Issuu on Google+

Junho/Julho 2013

Ano II

Edição 23

Bem-estar na água

Hidrocinesioterapia traz bem-estar e saúde para bebês da MEAC

leite humano

leitura

Dia Mundial de Doação de Leite Humano

Projeto Ler Mais Página 2

_____________________

Página 7

_____________________

Geriatria

Mais assistência na melhor idade Página 8

em 4D

Amo o que Faço

Página 6

____________________________________________

transplantes

Progressos no Transplante de Medula Óssea

em 4d

HUs recebem 4D

_____________________ Página 4

Página 3

_____________________


Compartilhar nossas histórias, é o que fazemos .................................... Na complexa realidade institucional comunicar-se é preciso. E nesta edição, dividimos com você, leitor, experiências e fatos que aconteceram nos Hospitais Universitários (HUs). Os colaboradores dos HUs, ora como fontes, ora como protagonistas das ações aqui divulgadas, são fundamentais para que possamos compartilhar todo o conhecimento presente na MEAC e no HUWC. O É Notícia, como sempre, traz muitos temas de cunho informativo e educativo. Não é tarefa fácil escolher entre tantos assuntos institucionais, aquelas que terão destaque, todavia, o interesse do leitor é o que nos pauta. Este Jornal fala sobre o Projeto Ler Mais,sobre novas tecnologias utilizadas pelos HUs. Traz ainda, o depoimento apaixonado de uma Doula e, também, a balizada opinião da Ouvidoria. Os esforços da Divisão de Imprensa e Marketing (DIM) foram para socializar as informações e contribuir para o debate entre os colaboradores. Então, aproveite a leitura...

Caruêna Brilhante Coordenadora do DIM

2 É Notícia

............................................................................................................................................

Editorial

....................................................

Projeto Ler Mais

e atualmente a instituição não tem mais essa ação, por isso os HUs resolveram reinaugurar a ideia da biblioteca com o Projeto Ler Mais. Com a implantação do Ler Mais nos HUs, os colaboradores terão acesso a uma biblioteca com 595 títulos, 999 exemplares e um acervo bem diversificado, com livros Érica Maria na abertura do Projeto Ler Mais de Literatura Brasileira, Literatura Estrangeira, Seção de Seleção, Desenvolvimento e Ciência Política, Música, PsicanáPlanejamento de RH lise, Administração, Esoterismo, dos Hospitais Universitários da Auto-Ajuda entre outros temas. Aos interessados em ler mais, UFC promoveu no mês de maio, o evento de lançamento do Proje- basta se dirigir até a sala do RH to Ler Mais. A iniciativa faz parte do HUWC , fazer seu cadastro e da linha de atuação do Projeto embarcar nas variadas histórias Qualidade de Vida no Trabalho que esperam por você. O período RH e disponibiliza uma biblio- do de empréstimo é de 14 dias teca para empréstimo de livros corridos, caso não haja fila de para os colaboradores da UFC e espera, o colaborador poderá reda SAMEAC e estudantes da UFC. novar seu cadastro de empréstimo.

A

O Projeto Ler Mais tem como slogan “Quem lê tem história pra contar” e surgiu com objetivo de proporcionar ao público-alvo, um espaço onde eles possam ter acesso fácil à leitura e ao conhecimento, “diminuindo o nível de estresse que o colaborador da assistência sofre em sua rotina de trabalho e trazendo mais qualidade de vida para nosso colaborador”, destaca Érica Maria, Coordenadora da Seção de Seleção, Desenvolvimento e Planejamento de RH. “Na verdade, o lançamento da nossa biblioteca é uma adaptação do projeto de novembro de 2004, que era chamado de Sala de Leitura Mario Pontes”, ressalta Érica. Ela completa que essa sala era um projeto de responsabilidade social da White Martins,

A documentação para cadastro do colaborador : 1 cópia do RG 1cópia do CPF 1cópia da parte externa do contra-cheque.

Estudante da UFC 1 cópia do RG 1cópia do CPF Comprovante de matrícula Comprovante de endereço


Progressos no Transplante de Medula Óssea do HUWC

Neste ano, o HUWC inicia a reforma de ampliação de leitos, recebe a instalação de ar filtrado e realizará em breve transplante alogênico de Medula Óssea. Confira os detalhes dessas mudanças e os impactos positivos que elas provocam para o estado do Ceará. ................................................

gria para toda a equipe clínica e multidisciplinar. “Ao longo desses últimos dois anos, nós estamos juntando esforços ao lado da equipe do Hemocentro, para concretizar os avanços do nosso serviço”, afirma. O médico também ressalta o valioso reforço da Direção dos HUs, dos Residentes, que contribuíram com o alto nível de profissionalismo e dedicação, dos profissionais ausentes naquele momento da celebração, por estarem em atendimento nos ambulatórios e a equipe de enfermagem, “na pessoa da enfermeira Andreia, que nos recebeu de braços abertos

e sempre se esforçou para esse sucesso da TMO”. O equipamento passou a funcionar no dia 20 de maio, possibilitando assim, mais qualidade ao atendimento dos referidos pacientes. O Chefe do Serviço lembra que iniciou uma empreitada no hospital para obtenção deste filtro, motivado pelos dados da literatura médica. Segundo ele, esses dados apontam que há 25% de chances de infecção fúngica em pacientes leucêmicos e de 8% de chances em pacientes após transplantes alogênicos de Medula Óssea. “Poucos hospitais no Brasil dispõem deste recurso”. Completa.

................................................

Ampliação de leitos e a realização de transplante alogênico

O

Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), integrante dos Hospitais Universitários da UFC, vem apresentando grandes avanços neste ano. Recentemente, o Serviço de Hematologia do HUWC realizou no dia 21 de junho, uma cerimônia de lançamento da instalação da Unidade de Ar Filtrado, na Clínica I, localizada na enfermaria da Hematologia. Estiveram presentes no evento o Superintendente dos HUs, Dr. Florentino Cardoso, o Diretor do HUWC, Dr. Eugênio Lincoln, a Assessora da Diretoria do HUWC, Dra. Airtes Vitoriano, Coordenadora de Regulação, Avaliação e Controle/SESA, Dra. Lilian

Alves, Coordenadora da Central de Transplante/SESA, Dra. Eliana Régia, Diretora Geral do HEMOCE, Dra. Luciana Carlos, profissionais do Departamento de Medicina Clínica, da equipe médica e multiprofissional da Hematologia (HUWC e HEMOCE). De acordo com o Chefe do Serviço de Hematologia e Transplante de Medula Óssea do HUWC/UFC e do Banco de sangue de Cordão Umbilical e Placentário do HEMOCE/SESA, o hematologista Fernando Barroso, o ar filtrado tem como objetivo a prevenção e a redução das infecções, de pacientes transplantados, e dos pacientes com Leucemia Aguda, já que os mesmos possuem baixa imunidade. Para ele este é um momento de muita ale-

O Serviço de TMO/HUWC está prestes a conquistar a habilitação para realizar transplante alogênico de medula óssea. Conforme o hematologista Fernando Barroso, a previsão ainda é para o final deste ano. Segundo o médico, a equipe iniciou em 2012, um curso multidisciplinar de transplante. O investimento de 1,5 milhão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais

(REHUF) é outro progresso alcançado pelo HUWC. Esse recurso proporcionará transformações na estrutura física e funcional do serviço de TMO, como a ampliação dos leitos, de dois para oito, e consequentemente, o aumento dos procedimentos realizados. Serão destinados quatro leitos para os pacientes do transplante autólogo, três leitos para os pacientes do transplante alogênico e um leito para casos de urgência e emergência.

................................................

Serviço de TMO do HUWC assume posição de destaque no cenário brasileiro Diante da carência de unidades de TMO no país, o HUWC mais uma vez desponta na frente nos transplantes. Dessa forma, a criação dessa nova unidade e a ampliação dos novos leitos trará impactos positivos para o serviço e para toda a comunidade. Segundo estatísticas, o Cea-

rá está na 8° posição nacional. O Ceará será o quarto estado da região nordeste a realizar transplante alogênico. Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte já são habilitados.

É Notícia 3


HUs

recebem 4D

Mais definição em prol do Ensino e Pesquisa

................................................

O

s Hospitais Universitários da UFC, atualmente, são as únicas instituições públicas do Ceará a disponibilizar este equipamento para a população do SUS com exames totalmente gratuitos. Os Hospitais Universitários da Universidade Federal do Ceará (HUs/UFC) receberam, recentemente, um equipamento de ultrasson com dopller 4d. Conforme o Especialista em Medicina Fetal e Professor do Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Medicina da UFC, Dr. Herlânio Carvalho, na MEAC, o exame será disponível em casos específicos e terá como objetivo primordial, o suporte para o ensino e pesquisa. “Como somos um centro de referência, de ensino e pesquisa em atenção às pacientes gestantes de alto risco, este exame será oferecido para aquelas pacientes que precisam de uma melhor definição no diagnóstico, para que possamos planejar um prognóstico o quanto antes”, detalha. Os equipamentos foram adquiridos com o recurso do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), no final do ano passado e custaram mais de R$ 139 mil reais. Geane Teixeira esta com 7 meses de gravidez e foi umas das primeiras pacientes a realizar o exame. Para ela foi muito emocionante ver seu filho ainda no útero. “É bom saber que aqui no estado conseguimos fazer este exame gratuitamente já que na rede privada ele custa em média R$ 400,00”, pondera.

....................... HUs 4D

Segundo o Diretor Clínico da Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), Dr. Edson Lucena, a ultrassom 3D (US 3D) permite a avaliação 4 É Notícia

da anatomia fetal de maneira estática, enquanto a ultrassom 4D (US 4D) avalia em tempo real, portanto observando o seu movimento. O médico conta que a quantidade adequada de líquido amniótico ao redor da área de interesse ajudará na obtenção de uma imagem adequada. “Os volumes podem ser avaliados no momento da sua aquisição ou, posteriormente, por médicos que não sejam presentes no momento do exame”, destaca o médico ao dizer que isso propicia uma grande vantagem nas áreas geográficas onde o acesso a médicos especialistas é restrito. Os impactos desta nova aquisição para ginecologia da MEAC são relevantes, pois é considerado cada vez mais essencial na prática clínica. “É difícil imaginar um problema em ginecologia e obstetrícia para o qual a ultrassonografia não contribua para a solução”, aponta Edson. Conforme o médico, na ginecologia destaca-se o estudo das malformações uterinas e essa técnica cria possibilidade de um diagnóstico de certeza sem a realização de procedimentos invasivos. Edson Lucena explica que embora a maioria das anormalidades morfológicas do feto possam ser diagnosticadas pela ultrassonografia convencional bidimensional (US 2D), algumas anormalidades morfológicas de membros, estruturas ósseas, face e orelhas podem não ser identificadas, necessitando dessa técnica mais aprimorada. “A capacidade de reconstrução da imagem pelos modos superfície e transparência, análise multiplanar e rotação da imagem, possibilitaram a melhor avaliação da anatomia e morfologia fetal”, comenta Edson ao falar que a US 4D tem sido uma das principais indicações em obstetrícia.


Bem-estar na água

Hidrocinesioterapia traz bem-estar e saúde para bebês da MEAC

H

................................................................................................... idrocinesioterapia é uma atividade terapêutica realizada na água, associada a movimentos delicados e relaxantes. A equipe de Fisioterapeutas da UTI Neonatal da Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC) realiza esta atividade em recém-nascidos. Estudos realizados mostraram que a hidrocinesioterapia é uma ótima escolha para o tratamento de bebês com alterações neurológicas e comportamentais. Baseados no sucesso da aplicação da técnica em outras instituições, os profissionais da MEAC passaram a usá-la. O projeto “Hidrocinesioterapia como Recurso Coadjuvante na Assistência Fisioterapêutica Neonatal”, da Residente Maxsuenia Medeiros (RESMULT-UFC/MEAC), inspirou estudos mais aprofundados, de modo a estimular a prática desta técnica de forma mais ampla, pela equipe de fisioterapia da MEAC. “Diagnosticávamos que um bebê apresentava algum problema neurocomportamental, então realizávamos esta terapia”, lembra a Fisioterapeuta

da MEAC, Dra. Sandra Barbosa. Após alguns procedimentos feitos de forma complementar, a prática foi implementada e incluída nos Procedimentos Operacionais Padrão (POP´s).

....................... A prática da Hidrocinesioterapia na MEAC

termediários Convencionais (UCINCO) como piloto, sendo posteriormente utilizadas nas Unidades, dentre elas a Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCA), obtendo excelentes resultados”, explica. Para aplicação da técnica é preciso

a ele”, detalha Dra. Sandra. Para os bebês que não precisam de monitoramento, o procedimento da hidrocinesioterapia ocorre em uma sala de apoio da Unidade Neonatal, entretanto em bebês que precisam de uma assistência mais intensiva, o tratamento acontece dentro da UTI. “Mesmo dentro da unidade, temos que adequar o ambiente, com poucas luzes e muito silêncio, geralmente o turno da tarde é mais tranquilo”.

............. O banho em casa

A hidrocinesioterapia é um tratamento indicado para os bebês, filhos de mães usuárias de drogas e que apresentam problemas comportamentais, irritabilidade extrema, tremores e rigidez muscular. São beneficiados, também, por meio desta técnica, bebês com quadro de paralisia cerebral. “Começamos com os bebês da Unidade de Cuidados In-

Benefícios

• Trata o aparelho respiratório, o aparelho digestivo, os membros superiores e inferiores; • Permite um estado de calmaria, proteção e conforto aos bebês;

uma bacia com aproximadamente 30 cm de profundidade, para que se possa imergir todo o corpo do bebê, deixando de fora apenas o rosto. “Com o bebê desnudo, fazemos um enrolamento com uma fralda e o imergimos na bacia com água aquecida. O ambiente deve está silencioso e com pouca luz, simulando o ambiente uterino que é tranquilo e familiar

• Diminui o estresse, causados pelas intervenções médicas ou pelos desconfortos das doenças relacionadas; • Possibilita uma reabilitação menos traumática e rápida; • Organiza as atividades fisiológi-

O que aparentemente pode ser um simples banho para o bebê, pode torna-se um momento de muito prazer, aconchego e saúde. Esta modalidade terapêutica é recomendada nessas circunstâncias, por não precisa de manejos técnicos. Dra. Sandra conta que a mãe bem orientada por profissionais pode fazer a técnica do ofurô em casa. “Basta imergir o bebê, em um balde com água aquecida, envolvido em uma fralda. Com uma mão segura-se o bebê e com a outra faz-se movimentos para ele sentir o balanço e as vibrações da água”, explica.

cas, principalmente o repouso e momentos de alerta; • Melhora sistema auto-imune, circulação e aquecimento do corpo pela água, proporcionando um equilíbrio energético,

É Notícia 5


................................................

Amo o que faço

Nobreza até no nome: Iracema Nobre conta como é a rotina de uma Doula na MEAC

................................................

A

convidada desta edição do Amo que faço é a Doula Iracema Lopes da Silva Nobre, representando a equipe de Doulas que trabalham na Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), e que se dispõem, voluntariamente, a dedicar seu tempo sendo uma agente da tranquilidade e da segurança às gestantes, no momento do trabalho de parto e no nascimento. Com 34 anos como atendente e parteira na MEAC, Iracema Nobre se aposentou, entretanto completando um ano após este episódio, ela foi convidada pela Diretoria da maternidade para retornar à casa. Desta vez, sendo Doula. De lá pra cá, são 13 anos exercendo este trabalho voluntário de acompanhar as gestantes, principalmente as que estão em trabalho de parto. “Somando tudo, estou a 47 anos fazendo o que gosto”, diz. As doulas são fundamentais na humanização do atendimento, pois oferecem um apoio afetivo às mulheres, no intuito de estabelecerem uma relação de amizade, intimidade e confiança. “Toda vida fui louca

por hospital, minha segunda vida é aqui”, afirma Iracema. Ela relembra com orgulho do primeiro parto em que assistiu aos 31 anos de idade, período em que ingressou na MEAC. “Eu estava na sala de parto com o Diretor da MEAC na época, Dr. Galba Araújo, e ele me mandou fazer a prova prática realizando o parto da criança que estava por vir”. A Doula lembra que com todo cuidado, trouxe ao mundo o primeiro filho daquela mulher, e logo em seguida colocou o recém-nascido junto à mãe, como é praticado hoje. “Não me esquecerei dessa cena e dos parabéns coroados com abraços pelo Dr. Galba”, relata. Ao ser questionada sobre a sensação que ela sentia ao ver a vida vindo a tona com sua ajuda, Iracema foi rápida e falou em tons de segredo. ”Quer saber mesmo... eu sinto vontade é de tirar as crianças, eu adoro fazer isto”, desponta com uma longa gargalhada. Após contribuir para o nascimento de várias crianças, Iracema também recebeu o dom de ser mãe por duas vezes, mas em ocasiões não tão favoráveis como ela

está acostumada a presenciar na maternidade. “A primeira, Lúcia de Fátima, nasceu na maternidade, mas quase ia vindo sozinha, e a segunda, Ana Lúcia, nasceu no meio da Praça da Bandeira, com a ajuda de um motorista, que enrolou a criança em sua blusa e colocou nos meus braços”, detalha. Iracema nasceu em 11 de abril de 1933, em Varzantes distrito de Aracoiaba, no interior do Ceará, e neste ano completou 80 anos, ao lado dos seus amigos da maternidade e familiares que prestigiaram-na com uma festa surpresa e muitas homenagens, no ambiente de trabalho. Durante sua trajetória profissional na maternidade, Iracema Nobre concluiu os cursos de auxiliar de parteira e de auxiliar de enfermagem na MEAC. Antes disso, bordava, fazia unhas e cortava cabelo em sua residência, afim de complementar a renda familiar. “Se Deus permitir eu quero completar meus 90 anos trabalhando aqui como Doula. Isso seria minha maior alegria”, deseja a voluntária ao mostrar o prazer em trabalhar na MEAC ao lado de profissionais engajados. Ela agradece o apoio de todos durante sua longa caminhada, principalmente das enfermeiras. “Todas são minhas verdadeiras amigas”, destaca.

....................... Na MEAC, amigas do parto são referência

O nome “doula” vem do grego “mulher que serve” e indica aquela que dá suporte físico e emocional à gestante. A data de surgimento deste nobre acompanhamento às gestantes é imprecisa, porém atribui-se aos primórdios da humanidade. Desde 2001, a MEAC proporciona este serviço de apoio e humanização, e hoje conta com 06 doulas que realizam o trabalho voluntariamente. A maternidade faz parte do conjunto de boas práticas de atenção ao parto e nascimento, assim como respeito da mulher á privacidade, movimentação, posição no trabalho de parto, nutrição e dieta, contato pele a pele mãe e bebê e trabalho em equipe para o cuidado humanizado. Em 2011, a MEAC foi considerada um dos serviços prioritários da Rede Cegonha no Estado do Ceará, orientando as maternidades da rede SUS de Fortaleza na implementação das boas práticas.

Sabedoria do coração •As doulas trabalham complementando o médico e equipe de enfermagem; •Melhoram as condições do parto, deixando as gestantes mais tranquilas e menos ansiosas, porém não realizam exames e nem atuam clinicamente; •Dão apoio físico, emocional e afetivo para parturiente; •Fazem um trabalho de acompanhamento e educação voltado ao parto e puerpério (pós-parto), induzindo a um menor tempo de trabalho de parto e maior engajamento na amamentação; •Oferecem um ambiente mais harmonioso na hora do parto;

6 É Notícia


“Tua parte de mim”

BLH da MEAC reúne mães doadoras em homenagem Em maio, mamães foram homenageadas pelo Banco de Leite Humano da MEAC, pela doação do melhor e mais completo alimento.

...................................................................................................

E

m comemoração ao Dia Mundial da Doação de Leite Humano, o Banco de Leite da MEAC promoveu uma ação de exposição de novos projetos e na ocasião homenageou mães que colaboram doando leite materno aos bebês necessitados da UTI Neonatal da maternidade. “É um prazer enorme que as nossas crianças, tenham a ajuda de pessoas que além de terem o ato divino que é engravidar, ter seus filhos e poder amamentar, ainda tem a capacidade de doar não só o leite humano, mas sim vida. Em nome de toda a MEAC agradeço”, disse o Diretor da maternidade, Dr. Carlos Augusto. A Enfª Sabrina Rocha, coordenadora do BLH da MEAC, ao falar sobre o Dia Mundial da Doação de Leite Humano, hoje comemorado mundialmente no dia 19 de maio, fez questão de agradecer a todas que ali estavam. “O ato de vocês representa muito para os bebês aqui internados. Um Banco de Leite não se sustenta sem as doadoras. Vocês são as nossas grandes parceiras”, ressaltou. Certificados foram entregues a cada uma das mães doadoras que junto de seus pequenos, receberam a homenagem. “Eu tinha bastante leite e doei durante uns 2 meses. Eu via no olhar da minha filha, no desenvolvimento dela, o quanto o

leite materno é importante. Esse é um gesto de amor porque quando a gente é mãe não pensamos só no nosso filho, mas nos outros que também precisam de ajuda. Me senti muito orgulhosa em receber esse certificado. Já me considero meio que professora de aleitamento materno pois passo as informações para outras mães, amigas e etc. Hoje vejo a importância e a construção do amor que começa no aleitamento materno”, disse Mônica Barbosa, uma das mães doadoras. Durante a solenidade, os agradecimentos e homenagens se estenderam também a Dra. Marli Peixoto, Bioquímica do Banco de Leite da MEAC, que por muitos anos colaborou com a instituição. “Essa homenagem é simbólica e até pequena diante de tudo que você fez pelo nosso Banco de Leite. A MEAC agradece”, disse o diretor Carlos Augusto. A homenageada ressaltou o empenho da equipe da qual faz parte. “Nosso BLH trabalha unido e esse exemplo eu levarei a todos os outros Bancos de Leite que eu .visitar”, . . . . . .comentou . . . . . . . .Dra. . . . .Marli. ....

Contamos com você

Novos projetos surgiram para favorecer a troca de conhecimentos entre os profissionais da MEAC criando novas parcerias para aumentar a doação, como é o caso das Salas de Apoio

à Amamentação que funcionam desde janeiro, das 7h às 19h, todos os dias da semana e atendem às mães internadas, às que já foram para casa, mas que ainda acompanham o bebê na UTI e também para as mães funcionárias da maternidade ainda em período de lactação. Além disso, foi elaborado pela Enfª Márcia Coelho, o Projeto “Conto com Você”, que convida funcionários e profissionais da saúde a realizar uma visita guiada ao Banco de Leite para conhecer seu funcionamento. “Contamos com todos, pois nossa instituição tem a missão de propagar o aleitamento materno, todos somos responsáveis por isso”, disse.

....................... País destaque em Bancos de Leite

De acordo com matéria publicada no Portal da Saúde e reforçado pela Enfª Sabrina Rocha, o Brasil possui a maior e mais complexa rede de Banco de Leite do mundo, contando hoje com 210 unidades e 117 postos de coleta, sendo referência internacional. O país já exporta as técnicas de baixo custo para a implantação de bancos de leite humano, para 23 países na América Latina, Caribe hispânico, Península Ibérica e África. A linha de atuação da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano é voltada à

assistência de mulheres em processo de amamentação a partir do desenvolvimento de tecnologias moderadas, de baixo custo e com padrão de excelência em qualidade. Apenas em 2012, mais de 2 milhões de mulheres foram assistidas pela rede no Brasil. Toda mãe que amamenta é uma possível doadora de leite humano. O leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a rigoroso controle de qualidade pelos Bancos de Leite antes de sua distribuição aos lactentes internados nas unidades neonatais impossibilitados de receber o leite da mãe. Para doar, basta entrar em contato com o banco de leite mais próximo da sua cidade ou ligar no Disque Saúde 136.

....................... 25 anos de dedicação

O Banco de Leite Humano (BLH) da MEAC foi fundado em 1988 e de lá pra cá vem “cumprindo seu papel”, dentro da filosofia de proteção, promoção e incentivo à amamentação, ajudando na redução dos índices de morbi-mortalidade infantil no Estado do Ceará e na qualidade de vida da população. Para visitar e conhecer o BLH da MEAC agende sua visita pelo telefone 3366-8509. As visitas acontecem de segunda a sexta no horário de 7h às 16h. É Notícia 7


HUWC: Mais assistência na melhor idade

.......................

C

om o aumento da expectativa de vida da população, envelhecer bem é um dos pontos de grande importância. Antes se falava apenas da 3° idade (a partir de 60 anos), porém, hoje a 4° idade (a partir de 80 anos) está sendo vivida por muitas pessoas. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os idosos são 23,5 milhões, isso corresponde a 12% da população brasileira. O setor de geriatria dos HUs já sente este aumento e tem entre seus objetivos desenvolver ações para o envelhecer saudável da população. O Dr. João Macêdo, chefe do setor, enfatiza que o cuidado com o idoso deve ser integral, dada a multiplicidade de problemas de saúde que se apresenta nessa fase da vida. Em breve, o setor passará por

uma reestruturação física e funcional que irá aperfeiçoar o atendimento. “Com a mudança para a nova sede teremos condições de oferecer assistência de fisioterapia, terapia ocupacional, nutrição, psicologia e outras áreas necessárias para o cuidado integral do idoso”, afirma Dr. João Macêdo. Atualmente, fazem parte desta estrutura 7 médicos, 1 enfermeira, 1 nutricionista, 1 assistente social. Prestando atendimento de segunda a sexta-feira, das 8 às 12. Às quintas-feiras há o atendimento aos pacientes com algum tipo de demência, sendo a principal causa a doença de alzheimer. O serviço oferece, também, o “curso para os cuidadores”, uma ação com foco na continuidade da atenção ao idoso. Tendo em vista que o cuidador é de grande importância para a efetividade do tratamento do idoso.

Macêdo, Dr. Charlys Barbosa e Dr. Jarbas Roriz. Segundo Dr. João Macêdo a UFC está entre as 40% das instituições que oferecem a cadeira de Geriatria na graduação como disciplina obrigatória. “A geriatria está se tornando uma prioridade na área da saúde com o aumento da expectativa de vida”, relata Jade Saraiva, aluna da Faculdade de Medicina da UFC. Além disso, Jade acrescenta que a disciplina ensina aos próprios alunos como envelhecer de forma saudável.

O bom cuidador é aquele que observa e identifica o que a pessoa pode fazer por si, avalia as condições e o ajuda a fazer as atividades.

A liga de geriatria é uma atividade extra curricular realizada por alunos da UFC. A liga acontece todas as terças-feiras e promove cursos na área. Em Fortaleza a Liga de Geriatria promoveu um encontro norte-nordeste com o objetivo de unir projetos de extensão que trabalham com idosos. José Mourão, presidente da Liga de Geriatria da UFC, afirma, ainda, que o grupo também vai a campo visitando asilos e viajando ao interior do estado.

Como agir em situações especiais

....................... A liga

....................... Ensino e a Geriatria

Cenário de prática para os alunos de graduação em geriatria, o ambulatório possui como professores da disciplina de geriatria da UFC, o Dr. João

....................... O que é cuidar?

Tarefas do cuidador •Atuar como elo entre a pessoa cuidada, a família e a equipe de saúde. •Escutar e ser solidária •Estimular e ajudar na alimentação •Estimular atividades de lazer e ocupacionais

•Engasgos: tentar retirar com o dedo o pedaço de alimento, caso não consiga, coloque a pessoa em pé, abrace-a pelas costas e aperte com seus braços a “boca do estômago”. •Caso de queda: procure não movimentar a pessoa cuidada e chame o SAMU o mais rápido possível. •Medicamentos: mantenha sempre nas caixas originais para facilitar o controle de validade e ingestão.

Ouvidoria dos Hus: 8164 (HUWC) 8572 (MEAC)

A pane temporária nos elevadores da MEAC. A aposentadoria de um médico do Serviço de Pneumologia, que impossibilitou o tratamento de pacientes com diagnóstico de asma.

A interação dos HUs durante a festa junina ocorrida em julho. Parabéns ao RH dos hospitais pela organização do evento. A Iniciativa da Diretoria em promover um curso de formação de lideranças para os servidores dos HUs.

Superintendente: Dr Florentino Cardoso Coordenação Editorial: Caruena Brilhante Redação: Lorena Martins - MTB2220 JP Isabel Mayara - MTB2876 JP Thiago Barbosa - Estagiário de Jornalismo Diagramação: Eclebio SIlva Fotolito e Impressão: Imprensa Universitária - UFC Tiragem: 1000 exemplares

______________________

EXPEDIENTE

Participe da comunicação dos HUs

Entre em contato com a Divisão de Imprensa e Marketing: Hospitais Universitários UFC @HUsUFC

E-mail: nim@huwc.ufc.br Tel. (85) 3366.8183 8116.5042


Vesão impresso edição jun julho