Page 1

Política & Saúde Brasília, 26 de outubro de 2015

Edição N°22/2015 editorial

Foto: Ananda Borges/Câmara dos Deputados

O

itocentos milhões, esse foi o montante aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados para emendas à Lei Orçamentária de 2016. Os investimentos serão destinados às áreas de acessibilidade, educação, saúde e assistência social. Para a área da saúde, foi aprovada emenda de R$ 300 milhões para implementar novos Centros Especializados de Reabilitação e compra de equipamentos, como mesas ginecológicas adequadas ao atendimento das mulheres com deficiência física. Na agenda dessa semana, o destaque vai para a audiência pública sobre Epidermólise Bolhosa (EB), uma doença genética, não-contagiosa, que afeta as camadas da pele, resultando em hipersensibilidade ao atrito, e leva a formação de bolhas ou lesões. Como consequência, as pessoas com EB chegam a desenvolver atrofia das mãos e pés, sofrem traumas no tubo digestivo e têm dificuldades na absorção de nutrientes. Além disso, grandes são os enfrentamentos sejam no acesso à educação, à saúde, aos direitos humanos, aos direitos sociais e ao mercado de trabalho. No entanto, esses problemas não são únicos obstáculos nessa luta. O maior de todos é o desconhecimento da sociedade e de profissionais da saúde, que podem gerar isolamento de pacientes, o que acontece na maioria dos casos desde a infância. A iniciativa da audiência foi solicitada pela Associação de Parentes, Amigos e Portadores de Epidermólise Bolhosa Congênita em função do mês de conscientização da doença, porém, o debate deveria ser realizado em conjunto com as comissões de Seguridade Social e Direitos da Pessoa com Deficiência, isso porque são as comissões que mais recebem demandas da área de políticas de saúde, em especial, às doenças raras.

PUBLICAÇÃO

Foto: Genoma/Internet

Pesquisadores do Genoma Humano da USP lança livro sobre células-tronco Os especialistas em genética, Dra. Mayana Zatz e Dr. Oswaldo Keith Okamoto do Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco da Universidade de São Paulo publicaram o livro que Stem Cells in Modeling Human Genetic Diseases que enfatiza a importância de células-tronco obtidas de pacientes como ferramenta de investigação de doenças genéticas humanas para as quais ainda não há tratamentos eficazes disponíveis. Ele traz vários exemplos do uso da tecnologia de células iPS, uma recente descoberta científica reconhecida pelo Prêmio Nobel, para geração de células pluripotentes específicas de pacientes, a partir das quais vários outros tipos de células especializadas, envolvidas em uma determinada doença, podem ser obtidos. São abordados transtornos psiquiátricos, doenças neurodegenerativas, doenças cardíacas e distrofias musculares, entre outros tópicos. A obra é indicada para alunos de pós-graduação, cientistas e médicos interessados em aplicações deste emergente campo de pesquisa em modelagem de doença, desenvolvimento de medicamentos e questões atuais em medicina regenerativa. Informações: http://www.springer.com/us/book/9783319183138


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA Foto: Reprodução/ CMD

Foto: Reprodução/ Anvisa

Lançamento do Conjunto Mínimo de Dados da Atenção à Saúde Entre os dias 20 e 21 de outubro, o Ministério da Saúde promoveu o I Encontro Nacional sobre o conjunto Mínimo de Dados da Atenção à Saúde (CMD), com o propósito de trabalhar uma proposta de remodelagem das bases de dados ambulatoriais e hospitalares para o SUS, na perspectiva de diminuir a fragmentação e a quantidade de sistemas hoje existentes e qualificar as informações coletadas; saindo de uma lógica focada no controle, faturamento e nas necessidades pontuais para um sistema que contribua para o processo de planejamento e organização do sistema de saúde no Brasil. Com isso, o Sistema de Regulação, Controle e Avaliação (SISRCA) é encerrado dando lugar ao CMD. O Ministério da Saúde criou uma página pública no Facebook para mais informações: https://www.facebook.com/ cmdsaude.

Anvisa fortalece intercâmbio com Ministério da Saúde da França

O Diretor-Presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, recebeu, nesta quarta (21), em Brasília, a visita técnica de representantes do Comitê Econômico de Produtos de Saúde e da Alta Autoridade de Saúde do Ministério da Saúde da França. O encontro teve como objetivo de fortalecer o intercâmbio de experiências em regulação econômica dos mercados de medicamentos e de produtos para a saúde. A cooperação técnica entre Brasil e França possibilita acesso a detalhes do modelo francês de regulação do mercado de produtos para a saúde, em apoio às atividades do Grupo de Trabalho Interministerial de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (GTI-OPME), que teve o objetivo de discutir práticas abusivas ocorridas no setor de OPME e propor medidas para reestruturação e ampliação da transparência desse mercado. Fonte: Ascom/Anvisa

Avanços no diagnóstico para doença de Niemann-Pick

Entre os dias 22 e 24 de outubro, médicos especialistas em genética e neurologia se reuniram para debater as novidades no diagnóstico e tratamento da doença Niemann-Pick Tipo C (NP-C), na quarta edição do Latam 2015, no Rio de Janeiro. De acordo com o neurologista Fernando Kok, professor-associado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), devem participar cerca de 80 médicos da América Latina de áreas que trabalham com a doença, ainda desconhecida mesmo entre a classe médica. Sobre a NP-C, a taxa de incidência é estimada em uma em cada cem mil pessoas, com cerca de 200 a 300 casos no Brasil e em torno de 10 mil no mundo. Kok explica que um dos complicadores para o diagnóstico é a diferença de sintomas e idade em que se manifesta. “É uma doença que leva a uma deterioração neurológica progressiva, leva a uma regressão na parte de cognição, inteligência, distúrbios de movimento, uma falta de coordenação motora, uma dificuldade de movimentar os olhos. É uma doença que tanto a idade de início pode ser muito variável, com bebezinho que começa muito cedo com problema de fígado, ou pode começar na vida adulta com alterações comportamentais, delírios e um quadro que lembra uma doença psiquiátrica.” Entre as novidades no diagnóstico e tratamento das doenças raras, Kok explica que o avanço tecnológico barateou os exames de sequenciamento genético, o que

é uma revolução na medicina. “O custo dessa genética, de analisar genes, caiu bastante. Então está chegando ao ponto onde passa a ser possível você fazer diagnóstico de doenças raras com exames de DNA. Isso também vai provavelmente poder acelerar o diagnóstico. Porque até então o teste de DNA era extremamente caro e para cada doença você tinha um teste diferente, hoje em dia você pode, num único exame, olhar milhares de doenças genéticas.” Fontes: Reportagem: Akemi Nitahara/ Agência Brasil Foto: Agência UEL

Alagoas alerta pneumonia

sobre

casos

de

A pneumonia é a segunda causa de óbitos no Hospital Geral do Estado (HGE). Segundo levantamento feito pelo Serviço de Arquivo Médico e Estatístico, este ano já foram registrados 216 vítimas fatais da doença, número muito superior a 2012, por exemplo, quando apenas 89 óbitos foram registrados durante todo ano. Desde 2013, a pneumonia assume a segunda posição nesse levantamento do HGE, sendo superada apenas pelo AVC (Acidente Vascular Cerebral). Fonte: Agência Alagoas


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA Foto: Reprodução/ Internet

Petição para reconhecimento da doença de Lyme

Em Luxemburgo (França), uma paciente diagnosticada com a doença Lyme, Tânia Silva, lançou a petição pública online "Por um melhor reconhecimento da doença de Lyme". A iniciativa quer chamar a atenção das autoridades para o apoio nos tratamentos e coletar 4.500 assinaturas até 3 de dezembro. A doença de Lyme é causada por uma bactéria transmitida pela picada de um carrapato infectado. Pode haver sintomas diferentes, mas os mais comuns são o cansaço muscular, enxaquecas e as dores corporais. De acordo com os últimos dados (2013) do Centro de Investigação Pública da Saúde (CRPS, na sigla em francês) e do Laboratório Nacional de Saúde, 16 % das carraças estão infectadas com o agente da doença de Lyme. Trinta e oito por cento dos trabalhadores florestais e 8 % da população em geral já teve contacto com a bactéria. A presidente da Associação Luxemburguesa Borreliose de Lyme, Sofia Araújo, distancia-se da iniciativa e diz que "o problema não é tanto político, mas sim médico". "Acho bom que ela mobilize as pessoas por esta causa, mas vai ser difícil obter mais ajudas do que aquelas que o Ministério da Saúde oferece. O problema não é tanto político, mas sim dos médicos. Eles é que têm de dar as respostas e não, por exemplo, um ministro", disse ao jornal Contacto Sofia Araújo, que vai ainda ouvir a opinião dos membros restantes sobre esta petição. Além das ajudas financeiras, a petição de Tânia Silva propõe ainda formação sobre a doença para os profissionais de saúde, e a título preventivo, a colocação de painéis informativos à entrada dos parques públicos e florestas sobre os perigos da transmissão da bactéria através dos carrapatos. O documento é apoiado pela Associação Francesa Lyme Sans Frontières e está disponível no site da Câmara dos Deputados da França: http://bit.ly/1LVYeca

FDA aprova novo tratamento para a doença metabólica rara

No dia 23 de outubro, o FDA - Food and Drug Administration, nos Estados Unidos, aprovou o medicamento Strensiq (asfotase alfa) como o primeiro tratamento para hypophosphatasia (HPP) - perinatal, infantil e juvenil. A HPP é uma doença rara genética progressiva e metabólica em que os pacientes experimentam efeitos devastadores em vários sistemas do corpo, levando à incapacidade grave e complicações com risco de vida. É caracterizada pela mineralização do osso defeituoso que podem levar ao raquitismo e amolecimento dos ossos resultando em anormalidades esqueléticas. Ela também pode causar complicações, como fraqueza muscular profunda com perda de mobilidade, convulsões, dor, insuficiência respiratória e morte prematura.

Diário Oficial do DF Foi publicado no Diário Oficial do DF, de 23/10/2015, os avisos para dispensa de licitação para atender uma demanda judicial referente à aquisição do medicamento Nitisinone 10 mg (R$ 448.366,48), Brentuximab Vedotin 50mg (R$ 187.075,92) e Dobutamina, cloridrato, solução injetável 12,5 mg/ ml ampola 20 ml (R$ 28.194,50). O recebimento das propostas juntamente com as documentações em envelope lacrado será até às 11 h do dia 28 de outubro de 2015 por e-mail: importação.sesdf@ gmail.com.

[ fique por dentro ] I Simpósio Alagoano de AVC Data: 6 e 7 de novembro Local: Centro Universitário Tiradentes - Unit - Maceió, Alagoas Temas a serem abordados: Atendimento pré-hospitalar no AVC; Unidade de AVC; Acolhimento e Classificação de risco de pacientes com AVC; AVC isquêmico e seu tratamento; Tratamento avançado do AVC isquêmico; Fisioterapia no paciente com AVC: prática baseada em evidências; Reabilitação cognitiva no paciente com AVC; Uso do CPAP no AVC agudo e crônico; Abordagem na Hemorragia Intraparenquimatosa; Hemorragia Subaracnoidea; Alterações fonoaudiológicas no AVC com foco na disfagia; Terapia Ocupacional no paciente com AVC: quando e como?; e AVC em jovens. Inscrições e Programação: http:// bit.ly/1W3iJds Realização: Ação AVC

>>>

Seminário “Vigilância em Saúde das Doenças Virais Chikungunya, Zika e Dengue: desafios para o controle e a atenção à saúde”. Data: 3 e 4 de novembro Local: Auditório do Museu da Vida (Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro) Horário: 8h:30 às 17h Inscrições gratuitas: http://bit.ly/1i7NnzI Mais informações: (21) 3885-1625

>>>

Exposição de Arte e Encontro da Família Cistinose Objetivo: Reunir familiares e pacientes com diagnóstico de Cistinose Data: 10 de novembro Horário: 9h às 17h Local: Centro de Convenções Rebouças do Hospital das Clínicas da FM/USP, São Paulo Inscrições gratuitas: http://bit. ly/1PN3cur Informações: Xênia Mota (85) 99118-1571/3261-9439, gscistinose.ne.brasil@gmail.com


POLÍTICA NOS MUNICÍPIOS Foto: Reprodução/ Agência AL/Alesc

SC: Simpósio sobre doenças metabólicas

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina realizou nos dias 22 e 23 de outubro, o II Simpósio de Doenças Metabólicas, com o objetivo de capacitar os profissionais de saúde e educadores envolvidos na assistência a crianças e adolescentes com deficiências para que possam reconhecer os sintomas associados ao problema, e quando necessário saber orientar as pessoas para o tratamento na rede de atenção à saúde. De acordo com a médica pediátrica e geneticista Gisele Rozone De Luca, as doenças metabólicas são um termo genérico usado para anomalias causadas por algum processo metabólico anormal, geralmente associadas a problemas na ação da insulina, hormônio sintetizado no pâncreas e que desempenha importante papel no metabolismo corporal ao promover a entrada de glicose nas células. “Este grupo de doenças, que engloba 500 a 700 tipos, pode ser congênita, decorrente de alguma alteração genética herdada, ou adquirida por alguma enfermidade ou disfunção endócrina. A incidência de cada uma, de forma isolada, é pequena, mas em conjunto nem tanto, já que está presente em um a cada mil nascimentos.” O evento também abordou sobre: fenilcetonúria clássica e hiperfenilalaninemias, triagem neonatal em Santa Catarina, aconselhamento genético, erros inatos do metabolismo e outros. Foto: Reprodução/ Internet

Para o deputado, há algum tempo os tratamentos na modalidade Serviço de Assistência Domiciliar tem se tornado mais comuns, sendo de importância fundamental tanto para evitar o superpovoamento dos hospitais, eliminando filas para pacientes em quadros de urgência e de gravidade maior, quanto para um tratamento mais humanizado, em ambiente familiar e com custos menores à família. Na tentativa de melhorar esse atendimento, Maluf citou alguns exemplos de atendimentos do SAD, do qual, segundo ele, há situações de alto risco e com necessidade de profissionais altamente qualificados, até situações de acompanhamento de casos mais amenos. Entre os exemplos, o deputado citou a assistência 24 horas, assistência de 12 horas, cuidados domiciliares e, gerenciamento à saúde domiciliar. “São alguns dos exemplos que requerem cuidados especiais, como os de 24 horas, quando pacientes de alta complexidade necessitam de cuidados intensivos e podem precisar de equipamentos de suporte de vida”, relatou ele. Fonte: Cenário MT

MT: Projeto garante fornecimento de energia em residências com home care

O deputado Guilherme Maluf (PSDB) apresentou projeto de lei (nº 652) que proíbe a interrupção do fornecimento de energia elétrica no Estado de Mato Grosso aos consumidores que mantiverem Serviço de Assistência Domiciliar - SAD (home care) em suas residências enquanto perdurar o tratamento. De acordo com a propositura, o consumidor deverá informar à concessionária de energia elétrica tão logo inicie a instalação dos equipamentos. No caso de descumprimento da lei, a concessionária estará sujeita à multa de 50 UPFs, sendo cobrada em dobro a cada reincidência.

PB: Comissão aprova carta em defesa da saúde de João Pessoa e leva demandas ao Ministério da Saúde

A 'Carta em Defesa da Saúde Pública de João Pessoa' será encaminhada ao Ministério da Saúde na quarta-feira (28) pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal que realizou inspeções e audiência pública realizadas na Capital paraibana na última segunda-feira (19) para verificar e discutir os problemas da saúde pública. O documento relata os problemas detectados e aponta algumas soluções e pede providências para os fatos relatados. As inspeções e a audiência foram realizadas após solicitação apresentada pelo deputado federal, Wilson Filho (PTB). Em decorrência das denúncias, a Comissão realizou visitas a 10 Unidades de Saúde da Família, à Base do SAMU e aos hospitais municipais Complexo Hospitalar Tarcísio Burity em Mangabeira e Santa Isabel e ao Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. Devido à disponibilidade de tempo, as demais unidades hospitalares e de atendimento ao público foram convidadas a participar da audiência pública. O documento apresentado pede transparência na gestão da saúde de João Pessoa e da Paraíba, na esfera municipal e estadual; auditoria no Sistema de Saúde e Ministério da Saúde; acesso a todos os contratos com empresas que prestam serviços à Saúde vencidos e não vencidos; e Revisão da tabela do SUS, que só atualizada pela última vez em 1990. Ainda foram solicitados reativação de cinco leitos de UTI do Hospital do Valentina, reforçando o atendimento pediátrico; funcionamento do Tomógrafo do Hospital do Bairro Municipal Ortotrauma de Mangabeira; colocar em funcionamento todas as unidades avançadas, ambulâncias e motolâncias do Samu, pois a prefeitura vem recebendo recursos e os equipamentos não estão em funcionamento; atualização no calendário de repasses de recursos federais, pela Prefeitura de João Pessoa, para os hospitais filantrópicos; e divisão de responsabilidades e cumprimento dos Termos de Pactuação entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde.


por dentro do CONGRESSO NACIONAL

Comissão ameniza cortes nas políticas para pessoas com deficiência

A

Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência aprovou emendas à lei orçamentária de 2016 para amenizar os cortes que devem impactar nas políticas de atendimento às pessoas com deficiência. Deputados da comissão ouviram integrantes dos ministérios para definir quais as áreas prioritárias e as emendas aprovadas contemplam ações em quatro ministérios, alcançando um total de R$ 800 milhões. A área de acessibilidade foi beneficiada com uma emenda de R$ 100 milhões para o Ministério do Turismo. O presidente da comissão, deputado Aelton Freitas (PR-MG), explicou que é o Ministério das Cidades que normalmente realiza esse tipo de ação. No entanto, o Ministério do Turismo teria mais agilidade na execução das obras. Na área de educação, a comissão aprovou emenda no valor de R$ 300 milhões para infraestrutura na educação básica. Segundo análise da Consultoria de Orçamento da Câmara, houve uma queda de 54% no valor dessa rubrica, entre o projeto da lei orçamentária enviado

em 2015 e a proposta enviada pelo governo em 2016. Para a área da saúde, foi aprovada emenda de R$ 300 milhões para implementar novos Centros Especializados de Reabilitação (CER) e para a compra de equipamentos, como mesas ginecológicas adequadas o atendimento das mulheres com deficiência física. Na área de assistência social, a emenda aprovada destinou R$ 100 milhões para estruturação de serviços de proteção social especial, como entidades de formação profissionais e casas lares para pessoas com deficiência. Essa rubrica também teve um grande corte na

CCJ deve alterar lei de patentes de medicamentos para conter "abusos"

Após uma audiência pública que discutiu uma modificação na Lei de Patentes (Lei 9.279/96), a maioria dos deputados se manifestou por uma solução que possa ao mesmo tempo preservar o sistema atual de registro de patentes no Brasil, mas mudar o entendimento quanto à renovação de patentes na área de medicamentos. O próprio relator da proposta, deputado Andre Moura (PSC-SE), disse que a intenção é buscar um reequilíbrio do sistema de patentes, porque há abusos sendo cometidos no Brasil. "O monopólio em área de saúde é muito danoso, é preciso minimizar a possibilidade de renovar patentes além dos 20 anos que estão previstos em lei", disse. O problema, segundo Felipe de Carvalho, representante da campanha de acesso a medicamentos da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), é que existe um "abuso" no registro de patentes. Atualmente, a lei prevê que uma patente dure no máximo 20 anos, e existem casos previstos para extensão do prazo. São abusos dessa extensão que Moura tenta não permitir em seu relatório. "Em vez de buscar novas moléculas e tratamentos, buscam novos usos para os mesmos medicamentos, como forma de estender as patentes e gerar um monopólio que fere a concorrência, gerando preços mais altos, exclusão dos mais pobres, e em última instância, a morte", afirmou Felipe Carvalho. A mesma posição foi defendida pelo vice-presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Jorge Bermudez. Ele explicou que, quando se faz a patente de um medicamento, a patente deve ser protegida por 20 anos, mas os pedidos de extensão para outros usos são usados como forma de protelar essa posse. "E o que aconteceu com a aids está acontecendo com a hepatite C e o câncer, em que produtos podem chegam a 100 mil dólares por ano de tratamento", disse. Fonte: Agência Câmara

lei orçamentária deste ano: o valor previsto para 2016 é 72%, menor do que a proposta orçamentária para 2015. Para o deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), as emendas mostram que os valores do orçamento de 2016 são insuficientes para atender às necessidades da população. "Acho que cumprimos o nosso papel. Pelo menos está identificado para o relator do orçamento e para o governo que o que está proposto nesse orçamento está muito aquém das necessidades reais de transformação das políticas públicas e fazer com que elas, de fato, alcancem as pessoas com deficiência em todo o universo do nosso país." Para serem integradas ao orçamento do próximo ano, as emendas aprovadas na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência precisam ser acolhidas pelo relator do orçamento, deputado Ricardo Barros, do PP do Paraná, e aprovadas pelo Congresso Nacional. Fonte: Danielle Lessa/CPD/ Câmara dos Deputados. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Hospital do Câncer do DF A bancada do Distrito Federal no Congresso destinou verba de emenda coletiva ao Orçamento da União de 2016 para a construção do Hospital do Câncer do DF, anunciou o senador Reguffe (PDT-DF). Segundo o senador, R$ 122 milhões serão alocados para a obra. Fonte: Jornal do Senado


AGENDA || semana de 26 a 30 de outubro

27

Seminário: Como evitar a Judicialização no SUS? Realização: Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e apoio do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) Programação: http://bit.ly/1N1D6Cf Inscrições: http://bit.ly/1O1RXOk Local: Ouro Minas Palace Hotel (Avenida Cristiano Machado, 4001 - Ipiranga, Belo Horizonte – MG) Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher Pauta: Sessão especial em homenagem ao Outubro Rosa, com debate sobre o direito à prevenção do câncer, cura e reconstrução mamária. Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário 9, Senado Federal, DF Horário: 14h30

Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência Pauta: Conferência sobre a interdição judicial de servidores públicos aposentados com transtornos mentais Local: Anexo II, Plenário 9, Câmara dos Deputados, DF Horário: 14h30

28 29 expediente

Comissão de Seguridade Social e Família Pauta: Audiência pública para debater o direito de acesso a medicamento de alto custo no âmbito do Sistema Único de Saúde Local: Anexo II, Plenário 7, Câmara dos Deputados Horário: 14h30

Comissão de Assuntos Sociais Pauta: Audiência pública interativa para discutir estratégias de prevenção e controle do câncer de colo do útero e de mama no Brasil Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário 9, Senado Federal Horário: 9h

12ª Feira de Saúde dias 28 e 29 de outubro Data: 28 e 29 de outubro Local: Pavilhão Anísio Teixeira UnB, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília, DF Informações: http://www.ebserh.gov.br/web/hub-unb Horário: das 9h às 17h Comissões de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e de Assuntos Sociais Pauta: Audiência pública interativa conjunta para discutir a fosfoetanolamina Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário 3, Senado Federal Horário: 9h Comissão de Legislação Participativa Pauta: Audiência pública para debater a epidermólise bolhosa congênita Local: Anexo II, Plenário 3, Câmara dos Deputados Horário: 14h30

Palestra sobre AVC (Acidente Vascular Cerebral) Local: Auditório 1 do Hospital Universitário de Brasília, SGAN 605, Av. L2 Norte, Brasília Horário: 19h Inscrições: diadoavc@gmail.com

Política & Saúde é um periódico destinado à divulgação de informações sobre a alta complexidade do setor de saúde. Jornalista Responsável: Hulda Rode (DRT DF N°8610/2010) E-mail: huldarode@gmail.com | Telefone: +55 (61) 9100-1007 Site: www.altacomplexidade.com Permitida a reprodução do conteúdo, desde que citada a fonte.

Política & Saúde Edição N°22/2015  

Permitida a reprodução do conteúdo, desde que a fonte seja citada. www.altacomplexidade.com

Política & Saúde Edição N°22/2015  

Permitida a reprodução do conteúdo, desde que a fonte seja citada. www.altacomplexidade.com

Advertisement