Page 1

Hospital de Faro, E.P.E.

Parte I: Manual de Normas Logótipo

| By: Gabinete de Comunicação e Relações Exteriores

Manual de Identidade Visual Corporativa


Manual de Identidade Corporativa Parte I: Manual de Normas Logótipo

Gabinete de Comunicação e Relações Exteriores | Hospital de Faro, E.P.E. | 2011 D.er Luís Baptista

www.hdfaro.min-saude.pt comunicacao@hdfaro.min-saude.pt Tel: 289 001 970 | Fax: 289 891 159


Manual de Identidade | Enquadramento

5

Logótipo

6

Identidade Visual Corporativa da Instituição | Introdução

7

Memória descritiva

8

Símbolo | Estrutura

10

Logótipo | Estrutura

11

Relação entre tipografia

12

Margem de legibilidade

13

Cor

14

Versões secundárias

15

Comportamento sobre fundo

16

Utilizações incorretas

18

Comemorações 30 anos

19

Logótipo | Serviços

20

Serviços | Versões secundárias

21

Representação em eventos

22


História

Substituindo o Hospital da Santa Casa da Misericórdia, o Hospital de Faro iniciou a sua atividade a 4 de dezembro de 1979, após publicação do quadro orgânico de pessoal tendo, no entanto, aberto ao público a 29 de dezembro desse mesmo ano. Assumindo o papel de Hospital de referência do sotavento algarvio, o Hospital de Faro constitui-se como um Serviço Público instituído, organizado e administrado a pensar na população e na prestação de cuidados de saúde diferenciados a doentes agudos. Ao longo dos últimos anos esta Organização mudou diversas vezes de denominação jurídica: de Hospital Distrital de Faro para Hospital Central de Faro, em 2007, e para o atual Hospital de Faro, E.P.E., em 2008. Mudanças essas que alteraram não só a sua capacidade de resposta assistencial, com acréscimo dos níveis de complexidade e de subespecialização nos Serviços, mas também geraram alguma confusão no que respeita à identidade visual e corporativa desta instituição, quer internamente, entre os seus profissionais, quer junto dos seus parceiros e na comunidade. É precisamente com o intuito de se reforçar e consolidar a imagem do Hospital de Faro, enquanto unidade orgânica claramente identificada, capaz de se apresentar em termos visuais e comunicacionais de forma una e coerente, que surge o Manual de Identidade do Hospital de Faro, E.P.E., no qual serão definidas normas relativamente à utilização da marca “Hospital de Faro, E.P.E.”, apresentando/reestruturando todos os elementos visuais utilizados nos materiais de comunicação interna e externa, de forma a homogeneizar graficamente todos os documentos produzidos pela instituição. A apresentação e difusão interna deste Manual será efetuada de forma faseada em função do tipo de suporte de comunicação criado e/ou reestruturado, constituindo-se como primeira parte o presente “Manual de Normas do Logótipo Hospital de Faro E.P.E.”.

4


Manual de Identidade Enquadramento

As sucessivas adaptações realizadas no logótipo, após a passagem da categoria de «Hospital Distrital» para «Hospital Central» e mais recentemente «Hospital de Faro E.P.E», comprometeram a consistência da identidade visual corporativa expressa no logótipo. Tal facto deve-se não só à proximidade temporal entre estas mudanças e às consequentes alterações no logótipo, mas também à complexa dificuldade de gestão dos processos de transição da imagem institucional. Este manual apresenta, do ponto de vista conceptual, o logótipo do Hospital de Faro, E.P.E., e introduz as correções que graficamente se consideram necessárias para minimizar as inconsistências visuais verificadas, definindo simultaneamente as normas da sua utilização, de modo a estimular a sua correta aplicação entre os profissionais da instituição.

5

Objetivos


Logótipo Parte 1

Fluxograma da evolução do logótipo

logo original (Distrital)

Logo Central

Logo Atual

Contruído em 2004 por: Bloco D Adaptado para Hospital Central de Faro e Posteriormente para E.P.E por: Ana Rita Baptista Proporções e cores corrigidos por: Luís Baptista


Logótipo Memória descritiva Introdução

O Hospital de Faro, ao longo destes últimos anos, tem desenvolvido uma nova consciência sobre a importância da identidade corporativa percecionada pela comunidade, tendo em 2004, aquando das comemorações dos 25 anos de atividade, solicitado ao atelier de design Bolco D a criação do logótipo do Hospital Distrital de Faro, o qual tem sido alvo de sucessivas adaptações, fruto das mudanças de denominação jurídica. Apesar das diferentes configurações que o logótipo tem vindo a assumir, há elementos gráficos que permanecem inalterados, facilitando a transição de um logótipo para outro e minimizando a perda de identidade visual da marca. Considera-se por isso fundamental fazer uma apresentação conceptual e conceitual do lopótipo matriz para que haja uma maior compreensão da importância de se regulamentar a utilização do logótipo atual.

Tipografia

O logótipo, criado pelo atelier de design Bloco D, apresenta uma tipografia de espírito moderno com carateres de arestas boleadas, conferindo originalidade e proximidade humana. O uso da caixa-alta (maiúsculas) institucionaliza o conjunto e garante um impacto visual bastante forte. O símbolo proposto pelo Bloco D, concretiza significados relacionados com uma imagem [nova] do Hospital Distrital de Faro, que não foi alterada com as mudanças estruturais do logótipo. É uma síntese formal de uma figura humana, vista em planta, onde os braços são representados pelo círculo exterior. Transmite deste modo a ajuda, a aproximação e o acolhimento às pessoas. A forma circular e centralizada remete-nos para o significado que um Hospital tem, no sentido de garantir a importância hierárquica do mesmo. Também acresce a informação geográfica da entidade se encontrar no centro de Faro.

7

Símbolo


Incrementada às leituras descritas, existe uma estética no símbolo que apela visualmente a uma ideia de instituição (a grelha regular), ao ideal de perfeição (o círculo) e à implementação assumida de novas estratégias (imagem concêntrica).

Cores

A paleta de cores sintetiza-se em duas: o vermelho-escuro, numa única tonalidade e o cinzento, em duas. São contrastantes e a cor mais escura, com maior impacto, é utilizada na sigla. Contrapondo com o topo, dois pólos inferiores (esquerda e direita) fecham a área do logótipo. O uso do cinzento é aplicado na tonalidade mais escura na designação e na mais clara no símbolo (com maior área de cor contínua).

Conjunto

Símbolo e lettering formam um conjunto equilibrado, onde o primeiro “abraça” o segundo, encaixando numa mesma grelha invisível que proporciona alinhamentos comuns e/ou justificados. A forma global é retangular, com o canto esquerdo inferior a colmatar na forma geométrica circular, desconstruindo e abrindo deste modo o que poderia ser uma mancha fechada. O jogo cromático acentua, pelo contraste, a importância da localização.

Alterações e hierarquia

Como foi referido relativamente à natureza das alterações efetuadas, o logótipo teve de assumir novas configurações que acompanhassem essas mudanças. Uma das características do novo logótipo, atualmente em uso, é o facto das siglas HDF ou HCF terem desaparecido, assumindo-se, agora, somente como Hospital de Faro E.P.E. O logótipo apresenta-se orientado na horizontal com duas linhas de leitura ressaltando as palavras: “HOSPITAL“, na primeira e “FARO” na segunda linha a vermelho, sendo o “de” e “E.P.E.” hierarquicamente secundários.

8


Construção

Logótipo 1X

1X


Logótipo Símbolo Estrutura

Símbolo presente no Logótipo Aplicação para uso individual resumindo a Identidade Corporativa num único símbolo, devendo, no entanto, ser acompanhado por alguma referência ao Hospital de Faro, por exemplo:

| By: Gabinete de Comunicação e Relações Exteriores

10


Logótipo Logótipo Estrutura

A estrutura do logótipo assenta num retângulo em que a altura da tipografia é equivalente à altura de “X” (ver: Relação entre Tipografia). O símbolo, que apresenta uma grelha própria, insere-se dentro da estrutura do logótipo de forma harmoniosa (altura de 2X), tanto a nível métrico, quanto a nível ótico.

1X

1X

11

3X


Logótipo Relação entre tipografia

Tipo de letra: Handel Gothic BT maiúsculas espaçamento entre caracteres: 10%

Dimensões mínimas 23,27 mm 7 mm

Handel Gothic BT Regular ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ,.:-´`ºª1234567890 abcdefghijklmnopqrstuvwxyz,.:-´`ºª1234567890

12


Logótipo Margem de legibilidade

13

De modo a maximizar a leitura do logótipo do Hospital de Faro, deve ser respeitada uma margem mínima envolvente do logótipo, onde não existam outros elementos.


Log贸tipo Cor Pantone Cores diretas

PANTONE 1807 C (Coated Paper) > 100% PANTONE 422 C (Coated Paper) > 100% PANTONE 420 C (Coated Paper) > 100%

PANTONE 1805 U (Uncoated Paper) > 100% PANTONE 421 U (Uncoated Paper) > 100% PANTONE 420 U (Uncoated Paper) > 90%

CMYK Quadricromia

PANTONE OXYH-C C=0% | M=91% | Y=94% | K=30,5% PANTONE AOOI-C C=6% | M=0% | Y=0% | K=34% PANTONE S 325-8 C=0% | M=0% | Y=0% | K=15%

RGB Tricromia

R=136 | G=0 | B=15 R=178 | G=178 | B=178 R=217 | G=217 | B=217

RAL

RAL 3013 - Tomatenrot RAL 7038 - Achatgrau

14

RAL 7035 - Lichtgrau


Logótipo Versões secundárias | Versão preto

Positivo

Cores diretas Pantone

Negativo

Carimbo

PANTONE Process Black C (Coated Paper) > 100% PANTONE Process Black C (Coated Paper) > 38% PANTONE Process Black C (Coated Paper) > 15%

PANTONE Process Black U (Uncoated Paper) > 100% PANTONE Process Black U (Uncoated Paper) > 38% PANTONE Process Black U (Uncoated Paper) > 15%

CMYK Quadricromia

PANTONE S 325-1 C=0% | M=91% | Y=94% | K=30,5% PANTONE S 325-6 C=0% | M=0% | Y=0% | K=40% PANTONE S 325-8 C=0% | M=0% | Y=0% | K=15% Versão Branco

A versão a preto deverá ser utilizada sempre que a utilização do logótipo a cores não seja possivel.


Logótipo Comportamento sobre fundo

Comportamentos sobre diferentes fundos O logótipo original deve ser utilizado sempre que a sua legibilidade não seja posta em causa. No caso em que verifique pouco contraste (claro ou escuro) ou interferência visual, o logótipo deverá apresentar-se de acordo com os seguintes exemplos.

16


Situações de aplicação correta e incorrecta


Logótipo Utilizações incorretas

Alteração das proporções e disposição entre símbolo e tipografia

Hospital De Faro e.p.e.

Alteração da tipografia (fonte ou tamanho)

Alteração das cores

Distorção dos elementos

18

Sendo o logótipo o principal veículo de comunicação institucional, assumindo-se como a “assinatura” da marca Hospital de Faro, deve ser utilizado com o máximo rigor e cuidado, não devendo ser deformado ou adulterado na sua estrutura, cores definidas, tipografia ou harmonia entre símbolo e tipografia.


Logótipo Comemorações 30 anos

Afim de assinalar as comemorações dos 30 anos do Hospital de Faro, foi criado um logótipo alusivo às festividades. Este logótipo, criado e gerido pelo Gabinete de Comunicação e Relações Exteriores, foi utilizado até 29 de dezembro de 2010, data oficial do aniversário do Hospital de Faro.

Embassy BT

19

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ,.:-´`ºª1234567890 abcdefghijklmnopqrstuvwxyz,.:-´`ºª1234567890


Logótipo Logótipo | Serviços

Enquadramento

O Hospital de Faro, enquanto unidade orgânica, integra diversos serviços e unidades funcionais que, embora desenvolvam na sua atividade quotidiana um sentido de autonomia próprio e legítimo, fazem parte integrante de uma macro estrutura una e cuja identidade deve prevalecer. São vários os exemplos de logótipo criados ao longo dos anos, a maioria sem qualquer estudo gráfico prévio, fruto deste desejo de veicular a identidade dos Serviços. Do mesmo modo, sucedem-se os pedidos a este Gabinete para produção ou apoio na implementação de “logótipos” que, a serem difundidos, comprometem a consistência da imagem corporativa transmitida e percecionada.

Solução

Reconhecendo a necessidade legítima por parte dos Serviços e demais unidades funcionais para se auto-apresentarem e “assinarem” as suas comunicações, foi desenvolvida uma solução que se traduz numa extensão do logótipo oficial, ao qual é acrescentada a identificação do Serviço, não sendo permitidas outras ramificações (exemplo: as valências, unidades funcionais ou grupos de trabalho utilizam a variante do Serviço ao qual estão afetos). Desta forma são criadas diversas variações coerentes, fáceis de gerir e integradas no manual de normas.

Norma: Todos os materiais produzidos pelo hospital ou para a sua utilização, têm obrigatoriamente de ser identificados pelo logótipo institucional. Os serviços devem, nas suas comunicações e informações sempre que falem por si, utilizar o logótipo com a sua extensão (conforme exemplo).

20


Logótipo Logótipo | Serviços Versões secundárias

Segoe ui

21

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ,.:-´`ºª1234567890 abcdefghijklmnopqrstuvwxyz,.:-´`ºª1234567890


Logótipo Representação em eventos

Mais se informa que a representação da identidade visual do Hospital de Faro, E.P.E. em eventos promovidos pelo Hospital ou nos quais este se assuma como parceiro/apoio carece, após a devida autorização, do envio do logótipo, disponibilizado pelo GCRE, para a entidade organizadora.

22


Manual de Identidade Corporativa Parte I: Manual de Normas Logótipo

Gabinete de Comunicação e Relações Exteriores | Hospital de Faro, E.P.E. | 2011 D.er Luís Baptista

www.hdfaro.min-saude.pt comunicacao@hdfaro.min-saude.pt Tel: 289 001 970 | Fax: 289 891 159

Hospital de Faro_Manual de normas | logotipo  

Manual de normas gráficas do logotipo do Hospital de Faro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you