Issuu on Google+

Aula 1 1- Considere um mapa do Brasil cuja escala é de 1 cm vale 100 km. Um observador mediu co uma régua a distancia entre o centro de dois pontos com aproximadamente 3 milímetros. O primeiro ponto tem a legenda Rio de Janeiro e o segundo a legenda São Paulo. Podemos concluir sobre a ação acima de forma correta o seguinte: a) b) c) d)

A medida direta no mapa mostra que o Rio dista 400 km de São Paulo. A medida indireta no mapa indica que o Rio dista 400 km de São Paulo A medida direta nada representa em relação à medida indireta, neste caso. A medida indireta do “centro” do Rio de Janeiro ao “centro” de São Paulo é de 400 km. e) Não há nenhuma relação entre a medida direta e a indireta neste caso. 2- Um projeto medido em Kloc mostrou que a produtividade do programador era de 10 linhas de código por dia, em uma linguagem X. Outro projeto em uma linguagem Y mostrou que a produtividade foi de 12 linhas de código por dia. Marque a afirmativa correta. a) Podemos ter certeza que a produtividade do programador que trabalhou com a linguagem X é maior que o que trabalhou com a linguagem Y gerando código de melhor qualidade. b) Não há como comparar o trabalho ao se utilizar a linguagem X e a linguagem Y, vai depender das características da linguagem. c) Podemos ter certeza que a linguagem x exige menos comandos que a linguagem y para uma mesma tarefa. d) Podemos ter certeza que o código gerado para a linguagem y é estruturado e o da linguagem x não é. e) Nada podemos falar sobre a qualidade do código gerado, mas sendo x e y linguagens com características diferente, podemos concluir que o programador que trabalhou com X é melhor do que o da linguagem y. 3 – Uma métrica precisa ser estabelecida quando falamos em medidas. Quando falamos que o Rio de janeiro dista de 400 km de São Paulo que aspecto da métrica não está claramente definido? a) A unidade de medida não esta claramente definida considerando que existem outros múltiplos de km e ninguém citou o sistema métrico, isto pode tornar a informação imprecisa. b) A forma de fazer a medida. Se esta medida é direta ou indireta. E isto pode nos levar a dúvida da distancia entre o Rio e São Paulo. c) A descrição da métrica não esta correta. Existe imprecisão entre os locais iniciais e finais da medida. Isto nos leva a informação errada sobre a distancia entre a cidade do Rio e a de São Paulo, pois não sabemos de onde para onde se está medindo. d) A forma de medida neste caso pode nos levar a informação incorreta, pois existe um erro em cada forma de medida. Ao se fazer a medida deve-se definir se é feita de forma direta ou indireta.


e) A expressão distancia entre Rio e São Paulo está corretamente definida e qualquer motorista de taxi levaria um passageiro a São Paulo sem se preocupar com a distancia, pois sabe que é de 400 km. 4 – Devemos acompanhar a produção de código correto feito pelos programadores. E foi acertada entre os gerentes uma métrica de medida indireta que irá dar um índice para cada programador que será: índice-qualidade = (números de erro *2 + 1) bonzão. Assim um programador com 236 bonzão é duas vezes pior do que o programador com 118 bonzão. Podemos afirmar de forma correta quanto à definição da métrica. a) A métrica esta inadequada, pois o consenso comum indica que quando uma coisa é melhor deve ter um valor maior e a métrica está invertida. b) A métrica está adequada, pois esta corretamente definida e os gerentes facilmente entenderão que quatro bozão são pior que dois bonzão. c) No ponto de vista esta métrica define a qualidade do trabalho, pois quem tem mais erros tem mais bonzão e para um projeto desejamos quem tem menos bonzão. A métrica mostra isto intuitivamente. Quando se tem mais é melhor. d) A métrica não deve ter esta preocupação do senso comum. É necessário que os gerentes aprendam e memorizem esta nova forma de medir. e) O custo é adequado, pois nos podemos contar os erros pelo número de comparações feitas por programa. Então quanto mais se compila um programa melhor, pois indica que o programador terá mais bonzões, portanto melhor qualidade do trabalho. 5 - Escolha a alternativa correta: a) Uma medida é feita com instrumentos próprios e sempre de forma direta. b) Uma medida é feita segundo definições de uma métrica, que é a própria medida. c) Uma medida é feita segundo definições de uma métrica. A métrica precisa ser claramente definida. d) Uma métrica é uma definição de medida. Nela definimos os limites máximos e mínimos das referencias. A forma direta e indireta de se fazer a mesma medida. e) A referencia de uma medida é um valor especificado na medida par se saber se erramos ou não na tomada do valor. 6 – escolha a afirmativa correta: a) A medida direta só pode ser feita no produto. Sempre que precisamos medir o processo precisamos fazê-lo de forma indireta. b) A medida pode ser feita no produto ou no processo, mas precisa estar corretamente definida em termos de métrica. c) A métrica mede o processo enquanto a medida mede o produto. d) A medida mede o produto e a medida de referencia mede o processo. e) A métrica e medida no caso do processo são sinônimas e a referencia mede o produto. 7 – Quanto ao KLOC podemos afirmar de forma correta:


a) Tem uma interpretação física compreensível por seus usuários. b) Serve como unidade de comparação entre as diversas linguagens, pois tem uma interpretação comum c) É uma das melhores formas de medida usadas hoje, pois não permite interpretações diferentes. d) É uma medida física, direta, e permite comparar coisas diferentes (projetos com várias características) e) É uma medida indireta, e pode ser usada como base para nos permitir comparar de forma precisa aspectos dos diversos projetos. 8 -- Considere as afirmativas abaixo: i – Uma medida pode ser feita sem necessidade de se preocupar com a forma de tomada do registro. ii – Um indicador definido por uma métrica deve atender a coerência, se houve um crescimento ele pode ser inverso marcando um valor menor. iii – Especificação da métrica deve registrar a forma de tomada de medida, o objetivo e os níveis de erro aceitáveis na medição. São corretas as afirmações: a) Todas as afirmações b) apenas i e ii

c) iii d) apenas ii e) apenas i

9 - considere as afirmativas abaixo: i) A medida da estrada Rio-São Paulo entre o marco do kilometro 1 e kilometro 200 pode ser feita por medida direta ou indireta. ii) A medida da capa de um livro pode ser feita com uma régua, portanto é uma medida indireta. iii) A medida entre o centro da terá e o centro da lua pode ser feito por uma medida direta. iv) O tempo para a produção de um filme pode ser medida por medida direta, mas a criatividade do roteirista deve ser feita por medida indireta. v) Um vírus pode ser pesado, com a atual tecnologia, de maneira direta usando-se o Kilograma e suas unidades. RESPONDA: a) b) c) d) e)

Todas as afirmativas são falsas As afirmativas iv, ii e iii são totalmente falsas. As afirmativas v, i , iv são totalmente corretas As afirmativas iii, ii, v são totalmente falsas As afirmativas i, iv estão totalmente corretas.

10 – Considere os registros estatísticos de uma empresa na tabela abaixo : projeto

linguagem

Prazo de Tamanho duração em kloc

Produtividade Kloc/mês

Custo/kloc


Sistema 1

C++

8 meses

15

0,375

R$ 5400,00

Sistema2

Java

8 meses

15

0,468

R$ 4300,00

Sistema3

PHP

6 meses

12

0,5

R$ 3900,00

Sistema4

Pyton

4 meses

12

0,75

R$ 2600,00

Sistema5

java

6 meses

12

0,5

R$ 3800,00

Sistema6

C++

5 meses

15

0,5

R$ 3800,00

Analisando a tabela pode-se concluir, sem nenhuma dúvida, que: a) Que a equipe de desenvolvimento do sistema 2 tem menos experiência de que a desenvolveu o sistema 4. b) Que para um novo projeto a linguagem mais indicada é o Pyton. c) Que o desenvolvimento em C++ é menos produtivo que o desenvolvimento em Java. d) Que para um novo projeto o indicado é se trabalhar com PHP. e) Que para um novo projeto o indicado é trabalhar com Java. 11 - Considere os registros estatísticos de uma empresa na tabela abaixo : projeto

linguagem

Prazo duração

de Tamanho em kloc

Produtivida Custo/kloc de Kloc/mês

Sistema 1

C++

8 meses

15

0,375

R$ 5400,00

Sistema2 Java

8 meses

15

0,468

R$ 4300,00

Sistema3 PHP

6 meses

12

0,5

R$ 3900,00

Sistema4 Pyton

4 meses

12

0,75

R$ 2600,00

Sistema5 java

6 meses

12

0,5

R$ 3800,00

Sistema6 C++

5 meses

15

0,5

R$ 3800,00

Analisando a tabela pode-se concluir, sem nenhuma dúvida, que: a) Que o número de desenvolvedores (aproximado) que trabalharam no projeto5 foram 8. b) Que o número de desenvolvedores (aproximado) que trabalharam no projeto4 foram 12


c) Que o numero de desenvolvedores (aproximado) do projeto 5 foram quatro. d) Que o número de desenvolvedores (aproximado) que trabalharam no projeto2 foi seis e) Que o número de desenvolvedores (aproximado) que trabalharam no projeto3 foi dois. 12 – considere uma métrica com as seguintes características: Nome: facilidade de entendimento Descrição: contar o número de parágrafos na documentação, pois isto indica que o documentador criou uma descrição bem segmentada e isto facilita a leitura; Forma de se medir: fazer a contagem do caráter “ponto” no texto após sua finalização; a) A métrica não está corretamente definida pois “ponto” não define um parágrafo; b) A métrica não esta corretamente definida pois a forma de medir não está clara. c) A métrica está corretamente definida e a forma de medir é desnecessária. d) A métrica está corretamente definida e a descrição está coerente com a forma de se fazer a medida. e) A métrica não está corretamente definida, pois falta o sistema de medidas, a referência e principalmente a descrição esta coerente com a forma de se medir; 13 – considere as afirmativas abaixo: i) ii) iii)

As métricas devem ser simples de entender e de serem utilizadas para verificar atendimento de objetivos e para subsidiar processos de tomada de decisão. As métricas devem ser objetivas visando reduzir ou minimizar a influência do julgamento pessoal na coleta, cálculo e análise dos resultados. O valor da informação obtido como resultado das medições deve exceder o custo de coletar, armazenar e calcular as métricas.

Escolha a opção correta: a) b) c) d) e)

Todas as afirmativas são falsas; As afirmativas ii e iii são totalmente falsas;. As afirmativas i , iii são totalmente corretas e ii é falsa; As afirmativas iii, ii, i são totalmente corretas; As afirmativas i, ii estão totalmente corretas e iii é falsa;.

14 – Leia as afirmativas abaixo sobre o KLOC:


i)

O KLOC é uma medida direta, portanto é feita sobre o fenômeno. E, só podemos contar as linhas de um software após ele ter sido escrito. Alguns contestam o KLOC por que não privilegia a boa programação (mais eficiente) ou o uso de linguagens mais eficientes. O acompanhamento de projetos com métricas baseadas no KLOC compara projetos inconvenientes de características diferentes nas especificações de funcionalidades e na sua forma de implementar. As comparações têm o problema de se comparar coisas diferentes, pois o LOC conta linhas em qualquer linguagem independente de sua produtividade.

ii) iii) iv)

Escolha a opção correta: a) b) c) d) e)

Todas as afirmativas são falsas; Todas as afirmativas são verdadeiras;. As afirmativas i , iii são totalmente corretas e ii, iv são falsas; As afirmativas iii, ii, i são totalmente corretas e iv é falsa; As afirmativas i, ii,iv estão totalmente corretas e iii é falsa;.

15 - Trabalhar com métricas normalmente é uma nova visão sobre o software. É a visão gerencial. De forma absolutamente correta isto permite que: a) b) c) d) e)

Se defina questões sobre prazos e tamanho de software. Se defina equipes e metodologias de desenvolvimento. Se defina metodologias e linguagens de programação. Se defina bancos de dados e estruturas de programação. Se defina metodologias e estruturas de programação.

16 – Assinale a afirmativa sempre correta nas opções abaixo: a) Para se fazer o acompanhamento gerencial utilizando o KLOC deve-se ter uma base de registros estatísticos de projetos já feitos. b) Os registros gerenciais são feitos, segundo as métricas de acompanhamento, e são sempre medidas diretas. c) Um registro estatístico serve de base para estimar o total de pontos função de um novo projeto. d) O acompanhamento do projeto só pode ser feito com medidas indiretas. e) Os registros estatísticos de projetos na empresa não podem ser usados como referencia para novos projetos. 17 – Para se definir a funcionalidade no modelo de Ponto função inicial era: a) Dada qualquer especificação de uma aplicação criar se uma medida para quantificar a funcionalidade. b) Criar uma função que mapeie a funcionalidade do software na reta dos reais a partir de um caso de uso somente. c) Quanto mais funcionalidade fosse identificada maior seria o inverso do número real determinado.


d) Inicialmente se medir os requisitos funcionais e para isto se criou o Fator de ajuste. e) A funcionalidade é expressa por um conjunto de requisitos não funcionais que são quantificados e transformados em um número real. 18 –Da expressão: Tot_ponto_função_ajustado = tot_contado * (0,65 + 0,01 *

)

Podemos afirmar de forma correta: a) b) c) d) e)

Que 65 % da contagem refere-se à funcionalidade. Que 35 % da contagem refere-se à implementação. Que 1% da contagem refere-se à implementação. Que 66% da contagem refere-se à funcionalidade. A funcionalidade não é expressa diretamente na fórmula .

19 – Sobre o valor de ponto função NAO AJUSTADO pode-se afirmar de forma correta: a) Muitas empresas usam este número para sua gerência de software. b) Dependendo das características necessárias é obrigatório o uso do fator de ajuste. c) A falta do fator de ajuste não permite que se compare totais de ponto função entre softwares de aplicações diferentes. d) O valor obtido multiplicando o total da contagem com o fator de ajuste gera o total de ponto função não ajustado. e) Não se pode definir indicadores que permitem comparar softwares com características diferentes (o que era possível com LOC). 20 – Um software desenvolvido em COBOL apresentou, no final do projeto, um total de 32456 linhas (considerando que 1PF representa 100 linhas em COBOL). Quantas gastaríamos para implementar as mesmas funcionalidades em PHP (1 PF representa 32 linhas em PHP). a) b) c) d) e)

Não há como calcular. Um total aproximado de 10 385,92 linhas. Um total aproximado de 10 142,50 linhas. Um total aproximado de 10 643,40 linhas. Um total aproximado de 11 456,23 linhas.

Aula 2 21 – O valor do fator de ajuste:


a) b) c) d) e)

Reflete a funcionalidade específica da aplicação. Pode variar de 0 a 5. Influencia na contagem dos pontos de função não ajustados. Influencia na contagem das entradas e saídas de dados Influencia na contagem das funções de consulta, entrada e saída

22 - Um dos objetivos da Análise de Ponto Função é: a) b) c) d) e)

Medir a funcionalidade que usuário solicita e recebe. Calcular quantas tabelas o sistema terá. Estimar o tamanho de uma equipe de desenvolvimento. Ajudar no processo de depuração do software Definir os procedimentos para os testes do software.

23 - O benefício principal de análise de Ponto função é: a) Identificar os requisitos não funcionais do sistema. b) Ser uma forma de estimar custos e recursos para o desenvolvimento e manutenção do software. c) Ajudar o desenvolvedor na programação do sistema d) Identificar entidades que devem ser normalizadas. e) Definir os principais objetos e métodos do sistema 24 - Quanta são as características gerais de um sistema definidas em análise de ponto função? a) b) c) d) e)

14. 21. 17. 5. Depende do tipo de negócio.

25 - Qual a característica geral que contempla uma aplicação que deve rodar em batch ou ”on line”? a) b) c) d) e)

Facilidade de instalação Múltiplos locais Comunicação de dados Processamento distribuído Facilidade de operação

26 – Ao se encontrar o valor 132,34 PF podemos afirmar com certeza. a) O valor refere-se a ponto função não ajustado b) O valor refere-se a ponto função ajustado c) O valor refere-se à funcionalidade total dos ALI e AIE. d) O valor refere-se à funcionalidade total de entradas, saídas e consultas. e) O valor refere-se à funcionalidade das entradas e dos arquivos ALI.


27 –Qual o valor do fator de ajuste para uma aplicação cujos níveis de influencia por características são: Comunicação de dados Processamento distribuído performace Configuração altamente utilizada Volume de transações on line Eficiência do usuário final Entrada de dados on line a) 39

b) 0,39

3 3 3 3 4 5 3 c) 1,04

Atualizações on line Processamento complexo reusabilidade Facilidade de instalação Facilidade de operação Múltiplos locais Modificação facilitada

5 1 3 2 2 2 0

d) 1,35 e) 0,65

28 –Considerando as características do software conforme a tabela abaixo: Comunicação de dados Processamento distribuído performace Configuração altamente utilizada Volume de transações on line Eficiência do usuário final Entrada de dados on line

3 3 3 3 4 5 3

Atualizações on line Processamento complexo reusabilidade Facilidade de instalação Facilidade de operação Múltiplos locais Modificação facilitada

5 1 3 2 2 2 0

Podemos concluir que: a) A Eficiência do usuário final é crítica bem como o processamento complexo b) A eficiência do usuário é critica e Modificação da facilidade não influencia em nada c) A eficiência do usuário é critica, mas não é fundamental as Atualizações on line. d) A comunicação de dados, processamento distribuído tem um grau de influencia baixo enquanto a atualização on line tem pouca influencia e) Modificação facilitada não tem nenhuma influencia enquanto que as demais características são de influencia média. 29 –Qual o valor total de influencia para uma aplicação é de 39 e o fator de ajuste é 1,04. características são: Comunicação de dados 3 Atualizações on line 5 Processamento distribuído 3 Processamento complexo 1 performace 3 reusabilidade 3 Configuração altamente utilizada 3 Facilidade de instalação 2 Volume de transações on line 4 Facilidade de operação 2 Eficiência do usuário final 5 Múltiplos locais 2 Entrada de dados on line 3 Modificação facilitada 0 O que aconteceria com o fator de ajuste se todas as características tivessem nota cinco. O Novo fator de ajuste seria: a) 39 b) 0,39 c) 1,04 d) 1,35 e) 0,65


30 –Qual o valor total de influencia para uma aplicação é de 39 e o fator de ajuste é: 1,04. Características são: Comunicação de dados Processamento distribuído performace Configuração altamente utilizada Volume de transações on line Eficiência do usuário final Entrada de dados on line

3 3 3 3 4 5 3

Atualizações on line Processamento complexo reusabilidade Facilidade de instalação Facilidade de operação Múltiplos locais Modificação facilitada

5 1 3 2 2 2 0

O que aconteceria com o fator de ajuste se todas as características tivessem nota ZERO. Novo fator de ajuste seria: a) 39

b) 0,39

c) 1,04

d) 1,35

e) 0,65

31 - Considere a tabela com as métricas e informações abaixo: métrica total KLOC/P projeto linguagem folhas/ PF F

programador

erros/P F :em total um ano em PF

proj 1

COBOL

22

90

4

32

145,31

proj 2

c ++

36

70

5

14

121,61

proj 3

java

25

60

3

32

189,45

proj 4

java

30

50

3

18

169,32

proj 5

c ++

28

80

4

16

132,45

Com relação às métricas apresentadas escolha a opção correta. a) O desenvolvimento com a linguagem Java gasta mais folhas de documentação que a linguagem C++. b) Um programa desenvolvido em COBOL gasta mais linhas de código que todos os demais. c) A produtividade de Kloc /programador em C++ é a melhor d) Os programas em Java geram menos erros que em C++ e) Para se desenvolver em C++ sempre se precisa de mais programadores que em COBOL 32 - Da formula de ponto de função ajustado mostrada abaixo podemos sempre concluir: Tot_ponto_função_ajustado = tot_contado * (0,65 + 0,01 *

)


a) b) c) c) d)

O total de ponto função ajustado é sempre um número inteiro. O total da parcela de grau de influencia é sempre um numero real. O fator de ajuste é sempre um número real. O total_contado é sempre um numero real O fator de ajuste pode ser um real ou um inteiro, indiferentemente.

33 – Qual das afirmativas abaixo não é objetivo da Análise de Ponto Função? a) b) c) d) e)

medir a funcionalidade dos sistemas independentemente da tecnologia que foi utilizada no seu desenvolvimento; Avaliar com base no que o sistema faz, ou seja, baseado nas funções que o sistema executa, independente da tecnologia utilizada em sua implementação; Fornecer ferramenta para auxiliar nas estimativas de recursos para o desenvolvimento de software; Possibilitar o uso em diferentes projetos, em diferentes empresa e ambientes variados, demonstrando consistência na comparação; Permitir desenvolver a analise de um sistema de forma mais objetiva e correta;

34 – Considere as afirmativas abaixo relativas a definir a fronteira da aplicação. i) todos os relacionamentos do sistema com o seu exterior; ii) a pertinência dos dados, ou seja, a quem é confiada à responsabilidade de manutenção das informações, residentes no sistema; iii) os processos suportados pelo sistema que está sendo contado. iv) os critérios do analista que irá conduzir a contagem. Escolha a opção correta: a) b) c) d) e)

As opções i, ii estão corretas; as opções iii e iv estão corretas As opções i,ii, iii estão corretas; a opção iv está errada As opções i,ii, iv estão corretas; a opção iii está errada As opções i,iii, iv estão corretas; a opção ii está errada As opções ii,iii, iv estão corretas; a opção i está errada

35 – qual das afirmativas abaixo não pode ser usada na definição da fronteira da aplicação: a) definir a fronteira da aplicação baseada na visão do usuário, ou seja, deve refletir a descrição do sistema como percebido pelo usuário; b) Observar os relacionamentos do sistema com o meio externo focalizando os processos voltados para o negócio, como visto pelo usuário; c) Deve-se observar os arquivos que estão sendo usados independente do negócio. d) Definir a fronteira, em projetos de manutenção coerente com a fronteira estabelecida para o sistema original; e) Deve-se gerar uma documentação resultante da etapa de definição da fronteira: O Diagrama da fronteira da aplicação;


36 – A técnica de análise de pontos de Função não traz benefícios para: a) b) c) d) e)

Dimensionamento dos sistemas, em produção e/ou em desenvolvimento bem como, solicitações de manutenção; Apoio para estimativa de custos e recursos requeridos para o desenvolvimento e manutenção de software; Apoio para gerenciamento da qualidade e produtividade no processo de desenvolvimento do software; Apoio para a tomada de decisão relativa à seleção para aquisição de pacotes, e contratação de serviços. Para definir o desenho do software e as tabelas de banco de dados;

37 – Quanto ao Ponto função pode-se afirmar que: a) b) c) d) e)

Tem uma representação física e de fácil entendimento; Tem objetivo de medir a funcionalidade a ser entregue; Tem como objetivo estimar as funcionalidades e definir o número de kloc ; Assim como o KLOC pode medir o número de linhas de um software; É uma medida direta feita no código do sistema;

38 – Sobre o escopo da contagem escolha a afirmativa incorreta: a) Define um subconjunto do software medido e/ou pode incluir mais de uma aplicação; b) Deve abranger apenas entradas para a aplicação; c) Afeta a medida a ser feita; d) Deve considerar a visão do usuário sobre o negócio; e) Deve ser definida dependendo dos processos elementares identificados pelo usuário 39 – escolha a opção incorreta sobre a fronteira da aplicação: a) Define o que é externo à aplicação. b) Age como membrana por meio da qual os dados processados pelas transações entram e saem; c) Varia de acordo com a tecnologia empregada; d) Define o interesse do usuário em relação ao negócio; e) Define o que deve ser contado na aplicação; 40 – Na proposta inicial para se medir a funcionalidade é correto afirmarmos que: a) Foi definida uma função construída que mapeia os reais a partir de qualquer especificação. b) É uma alternativa para se usar o Kloc, independentemente das 14 características do software. c) Foram definidas 14 características do software de forma matemática. d) A contagem é feita no modelo e deve-se considerar o número de usuários e sua complexidade ao tratar o sistema


e) A complexidade do processamento é dada por tabelas, que ao serem preenchidas somam ao total de entradas e saídas valores pré determinados. Aula 3 41 - As funções do tipo transações existentes são: a) b) c) d) e)

Saída externa, consulta externa e entrada externa. Entrada externa, saída externa e arquivo de interface externa. Fator de ajuste, escopo de contagem e fronteira da aplicação. Projeto de desenvolvimento, projeto de melhoria e aplicação. Arquivo lógico Interno, arquivo de interface externa e fator de contagem.

42 - Escolha o que melhor define o propósito da contagem de ponto função. a) b) c) d) e)

É garantir a qualidade do sistema que é comprado. Fornecer uma resposta a um problema de negócio. Identificar todos os requisitos do usuário do sistema. Definir uma forma de medir, estimar e controlar o desenvolvimento. Definir ferramentas, procedimentos e características do negocio.

43 - O Valor do fator de ajuste: a) b) c) d) e)

Reflete a dificuldade em dar manutenção em um sistema existente. Ajusta em +/- 35% os pontos de função não ajustados. Sempre aumenta em até 35% a contagem dos pontos função. Sempre diminui em até 35% a contagem dos pontos de função. Possui uma faixa de valore que varia de 0 a 5.

44- O escopo da contagem: a) Define um subconjunto do software medido e/ou pode incluir mais de uma aplicação. b) Deve abranger apenas uma aplicação de software. c) Não afeta a complexidade dos ALI e AIE. d) Não afeta a complexidade das funções transacionais. e) Afeta a complexidade dos ALI e AIE porém não afetas as funções transacionais. 45 - As seguintes regras não são aplicáveis à fronteira de aplicação: a) A fronteira entre aplicações em análise devem ser baseada em áreas funcionais na visão do usuário, não há considerações técnicas. b) Deve ser determinada com base na visão do usuário. O foco deve estar no que ele consegue entender e descrever. c) A fronteira inicial estabelecida para a aplicação ou aplicações sendo modificadas não é influenciada pelo escopo da contagem d) Deve-se considerar o volume d trabalho de cada equipe desenvolvimento para se definir a fronteira da aplicação.


e) A definição da necessidade do usuário e seu entendimento é que definem a fronteira da aplicação. 46 – Um arquivo é definido como: a) b) c) d) e)

Um registro de persistência de dados. Um grupo de dados logicamente relacionados. Uma tabela do banco de dados do sistema. Um conjunto de informações percebidas pelo usuário. Um conjunto de informações definidas pelo analista.

47 – A principal diferença entre um arquivo lógico Interno e um arquivo de interface externa é que: a) b) c) d) e)

Um AIE é lido, mas não é mantido pela aplicação que está sendo contada. Um AIE envia dados para fora da fronteira da aplicação. Um ALI tem tipos de registros e um AIE não. Os tipos de dados do ALI e do AIE são diferentes. Os itens de dados de um AIE são sempre grupos lógicos em um ALI.

48 – Para se identificar um arquivo em lógico interno deve-se: a) b) c) d) e)

Determinar os processos elementares que atuam sobre o arquivo. Contar seus itens de dados e tipos de registros. Contra os seus itens de dados e arquivos referenciados. Contar os tipos de registros lógicos e os itens de dados. Identificar os registros lógicos e arquivos referenciados.

49 – Um item de dado, também chamado de tipo de dado, é: a) b) c) d)

Um campo único, não repetido e reconhecido pelo usuário. Um subgrupo de dados dentro de um arquivo. Qualquer elemento visual em um relatório ou tela de entrada de dados. Um dado derivado de um processo elementar que não atravessa a fronteira da aplicação. e) Um dado derivado de um processamento em um processo elementar na função de consulta. 50– Um tipo de registro lógico : a) b) c) d) e)

É um subgrupo de dados dentro de um ALI ou AIE reconhecido pelo usuário. Depende do tipo de contagem. Depende do analista de sistemas. Deve-se considerar apenas itens de dados obrigatórios. Deve-se considerar apenas itens de dados opcionais.

51 – Identifique qual das alternativas seguintes não é regra de contagem para os itens de dados em um arquivo lógico.


a) Quando duas aplicações mantêm ou referenciam o mesmo ALI/AIE, mas mantém ou referenciam itens de dados diferentes, contar somente os itens de dados usados por cada aplicação para determinar a complexidade. b) Conte como um item de dados para cada campo não repetido e reconhecido pelo usuário que seja lido ou mantido por meio de um processo elementar. c) Conte como um item de dados cada campo repetido e reconhecido pelo usuário que seja necessário para um processo elementar. d) Conte como um item de dados cada ocorrência de uma chave de relacionamento que permite a ligação de arquivos. e) Conte como um item de dados cada fração de dados que na visão do usuário constitui uma informação (exemplo data). 52 – Quantos itens de dados podem sem identificados em um ALI ou AIE? a) b) c) d) e)

Mínimo 1 e Maximo Indeterminado. No mínimo zero e no Maximo 52. No Maximo 52 e no mínimo 1. No mínimo zero e no Maximo indeterminado. No mínimo indeterminado e no Maximo 52.

53 – Quais os tipos de contagem de pontos função? a) b) c) d) e)

Dados, transações e fator de ajuste. Corretiva, adaptativa e evolutiva. Projeto de melhoria, projeto de desenvolvimento e manutenção de software. Contagem prévia, contagem ajustada e contagem não ajustada. Contagem de linhas do código.

54 - O fator de ajuste considera: a) b) c) d)

Os requisitos não funcionais do sistema. Os requisitos funcionais do sistema. As adaptações do modelo as formas de contar da empresa Que não pode ser estabelecido para características comuns em sistemas de uma área. e) Aspectos funcionais e não funcionais do sistema 55 - O fator de ajuste para um sistema com a pontuação abaixo é: Comunicação de dados Processamento distribuído performace Configuração altamente utilizada Volume de transações on line Eficiência do usuário final Entrada de dados on line a) 41 b) 0,41 c) 1,06 56 – São fatores de configuração:

3 3 3 3 4 5 3 d) 0,65

Atualizações on line Processamento complexo reusabilidade Facilidade de instalação Facilidade de operação Múltiplos locais Modificação facilitada e) 41,65

5 1 3 2 2 2 2


I - a forma como os dados se comunicam II - a complexidade dos algoritmos III – a modelagem de dados referente ao sistema Iv – a especificação conceitual do sistema V - a tecnologia de desenvolvimento do sistema em OO Estão corretas as afirmativas: a) I,II,III,IV b) I,III,iv,v

b) I,II,IV,V d) todas

c) I,II,III,V e) I,II,V

57 – A variação de notas das características de um software, pode influenciar o valor final da contagem de ponto função: a) b) c) d) e)

De um a cinco para cada característica De 0 a 70 para todas as características De 0,65 até 1,35 para todas as características De 0,35 até-0,35 na pontuação de cada característica do software De 0,01 para as características funcionais e 0,65 para as características não funcionais.

58 - São arquivos de interface externa: a) b) c) d) e)

Dados que sejam recebidos de outra aplicação e utilizados para adicionar, alterar/remover dados em arquivo lógico interno ( Entradas Externas - EE); Dados cuja manutenção é feita pela aplicação mas que sejam acessados e utilizados por outra aplicação (Arquivos Lógicos Internos – ALI); Dados armazenados fora da fronteira da aplicação; Dados formatados e processados para uso por outra aplicação (Saídas Externas SE). Dados referentes a arquivos de processamento por necessidades operacionais

59 – Sobre as escolha das 14 característica podemos afirmar de forma absolutamente correta: a) Foram escolhidas no modelo inicial e permanecem válidas nos aspectos de sua observação. b) Foram escolhidas no modelo inicial mas, têm sido adaptadas pelo IFPUG para a situação atual. c) Não devem ser usadas modernamente, pois não refletem as características da tecnologia de TI de hoje. d) São usadas normalmente, mas devemos considerar valores mais baixos na avaliação devido à defasagem e) Estas características não precisam ser padronizadas pois são interpretadas de forma única. 60 – Considere as afirmativas abaixo:


i) ii) iii)

Pode-se calcular o fator de ajuste para cada segmento de negócio e usá-lo em diversos orçamentos. Não é obrigatório o seu uso a partir de 2003 devido às múltiplas interpretações que se pode ter para as 14 características. O IFPUG procura padronizar a forma de avaliação dos técnicos, determinando características da observação, a fim de diminuir a subjetividade

Escolha a opção verdadeira: a) b) c) d) e)

i e iii são verdadeiras e ii é falsa i e ii são verdadeiras e iii é falsa ii e iii são verdadeiras e i é falsa i e ii são verdadeiras e iii é verdadeira i e ii são falsas e iii é falsa

Aula 4 61 - Qual dos seguintes passos não faz parte do procedimento de contagem de pontos função? a) b) c) d) e)

Identificar a fronteira da aplicação. Determinar o tipo de contagem. Calcular o valor do fator de ajuste. Classificar as características gerais do sistema em simples, médias e complexas. Calcular a contribuição dada por ALI e AIE.

62 - As funções do tipo dado existentes são: a) b) c) d) e)

Arquivo simples e arquivo complexo. Entrada externa, saída externa e consulta simples. Toda tabela lida e mantida pelo sistema. Arquivos lógicos internos e arquivos de interface externa. Modelo lógico de dados e itens de dados.

63 - Assinale o que melhor representa a visão do usuário, para análise de ponto função: a) b) c) d) e)

Depende do seu nível de conhecimento sobre sistemas. São implementadas em diagramas de classes. É uma descrição das funções do negócio podendo variar na implementação. É somente aquilo que o usuário entende. É a representação do negócio em forma de diagramas.

64 - A fronteira da aplicação deve ser determinada com base: a) b) c) d) e)

Nas diferentes plataformas em que a aplicação é executada. Nas diferentes equipes envolvidas. No ponto de vista do usuário. Nas condições técnicas para o desenvolvimento. Nos fluxos de dados identificados pelo analista no processo de análise.


65 – Um usuário, na definição da IFPUG, é: a) qualquer pessoa que usa e/ou opera o sistema. b) Qualquer pessoa ou “coisa” que interage com o sistema a qualquer momento e/ou especifica requisitos funcionais. c) Qualquer pessoa responsável pela contratação de sistemas na organização d) Pessoa responsável por fazer a análise de ponto função. e) É o especialista em sistemas que contrata e/ou faz o cálculo de PF dos sistemas. 66 – Um arquivo referenciado: a) São dados usados pelo sistema e solicitados ou não pelos usuário. b) É uma ALI lido ou mantido por um processo elementar ou um AIE lido por um processo elementar. c) É um ALI lido ou mantido pela aplicação que está sendo contada. d) É uma tabela do sistema e) É um conjunto de itens de dados logicamente relacionados que podem ou não ser usados por processos elementares. 67 – Diariamente o sistema financeiro de uma empresa processa um arquivo texto fornecido pelo banco para conciliação do saldo das contas da empresa, conferindo o valor do saldo com o saldo das contas no banco. Como este arquivo texto é classificado para o sistema financeiro do banco. a) b) c) d) e)

Arquivo Lógico Interno. Arquivo de interface externa. Arquivo referenciado de interface externo Arquivo referenciado lógico interno Não é um arquivo e sim um relatório.

68 – Diariamente o sistema financeiro de uma empresa processa um arquivo texto fornecido pelo banco para conciliação do saldo das contas da empresa, conferindo o valor do saldo com o saldo das contas no banco. Como este arquivo texto é classificado para o sistema financeiro da empresa. a) b) c) d) e)

Arquivo Lógico Interno. Arquivo de interface externa. Arquivo referenciado de interface externo Arquivo referenciado lógico interno Não é um arquivo e sim um relatório.

69 – Um relatório solicitado por um usuário foi considerado muito trabalhoso pelo analista. E foi preciso gerar um arquivo intermediários para guardar dados transitórios durante o processamento e finalmente gerar o relatório. Como este arquivo é classificado para o processo de contagem de PF? a) Arquivo lógico interno. b) Arquivo de interface externa c) Saída externa


d) Entrada de dados e) Não é contado 70 – Uma consultoria foi contratada para identificar problemas de “performace” no banco de dados de uma aplicação. Após uma cuidadosa análise decidiu-se dividir uma tabela crítica (para o desempenho) m três outras tabelas menores. Como a tabela inicial era um arquivo lógico interno que impacto esta mudança introduziu no número de PF. a) Nenhuma mudança no número de PF. b) Deve-se contar mais dois arquivos lógicos internos e verificar o total de PF para cada um. c) Deve-se contar como arquivos apenas os acessados por processos elementares, no ponto de vista do analista. d) Deve-se tornar a fazer a contagem considerando três ALI. e) Deve-se calcular o PF não ajustado , tendo em vista que esta tabela altera a performace do software. 71 -Quais dos seguintes passos não faz parte do procedimento de contagem de ponto função: a) b) c) d) e)

Identificar a fronteira da aplicação. Determinar o tipo de contagem calcula o valor do fator de ajuste classificar as características do sistema em simples, média e complexas levantar o total de itens de dados usados

72 – A FRONTEIRA DA APLICAÇÃO deve ser definida com base: a) b) c) d) e)

Nas diferentes plataformas em que a aplicação é executada. Nas diferentes equipes envolvidas No ponto de vista do usuário No ponto de vista do analista Nas diferentes linguagens que serão utilizadas.

73 – Para se determinar um arquivo de interface externa deve-se: a) b) c) d) e)

Determinar os processos elementares eu ocorrem sobre ele. Contar o total de campos do arquivo Contar apenas os campos que estão sendo usados pela aplicação Contar os seus tipos de dados e arquivos que estão sendo usados Contar quantos subgrupos existem no arquivo

74 –Um tipo de registro é: a) b) c) d)

Um subgrupo de dados dentro de um ALI ou AIE reconhecido pelo usuário opcional ou obrigatório c depende de quem esta contando e um conjunto de dados usado apenas por um processo


e) é um arquivo lógico que se encontra em um DFD. 75 Considere as tabelas do manual CPM abaixo: tabela de complexidade dos ALI e AIE

tipos(itens) de dados < 20 20 - 30 >50 1 Baixa Baixa Média

Tipos de registros 2 - 5 Baixa Média Alta >5

Media Alta

tabela de contribuição tipo de funçã o ALI AIE

Baixa Média Alta 7 PF 5 PF

10 PF 15 PF 7 PF 10 PF

Alta

O usuário identificou a necessidade de armazenar uma nota fiscal e o Controle de estoque com os seguintes campos: Nota fiscal tem :( numero, data, valor total da nota, imposto,cliente, endereço do cliente, CEP, CPF) com os itens (numero, código,descrição, quantidade, preço total, ) com os dados do vendedor (nome, endereço, CPF, comissão) Controle tem: (código, nome do material, descrição, quantidade em estoque, quantidade de compra, preço unitário) No ponto de vista do usuário identifica-se: a) b) c) d) e)

1 ALI com 3 registros lógicos, 1 ALI com 1 registro lógico 1 ALI com 1 registro lógicos, 1 ALI com um registro lógico 1 ALI com 20 itens de dados, 1 ALI com 3 itens de dados 1 único ALI com 4 registros lógicos e 17 itens de dados 2 registros lógicos e 3 itens de dados em um dos registros lógicos.

76 - Considere as tabelas do manual CPM abaixo: tabela de complexidade dos ALI e AIE

tipos(itens) de dados Tipos < 20 20 - 30 >50 de 1 Baixa Baixa Média registros 2 - 5 Baixa Média Alta

tabela de contribuição tipo de funçã o ALI AIE

Baixa Média Alta 7 PF 5 PF

10 PF 15 PF 7 PF 10 PF


>5

Media Alta

Alta

O usuário identificou a necessidade de armazenar uma nota fiscal e o Controle de estoque e buscar no site dos correios os endereços utilizando o CEP com os seguintes campos: Nota fiscal tem :( numero, data, valor total da nota, imposto,cliente, endereço do cliente, CEP, CPF) com os itens (numero, código,descrição, quantidade, preço total, ) com os dados do vendedor (nome, endereço, CPF, comissão) Controle tem: (código, nome do material, descrição, quantidade em estoque, quantidade de compra, preço unitário) CEP (numero, tipo-logradouro, nome, bairro, UF, município) No ponto de vista do usuário identifica-se: a) 3 ALI e 0 AIE; b) 2 ALI e 1 AIE; c) 1 ALI e 2 AIE; d) 1 ALI e 1 AIE; e) 0 ALI e 4 AIE; 77 - Considere as tabelas do manual CPM abaixo: tabela de complexidade dos ALI e AIE

tipos(itens) de dados < 20 20 - 30 >50 1 Baixa Baixa Média

Tipos de registros 2 - 5 Baixa Média Alta >5

Media Alta

tabela de contribuição tipo de funçã o ALI AIE

Baixa Média Alta 7 PF 5 PF

10 PF 15 PF 7 PF 10 PF

Alta

O usuário identificou a necessidade de armazenar uma nota fiscal e o Controle de estoque com os seguintes campos: Nota fiscal tem :( numero, data, valor total da nota, imposto,cliente, endereço do cliente, CEP, CPF) com os itens (numero, código,descrição, quantidade, preço total, ) com os dados do vendedor (nome, endereço, CPF, comissão)


Controle tem: (código, nome do material, descrição, quantidade em estoque, quantidade de compra, preço unitário) Quantos PF são totalizados acima: a) 2 ALI (baixa) + 1 AIE (baixa) = 19PF b) 3 ALI (baixa) + 1 AIE (baixa) = 26 PF c) 1 ALI (médio) + 1 AIE (baixa)= 15 PF d) 1 ALI (Alta) + 1 AIE (baixa) = 20 PF e) 3 ALI (media) + 1 AIE (baixa) = 35 PF 78 – Em uma tabela de um sistema existem os seguintes campos: código do item (chave estrangeira), valor de janeiro, valor de fevereiro, valor de março, valor de abril, valor de maio, valor de junho, valor de julho, valor de agosto, valor de setembro, Valor de outubro. Assumindo que essa tabela é um arquivo lógico interno, quantos itens de dados possui. a) 5

b) 11

c) 10

d) 1

e) 21

79 - Considere as tabelas do manual CPM abaixo: tabela de complexidade dos ALI e AIE

tipos(itens) de dados < 20 20 - 30 >50 1 Baixa Baixa Média

Tipos de registros 2 - 5 Baixa Média Alta >5

Media Alta

tabela de contribuição tipo de funçã o ALI AIE

Baixa Média Alta 7 PF 5 PF

10 PF 15 PF 7 PF 10 PF

Alta

qual a contribuição mais provável das seguintes funções do tipo dado para o número de ponto função não ajustado e uma aplicação com: 3 ALI com mais de 60 itens de dados e um AIE com 15 tipos de dados? a) 60 PF b) 35 PF

c) 37 PF

d)14 PF

e) 26 PF

80 – Dois sistemas A e B lêem e atualizam o mesmo arquivo lógico interno, que possui 20 campos. O sistema A lê 5 campos, e apenas dois deles são atualizados. O sistema B lê 8 campos do mesmo arquivo e apenas quatro deles são atualizados. Quantos itens de dados devem ser computados para o arquivo lógico interno nos sistemas A e B respectivamente?


a) 20 e 20

b) 2 e 4

c) 5 e 8

d) 18 e 16

e)

15 e 12

Aula 5 81 – Um processo elementar é definido como: a) b) c) d) e)

Toda atividade que o sistema realiza. Um requisito no negócio do usuário. A menor unidade de atividade significativa para o usuário. Um grupamento lógico de dados. Um módulo de programa.

82 – Qual a principal intenção de uma entrada externa? a) b) c) d) e)

Atualizar um arquivo lógico interno ou um arquivo de interface externa. Atualizar um arquivo lógico interno. Atualizar um arquivo de interface externa. Armazenar informações em um AIE. Ler as informações contidas em um ALI.

83 – Qual a principal intenção de uma consulta externa? a) Alterar o comportamento do sistema. b) Apresentar diferentes ordenações de dados para saída. c) Atualizar arquivos lógicos internos. d) Recuperar dados para fora da fronteira sem nenhuma alteração nos dados. e) Gerar dados derivados para apresentação. 84 – Considerando uma aplicação que o usuário de terminou dois tipos de relatórios diferentes, e os dados são consolidados em gráficos (setor, linha e barras). Outro relatório especial que contem dados derivados dos dois relatórios iniciais. E consultas “on line” as informações, sendo uma consulta feita pelo código do cliente, e outra pelo CEP A entrada de dados é feita por duas telas (uma com dados do cliente, outra com dados relativos ao endereço) Neste caso consideramos as funções de entrada, saída e consulta: a) b) c) d) e)

Saídas = 2; entradas = 2; consultas =6; Saídas = 6; entradas = 2; consultas =2; Saídas = 2; entradas = 2; consultas =2; Saídas = 3; entradas = 2; consultas =5; Saídas = 3; entradas = 2; consultas =3;

85 – Com relação à consulta e saída podemos afirmar corretamente que: a) b) c) d)

A saída externa permite diferentes ordenações dos dados. A consulta externa permite diferentes ordenações de dados. A quantidade de arquivos referenciados e itens de dados são sempre diferentes. A consulta é considerada a partir do processo elementar que a gera, acrescentando dados derivados necessários a consulta. e) O processamento da consulta é igual ao processamento da saída, portanto é uma decisão de quem conta.


86 – Uma saída externa não pode: a) b) c) d) e)

Gerar dados derivados. Alterar o comportamento do sistema. Atualizar um arquivo lógico interno. Ter o fluxo de informação de fora para dentro da fronteira de contexto Ser considerada para cada tipo de gráfico gerado.

87 – Uma consulta externa deve: a) b) c) d) e)

Referenciar pelo menos um arquivo. Gerar dados derivados Alterar o comportamento do sistema Atualizar um arquivo lógico Pode gerar um ou mais gráficos

88 –A complexidade de uma entrada externa é determinada: a) b) c) d) e)

Pelo número de arquivos referenciados apenas. Pelo numero de arquivos referenciados e itens de dados. Pelo número de registros lógicos e pelo número de itens de dados Pelo numero de arquivos referenciados e número de registros lógicos Pelo número de itens de dados apenas.

89 – Identifique qual das alternativas não faz parte das regras de identificação de entradas externas. a) Dados enviados por um agente (pessoa ou outra aplicação) b) Dados ou informações de controle são recebidos de fora da fronteira da aplicação. c) Um arquivo lógico é atualizado d) O comportamento do sistema é alterado. e) O fluxo de saída é equivalente ao fluxo de armazenamento. 90 –Um arquivo referenciado: a) São dados de referencia mantidos pelo sistema e solicitados pelo usuário. b) É um ALI lido ou mantido por um processo elementar ou um AIE lido por um processo elementar. c) É um AIE lido ou mantido por um processo elementar da aplicação que está sendo contada. d) É uma tabela do sistema e) É um conjunto de itens de dados que são usados, mas não lidos ou mantidos pelo sistema. 91 – Considere a contagem para uma tabela de clientes que tem: I - Uma consulta que retorna quase todos os itens de dados da tabela para uma tela.


II - Outra consulta retorna-se uma lista de CPF e Nome de clientes. a) b) c) d) e)

Deve-se contar como uma entrada externa e uma consulta externa Deve-se contar duas consultas externas. deve-se contar duas entradas e duas saídas deve-se contar uma saída externa e uma consulta deve-se contar duas entradas externas

92 – Há necessidade de se alterar um campo mas consulta-se outros n itens. Quantos itens de dados devem ser contados? a) b) c) d) e)

Apenas um item de dados Apenas n itens de dados Apenas n+1 itens de dados Apenas n + n+ 1 itens de dados Apenas 2 itens de dados

93 - Como contar a manutenção de um sistema que só terá seu padrão visual alterado? a) b) c) d) e)

Deve-se considerar a contagem de manutenção Devem-se considerar as transações que forem alteradas Deve-se usar o tipo de contagem de aplicação O total de ponto de função não será útil para este caso O total de ponto de função será alterado

94 - Como classificar um arquivo texto que é importado pelo sistema? a) b) c) d) e)

Deve se considerar como uma entrada externa Deve-se considerar como uma saída externa Deve-se considerar como uma consulta externa Deve-se considerar como uma consulta seguida de uma entrada Deve-se considerar uma entrada externa e uma consulta externa

95 – Como se deve contar se uma aplicação atualizar a data de importação em um arquivo texto? a) deve-se contar uma consulta externa b) deve-se contar apenas uma entrada externa c) deve-se contar uma EE e contar a data como item de dados d) deve-se contar uma EE e a data como dois itens de dados e) deve-se contar uma entrada externa e uma consulta externa 96 - Uma gravação em “pen drive” com dados da base, é uma CE ou SE ? a)

Se a extração tiver processamento (cálculo de registros) é SE se for cópia da base é CE. b) Se a extração tiver processamento (cálculo de registros) é CE se for copia da base não deve ser contada c) Se a extração não tiver processamento é SE se for copia da base é CE


d) Se o pen-drive servir de backup é uma SE e) Se o pen drive executar um anti vírus é SE 97 - Tenho um relatório que é somente extração da base, mas sendo que se ultrapassar o limite de 100 linhas o relatório sai em arquivo. Como e deve contar? a) Devem-se contar como duas SE, pois pode sair em relatório ou gravado em disco b) Deve ser contado como uma consulta e uma saída, pois precisa se definir o tipo de gravação c) Contar como SE, pois há o cálculo das linhas e é de conhecimento do usuário que o relatório ultrapassar o limite (há contagem de linhas) o relatório será gravado em disco, senão será impresso. d) Pode ser considerado como CE ou SE depende do usuário e) Neste caso existem diversas maneiras de contar como consulta 98 – Em um sistema existem duas tabelas: Titular e Dependentes. A tabela titular possui os seguintes campos: código do titular (chave primária), nome, sexo, data de admissão e observação. A tabela Dependente possui os seguintes campos: código do dependente (chave primária), código do titular (chave estrangeira), nome do dependente, data de nascimento. Assumindo que estas tabelas são identificadas como um único arquivo lógico interno, quantos tipos de dados ele possui? a) 9

b) 10

c) 6

d) 8

e) 7

99 – Uma tela permite visualizar o mesmo relatório com quatro tipos de ordenação diferentes. O rodapé do relatório sempre traz o total de registros listados. Como esta funcionalidade deve ser contada? a) b) c) d) e)

Uma saída externa Uma consulta externa Quatro saídas externas Quatro consultas externas Quatro saídas e uma consulta

100 - Um item de dado ou dado elementar, é um campo, reconhecido pelo usuário dentro dos arquivos lógicos internos (ALI) ou dentro de arquivos de interface externa (AIE). Qual da opção abaixo Não é uma regra de contagem: a) Contar um item para cada campo reconhecido pelo usuário dentro dos ALI ou AIE; b) Contar somente um item para campos armazenados em múltiplos lugares. ( ex: data); c) Contar somente um item de dados para campos que aparecem mais de uma vez em um ALI por causa da tecnologia utilizada. (ex: tabelas de BD. As chaves utilizadas para relacionar as tabelas são contadas uma só vez);


d)

Contar como itens de dados distintos, campos repetitivos com formatos idênticos mas que existem para permitir múltiplas ocorrências de um campo. ( Ex: um campo de Valor mensal aparecendo 12 vezes e um campo de valor anual devem ser contados como dois itens de dados). e) Os arquivos de relacionamento devem ter suas chaves consideradas com as respectivas repetições.

101 – Qual das opções abaixo não é uma regra de identificação de um AIE? a) Um arquivo de processamento interno, como sort deve ser considerado como um AIE; b) Dados armazenados fora da fronteira da aplicação. c) Dados que não sofrem manutenções pela aplicação que está sendo avaliada. d) Dados identificados como necessidades de informação do usuário e) Dados que são contados como ALI para outra aplicação. 102 – Sobre Entrada Externa (EE) a afirmativa abaixo não é correta. a) É um processo elementar; b) É de dentro da fronteira para fora; c) Processa dados ou informações de controle recebidos de fora para dentro da fronteira de aplicação d) A principal intenção é manter um ALI ou modificar o comportamento do sistema; e) Pode ser para incluir, alterar ou excluir dados de um ALI; 103 - Não são Exemplos de EE (Entrada Externa): a) Transações que recebem dados externos utilizados na manutenção de ALIs; b) Janela que permite adicionar, excluir e alterar registros ; c) Quando uma tela permite adicionar, excluir e alterar temos três entradas externas. d) Telas de filtros de relatório ou consultas, menus e telas de login; e) Processamento em lotes de atualização de bases cadastrais a partir de arquivos de movimento; 104 – Sobre a Saída Externa (SE) a afirmativa abaixo não é correta. a) Manter (incluir, alterar ou excluir) dados de um ou mais arquivos lógicos internos e/ou alterar o comportamento do sistema; b) Enviam dados ou informações de controle para fora da fronteira a aplicação; c) É um processo elementar que é executado fora da fronteira desta aplicação. d) A principal intenção é apresentar informações ao usuário por meio de uma lógica de processamento.


e) A lógica de processamento, obrigatoriamente, deve ter pelo menos uma fórmula matemática, cálculo ou criar dados derivados 105 – Indique a opção em que não se deve considerar como saída externa. a) Telas de help, drop-down, consultas e relatórios sem nenhum totalizador ou não modificam o comportamento do sistema. b) Relatórios com totalizações de dados e/ou que também atualizam arquivos; c) Consultas com cálculos ou apresentação de dados derivados e telas de login (com criptografia); d) Arquivos de movimento (remessa) gerado para outra aplicação; e) Informações que são apresentadas em formato gráfico (um por tipo); 106 – Não é uma característica de consulta externa o item abaixo: a) É um processo elementar. b) Que envia dados ou informações de controle para fora da fronteira da aplicação: c) A principal intenção é apresentar informação ao usuáriopor meio de uma simples recuperação de dados ou informações de controle de ALI e/ou AIEs. d) A lógica de processamento não deve conter formulas matemáticas ou cálculo, criar dados derivados e não manter nenhum ALI e mudar o comportamento sistema. e) Alterar o status do sistema durante o processamento de um cálculo ou formula matemática. 107 – São não exemplos de consulta externa: a) telas de help e telas de login (sem criptografia). b) informações em formato gráfico. c) menus gerados dinamicamente com base em configuração da aplicação. d) Drop-downs, desde que recuperem dados de arquivos (ALI e AIE). Os dropdowns estáticos com valores diretamente codificados no programa fonte e) Menus estáticos e relatórios que contenham cálculo ou gerem dados derivados. 108 – A logica de processamento completa um processo elementar, qual dos itens abaixo não são exemplos de processamento: a) Realizar validações (validar cpf ou outros campos). b) Realizar cálculos matemáticos e formulas matemáticas (calcular total de clientes, total de valores, etc...) c) Conversão de valores como troca de moedas, recuperação de valores em tabelas. d) Filtros de dados e seleção segundo determinados critérios (exemplo faturas vencidas). e) apresentação de telas de login. 109 – A logica de processamento completa um processo elementar, qual dos itens abaixo não são exemplos de processamento:


a) Quando um agendamento de uma parcela (valor) é recebido e deve-se fazer outra tarefas. b) Um ou mais ALI são atualizados (atualizar dados de um determinado cliente, por exemplo – ALI). c) Um ou mais ALI são referenciados – Referencia se outros arquivos para validar dados. d)Recuperação de dados ou informações de controle. Exemplo: visualizar lista de clientes e) apresentação de telas de login. 110 – A logica de processamento completa um processo elementar, qual dos itens abaixo não são exemplos de processamento: a) criação de dados derivados a partir de dados existentes b) preparar e apresentar informações para fora da fronteira da aplicação. c) Conversão de valores como troca de moedas, recuperação de valores em tabelas. d) Capacidade de aceitar dados ou informações de controle que entra na fronteira da aplicação. e) apresentação de telas de login.


questoes-de-revisao-apf