Issuu on Google+

ilustração: andré felix

52+monet+outubro

67AuxiliaresTecnicos.indd 52

15/9/2008 21:24:44


HOMENS DE CONFIANÇA só em Boleiros 2 – Vencedores e Vencidos o auxiliar técnico fica à espreita para dar uma rasteira no treinador. na vida real, o escudeiro faz de tudo para manter o sucesso do chefe

por humberto peron

outubro+monet+53

67AuxiliaresTecnicos.indd 53

15/9/2008 21:25:54


FAMÍLIA OU ESPECIALISTAS – Há

AG. O DIA

HUMBRTO PERON

Por isso, muitos técnicos levam seus auxiliares na bagagem quando assumem um time. “Quando o treinador traz uma equipe definida, tudo acontece com mais naturalidade. Fica mais fácil para o técnico implantar a sua metodologia de trabalho”, comenta Eudes Pedro, que há quatro anos acompanha Cuca. Geralmente, treinadores colocam a seu lado pessoas com quem eles já tiveram alguma experiência no futebol. Neófito na profissão de técnico, Dunga, ao assumir o cargo de treinador da seleção brasileira, não pensou duas vezes e chamou Jorginho para sua comissão técnica. Além de o ex-lateral já ter experiência como treinador (realizou um trabalho elogiado no América-rJ), os dois têm uma sólida amizade desde o início da década de 1980, quando foram convocados para a seleção brasileira de juniores. Já Nei Pandolfo trabalha há três anos ao lado de Vanderlei Luxemburgo. Ele foi jogador e capitão do bragantino, quando o time do interior ganhou o Campeonato Paulista de 1991 – a primeira conquista de peso do técnico.

aqueles que escalam os parentes como auxiliares. Até há pouco tempo, oswaldo oliveira trabalhava com o seu irmão Waldemar Lemos. Cuca também é adepto do trabalho em família. Ele está há oito anos com seu irmão, Dirceo Stival, o Cuquinha, na sua comissão técnica. o que gera algumas situações engraçadas. “Como eu sou parecido com meu irmão, quando o time vence, aceito muito bem os elogios dos torcedores. Agora, em caso de derrota, já vou logo avisando que eu não sou o Cuca”, diverte-se Cuquinha, que antes da parceria nos gramados já cuidava dos negócios do irmão. Atualmente, dois nomes são referências quando se fala em auxiliares no futebol brasileiro: Valdir Joaquim de Moraes e Milton Cruz. o primeiro acumula experiência de mais de 40 anos trabalhando com treinadores famosos como osvaldo brandão, telê Santana, Carlos Alberto Parreira e Vanderlei Luxemburgo. “Me dou bem com todos os treinadores, pois eles sabem que eu não interfiro no trabalho deles

Fala que eu te escuto À esquerda, Nei faz a leitura do jogo para o técnico Luxemburgo (acima). Para o auxiliar, o trabalho é mais intenso no segundo tempo, porque é preciso ficar ligado nas substituições do adversário

O bom auxiliar é aquele que não aparece. Se a atenção está sobre ele, alguma coisa está errada NEI, ASSISTENTE DE LUXEMBURGO

NA ALEGRIA E NA TRISTEZA

AG. O GLOBO

A parceria de Felipão e Murtosa, que garantiu uma Copa, já fez bodas de prata Muitoscasamentosnãoduramtanto.AparceriaentreLuizFelipeScolarieseuauxiliarFlávio Teixeira,oMurtosa,játem26anos.Ocomeçoaconteceuem1982,quandoFelipãoassumiu oPelotas(RS).Depois,MurtosaestevecomofielescudeironoKuwait,naArábiaSaudita, noJapão,emPortugaleagoraemLondres,ondecomandamoChelsea.Amaiorfaçanhado duetofoiopentacampeonato,em2002,naCopadoMundodoJapãoedaCoréia.Paraquem estáacostumadoaverMurtosaaoladodoFelipão,ébomlembrarqueelejátrabalhoucomo técnico.Em1997,eletreinouoJuventude.Em2000,apósasaídadeScolaridoPalmeiras,ele levouotimeàconquistadaCopadosCampeões–torneioextintoquedavaumavaganaCopa Libertadores.Em2002,Murtosavoltouatreinarotimepaulista,massódurou19diasnocargo.

54+monet+outubro

67AuxiliaresTecnicos.indd 54

15/9/2008 21:25:57


e não faço pressão para derrubá-los. Eu procuro ajudar no que sou consultado”, afirma o ex-goleiro, que foi o primeiro profissional a dar treinamento específico aos arqueiros. Já Milton Cruz está há 15 anos trabalhando no São Paulo. Nesse período, indicou ao clube vários jogadores, que fizeram muito sucesso com a camisa do tricolor, como o volante Maldonado, o zagueiro Miranda e o atacante Luís Fabiano. “trabalho em um time do qual gosto. Meu intuito é que o treinador fique o maior tempo possível no cargo. Pois, se isso acontece, é porque o clube está bem e ganhando títulos”, comenta o ex-centroavante, que é também famoso por contar histórias engraçadas na concentração. outra característica recomendada aos auxiliares é a discrição. “o bom auxiliar é aquele que não aparece. Se a atenção está sobre ele, alguma coisa está errada”, afirma Nei. “Eu nem gosto de dar entrevista. Quando o treinador tem o comando das coisas, ele explica do jeito dele. o auxiliar não pode criar tumulto”, completa tata. Mas os técnicos não querem apenas companheiros leais ao seu lado – e não precisam de puxa-sacos. Eles precisam que os subordinados sejam competentes, porque não são poucas as funções destinadas a

ESCOLINHA DO PROFESSOR LUXA Cinco vezes campeão brasileiro, Vanderlei Luxemburgo é muito procurado por ex-jogadores e técnicos em início de carreira que querem estagiar com ele. Eles sabem que, além de adquirir conhecimentos na preparação de uma equipe, essa oportunidade pode ser um belo cartão de visita na busca de emprego. Isso porque vários auxiliares de Luxemburgo já se tornaram técnicos com algum sucesso. Em tempo: o atual técnico do Palmeiras também começou sua carreira no banco de reservas como auxiliar. Em 1980, logo após encerrar sua carreira, devido a uma contusão, o ex-lateralesquerdo do Flamengo, Botafogo e Internacional foi convidado para trabalhar junto com Antônio Lopes no Olaria, time de pouca expressão do Rio.

Oswaldo de Oliveira

> AssumiuoCorinthiansem1999,quandoLuxemburgodeixou oclubeparasededicarsomenteàseleçãobrasileira.Conquistou títulosimportantesnoTimãoecomandououtrostimesgrandes noBrasil.AtualmentefazsucessocomotreinadornoJapãoe mantémumarelaçãodistantecomomestre.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Trio de ferro O exigente Muricy (de preto) é ladeado pelos auxiliares Tata (à esquerda) e Milton Cruz. A parceria já rendeu dois títulos brasileiros para o São Paulo

eles. É obrigação dos auxiliares observar como jogam os adversários e passar informações precisas. Eles também participam dos treinos diários e muitos ajudam na palestra que o treinador dá no dia do jogo – a tal preleção. E é com um auxiliar que o treinador fica se comunicando, via rádio ou celular, durante uma partida. outra função importante é fazer o meio-de-campo entre o elenco e o treinador, já que os jogadores se abrem mais com os auxiliares. “Nós somos os olhos e os ouvidos do treinador. Qualquer informação colhida é levada para ele, e os jogadores sabem disso. Muitos nos procuram quando querem dar um recado ao técnico”, afirma Nei. A intimidade com os jogadores também faz com que os auxiliares passem para eles informações e características dos adversários minutos antes da partida. No fundo, todo auxiliar sabe que é um faz-tudo. A ele só não é permitido ser treinador. ■ BOLEIROS 2,

dia 27, segunda, 22h, Canal Brasil, 66

Paulo César Gusmão

>ComeçoutrabalhandocomLuxemburgocomotreinador degoleiros.Játreinouváriostimesgrandes–Flamengo, BotafogoeFluminense–,massemmuitosucesso.Ganhou oCampeonatoMineirocomoCruzeiro,em2006,eesteano levouomodestoItumbiaraaotítulogoiano.

Alexandre Gallo

>Oex-volantefoiauxiliardeLuxemburgonoSantos,em2004, naconquistadoCampeonatoBrasileiro.TevesucessonoSport, ganhandootítulopernambucanoem2007,enoseguinte venceuoCampeonatoCatarinensecomoFigueirense.Ainda nãofezumgrandetrabalhonosgrandescentros,fracassando noInternacional,noSantosenoAtlético-MG.

outubro+monet+55

67AuxiliaresTecnicos.indd 55

15/9/2008 21:25:59


auxiliares