Issuu on Google+

www.luciorebelo.com.br

Cinco anos de

gestão inovadora Hospital Lúcio Rebelo: em cinco anos, avanços e novas referências

A

grande obra lançada há dois meses – e que irá converter o Hospital Lúcio Rebelo em maior unidade privada de saúde do Centro-Oeste – começou a ser erguida, na verdade, há cinco anos, quando o hospital promoveu um grande “choque de gestão” na organização hospitalar. Os novos métodos de governança corporativa, implantados pelo diretor-geral do HLR, João Antunes de Macedo, têm apresentado os resultados financeiros que agora permitem à instituição realizar o mais ambicioso plano de investimentos nestes 34 anos de história. “Nossa estratégia é dirigida no

sentido de convergir todos os meios e recursos para o cumprimento das metas de excelência na prestação de serviços de saúde. Para tanto, temos como diferencial sólida e planejada política de gerenciamento que privilegia a eficiência e premia o mérito”, explica o diretor-geral. Desde que o “choque de gestão” começou a ser executado, medidas pontuais vêm alterando o perfil da infraestrutura e da qualidade dos procedimentos médico-hospitalares do Hospital Lúcio Rebelo. As inovações são verticalizadas e alcançam desde iniciativas de profissionalização dos recursos humanos por intermédio do Programa de Edu-

cação Continuada aos investimentos em tecnologia de ponta em equipamentos de diagnóstico e tratamento, como a tomografia, a endoscopia, o raios X e a reestruturação dos serviços de ergometria, entre os exemplos. Nestes cinco anos foram também realizadas obras fundamentais como as reformas da Unidade de Tratamento Intensivo, do setor de Hotelaria, dos Ambulatórios, do Pronto-Socorro, do Centro Cirúrgico e do Laboratório de Análises Clínicas. Foram ainda criados a Unidade Coronariana, o Centro de Cirurgia Cardíaca e dobrada a capacidade do serviço de hemodinâmica. No período, o HLR também avançou ao se tornar referência também em urologia e ampliar de forma acentuada os serviços de neurologia clínica e cirúrgica. Outra providência de grande valia foram os investimentos em tecnologia de informação com a aquisição de modernos sistemas de software e hardware. Conforme acentua João Antunes, as políticas de gestão estão em constante aperfeiçoamento com o objetivo de atingir cada vez mais, maiores níveis de excelência e profissionalismo.

João Antunes com o presidente do Hospital Lúcio Rebelo, Percival Rebelo: choque de gestão

Parceiros – Presidente do Hospital Lúcio Rebelo, Percival Rebelo almoçou, no restaurante L´etoile D´argent, com o gerente de mercado da superintendência do Banco do Brasil em Goiás e responsável da instituição pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), Ruy Barbosa Mesquita, o superintendente estadual do BB, João Batista Trindade, e seu chefe de gabinete, Mauro. A eles, Percival apresentou o projeto do novo HLR e informou-se sobre o financiamento do FCO Informativo - Ano 2 nº 18 - julho de 2011 - www.luciorebelo.com.br


O início de tudo: Marconi conheceu o projeto da transformação, que começa a virar realidade

Diretoria se reúne com governador Marconi Perillo

P

ercival Rebelo e João Antunes de Macedo Neto, respectivamente presidente e diretor-geral do Hospital Lúcio Rebelo, estiveram com o governador Marconi Perillo para apresentar o projeto do novo HLR. A audiência ocorreu no gabinete do primeiro-mandatário de Goiás, que se mostrou bastante interessado nos detalhes da arquitetura hospitalar arrojada que irá definitivamente inscrever Goiás como referência nacional na medicina. Marconi Perillo hipotecou total apoio à iniciativa e destacou a ousadia empresarial de Percival Rebelo, especialmente sua capacidade de estar sempre à frente quando o assunto é a medicina de ponta. O governador ficou impressionado ao se inteirar de que o novo Lúcio Rebelo será a maior unidade privada de

saúde do Centro-Oeste e um dos mais importantes centros de excelência em cardiologia do Brasil. Marconi Perillo aproveitou a conversa para falar das medidas que estão sendo tomadas para o saneamento do Ipasgo. “Este será um ano de ajustes e sacrifícios, mas o povo de Goiás será recompensado à medida que iremos devolver a saúde financeira à instituição e recobrar a credibilidade do convênio que historicamente é símbolo de assistência médico-hospitalar dos milhares de servidores públicos do Estado”, destacou o governador. Marconi Perillo, inclusive, solicitou dos diretores do Hospital Lúcio Rebelo sugestões de iniciativas e mudanças que possam ser realizadas para que o Ipasgo se torne um plano de saúde eficiente tanto na prestação de

Aniversariantes de

serviços quanto na gestão corporativa. Vale lembrar que o médico Percival Rebelo liderou, em março deste ano, movimento formado pelas organizações hospitalares privadas de Goiás que culminou com a renegociação das dívidas do Ipasgo com o setor e abriu o caminho para a reestruturação administrativa da autarquia criada há 49 anos como instituto de previdência e em 2002 foi convertido em plano de saúde, com cobertura de aproximadamente 600 mil conveniados entre servidores ativos, aposentados e agregados.

Agosto

01

João Antunes de Macedo Neto

Diretoria Geral

17

Sandra Otilia de Jesus Vicencio

Diluição

01

Neiva Maria Carneiro Veneziani

Faturamento

18

Corina Soares da Silva Neta

Enfermagem

02

Lucimeire Alves Rodrigues Lopes

Recepção Médica

18

Eizenhawer Petterson do Amaral

Enfermagem

02

Michelle Tosta França

Internação

18

Selma dos Anjos Oliveira

Enfermagem

02

Raquel Lemes de Sousa

Enfermagem

21

Débora Reigado de Castro

Enfermagem

06

Yeda de Jesus Rodrigues dos Santos

Hotelaria

22

Edivaldo Alves de Souza

Telefonia

08

Maria Helena Leal Lucio Rebelo

Hotelaria

23

Edson Pinheiro Maciel

Hotelaria

08

Gizelli Sousa Santos Rodrigues

Hotelaria

23

Marta Alves Teixeira

Enfermagem

08

Thiago D’Artagnan Parisi Pimenta

Almoxarifado

25

Rosineide Souza Dias

Hotelaria

09

Osni Vieira Barros

Enfermagem

25

Tatiana Alves dos Santos

Enfermagem

12

Warley Ribeiro Santos

Recepção P. S.

31

Maria Cristiane de Sousa Arruda

Hotelaria

Informativo - Ano 2 nº 18 - julho de 2011 - www.luciorebelo.com.br

EXPEDIENTE Informativo Hospital Lúcio Rebelo Presidente: Percival Xavier Rebelo Filho Diretoria de Hotelaria: Maria Helena Leal Lúcio Rebelo Diretoria Geral: João Antunes de Macedo Neto Diretoria Técnica: Seikazu Tamashiro Coordenação de UTI e da Emergência Eduardo For miga Lourenço Souza Diretoria Clínica: Fernando Leão Jornalista responsável: Britz Lopes - JP00810-GO Redação e fotografia: Marcio Fernandes Editoração eletrônica: Ygor Lima Revisão: Francisco Felix Impressão: Grafopel

Av. Edmundo Pinheiro de Abreu nº 451 St. Bela Vista - CEP: 74823-030 Telefone: (62) 3257.2000 www.luciorebelo.com.br contato@hospitalluciorebelo.com


Resolução é a palavra-chave do Pronto-Socorro

O

Eduardo Formiga: integração da emergência com a Unidade de Terapia Intensiva

cardiologista Eduardo Formiga tem uma rotina frenética no Lúcio Rebelo. Profissional altamente capacitado, cumpre a missão de coordenar a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e dirigir as atividades do Pronto-Socorro. Há seis meses, o médico está à frente dos serviços de atendimento de emergência e no curto espaço de tempo já conseguiu implantar uma série de protocolos que permitiram eficientizar os serviços do setor, especialmente nas especialidades de cardiologia, neurologia, urologia, pediatria, cirurgia geral e vascular. Eduardo Formiga explica que o grande desafio do Pronto-Socorro é administrar com rapidez e segurança o diagnóstico preciso e a terapia imediata ao paciente em situação de alto risco durante 24 horas por dia. “No Lúcio Rebelo, seguimos os protocolos da Associação Americana de Cardiologia, chamado ACLS (Advanced Cardiac Life Support), sigla em inglês, o que nos proporciona padrão de atendimento em casos de pa-

rada respiratória, arritmia cardíaca e acidentes vasculares cerebrais, entre outros, com extrema capacidade de resolutividade”, explica o diretor. Aliás, resolutividade é a palavra que resume a dinâmica da filosofia de trabalho de Eduardo Formiga, para quem o que interessa no funcionamento do serviço de emergência não é a quantidade dos atendimentos, mas a capacidade do corpo médico de resolver os problemas dos pacientes. Para dar as respostas à altura da demanda do hospital, 24 horas por dia o Lúcio Rebelo dispõe de dois clínicos e dois cardiologistas, com o apoio de um terceiro profissional da UTI em caso de necessidade. “O fato de eu coordenar também a Unidade de Tratamento Intensivo em vez de significar assoberbamento de trabalho resulta em dado altamente positivo à medida que podemos integrar os dois setores e imprimir mais dinamismo nas decisões que precisam ser tomadas nas situações de emergência”, ressalta Eduardo Formiga. O cardiologista, com experiência exitosa nas mais conceitua-

das instituições de saúde do Brasil, como a Beneficência Portuguesa e o Hospital Sírio-Libanês, explica que os indicadores de sucesso apresentados pelo Pronto-Socorro do HLR também decorrem do constante aperfeiçoamento científico do corpo médico e dos investimentos permanentes do hospital em tecnologia de diagnóstico e tratamento, a exemplo da hemodinâmica, tomografia, ultrassonografia, radiologia e de laboratório. “Os recursos de diagnóstico por imagem devem ser executados na mesma dinâmica do trabalho clínico e temos evoluído bastante para harmonizar as condutas”, assevera. Formiga nota que boa parte dos pacientes em situação de emergência, especialmente em cardiologia, que chegam ao Lúcio Rebelo, provêm de outras unidades de saúde de todo o Estado. “Normalmente o paciente internado em outro hospital sofre alguma intercorrência grave e é removida para cá em busca de tratamento de melhor resolução, já que somos a referência de Goiás na especialidade médica”, comenta.

Informativo - Ano 2 nº 18 - julho de 2011 - www.luciorebelo.com.br


Fernando Leão é o novo diretor clínico do HLR

O diretor clínico Fernando Leão: foco na segurança e plena recuperação dos pacientes

Médico urologista que atua no Hospital Lúcio Rebelo desde 2006, Fernando Leão assumiu a diretoria clínica da unidade e terá pela frente o desafio de manter a alta qualidade dos serviços prestados durante o período das obras de ampliação. Enquanto diretor clínico, qual a sua missão? Fernando – Além de dirigir e coordenar o corpo clínico, assegurar condições dignas de trabalho para os médicos da instituição; supervisionar a execução da assistência médica prestada aos pacientes, garantindo todos os meios necessários à prática médica em favor da recuperação da saúde dos mesmos; observar o fiel cumprimento do Regimento Interno do Corpo Clínico e atuar junto à Comissão de Ética Médica do HLR. É um desafio assumir a diretoria clínica de uma unidade desse porte? Fernando – O Hospital Lúcio Rebelo possui hoje em seu corpo clínico uma vasta relação de profissionais altamente capacitados em diferentes especialidades e que sempre estão empenhados na plena recuperação de nossos pacientes. O perfil do nosso paciente é multidisciplinar, ou seja, sempre estaremos atuando com duas ou mais especialidades em cada caso. E o diretor clínico deverá sempre estar ativo de forma a manter essa harmonia entre os profissionais

e fornecer os meios necessários à recuperação do paciente. O senhor será uma espécie de elo entre o corpo clínico e a direção geral do HLR. Como pretende desenvolver esse trabalho? Fernando – Além da competência de dirigir e coordenar o corpo clínico, minha atuação está comprometida em estreitar as relações médicas com a atual administração. Então, o caminho é atuar ativamente para que os colegas exerçam suas tarefas com responsabilidade voltada à valorização do exercício profissional e à prática da ética médica. Qual será a sua parcela de colaboração nesse processo de transformação do hospital? Fernando – O Hospital Lúcio Rebelo atualmente encontra-se em fase de ampliação global (estrutural, funcional e organizacional) e a nossa colaboração será na atuação ativa da manutenção das condições dignas de trabalho médico,

supervisionando e garantindo todas as condições para que se reestabeleça a saúde dos pacientes. Qual será a participação de cada um para que o cliente do HLR não sinta tanto os transtornos de uma obra dessa envergadura? Fernando – A maior preocupação da administração do HLR perante essa obra de ampliação é como realizá-la da maneira mais segura para todos aqui dentro, e menos traumática e perceptível aos nossos usuários. A participação de todos deverá ser focada na segurança global e em parâmetros já estabelecidos para aqueles que estão no convívio direto com os problemas de gestão, administração, atendimento e assistência.

Sucesso do novo serviço

O

Hospital Lúcio Rebelo se prepara para ser referência em Neurologia-Neurocirurgia. Há um ano foi inaugurado na unidade o serviço de trombólise em pacientes com acidente isquêmico agudo (AVC) e, desde então, já foram 20 pacientes atendidos com

sucesso, evitando que graves sequelas se manifestassem. O AVC agudo isquêmico é resultante de entupimento de artéria cerebral, causado pela formação de coágulo trombo. O chefe da equipe Novo Neuro é o neurocirurgião Herbert Almeida Oliveira e Souza. Fazem parte dela

Informativo - Ano 2 nº 18 - julho de 2011 - www.luciorebelo.com.br

também os neurocirurgiões Durval Peixoto de Deus, Maria José Carvalho David, Marcos Fernando Tweedie Spadoni e os neurologistas Delson José da Silva, Marco Túlio Araújo, Marco Aurélio, Luiz Antônio Freitas de Oliveira Júnior e Eric Santana Cardoso.


HLR-JULHO-2011