Page 1

Edição especial – Ano 17 - Nº 47 - dezembro - 2011

EDITORIAL Nesta edição especial, exaltamos as bodas dos Colégios da nossa Província, exemplos da bem sucedida evolução da educação franciscana hospitaleira. Nossa obra educacional vem se projetando, ao longo deste último século, pela seriedade e compromisso com a qualidade da educação e a formação alicerçada nos valores cristãos, com ênfase no exercício da cidadania e na justiça social. Elencamos a seguir, alguns princípios básicos que fundamentam o valoroso trabalho desenvolvido pelos nossos colégios junto às suas comunidades. - A educação franciscana hospitaleira adota uma ação pedagógica centrada no amor, no acolhimento e na alegria, considerando a escola um ambiente privilegiado, onde se constrói o desenvolvimento pleno e equilibrado de cada indivíduo. - Sob a inspiração e o exemplo de Jesus Cristo, o processo educativo busca estimular nas crianças e jovens a busca da verdade; a visão crítica e consciente da realidade; o espírito da paz e da solidariedade; e a fé na condução do propósito maior da existência. - A educação Franciscana Hospitaleira contempla uma formação integral, voltada para o desenvolvimento das potencialidades intelectuais, culturais e afetivas de cada pessoa. Ajuda o aluno a responder aos desafios da sua vocação humana e cristã, fortalecendo seu compromisso na tríplice relação com Deus, consigo mesmo e com o outro. Desta forma, parabenizamos os Colégios da nossa Província pelo profícuo trabalho pautado na ética e na excelência pedagógica, a partir da perspectiva da mensagem de Cristo sobre a humanidade, a vida, a história e o mundo, vivida por Francisco de Assis e pelos Fundadores da CONFHIC, Madre Maria Clara do Menino Jesus e Padre Raimundo dos Anjos Beirão.


Fatos da Província

Centenário do Colégio Sagrado Coração de Maria Em sua trajetória a serviço da comunidade local, a instituição tem contado com a valorosa colaboração de Irmãs como Letícia Rodrigues Duarte (Ir. Aparecida) de saudosa memória. Ex-aluna do Colégio, a Irmã Maria Eneide Martins Leite foi a primeira Superiora Geral brasileira da CONFHIC, enquanto a Irmã Terezinha de Souza Rocha foi a primeira brasileira nomeada Superiora Provincial no Brasil.

O Colégio Sagrado Coração de Maria (CSCM), sediado em Mossoró (RN), festeja em 2012 seu centenário coroado de êxitos e desafios superados. A instituição foi fundado no dia 2 de agosto de 1912, graças ao empenho das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição. Vindas de Portugal, elas trouxeram consigo a firme determinação de desenvolver um trabalho educacional direcionado para o desenvolvimento humano e para construção de uma sociedade mais justa, como base para o fortalecimento do reino de Deus. A ação educativa desenvolvido pelo Colégio Sagrado Coração de Maria é fundamentada na filosofia cristã. O objetivo é promover a formação da criança e do adolescente em seus múltiplos aspectos, seja moral, intelectual, ético, físico e religioso, despertando no educando um pensar crítico que contribua para a construção de sua formação integral. Em sua trajetória de 95 anos a servi-

ço da comunidade local, a instituição tem priorizado o amor, o acolhimento e a fraternidade para com todos que fazem parte desta família tão especial.

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

2

Aclamado pela comunidade mossoroense, o Colégio Sagrado Coração de Maria vem experimentando uma trajetória de plena expansão. Sob a gestão atuante da Irmã Maria Zelândia da Silva, Diretora Geral e Conselheira - Setor de Educação, as instalações vêm sendo gradativamente ampliadas. Em 2011, foi aberta mais uma turma de Maternal I, construída uma nova sala para os serviços de mecanografia e implantada mais uma arquibancada na quadra de esporte.

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Formação

Celebração eucarística na abertura oficial Clara. A eucaristia foi presidida por Dom Mariano Manzana, bispo da Diocese de Santa Luzia, de Mossoró (RN). Na Capela Mãe Clara, as Irmãs Franciscanas e todos que formam a Comunidade Educacional Coração de Maria entoaram em uníssono o louvor por tudo o que representou e representa Mãe Clara para a Congregação e para o Colégio Sagrado Coração de Maria.

A abertura oficial do ano centenário foi lançada com uma celebração eucarística, em julho de 2011 passado. Foi uma comemoração de muita beleza e emoção para as Irmãs da Fraternidade e para toda família do CSCM. Entre as presenças queridas ali estiveram na ocasião as Irmãs Cacilda Luzia de Santana, Conselheira do Governo Geral, Margarida dos Santos Lima, Superiora Provincial, Gloria Pacheco, Leda Silva Dantas, Celina Cantalice, Dalvanir Filgueira Rosado, Antonina e Teresinha, da Fraternidade Menino Jesus, Lucimar Miranda e Zulinda. A comemoração dedicada ao 990 aniversário do Colégio e preparatória para o centenário foi realçada pelas apresentações musicais e culturais dos alunos e discursos. Um show de talentos dos pequeninos e maestria dos educadores, que capricharam nas atividades comemorativas. Com carinho, o CSCM registrou, ainda, a presença de algumas ex-alunas residentes em Natal, que vieram manifestar gratidão, rever amigos e reavivar saudades de um passado feliz, como manifestaram

em seus depoimentos. Para finalizar a ambientação de muita alegria e descontração, foi servido um jantar aos presentes. O ponto alto da coroação do centenário, agendado para 2012, foi antecedido de uma série de atividades inesquecíveis, a exemplo da concentração cívica, com desfile dos alunos, contando também com a presença do Tiro de Guerra de Mossoró, em comemoração à data magna da Independência do Brasil, em setembro último. Na época, o Colégio acolheu, com muita alegria, durante dois dias, o banner de Santa Rosa de Viterbo, em peregrinação pelas terras brasileiras, como parte das comemorações dos 40 anos de fundação da JUFRA (Juventude Franciscana) no Brasil, da qual é padroeira. No encerramento do último semestre, houve a festa dedicada à Bem-aventurada Maria Clara do Menino Jesus, no dia 1º de dezembro, quando a comunidade escolar celebrou com muita unção e ação de graças ao Senhor pelo avanço no processo de beatificação da amada Mãe

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

3

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Educação

Colégio São José comemora 85 anos de tradição Uma trajetória consagrada pela tradição de qualidade do ensino e pela formação embasada nos valores cristãos e no exercício da cidadania foi construída pelo Colégio São José em 85 anos de bons serviços prestados à população baiana. Sediado em Salvador (BA), o Colégio São José fez a abertura das atividades comemorativas das suas bodas, no dia 19 de março de 2011, com a apresentação, para os alunos, da banda “Samba de banda”, da qual faz parte a ex-aluna da instituição, Ily Cruz. Várias atividades marcantes foram realizadas ao longo do ano passado. No dia 4 de setembro, houve o II Encontro de Ex-Alunos, quando se reuniram aproximadamente 500 antigos estudantes do colégio, de épocas mais recentes até décadas anteriores. Com uma vasta e agradável programação, o evento brindou os participantes com momentos especiais, como o pronunciamento da Diretora da ins-

tituição, Irmã Maria Edna Marcílio de Souza, e uma consistente palestra sobre os desafios do mundo atual proferida pelo padre diocesano e amigo do colégio, Pe. Francisco. Na ocasião do Encontro dos Ex-Alunos, foi apresentada por uma exposição de slides com uma retrospectiva dos últimos dez anos, com fotos e registros das mudanças pelas quais o colégio passou na sua estrutura física e pedagógica, assistida com muita atenção pelos presentes. A apresentação ficou por conta do professor Lázaro Gomes. A ex-aluna Daniela Bonfim e o ex-aluno Cristiano Wilson abrilhantaram o evento com

participações musicais. Não faltou também a ilustre presença do professor de música, Jorge Borges, que fez um reviver de canções que os ex-alunos costumavam cantar quando eram crianças. Após três horas de evento foi oferecido aos alunos o “pãozinho de Ir. Coló”, famoso pelo seu sabor e pelo significado afetivo que encerra. Esteve presente a Ir Maria José de Oliveira (Ir. Esmerinda), estimadíssima catequista da maioria dos ex-alunos presentes. Momentos de grande alegria e emoção tomaram conta dos ex-alunos que, entre fotografias, abraços e recordações, expressavam sua gratidão ao indiscutível contributo que o Colégio deu a cada um. Saíram todos, diretora, professores, funcionários e ex-alunos, plenos de alegria e das bênçãos que São Francisco e São José concederam a esta obra.

Por dentro da história •O Colégio São José foi fundado pela CONFHIC em 26 de fevereiro de 1926. •Em homenagem ao seu patrono, São José, a data comemorativa da instituição é 19 de março. •O primeiro endereço da instituição foi a Avenida Luiz Tarquínio, em Salvador. Por iniciativa de Madre Maria Rosa de Viterbo, em 1952 o Colégio foi instalado na Rua da Imperatriz,

nº 170, onde passou por sucessivas reformas e ampliações. • A presença masculina no corpo discente aconteceu a partir de 1974. • Em 2000 entrou em vigor o Ensino Médio, em sintonia com os avanços preconizados pela Lei Nacional de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). • O Colégio São José é exemplo pelos contínuos avanços na sua prática pedagógica, associados à formação

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

4

integral baseada nos valores cristãos. Uma obra consolidada pelas Irmãs que atuaram na Direção da casa: Irmã Estela Rodrigues, Irmã Maria Rosa de Viberbo, Irmã Maria do Espírito Santo, Irmã Rosa Cândida de Maria, Irmã Glória de Maria Imaculada, Irmã Leda Silva Dantas, Irmã Gelcy de Oliveira Mariano (Ir. Anunciada) e Irmã Maria Edna Marcílio de Souza (Ir. Carmelina), atual diretora.

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Educação

Missa solene no Santuário São José No encerramento das festividades, em 19 de setembro, houve a Eucaristia concelebrada pelos Padres Robson Rios Pinto, reitor do Santuário São José e Pe. Edson, Reitor da Basílica Senhor do Bomfim, presidida por Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, Arcebispo de Salvador. Foi uma celebração muito alegre e participativa, que reuniu grande número de pessoas amigas, representantes dos pais, alunos, professores e funcionários e Irmãs da Província. Em sua homilia, Dom Murilo falou da importância da evangelização nas escolas católicas, afirmando que se deve fazer da Igreja uma casa e escola da comunhão, pois é lugar da missão. Ressaltou, ainda, que cabe aos formadores, praticar o ensino a partir da perspectiva de Deus, preocupando-se com a formação cultural, mas também, com a contínua conversão. Na vida de muitos jovens, a escola católica é a única presença da Igreja, cabendo-lhe acender e alimentar

a chama da fé em seus formadores com o testemunho de vida, vivida como itinerário até Deus. A Irmã Maria Edna Marcílio de Souza, diretora do Colégio São José, discursou em agradecimento a todos que fizeram parte deste honrado estabelecimento educacional, saudando funcionários, professores e Irmãs e todos aqueles que ali estudaram ou estudam na atualidade. Em momento de ação de graças, a ex-aluna Ana Teresa Fernandez Alva-

rez, agradeceu e louvou ao Senhor, elevando até o céu, em fervoroso gesto de saudação pela passagem dos 85 anos do Colégio São José. Como não se elevar até o céu, ao recordar uma história carregada de bênçãos, que fizeram recordar um Colégio digno, respeitável e admirável. Agradeceu ao Glorioso São José, Homem Santo que foi solícito e vigilante, protetor do Colégio. Foi hora de agradecer à Beata Mãe Clara, que é presença de virtude e humildade para todos educadores, funcionários, Irmãs, alunos e amigos do nosso querido Colégio. Agradecimento, ainda, à dedicação e ao empenho de todas as Irmãs diretoras, que gerenciaram a instituição nestes 85 anos, sobretudo Irmã Carmelina, atual diretora, vida e alma do Colégio, pelo amor e dedicação constante.

vamos! - temos que repetir a cada instante, pedindo que Ele continue protegendo todos aqueles que fazem parte do Colégio São José, na Paz e no Bem! A programação comemorativa incluiu a leitura das mensagens recebidas do Conselho Geral, de Dom Esmeraldo Barreto de Farias, Bispo de Santarém, de Irmã Cacilda Luzia de Santana, ex- aluna e Conselheira Geral da CONFHIC, e de Irmã Margarida dos Santos Lima, Superiora Provincial. Após a celebração, Irmã Carmelina convidou os presentes para um delicioso coquetel no Jardim de Maria, onde, em um ambiente agradável e alegre, ao som de um belo repertório musical, todos puderam se confraternizar em clima familiar e aconchegante.

A ti, ó Deus, te lou-

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

5

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Educação

75 anos dedicados ao Sagrado Coração de Jesus

A existência é grande motivação para o louvor e o agradecimento a Deus, Fonte de toda vida. A existência de uma instituição faz recordar sendas percorridas, metas alcançadas, braços pioneiros e corações mantenedores. A existência do Colégio Sagrado Coração de Jesus, em seus 75 anos de funcionamento, rememora gerações passadas, sem olvidar os construtores de possibilidades que hoje e sempre desenvolveram um modelo de educação sólida o bastante, para não se corromper com o tempo, mas que se mantém atual e atualizada. É com imensa alegria que compartilho com todos e todas esta efeméride, somatória de outras celebrações memoráveis aqui realizadas, na Estância querida de tantas Irmãs Franciscanas Hospitaleiras, centenária presença evangelizadora no Brasil. Ao celebrar 75 anos dedicados à formação da criança e da juventude, ao ensino de qualidade sem exclusão, o Colégio Sagrado Coração de Jesus confirma uma trajetória pautada pelo amor à educação e prioridade aos valores morais e religiosos. Todos os esforços convergem para a promoção humana, baseados na valorização das po-

tencialidades de cada educando, no processo de construção de novos conhecimentos. Ao celebrar 75 anos, consagra-se como um colégio de tradição, isto é, transmitiu, entregou valores perenes às gerações, sem perder-se nos descaminhos do tradicionalismo. Os bons exemplos colhidos ao longo destes anos motivam a preocupação constante com a qualidade do ensino e o faz desempenhar suas atividades com zelo, eficiência e espírito inovador. Neste momento especial da história franciscana hospitaleira deste Colégio jubilando, renovemos nossa consagração ao Sagrado Coração de Jesus. Consagremos todo espaço físico utilizado na prática do bem, na construção da paz em defesa da vida.

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

Consagremos os organismos internos, em todos os seus membros, que gerenciam as atividades no cuidado cotidiano da vida comum. Consagremos todos os colaboradores e colaboradoras que investem sua riqueza pessoal, na construção de vidas em busca de futuro na paz e no bem. Consagremos ao Sagrado Coração de Jesus as famílias, todas as famílias, as nossas famílias. Que os lares sejam revestidos de sabedoria, de justiça e de paz. Que a família seja santificada em sua dignidade, em sua solidez de célula mater da sociedade. Consagremos ao Divino Coração, também e com especial carinho, os filhos pródigos que abandonaram os sólidos ensinamentos da fé cristã, transmitidos por este Colégio. Que estes filhos voltem ao porto da verdade, à unidade da fé para honra e glória de Deus Uno e Trino. Colégio Sagrado Coração de Jesus, “em seus 75 anos de fundação, somos convidados e convidadas a seguir os passos desta trajetória jubilar, para reler o passado à luz do um presente pleno de esperança, na ousadia de perceber a marca divina na história construída “sob o olhar providencial de Deus que vela sobre nós”. Pronunciamento da Irmã Margarida dos Santos Lima

6

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Formação

Amor e compromisso com a educação

O Colégio Sagrado Coração de Jesus (CSCJ), sediado em Estância (SE), tem um caminho consagrado pelo amor à educação e prioridade na prática dos valores morais e religiosos. Em seus 75 anos de existência, comemorados em 2011, o Colégio formou gerações de profissionais e cidadãos de conduta marcada pela competência e honradez. Os bons exemplos colhidos ao longo destes anos motivam a preocupação constante com a qualidade do ensino. A instituição desempenha suas atividades com zelo, eficiência e espírito inovador. A instituição desenvolve um modelo de educação sólida o bastante para não se corromper com o tempo, mas que mantém-se atual e sintonizada com os desafios contem-

porâneos. A missão educacional do Colégio Sagrado Coração de Jesus segue os princípios da valorização humana, adotando em suas atividades pedagógicas critérios que proporcionem um ensino no qual se desenvolvam as dimensões pessoais, sociais e transcendentais junto aos alunos.

pertencera ao Arcebispo de Stobio, D. Manuel Raimundo de Melo que o oferecera à diocese de Aracaju. As primeiras religiosas que ali trabalharam foram as Irmãs Dora da Santíssima Trindade, Irmã Maria das Chagas de São Francisco, Irmã Silvia de Maria Santíssima e Irmã Corina de São José.

O Colégio Sagrado Coração de Jesus foi inaugurado em 01 de março de 1936, por iniciativa do Cônego Antônio de Freitas, Vigário da paróquia, e do Juiz de Direito Dr. Vicente Barreira de Alencar. As Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição iniciaram seus trabalhos em Estância a convite do bispo da diocese de Aracaju Dom José Tomás Gomes da Silva e o terreno onde foi construído o colégio

Professores, alunos, pais, funcionários, direção e Irmãs interagem em um convívio produtivo e envolvente, sob o dinamismo da Irmã Lêda Silva Dantas na Direção. O trabalho desenvolvido com zelo e competência busca formar cidadãos mais solidários e capazes de lidar com as demandas e desafios do mundo moderno.

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

7

Pronunciamento da Irmã Margarida dos Santos Lima, Superiora Provincial

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição


Educação

Atividades de repercussão em Itabuna

Atividades de repercussão bastante positiva foram promovidas pelo Colégio da Ação Fraternal de Itabuna (AFI), ao final do último semestre, Destaque para o coquetel de lançamento do livro Pequenos Poetas, que aconteceu no dia 23 de novembro, contando com a participação da Diretoria, Coordenadores, professores, familiares e alunos, o lançamento do Livro

Feliz cumplicidade! Instado a escrever ao algo acerca da minha vinculação às Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, volto aos idos dos anos cinquenta, quando ocorreu o nascedouro de uma cumplicidade até hoje vivenciada entre nós. O amor. Não é saudosismo! Porém, é uma constatação da ação das referidas religiosas na minha vida e na vida de tantas outras pessoas que por elas passaram, sob as ações social, pastoral e catequética, prestadas à sociedade campinense. A Casa da Criança Dr. João Moura recebia, em meados da década de cinquenta, as Franciscanas Hospitaleiras, nas pessoas de Irmã Aldete do Menino Jesus e Irmã Ângela, para, posteriormente, aderirem ao trabalho da casa outras irmãs, como Irmã Aurea, Irmã Flora, Irmã Maria das Neves, Irmã Raimunda, hoje Irmã Jandira, dentre outras que deram continuidade ao múnus de servir a Jesus Cristo e aos homens. A abertura da casa favoreceu inúmeras famílias que precisavam de um lugar para acolher seus recém-nascidos até seis anos de idade, o que, de fato, levou ao preenchimento de uma lacuna quase intransponível para as famílias que não possuíam condições de manutenção de seus filhos, nos períodos em que os pais trabalhavam. A missão social da entidade cumpria-se de forma eloquente junto à Comunidade Campinense. Como complemento da mesma, adveio a escola que atendia às crianças lá internas, passando a receber outras crianças da comunidade circunvizinha. A

Pequenos Poetas. O Projeto foi uma iniciativa das turmas do 4º e 5º Ano do Ensino Fundamental I, sob o incentivo dos professores, sobretudo da educadora Thaís, que leciona a disciplina de Língua Portuguesa. O projeto começou em decorrência do aniversário do município de Itabuna, no mês de julho, quando os alunos construíram alguns poemas no estilo épico. Entre outros momentos marcantes, registramos, ainda, a celebração em louvor ao nascimento do Deus Menino e a formatura simbólica da turma da alfabetização.

extensão do ensino à população em geral dinamizou a simples ação de casa de acolhimento para integrá-la, de fato, à comunidade como todo. Esta experiência foi salutar! Não se pode olvidar das dimensões pastoral e catequética regidas pelas irmãs hospitaleiras, no convívio cotidiano com a sociedade. Inicialmente, na abertura de sua capela, que embora de natureza privada, passou a atender à comunidade local com missas diárias e outras atividades de cunho religioso. É de se ressaltar que foram implantados no âmbito religioso a catequese das crianças, a 1ª eucaristia, sob a direção das irmãs, durante muitos anos, levando, assim, ao alcance daqueles que procuravam tais serviços ou orientações. Deve ser lembrada aqui a figura da Irmã Nazaré, catequista primorosa! Em uma segunda etapa, vieram outras religiosas que, em espírito de serviço, passaram a atender às novas demandas impostas pelo tempo, sem perder o objetivo da casa, nem o carisma que nutriam como filhas do Seráfico São Francisco de Assis. Já estamos no início dos anos sessenta que, com a transferência para a cidade de Campo Formoso da Madre Aldete, veio como sua substituta a Madre Carolina de São Rafael, portuguesa de espírito moldado às lições do Salvador, pois servir era seu lema. Onde houver alguém necessitado, lá estava com sua forma dócil de agir, amar e servir... Evidentemente, ninguém age sozinho, sempre há quem o ajude na caminhada. Aí, estão muitas das irmãs que viveram, ou melhor, que passaram pela Casa da Criança de maneira simples, porém, com grande atividade na construção do reino implantado pelo Senhor de todos nós, Jesus Cristo. A lembrança não permite esquecer Irmã Duvaldina, grande no seu ofício, experiente e caprichosa no seu labor. Irmã Santa Face, hoje a querida Irmã Nivalda, que, na sua juventude e na sua forma carismática de agir, também transmitiu grandes lições. Tam-

bém, por justiça, as Irmãs queridas e amadas Madre Armandina, Irmã Raquel Xavier de Oliveira, Irmã Vitória, Irmã Goreth e tantas outras que doaram suas vidas à causa do Reino de Deus, sem buscar recompensa, nem vaidade desse mundo. Ainda hoje trago no meu coração a gratidão a tantas e abnegadas irmãs que, no ostracismo de suas vidas, labutaram e edificaram o homem que sou, pois interferiram com seus conselhos e exemplos a construção de um caráter e de uma personalidade que se amoldou ao tempo vivido. Irmã Deodata, hoje Isabel, Irmã Deodaria, Irmã Rogéria, Irmã Ana Maria da Silva Andrade, Irmã Angelina, Irmã Benedita, Irmã São Francisco, Irmã Antonina, Irmã Alice Maria, Irmã Sebastiana, Irmã Jacinta, Irmã Creuza e tantas outras que guardo no meu espírito como modelos de vida, na busca de um horizonte mais próspero. Não posso obscurecer que, hodiernamente tenho ligações com as irmãs, através daquelas que permanecem na Casa da Criança Dr. João Moura, em Campina Grande, assim como com outras irmãs que, embora não tenham por lá vivido, mas as conheço e que passaram, portanto, a fazer parte extensiva do meu convívio. Por último, devo dizer que transmiti a minha família, que hoje nutre igual admiração pelas irmãs hospitaleiras e por elas demonstra respeito e amor fraternal. No transcurso do primeiro Centenário de criação da Província de Santa Cruz do Norte do Brasil, da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, sou agradecido a Deus por sua presença no território brasileiro, em especial no nordeste brasileiro, onde foi plantada a semente do serviço aos irmãos necessitados. Louvo, portanto, ao Senhor da Messe, que envie mais operárias comprometidas com a missão e o carisma das Hospitaleiras não só no Brasil, como também no mundo. Parabéns pela efeméride!

Idevaldo Barbosa da Silva Advogado e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC)

Congregação das Irmãs Hospitaleiras da Imaculada Conceição - CONFHIC – Informativo da Província de Santa Cruz - Alto do Bonfim, nº 1, Bonfim - Salvador-Bahia – CEP 40415-465 - Tel: (71) 3314-1725 / Fax: (71) 3314-4126 • e-mail: confhic@confhic.org.br • Direção: Irmã Margarida dos Santos Lima, Superiora Provincial • Comissão Editorial: Ir. Maria da Glória Pachêco, Ir. Ionara Leite da Silva, Irmã Maria das Neves Fernandes de Souza • Jornalista Responsável: Gabriela Rossi - 1.417 DRT/BA - Tel.: (71) 88228079 – e-mail: gabriela8rossi@yahoo. com.br• Projeto Gráfico, Editoração Eletrônica, Fotolito e Impressão: Venture Gráfica e Editora - Telefax: (71) 3503-3555 - e-mail: venture@ venturegrafica.com.br

Ano 17 - Nº 47 - dezembro de 2011

8

Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição

Arauto especial  

Informativo da Província de Santa Cruz , Brasil Norte - CONFHIC.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you