Page 74

INOVADORES

OS DIFERENCIAIS DA NOVA MEDICINA: TECNOLOGIA, CONECTIVIDADE E GESTÃO RELAÇÃO MÉDICO E PACIENTE A 40 anos atrás foi feito o primeiro exame de ressonância magnética em humanos. Antes dessa inovação, qualquer suspeita de doença exigia uma cirurgia invasiva para investigação. Com a ressonância magnética, os médicos puderam ver o que acontece dentro do corpo do paciente sem a necessidade de uma cirurgia. Claro que hoje em dia os exames são muito mais sofisticados e completos, mas essa invenção revolucionou o setor da saúde.

72

Estamos vivendo essa mesma transformação com a chamada “internet das coisas”. Hoje em dia, o único jeito de um médico saber como está a saúde de seu paciente é solicitando uma bateria de exames. Com o advento da tecnologia wearable, em que dispositivos vestíveis captam dados sobre a saúde em tempo real, 24 horas por dia, os exames não serão mais tão necessários. Os wearables podem monitorar: quantidade de passos, qualidade do sono, nível de açúcar no sangue, batimentos cardíacos e várias outras coisas. Todas essas informações podem ser preciosas para um diagnóstico e consequente tratamento.

Daqui 10 anos o paciente vai estar muito mais empoderado. Todos esses dados que ele coletar ao longo do tempo com os wearables vão servir como material para pesquisas personalizadas em aplicativos que vão apresentar possíveis diagnósticos. Ou seja, a inteligência artificial será capaz de analisar dados, cruzar com as particularidades da pessoa que pesquisa, levar em consideração hábitos e estilo de vida, para aconselhar que tipo de medida tomar. Desde uma medicação simples até uma consulta com a especialidade médica mais indicada para o caso. Isso vai mudar totalmente a forma como médicos e pacientes se relacionam. Ao chegar no consultório, o paciente terá ainda mais consciência de seu estado de saúde e algumas possibilidades de diagnóstico possíveis. Mas isso não é algo negativo, na verdade, dá ao paciente o poder de tomar decisões sobre sua própria saúde e também responsável pelo sucesso, ou fracasso, de um tratamento. Além disso, essa objetividade também será responsável por muitos cortes de gastos. O

Profile for Jéssica Miranda

Revista Healthers - Edição 17  

Revista Healthers - Edição 17  

Profile for hplay
Advertisement