Issuu on Google+


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Hudson A. R. Bonomo

1ª Edição

Câmara Brasileira de Jovens Escritores


Copyright©Hudson A. R. Bonomo

Câmara Brasileira de Jovens Escritores Rua Marquês de Muritiba 865, sala 201 - Cep 21910-280 Rio de Janeiro - RJ Tel.: (21) 3393-2163 www.camarabrasileira.com cbje@globo.com

Maio de 2010

Primeira Edição

Coordenação editorial: Gláucia Helena Editor: Georges Martins Produção gráfica: Fernando Dutra Revisão: do Autor

Contato com o autor: labirintos@hudsonbonomo.com.br http://www.hudsonbonomo.com.br

É proibida a reprodução total ou parcial desta obra, por qualquer meio e para qualquer fim, sem a autorização prévia, por escrito, do autor. Obra protegida pela Lei de Direitos Autorais


Hudson A. R. Bonomo

LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Maio de 2010

Rio de Janeiro - Brasil


Hudson Augusto Rodrigues Bonomo, M.Sc. Psicanalista Clínico em Formação Orientador: Prof. Dr. Rômulo Vieira Telles Sociedade Científica de Psicanalítica Clínica Insight Curso de Formação em Psicanálise Este livro é parte do processo de aprendizado e de compartilhamento de conhecimentos sobre mim mesmo adquiridos em terapia com a Psicanalista Cátia Cristina Almeida Martins (Membro da Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle, RJ) e no Curso de Formação em Psicanálise. Maio de 2010 Santo Antonio da Platina, PR- Brasil Formação Acadêmica: 1992 – 1994 M.Sc . Mestrado em Engenharia Mecânica COPPE – UFRJ. 1987 – 1992 B.S. Bacharel em Engenharia Mecânica Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Este livro é um agradecimento a vida, por todas as experiências que Deus me deu oportunidade de passar, por tudo que construí e por todos que conheci durante o caminho. Pessoas que andaram muitas léguas ao meu lado, e me ajudaram a ser o que eu sou hoje. Ao ler os versos das poesias ou os pequenos textos, você compreenderá um pouco de mim, e a energia de muitos sentimentos humanos, em mim muito profundos. Espero que o faça refletir ou até mesmo sonhar: com palavras, cores e sabores. Preciso agradecer especialmente a minha mãe pelo privilégio de ter uma poetisa em casa que me ensinou a amar e desejar escrever. Ao meu pai, pelo imenso coração que ele tem, e pelo sacrifício, em momentos muito difíceis, para que eu pudesse estudar.


Índice EXPLICAÇÃO ...................................................................................................................................................... 12 THE BOX (A CAIXA) ..................................................................................................................................... 14 SIMPLES ................................................................................................................................................................... 16 SER ................................................................................................................................................................................ 19 VENCER ................................................................................................................................................................. 21 ALEGRIA DE VIVER .................................................................................................................................. 22 FLOR DE LÓTUS ............................................................................................................................................. 25 PAIXÃO ................................................................................................................................................................... 28 MEDO ........................................................................................................................................................................ 31 EXISTÊNCIA ........................................................................................................................................................ 33 MENINA ................................................................................................................................................................ 36 HERÓI HUMANO .......................................................................................................................................... 39 ANJO ........................................................................................................................................................................ 42 MORENA ............................................................................................................................................................... 45 LOIRA ...................................................................................................................................................................... 48 COMUNICAR-SE ........................................................................................................................................... 49 FILHO QUERIDO ........................................................................................................................................... 52 CINEMA DA MINHA ALMA ............................................................................................................... 55 PENSAR x REFLETIR .................................................................................................................................. 57 ENREDO DA MINHA MÚSICA ........................................................................................................ 60 TATUAGEM INVISÍVEL .......................................................................................................................... 62 VERDADE x TRANSPARÊNCIA ........................................................................................................ 63 MUDANÇAS ...................................................................................................................................................... 67 PERGUNTAS ........................................................................................................................................................ 69


Hudson A. R. Bonomo

“Analisar instante por instante, perceber o núcleo de cada coisa feita de tempo ou de espaço. Possuir cada momento, ligar a consciência a eles, com pequenos filamentos quase imperceptíveis, mas fortes. E a vida?” (Perto do Coração Selvagem, Clarisse Lispector)

Prova 01 CBJE

11


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

EXPLIC AÇÃO EXPLICAÇÃO Hoje meu coração está partido A minha dor não pode se esvaziar em palavras O calor do meu amor ferido Não pode enxugar minhas lagrimas. Amor só pode ser explicado por dois Mas o sofrer é solitário É como flor que se esconde em sorrisos Abrigo incansável de ilusões Perigo da dor Cor do calor e sonho! Cadê você? Onde é seu lugar? Se não sabes enxergar um olhar Poderás ver uma alma? Cansada? Paralisia no tempo Momento de existir De dormir De não se esquecer de amar De explicar.

Prova 03 CBJE

12


Hudson A. R. Bonomo

“Quando as horas de nossa vida se desenrolam assim em planos diferentes, acontece dar a gente muito de si mesmo para diversas pessoas que no dia seguinte nos parecem desprovidas de interesse. Mas sentimo-nos responsáveis pelo que lhes dissemos na véspera e queremos honrar a nossa palavra.” (À Sombra das Raparigas em Flor - Proust )

Prova 01 CBJE

13


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

THE BOX (A C AIXA) CAIXA) É fácil imaginar um lugar nirvanico, onde só resida o prazer, mas esta ilusão é um desequilíbrio. Minha mãe me disse uma vez que não há nada nesta vida sem dor, e ela, sábia como sempre, tem muita razão. A vida nos ensina que há necessidade do equilíbrio para a subsistência da própria vida e para a evolução. Ter a mente aberta para visualizar os momentos de desequilíbrio é uma grande benção em nossa vida. Aqueles que fazem uso de conceitos rígidos, cartesianos, absolutos, fundamentalistas, dificilmente desenvolvem uma capacidade autocrítica e não conseguem aproveitar as oportunidades nos momentos de confronto ou até mesmo do prazer. Mas ao visualizar algum desequilíbrio, muitas vezes nos assustamos, e estáticos, nos perguntamos: “por quê?”. Talvez não exista uma resposta para a pergunta, pois antes de entender, precisamos saber “o que”, “o como”, “o que faço com isto”, e talvez nem cheguemos ao “por quê?”, pois o aprendizado pode estar no conhecimento e vivência em si e não no entendimento das coisas. Nesta posição estática, o equilíbrio nos chama a sair da caixa, olhar o lado de fora, sem medo de ser feliz e ver o novo. O que fazer depois disto? Voltar pra caixa e dividir esta visão com os da caixa? Voltar e calar-se em suas próprias reflexões? Sair completamente da caixa? Prova 03 CBJE

14


Hudson A. R. Bonomo

Bem, sair totalmente da caixa significa isolar-se dos outros moradores da caixa, e talvez seja um caminho sem volta (eu chamo esta opção “de caminho do profeta”). Dividir o aprendizado com quem só vê a caixa, seria como dar “pérolas aos porcos”, parafraseando uma frase bíblica. Então, na minha limitada opinião, temos de usar isto, primeiro, para nossa própria reflexão, e depois dividir com quem deseja saber se existe algo além da caixa, ou com aqueles que fazem o mesmo exercício de dar uma olhadinha pro lado de fora. São estas relações humanas que nos levam de volta ao equilíbrio, mais maduros, mais certos de que precisamos desta caixa, mas não precisamos abandoná-la, nem mesmo nos aprisionar a ela. Basta dispor-se e ver os desequilíbrios a sua volta, sentir o equilíbrio na sensação de paz interior e seguir, mais um passo, mais um dia, um dia por vez.

Prova 01 CBJE

15


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

SIMPLES Mesmo que o destino se cale Que a magia nos encante No longo alcance do ver Ainda prefiro a dureza da vida. O mundo se apresenta real As pessoas se iludem Gastamos tempo em Momentos únicos Esperando por algo Ou alguém Ou mesmo ninguém. Sentimos... A solidão de viver num mundo Longe da doença da fantasia De viver o novo Dentro de limites Dentro da vida De uma simplicidade complexa.

Prova 03 CBJE

16


Hudson A. R. Bonomo

Descobrimos... O privilégio de não ter O privilégio de ver De amar o real Sopro de esperança de uma vida menor Simples vida Vida simples Rica de experiências Muito mais leve, Cheia de relacionamentos.

Prova 01 CBJE

17


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Não vos aconselho o trabalho, mas o combate. Não vos aconselho a paz, mas a vitória. Seja vosso trabalho uma batalha. Seja vossa paz uma vitória.” Prova 03 (Friedrich Nietzsche) CBJE

18


Hudson A. R. Bonomo

SER Ser iluminado pelo brilho de um olhar Enxergar a dor Sentir a dor Não se abalar. Correr muitas milhas sozinho Nadar contra as ondas e sobreviver Ouvir os menores ruídos de uma natureza comprometida Pelo simples fato de sua existência A beleza incomoda Vaidade ou orgulho? Ferido? Ou feridas? A beleza cura com uma leveza desconhecida Porém escrava da dependência Quando vamos aprender a libertá-la? Quem pode ensinar senão Deus ou sua própria natureza? Quem pode ver além de suas dores? Pavores! Dignidade? Saída ou fuga? Sanidade ou loucura? Ser? Entrar, regozijar-se e sair Ser visível e limitado! Prova 01 CBJE

19


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta. Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?” Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?...Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você. “E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo”. Prova 03 CBJE

(Nelson Mandela) 20


Hudson A. R. Bonomo

VENCER Converter ou convencer? Calar tudo ao redor Parem a conversa Parem a música Escutem a voz do meu coração Quero saber menos Quero falar menos Quero sentir mais Como me sinto? Se não calo Como sobrevivo Se não escuto minha voz Voz calada pelo barulho da guitarra Pelo som do meu peito Quero vencer Convencer Verter a luz do meu amor Lançar ao mundo meu valor Convencer ou converter? Verter e vencer, Somente ser! Prova 01 CBJE

21


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

ALEGRIA DE VIVER Decidi escrever sobre as alegrias que a vida proporciona a cada um de nós. Apesar de ouvir das pessoas os mais variados problemas durante o dia, vejo o quanto de vida há em cada experiência pessoal. Muitas vezes, no meio destas confusões que a vida nos coloca, encontramos grandes alegrias como: um sorriso de uma criança de férias, a conquista do primeiro emprego, a assinatura de um novo contrato, uma nova paixão, entre tantas outras possibilidades que a vida nos oferece. E é a partir destas alegrias que o conceito de felicidade de cada um vai se formando. Outro dia me perguntaram como eu definiria “ser feliz”, e fiquei confuso por um tempo. Acabei pensando em uma hipótese: “Ser feliz é simplesmente a confiança de que a vida é uma grande oportunidade, com todas as suas nuances que muitas vezes chamamos de boas ou de ruins, conforme nossos próprios valores e interesses.” Não sei se estou certo, pois não acredito mais em certo ou errado, acredito que cada um tem a chance de encontrar um caminho onde aconteça um equilíbrio entre a teoria e prática, e que neste encontro ocorra paz interior. Tenho lido muito ultimamente que isto é obtido pelo conhecimento e pela busca da espiritualidade, mas não tenho tanta convicção disto, pois acho que ambos os caminhos são geradores de muita angústia também.

Prova 03 CBJE

22


Hudson A. R. Bonomo

O que importa é este dinamismo da vida e seus movimentos em prol da evolução pessoal de cada um, um processo de busca continua, cheio de dúvidas, mas cheio de vida também. Se pudesse dar um conselho, pediria a mim mesmo e a você que desse mais uma chance para as pessoas, que acreditasse nelas antes de julgá-las. Que direcionasse esta energia, da sua própria alegria de vida em prol dos que ainda estão sofrendo, muito mais do que você imagina que estejam. Dedique-se um pouco mais ao próximo e aumente a sua alegria de viver!

Prova 01 CBJE

23


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se, o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre. (Vinicius de Moraes)

Prova 03 CBJE

24


Hudson A. R. Bonomo

FLOR DE LÓTUS A alma que se afasta Um corpo machucado pela dor Uma rosa iluminada Um caminho de ilusões... Onde eu estou? Onde está meu coração? E a esperança do amanhã? Não suporto esta prisão... Prisão da alma, flor de lótus Que nasce do lodo das minhas fragilidades Uma oração sincera Um beijo na chuva... Conheci-te na chuva Meu sorriso é de criança Tenho apenas 13 anos Sonho com teus beijos Pureza da minha alma Cansaço da minha mente Amor diferente, sonho!

Prova 01 CBJE

25


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Quero você comigo No abrigo dos meus braços Para viver a realidade mais simples... Simples beijo Colo Almofadas douradas Rasgadas pelo tempo Macias pela vontade Ricas de conteúdo Queimando de paixão!

Prova 03 CBJE

26


Hudson A. R. Bonomo

“A paixão não mede conseqüências. Quando ela se apodera de um coração, este inventa, para provar que por amor todo sacrifício é pouco, razões não somente plausíveis, mas conclusivas. Ficamos convencidos de que vale a pena aceitar a desonra, e que a vergonha não é preço exagerado a se pagar por ele. A paixão é destruidora. E quando não destrói, morre. É possível que então a pessoa se veja na amarga contingência de reconhecer que desperdiçou anos de vida, que se desgraçou inutilmente, que sofreu a tortura do ciúme, engoliu toda espécie de humilhações, tendo dado sua ternura, as riquezas da sua alma a um ser insignificante, idiota, uma estaca onde dependurou seus sonhos, e que não valia dois tostões de mel coado”. Prova 01 CBJE

(Somerset Maugham) 27


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

PAIXÃO Ainda que eu pensasse Mesmo que parasse de sofrer Ainda estaria pensando em você. Não quero mais te amar Quero andar novamente Passei anos pensando em outra Caso infindável de uma mente prisioneira Mulher fantasma do oriente E agora você Que não sai da minha alma Mulher do ocidente de uma mente sem rumo. Amor presente Ausente. Sei que não me entende Esta carente de mim Mas seu orgulho exala Os aromas de uma paixão única e falsa.

Prova 03 CBJE

28


Hudson A. R. Bonomo

Peรงo a Deus que me carregue Que ande por mim E me de um tempo Para fazer o luto deste amor Prossigo sem medo Com uma esperanรงa inexplicรกvel De encontrar um novo lugar A me doar como antes E viver uma paixรฃo Cheia de brilho Cheia de cheiros Cheia de sabores Com todos os seus riscos!

Prova 01 CBJE

29


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“O silêncio já se tornou para mim uma necessidade física espiritual. Inicialmente escolhi-o para aliviar-me da depressão. A seguir precisei de tempo para escrever. Após havê-lo praticado por certo tempo descobri, todavia, seu valor espiritual. E de repente dei conta de que eram esses momentos em que melhor podia comunicar-me com Deus. Agora sinto-me como se tivesse sido feito para o silêncio.” (Mahatma Gandhi)

Prova 03 CBJE

30


Hudson A. R. Bonomo

MEDO Um coração que bate Aflito pela verdade Cheio de dúvidas Iludido por uma paixão Inexistente Frágil pelo cansaço da mente. Medo que se arrasta Dias que não passam Cruz pesada de carregar Esperança que surge Flores no jardim Cheiro do desejo. Vida caseira Simplicidade distante Apesar de tão próxima Sabor de cerveja Amargo Espuma sem sabor Leve e bonita.

Prova 01 CBJE

31


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Confusão de pensamentos Aperto no coração Reflexão perturbada Sono! Acordar e rever Deixar de ler o vazio Sentir Calar-se e falar com Deus Pedir abrigo Morrer de medo Deste vazio sem esperanças Levantar e caminhar de novo...

Prova 03 CBJE

32


Hudson A. R. Bonomo

EXISTÊNCIA A sutileza de nossa existência, a fragilidade da alma, a rigidez das relações humanas, o andar sozinho, o andar calado, o caminhar sorrindo. Quanta coisa acontece ao nosso redor, nem sempre perceptível, mas sempre intuitiva, e dependente: do quanto estamos dispostos a nos conhecer melhor. Permitir-se não é tão simples assim, a liberdade não é somente adquirida, mas é conquistada. Um pouco a cada dia, às vezes tranqüila, às vezes em conflitos, mas não pode ser jamais interrompida por nada, nem por ninguém. É um processo sem volta, não há passos para trás, avance mesmo que pouco, mas siga. Ouvi de uma amiga que eu “precisava dar-me uma permissão de liberdade”, e isto tem realmente acontecido mais lento do que desejo, mais rápido do que imaginava, não como uma procuração, mas como um tratado. Pois há muita coisa a descobrir, muitas dúvidas, poucas certezas, mas muito desejo. E o desejo é chave, é alegria, é força, move, mas não define. O que define é a reflexão e o que fica é mais do que a emoção ouProva a razão, 01 é a experiência de viver. CBJE

33


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Esta reflexão precisa ser simples? Sim, precisa! Precisa ser complexa? Depende do seu ser, mas a complexidade não é um inimigo, mas como um recheio em um bolo que pode ser delicioso ou azedá-lo. Precisa ser planejada? De forma alguma, pode ser involuntária. Precisa de parcerias? Sim, precisa e muito! Nestas parcerias podemos encontrar valiosa ajuda, mas não promover dependências, mantenha-se livre. Mantenha-se você. Exista como ser humano e permitase duvidar. Com certeza, nada, repetindo: nada, é por acaso.

Prova 03 CBJE

34


Hudson A. R. Bonomo

“Na luta feroz pela existência, desejamos ter algo que perdure e, assim, atravancamos nosso espírito de inutilidades e fatos, com a tola esperança de conservar nosso lugar.” (O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde) Prova 01 CBJE

35


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

MENINA Menina perdida em pensamentos Carente de um amor lúdico Vivido em um pontal de praia Trancada em uma semana de afeto. Beijos intermináveis No travesseiro de ilusões Amor simples Proibido Mentindo para existir. Moça de sempre sorriso De uma vida amarga Cheia de ditaduras Opressores que se foram e continuam. Mulher que estuda Que se forma Trabalha para uma alegria que se renova Faz enredo com sua própria vida. Mãe que se cobra Luta Fica perto Confusa Refletida em seu próprio fruto. Prova 03 CBJE

36


Hudson A. R. Bonomo

Admirada pelo poeta MĂşsica que mexe Primeiro funk da minha alma Presente no meu pensar. Menina vencedora Amada por mim Mesmo distante Livre e louca.

Prova 01 CBJE

37


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Quem se vence a si mesmo é um herói maior do que quem enfrenta mil batalhas contra muitos milhares de inimigos.” (Texto Budista) “Basta um minuto para fazer um herói; mas é necessária uma vida inteira para fazer um homem de bem.” (Paul Brulat)

Prova 03 CBJE

38


Hudson A. R. Bonomo

HERÓI HUMANO Ser humano Profano Com as vísceras a mostra Costra dos rancores De uma vida atribulada. Humano em suas causas Divino em ilusões copiadas De um velho romance. Karma ou calma? Não importa, desaba! O encontro com sua humanidade Força de enfrentar causas Feridas não cicatrizadas Sem o cuidar amoroso De outros seres e falhos Humanos. Indignos, porém brilhantes

Prova 01 CBJE

39


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Mentes inteligentes Que praticam o bem Evolução antecipada Coragem forçada E recompensada em sorrisos Em vidas levantadas. Compaixão Desejo de ver-se em outro ser Espelho de uma alma Cheia de esperanças Filósofo das ruas Conselheiro e aprendiz Herói sem poderes Cheio de deveres em uma manhã aflita Guerreiro sem armas Sem capa ou farda Apenas com seu cérebro na mão. Herói humano!

Prova 03 CBJE

40


Hudson A. R. Bonomo

Fazer da interrupção um caminho novo. Fazer da queda um passo de dança, do medo uma escada, do sono uma ponte, da procura um encontro. (Fernando Sabino - O Encontro Marcado) Prova 01 CBJE

41


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

ANJO Na madrugada em uma noite qualquer Olhando o vento nas árvores Imaginei você brincando sobre elas Percebi que seu lazer depende do meu descanso. Lembrei das inúmeras noites vazias Que você esteve ao meu lado Sem descansar Sem aproveitar este movimento dos galhos De uma natureza misteriosa Sou grato a você Tive a visão de como deve ser para você cuidar de mim Com tantos problemas e conflitos Mas ainda assim consigo ver a paz no seu rosto Não me sinto culpado Por te dar tanto trabalho

Prova 03 CBJE

42


Hudson A. R. Bonomo

Anjo do meu coração que não se afasta nunca Que esta sempre pronta para usar sua espada e me proteger Pronta para mandar uma brisa de calma nos momentos de angústia Anjo sempre amigo na minha solidão Enviado por Deus Eternamente ao meu lado Sem pedir nada em troca Mesmo não vendo seu rosto Conheço-te! E te amarei para sempre.

Prova 01 CBJE

43


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Prova 03 CBJE

44


Hudson A. R. Bonomo

MORENA Não descobrir a si mesma Não conseguir acompanhar os pensamentos Morena dos olhos expressivos Da boca do desejo De seus seios, colo da paixão De seus sabores, frutos da razão Esperança de amar novamente Mesmo que você pareça indiferente Que não ligue para mostrar o que sente Vontade de gostar, de acreditar Mesmo nos momentos tristes se ilude Busca uma posição de defesa Medo e razão que aprisionam Amor que esconde seus desejos Ilusão de alegrias em lugares Bares, lares... fugazes

Prova 01 CBJE

45


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Morena altiva Perdida em suas d煤vidas Entregue as suas incertezas Lute, tente e realize Aceite e viva Completamente consciente Que nada sabe, mas que aprende Que n茫o acredita em erros na vida Somente na pr贸pria vida e na Imensa alegria De abrir-se para o amor Para a pr贸pria Duvidosa e ardente vida!

Prova 03 CBJE

46


Hudson A. R. Bonomo

“Sempre há o seu quê de loucura no amor. Mas também há sempre o seu quê de razão na loucura.” (Friedrich Nietzsche)

Prova 01 CBJE

47


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

LOIRA Estranho olhar você Nesta noite de luar Ver sua mente envolta em espumas De uma cerveja nem tão gelada Nem tão delineada Não te conheço ainda Mas me preocupo com sua Fragilidade escondida Atrás de uma aparente Forte mulher Talvez o carinho Pareça-lhe um perigo Ou conhecer alguém Seja um risco Mas saiba que o mais lindo Esta na sua disposição De estar em lugares novos Em beber em copos diferentes A cada dia, saber menos Pra ter mais

Prova 03 CBJE

Mais incertezas Mais coragem Mais liberdade Mais amor. 48


Hudson A. R. Bonomo

COMUNIC AR-SE COMUNICAR-SE Manter canais de comunicação é uma das tarefas mais complexas para nós, humanos. Temos a habilidade natural de não ouvir a nós mesmos, e a não compreender o que os outros nos falam, como uma extensão mais que óbvia desta nossa incapacidade. Muitas vezes tentamos restabelecer os canais de comunicação com nossos amigos, pais, irmãos, amores e encontramos dificuldades difíceis de superar, e desistimos. Mas outras vezes, conseguimos ser teimosos o suficiente para continuar tentando e conseguindo! Infelizmente, este acaba sendo o caminho mais natural para encontrar o diálogo consigo mesmo, uma vez que enquanto não dialogamos com os nossos queridos mais próximos, insistimos em não nos ver. Prisioneiros de nós mesmos, precisamos que a ordem mundial se restabeleça para ver que não falamos conosco, e não buscamos as razões que nos levam a viver a vida da forma que escolhemos, e conviver com suas conseqüências. A beleza de cada momento, pode e deve estar, em conseguir entender o outro, sim, mas antes disto, a compreender-se e amar-se para respeitar seus próprios limites e os limites dos outros. Passo pela experiência de não conseguir restabelecer um canal de comunicação e ao enxergar isto, vejo sem medo da descoberta, que isto acontece todos os dias, e mais surpreso fico com a minha capacidade de ainda me surpreender com isto. Talvez a explicação mais simples seja sempre a mais complicada, pois nela podemos fugir de nossas próprias dúvidas, Prova 01 CBJE

49


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

ofuscá-la pelos defeitos dos outros e iludir-se mais uma vez, num ciclo sem fim. (porque a explicação mais simples é possivelmente a melhor). Comunicar-se é a importante constatação que existe um processo de retomada que necessita ser exercido todos os dias, por mais doloroso que seja, e continuar esta batalha de ouvir-se e ao outro, sem medo de não chegar ao fim.

Prova 03 CBJE

50


Hudson A. R. Bonomo

“Seja Flexível: Nenhuma vitória é obtida da mesma maneira que a outra. Muitas vezes, ao governar, nos apressamos para encontrar o “modelo” ou a “fórmula” que faz com que a experiência e o julgamento razoável sejam desnecessários. Que insensatez! Um formato não cabe em todas as situações, e temos de ser flexíveis para adaptar os sistemas à situação. “ (Brian Stewart)

Prova 01 CBJE

51


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

FILHO QUERIDO Nunca me vi como pai E depois de muito tempo, você veio Assustei-me ao ver A sua fragilidade Me vi em você Como um bebê que precisa de Alguém o tempo todo Me dediquei a você, Aprendi com você desde o primeiro dia Reconheci que também Fui um filho e enxerguei Vi o meu pai e suas fragilidades E passei a entendê-lo melhor Troquei a fragilidade por humanidade E vi que meu pai, eu e você Temos algo em comum... Somos humanos! Temos falhas, mas buscamos o bem Somos parecidos, mas muito diferentes Somos uma evolução um do outro

Prova 03 CBJE

52


Hudson A. R. Bonomo

Você é uma criança consciente Do Universo, Dos relacionamentos, Você é especial Você consegue expressar sentimentos Riqueza indescritível Que você vai demorar a valorizar Mas vai aproveitar em toda a sua vida Sou grato por você existir Por ser meu filho Tenho muito orgulho de você!

Prova 01 CBJE

53


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Sem a minha mãe, acho que jamais me teria saído bem na mímica. Ela possuía a mímica mais notável que já vi. Por vezes, ficava durante horas à janela a olhar para a rua e reproduzindo com as mãos, os olhos e a expressão de sua fisionomia tudo o que se passava lá em baixo. E foi observando-a assim que eu aprendi não somente a traduzir as emoções com as minhas mãos e meu rosto, mas sobretudo a estudar o homem.” Prova 03 CBJE

(Charles Chaplin) 54


Hudson A. R. Bonomo

CINEMA DA MINHA ALMA Sou apaixonado por cinema E aprendo com cada filme Pois consigo me colocar dentro deles Muitas vezes em vários personagens O que eu faria no lugar deles? O que eu sentiria nesta situação? Aprendi a filosofia dos diretores A filosofia da provocação Do impacto de ter de pensar Fora da caixa, da mesmice Do confronto com valores enraizados E rigidamente estabelecidos Aprendi a mudar os personagens A aceitar idéias novas A questionar meu conceito de ética A construir um roteiro da Minha própria existência

Prova 01 CBJE

Já fiz muitos filmes na minha cabeça Já fiz ficção, romance e documentários Mas nenhum deles poderá contar O que eu sou O que minha alma sente Pois não seria um filme Teria de ser um seriado com O número de temporadas Dos meus anos de vida... 55


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Ah, a razão, a seriedade, o domínio sobre os afetos, toda essa coisa sombria que se chama reflexão, todos esses privilégios e adereços do homem: como foi alto o seu preço! Quanto sangue e quanto horror há no fundo de todas as ‘coisas boas’.” Prova 03 CBJE

(Friedrich Nietzsche) 56


Hudson A. R. Bonomo

PENSAR x REFLETIR Demorei muitos anos para entender a diferença entre estas duas atitudes do ser pensante. Apesar de estarem relacionadas com a mesma busca por alguma coisa dentro de nós mesmos, são de níveis de maturidade completamente diferentes. Digo isto por minha própria experiência de vida e não pelo conhecimento a respeito dos conceitos ou definições das palavras. O pensar é livre, desconectado, muitas vezes difuso, esclarecedor e enganador ao mesmo tempo, muitas vezes rigido, na maioria dos casos: tirano, indigno de crédito por não ter uma base de análise e verificação, mas se faz necessário. A reflexão tem como base um conjunto de pensamentos, que juntos possam formar um padrão de comportamento humano, digno de crédito pela repetição, difícil de aceitar pela dureza e pela clareza quando as peças do quebra-cabeça se juntam e esclarecem fatos, dores e prazeres. Se usarmos apenas estas duas descrições, podemos dizer que a reflexão só existe em alguém que pensa. Mas alguém que pensa não necessariamente esta caminhando para algum lugar lúcido e de amadurecimento. Me pergunto então: por que é tão difícil refletir? Por que a tal auto-análise na maioria das vezes falha na sua concepção de gerar valor pra alma e pro espírito humano? A resposta é que nos enganamos a todo instante, nos contradizemos, somos mutantes, temos instinto de proteção, carências de aprovações externas, precisamos de ajuda. Prova 01 CBJE

57


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Mas onde está esta ajuda? Muitas pessoas buscam na amizade, outras no amor, outras nas terapias, ou nas religiões. Buscam a parceria que tanto falo em meus textos. Parceria para ajudar a montar o quebra-cabeça das dúvidas, para revelar as incoerências, pra questionar. Sabe aquele amigo chato e inquisidor? Não fuja dele. Se puder fazer uma terapia, faça! Se tiver fé, busque um aconselhamento amadurecido. Mas evite as dependências, não perca de vista que só você pode enxergar você mesmo, capte idéias, filtre, avalie, jogue fora muita coisa, limpe outras, encha-as de recheio de sua própria alma e caminhe mais um passo. Como saber se está dando certo? Ouça o silêncio da paz de sua alma, na solidão da noite, com a cabeça num travesseiro confortável, falando com seu Deus. Seja único, seja humano e aceite que o caminho é longo, mas a reflexão é sadia e amiga do seu futuro. Seja um ser reflexivo, mas seja um pensador primeiro. Mas se sentir cansaço, pare e peça mais ajuda, procure mais amigos, mais terapias, mais conselhos, pare de pensar e ouça mais. Se estiver relaxado, curta o momento. Pois são curtos estes momentos, tenha prazer neles e viva-os intensamente!

Prova 03 CBJE

58


Hudson A. R. Bonomo

Prova 01 CBJE

59


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

ENREDO DA MINHA MÚSIC A MÚSICA Música Sons matemáticos para alguns Linguagem dos anjos para outros Pode alterar o nosso humor Pode curar nossas feridas Ajuda nos momentos mais estranhos Nas reflexões do coração Música de todos os estilos Para todos os momentos Batidas, cordas, vozes, sons da vida Cada um no seu compasso Inexplicavelmente harmônicos Música para chorar, para rir Para Louvar a um Deus único Para acalmar, para conquistar Música de guerra e paz Para todos os momentos De uma vida rica de experiências E de paixões Enredo da minha vida Não pode ser única Tem que ser múltipla Como eu! Como você! Prova 03 CBJE

60


Hudson A. R. Bonomo

“Estas em meu corpo como uma tatuagem e em minha alma como uma prece!...� (Vivian Karla Tavares) Prova 01 CBJE

61


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

TATUAGEM INVISÍVEL Enquanto ouço as suas histórias Aparecem as marcas da sua dor Enquanto te observo, aprendo E suas marcas tomam forma Em minha mente. Você não tem tantos rabiscos como eu, Nem é tão diferente quanto eu, Mas de uma coisa tenho certeza: A sua tatuagem é invisível! E posso ver, mesmo sem compreender. Se você riscasse seu corpo E fizesse rabiscos como os meus Estes rabiscos seriam você, Que luta todo dia nesta busca dolorosa Para encontrar uma saída Um amor tatuado, em momentos únicos. Se no futuro eu ainda te encontrar Coisas novas teremos para falar Mas continuaremos a nos vermos tatuados Pelas marcas de uma maturidade desejada Por novos caminhos e descobertas alcançados.

Prova 03 CBJE

62


Hudson A. R. Bonomo

VERDADE x TRANSP ARÊNCIA TRANSPARÊNCIA Costumo dizer que tentar consolidar idéias em uma única palavra é perigoso, pois a mesma tem significados diferentes para pessoas ou situações diferentes e você corre o risco de não ser compreendido. Aceito correr este risco e vou tentar apresentar uma visão do que acredito ser a diferença entre uma pessoa “ser verdadeira” e “ser transparente”. Às vezes pode parecer a mesma coisa, mas na minha visão não é, e vou tentar explicar o por quê? Na minha definição: “ser transparente” é apresentar uma imagem de verdade a fim de conquistar o outro, criando uma sensação de que com isto, não pode ser traído, nem mal-interpretado, rejeitado, e etc. “Ser verdadeiro” é expor suas idéias em ações, quanto lhe é solicitado, mesmo assim sem ter a certeza que o outro deseja realmente a verdade. A sutileza da diferença está no nível de exposição e no preço a se pagar por cada uma das opções. Pessoas “verdadeiras” tendem a não aceitar que o outro não entenda sua sinceridade e se sentem mal quando suas verdades não são bem recebidas, e este é o preço neste caso. Não aceitar que há dúvidas no outro e que o falar nem sempre Prova 01é a expressão dos desejos é um exercício necessário CBJE

63


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

para reduzir os custos, mas nunca iremos zerá-lo (mais uma vez somos humanos). Pessoas transparentes demais vivem apresentando seu lado bom, mesmo sem o envolvimento do outro, se antecipando as ações, tentando formar uma área de conforto onde elas tenham a certeza de serem aceitas. Entretanto gastam uma energia imensa que deveria estar sendo usado de uma maneira mais saudável (ou divertida!), e este é o preço a se pagar por esta falsa certeza. Eu me pergunto: O que eu sou? Verdadeiro ou Transparente? Ou o que desejo ser? Qual o menor preço a pagar? (lembre-se que não estou considerando a hipótese neste texto de não ser verdadeiro ou outra alternativa, é apenas um exercício entre as duas opções). Eu, particularmente, prefiro pagar o preço de ser verdadeiro, apesar de ter sido a maior parte da minha vida uma pessoa transparente. Eu prefiro aceitar que o que o outro me pede, pode não ser real. Como por exemplo: “me diga com sinceridade o que acha, pode dizer, eu suporto!”, e depois que você fala perde o amigo para sempre. Eu prefiro arriscar dizer o que penso, desde que sabendo deste tipo de risco e trabalhar a minha intuição (e não será nunca 100% garantida, novamente por ser humano). Também prefiro arriscar ficar calado quando percebo que a pessoa realmente só quer ouvir o que lhe convém e ser cobrado por não03falar e posso também perder. Prova CBJE

64


Hudson A. R. Bonomo

Por que não ser transparente então? Até porque este caminho eu conheço bastante, sei do cansaço que gera e a energia que consome e não desejo isto pra ninguém. Há os que topem, mas eu já solicitei alvará de libertação disto faz algum tempo. O peso é grande e a leveza depois é muito perceptível. Em resumo, não há escolhas fáceis. Em uma você ficará mais cansado, em outra precisará arriscar mais, o que para muitas pessoas também é cansaço. O que quero deixar de lembrança neste texto é que não há uma regra, ou uma solução certa ou errada, cada um que tome a sua e pague o preço, e viva! Viver isto já é um grande passo, refletir sobre isto já é um presente da vida, e saber que optou já é um sinal de quebra de paradigmas.

Prova 01 CBJE

65


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

“Vejo a má consciência (sentimento de culpa) como a profunda doença que o homem teve de contrair sob a pressão da mais radical das mudanças que viveu: a mudança que sobreveio quando ele se viu definitivamente encerrado no âmbito da sociedade e da paz”; neste mundo social, “não mais possuem seus velhos guias, os impulsos reguladores e inconscientemente certeiros; estão reduzidos, os infelizes, a pensar, inferir, calcular, combinar causas e efeitos” (Friedrich Nietzsche)

Prova 03 CBJE

66


Hudson A. R. Bonomo

MUDANÇAS Pode parecer uma fuga Mas é uma luta Pode parecer um confronto Mas é desconforto Parece que comove Mas dissolve Muda os sentimentos Permanecem os momentos Mudo de lugar Permaneço no caminho Vivo do caminho Não vivo dos resultados Sou um artista De uma nova arte Sou compositor De novos sons Crio e desfio Penso e reclamo Choro sem parar Mesmo feliz Feliz de mudar De rir de mim mesmo Prova 01 CBJE

67


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

A todo instante aprender A ouvir mais Falar menos Orar mais Reclamar menos Crer mais Mudar Que bom mudar Que Coragem Que loucura Que viagem Mudar e n達o ter medo Sonhar com novos caminhos E realizar E sobreviver deste realizar.

Prova 03 CBJE

68


Hudson A. R. Bonomo

PERGUNT AS PERGUNTAS Muitas vezes acordamos pensando em como prosseguir. Talvez as perguntas estejam sendo mais duras com você do que o alívio das respostas que percorrem sua mente. Talvez você se sinta hoje apenas mais uma pessoa perdida, ou até mesmo a única perdida. Bem, para os que se acham sozinhos posso afirmar com certeza que o “barco das incertezas está cheio” de pessoas como você, para aqueles que se acham apenas mais um, preciso dizer também: que você é único, e que sim, as suas dúvidas são relevantes! Talvez debochem de você, riam de suas tristezas, por serem pequenas do ponto de vista de quem as olha, fúteis ou até mesmo ridículas, mas creia, e falo com experiência de quem passou por isto muitas e muitas vezes: você é importante pra alguém! Este alguém pode ser um amigo, um irmão, seus pais, ou até mesmo seu animal de estimação, pois é, e não podemos esquecer-nos de Deus ou qualquer outra forma divina que você deposite sua fé! Ele com certeza te acha importante, e não despreza as pequenas coisas, por mínimas que parecem aos olhos humanos. Se você se pergunta hoje “como vou resolver isto” ou “como esquecer isto e continuar”, pense que este processo é necessário. Nossa mente precisa de tempo para não descartar coisas importantes pelo impulso natural de nosso inconsciente. Não abra mão de refletir, talvez se entristecer, porque isto também faz parte do processo. Prova 01 CBJE

69


LABIRINTOS DA ALMA DE UM HOMEM

Aprendi com a tristeza, com a melancolia, com a depressão, e também com a alegria. Mas aprendi mais com as três primeiras. Acho que elas existem para nos recolhermos um pouco e nos preocuparmos conosco. É necessário este tempo, não se culpe tanto, apenas assista de camarote o seu e só seu amadurecimento pessoal!

Prova 03 CBJE

70


Livro produzido pela C창mara Brasileira de Jovens Escritores Rio de Janeiro - RJ - Brasil http://www.camarabrasileira.com E-mail: cbje@globo.com


Labirintos da Alma de um Homem