Issuu on Google+

DIALETOS

No dia 3 de dezembro Campinas começa a receber o sinal

4 951212 122782

11213

A REVISTA QUE FALA PRA VOCÊ

TV DIGITAL

PARE DE ENROLAR! Entenda porque deixar tudo para depois é a mais nova praga da humanidade SAIBA MAIS SOBRE A NOVA COMÉDIA DE WOODY ALLEN

COMEMORAÇÕES E EVENTOS HOMENAGEIAM MACHADO DE ASSIS

MÔNICA E CEBOLINHA ADOLESCENTES E NAMORANDO NA NOVA FASE DO QUADRINHO


EDITORIAL Criada especialmente para jovens e adolescentes, a revista Dialetos foi planejada para pessoas inteligentes que pretendem avançar no aumento. A cada edição se estampa a dedicação de nossos profissionais que buscam de forma estratégica, desenvolvida através de estudo, fazer interagir os leitores acrescentando-lhes a base que formará os futuros profissionais e desenvolver dentro deles questionamentos, análises, para que dessa forma obtenham conhecimento necessário para entender o mundo ao seu redor. Dotada de linguagem objetiva, a revista trás reportagens de assuntos variados. Sua periodicidade mensal permite ao leitor acompanhar as atualidades do mundo sem deixar de dar continuidade em assuntos relevantes já publicados. Esperamos que você leitor se identifique com o nosso produto, que não é simplesmente um produto, mas sim a materialização de informações que, acumuladas o tornarão um formador de opiniões. Contamos, claro com a sua participação para que esta revista seja cada vez mais a sua cara. Nas próximas edições haverá um espaço reservado especialmente pra você falar o que quiser, dar opiniões sobre os assuntos abordados na revista e também sua opinião sobre a própria revista. REDATOR-CHEFE: HUGO XAVIER

DIALETOS Redator-Chefe: Hugo Xavier Diretor de Arte: Adriano Saldanha Editora de Arte: Rafaela Silvestre Repórteres: Hugo Xavier, Danielle Garutti, Fátima Leite, Leandro Las Casas, Rafaela Silvestre Editor assistente: fabiano Limoli Designers: Cíntia Vieira Webmaster: Oscar Isgoti

Sumário !

5 CULTURA

!

100 anos sem Machado Conheça Vicky Barcelona

!

9 TECNOLOGIA

!

!

No dia 3 de dezembro Campinas recebe o sinal

11 GERAL A guerra das animações ! Pra que serve o Senado?

13 CAPA Pare agora de procrastinar. Enrolar é a praga moderna da sociedade


100 anos sem Machado Comemorações e lançamentos homenageiam autor O Ano Nacional Machado de Assis promete um aumento de vendas da obra do escritor. Apesar da imortalidade, Machado não vende muito e é ofuscado pelos constantes lançamentos estrangeiros. Entretanto, cem anos após a morte do Bruxo (como ficou conhecido), oito novas obras serão lançadas, trazendo novidade para quem já conhece o universo machadiano; além de vários relançamentos, incluindo edições populares, para quem quer conhecer.

Releituras e novas coletâneas vêm saciar a fome do consumidor por lançamentos. Entretanto, a grande responsável por levar Machado ao grande público é uma parceria firmada entre a ABL e o Ministério da Cultura. Todos os livros do autor serão publicados por preços populares, entre três e cinco reais. Assim vai ficar fácil, e barato, conhecer melhor o nosso eterno Bruxo do Cosme Velho e, por consequência, a alma brasileira e a língua portuguesa.

As homenagens serão muitas, em inúmeros ciclos de palestras. Ao longo do ano, a Academia Brasileira de Letras discutirá seu fundador em seminários, palestras e mostra de filmes. Em Paraty, a Flip também homenageia o autor. Para completar, A Casa de Rui Barbosa presenteou os estudiosos do maior escritor brasileiro com um banco de dados, disponível em www.machadodeassis.net. Nele são encontradas informações sobre as alusões a diferentes temas feitas por Machado de Assis, em seus romances e contos. Quem lê Machado

O perfil do leitor de Machado continua inalterado há tempos. O estudante obrigado a ler os clássicos para a escola ou vestibular é quem mais compra do autor. Fora ele, apenas quem percebe a importância de ler e reler os clássicos. Para o gerente de livros da livraria Da Conde, Adriano Kneipp, a facilidade em traduzir livros estrangeiros é responsável pela preferência do consumidor pelos lançamentos internacionais. Uma pena, afinal, ler Machado de Assis é “essencial para entender a alma brasileira no momento da virada de século”. Logo é importante para todo brasileiro.

Caricatura do Machado de Assis


Crítica: Em nova comédia, Woody Allen recupera brilho dos bons tempos 'Vicky Cristina Barcelona chega aos cinemas e

traz no elenco Scarlett Johansson, Penélope Cruz e Javier Bardem.

Javier Bardem e Scarlett Johansson protagonizam cenas sensuais no longa (Foto: Divulgação)

A novidade fica por conta da sensualidade, elemento que Woody adiciona ao seu caldeirão cinematográfico com muita sabedoria, explorando toda a voluptuosidade de suas atrizes sem descambar para a cafonice. ....................

Antes de “Vicky”, Woody vinha num ritmo descendente, desde o lançamento do pouco inspirado “Igual a tudo na vida”, de 2003, seguido de “Melinda e Melinda”, “Match point – Ponto final”, “Scoop – O grande furo” e “O sonho de Cassandra”. Ora o cineasta arriscava clichês de suspense, ora parecia fazer um pastiche de seu próprio estilo.

Trama Como é de se esperar, Woody faz uma comédia romântica nada romântica, em que seus personagens estão fadados à solidão, à loucura ou ao tédio. Bem-arquitetada, a trama se ergue sobre duas almas perdidas e pensantes: Cristina (Johansson) e Vicky (Rebecca Hall), amigas nova-iorquinas que chegam a Barcelona para uma temporada de verão.

Mas a espera valeu à pena, porque “Vicky” retoma os bons tempos em que o nome Woody Allen nos créditos era sinônimo de humor inteligente. Ainda por cima, o diretor conta com um elenco de primeira, com Scarlett Johansson, Penélope Cruz e Javier Bardem...................................... 6


Ator faz personagem idoso para o filme 'The Curious Case of Benjamin Button' O novo papel de Brad Pitt foge - e muito - de tudo que ele já viveu nos cinemas. Desta vez, o galã aparece idoso no filme "The Curious Case of Benjamin Button", dirigido por David Fincher. A história, um clássico de F. Scott Fitzgerald, fala sobre um homem que aos 80 anos começa a rejuvenescer misteriosamente.

O diretor e o elenco no set: humor inteligente com frescor (Foto: Divulgação)

Loura, atirada e sexy, Cristina busca aventuras no amor e realização para seus impulsos artísticos frustrados. Ela quer fazer cinema, poesia ou música, mas parece não ter talento para nada. Já a morena Vicky é mais certinha, pé no chão. Comprometida com o noivo, ela chega a Barcelona com um objetivo preciso, fazer pesquisa para sua dissertação de mestrado, sobre arte catalã. Em território espanhol, as duas vão encarar seus dilemas morais mais profundos, principalmente depois que conhecem o pintor local Juan Antonio, um típico "latin lover" vivido por Javier Bardem. Ele é publicamente conhecido por sua relação turbulenta com a ex-mulher, Maria Elena, interpretada por Penélope Cruz com uma melancolia e uma intensidade irresistíveis.

Brad Pitt agora vive um velhinho que rejuvenesce após os 80 anos

Woody Allen não aparece na tela, mas seu espírito cômico e suas neuroses estão presentes em cada diálogo, lembrando o clima de algumas de suas melhores comédias, como "Noivo neurótico, noiva nervosa", "Hannah e suas irmãs" e "Desconstruindo Harry". Mas dessa vez, com um charme latino.

Filho de Mick Jagger herda vocação artística do pai e estréia como ator James Jagger está no elenco de série de época da TV italiana

O inglês James Jagger parece ter herdado algo mais que os lábios carnudos do pai, o roqueiro Mick Jagger. O jovem, de 23 anos, estreou na TV italiana neste fim de semana, em uma minissérie. Segundo informações do site do "Daily Mail" desta Segunda. James também integra o elenco do longa "Vivaldi", que está sendo rodado em Veneza (foto à esquerda). A crítica sobre sua atuação foi positiva.


Mônica e Cebolinha se beijam em nova fase da turma Revista traz personagens crescidos e em estilo mangá. Depois de décadas trocando tapas e coelhadas nas páginas da revista "Turma da Mônica", os personagens de quadrinhos Mônica e Cebolinha finalmente partem para o beijo. O episódio se dá no quarto número da HQ “Turma da Mônica jovem” (já nas bancas), que retrata os personagens na adolescência, com seus 15 ou 16 anos, em estilo mangá. Segundo o autor, Mauricio de Sousa, esse é o primeiro beijo romântico da dupla. "Já houve bitoquinha de criança, no rosto, mas beijo de paquera e de começo de namoro é

"Hoje, os jovens de 15, 16 anos paqueram, dão seus beijinhos e sentem atração................................................... E, nesta nova fase da revista, a Mônica e o Cebola vivem na base de um flertezinho, uma paquera. Por isso, achei que estava na hora de a Mônica ter um momento de mulherzinha, mais crescida e ir para cima do Cebola com um beijinho”, disse o criador dos personagens.

Namoro? Mauricio ainda não revela, no entanto, se o beijo vai terminar em namoro. "Vamos ver o que vai acontecer no futuro", despista, jogando a responsabilidade para a reação do público. "Mais do que nunca, esta revista é uma criação viva’.

Cena do beijo de Mônica em Cebola, na revista 'Turma da Mônica jovem'. (Foto: Reprodução) Capa da revista 'Turma da Mônica jovem'. (Foto: Reprodução)

o primeiro", disse Mauricio. O beijo faz parte da nova fase da turma, na qual o personagem Cascão toma banho (mas não sempre), Mônica fez um regime e emagreceu e Cebolinha, agora chamado de Cebola, recorreu a fonaudiologia e só troca a pronuncia dos “r”s pelos “l”s quando está nervoso. Apesar das modificações de "Turma da Mônica jovem", as outras revistas continuam circulando, mostrando a turma ainda na infância. .............. Mesmo avesso a romper definitivamente com certos tabus -- "o Cascão pode até tomar banho, mas isso deve ficar subentendido, não deve aparecer!" --, Mauricio explicou que o beijo de Mônica e Cebolinha veio naturalmente.

.O quadrinista reconhece, porém, que pode frustrar alguns leitores mais tradicionalistas com as recentes mudanças na revista. "Temos três tipos de leitores atualmente: os veteranos que já liam a revista e a tem como uma recordação da infância. Os jovens, que querem conferir para ver se os personagens agem e reagem como eles mesmos. E a criançada, que quer ser igual à Turma da Mônica quando crescer. Eles vão curtir, achar interessante, bonitinho. Mas é capaz que os mais velhos falem: 'pecado, isso não poderia ter acontecido. Meus ídolos de infância envelheceram, eu eu também envelheci. ..........................................' Por enquanto, os resultados têm sido favoráveis, segundo Mauricio. A tiragem deste quarto número de “Turma da Mônica jovem” é de 300 mil exemplares – e está sendo aumentada progressivamente, a cada novo volume. Segundo o quadrinista, a revista é hoje "o maior sucesso editorial de todos os tempos na HQ no Brasil". Por: Danielle Garutti


TECNOLOGIA

Interior de São Paulo recebe sinal da TV Digital no dia 3 de dezembro São Paulo – Primeira cidade longe das capitais a receber TV Digital, Campinas estréia transmissão em alta definição no começo de dezembro. Um ano depois da estréia na capital paulistana, o interior do Estado prepara o lançamento das transmissões de TV Digital em Campinas, a 100 quilômetros de São Paulo................................

Adiantamento em Santa Catarina Pouco antes do anúncio da EPTV, o canal gaúcho RBS afirmou que adiaria o lançamento do sinal da TV Digital em Santa Catarina por tempo indeterminado após as chuvas que atingiram diversas regiões do Estado....................................

A retransmissora EPTV, afiliada à TV Globo, começará a transmitir sua programação em alta definição na próxima quarta-feira (03/12), dias antes do primeiro aniversário do sistema brasileiro de TV Digital..............................

Marcadas originalmente para essa terçafeira (25/11), a transmissão foi postergada pela incapacidade técnica da veiculação do sinal no momento e pelo "comprometimento da RBS em divulgar informações sobre os acontecimentos", segundo sua assessoria.

No primeiro momento, o sinal cobrirá toda a cidade de Campinas, com a retransmissora admitindo planos de aumentar a cobertura para m u n i c í p i o s v i z i n h o s , c o m o Va l i n h o s , H o r t o l â n d i a , S u m a r é e M o n t e M o r.

Além das chuvas, que causaram a morte de 86 pessoas por enchentes e desabamentos de terra, segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, problemas com a agenda do Ministro das Comunicações, Hélio Costa, também inviabilizam o lançamento......... A RBS pretende iniciar a transmissão na segunda quinzena de dezembro, mas admite que a data pode mudar.

Campinas é a sétima cidade brasileira a receber o sinal da TV Digital, após São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Goiânia, Curitiba e Porto Alegre. .......................................... Ao contrário de todas as outras, no entanto, o sinal veiculado pela EPTV marca a estréia da TV Digital longe das capitais...............................

9

Por Hugo Xavier


O número de usuários de internet chegou à marca de 1,5 bilhão no mundo, entre usuários de redes fixas e móveis. Os dados foram divulgados pela União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês) . Outro marco, segundo o relatório, é o número de aparelhos celulares: cerca de 4 bilhões no mundo, um aumento exponencial --há oito anos, o mundo contava com pouco mais de 500 milhões de aparelhos. O levantamento aponta ainda estimativa de que 61% da população possui telefone móvel, superando o número de linhas do telefone fixo. Quanto ao acesso de internet móvel, o documento diz que 158 milhões de aparelhos celulares foram utilizados para esse fim até o final de 2007, 18% a mais do que o acesso registrado em 2006. O aumento do número ocorreu devido ao advento de tecnologias como 3G e similares. A tecnologia de voz sobre IP (telefone via internet, por meio de programas como o Skype, por exemplo) também demonstra ser um dos maiores sucessos da internet: deve chegar a 80 milhões de usuários até o fim de 2008. Ricos e pobres O texto também aponta para a expansão da conexão rápida em detrimento da conexão dial-up, tanto em países desenvolvidos quanto em desenvolvimento. No caso de países em desenvolvimento, Turquia, Senegal e Chile, por exemplo, mantêm 90% das suas conexões em banda larga. Em todo o mundo, segundo a ITU, elas são 50% das conexões. Mas a diferença entre os países ricos e pobres é acentuada nos números: enquanto a penetração de banda larga é de 16% na Europa e de 10% nas Américas, a África tinha apenas 1% de conexões rápidas até o final de 2007. A diferença ocorre também devido à distribuição de acessos em telecomunicações nos países. O relatório aponta soluções como, por exemplo, a derrubada de barreiras comerciais que inibem o fluxo de capitais de um país para outro.

Internet chega a 1,5 bilhão de usuários no mundo

10

Por Hugo Xavier


GERAL

A guerra das animações Selvagem parecia Madagascar. O Bicho Vai Pegar lembrava Os Sem-Floresta. Lucas – Um Intruso no Formigueiro parecia cópia de Formiguinhaz, que por sua vez remetia a Vida de Inseto. Tem sido difícil para os fãs de animação 3D não se confundir com as últimas produções do gênero – e em 2007 a sensação de déjà vu deve continuar. A Disney e a Pixar apostam em Ratatouille, outra animação estrelada por um rato, assim como Por Água Abaixo. Já a Columbia lança no fim do ano Tá Dando Onda, que, assim como o recente Happy Feet, também é protagonizada por um pingüinzinho rebelde. O que mais preocupa os estúdios não é só a semelhança entre os lançamentos. A quantidade de desenhos em CGI (abreviação em inglês para “imagens geradas por computação”) também aumentou nos últimos anos, puxada pelo sucesso de franquias como Shrek e A Era do Gelo, que abriram o filão de filmes que atraem de crianças a idosos. De 2004 para 2006, o total de filmes desse tipo mais que duplicou, mas a média de suas bilheterias nos EUA caiu de US$ 149 milhões para pouco mais de US$ 84 milhões. Em 2007 eles também terão a concorrência de fortes blockbusters que misturam heróis de quadrinhos, atores reais e efeitos em CGI. Bom para o espectador, que vai ter um bom motivo para ir ao cinema quase todo mês. 15 de junho - Shrek Terceiro - produção: DreamWorks Com US$ 920 milhões acumulados, Shrek 2 se tornou não só a animação com maior bilheteria, como também a maior entre todos os filmes de comédia. Na nova seqüência, o ogro tenta se livrar do trono do Reino Muito Distante. 6 de julho - Ratatouille - produção: Pixar e Walt Disney Os 7 filmes da Disney/Pixar renderam US$ 3,6 bilhões, mas o último, Carros, teve o pior desempenho desde Vida de Inseto, de 1998. Cabe a este ratinho, que quer ser cozinheiro de um bistrô em Paris, recolocar a

parceria entre os campeões. 17 de agosto - Os Simpsons - O Filme - produção: 20th Century Fox Quem precisa de computação gráfica em 3D quando se tem a marca mais reconhecida da animação? Em seu primeiro longa-metragem, Homer provoca um desastre tóxico em Springfield, fazendo a cidade ser evacuada. 26 de outubro - Tá Dando Onda - produção: Sony Pictures. Em Happy Feet, o protagonista desafiava seus pais para poder se dedicar ao sapateado. Agora, outro pingüim cheio de atitude quer vencer um campeonato de surf. No elenco, as vozes dos atores Jeff Bridges e Bill Pullman. 7 de dezembro - Bee Movie - produção: DreamWorks O comediante Jerry Seinfeld dubla uma abelha que se apaixona por uma florista e processa os humanos por consumirem mel. O filme usa um sistema de computação gráfica que dá mais riqueza de detalhes aos personagens. As animações vão encher os cinemas este ano, mas sem tirar o espaço dos velhos filmes de heróis. Em 4 de maio, estréia Homem-Aranha 3, a mais cara adaptação de quadrinhos de todos os tempos (US$ 300 milhões). Tudo porque, desta vez, o herói enfrenta 3 vilões cheios de efeitos especiais: Venom, Homem-Areia e o Duende Macabro. Em junho, ainda vai ter a seqüência de Quarteto Fantástico, e, no mês seguinte, estréia Harry Potter e a Ordem da Fênix, a quinta aventura do bruxo.


A atividade mais conhecida do Senado é a mais óbvia: fazer leis. A Casa pode iniciar projetos de lei ou ser a 2ª instância dos projetos que saem da Câmara dos Deputados: nesse caso, eles são aprovados, emendados ou reprovados pelos senadores. “George Washington, ao ser questionado sobre o papel do Senado, usou um pires como metáfora: disse que ele servia para esfriar o chá”, afirma Antonio Octavio Contra, consultor legislativo da Câmara. Na prática, porém, a principal função da Casa é garantir o equilíbrio federativo. Isso quer dizer que o Senado atua mais ou menos como o defensor dos estados fracos e oprimidos. Explica-se: como uma federação, o Brasil é composto de estados autônomos, que possuem governos e instituições próprios, como a polícia. “Em países federativos como o nosso, a Câmara dos Deputados representa a população e o Senado representa os estados”, diz o cientista político Octaciano Nogueira, da UnB. Assim, enquanto os deputados são eleitos de forma proporcional (entre 8 e 70, dependendo do número de moradores do estado), o Senado elege 3 representantes por estado. Isso garante que, se em uma decisão tomada na Câmara prevalecer interesses dos grandes estados, como São Paulo e

foto: Leandro Las Casas

Pra que serve o Senado?

interior do Senado durante assembléia

Minas, em detrimento dos menores, como Amapá, ela não passa no Senado. “Se não fosse o Senado, os estados pequenos, com menor representatividade, talvez não conseguissem, por exemplo, ter sua parte nos recursos para obras previstos no Orçamento Geral da União”, diz o consultor legislativo do Senado, Antônio José Barbosa. “Na Câmara, como são 513 deputados, a força individual deles se dilui.” Ano passado, o Senado aprovou um empréstimo de US$ 106 milhões para o Tocantins construir estradas e pontes – isso dificilmente passaria pela Câmara, já que a bancada do estado, de 8 deputados, é muito pequena. Por Leandro Las Casas


CAPA Se você é daqueles que deixam tudo para a última hora e só trabalham em cima do laço, leia esta reportagem já. Agora. Imediatamente No comwço, fica tudo bem: pra que trabalhar agora se podemos deixar para amanhã? Só que...

DEPOIS EU FAÇO


Estudar ou ficar no MSN? Dar uma arrumada no quarto ou dormir mais uns 15 minutos? Talvez você não perceba, mas todo dia, toda hora temos que decidir o que fazer. Tirar o lixo pra fora agora ou continuar vendo TV? Escrever de uma vez o trabalho final ou aproveitar o sol lá fora? Às vezes a decisão parece fácil, mas pode acabar em situações complicadas: dizer ao chefe que ainda não terminou o relatório ou inventar uma desculpa? Se na hora de decidir você costuma escolher a opção de deixar para depois, está entre 95% das pessoas adeptas da procrastinação. A palavra vem do latim procrastinare que é a união do prefixo pro (encaminhar) e castinus (amanhã). Ou seja: enrolar. O Oxford Dictonary registra que ela teria sido publicada em inglês pela primeira vez por volta de 1548. O Brasil mal havia nascido e o termo já estava disseminado pelo mundo. Imagine a prática. Em Roma Cícero já criticava Marco Antônio Por gastar tempo em festas e deixar seu trabalho de imperador em segundo plano. Dizia:”In rebusgerendis tarditas et procastinatio odiosa est” . Algo como: “Na conduta de quase todo relacionamento, lerdeza e procrastinação são coisas odiosas”. Mas a procrastinação nunca foi tão presente na vida das pessoas depois da invenção do computador – esta maquina de trabalho e estudo que também funciona como janela para o mundo e sala de bate-papo com os amigos. Os computadores de boa parte das empresas são controlados por proxys e firewalls, aplicativos que bloqueiam o acesso a determinados sites e ferramentas online. Em alguns ambientes de trabalho, até mesmo e-mail pessoais são proibidos, e há sistemas de controle de acesso pelos quais os

Psicólogos descobriram que os enroladores sofrem mais de culpa, estresse e arrependimento

funcionários do departamento de tecnologia podem saber exatamente como e quando você usa a internet. Isso se eles não estiverem ocupados respondendo mensagens no MSN ou no Orkut, é claro. Procrastinação é bem diferente de preguiça. Enquanto preguiça é evitar trabalho, a primeira é ter muita coisa pra fazer e deixá-la pra última hora. “A procrastinação está ligada a discrepância entre a intenção de trabalhar e a ação real de trabalho”, afirma Piers Steel, psicólogo da Universidade de Calgary, no Canadá, e autor de estudos sobre o assunto. “Procrastinadores tem uma intenção maior de trabalhar, mas só no começo do processo.” Imagine uma linha com dois extremos de produtividade. De um lado, Macunaíma, o acomodado personagem de Mário de Andrade, e do outro o hiperativo Leonardo da Vinci. Seria bem mais fácil encontrar procrastinadores do lado do

renascentista. Aliás, ele próprio tinha um considerável portfólio de projetos deixados para depois e é conhecido como um dos grandes enroladores da história. Diferentemente dos preguiçosos, os procrastinadores são viciados na sensação de prazo estourando. Deixam tudo pra última hora porque gostam da adrenalina da urgência. Como Rocky Balboa só funcionam no último round. M a s n e m t o d a procrastinação acaba em v i t ó r i a . S e o s procrastinadores se defendem dizendo que curtem trabalhar sob pressão, os cientistas estão descobrindo que eles estão longe de se sentir felizes com esses hábitos. Pesquisas indicam que 20% dos trabalhadores de escritório dos EUA sofrem patologicamente do problema. É o dobro do número de casos de depressão no mesmo ambiente. O psicólogo Piers Steel descobriu que a maioria dos enroladores convive mais com estresse, sentimento de culpa, baixa a u t o - e s t i m a e arrependimento por não terem trabalhado antes. O problema também acontece na sala de aula. Segundo a psicóloga Patrícia Sommers, da Universidade do Texas, nos EUA, mais de 70% dos estudantes americanos deixam trabalho para depois – e 20% fazem isso de forma preocupante. O sentimento de culpa aparece porque, sem conseguir controlar o próprio tempo, os


procrastinadores sentem que o dia passa sem que tenham produzido o mínimo necessário. Assim, criam um caos pessoal que acaba em sentimentos depreciativos. Há casos de gente que se endivida por perder prazos de pagamentos, que fica desempregada ou passa por crises de auto-estima. Estudo pela pesquisadora Fuschia Sirois vão ainda mais longe. Para ela a procrastinação é um caso de saúde pública. Ela descobriu que aquele costume de deixar a ida ao médico pra depois ou postergar a matrícula da academia causa problemas de saúde definitivos. Analisando 254 adultos, ela descobriu que os enroladores sofrem mais de estresse e até de resfriado. Pior: não verificam equipamentos de segurança em suas casas, automóveis e ambientes de trabalho, causando problemas pra a família.

Como não enrolar desde já

1

APRENDA A DIZER NÃO Assumir um compromisso ou uma tarefa pretensiona, e deixar de cumprí-lo pode ser pior do que deixar suas limitações claras desde o início.

2

NÃO AGENDE, RESOLVA JÁ A procrastinação se alimenta de tagarelismo mental. Quando você está enrolando, geralmente diz para si mesmo: «deveria estar trabalhando». Melhor cortar esse pensamentos e iniciar a tarefa imediatamente.

3 CONCENTRE-SE Toda vez que se desconcentrar, evite lutar contra si próprio. Se escapou da tarefa, reconheça o fato e dirija sua atenção novamente ao trabalho. No computador, desative a opção de ligar automaticamente programas como MSN. Faça a tarefa e quando tiver um tempo, fique uma meia hora batendo papo.

4 VEJA O LADO BOM Mesmo tarefas chatas tem seu lado divertido - lavar a louça, por exemplo, envolve brincar com água. Concentre-se no que a tarefa tem d legal que, assim, fica mais fácil encará-la.

5 NÃO TENHA MEDO DE ERRAR Muitos procrastinam porque exigem tanto de si próprios numa tarefa que acabam com medo de enfrentá-la. O melhor é ter consciência de suas limitações e habilidades para o trabalho.


Feliz Natal!


dialetos