaboração do documento supracitado, animaram as autoridades políticas e a Secretaria de Educação e Cultura a construir, de forma participativa, as Diretrizes Curriculares do Município, envolvendo dois níveis da educação básica e a modalidade EJA. Para tanto, tornou-se imprescindível a formação de um grupo de profissionais, cuja leitura e ressignificação dos dados apresentados trouxessem uma nova perspectiva de futuro para a educação local.

Formular

e

operar

essas

transformações

com

competência,

conhecimento e engajamento foi a tarefa dos profissionais que assinam este documento, professores consultores, docentes e técnicos da Secretaria de Educação do Município de São Gabriel, reiterando-se, assim, a certeza de que cabe aos educadores não apenas o domínio de saberes específicos das diversas áreas do conhecimento, daqueles

relativos às metodologias e

práticas pedagógicas, ou que ainda baste compreender e atuar com mestria nos projetos e planejamentos educacionais, mas, também e sobretudo, é preciso conhecer as implicações que derivam de uma boa organização curricular, da escolha coerente e consciente dos processos avaliativos e da gestão escolar, como, principalmente, saber ouvir e interpretar os anseios coletivos da sociedade civil e das comunidades escolares. Assim, este documento seguiu um percurso de construção que envolveu

representantes dos docentes e

educadores,

como

agentes

interativos, e durante o ano de 2011 pode ser elaborado e revisitado, com vistas a melhores adequações. A criação de espaços e tempos para a reflexão


coletiva e para uma imersão nas práticas pedagógicas forneceu um leque de opções de estudos e produções que podem provocar mudanças significativas na realidade educacional de São Gabriel. É por essa razão vivencial que a Secretaria Municipal de Educação de São Gabriel traz a público o documento que sintetiza a caminhada de educadores que estiveram empenhados em construir orientações oficiais para a rede de ensino local, apresentadas em três volumes que tratam e retratam os olhares, as leituras e as propostas dirigidas para Educação Infantil, creche e pré-escola, Volume I; Ensino Fundamental de Nove Anos, Volume II; e Educação de Jovens e Adultos, segmentos 1 e 2, Volume III, cujos fundamentos aportam-se em saberes cientificamente reconhecidos.


FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL IDENTIDADE E AUTONOMIA - 0 a 3 anos OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA Prioriza-se um ambiente de acolhimento  Relação EU/OUTRO;

Conversas/diálogos;

Diagnóstico;

Experiências;

Observação;

Vivencias;

Registro;

Exploração de situações

Avaliação

sócio-educativas;

formativa

que dê segurança e confiança às crianças, garantindo oportunidades para  Contexto social/cotidiano (adaptação que sejam capazes de:

na escola - novos adultos, novas

• Conhecer, experimentar e utilizar os

companheiros, etc.);

recursos de que dispõem para a satisfação de suas necessidades

 Conhecimento do próprio corpo

essenciais;

(imagem, características, diferentes

 Anunciar seus desejos, sentimentos,

sensações, ritmos, cuidados pessoais,

vontades e desagrados;

segurança, proteção;

 Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo;

 Cuidados com o corpo (higiene e

Dinâmicas interativas;


 Interessar-se progressivamente pelo

alimentação);

cuidado com o próprio corpo, executando ações simples relacionadas à saúde e à higiene;

 Diálogo como forma de lidar com os conflitos;

 Aceitar os cuidados e demonstrações de afeto dos adultos e de outras

 Iniciativa a independência e autonomia

crianças;

Experiências/vivências (singularidade

• Interar e integrar contexto social da

pessoal e das pessoas desse

instituição, relacionando-se

convívio);

gradativamente com todos envolvidos: profissionais, outras crianças;  Identificar situações de risco e de

 Brinquedos e brincadeiras; • Relações de convivência em grupo(adultos e criança);

conforto (autoconfiança; • Uso dos materiais do espaço compartilhado;


FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL IDENTIDADE E AUTONOMIA 4 e 5 anos OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA Prioriza-se um ambiente de acolhimento que  Relação EU/OUTRO; dê segurança e confiança às crianças,

 Iniciativa e autonomia;

garantindo oportunidades para que sejam

 Reconhecimento e valorização do próprio

capazes de:

corpo (imagem, características, diferentes

• Conhecer, experimentar e utilizar os

sensações, ritmos, cuidados pessoais,

recursos de que dispõem para a satisfação

segurança, proteção;

de suas necessidades essenciais;  Anunciar seus desejos, sentimentos,

 Cuidados com o corpo (higiene e

Conversas/diálogos;

Diagnóstico;

Pesquisas;

Observação;

Experiências;

Registro;

Vivencias;

Reflexão/autoavaliação

alimentação);

vontades e desagrados;

 Regras elementares de convívio social;

Exploração de situações sócio-

 Agir com progressiva autonomia,

 Diálogo como forma de lidar com os

educativas;

conhecendo progressivamente seus limites, suas necessidades e as sensações que o

conflitos;  Iniciativa a independência e autonomia

corpo produz;

Experiências/vivências (singularidade

 Familiarizar-se com a imagem do próprio

pessoal e das pessoas desse convívio);

Dinâmicas interativas;


corpo;  Interessar-se progressivamente pelo cuidado com o próprio corpo, executando

 Respeito às características pessoais relacionadas ao gênero, etnia, peso, altura;  Relações pessoais e interpessoais

ações simples relacionadas à saúde e à

(interação, comunicação, manifestação,

higiene;

expressão, realização, escolhas, respeito,

• Interar e integrar contexto social da

auto-estima participação, colaboração,

instituição, relacionando-se gradativamente

convívio;

com todos envolvidos: profissionais, outras

 Brinquedos e brincadeiras;

crianças;

 Autoconceito e sua expressão;

 Identificar, enfrentar/vivenciar e valorizar

 Cultura de seu grupo de origem e de

as ações que envolvem as relações

outros grupos;

interpessoais (reconhecimento do próprio

• Regras de convivência em grupo;

nome, colaboração, solidariedade,

• Valorização do diálogo como forma de

cooperação, respeito, conflitos,  Identificar situações de risco e de conforto (autoconfiança;

lidar com os conflito; • Uso dos materiais do espaço compartilhado;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS ORAL E ESCRITA: 0 a 3 ANOS ORAL E ESCRITA: 0 a 3 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Ampliar, integrar competências como

 Vocabulário;

falante, falar e escutar;

 Comunicação oral/ situações comunicativas;

Rodas de conversa;

 Observação e Vivencias;

 Desenvolver a oralidade para conversar e  Falar e escutar; comunicar;

 Conversas espontâneas;

 Diagnóstico;

Registros:  Registros

Jogos e brincadeiras;

fotográficos;

 Leitura e escrita: • Expressar-se nos momentos de oralidade;

-Pelo professor;

Leituras e escrita;

 Leitura de Imagens;  Participar de variadas situações de comunicação oral;

 Contato com variadas formas de

• Interessar se ouvir histórias lidas pelo professor;

portfólio; Pesquisas;  Relatório de grupo;

linguagem; -oral;

Entrevistas;  Reflexão/auto-

-plástica musical e expressão corporal ;  Contato com vários tipos de textos (contos, poemas, parlendas, trava-

 Relatório individual/

Produção textual;

avaliação;


• Familiarizar-se aos poucos com a escrita

línguas, outros);

Socialização de idéias;

por meio da participação em situações nas

 Verbalização de idéias;

quais ela se faz necessária e do contato

 Criatividade;

cotidiano com livros, revistas, histórias em

 Imaginação;

individual;

quadrinho, etc

 Faz de conta;

em grupo escolar;

 Contato com materiais diversos;

com a comunidade

Atividades contextualizadas;

-ficha do nome, livros, jornais, rótulos, etc  Brincadeiras de faz-de-conta;

Jogos;

Música;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS ORAL E ESCRITA: 4 a 5 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Ampliar, integrar competências como

 Vocabulário;

falante, falar e escutar;

 Comunicação oral/ situações

 Desenvolver a oralidade para conversar,

comunicativas;

comunicar, relatar, recontar história;

 Falar e escutar;

• Interagir e expressar-se nos momentos de

 Conversas espontâneas;

oralidade ;

 Socialização de idéias;

 Participar de variadas situações de

 Leitura e escrita:

comunicação oral, para interagir e expressar

-Pelo de texto pelo aluno (considerar nível

desejos, necessidades e sentimentos por

de desenvolvimento)

meio da linguagem oral, contando suas

-Pseudo leitura: exploração de gravura,

vivências;

desenhos e textos de memória;

• Interessar-se por ler (ainda que não o

-Pelo professor;

façam de maneira convencional) e ouvir

-Leitura de Imagens;

Rodas de conversa;

Diagnóstico; Observação e

Vivencias;

Registros: -se demonstram

Jogos e brincadeiras;

interesse por “ler” e ouvir leituras;

Leituras e escrita; -se participam das Pesquisas;

conversas; -se acionam novas

Entrevistas;

expressões; -se interessam-se

Produção textual;

por livros e ou


histórias; • Familiarizar-se aos poucos com a escrita

-Jogos verbais;

outros portadores

 Contato com os vários tipos de textos

Socialização de idéias;

de texto;

Atividades contextualizadas;

Registros

individual;

fotográficos;

em grupo escolar;

com a comunidade

por meio da participação em situações nas

(contos, poemas, parlendas, trava-línguas,

quais ela se faz necessária e do contato

receitas, etc);

cotidiano com livros, revistas, gibis, etc.  Socializar idéias, representar histórias

 Contato com variadas formas de linguagem;

através linguagens variadas (dramatização,

 Manuseio de portadores textuais;

mímica);

 Verbalização de idéias;

 Identificar o próprio nome e o dos colegas;

 Criatividade;

 Reconhecer letras e números;

 Imaginação;

 Valorizar a leitura como fonte de prazer e

 Faz de conta;

apreensão do mundo;  Promover participação em situações de uso reais de leitura e escrita em seu cotidiano;  Percebe semelhança de sons inicial e final em palavras contextualizadas;

 Contato com materiais diversos; -ficha do nome, livros, jornais, rótulos, etc  Brincadeiras de faz-de-conta;  Coordenação motora;  Ilustração de textos;  Produção de textos

Relatório individual/ portfólio;

Jogos;

Relatório de grupo;

Música;

Reflexão/autoavaliação;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MOVIMENTO 0 a 3 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA 

Familiarizar-se com a imagem do próprio

Corpo;

corpo;

Expressão corporal;

Conhecer progressivamente seus limites,

Movimentos globais do corpo;

suas necessidades e as sensações que o  corpo produz; 

Explorar as possibilidades de gestos,

Vivencias;

Diagnóstico;

Experiências;

Observação;

Jogos e brincadeiras;

Registro;

Atividades contextualizadas;

Reflexão/auto-

Movimentos específicos do corpo; Coordenação do movimento, habilidade  manual; 

posturas e ritmos corporais para

Características do corpo;

expressarem-se nas brincadeiras e nas

Exploração do ambiente

demais situações de interação;

Jogos;

-em grupo escolar;

Deslocar-se com destreza progressiva no 

Linguagem rítmicas e corporais;

-com a comunidade

espaço ao andar, correr, pular etc.,

Ritmos, gestos, postura;

Desenvolvendo atitude de confiança nas

Equilíbrio, deslocamento no espaço, rolar,

Utilização de recursos

andar, correr, saltar, arrastar;

variados;

próprias capacidades motoras;

-individual;

avaliação


Desenvolver o equilíbrio;

Músicas;

-Histórias infantis;

Explorar e utilizar os movimentos de

Desenho;

-Danças;

Orientação espacial e temporal;

-Teatro;

preensão, encaixe, lançamento etc., para o  uso de objetos diversos.

Cotidiano;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MOVIMENTO 4 a 5 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA 

Familiarizar-se com a imagem do próprio

Corpo;

corpo;

Expressão corporal;

Conhecer progressivamente seus limites, 

Movimentos globais do corpo;

suas necessidades e as sensações que o 

Movimentos específicos do corpo;

corpo produz; 

movimentos;

Explorar as possibilidades de gestos,

posturas e ritmos corporais para

Vivencias;

Diagnóstico;

Experiências;

Observação;

Jogos e brincadeiras;

Registro;

Atividades contextualizadas;

Reflexão/auto-

Valorizar e ampliar possibilidade estética dança, em brincadeiras, e de outros e conquistas corporais;

Movimento nas situações cotidianas,

manual;

-em grupo escolar; -com a comunidade

expressarem-se nas brincadeiras e nas

Características do corpo;

demais situações de interação;

Exploração do ambiente

Deslocar-se com destreza progressiva no  espaço ao andar, correr, pular etc.,

-individual;

Coordenação do movimento, habilidade

Jogos; Linguagem rítmica e corporal;

Utilização de recursos variados;

avaliação


Desenvolvendo atitude de confiança nas

Ritmos, gestos, postura;

-Histórias infantis;

próprias capacidades motoras;

Equilíbrio e coordenação, deslocamento

-Danças; -Teatro;

Desenvolver o equilíbrio;

no espaço, rolar, andar, correr, saltar,

Explorar e utilizar os movimentos de

arrastar e competência de força,

preensão, encaixe, lançamento etc., para o

velocidade e flexibilidade;

uso de objetos diversos. 

Fazer exercício de imaginação e criatividade  para expressar-se;

Músicas; Controle sobre o corpo e movimento

Orientação espacial e temporal;

Cotidiano;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS ARTES VISUAIS – 0 a 3 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Ampliar o conhecimento de mundo que

A arte:

possuem;

 Temas culturais;

 Desenvolver a imaginação criadora;

 Temas do cotidiano;

 Envolver-se nas produções;

 O artista

 Participar das atividades de dança;

 A expressão artística;

 Observar suas produções e a dos

 Comunicação;

Manipulação de materiais variados;

Observação; Pesquisa; Registro; Investigação; Reflexão/auto-

outros;  Expressar, comunicar e atribuir sentido a

Linhas;

sensações sentimentos e pensamentos e 

Formas;

Pontos;

 Manipular diferentes objetos e materiais,

Espaço;

Tempo;

propriedades e possibilidades de manuseio; 

Volume;

realidade;

explorando suas características,

Diagnóstico;

Entrevista;

Expressão artística;

Lúdico;

avaliação.


 Entrar em contato com formas diversas 

Textura;

de expressão artística;

Cor;

 Utilizar diversos materiais gráficos e

Luz;

plásticos sobre diferentes superfícies para 

Tamanhos;

ampliar suas possibilidades de expressão e

Formas;

comunicação;

Padronagens;

 Integrar aspectos sensíveis, afetivos,

Desenhos;

intuitivos,estéticos, cognitivos e

Pinturas;

comunicação social;

Colagens;

 Interessar-se por ler e escrever

Leitura e escrita;

Relação com a natureza;

.


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS ARTES VISUAIS – 4 a 5 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Ampliar o conhecimento de mundo que

A arte:

possuem;

 Temas culturais;

 Desenvolver a imaginação criadora;

 Temas do cotidiano;

 Apreciar suas produções e a dos outros;  O artista  Expressar, comunicar e atribuir sentido

Manipulação de materiais variados;

Observação; Pesquisa;

 A expressão artística;

a sensações sentimentos e pensamentos e  Comunicação;

Diagnóstico;

Registro; Investigação; Reflexão/auto-

realidade;  Manipular diferentes objetos e materiais, 

Linhas;

explorando suas características,

Formas;

propriedades e possibilidades de

Pontos;

manuseio;

Espaço;

 Entrar em contato com formas diversas

Tempo;

de expressão artística;

Volume;

Entrevista;

Expressão artística;

Lúdico;

avaliação.


 Utilizar diversos materiais gráficos e

Textura;

plásticos sobre diferentes superfícies para 

Cor;

ampliar suas possibilidades de expressão e 

Luz;

comunicação;

Tamanhos;

 Produzir artes: pintura, colagens,

Formas;

modelagens, a partir de seu próprio

Padronagens;

repertório e utilização dos elementos da 

Desenhos;

linguagem artística;

Pinturas;

 Integrar aspectos sensíveis, afetivos, 

Modelagem;

intuitivos, estéticos, cognitivos e

Recorte;

comunicação social;

Leitura e escrita;

Relação com a natureza

 Interessar-se por ler obras de arte;

 Organizar e cuidar dos objetos da sala;

 Elementos da linguagem visual;  Organização e cuidado /materiais  Objetos produzidos;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MÚSICA– 0 a 3 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA 

Ouvir, perceber, discriminar e participar de

Linguagem musical;

ocorrências sonoras diversas, fontes

Som/silencio e suas qualidades;

sonoras e produções musicais;

Produção cultural

Brincar com a música, imitar, inventar e

Músicas/repertório musical variado;

reproduzir criações musicais;

Instrumentos musicais;

Expressar sentimentos utilizando a

Brincadeiras e jogos cantados;

linguagem musical;

Corpo;

Explorar e identificar o som e suas

Falar e escutar;

qualidades:

Obras musicais;

- altura (grave ou agudo);

Expressividade;

-intensidade (forte ou fraco) duração, e

Equilíbrio;

timbre);

Auto-estima;

Perceber e explorar ambientes com

Roda de conversa;

Diagnóstico;

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/autoavaliação

Investigação;

Investigação cientifica;

Observação;


ambientação sonora harmônica,

sonorização ampliada ou reduzida; 

Participar de atividades individuais coletivas que integrem músicas, canções e movimentos corporais/dança;

Interagir com as características da linguagem musical: produção, apreciação, reflexão;

Ouvir e cantar obras musicais diversas;

Imitar vozes de animais, ruídos, sons corporais, palmas, etc.

Integração social/afetiva/pedagógica;

Pesquisas;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MÚSICA– 4 a 5 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA 

Ouvir, perceber, discriminar e participar de ocorrências sonoras diversas, fontes

sonoras e produções musicais;

Linguagem musical;

qualidades; Produção cultural

Brincar com a música, imitar, inventar e

Músicas/repertório musical variado;

reproduzir criações musicais;

Instrumentos musicais;

Brincadeiras e jogos cantados;

Expressar sentimentos utilizando a

Corpo;

linguagem musical;

Falar e escutar;

Obras musicais;

Expressividade;

básicos:frases, partes, elementos que se  repetem;

Diagnóstico;

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/auto-

Características do som/silencio e suas

Reconhecer elementos musicais

Roda de conversa;

avaliação. Investigação;

Investigação cientifica;

Equilíbrio; Auto-estima;

Observação;


Explorar e identificar o som e suas

Integração social/afetiva/pedagógica;

qualidades:

Audição e integração com músicas

- altura (grave ou agudo);

diversas.

-intensidade (forte ou fraco) duração, e

Improvisação e interpretação;

timbre);

Jogos cantados;

Perceber e explorar ambientes com

Jogos e brincadeiras que envolvam

ambientação sonora harmônica, sonorização ampliada ou reduzida; 

ritmo, a dança e/ou a improvisão; 

Participa em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos;

Participar de atividades individuais coletivas que integrem músicas, canções e movimentos corporais/dança;

Interagir com as características da linguagem musical: produção, apreciação, reflexão;

Ouvir e cantar obras musicais diversas;

Informações sobre obras ouvidas e sobre seus compositores;

Pesquisas;


Imitar vozes de animais, ruídos, sons corporais, palmas, etc.

Escuta de obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas da produção brasileira;

Desenvolve memória musical através de canções folclóricas, brincadeiras cantadas e cantigas de roda;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS NATUREZA E SOCIEDADE – 0 a 3 ANOSMÚSICA– 0 a 3 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA • Adaptar-se á escola;

 Identidade;

Roda de conversa;

Diagnóstico;

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

• Conhecer e interagir com o coletivo: com  Escola; novos adultos, novas crianças e novas

 Adaptação na escola

situações;

 Escola;

• Conhecer o espaço escolar;

 Adaptação na escola

• Interagir com os fenômenos naturais e

 Dependências;

sociais com curiosidades;

 Cuidado;

Leitura;

 Explorar o ambiente, para que possa se  Funcionários (nome e função) relacionar com pessoas e o mundo vegetal

 Direitos e deveres (convívio afetivo)

e animal;

 O ambiente( a criança, a família, escola,

 Estabelecer contato com pequenos animais, com plantas e com objetos diversos;

comunidade);

avaliação Investigação;

Investigação cientifica;

 O ser humano – identidade (eu e minha família, nome, características físicas e

Reflexão/auto-

Observação;


 Manifestar curiosidade, interesse e opinião própria sobre os acontecimentos

preferências, membros da família;  Tradições culturais; família e sociedade;

sociais e naturais, buscando informações e Os animais/bicho, plantas; confrontando ideias;

 Fenômenos da natureza(sol, chuva,

 Compreender, explicar e representar informações do mundo social e natural;

vento,estações do ano)  Localização/mapas;

 Confrontar suas idéias com as das outras Orientação - Espaço e tempo; crianças; interação e jogos com as outras  Relação com os educadores e com as pessoas;  Conhecer modos de ser, viver, e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado;  Valorizar o patrimônio cultural do seu grupo social interesse por conhecer diferentes formas de expressão cultural;  Identificar alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio,

outras pessoas adultas;

Pesquisas;


dentro e fora da instituição;  Apresentar atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente;  Perceber, com ajuda dos adultos, as mudanças que ocorreram ao longo tempo


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS NATUREZA E SOCIEDADE – 4 a 5 ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA • Reconhecer o próprio nome como elemento integrante da identidade; • Relata a história do próprio nome, a origem;

 Identidade/ser humano – identidade (eu

físicas e preferências, membros da

• Interagir com os fenômenos naturais e

 Adaptação na escola  Dependências;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/autoavaliação

Investigação;

 Direitos e deveres (convívio afetivo)

família e se reconhece como parte dela) ;  O ambiente (a criança, a família, escola,  Valorizar, explorar o ambiente e se

Observação;

 Cuidado;

modo de vida característico de seu grupo  Funcionários (nome e função) social e outros grupos ( conhece sua

Roda de música;

família;  Escola;

 Estabelecer algumas relações entre o

Diagnóstico;

e minha família, nome, características

• Conhecer e dominar o espaço escolar;

sociais;

Roda de conversa;

Investigação cientifica;

comunidade e outros);

relacionar com pessoas e o mundo vegetal  Tradições culturais; família e sociedade;

Observação;


e animal;

 Os animais/bicho, plantas (ser

 Estabelecer contato com pequenos

vivo/características/ saúde/alimentação/

animais, com plantas e com objetos

cuidados);

diversos;

 Fenômenos da natureza (sol/dia e noite,

 Manifestar curiosidade, interesse e opinião própria sobre os acontecimentos

chuva/água, vento, estações do ano) 

sociais e naturais, buscando informações e Localização/mapas; confrontando ideias;

 Orientação - Espaço e tempo;

 Compreender, explicar e representar

Relação com os educadores e com as

informações do mundo social e natural;

outras pessoas adultas;

 Confrontar suas idéias com as das outras crianças;  Conhecer modos de ser, viver, e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado;  Valorizar o patrimônio cultural do seu grupo social interesse por conhecer

Pesquisas;


diferentes formas de expressão cultural;  Conhecer os meios de comunicação;  Identificar alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio, dentro e fora da instituição;  Apresentar atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente;  Perceber com ajuda dos adultos as mudanças que ocorreram ao longo;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MATEMÁTICA – 0 a 3ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Empregar a linguagem oral e a

 Número: relações quantitativas,

linguagem matemática nos diversos

contagem oral, reconhecimento do

contextos de vivência da criança ( ideias

número;

matemáticas, hipóteses, processos

 Contagem oral;

utilizados em situações problema);

 Espaço: noção, orientação e localização

 Aproximar de noções de quantidade, de

espacial (proximidade, interioridade,

tempo, de espaço e de medidas, através de

direcionalidade);

jogos, brincadeiras e músicas junto com o

 Tempo: noção e orientação temporal;

professor;

 Grandezas e medidas: comprimento,

 Descobrir e manusear objetos que contenham números em seu cotidiano; (nº sapato, celular, relógio, outros);  Familiarizar e dominar gradativamente

Roda de conversa;

Diagnóstico;

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/autoavaliação

Investigação;

peso,;  Lateralidade: posição, ponto de

Investigação cientifica;

referencia;  Propriedades e características dos

Contextualização;


com as quantidades relacionando com o

elementos do mundo à sua volta: (cor,

nome dos números nas brincadeiras

forma, tamanho, outros)

 Compor e decompor (juntar, dividir);  Utilizar gradativamente a ordenação sucessiva dos números, através da contagem oral;  Formar coleções para representar quantidades, classificar, contar, ordenar, descobrir características e nomear principais atributos;  Explorar o ambiente e as modificações que ocorrem à sua volta: empilhar, contar, relacionar, manipular, rolar, organizar, amassar, empurrar, transvasar, encaixar;


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MATEMÁTICA –4 a 5ANOS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Empregar a linguagem oral e a linguagem matemática nos diversos contextos de vivência da criança

 Lateralidade: posição, ponto de

 Propriedades e características dos elementos do mundo à sua volta: (cor,

homem ( ideias matemáticas, hipóteses,

forma, tamanho, outros)

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/auto-

 Número: relações quantitativas,

situações problema);

contagem oral, reconhecimento do

 Inserir noções de quantidade, de

número/elemento/numeral; unidade

tempo, de espaço e de medidas, através

/dezena;dúzia; noções de antecessor e

de jogos, brincadeiras e músicas junto

sucessor; ordem crescente e

com o professor;

decrescente; noções de adição e

 Manusear objetos que contenham

subtração;

números (nº sapato, celular, relógio,

Diagnóstico;

referencia;

reconhecendo a necessidade de uso do

processos utilizados, e resultados de

Roda de conversa;

 Sinais: igual/diferente;

avaliação Investigação;

Investigação cientifica;

Contextualização;


outros);

 Espaço e forma: noção, orientação e

 Descobrir os números em seu

localização espacial (proximidade,

cotidiano;

interioridade, direcionalidade);

 Reconhecer e aplicar o número às

 Espaço e forma/ Posição: dentro/fora;em

situações necessárias do cotidiano;

cima /embaixo /entre; em pé/ sentado;

 Familiarizar e dominar gradativamente

longe/ perto; aberto

com as quantidades relacionando com o

/fechado;direita/esquerda; linhas abertas

nome dos números nas brincadeiras

e fechadas; linhas retas e

 Compor e decompor (juntar, dividir);

curvas/fechadas e abertas;

 Utilizar gradativamente a ordenação sucessiva dos números, através da contagem oral;

 Tempo: dia e noite/ hora do dia; ontem, hoje e amanhã, antes/agora/depois;  Grandezas e medidas: comprimento,

 Utilizar noções dos conceitos

tamanho, altura, largura, quantidade e

matemáticos;

espessura, noções de tempo;

leve/pesado; cheio/vazio; o metro/o

Identificar cores primárias;

 Explora e identifica propriedades geométricas de objetos figuras como

quilo/o litro;  Lateralidade: posição, ponto de


formas, tipo de contornos, faces, -

referencia;

Comprimento, tamanho, altura, quantidade  Propriedades e características dos e espessura.

elementos do mundo à sua volta: (cor, forma, tamanho, outros);

MATEMÁTICA – 4 a 5ANOS

 Constrói idéias sobre quantidades; • Tempo: dia e noite / horas exatas;  Utiliza noções simples de cálculo mental como ferramenta;  Espaço e forma /Posição: Dentro/fora  Explora diferentes procedimentos para comparar grande-

- Em

cima/embaixo. Demonstrar noções de medida, de comprimento e de tempo Aberto/fechado.  por meio da utilização de medidas não-

 Tratamento da informação (tabelas)


convencionais;

- Linhas abertas e

fechadas.  Formar coleções para representar quantidades, classificar, contar, ordenar, descobrir características e nomear principais atributos;  Explorar o ambiente e as modificações que ocorrem à sua volta: empilhar, contar, relacionar, manipular, rolar, organizar, transvasar, encaixar,


CONHECIMENTO DE MUNDO: LINGUAGENS MATEMÁTICA – 4 a 5ANOS OBJETIVOS

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES

ABORDAGEM TEÓRICO-

AVALIAÇÃO

METODOLÓGICA  Empregar a linguagem oral e a linguagem matemática nos diversos

 Número: relações quantitativas, contagem

Diagnóstico;

Roda de música;

Observação;

Pesquisa;

Registro;

Leitura;

Reflexão/auto-

oral, reconhecimento do número;

contextos de vivência da criança

 Contagem oral;

reconhecendo a necessidade de uso do

 Espaço: noção, orientação e localização

homem ( ideias matemáticas, hipóteses,

espacial (proximidade, interioridade,

processos utilizados, e resultados de

direcionalidade);

situações problema);

 Tempo: noção e orientação temporal;

 Inserir noções de quantidade, de

 Grandezas e medidas:comprimento, peso,

tempo, de espaço e de medidas, através

Roda de conversa;

volume;

de jogos, brincadeiras e músicas junto

 Lateralidade: posição, ponto de referencia;

com o professor;

 Propriedades e características dos

 Manusear objetos que contenham

elementos do mundo à sua volta: (cor,

números (nº sapato, celular, relógio,

forma, tamanho, outros)

avaliação Investigação;

Investigação cientifica;

Contextualização;


outros);  Descobrir os números em seu cotidiano;  Reconhecer e aplicar o número às situações necessárias do cotidiano;  Familiarizar e dominar gradativamente com as quantidades relacionando com o nome dos números nas brincadeiras  Compor e decompor (juntar, dividir);  Utilizar gradativamente a ordenação sucessiva dos números, através da contagem oral;  Utilizar noções dos conceitos matemáticos; 

Identificar cores primárias;

 Explorar e identificar propriedades geométricas de objetos figuras como


formas, tipo de contornos, faces, Comprimento, tamanho, altura, quantidade e espessura.  Constrói idéias sobre quantidades; • Tempo: dia e noite / horas exatas;  Utiliza noções simples de cálculo mental como ferramenta;

MATEMÁTICA – 4 a 5ANOS

 Espaço e forma /Posição: Dentro/fora  Explora diferentes procedimentos para comparar grande-

- Em

cima/embaixo. Demonstrar noções de medida, de comprimento e de tempo - Aberto/fechado. 


por meio da utilização de medidas

não-convencionais;

- Linhas

abertas e fechadas.  Formar coleções para representar quantidades, classificar, contar, ordenar, descobrir características e nomear principais atributos;  Explorar o ambiente e as modificações que ocorrem à sua volta: empilhar, contar, relacionar, manipular, rolar, organizar, transvasar, encaixar,


REFERÊNCIAS

ARIÉS, Philippe, História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro, Zahar, 1978. BASSEDAS, Eulália. (et. al). Aprender e ensinar na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 1999. BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal,1988. BRASIL. Lei Darcy Ribeiro: Lei Federal nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB. Brasília: Senado Federal,1997. BRASIL. Lei Federal nº 8.069/90 de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. Brasília: Ministério da Saúde, 1991. BRASIL, CNE, CEB. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Parecer nº 22/98, aprovado em 17 de dezembro de 1998. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil / Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 2002- 3v.: il. - Volume 1: Introdução; Volume 2: Formação pessoal e social; Volume 3: Conhecimento de mundo. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Programa de desenvolvimento profissional continuado/ Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. – – Brasília: A Secretaria, 1999. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Política Nacional de Educação Infantil : pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC, SEB, 2006. BRASIL. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil / Ministério da Educação/Secretaria da Educação Básica – Brasília: MEC/SEB, 2009. BRASIL. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças / Maria Malta Campos e Fúlvia Rosemberg. – 6.ed. Brasília : MEC, SEB, 2009. DAVIS, Claudia; OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Psicologia na Educação. São Paulo: Cortez Editora, 1990. KRAEMER, Sônia. Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular. São Paulo: Ática, 1999.


FERREIRO, Emília. A escrita... antes da letra. IN: SINCLAIR, H. (ORG). A produção de notações na criança. São Paulo: Autores Associados, 1990. FREINET, C. As técnicas Freinet da escola moderna. Lisboa: Editorial Estampa, 1975. HOFFMANN, Jussara. AVALIAÇÃO NA PRÉ-ESCOLA. Um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Porto Alegre: Mediação, 2000. LA TAILLE., O lugar da interação social na concepção de Jean Piaget. I LA TAILLE; OLIVEIRA, M.K; DANTAS,H. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. 13.ed. São Paulo: Summus, 1992 p.11-22. LLEIXÁ ARRIBAS, Teresa. Educação Infantil: desenvolvimento, currículo e organização escolar. Porto Alegre: Artmed, 2004. KISHIMOTO, Tizuto Morchida. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. MARCONDES, E. Pediatria Básica . 8ªed. São Paulo: Sarvier, 1991. MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizagem significativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999. PIAGET, J. Seis estudos de psicologia. Editora Forense PIAGET, J. Epistemologia Genética. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora Ltda. 1976. PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 3.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. SANTOS, B. A emergência da concepção moderna da infância e adolescência – mapeamento, documentação e reflexões sobre as principais teorias. 1996. Dissertação (Mestrado Antropologia) Faculdade de Ciências Sociais - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. VEIGA, Ilma P. A. (org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas.

Marlene  

Livro de Marlene 1