Page 1

ANO XXIII * 127 2011 Proprietário: Província Portuguesa Ordem Hospitaleira de S. João de Deus Director: Alberto Paulo Madureira Mendes Redacção Comp. Imp. Adm.: Rua S. Tomás de Aquino n.º 20, 1600-871 LISBOA

Entre 13 e 15 de Maio estivemos reunidos na Idanha

Não te esqueças de visitar: www.juventudehospitaleira.org


CONTAS COMIGO Queridos amigos, Apesar de muitas vezes ter um aspecto bem cinzentão, por dentro sou muito verde! verde! Sim, é que eu acredito que ser hospitaleiro passa também por cuidar desta casa global que nos acolhe. Mais do que reciclar, reciclar, preocupopreocupo-me em reduzir o consumo de tinta, papel e electricidade e reutilizar material sempre que possível! E foi com este espírito verde, verde, inspirado pela primavera, que me lembrei de observar os hábitos dos Jh’ Jh’s. h’s. Percebi que há quem poupe papel, tinta e energia : - 99% utiliza o ee-mail para se inscrever na JH - 100% dos inscritos em actividades fáfá-lo online - 50% recebe este jornalinho por ee-mail

Os números podem dizer muito ou pouco, mas o nosso coração está sempre junto da verdade. AnalisaAnalisa-te, inspirainspira-te na festa da natureza natureza e perguntapergunta-te o que podes fazer para a proteger! Livinho

2


«Enraizados e edificados em Cristo, inabaláveis na fé» (Col 2, 7) Onde tenho os pés? Seguros sobre rodas? Ou num movimento inabalável? Onde estou? A tua vida corre sobre rodas? Atenção! Tens de ver quem empurra o teu skate!? Terás adormecido e para todos os efeitos continuas de pé? Andas a dormir? Ou dormes a sonhar ser o primeiro a olhar para os outros com coração Hospitaleiro?

Os acontecimentos podem surgir como tempestades, levando tudo pelo ar, não nos deixando tocar o chão. Mas o que sustenta o jh é a viagem na Palavra. Encontrado por Ela, tudo passa, só permanece aquilo que é mais seguro e que de facto é inabalável, onde o nosso coração se agarra com todas as forças. Tudo muda, Deus não passa e a Sua Palavra nos segura com Sentido.

Agarrados pela Palavra, que se torna irresistível, tudo muda, olhamos para os irmãos pela primeira vez e vemos o essencial, que nos compromete de forma inquebrantável e inadiável a reconhecer Jesus escondido em tantos rostos… Terei a coragem de perguntar-me:

Ter o coração aberto e generoso no meu caminhar sustenta-me como jh? 3


Fiquei …porque não? Foi no primeiro impacto que tive com os utentes que de certa forma me senti sem forças, tanto interiores como exteriores para os ajudar naquelas que, à primeira vista, são tarefas banais do nosso quotidiano. Nesse momento veio à minha cabeça aquele que era o propósito de estar ali, integrar a diferença, servindo-os na pessoa de Cristo. Tive então aí um único pensamento: Se Cristo o fez, porque não haverei eu de o fazer? Então foi nesta disposição que coloquei o meu coração, na disposição de me tornar pequenino, humilde para poder servir aqueles que necessitavam da minha ajuda. Depois de passado o primeiro impacto e as acções terem tomado o lugar dos medos e receios, tudo se tornou mais fácil. Pude então aproveitar aqueles dias que ali estive ao máximo, dando de mim aquilo que pude, contando para isso com a ajuda e o apoio de todos os auxiliares e enfermeiros que de uma forma mais humilde dão a cada dia a todos eles a dignidade a que qualquer ser humano tem direito. No final, mediante tudo o que passei, concluo que os bons momentos superaram de longe os maus. Houve momentos de cantorias que tive que me alegraram imenso o coração, por aqueles que se tornaram perto mesmo estando longe. Quero de forma humilde deixar o meu obrigado e dizer que eu cheguei para dar e recebi em troca imensamente mais.

Senhor que a diferença Não se faça sentir Mas que em cada utente Se veja o teu rosto a sorrir E que cada gesto simples Seja na atitude de quem esta para te servir! E que cada um que por aqui passe Leve uma coisa na hora de partir O rosto de alguém que aqui amasse E que lhe pede para não fugir. Telmo Seco 4


edificado Carnaval Hospitaleiro Acolheram-nos de braços abertos e proporcionaram-nos momentos únicos de reflexão, diversão e partilha. A oração foi o elemento chave de toda a actividade, pois permitiu que reflectíssemos sobre cada dia de Voluntariado e sobre a Hospitalidade. O simples facto de estes tempos de reflexão nos transmitirem força interior permitiram que nos sentíssemos mais confiantes e explorássemos o nosso lado mais introspectivo, tendo a oportunidade de exteriorizar os nossos sentimentos e o que nos ia no coração. A música foi uma presença constante neste Carnaval e uma das mais belas formas de sentir a palavra de Deus. O Voluntariado foi que nos levou até aquela Casa, o amor que temos a dar ao outro e, em particular ao doente, uniu-nos e a Hospitalidade permitiu que todos nós soubéssemos acolher e sentíssemos a autenticidade e sinceridade de cada doente, aproveitando ao máximo cada gesto, sorriso, olhar e palavra que nos eram transmitidos. A festa de Carnaval possibilitou que nós e os doentes vivêssemos um inesquecível momento de alegria e diversão. Foi fácil verificar a felicidade em cada rosto, gargalhada e na vontade imensa com que dançávamos, em conjunto, hora após hora. Na verdade, cada dia foi único, marcou-nos e tocou-nos profundamente, de tal forma que a hora da despedida se tornou numa hora indesejada. Laura Páscoa Hospitaleira "Ao participar nesta Páscoa Hospitaleira de 2011, tive a oportunidade de viver um tempo único e sublime que ficará para sempre no meu coração. Neste encontro, aprendi que para sermos verdadeiramente cristãos é necessário termos plantada em nossos corações a vontade de sermos pessoas melhores. Para isso devemos ser humildes e praticar o amor ao próximo. Pude experimentar vários momentos de profunda oração e reflexão que permitiram fortalecer o meu espírito para ver na pessoa doente o rosto de Jesus. Seguir Cristo é um caminho de busca da santidade. E não somos capazes de percorrer este caminho sozinhos, daí a importância de vivenciarmos estes momentos em comunidade. O melhor de tudo foi perceber que todos os membros presentes neste encontro estavam a beber da mesma fonte de alegria comigo." Renato 5


Agarra-te bem

A norte (em Braga): no "Tudo ao molho" do dia 5 de junho ou no dia 23 de Julho (integrado no Campo FĂŠrias) Ao Centro: No Telhal a 2/julho e em Telheiras a 23/julho Na Madeira: em data a combinar, mas a Ir. Fernanda depois contacta os inscritos na Madeira.

6


Estivemos reunidos em Assembleia JH de 13 a 15 de maio de 2011. Foram dias de muita partilha, convívio, oração e algum trabalho. Pudemos ver uma síntese quantitativa e qualitativa daquilo que fomos realizando na JH ao longo do último ano. Elaborámos o texto final da «Carta de Identidade» e «Regulamento» do nosso Movimento que nos servirão para aprofundar o conhecimento de nós próprios, dar-nos unidade e estímulo na vivência da hospitalidade e divulgar a JH a todos os que contactarem connosco. A foto da JH está agora em alta resolução! Os nossos Superiores provinciais mandaram-nos mensagens, e alguns jovens também, o que nos deu ânimo e estímulo. Fomos convidados a fazer desta assembleia um momento forte de encontro, partilha, reflexão e discernimento, para avivar as cores da hospitalidade que semeamos na nossa sociedade. A ti, Jh que ainda não participaste em nenhuma actividade Hospitaleira, convidamos: vem experimentar a hospitalidade! A ti, Jh que tens participado em várias actividades, desafiamos: traz um amigo contigo na próxima! A ti, Jh que não pudeste estar presente nesta Assembleia, animamos: continua a espalhar o vírus da hospitalidade!

A Moleskine de um Jh Jh : Vem aí o Verão, logo em Junho irei à festa dos Santos Populares na Casa Hospitaleira mais próxima de mim, para Agosto inscreviinscrevi-me nas nas Jornadas Mundiais da Juventude, aproveitar, por ser Juventude, porque quero aproveitar, aqui perto! Não sei sei se alguma vez voltarei a ter uma oportunidade destas! Entretanto faço a oração que aprendi no JHornal passado: «Pedimos«Pedimos-Te pelo Papa Bento XVI, pelos bispos e por todos os que preparam a próxima JMJ em Madrid. PedimosPedimos-Te pelas nossas famílias e os nossos nossos amigos e especialmente pelos jovens que vão conhecerconhecer-Te nesse encontro, através do nosso testemunho, firme e alegre, de Fé.» Obrigado, Obrigado, JH!

7


Fim-de-Semana Hospitaleiro 10 a 12 > Terceira (Açores) 23 a 26 > Parede 24 a 26 > S. Gonçalo (Madeira): Campos de Férias: 25 a 30 > S. Miguel (Açores) 29 a 6 de Julho> Telhal (Sintra)

14 a 22 > S. Gonçalo (Madeira) 18 a 26 > Braga e S. Miguel 20 a 28 > Telheiras (Lisboa) 28 Julho a 5 Agosto> Barcelos 1 a 9 > Condeixa 1 a 9 > S. Miguel (Açores) 16 a 24 > S. Roque (Madeira) 25/08 a 3/09> Idanha (Sintra) 26/08 a 2/09> Braga 31/08 a 9/09> Telhal (Sintra) Junho 2 > Ordenações presbíteros (Lisboa) 4 > Encontro diocesano da juventude (Funchal) 4 > Festa da Vida - Serra do Montejunto (Lisboa) 4 > Workshop “ Liga–te” (Porto) 9 e 10 > Peregrinação Nacional das crianças a Fátima Julho 2 e 3 > Missão Jovem (Combonianos) -Famalicão (Braga) 26 Julho a 2 Agosto> Peregrinação à Polónia (Castelo Branco) Agosto 15 a 23 > Romaria (Coimbra) 24 e 25 > Peregrinação a Fátima (Guarda) 8

Hora Jovem 127  

JHornal Hora Jovem, n.º 127, o segundo de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you